Política

Bolsonaro: “Eu conversei com o Lira, não tem problema nenhum entre nós. Zero problemas. O que queremos juntos é maneira de contratarmos mais vacinas”

Foto: Pablo Jacob/Agência O Globo

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira que não há “problema nenhum” entre ele e o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP). Bolsonaro recebeu Lira no Planalto um dia após o deputado afirmar que os “remédios políticos” do Congresso são “amargos”.

Bolsonaro reuniu-se com Lira e com o presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PI), no Palácio do Planalto. Na saída, fez questão de descer junto com os dois, em um gesto incomum. O presidente disse que eles conversaram sobre “muitas coisas”, entre elas formas de compras mais vacinas contra a Covid-19.

— Eu conversei com o Lira, não tem problema nenhum entre nós. Zero problemas. Conversamos sobre muitas coisas. O que queremos juntos é maneira de contratarmos mais vacinas. É, na ponta da linha, fazer com que chegue as informações de que as vacinas estão sendo aplicadas.

Bolsonaro ressaltou que apoiou Lira na eleição para a presidência da Câmara:

— Nunca teve nada errado. Meu velho amigo de parlamento, torci por ele. E no governo continua tudo normal.

Lava-Jato: Corregedoria da PGR abre investigação sobre processos ‘invisíveis’ citados por Aras

O presidente foi questionado diversas vezes sobre a permanência no cargo do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, mas evitou responder. Diversos parlamentares têm pedido a saída de Ernesto.

Na quarta-feira, insatisfeito com o resultado de reunião promovida por Bolsonaro entre Poderes, Lira proferiu um duro discurso no plenário da Câmara. O presidente da Câmara criticou a política externa de Bolsonaro e cobrou ações efetivas para a pandemia de Covid-19. Também alertou que é preciso uma “mudança de atitude”.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Meu Presidente é cabra macho, ele conversa com qualquer um, de igual para igual.
    MITO TEM RAZÃO
    MITO 2022

  2. TODO DIA A MÍDIA PODRE, SEM CREDIBILIDADE, CRIA UM FACTÓDE PARA JOGAR BOLSONARO CONTRA ALGUÉM OU ALGUÉM CONTRA BOLSONADO.
    POR ISSO A GLOBO, FOLHA DE SÃO PAULO, SITES, BLOGS E JORNALISTAS PAGOS E ALINHADOS A ESQUERDA SÃO DESMORALIZADOS DIARIAMENTE.
    QUEM SE APOIA EM MENTIRA, LEVA RASTEIRA, É DESMORALIZADO, VIRA UM DESQUALIFICADO.
    AGORA TODO PEIDO QUE FOR DADO NO BRASIL, OS IDÓLATRAS DE CORRUPTO VAI VOMITAR – É O EFEITO LULA. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    1. Antes de mais nada, um pequeno toque de comunicação: escrever tudo em caixa alta faz qualquer um desistir de ler, dá a impressão que você está gritando ou impondo suas opiniões. Pega mal. Parece coisa de gente prepotente. Não sei se é o seu caso. É só um toque.
      Quanto a sua denúncia a respeito deste complô da mídia versus governo, acho que seria interessante da sua parte nos informar aonde buscar informações isentas. Aguardo suas indicações.

    2. Francisco de Assis, se você não assistir a globo e a band, não ler a folha de são paulo, não ver notícias do 247, nem revista ceará, ignorar essas pesquisas falsas que aparecem a toda hora, já é um começo.
      Assista ao SBT, TV Cultura e Record e se achar melhor, compare o que é divulgado na mídia esquerdista, com a mídia que não tem lado político. Vai ser uma enorme evolução. Talvez consiga atentar para os fatos e as versões.
      Mas também vou te dar um toque, se você acha que quem escreve em caixa alta, é deselegante, não perca seu tempo lendo, pois nem sempre é um sinal de grito ou chamar atenção. Não lee logo para o pior lado, pode ser que a pessoa estava com a caps lock (fixa) ativado e escreveu.

    3. Caramba, Martiniano. Tá bem mal de fontes, hein!? SBT dos Silvio Santos (sogro do ministro das comunicações), TV Cultura da Fundação Padre Anchieta (do Dória) e Record do Edir Macedo? Pelamor de Deus!!!!!!!!! Nem dá pra comentar
      😂😂😂😂😂😂😂😂

  3. Presidente seu problema não é de ordem pessoal com outra pessoa, mas com o povo brasileiro e com as familias das mais de 300mil vítimas do covid.
    Num tem jeito, vai ter que responder no foro apropriado.

    1. Inventa outra! Vira o disco! Só é no Brasil que tem covid? Procura outra coisa! Inventa outro leite condensado, um sem máscara, vai procurando aí. Covid perdeu a graça.

    2. Só no brazil temos um incopetente na presidencia, só no brazil tem cerca de 15 milhões de zumbis dispostos a fazer tudo o que ele orienta e só no brazil temos entre 2.500 a 3.000 mortes por dia só de covid.

  4. Ohhhhh debreada da moléstia do genocida.
    Nao tem mais vermifugo, cloroquina, ozônio no fiofó nem spray nas ventas!
    Resta saber como vai ficar o gado enganado, desiludido e largado.
    Abrigado Lula, vc é o cara!

  5. Pense numa ré que o MINTOmaníaco negacionista deu nos últimos dias! Afinal, ninguém quer nas costas a conta de 300 mil mortos né!

  6. questão é que ele não está tratando com procuradores e magistrados que desejam tanto uma vaga no Supremo Tribunal Federal a ponto de lustrar o chão que ele pisa. Mas com o centrão – que já estava no poder antes do mundo existir e continuará por lá muito tempo depois que um meteoro vier nos redimir….

