TRT-RN mobiliza advogados, empresários e trabalhadores para Semana da Conciliação

Entre os dias 5 e 9 de novembro, o Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (TRT-RN) vai participar da Semana Nacional de Conciliação, promovida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Todas as Varas do Trabalho da capital e do interior, juntamente com os Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejuscs), de Natal e Mossoró, estarão mobilizados para realizar audiências de conciliação.

Em Mossoró, o Cejusc está sendo coordenado pela juíza Ilina Maria Jurema Maracajá Coutinho de Sá que está preparando, juntamente com sua equipe, uma série de ações para realização das conciliações.

Para tanto, reuniões e conversas com representantes do banco PAN S.A., Art Service, Confiança, Geokinetics, Engeart e Marilux já estão em andamento com objetivo de antecipar negociações em busca da conciliação.

As pautas de audiência estão sendo organizadas pelo Cejusc por meio do Gabinete Virtual, grupos de WhatsApp e as redes sociais utilizadas como ferramenta de comunicação com as partes.

Dessa forma, é possível realizar a expansão gerencial do compartilhamento das práticas de Secretaria com trabalhadores, empresas, advogados, instituições bancárias e púbicas.

Na programação local, durante a Semana, em Mossoró, será disponibilizada uma sala para processos de conhecimento, uma sala para homologação de acordos extrajudiciais e os pedidos de última hora, além de duas salas para acordos na fase de execução e recursal.

Serão quatro salas simultâneas de audiência para atender aos pedidos das partes e advogados, acolhendo jurisdicionados de Mossoró, Apodi, Areia Branca, Baraúna, Caraúbas, Felipe Guerra, Governador Dix-Sept Rosado, Grossos, Serra do Mel, Tibau, Pau dos Ferros e da região oeste do Estado do RN.

A coordenadoria do Cejusc Mossoró também tem feito divulgação na OAB, nas redes sociais e também na imprensa local com objetivo de alcançar o público que, por alguma razão, não tenham acesso a advogado, ou que residam em áreas de zona rural.

Entre em contato com o Cejusc Mossoró e coloque seu processo na pauta: Cejusc-Mossoró : (84) 3422-3622

Empresários: tabela do frete causará danos ao consumidor e à economia

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) reagiu nesta quarta-feira (5) ao reajuste da tabela para o preço mínimo do frete rodoviário. Segundo a entidade, haverá aumento no preço final dos produtos pagos pelos consumidores e a medida afetará negativamente o crescimento da economia brasileira.

O presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, afirmou que o tabelamento do frete é uma “medida equivocada e simplista” que não soluciona as dificuldades enfrentadas pelo transporte rodoviário do país.

O Supremo Tribunal Federal (STF) deve julgar três ações sobre o tema. Uma delas, movidas pela CNI, pede que a Lei 13.703/2018, que instituiu o tabelamento do transporte de cargas nas rodovias, seja declarada inconstitucional por violar princípios como o da livre iniciativa e da livre concorrência.

A Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) classificou a tabela publicada hoje como uma mera “atualização de preços para o serviço de frete rodoviário”. Para a entidade, a nova resolução da ANTT continua não contemplando particularidades fundamentais do setor, como a necessidade de correção dos valores conforme os tipos de cargas; número de eixos e índices regionais que permitem atender às peculiaridades de cada unidade da federação.

“A Abcam ainda analisa a repercussão deste reajuste perante os caminhoneiros autônomos, entretanto, antecipa que há uma grande preocupação com a forma como a tabela está sendo conduzida”, informa nota da entidade, que calcula que o acréscimo médio foi da ordem de 3% a 5% quando comparado com os valores da tabela anterior. Aumento que, de acordo com a associação, “se fez necessário devido ao aumento médio de 13% do óleo diesel em 31 de agosto” e qua varia de acordo com a quilometragem, quantidade de eixo e tipo de carga.

A associação anunciou que enviará à Casa Civil um novo pedido de audiência para explicar suas preocupações, mas reafirmou não haver qualquer movimentação de paralisação por parte das entidades que representam os caminhoneiros.

