FOTO: Atacante Fred abraça advogado que prejudicou a Lusa e aumenta polêmica sobre o caso

6ifaisplrx_1oot9cd1cd_fileNesta quinta-feira (12), a confusão envolvendo a Portuguesa e o Fluminense ganhou mais um capítulo. Internautas começaram a compartilhar uma foto, na qual Fred, ídolo do tricolor carioca, aparece ao lado de Osvaldo Sestário, grande protagonista da polêmica sobre a escalação de Héverton, jogador da Lusa. O caso ainda não foi solucionado, mas dependendo do julgamento, o Flu pode continuar na Série A, enquanto o clube de São Paulo será rebaixado. Entenda o caso a seguir.

O pedido do Fluminense junto ao STJD (Supremo Tribunal de Justiça Desportiva) para tirar quatro pontos da Portuguesa, devido à suposta escalação ilegal do meia Héverton pela última rodada do Campeonato Brasileiro, pegou o clube paulista de surpresa. Futuro vice-presidente jurídico (será empossado em janeiro com a nova diretoria), Orlando Cordeiro de Barros alegou nesta quarta-feira (11) que a CBF não enviou nenhuma notificação aos advogados do clube e teme que a equipe possa ser prejudicada

A Lusa não é a única que pode cair. O Flamengo corre esse risco por ter escalado o lateral André Santos no empate contra o Cruzeiro no último dia 9 de dezembro. O STJD vai julgar essas duas questões na próxima segunda-feira (16).

Em um primeiro momento, o Flamengo, que terminou a competição em 11.º, com 49, apenas cairia para 16.º, com 45. Já Portuguesa cairia para 17.ª, com 44, sendo rebaixada. No entanto, a situação do time carioca pode piorar. Isso porque o Vasco tenta ganhar os pontos da partida em que foi goleado pelo Atlético-PR, por 5 a 1, que ficou mais de uma hora paralisada por uma briga entre as torcidas. Se isso tudo acontecer, o time de São Januário vai a 47 pontos, empurrando o Flamengo para a zona de rebaixamento.

“Temos medo de cair. Nós estamos brigando com uma equipe que já fez isso duas vezes no Rio. A Portuguesa subiu no campo, o Fluminense caiu no campo e estão tentando reverter pela segunda vez isso. Eles não tiveram competência para subir”, provocou o dirigente da Portuguesa.

Expulso contra o Bahia, na 36.ª rodada, Héverton, da Lusa, cumpriu suspensão automática contra a Ponte Preta e foi a julgamento na última sexta-feira (8) no STJD. Como pegou dois jogos de suspensão, ele deveria cumprir mais um diante do Grêmio, no último domingo (8). O atleta, no entanto, entrou em campo aos 32 minutos do segundo tempo no empate por 0 a 0 com o time gaúcho, no Canindé.

Segundo a Lusa, o clube não foi notificado sobre a punição imposta a Héverton em julgamento realizado na sexta. Um advogado do clube, porém, esteve presente no STJD e defendeu o jogador. Ele teria informado à Portuguesa que a punição foi de um jogo, quando ela foi de duas partidas.

“Por enquanto não iremos tomar posição. A Portuguesa não foi informada de absolutamente nada (sobre o julgamento). Só soubemos da informação através da imprensa. Nenhum clube é condenado se não houver comunicação”, completou Cordeiro. “O atleta já havia cumprido (a suspensão automática) e a Portuguesa está com os prazos abertos ainda para recorrer.”

Para o dirigente da Portuguesa, que concedeu entrevista coletiva nessa quarta-feira (11), a discussão sobre a escalação irregular se dá por interesses do Flu. “Não é uma questão técnica, é uma questão política”, afirmou ele.

A Portuguesa não é o único clube que corre risco de ter o que foi decidido em campo mudado após o Campeonato Brasileiro. A Lusa pode cair com o Flamengo. A escalação de André Santos no empate com o Cruzeiro, na última rodada, pode ser irregular porque o lateral foi suspenso pelo STJD na sexta-feira e o possível erro custaria quatro pontos ao clube.

A possibilidade de rebaixamento existe caso o Rubro-negro realmente perca quatro pontos e o Vasco triunfe em sua tentativa de somar os três pontos conquistados pelo Atlético-PR no domingo, em jogo que prosseguiu mesmo após parada de mais de uma hora por conta de pancadaria entre torcedores.

Se as duas possibilidades forem confirmadas, o Flamengo ficaria com 45 pontos, enquanto o Vasco atingiria 47. A decisão sobre a punição à Portuguesa, que beneficiaria o Fluminense, não influencia no que ocorreria com a equipe da Gávea.

O problema com André Santos é que o lateral foi expulso na final da Copa do Brasil e acabou ficando fora do jogo seguinte, mas pelo Brasileiro, contra o Vitória, antes mesmo do parecer do STJD sobre o seu cartão vermelho. O julgamento de sexta-feira (6) o suspendeu, e, mesmo assim, ele foi escalado no sábado (9) contra o Cruzeiro.

A punição prevista nesses casos é de três pontos mais os pontos que foram conquistados na partida — como houve empate, o prejuízo seria de quatro pontos. O STJD, contudo, ainda não fez denúncia em relação ao Flamengo, que assegura ter garantias jurídicas em relação à escalação de André Santos.

O Flamengo se manifestou na tarde desta quarta-feira (11) sobre o caso André Santos e garantiu estar “tranquilo” mesmo com a ameaça de perda de quatro pontos na tabela do Campeonato Brasileiro, encerrado no último domingo. Em nota publicada em seu site oficial, o clube garantiu que o jogador foi escalado legalmente no duelo diante do Cruzeiro, no último sábado, e disse não temer qualquer tipo de punição da CBF.