  7. Resumindo a conversa centrão ganha mais o ministério das relações exteriores….fazer pacto com o diabo, ele um dia vem cobrar o preço.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Cerca de 60 municípios do RN enfrentam problemas no abastecimento de oxigênio, diz Conselho Estadual de Secretarias Municipais de Saúde

Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

Reportagem do portal G1-RN nesta terça-feira(16) destaca que cerca de 60 municípios do Rio Grande do Norte enfrentam problemas com a falta de oxigênio para tratamento de pacientes internados com a Covid-19, segundo o Conselho Estadual de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems). O consumo do gás aumentou cerca de 15% desde o início da pandemia. Durante o fim de semana, pelo menos três unidades de saúde na capital e região metropolitana tiveram problemas com a falta do insumo.

A reportagem ainda destaca um alerta do Conselho Estadual de Secretarias Municipais de Saúde (Cosems), afirma que pelo menos 60 municípios do estado enfrentam problemas com o abastecimento de oxigênio. Em alguns, a situação é mais crítica. De acordo com o Cosems, sem a ajuda da Sesap, pode faltar oxigênio até o próximo domingo (21). A presidente do Cosems disse ainda que a situação de desabastecimento é nacional. As empresas que fornecem oxigênio e outros gases hospitalares enfrentam dificuldades para cumprir o contrato com os órgãos públicos e já limitam o abastecimento.

(Veja mais detalhes AQUI em vídeo e reportagem na íntegra).

Em nota a Sesap informou que o fornecimento de oxigênio vem acontecendo em condições estáveis. Segundo informação da empresa White Martins, que é fornecedora dos gases medicinais para os hospitais e outras unidades da rede estadual de saúde, a situação geográfica do RN é mais favorável a logística do abastecimento, garantindo estabilidade ao fornecimento, mesmo com esse acréscimo de consumo. A Sesap informou também que vem atuando em parceira com os municípios que requisitaram apoio para o abastecimento de oxigênio.

Com acréscimo de informações do G1

Opinião dos leitores

  1. Não e negacionismo perdi amigos e colegas na pandemia. Só não fico procurando culpado onde não tem culpado algum. Até ontem a estrutura de produção de Oxigênio no país atendia a demanda. Aí vem um vírus que pega o mundo todo desprevenido. Impõe um desafio a estrutura de saúde do mundo inteiro e se perde tempo procurando culpados e vez de soluções. A pandemia pegou de surpresa a todos. Prefeituras, governos e presidentes de todo o mundo. Acredito que TODOS estão tentando acertar.

  2. E aí? Acordaram pra realidade ou vão continuar com negacionismo igual ao presidente inepto ? Precisam morrer mais quantos milhares sem oxigênio pra esse povo acordar ?

    1. Entendi
      O governo federal tem uma estatal que produz oxigênio.
      E é o gestor do estoques das prefeituras e governo do RN.
      Por causa dele faltou até em Portugal.
      Cada "intelectual" que aparece.

    2. "Negacionismo" é uma palavra-gatilho, inoculada no imaginário coletivo pela repetição exaustiva, e seu sucesso se dá porque faz com que qualquer intelectual de boteco, ao proferi-la, ganhe um imediato ar de grande autoridade cientifica.

    3. Kkkkkk. Já entendi ! Mas pra parecer "intelectual de boteco" junto do MINTOmaníaco ou de qualquer bolsopetista eh muito fácil! Mas e aí? O presidente inepto sei que eh negacionista mas e vcs? Continuam negando a doença e a gravidade dela ou só vão acordar quando alguém próximo precisar de oxigênio e não conseguir?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

De ansiedade a depressão: após quase um ano, crianças vivem consequências da pandemia

Foto: Luísa Tenente/G1

Ansiedade, depressão, regressão no desenvolvimento e piora de quadros de déficit de atenção e sintomas do autismo. Estas são algumas constatações de um estudo da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), que analisa as consequências decorrentes das restrições impostas pela pandemia a crianças e adolescentes, que estão fora da escola há praticamente um ano.

A filha mais velha da professora Elvira Beringer, Gabriela, de 11 anos, chegou a passar por psiquiatra e precisou de acompanhamento psicológico desde os primeiros casos confirmados de Covid-19 em Belo Horizonte. Ela tinha acabado de mudar de escola, não teve tempo de se adaptar ao ensino remoto e, além disso, passou a ter medo de o avô, com câncer, morrer de Covid-19.

“No início, teve desmotivação por causa da internet. E também precisou de acompanhamento psicológico desde março, porque estava muito triste, com muito medo de o avô morrer por causa da Covid-19. O avô acabou morrendo, mas por causa de câncer. Ela ficou traumatizada. Chegou bem próximo da depressão”, disse a mãe.

A pesquisa coordenada por Débora Miranda, do Departamento de Pediatria da UFMG, apontou que as crianças e adolescentes foram os que sentiram maior impacto na pandemia, já que muitos adultos, aos poucos, retomaram a rotina de trabalho.

“A gente nunca espera que a criança regrida no desenvolvimento. O que a gente espera, na pediatria, é que o desenvolvimento seja uma constante. Mas a gente tem visto, durante a pandemia, a criança regredindo, perdendo habilidades que já tinha adquirido”, afirmou.

Foi o que aconteceu com a filha caçula de Elvira, Manoela Beringer, de apenas 2 anos. A menina ainda não frequentava a escola no ano passado, mas sempre interagia com outras crianças quando ia ao Parque Ecológico Marcos Mazzoni, no bairro Cidade Nova, Região Nordeste de Belo Horizonte. Quando a pandemia chegou, a família ficou trancada em casa nos primeiros seis meses.

“Minha filha já começava a juntar algumas sílabas, a falar algumas coisas. Mas seis meses sem pôr o pé pra fora de casa, ela parou. Isso aconteceu também com outra mãe que conheci no parquinho. A filha de 3 anos parou de falar ‘mamãe e papai’”, contou Elvira, que espera a reabertura das escolas infantis para matricular a menina.

A expectativa do retorno também é grande para a doméstica Andréa de Oliveira. Ela tem três filhos, o mais novo diagnosticado com uma doença rara. Os dois mais velhos, Luiz Henrique, de 17 anos, e Ana Carla, de 16, estão nos anos finais do ensino médio. Ambos tiveram aulas remotas. “Minha internet não é tão boa, não, mas eles faziam as atividades, porque senão, não recebiam a cesta básica”, contou.

A filha aproveitou a pandemia para arrumar emprego.

“Minha filha tava tão nervosa que arrumou emprego. Isso foi até bom, né? Não sei o que vou fazer quando as aulas voltarem na escola. Aí ela vai estudar à noite, depois do serviço, porque parar ela não vai, não”, contou. “O mais velho, quando fizer 18 anos, já vou dar um jeito de arrumar um emprego pra ele também”, disse.

Já Luiz Henrique, que fica em casa com o irmão mais novo, engordou 40 quilos durante o último ano. Um problema recorrente entre crianças e adolescentes, segundo a professora Débora Miranda.

“A gente sabe que as crianças estão ficando de seis a oito horas de frente à TV ou ao computador. Isso piora sono, aumenta sintomas associados à doença mental. Aumenta a obesidade e todos os riscos relacionados a isso. A gente aumenta a exaustão, o cansaço das crianças”, afirmou.

Crianças especiais ficam sem amparo das escolas de BH

Por ter doença rara, o filho mais novo da Andréa, Artur, de 14 anos, precisa de acompanhamento especial na escola. Ele está matriculado em uma instituição da rede municipal do bairro Urca, próximo à casa onde mora com a mãe e os irmãos.

Durante todo o ano passado, ele ficou sem qualquer contato com as atividades escolares. E os prejuízos poderão ser ainda maiores.

“Ele ficou sem aula nenhuma, sem acompanhamento nenhum. Não vou mentir, a escola até entrou em contato, mas tudo muito devagar. Ele precisa de acompanhamento e, comigo trabalhando, não dá. Com esta pandemia, ele passou a ficar muito nervoso”, contou Andrea que, enquanto trabalha, deixa o caçula aos cuidados do irmão mais velho. “Joga celular o dia inteirinho”, falou.

O tempo prolongado de crianças e jovens dentro de casa ainda pode trazer outros problemas, segundo a pesquisadora.

“O problema não é a contaminação, mas é quando deixa com vizinha, creche clandestina, aí fica a margem de qualquer regulação. Ou quando deixa criança com outra criança. Muitas mulheres continuam trabalhando e precisam deixar com alguém. Muitas vezes estas pessoas não são adequadas. A mortalidade infantil cresceu muito no ano passado”, afirmou.

A pesquisa sobre saúde mental conduzida por ela e outros pesquisadores da UFMG está na segunda fase de aplicação de um questionário online, que ficará disponível até março. Podem participar pais com filhos de 6 a 17 anos, independente de ter participado da fase anterior.

(mais…)

Opinião dos leitores

  1. Segundo o dicionário a palavra assintomático significa não ter sintomas.portanto não ter sintomas não significa não ter o vírus.O jovem e crianças são sim transmissores sem sintomas.Se assim não fosse pq seria necessário o uso de máscaras para essa faixa etária,?

  2. Correção: NÃO é consequência da pandemia, é consequência da má gestão de governos estaduais e municipais que insistem em fechar as escolas. Esse vírus NÄO ataca crianças e adolescentes, como as próprias estatísticas comprovam. Portanto, fechar escolas é um crime contra a infância e adolescência.

    1. Não ataca crianças e adolescentes como diz.Porem.esss faixa etária tem um potencial gigantesco de transmissao .Alunos voltam pra casa após longas horas fora de casa.Ai é que mora o perigo.

    2. Crianças e adolescentes são assintomáticas e NÃO transmitem o vírus. Pesquise e confira.

    3. Direita Honesta, não é porque você não tem sintomas que você não é um vetor de transmissão, o mesmo exemplo se aplica a quem toma a vacina, não é porque está imunizado que não se pode transmitir. Pesquise e confira.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Psiquiatras alertam para ‘tsunami’ de problemas de saúde mental em meio à pandemia

FOTO: SCIENCE PHOTO LIBRARY

Os psiquiatras alertam para um “tsunami” de problemas de saúde mental devido à pandemia de coronavírus.

Os médicos estão particularmente preocupados com o fato de crianças e idosos não receberem o apoio de que precisam devido ao fechamento de escolas, ao isolamento social e ao medo de hospitais. Fatores como a solidão, o medo da covid-19 e incertezas quanto ao futuro agravam doenças mentais pré-existentes e criam novos problemas para pessoas até então saudáveis.

Em uma pesquisa feita no Reino Unido, os psiquiatras relataram aumento no número de atendimentos de emergência relacionados à doenças mentais e uma queda nas consultas de rotina.

Eles afirmam que muitas pessoas deixaram de procurar ajuda mesmo com os serviços de saúde mental ainda abertos, e por isso acabaram chegando ao ponto em que atendimentos de emergência foram mais necessários.

‘Os pacientes evaporaram’

“Já estamos vendo o impacto devastador da covid-19 na saúde mental, com mais pessoas em crise”, diz a professora Wendy Burn, presidente do Royal College of Psychiatrists (Colégio Real de Psiquiatras), no Reino Unido.

“E estamos muito preocupados com as pessoas que precisam de ajuda agora, mas não estão conseguindo. Nosso medo é que o ‘lockdown’ (fechamento total de comércio e serviço) esteja fazendo com que as pessoas guardem problemas que poderiam levar a um ‘tsunami’ de doenças mentais depois”.

A pesquisa da instituição, feita com 1.300 médicos de saúde mental de todo o Reino Unido, constatou que 43% haviam visto um aumento em casos urgentes, enquanto 45% relataram uma redução nas consultas de rotina.

“Na psiquiatria da velhice nossos pacientes parecem ter evaporado, acho que as pessoas têm medo demais de procurar ajuda”, disse um psiquiatra.

Outro escreveu: “Muitos de nossos pacientes desenvolveram distúrbios mentais como resultado direto da interrupção da rotina gerada pelo coronavírus, do isolamento social, do aumento do estresse e da falta de remédios”.

Idosos e jovens estão entre os grupos que geram maior preocupação.

“Estamos preocupados que crianças e jovens com doença mental que possam estar com dificuldades não estejam recebendo o apoio de que precisam”, diz Bernadka Dubicka, que preside a faculdade de psiquiatria infantil e adolescente do Royal College of Psychiatrists. “Precisamos passar a mensagem e deixar claro que os serviços ainda estão abertos.”

Tanto do Reino Unido quanto no Brasil, o atendimento psicológico continua funcionando e pode inclusive ser feito à distância, através de plataformas de videochamada. No entato, o uso da tecnologia para chamar um médico durante o bloqueio é difícil para algumas pessoas mais velhas, explica Amanda Thompsell, especialista em psiquiatria para idosos.

Idosos também costumam ser “relutantes” em procurar ajuda, e sua necessidade de apoio à saúde mental provavelmente é maior do que nunca, diz ela.

‘Prioridade clara’

A instituição de saúde mental Rethink Mental Illness disse que as preocupações levantadas pelos especialistas são apoiadas por evidências de que as pessoas estão convivendo com mais doenças mentais.

Em uma outra pesquisa feita no país, a maioria das pessoas disse que sua saúde mental piorou desde o início da pandemia, devido à interrupção de rotinas e estretégias que elas utilizavam para controlar problemas de saúde mental como depressão, ansiedade, pânico, entre outros.

“O NHS (sistema de saúde público do Reino Unido) está fazendo um trabalho incrível nas circunstâncias mais difíceis, mas a saúde mental deve ser uma prioridade clara”, diz Danielle Hamm, da instituição de caridade. “É preciso investimentos para garantir que os serviços possam lidar com esse aumento antecipado da demanda.”

Segundo ela, sem o atendimento adequado no momento, pode levar anos para que algumas pessoas se recuperem dos problemas mentais gerados pela pandemia.

BBC

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Problemas de governança desestimulam carreira política, diz Bolsonaro

Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro disse, nesta quinta-feira(28), que os problemas burocráticos e de governança desestimulam os cidadãos a entrar na carreira política e a disputar cargos eletivos no Executivo. “O que leva ao desestímulo da carreira política, no caso o Executivo, são problemas que advém depois do mandato. Vejo colegas que de boa fé exerceram seus mandatos, mas não por devido zelo e, muitas vezes, por desconhecimento se veem enrolados com a Justiça e alguns levam 10, 15 até 20 anos para voltar a ter paz”, disse.

Bolsonaro participou, nesta quinta-feira (28), do 3º Fórum Nacional de Controle, organizado pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Também estiveram presentes o procurador-geral da República, Augusto Aras, e o vice-presidente da República, Hamilton Mourão. O evento acontece até amanhã (29), no Instituto Serzedello Corrêa, em Brasília.

Coordenado pelo ministro do TCU Augusto Nardes, o fórum tem o objetivo de integrar as instituições de controle externo e interno da União, estados e municípios, das três esferas de poder, por meio de ações de capacitação e controle; elaboração de minutas de legislação sobre governança; compartilhamento de informações; e da disseminação de boas práticas de governança entre os entes federados.

Para o presidente Bolsonaro, o TCU é um dos órgãos mais importantes para a governança e integridade da máquina pública. “Eu encaro o que se faz aqui, essa reunião, essa busca de uniformizar procedimentos, como aliado nosso, nós temos que encarar isso tudo como pessoas de bem, com conhecimento de que a administração pública não é fácil. Todo dia são dezenas de novas normas, novas recomendações, que é praticamente impossível tomar pé de tudo e poder governar dessa maneira”, disse.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, destacou a importância desse diálogo interinstitucional e permanente entre os órgãos de fiscalização e controle para melhorar a gestão pública. “Esta é a grande novidade que nós promovemos, seja no Ministério Público brasileiro, seja como visto aqui, a vontade presente nos órgão que participam desse evento compreende a beleza e a importância desse dialogo interinstitucional como única forma de sobrevivência da democracia, pujante, sem temer as tensões permanentes que lhe são inerentes”, disse.

Troca da guarda presidencial

Após a abertura do fórum do TCU, o presidente Jair Bolsonaro participou da troca da guarda presidencial, que acontece a cada seis meses, no Palácio do Planalto. Pela tradição, a guarda funciona em sistema de revezamento entre o Batalhão da Guarda Presidencial e o 1º Regimento de Cavalaria de Guardas, mais conhecido como Dragões da Independência.

Nesta quinta-feira (28), os Dragões da Independência assumiram a guarda dos palácios do Planalto, Alvorada e Jaburu e da Granja do Torto.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. A família toda socada na política e ainda é candidato à reeleição . Imagine se estimulasse, rsrsrsrsrsrs.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Para o deputado José Dias, problemas do Governo Fátima são generalizados

Foto: Eduardo Maia

O deputado José Dias (PSDB) se pronunciou na sessão dessa quinta-feira (16) para fazer críticas ao Governo do RN. Ele se referiu aos problemas da Saúde citados por outros deputados durante a sessão ordinária, mas ressaltou que os problemas na atual gestão são “generalizados”.

“É profundamente preocupante a situação do nosso Estado”, disse José Dias, comparando os problemas do Rio Grande do Norte às dificuldades para o Governo Federal aprovar a Reforma da Previdência. “Quem disser que a aprovação da reforma vai resolver os problemas do Brasil está mentindo”, disse o parlamentar, ressaltando que a reforma não será solução, apesar de sinalizar que o Brasil é um “país responsável”.

