Segurança

Câmara de Natal derruba veto e mantém projeto de Ronda da Guarda Municipal nas escolas

Na tarde dessa terça-feira (01), a Câmara Municipal de Natal se reuniu em Sessão Ordinária Remota para apreciar vetos oriundos do Poder Executivo. Foi debatido e derrubado em plenário, o veto ao Projeto de Lei N°. 108/2019, de autoria do vereador Felipe Alves (PDT). A matéria trata da criação da Ronda da Guarda Municipal nas escolas públicas municipais da capital.

Segundo a Lei, a ronda deverá acontecer preferencialmente nos horários de entrada e de saída dos alunos, de acordo com o contingente da Guarda Municipal. “Essa matéria vem para regulamentar e legalizar algo que já existe, que é a Ronda Escolar, que serve para dar proteção às escolas, ao âmbito educacional, às crianças, aos trabalhadores e estudantes. Apresentamos essa matéria, para que essa Ronda Escolar não seja apenas um programa de governo, mas, sim seja uma ação do município, assegurada por uma Lei”, explicou o vereador Felipe Alves.

Os parlamentares também apreciaram o veto ao Projeto de Lei N°. 321/19, de autoria do vereador Preto Aquino (PSD), que proíbe a cobrança de tarifa para utilização de equipamentos esportivos, sejam quadras, campos ou ginásios, de propriedade do poder Público. A matéria, por sua vez, foi prejudicada, já que não houve votação mínima para a derrubada do veto.  “Não é cabível dentro de um centro desportivo ainda dizer que não tem uma pelada só para os moradores, que residem no bairro. A prefeitura poderia tomar de conta, mas a gente sabe das dificuldades. Coloquei esse projeto, e vou colocar novamente, com o objetivo de colaborar”, disse Preto.

Ainda foram debatidos pelos vereadores, outros três vetos, dos quais, dois foram mantidos. Um ao PL 43/2016, do vereador Raniere Barbosa (Avante), que tratava da proibição da limitação de dados de banda larga fixa oferecida na cidade e ao PL 197/2019 da vereadora Nina Souza (PDT), que institui a Semana Municipal de Atendimento Pactuado à População. Para finalizar, foi derrubado o veto ao PL 195/2019, do vereador Aroldo Alves (PSDB), que autoriza a Prefeitura a realizar a blindagem balística nas viaturas operacionais da Guarda Municipal. “É um reconhecimento da importância da Guarda Municipal para com a sociedade e que hoje é o grande braço armado do município”, comentou Aroldo Alves.

Opinião dos leitores

  1. Pois é, guarda municipal é para está nas escolas, nas praças, proximos as passarelas, parques, etc. Não ficarem guardados na prefeitura do Natal. Parabéns!!!

  2. Excelente!!!..Parabéns 👏👏
    Há várias escolas em bairros periféricos com o entorno extremamente violento e dominado por facções…
    A guarda vai garantir a segurança dos funcionários e dos alunos…
    Parabéns mesmo…👏👏👏

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Professores do Colégio Porto são convidados para contribuir com material didático adotado em escolas de destaque no país

Foto: Divulgação

O Colégio Porto foi bem avaliado e teve a sua performance elogiada pela equipe pedagógica do Bernoulli Sistema de Ensino, um dos mais reconhecidos do país, e parceiro da escola dentro da sua metodologia de educação. A boa avaliação rendeu até um convite para que duas professoras da equipe Porto – a de Filosofia, Yama Elice, e a de Sociologia, Kênnia Ísis – participem da atualização do material didático utilizado aqui e em várias instituições do Brasil.

A escola vem se destacando com uma metodologia de ensino inovadora e eficiente e uma equipe que reúne os melhores professores do Rio Grande do Norte. Além de buscar a excelência na questão do ensino e aprendizagem, o Colégio Porto também valoriza a formação dos alunos para a vida. O Porto foi uma das primeiras instituições potiguares a oferecer aulas on-line para os estudantes no início da pandemia e desenvolveu um sistema de ensino híbrido e síncrono, em que as aulas acontecem de forma presencial e remota ao mesmo tempo, sem prejuízos.

Um dos grandes parceiros da escola em sua didática é o Bernoulli Sistema de Ensino, que fornece aos estudantes do Colégio Porto soluções para ampliar o conhecimento, por meio do seu material didático e dos simulados para o ENEM.

Durante treinamento recente, a equipe pedagógica do Bernoulli elogiou a maneira como o Colégio Porto vem trabalhando. “É muito perceptível a qualidade do trabalho pedagógico do colégio, que consegue equilibrar resultado, performance e criatividade, com educação crítica, sempre calcado num princípio de metodologia ativa, de protagonismo do estudante”, disse o assessor pedagógico do Bernoulli, Márden de Pádua.

O desempenho do Colégio Porto rendeu um convite para que as professoras de Filosofia, Yama Elice, e de Sociologia, Kênnia Ísis, contribuam como a atualização do material didático do sistema de ensino, que é adotado por algumas das escolas mais bem avaliadas do país. “Os professores do Porto estão atentos às grandes tendências pedagógicas atuais. Eles podem nos oferecer muito aprendizado”, disse Márden de Pádua.

Opinião dos leitores

  1. Colégio Top, Material Top e professores mais Tops ainda. Parabéns , Colégio Porto!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Prefeitura do Natal cobra multa e juros das escolas que não puderam pagar ISS na pandemia

Foto: Cedida

A Prefeitura do Natal está cobrando multa e juros do ISS das escolas que não puderam funcionar e tiveram que dá desconto na pandemia.

Enquanto a Justiça obrigou as escolas a darem descontos e até mesmo renegociar do jeito que os pais pudessem pagar na pandemia em 2020

Em meio ao cenário pandêmico, há escolas que perderam 50% dos seus alunos.

Sem uma evolução positiva no cenário pandêmico , as escolas hoje estão sendo cobradas com multa e juros no meio do estrago do segmento.

Das instituições, esperava-se pelo menos a complacência do Município na situação das escolas que eram adimplentes até a pandemia.