Agência Brasil

MEIO-DIA RN desta quarta terá como entrevistados Francisco Barbosa de Albuquerque e Larissa Borges, empresários

O programa Meio-Dia RN receberá nesta quarta-feira (20) o diretor executivo do Natal Convention Bureau, empresário Francisco Barbosa de Albuquerque, que falará sobre o desenvolvimento do Turismo de Eventos e Negócios na capital potiguar, por meio da captação de eventos nacionais e internacionais.

Ainda nos estúdios da Rádio 98, a coordenadora do RV Encontros e editora da Revista Versalhes, empresária Larissa Borges. O RV Encontros é uma feira que reúne noivas e fornecedores em um só local.

Participe você também enviando a sua pergunta para o WhatsApp do Meio-Dia RN. Anote aí! (84) 99212-2276!

Você também pode fazer a sua pergunta através das nossas redes sociais: Twitter: @meiodiarn_; Facebook: /meiodiarn e Instagram: @meiodiarn.

CPI do Swissleaks suspende quebra de sigilo de empresários

A CPI do SwissLeaks do Senado suspendeu, nesta quinta-feira (16), a quebra de sigilo fiscal de seis pessoas, aprovada anteriormente na comissão.

Entre elas, estão Jacob Barata e três familiares. O empresário e seus parentes têm participação em 16 empresas de ônibus da cidade do Rio e, em 2006 e 2007, tinham US$ 17,6 milhões em uma conta na unidade suíça do banco. A conta, aberta em 1990, passou a ser administrada por uma empresa com sede nas Ilhas Virgens Britânicas, um paraíso fiscal, em 2004.

Também foi revogada a quebra do sigilo de Paula Queiroz Frota e Jacks Rabinovich, dos grupos Vicunha e Fibra. Os pedidos para suspensão foram apresentados pelos senadores Ciro Nogueira (PP-PI) e Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) criticou a iniciativa: “O que aconteceu foi um absurdo. É o sepultamento da CPI. Não tem nenhum argumento factível”, disse ele. Segundo Rodrigues, a comissão já aprovou a quebra de sigilo de 17 pessoas. Na justificativa dos pedidos, Alcolumbre argumenta que as explicações dadas pelos empresários comprovam sua “regularidade e lisura quanto a processos administrativos e judiciais”.

A criação da Comissão Parlamentar de Inquérito foi motivada pelo caso conhecido como SwissLeaks, apuração jornalística internacional feita a partir de dados obtidos do HSBC por um ex-funcionário do banco, Hervé Falcian.

Em 2008, ele entregou dados sobre as contas no banco às autoridades da França, que posteriormente compartilharam com outros países. Na manhã desta quinta, a CPI aprovou realização de videoconferência com Falcian para obter mais informações sobre as contas reveladas.

Em relação ao Brasil, a lista indica que os correntistas brasileiros tinham cerca de US$ 7 bilhões entre 2006 e 2007 no banco em Genebra. Eram 6.606 contas de 8.667 clientes –muitos compartilhavam contas.

Ter dinheiro no exterior não configura crimes, desde que ele seja declarado à Receita em caso de valores superiores a R$ 140 e ao Banco Central quando a soma fora do país passar dos U$$ 100 mil. Caso contrário, crimes como o de evasão, sonegação fiscal e até mesmo lavagem de dinheiro podem ser configurados a depender de como as contas foram usadas.

Folha Press

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cristiano Ronaldo disse:

    Tratamento bem diferente da Lava Jato, não?

FOTO: Empresários apresentam ao prefeito proposta de revitalização do Alecrim

18598Foto: Alex Régis

Um projeto de revitalização para o bairro do Alecrim foi apresentado nesta segunda-feira (24) ao prefeito Carlos Eduardo por líderes da classe empresarial da cidade. O projeto segundo o Superintendente do Sebrae/RN, Zeca Melo, foi elaborado a partir de discussões com empresários, secretarias municipais e comunidade e representa o ponto de partida para a revitalização do bairro.

O projeto prevê a relocação dos ambulantes que atualmente ocupam o camelódromo e outras áreas do Alecrim, para uma estrutura que seria erguida na “feira do fogo”, localizada na esquina da Rua Presidente Quaresma com a avenida Coronel Estevam. O projeto completa, ainda, reforma da Praça Gentil Ferreira, a construção de um anfiteatro, reurbanização do espaço ocupado hoje pelos ambulantes, com novas calçadas, paisagismo e vagas de estacionamento.