O deputado José Dias fez críticas especificamente a um projeto do Governo que modifica o sistema de cobrança de ICMS, que chegou à Comissão de Finanças Fiscalização da Assembleia. “A lei é complexa, eu preciso ouvir um especialista para entender, mas o projeto ia ser aprovado a toque de caixa”, disse José Dias, afirmando que a análise do projeto foi suspensa por um pedido de vista do deputado Getúlio Rêgo. Nas suas críticas como deputado de oposição, Dias concluiu o pronunciamento dizendo que a governadora Fátima Bezerra ‘não tem condições de gerir o Estado’.

ALRN

Opinião dos leitores

  1. "….os problemas na atual gestão são “generalizados”……." . Ficar com críticas "generalizadas" também não ajuda a resolver os problemas.
    Já temos muita gente para apontar os problemas, está faltando quem aponte as soluções.

  2. Caro deputado de memoria curta, o RN está dessa maneira por culta de sua família Alves que sugaram e sugam o nosso estado como também governos apoiados por vossa senhoria que aliás e um parlamentar de atuação fraquíssima e agradeça aos eleitores que caem na sua conversa bonita.

    1. Amigo, acho que ele não está defendendo governos anteriores, portanto não perdeu a memória. Pelo contrário sua percepção e visão estão no apogeu, porque esse governo gopi é um desastre generalizado, tanto que se fizer pesquisa sobre esse gunvernu, o índice de reprovação será absurdamente alto, tanto que o governo nem se atreve divulgar.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Problemas de articulação política estão sendo resolvidos, diz Paulo Guedes

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta sexta-feira (10) que problemas de articulação política do governo com o Congresso existem mas estão sendo resolvidos. Em discurso durante o 31º Fórum Nacional, que acontece no BNDES, no Rio de Janeiro, ele disse que o apoio à agenda econômica do governo está crescendo.

“O Congresso está vindo devagar. Os problemas de articulação ainda existem.Tem um choque natural. Não se faz mais política como se fazia antigamente”.

O ministro afirmou que o governo está encarando a reforma da Previdência como um “tudo ou nada”, que é preciso primeiro aprová-la para depois passar para outras agendas, como o pacto federativo, a reforma tributária, as privatizações e a atração de investimentos estrangeiros.

Guedes acredita que a reforma da Previdência será aprovada de forma relativamente rápida porque, segundo o ministro, “todo mundo sabe que é necessária”. “E aí, vamos liberar uma pauta positiva”.

O governo deve ainda buscar desvinculação, desindexação e desobrigação de gastos. “Está sobrando dinheiro para educação e faltando dinheiro para a saúde. E eu não posso transferir. Então, sou obrigado a gastar em educação”, disse o ministro.

Sobre a reforma tributária, Guedes disse que a ideia é simplificar impostos. “Tem 30 impostos. Vamos simplificar, pegar três, quatro, cinco e transformar num só. Baixar as alíquotas”, disse ele, acrescentando que também pretende baixar tarifas para importação, de forma gradual, para não impactar a indústria nacional.

Agência Brasil

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Autoridade em São Paulo: 'Se não fosse a Copa, obra da Arena Corinthians estaria paralisada'

CorDepois de mais uma morte na Arena Corinthians, Luis Antonio Medeiros, chefe dos auditores e maior autoridade do Ministério do Trabalho (MTE) em São Paulo, fez acusações sérias sobre a construção do estádio do Corinthians. Segundo ele, o órgão está fechando os olhos para as irregularidades presentes na obra, que já era pra ter sido interditada.

– Se esse estádio não fosse da Copa (do Mundo), os auditores teriam feito uma auto infração por trabalho precário e paralisado a obra. Estamos fazendo de conta que não vemos algumas coisas irregulares – disse ele em entrevista à Folha de S. Paulo.

No sábado, dia 29 de março, o operário Fábio Hamilton da Cruz, de 23 anos, morreu após cair de uma altura de nove metros, enquanto trabalhava na colocação das arquibancadas. Antes dele, outros dois operários também foram vítimas fatais de um acidente na Arena Corinthians, quando um guindaste tombou.

Vale lembrar que Fábio era funcionário da WDS Construções, empresa terceirizada pela Fast Engenharia que, por sua vez, foi contratada pela Ambev que fez parceiria com o governo de São Paulo para a instalação das arquibancadas provisórias.

– Isso é trabalho precário. Não vamos nem entrar neste assunto por que vai atrasar ainda mais a obra. Falei com o ministro e ele deu respaldo. Estamos fazendo de conta que não estamos vendo – enfatizou Medeiros.

Além da abertura da Copa do Mundo entre Brasil e Croácia, no dia 12 de junho, o estádio do Corinthians sediará outras cinco partidas Mundial. O prazo inicial de entrega era para janeiro de 2014, que foi prolongado para 15 de abril, após o primeiro acidente que resultou na morte de dois operários.

Lancenet

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Brasileiro aponta saúde, segurança e drogas como principais problemas do País, diz Ibope

 Os três principais problemas do Brasil para a população são a saúde, a segurança pública e a violência e as drogas, indica uma pesquisa da CNI (Confederação Nacional da Indústria), em parceria com o Ibope, divulgada nesta quarta-feira (12). Entre as prioridades para ações e políticas do governo em 2014, estão melhorar a saúde e a educação e combater o crime.

Entre os entrevistados, 58% indicaram que a saúde é o pior obstáculo para o País atualmente. Na segunda posição, ficou o item segurança pública/violência —39% dos respondentes apontaram esse problema. Na terceira colocação, o consumo e tráfico de drogas foram apontados por 33% dos entrevistados como um grave problema brasileiro.

A pesquisa foi feita entre 23 de novembro e 2 de dezembro de 2013, ouviu eleitores com 16 anos ou mais de todos os Estados brasileiros. Foram feitas 2.002 entrevistas em 727 cidades do país. A margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

A pesquisa também quis saber dos entrevistados em quais áreas o governo federal deve se debruçar em 2014 a fim de resolver problemas recorrentes da população — uma pesquisa do Datafolha de dezembro indicou que 66% da população tem um “forte desejo de mudança”. O recado é para os próximos governantes, que assumirem em 2015.