“Sabemos que temos que pagar o ISS, agora juros e multa é penalizar quem teve que dá desconto, renegociar mensalidade e até parar de funcionar”, disse um representante do segmento.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Alunos de escolas de Natal defendem, nas redes sociais, retorno das aulas presenciais

Carolina Barbalho, aluna do Colégio Porto. (Foto: Divulgação)

Estudantes do Colégio Porto e da Maple Bear Natal publicaram vídeos nas redes sociais na manhã desta sexta-feira (23) defendendo o retorno das aulas presenciais para os alunos de todos os níveis de ensino. Entre outros argumentos, os alunos destacaram o ambiente seguro das escolas, o desgaste mental provocado pelo prolongamento das aulas on-line e a garantia constitucional de acesso à educação. Nas postagens, as crianças e adolescentes usaram as hashtags #EscolasAbertasSim e #EducaçãoéEssencial para marcar o movimento.

A presidente do grêmio estudantil do Colégio Porto, Vitória Leal, destacou que o cansaço mental e o baixo rendimento no período de aulas remotas é inevitável, mesmo com todas as medidas tomadas pela escola para garantir o bem-estar dos adolescentes. “São muitas horas em frente ao computador, aliada a uma longa rotina de estudos que a gente tem diariamente. Em casa, nós temos muitas distrações e é muito mais complicado ter foco e dedicação”, detalhou.

O aluno José Morais, da 3ª série do Ensino Médio, enxerga uma inversão de valores em relação ao fechamento das escolas para aulas presenciais. “Qual o sentido em fechar um serviço essencial que, comprovadamente, não possui parcela de culpa no aumento de casos de covid-19? É triste ver que mesmo cumprindo todas as exigências de biossegurança, as escolas têm sido culpadas por razões resultantes da negligência”, apontou.

José Morais, aluno da 3ª série do Colégio Porto. (Foto: Divulgação)

O movimento dos alunos ocorre no contexto em leis municipal e estadual já colocam a educação no patamar de atividade essencial no RN, e projeto semelhante passou pela Câmara dos Deputados em Brasília. O Ministério Público Estadual também já se pronunciou em favor das aulas presenciais. Por outro lado, decretos do Governo do Estado e da Prefeitura do Natal divergem sobre o retorno para todos os níveis de ensino.

Clara Carneiro, aluna da 2ª série do Colégio Porto, entende que a pandemia afeta setores sociais e econômicos, mas argumenta que a educação é um direito garantido por lei e defende o retorno pela qualidade do ensino. “Um país precisa de vertentes educacionais sólidas e fixas para que, no futuro, o país possa continuar crescendo”, completou.

O pensamento de Clara é compartilhado também pela estudante Carolina Barbalho, que vai além e defende o direito de escolha dos alunos e da família em relação às atividades presenciais. “Se eles se sentem seguros e acreditam nas medidas de biossegurança, que eles tenham a opção de retornar”, ponderou. O aluno Newton Huck expõe a necessidade de convívio social no retorno às escolas. “Colégio é lugar de estabelecer relações sociais entre as pessoas e, dentro desse contexto de pandemia, em que as pessoas estão cada vez mais em casa, é necessária uma maior interação social”.

Alunos do fundamental se somam

E não é só os adolescentes do ensino médio que defendem a volta das aulas no ambiente escolar. Entre crianças, estudantes do ensino fundamental, a opinião também prevalece. É o caso de Sofia Barros, aluna do 7º ano da Maple Bear Natal. Segundo ela, há comprovação científica de que as crianças precisam de relações sociais para o seu desenvolvimento. A falta desse convívio está trazendo problemas de saúde. “Por falta de socialização, crianças e adolescentes vêm desenvolvendo grandes problemas como ansiedade, depressão e outros problemas de saúde mental. Por isso eu sou a favor que as aulas presenciais voltem”, defendeu.

Laura Porpino e Carolina Haderman, que são alunas do 6º ano, também falaram sobre a importância de frequentar o ambiente da escola para o ensino. “As aulas presenciais precisam voltar para melhorar o aprendizado e melhorar o desempenho dos alunos”, disse Laura. “É ruim ficar o dia inteiro em frente a uma tela de computador. Aulas presenciais são melhores”, afirmou Carolina.

Carolina Haderman, aluna do 6º ano do Maple Bear Natal. (Foto: Divulgação)

Decretos

As aulas presenciais na rede privada de Natal foram autorizadas nesta sexta-feira (23), depois da publicação de um novo decreto pela prefeitura da capital. De acordo com o documento, o retorno está autorizado para as escolas de ensino infantil, fundamental e médio, atendendo às regras estabelecidas em protocolo. Também ficou assegurado aos pais e responsáveis o direito de escolha entre as modalidades remota ou presencial, recomendando-se que sejam intercaladas as duas modalidades.

O Governo do Estado também publicou novo decreto que permite aulas em formato híbrido nas turmas até o 5º ano do ensino fundamental e na 3ª série do ensino médio, nas escolas da rede pública e privada. Os demais níveis permanecem em formato remoto.

Instagram da Maple Bear Natal: https://instagram.com/maplebearnatal
Instagram do Colégio Porto: https://instagram.com/colegio.porto

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Prefeitura firma parceria para implantação de protocolo de segurança nas escolas de Natal mirando retorno de atividades

Foto: Secom

A Prefeitura de Natal assinou nesta quinta-feira (22), uma parceria com o Sebrae-RN e Sesi-RN para executar o programa de Bioprevenção nas 146 unidades de ensino da Rede Municipal de Natal, com o propósito de oferecer consultoria e auxiliar à execução do Protocolo para Retorno das Atividades Escolares da Rede Municipal de Ensino, sendo Natal o município pioneiro desta parceria.

O município de Natal já começa a parceria com o diagnóstico de cada protocolo das 146 unidades escolares, já realizando visitas presenciais e formação dos servidores e funcionários. O passo final é a entrega do Certificado e Selo de Bioprevenção para cada unidade de ensino. A sede e os servidores da Secretaria Municipal de Educação também estão inseridos no programa.

O prefeito Álvaro Dias destacou a importância do convênio que visa dar maior segurança sanitária à comunidade escolar municipal. “É muito importante o nosso convênio com o Sebrae e o Sesi porque vai nos ajudar a aperfeiçoar o protocolo que estamos estabelecendo nas escolas para proteger os alunos e também, mais importante, é que o Sebrae, em conjunto com a equipe técnica da Secretaria Municipal de Educação, acompanhará toda a instalação e o cumprimento do protocolo”, afirmou o prefeito, ressaltando que a medida visa a proteção dos alunos da rede. “É um projeto fundamental para que as escolas voltem a funcionar com segurança”, finalizou.

