TSE teme atraso na entrega de urnas eletrônicas fabricadas na China

Foto: divulgação/TSE

A pandemia de coronavírus aumentou a preocupação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre a licitação que prevê a compra de até 180 mil novas urnas para as eleições municipais, a um custo de R$ 696,5 milhões. Como algumas peças das urnas são fabricadas na China, onde se originou o vírus, técnicos do tribunal veem risco de haver atraso na entrega dos aparelhos.

Até agora, o tribunal não definiu a empresa vencedora da licitação, alvo de uma guerra de recursos e contestações entre duas concorrentes: a Positivo e o consórcio formado pelas empresas Smartmatic e Diebold.

Um ministro do tribunal ouvido sob reserva disse não haver riscos de mudança no cronograma das eleições de outubro. Um segundo magistrado, no entanto, afirmou que está “muito cedo para definir” isso e observou que a Corte Eleitoral terá de se curvar a um “dado da medicina”, já que o coronavírus é uma questão de saúde pública.

Em maio, o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), assumirá o comando do TSE, substituindo a atual presidente, ministra Rosa Weber, e chefiará o tribunal durante as eleições.

O TSE tem hoje cerca de 470 mil urnas – a compra mais recente de equipamentos ocorreu em 2015. Integrantes do tribunal já cogitam a possibilidade de haver menos urnas espalhadas para atender os milhões de eleitores brasileiros, o que, eventualmente, pode resultar em filas.

Plano

A hipótese havia sido levantada em janeiro deste ano pelo secretário de Tecnologia da Informação do TSE, Giuseppe Janino. “Já temos um plano de contingência para otimizar os recursos que temos hoje”, afirmou na época, diante do impasse com a licitação.

A estratégia da otimização consiste em utilizar o máximo de cada equipamento e colocar o maior número possível de eleitores para votar em cada urna.

Apesar do imbróglio, porém, o TSE informou ao Estado que mantém o cronograma das eleições. O primeiro turno está marcado para 4 de outubro e o segundo para 25 daquele mês. “O cronograma eleitoral está sendo cumprido. O calendário eleitoral não sofreu alterações”, afirmou a assessoria do TSE.

A expectativa no tribunal é de que a situação do coronavírus já esteja controlada até agosto, o que evitaria mudanças no cronograma das eleições. “O TSE possui um plano adequado para as eleições municipais de 2020, que consiste na utilização dos equipamentos já existentes em seu parque atual, sem prejuízo de acréscimo de novos equipamentos”, informou o tribunal.

Na avaliação de técnicos do TSE, o fato de a campanha deste ano ser municipal facilita um “plano B” porque os eleitores escolherão apenas dois candidatos, com um tempo de votação inferior ao das eleições gerais, quando os brasileiros elegem até seis nomes.

Estadão Conteúdo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Só falta agora anunciar o adiamento das eleições municipais para o próximo ano.

VÍDEO: “Quero que você ache um brasileiro que confie no sistema eleitoral”, desafia Bolsonaro

 

Ver essa foto no Instagram

 

– Preço dos combustíveis e primeiro passo dado para novos acordos bilaterais com os norte americanos: . Link no youtube: https://youtu.be/dFORuK45_54

Uma publicação compartilhada por Jair M. Bolsonaro (@jairmessiasbolsonaro) em


Nos Estados Unidos, Jair Bolsonaro voltou a falar nesta terça-feira(10) sobre sua desconfiança em relação ao sistema de votação no Brasil.

Ontem, como noticiado, ele disse que já tem elementos para considerar que teve votos suficientes para vencer a eleição de 2018 no primeiro turno — e que uma fraude o levou a disputar o segundo turno contra o petista Fernando Haddad.

“Eu quero que você ache um brasileiro que confie no sistema eleitoral”, disse Bolsonaro durante entrevista coletiva em Miami.

