Caso Neymar: em entrevista a revista, ex-marido de Najila confirma relato de agressão, mas nega estupro

Neymar e Najila Foto: REUTERS e Reprodução SBT

Estivens Alves, ex-marido de Najila Trindade, a mulher que acusa Neymar de agressão sexual, afirmou em entrevista à revista “Isto é” que a modelo não foi estuprada pelo jogador do PSG. Seu relato se baseia em conversas com a ex-mulher e no vídeo do segundo encontro entre ela e o craque da seleção, em Paris, ao qual Estivens teve acesso na íntegra. Ele confirmou, porém, os relatos de agressão.

O ex-marido de Najila conta que, após o primeiro contato entre os dois na capital francesa, a modelo relatara que Neymar havia sido “escroto” e “imbecil”. “Ela falou que ele tinha sido muito agressivo, mas não citou nada sobre relação sexual e estupro. Então, ela me disse que ia andar um pouco para esfriar a cabeça”, relata o Estivens.

“Estupro é uma palavra muito pesada. Estupro propriamente dito não houve. Essa é a conclusão do Estivens. Não houve estupro. No máximo houve um desentendimento entre ambos no meio da relação sexual. Ele assumiu que bebeu antes e pode ter ultrapassado o limite”, acrescenta.

O publicitário contou que teve acesso à íntegra do vídeo de 7 minutos do segundo encontro entre Najila e Neymar num hotel em Paris. Uma versão reduzida desse episódio, que vazou na internet nos dias seguintes ao escândalo, mostrava a modelo batendo no jogador. Ele narra o que diz ter visto nas imagens:

“Ela vai recebê-lo na porta [do quarto], beija e tudo. Vão para a cama. Ela dá um tapa nele. […] Ele recua um pouco e ela fala: ‘Você vai me bater. Não vai devolver?’. Ele se levanta e ela fala: ‘Você me bateu e me deixou aqui sozinha’. Nesse momento, ela se recolhe. Não dá para ver se está inclinada, não dá para saber se está caída ou abaixada. Mas dá para ouvir. Ele fala: ‘Linda, calma. Relaxa, relaxa’. Ele fica ao lado dela uns três minutos, tentando acalmá-la. Ele a levanta pelos braços, sem agressividade. Com as mãos nos bolsos ela começa a chorar. E pergunta: ‘Por que você fez isso comigo? Por que você me bateu e me deixou aqui?’. E chora. Ele pede calma repetidas vezes, sem responder às perguntas dela.”

E completa:

“Ele se mostra uma pessoa muito assustada com tudo que estava acontecendo, sem esperar por aquela reação dela. Até que ele consegue ter algum controle sobre a situação. Ele senta ela na cama e fala: ‘Eu não te falei que não conseguiria ficar com você. Lembra que eu te falei para trazer uma amiga? Era para você não se sentir sozinha. Eu tenho meus compromissos. Tenho que treinar, tenho meu médico, meus tratamentos e minhas campanhas’. Ela fala: ‘Me perdoa? Eu te machuquei? Eu não queria ter te machucado. Eu estraguei tudo’. Não tenho certeza, mas parece que ele pergunta o que poderia fazer por ela, que responde: ‘Quero ir embora, para minha casa’. Ele pega o celular, liga ou manda mensagem para alguém. Ela levanta, vai ao banheiro, onde estava o celular, e encerra o vídeo.”

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Dr. Veneno disse:

    Isso é coisa da mídia atrás de noticia e audiência.
    Não tenho procuração para defender Neymar, mas desde o começo q a coisa está toda dissimulada, com o intuito claro de se obter alguma vantagem com a situação.

  2. Lourdes Siqueira disse:

    Eu não consigo entender o que o ex t com isso. Vai já ser convidado pra fazer novela.
    Noticias requentadas…..

  3. Decio Nascimento disse:

    Estou com Neymar, sendo verdade ou nao.

Revista Collecione Natal: Cidade ganha um novo projeto editorial

Nesta terça-feira, 19 de abril, acontecerá o lançamento da primeira edição da revista Collecione Natal. Um título que conta com o respaldo de doze edições veiculadas em Caicó e que, a partir de agora, também terá outra publicação própria e exclusiva para a cidade de Natal. “A ideia de fazer uma revista nos mesmos moldes editoriais da que já produzimos em Caicó, só que voltada para Natal, não é de agora. No entanto somente de uns meses pra cá, o projeto tomou o impulso necessário para estender as suas atividades e atuar com propriedade no mercado da capital”, afirma o publicitário Fred Costa, responsável pela idealização e gerenciamento do veículo.

O foco da “Collecione Natal” está centrado em retratar a capital potiguar em primeiro plano através de matérias que abordem aspectos corriqueiros da cidade para gerar familiaridade no leitor. Para a primeira edição, alguns destaques jornalísticos remetem especialmente a cultura da cidade: como o bairro da Ribeira consegue ser o plano de fundo da vida de quatro distintos natalenses, um tour por Natal diante da gastronomia que a caracteriza e as boas surpresas que guardam os cenários audiovisuais, literários e musicais da capital.

A revista contará com 64 páginas e será distribuída gratuitamente nos patrocinadores da mesma edição, bem como em grandes bancas de Natal. Para este primeiro número, patrocinadores do timbre dos restaurantes Camarões, óticas Oculare, Outlet Lingerie, AABB Natal, Freddy’s e muitos outros que viabilizaram o projeto que promete marcar um novo ciclo de conteúdo no mercado editorial do estado.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Oswaldo disse:

    Quero parabenizar o amigo Fred Costa, que vêem a acrecentar na nossa capital com essa maravilhosa Revista. Que teve inicio na cidade de Caicó. Parabéns!!!