Para a professora Cristina Diniz, a parceria do Sebrae e SESI é de fundamental importância para toda Rede Municipal de Ensino. “É um projeto que vai trazer uma contribuição social relevante. Os nossos centros de educação infantil e nossas escolas passarão a ter o selo e certificado de segurança, e colocarão em prática medidas preventivas para assegurar tranquilidade aos pais, alunos, professores e funcionários”.

“Fizemos um piloto em três escolas, que estão norteando a nossa atuação nas 72 escolas da primeira fase, somente aqui em Natal, mas queremos atender as 146 unidades, inclusive as unidades menores”, afirmou o presidente do Sebrae, Zeca Melo. “O projeto nasceu em função do êxito que nós tivemos com o projeto das escolas particulares de Natal”, ressaltou, afirmando que é o mesmo desenvolvido na rede privada de ensino. O projeto é custeado pelo Sebrae e pela Femurn, e executado pelo Sesi, também parceiro, sendo uma garantia de qualidade.

Com a efetivação de toda capacitação as unidades de ensino serão sinalizadas com uma comunicação visual adequada, oferecendo melhores condições para a segurança sanitária e saúde coletiva dos alunos, funcionários e servidores públicos.

Opinião dos leitores

  1. A prefeitura de Natal está agindo. Pelo que se vê, apenas a governadora Fátima continua sem qualquer atitude quanto ao COVID. Aliás, esse governo incompetente e sem atitude parece dinda não ter iniciado. Já passamos da metade do mandato e a governadora Fátima do PT NADA fez pelo RN. Em todos os setores.

  2. Uma esperança em Natal. E no estado, quando retornam as aulas? Quais medidas a governadora está adotando para voltarem as aulas na rede pública?

  3. Acho que o Biden não atendeu ao pedido de cantores e artistas nacionais, como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Sônia Braga e Wagner Moura de os EUA não aceitarem acordo ambiental com o Brasil.

  4. Hum… mais de um ano de pandemia e a prefeitura ainda não tem protocolo adequado pra voltar as aulas presenciais? Só falta depois comprar álcool gel e outros produtos por emergência né? Sei…

    1. Chega a ser patético seus comentários, aproveita e pergunta para sua Governadora porque o Estado só comprou saco de lixo para a volta as aulas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

NOVO DECRETO: Fátima informa que fica liberado o funcionamento de escolas públicas e privadas até o 5º ano

Em anúncio no fim da manhã de novo decreto estadual a ser publicado no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira(22), a governadora Fátima Bezerra informa que fica liberado o funcionamento até o 5º ano, conforme escolha dos secretários de educação municipais, para escolas públicas e privadas que assumam total responsabilidade por essa decisão. As demais turmas continuam em ensino remoto. O decreto terá validade até 12 de maio.

Veja vídeo abaixo:

Opinião dos leitores

  1. A vagabundagem continua imperando no ensino público do RN. Os demais profissionais continuam trabalhando ou querem trabalhar mas são impedidos. Mas os professores não querem voltar ao trabalho e contam com a parceria dessa governadora incompetente e sem atitude, que nunca trabalhou na vida e sempre viveu às custas de política (começou em sindicato).

  2. A educação até o 5° ano é obrigação dos municípios. Talvez por isso essa governadora incompetente tenha liberado. Nas escolas do estado, NADA foi feito visando o retorno das aulas. Educação caótica de um governo catastrófico. O RN vai sendo destruído.

  3. Isso só demonstra que educação não é essencial para a governadora. Toda uma juventude do 2 grau sem aula por um ano, num prejuízo educacional e intelectual incalculavel. Não está preocupada com os alunos, apenas com professores, que poderiam facilmente se proteger com cuidados básicos.

  4. Mas que dr.g. de governadora é essa ?? Tenho 2 filhas uma vai e a outra não vai ? Vontade de chamar muito palavrões aqui, mas n adianta, nunca votei no PT, nem voto, não votarei e tenho raiva de quem vota ! Protocolo totalmente p idiota seguir, n vale nada isso !!!

  5. Lucis acredito que você ou a senhora não entendeu, se ela liberou até o 5 ano que responsabilidade dos municípios, pq então, liberar o fundamental e o mesio. Sabemos essa faixa é se responsabilidade do estado. Desculpe se fui rude…

  6. irresponsabilidade, crianças são assintomáticas, vão apenas trazer o vírus pra dentro de casa pra contaminar os parentes abaixo de 63 que não foram vacinados ainda!

  7. É fácil jogar a responsabilidade para os outros, amigos até o 5 ano é de responsabilidade dos municípios. Se vai liberar, libera geral… Ainda que esse governo Fátima tá acabando.

    1. Francisco você se responsabilizaria por uma tragédia anunciada?porque liberar aulas presenciais meio ao caos é uma tremenda loucura.Ela tá é certa.

    2. Justamente.Vc lembra quando o município de natal liberou aulas presenciais na rede privada mas os pais tinham que assinar um documento tirando qualquer responsabilidades das escolas caso o aluno contraisse covid?

  8. A governadora nao acompanhou a orientacao do Comitê Cientifico!! Logo ela que na tomada de decisoes dizia q levava em considedacao as orientacoes do Comitê. Bom, por essa decisao esta claro que nao.

    1. A governadora acatou sim as orientações do comitê científico.Voce deve está confundindo com as orientações do LAIS.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Álvaro Dias sanciona lei que inclui escolas entre serviços essenciais durante a pandemia

Foto: Reprodução/DOM

O prefeito de Natal, Álvaro Dias (PSDB), sancionou nesta quarta-feira(07) uma lei aprovada pela Câmara de Natal que reconhece como serviço essencial os serviços educacionais em escolas públicas e privadas do município, durante a pandemia da Covid-19. Íntegra pode ser conferida AQUI.

Opinião dos leitores

  1. Se é serviço essencial as escolas não poderão fechar mais .nem nos sábados nem domingos e feriados.

  2. Parabéns aos vereadores que pela maioria atendeu ao apelo da população em mostar a importância da escola na vida dos natalenses.

  3. Parabéns ao prefeito. Enquanto isso, a governadora segue fechando TUDO. Empresas quebrando, empregos sumindo e arrecadação de impostos caindo. O RN descendo ao fundo do poço nas mãos desse governo caótico do PT.

  4. Álvaro Dias será nosso próximo governador com certeza!

    O RN grita por socorro, aguentar Rosalba, Robson Faria e agora Fátima e para acabar com qualquer estado, são muitos anos perdidos com má gestão.