Perguntado por repórteres se não confiava na Justiça Eleitoral, Bolsonaro se irritou: “Não é na Justiça. Não deturpe as minhas palavras. Não façam essa baixaria que a imprensa sempre faz comigo”.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carlos Henrique Chal disse:

    Esse cara é um malagomaníaco, ele realmente é a própria fraude, só por meio dela, para um incompetente deste, tornar-se "presidente".

  2. Petra disse:

    Podem anotar minhas palavras: jamais haverá um animal (jumento) do nível desse na presidência do Brasil.
    Pensando: Ele come dos outros países ou leva seu próprio capim nessas viagens internacionais?..

  3. Rômulo© disse:

    Confio totalmente no sistema eleitoral eletrônico! Inclusive confio no resultado do pleito de 2018 que elegeu esse imbecil como presidente! A fraude que houve na eleição não foi nas urnas e esse presidente fakenews sabe muito bem disso!

  4. Alaca disse:

    Boca de fezes.

  5. José aldomar disse:

    O presidente já fez tanta falcatrua que nem nas urnas ele confia eh do ramo ne

  6. Bolsominion disse:

    O Bolsonaro será lembrado como o presidente mais burro da História do Brasil ou vocês acham que ainda dá para superar esta marca?

  7. Ivan disse:

    Nazista, facista, misógino, racista, homofóbico….Nada colou, agora tentam, miliciano, assassino, corno, doido…..Desistam, vcs que espumam ódio contra a família brasileira, idolatram bandidos, quanto mais ofendem o mito (ou qualquer outro), mais o empoderam…Querem realmente atingi-lo, chamem-no de "companheiro", "camarada"….

  8. marcus disse:

    Concordo com você, MITO!

  9. PAULOR disse:

    Os comedores de capim estão todos revoltados…certeza perderam a boquinha, pelo menos vcs não podem dizer que ele é ladrão.kkkkk diferente dos que vcs idrolatram !! vão morar em cuba. porque o Mito não sai mais não !! vida longa ao Mito.

  10. Antônio disse:

    Nao FALE Por mim SEU MARGINAL ASSASSINO

  11. Fora bolsotralhas disse:

    Essa TRAÇA QUER A TODO CUSTO JOGAR OS PODERES CONTRA O POVO….TIRANDO O FOCO DOS DESVIOS DA FAMILIA E DO CHIFRE…AH LADRAO

    • Juinho disse:

      Calma barbietralha. Vocês são nervosas igual cachorra no cíu. Sei não viu

  12. Lecia disse:

    Quanto mais aproxima a camera da cara desse doido…mais entojo…affff

  13. Carlos disse:

    Não é só o distema eleitoral, mas toda corja de políticos, stf, militares e empresários. Todos insistem em sugar dessa nação e o povo não faz nada. Bando de corruptos.

  14. Luiz Antônio disse:

    Mais um factoide criado para desviar o péssimo desempenho desse governo sem rumo e sem direção. Essa estratégia já está muito manjada.

  15. Ricardo Silva disse:

    Também acho que foi fraudada, não é possível que o Brasil tenha tantos idiotas para eleger ele.

  16. Rivanaldo disse:

    Entrará Bolsonaro para a história como o único presidente que chama de fraudulenta a eleição que o elegeu?

  17. Talita Melo disse:

    Não fale por mim ignóbil presidente. Vc não me representa

TRE-RN realiza neste sábado sorteio das urnas eletrônicas para auditoria no segundo turno

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) realiza, através da Comissão de Auditoria do Funcionamento das Urnas Eletrônicas, o sorteio das 06 seções eleitorais que terão suas urnas auditadas no segundo turno das Eleições 2018. O evento acontece no próximo sábado (27), véspera do pleito, a partir das 09h00, no Plenário do TRE-RN.

Estarão participando do sorteio o presidente do TRE-RN, Desembargador Glauber Rêgo, o vice-presidente e Corregedor Eleitoral, Cornélio Alves, o juiz Ivanaldo Bezerra Ferreira dos Santos, presidente da Comissão, além dos dirigentes, secretários e servidores da Justiça Eleitoral, representantes das coligações partidárias, do Ministério Público, da OAB e da imprensa.