“Tendo em vista as notícias publicadas pela imprensa a respeito da escalação do nosso atleta André Santos no jogo contra o Cruzeiro, o Clube de Regatas do Flamengo manifesta sua absoluta tranquilidade em relação ao caso, respaldando sua posição nos diversos artigos que regem a lei esportiva e nas resoluções da Confederação Brasileira de Futebol”, apontou a nota.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. paulo honda disse:

    é isso aí Kasinsk, vale o que está escrito. O problema é que a comunicação à Portuguesa a respeito da pena foi verbal na sexta-feira e por escrito na segunda. O jogo foi no sábado, portanto antes da comunicação por escrito. E aí? Vale o verbal ou o escrito?

  2. paulo kasinsk disse:

    Vale o que está escrito e zefini. Virada de mesa é quando se rasga o regulamento, mudam-se as regras de um jogo que já estava em andamento. Será que é tão difícil entender? A Portuguesa usou um jogador que tinha que concluir uma pena. A pena não foi concluída, e aí? Não é infração? E o que diz a infração? Perda de 4 pontos e mais 100 mil reais para o Natal do STJD. Na minha terra é assim: escreveu não leu é analfabeto, e estamos conversados. Como diria o Bode Gaiato: "É melhor estudar pá o Enem."

Presidente do Inep nega erros na divulgação dos resultados do Enem

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Luiz Cláudio Costa, afirmou categoricamente nesta quinta-feira que o órgão não errou na divulgação dos resultados por escola do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2012. Ele veio ao Rio para a conferência “O Ensino Médio em Debate”, promovida pela Fundação Cesgranrio.

Segundo Costa, o motivo para escolas tradicionais terem ficado de fora são erros do próprio colégio no ato de preenchimento do Censo Escolar ou na inscrição do aluno no Enem. Nesta quarta, 24 instituições de ensino em todo país entraram com recurso pedindo revisão dos dados. O Colégio Santo Inácio e o Notre Dame, no Rio, e o Gay Lussac, em Niterói, são exemplos de escolas que não entraram na lista divulgava pelo Inep.

O Inep divulga as notas das escolas com no mínimo 10 alunos participantes no Enem e com ao menos 50% dos estudantes inscritos no exame. Neste ano, mais de 11 mil se enquadraram nestes critérios e tiveram seus resultados divulgados. A seguir, veja a entrevista com Luiz Cláudio Costa:

Algumas escolas tradicionais ficaram de fora do levantamento de desempenho do Enem 2012, e esta não é a primeira vez que isso acontece. Quais seriam as causas dessa exclusão da lista?

LUIZ CLAUDIO: Para todas que recorreram até agora, não houve nenhum erro do Inep, e eu vou lhe assegurar que não há nenhum erro. Se houver, nós teremos muita humildade para reconhecer. Vinte quatro instituições entraram com o recurso. O Censo Escolar é nossa base, nós temos que ver quais são os concluintes do ensino médio estudando naquela escola. No Enem, o número de inscritos é muito mais do que o número de participantes que estão de fato concluindo o ensino médio. Na hora da inscrição no Enem, muitos alunos que já não estão mais na escola preenchem o formulário dizendo que estão matriculados no seu ex-colégio. Isso gera confusão. Por exemplo, em uma escola com 40 concluintes do ensino médio, como é que pode ter no Enem 48 alunos dizendo que são concluintes daquela escola? O sistema não calcula porque, desse modo, estaremos prejudicando ou beneficiando aquela escola. Quando há inconsistência, a escola recorre. Nós mandamos os dados para fazer a compatibilização e ela vai nos dizer realmente quem são seus alunos. Se é procedente, nós fazemos os cálculos.

Essas “inconstâncias” então ocorrem no ato do preenchimento do Censo ou do Enem?

LUIZ CLAUDIO: Pode ser nos dois. A inscrição do Enem não é a escola que faz, é o estudante. Então, ele pode cometer algum erro. Pode ter estudado num semestre em uma escola, depois ter ido para outra, e ter se inscrito no Enem como se fosse aluno da primeira. Quando a escola fala “eu tenho certeza que meus alunos”… Não tem. Não tem controle. Ela não inscreve os alunos. E pode ser também que haja insconsistência no Censo. Então, é por isso que nós não gostamos de calcular a média. O que estou pensando para o ano que vem, mas que por enquanto é apenas uma expectativa, é se adiantar e identificar essas inconsistências entre Censo e Enem antes do resultado. Assim, nós pediríamos esclarecimentos antes.

E se forem muitas escolas?

LUIZ CLAUDIO: Por isso que eu preciso averiguar, é apenas uma ideia.

Todos sabemos que o MEC e o Inep não fazem rankings. Mas, partindo da perspectiva dos pais dos alunos, é possível se guiar pela comparação das médias das escolas no Enem para aferir a qualidade do ensino médio repassado por elas?

LUIZ CLAUDIO: No Campeonato Brasileiro só pode haver um primeiro lugar. Na corrida de Fórmula 1, só pode haver um primeiro lugar. Mas na educação, nós temos todas as escolas juntas, e cada uma com suas características. Então, uma escola estadual com 400 a 500 alunos não deve ser comparada exatamente com uma escola privada de 20 a 30 alunos. A primeira escola é boa em termos de inclusão, e a segunda em termos qualitativos. Se a primeira tivesse também uns 20 alunos, ela poderia ser tão boa quanto a segunda em termos qualitativos. Mas eu acho que não pode ser jogado tudo fora, desde que haja reflexão sobre essas diferenças. Acho bom a gente analisar os dados para que saibamos o seguinte: qual educação nós queremos?

Mas esses rankings não acabam se repetindo no ensino superior, com a divulgação de dados como o IGC e o CPC?

LUIZ CLAUDIO: Nós não fazemos rankings. Quem faz são vocês (da imprensa). É a forma de a imprensa dialogar com a sociedade, e que eu acho bom. Não tem problemas. Agora, quando se divulga IGC e CPC vêm aquelas perguntas de qual é a melhor, é natural, é um diálogo social. Costumo dizer que nós do MEC/Inep temos que fazer três diálogos no mínimo: um com as escolas, que, para mim, é o mais importante, outro com a sociedade, de fundamental importância, e depois com a imprensa, que para mim é importantíssimo. . Quando discutimos educação, temos que levar em conta o seguinte: por que aquela escola é boa? Será que é por que ela tem poucos alunos? Será que é seus professores são todos graduados? As escolas federais, por exemplo, tiveram um ótimo desempenho, mas vejam que nós nem procuramos exaltá-las porque entendemos que nossa preocupação é com as escolas estaduais.

O Globo

FOTO: Igreja com formato de pênis causa polêmica ao ser visualizada no Google Maps

 609A igreja Ciência Cristã em Illinois, EUA, afirma que não teve a intenção ao construir. A imagem foi flagrada há 1 mês e circulou pela internet. Agora, o líder da igreja, resolveu falar sobre o assunto. Scott Shepherd declarou em jornais locais que desde que a “piada” se espalhou, sua igreja está cada dia mais vazia.

“A internet tem grande capacidade para o bem, e grande capacidade de fofocas e destruição”, disse. Ele ainda afirmou que a Sociedade da Ciência Cristã de Dixon não teve a intenção de transformar sua casa santa em um grande “falo marrom”: “Nós não a projetamos para ser vista de cima”.

O arquiteto responsável pelo projeto, John McLane, foi acusado de ter projetado a estrutura propositadamente, mas ele rebateu as acusações e disse que a igreja foi construída dessa forma para fazer parte de um edifício perto do cruzamento das duas avenidas, além de preservar uma grande árvore de carvalho que pode ser vista ao lado da igreja, então, os responsáveis resolverem construir em torno da árvore.

De qualquer forma, os rumores e piadinhas estão prejudicando a imagem da igreja e muitos fiéis se recusam a continuar frequentando-a.

Jornal Ciência

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. edson antonio dombroski disse:

    so podia ser coisa deamericanos

  2. José Francisco De Souza disse:

    Olhando bem o espaço onde a igreja está localizada, não havia necessidade da mesma ser construída desta forma!

  3. Fina Ironia disse:

    Está na hora de Jesus voltar…

Cotas em concursos ampliam discriminação, afirmam servidores

e258f4b7a24abd85e89a6e96b103ba5aFoto: Ed Alves/CB/D.A Press

A reserva de 20% das vagas em concursos para o serviço federal, proposta pela presidente Dilma Rousseff nesta semana, é vista com reserva por boa parte dos funcionários públicos negros. Para eles, a meritocracia deve ser o critério de seleção, e não a cor da pele. A maioria dos ouvidos pelo Correio acredita que a criação de cotas no serviço público é discriminatória e reforça o preconceito.

Ednaldo dos Santos, 52 anos, servidor do Ministério da Agricultura, avaliou que a implementação do sistema de cotas nos certames desrespeita a população e amplia o preconceito contra os negros e, até mesmo, entre eles. “As bancas organizadoras precisam avaliar o candidato pelos conhecimentos aferidos nas provas e não por conta da cor da pele. Isso é ridículo”, afirmou. Santos acredita que, diante da reprovação da maioria dos brasileiros, o sistema de cotas não deve entrar em vigor. Ele disse que o governo precisa rever alguns conceitos. “O mais justo seria estabelecer uma reserva de vagas para pessoas com dificuldades financeiras e não por raça”, afirmou.

Já na opinião da servidora Nivaldina Santos da Paixão, 58, o sistema de cotas é um não reconhecimento da sabedoriados negros. “Sem contar que é preconceituoso demais. Os próprios negros deveriam entender isso”, afirmou. “Com isso, a nossa luta por igualdade perde todo o sentido. Será que não temos capacidade para passar em um concurso? Eu e meus filhos nunca precisamos de cotas para entrar na faculdade ou no serviço público. Foi tudo mérito nosso”, frisou.

CorreioWeb

Você concorda? Cotistas terão até 40% das vagas em concursos públicos

O projeto de lei anunciado pela presidente Dilma Rousseff, que prevê reserva de 20% das vagas de concursos públicos para negros, ressuscitou o debate sobre o sistema de cotas. Se, para parte dos especialistas, a separação de postos para afrodescendentes no mercado de trabalho é um ganho natural após a garantia desse direito nas universidades públicas, outros tantos acreditam que, caso seja aprovada no Congresso Nacional, a proposta pode acabar com o sistema de meritocracia que deve reger os certames para a Administração Pública.

16d1caf4fcde8ae1781d5add4ff24e06Foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press

A professora Carmen Migueles, da Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas na Fundação Getulio Vargas (FGV), concorda que, com a exclusão histórica dos negros, devem ser adotadas políticas afirmativas. Ela acredita, contudo, que o sistema de cotas pode representar um problema de gestão para o governo federal. “O concurso nunca discriminou por cor. O que estão fazendo é criar uma seleção adversa, dando direito a quem não conseguiu passar por nota. O governo fere os princípios da gestão do Estado, ao priorizar a entrada, na máquina pública, de pessoas menos preparadas para exercer funções importantes”, afirmou. Na opinião dela, as cotas podem provocar um inchaço no governo, que vai ficar mais caro e, possivelmente, mais incompetente para a prestação de serviços a uma sociedade que paga impostos pesadíssimos.

Dilma cobra 20% das vagas em concursos públicos para negros  

Criador do sistema de cotas na Universidade de Brasília (UnB), o professor José Jorge de Carvalho discorda e acredita que, além de bem-vinda, a notícia é uma consequência natural da luta pelos direitos dos negros. “Assim que se formasse, a primeira geração do programa de cotas das universidades encontraria a mesma dificuldade no mercado de trabalho. Eles não conseguiriam transplantar a inclusão para o serviço público, porque continua havendo um contingente muito maior de concorrência branca”, explicou.

Segundo o professor, atualmente, a presença dos negros não chega a 1% entre os cargos mais importantes dos Três Poderes. Entre os 620 procuradores da república, por exemplo, apenas sete são negros. Entre os ministros, só uma, a titular da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Luiza Bairros.

Para Marcelo Paixão, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a decisão da presidente foi acertada, mas talvez seja necessário criar algum tipo de restrição, já que, diferentemente do vestibular, o concurso não tem uma nota mínima de corte. “Talvez o Congresso estipule alguma exigência que elimine candidatos que não têm o mínimo de conhecimento necessário”, ressaltou. “A questão das cotas pode gerar muita polêmica, mas tem um objetivo correto, que é o de aumentar a diversidade”, completou.

CorreioWeb

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Paula Mendonça disse:

    Acho que a questão vai muuuito além de dizer se concordamos ou não… começaram com as cotas nas universidades e agora estão praticamente substituindo o vestibular pelo ENEM… agora vem essa história de 40% das vagas de concursos para cotistas… E o ensino público continua sem melhoras… sem nenhuma melhora, o nível intelectual vai decrescento porque tudo é nivelado por baixo. Acho que os nossos governantes precisam entender que nós Brasileiros somos inteligentes e capazes e precisamos de líderes que nos conduzam ao progresso e não ao regresso. O nível das nossas universidades está caindo… e o brasileiro ao invés de lutar por melhoria no ensino de base se contenta com as BOLSAS da vida. No serviço público a mesma coisa… cargo público exige responsabilidade, probidade entre outras coisas, não dá para banalizar isso também. O brasileiro é roubado, enganado e ainda por cima chamado de burro. Aí é brincadeira. Somos uma nação rica e inteligente, temos potencial… larguemos as bolsas, o assistencialismo e outras cositas mas que apenas mascaram os nossos reais problemas. Se o assistencialismo desse certo, já teríamos logrado êxito desde a época de Vargas (que já adotava políticas assistencialistas).

  2. luiz disse:

    A BRANCALHADA PIIIIRAAAAA! HUAHAUHAUHAUAHUA Falar que a 'MERITOCRACIA' é justa, quando você tem uma ferrari e o concorrente tem um fusca, é muito fácil! Engulam, burgueses revoltados!!!

  3. Marcos disse:

    Não concordo.

  4. José Antonio Meira da Rocha disse:

    Concordo!

  5. Joaozinho da escolinha disse:

    Eu concordo que seja destinado a vaga de presidente da republica no proximo ano para afrodescendentes. Dona Dilma e seu cumpadre vão aprovar? 40% das vagas de deputados, senadores e assessores para afrodescendentes. Essas sao medidas socio afirmativas que eles deverão cumprir em decorrencia da escravidão que ocorreu ha 2 seculos atras, que ja devia ter sido esquecida e não estimulada. Depois disso, a primeira eliminação da minoria branca racial do mundo poderá se concretizar no Brasil nos moldes invertidos da Alemanha racista do seculo passado. Falta so os fornos para queimar esse povo. Eu acho que as pessoas que bolaram isso devem ter aprendido na Africa do Sul e na Alemanha do seculo passado a liçao de casa, e converteram o modelo na eliminação da minoria branca da população brasileira. So esqueceram que o problema está na educaçao dessa maioria afrodescendente que nao se resolverá por cotas, mas por investimento em ensino publico basico para TODOS.

  6. caio fábio disse:

    É isso mesmo José Augusto, ser branco, heterossexual e honesto neste País, passou a ser motivo de exclusão e discriminação.

  7. Jose Augusto disse:

    Infelizmente sou da CLASSE EXCLUÍDA do século XXI sou BRANCO!
    Que posso fazer,me resta estudar 4x mais para ver se tenho a sorte de passar em concurso e conseguir UMA VAGA!
    A sensação que tenho é que o BRASIL está virando de CABEÇA PRA BAIXO.
    COTA é sinônimo de INCOMPETÊNCIA, de INCAPACIDADE, fala de QUALIFICAÇÃO. Então como é difícil ter EDUCAÇÃO DE QUALIDADE,fazem COTAS!
    MAIS UMA VERGONHA PRODUZIDA PELOS PRINCÍPIOS DOGMÁTICOS DO PT.

    • Gustavo disse:

      Sou a favor das cotas! Quero cota para filhos de políticos nas escolas públicas. Cota para políticos e seus familiares nos ônibus coletivos e nos hospitais públicos. Cota habitacional para políticos, para que eles possam morar tranquilamente nas periferias. Quem sabe com essas cotas alguma coisa melhor em nosso país. Infelizmente muita gente até esclarecida comprou a ideia de Lula de que o Brasil tem uma "dívida" com os negros. Ora, quem tem dívida são os países europeus que escravizaram o povo africano durante séculos. O Brasil é vítima tanto quanto eles. Aliás, somos todos o resultado de diversos povos explorados: africanos, japoneses e europeus falidos que vieram pra cá depois de terem sido enxotados por suas próprias nações. Não precisamos de cotas para negros, precisamos, sim, de saúde e educação de qualidade para que TODOS os cidadãos possam buscar o seu lugar ao sol.

Carla Perez sorteia cachorro na TV e revolta ativistas

12318494Após comoção na internet com o caso dos beagles resgatados de um laboratório, os ativistas defensores de animais estão voltando suas atenções a Carla Perez.

A apresentadora está sendo criticada nas redes sociais por sortear um cachorro em seu programa “Clube da Alegria” (TV Aratu, afiliada do SBT da Bahia).

O vídeo com a promoção “Meu Pet” foi publicado no YouTube pelo canal oficial da atração, no dia 4 de outubro. A promoção continua válida até o dia 31 de outubro.

No vídeo, Carla Perez anuncia que para concorrer ao “prêmio”, basta a criança mandar um e-mail com um nome criativo que daria para o cãozinho.

Revoltados, internautas pedem que o sorteio seja suspenso.

“Cancelem o sorteio do cachorro! Bicho não é brinquedo. Estou tentado contato com vocês desde ontem sem sucesso. Nós, protetores do Brasil, imploramos que voltem atrás e cancelem!”, escreveu a usuária do Youtube Beth Castilho.

“É muito sem noção essa Carla Perez. Ter um animal de estimação é uma responsabilidade que deve ser assumida com base em reflexão e consciência sobre a dedicação necessária, os cuidados e despesas envolvidos e a disponibilidade amor para dar ao animal. Sem noção!”, protestou a usuária Pepita.

“Sorteia os filhos dela!”, propôs a internauta Liz Freitas.

“Depois reclama se a chamam de burra, mas só dá bola fora”, lamentou a internauta Aline Aparecida.

Procurada pelo “F5”, a TV Aratu informou que, por enquanto, não vai suspender o sorteio.

“É um programa infantil que tem, inclusive, um quadro sobre bichos, no qual damos informações sobre cuidados com animais. A promoção foi por causa do mês das crianças e não estamos comercializando animais, pelo contrário, estamos ensinando as crianças a cuidar do bichinho de estimação”, disse uma produtora do programa, que não quis se identificar.

Procurada, Carla Perez não foi localizada pela reportagem.

Folha

Ao falar sobre insegurança, vereador de Caicó se "atrapalha" e diz que é normal mulher "levar carreira" de tarado

alissonjacksonsO vereador Alisson Jackson usou a tribuna da Câmara de Caicó para falar sobre a violência na cidade, mas acabou produzindo uma das frases mais infelizes já proferidas por um parlamentar naquela casa.  Discorrendo sobre a falta de saúde e segurança no município, ele comentou sobre o risco para as pessoas que chegam de madrugada aos postos de saúde para pegarem ficha de atendimento.  Em um dado momento de sua fala, o parlamentar citou um caso de uma mulher que, chegando de madrugada a um posto para pegar ficha, levou uma carreira de um tarado.  O que ele disse depois seria cômico se não fosse trágico.

“Essa senhora levou uma carreira de um tarado. Enquanto for de um tarado tá bom, e quando for de um meliante?”, disse Alisson

Além de revoltas nas redes sociais, as declarações infelizes do vereador Alisson Jackson, durante sessão da Câmara Municipal de Caicó nesta quarta-feira (16) deixaram alguns movimentos que defendem os direitos das mulheres caicoenses revoltados. O próprio Conselho Municipal dos Direitos da Mulher já adiantou ao Blog do Marcos Dantas que estará emitindo uma Nota de Repúdio a postura do vereador.

Com informações e foto do V&C Artigos e Notícias e Blog Marcos Dantas

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. paulo kasinsk disse:

    É a versão de "estupra mas não mata", de Paulo Maluf. Na verdade, caro BG, isso não é trapalhada, o vereador não se atrapalhou: o grave da questão é que é assim mesmo que ele pensa, o conceito dele sobre a mulher está explícito na frase dele. Fica aqui a minha solidariedade às mulheres, em especial à mãe, à irmã e à esposa dele, se for casado. Devem estar morrendo de vergonha.

Presidente do Atlético-PR chama São Paulo de 'bambinhos' e alfineta ídolo do seu próprio clube

0002048115431_imgO presidente do Atlético-PR, Mário Celso Petraglia, não fugiu das polêmicas em sua participação do programa Bola da Vez, da ESPN Brasil. Em 90 minutos de entrevista, o dirigente criticou o principal destaque do Furacão, o meia Paulo Baier; chamou o São Paulo de “bambinhos”; disse que o clube foi já vítima de forças ocultas; e revelou tentativa de fusão com Paranás e Coritiba.

O ponto mais polêmico de sua entrevista foi com relação à renovação com Paulo Baier. Após marcar dois gols no Atletiba, no domingo, o jogador deixou o gramado anunciando que deixará o time ao final do ano, porque a atual diretoria não pretende mantê-lo.

O dirigente, porém, não se inibiu em criticar o camisa 10. “Parece loucura, mas o que ele ganhou pelo Atlético? Não sou contra o Paulo Baier, mas a nossa política é de renovação, de juventude”, argumentou. “Nos melhores jogos nossos neste ano, depois da recuperação do Mancini, ele não estava em campo”, continuou, afirmando que o jogador foi herança da gestão anterior.

Mais polêmicas

O São Paulo também não escapou do “gatilho” de Petraglia. O dirigente comentou que, quando assumiu o clube em 1995, o projeto era ser campeão brasileiro em dez anos. Fato que se confirmou até com antecedência, já que em 2001 foi campeão nacional.

“Fomos quase bi em 10 anos. Se não fossem forças ocultas teríamos sido. Se não fossem as forças ocultas, teríamos sido campeões da Libertadores”, afirmou, sobre os vice-campeonatos brasileiro de 2004 contra o Santos e da Libertadores 2005 diante do São Paulo.

Petraglia citou o fato do Furacão ter sido obrigado a mandar a final da Libertadores no Beira-Rio. Ele garante que tinha certificados de que a Arena da Baixada possuía 40 mil lugares. “Nos tiraram na mão grande. Por força de ‘instruciones superiores’ fomos jogar no Beira-Rio. Dois meses depois, os bambinhos foram lá (Arena) e tomaram de 4″, disparou.

Só um clube no Paraná?

O dirigente ainda revelou que na década de 90 chegou a sugerir uma fusão entre Atlético e Paraná, já que na visão dele Curitiba “não comporta três clubes grandes”. E reforçou o fato de que, hoje, o Tricolor destruiu a maior parte de seu patrimônio.

Além disso, o cartola também afirmou que, na época, chegou à loucura até mesmo de pensar na fusão envolvendo os três principais clubes do Estado, incluindo o arquirrival Coxa. “Nossa sede sria o Couto Pereira e faríamos proposta para disputar o Paulistão”, concluiu.

Futebol Interior

Decisão do STJ sobre pensão para amante deve abrir caminho a mulher que se relaciona com homem casado

 O STJ (Superior Tribunal de Justiça) decide, em sessão nesta terça-feira (8), se aceita o pedido de uma carioca que foi abandonada pelo amante após relacionamento de 30 anos de receber pensão alimentícia do companheiro. Caso o a amante ganhe a ação, a decisão poderá formar uma jurisprudência a ser seguida por todos os tribunais do País.

A ação divide tribunais do Brasil, já que não há consenso sobre o caso. A amante já ganhou a ação no TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), que considerou que ela era dependente financeiramente do homem.

O presidente da ABDFAM (Instituto Brasileiro de Direito de Família), Rodrigo da Cunha Pereira, afirma que, com tantas famílias paralelas, acaba sendo uma hipocrisia o homem não se responsabilizar pelo relacionamento extraconjugal e que, se a Justiça não acatar o pedido, estará contribuindo para o machismo no País.

— Existem milhares de famílias paralelas, mais conhecidas como “simultâneas” no Brasil, que não reivindicam nada porque acham que não têm o direito […] Se o pedido não for aceito, estarão premiando o machismo. Será melhor ter uma amante porque assim o direito a pensão jamais será partilhado com ela. Só com a esposa.

Segundo a coluna de Mônica Bergamo desta segunda-feira (7), a mulher, que era sustentada pelo homem casado, está doente e quer a pensão. Ainda de acordo com a coluna, a pensão foi fixada em 20% dos rendimentos do réu.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcelo disse:

    Ninguem quer mais trabalhar, pqp!!!!!! O que eh que ela quer com homem casado! Daqui a pouco as mulheres da vida vao querer tb, ai pronto lascou tudo! Machismo uma droga, daqui a pouco ninguem pode mais nem olhar pra uma mulher que vai preso, quando acabar reclaman que tem muito homosexual! Eh pressao demais!

  2. Fina Ironia disse:

    Parem o mundo que eu quero descer. E ainda dizem que o mundo não acabou?! Os "gastosos" estão lascados…

Série C: Sampaio Corrêa e Brasiliense teriam ‘comprado’ o Rio Branco

O Rio Branco já está rebaixado no Campeonato Brasileiro da Série C, mas ainda teria uma motivação a mais para complicar a vida do Santa Cruz, em duelo marcado para a noite desta quinta-feira, ás 19h30 (de Brasília), na Arena da Floresta, no Acre. A famosa ‘mala branca’ estaria rondando solta nos bastidores.

Informações dão conta de que Sampaio Corrêa e Brasiliense enviaram dinheiro ao time acreano. Destes, o time candango foi o que ofereceu um maior valor: R$ 80 mil. Enquanto que os maranhenses estariam dispostos em desembolsar R$ 40 mil. Tudo para que o Santa não saia com os três pontos.

O diretor de futebol do time pernambucano, Constantino Júnior, viu com naturalidade o fato de os clubes apelarem na reta final da competição. Até porque, o Grupo A está muito equilibrado e qualquer tropeço pode ser fatal na briga pela classificação ao mata-mata.

“A gente sabe que isso acontece no futebol brasileiro, mas, por ser um grupo equilibrado, os incentivos financeiros vão aparecer. Espero que o grupo foque no jogo, esqueça o extra campo. É trazer um bom resultado pra o Recife e conquistar a classificação no domingo contra o Brasiliense”, disse o dirigente.

O Rio Branco é o lanterna, com apenas seis pontos ganhos. Enquanto isso, o Santa Cruz aparece na quinta posição, com 28. Um simples resultado positivo, nesta noite, coloca a Cobral Coral na primeira posição.

Agência Futebol Interior

Fim da polêmica: Novela "Amor à Vida" desiste de suposto incesto

IncestoAmorA partir deste sábado (5) será revelado que o novo administrador do hospital San Magno, Hebert (José Wilker), não é o pai biológico de Gina (Carolina Kasting).

Os dois personagens já iniciaram um envolvimento romântico, o que iria configurar incesto e gerar grande polêmica na novela de Walcyr Carrasco.

Anos atrás, Hebert teve um caso com a mãe de Gina, Ordália (Eliane Giardini). Ele não sabe que a jovem é filha da enfermeira.

Com a revelação, Gina e Herbert darão sequência ao relacionamento, o que deve criar conflito entre a cozinheira e sua mãe.

Folha

Miley Cyrus perde a postura e diz: `Senti que poderia finalmente ser a vagabunda que realmente sou`

PEOPLE-MILEYCYRUS_A apresentação de Miley Cyrus no MTV Video Music Awards ainda está rendendo declarações polêmicas. No documentário “Miley: The Movement”, que será exibido em 2 de outubro na MTV americana, a cantora e atriz de 20 anos aparece como uma artista ambiciosa, determinada a ver seu single “We Can’t Stop” chegar ao primeiro lugar, e em deixar para trás suas raízes como estrela de “Hannah Montana”, do Disney Channel.

“Senti que poderia finalmente ser a vagabunda que realmente sou”, diz ela no documentário, descrevendo sua apresentação ao lado do cantor Robin Thicke como uma “confusão estratégica e sexy”.

O filme de 1h de duração foi filmado cerca de três meses antes do VMA, com algumas complementações posteriores. Segue Miley em sua casa em Los Angeles com seus cães, durante eventos para promover “We Can’t Stop” e em ensaios. A produção ainda fala sobre sua infância com o pai Billy Ray Cyrus, cantor country, e a mãe, Tish. Também inclui clipes de Britney Spears e colaboradores musicais, o produtor Mike WiLL e o rapper e produtor de discos Pharrell Williams.

O objetivo do programa VMA é “ampliar os limites”, disse ela, acrescentando que quis que a apresentação fosse memorável da mesma forma que o beijo da pop star Britney Spears em Madonna na mesma premiação há uma década.

“É isso o que você está buscando, fazer história”, completa.

Britney, que iniciou uma turnê de dois anos em Las Vegas em dezembro no Planet Hollywood Resort and Casino, e outras estrelas mirins enfrentaram dificuldades pessoais para entrar na carreira adulta. Mas Miley enxerga isso como ponto de partida para ser uma nova artista. A aparência de Miley — unhas pintadas de dourado, tatuagens e cabelo curto e loiro platinado — está bem distante dos seus dias como estrela adolescente em “Hannah Montana”, que ficou no ar de 2006 a 2011. Reforçando sua imagem, ela posou de topless para a capa da revista “Rolling Stone” na edição de outubro e para uma das várias capas de seu álbum “Bangerz”, que deve chegar às lojas em 8 de outubro. Miley também rasga suas roupas no videoclipe da faixa “Wrecking Ball”.

Uma ausência sentida no documentário foi a do ator Liam Hemsworth, de “Jogos Vorazes”. Hemsworth, de 23 anos, e Cyrus terminaram o noivado neste mês, pondo fim a um relacionamento de quatro anos.

“Decidimos nos concentrar na música e no lado profissional”, foi tudo o que Dave Sirulnick, vice-presidente executivo da MTV e produtor-executivo do filme, disse sobre a ausência de Hemsworth.

O Globo

Após a Copa, desembargador quer Arena da Amazônia como local de triagem de detentos

56b3de1d-0aba-4edd-ba23-d3809a0760e9_23072013_arena_da_amazonia_divulgacao-andrade_gutierrez_2Com mais de 80% de suas obras concluídas, a Arena da Amazônia, que receberá quatro partidas da Copa do Mundo de 2014, pode ter um uso diferente. O desembargador Sabino Marques, presidente do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário, sugeriu que o local seja utilizado como triagem de presos após o fim da competição de seleções. Entre suas justificativas para a sugestão está a afirmação de que o número de detentos abrigados por Manaus é o dobro do possível e que o uso do estádio facilitaria o trabalho.

“Pode ser a Arena da Amazônia ou outro local como o Povos da Amazônia (Centro Cultural). O certo é que temos esse vácuo, essa lacuna (falta de espaços para triagem). E, se tem um espaço vazio, vamos ocupar. É o primeiro momento. Nós temos mais áreas, mas a ideia central é um centro de triagem. Ninguém vai ficar deitado na grama. Vamos ter uma equipe multidisciplinar cuidando desses presos”, afirmou Marques.

O desembargador ainda explicou o surgimento da ideia, que veio do fato de que, no momento, o Amazonas tem 5 mil presos a mais da capacidade limite.

“Agora veio à tona, que não é novidade, que tem presos a mais e precisamos de um espaço para fazer essa triagem. Então é utilizar esses espaços ociosos para a triagem e colocar uma equipe multidisciplinar com promotor, juiz, defensor, entre outros. Temos que um local de triagem, até porque a polícia tem um papel de prender, se for o caso, os juízes decretam prisões, e as pessoas antes de ir para o presídio, passam por 48h, 72h, até ser encaminhada para o presídio”, declarou.

Sabino Marques ressaltou que, mesmo com o uso para fins esportivos, ainda haverá espaços ociosos na Arena da Amazônia.

“Até torço, passando a Copa, que sirva para outras atividades de atendimento à saúde e educação, por exemplo. Mas, mesmo levando em conta que vai ser para a prática esportiva, eu creio que terá espaços extremamente ociosos”, e completou, “Como esta situação é muito salutar e circula rapidamente com as redes sociais, a sociedade, quando tiver dúvida, pode me perguntar. Não dizer que está se voltando ao regime Pinochet (ditador que governou o chile) e que eles (detentos) vão ficar dormindo na grama”.

A Secretaria de Justiça do Amazonas e a Unidade Gestora do Projeto Copa no Amazonas (UGP Copa) informaram, através de suas assessorias de imprensa, que não vão se pronunciar por ainda não terem recebido nenhum comunicado oficial referente ao assunto.

Yahoo Esportes

STJD exclui Aparecidense por invasão de massagista e classifica Tupi na Série D

A invasão de campo do massagista Romildo Fonseca da Silva, o Esquerdinha, que tirou um gol do Tupi contra a Aparecidense, não adiantou de nada. O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) decidiu nesta segunda-feira excluir o time goiano da competição por causa da estripulia de seu funcionário, não sendo necessária a realização de um novo jogo.

Desta forma, o Tupi está classificado às quartas de final da Série D e vai enfrentar o Mixto-MT nesta fase. Como a decisão foi em primeira instância, ainda cabe recurso.

– Seria uma premiação a quem se beneficiaria a quem faltou com a ética. Transformaríamos o massagista em um herói. Não duvido que poderia até ser eleito para um cargo público – disse o auditor-relator do processo, Washington Rodrigues de Oliveira.

Além disso, o massagista foi suspenso por 24 partidas e ainda levou multa de R$ 500. A Aparecidense, além de ser excluída, vai ter que pagar R$ 100.

– Deveria se candidatar a ser goleiro, e não massagista. Ele evitou o gol por duas vezes – emendou o procurador William Figueiredo de Oliveira.

Inicialmente, o clube e o massagista foram denunciados no artigo 243-A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, por terem “atuado de forma contrária à ética desportiva”. Mas o Tupi pediu a exclusão da Aparecidense do campeonato, baseando-se no artigo 205, que prevê pena para o clube impedir o prosseguimento do jogo. E foi seguido pela maioria dos auditores da Primeira Comissão.

Advogado que representou o time mineiro, Mário Bittencourt criticou o fato de o massagista e algum representante do clube, além do advogado João Vicente Morais, não terem sequer comparecido ao julgamento.

– Temos que avaliar nesse caso se o crime compensa ou não. Ele tinha que ter vindo no mínimo explicar. Mas o que o massagista fez? Foi fazer graça na televisão, repetindo o lance. Imaginem se isso ocorre no Flamengo x Vasco? Ia ter morte – disse Bittencourt.

A defesa de Aparecidense e massagista, feita pelo advogado João Vicente Morais, até tentou desqualificar o artigo no qual os dois foram enquadrados.

– Esse artigo 243-A tem é para punir a combinação de resultado. Esse fato o massagista é o caso de um fator externo, fora do campo de jogo, que influenciou o resultado – disse ele, citando o “fator externo” Luis Suárez, uruguaio que colocou a bola na mão na semifinal da Copa do Mundo contra Gana.

Ao ouvir a fala do advogado, o vice-presidente do Tupi, Clóves Santos, chegou a deixar o plenário, revoltado com o discurso do advogado dos goianos. O diretor de futebol Alberto Simão não chegou a sair do salão, mas deixou transparecer a emoção balançando a cabeça negativamente.

Mas ao fim do julgamento os dirigentes não tiveram do que reclamar. O Tupi está classificado às quartas de final da Série D.

Lance

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pedro disse:

    Decisão acertada. Não se pode tolerar comportamentos antiéticos e antiesportivos como esse. Ganhar e perder faz parte do jogo, mas ganhar na mão-grande não. Esse time deveria ser excluído por 10 anos de qualquer competição, no mínimo.

Declarado 'afrodescendente', branco de olhos verdes é aprovado por cotas raciais na 1ª fase do Itamaraty

foto-1A questão racial está gerando novos atritos dentro do Ministério das Relações Exteriores. E desta vez a polêmica é no processo seletivo para o Instituto Rio Branco, que seleciona os candidatos que servirão nos quadros da diplomacia brasileira. Dentre os 10 nomes de candidatos aprovados na primeira fase do concurso dentro das cotas para afrodescendentes, divulgados nesta terça-feira, está o de Mathias de Souza Lima Abramovic. Pessoas próximas a Mathias e que também prestaram o concurso deste ano questionam se ele de fato pode ser enquadrado dentro dos critérios de afrodescendência.

Para concorrer dentro das cotas, basta que o candidato se declare “afrodescendente”. Não há verificação da banca. Tampouco o edital do processo seletivo define os critérios para concorrer como afrodescendente. O benefício é válido apenas para a primeira fase, de onde somente as 100 maiores notas são classificadas para a segunda etapa. As cotas reservam um adicional de 10 vagas para afrodescendentes e outras 10 para deficientes, totalizando 120 candidatos que continuarão na disputa. Nesta edição do concurso, 6.490 brigam por uma das 30 vagas disponíveis.

Morador do Rio, Mathias ficou com nota final 47.50, quase dois pontos a menos que o último candidato aprovado na livre concorrência. Em seu perfil no Facebook, há uma foto onde ele aparece com uma camisa com os dizeres “100% negro”. Na legenda da imagem, o candidato complementa: “com muito orgulho – feliz happy”. Ele já desativou sua conta na rede social.

De acordo com um dos candidatos que estudou com Mathias e preferiu não se identificar para não sofrer eventuais retaliações no concurso, o caso só enfraquece políticas afirmativas que o Itaramaty tenta empregar na última década. Ele lembrou ainda que, como a afrodescendência é autodeclaratória no processo seletivo, o benefício pode ser utilizado por candidatos de má-fé:

– Esse tipo de postura não apenas causa prejuízos à admissão de candidatos efetivamente afrodescendentes, como, também, pode deslegitimar uma política pública séria e efetiva – afirmou o candidato.

O GLOBO entrou em contato com Mathias, mas ele preferiu não dar entrevistas, alegando que ele deveria se concentrar nos estudos neste momento. A reportagem também acionou o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (CESPE/UnB), responsável por organizar o processo seletivo para o Instituto Rio Branco, mas ainda não obteve resposta.

Negros na diplomacia

A questão racial é delicada no Itamaraty. Em julho deste ano, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, afirmou ao GLOBO que a instituição é uma das mais discriminatórias do país. O próprio Barbosa prestou o concurso, mas foi reprovado nos exames orais, que segundo ele, davam margem para critérios subjetivos de avaliação e serviam para “eliminar os indesejados”.

Este é o segundo processo seletivo do Instituto Rio Branco em que a política de cotas é utilizada. Além delas, o MRE concede bolsas de estudo no valor R$ 25.000,00 para que candidatos afrodescendentes possam prestar o concurso. Diferentemente da política de cotas, nesse caso o ministério faz entrevistas orais prévias com os candidatos à bolsa, onde pode ser verificado se o postulante de fato se enquadra nos critérios da afrodescendência. Lançado em 2002, o programa já concedeu 526 bolsas para 319 pessoas. Desses, 19 foram aprovados.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sergio Nogueira disse:

    O nome Abramovic já revela sua ascendência nigeriana ou congolesa. Não entendo porque tanta polêmica.

  2. primo das primas disse:

    Deve ter um dos pais nascido na Africa do Sul. Então é afrodescendente.

Anitta rebate críticas após humilhar fã em show: 'Hipócritas'

Untitled-2Anitta usou o Twitter para responder às críticas à sua atitude durante um show na boate Multiplace Mais, em Guarapari, no Espírito Santo, no dia 8 de setembro. Na apresentação, a cantora briga com um fã depois que duas latinhas são atiradas em direção ao palco, onde o ator Paulo Gustavo brincava com a autora de “Show das poderosas”. Em um vídeo postado no Youtube, é possível ver Anitta xingando alguém que estava na plateia:

“Quem é o mal educado que tacou essa porra aqui? Está bêbado. Ninguém aguenta ficar do seu lado. Bêbado horrível. Mal educado da porra”, dispara.

Em seguida, ela diz que tudo não passa de uma brincadeira: “Num vai falar depois no Instagram que sou estrela não, hein. Eu estou brincando. Olha o senso de humor.”

No microblog, uma internauta pergunta por que “o povo está criticando a Anitta por aquele lance da latinha”. A artista responde: “Porque são mau humorados (sic), hipócritas, falsos moralistas e atrasados sexualmente”.

O vídeo com as imagens do incidente, publicado nesta terça-feira, já tem mais 215 mil visualizações.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. drika disse:

    Nada cntra mas a anitta chamou o homem de pobre e ela era pobre' Ela ta se achando só porque ta ganhando dinheiro isso é exclusão social eu teria vergonha de fzer isso e ainda por cima se rebaixou chamando palavrão e ela nao baixou a moral mesmo tendo errado' Na minha opnião deveria meter um processo por exclusao social da anitta Só acho

  2. erika disse:

    e desse jeito…ela e mt duas cara

    • renata disse:

      Pois e pra vc ver onde chega a humildade dela,pois o mc daleste antes de morrer levou um tiro na axila e disse ta de tiracao em mulekote em nenhum momento ele ofendeu o palco ai agente ve quem tem humildade mesmo….