    Varias empresar e industrias saíram ou fecharam nesse período e quem sofre e o povo com o desemprego.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Decreto no RN libera aulas em sistema presencial e remoto até o 5º ano fundamental; demais níveis, inclusive, superior, seguem suspensas

Segundo o novo decreto estadual, com validade de 05 de abril ao dia 16, em razão da essencialidade das atividades educacionais, poderão funcionar em sistema híbrido (presencial e remotamente) as escolas e instituições de ensino até o 5º ano do fundamental I, da rede privada de ensino, conforme a escolha dos gestores educacionais e dos pais ou responsáveis legais, desde que atendidas as regras estabelecidas nos protocolos sanitários vigentes.

Permanecem suspensas as aulas presenciais, para os níveis, etapas e modalidades educacionais não contemplados das unidades das redes pública e privada de ensino, incluindo instituições de ensino superior, técnico e especializante, devendo, quando possível, manter o ensino remoto.

Opinião dos leitores

  1. Não há comprovação científica para esse “corte”, Lucis. As aulas deveriam ter sido liberadas para todas as idades, desde que adotadas medidas sanitárias e de distanciamento. Aliás, tais medidas são mais difíceis de adotar para crianças.

  2. Até o quinto ano pq os pequenos se adoecerem de covid a tendência de complicações é minima.Ja os alunos mais velhos podem adoecer e complicar já é o que estamos vendo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Potiguares fazem abaixo-assinado a favor da abertura das escolas

O decreto nº 30.419 de prevenção ao coronavírus, editado pelo governo do estado em conjunto com a prefeitura de Natal, determinou, dentre outros, o fechamento de todas as escolas públicas e privadas do Rio Grande do Norte no período inicial de 20 de março a 2 de abril.

Tendo em vista a insatisfação com o decreto, o Movimento Escola é Essencial criou um abaixo-assinado pela plataforma Change.org direcionado ao poder público do estado do Rio Grande do Norte tendo. O objetivo é transferir o ensino para a categoria de atividade essencial, conseguindo assim o funcionamento das escolas durante a vigência do decreto.

O abaixo-assinado é voltado à governadora do estado, ao secretário estadual de Educação, ao prefeito de Natal, a deputados e a vereadores e tem o intuito de alcançar 15 mil assinaturas, já tendo conseguido mais de 10.600 pessoas até o momento.

O texto inicial do movimento diz: “o fechamento das escolas implica numa visão distorcida, a qual não a considera como serviço essencial. Neste sentido, solicitamos a liberação imediata para aulas presenciais, por entendermos que a Escola é uma atividade essencial na vida das crianças e adolescentes, assim como das famílias trabalhadoras, que precisam de lugar seguro para deixar seus filhos”.

O abaixo-assinado pode ser acessado no www.change.org/p/governadora-do-estado-do-rio-grande-do-norte-sra-fátima-bezerra-movimento-escola-é-essencial

Blog da Juliska 

Opinião dos leitores

  1. As escolas principalmente públicas nem pia para lavar as mãos tem aos irem ao banheiro, imaginem álcool e outros insumos de higiene, novelos de poeira voam pelas salas. As escolas privadas mascaram todos os dias os números de funcionários doentes e afastados para continuarem funcionando, isso só irá acabar quando os filhos de pessoas de alto poder aquisitivo começar a morrer, o que não está longe.

  2. Mais da metade dos pais que assinaram esse abaixo assinado nunca foram numa reunião de pais. Passa o ano todo e nem sabe a série, o nome da escola e nem o nome do professor.🤦🤦

  3. faz 1 ano que os professores estão de Ferias a mamada vai acabar recebendo sem trabalhar agora deixa falta o salario deles pra ver se não vai aglomera fazendo protestos geração dos sindicatos comunistas.

  4. Um absurdo as escolas serem equiparadas com outros comércios, ficou claro que as escolas são ambientes muito seguros e que o fechamento trás problemas sociais muito grandes, já está na hora dos governadores e prefeitos olharem para a educação de uma forma mais seria e menos demagoga, os professores da rede publica já provaram que não estão interessados em voltar a trabalhar, até renegar a importância da escola já tentaram, vamos abrir os olhos e não permitir o fechamento das escolas, quem está pagando esse custo são as crianças e o jovens.

  5. Façam também abaixo assinado para fazer mais cemitérios.E quando faltar oxigênio para as vítimas mandem.para casa dos empresários.Se abrir escola abram.tambem academias que é menos arriscado.

    1. Os pais desesperados p se livrarem dos filhos, nem q eles morram. Pronto falei

  6. O que esperar da educação no RN, quando o sindicato dos professores luta judicialmente para que o ensino não seja considerado atividade essencial? É inacreditável!

  7. Como essa gente que segue o jegue é fria e calculista, não é atoa que pertence ao escritório do ÓDIO.

  8. Grande parte dos professores da Rede pública de ensino, estão dando aulas na rede privada.
    Eu sou a favor de cortar 50% dos salário dos servidores da educação .

  9. Vacina, vacina, vacina, vacina, vacina…
    Após vacinar os docentes podem abrir todas as escolas…antes, não!

    1. A sua vida é mais importante dia funcionários de ; supermercado, farmácia, posto de gasolina, etc , deixa de ser VAGABUNDO e volte a trabalhar VADIO , ganhar se trabalhar é coisa de VÁ GA BUN DO

  10. Se as aulas voltarem, os "PROFESSORES" MILITANTES entram em greve!! Acorda Brasil!!🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷

    1. Questão é vacinar logo os professores e funcionários das escola aí sim tudo ok.
      Pois a maioria dos pais não se cuidam na prevenção acaba efeito dominó, uma criança infelizmente se infecta por causa dos pais, fica assintomáticos passa para os coleguinha daí ja começa o efeito dominó com os professores, funcionários e os pais dos alunos que sempre tiveram preocupação em se prevenirem. Governadora não tem culpa, se for culpar culpe o presidente por decisões tardias a favor da vacina

    2. Conversa mole desse Willian!!!
      Como vc sabe que A MAIORIA dos pais não se cuidam?
      Tem que ter aulas sim, pra evitar que os alunos escrevam um português tão fraco como esse seu.
      Outra coisa: no dia que ANVISA aprovou vacina presidente comprou e foram distribuidas em 24h.