Entenda o funcionamento

As três primeiras urnas eletrônicas sorteadas serão submetidas à votação paralela, que é idêntica à oficial, conforme procedimentos estabelecidos em Resoluções do TSE. O propósito final da auditoria é verificar a correspondência entre os votos constantes nos boletins de urnas e no relatório do Sistema, a fim de comprovar que os votos foram contabilizados corretamente pela urna eletrônica.

Nas outras três urnas, a auditoria será realizada na própria Seção Eleitoral (local de votação), com o propósito de verificar a autenticidade e integridade dos sistemas utilizados na votação. Todos os trabalhos serão filmados e acompanhados por auditores, que fiscalizam as atividades desenvolvidas, e um representante do Ministério Público.

No primeiro turno foram sorteadas as urnas eletrônicas das seguintes seções eleitorais: Natal/RN, seção 394; Pureza/RN, seção 62; Tibau do Sul/RN, seção 176; Afonso Bezerra/RN, seção 46 e Caicó/RN, seção 58.

Informações acerca dos trabalhos da Comissão de Auditoria de Funcionamento das Urnas Eletrônicas poderão ser obtidas no endereço eletrônico [email protected]

 

Denúncias de fraude em urnas eletrônicas serão registradas on-line; mesários e presidentes de seções deverão enviar as queixas imediatamente à Justiça Eleitoral

Foto: Alan Marques/Folhapress

Todas as denúncias feitas por cidadãos nas seções eleitorais sobre irregularidades no processo de votação serão registradas em tempo real e disponibilizadas on-line para acompanhamento da apuração do caso.

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann e a presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministra Rosa Weber, assinaram nesta terça-feira (16) um termo de orientação conjunta com diretrizes a serem seguidas por mesários e presidentes das seções eleitorais diante de denúncias sobre fraude nas urnas.

Nesses casos, os mesários e presidentes de seção deverão fazer o registro das denúncias e enviá-las em tempo real ao sistema da Justiça Eleitoral, por meio de uma funcionalidade acrescentada ao aplicativo Pardal, que já se encontra disponível.

“A grande vantagem aqui é que toda e qualquer denúncia estará registrada e colocada em rede aberta, e vocês vão poder conferir o se, o quando e o como, e qual o resultado daquela apuração. Essa é amaneira mais transparente que você pode dar a qualquer tipo de problema que seja verificado por qualquer eleitor ou eleitora”, disse Jungmann após assinar o termo, no TSE.

Segundo o ministro, o objetivo é desencorajar que denúncias sejam feitas após o eleitor deixar a seção eleitoral. Desse modo, acredita o ministro, ficaria mais fácil separar situações verdadeiras de boatos que tenham como objetivo somente abalar a credibilidade da urna eletrônica. Ainda de acordo com Jungmann, reclamações posteriores necessitariam assim apresentar também uma justificativa para não terem sido feitas na hora da votação.

“Acredito que qualquer denúncia que venha a ser feita, deve ser devidamente investigada e apurada. Agora, não entendo por que se você tem a mesa ali, o mesário está ali, o presidente [da seção] está ali, ele tem um aplicativo, tem a determinação de fazê-lo [registrar a denúncia], por que fazer depois? No mínimo uma justificativa tem que ser dada a esse respeito”, defendeu o ministro.

Jungmann informou que espera receber até o fim de semana um relatório da Polícia Federal (PF) com o resultado das investigações sobre todas as irregularidades em urnas eletrônicas relatadas no primeiro turno das eleições. Ele disse que “quem usa fake news para tirar a credibilidade ou para deturpar ou causar comoção, aí de fato não tem jeito, tem que ser punido”.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Irany Gomes disse:

    Se na minha secção, apresentar maracutaia na hora do voto, quebro ela ao meio!!!

