Dez milhões de pessoas podem quitar dívidas por apenas R$ 50 em feirão da Serasa

Foto: Arquivo/Agência Brasil

A Serasa informou nesta segunda-feira (9) que 10 milhões de consumidores poderão quitar dívidas por apenas R$ 50. A ação faz parte do 26º Feirão Limpa Nome, que permite renegociar dívidas atrasadas com até 99% de desconto. O feirão começou na semana passada.

Participam da iniciativa mais de 50 empresas de diversos segmentos, como lojas de departamento, companhias telefônicas, bancos e faculdades. A estimativa é que as ações podem dar a possibilidade para 64 milhões de consumidores regularizarem sua situação. O feirão vai até o dia 30 deste mês.

Para participar, o consumidor pode acessar um dos canais digitais da Serasa: site do Serasa Limpa Nome, WhatsApp (11 99575-2096) e aplicativo.

Nesta edição, a negociação poderá ser feita em mais de 7 mil agências dos Correios em todo o país. A ação permitirá ainda que, após a quitação da dívida, o consumidor tenha sua pontuação aumentada e assim obtenha melhores condições de crédito nas próximas compras.

Segundo a Serasa, o Brasil tem atualmente 62,7 milhões de pessoas com dívidas em atraso, das quais 15 milhões no estado de São Paulo. Apenas na capital paulista, há 4,2 milhões de pessoas inadimplentes.

Isto É, com Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luiz Otávio Rodrigues da costa disse:

    Eu quero lotar minha dívida mais não tenho dinheiro.

  2. Maria ivanilde Amaral Silva disse:

    Eu quero limpar meu nome só q não tem condições de pagar o valor .

  3. Janete Sueli dos santos disse:

    Eu quero

  4. Maria edileuza lino pereira do Nascimento disse:

    Infelizmente as informações não chega a população m carente

  5. Elio Cesario disse:

    Deixe meu nome na lama mesmo!!!

  6. Elio Cesario disse:

    Tudo truque…vc abre o aplicativo, digita o CPF e pafff… tudo que vc deve,;esfregam na sua cara e pasmem, desconto que é bom, lá embaixo!!

Inadimplentes de todo o país poderão negociar dívidas e contas atrasadas com até 99% de desconto no feirão Limpa Nome da Serasa, a partir desta terça

Foto: © Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A partir desta terça-feira(3) consumidores inadimplentes de todo o país poderão negociar dívidas e contas atrasadas com até 99% de desconto durante mais um feirão Limpa Nome da Serasa. Os descontos serão oferecidos por mais de 50 empresas parceiras de diversos segmentos até o dia 30 de novembro. Segundo a Serasa, pelo menos 64 milhões de consumidores podem ser beneficiados.

Para participar o consumidor pode acessar um dos canais digitais da Serasa: site do Serasa Limpa Nome, Whatsapp e aplicativo. Nesta edição a negociação poderá ser feita em mais de 7 mil agências dos Correios em todo o Brasil. A ação permitirá ainda que, após a quitação da dívida, o consumidor tenha sua pontuação aumentada e assim obtenha melhores condições de crédito nas próximas compras.

“Sabemos da importância do nome limpo para que as pessoas tenham mais chance de conseguir crédito, e assim, recomecem sua vida. O ano foi muito difícil devido a pandemia, mas já vemos sinais de retomada, por isso, esse ano, junto aos mais de 50 parceiros do Serasa Limpa Nome, entendemos a responsabilidade de ampliarmos e criarmos o maior Feirão de todos os tempos”, disse o diretor de marketing e canais digitais da Serasa, Giresse Contini.

Participam desta edição do feirão Limpa Nome as empresas Itaú, Banco do Brasil, Recovery, Claro, Santander, Vivo, Casas Bahia, Ponto Frio, Renner, Riachuelo, Pernambucanas, Avon, Bradesco, Carrefour, Porto Seguro, Ativos, Oi, Itapeva, Anhanguera, Sky, Credsystem, Banco BMG, Digio, Zema, Crefisa, Ipanema, Unopar, Hoepers, Tricard, Tribanco, Di Santinni, Calcard, Confiança, Algar, Unic, Fama, Pitágoras, Sorocard, Uniderp, Unime, Hipercard, Conect Car, Elmo, Tenda, Energisa, Cetelem, Havan, Quatro Estações, CPFL, RGE, PagBank, Light, Nosso Lar, Novo Mundo, Koerich, Kredilg e Cemig.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gerson Jaime da Costa disse:

    Pagar dívida

  2. Pamela da Pampa disse:

    Vou aproveitar e tirar meu nome da "chon" …lama é mais adequado

  3. Luciana Morais Gama disse:

    Vejam como os juros são ABUSIVOS, até 99% de desconto…

  4. Calígula disse:

    Se o doido do Ciro Tivesse ganho , ele ia perdoar todas as dívidas kkkkk

Serasa oferece renegociação de dívidas para inadimplentes; ação mira cerca de 20 milhões de consumidores

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A Serasa lança a partir desta quarta-feira(16) uma ação para facilitar o pagamento de dívidas, com desconto de até 50% nos valores devidos. Segundo a consultoria, a ação tem potencial para que até 20 milhões de consumidores deixem de ter o nome negativado.

A iniciativa possibilita a renegociação de dívidas especialmente com lojas, bancos e empresas de telefonia e internet. As renegociações acontecem exclusivamente com dois parceiros da Serasa: a Ativos S.A e a Recovery.

Para consultar as possibilidades de negociação, o consumidor deve acessar a plataforma da Serasa Limpa Nome. Lá é possível consultar se há dívidas pendentes a partir do número do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF). É possível também fazer a negociação por aplicativo de celular.

Inadimplência

Segundo balanço divulgado no início do mês pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), 26,7% das famílias brasileiras tinham contas em atraso em agosto e 67,5% estavam endividadas.

Agência Brasil

Serasa lança nova campanha para limpar nome por R$ 100

Foto: Celso Tavares/G1

A Serasa lançou uma nova campanha que permite que endividados até R$ 1 mil quitem suas dívidas por apenas R$ 100.

Desde a última terça-feira (28), quem tiver débitos entre R$ 200 e R$ 1.000 com as empresas Ativos S.A, Tricard, Santander, Recovery, BMG e Credysystem poderão quitá-los por apenas R$ 100.

Com a extensão da campanha, a Serasa estima que mais de 25 milhões de dívidas poderão ser quitadas pelo site da Serasa Limpa Nome. O valor de R$ 100 é valido para qualquer um dos seis parceiros envolvidos.

Para ter acesso, o consumidor precisa acessar o site do Serasa Limpa Nome – que desde abril tem uma nova marca e um novo endereço: www.serasa.com.br. O consumidor também encontra as mesmas condições no aplicativo do Serasa disponível para Android e iOS.

O interessado pode verificar sua situação de crédito por meio do número de CPF.

As agências da Serasa, que fornecem atendimento presencial, permanecem fechadas. Porém, além do site do Serasa Limpa Nome e do app da Serasa, o consumidor também pode regularizar seus débitos financeiros pelo Whatsapp, através do número: (11) 98870-7025. Todos esses canais contam com as mesmas condições de renegociação.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Obede disse:

    Vdd .papo furado esse negocio do serasa vc ñ finaliza a proposta.só vai até as parcelas tio.11x .ñ passa dai.dai vc liga pra empresa q deve e eles dizem q ñ houve acordo nenhum.ñ foram comunicados

  2. Raimunda sueli lopes disse:

    Eu quero limpar meu nome.

  3. Bruna sousa disse:

    Tudo mentira eu vi essa propaganda e chamei o Serasa no zap tá lá 450 credysistem em 10x da quase 700, daí pensei acho q só ligando na cobrança, foi o q eu fiz! Lá central ninguém tá sabendo ou seja propaganda mentirosa😳

  4. Jaqueline disse:

    Eu preciso limpar meu nome

Câmara aprova projeto de lei que suspende por 90 dias a inclusão de novos inscritos no SPC e Serasa; medida segue para análise do Senado

Foto: Macello Casal Jr./Agência Brasil

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou hoje (9) um projeto de lei que suspende por 90 dias a inclusão de novos inscritos em serviços de proteção ao crédito como Serasa e SPC, o chamado cadastro negativo. A medida segue para análise do Senado Federal.

O texto é mais uma das medidas de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus e terá validade retroativa, a partir de 20 de março deste ano. O PL autoriza a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) do Ministério da Justiça a prorrogar a suspensão das novas inscrições nos cadastros de devedores enquanto durar a emergência em saúde pública.

Segundo o relator do projeto, deputado Julian Lemos (PSL-PB), a medida tem o objetivo de garantir acesso ao crédito a quem foi prejudicado com as medidas adotadas durante a pandemia. Pelo projeto, em casos de cobrança de multa por descumprimento da norma, o dinheiro deverá ser aplicado em medidas de combate à covid-19.

Contrário à proposta, o deputado Marcel Van Hattem (Novo-RS) afirmou que haverá aumento de juros para todos os cidadãos e empresas, que serão penalizados pelos inadimplentes.

“Muitos querem que seja aprovado esse projeto na vã ilusão de que haverá mais facilidade para acessar o crédito, mas a realidade é completamente outra. Se houver de fato mais facilidade para acessar o crédito com a aprovação dessa lei, da mesma forma esse crédito será muito mais caro, os juros dispararão. E teremos, por tanto, muito mais dificuldade em vermos os cidadãos mais pobres, que mais necessitam desse crédito, se recuperarem após esse período de crise, de pandemia”, argumentou.

O relator da proposta rebateu a crítica e afirmou que é preciso ter sensibilidade neste período de calamidade. Segundo Lemos, a economia brasileira “está paralisada, amargando inúmeras perdas em função da restrição de circulação de pessoas por meio de isolamento e quarentenas”.

“Algumas pessoas falaram de aumento de juros. Isso não tem nada a ver. A questão é garantir que o bom pagador não se torne mau pagador e aquele que esteja em situação difícil tenha acesso ao crédito para cumprir seus compromissos, inclusive com a folha e com seus fornecedores”, explicou.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Breno disse:

    Burrice… as empresas concedem crédito com base no score. Quem está com nome sem restrição mas com o score baixo, não consegue crédito.

  2. Pedro Melo disse:

    Eita
    Agora é a hora de dar os golpes !

  3. S vericio disse:

    Pra os mau pagadores é um prato cheio. O famoso veaco.

Feirão do Serasa é iniciado e oferece desconto de até 98%

Foto: (AntonioGuillem/Thinkstock)

Os consumidores que voltaram do Carnaval endividados terão mais uma oportunidade para saldar suas dívidas. Começa nesta quinta-feira(27), o Feirão Limpa Nome do Serasa Consumidor pela internet.

Os interessados em participar devem se inscrever no site do Serasa Limpa Nome ou baixar o aplicativo do Serasa Consumidor até o dia 31 de março.

Entre as empresas participantes estão Itaú, Banco do Brasil, Santander, Recovery, Claro, Net, Embratel, Avon, Ativos, Anhanguera, CredSystem, Sky, Oi, DI Santinni, Ipanema, Nextel, Unopar, Hoepers, BMG, Digio, Porto Seguro, Tricard, Crefisa, Cartão confiança (D’avó), Unic, Fama, Pitágoras, SoroCred, Uniderp, Unime, Itau Card, Hipercard, ConectCer, Elmo, Tenda, Energisa, Banco Original, Banrisul, EDP. Todas irão oferecer oportunidades exclusivas, prazos de pagamentos diferenciados, além de descontos para a quitação das contas em atraso. Em muitos casos, os descontos podem chegar a 98%.

No último evento, realizado em novembro do ano passado, 4 milhões de acordos foram fechados, resultando em mais de 5 bilhões de reais em descontos concedidos.

Exame

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sandra disse:

    Pra quem está com o nome sujo, é só falar com o coroné Ciro que ele paga a divida.
    Kkkkkk
    Espia só, a lorota do Cirão.
    En tempos de eleição, se escuta cada uma, que dá dez.

Atividade do comércio tem alta de 2% em 2019, diz Serasa

Foto: Agência Brasil/EBC

A atividade no comércio registrou alta de 2% em 2019, segundo levantamento divulgado hoje (22) pela Serasa Experian a partir das consultas ao seu banco de dados. Na comparação entre dezembro do ano passado e o mesmo mês de 2018, foi registrada alta de 3,9%.

O aumento da atividade no ano foi puxada pelo setor de veículos e autopeças, que teve alta de 8,4% no ano e pelo ramo de material de construção, com elevação de 4,6% em 2019. O setor de supermercados teve alta de 0,6% . Enquanto acumularam ao longo do ano pequenas quedas os setores de vestuário e acessórios (0,6%) e moveis, eletrodomésticos e eletreletrônicos (0,4%).

Também foi verificada uma alta na atividade do comércio no último Natal de 4,1% em relação ao período de 18 a 24 de dezembro de 2018.

Segundo o economista da Serasa Luiz Rabi, a queda na taxa de juros melhorou o acesso ao crédito. Ao longo de 2019, a taxa básica de juros (Selic) caiu de 6,% para 4,5% “Além disso, com o 13° salário e os saques do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, há um aumento pontual da renda da população, que acabou gerando um bom desempenho”, explicou.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. E. costa disse:

    Terraplanistas na área!!🙊👉💩👈

  2. Jair disse:

    Kkkkkkkkkkk não cobre nem a inflação oficial do período q foi de 4,6%

    • Neco disse:

      Onde vc leu que é só crescimento nominal..? kkkk… hi-ho…hi-ho…. hi-ho….

    • Bil berg disse:

      E no período do PT??
      13 milhões de desempregados.
      Kkkkkkkkkk
      Kkkkkkkkk

    • Neco disse:

      Isso é calculado além da inflação…. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

    • Antônio disse:

      Só para para refrescar a memória curta dos esquerdistas, em 2015, a Dilma ainda governou o ano inteiro, e a inflação anual foi de 10,67% e o PIB teve uma retracão de 4, 35%. Imagina se essa quadrilha ainda estivesse no poder. Seríamos a Venezuela 2. Deus nos livre!

  3. Neto disse:

    Todos os dias a PeTralhada sofre! São muitas notícias positivas na economia brasileira, panorama bem diferente da gestão da estocadora de ventos que eles tanto veneram. A máxima "aceite que dói menos" continua valendo! Caso contrário, vale lembrar que suco de maracujá está em promoção em algumas casas do ramo.

Vendas sobem 9,9% na semana da Black Friday, aponta Serasa

As vendas do comércio de rua e shopping centers cresceram 9,9% entre os dias 29 de novembro a 1º de dezembro, período da Black Friday, comparadas ao mesmo período do ano passado, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio. Na semana que antecede a data, entre 19 a 25 de novembro, foi registrada alta de 9,2% nas vendas.

“O resultado reflete a melhora já esperada pelo setor varejista e acompanhou o crescimento das duas últimas datas comemorativas do comércio [Dias dos Pais e Dia das Crianças]”, disse a Serasa.

Ainda segundo economistas do Serasa, “o período também foi influenciado pelo aumento em massa da renda da população com a liberação da primeira parcela do 13º salário e do saque do FGTS que, aliados à queda dos juros e da inflação, beneficiaram o varejo e impactaram positivamente as vendas da Black Friday”.

Agência Brasil

Serasa vai liberar consulta gratuita a CNPJ de lojas virtuais na Black Friday

Para que o consumidor não seja enganado ou tenha frustrações na Black Friday, evento que reunirá 120 lojas virtuais em um dia de descontos que podem chegar a 80%, a Serasa, em parceria com o VocêConsulta Empresas, vai permitir que o cidadão consulte gratuitamente o CNPJ de uma empresa com quem pretende fechar negócio nos dias 29 de novembro e 1° de dezembro, quando ocorre a promoção.

O VocêConsulta Empresas fornece informações sobre a situação do CNPJ da loja, razão social, ocorrência de protestos, cheques sem fundo, ações judiciais, endereço, falências e a existência legal da companhia consultada.

– É uma ferramenta a mais que o consumidor tem para não cair nas ações dos golpistas – diz a superintende de Serviços ao Consumidor, Maria Zanforlin.

Para obter o serviço, basta clicar em portal.serasaconsumidor.com.br/vce e digitar o CNPJ da empresa a ser consultada. Você encontra o CNPJ da empresa no rodapé do site de cada empresa ou nas seções Quem Somos ou Fale Conosco. Desde maio deste ano, o decreto federal 7.962/13, que regulamenta o Código de Defesa do Consumidor, obriga as lojas virtuais a exibirem em suas páginas na internet dados como nome, endereço e CNPJ. O serviço é gratuito apenas durante o final de semana da Black Friday.

O Globo

Número de cheques sem fundos aumenta, aponta Serasa

Os cheques sem fundos – devolvidos pela segunda vez pelas instituições bancárias, atingiram 2,03% do total de cheques compensados em julho. O resultado é maior que o registrado em junho (1,94%) e em julho de 2012 (2%). No acumulado do ano (de janeiro a julho), os cheques sem fundos representaram 2,07% do total, ante 2,06% no mesmo período de 2012. Os dados divulgados hoje (19) são do Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos.

A Serasa destaca que a devolução de cheques por falta de fundos está na direção oposta à inadimplência geral do consumidor, que vem registrando quedas mensais. “Diante da redução de seu poder aquisitivo, em decorrência da inflação, dos juros em alta e dos gastos do período [Dia das Mães, Dia dos Namorados e férias escolares], o consumidor pode estar buscando novos empréstimos com os cheques”, disse a Serasa em nota.

Em julho, Roraima registrou o maior índice de cheque sem fundos (12,94%), enquanto o Amazonas teve a menor percentagem (1,33%). De janeiro a julho de 2013, o estado de Roraima foi o que apresentou maior incidência de cheques sem fundos (11,37%). O Amazonas registrou apenas 1,45% – o menor índice. Entre as regiões, a Norte foi a que apresentou o maior percentual de cheques devolvidos (4,46%), enquanto a Sudeste registrou o menor nível (1,62%).

Agência Brasil

TSE suspende efeitos de convênio com Serasa

A validade convênio assinado entre o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e a Serasa, que previa repasse de informações dos eleitores, foi suspensa nesta quinta-feira pelo diretor-geral da corte, Anderson Vidal. Segundo informa o G1, a suspensão vale até que haja uma decisão final sobre o convênio.

O acordo está sendo analisado pela corregedora do tribunal, ministra Laurita Vaz, que determinará se o convênio pode ser mantido e os procedimentos a serem adotados.

Ontem a presidente do TSE, ministra Cármen Lúcia, defendeu a suspensão do convênio. A ministra disse que “levou um susto” ao abrir a internet para ler os jornais do dia e ler a notícia de que o tribunal repassaria à empresa privada dados de 141 milhões de brasileiros, segundo informou a assessoria do TSE.

A decisão de firmar o convênio foi tomada pela então corregedora-geral do tribunal, ministra Nancy Andrigui. Pelo acordo, a Corregedoria entrega para a empresa privada os nomes dos eleitores, número e situação da inscrição eleitoral, além de informações sobre eventuais óbitos. Até o nome da mãe dos cidadãos e a data de nascimento poderá ser “validado” para que a Serasa possa identificar corretamente duas ou mais pessoas que tenham o mesmo nome. A Corregedoria ainda hoje vai se pronunciar sobre o caso, segundo informou a assessoria. Em contrapartida pelo repasse de dados, servidores do TSE terão direito a uma certificação digital — espécie de assinatura eletrônica usada em documentos oficiais — da Serasa, com validade de dois anos, facilitando, assim, a tramitação de processos pela internet.

O Globo

Justiça Eleitoral repassa dados de 141 milhões de brasileiros para a Serasa

serasaO Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu repassar informações cadastrais de 141 milhões de brasileiros para a Serasa, empresa privada que gerencia um banco de dados sobre a situação de crédito dos consumidores do País. A medida já está em vigor e afeta praticamente todos os cidadãos com mais de 18 anos, que não terão possibilidade de vetar a abertura de seus dados. O acesso foi determinado por um acordo de cooperação técnica entre o TSE e a Serasa, publicado no último dia 23 no Diário Oficial da União.

Pelo acordo, o tribunal entrega para a empresa privada os nomes dos eleitores, número e situação da inscrição eleitoral, além de informações sobre eventuais óbitos. Até o nome da mãe dos cidadãos e a data de nascimento poderá ser “validado” para que a Serasa possa identificar corretamente duas ou mais pessoas que tenham o mesmo nome.

O acordo estabelece que “as informações fornecidas pelo TSE à Serasa poderão disponibilizadas por esta a seus clientes nas consultas aos seus bancos de dados”. Paradoxalmente, o texto também diz que caberá às duas partes zelar pelo sigilo das informações.

Violação da privacidade. Especialistas em privacidade e advogados ouvidos pelo Estado ficaram surpresos com a “terceirização” de dados privados sob a guarda de um órgão público. “Fornecer banco de dados para a Serasa me parece uma violação do direito à privacidade, o que é inconstitucional”, disse o criminalista Antonio Cláudio Mariz de Oliveira. “O importante é saber que esses dados fazem parte da sua personalidade, e ela é protegida pela Constituição”, sustenta.

Mariz acrescentou que, diante do debate internacional sobre o programa de espionagem da agência de segurança nacional dos Estados Unidos, o acordo “pode fazer parte de uma escalada maior de quebra de privacidade” no Brasil.

Autorização. Para Dennys Antonialli, coordenador do Núcleo de Direito, Internet e Sociedade da Faculdade de Direito da USP, o Tribunal Superior Eleitoral precisaria de “consentimento expresso” dos cidadãos/eleitores para poder repassar seus dados a uma entidade privada.

Com a ressalva de que desconhece os termos do acordo, o criminalista Pierpaolo Bottini disse que, em princípio, os dados de eleitores sob a posse do TSE são “protegidos”. Ambos os juristas ressaltaram que estas informações podem ser requeridas por um juiz criminal à Justiça Eleitoral desde que sejam julgadas relevantes para uma investigação. De acordo com o Bottini, o fato de ser necessário um mandado para sua liberação indica que os dados não podem ser vendidos.

Defesa. Anderson Vidal Corrêa, diretor-geral do TSE, negou que o tribunal esteja abrindo dados sigilosos. Ele afirmou que itens como nome da mãe ou data de nascimento do eleitor serão apenas validados – ou seja, o órgão dirá à Serasa se a empresa dispõe ou não das informações corretas sobre determinada pessoa. Se o dado estiver incorreto, o TSE não vai corrigi-lo, argumentou Corrêa. O acordo, informou o tribunal, foi autorizado por Nancy Andrighi, corregedora-geral eleitoral.

Como contrapartida pela cessão dos dados, servidores do tribunal ganharão certificação digital (espécie de assinatura eletrônica válida para documentos oficiais) da Serasa, o que facilitará a tramitação de processos pela internet. As certificações, porém, só terão validade de dois anos./COLABOROU LUCAS DE ABREU MAIA

Estadão

Procon/RN vai lançar o programa "Limpe seu nome"

O Procon RN vai lançar, em junho, o programa “Limpe seu Nome”. Uma parceria com a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e Banco do Brasil vai permitir que os consumidores que estiverem com o nome negativado no SPC ou SERASA, possam financiar os débitos a juros abaixo do mercado com uma linha de crédito especial.

Para o coordenador-geral do Procon estadual, Araken Farias, o programa favorece para que os consumidores tenham os nomes limpos além de contribuir para o aquecimento do comércio varejista em todo o Estado.

Na próxima segunda-feira (27), haverá uma reunião com os parceiros para definir todos os critérios do programa.

PROCON-RN

Atividade do comércio começa 2º trimestre em alta

A atividade do comércio cresceu 0,7% em abril em comparação a março, de acordo com indicador da Serasa Experian. É a segunda alta mensal seguida, já que em março o indicador registrou 1,1% de alta ante o mês anterior. Em comparação com abril de 2011, a alta foi de 6%.

O segmento de material de construção reagiu a duas quedas seguidas e foi o que mais cresceu em abril, com alta de 1,9%. Outros segmentos que se destacaram foram os de tecido, vestuário, calçados e acessórios (crescimento de 1,3%) e de móveis, eletroeletrônicos e informática (alta de 1,2%).

O segmento de veículos, motos e peças foi o único a registrar queda (1,9%).

De acordo com economistas da Serasa Experian, os motivos do aumento do movimento de consumidores foram a queda da inadimplência, o aumento do ganhos reais de pessoas ocupadas e medidas de estímulo econômico do governo. Neste trimestre, espera-se que feriado dos Dia das Mães aqueça o mês de maio.

Nos primeiros quatro meses de 2012, o varejo cresceu 6,4% em relação ao mesmo período de 2011.

O Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio é feito a partir de dados de 6.000 empresas comerciais.

Fonte: Folha