    3. DECO – Já começa no ataque, falando do meu português, quem não tem argumento ataca o argumentador !!!

      Assuma que dói menos, foi graças a o Dória que a maioria da população foi vacinada pois o presidente não estava nem aí pra vacina, foi só lula aparecer q bolsonaro virou a favor da vacina, da mascara, Lula mesmo sem ser presidente tem conseguido fazer o bem, o ruim foi a roubalheira do governo dele que tem q assumir, faça como eu assuma os erros, deixe de ser idiota a atacar, passar bem.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

São Paulo vai fechar escolas e igrejas e parar futebol

O governo de São Paulo vai anunciar nesta quinta-feira a recomendação de fechamento das escolas para aulas presenciais, o fechamento de igrejas e demais templos religiosos e a interrupção de campeonatos esportivos, inclusive de futebol.

As escolas públicas ficarão abertas apenas para crianças que precisem de alimentação. As escolas privadas poderão abrir para receber crianças de pais que precisem trabalhar fora, mas a recomendação na entrevista coletiva será de que adotem o ensino remoto.

O martelo acaba de ser batido em reunião que ainda acontece entre o governador João Doria Jr., secretários e representantes do comitê de contingência da pandemia do Estado.

As medidas, que compõem uma ainda inédita fase roxa do Plano São Paulo, serão anunciadas em entrevista coletiva às 12h45.

Mais cedo, Doria divulgou vídeo de quatro minutos em que prepara terreno para a adoção de medidas mais duras e restritivas. No vídeo, ele classifica a situação do sistema de saúde do Estado como de iminente colapso e afirma que, enquanto não há vacinas em quantidade suficiente, o único caminho é aumentar o isolamento social.

O tucano pede a colaboração da população para respeitar as medidas e cobra o governo federal para a compra de mais vacinas, além das doses já produzidas pelo Butantan e pela Fiocruz.

Na fase roxa não haverá a restrição ao transporte público, que tem sido um dos principais focos de aglomeração.

Vera Magalhães – O Globo

Opinião dos leitores

  1. Essa Lucis, esse Yago João Carlos respondam aqui: Vcs trabalham aonde ou melhor, se é público ou privado? quero ver se vcs são o que dizem.

  2. Esse "lockdown" apenas prova a INCOMPETÊNCIA e IRRESPONSABILIDADE dos governantes que o adotam. Tiveram UM ANO para criar leitos hospitalares e o governo federal repassou MUITO dinheiro para estados e municípios. Por que não criaram os leitos, então? Nada justifica ainda falarem em falta de leitos. Cadê os hospitais de campanha? Absurdo!

    1. Quem ia “gestar” o leito? Você mesmo?
      Você acha que um leito de UTI opera sozinho?
      Esclerosado.

  3. BG!!
    TO SÓ ESPERANDO PRA VÊ COMO VAI SER A NOVA NARRATIVA DESSES SEM VOTOS, O CALÇA COLADA, CIRO GOMES, LUCIANO HULK, E MANDETA DEPOIS DO PRESENTE DO FAQUIM A LULA LADRÃO.
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    São uns pelezão, tô esperando só pra eu da risada.
    Rsrsrs…

    1. Por ele era capaz de ter outro show de Safadão esse final de semana. Tudo seguindo os “protocolos”. Kkkkkkkk.

  4. nunca deveriam ter aberto as escolas, verdadeira burrice fazer isso nesse momento… sabe porque vai morrer muito mais gente neste país? porque não sabem fazer nada por completo, é sempre tudo pela metade!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Escolas de Natal mantém aulas presenciais com reforço nos protocolos sanitários

Maple Bear Natal e Colégio Porto implantam sistema de fiscalização randômica interna. Fotos: Divulgação

Priorizar o aprendizado de forma responsável e segura. É assim que algumas escolas de Natal estão trabalhando diante do recrudescimento da pandemia no estado. A Maple Bear Natal e o Colégio Porto reforçaram os protocolos de segurança em todo o ambiente e na rotina escolar para garantir a continuidade do ensino presencial, sem prejuízos aos estudantes e priorizando a saúde.

Na Maple Bear Natal, que trabalha com crianças do ensino infantil ao fundamental, foram mantidas apenas as aulas curriculares. Todas as atividades extracurriculares (esportes, programa semi-integral e integral) estão suspensas até uma melhoria da situação epidemiológica no RN. O intuito foi manter as “bolhas” de sala de aula, evitando eventuais infecções cruzadas.

“A partir desta semana estamos fazendo fiscalizações internas randômicas para deixar o pessoal da operação atento aos procedimentos de biossegurança, ainda mais importantes neste momento. Essas fiscalizações servirão para identificarmos onde precisamos reforçar o treinamento junto aos nossos colaboradores”, disse Marcelo Freitas, diretor administrativo da Maple Bear Natal.

Todos os protocolos que já estavam em vigor continuam valendo, como o distanciamento social, uso de álcool gel, ventilação natural, entre outros. Os pais também têm a opção do ensino on-line.

No Colégio Porto, que tem turmas de ensino fundamental e médio, as orientações sobre os protocolos também foram reforçadas. Desde o retorno das atividades presenciais, no ano passado, a escola funciona no modelo de Aprendizagem Combinada (aulas presenciais + aulas remotas síncronas). É feito um rodízio de alunos, por turma, respeitando o limite da quantidade. Isso quer dizer que, a aula que acontece de forma presencial, continua sendo transmitida ao mesmo tempo para os estudantes que estão em casa, acompanhando no formato virtual.

“Nosso objetivo com todo esse cuidado é garantir que os nossos alunos mantenham sua rotina de estudos sem prejuízo e com toda a segurança necessária para a preservação da sua saúde, da sua família e também dos nossos professores e colaboradores”, pontuou Marcelo Freitas, que também é sócio-diretor do Colégio Porto.

Opinião dos leitores

  1. Seria muito bom que a incompetente da Governadora do estado aprendesse coma iniciativa privada como administrar uma escola de verdade. Enquanto isso, os milhares de estudantes das escolas estaduais estão hà 1 anos sem aulas graças a incapacidade da Governadora e a omissão criminosa dos sindicatos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Governo de SP vai retomar aulas

O governador João Doria vai anunciar nesta quinta-feira, 17, que as escolas públicas e particulares poderão continuar abertas mesmo se o Estado estiver na pior fase da pandemia, a etapa vermelha. Hoje, a educação só pode voltar na fase amarela, a que todas as regiões paulistas estão agora. Dessa forma, mesmo que a situação da transmissão do coronavírus e de hospitalizações fique mais grave em fevereiro, no retorno das férias, as escolas poderiam voltar com 35% dos alunos presencialmente, segundo o Estadão apurou.