  2. Augusto disse:

    Cadê as penas pros malucos que filmaram votações e ainda levaram arma de fogo? ÔOO Brasil atrapalhado de leis! O ilegal estampado é aplaudido! Lamentável!!

    • M. Vinicios disse:

      "O ilegal estampado é aplaudido!" Concordo viu, veja Lula a "ideia" o ser mais honesto do mundo. Preso por corrupção passiva e lavagem de dinheiro…etc. Hoje por exemplo, foi condenado pela justiça de SP por ter alterado "a verdade dos fatos, havendo litigância de má-fé". Em processo de licenciamento ambiental!

PGR pede ao STF para derrubar impressão de votos nas urnas eletrônicas

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, entrou hoje (5) com uma ação direta de inconstitucionalidade (Adin) no Supremo Tribunal Federal (STF) para derrubar a obrigatoriedade do voto impresso em parte das urnas eletrônicas nas eleições de outubro. Para a procuradora, a impressão do voto ofende o princípio constitucional do sigilo do voto.

Nas eleições deste ano, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deve usar em torno de 30 mil urnas com impressora. A impressão foi aprovada no Congresso em 2016 e prevê a continuidade da votação por meio da urna eletrônica, mas com a impressão de um boletim dos votos computados, que serão colocados em uma urna física lacrada, para que possam ser auditados. O comprovante não será dado ao eleitor. O custo total de implantação das impressoras em todas as urnas do país é de R$ 1,8 bilhão.

Ao defender a derrubada do voto impresso, Raquel Dodge também argumenta que a medida trará transtornos ao eleitor.

“As inúmeras intercorrências possíveis com a reintrodução do voto impresso e a consequente quebra do sigilo constitucional do voto colocam em risco a confiabilidade do sistema eleitoral e a segurança jurídica. A implementação da mudança potencializará falhas, causará transtornos ao eleitorado, aumentará a possibilidade de fraudes, prejudicará a celeridade do processo eleitoral. Elevará, ainda, as urnas em que a votação terá que ser exclusivamente manual”, afirma Dodge.

A ação será relatada pelo ministro Luiz Fux, que tomará posse amanhã (6) no cargo de presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), órgão responsável pela realização das eleições.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Eu disse:

    O nome disso é MEDO! Medo de poder auditar a eleição e os candidatos do sistema não serem eleitos. Só no Brasil para se acreditar na Perfeição e inviolabilidade desse sistema. Merecemos os politicos q elegemos é o risco q corremos.

  2. Rômulo disse:

    Até que enfim sensatez. O sistema eleitoral brasileiro é perfeito. Não há necessidade de voto impresso, que foi pensado em virtude de fakenews de fraudes nas urnas.

  3. Ems disse:

    É cada uma ??? Mas estou tranquilo pois temos as eleições mais seguras do mundo !

  4. Flauberto Wagner disse:

    Aí fica mais fácil manipular as eleições, pois com o voto impresso é possível verificar e até pedir recontagem dos votos.
    Mas como no Brasil tudo pode!! Com esse pedido fica muitas entrelinhas em aberto.

Preparação de urnas eletrônicas para as Eleições 2012 vai até 3 de outubro

Após a geração de mídias das urnas eletrônicas de 19 zonas eleitorais do interior do Estado realizada no início desta semana em Natal, no Centro de Operações da Justiça Eleitoral (Coje), o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte começa a partir de segunda-feira (24) a segunda etapa de preparação dessas urnas. No pleito municipal de 2012, aproximadamente sete mil urnas serão utilizadas nas 69 zonas eleitorais de todo o Estado.

De segunda a quarta (24 a 26), serão preparadas as urnas das zonas eleitorais de São José de Mipibu (7ª), São Paulo do Potengi (8ª), Goianinha (9ª), João Câmara (10ª), Canguaretama (11ª), Nova Cruz (12ª), Santo Antônio (13ª), Touros (14ª), Santa Cruz (16ª/68ª), Currais Novos (20ª), Assu (29ª), Macau (30ª), Areia Branca (32ª), Apodi (35ª), Pau dos Ferros (40ª), São Miguel (43ª), Monte Alegre (44ª) e Tangará (53ª).

Os procedimentos serão efetuados no Coje, em Natal, sob a responsabilidade da Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) do tribunal, abrangendo a inserção dos dados oficiais nas urnas (etapa conhecida como carga de aplicativos), o teste de votação e a lacração dos equipamentos. Após a preparação, as urnas permanecem no Coje até a data do transporte para o interior do Estado, em veículos designados pela Justiça Eleitoral.

As urnas das demais 50 zonas eleitorais, incluindo a região metropolitana de Natal, serão preparadas pelas próprias equipes dos Cartórios, de acordo com cronograma estabelecido pela STI, até o dia 3 de outubro.

Na semana do pleito, a equipe de suporte técnico da STI será deslocada para a sede das 10 regiões do Estado (Natal, São Paulo do Potengi, João Câmara, Santo Antônio, Currais Novos, Caicó, Mossoró, Assu, Caraúbas e Pau dos Ferros), para atender a eventuais necessidades de substituição de urnas.

 

 

 

 

 

 

 

 

Com informações do TRE/RN

OAB não vai poder contar com Urnas Eletrônicas para processo do 5º constitucional e eleição para nova diretoria

Depois do Tribunal Superior Eleitoral, foi a vez de os tribunais regionais reiterarem a impossibilidade de emprestar urnas eletrônicas à OAB para suas eleições, marcada para novembro. Em nota do Colégio de Presidentes dos TREs, os regionais explicam que um convênio assinado entre a autarquia e a Justiça Eleitoral impede que as urnas sejam cedidas durante um período de 120 dias depois das eleições oficiais.

No início do mês, o TSE comunicou à Ordem que não poderia emprestar as urnas por conta de uma atualização de software e por causa da quarentena a que as urnas usadas em eleições oficiais devem ficar. Depois da decisão, o presidente nacional da OAB, Ophir Cavalcante Junior, prometeu estudar outros meios de a autarquia eleger seus presidentes. As seccionais, no entanto, correram aos tribunais regionais para reclamar da decisão. Encararam a quarentena como uma imposição do tribunal.

O comunicado do Colégio de Presidentes, entretanto, explica que é o artigo 3º do Protocolo 7 que dispõe sobre a quarentena. Não é, portanto, apenas por determinação do TSE que os advogados estão impedidos de votar eletronicamente. O texto, assinado pelo presidente do Colégio, desembargador Marco Villas Boas, conta também que a atualização do software das urnas traz uma impossibilidade técnica.

A atualização dos equipamentos aptos a uso permanente, e que podem ser emprestados, só deve ficar pronta em julho do ano que vem. As urnas usadas nas eleições municipais de outubro foram atualizadas, mas não estão prontas para ser usadas em eleições parametrizadas (com regras tecnológicas alheias às das eleições oficiais).

“Os procedimentos destinados à utilização dos softwares das urnas para uso nas eleições municipais de 2012 tornam os equipamentos incompatíveis com o software de eleições parametrizadas. Inviável, portanto, cessão ou empréstimo de urnas para pleitos que não as eleições brasileiras até julho de 2013”, diz o texto.

A nota, na verdade, é resposta à pressão política feita pela OAB para poder usar a urna eletrônica. Os advogados queriam que os TREs autorizassem o empréstimo, pois encaram a decisão do TSE como uma impoisção. Marco Villas Boas explica que a Justiça Eleitoral, “com base em protocolos de cooperação técnica”, empresta urnas a entidades particulares e até a governos estrangeiros. “Durante o período de atualização, no entanto, os protocolos serão aplicados apenas quando não representarem risco à garantia eleitoral dos cidadãos.”

Clique aqui para ler a nota do Colégio de Presidentes dos TREs.

Fonte: Conjur