iPad no Brasil é segundo mais caro do mundo

ipadA pesquisa comparou o preço em 46 países da última geração do tablet, com 16GB de memória e acesso à internet apenas via Wi-Fi, segundo o site Business Insider.

No Brasil, esse modelo de iPad é vendido por US$ 791,40, 67% mais caro que na Malásia, país em que o preço é o mais baixo: US$ 473,77. Lidera o ranking a Argentina, onde o tablet custa US$ 1.094,11.

A empresa australiana mostrou que, além da Malásia, Hong Kong (US$ 501,52) e Japão (US$ 501,56) são os países em que o iPad é mais barato.

Nos Estados Unidos e no Canadá, o preço sofre influência do imposto local, que varia conforme o Estado. Na Califórnia, por exemplo, o aparelho sai por US$ 546,91. Sem tributos, o tablet custa US$ 499, valor em que é anunciado no site da Apple.

Agência Estado

Padre celebra missa com iPad e usa Facebook para falar com fiéis no Rio

No altar da Paróquia Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, na Zona Sul do Rio de Janeiro, a Bíblia foi substituída por tablets e smartphones. Com a tecnologia nas mãos, o Padre Jorjão celebra missas, casamentos e batizados com a ajuda de aplicativos que disponibilizam os salmos e os cânticos da liturgia. Queridinho pela elite e disputado pelas celebridades, o padre não esconde que é pop e assume que usa o Facebook e outras redes sociais para conversar e até mesmo ouvir confissões de fiéis.

Padre Jorjão baixou a Bíblia online usa outros aplicativos que disponibilizam os salmos e a liturgia da Igreja (Foto: Tássia Thum/G1)(Foto: Tássia Thum/G1)

A batina de Padre Jorjão, de 51 anos, carrega a última versão do iPhone disponível no Brasil. O aparelho branco chama atenção pela capa roxa e pelos diversos aplicativos que ostenta. Simpático, o pároco mostra que seu celular tem apps de mensagens instantâneas, revistas de entretenimento, portais de notícia, além da Bíblia Sagrada online.O padre conta que ganhou os eletrônicos de jovens que frequentam a igreja, localizada a poucos metros da praia. “Aqui vem várias gerações de uma mesma família, então é natural que se crie uma relação com os frequentadores”, explica Jorjão, que também costuma receber lanches e outros mimos dos fiéis ao longo do dia.Fotos de celebrações por e-mail

Além de armazenar o ritual da missa, o tablet do padre guarda fotos registradas por ele de cerimônias e viagens importantes. Jorjão relembra que certa vez, na celebração de uma bodas de ouro, todos da família haviam esquecido a máquina, e o jeito foi utilizar para registrar o momento, como mostrou a coluna do Ancelmo Gois.

“Tirei as fotos e depois enviei por e-mail para os convidados”, diz o padre, que reza missas na Paróquia Nossa Senhora da Paz há 18 anos.

O religioso acredita que, nos dias de hoje, Jesus Cristo seria fã da internet. “Se Ele vivesse nos dias atuais, Ele utilizaria a internet, que é um excelente meio de comunicação para transmitir uma boa mensagem de fé. A internet alcança de maneira fácil as pessoas, é uma ferramenta impressionante. A Igreja caminha com a comunicação”, filosofa o padre.

Padre Jorjão celebra missa com Ipad (Foto: Divulgação)

Fonte: G1 RIO

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José A. Dias disse:

    Igreja irônica: por um lado a aceitação da
    evolução da sociedade e suas facilidades tecnológicas, por outro, tão
    mergulhada no atraso de sua doutrina. Hipócrita.

    • Jorge Felippe disse:

      O que seria atrasado na doutrina? Ou as pessoas querem adaptar os seus problemas na doutrina?

  2. jjejr disse:

    Padre Walter Colling, vigario da paroquia de Santa Luzia, a muito tempo ja vem usando o seu IPAD, nas celebrações na Catedral de Santa Luzia, isto não é novidade ……

Garoto gasta quase R$ 7.000 em jogos no iPad; família só descobre após cartão ser bloqueado

Olha o Prejuízo. Garoto gasta quase sete mil reais em jogos no Ipad. A família só descobriu quando a fatura do cartão chegou com a pequena continha para pagar. Um alerta para pais de todo o mundo.