Revista Natal destaca potencial turístico da capital potiguar na 44ª edição

Já está circulando a quadragésima-quarta edição da revista Natal pra Você, de propriedade do jornalista Antonio Roberto Rocha, que também edita a publicação. Com distribuição nacional entre operadoras, agências de viagem e mídia especializada, a revista vai voltar a ser distribuída também em Portugal, já que a previsão é de aquecimento do fluxo de lusitanos, a partir das boas condições cambiais para os que têm euro e dólar como moeda.

Segundo o diretor da revista, Natal pra Você também dá suporte de marketing ao turismo potiguar em feiras, workshops e eventos de turismo pelo país, assim como em ações de captação de eventos para Natal. A publicação não é vendida. Tem circulação dirigida, com objetivo de atrair fluxo de turistas para o Rio Grande do Norte.

FOTO: Revista na Penitenciária Estadual de Alcaçuz apreende facas, celulares e drogas

9531d21d0db6680b0fcc1c22124Foto: Divulgação Coape

Uma revista realizada por agentes penitenciários nesta segunda-feira (12) no  pavilhão da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta, resultou no encontro de facas artesanais, drogas, celulares e chips.

Segundo a Coape, ao todo foram a apreendidos 55 celulares, 153 chips, além de meio quilo de maconha, cocaína e diversas facas artesanais.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. berg disse:

    Daqui a pouco irão ter que comprar uma mesa maior pois desse vez quase não cabe nessa.

    Contei 52 celulares. Nem o mercado do Alecrim.

  2. Rodrigo Reale disse:

    Quem deve fazer algo para que a lei seja cumprida não faz. É conivente. Interesses pessoais.

  3. Vila disse:

    Meu amigo, vc tem dúvida de como isso entrou nas celas?

Revista americana aponta Natal como uma das três cidades mais fascinantes da Copa do Mundo no Brasil

Natal-3Veja na íntegra a reportagem da revista americana Big Story, que aponta Natal e mais duas cidades com as mais fascinantes para visita durante a Copa do Mundo de 2014:

Graças aos soldados americanos , ” Natal foi o primeiro lugar no Brasil a usar jeans , mastigar chicletes e usar óculos Ray-Ban “, diz o prefeito Carlos Eduardo Nunes Alves. Que coincidência, então, que a equipe dos EUA vai jogar um dos seus jogos de grupo da Copa do Mundo na cidade costa atlântica.

A sua localização no bojo do nordeste do Brasil fez Natal estrategicamente importante na II Guerra Mundial, porque foi o ponto de partida mais próximo da América Latina à África, 1.800 milhas para o leste através do Atlântico.

Assistindo brasileiros transformar um dia na praia em arte, surfando as ondas quentes e brincando no sol , agora é difícil imaginar o quão importante era Natal para o esforço de guerra. Seu campo de Parnamirim se tornou a maior base aérea dos EUA fora dos Estados Unidos , um ” Trampolim da Vitória ” para as tropas e suprimentos de título para o combate na África, Europa ou Ásia.

A cidade tem uma ” Miami Beach “, um nome que os guias turísticos locais dizem que foi deixado para trás pelos soldados que costumavam tomar banho lá.

O prefeito era cético em relação a essa reivindicação. Mas ” um monte de americanos se casaram com mulheres a partir daqui “, disse ele .

Durante a Copa do Mundo , a sua Câmara Municipal pretende comemorar a conexão americano , fazendo cartões postais de uma foto tirada quando os presidentes Franklin D. Roosevelt e Getúlio Vargas do Brasil reuniram-se em Natal em janeiro de 1943 para cimentar a cooperação de guerra de suas nações .

A seleção americana enfrenta Gana na Arena das Dunas, definida como uma tigela de arejados naturalmente arrefecido pela brisa do mar , com arcos telhado branco que lembram dunas esculpidas pelo vento e 42.000 assentos nas claras e escuras azuis do Atlântico.

Texto original: http://bigstory.ap.org/article/3-fascinating-world-cup-cities-brazil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ana maria rosa rezende disse:

    escoli natal pra vever estou aqui a 3 anos sou goiana vivi em usa boston londres 10 anos mas natal linda NATAL I LOVE .

  2. Giovani Carvalho disse:

    Antes de postar meu comentário fiz questão de ler todos os outros e vejo que muitos que discordam da situação privilegiada de Natal com uma das capitais mais belas do Brasil assinalam questões importantes, que realmente precisam melhorar, afinal de contas a Capital potiguar é uma cidade turística. Porém, se compararmos com várias outras capitais brasileiras não estamos numa colocação ruim, podem apostar. Claro que queremos sempre melhorias, e a Copa veio impulsionar esses avanços, mesmo que algumas obras sejam concluídas pós copa. Diferentemente como cidades

    • Giovani Carvalho disse:

      Diferentemente de cidades como Cuiabá que tiveram que fazer muitas obras para se ter alguma condição para receber os turistas. Sem contar o caos do trânsito de algumas metrópoles, que Natal não chega nem perto. Portanto, nossa cidade é sim um dos melhores locais de se viver em nosso país, mesmo que alguns vejam de outro modo, mas a visão negativa ea cidade se dá nesse momento, em parte, pela visão negativa geral que se tem do Brasil, após as manifestações que ainda estão nas mentes e corações do povo brasileiro. Natal não merece ser vista de um ângulo negativo e sim as melhorias devem ser cobradas para que a cidade sempre possa avançar na qualidade de vida de sua gente.

  3. Anderson disse:

    Troquei a Freguesia do Ó – São Paulo por Ponta Negra – Natal – Foi uma das a melhores decisões que tomei na vida… Viva Natal!

  4. JOILCA BEZERRA disse:

    Eu amo Natal! Adotei e fui adotada por essa cidade maravilhosa há 30 anos! Não poderia ter feito escolha melhor. Valeu a pena!

  5. Joilca Bezerra disse:

    Amo Natal! Moro aqui há 30 anos.Já adotei como minha terra natal! Sempre fui muito bem acolhida por todos!

  6. Manoel disse:

    Quanto mais eu ando pelo Brasil mais me orgulho de ser potiguar. Natal é linda, povo hospitaleiro e muito boa de se morar e conviver, porém problemas existem em todas as cidades.

  7. Hugo Leonardo disse:

    Natal apesar de todos os problemas políticos e estruturais ou qualquer que seja, não me vejo morando em outro lugar..
    Problemas todas as cidades do Brasil tem, quer conhecer? É só viajar…

  8. Caroline Greene disse:

    Na terra do sol…beleza sem igual.. não a nada igual
    Natal como eu te amo…como te amo Natal

  9. TELMA RIBEIRO disse:

    FIQUEI COM MUITA VONTADE D CONHECER AGORA . N TINHA A MINIMA VONTADE DE CONHECER O NORTE MAS VENDO FOTOS E COMENTÁRIOS JÁ QUERO IR O PRÓXIMO ANO. DEUS ABENÇOE ESSA TERRA.

    • Geraldo Peregrino disse:

      Nordeste, minha senhora. NORDESTE!

    • aline disse:

      Só para avisar … Natal fica no nordeste e não no norte do país.

    • Fernanda disse:

      Moça, preciso lembrar que Natal é no NORDESTE brasileiro, e não no NORTE.
      Espero que goste muito da nossa cidade, lugar mais bonito não há.

    • Edvanilson disse:

      "Não tinha a mínima vontade de conhecer o norte" rs

      ¬¬

    • Natalense disse:

      Primeiramente, estude mais um pouco Geografia, pois Natal não pertence a maravilhosa região Norte, e sim, a do Nordeste!

    • Carla disse:

      Gente que só sabe criticar, afff, e nem olha para o seu nariz. Uma vez fiz um comentário com muito sotaque na folha de São Paulo sobre José Dirceu, (Olha que nem sou Potiguar, sou Sul Mato-grossense, Corumbaense, mas amo Natal de coração) e uma pessoa que nem tinha foto em seu perfil falou: Você sabe Carla Dalence o que o José Dirceu fez? Eu apenas postei um sotaque bem conhecido… Agora deu! rsrsrsrsrsrsrs O RN é lindo faço faculdade de Turismo e conheci lugares lindos no RN, Natal então, uma cidade show, onde muita gente vem passar as férias e onde moramos! Viva Natal!!!!

    • Gleyse disse:

      Não é norte, é Nordeste, pois existem muitas diferenças culturais, climáticas e geomorfológicas que diferenciam todas as regiões do Brasil 😉

    • É nordeste minha cara, NORDESTE 😉

  10. Sandemberg Oliveira disse:

    É preciso enxergar Natal não apenas como uma cidade comum, mas como uma cidade que vem se expandindo e é possível ver isso nos constantes investimentos empreendedores que, aos poucos, transformam a cidade de Natal num grande atrativo econômico e turístico.

  11. Juranilda Barbosa disse:

    Sou natalense e conheço quase todas as cidades do Brasil, e muitas delas serão sedes da Copa do Mundo, e posso dizer sem medo de errar que NATAL, realmente é uma das mais belas capitais que terão o privilégio de fazer parte do cenário da COPA DO MUNDO de 2014. Costumo dizer carinhosamente é claro, que Natal é uma cidade pequena, mais muito atrevida, metida a cidade grande. Dona de um clima maravilhoso, de belezas naturais invejáveis, Como toda cidade, tem seus problemas sim, suas dificuldades, mas qual a que não tem? Com tudo, e por tudo é que ela se destaca, a pequena princesinha do sol fará sempre bonito em qualquer evento. Viva Natal.

  12. Eduardo Jr disse:

    Pobre Natal. Cidade apenas pra turista ver.Cheia de problemas sociais e de interesse apenas de classes políticas que se perpetuam no poder há anos e se valem destes problemas para continuarem no poder com a ajudinha generosa de empresários. Não conseguem resolver o simples problema de transporte público. Pobre Natal…

    • Kariny Noronha disse:

      Caro Eduardo Jr,
      A uma semana atrás estive na cidade de Mossoró do nosso querido estado do RN numa viagem rápida, e pelo pouco que pude vivenciar lhe afirmo, nossa cidade além de dispor de várias belezas naturais, pela qual não há a necessidade de um "marco" na historia para que seja lembrada como referencia nas festas juninas e apenas, ela é habitada por pessoas educadas e hospitaleiras, não há ranking dessa para as cidades violentas do nosso pais, então amigo não existe cidade alguma que não tenha problemas econômicos, desorganização no transporte publico ou no trânsito, saúde, educação, dentre outros "calces" de uma sociedade. Concordo que temos uma declividade no gráfico informativo sobre a cidade de Natal, porém comparada a "outras" é o próprio paraíso!
      Existe cidade que nem para "palco turístico" serve! Mesmo

      Atenciosamente,
      Kariny Noronha

    • Alex disse:

      Pobre Natal? Que é isso cego Eduardo Jr!

    • Marcello Castro disse:

      Quem abre a boca pra elogiar Natal ou está tirando algum proveito do pobre turista que cai nas ciladas das agências de viagem, ou é um provinciano que não conhece o que viver numa cidade que cuida do seu lixo, de suas vias, de sua orla, de suas praças, de sua cultura, dos seus cidadãos. Natal já era, e com os políticos cínicos e corruptos que temos por aqui a cidade não se levanta nunca mais.

    • Pedro B. disse:

      Sou POTIGUAR e, infelizmente, tenho que concordar com você Eduardo Jr. Sinto pena da minha cidade pelas pessoas que a habitam. Somos hospitaleiros claro, mas somos mal educados, quando eu falo somos, não feliz, tenho que me incluir. Claro que os de fora e os cegos que vivem aqui só observam as belezas naturais e a rede hoteleira que aqui existe, mas os mesmos esquecem de ver, ou fecham os olhos, para os inúmeros papéis, plásticos, e outros tipos de lixos que estão jogados nos canteiros e calçadas da cidade. A falta de educação vai desde o humilde habitante até o chefão do poder. As pessoas aqui poderiam ao menos saber cumprimentar com um "bom dia". "boa tarde" ou "boa noite", quando chegam em um restaurante, em uma loja, ou ao pedir uma informação, mas elas não o fazem ou "esquecem". Enfim, não quero dizer que aqui é o pior lugar do mundo, mas também não é uma das mil maravilhas que todos acham que é. Precisamos melhorar, e muito para ai sim, sermos uma maravilha de verdade. Sei que esses defeitos existem em muitas outras cidades, mas não devemos tomá-las como referencial. Se as outras cidades não são dignas de fascinação, não são com elas que podemos comparar a nossa. Espero que até a Copa do Mundo Natal esteja limpa, com o trânsito fluindo, hospitais atendendo perfeitamente a população e as pessoas falando, pelo menos, o INGLÊS básico. Já vi muitos falarem que quem vem pra cá tem a obrigação de falar Português. Ai eu sinto mais pena ainda… Sem mais.

    • Salete disse:

      Concordo inteiramente!!!
      Natal é inegavelmente uma cidade de belezas naturais incomparáveis. Temos o privilégio de ter um mar morno, de cor linda e com uma temperatura fascinante para europeus, americanos e sulamericanos que sofrem com o invernos rigorosos e se maravilham com o sol quente. E é só!
      Somos hospitaleiros?! Até que ponto?! Há uma enorme falha dos gestores públicos que tem, em administrações contínuas, dilacerado essa cidade. Não há saúde, educação, segurança, limpeza e transporte público eficiente. Uma cidade praticamente sem árvores, sem praças cuidadas e bonitas. Ponta Negra é linda, mas a orla é um desastre. Não há banheiros públicos, não há calcadão, não há beleza ali construída pelo homem. Apenas a que Deus fez. Basta ir a Recife e Macéio para ver o que é uma orla com o cuidado mínimo. Sem falar na orla do Rio de Janeiro.
      E o que dizer de nós? Nosso trânsito está caótico sim, mas o potiguar simplesmente se acha o dono da rua e sobe em canteiros, faz contramão, inúmeras trancadas em outros veículos, como se isso fosse a coisa mais natural do mundo.
      Fila?! As pessoas aqui não sabem respeitar a fila do cinema, nem do elevador, o que dirá respeitar a fila para entrar no estádio de futebol?! Vá a Buenos Aires e Santiago e veja as pessoas fazendo fila para pegar o ônibus (sim, de transporte público). Jogamos lixo na rua, nos canteiros, queremos nos livrar de nossos problemas particulares, como se sujar as ruas não fosse um problema nosso.
      Realmente, concordo que quem elogia tanto Natal nunca saiu daqui. A cidade é linda de belezas naturais e só.
      O que um gringo vai fazer aqui depois de ir a praia? Vai ao shopping pq não há museu, praça, biblioteca ou qualquer monumento para visitar.

    • Nelson disse:

      Não adianta, sempre teremos chatos, como Eduardo Jr e vc…Fato!

    • Salete disse:

      Nelson parece que você não sabe contar. Há mais chatos nos comentários do que apenas o Eduardo e eu com a mesma opinião.
      Apenas tente manter o nível da civilidade e educação.

    • edpborges disse:

      Venha ao Sudeste que vocês iram conhecer pessoas mal educadas, essas
      sim não sabem o que é cordialidade é somente um venha nós.
      Moro no Sudeste e não vejo a hora de voltar ao meu Nordeste(RN).
      Não só no Nordeste que essa cambada de politico ladrões se perpetuam no
      poder culpa do povo que não sabe escolher e reconhecer que tem que renovar.

    • Marcello Castro disse:

      Concordo com você, e acrescento: Natal, hoje, é uma das piores cidades do Brasil para se viver, resultado das desastrosas administrações que se sucedem há décadas, tanto em nível estadual quanto municipal. É talvez a única cidade de praia que não tem uma orla decente para os seus moradores e turistas. Por sinal, a prefeitura até cancelou a queima de fogos do réveillon em razão das obras de Ponta Negra, um dos cartões portais da cidade e que hoje só é frequentado por prostitutas, gringos interessados em turismo sexual e turistas desavisados, que pagam caro pelos péssimos serviços oferecidos. Nossos políticos, e uma elite gananciosa e corrupta, e que não ama a sua cidade, acabaram com Natal. Turista aqui só vem uma vez.

    • Tony disse:

      Conheço o Brasil quase todo e moro aqui faz 22 anos . Natal a noiva do sol só perde em beleza natural somente pra o Rio de Janeiro é uma capital que cresceu bastante está evoluindo consideravelmente.Mas falta investimento ainda em educaçao,saúde,e infraestrutura e segurança convém salientar que aqui o índice de violencia em relaçao a outros estados é muito baixo..Aqui poderia ter um parque aquático ,tal como o beach park em fortaleza e uma vida noturna mais animada sem exploraçao ,evidentemente, e o povo ser educado .Temos o privilégio de termos o ar mais puro das américas.A qualidade de vida é muito boa,para a classe mais abastarda,infelizmente existem pessoas em favelas em condições sub-humana.Natal tem shoppings maravilhosos,uma rede hoteleira excepcional,prédios modernos,praias magníficas no litoral norte e sul e um frota de veiculos mais nova do brasil,digo os particulares,pois os onibus urbanos são verdadeiras carroças ambulante,fora os governantes corruptos ,mesmo assim ,Natal é uma das cidade melhores do mundo pra se viver.

    • Eugênio disse:

      Pelo que o Sr. Eduardo Jr. comentou, é até admissivel que ele não valorize a sua capital, afinal Natal é destaque em todo o mundo, que o Sr. queira ou não. A Sua opinião é totalmente dispensável e incoerente com as belezas Naturais que saltam aos bons olhos, da nossa cidade de Natal, que para complementar, apenas tem a felicidade de sua existência marcada pelo nascimento do Senhor. Desculpe aí.

    • Igor Ribeiro Dantas disse:

      Me permito incluir minha opinião pessoal como quem por duas década andou pelo Brasil e pelo mundo divulgando o turismo desta terra. Somente os críticos de plantão desconhecem que a realidade estrutural é um problema generalizado no Brasil (segurança, saúde, transporte, educação). Basta viajar pelo país e veremos problemas muito maiores do que os de Natal, apesar da reconhecida inoperância do poder público. Existem pesquisas que comprovam as afirmativas positivas que me antecederam não só sobre os atrativos turísticos em si, mas também pela simpatia do povo natalense, que supera em muito a falta de traquejo social. Por onde andei encontrei pessoas que visitaram Natal e agentes de viagens que deram depoimentos extraordinários dos seus clientes sobre nossa cidade. Com todos os problemas, os hotéis de Natal estão abarrotados de turistas neste verão, e isso é dinheiro e muito dividido em inúmeros segmentos econômicos, do motorista da van ao pipoqueiro. A Copa do Mundo vai efetivamente ampliar a divulgação do Natal, e a nossa vocação turística continuará ajudando a população da cidade a elevar o seu nível de vida. O Turismo dá emprego, renda e tributos e desses tributos os recursos para sanar os problemas da nossa população. Obrigado.

Revista em Alcaçuz apreende celulares, armas artesanais e drogas

A direção da Penitenciária Estadual de Alcaçuz – maior unidade prisional do Rio Grande do Norte, localizado em Nísia Floresta, confirmou a realização de uma revista na manhã desta terça-feira (17), que resultou na apreensão de oito celulares com chips, drogas e armas artesanais. Todo o material foi localizado no Pavilhão 2.

Segundo a diretora da unidade, Dinorá Simas, parte dos objetos achados estavam escondidos dentro de um buraco em uma das celas. Na ocasião, ainda foram encontradas cartas de baralho, carregadores de celulares e 100 gramas de drogas, divididas entre maconha, crack e cocaína. Por fim, ainda foi encontrada uma ferramenta feita de madeira que pode servir para escavar túneis.

Após a revista, a direção da unidade confirmou que uma sindicância será instaurada para apurar como os objetos foram parar no pavilhão.

Revista de bordo da empresa aérea Avianca veicula matéria especial sobre Natal

Avianca-em-Revista-#40-NOVECirculando nas aeronaves da empresa aérea Avianca no país, a “Avianca em Revista”, publicação de novembro com ampla matéria sobre o destino Natal com o título “Sol, Praia e Diversão em Natal”. São quatro páginas, com chamada na capa, sendo a central dupla com foto das praias do Forte e do Meio, Ponta Negra mostrando ainda a fortaleza dos Reis Magos e outras paisagens da cidade, além de indicação onde ficar, restaurantes e passeios.

333333A “Avianca em Revista” tem uma tiragem de 30 mil exemplares e atinge um público, segundo a companhia de 500 mil pessoas por mês como passageiros de suas rotas aéreas no País. Para o secretário de Turismo de Natal, Fernando Bezerril esta iniciativa na ação para divulgar a cidade, não teve nenhum custo financeiro. “É mais um canal de divulgação que conquistamos”. A matéria e fotos de Canindé Soares teve a colaboração da assessoria de imprensa da Secretaria de Turismo de Natal.
111111111111 22222222222

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sergio Nogueira disse:

    Espero um dia morar na mesma Natal que vendem aos (incautos) turistas.

Agentes penitenciários apreendem armas e drogas em Alcaçuz e em Presídio Provisório da ZN

Segundo matéria no portal DEFATO.COM, agentes penitenciários apreenderam armas, drogas e aparelhos celulares num intervalo de 24 horas em presídios do Rio Grande do Norte. Ontem, a apreensão foi feita em Alcaçuz. Hoje, os trabalhos apreenderam os objetos no Raimundo Nonato, na Zona Norte da capital.

Na ação de ontem em Alcaçuz, os agentes penitenciários da equipe alfa, chefiada pelo agente Miqueias Melo, da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, realizaram uma revista surpresa no Pavilhão 4 da unidade. Foram encontrados vários materiais não permitidos dentro do presidio.

Os agentes encontraram vários celulares com Chips e facas de fabricação artesanal, além de drogas. Hoje, os agentes penitenciários realizaram uma grande revista no Presídio Provisório Raimundo Nonato Fernandes e apreenderam 26 aparelhos celulares, carregadores, barras de ferro e facas artesanais. A ação se concentrou na ala IV.

Após denúncia, vistoria em Alcaçuz apreende "armas", drogas e celulares

O Batalhão de Choque da Polícia Militar com apoio de agentes penitenciários apreenderam armas improvisadas, drogas e celulares em revista realizada nesta terça-feira (6), na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta, na Grande Natal.

A ação do “núcleo” de segurança se deu após uma denuncia de organização de fuga em massa no local. O material foi apreendido no pavilhão I, onde estão detidos mais de 170 presos apontados como de alta periculosidade.

Com a descoberta, a direção do presídio espera detectar, através de abertura de sindicância, os organizadores do “movimento”, para que sejam devidamente punidos.

POLÊMICA: Internautas acusam Revista "TIME" de colocar chifres no Papa

A capa da edição mais recente da revista Time, sobre a visita do papa Francisco ao Brasil, está provocando polêmica na web. Para muitos internautas, a publicação teria colocado “chifres” no pontífice.

Na edição, que circulará na Europa, Ásia e América do Sul, não há críticas a Francisco, descrito como o “papa do povo”, um símbolo da humildade. Até aí, tudo bem. O que incomodou muita gente foi que, sobreposta à foto do papa, as pontas da letra ‘M’ deram a impressão de que… bem, veja a imagem acima.

O resultado da capa virou assunto nas redes sociais. Muita gente criticou a “infelicidade” da montagem.

Forbes ironiza preços da Chrysler no Brasil e quem busca status em carro caro

Jeep Grand Cherokee: nos EUA é carro de classe média baixa; no Brasil, só o bacana tem...

Um jornalista da versão online da revista americana Forbes, especializada em finanças e muito conhecida por compilar listas das maiores fortunas do mundo, escreveu um artigo em que ataca o preço excessivo cobrado no Brasil por modelos da Chrysler. Especificamente, citou o Jeep Grand Cherokee, já à venda no país, e antecipou crítica ao futuro preço do Dodge Durango, que só deve ser mostrado no Salão do Automóvel de São Paulo, em outubro.

Jeep e Dodge são marcas do grupo Chrysler, hoje controlado pela Fiat.

“Alguém pode imaginar que pagar US$ 80 mil por um Jeep Grand Cherokee significa que ele vem equipado com rodas folheadas a ouro e asas. Mas no Brasil esse é o preço de um básico”.

É assim, em tradução literal, que começa o texto de Kenneth Rapoza, jornalista que cobre os BRICs (Brasil, Rússia, Índia e China) para a Forbes. O título original é “Brazil’s ridiculous $80,000 Jeep Grand Cherokee”, que, vertido ao pé da letra, fica “O Jeep Grand Cherokee brasileiro de ridículos US$ 80 mil”. O termo ridiculous, quando usado em frases construídas assim, serve para sublinhar o exagero daquilo a que se refere (no caso, o preço), em vez de simplesmente significar “ridículo”. Mas a crítica continua duríssima.

Rapoza centra sua argumentação nos modelos da Chrysler e não comenta, por exemplo, que mesmo os carros fabricados no Brasil também são relativamente caros. O jornalista aponta os culpados de sempre pelos preços inflados (ele prevê o Durango a R$ 190 mil): impostos sobre importados e outras taxas aplicáveis a produtos industriais. “Com os R$ 179 mil que paga por um único Grand Cherokee, um brasileiro poderia comprar três, se vivesse em Miami”, escreve Rapoza. O valor é o da versão Laredo; a Limited custa R$ 204,9 mil.

Mas a questão principal, para ele, é mostrar que o brasileiro que gasta esse dinheiro todo num modelo Jeep não deveria acreditar que está comprando um produto que lhe dê status. “Sorry, Brazukas” (sic), escreve Rapoza. “Não há status em comprar Toyota Corolla, Honda Civic, Jeep Cherokee ou Dodge Durango; não se deixe enganar pelo preço cobrado”.

O jornalista acrescenta que “um professor de escola primária pública no Bronx [bairro de Nova York]” pode comprar um Grand Cherokee pouco rodado, enquanto no Brasil trata-se de carro de bacana. A citação de Civic e Corolla é importante porque, nos Estados Unidos, estes são considerados carros baratos, de entrada — mas no Brasil, mesmo fabricados localmente, custam mais de R$ 60 mil (cerca de US$ 30 mil).

SE É CARO, É MELHOR
O que Kenneth Rapoza diz, no fundo, é que o consumidor brasileiro confunde preço alto com qualidade, e/ou atribui status a qualquer coisa que seja cara. O jornalista reconhece que vê esse “valor de imagem” em carros de Audi, BMW, Mercedes-Benz e grifes esportivas italianas, mas jamais em modelos do grupo Chrysler.

Essa tese é explicada exaustivamente por Rapoza nas respostas aos comentários de leitores, que, até a publicação desta reportagem, eram 88 — muitos deles postados por pessoas usando nomes brasileiros.

Ali, o próprio Rapoza arrisca algumas palavras em português. Em seu perfil no site da Forbes, o jornalista relata que cobriu o país “pré-Lula e pós-Lula”, sendo que nos últimos cinco anos trabalhou como correspondente aqui para o Wall Street Journal e a agência Dow Jones. Agora está baseado em Nova York.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcus Vinicius disse:

    O nome disso é "Lucro Brasil". As margens de lucros de montadoras e concessionárias no Brasil são mais elevadas do que em qualquer outro lugar do planeta. Sim, nossos impostos são altos. Pior, os empresários são mais gananciosos que o próprio Estado!

Editorial d'O Globo sai em defesa da Veja

Intitulado “Roberto Civita não é Rupert Murdoch”, o editorial publicado pelo jornal O Globo nesta terça-feira (8) saiu em defesa da revista Veja, que constantemente traz matérias negativas dos governos petistas de Lula e Dilma. O editorial por si só já fala muito. Vale a pena conferir.

Editorial

Blogs e veículos de imprensa chapa branca que atuam como linha auxiliar de setores radicais do PT desfecharam uma campanha organizada contra a revista “Veja”, na esteira do escândalo Cachoeira/Demóstenes/Delta.

A operação tem todas as características de retaliação pelas várias reportagens da revista das quais biografias de figuras estreladas do partido saíram manchadas, e de denúncias de esquemas de corrupção urdidos em Brasília por partidos da base aliada do governo.

É indisfarçável, ainda, a tentativa de atemorização da imprensa profissional como um todo, algo que esses mesmos setores radicais do PT têm tentado transformar em rotina nos últimos nove anos, sem sucesso, graças ao compromisso, antes do presidente Lula e agora da presidente Dilma Roussef, com a liberdade de expressão.

A manobra se baseia em fragmentos de grampos legais feitos pela Polícia Federal na investigação das atividades do bicheiro Carlinhos Cachoeira, pela qual se descobriu a verdadeira face do senador Demóstenes Torres, outrora bastião da moralidade, e, entre outros achados, ligações espúrias de Cachoeira com a construtora Delta.

As gravações registraram vários contatos entre o diretor da Sucursal de “Veja” em Brasília, Policarpo Jr, e Cachoeira. O bicheiro municiou a reportagem da revista com informações e material de vídeo/gravações sobre o baixo mundo da política, de que alguns políticos petistas e aliados fazem parte.

A constatação animou alas radicais do partido a dar o troco. O presidente petista, Rui Falcão, chegou a declarar formalmente que a CPI do Cachoeira iria “desmascarar o mensalão”.

Aos poucos, os tais blogs começaram a soltar notas sobre uma suposta conspiração de “Veja” com o bicheiro. E, no fim de semana, reportagens de TV e na mídia impressa chapas brancas, devidamente replicados na internet, compararam Roberto Civita, da Abril, editora da revista, a Rupert Murdoch, o australiano-americano sob cerrada pressão na Inglaterra, devido aos crimes cometidos pelo seu jornal “News of the World”, fechado pelo próprio Murdoch.

Comparar Civita a Murdoch é tosco exercício de má-fé, pois o jornal inglês invadiu, ele próprio, a privacidade alheia.

Quer-se produzir um escândalo de imprensa sobre um contato repórter-fonte. Cada organização jornalística tem códigos, em que as regras sobre este relacionamento — sem o qual não existe notícia — têm destaque, pela sua importância.

Como inexiste notícia passada de forma desinteressada, é preciso extremo cuidado principalmente no tratamento de informações vazadas por fontes no anonimato.

Até aqui, nenhuma das gravações divulgadas indica que o diretor de “Veja” estivesse a serviço do bicheiro, como afirmam os blogs, ou com ele trocasse favores espúrios. Ao contrário, numa das gravações, o bicheiro se irrita com o fato de municiar o jornalista com informações e dele nada receber em troca.

Estabelecem as Organizações Globo em um dos itens de seus Princípios Editoriais: “(…) é altamente recomendável que a relação com a fonte, por mais próxima que seja, não se transforme em relação de amizade. A lealdade do jornalista é com a notícia”.

E em busca da notícia o repórter não pode escolher fontes. Mas as informações que vêm delas devem ser analisadas e confirmadas, antes da publicação. E nada pode ser oferecido em troca, com a óbvia exceção do anonimato, quando necessário.

O próprio braço sindical do PT, durante a CPI de PC/Collor, abasteceu a imprensa com informações vazadas ilegalmente, a partir da quebra do sigilo bancário e fiscal de PC e outros.

O “Washington Post” só pôde elucidar a invasão de um escritório democrata no conjunto Watergate porque um alto funcionário do FBI, o “Garganta Profunda”, repassou a seus jornalistas, ilegalmente, informações sigilosas.

Só alguém de dentro do esquema do mensalão poderia denunciá-lo. Coube a Roberto Jefferson esta tarefa.

A questão é como processar as informações obtidas da fonte, a partir do interesse público que elas tenham. E não houve desmentidos das reportagens de “Veja” que irritaram alas do PT.

Ao contrário, a maior parte delas resultou em atitudes firmes da presidente Dilma Roussef, que demitiu ministros e funcionários, no que ficou conhecido no início do governo como uma faxina ética.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antonio Capistrano disse:

    Qual a diferença da revista Veja para o sistema Globo de comunicação? Nenhuma. As matérias plantadas por Carlinhos Cachoeira na revista Veja saia na sexta-feira e era repercutida no domingo pelo Fantástico da rede Globo de Televisão. Tudo sincronizado, dentro dos mesmos interesses. Globo, Veja, Folha e Estadão formam um quarteto nefasto na mídia nacional. E  o que é pior, eles pautam a mídia brasileira, impondo um consenso midiático de mentiras e distorções dos fatos. Além de serem antinacional, anti-Brasil, contra a nossa independência. Isso não pode e nem deve continuar. A hora é essa, a CPI da Veja/Cachoeira tem a obrigação de fazer uma devassa nesse setor.

Dilma, Eike e Graça Foster estão na lista dos mais influentes do mundo pela Times

A presidenta Dilma Rousseff foi novamente incluída na lista anual das 100 pessoas mais influentes do mundo, elaborada pela revista norte-americana Time. Além de Dilma, que figuoru na lista do ano passado, há mais dois brasileiros na relação: a presidenta da Petrobras, Graça Foster, e o empresário Eike Batista. O perfil de Dilma foi escrito pela presidenta da Argentina, Cristina Kirchner, que não aparece na lista.

“Hoje, com a liderança de Dilma Rousseff, vimos um Brasil convencido de que seu interesse nacional está absolutamente ligado aos interesses de seus vizinhos”, diz Cristina Kirchner, no texto publicado na revista.

A lista da Time menciona ainda os presidentes Barack Obama, dos Estados Unidos, e Juan Manuel Santos, da Colômbia, a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, a presidenta do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, e o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netaniahu.

No perfil, Cristina Kirchner destaca a personalidade forte e desafiadora de Dilma: “uma vez eu vi uma foto de Dilma Rousseff, aos 22 anos. Ela estava em pé na frente de um tribunal militar, em 1969, e os juízes escondiam seus rostos com as mãos. Ela exalava desafio.”

Em seguida, diz a presidenta argentina: “a mulher que eu conheci em 2003, quando ela se tornou ministra de governo [de Minas e Energia] do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tinha o mesmo compromisso [de desafio] que vi na menina [na foto de 1969].”

Cristina Kirchner relatou ainda que ela e Dilma compartilham “muitas experiências pessoais” comuns, como a herança imigrante, o ativismo, a militância jovem e os desafios enfrentados por “mulheres que tentam crescer em um espaço dominado pelos homens”. “Nós concordamos que a desigualdade social é o maior problema que enfrentam nossos países”, disse ela.

A lista completa com os 100 nomes das pessoas que mais influenciam no mundo pode ser vista na página da  revista na internet.

Revista em Alcaçuz encontra 46 celulares, 22 facas, fones de ouvido e maconha

Os agentes penitenciários do Presídio Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta, realizaram uma grande operação de vistoria em dois pavilhões daquela unidade, durante a manhã desta quinta-feira (8). A revista nos setores I e II resultou na apreensão de droga, celulares, facas e serras que seriam usadas em tentativas de fugas.

O trabalho teve início por volta das 9h30, contando com uma média de 30 agentes penitenciários. O pente fino foi comandado pela nova direção de Alcaçuz, juntamente com o Grupo de Operações Especiais (GOE). Em cada um dos pavilhões revistados estão aproximadamente 180 detentos.

Apesar disso, apenas os agentes conseguiram realizar o trabalho, sem precisarem da intervenção da Polícia Militar. De acordo com a direção de Alcaçuz, foram encontrados 46 celulares, 30 carregadores, 40 fones de ouvidos, 22 facas artesanais, aproximadamente 20 trouxinhas de maconha e mais cinco serras.

A ação desencadeada hoje foi denominada de Operação Limpeza e faz parte de uma nova linha de trabalho da direção da maior penitenciária do Estado. A ideia é utilizar um Núcleo de Inteligência Penitenciária para identificar setores com maior incidência de material ilícito e, principalmente, coibir a corrupção no sistema prisional.

*Fonte: Assessoria / Sindasp-RN / Portal BO

Revista no Presídio de Parnamirim apreende drogas, celulares e até furadeira

Uma revista no Presídio Estadual de Parnamirim (PEP) resultou na apreensão de 15 celulares, uma furadeira de mão, carregadores e uma pequena quantidade de maconha na manhã desta segunda-feira (16). A ação que durou cerca de três horas (das 8h às 11h) foi realizada após uma denúncia anônima a respeito de uma tentativa de fuga de um detento.

De acordo o diretor do Pep, Robson Silva, a denúncia comunicada na semana passada alertava sobre a entrada de uma furadeira na unidade destinada a um preso cuja identidade foi mantida em sigilo.  Na ocasião, o caso foi encaminhado ao Sejuc (Secretaria de Justiça e Cidadania), que programou a ação do trabalho de revista.

Durante a entrada nas celas, os agentes carcerários tiveram dificuldades no acesso e contaram com o apoio do Grupo de Operações Especiais (GOE), que controlou o início de tumulto dos presos. “Eles perceberam a intensificação da revista e tentaram intimidar através de ameaças”, disse o diretor do PEP.

Segundo Robson Pires, já existe a confirmação do preso que organizaria a fuga. Uma sindicância foi aberta e ele será remanejado após a conclusão das investigações.

Fonte: DN Online