Carlos Eduardo solicitou ao secretário de Serviços Urbanos, Raniere Barbosa, que fizesse um detalhamento arquitetônico e orçamentário do projeto e da estrutura a ser implantada na “feira do fogo”. O prefeito explicou que para este ano não é possível executá-lo por falta de recursos, mas que poderá ser incluído no orçamento de 2015.

O chefe do executivo municipal destacou que o Alecrim tem vocação e potencial para o comércio e afirmou que precisar de uma intervenção e tem todo o interesse na revitalização do bairro. Os empresários solicitaram ao prefeito que fossem a adotadas algumas medidas emergenciais, como a melhora na iluminação, fiscalização mais intensa para impedir a invasão das calçadas pelos ambulantes e melhor ordenamento do trânsito.

O titular da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos, Raniere Barbosa informou já estão previstas algumas ações no Alecrim, como execução de alguns reparos no camelódromo do Alecrim e que existe um estudo para o reordenamento. Está previsto, também, um reodenamento dos ambulantes no bairro do Alecrim, semelhante ao que está sendo executado na Cidade Alta e que se encontra na etapa final do processo. A previsão é começar o reordenamento dos ambulantes do Alecrim logo após a concluir o da Cidade Alta.

O titular da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos adiantou que o bairro do Alecrim será contemplado com iluminação de led, nos mesmos moldes da que está sendo implantada na Cidade Alta. Com relação ao trânsito, Carlos Eduardo afirmou que vai acionar a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob), para tratar do assunto. Raniere Barbosa acrescentou que o bairro do Alecrim será contemplado com a decoração especial que será instalada para a Copa do Mundo.

O presidente da Associação dos Empresários do Bairro do Alecrim (AEBA), Francisco Derneval Sá, lembrou que o Alecrim possui atualmente 6 mil empresas e que recebe uma média de 150 mil pessoas circulam diariamente no bairro.

Os empresários sugeriram ao prefeito que no próximo ano, incluísse na programação do carnaval um concurso de decoração carnavalesca, semelhante ao que foi realizado durante o Natal em Natal, para estimular os empresários a decorar a fachada de seus estabelecimentos, contribuindo para criar um clima de folia em toda a cidade.

Participaram da reunião, o presidente da Fundação Cultural Capitania das Artes (Fucarte), Dácio Galvão, o Superintendente do Sebrae/RN, Zeca Melo, o presidente da Federação do Comércio (Fecomercio), Marcelo Fernandes Queiroz, o presidente da Câmera de Diretores Lojistas, Amauri Alves Fonseca Filho, o presidente da Associação dos Empresários do Bairro do Alecrim (AEBA), Derneval Sá, além de lideranças empresarias.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. MAURICIO disse:

    A prefeitura tem que aproveitar esse momento de revitalização do bairro
    do alecrim e fazer uma reforma geral no camelódromo, tais como: construir
    um centro comercial em dois andares com lojas com lojas em condiçoes de
    receber bem os clientes, e utilizando o térreo para um grande estacionamento.

  2. paulo kasinsk disse:

    Corrigindo: "…As relações PESSOAIS têm que…".

  3. JB Tanco disse:

    Calma, Paulo. Um deles é o assessor de imprensa da Federação do Comércio, o jornalista Luciano Kleiber, Certamente ele está por dentro do assunto em pauta. Depois do final da reunião ele, certamente, apanhou mais detalhes do que ficou acertado, sem precisar interromper a palestra do prefeito Carlos Eduardo Nunes Alves. O outro tenho uma leve impressão que o vi algum lugar ou em foto.

    PS. Como jornalista e assessor LK deve estar se inteirando de algum assunto inerente a profissão dele. Ou não.

  4. paulo kasinsk disse:

    Tempos difíceis, esses, meu caro editor. O que foi criado para integrar, cada vez mais desintegra. O homem lá no fundo, comandando a reunião, e esses dois aí, com a cara enfiada no celular. Total falta de respeito; mandaria os dois se retirarem na hora. Não sento em mesa com gente assim, e se acontecer, me retiro. Não dá! Vamos e venhamos, mas não convenhamos. Já vi mesa assim, com oito, dez, com a cara transpassando o celular. Se for mulher, meu estimado, mando ela se divertir com o brinquedinho dela, é mais interessante do que eu. Não brigo com os fatos. As relações pessoas têm que prevalecer: com olho, cor, pele, cheiro, risos e lágrimas. Com quereres e não quereres. Pacote completo. Tudo tem sua hora. Relações chinfrim, meia-boca (desculpe o termo), comigo não rola. Ou estou quente ou estou frio, ou estou presente ou ausente, e ponto. E esses são os tempos, onde você tem 300 amigos digitais, mas, na hora H, pra valer, valer valendo, na real você só tem três. E olhe lá. O que fazer? Cuide bem desses três, regue e cultive, sob pena de um dia você se ver numa tremenda solidão.

Reunião da Prefeitura com empresários sobre obras no entorno do Arena das Dunas acontece nesta sexta

Representantes da Prefeitura do Natal vão se reunir nesta sexta-feira (11) com membros da Associação dos Lojistas, Empresários e Profissionais Liberais que atuam no entorno do Estádio Arena das Dunas (ALEEAD). O objetivo dos encontro, marcado para 14h30, na sede da Secretaria Municipal de Planejamento, Fazenda e Tecnologia da Informação (rua Rua Dr. Ewerton Dantas Cortez, 1432, Tirol), é tirar dúvidas dos empresários e esclarecer pontos relacionados às obras de mobilidade projetadas para a região onde está localizado o novo estádio e às intervenções necessárias no trânsito daquela área. Dentre as obras, estão previstos seis túneis e dois viadutos, um deles estaiado.

43% dos empresários devem contratar temporários informais para o fim do ano, diz SPC

 Faltando três meses para a chegada das festas de fim de ano, o comércio e o setor de serviços já começam a abrir as portas para os trabalhadores temporários, tradicionalmente escalados pelos empresários para atender o aumento da demanda de clientes no Natal e no Ano Novo. Uma pesquisa encomendada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) para traçar o retrato destes profissionais mostra que 43% dos empresários pesquisados farão contratações informais, ou seja, sem assinar a carteira de trabalho dos colaboradores.

A formalidade, segundo especialistas do SPC Brasil e da CNDL, é um requisito fundamental e que assegura direitos básicos a estes trabalhadores como salários compatíveis com os do mercado, repouso semanal remunerado, adicional por jornada noturna, indenização por dispensa sem justa causa, pagamento de décimo terceiro salário proporcional e depósito de FGTS. “Até alguns benefícios adquiridos por negociações coletivas também devem ser estendidos aos funcionários temporários, como por exemplo, o auxílio alimentação”, explica o gerente financeiro do SPC Brasil, Flávio Borges.

Por outro lado, para os comerciantes, os elevados encargos na folha de pagamento são um conhecido gargalo na economia brasileira, que impedem um desempenho mais expressivo na geração de empregos formais no Brasil. Na avaliação do presidente da CNDL, Roque Pellizzaro Junior, muitas conquistas foram adquiridas ao longo dos últimos dez anos, a exemplo da criação da modalidade jurídica do Microempreendedor Individual, que já formalizou mais de três milhões de trabalhadores. “No entanto, ainda é preciso fazer mais, sobretudo pelo pequeno empreendedor. O consumo e a geração de novos postos de trabalho ainda são emperrados pelos entraves gerados pelo excesso de impostos e pela folha de pagamento onerosa”, defende Pellizzaro Junior.

Trabalhadores efetivados

Apesar do alerta aos lojistas e prestadores de serviço, a pesquisa sinaliza que um total de 233.149 temporários devem ser contratados. Destes, 14,2% (33.097) devem ficar na empresa e ser efetivados. De acordo com a pesquisa, 55% dos entrevistados avaliam que as vendas serão melhores neste final de ano do que em igual período de 2012. No comércio, as expectativas são ainda melhores e o percentual sobe para 62%, contra 46% do setor de serviços. Os motivos para o otimismo, segundo os próprios entrevistados, estão na existência de mais crédito disponível (36%), seguida por aspectos como queda no desemprego (25%), maior planejamento financeiro das famílias (19%) e mudanças no cenário econômico atual (16%).

Perfil do profissional

A pesquisa também procurou conhecer características pessoais e as habilidades profissionais dos empregados requisitadas pelos comerciantes de shoppings, lojas de rua e prestadores de serviço. De modo geral, o estudo apontou que o mercado busca mão de obra temporária jovem, com ensino médio completo, disposta a receber em média um salário mínimo (R$ 678) para trabalhar na função de vendedor e que seja dinâmico e pró-ativo.

Em relação à faixa etária, a pesquisa mostra que a maior parte do comércio busca profissionais com idade entre 18 e 24 anos, enquanto que os prestadores de serviço tendem a absorver funcionários de uma faixa etária superior, em especial entre 25 e 49 anos (83%). ”O comércio dá oportunidades à mão de obra jovem, com pouca ou nenhuma experiência, o que dá ao empresário a oportunidade de treinar um profissional de baixo custo. Já o setor de serviços tende a priorizar um trabalhador mais experiente, que dê um atendimento mais especializado ao consumidor”, avalia Pellizzaro Junior.

No geral, a pesquisa mostra que 50% dos funcionários temporários vão receber um salário mínimo por mês. O percentual sobe para 54% no comércio e cai para 39%, no caso do setor de serviços. Em 32% dos casos, os comerciantes vão complementar a remuneração com comissões sobre o valor das vendas. “O mercado dos setores pesquisados tende a contratar uma mão de obra jovem, com pouca experiência e por um período determinado, o que pode justificar a baixa atratividade em termos de remuneração”, avalia Borges.

Período e prazo de contratação

De acordo com a pesquisa, a maior parte dos empresários do comércio (86%) pretende contratar profissionais por no máximo três meses. No caso do setor de serviços, o período de maior incidência recai para até dois meses (63%), certamente em função da maior qualificação e maturidade da mão de obra, cuja remuneração, segundo a pesquisa, tende a ser mais elevada, com maiores despesas para o contratante.

Embora 19% dos empresários afirmem já ter feito contratações, a maior parte (48%) vai deixar para contratar mão de obra em novembro, enquanto que 27% pretendem iniciar as seleções em outubro e 5% no mês de dezembro.

Metodologia

O estudo ouviu 731 empresários do setor de comércio e serviços de todas as 27 capitais brasileiras. A margem de erro do estudo é de 3,6 p.p para um intervalo de confiança de 95%. Segmentos foco:

Comércio: (1) Papelaria/Livraria, (2) Tecidos/Vestuário/Armarinho/Calçados, (3) Perfurmaria / Cosméticos, (4) Eletrodomésticos /Eletrônicos, (5) Supermercados/Produtos Alimentícios, (6) Artigos diversos.

Serviços: (1) Estética/ Salão de beleza. (2) Filmagem/Comunicação/Promoção de eventos, (3) Hotelaria/Turismo, (4) Transporte, (5) Restaurantes/Bufês/Afins

Empresários exigem compensação por perdas ou reajuste da tarifa de ônibus em Natal

Novo imbróglio pela frente: o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Natal (Seturn) enviou a Prefeitura de Natal uma notificação extrajudicial que promete acender um pavio dos mais explosivos nos últimos tempos na capital. Os empresários exigem do Município, no prazo de 30 dias, o reajuste da passagem de ônibus, motivo dos principais manifestos na cidade, ou mesmo, um repasse mensal às empresas que ultrapassa 1 milhão de reais.

Os empresários alegam perdas após a redução da tarifa, que chegou a R$ 2.40, depois caiu para R$ 2.30 e, recentemente, chegou a R$ 2.20, com a colaboração da retirada dos Pis e Cofins. O posicionamento do prefeito Carlos Eduardo será fundamental com mais essa bomba relógio. A queda de braço promete ser das mais fortes, ainda mais com as empresas também comprando uma briga com os usuários do transporte.

O Futebol vai afundando e Mano Menezes fazendo a alegria de empresário na seleção

Essa reportagem está no está no Globo.com. Realmente são muitas “coincidências” nas negociações de jogadores convocados e que tem o empresário do técnico como responsável pelas carreiras deles. O Fato é que enquanto o business vai de vento em popa envolvendo a Amarelinha e seu dirigentes, o nosso futebol vai virando vergonha nacional. Segue reportagem:

A seleção brasileira está longe de agradar dentro de campo; porém, no mercado da bola, é campeã de vendas e de lucros para clubes e empresários. Nos dois anos da gestão de Mano Menezes à frente da equipe, 27 jogadores foram vendidos após serem convocados — sem contar as negociações de atletas como Lúcio e Júlio César, que mudaram de clube sem o pagamento de cifras milionárias. Transações que, somadas, movimentaram R$ 1 bilhão (em valores atuais).

No mercado verde e amarelo, que balançou na última semana com a venda de Hulk para o russo Zenit por R$ 140 milhões, o grande destaque é Carlos Leite. O empresário cuida da carreira de Mano e de cinco jogadores negociados desde agosto de 2010: Elias, Jucilei, Renan, André Santos e Romulo — o único presente no atual elenco do Brasil. As vendas e revendas dos cinco saíram por R$ 100 milhões (dados do portal Transfermarkt); e parte dessa fortuna direto para Carlos, que detém percentuais dos direitos dos jogadores.

— Desculpe, mas não vou falar sobre o assunto — respondeu Leite.

Sempre que questionado sobre a relação com Carlos Leite, Mano garante que não pensa em empresários ao convocar os atletas. Além dos cinco vendidos, Carlos Leite já emplacou, na seleção, Anderson, do Manchester United, Renato Augusto, do Bayer Leverkusen, Lucas, do Liverpool, e Cássio, do Corinthians, chamado agora para os amistosos contra África do Sul e China. Para a alegria da língua afiada de Romário, crítico ferrenho do comandante da seleção:

— Agora, o goleiro do Corinthians (Cássio), que tem seus direitos econômicos ligados a pessoas da CBF, após a convocação e alguns jogos pela seleção, se já não foi, será vendido para o Roma (Itália). Quem leva? — disparou o Baixinho.

— Isso não é um problema que me compete, não tenho nada com isso — rebate Carlos Leite sobre Romário.

Carlos Leite não é o único, contudo, que encheu os cofres com atletas da seleção. A empresa Think Ball, de um grupo de investidores, negociou com sucesso Douglas, Mariano e Jadson por, somados, R$ 26 milhões. Outros atletas, como Carlos Eduardo, que já havia sido lembrado por Dunga, fizeram lucro na gestão de Mano. Duas semanas depois de aparecer na lista para o amistoso contra os Estados Unidos, em agosto de 2010, o Rubin Kazan pagou R$ 50 milhões ao Hoffenheim pelo apoiador.

Em dois anos de seleção, Mano chamou 85 jogadores — 32% deles acabaram envolvidos em vendas.

Os filhos de Lula, Erenice e Nascimento ensinam como fazer para virar milionário usando apenas a carteira de identidade

Por Augusto Nunes colunista da Veja:

O Ronaldinho da informática

Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, tinha 27 anos em 2003, quando decidiu montar uma produtora de conteúdo digital em parceria com os amigos de infância  Ricardo e Kalil Bittar, filhos de Jacó Bittar, ex-prefeito de Campinas, conselheiro da Fundação Petrobras de Seguridade Social (Petros) e íntimo de Lula desde a década de 70. No ano seguinte, a Gamecorp foi pinçada do semianonimato e do raquitismo financeiro por uma proposta surpreendente: a Telemar ofereceu R$ 5 milhões para tornar-se sócia minoritária dos três jovens empresários. Com a mediação da consultoria de Antoninho Trevisan, outro velho amigo de Lula, o negócio foi consumado em 2005. A direção da Telemar informou que resolvera investir no diminuto empreendimento baseada em projeções econômicas que não divulgou. E garantiu que só soube que se asssociara a um filho do então presidente depois de consumado o acerto.

Antes de virar empresário, Lulinha, formado em biologia, ganhava  R$ 600 por mês como monitor do Jardim Zoológico de São Paulo. Em outubro de 2006, numa entrevista concedida à Folha, o pai foi confrontado com a carta de um leitor interessado em saber por que seus filhos, com formação escolar mais sofisticada, não eram tão bem sucedidos quanto o integrante da Primeira Família. “Porque deve haver um milhão de pais reclamando: por que meu filho não é o Ronaldinho? Porque não pode todo mundo ser o Ronaldinho”, comparou Lula. “Eles fizeram um negócio que deu certo. Deu tão certo que até muita gente ficou com inveja”. Na mesma semana, no programa Roda Viva,  o presidente voltou ao tema. “Não posso impedir que ele trabalhe”, defendeu-se. “Vale para o meu filho o que vale para os 190 milhões de brasileiros. Se têm alguma dúvida, acionem ele”.

(mais…)

Batalhão Mall – 3 empresários, 1 Coronel da PM e mais 11 policiais são presos

Uma operação conjunta batizada de “Batalhão Mall”, deflagrada nas primeiras horas da manhã desta segunda-feira(4) pelo Ministério Público Estadual e a Polícia Militar, prendeu Policiais Militares e empresários acusados de corrupção nas cidades de Assu, Pendências, Paraú e Mossoró, além da capital Natal.

Mais de 80 homens e 11 Promotores de Justiça envolvidos na Operação deram cumprimento a 15 mandados de prisão e seis mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça contra 12 Policiais Militares. Entre os detidos estão o comandante do 10º BPM, coronel Arcanjo e o ex-sub comandante do 10º BPM, major Alberto Gomes, além do  empresários do ramo de posto de combustível Rodolfo Fagundes e Erinaldo, vulgo Bedé; e do sócio da rede Nossa Agência, Pedro Gonçalves.

A Operação “Batalhão Mall” teve o objetivo de desarticular organização criminosa responsável pelo cometimento reiterado de crimes de corrupção ativa, passiva e peculato contra a Administração Pública Militar, através de negociatas com pontos bases de viaturas e vendas do serviço policial, especificamente: vendas de escolta de transporte de valores e de vigilância 24 horas, tudo com o uso de viaturas, estrutura da Polícia Militar e Policiais em serviço, e também mediante apropriação de combustível extraído ilicitamente de viatura.

O esquema investigado funcionava com policiais do 10º Batalhão da Polícia Militar, baseado em Assu. A Operação foi deflagrada simultaneamente com cumprimento de mandados em Natal, Assu, Pendências, Paraú e Mossoró. As prisões e buscas foram decretadas pela Auditoria Militar do Estado e pela Vara Criminal de Assu.

A Operação “Batalhão Mall” se refere a investigações conduzidas há aproximadamente nove meses por Promotores de Justiça do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime (GAECO) e Núcleo de Controle Externo da Atividade Policial (NUCAP).

Com informações do MP/RN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Verdade disse:

    Vocês não sabem o que dizem….
    Vejam nesta página a realidade da polícia no Estado do RN, não houve benefício próprio por parte dos policiais, o que houve foi o benefício da coorporação para conseguir meios para manter o funcionamento da estrutura da policia no interior do estado….
    Vejam o desabafo… http://www.focoelho.com/

  2. Paulo César disse:

    A polícia militar é uma instituição falida.

    Em breve, a se julgar pela continuidade de vezes que vemos policiais fazendo bobagens, será mais fácil dizer que a parte boa da polícia é a minoria.

  3. Evandro Lobão disse:

    Uma vergonha para esses mortos de fome. Querem trabalhar como seguranças privados? Que o façam na folga e com o combustível de vocês. Enquanto isso a população carente, quando liga para o 190, aguarda horrores por um PM. Fora os maus PMs. Vivam os bons e honestos (felizmente a maioria).

  4. Lourenço disse:

    Fica difícil. Esses são pagos, exatamente para defender a sociedade dessas mazelas. Finalmente, em quem vamos acreditar???!!!

  5. RANXINHO disse:

    QUE VERGONHA PARA NOSSA POLICIA, QM QUEM VAMOS CONFIAR. E AGORA ? O QUE O EGRINALDO LEONES VEREADOR EM PENDENCIAS VAI DIZER? DOIS IRMÃOS ENVOLVIDO EM ROUBO, E ELE AINDA FALA DE QUEM ROUBA.

Policiais e Empresários presos em ASSU por corrupção

Jacson Damasceno:

O comandante geral da Polícia Militar, coronel Francisco Araújo, está no município de Assu, acompanhando pessoalmente a operação especial que ocorre  neste momento.

A força-tarefa é composta pela PM e pelo Ministério Público e tem como objetivo de prender pessoas acusadas de corrupção. Segundo o comandante as diligências estão em andamento e já foram presas entre seis e oito pessoas. As primeiras informações dão conta de que entre os detidos estão empresários e oficiais da polícia.

O comandante me disse ainda que detalhes da operação só poderão ser dados mais tarde.