Confira a reportagem

Um garoto britânico gastou 2.000 libras (quase R$ 7.000) ao comprar funções extras de um jogo disponível na App Store, loja de jogos de dispositivos da Apple. A família só descobriu o ocorrido após ver que o cartão de crédito estava bloqueado. As informações são do jornais britânicos “The Telegraph” e “The Daily Mirror”.

De acordo com a publicação, Will Smith jogava “Monster Islands”, um game que consiste em criar e alimentar monstros até chegar ao nível “Dark Monster” (Monstro das Trevas). Smith para avançar no jogo acabou comprando diversas moedas virtuais (algumas custavam 70 libras – aproximadamente R$ 230) e comida para os monstros.

O problema é que Barry Smith, vô do garoto que a conta atrelada à loja de aplicativos, não tinha a menor ideia que ele estava comparando créditos para o jogo em seu cartão de crédito. Ele apenas descobriu quando sua esposa foi fazer uma compra em um varejo no Reino Unido e a atendente informou que o cartão não estava passando.  “Eu não acredito na facilidade que é para as crianças comprarem coisas. O Will só tem seis anos de idade”, disse em entrevista.

A sorte de Barry Smith, avô do garoto, é que ele conseguiu explicar para a Apple a situação e as cobranças foram canceladas. Em comparação, Will Smith, que estava próximo de lutar com o “Dark Monster”, foi proibido de jogar “Monster Islands”.

Processo por cobrança indevida

O caso de Will não é o primeiro envolvendo altas compras de aplicativos na App Store. Em função disso, uma associação de pais nos Estados Unidos resolveu processar a empresa americana acusando-a de lucrar de forma injusta com a venda de bônus para jogos.  A principal queixa dos pais são os aplicativos in-app purchase. Esse tipo de programa, geralmente, dá acesso limitado ao usuário e só desbloqueia os restantes níveis mediante a compra de recursos dentro do próprio aplicativo.

Fonte: Uol Tecnologia

Ministério diz que concorrência deve baixar preço de iPad 'brasileiro'; tablet tem valor de importado

Apesar de o iPad produzido no Brasil ter o mesmo valor de o produto importado, o Ministério de Ciência e Tecnologia afirmou em nota acreditar que a concorrência no mercado brasileiro deve fazer os preços baixarem. Ao UOL Tecnologia, o Ministério disse que não pode obrigar as empresas a diminuírem o preço de itens que recebem benefício fiscal – caso do tablet da Apple.

“Os principais fabricantes estão no país, fato que favorece a concorrência entre eles e a consequente queda dos preços”, afirmou Virgílio Almeida, Secretário de Políticas de Informática do ministério. Entre as empresas citadas com produção local estão a Apple (com a montadora Foxconn), a Samsung, a Positivo Informática e a Semp-Toshiba.

Ainda de acordo o comunicado, cerca de 36 empresas já solicitaram incentivos para a produção de tablets no Brasil, das quais 17 já tiveram seus projetos avaliados e aprovados.

“A Foxconn vem executando o Projeto Produtivo Básico, investindo 4% em Pesquisa e Desenvolvimento e respeitando as taxas de composição de produtos nacionais – requisitos para receber os incentivos fiscais da Lei de Informática. Desta forma, a economia do Brasil ganha com a geração de empregos e com a redução das importações”, diz o texto.

Quando a Medida Provisória da isenção foi anunciada, Aloizio Mercadante, então ministro de Ciência e Tecnologia, afirmou que o modelo dos tablets produzidos em território nacional  poderia ter queda de até 36% no preço cobrado para o consumidor final. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, foi mais conservador à época, falando em redução de 31%.

A diminuição do preço dos produtos nacionais da Apple era esperada por causa dos incentivos fiscais que o produto fabricado no Brasil recebe. Pela chamada Lei do Bem, tablets fabricados no Brasil recebem redução do Cofins e IPI de 9,25% para zero.

Primeiro lote
O ministério se manifestou após o primeiro lote de iPads fabricados no Brasil chegar às lojas oficiais da Apple, sem que o preço caísse. No site oficial da Apple, o valor começa em R$ 1.549 (16 GB, Wi-Fi), independente de o produto ser brasileiro ou importado — algo não especificado no site da empresa. Em uma a2You (revendedora oficial da Apple) em São Paulo, é possível verificar o mesmo: o produto nacional é vendido pelo mesmo preço do modelo vindo do exterior.

De acordo com o “Valor Econômico”, os iPads produzidos localmente devem começar chegar às lojas de varejo neste mês. Na Fnac (loja de São Paulo), o modelo deve chegar no dia de 19 de julho.

Procurada pela reportagem, a Apple ainda não se pronunciou oficialmente sobre o assunto.

 

Fonte: Uol

Apple paga US$ 60 milhões para ter em definitivo o nome iPad

A Apple concordou em pagar a uma empresa chinesa US$ 60 milhões para pôr fim a uma disputa judicial sobre o domínio do nome iPad, informou nesta segunda-feira o Tribunal Popular Superior de Guangdong, no sul da China.

A chinesa Proview Technology é subsidiária da fabricante taiwanesa de telas LCD Proview, que comercializou até 2009 um monitor de computador chamado iPad.

A Proview, que registrou a marca em oito países em 2000, afirmava que o acordo que vendeu os direitos para a Apple, em 2006, não incluía a China, por se tratar de uma subsidiária independente da sede. A empresa fundada por Steve Jobs afirmava que o acerto era universal.

O acordo anunciado hoje deve pôr um fim às tentativas da Proview Technology de interromper as vendas do tablet da Apple na China, segundo maior mercado da Apple no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos.

Apple deve pagar mais de US$ 2 milhões por propaganda enganosa do iPad 3 na Austrália

A Apple concordou em pagar US$ 2,25 milhões para pôr fim ao caso em que é acusada de fazer propaganda enganosa do novo iPad na Austrália, informam jornais internacionais. Junto com essa quantia, que se refere à multa a ser paga à Comissão Australiana de Competição e Direitos dos Consumidores, uma agência governamental, a empresa se dispõe a desembolsar US$ 300 mil para compensar os gastos da entidade com o processo.

A Austrália esteve entre os primeiros países do mundo a receber a terceira geração do tablet da Apple, cujo lançamento ocorreu no dia 14 de março. Assim como nas campanhas de marketing feitas nas outras regiões, lá a empresa destacou o suporte à conexão 4G como um dos diferenciais do aparelho.

O problema é que o novo iPad só suporta o 4G nas frequências de 700MHz ou 2100MHz, explica o All Things D. E, como na Austrália o 4G funciona na frequência de 1800MHz, a internet de quarta geração prometida pela Apple acaba sendo, na verdade, a 3G — suportada também pelo iPad 2, agora mais barato.

O juiz que avalia o caso na Austrália, Mordy Bromberg, ainda precisa aprovar o acordo. Ele ainda não está certo se o dinheiro a ser pago pela Apple é uma penalidade suficiente, segundo o MarketWatch. O site diz que Bromberg se recusa a bater o martelo antes de saber quantos consumidores se sentiram enganados e qual a situação financeira da Apple.

A empresa fundada por Steve Jobs alega que a posição financeira da companhia não importa nesse caso e diz ter indenizado os consumidores australianos que compraram o novo iPad acreditando adquirir um aparelho que funcionaria na rede 4G do país.

Fonte: Radar Tecnológico

Governo diz que comprou 3 e não 1 Ipad: "Houve falha no Diário Oficial"

A Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social, através do twitter, afirmou que houve um erro na publicação do Diário Oficial que informava a compra de um Ipad por 5.989,89. “A Sesed não pagou R$ 5.989,89 por apenas um ipad, mas, sim, por 3 equipamentos. Cada um ficou por R$1.996,63”, diz o post.

A secretaria enviou ao BLOG do BG a nota fiscal da compra

Em destaque:

OBSERVAÇÃO

Mas se o  Diário Oficial do Estado é a ferramenta usada para garantir a transparência de uma administração séria, é inadmissível um erro grosseiro como este. Na publicação está bem claro que trata-se de um equipamento e não de três.

 

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rodrigo disse:

    Vendo todo esse lenga lenga me pergunto, porque essa despesa não se encontra no portal da transparencia do estado? E onde fica essa empresa? Eu quero compra um igualzinho por esse preço

  2. Diego disse:

    Remendo de borracheiro de BR.

  3. Romeiro disse:

    Vamos fazer as contas: R$ 5.989,89 dividido por 3 é  igual a: R$ 1.996,63
    Com isso, até a ordem de compra está errada! (aparece R$ 1.996,30)

  4. Ryan disse:

    Vergonha… esse é o famoso se colar colou.

Apple confirma data de lançamento do novo iPad no Brasil

Nesta segunda-feira o site da Apple amanheceu com uma novidade e já conta com uma data oficial de lançamento do novo iPad no Brasil. Conforme anunciado por uma operadora, a terceira geração do tablet começa a ser vendida a partir do dia 11 de maio, a tempo do Dia das Mães.

No site da companhia, que conta com vídeos e animações que mostram as melhorias no tablet mais vendido do mundo, ainda não há informações sobre preços dos aparelhos. No link de compra, há apenas um botão com as palavras “em breve”, já que faltam poucos dias.

Nas especificações do aparelho no site da companhia, em “conexão ultrarápida”, há opções de iPads com internet móvel para usuários Tim, Vivo, Claro e Oi. Na semana passada, a Tim foi a única a confirmar as vendas do novo iPad a partir do dia 11, também ser revelar preços. A Claro disse apenas que “já está em negociação para comercializar o novo iPad”.

A varejista Fnac também confirmou o início das vendas para a data e disse que abriria as suas lojas no país uma hora mais cedo, às 9h.

Unidades do iPad 2 ainda estão disponíveis na loja on-line da Apple, a partir de R$ 1.399 para o aparelho com Wi-Fi e 16 GB.

Fonte: O Globo

Novo iPad chega a 27 países, mas Brasil ainda fica no aguardo

Na próxima sexta, o tablet mais desejado do mundo, o iPad 3, chegará a 12 países – de vizinhos nossos, como Uruguai e Venezuela, a micronações como Brunei e Chipre. Uma semana mais tarde, dia 27, outros nove países receberão o novo iPad (a lista inclui Índia, Israel, África do Sul e também Montenegro, Lituânia e Letônia). Enquanto isso, o produto continua sem data de lançamento oficial no Brasil.

Como justificar que Chipre, Montenegro e Brunei já tenham o iPad, e o Brasil não? Será mais uma demonstração de pouco caso da Apple para com o país? Desta vez, não.

A responsabilidade pela demora é da Anatel – que somente na última sexta-feira concedeu a homologação técnica necessária para que o novo iPad possa ser comercializado no Brasil.

* Com informações da Super

Adolescente chinês vende rim para comprar iPhone e iPad

Um adolescente chinês, de 17 anos, vendeu um rim para comprar um iPhone e um iPad, segundo reportagem publicada nesta sexta-feira no site da Xinhua, agência estatal de notícias da China. Cinco pessoas foram acusadas ​​de envolvimento na compra do órgão e vão responder por lesão corporal dolosa.

Entre os cinco, há um cirurgião que removeu o rim em abril do ano passado. O menino, identificado apenas pelo sobrenome Wang, agora sofre de deficiência renal, segundo promotores da cidade de Chenzhou, província de Hunan.

De acordo com a Xinhua, um dos acusados ​​recebeu cerca de 220 mil iuanes (cerca de US$ 35 mil) para organizar o transplante. Ele pagou a Wang 22 mil iuanes e dividiu o restante com o cirurgião.

Após voltar para casa, o adolescente confessou para a mãe que vendeu um dos rins quando ela perguntou como ele conseguiu o dinheiro para comprar o novo iPhone e o iPad.

O jovem era de Anhui, uma das províncias mais pobres da China, de onde habitantes frequentemente emigram para encontrar trabalho e uma vida melhor em outro lugar.

Segundo o Ministério da Saúde chinês, mais de 1,5 milhão de pessoas na China precisam de transplantes, mas só 10 mil são realizados anualmente. A falta de órgãos criou um mercado ilegal.

Fonte: O Globo

Apple ultrapassa marca de 3 milhões novos iPads vendidos

Em release oficial, o vice-presidente de marketing mundial da empresa, Philip Schiller, chamou o tablet de “blockbuster” (“estouro de vendas”) e “o lançamento mais forte do iPad até hoje”.

O executivo declarou ainda que “os consumidores estão adorando os incríveis novos recursos do iPad”.

O aparelho foi lançado na sexta-feira em 12 países, incluindo EUA, Reino Unido, Japão, França e Alemanha. Na próxima sexta, 23, ele estará disponível em mais 25 territórios, entre eles Áustria, Bélgica, Holanda, Irlanda, Itália, México, Portugal, Espanha e Suécia.

Não há previsão de lançamento do produto no Brasil.

iPad é considerado bem de uso pessoal e isento de tributação

A Fazenda Nacional foi condenada pela Justiça Federal do Rio Grande do Norte a ressarcir o imposto de importação cobrado sobre dois Ipads que estavam sendo transportados por um casal potiguar. Decisão do Juiz Federal Marco Bruno Miranda Clementino, titular da 3ª Vara Federal, considerou Ipad um “bem de uso pessoal” e portanto está enquadrado na isenção tributária prevista na portaria do Ministério da Fazenda, editada em 2010.

“Sob essa perspectiva, constata-se que os tablets estão inseridos no rol de isenção acima elencado, vez que são inegavelmente bens de uso pessoal, enquadrando-se no conceito de bens ‘que o viajante possa necessitar para uso próprio, considerando as circunstâncias da viagem’, havendo
compatibilidade quanto à natureza e quantidade”, escreveu o Juiz Federal na sentença.

O magistrado observou que o Ipad se enquadra em uma categoria própria, já que tem diversas funcionalidades de smartphones, de computadores pessoais, de leitores de livro digital, mas que não se identifica com nenhum desses eletrônicos.

“Este é, aliás, a tendência e o desafio tecnológico dos novos eletrônicos: concentrar em um único aparelho portátil as mais diversas funções de que possa necessitar o usuário. Os próprios smartphones congregam diversas tarefas antes só disponíveis em computadores”, escreveu o magistrado na sentença.

Novo iPad ainda nem chegou nas lojas e já está esgotado

Os clientes que já encomendaram a nova versão do iPad provavelmente terão que esperar mais do que os que vão comprá-la nas lojas, já que o estoque do aparelho esgotou, informou nesta segunda-feira, 12, a imprensa americana.

Na semana passada, foi apresentada a nova versão do dispositivo, que estará disponível nas lojas da Apple a partir de 16 de março. Cada pessoa poderá encomendar apenas dois iPads.

Segundo o jornal The Wall Street Journal e outros meios de comunicação americanos, o estoque de tablets disponíveis foi superado pela demanda. Os clientes que o encomendaram antecipadamente talvez tenham que esperar de duas a três semanas para recebê-lo.

“A resposta dos consumidores ao novo iPad foi sem precedentes”, disse uma porta-voz da Apple mencionada pela publicação.

A Apple atualizou o aparelho com uma resolução de tela de alta definição como a dos iPhone 4 e 4S, aperfeiçoou o processador e tornou o aparelho compatível com redes 4G.

As versões anteriores do iPad fizeram sucesso no mercado e no ano passado foram vendidos mais de 40 milhões de aparelhos. Alguns analistas calculam que neste ano esse número poderá chegar a 60 milhões.

O novo iPad será lançado com preços que oscilam entre US$ 499 para o modelo mais básico e US$ 829 para a versão mais completa, e coexistirá com o iPad 2, que passa a ter um desconto de US$ 100.

Essa manobra comercial permitirá que a Apple atraia consumidores para os quais o fator preço é determinante e que queiram comprar tablets de baixa concorrência.

Blog: Link

Apple lança novo iPad

Foto: Paul Sakuma/AP

 

Com Adele cantando na abertura, a Apple realiza desde as 15h (horário de Brasília) desta quarta-feira (7) um evento sobre o iPad na cidade de San Francisco, nos Estados Unidos. O novo iPad foi anunciado por volta das 15h20. Segundo a empresa, ele passa a contar com tela de alta definição e internet 4G, por meio da tecnologia LTE. Apesar disso, além da conexão de quarta geração, todos os novos iPads estarão preparados para funcionar em redes 3G, o que é uma boa notícia aos brasileiros, que ainda não têm à sua disposição uma rede 4G consolidada.

O aparelho vai começar a ser vendido nos Estados Unidos e em outros 9 países no próximo dia 16. Outros 26 receberão o tablet em 23 de março, mas o Brasil não está na lista –ainda não foi anunciada a data de chegada do aparelho ao país.

Nos EUA, os preços serão os mesmos do atual iPad: US$ 500 pela versão de 16 GB; a 32 GB sai por US$ 600 e 64 GB, por US$ 700. Com 4G, os preços são US$ 630, US$ 730 e US$ 830, respectivamente. No encontro com a imprensa, a Apple mostrou o novo iPad funcionando com as redes 4G da Verizon e da AT&T, duas operadoras norte-americanas.

O novo tablet também poderá ser usado como um hotspot, um ponto a partir do qual será possível criar uma rede Wi-Fi. Isso se a operadora permitir o processo, afirmou Cook. “A performance do novo iPad é maravilhosa e você vai amar usá-lo nessas redes de alta velocidade”, afirmou o o presidente-executivo Tim Cook.

Resolução da tela
A resolução do iPad 2 é de 1024 x 768, sendo que a do novo, com maior qualidade, será de 2048 x 1536, com 3,1 milhões de pixels, número que, segundo a Apple, é maior do que em qualquer dispositivo móvel. As cores e a saturação das imagens são 40% melhores do que no iPad 2, diz a Apple. O novo iPad usa o processador Apple A5X com quatro núcleos. Esperava-se que ele teria o chip Apple A6, mais pontente.

O modelo terá ainda o Retina Display, que apresenta imagens com mais definição do que os aparelhos antecessores. “De muitas maneiras, o iPad está reinventando a computação portátil e está ultrapassando as nossas expectativas.”

Câmera melhor
A câmera traseira do tablet passa a ter 5 megapixels, além de sensor de iluminação e filtro infra-vermelho. A nova câmera também faz gravações em resolução 1080p.

iOS e Apple TV
Na primeira parte do evento, Cook anunciou uma nova versão do IOS, o sistema usado no iPad, no iPhone e no iPod Touch, chamada 5.1, que será disponibilizada ainda nesta quarta. Além disso foi anunciada a nova Apple TV, em que o sistema iCloud permite o streaming de filmes em definição Full HD (1080p). A nova TV terá uma interface diferente, facilitando o acesso dos usuários. Entretanto, ela ainda é bastante diferente dos sistemas com iOS.

Vendas na ‘era pós-PC’
“Estamos falando de um mundo onde o computador não está mais no centro do mundo digital. Os dispositivos que você mais usa precisam ser mais portáteis e drasticamente mais fáceis de usar do que nunca”, afirmou Cook no evento. Segundo ele, 76% do lucro da Apple vem dos produtos lançados pós-PC: iPod, iPad e iPhone.

Histórico
O iPad foi lançado em 27 de janeiro de 2010 por Steve Jobs e ajudou na escalada para a Apple se tornar a maior empresa de tecnologia do mundo. Na época, foi chamado de prancheta digital. Jobs qualificou o aparelho, que unia computador, videogame, tocador de música e vídeo e leitor de livro digital, de “mágico” e “revolucionário”.

O tablet chegou às lojas dos EUA custando a partir de US$ 500, preço conservado até hoje para a versão mais simples do iPad 2. No Brasil, o aparelho começou a ser vendido em dezembro de 2010. A segunda versão foi anunciada pela Apple em março de 2011, quando Jobs, então em uma licença médica, surpreendeu a todos ao subir ao palco para apresentar o aparelho. Em outubro do mesmo ano, ele morreu após sua longa luta contra o câncer.

Uma pesquisa divulgada na última terça (6) pela consultoria americana Forrester Research conclui que o iPad tem 73% de participação no mercado de tablets e que nenhuma outra marca alcançou fatia maior que 6%.

Inforgráfico: G1

 

Fonte: G1

Sinal Fechado: Polícia apreende Ipad após revista no alojamento dos detidos

Durante revista realizada ontem pela manhã no alojamento onde estão detidos os envolvidos da operação Sinal Fechado, no quartel do Comando Geral da Polícia Militar foi encontrado um Ipad. A revista teve início às 6h30 e se prolongou até às 14h.

A recomendação para a fiscalização partiu do Grupo de Ação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual, após suspeita de irregularidades cometidas pelos presos.

Policias que fizeram a revista apreenderam o Ipad e entregaram ao comando da Polícia.

Toda a ação da Polícia Militar foi filmada e o relatório com o equipamento e o resultado da ação será encaminhado ao MP/RN.

Além dos envolvidos na operação Sinal Fechado, também estava detido no mesmo alojamento do quartel o advogado Rychardson Macedo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bruno disse:

    De quem era o IPad?

Fábrica de Ipads no Brasil subiu no Telhado

Entrou areia na tal fábrica de iPads que a Foxconn instalaria no Brasil. Anunciado com barulho quando Dilma Rousseff foi à China em abril — falava-se, então, num investimento de 12 bilhões de reais — o projeto ainda depende de sócios e recursos. Os chineses, viu-se depois, queriam que o BNDES fosse sócio majoritário, o que não foi aceito.

A Foxconn planejava também obter parte do dinheiro para o investimento por meio de uma abertura de capital, via bolsa de valores. A derrocada dos mercados matou a ideia. Neste momento, o governo tenta um plano B para o projeto sair do papel.

Por Lauro Jardim