Os políticos têm como cinco principais tarefas, segundo o Ibope, melhorar os serviços de saúde (49%); combater a violência e a criminalidade (31%); melhorar a qualidade da educação (28%); aumentar o combate às drogas (23%); e aumentar o salário mínimo (23%).

Também aparecem com destaque nessa lista de prioridades combater a corrupção (20%); criar empregos (18%); reduzir impostos (17%); reduzir os gastos públicos (14%); e controlar a inflação (14%). Por outro lado, a população apoia pouco políticas para a Copa do Mundo de 2014 (1%) e investir na geração de energia (1%).

R7

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

GVT apresenta problemas no serviço de banda larga em vários estados

20130930130552361282oOs usuários da operadora GVT estão com problemas com o serviço de conexão com a internet em vários pontos do Brasil, como Pernambuco, Rio de Janeiro, Ceará e Paraíba, nesta segunda-feira (30). Segundo alguns clientes que telefonaram para a empresa, a informação repassada através de gravação é de que alguns cabos de fibra ótica foram rompidos, deixando o serviço de banda larga indisponível. Ainda de acordo com os usuários, a GVT informou que a previsão é de retorno do serviço será apenas às 23h.

Acionada pela reportagem do Pernambuco.com, a assessoria de comunicação da GVT afirmou que irá se pronunciar sobre o caso em breve. No entanto, não confirmaram a informação dos clientes sobre o possível rompimento de cabos de fibra ótica.

Por conta do problema na banda larga, vários usuários estão reclamando dos serviços da GVT, principalmente nas redes sociais. O nome da empresa está entre os termos mais comentados no Twitter nesta segunda-feira.

PS:. O blog também presenciou queixas de internautas com instabilidade na conexão no Rio Grande do Norte.

Com informações do Diário de Pernambuco

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Risco: helicóptero usado pela presidente Dilma apresenta problemas na parte elétrica

16_00_13_586_fileO helicóptero usado pela presidente Dilma Rousseff para fazer o trajeto entre a base aérea e o Palácio da Alvorada, em Brasília, apresentou problemas na parte elétrica, nessa quinta-feira (26).

A presidente chegou de madrugada da viagem que fez à Nova York, onde fez o discurso de abertura da Assembleia-Geral da ONU (Organização das Nações Unidas).

No entanto, nas primeiras horas da manhã o helicóptero ainda estava parado no jardim da residência oficial da presidente.

O fato chamou atenção porque, normalmente, o helicóptero apenas deixa a presidente em casa e retorna para a base aérea. Mas, desta vez, a aeronave precisou passar por manutenção antes de decolar.

De acordo com a assessoria de imprensa da Presidência da República, houve um problema em um componente elétrico do helicóptero e o conserto foi feito imediatamente. No entanto, o Planalto não soube dizer se o defeito comprometeu o pouso da aeronave e se colocou em risco a presidente e demais passageiros do helicóptero.

Procurada pela reportagem R7, a FAB (Força Área Brasileira), responsável pelo helicóptero usado pela presidente Dilma, ainda não se pronunciou.

R7

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Implante coclear: Clínica Pedro Cavalcanti devolve a audição para quem tem problemas com a surdez

O famoso ouvido biônico, na medicina, nada mais é do que o Implante Coclear. O IC é um dispositivo eletrônico, parcialmente implantado, que visa proporcionar aos seus usuários sensação auditiva próxima ao fisiológico. Assim, quem sofre com a perda auditiva não precisa ficar surdo, devendo recorrer ao método para garantir qualidade de vida.

“O Implante Coclear é um dispositivo eletrônico de alta tecnologia, que estimula eletricamente as fibras nervosas remanescentes, permitindo a transmissão do sinal elétrico para o nervo auditivo, que será decodificado pelo córtex cerebral. O funcionamento do implante coclear difere do Aparelho de Amplificação Sonora Individual, que apenas amplifica o som. O implante coclear fornece impulsos elétricos para estimulação das fibras neurais remanescentes em diferentes regiões da cóclea, possibilitando ao usuário, a capacidade de perceber o som”, explica o otorrinolaringologista Dr. Pedro Cavalcanti.

O implante é indicado tanto para os pacientes que nasceram sem audição, quanto para os que foram perdendo a capacidade de ouvir progressivamente. Em Natal, a equipe médica do Dr. Pedro Cavalcanti tem realizado vários procedimentos, tanto na rede privada quando na rede pública de saúde.

“Temos uma estrutura de ponta e equipe de especialistas altamente capacitados para a realização do procedimento. Nossas cirurgias são realizadas com o mais alto padrão tecnológico e complexidade da área, para garantir a colocação do implante coclear, ou o famoso ouvido biônico”, completou o Dr. Pedro Guilherme Cavalcanti, um dos integrantes da equipe de especialistas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Condições básicas e carência de pessoal no Hospital João Machado são investigadas pela Defensoria Pública do RN

A Defensoria Pública do Rio Grande do Norte publicou portaria nessa quarta-feira (4), através do Diário Oficial do Estado (DOE), com objetivo de investigar as condições de atendimento da maior unidade de atendimento psiquiátrico do estado, o Hospital Colônia Doutor João Machado.

O documento solicita informações a respeito da situação estrutural do hospital e sobre a disponibilidade de leitos em outras unidades de atendimento psiquiátrico. O João Machado possui 35 leitos para ambos os sexos no Pronto Atendimento e mais 160 no setor de enfermaria. .

Segundo a Defensoria Pública, no hospital existe um déficit de 19 profissionais para cumprir as escalas de plantão, que deveriam ser preenchidos por médicos psiquiatras, assistentes sociais, farmacêuticos, técnicos de enfermagem e psicólogos.