A autorização será para que as escolas possam dar aulas regulares e não apenas atividades extracurriculares, como foi permitido até agora pela Prefeitura para a maioria das séries.

Na fase vermelha, apenas os serviços essenciais poderiam funcionar até então, como supermercados e farmácias. Com a mudança, o governo segue o que fizeram países europeus durante a segunda onda da pandemia. França, Alemanha, Reino Unido e Portugal, por exemplo, fecharam bares, restaurantes e parte do comércio, mas permitiram que as escolas continuassem funcionando. Nova York também reabriu as escolas poucos dias depois de fechá-las no mês passado após forte pressão de cientistas e de pais.

O governo agora deve permitir que 100% das crianças voltem presencialmente quando o Estado estiver na fase verde, 70% na fase amarela e 35% na vermelha. Até então, todos os alunos só poderiam ir à escola quando se chegasse à etapa azul, chamada de “novo normal”. Outra diferença é que o plano será regionalizado, ou seja, se uma região do Estado estiver na fase verde, ela pode abrir mais que outra na fase amarela, por exemplo. Antes, a educação tinha que ser flexibilizada da mesma forma no Estado todo.

Mesmo com a decisão do Estado, as prefeituras podem ser mais restritivas quanto à abertura das escolas nos municípios, como já ocorreu na capital. Mas o decreto paulista afirmará que as cidades devem publicar a razão da restrição maior na educação para que ela seja efetiva.

O movimento de valorizar as escolas como atividade essencial tem crescido no mundo nos últimos meses de pandemia, com o entendimento de que deixá-las fechadas por muito tempo causou enorme prejuízo às crianças e à sociedade. Ajudaram nessas novas decisões o fato de as pesquisas científicas publicadas demonstrarem baixas contaminação e transmissão em ambientes escolares.

Pesquisa feita por entidades de escolas particulares em São Paulo mostrou que 86% das escolas não tiveram nenhum caso de covid desde que foram abertas, em setembro. Grupos de pais e de pediatras têm também liderado movimentos para que as escolas sejam reabertas no início do ano letivo. Em entrevista ao Estadão, o especialista Daniel Becker disse que manter as escolas fechadas em 2021 é um “crime contra a infância”.

A educação foi autorizada a funcionar em setembro pelo governo, com 35% dos alunos presencialmente. Na capital, no entanto, a Prefeitura só permitiu a abertura em outubro, com 20% da capacidade e apenas em atividades extracurriculares, como continua até hoje. Apenas o ensino médio foi autorizado em novembro a voltar a ter aulas, de fato, presenciais.

O novo decreto paulista também autoriza a educação superior a funcionar na fase amarela com até 35% das matrículas e, na verde, com até 70%. Cursos superiores específicos da área médica têm o retorno autorizado em todas as fases do plano.

O secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, é um defensor da ideia de manter o ensino aberto e tem dito que eventuais casos de contaminação não são “culpa da escola”. Há relatos de festas entre os estudantes fora do ambiente escolar que, segundo ele, contribuem para a transmissão.

Em coletiva, o secretário municipal de Educação, Bruno Caetano, disse nessa quarta-feira que a Prefeitura pretende que as escolas voltem presencialmente em fevereiro, mas a decisão depende ainda da situação da pandemia. Este mês, o prefeito Bruno Covas não autorizou mais flexibilizações que eram esperadas para a educação.

Estadão

Opinião dos leitores

  1. Pedir PRIORIDADE na vacinação para PROFESSORES que estão recebendo seus salários em casa, sem dar uma aula de verdade, parece PIADA.
    PRIORIDADE deve ser para quem seguiu TRABALHANDO na pandemia, pegando ônibus lotado, atendento a população, enfrentando a labuta diária, e não para quem estava ganhando seus salários em casa, sem correr risco algum.
    Muitos outras categorias de trabalhadores que seguem trabalhando na pandemia merecem muito mais prioridade.

  2. O que me chama atenção sobre os comentários dos "Especialistas científicos" que criticam que as escolas permaneçam fechadas é que nenhum defende que os trabalhadores em educação (todos) sejam prioridade inicial na sequência da população que tomará a vacina.

  3. Rapaz se tivesse como colocar em um ringue Bolsonaro e Doria eu seria o primeiro a compra o ingresso.

    1. O João Doria é um frouxo aquele senador major Olimpio o chamou para briga,mas ele ficou se tremendo com medo escondido atrás dos seguranças, esse João Doria só tem goga.

    2. Eu queria assistir um debate entre Lula e Fernandinho beira-mar. Em picaretagem Lula ganha.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Presidente do STF, Luiz Fux, retira da pauta ação do PSOL que quer impor ideologia de gênero às escolas

Ministro Luiz Fux, presidente do STF.| Foto: STF

O ministro Luiz Fux, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), retirou da pauta de julgamento do dia 11 de novembro a ação do PSOL que pretende impor a ideologia de gênero às escolas. Impetrada pelo PSOL, a ADI 5.668 quer, entre outras coisas, banheiros comuns, uso do nome social, aprovação do namoro entre menores de idade do mesmo sexo, aulas sobre teorias de gênero, etc. A decisão ocorreu depois que Fux recebeu deputados da Frente Parlamentar Católica, da Frente Parlamentar Evangélica e representantes da Anajure, amicus curiae no processo. Leia aqui a íntegra da petição inicial do PSOL.

A ação direta de inconstitucionalidade foi ajuizada pelo partido em 2017, após várias tentativas de incluir menções às palavras “gênero”, “identidade de gênero” e “orientação sexual” tanto no Plano Nacional de Educação (Lei 13.005), que foi aprovado pelo Congresso Nacional em 2014, quanto em planos de educação estaduais e municipais, que foram discutidos em 2015. O PSOL também reclama da ausência do tema na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), homologada em 2017. Em sua reunião com Fux, os deputados afirmaram que o assunto já havia sido amplamente discutido pelo Congresso nessas votações e, portanto, não teria sentido um novo debate do tema fora do Poder Legislativo. O adiamento, porém, não impede que a ação seja julgada no futuro pelo tribunal.

A ideologia de gênero – assim chamada por não ter comprovação científica – defende que ninguém nasce homem ou mulher, mas que cada indivíduo deve construir sua própria identidade, isto é, o seu gênero ao longo da vida.

Com Gazeta do Povo

Opinião dos leitores

  1. O PSol não engana ninguem. Vota nele quem é cego pela ideologia de destruição da família. Não sei se você gostaria que sua filha dividisse um banheiro publico com um marmanjo que cismou que é mulher.

  2. Até que enfim uma atitude acertada do STF, chega de decisões absurdas que só trazem prejuízo, pior ainda quando o alvo são crianças.

  3. É por esta e mais outras que estes patidozinhos com esta besteira de ideologia de merda estão se desmanchando a cada dia que passa, se preocupar com um assunto deste que para maioria da população tanto faz se o cara quer ser baitola homem, viado, sapatão……….. e tanto nome que chega a abusar, sinceramente é uma falta de ter o que fazer, cada um faz o que quer, com tanto assunto serio para se discutir no pais ai vem um assunto desse que não leva a nada.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Sem previsão para frear o vírus, OMS define critérios para reabrir escolas

Foto: Alex Tajra/ UOL

Distanciamento entre estudantes, higiene, máscaras para os alunos mais velhos e dezenas de outras medidas fazem parte do novo guia da OMS para a reabertura de escolas.

Nesta semana, pela primeira vez desde maio, a agência atualizou suas orientações aos governos e institutos de ensino. O recado é claro: autoridades devem dar prioridade para a reabertura de escolas, e não de bares ou restaurantes. Mas terão de também aprender a conviver com o vírus.

“Em geral, a maioria das evidências de países que reabriram escolas ou nunca as fecharam, sugere que as escolas não foram associadas a aumentos significativos na transmissão comunitária”, revela a OMS.

A entidade, ainda assim, reconhece que, em locais de intensa transmissão, a opção por fechar uma escola deve ser considerado, principalmente onde há mortes crescentes e um número elevado de hospitalização. Mas fechar escolas deve ser considerado apenas como “última opção”.

Para os demais cenários, a recomendação é de manter alunos e professores em pequenos grupos que não se misturam, escalonar o início das aulas, intervalos, banheiro, refeições e horários finais, além de dezenas de outras medidas.

Leia matéria completa AQUI via Jamil Chade – UOL

Opinião dos leitores

  1. E agora José ? Desculpas acabaram ! A máscara caiu ! Só sobrou a incompetência de governantes e pessoas mau intencionadas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Linha de crédito da AGN auxiliará adequação de escolas para retomada de aulas

Estabelecimentos de ensino particular poderão utilizar financiamento para implementar protocolos e medidas de bioprevenção para proteção da saúde da comunidade escolar

Diante da expectativa pelo retorno das aulas e a necessidade de adequação dos estabelecimentos de ensino particular a adotarem protocolos e medidas de bioprevenção para garantir a saúde da comunidade escolar, a Agência de Fomento do RN disponibilizará linha de crédito em condições em especiais para as instituições no processo de retomada.

A ação nasce da parceria entre a AGN-RN e o Sebrae no Rio Grande do Norte e integram o programa Reinicie, iniciativa de orientação a diversos setores da economia sobre o retorno das atividades com segurança em relação ao novo coronavírus (Covid-19). A linha será operacionalizada pela Agência de Fomento a partir de repasses de recursos do BNB.

Os financiamentos terão o limite de R$ 50 mil e juros de 2,7 % ao ano, pós-fixados, conforme variação do IPCA. O prazo para pagamento é de 24 meses com uma carência que pode chegar até 12 meses.

Para obter o financiamento, a empresa poderá oferecer como garantia através de avalista ou mesmo garantia real – imóvel, por exemplo. Nos dois casos, será possível solicitar o enquadramento no FAMPE – Fundo de Aval Complementar do SEBRAE e que garante até 80% da garantia necessária ao financiamento. Empresas limitadas podem ter os sócios como avalistas. No caso de empresas individuais, o avalista será um terceiro com renda comprovada.

A linha permitirá que as instituições de ensino promovam adequações no layout e possam adquirir equipamentos de proteção individual e coletiva, além de outros itens necessários à retomada das atividades administrativas, pedagógicas e de ensino. Para a diretora-presidente da AGN, Márcia Maia, a medida é importante para garantir a retomada das atividades de forma segura para profissionais, empreendedores, pais, responsáveis e alunos.

“É uma iniciativa que nasce da parceria com o Sebrae-RN e o diálogo com os empreendedores ligados à instituições de ensino que estão buscando assegurar todas as condições de biosegurança necessárias ao desenvolvimento das suas atividades. Nós, da Agência de Fomento, temos procurado permanentemente soluções para colaborar com a retomada dessa e outras atividades de maneira segura, consciente e forte”, afirmou a dirigente.

De acordo com pesquisa feita pelo Sebrae, 95% dos gestores de escolas já conhecem as normas estabelecidas, mas precisam de auxílio para implantá-las. A criação do instrumento de financiamento é desdobramento da reunião realizada na última segunda-feira (06), na qual AGN e Sebrae se reuniram com representantes de 80 escolas particulares para tratar de bioprevenção e ações para o processo de retomada das atividades de maneira segura e com apoio financeiro. As escolas serão contempladas ainda com um treinamento e receberão do SEBRAE um selo de biossegurança.

Reinicie

A campanha ‘Reinicie’, que tem a AGN como parceira, é desenvolvida pelo Sebrae ao lado do Governo do Estado e auxilia empreendimentos a adotarem protocolos de normas de bioprevenção e saúde neste momento de retomada das atividades. A iniciativa traz todo um arcabouço de suporte para implantar essas práticas de prevenção ao novo coronavírus no ambiente das empresas, visando à segurança e proteção tanto dos clientes quanto de funcionários, fornecedores e do próprio empresário.

A campanha ‘Reinicie’ envolve capacitações, consultorias e outras ferramentas, como cartilhas nas áreas de comércio, serviços, indústria e agronegócios, que serão disponibilizadas para download. O suporte contempla ainda vídeos explicativos, oficinas, palestras e orientações técnicas.

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Entenda como será o ‘rodízio nas escolas de SP, com retomada presencial prevista a partir de 08 de setembro

Foto: Divulgação/Governo de SP

O governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (24) a retomada das aulas presenciais a partir do dia 8 de setembro em toda a rede de ensino do estado. A medida vale tanto para a rede pública quanto a privada, da educação infantil até o ensino superior.

O plano prevê um retorno geral em três fases, em conjunto para todas as cidades, e considera que na data estimada o estado estará na fase amarela de flexibilização da economia há pelo menos 28 dias. A proposta ainda estabelece uma série de protocolos de higiene e distanciamento que devem ser cumpridos pelas instituições.

Quem deve voltar às aulas?

Creches

Educação infantil

Educação básica

Ensino superior

Cursos técnicos e profissionalizantes

Quando Voltam

Plano de retomada das aulas presenciais no estado de São Paulo — Foto: Divulgação/Governo de SP

A previsão do governo é de que todo o estado volte a ter aulas presenciais no dia 8 de setembro. No entanto, os seguintes critérios precisam ser cumpridos para que ela se mantenha:

Permanência de todas as regiões do estado por 28 dias seguidos na fase amarela (ou superior) do Plano São Paulo de flexibilização da quarentena.

Que no anúncio de atualização do plano pelo governo no dia 4 de setembro se confirme a estabilização das áreas na fase amarela (ou superior).

Que a rede pública e privada apresentem protocolos de planejamento para o retorno.

Todos os alunos voltam de uma vez?

Não. A volta será feita em esquema de rodízio de alunos definido pelas próprias escolas e dividida em três fases de retomada:

Primeira fase: somente 35% dos alunos de cada classe poderão frequentar as escolas a cada dia. Ou seja, em um dia vai um grupo, em outro dia, vai outro. Mas a Secretaria não informou qual modelo de rodízio as escolas devem se inspirar.

Objetivo é garantir um distanciamento de 1,5 metro entre os estudantes. O distanciamento tem exceções, como no caso da educação infantil e creches, em que não há como manter essa distância entre bebês e cuidadores.

Segunda fase: até 70% dos alunos poderão frequentar as escolas a cada dia.

Terceira fase: 100% dos alunos podem voltar às salas de aula.

O que define cada fase escolar?

Primeira fase: todas as regiões do estado deverão estar na fase amarela do Plano São Paulo por pelo menos 28 dias seguidos.

Segunda fase: 60% das regiões do estado deverão estar na fase verde do Plano São Paulo por pelo menos 14 dias seguidos.

Terceira fase: 80% das regiões deverão estar na fase verde do Plano São Paulo por pelo menos 14 dias.

Como deve ser o distanciamento?

Estudantes, professores e funcionários devem manter distanciamento de 1,5 metro entre si.

Horários de entradas e saídas serão organizados para evitar aglomeração, e serão preferencialmente fora dos horários de pico do transporte público.

Continuam proibidos: feiras, palestras, seminários, competições e campeonatos esportivos, comemorações e assembleias.

Intervalos e recreios devem ser feitos sempre em revezamento de turmas com horários alternados.

As atividades de educação física estão permitidas desde que se cumpra o distanciamento de 1,5 metro. Preferencialmente devem ser realizadas ao ar livre e com cuidando da higienização dos equipamentos.

Recomendado que o ensino remoto continue em combinação com a volta gradual presencial.

Como deve ser a higiene?

O uso de máscara é obrigatório para todos dentro da instituição e no transporte escolar.

Instituição deve fornecer equipamentos de proteção individual (EPIs) para os funcionários.

Bebedouro será proibido. Água potável deve ser fornecida de maneira individualizada. Cada um deverá ter seu copo ou caneca.

Banheiros, lavatórios e vestiários devem ser higienizados antes da abertura, depois do fechamento e a cada três horas.

Lixo deve ser removido no mínimo três vezes ao dia.

Superfícies que são tocadas por muitas pessoas devem ser higienizadas a cada turno.

Ambientes devem ser mantidos ventilados com janelas e portas abertas, evitando toque em maçanetas e fechaduras.

Como monitorar a saúde?

Profissionais e estudantes que pertencem a grupos de risco para Covid-19 devem permanecer em casa e realizar atividade remotamente.

Recomendação para os pais medirem a temperatura de seus filhos antes de mandá-los para a escola. Caso esteja acima de 37,5°, deve ficar em casa.

Recomendação para que as instituições meçam a temperatura das pessoas a cada entrada.

Uma sala ou área deve ser separada na instituição para isolar pessoas que apresentem sintomas até que possam voltar para casa.

Plano de retomada das aulas presenciais no estado de São Paulo — Foto: Divulgação/Governo de SP

Como recuperar o aprendizado?

O governo de São Paulo afirma que será feita uma avaliação individual dos estudantes para a recuperação do conteúdo que não foi aprendido durante o período de ensino à distância.

Escolas também deverão investir em acolhimento socioemocional e em programas de recuperação para alunos com dificuldades nas matérias.

Segundo o governo, o programa de recuperação terá material didático, “apoiado pelo ensino híbrido e com foco em habilidades essenciais”.

Será oferecido em 2021 o 4º ano do Ensino Médio optativo para os estudantes que quiserem se preparar antes do ingresso no ensino superior.

Até quando vai o ano letivo?

Segundo o secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, ainda não há definição se o ano letivo será estendido. A previsão do governo é de que na rede estadual as aulas sigam até fim de dezembro, sem prorrogação.

Para encerrar o calendário, as escolas precisam cumprir 800 horas de atividades obrigatórias no total, e o Ministério da Educação autorizou que as aulas remotas sejam incluídas na conta.

“Não precisa cumprir 200 dias desde que cumpra as 800 horas de ensino e permite a educação à distância [nessas horas]. O que precisamos ver é a contabilização do número de horas e o presencial vai fazer diferença se começar em setembro ou não. Todas as redes vão ter que comprovar isso, inclusive as particulares. Nós da rede estadual estamos trabalhando para fazer o maior esforço possível para garantir que a gente termine em dezembro. Mas essa análise só poderá ser feita quando a gente concretizar que retornamos em setembro”, disse o secretário em entrevista à GloboNews.

Rossieli reforçou ainda a necessidade de férias para profissionais e alunos.

“A recuperação não se dará neste ano. Não adianta só estender mais um mês, mais dois meses. Nós vamos fazer uma recuperação de dois anos, até o final de 2022. Para recuperar prejuízos de aprendizagem pós pandemia. Não tem mágica para curto prazo. É importante que nossos profissionais tenham 15 dias de férias de verdade, porque eles também estão atravessando momento de estresse. O aluno também está vivendo um momento diferente”, disse.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. Voltar às aulas é loucura total no momento ! Vcs mandariam seus filhos e netos ? Sabendo que as crianças não vão conseguir manter a distância, sabendo que as mesmas vão ter contato com professores que poderiam estar infectados, e assim transmitir para os pais e avós , sabendo que seriam em dias alternados apenas ou seja , péssimo aprendizado para justificar somente o lado financeiro das escolas ? Os pais e mães são contra essa ideia que vem das escolas particulares , em conluio com parte do MEC. Jogada financeira !

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *