Governo do RN e AGN lançam linha de crédito para Cultura nesta quinta-feira

A cadeia produtiva da cultura potiguar receberá mais um importante instrumento de promoção e incentivo nesta quinta-feira (08) com o lançamento da linha de financiamento do Pró-Cultura através da Agência de Fomento do Rio Grande do Norte (AGN-RN). O ato acontece às 15h, na Governadoria, no Centro Administrativo.

A governadora Fátima Bezerra oficializará através da assinatura do documento junto à diretora-presidente da AGN-RN, Márcia Maia, a criação da linha de financiamento enquadrada no programa do Microcrédito do Empreendedor. Participarão ainda o diretor-geral da Fundação José Augusto, Crispiniano Neto, além de representantes da cadeia produtiva da cultura no estado.

Na oportunidade, serão divulgados detalhes das condições da nova linha de financiamento a ser disponibilizada pela Agência de Fomento do RN e que promoverá as mais diversas áreas da cultura potiguar.

O novo instrumento foi criado a partir de uma demanda crescente dos segmentos por apoio. A partir daí, a governadora Fátima Bezerra solicitou o trabalho em conjunto entre a Fundação José Augusto e a Agência de Fomento para a criação de uma proposta capaz de atender às necessidades da economia criativa mobilizada pelos produtores culturais, artistas e demais profissionais do segmento.

“É uma iniciativa que nasce de várias mãos e que chega para preencher uma lacuna importante no estado. A cultura, com o audiovisual, as artes plásticas, o artesanato, todos os esses segmentos serão beneficiados com uma linha de financiamento construída para desenvolver e promover a cultura no RN”, afirmou Márcia Maia.

MEC e BNDES estudam criar linha de crédito para faculdades privadas

Foto: Fernando Frazão/Folhapress

O Ministério da Educação (MEC) e o BNDES estudam criar uma linha de crédito para faculdades privadas. O objetivo é que com o dinheiro as instituições possam oferecer financiamento aos estudantes com juros baixos.

COFRE

O MEC espera que, por ela, cerca de R$ 2 bilhões sejam disponibilizados. O BNDES afirma que não há prazo para a abertura da linha.

COFRE 2

O Banco do Brasil também analisa a possibilidade de oferecer crédito consignado com regras específicas para estudantes pagarem seus cursos superiores. O ministério afirma que está pressionando os bancos para aumentar as opções de financiamento estudantil.

COFRE 3

O Fies —programa do governo feito via Caixa— ofereceu apenas 100 mil vagas neste ano.

Mônica Bergamo – Folha de São Paulo