Na última vistoria dos defensores, realizada em maio, na estrutura geral, foram detectados problemas de infiltração, higiene, insalubridade, além de carência de insumos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Segurança

Apesar de déficit de 2 mil vagas, novo pavilhão de Alcaçuz segue desocupado

“Pavilhão fantasma”. Esta é a definição da Tribuna do Norte, na matéria assinada por Yuno Silva, dada ao Pavilhão Rogério Coutinho Madruga, anexo ao Presídio Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta. Com um déficit de 2 mil vagas em todos o sistema prisional potiguar, o estabelecimento prisional permanecene sem presos devido a problemas de estrutura e de pessoal.

A edificação que possui uma área construída de aproximadamente três mil metros quadrados se encontra vazio há quase dois meses. Motivos: problemas na rede elétrica, os quais impossibilitam o funcionamento da rede de tratamento de esgoto e insuficiência no efetivo de agentes penitenciários. Toda a estrutura comporta 402 presos distribuídos em 52 celas.

Inaugurado em dezembro de 2010, porém ocupado somente em outubro do ano seguinte, o Rogério Madruga foi apresentado como um pavilhão de segurança máxima. Fato ignorado pelos 41 presos que conseguiram fugir do local em janeiro deste ano. A construção do anexo custou quase R$ 11 milhões.

AGENTES – De acordo com a matéria, atuam 16 agentes penitenciários em Alcaçuz, presídio ao qual o pavilhão ainda está subordinado administrativamente. Seriam necessários 25 profissionais para dar cumprimento ao serviço.

REABERTURA- A atual diretora de Alcaçuz, Dinorá Simas informou que os reparos na rede elétrica devem ser iniciados nesta semana, mas não apresentou uma data para conclusão e reabertura da unidade. Ela adiantou que, segundo prospecção da Sejuc, devem ser convocados 59 agentes penitenciários para trabalhar no Pavilhão Rogério Coutinho Madruga.

Segue abaixo a matéria na íntegra:

A cena é de abandono e desperdício. O Pavilhão Rogério Coutinho Madruga, mais conhecido como o pavilhão 5 da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta, reflete os problemas que assolam o sistema prisional no Rio Grande do Norte. Inaugurado em dezembro de 2010, o prédio de quase três mil metros quadrados de área construída está desocupado, mesmo com o déficit de duas mil vagas, e no olho do furacão de uma crise que pode desembocar na decretação do estado de calamidade pública na segurança pelo Governo do Estado – pelo menos esse é o entendimento do Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol), cuja sugestão é vista com bons olhos pelo juiz Henrique Baltazar, da Vara de Execuções Penais.

Baltazar interditou parcialmente a Penitenciária de Alcaçuz no dia 8 de agosto, devido a superlotação do presídio, decisão que impede qualquer transferência ou encaminhamento de novos presos. A decisão só será revogada quando a situação do pavilhão 5 for normalizada – sua construção custou R$ 10,98 milhões aos cofres públicos.

Considerado de segurança máxima, o pavilhão 5 está vazio há cerca de dois meses por deficiências na rede elétrica, que impede o funcionamento da estação de tratamento de esgotos, e falta de pessoal. Testemunha de uma série de fugas – a mais espetacular delas aconteceu em janeiro deste ano, quando 41 presos escalaram o muro -, boa parte delas ocorridas por falta de vigilâncias: das 11 guaritas de Alcaçuz, apenas nove funcionam e mesmo assim de forma irregular. “São necessários 25 homens para dar conta do serviço, no mínimo 22, mas hoje só temos 16”, declarou um agente penitenciário que acompanhou a reportagem da TRIBUNA DO NORTE até o pavilhão fantasma, e preferiu não se identificar.

Quando se chega ao Pavilhão Rogério Coutinho Madruga tem-se a impressão de que o lugar foi abandonado às pressas, como cidades fantasmas vistas em filmes:  através das janelas é possível ver roupas, lençóis, utensílios pessoais e recipientes com comida apodrecida jogados pelo chão e espalhados por cima das camas.

O lixo arremessado pela janela se acumula do lado de fora, e logo na entrada uma gambiarra parece ser a única fonte de energia elétrica que alimenta o pavilhão – fato que comprova a precariedade do fornecimento e as constantes sobrecargas que paralisam o funcionamento da estação de tratamento de esgoto (ETE). Para completar o quadro, um vazamento chama atenção pelo barulho causado pelo volume de água desperdiçada.

O agente penitenciário mostra a estrutura da ETE: “Tudo novo e sem funcionar direito”, lamentou. “Está vendo ali aquela guarita? Está vazia. E logo aquela outra”, aponta, “também vai ficar, pois não há quem renda o policial”. As duas guaritas são as que cuidam da vigilância do pavilhão. Ele contou que, quando os 41 presos fugiram em janeiro, “era tanta gente que escalaram o portão e usaram as escadas de manutenção da ETE para pular o muro”. De acoprdo com o agente, “no começo esse lugar aqui era um exemplo de disciplina, era tudo organizado e limpo. Hoje está assim, tudo bagunçado”, lamentou.

Falta de agentes é principal problema

O Pavilhão Rogério Coutinho Madruga, pavilhão 5 da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, inaugurado pelo Governo em dezembro de 2010 mesmo sem ter sido completamente concluído, foi projetado para ser uma unidade prisional independente. A informação é do agente penitenciário que acompanhou a equipe de reportagem da TRIBUNA DO NORTE até o local.  “Há espaço suficiente para instalar setor administrativo próprio”, garantiu o agente que prefere não ser identificado. “A estrutura física daqui é boa, há camadas de concreto no chão para evitar escavações, o maior problema é a falta de recursos humanos”, informou.

Outra questão apontada por ele, que prejudica o funcionamento do pavilhão, é o fato da central elétrica não ser independente: “Sem eletricidade não há como a central de tratamento de esgoto operar, fato que compromete todo o sistema hidráulico deste pavilhão”. O pavilhão 5 é o único do complexo prisional de Alcaçuz que possui o equipamento, “os quatro restantes utilizam fossas comuns”.

A estação de tratamento está parada desde que o pavilhão foi fechado, há cerca de dois meses, por falta de estrutura. Questionada se há algum prazo estipulado para o pavilhão ser reestruturado e reaberto, Dinorá Simas Lima Deodato, diretora da Penitenciária de Alcaçuz, limitou-se a dizer que “estamos esperando e logo logo será relocado, não deve demorar muito não. Os trabalhos para resolver o problema da rede elétrica deverão iniciar nesta próxima semana”. Segundo a diretora, a empresa que ganhou a licitação já esteve no local fazendo medições: “Fui informada pelo engenheiro da empresa que segunda-feira (13) começam a encostar o material para as obras”, adiantou. Quanto à necessidade de contratar novos agentes penitenciários para tomar conta do pavilhão 5, quando este for reaberto, Dinorá Simas comentou que há comentários na Sejuc de serão “convocados 59 novatos”.

Com 52 celas, 2.880 mil metros quadrados de área construída e capacidade para abrigar 402 apenados, o Pavilhão Rogério Coutinho Madruga é um dos únicos do Estado que possui estação de tratamento de esgotos – ao lado da Cadeia Pública de Nova Cruz, inaugurada em agosto de 2010. Construído em tempo recorde (120 dias), com blocos de concretos de alto desempenho que dificultam escavações, o pavilhão recebeu investimento da ordem de R$ 10,98 milhões, recursos do próprio Governo do RN.

Bate-papo: Henrique Baltazar – Juiz de Execuções Penais

Há alguma previsão do Pavilhão 5 ser reaberto?
O Governo informou que em 30, no máximo em 60 dias quer concluir as obras de reestruturação do pavilhão. Eu acho que vão tentar apressar, pois conforme a determinação imposta   só serão permitida a entrada de novos presos em Alcaçuz depois que esse pavilhão for reaberto. Agora depende do Estado, se terminar em 15 dias ele (o Governo) pode encaminhar novos detentos pra lá.

Qual o principal problema do pavilhão?
Adequação da parte elétrica, reativação da estação de tratamento de esgoto e a segurança. Não adianta reabrir o local sem os agentes para trabalhar, se não vai acontecer a mesma coisa que aconteceu antes: se não tiver ninguém trabalhando lá dentro, vão fugir de novo.

O senhor saberia informar se o Governo pretende contratar ou remanejar agentes penitenciários para cuidar do pavilhão quando ele for reaberto?
O que posso dizer é que o Ministério Público propôs ao Governo um Termo de Ajustamento de Conduta permitindo a nomeação de novos agentes prisionais.

E a chegada de três novos presos na noite de quinta (9) para sexta-feira (10) em Alcaçuz?
Esse caso é o seguinte: a Sejuc transferiu esses presos e encaminhou um ofício pra mim, temos um sistema interno de troca de correspondência, mas eu ainda não tinha aberto esse comunicado. E eles, na verdade, teriam que esperar que eu respondesse primeiro. Disseram que era uma situação emergencial e irei determinar um prazo para que esses presos sejam transferidos para outro local. A determinação que dei é que para entrar ou sair presos de Alcaçuz só com minha autorização.

Há rumores de que as fugas do dia 3 de agosto, quando fugiram oito detentos, foram facilitadas?
Como dizem: não confirmo nem ‘desconfirmo’, a situação está sendo investigada.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

Ministra garante que a situação da Via Costeira será resolvida

A construção de novos hotéis na via costeira de Natal que vinha enfrentando resistência em função do licenciamento ambiental vai ser resolvida. A disposição foi anunciada pela ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, à comitiva potiguar formada por empresários do turismo e bancada federal, liderada pela governadora Rosalba Ciarlini.

Em audiência nesta terça-feira, 7, a ministra se comprometeu a buscar soluções técnica e jurídica para o problema que vem se arrastando há anos. “O problema não é simples. Vamos organizar todo o processo, a partir dessa vinda da governadora e desse documento entregue pelas 22 entidades”, disse a ministra, se referindo ao abaixo assinado pelos representantes da cadeia produtiva do turismo, pedindo atenção especial às questões relacionadas à via costeira, principal pólo de turismo da capital. “Vamos discutir as alternativas para garantir o desenvolvimento sustentável do RN”, assegurou Izabella, adiantando que para isso vai chamar todas as partes interessadas no assunto. As consultas envolvem o IBAMA, Advocacia Geral da União (AGU) e Secretaria de Patrimônio da União. Também serão considerados os questionamentos do Ministério Público Federal e Judiciário.

Embora a ocupação da via costeira dependa de um relatório completo dos aspectos de preservação ambiental e interesses econômico e social do Estado, já há entendimento que o licenciamento ambiental é de competência do governo e município que deverão procurar os meios legais para a regularização. “Sugiro que governo e município criem condições para salvaguardar a regularização ambiental”, observou a ministra.

Mesmo sem resposta definitiva ou prazo para a solução do problema, a governadora Rosalba Ciarlini disse que está confiante numa saída que garanta o desenvolvimento do RN com sustentabilidade do Estado. “Estou confiante. A ministra foi objetiva e pragmática. É uma questão de desenvolvimento e vamos encontrar o entendimento”, insistiu Rosalba. Esse também foi o sentimento do ministro da Previdência, Garibaldi Filho, parlamentares, secretários de Estado Benito Gama (Desenvolvimento Econômico); Gilberto Jales (Recursos Hídricos e Meio Ambiente) e Renato Fernandes (Turismo), e representantes do trade turístico potiguar.

Com os 11 novos empreendimentos, a rede hoteleira de Natal que hoje tem 26 mil leitos ganharia mais 7 mil. Assim, atenderia a exigência da FIFA para as cidades-sede da Copa do Mundo, que é de 33 mil leitos.O investimento é de R$ 380 milhões.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *