VEM ÁGUA: Previsão de chuvas para período março/maio no RN é de até 533 milímetros

Foto: Pexels

A previsão do período de chuvas no RN em 2021 dentro da média histórica ou pouco baixo, confirmada oficialmente hoje (26) pela Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn), comprova o acerto das medidas do Governo do Estado na execução dos programas de apoio à produção rural, como o Programa de Sementes e o Mais ATER, lançados em dezembro do ano passado.

O resultado da análise climática para o Rio Grande do Norte, para o período de março a maio de 2021, apontam precipitações de 533,8 milímetros(mm) no Leste; 479,2 mm no Oeste; 376,9mm, na região Central; 342,2 mm no Agreste.

Este cenário se deve a fatores físicos como a influência da temperatura dos oceanos, que embora esteja ocorrendo o fenômeno da ‘La Nina’ no Oceano Pacífico – a temperatura do Oceano Atlântico precisa subir entre 1 e 1,5 graus para favorecer a ocorrência de chuvas no semiárido nordestino – como informou o chefe da unidade instrumental e meteorologia da Emparn, Gilmar Bistrot.

 

RN terá monitoramento moderno de previsão do tempo e de monitoramento de chuvas

Fotos: Emater RN

O Rio Grande do Norte terá um monitoramento hidrometeorológico, climático e agrometeorológico amplo e moderno. Isso significa que a previsão do tempo e de chuvas, além do monitoramento pluviométrico, serão acompanhados de forma mais estratégica em prol da cultura agrícola e da vida no campo. Para isso, o Governo do RN investiu cerca de R$5,5 milhões no desenvolvimento de softwares e na compra de equipamentos agrometeorológicos e de Tecnologia da Informação. As aplicações foram viabilizadas pelo Projeto Governo Cidadão, via acordo de empréstimo com o Banco Mundial.

Com o plano concluído nesta semana, a empresa desenvolvedora e implementadora da ferramenta, L&L Soluções e Sistemas, apresentou todos os módulos de funcionamento aos técnicos da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte – Emparn, responsáveis pelo seu funcionamento. Após a apresentação foram pontuados alguns ajustes necessários para que o sistema possa ser entregue aos norte-rio-grandenses.

A rede vai monitorar variáveis meteorológicas como temperatura, umidade do ar, vento, pressão atmosférica, radiação solar, umidade e temperatura do solo e quantidade de chuva. As medições serão feitas de hora em hora e transmitidas online para o servidor da Emparn.

A partir dessas informações será possível melhorar o zoneamento e monitoramento agrícola, dando mais segurança aos agricultores, principalmente para escolher a hora e a cultura agrícola adequadas à sua propriedade, uma vez que o monitoramento climático mais eficaz possibilita auxiliar na gestão dos recursos hídricos do Estado.

“Com essas adequações, a Emparn vai disponibilizar de forma mais eficaz, a previsão do tempo e o monitoramento de chuvas, informações de extrema importância no dia a dia de áreas como o turismo, a agricultura e a pecuária do Estado”, comentou o Secretário de Gestão de Projetos e Metas e coordenador do Governo Cidadão, Fernando Mineiro, contando que, além do sistema que gerencia os modelos de previsões meteorológicas, foram adquiridos e instalados 100 pluviômetros automáticos e 15 novas estações automáticas para se somarem aos equipamentos que a Emparn já detinha.

O Chefe da Unidade Instrumental de Meteorologia da Empresa, meteorologista Gilmar Bristot, explicou que essa reformulação vai marcar a meteorologia do RN, tornando-a mais acessível, atualizada e eficaz.

“A ampliação e modernização de nosso monitoramento hidrometeorológico, climático e agrometeorológico é de grande importância para todas as áreas relacionadas ao meio ambiente, uma vez que teremos acesso a informações valiosas de maneira automática e periódica a cada hora. Daremos um salto enorme na qualidade das informações coletadas em campo, nos 167 municípios potiguares, de forma a atender a todos os setores produtivos, além da defesa civil e para pesquisa na área educacional”, disse Bristot que completou: “Vai ser um diferencial importante para todo o Estado, disponibilizando todas as informações à população, em breve, por meio da internet, nas plataformas da Emparn”.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. flavio disse:

    Não adianta modernizar, se o órgão não possui estrutura para desenvolver sua atividade. É mais enfeite e pirotecnia para iludir o povo. Nossos órgãos de assistência técnica e fiscalização estão sucateados e sem estrutura física e humana para dar vencimento a demanda existente.

Fim de semana tem possibilidade de chuvas em todas as regiões do estado, diz previsão da Emparn

Foto: Reprodução/Emparn

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(Emparn) informa que o fim de semana no estado será de céu com predominância de nublado a claro com possibilidades de chuvas em todas as regiões. Para a capital, a previsão máxima de é 30,5º e a mínima de 23º.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Francisco disse:

    A EMPARN não acerta uma !
    Pense numa coisa sem futuro.
    Apesar dos avanços tecnológicos, ela nunca chegou nem perto das "possibilidades de previsões "
    Kkkkkk

    • Luiz Antônio disse:

      Você prova o está dizendo?!

    • JSouza disse:

      Se a EMPARN diz que vai chover, pode sair de casa sem problemas, não esqueça o protetor solar e o chapéu, kkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Dinheiro público gasto à toa, eles não acertam uma previsão.

    • Thiago Brandão disse:

      Kkkkkk. Os caras são especialistas em errar! 50% de probabilidade nunca funciona pra eles. Melhor jogar cara ou cara, iriam acertar mais

Previsão novas pancadas de chuvas no RN até o fim de semana

Foto: Ilustrativa

A Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte- EMPARN informa que até domingo (21), a previsão é de céu parcialmente nublado a claro em todas as regiões do estado, com pancadas de chuvas devido a circulação do ar favorável em altos níveis da atmosfera, que favorecem a entrada de umidade sobre a região e a consequente formação de chuvas sobre o Estado. “

A Emparn ainda destaca que é previsto que ocorram chuvas espalhadas por todas as regiões e o início da atuação da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), para o próximo final de semana.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Severino José disse:

    Eita coisa bonita de se vê é inverno.
    Só tenho a agradecer a padim pade ciço, as chuvas caídas no meu sertão.
    Quero agradecer a Deus o maior de todos por essa bênção.
    Quando Deus quer é assim.
    Caí muita chuva pro mode prantar colher a safra e enxer o bucho de feijão verde arroz e uma galinha cabidela torrada com uma dozinha de cana.
    É bom de mais homi.
    Não posso deixar de agradecer e muito ao meu presidente Bossonaro pela ajuda quem vem dando.
    Ô homi bom!!
    Não deixa fartar nada.
    Esse é iluminado.
    Muito obrigado por tudo presidente Mito!!
    Até 2022.
    Vou votar pro senhor agora e só Jesus empata, eu e meu povo todo.
    Ééééé !!!!!!!!!!!!!!

  2. Bruno disse:

    A governadora fez certo, investiu na estrutura já existente do Estado, hospital de campanha é caro e já tinham fechados todos bando de ignorantes como aconteceu no RJ.

  3. Alberone neri de oliveira lima disse:

    Obrigado Deus por tudo!!!

  4. Marquito disse:

    Já eu acho o contrário, depois que essa peste assumiu é só desgraça, pode vê do dia que ele assumiu pra cá quantas desgraças vem acontecendo é uma atrás da outra , chuva é de Deus …. as coisas ruim é que vem de gente igual Bolsonarob

  5. Calígula disse:

    Agora o país tem Ordem e Progresso e muita chuvas e fartura.

  6. Calígula disse:

    Depois que o Presidente Jair MESSIAS Bolsonaro assumiu o comando do Brasil, o Nordeste está sendo abençoado por Deus, com muitas chuvas, progressos, amor ao próximo.
    Quando os justos governam o país progride.
    Brasil acima de todos e Deus acima de tudo.
    O Homem é bom, o homem é espetacular.
    MITO sempre MITO que Deus te proteja dos ímpios.

Fim de semana de carnaval no RN tem previsão de calor em Natal e região e de chuvas no Oeste e Seridó; confira

Foto: Ilustrativa/ Reprodução/Emparn

O início de carnaval no Rio Grande de Norte, neste fim de semana, tem previsão de predominância de céu nublado a claro em todo o Estado, com ocorrência de pancadas de chuvas no Oeste e Seridó devido a presença de um vórtice ciclônico de ar superior atuando sobre a região. A previsão é da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(Emparn).

Mínima de 22º e máxima de 38º: confira a previsão do tempo no RN neste fim de semana

Foto: Reprodução

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(Emparn) informa que a predominância de céu parcialmente nublado a claro em todo o Estado permite a  possibilidade de ocorrência de pancadas de chuvas fracas no Oeste devido a presença de um vórtice ciclônico de ar superior atuando sobre a região. Para a capital potiguar, a previsão máxima de é 30,5º e a mínima de 23º.

Fim de semana no RN reserva calor e pancadas de chuvas; veja previsão

Foto: Reprodução/Emparn

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(Emparn) destaca que o final de semana no estado será de céu parcialmente nublado a claro em todo o território, com possibilidades de ocorrência de pancadas de chuvas devido a presença de um vórtice ciclônico de ar superior, que atua sobre a região. A previsão é válida deste sábado(30) a segunda-feira(1º de fevereiro).

VÍDEO: Cientista prevê período de libertinagem sexual e gastança desenfreada depois da pandemia

Foto: Reprodução/Twitter

A pandemia da covid-19 já deixou 2.130.497 mortos em todo o mundo. Além das incertezas sobre a doença, a instabilidade econômica e a privação de uma vida em sociedade também espalham medo e aumentam as dúvidas sobre os próximos anos, quando houver algum controle do novo coronavírus.

O sociólogo e epidemiologista Nicholas Christakis, considerado pela revista americana Time como uma das 100 pessoas mais influentes do mundo, diz acreditar que, no ano de 2024, voltaremos a ter interações sociais.

Em seu novo livro, Apollo’s Arrow: the Profound and Enduring Impact of Coronavirus on the Way We Live (A Flecha de Apolo: o Impacto Profundo e Duradouro do Coronavírus na Maneira como Vivemos, em tradução livre), o epidemiologista analisa os efeitos do coronavírus a partir de uma perspectiva histórica.

“Teremos uma espécie de ‘loucos anos 20’, um desabrochar. As pessoas poderão voltar a encher eventos esportivos, manifestações políticas e restaurantes. As pessoas buscarão interação incansavelmente. Poderia incluir ‘uma libertinagem sexual’, grandes gastos e aumento da tolerância ao risco”, disse, em entrevista ao diário britânico The Guardian.

Com base em importantes epidemias históricas, análises contemporâneas e pesquisas, Christakis explora o que significa viver em uma época da peste – uma experiência que é paradoxalmente incomum para a maioria dos humanos que estão vivos, mas profundamente fundamental para nossa espécie.

Além do surgimento do teletrabalho e da epidemia de transtorno de estresse pós-traumático, a publicação ainda alerta que, no período pós-pandemia, poderemos ter anos de “desregramento social e sexual, de embriaguez, de uma certa alegria de viver, típicas de períodos pós-pandêmicos”.

O autor

Nicholas A. Christakis é médico e sociólogo e está acostumado a explorar as origens antigas e as implicações modernas da natureza humana. Atualmente, dirige o Laboratório da Natureza Humana na Universidade de Yale, onde é Professor de Ciências Sociais e Naturais, nos Departamentos de Sociologia, Medicina, Ecologia e Biologia Evolutiva, Estatística e Ciência de Dados e Engenharia Biomédica. Também é o codiretor do Yale Institute for Network Science, coautor de Connected e o autor de Blueprint.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Valerio disse:

    O dinheiro vai girar com força

  2. Valerio disse:

    Vai sim, esso o cientista disse e a pura vdd

  3. Tarcísio Eimar disse:

    A putaria é eterna, nunca vai acabar. Mas parte da vida.

  4. Marcelo disse:

    Essa pandemia está prevista pra chegar quando?

  5. Fernando disse:

    Kkkk eu ja previ isto em abril e nem sou cientista!

  6. Lourenço disse:

    Vamos ter Nove Dedos como palestrante nessa nova fase, o pingunço é esperto nesse assunto e sabe iludir.

  7. Bolsominion disse:

    Todo mundo vai gastar o salário todo só em latas de leite condensado. Se é que vocês me entendem.

  8. Luciano disse:

    ô coitado! ele pensa que o povo parou de fazer isso é ? só q não, tá todo mundo fudido e fudendo.

    • Tom França disse:

      Concordo Luciano! Bastava ele vir a Pipa e a São Miguel do Gostoso, no réveillon, fora as "raves" que acontecem praticamente todo fim de semana, como essa mais recente com 800 pessoas em São Paulo!

Fim de semana no RN de calor e pancadas de chuvas, indica previsão do tempo

Foto: Reprodução/Emparn

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(Emparn) informa que o final de semana deverá ser parcialmente nublado a claro em todo o Estado, com possibilidade de ocorrência de pancadas de chuvas devido a presença de um vórtice ciclônico de ar superior atuando sobre a região. Na capital potiguar, previsão de mínima de 23º e máxima de 30,5º.

Em meio calor, fim de semana poderá registrar pancadas de chuvas pelo RN, indica previsão

Foto: Reprodução/Emparn

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(Emparn) informa que o final de semana deverá ser de céu parcialmente nublado a claro em todo o Estado, com possibilidade de ocorrência de pancadas de chuvas devido a presença de um Vórtice Ciclônico de Ar Superior, atuando sobre a região.

Fim de semana de forte calor e pancadas de chuvas no litoral potiguar, indica previsão da Emparn

Foto: Reprodução/Emparn

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(Emparn) informa a previsão do tempo no Estado neste fim de semana.

O órgão destaca predominância de céu parcialmente nublado a claro em todo o Estado, com possibilidades de pancadas de chuvas fracas mais concentradas ao longo da faixa litorânea leste.

Influência do sistema de brisa poderá provocar pancadas de chuvas na faixa litorânea leste potiguar; veja previsão da Emparn

Foto: Reprodução/Emparn

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(Emparn) informa que o final de semana deverá ser nublado a claro em todas as regiões do Estado.

Segundo a Emparn, poderão ocorrer pancadas de chuvas ao longo da faixa litorânea Leste devido a influência do sistema de brisa.

Feriado prolongado tem possibilidade de pancadas de chuvas no litoral; veja previsão da Emparn

Foto: Reprodução/Emparn

A Empresa de Pesquisa Agropecuária(Emparn) informa que o feriado prolongado terá predominância de céu parcialmente nublado a claro em todas as regiões do Estado.

A Emparn ainda destaca que poderão ocorrer pancadas de chuvas fracas ao longo da faixa litorânea leste devido a influência do sistema de brisa.

Fim de semana reserva calor no RN, com temperaturas que podem chegar a 38º; pancadas de chuvas isoladas também na previsão

Fotos: Getty Images e Reprodução/Emparn

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte lançou a previsão para o fim de semana no estado.

Segundo a previsão, a predominância de céu parcialmente nublado a claro em todas as regiões. Poderão ocorrer pancadas de chuvas fracas ao longo da faixa litorânea Leste devido a influência do sistema de brisa.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Boi Tungão disse:

    Moleira da boiada 🐂 pega 🔥

FMI melhora previsão do PIB do Brasil e da economia mundial em 2020

Foto: Yuri Gripas / Reuters

A recessão causada pela pandemia será menos severa do que o esperado em 2020 graças à abertura de algumas economias avançadas, embora a reativação perca força, alertou o Fundo Monetário Internacional nesta terça-feira. Ao revisar seu “Panorama Econômico Mundial” o FMI espera agora uma contração do PIB mundial de 4,4% neste ano, abaixo da estimativa de junho, de 5,2%.

Para o Brasil e México, as duas principais economias da América Latina e ambos entre os cinco países com mais óbitos pelo novo coronavírus, o relatório estima quedas do PIB menores do que o esperado em meados do ano, de 5,8% e 9%, respectivamente.

Em junho, a estimativa era de queda de 9,1% para o Brasil. O FMI já havia divulgado esses números na semana passada em seu relatório periódico sobre a economia de seus membros, conhecido como Artigo IV. Em ambos os casos alertou sobre os riscos para o crescimento.

O novo coronavírus deixa mais de 1,07 milhão de mortes no mundo. Na Europa, França, Espanha e Inglaterra, diante de uma nova onda de infecções, multiplicam-se as medidas para evitar um confinamento generalizado, que pode ser devastador para a economia.

“Viver com o novo coronavírus é um desafio diferente, mas o mundo se adapta”, considerou a economista-chefe da agência, Gita Gopinath, em um blog que acompanha o último relatório de previsão econômica global (WEO) do FMI.

A revisão em alta reflete dados econômicos melhores do que o esperado no segundo trimestre, particularmente em economias desenvolvidas da Europa, nos Estados Unidos e na China, o berço do vírus.

Todas as regiões do mundo parecem ter um desempenho melhor do que o esperado, mas as economias emergentes e em desenvolvimento como um todo caem na exceção: para elas, a previsão piorou para um declínio coletivo de 3,3% em 2020.

O PIB dos Estados Unidos, maior economia mundial, cairá 4,3%, abaixo dos 8% estimados anteriormente, enquanto a economia da zona do euro recuará 8,3%.

“No entanto, esta crise está longe de terminar”, advertiu Gopinath.

Diante da imensa incerteza, o FMI mais uma vez revisou para baixo a expectativa de recuperação para 2021 (+5,2%, -0,2 ponto).

“A recuperação provavelmente será longa, desigual e incerta”, resumiu a economista, retomando termos já usados pelo organismo internacional.

Em relação à previsão anterior de junho, “a perspectiva piorou consideravelmente em alguns países emergentes e em desenvolvimento, onde as infecções estão aumentando rapidamente”.

Após a contração histórica de 2020 e a esperada reativação em 2021, o nível do PIB mundial deve ser um pouco superior ao de 2019, detalhou o Fundo.

A agência estima que, no médio prazo, as perspectivas serão medíocres, pois o distanciamento social provavelmente persistirá até o final de 2022, o que impede uma verdadeira recuperação.

Além disso, não se pode excluir um cenário pior, com a intensificação das infecções combinada com a desaceleração dos avanços na busca por tratamentos e vacinas, obrigando as autoridades a tomarem medidas mais duras.

Na Ásia, destaque para a China

A China, que teve uma forte e rápida reabertura e recuperação diante da pandemia, será a única economia a apresentar crescimento positivo em 2020, de 1,9% – quase o dobro da taxa prevista em junho -, e deve atingir crescimento de 8,2% em 2021, maior ritmo em quase uma década, disse o FMI.

Mas os mercados emergentes, exceto a China, terão uma contração de 5,7% em 2020, pior do que os 5,0% previstos em junho. O FMI disse que o vírus continua a se espalhar em grandes países, incluindo Índia e Indonésia, e essas economias são muito mais dependentes de setores duramente atingidos – incluindo turismo e commodities- bem como de remessas e de outras fontes de financiamento externo.

A economia indiana deve registrar retração de 10,3% neste ano, mas em 2021 a previsão é de avanço de 8,8%.

Na zona do euro, recuperação mais fraca

O Fundo prevê um crescimento de 5,2% para a zona do euro em 2021, um resultado menor do que o anunciado em junho, de 4,4%, sinal de que a recuperação econômica será trabalhosa.

Mas também suavizou sua previsão de recessão para este ano a -8,3%, contra -10,2%.

De acordo com o FMI, a Espanha seria o país europeu em situação mais difícil, com uma queda do PIB estimada em 12,8% este ano. Enquanto isso, a Itália registraria queda de 10,6% e a França de 8,3%.

A Alemanha, a maior potência exportadora do continente, veria um retrocesso de 6% este ano, apontou o FMI, já que a demanda da Ásia permaneceu sustentada.

O FMI também indicou que as coisas poderiam ter sido piores e elogiou os países europeus pelo ambicioso programa de gastos para atenuar os impactos econômicos da pandemia, especialmente o pacote de recuperação de 750 bilhões de euros da UE, que considerou um bom sinal.

Também destacou as históricas medidas adotadas pelo Banco Central Europeu, que impulsionaram os mercados de valores e mantiveram decididamente os preços dos empréstimos de países altamente endividados, como a Itália, em níveis mínimos históricos.

“Essas medidas agressivas desempenharam um papel crucial no apoio à confiança e prevenção de uma maior amplificação do impacto da covid-19 através do sistema financeiro”, destacou o FMI.

Além disso, destacou a força do euro, principalmente em relação ao dólar americano. No período de abril a setembro, disse a instituição, “o euro se valorizou cerca de 4% devido às melhorias das perspectivas econômicas e ao aumento mais lento dos casos de Covid-19”.

Recessões profundas na América Latina

Para as economias da América Latina e do Caribe, o Fundo melhorou as estimativas para 2020, embora tenha alertado sobre “recessões profundas” em alguns países duramente atingidos pela pandemia de Covid-19.

O Produto Interno Bruto (PIB) regional vai recuar 8,1% neste ano, menos que os 9,4% previstos em junho, informou o organismo multilateral, acrescentando que panorama continua “precário” nas economias emergentes, “com muitos países latino-americanos gravemente afetados pela pandemia enfrentando recessões muito profundas”.

Entre os fatores para essa situação, o FMI menciona a disseminação contínua da Covid-19, o impacto da crise da saúde em setores-chave, como o turismo, e uma maior dependência de financiamento externo, incluindo as remessas.

Para 2021, o FMI projetou uma recuperação do PIB regional de 3,6%.

América Latina e Caribe é a região do mundo mais afetada pela pandemia declarada em março. Com mais de 10,1 milhões de casos e quase 370.000 mortes, é responsável por mais de um quarto das infecções e mais de um terço de todas as mortes por Covid-19 do planeta.

As projeções do Fundo também são ligeiramente melhores para o Chile (-6,0% em comparação aos -7,5% em junho). No entanto, pioraram para Argentina (-11,8% em comparação aos -9,9%) e Colômbia (-8,2% em comparação aos -7,8%).

A Argentina, em recessão desde 2018, enfrenta uma profunda crise econômica e social agravada especialmente pela pandemia. O país planeja negociar com o FMI um novo contrato de crédito em meados de novembro, depois que a agência lhe concedeu o maior empréstimo de sua história: US$ 57 bilhões, com desembolso de US$ 44 bilhões.

A Colômbia, em sua primeira recessão em duas décadas, aumentou no mês passado em US$ 6,5 bilhões sua linha de crédito flexível com o FMI que havia contratado em maio.

Para o Peru, o FMI manteve sua projeção de contração de 13,9% do PIB em 2020 em relação a 2019.

De longe, o maior colapso da América Latina ainda é o da Venezuela, mergulhada em um desastre econômico desde 2013. Para este país caribenho, o Fundo prevê uma contração de 25% do PIB, acima dos 20% estimados em junho.

Perdas de US$ 28 trilhões

Nesse contexto, é difícil para a economia mundial retornar à trajetória esperada antes da pandemia.

O FMI estima que a perda cumulativa do PIB para 2020-2025 será de cerca de US$ 28 trilhões, US$11 trilhões somente em 2020-2021.

“É um sério revés para a melhoria do padrão de vida” da população, alertou Gopinath.

Assim como o Banco Mundial, o FMI teme que essa crise encerre o progresso feito desde a década de 1990 na redução da pobreza no mundo e que a desigualdade esteja crescendo.

O fechamento das escolas, um sacrifício para gerações inteiras, acrescenta “mais um desafio”.

O volume de comércio de bens e serviços no mundo vai cair, e embora a queda seja menor que a esperada em 2020 e haja uma retomada em 2021, o número também é significativo para esse motor de crescimento: uma redução de 10,4% neste ano nos intercâmbios comerciais.

“Estes são tempos difíceis, mas há espaço para esperança”, acrescentou a economista do FMI.

“Os testes se intensificaram, os tratamentos estão melhorando e os testes de vacinas estão se desenvolvendo em um ritmo sem precedentes, alguns já no estágio final”.

A diretora-geral do FMI, Kristalina Georgieva, vem insistindo há várias semanas que é fundamental que todas as inovações sejam produzidas em grande escala para o benefício de todos os países.

“Este esforço deve incluir ajuda multilateral para distribuir doses (de vacinas) a todos os países a preços acessíveis”, acrescentou Gopinath.

Enquanto se espera por uma vacina, o FMI mais uma vez recomenda aos governos que mantenham a ajuda para os mais pobres e aumentem os gastos públicos com foco em projetos “verdes” geradores de mais empregos.

As reuniões do FMI e do BM são realizadas em formato virtual de 12 a 18 de outubro de 2020.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Manoel C. disse:

    PedrÓDIO, ataca mais uma vez. Se tiver a notícia de uma topada fatal na Gentil Ferreira, é capaz dele citar Lula, Venezuela e Maduro.

  2. Pedro disse:

    Essas notícias matam mais ratos que chumbinho, o rato mor de nove dedos e a anta ficam chiando com ratos na ponta de uma vassoura. O Brasil tem tudo para dar certo, agronegócio pujante, sub solo rico em minérios, muita terra rica em opções turísticas e por aí vai, pena que a nossa classe política não ajude, assim como adoramos com gestores incompetentes e ladrões do património público. O bêbado e a anta , escancararam as nossas fronteiras para as drogas, principalmente para vizinhos ruins e ditatoriais como Venezuela e Bolívia, isso foi triste.

Feriadão no RN tem previsão de calor com possibilidade de pancadas de chuvas no litoral por influência do sistema de brisa; veja cidades

Foto: Ilustrativa/Reprodução

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(Emparn) comunica a previsão para o feriadão no Estado, com predominância de céu parcialmente nublado a claro em todas as regiões.

Segundo a Emparn, poderão ocorrer pancadas de chuvas fracas ao longo da faixa litorânea Leste devido a influência do sistema de brisa.