Esporte

Técnico da elite do futebol brasileiro por mais tempo no comando de uma equipe, Renato Portaluppi é demitido do Grêmio após eliminação precoce na Libertadores

Foto: Lucas Bubols/ge.globo

Renato Portaluppi não é mais técnico do Grêmio. O treinador não suportou a eliminação na terceira fase da Libertadores para o Independiente del Valle, na noite de quarta-feira. Conforme apurou o ge, a informação foi repassada aos jogadores antes do treino desta tarde de quinta, no CT Luiz Carvalho.

Já pela manhã, a diretoria se reuniu para debater o futuro do treinador. Participaram o CEO Carlos Amodeo e os membros do Conselho de Administração, presidido por Romildo Bolzan e os seis vice-presidentes: Marcos Herrmann, Cláudio Oderich, Paulo Luz, Duda Kroeff, Guto Peixoto e Adalberto Preis.

Logo após a eliminação do clube na terceira fase da Libertadores, com nova derrota para o Independiente del Valle, Renato foi alvo de cobranças e contestações internas e externas. Ainda na noite de quarta, o vice-presidente Cláudio Oderich revelou ao ge que as avaliações internas ocorreriam de “cabeça fria” e que nada estava descartado.

A pressão sobre Renato já existia durante as conversas para a renovação, no início de março, com correntes internas do clube se posicionando contra a permanência.

A turbulência iniciou na noite da última quarta-feira, na Arena, quando o Grêmio perdeu outra vez por 2 a 1 para o Independiente del Valle e deu adeus à Libertadores. O Tricolor agora disputará a Sul-Americana.

O técnico Renato Portaluppi, que ainda se recupera da Covid-19, não esteve à beira do campo. O auxiliar Alexandre Mendes comandou o time nas duas derrotas para os equatorianos.

Contratado em setembro de 2016, Renato está há mais de quatro anos e meio no cargo. Ele se tornou o técnico da elite do futebol brasileiro por mais tempo no comando de uma equipe.

Em sua terceira passagem, Renato virou também o técnico com mais jogos na história do Grêmio e ganhou uma estátua na Arena. Além de conquistar os títulos da Copa do Brasil (2016), da Libertadores (2017), da Recopa Sul-Americana (2018), de três estaduais (2018, 2019 e 2020) e uma Recopa Gaúcha (2019).

Globo Esporte

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acidente

VÍDEO: Entregador é demitido em SP após se atrasar enquanto ajudava a salvar vida de motorista em acidente

O entregador Robsom dos Santos foi demitido de seu serviço por ter chegado atrasado. Segundo ele, o patrão não aceitou que ele tenha parado para ajudar motorista que sofreu um acidente de trânsito na rodovia Rio-Santos, na região de Bertioga, litoral norte de São Paulo.

Robsom conta que estava indo para o trabalho quando viu um carro que vinha logo atrás dele tentar uma ultrapassagem. O motorista do veículo perdeu o controle da direção, capotou várias vezes, cruzou duas pistas e caiu em um matagal.

O entregador não pensou duas vezes, e parou para prestar socorro. “O motorista corria risco de morrer afogado, então puxamos pelo braço”, conta. Durante o resgate, Robsom deixou o celular cair e acabou danificando. Mesmo assim, foi possível tirar fotos do local do acidente para mostrar ao patrão.

Robsom prestou apoio à vítima, e ficou no local por volta de meia-hora ajudando no socorro. Em seguida, foi ao trabalho. Quando chegou, o patrão não aceitou o atraso e o demitiu no mesmo dia. “Ele falou que o cliente sempre tem razão, e os clientes estavam reclamando”.

O entregador é pai de dois filhos, e dependia desse emprego para sustentá-lo, mas afirma que não se arrepende de ter parado para ajudar a vítima do acidente.

R7

Opinião dos leitores

  1. Foi o que o golpe trouxe para o trabalhador, capitalistas só olham para o seu umbigo, é isso que a raça desse Bozo despreparado tem para a nação, aí os otários levam fumo e gritam "mito, mito" …

  2. É bom verificar a outra versão. Tem muitos empregados que não valem nada, sempre se passam por vítimas.

    1. Perdeu uma oportunidade ficar quieto. Minion sendo Minion.

  3. Patrão sendo patrão.
    Com a terceirização e sem direitos trabalhistas, vai ser assim, de agora em diante…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Leia a mensagem que fez Álvaro Antônio ser demitido no Ministério do Turismo

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Marcelo Álvaro Antônio, demitido hoje do Ministério do Turismo, enviou mensagem ontem ao grupo dos ministros do governo com ataques diretos a Luiz Eduardo Ramos.

O Antagonista obteve acesso à íntegra do texto, no qual Álvaro Antônio acusa o articulador político de oferecer cargos para o Centrão, entre eles o do Ministério do Turismo.

A mensagem irritou Jair Bolsonaro, que, mais cedo, chamou o ministro em seu gabinete para comunicar sua demissão. Álvaro Antônio já estava na lista de ministros que poderiam cair na reforma ministerial prevista para o início do ano que vem. A mensagem precipitou a queda.

Leia a íntegra:

“Caros colegas, de antemão peço desculpas por utilizar este espaço com objetivo que não seja a construção de um Brasil melhor.

Ministro Ramos, sinceramente não sei onde o Sr estava nos anos 2016, 2017, 2018…

Mas eu, junto ao Ministro Onix e outros membros do governo, já estava na Câmara do Deputados articulando em favor da então candidatura do Presidente JB (em um momento que quase ninguém acreditava na eleição dele). Na ocasião da campanha, percorri TODAS as regiões do estado de MG de carro para organizar as ações da campanha, dormindo na maioria das vezes 4 / 5 horas por noite, levando as pessoas a minoria a acreditar que precisávamos dele para mudar o Brasil (a maioria naquele momento já acreditava).

Quem estava na campanha eram os conservadores que hoje o senhor ataca sem parar, de forma covarde.

Quando indicado ao Presidente pelo ministro Onix, procurei incansavelmente honrar nosso Capitão à frente do Ministério do Turismo. O trabalho me parece que surtiu efeito… Em 2019 vivemos o melhor momento da história do ministério:

– Enquanto a própria economia (PIB) cresceu 1,1% a economia do Turismo cresceu 2,6 (mais que o dobro);

– Geramos 163% a mais de empregos que o mesmo período do ano anterior;

– Com a ajuda do Itamaraty e da Assessoria Internacional do Presidente, isentamos de vistos quatro países estratégicos EUA, Japão, Canadá e Austrália, isso nos permitiu bater alguns recordes, pela primeira vez na história Cataratas do Iguaçu ultrapassou a barreira de 2 milhões de visitantes em 2019;

– A transformação da EMBRATUR em uma agência de promoção internacional (um pleito de mais de 10 anos) vai sem dúvida em médio prazo trazer grandes resultados;

– Fui a Madri em bate e volta, fiz três reuniões, resultado: Conseguimos atrair o Wakalua, o maior hub de inovação e tecnologia em soluções para o turismo do mundo, o escritório será aberto no próximo semestre (vai nos trazer GRANDES avanços);

Conseguimos atrair a Air Europa para operar no Brasil (Já homologada pela ANAC); Conseguimos atrair o Escritório da Organização Mundial do Turismo (OMT), será instalado no RJ, ação que vai colocar o Brasil na vitrine dos investimentos do turismo no mundo.

– Na pandemia as ações do Ministério do Turismo (junto ao ME) foram alvo de gratidão e reconhecimento desde os maiores empresários do Trade turístico até os mais simples Guias de Turismo.

Enfim, dito isso, não me admira o Sr Ministro Ramos ir ao PR pedir minha cabeça, a entrega do Ministério do Turismo ao Centrão para obter êxito na eleição da Câmara dos Deputados.

Ministro Ramos, o Sr entra na sala do PR comemorando algumas aprovações insignificantes no Congresso, mas não diz o ALTÍSSIMO PREÇO que tem custado, conheço de parlamento, o nosso governo paga um preço de aprovações de matérias NUNCA VISTO ANTES NA HISTÓRIA, e ainda assim (na minha avaliação), não temos uma base sólida no Congresso Nacional, (tanto que o Sr pede minha cabeça pra tentar resolver as eleições do parlamento, ironia, pede minha cabeça pra suprir sua própria deficiência)…

Nem por isso Ministro Ramos, fui ao PR pra dizer que o Sr não capacidade pra atuar em tal função, AO CONTRÁRIO, várias vezes ofereci ajuda pra que o Sr tivesse êxito em suas atribuições (ex: Contratação do Carlos Henrique, abrindo espaços no MTur).

SOMOS UM TIME PELO BRASIL, o Sr deveria ter aprendido na sua própria formação militar que não se joga um companheiro de guerra aos inimigos, não se pode atirar na cabeça de um aliado…

O Antagonista

Opinião dos leitores

  1. Que saudade dos tempos quando o ministro era denunciado por corrupção, logo o Presidente saia em sua defesa e o mantinha no cargo, para continuar com foro privilegiado.
    Que saudade de ver corrupto sendo vitimizado ao máximo.
    Que saudade dos tempos onde quanto mais corrupto, mais mandava…

  2. Cadê a vaquinha que adora chamar o Véio de arrochado????
    Aqui ele não aparece……..
    O bovino fica mudinho…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Funcionário de funerária é demitido por tirar foto com o corpo de Maradona

Funcionário preparava o corpo de Maradona antes do velório, que acontece nesta quinta-feira (26), em Buenos Aires — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Um funcionário da funerária que preparou o corpo de Diego Maradona, velado nesta quinta-feira (26) em Buenos Aires, foi demitido após a divulgação de uma foto em que ele aparece ao lado do caixão aberto, tocando o rosto do astro do futebol argentino.

Maradona morreu aos 60 anos na quarta-feira (25) após sofrer uma parada cardiorrespiratória em casa, na cidade de Tigre.

O dono da funerária argentina pediu desculpas à família de Maradona e disse, em entrevista ao site da emissora Todo Noticias, do grupo Clarín, que o funcionário foi “despedido imediatamente”.

A imagem do agente funerário fazendo sinal de positivo, com o caixão aberto, enquanto tocava o rosto de Maradona começou a viralizar no final da manhã de quinta em diversos perfis no Twitter e em grupos do WhatsApp.

O advogado e amigo de Maradona, Matias Morla, mostrou sua perplexidade com o caso e disse, em uma rede social, que o funcionário é “um canalha”, e que não descansará “enquanto ele não responder por essa aberração”.

“Por conta da viralização da imagem de Diego em seu leito de morte, eu vou pessoalmente encontrar quem foi o canalha que tirou essa foto”, disse o advogado. “Todos os responsáveis por essa covardia vão ter que pagar.”

G1

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Kid Bengala é demitido de produtora pornô Brasileirinhas após derrota nas eleições

Foto: Reprodução/Instagram

Kid Bengala estava entre os candidatos a vereador da cidade de São Paulo. O ator pornô se candidatou pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), mas ficou entre as celebridades menos votadas , com apenas 953 votos. Após a derrota nas urnas, ele teve mais uma surpresa desagradável: foi demitido da produtora pornô na qual trabalhava.

O ator pornô era contratado da Brasileirinhas, uma das maiores empresas do ramo no país. Em entrevista ao jornal Extra, Clayton Nunes, o dono da produtora, explicou os motivos que levaram à demissão. “Já não estávamos trabalhando com o Kid há mais de um mês. Ele já não estava mais se dedicando, a cabeça dele já estava na política. Acho que já deu, ele não estava focado. Ele não está nos nossos planos mais não”, disse.

Sem emprego e sem cargo na política, Kid Bengala disse que não pretende deixar o pornô. “Eu nunca vou cuspir no prato que comi. Foi onde eu fiquei famoso. Espero poder continuar atuando”, declarou o ator de filmes adultos.

IG

Opinião dos leitores

  1. "Ele não está nos nossos planos mais não”. Fala típica de patrões que exploram seus empregados, ganham muito dinheiro às custas deles, depois o dispensam.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Finanças

Caixa vai liberar FGTS de trabalhador demitido por motivo de ‘força maior’

Foto: Agência O Globo

A Caixa Econômica Federal (CEF) informou que uma alteração nos procedimentos de saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) permitirá a retirada do saldo em casos de demissão por motivo de “força maior”. Até o último dia 29 de abril, os recursos do FGTS ficavam bloqueados e o banco – que é o gestor do fundo – só permitia o acesso aos recursos da conta vinculada dos trabalhadores demitidos com esta justificativa após decisão da Justiça do Trabalho que reconhecesse o motivo da dispensa.

Agora, segundo o banco, o saque das contas FGTS pode ser realizado pelos trabalhadores com a apresentação de documento de identidade, CPF e Carteira de Trabalho, conforme Circular 903/2020, publicada no Diário Oficial da União.

Segundo o artigo 502 da CLT, quando uma empresa ou um estabelecimento é fechado por conta de uma força maior, a empresa poderia dispensar o quadro de empregados com motivo de “demissão por força maior”. O instrumento precisa ser ratificado pela Justiça do Trabalho e, se for reconhecido, a multa sobre o saldo FGTS cai de 40 para 20%.

A Caixa informou que a o saldo poderá ser movimentado pelo APP FGTS, com atendimento 100% digital e gratuito. O trabalhador poderá indicar uma conta bancária de qualquer instituição financeira para receber os valores, sem nenhum custo.

A demissão por “força maior” é um mecanismo previsto em lei que tem sido cada vez mais aplicado em meio à pandemia do novo coronavírus para a demissão dos funcionários. Segundo advogados especializados em Direito Trabalhista, a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) prevê o acionamento do instrumento em casos bastante específicos. Diante do aumento do número de trabalhadores demitidos nestas condições, a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia, elaborou a portaria para que os saques do FGTS sejam processados sem que haja a necessidade de comprovação por decisão judicial da demissão por”força maior”.

Seguro-desemprego

Além disso, os trabalhadores estavam enfrentando dificuldades também para dar entrada no seguro-desemprego. Quanto ao benefício, a secretaria informou que foi expedida uma circular com orientações para que os requerimentos apresentados, nas situações de demissão “por força maior” relacionadas ao contexto excepcional da Covid-19, sejam recepcionados sem que haja a necessidade de comprovação por decisão judicial.

Os trabalhadores que encontrarem problemas nos pedidos de seguro-desemprego podem enviar uma mensagem para as Superintendências do Trabalho para tratar de pendências. O endereço do e-mail segue o seguinte padrão: trabalho.(uf)@mte.gov.br, como, por exemplo, [email protected], [email protected] etc. Ou seja, o uf (unidade da federação) refere-se ao estado.

Extra – O Globo

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Mandetta anuncia em rede social que foi demitido da Saúde

 Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Em meio à pandemia do novo coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro demitiu nesta quinta-feira (16) o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. A informação foi divulgada pelo próprio ministro em uma rede social.

“Acabo de ouvir do presidente Jair Bolsonaro o aviso da minha demissão do Ministério da Saúde. Quero agradecer a oportunidade que me foi dada, de ser gerente do nosso SUS, de pôr de pé o projeto de melhoria da saúde dos brasileiros e de planejar o enfrentamento da pandemia do coronavírus, o grande desafio que o nosso sistema de saúde está por enfrentar”, escreveu Mandetta.

“Agradeço a toda a equipe que esteve comigo no MS e desejo êxito ao meu sucessor no cargo de ministro da Saúde. Rogo a Deus e a Nossa Senhora Aparecida que abençoem muito o nosso país”, prosseguiu.

Ex-deputado federal, Mandetta estava à frente da pasta desde o início do governo, em janeiro de 2019, e ganhou maior visibilidade com a crise provocada pelo novo coronavírus.

Nas últimas semanas, contudo, Bolsonaro e Mandetta tiveram divergências públicas em razão das estratégias para conter a velocidade do contágio da Covid-19, doença provocada pelo vírus.

Em entrevista ao Fantástico, no domingo (12), Mandetta disse que a população não sabe “se escuta o presidente ou o ministro” da Saúde em relação a medidas.

Em coletiva nesta quarta (15), no Palácio do Planalto, o então ministro da Saúde disse que era claro o “descompasso” entre a pasta e as orientações do presidente Jair Bolsonaro. Segundo Mandetta, pessoas cotadas para a sucessão no cargo chegaram a ligar para ele em busca de aconselhamento.

Na entrevista, o ministro também disse que a equipe montada por ele e empossada em 2019 trabalharia em conjunto, e ajudaria na transição para evitar uma ruptura na política contra a Covid-19.

O último dia

Na manhã desta quinta, Mandetta participou de um seminário virtual sobre o enfrentamento ao coronavírus. Durante o papo, afirmou que a perspectiva era de que a mudança no comando do ministério acontecesse “hoje, no mais tardar amanhã”.

No mesmo horário, o presidente Jair Bolsonaro recebeu no Palácio do Planalto o oncologista Nelson Teich. O médico, que atua em São Paulo, desembarcou em Brasília como o principal cotado para assumir o Ministério da Saúde.

Em artigo recente sobre a pandemia, Teich se mostrou a favor do isolamento horizontal, como Mandetta. Ele também afirmou, também em texto nas redes sociais que o enfrentamento da crise não pode levar em conta apenas fatores econômicos ou apenas fatores sanitários.

Até a publicação desta reportagem, nem a reunião com Bolsonaro nem a nomeação de Teich para o cargo tinham sido oficializadas pelo Palácio do Planalto.

Discordâncias

O presidente defende o que chama de “isolamento vertical”, ou seja, isolar somente idosos e pessoas com doenças graves, que estão no grupo de risco. Bolsonaro repete que o isolamento amplo, com suspensão de atividades, traz prejuízos à economia que ele considera até mais graves do que as mortes provocadas pelo coronavírus.

Mandetta reforçou nas últimas semanas a necessidade de isolamento para toda a população e reafirmou que as recomendações e determinações do Ministério da Saúde seguem parâmetros científicos e da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Em três ocasiões diferentes, Bolsonaro saiu por ruas de Brasília e cumprimentou apoiadores, mantendo contato físico e descumprindo as orientações dadas por Mandetta e pelas autoridades internacionais de saúde.

A discussão sobre as medidas de restrição, com suspensão de atividades comerciais e aulas, por exemplo, gerou embate do presidente não só com Mandetta, mas também com governadores – em especial com o de São Paulo, João Doria (PSDB), e o do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC).

Bolsonaro e Mandetta também discordaram sobre um remédio usado para tratamento de malária como alternativa para o coronavírus, a cloroquina (escute o podcast O assunto sobre o tema ao final da reportagem). Bolsonaro é entusiasta do remédio para tratar a Covid-19. Mandetta alerta para a falta de estudos científicos sobre o tema.

Com G1

 

Opinião dos leitores

  1. Já vai nego???
    Já vai tarde seu menino.
    Agora, pode meter o pau a fazer política.
    Pode fazer, e fazer muito pra vê se decola.
    Daqui a quinse dias, ninguém mais liga pra esse cara.
    Xô satanás.
    Sangue de cristo tem poder.

  2. Torcer que com a mudança do ministro, o presidente tb aproveite e se cale por um momento pra não atrapalhar o novo ministro.
    Se não for pra ajudar, que não atrapalhe como atrapalhou até o último instante possível.

  3. Ai papai… o ministro técnico não serve mais pro mitinho? Há poucos dias vangloriava a equipe técnica que havia constituído para o Ministério da Saúde! Muda rápido, não?

  4. Pessoal, as eleições já passaram. Em 2018 foi eleito Jair Bolsonaro. Ele é quem tem o direito e a autoridade para nomear seus auxiliares, da mesma forma que a Governadora Fátima nomes seus secretários. O MITO sabe o que faz.

  5. Pronto agora sim acabou a novela , finalmente o presidente , votei nele e me arrependo , tomou uma decisão . Imagino que agora vai ter um ministro que vai fazer a política que ele deseja . Boa sorte ao oncologista , que me parece ser muito competente . O presidente agora assume verdadeiramente a responsabilidade pelo protagonismo da condução da política de saúde do Brasil , durante a pandemia . Vamos torcer para que ele acerte .

  6. Meu Deus, as mortes irão aumentar, a loucura do presidente louco de mandar as pessoas irem as ruas, por favor, alguém demita esse maluco da presidência.

    1. Oh, meu Deus! Que desespero Agamenom! Vá tomar um chá de camomila que acalma.

    2. Excelente trabalho do MINISTRO MANDETTA, ñ seguiu orientação desse louco que botar a população no suicídio coletivo.

  7. Talvez estejamos a caminho de aumentar o número de despreparados para o cargo, o tempo dirá. Na conta dos que não poderão jamais voltar, o pingunço é a anta louca. Esses últimos por sabedoria de mais ou de menos é pilhagem de dinheiro publico, melhor, por serem ladrões mesmo.

  8. Esse ministro querendo tirar proveito na crise, demorou a ir, só blá blá e nada de concreto fez, hospitais sem EPI’s, respiradores, apoiado por dois capacho, presidente do senado e do câmara, quem estar reclamando aqui são todos PeTralhas. 242,4 bilhões no Google.

  9. Tamo lascado. Nau sem rumo e desgovernado, difícil é esse país sem liderança. Ô saudade dos tempos bons.

  10. Bolsonaro vai responder por crimes contra a humanidade! Entrará pra história como o maior fdp que já sentou na cadeira de Presidente.

  11. Parabéns para Mandetta, defendeu a sua tese pela ciência e não seguiu o pensamento insensato do achismo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Marcelo Odebrecht é demitido pelo pai por justa causa

Foto: Germano Luders/VEJA

O atual presidente da Odebrecht, Ruy Sampaio, demitiu o ex-mandachuva da empresa Marcelo Odebrecht. A demissão foi uma determinação do pai de Marcelo, Emílio Odebrecht. Na Bahia, Emílio, que preside a Kieppe, holding que comanda a Odebrecht, mandou um advogado para avisar o filho na casa dele, em São Paulo. Marcelo foi demitido por justa causa, após a divulgação de e-mails enviados ao pai pelo jornal Folha de São Paulo. Nas mensagens, Marcelo acusa o pai de ser o responsável pela bancarrota da empresa, que levou a companhia a entrar com o pedido de recuperação judicial.

Com a demissão, Marcelo segue como acionista minoritário da Odebrecht S.A., com 2,79% da empresa, mas perde benesses como motorista, segurança, assessor de imprensa, secretária e advogados, todos pagos pela empresa. Sampaio enviou um comunicado para os clientes do Grupo Odebrecht. No e-mail, informa o desligamento de Marcelo e que o ex-chefão do grupo terá os mesmos direitos e deveres dos demais acionistas. Marcelo passa a não falar mais pela empresa.

Para mostrar influência, desde sua soltura, Marcelo Odebrecht vinha dando as caras na empresa. Seu objetivo era mostrar que era querido entre os funcionários e afastar a pecha de malquisto. Emílio pôs fim às visitas: na última segunda-feira, 16, Marcelo Odebrecht foi barrado na portaria da companhia, quando foi à empresa tentar reverter a demissão de Zaccaria Junior, assessor ligado a ele. A demissão foi uma ordem de Emílio, que determinou que todos os funcionários ligados ao filho sejam desligados da companhia. O estopim foi demitir o próprio filho.

Marcelo e Emílio nunca se deram bem. A agressividade, porém, ficou mais clara desde a morte do pai de Emílio, Norberto Odebrecht, e a prisão de Marcelo no âmbito da Operação Lava-Jato, em 2015, quando Emílio foi obrigado a reassumir a companhia. Desde então, o pai prepara o filho caçula, Maurício (até então à parte dos negócios do império Odebrecht) para tomar as rédeas da empresa quando deixar a Kieppe.

Veja

 

Opinião dos leitores

  1. Coitado do pobrezinho, só não vai passar privação porque Fatão GD com certeza terá a sensibilidade de convidá-lo para a sua equipe de auxiliares.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Televisão

Repórter do Grupo Globo é demitido após filmar colega editor na redação comemorando vitória do Flamengo

Um editor de esportes da Rede Globo foi demitido nessa quarta-feira (04/12/2019), após filmar um colega de trabalho e publicar o vídeo nas redes sociais. Segundo Leo Dias, trata-se de Adalberto Neto, do jornal O Globo, que gravou o editor Márvio dos Anjos comemorando a vitória do Flamengo na final da Libertadores.

No vídeo que viralizou na internet, é possível ver o editor do jornal correndo pela redação, gritando e se jogando no chão enquanto comemorava a virada do time carioca sobre o River Plate, da Argentina. Ao fundo, Adalberto diz: “Gente, o que é isso? Isso aqui é a redação de um jornal sério”.

De acordo com Leo Dias, inúmeros internautas criticaram a postura do profissional filmado. “O jornalista tem que ser isento, a comemoração teria que ser feita fora do ambiente de trabalho. Péssimo exemplo”, disse um usuário. Outro escreveu: “Se eu faço isso no trabalho, sou demitido. Imagina se o meu trabalho fosse ser imparcial sobre o assunto”.

Mesmo com todas as críticas, a coluna do Leo Dias relatou que a Rede Globo realizou o desligamento de Adalberto Neto, jornalista que filmou e publicou o vídeo nas redes sociais. A situação da demissão ocorreu sem nenhuma justificativa, segundo o blog.

Metrópoles

Opinião dos leitores

  1. Então tem q demitir Galvão Bueno, casa grande entre outros,Galvão Bueno quase morria antes da final

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Nelson Jobim Caiu!!

O Estado de S. Paulo

BRASÍLIA – Depois de ler a íntegra da reportagem da revista Piauí com o perfil e as declarações do ministro da Defesa, a presidente Dilma Rousseff avaliou que Nelson Jobim ficou numa “posição politicamente insustentável” e decidiu demiti-lo, no final da manhã desta quinta-feira, 4. Segundo fontes do Planalto, a presidente teria pedido para ele antecipar a volta de Tabatinga (AM).

Ao contrário do que disseram alguns assessores do ministro da Defesa, a presidente não soube, “há um mês”, que ele havia, em entrevista à Piauí, feito críticas às ministras escolhidas por Dilma depois da crise do caso Palocci, e que trabalham diretamente com ela no Palácio.

(mais…)

Opinião dos leitores

  1. E é porque estamos em um país que se diz Democrático, justamente estes companheiros que estão no poder que lutaram contra o A-5, é tudo mentira………….

  2. Jobim não é burro não ! Vai sair do governo para se fortalecer politicamente batendo no governo e brigar para uma eventual candidatura a presidência da República ou quem sabe numa chapa como vice de Lula em 2014, caso não consiga apoio para sair presidente.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Goleiro que deu voadora é expulso do Sport

No post anterior vocês podem conferir a covardia deste goleiro. Agiu certo o Presidente do Sport em expulsar ele do clube. Segue reportagem da Folha de São Paulo:

O Sport expulsou de seu elenco o goleiro de 18 anos que deu uma voadora pelas costas em um jogador do Vasco no final da partida entre as duas equipes pela Taça BH de juniores, nesta segunda-feira, no estádio Campo Metaluzina, em Barão dos Cocais, município que fica a 93 quilômetros de Belo Horizonte.

O volante Elivelton, 19, foi agredido por Gustavo quando a bola estava parada e jogadores dos times discutiam uma falta com o árbitro Cleisson Veloso Pereira.

(mais…)

Opinião dos leitores

  1. Parabens ao presidente do Sport, dirigente enhum deve ser conivente com esse tipo de violencia. Quer lutar? Vá para o UFC

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Alfredo caiu do transporte…..

Estadão:

Os dirigentes do PR estão se encaminhando agora para o Palácio do Planalto para tratar da substituição do ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, em reunião com a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) e Gilberto Carvalho (secretaria-geral da Presidência da República).

De acordo com informações do próprio PR, os cinco senadores do partido foram chamados ao Planalto porque a presidente Dilma Rousseff considera que a situação de Nascimento tornou-se insustentável nas últimas 24 horas.

Um dos nomes cotados para substituir de imediato Nascimento é o de Paulo Sérgio Passos, hoje secretário-executivo dos Transportes, de quem Dilma gosta muito.

Um grupo de deputados esteve há pouco com Ideli, no Planalto. Não admitiu a substituição, mas avaliou que o ministro está mesmo em situação delicada.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *