FOTO: Celular do tamanho de uma tampa de caneta é apreendido em presídio

Foto: Reprodução

gentes penitenciários apreenderam, nesta segunda-feira, um aparelho de telefone celular do tamanho da tampa de uma caneta. A apreensão foi feita durante uma inspeção geral na Penitenciária Milton Dias Moreira, em Japeri, na Baixada Fluminense(RJ).

De acordo com a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), o celular estava escondido no interior de uma cela da unidade penal. Além disso, a revista feita por 200 agentes, em parceria com a 3ª Promotoria de Justiça de Execução Penal do Ministério Público do Rio, encontrou outros 88 celulares, um roteador, seis chips, oito relógios e pouco mais de R$ 1,5 mil .

Os agentes apreenderam ainda 90 gramas de cocaína e 700 gramas de maconha.

O Globo

Serguei, um dos maiores símbolos do rock no Brasil, morre aos 85 anos no RJ

Serguei durante apresentação no Centro Cultural São Paulo, em novembro de 2017 — Foto: Van Campos/FotoArena/Estadão Conteúdo/Arquivo

O cantor Serguei morreu na manhã desta sexta-feira (7), no Hospital Zilda Arns, em Volta Redonda (RJ), onde estava internado desde o fim de maio. Ele tinha 85 anos. De acordo com a direção do hospital, Serguei ficou 11 dias na UTI e morreu por problemas cardíacos, ocasionados por pneumonia, desnutrição e complicações senis.

Serguei havia sido internado no início de maio em um hospital em Saquarema (RJ), cidade onde morava, com um quadro de desidratação, desnutrição e infecção urinária. Segundo os médicos, ele sofria de Alzheimer. No final do mês, apresentou arritmia severa e insuficiência respiratória aguda. Com o agravamento de seu estado de saúde, foi transferido para Volta Redonda.

O cantor nasceu em 8 de novembro de 1933, filho único do executivo Domingos Bustamante e da dona de casa Heloísa Bustamante. Aos 12 anos, foi morar com a avó materna, Lia Anderson, em Long Island, Nova York, onde participou de festivais estudantis.

Voltou ao Brasil em 1955, aos 22 anos, mas depois retornou aos Estados Unidos, onde começou sua carreira musical, em 1966. Voltou ao Brasil novamente em 1972 e foi morar na cidade de Saquarema, no Rio de Janeiro. Foi quando começou a ficar famosa a história de que ele havia tido um affair com a cantora Janis Joplin.

O músico era conhecido por fazer versões de clássicos do rock, sempre com uma performance, um visual e um discurso exagerados. Seu visual era marcado por roupas rasgadas, maquiagem, vários acessórios, camisas pretas e cabelos longos.

Serguei se apresentou em quatro edições do Rock in Rio (1991, 2001, 2011 e 2013) e teve a casa em Saquarema transformada em um museu do rock.

Entre seus feitos no palco, abriu a segunda edição do Rock in Rio, no Maracanã. Em 2001, voltou ao festival e cantou “Satisfaction”, dos Rolling Stones.

“O primeiro Rock in Rio que eu fiz foi uma maravilha pra mim. Eu pedi para as pessoas sentarem no gramado do Maracanã e me despenquei lá de cima”, relembrou ao G1, em 2015.

“Eu estava com uma calça de helanca [espécie de lycra], levaram duas dúzias de rosas vermelhas, eu tirei os espinhos e enfiei dentro da cueca. Depois eu dei uma jogada de corpo, enfiei a mão, tirei a rosa, dei uma lambida e joguei no público. Em 2001 eu cantei a música dos Stones, depois arranquei as calças e joguei pra multidão.”

O cantor também foi destaque do carnaval do Rio pela Mocidade Independente, em 2013, quando a escola desfilou na Marquês de Sapucaí um enredo dedicado ao Rock in Rio. Ele saiu na comissão de frente com uma inusitada fantasia com a frase “Eu comi a Janis Joplin”.

G1

Vírus mayaro, ‘primo do chicungunha’ descoberto no RJ, pode provocar epidemia no Sudeste

Foto: Brenno Carvalho / Agência O Globo

Cientistas da Universidade Federal do Rio de Janeiro ( UFRJ ) descobriram um novo vírus em circulação no estado do Rio. O vírus é o mayaro , um primo do chicungunha e que causa doença com sintomas semelhantes ao deste, como intensas e incapacitantes dores nas articulações, que se prolongam por meses.

Desde 2015, pesquisadores alertavam para o risco de o mayaro, um vírus silvestre da Amazônia, se estabelecer nas grandes cidades do Sudeste. O estudo recém-concluído mostra que o pior aconteceu. O mayaro está entre nós, afirma Rodrigo Brindeiro, um dos autores da descoberta e coordenador da Rede Zika da UFRJ. Como no caso do chicungunha, não existe vacina ou tratamento. Apenas os sintomas são tratados, de forma não específica.

O mayaro é conhecido desde os anos 1950 nas Américas do Sul e Central. No Brasil, tem causado surtos isolados nos estados do Norte e Centro-Oeste. Transmitido por mosquitos florestais Haemagogos , os mesmos da febre amarela silvestre, ele deu sinais de que começara a se adaptar às cidades.

Testes de laboratório mostraram que pode ser transmitido tanto pelo Aedes quanto pelo pernilongo comum (C ulex ), o que potencializa o risco de epidemia, destaca Amílcar Tanuri, coordenador do Laboratório de Virologia Molecular da UFRJ, onde o estudo foi realizado.

A chegada do mayaro aumenta a dificuldade para controlar as doenças transmitidas por mosquitos num país mergulhado num abismo sanitário. Em 2015, veio a epidemia de zika, com a microcefalia. O chicungunha, introduzido em 2014, se expandiu pela mesma época. O início de 2017 foi marcado pela volta da febre amarela ao Sudeste, com a maior epidemia da forma silvestre já registrada nas Américas.

Este ano começou com uma explosão de casos de dengue (aumento de 339,9% em relação ao mesmo período de 2018), doença que voltou nos anos 1980 e não mais desapareceu. O chicungunha causou quase 16 mil casos no estado do Rio. E, segundo o Ministério da Saúde, 994 cidades brasileiras estão em risco de epidemias de zika, dengue e chicungunha. Brindeiro diz que, no Rio, o chicungunha não está sozinho e o mayaro pode ser a causa de parte dos casos.

— O sofrimento dos pacientes e o tratamento são os mesmos. O que muda é a dificuldade de controlar epidemias, com mais um vírus em circulação — explica Brindeiro.

Confundido com o chicungunha, o mayaro está no Rio desde 2016. E a gravidade da descoberta é que os casos são autóctones. Isto é, as pessoas foram infectadas aqui, não viajaram para regiões endêmicas. São três casos, todos de Niteroi e só identificados graças a um estudo molecular. Em escala populacional, os três episódios significam que, de cada cem pessoas com chicungunha, dez têm febre do mayaro, estima Brindeiro.

— A subnotificação do próprio chicungunha é grande e o diagnóstico clínico se confunde com a da dengue. Nosso estudo é um alerta sobre a gravidade que as febres transmitidas por mosquito representam — acrescenta.

O mayaro foi identificado no auge da epidemia de zika, quando o laboratório da UFRJ iniciou o diagnóstico molecular das arboviroses (infecções virais transmitidas por mosquitos) em circulação no Sudeste. Em 2016, 279 amostras tinham indicação clínica (sintomas) de chicungunha. No entanto, 57 deram resultado inconclusivo.

Casos inconclusivos são esperados porque o teste de PCR usado detecta apenas o vírus durante uma curta janela de tempo (5 dias no sangue e 20 na urina). No entanto, o percentual de casos inclusivos chegava a 20%, bem mais do que seria normal.

O grupo de pesquisa começou então a buscar outros vírus e o mayaro foi encontrado em três pacientes. Os casos foram então investigados e se descobriu que vinham da mesma cidade, de pessoas que nunca haviam estado em área endêmicas de mayaro e que tinham vizinhos com sintomas semelhantes. Os três também eram negativos tanto por PCR (molecular) quanto por sorologia (anticorpos no sangue) para zika, dengue e chicungunha, explica o virologista Orlando Ferreira, à frente das análises sorológicas.

O próximo passo dos cientistas será descobrir de onde veio o vírus por meio de análises de genômica e de sorologia. Uma possibilidade é a Amazônia ou algum estado do Centro-Oeste. Outra é que tenha sido trazido do Haiti, onde houve epidemia recente. Ele poderia ter sido trazido por imigrantes ou por um dos militares que integravam as forças brasileiras a serviço da ONU lá.

Também esperam saber se o mayaro foi disseminado pelo haemagogo, muito comum nas matas e que se mostrou eficiente em propagar a febre amarela em Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo. Ou, numa hipótese mais grave, começou a ser espalhado pelo Aedes , pelo pernilongo ou ambos os mosquitos urbanos.

Será possível descobrir o mosquito por meio da reconstituição do vírus, estudo que está a cargo da virologista da UFRJ Clarissa Damaso.

Sem recursos para ampliar a pesquisa, os cientistas esperam analisar ao menos 400 amostras deste ano, vindas dos municípios do Rio, Maricá e Miracema. E observam a importância de procurar o mayaro nos mosquitos do Rio.

— Precisamos saber que vírus estão em circulação. O clima está favorável à proliferação de mosquitos. É uma grave questão de saúde pública — frisa Tanuri.

O Globo

 

Justiça decreta prisão preventiva de 9 militares por morte de músico no RJ

Pessoas próximas ao carro de Evaldo dos Santos Rosa podem ver as dezenas de marcas de tiro que mataram o morador da favela do Muquiço, em Guadalupe, no Rio de Janeiro – 07/04/2019 (jose lucena/Futura Press/Folhapress)

Após audiência de custódia no início da tarde desta quarta-feira, 10, a juíza Mariana Queiroz Aquino, da 1ª auditoria da Justiça Militar, no Rio de Janeiro, decidiu converter em prisões preventivas, isto é, por tempo indeterminado, as prisões em flagrante de nove militares envolvidos na morte do músico Evaldo dos Santos Rosa, cujo carro foi alvejado por 80 tiros de fuzil no domingo 7.

Em um primeiro momento, os militares estavam presos por terem desrespeitado as normas de abordagem do Exército. Com a decisão desta terça-feira, eles ficarão detidos por homicídio doloso (quando há intenção de matar) e tentativa de homicídio. O soldado Leonardo Delfino Costa teve sua prisão revogada, por ter sido o único dos dez militares que admitiu não ter tirado.

Assim, continuarão presos o 2º tenente Ítalo da Silva Nunes Romualdo, o 3º sargento Fábio Henrique Souza Braz da Silva e os soldados Gabriel Christian Honorato, Matheus Santanna Claudino, Marlos Conseição da Silva, João Lucas da Costa Gonçalo, Leonardo Oliveira de Souza, Gabriel da Silva de Barros Lins e Vitor Borges de Oliveira.

O cabo Paulo Henrique Araújo Leite e o soldado Willian Patrick Pinto Nascimento, que não haviam sido detidos em flagrante, também prestaram depoimento.

Veja

VÍDEO: Veja o momento da prisão de Moreira Franco no RJ, no meio da rua, em pleno trânsito

Em um desdobramento da Lava Jato, o ex-ministro Moreira Franco foi preso no Rio de Janeiro. O pedido de prisão foi feito pelo juiz Marcelo Bretas. Veja abaixo registro da Record.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Manoel disse:

    Amigo, a divulgação das notícias e o apoio popular decorrente disso são os maiores aliados da continuidade da lava jato…

  2. Justiceiro disse:

    O maior problema da Lava Jato é a sua midiatização. As emissoras de TV sabem das operações, antes da PF. Ou será a própria PF que avisa?

    • paulo martins disse:

      Seria no mínimo estranho que, num país dito democrático, a prisão de qualquer indivíduo fosse tratada como segredo de estado. Ainda mais de um ex-presidente acusado de surrupiar a República.

Oportunidade de trabalho: Grupo Eleva abre processo seletivo para Diretores liderarem escolas no RN, RJ, MG, MS, PR, SC, MT e DF

O Grupo Eleva Educação está à procura de candidatos para se tornarem diretores escolares em colégios espalhados pelos estados de Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso e Brasília. Os profissionais selecionados precisam ter concluído o Ensino Superior (bacharelado ou licenciatura) e apresentar disponibilidade para assumir o cargo a partir de agosto de 2019. É necessário potencial para liderar pessoas, entusiasmo por aprender e ensinar e identificação com a missão do grupo: transformar vidas e o Brasil por meio da educação. As inscrições para a Escola de Diretores Eleva devem ser realizadas, exclusivamente, no site (no qual também se encontra o edital completo do concurso): www.escoladediretoreseleva.com – experiência prévia na área não é um pré-requisito.

O que é a Escola de Diretores?

A Escola de Diretores é um programa para formar diretores de excelência para as escolas do grupo Eleva. Os candidatos selecionados no processo vão passar por formação intensiva nos seguintes assuntos: liderança e cultura; tomada de decisão; conhecimentos pedagógicos, administrativos e vendas. Os cursos serão ministrados pelos maiores especialistas do grupo.

As inscrições estão abertas no site www.escoladediretoreseleva.com no período entre 11 de março e 12 de abril, e, após etapas de entrevistas com os candidatos, o resultado do processo sairá nos dias 24 e 25 de junho, com início das atividades no grupo Eleva em agosto.

Confira o manifesto publicado pelo Eleva Educação:

O Grupo Eleva nasceu com o propósito de ser o vetor da mudança para a educação no Brasil. Trabalhamos diariamente para transformar positivamente as vidas dos alunos que passam pelos nossos colégios e proporcionar o que há de melhor em termos de conhecimento: dentro e fora de sala de aula. Ao longo desses quase seis anos de história, além de ensinar milhares de crianças e jovens, aprendemos que melhorar o rumo da educação no país só se faz possível com o engajamento de pessoas entusiasmadas, capacitadas, com foco irrestrito à comunidade escolar e que saibam trabalhar em equipe.

O diretor escolar é uma figura distinta, pois precisa reunir todas as características acima e muitas mais. É ele o responsável pelo funcionamento orgânico da escola: o cérebro que rege as ações e mantém intacta a saúde do colégio.

Em busca de ampliar nossa atuação pelo país, abrimos o segundo processo seletivo para a Escola de Diretores do Eleva. Procuramos profissionais com brilho nos olhos e potencial para liderar pessoas, que acreditem na mudança e queiram participar ativamente dela.  Temos por intenção formar diretores escolares alinhados à cultura de excelência que compõe o DNA Eleva. As vagas se destinam às nossas escolas concentradas, atualmente, nos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Brasília e Rio Grande do Norte.

Você está pronto para o desafio? Então confira os detalhes no edital do concurso. E se inscreva para participar do processo. Venha liderar escolas e transformar vidas. Seja um diretor Eleva!

Escola de Diretores Eleva
Inscrições: 
www.escoladediretoreseleva.com entre 11/03 e 12/04
Estados contemplados: RJ, MG, MS, PR, SC, MT, DF e RN

 

FOTOS: Tiroteio entre policiais e suspeitos deixa 13 mortos no RJ; fuzis e pistolas são apreendidos

Polícia apreende fuzis e pistolas durante operação em comunidades de Santa Teresa, no Rio. — Foto: Divulgação

Um intenso tiroteio deixou 13 mortos nas comunidade do Fallet-Fogueteiro, em Santa Teresa, no Centro do Rio, na manhã desta sexta-feira (8).

De acordo com informações da Polícia Militar, suspeitos foram mortos durante confronto com agentes do Comando de Operações Especiais (COE). A operação contou também com homens do do Bope e do Batalhão de Choque. Segundo a polícia, a ação foi para combater o tráfico de drogas.

A PM relata que as equipes foram recebidas a tiros durante o vasculhamento e houve confronto. Dois baleados foram levados ao Souza Aguiar. Em outro ponto, armas foram apreendidas. Os militares teriam sido alertados de que uma van escolar seria utilizada para a fuga de criminosos. Três foram presos no veículo.

O Disque-Denúncia informa que, às 9h, recebeu uma ligação informando que os traficantes estavam reunidos numa casa de fundos da comunidade na Rua Eliseu Visconde. Cerca de 20 criminosos estariam fugindo da operação policial. Com essa informação, a PM chegou ao local.

Segundo a Polícia Civil, traficantes dos Morros da Coroa, e Fallet, estão em guerra desde a noite da última quarta-feira (6) pelo domínio do tráfico na região. A polícia disse que investiga o tráfico no local.

Batalhão de Choque participou de operação no Fallet-Fogueteiro — Foto: Divulgação

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pedro disse:

    Suspeito com fuzil ?
    Tá explicado que é a rede esgoto de TV

Morre o ator Caio Junqueira, uma semana após acidente de carro no RJ; jovem artista fez novelas e seriados marcantes, e interpretou o policial Neto, do filme “Tropa de elite”

Foto: Gustavo Stephan / O Globo

O ator Caio Junqueira morreu nesta quarta-feira, aos 42 anos, após ser vítima de um acidente de carro no Aterro do Flamengo, Zona Sul do Rio, na semana passada. O intérprete do policial Neto do filme “Tropa de elite” (2007) foi levado para o Hospital Miguel Couto. A Secretaria de Saúde do Rio confirmou o falecimento.

Na quarta-feira passada, dia 16, Caio, de 42 anos, dirigia sozinho pelo Aterro do Flamengo, em direção ao Centro da cidade, quando perdeu o controle do carro, que subiu o meio-fio, bateu numa árvore e capotou. Com duas fraturas expostas, seria operado hoje, mas os médicos decidiram esperar um pouco.

Caio era filho do ator Fábio Junqueira (1956/2008) e irmão de Jonas Torres, conhecido como o Bacana da série “Armação ilimitada” (1985/1988). Aos 9 anos, Caio deu os primeiros passos na carreira artística na série “Tamanho família” (1985/1986), da extinta Rede Manchete.

O gosto pela profissão revelado na infância se consolidou na adolescência quando o ator estreou na Globo, em 1990. Neste ano, emendou dois trabalhos na emissora: a minissérie “Desejo” e a novela “Barriga de aluguel”. Quatro anos depois, fez sua segunda novela, “A viagem”, seguida pelas séries “Engraçadinha” (1995), “Hilda Furacão” (1998) e “Chiquinha Gonzaga” (1999).

Na década seguinte, Caio também fez vários trabalhos na Globo, entre eles a novela “O clone” (2001) e a minissérie “Um só coração” (2004). Um ano depois, o ator fez o remake de “Escrava Isaura”, na Record TV, onde protagonizou “Ribeirão do tempo” (2010) e atuou em obras bíblicas como “José do Egito” (2013) e “Milagres de Jesus” (2014).

O cinema também ocupou espaço de destaque na trajetória profissional de Caio. O ator atuou em grandes sucessos nacionais, entre eles “O que é isso companheiro” (1997), “Central do Brasil” (1998), “Abril despedaçado” (2001), “Zuzu Angel” (2006) e “Tropa de elite” (2007). As peças de teatro “Os justos” (2005) e “Hamlet” (2008) também estão no currículo de Caio.

O Globo

FOTOS: Incêndio na Refinaria de Manguinhos, no RJ, é controlado após duas horas de combate às chamas

Os bombeiros controlaram o incêndio de grandes proporções na Refinaria de Manguinhos, na Zona Norte do Rio, duas horas após o início das chamas na tarde desta segunda-feira (17).

A Refinaria de Manguinhos informou que o incêndio teve início em um dos caminhões que fazia a descarga de combustíveis na área que fica no interior da unidade. Segundo a empresa, ninguém ficou ferido.

O Centro de Operações da Prefeitura do Rio informou que o fogo começou às 13h30. As primeiras imagens do Globocop mostraram os caminhões combustíveis estacionados na área e em chamas.

Trabalho de combate às chamas

Foto: Reprodução/TV Globo

Três quartéis do Corpo de Bombeiros (Caju, Benfica e Centro) foram acionados por volta das 13h40.

Os bombeiros aturam na área das chamas mais altas para fazer o resfriamento com espuma e água.

Por volta das 15h, as chamas já estavam mais baixas e era possível ver uma cobertura branca de espuma na área do incêndio. Os caminhões ficaram completamente destruídos.

Moradores do entorno deixam casas

Os bombeiros orientaram moradores do entorno da refinaria a deixar suas casas preventivamente logo após o início do incêndio.

Várias comunidades ficam no entorno da refinaria e as imagens do Globocop mostraram que alguns deles saíram de suas casas correndo.

Foto: Reprodução/TV Globo

Com informações do G1

 

VÍDEO: Juiz anula audiência que teve advogada algemada no RJ

Após confusão no 3º JEC de Duque de Caxias/RJ, que terminou com uma advogada algemada, sendo retirada da sala de audiência por policiais, o juiz titular Luiz Alfredo Carvalho Junior despachou nesta terça-feira, 11, anulando a assentada.

“Tendo em vista o ocorrido”, e a fim de “resguardar o direito da parte autora”, foi redesignada audiência para o dia 18/9, a qual deverá ser presidida pelo juiz togado.

Na segunda-feira, 10, uma advogada foi algemada e retirada à força de audiência de conciliação realizada no 3º JEC de Duque de Caxias/RJ. No vídeo, a advogada pede para acessar e impugnar pontos da contestação do réu, mas é informada de que a audiência já havia sido encerrada.

Segundo a OAB/RJ, a juíza leiga teria solicitado que a advogada aguardasse fora da sala, mas, como ela insistiu em permanecer até a chegada de um representante da OAB, a polícia foi chamada para forçá-la a se retirar.

O caso envolve ação de reparação por dano moral e material contra a empresa de telefonia Claro. Na conciliação, a ré teria oferecido acordo, proposta que não foi aceita pela parte autora.

De acordo com o projeto de sentença, a autora teve vista da contestação e, aberta a instrução, foi requerida a identidade da advogada, mas a mesma disse que não estava portando documento. Ainda de acordo com a ata, a juíza leiga não pode verificar a identidade da advogada pelo CNA, visto que não havia foto, e 20 minutos depois foi apresentada a identidade, “que estava na sua bolsa o tempo todo, atrasando as audiências subsequentes.”

Desagravo

Diante do ocorrido, a OAB/RJ realizará, na próxima segunda-feira, 17, às 15h, um ato de desagravo à advogada.

“A Diretoria da OAB/RJ convoca toda a advocacia fluminense para ato de desagravo, que acontecerá na porta do juizado de Duque de Caxias e contará com a presença do presidente do Conselho Federal da OAB, Claudio Lamachia. ‘Sabemos que toda advocacia foi aviltada e algemada juntamente com a nossa colega. Sofremos juntos e juntos diremos NÃO!’, destacou o presidente da Seccional, Felipe Santa Cruz.”

Migalhas

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcelo disse:

    No país dos abusos e das contradições a falta de respeito é enorme.

  2. Antônio Freire disse:

    Que absurdo fizeram contra essa Advogada!!!!! Ela estava no exercício de suas prerrogativas profissionais e os policiais não estavam obrigados a cumprir uma ordem manifestamente ilegal. Errou quem mandou ela se retirar da sala e os policiais não deviam cometer esse abuso. Ademais a gravação é clara, queria apenas ler a contestação em defesa de sua cliente para, como bem disse, impugnar os pontos que não concordasse. Tudo em nome do contraditório e da ampla defesa. Enfim, o exercício do devido processo legal!!!!Outrossim, os policiais deviam aguardar a chegada da comissão de prerrogativas da OAB. Rasgaram a lei federal que trata das prerrogativas do advogado e certamente devem responder pelas arbitrariedades. essa advogada não cometeu nenhuma aberração. Estava no seu direito pleno e absoluto!!!! Deve haver pronta resposta da OAB/RJ. Já está marcado um desagravo em frente a esse juizado na próxima semana . Deve haver ações reparatórias e algo mais….

  3. Alfredo disse:

    Racismo velado. Situação mais clara que a pele da togada!!! Abuso de poder total.

  4. realmadriddepiumgenerico disse:

    A moda do juiz que acha que pode tudo pegou. Será o togado faria a mesma coisa se o advogado fosse branco?

IBOPE: RN entre os estados com eleitores ‘mais satisfeitos’ com a vida atual; RJ, AM e RR têm mais ‘insatisfeitos’

A soma dos eleitores que se declaram “insatisfeitos” ou “muito insatisfeitos” com sua vida atual é numericamente maior (quando desconsiderada a margem de erro) nos estados do Rio de Janeiro (40%), Amazonas (40%), Roraima (39%), Bahia (38%), Amapá e São Paulo (ambos com 35%), segundo pesquisas Ibope realizadas no mês de agosto com eleitores em 25 estados do país e no Distrito Federal. Apenas em Minas Gerais ainda não foi divulgada uma pesquisa Ibope após o registro dos candidatos nas eleições deste ano. No lado oposto, o Rio Grande do Norte aparece no ranking dos mais positivos. Abaixo, todos os detalhes.

(Foto: Karina Almeida/G1)

Em todos os estados e no DF, mais da metade dos eleitores ouvidos se declaram “satisfeitos”, mesmo se considerada a margem de erro (de 3 pontos percentuais para mais ou para menos). Numericamente, o maior valor de eleitores que se declaram “satisfeitos” é no Ceará (69%) e o menor no Rio de Janeiro e no Amazonas (53%).

Com a soma das categorias “satisfeito” e “muito satisfeito”, os estados onde os eleitores numericamente declaram maior satisfação são Ceará (77%), Piauí (73%), Paraíba e Alagoas (72%), e Rio Grande do Norte, Espírito Santo, Maranhão e Paraná (71%).

(Foto: Karina Almeida/G1)

Nas pesquisas, o Ibope questionou aos eleitores com a pergunta: “Como o(a) senhor(a) diria que se sente com relação à vida que vem levando hoje?”. As cinco respostas possíveis eram “muito satisfeito”, “satisfeito”, “insatisfeito”, “muito insatisfeito”, “não sabe / não respondeu”.

Veja os resultados em cada estado:

Acre

Muito Satisfeito: 6%
Satisfeito: 60%
Insatisfeito: 24%
Muito Insatisfeito: 9%
Não sabe / Não respondeu: 1%

Alagoas

Muito Satisfeito: 8%
Satisfeito: 64%
Insatisfeito: 21%
Muito Insatisfeito: 6%
Não sabe / Não respondeu: 1%

Amapá

Muito Satisfeito: 6%
Satisfeito: 58%
Insatisfeito: 26%
Muito Insatisfeito: 9%
Não sabe / Não respondeu: 0%

Amazonas

Muito Satisfeito: 6%
Satisfeito: 53%
Insatisfeito: 29%
Muito Insatisfeito: 11%
Não sabe / Não respondeu: 1%

Bahia

Muito Satisfeito: 6%
Satisfeito: 55%
Insatisfeito: 28%
Muito Insatisfeito: 10%
Não sabe / Não respondeu: 1%

Ceará

Muito Satisfeito: 8%
Satisfeito: 69%
Insatisfeito: 18%
Muito Insatisfeito: 4%
Não sabe / Não respondeu: 1%

Distrito Federal

Muito Satisfeito: 8%
Satisfeito: 57%
Insatisfeito: 25%
Muito Insatisfeito: 9%
Não sabe / Não respondeu: 1%

Espírito Santo

Muito Satisfeito: 8%
Satisfeito: 63%
Insatisfeito: 21%
Muito Insatisfeito: 6%
Não sabe / Não respondeu: 2%

Goiás

Muito Satisfeito: 6%
Satisfeito: 59%
Insatisfeito: 26%
Muito Insatisfeito: 8%
Não sabe / Não respondeu: 1%

Maranhão

Muito Satisfeito: 8%
Satisfeito: 63%
Insatisfeito: 22%
Muito Insatisfeito: 6%
Não sabe / Não respondeu: 1%

Mato Grosso

Muito Satisfeito: 9%
Satisfeito: 61%
Insatisfeito: 22%
Muito Insatisfeito: 6%
Não sabe / Não respondeu: 2%

Mato Grosso do Sul

Muito Satisfeito: 7%
Satisfeito: 62%
Insatisfeito: 24%
Muito Insatisfeito: 5%
Não sabe / Não respondeu: 1%

Pará

Muito Satisfeito: 6%
Satisfeito: 62%
Insatisfeito: 25%
Muito Insatisfeito: 6%
Não sabe / Não respondeu: 1%

Paraíba

Muito Satisfeito: 10%
Satisfeito: 62%
Insatisfeito: 21%
Muito Insatisfeito: 7%
Não sabe / Não respondeu: 0%

Paraná

Muito Satisfeito: 7%
Satisfeito: 64%
Insatisfeito: 22%
Muito Insatisfeito: 7%
Não sabe / Não respondeu: 1%

Pernambuco

Muito Satisfeito: 8%
Satisfeito: 59%
Insatisfeito: 24%
Muito Insatisfeito: 8%
Não sabe / Não respondeu: 1%

Piauí

Muito Satisfeito: 8%
Satisfeito: 65%
Insatisfeito: 21%
Muito Insatisfeito: 4%
Não sabe / Não respondeu: 1%

Rio de Janeiro

Muito Satisfeito: 6%
Satisfeito: 53%
Insatisfeito: 29%
Muito Insatisfeito: 11%
Não sabe / Não respondeu: 1%

Rio Grande do Norte

Muito Satisfeito: 11%
Satisfeito: 60%
Insatisfeito: 21%
Muito Insatisfeito: 7%
Não sabe / Não respondeu: 1%

Rio Grande do Sul

Muito Satisfeito: 4%
Satisfeito: 62%
Insatisfeito: 24%
Muito Insatisfeito: 9%
Não sabe / Não respondeu: 2%

Rondônia

Muito Satisfeito: 6%
Satisfeito: 62%
Insatisfeito: 23%
Muito Insatisfeito: 7%
Não sabe / Não respondeu: 2%

Roraima

Muito Satisfeito: 5%
Satisfeito: 55%
Insatisfeito: 30%
Muito Insatisfeito: 9%
Não sabe / Não respondeu: 1%

Santa Catarina

Muito Satisfeito: 7%
Satisfeito: 63%
Insatisfeito: 21%
Muito Insatisfeito: 8%
Não sabe / Não respondeu: 1%

Sergipe

Muito Satisfeito: 9%
Satisfeito: 61%
Insatisfeito: 22%
Muito Insatisfeito: 7%
Não sabe / Não respondeu: 0%

São Paulo

Muito Satisfeito: 8%
Satisfeito: 57%
Insatisfeito: 25%
Muito Insatisfeito: 10%
Não sabe / Não respondeu: 1%

Tocantins

Muito Satisfeito: 7%
Satisfeito: 63%
Insatisfeito: 21%
Muito Insatisfeito: 7%
Não sabe / Não respondeu: 2%

Sobre as pesquisas:

Todas as pesquisas têm margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos.

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.

O 0% significa que a opção citada não atingiu 1%; o traço significa que a opção não foi citada por nenhum entrevistado.

Confira as informações sobre cada pesquisa:

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Souza disse:

    Se a satisfação está nesse nível é porque ainda tem margem pra piorar sem ninguém reclamar, ou seja, desgraça "pouca" é besteira, tem botar pra lascar mesmo!

  2. Claudia Maria V. de melo disse:

    ficará mais satisfeito quando o governador pagar o 13º de 2017 que ainda falta.

Mangueira conquista o carnaval 2016 no Rio de Janeiro

Ca4SjHkW8AAR4Dp

A Estação Primeira de Mangueira se consagrou campeã do Carnaval 2016 no Rio de Janeiro, com 269,8 pontos, após apuração das notas realizada nesta quarta-feira (10), na praça da Apoteose. Em uma disputa acirrada, decidida nos décimos, a Unidos da Tijuca ficou com o vice-campeonato.

A Mangueira encerrou a segunda noite de desfiles, já na madrugada de terça, homenageando a carreira da cantora Maria Bethânia, com o enredo “Maria Bethânia, a Menina dos Olhos de Oyá”.

A escola não conquistava um título desde 2002 e passou por uma forte crise financeira, que resultou em resultados ruins nos últimos anos. Mas a estreia do carnavalesco Leandro Vieira trouxe a escola de volta a sua melhor forma, com alegorias e fantasias suntuosas, que ao mesmo tempo facilitavam o desfile de seus componentes.

Em sua comissão de frente, bailarinas faziam saudação a Oyá, o orixá que rege a homenageada. Com uma bela roupa e um truque de maquiagem que a deixou careca, a porta-bandeira Squel arrancou muitos aplausos ao lado de seu parceiro Raphael, e o casal conquistou quatro notas dez.

O desfile da Mangueira também contou com uma constelação de estrelas da MPB. com o quarto carro trazendo Caetano Veloso como destaque, ao lado de seu filho Tom, das cantoras Zélia Duncan, Adriana Calcanhotto, Mart’nália e Ana Carolina, dos atores Antônio Pitanga, Renata Sorrah, Lúcia Veríssimo, além de Jards Macalé e Chico César, entre outros.

A homenageada brilhou radiante no último carro, que lembrava sua paixão pelo circo. Bethânia foi saudada por um público em delírio, que invadiu a avenida ao fim do desfile.

carn

Apuração

As notas foram lidas na seguinte ordem de quesitos: samba-enredo, enredo, comissão de frente, fantasia, mestre-sala e porta-bandeira, harmonia, evolução, bateria e alegorias e adereços. Alegorias e adereços foi definido como primeiro quesito de desempate, e bateria, o segundo.

Foram considerados 35 jurados, já que um julgador do quesito bateria foi cortado por conta de suposta amizade com Zezé Di Camargo e Luciano, homenageados da Imperatriz. Seguindo o regulamento da Liesa (Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro), foi repetida a nota mais alta obtida por cada escola no quesito.

UOL

RJ: PMs que mais atiram vão passar por novo treinamento

CUBs1ttXAAAV74hOs policiais militares que mais atiraram nos últimos seis meses vão passar por um novo treinamento para que aprendam não só a usar menos suas armas, mas a evitar erros em operações. A primeira turma do curso, que terá duração de dez dias, já está fazendo aulas no Centro de Aperfeiçoamento de Praças da PM, em Sulacap: grande parte dos alunos é dos batalhões de Mesquita, São Gonçalo, Niterói e Irajá. Essas unidades são responsáveis por um em cada cinco tiros disparados pela polícia em todo o Estado do Rio.

Um dos objetivos principais é evitar erros como o que resultou na morte do menino Eduardo de Jesus, de 10 anos, no Complexo do Alemão, em abril deste ano. Em outubro, na Pavuna, um PM, ao confundir um macaco hidráulico com uma arma, atirou em dois jovens que estavam em uma motocicleta. Jorge Lucas Paes, de 17 anos, e Tiago Dingo, de 24, morreram.

No começo do ano, em Rocha Miranda, outra avaliação malfeita resultou na morte de dois inocentes. PMs perseguiam quatro homens por acreditarem que eles carregavam um fuzil, mas era apenas uma peça de motocicleta. Os policiais mataram Gleberson Alves, de 28 anos, e Alan Pereira, de 20. Em 2010, um caso semelhante chocou o Rio: o cabo Leonardo Albarelo atirou em um morador que segurava uma furadeira elétrica no terraço de casa, no Morro do Andaraí. Ele também morreu.

Durante o curso, os policiais militares participam de simulações. Numa tela gigante, são apresentadas situações em que os policiais têm que identificar, rapidamente, se um suspeito está armado.

– Esse treinamento é fundamental para o policial aperfeiçoar o seu processo decisório, que é o que acontece quando ele se depara com uma ocorrência na rua. Nós pretendemos, atuando junto com esse grupo, reduzir o disparo de arma de fogo e gerar menos riscos para a população – disse o tenente-coronel Mauro Andrade, chefe de Planejamento Operacional da PM, ao “RJ TV”, da Rede Globo.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Alexandre disse:

    O Brasil tá quebrado mesmo viu, tão querendo economizar até na munição da polícia!!! Peçam para os bandidos colaborarem com a campanha de contenção de gatos!!! Palhaçada este Brasil!!!

  2. Carvalho disse:

    Será que as "autoridades" também irão pedir aos bandidos para atirarem menos?

RJ: Multa para quem for flagrado urinando no meio da rua pode passar de R$ 170 para R$ 510

2013-586255645-2013020385697.jpg_20130203Foto: Custódio Coimbra/ Agência O Globo

Faltando um mês para o carnaval, a prefeitura quer triplicar o valor da multa aplicada a quem urinar na rua, que hoje está em R$ 170 e passaria para R$ 510. A informação foi dada nesta quinta-feira pelo secretário municipal da Ordem Pública, Leandro Matieli. Segundo ele, a proposta de aumento do valor será encaminhada à Câmara Municipal.

— Iniciamos as ações contra os mijões em 2010, colocando nas ruas equipes para fiscalizar as pessoas que não têm educação. Inicialmente, havia apenas aplicação da multa, mas sentimos a necessidade de começar a levá-las para as delegacias, onde passaram a responder pelo crime de ato obsceno. Em 2014, durante o carnaval, tivemos uma redução de 10% no número de pessoas flagradas em relação a 2013. Mas a fiscalização não inibiu esses foliões por completo. Por isso, queremos triplicar o valor da multa — disse o secretário.

Nos desfiles de blocos no carnaval do ano passado, 720 mijões foram levados para delegacias por guardas municipais e agentes do programa Lixo Zero e da Secretaria da Ordem Pública. Na polícia, os casos foram registrados como ato obsceno, sendo depois encaminhados para a Justiça. No ano anterior, haviam sido flagradas 808 pessoas. As detenções aconteceram entre o fim de semana anterior e o posterior ao carnaval.

De acordo com a prefeitura, o aumento do valor da multa é necessário porque boa parte dos detidos, que responderam a processos no Juizado Especial Criminal (Jecrim) e em outras varas, acabou sendo absolvida. Segundo fontes do Tribunal de Justiça, um grande número de mijões não está aceitando a chamada transação penal — que pode ser o pagamento de cestas básicas — oferecida pelo Ministério Público estadual para evitar que o inquérito siga adiante. Eles optam por recorrer com base numa sentença de 2010, proferida por juízes da 2ª Turma Recursal Criminal do TJ. Na ocasião, eles suspenderam uma ação penal contra um universitário autuado depois de urinar em Ipanema, durante o desfile de um bloco.

PARA MAGISTRADO, PRÁTICA NÃO É CRIMINOSA

Relator do caso que criou jurisprudência em 2010, o juiz André Ricardo de Francis Ramos defendeu a tese de que urinar em via pública só pode ser considerado um ato obsceno quando há a intenção de ofender o pudor. Segundo ele, casos como o do jovem autuado em Ipanema não podem ser considerados crimes. “Em vez de munir a cidade com banheiros, faz-se uso destas prisões ineficientes porque o Estado não tem normas capazes de coibir esta conduta social que é degradante, repugnante e asquerosa, mas não é criminosa na essência”, criticou Ramos à época.

Para o magistrado, trata-se de uma questão cultural, um problema que precisa ser combatido por meio da aplicação de uma multa pesada.

Independentemente do valor da multa, o secretário municipal de Turismo, Antônio Pedro Figueira de Melo, defende a condução dos mijões às delegacias, pelo constrangimento causado.

— Não queremos que ninguém fique preso. O principal é que isso sirva de lição para o infrator — disse ele.

O Globo

RJ: Quadrilhas envolvidas com abortos chegavam a lucrar R$ 300 mil por mês

A Polícia Civil do Rio de Janeiro desarticulou hoje (14) sete organizações criminosas envolvidas com a prática ilegal de abortos na cidade. Uma delas chegava a lucrar até R$ 300 mil por mês. Segundo o delegado Felipe Bittencourt, da Corregedoria da Polícia Civil, os grupos eram independentes, mas a colaboração entre eles evitava a competição.

Apesar de não terem comando unificado, os grupos respeitavam os territórios de atuação definidos para cada um. Alguns dividiam os bairros de Bonsucesso, Rocha e Tijuca, na zona norte. Outros dois atuavam em Campo Grande e Guadalupe, na zona oeste. Os demais comandavam a prática em Copacabana e Botafogo, na zona sul. Conforme o delegado, 75 pessoas acusadas de integrar as associações criminosas tiveram prisão preventiva decretada pela Justiça.

“O histórico dessas pessoas demonstra que ela atuavam há muitos anos. Alguns haviam sido indiciados na década de 60. É uma história de crimes e de impunidade. Deflagramos hoje uma ação que desmantela vários crimes. A legislação é muito benevolente. Podemos quase afirmar que, pelo retorno financeiro, vale a pena cometer esse crime”, salientou o chefe da polícia fluminense, Fernando Veloso.

Até as 11h30 de hoje, 56 mandados de prisão tinham sido cumpridos. Destes, cinco eram contra pessoas que já estavam presas. Entre os presos, estão médicos, policiais civis e militares, advogados e um sargento do Exército.

As clínicas ilegais mantidas pelas organizações criminosas faziam abortos em mulheres com até sete meses de gestação. Os preços variavam de R$ 1 mil (para maiores de 18 anos e em estágio inicial de gravidez) até R$ 7.5 mil (para adolescentes com 23 a 26 semanas de gestação).

O processo conta com depoimentos de 37 mulheres submetidas a procedimentos abortivos. Elas não foram indiciadas pelo crime de aborto, mas poderão responder criminalmente, caso esse seja o entendimento do Judiciário.

Cada grupo tinha um chefe e contava com responsáveis pelas mais variadas tarefas, como procedimento cirúrgico, auxílio de enfermagem, agenciamento das gestantes, segurança do local, medicamentos e transporte das usuárias do serviço clandestino.

Os servidores públicos investigados, entre eles oito policiais civis e quatro militares, seriam responsáveis por tarefas de segurança,  proteção da associação criminosa, administração das clínicas e transporte das gestantes. Além disso, recebiam dinheiro para evitar a repressão ou investigação dos casos.

Entre os crimes apurados, estão aborto (pena de um a quatro anos de prisão), corrupção passiva (dois a 12 anos), exercício ilegal da medicina (seis meses a dois anos), associação para o tráfico (três a dez anos) e associação criminosa armada (um a três anos).

Entre os dez médicos denunciados à Justiça, alguns têm anotações muito antigas por aborto. Um dos acusados, por exemplo, havia sido autuado pela prática em 1962. Uma médica, com processos desde 2001, é suspeita de mais de mil procedimentos.

Secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame informou que a operação de hoje deve servir para a rediscussão da legislação relativa ao aborto. “Acho o momento muito oportuno para as coisas sereem discutidas. Não vamos dizer o que a lei precisa fazer. Entretanto, a sociedade tem de conhecer o efeito que uma pessoa sofre ao praticar um aborto. É um problema nacional. Temos de acabar com o tabu e recolocar a discussão à mesa”, acrescentou Beltrame.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Roberto maia disse:

    Bruno cade os nomes dos presos da operacao em Caraubas Rn? vc e tão informado!

    • bruno disse:

      O MP não liberou, e os nomes que apuramos não podemos publicar sem confirmação

"Primeiro dia. Não fui roubado e meus órgãos internos não foram retirados", diz ex-jogador Alexi Lalas na chegada ao RJ

BpNh7LyCAAATwVuO ex-jogador americano Alexi Lalas teve uma manhã agitada em suas primeiras horas no Brasil. Lalas chegou ao Rio pouco antes das 8h da manhã e logo saudou seus seguidores no twitter. Depois da primeira postagem, tudo foi novidade para o ex-zagueiro, que enfrentou o Brasil na Copa do Mundo de 1994.

— Primeiro dia. Não fui roubado e meus órgão internos não foram retirados… – postou Lalas.

Em seguida, comentários sobre o trânsito carioca e elogios ao procedimento de desembarque e saída do Aeroporto Internacional do Galeão.

— O aeroporto do Rio foi mais rápido e fácil na comparação com qualquer aeroporto dos EUA. Aterrizamos, passamos pela alfândega e pegamos nossas bagagens em 32 minutos – exaltou Lalas. — O trânsito no Rio é igual ao americano. Pensei que seria mais bonito, com ritmo e uma forma mais criativa de trânsito. Mas não é.

Ainda por meio de seu perfil pelo Twitter, Lalas comentou sobre sua caminhada na orla carioca e brincou com o fato de ter feito tantas postagens em pouco tempo:

— Desculpe por tantos tweets. A Copa do Mundo me deixou animado. A Copa do Mundo no Brasil me deixou ainda mais animado — concluiu.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. João MS disse:

    BG,

    Essa manipulação da informação para depreciar o Brasil é típico da Globo e dos globomanipulados, pois, a verdade é outra:

    Do UOL Esportes

    Americano elogia RJ e brinca: “meus órgãos ainda não foram roubados”
    UOL Esporte

    03/06/2014 14:01

    Compartilhe9125
    Imprimir Comunicar erro

    Day 1 in Rio. I haven't been robbed and my internal organs haven't been harvested. The day is young. #WorldCup pic.twitter.com/98dyTCzPnV

    — Alexi Lalas (@AlexiLalas) June 3, 2014

    O ex-jogador norte-americano Alexi Lalas chegou ao Brasil para acompanhar a Copa do Mundo e fez elogios ao Rio de Janeiro após o primeiro dia na cidade e gostou do que viu. Em sua conta no Twitter, Lalas falou bem do aeroporto e ainda brincou com a imagem de violência que ficou ligada ao Brasil nos últimos anos. “Dia 1 no Rio. Eu não fui roubado e meus órgãos não foram arrancados”, disse o ex-jogador. Para Lalas, o serviço de desembarque no aeroporto do Rio de Janeiro foi muito bom. “O aeroporto do Rio foi mais rápido e fácil do que qualquer um nos Estados Unidos. Nós pousamos, passamos pela alfândega e pegamos nossas bagagens em 32 minutos”, escreveu Lalas.

  2. Luciano disse:

    A ironia atinge apenas a inteligência. Inútil desperdiçá-la com os que estão longe do seu alcance. Contra estes ainda não se conseguiu inventar nenhuma arma. A burrice é invencível." Mario Quintana

    Valeu Lalas!

  3. Izaura da Cruz disse:

    Tire o "IMBECIL" do título da postagem, cadê seu senso de humor! O gringo é um gozador e tá surpreso porque lá fora as informações passada para ele são essas, Tente achar na 'Cidade Maravilhosa' alguma família cujos entes não tenham sido assaltados.
    Magoou, BG??? Vai pescar que passa!

  4. Fernando Silva disse:

    Isso se chama Ironia, que nada mais é do que um recurso linguístico que visa justamente isso: zombar do leitor e causar nele uma reação que, no caso concreto, foi a de chamá-lo de imbecil. kkkk

  5. Rosberg disse:

    Imbecil?!? Acho que não, na minha visão o mesmo esta sendo irônico, pois existiram ao longo destes anos que antecederam a copa vários documentários e reportagens denegrindo a imagem do nosso Brasil, pode-se perceber que o mesmo esta elogiando o Brasil nas postagens posteriores.

  6. Luiz Eduardo disse:

    Imbecil? Imbecilidade é não querer enxergar a realidade na qual vivemos. O brasileiro é muito sensível quando falam sobre a realidade do país em que vivemos, principalmente quando quem fala é de fora. O Brasil precisa de patriotas realistas e que busquem melhorar o país como um todo, em todas as camadas sociais. A impressão que se dá deste país é que parecemos viver num "midway mall", ou seja, a realidade do primeiro andar (camada desfavorecida) é totalmente diferente do terceiro (camada rica), e nem tente pegar o elevador do primeiro para o terceiro, pois não será bem quisto. O Brasileiro ainda não percebeu que somos, de modo geral, mal educados e até mesmo oportunistas, pois bastam nos oferecer um "carguinho comissionado" em alguma secretaria para defendermos a copa com unhas e dentes.
    As pessoas que hoje falam para sermos educados e torcermos para um brasil de chuteiras, são as mesmas pessoas do terceiro andar do midway, isto é, nunca precisaram andar de ônibus ou enfrentar uma fila de hospital público. Eu amo o meu Brasil, mas ACORDA, CARAMBA!!! Enfim, o Brasil precisa ser criticado para enxergar a imbecilidade em que estamos, pois até mesmo o direito constitucional de liberdade de expressão foi tolhido.

  7. Natã disse:

    Fica pra morar!!!!!!!!!!!