Temer é vítima de complô, Aécio, de armação, e Lula, de perseguição

Temer é vítima de um complôAécio, de armação, e Lula, de perseguição. Se os três estão certos, seria preciso imaginar que diferentes braços do Ministério Público, a Polícia Federal e a imprensa foram todos contaminados por uma espécie de vírus do niilismo e abraçaram o temerário projeto de destruir as instituições republicanas, abatendo as lideranças dos principais partidos políticos do país.

É possível? Bem, tudo o que não é proibido pelas leis da física é possível —e isso inclui viagens no tempo e discos voadores alienígenas visitando a Terra. Parece-me mais verossímil, porém, acreditar que os três políticos, bem como várias centenas de outros, se meteram em relações absolutamente promíscuas com empresários que já confessaram atos de corrupção na casa dos vários bilhões de reais. Em muitos casos, exibiram provas físicas das propinas.

É possível que nossos três líderes sejam mesmo santos em meio a um oceano de pecadores e que os delatores estejam mentindo quando incluem seus nomes no rol de autoridades compradas. Ademais, para que sofram uma condenação penal, é necessário que o Estado demonstre seu envolvimento para além da dúvida razoável na opinião de um tribunal colegiado. Não precisamos, porém, estabelecer o mesmo nível de exigência para os efeitos políticos.

Ao contrário, boa parte da crise que vivemos pode ser atribuída ao fato de que foros políticos passaram a operar com balizas do Judiciário. Eu me explico. Num país mais “normal”, o presidente que se vê envolvido num escândalo como o que enredou Michel Temer renuncia, seja ele culpado ou inocente. Um senador flagrado numa fita tão comprometedora como a de Aécio é rapidamente cassado pelo Conselho de Ética da Casa. Já Lula, este, por não contar mais com foro privilegiado, ao menos tem o mérito das acusações que pesam contra si avaliado pela Justiça, o que não ocorre com os outros dois.

Coluna – Hélio Schwartsman – Folha de São Paulo

COMENTE AQUI

Silva  18/10/2017

E o povo brasileiro como é que fica nas mãos desses inocentes ?????????? - Responder

Romualdo  18/10/2017

Brasil tem imbecilizadores profissionais A filósofa Márcia Tiburi alerta para o surgimento de uma nova categoria profissional no Brasil: os imbecilizadores profissionais; de acordo com a filósofa, essas pessoas tem o objetivo de extirpar o senso crítico das pessoas; desse modo, elas perdem a capacidade de pensar por si mesmas e saem repetindo ideias prontas, por puro entorpecimento intelectual. - Responder

Pedro Alexandre da Conceição  18/10/2017

Vamos aos fatos, não existe político totalmente íntegro em nossa democracia. O sistema é viciado em todos os sentidos, cheio de desvios e só consegue ser eleito que usar de alguma artimanha, não obrigatoriamente da corrupção. As situações vão de imorais a ilegais e todos pegos, com provas, ficam pousando de vítimas e se enchem de adjetivos como esses, perseguido, armação política, complô entre tantos outros que eles usam para justificar o injustificável. Nisso tudo o pior mal é a tal impunidade que vem permitindo que se cometa ilegalidades de forma continuada, repetida, sistêmica e vem acabando com a democracia, derrubando a República. A sensação é que o Brasil acabou institucionalmente, tudo pode, não existem mais leis que possam reprimir aqueles que portam mandado eletivo. - Responder


+ Ver todos os comentários

Lava-Jato: Fachin nega pedidos de Lula, Aécio, Cunha, Dirceu e Gim a delações

Por interino

O ministro Edison Fachin, durante sessão do Supremo Tribunal Federal – Ailton de Freitas / Agência O Globo/08-02-2017

O ministro Edson Fachin, relator dos processos da Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), negou pedidos feitos pelo ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva; pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG); pelo ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ); pelo ex-ministro José Dirceu (PT-SP); e pelo ex-senador Gim Argello (PTB-DF). Dos cinco, três se encontram presos atualmente no Paraná: Cunha, Dirceu e Gim. Lula e Aécio solicitavam acesso a delações premiadas.

Lula queria ter acesso à delação do ex-deputado Pedro Corrêa, firmada com o Ministério Público Federal (MPF), mas ainda não homologada pelo STF. O próprio MPF foi contra o pedido do ex-presidente, uma vez que não houve a homologação até agora. Fachin acrescentou que, mesmo se o acordo já estivesse homologado, o sigilo deveria ser mantido até a instauração de inquéritos baseados na delação, de forma a não comprometer as investigações.

“Assim, enquanto não instaurado formalmente o inquérito, o acordo de colaboração e os correspondentes depoimentos estão sujeitos à tramitação sigilosa. Com a instauração do inquérito, nada obstante o acesso aos autos seja restrito ao juiz, ao Ministério Público e ao delegado de polícia, como forma de garantir o êxito das investigações, assegurado também será ao defensor legalmente constituído amplo acesso aos elementos de prova que digam respeito ao exercício do direito de defesa”, decidiu Fachin.

Aécio pedia acesso à delação de Benedicto Júnior, ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura, e Sergio Neves, ex-diretor da Odebrecht em Minas, além de “qualquer outro que tenha mencionado” seu nome. Ele citou matéria do site “BuzzFeed”, publicada em 30 de janeiro, segundo a qual a Procuradoria Geral da República (PGR) pediria investigação para apurar irregularidades nas obras da Cidade Administrativa, a sede do governo de Minas Gerais construída quando ele era governador do estado.

DEFESA DE CUNHA PROTESTA

Diferentemente de Pedro Corrêa, as delações de executivos da Odebrecht já foram homologadas pelo STF. Mas, da mesma forma que fez no pedido de Lula, Fachin destacou que o sigilo deve ser mantido para preservar as investigações. Disse ainda que “eventual menção em termo de colaboração não confere ao peticionário (Aécio), automaticamente, a condição de investigado”.

Cunha pedia que fosse suspensa sua transferência da carceragem da Polícia Federal (PF) em Curitiba para o Complexo Médico Penal em São José dos Pinhais, na região metropolitana da capital paranaense. A medida foi determinada pelo juiz Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava-Jato na primeira instância. A defesa de Cunha alegou que a transferência tem por objetivo forçá-lo a celebrar um acordo de delação premiada. A Superintendência da PF fica numa região mais central que o Complexo Médico Penal. Além disso, permite um acesso mais fácil aos advogados.

O Globo

COMENTE AQUI

BALANÇO: Lula, Aécio, Marina e demais cotados para 2018 têm alta rejeição, diz Ibope

Os nomes mais cotados para disputar a Presidência da República em 2018 são bem conhecidos do eleitorado e, sem exceção, compartilham altas taxas de rejeição, aponta pesquisa nacional do Ibope divulgada nesta segunda-feira (26).

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é que tem, numericamente, a maior taxa: 55% dos entrevistados afirmam que não votariam nele “de jeito nenhum”. Em empate técnico com o petista no quesito rejeição estão o senador José Serra (PSDB-SP), com 54%; o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), com 52%; e o ex-ministro Ciro Gomes (PDT-CE), com 52%. Ligeiramente atrás deles estão a ex-ministra Marina Silva (Rede), com 50%; e o senador Aécio Neves (PSDB-MG), com 47%. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

Lula também tem a maior proporção de eleitores cativos, aqueles que votariam nele para presidente “com certeza”: 23%. Aécio Neves alcança 15%; Marina, 11%; Serra, 8%; Alckmin, 7%; Ciro Gomes, 4%.

O petista é também o nome mais conhecido -apenas 2% disseram não conhecê-lo o suficiente para opinar. No caso de Aécio, o segundo colocado neste critério, foram 9%. Em seguida vêm Marina (10%), Serra (11%), Alckmin (16%) e Ciro Gomes (24%).

PERFIL

O nome de Lula tem maior aceitação na região Nordeste, onde 38% dos entrevistados dizem que votariam nele “com certeza”, e entre as camadas mais pobres da população -36% dos que ganham até uma salário mínimo afirmam o mesmo.

A maior taxa de rejeição ao petista vem do Sul, onde 68% não cogitam votar no ex-presidente. Entre os mais ricos (acima de 5 salários mínimos), 66% não lhe dariam voto em hipótese alguma.

Aécio Neves tem no Norte e no Centro Oeste seus principais redutos de eleitores fieis (18% dos entrevistados somados das duas regiões). Sua maior rejeição é no Nordeste, onde 51% dos entrevistados não votariam nele de jeito nenhum.

No critério econômico, seus números são mais homogêneos que os de Lula: 15% dos que ganham mais do que cinco salários mínimos o apoiam com certeza, enquanto 14% da faixa de até um salário dizem o mesmo. Da mesma forma, 49% dos mais ricos o rejeitam, mesma proporção da faixa de menor renda.

O Ibope fez a pesquisa por conta própria. Para realizá-la, entrevistou 2.002 pessoas entre os dias 17 e 21 de outubro.

Folha Press

COMENTE AQUI

charles  26/10/2015

Ruma de bosta. Só oportunistas que querem enriquecer mais ainda. - Responder

Buiú  26/10/2015

a noticia que fala apenas dos 55% de rejeição de lula tem dezenas de comentários... mas essa daqui nao tem nenhum, fora este... porque será? - Responder

Segundo Aécio, Dilma constrange governadores ao tentar reunião

O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), disse nesta segunda-feira que a única responsável se, por alguma decisão institucional não conseguir concluir o mandato, é a própria presidente Dilma Rousseff, e não a oposição. Ao retornar a Brasília, ele criticou a tentativa do PT e da presidente de “dividir sua crise” com os governadores, ao constrangê-los a participar de uma “reunião desnecessária”, na próxima quinta-feira, para discutir o projeto de reforma do ICMS.

Na próxima semana o PSDB começa a veicular inserções de 30 segundos convocando “os indignados” com a crise, a participar da manifestação nacional marcada pelos movimentos de rua, para o dia 16 de agosto.

O tucano negou que haja divisão no PSDB sobre o destino da presidente, se deveria ser afastada por impeachment, cassação do diploma da chapa pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ou se ela deve cumprir seu mandato até o fim. Aécio disse, entretanto, que o PSDB não pode desconhecer a realidade das ruas e a indignação da sociedade.

Segundo Aécio, apesar de se aproximar dos movimentos de rua para a manifestação que se anuncia gigantesca, o PT e o governo erram o alvo ao culpar a oposição por um eventual impedimento da presidente Dilma.

Fonte: O Globo

COMENTE AQUI

Vitor  27/07/2015

Vocês da mídia dão muito cartaz para esse Playboy. Se querem realmente vencer as eleições, derrubando o PT e Lula, porque não escolhem um candidato mais decente? - Responder

Aécio, FHC e Alckmin reagem à articulação pró-Eduardo Cunha

Os principais nomes do PSDB nacional reagiram à articulação de deputados do partido para implodir a candidatura de Júlio Delgado (PSB-MG) à presidência da Câmara, em favor de Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o senador Aécio Neves (PSDB-MG), o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o senador José Serra (PSDB-SP) deflagraram uma operação para conter os dissidentes e assegurar a manutenção da candidatura do pessebista e o bloco que hoje o sustenta.

A Folha de S.Paulo mostrou nesta terça-feira (27) que os partidos que sustentam o nome de Delgado para o comando da Casa (PSDB, PPS, PSB e PV) articulam um desembarque em bloco de sua candidatura.

A chapa de Eduardo Cunha seria o destino dessas siglas, o que garantiria uma vitória do peemedebista em um turno só e daria à oposição a chance de alijar o PT dos principais cargos da Câmara.

“Nós acertamos em dezembro o apoio ao Júlio por entender que era o melhor para a Câmara e para o país. E é isso o que está valendo até aqui”, disse Aécio à Folha. “Faremos uma reunião na sexta-feira (30) para definir o assunto e a decisão que prevalecer será a do partido. Eu reafirmo o compromisso que temos com Júlio e vou defender essa posição internamente”, finalizou.

A reportagem apurou que FHC entrou em contato com aliados ainda na noite desta segunda-feira (26) manifestando sua “inquietação” com o movimento pró-Cunha. Nesta terça (27), ele falou com Aécio e defendeu um engajamento forte das lideranças do partido contra a articulação que visa dar ao peemedebista vitória já no primeiro turno da disputa na Casa.

FHC também conversou sobre o assunto com José Serra. O senador paulista teria dito que é um “absurdo o partido priorizar a derrota do PT ao que é melhor para o país”.

Alckmin foi acionado por Aécio no início da tarde desta terça e disse ao mineiro que ligará pessoalmente aos 14 deputados da bancada paulista para demovê-los da operação desembarque e lembrá-los de que ele próprio deu apoio à candidatura de Júlio.

Folha Press

COMENTE AQUI

Rodrigo  28/01/2015

Os partidos "aliados" citados são todos satélites do PSDB. O DEM está em processo de extinção, podendo ser praticamente enterrado com a saída do Prefeito de Salvador, filho do Antônio Carlos Magalhães. O PPS deixou de ser comunista há séculos e virou a casaca se tornando um cão perdigueiro dos Tucanos para execução de "mandados" como "menino de recados". O PSB e o PV entram na rota de auto anulação de seus ideais de autonomia e independência e entram na gravidade que ainda possui os Tucanos, atraindo para sua órbita todos os desvalidos excluídos do poder. Nesse episódio, a principal característica desse grupo começa a se destacar e revela o grau de oportunismo para trair e atuar conforme sua conveniência política. Moeda muito presente no mundo da política partidária brasileira, amplamente utilizada no cenário da república. Nesse jogo só tem Pelé! - Responder

Aécio diz que vai reagir a ataques do PT: 'Dez verdades para cada mentira'

eleicoes-segundo-turno-aecio-neves-20141013-1442-size-598Foto:Geraldo Bubniak/Folhapress)

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, afirmou nesta segunda-feira em Curitiba, no Paraná, que sua vitória seria a ‘libertação’ do país. “Exatos quinze dias nos separam da libertação. Da libertação de um governo que vem respeitando muito pouco a democracia. Que, como eu disse em Pernambuco, não respeita seus adversários. Mas eu digo a eles, aqui do Paraná, preparem-se porque nós vamos vencer e colocar a decência e a eficiência de novo a comandar o destino dos brasileiros”, disse o tucano em discurso para lideranças políticas regionais.

Ao lado do governador reeleito Beto Richa (PSDB), Aécio afirmou também que vai combater os ataques do PT – que antevê “pesados e cruéis”. “Para cada ataque, vilania e calunia sobre nós, vamos responder com dez verdades sobre eles, como tem dito José Serra [ex-governador de São Paulo, eleito para o Senado] há vários anos”. Também estava com Aécio o senador Alvaro Dias, reeleito para o cargo com a maior votação porcentual do país.

O presidenciável tucano discursou durante dez minutos com a voz rouca. Pediu mobilização para vencer a disputa e chegar ao último dia da eleição com “empenho e dedicação” dos paranaenses. “Eu preciso muito do apoio, solidariedade, mangas arregaçadas e do trabalho de cada um de vocês. Eu vou fazer a minha parte. Serei a voz de cada um de vocês pelo Brasil. Mas peço que vocês sejam, a partir do momento que saírem desse evento, a minha voz rouca e corajosa por mudanças”, disse o tucano.

Aécio fez questão de agradecer a votação que recebeu no Paraná na primeira etapa da disputa pela Presidência. O tucano obteve no Estado 3,018 milhões de votos – o equivalente a 49,79% do total.

Dias antes do fim do primeiro turno, o tucano divulgou de forma fatiada suas propostas de governo nas redes sociais. Hoje, Aécio cobrou Dilma pela falta de clareza de suas ações e por não entregar o documento com suas intenções para governar o país em um segundo mandato. “Nós temos um projeto para o Brasil. Nosso programa foi divulgado. Agora sou eu quem digo. A candidata oficial sequer tem um programa de governo para apresentar ao Brasil. É um grande salto no escuro.”

Durante entrevista coletiva, o presidenciável ainda fez questão de frisar o apoio recebido pela candidata derrotada no primeiro turno, Marina Silva (PSB), e confirmou que encontrará a ex-ministra do Meio Ambiente ainda nesta semana. Uma reunião entre os dois está prevista para ocorrer em São Paulo. Marina já foi convidada para aparecer ao lado de Aécio nas propagandas eleitorais no rádio e na televisão, mas ainda não se pronunciou a respeito. “É possível que nós estejamos juntos essa semana. Não definimos o dia. Falei com ela por telefone mais uma vez depois do evento. Liguei pessoalmente para ela para agradecer a clareza da sua manifestação”, afirmou Aécio. Ele evitou, no entanto, abordar qual papel Marina teria em um eventual governo. Disse apenas que Marina representa uma “presença corajosa, firme e patriótica”.

PMDB – O tucano ainda disse não sabe qual seria o papel do PMDB em um eventual governo. “Sinceramente, nem pensei nisso. A minha relação é com as forças políticas que estão no nosso entorno. Estou extremamente honrado com os apoios que tenho recebido desde que saiu o resultado das urnas”, disse. A declaração de Aécio veio horas depois de Richa dizer que não é preciso excluir o PMDB em um eventual governo tucano. O presidenciável afirmou que não está pensando em nomes e que só pensará nisso se vencer as eleições.

Ao final do discurso, Aécio citou o escritor Guimarães Rosa. “Um conterrâneo meu, Guimarães Rosa, costumava dizer que na vida, o mais o importante não é a largada nem a chegada. Guimarães nós ensinava que na vida – e na política isso também é verdade – o mais importante é a caminhada. Me orgulho muito de fazer essa caminhada ao lado de gente honrada”, disse.

O tucano encerrou a agenda em Curitiba com uma visita a Pastoral da Criança, onde assinou um documento com compromissos futuros. Em um rápido pronunciamento, lembrou a importância da nutrição infantil citando os filhos gêmeos, que têm quatro meses de vida. “Um dos meus meninos ficou 65 dias internado em uma UTI, o Bernardo. Se não fosse o atendimento adequado que ele recebeu, talvez ele não estivesse aqui. Vamos criar na rede pública com um amplo programa para crianças prematuras. Buscar ajuda para todo o Brasil, principalmente para as regiões mais carentes, e garantir Atendimento adequado para evitar sequelas para aquelas que nascerem com baixo peso”, afirmou.

Veja

COMENTE AQUI

daylton  15/10/2014

O GOVERNO FEDERAL DO PT TRANSFERIU A RESPONSABILIDADE DA SAÚDE PARA OS MUNICÍPIOS, UM VERDADEIRO RETROCESSO, PRA NÃO DIZER TRAGÉDIA, POIS JOGA A BOMBA PRA CIMA DOS PREFEITOS QUE NA MAIORIA DAS VEZES NÃO DISPÕE DE RECURSOS SUFICIENTES PARA SUPRIR AS NECESSIDADES DA POPULAÇÃO. POR ACASO OS PETISTAS ACHAM QUE A SAÚDE MELHOROU NOS ÚLTIMOS ANOS? ENTÃO NÃO CONHECEM A REALIDADE DE NOSSO PAÍS OU NÃO SE IMPORTAM COM O SOFRIMENTO DO POVO QUE PRECISAM MADRUGAR NAS FILAS DE HOSPITAIS!!! - Responder

daylton  15/10/2014

MAS O PT QUERIA CENSURAR A IMPRENSA ATRAVÉS DO DECRETO 8.243, COM SUA DITADURA DO PROLETARIADO E O FIM DA DEMOCRACIA, CRIANDO AMORDAÇAS À IMPRENSA. LULA TAMBÉM RESPONDE POR AÇÃO DE IMPROBIDADE NO TJDF, MAIS DE 9 MILHÕES!!! O PT SÓ VÊ DEFEITO NOS OUTROS E NÃO OLHA O PRÓPRIO UMBIGO. ELES NÃO RECONHECEM AS CONQUISTAS DOS OUTROS, COMO A ORIGEM DO BOLSA FAMÍLIA QUE NASCEU DA UNIFICAÇÃO DE PROGRAMAS CRIADOS POR FHC. ALÉM DISSO ACUSAM DO PSDB DE GOVERNAR PARA O RICOS, MAS O PRÓPRIO LULA CHEGOU A CRITICAR OS POBRES, DIZENDO QUE PENSAVAM COM O ESTÔMAGO!!! - Responder

Luciano  13/10/2014

Marcelo os eleitores de Dilma no interior de Minas são o que seu xenófobo? Não nega o candidato que defende....São o que são. P$DB e seu ódio nunca mais! - Responder


+ Ver todos os comentários

Aécio: Diferente do PT, não fizemos oposição ao Brasil

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, negou nesta sexta-feira, em entrevista à Rádio BandNews, que tenha faltado firmeza em sua atuação como parlamentar de oposição ao governo Dilma Rousseff. Segundo Aécio, seu estilo de fazer política não envolve ataques pessoais, o quer não quer dizer que não tenha sido contundente na oposição. “Diferente do PT, nós não fizemos oposição ao Brasil”, provocou.

Ao falar sobre o atual cenário eleitoral, Aécio disse que não quer ser presidente para “colocar um retrato na parede” e negou que haja desânimo com o resultado das últimas pesquisas. “Vou caminhar até o último dia dizendo que temos o melhor projeto para o Brasil”, afirmou.

O tucano disse ainda que a candidatura de Marina Silva é “improvisada” e que não vê na adversária condições de resolver os problemas do País. Sem fazer crítica direta a Marina, Aécio lembrou que ela só se tornou candidata após o acidente que matou Eduardo Campos. “A outra candidata, não vejo como e com quem vai enfrentar os desafios que teremos pela frente”, afirmou Aécio.

O candidato voltou a alfinetar Marina lembrando que, apesar do discurso de que escolherá os melhores para governar, administrou o Ministério do Meio Ambiente ao lado de petistas. “As pessoas do nosso primeiro time não estão disponíveis”, afirmou.

Reforma política

Aécio afirmou ser o único candidato que tem propostas claras para uma reforma política. O tucano disse que suas adversárias se omitem em temas como a necessidade de redução de partidos políticos no Brasil e defendeu o retorno da cláusula de barreira que limita o acesso das legendas sem representatividade a recursos e tempo de TV.

ONU

Aécio classificou também o discurso de anteontem da presidente Dilma Rousseff na abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), como “um dos mais tristes episódios da política externa brasileira”. Segundo o tucano, a adversária e candidata à reeleição utilizou a tribuna da ONU para fazer discurso eleitoral, “o que lhe gerou incredulidade aos que assistiam. Aécio considerou ainda “uma mancha na política externa” do País o fato de Dilma ter pregado o diálogo com o estado islâmico, ao contrário do bloco de países liderados pelos Estados Unidos. “Ela prega o diálogo com o estado islâmico que está decapitando pessoas, enquanto é preciso uma ação forte”, afirmou.

Ainda sobre relações externas, Aécio reafirmou que, se eleito, mudará as relações com países vizinhos que “fazem vistas grossas” ao tráfico de drogas, permitindo, por exemplo, o cultivo de folha de coca. O candidato citou a Bolívia, como exemplo de país que é conivente com o tráfico e ainda recebe ajuda do governo brasileiro para o financiamento de obras.

Saúde

Indagado se iria rever o Mais Médicos, que tem a aprovação da população, Aécio afirmou que uma revisão do programa passaria pela renegociação com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) para o fim da discriminação dos cubanos. Essa discriminação, segundo ele, ocorre pelo fato de grande parte dos salários dos médicos cubanos ser repassada ao governo daquele país.

Aécio ironizou ainda o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo que afirmou ontem que a delação do doleiro Alberto Youssef – alvo da Operação Lava Jato – não preocupa o governo. “Ao contrário do que disse o ministro da Justiça, tem muito petista sem dormir com a delação premiada”, concluiu.

fonte: Estadão Conteúdo

COMENTE AQUI

Julio Rocha  26/09/2014

Por que o PSDB deixou o poder e não mais voltou? Porque Aécio é tão bom e no próprio Estado de Minas Gerais, onde foi governador, está perdendo tão feio? Qual a importância de se lembrar "como se encontrava o Brasil no final de dois governos de Fernando Henrique Cardoso e entender por que o último presidente tucano deixou Brasília com 13% de popularidade negativa"? O livro "Brasil Privatizado", do jornalista econômico Aloysio Biondi (1936-2000), ajuda a entender por que o PSDB deixou o Planalto em 2002 e nunca mais conseguiu voltar". "O livro mostra números e medidas de natureza política que permitiram a transferência de uma parcela imensa da riqueza construída por várias gerações de brasileiros para bolsos privados, em grande parte estrangeiros". Biondi mostra o seguinte: no final, se chegou a uma conta negativa – R$ 87,6 bilhões – com as privatizações durante o governo FHC. Na prática, sustenta, o país perdeu R$ 2,4 bi. "Falando de um governo que ainda se encontrava no início do segundo mandato, Biondi acusou FHC de destruir a alma nacional, o sonho coletivo." Foi um dos primeiros a registrar que, do ponto de vista social, a privatização a brasileira mostrou-se mais iníqua que o processo conduzido por Margaret Tatcher na Inglaterra". - Responder

Luciano  21/08/2014

Felipe Maia, Rogério Marinho e mais alguns papagaios trabalhadores? - Responder

Zé Ninguém  21/08/2014

Rogério Marinho deveria apresentar a borboleta Micarla e a Rosa de Mossoró, candidatas que apoiou e Governos que serviu até o barco afundar. José Agripino, coordenador da campanha de Aécio podia ter agendado uma visita ao Imperador da Província do Rio Grande sem Sorte, Rasputim Carlos Augusto I. A experiência com candidatos destruidores é a MARCA de José Agripino, um AVALISTA de primeira linha. - Responder

Tiago Dias  21/08/2014

Claro que ele foi recebido por trabalhadores, afinal a taxa de desemprego é uma das menores do mundo. Se fosse na época de FHC/PSDB a manchete seria "Aécio é recebido por desempregados", afinal a taxa de desemprego era de 12,9%. - Responder

Fagner diz que foi apunhalado por Aécio: “Me deve desculpas pessoalmente”

Foto: Orlando Brito

O cantor e compositor Raimundo Fagner disse se sentir apunhalado pelo senador Aécio Neves (PSDB), para quem fez diversas campanhas eleitorais, e cobrou do tucano que lhe peça desculpas pessoalmente por ter “pisado na bola”. O artista se refere às acusações de corrupção e lavagem de dinheiro contra o presidente afastado do PSDB na Operação Lava Jato.

CONGRESSO EM FOCO

COMENTE AQUI

Blue  21/08/2017

Raimundo não deve mais apoiar o mineiro enrolado em corrupção. - Responder

Fabio Pereira  22/08/2017

Fagner, Aécio não está nem aí pra você!!! - Responder

Jorivan  22/08/2017

Muda pro Dória ou pro Bolsonaro como estão fazendo a maior parte dos coxinhas arrependidos. - Responder


+ Ver todos os comentários

‘Temer vai fracassar se cometer o erro de distribuir ministérios’, diz Aécio

aecio-neves4Principal porta-voz da oposição, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) diz acreditar que um eventual governo do vice-presidente Michel Temer (PMDB) só será bem-sucedido se não forem repetidas práticas que ele critica como “equivocadas” da gestão Dilma Rousseff, como o “loteamento” de cargos em órgãos públicos e empresas estatais.

“Se o Temer cometer o equívoco, e espero que não cometa, de repetir esse modus operandi de distribuir ministérios para formar o governo, ele vai fracassar”, afirmou Aécio em conversa com um pequeno grupo de jornalistas nesta quarta-feira, em Lisboa.

“Nós estamos dispostos a nos envolver, pela emergência da crise, e eu estive com o vice-presidente há menos de duas semanas e disse isso a ele. Mas a nossa conversa não é em torno de cargo, é em torno de um projeto”, afirmou o senador, que também é presidente do PSDB.

Segundo o tucano, seu partido se afastará de um eventual governo de transição caso perceba um movimento na direção da distribuição de cargos.

“O PSDB não vai virar as costas para um governo Temer se ele acontecer. Vamos apoiá-lo na sociedade, nos setores onde temos interlocução, vamos apoiá-lo no Congresso Nacional. Mas a dimensão do nosso apoio vai depender muito da postura do Temer, do que ele disser a que veio. Porque, se ele começar a fazer um novo loteamento de cargos, nós não vamos chegar nem perto”, afirmou.

Aécio viajou à capital portuguesa para participar, nesta quinta-feira, do último dia do 4º Seminário Luso-Brasileiro de Direito, evento que nos últimos dias reuniu personagens da oposição a Dilma – a participação de Temer, que fazia parte da programação, acabou cancelada.

Na avaliação do senador, as críticas ao encontro de oposicionistas em Portugal são indicativo de “fragilidade” do governo petista.

“O governo está tão sensível e fragilizado que quiseram transformar esse seminário numa grande conspiração. Como se isso tivesse qualquer sentido, como se fôssemos conspirar num auditório em Lisboa”, ironizou.

Fonte: Folhapress

COMENTE AQUI

paulo  31/03/2016

BG O Sr. Temer se realmente assumir a Presidência da Republica tem que exterminar no minimo 20 ministérios que o atual INCOMPETENTE pt chegou ao patamar de 40 ministérios para abrigar gente de toda ordem para encobri seus mal feitos, estamos de olho Sr. Temer, cuidado para não tremer pois se o assim fizer irá para vala comum igual ao desgoverno ptRALHA. - Responder

fernando alves  31/03/2016

Já esta entrando em conflito com Temer!!! Este cara ainda não entendeu que perdeu as eleições e que representa a banda podre da politica que vivemos atualmente no Brasil. O próprio partido critica as suas atitudes, desequilibradas, fúteis e duvidosas. - Responder

Aécio diz que PSDB é a única alternativa para o país ‘encerrar o ciclo perverso do PT, que será alijado do poder em pouco tempo’

2015091067164Aecio Neves, presidente nacional do PSDB, e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, participaram de ato para apresentar novos filiados ao partido – Pedro Kirilos / Agência O Globo

Em ato organizado nesta quinta-feira à noite pelo PSDB, em São Paulo, para apresentar novos filiados à legenda para as eleições municipais de 2016, a crise política nacional dominou os discursos. Nem mesmo a falta de energia, que fez com que todo o auditório ficasse iluminado somente por poucas luzes alimentadas por um gerador, abreviou os pronunciamentos.

O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, disse que a sigla é a “única alternativa” para o país “encerrar o ciclo perverso do PT”. A crise política, afirmou ele, é um “desastre anunciado”e resultado da “prepotência e incompetência” do governo federal.

– Dentro de pouco tempo, eles estarão alijados do poder – afirmou o senador, que emendou:

– Ao ver toda essa migração para o PSDB e para aliados nossos eu tenho que dizer que o PSDB não é hoje mais um partido. Ele é a única alternativa segura para o Brasil encerrar esse perverso ciclo de governo do PT para introduzirmos um novo e virtuoso ciclo de crescimento – afirmou o senador.

Antes dele, o senador Aloysio Nunes Ferreira defendeu que a Justiça e o Congresso “dê um justo castigo” à presidente Dilma Rousseff.

– É possível que a Justiça, o Tribunal de Contas e o Congresso dê o justo castigo que a presidente Dilma merece por ter cometido estelionato eleitoral.

O governador Geraldo Alckmin foi o menos enfático na crise nacional e pautou seu discurso mais na questão das filiações. Mesmo assim falou que o PSDB está montando um “time da esperança e confiança” para enfrentar o atual momento.

Alckmin e Aécio tiveram um encontro a sós nesta noite para discutir o cenário político nacional antes do evento partidário. No palanque, chamou a atenção a lista de elogios feitos por senador ao governador. Ele voltou a afirmar que quem apostar na divisão do PSDB vai perder.

Os dois são nomes naturais do partido para disputar a Presidência da República em 2018. Aécio disse ainda que estimula que Alckmin viaje pelo país para mobilizar o partido. O governador paulista tem feito visitas a outros estados com o objetivo de se fortalecer para uma disputa interna contra Aécio.

O Globo

COMENTE AQUI

Marília  11/09/2015

A "oposição" no Brasil é sofrível e graças a ela o PT vem se mantendo no poder e ganhando eleições através de "forças ocultas" inexplicáveis. O PSDB não tem postura de oposição, não sabe ser oposição e recua na hora de agir. O PSDB perde o tempo da ação e se consola com a pouca "sorte". Infelizmente a falta de liderança da oposição tem feito o país cair na vala comum, ficando na mesma de ontem e hoje. Piorando a cada amanhecer e o PT agradecendo por isso. - Responder

Rômulo  11/09/2015

Marília, essas "forças ocultas" tem nome: povo! O povo decidiu soberanamente pela reeleição de Dilma Roussef. Infelizmente a oposição quer dizer que o processo eleitoral é viciado, mas não contestou quando essa mesma oposição ganhou o governo de São Paulo no primeiro turno! Querem embutir na cabeça de alguns que houve fraude eleitoral, visando a implantar um sistema de "recibo de voto" que vai propiciar o retorno do voto de cabresto e facilitar a compra de votos, pois identificaria o eleitor e seu voto. Quanto a declaração do Sr. Aécio de que é "a única alternativa segura", eu discordo completamente. Sempre há alternativas à dicotomia PT versus PSDB. Quando leio os comentários insanos desse senhor, eu me orgulho de ter votado em Dilma, apesar dos problemas. Esse sim, destruiria tudo de bom que foi feito no Brasil alegando "herança maldita" por quatro anos, como já vimos em nível municipal e estadual por aqui. - Responder

Dilson  11/09/2015

Rômulo sua leitura das situações flutuam entre o real e o ilusório que o PT quer vender ao país. NUNCA uma ELEIÇÃO teve seus número não divulgados desde a primeira urna apurada como aconteceu nas última eleição Presidencial. Curiosamente os números divulgados pelo datafolha, conhecido como "datadilma", antes do resultado final e oficial, bateu 100% com as urnas. O eleitor ter direito a receber sua confirmação do voto não é nada demais, apenas uma segurança, qual o mal nisso? Os comentários de Aécio, se comparados aos defaneios de Dilma, ficam entre o lúcido e o insólito (dela). Aécio jamais praticaria o besteirol " não vamos colocar meta, mas se atingirmos a meta, vamos dobrar a meta", isso é patético e irresponsável dito pela "mulher sabiens" que mente, mente e mente. - Responder


+ Ver todos os comentários

Aécio: rejeição das contas de Dilma será ‘faísca’ para investigação de crime de responsabilidade

2015-825526953-2015061630109.jpg_20150616Foto: Jorge William

Se o Tribunal de Contas da União (TCU) rejeitar as contas da presidente Dilma Rousseff, nesta quarta-feira, os líderes da oposição vão anexar o acordão a representação para abertura de inquérito por crime de responsabilidade já impetrado na Procuradoria Geral da República (PGR). Os líderes da oposição avaliam que é o elemento que falta para configurar o crime de responsabilidade e até mesmo para embasar um pedido de afastamento da presidente Dilma.

– Se for aprovado o relatório do TCU rejeitando as contas da presidente, fortalece a tese da investigação via PGR. Do ponto de vista jurídico, vai ser a faísca que faltava – disse o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG).

No encontro desta terça-feira com os líderes da oposição, o ministro Augusto Nardes sinalizou que seu relatório vai acompanhar o Ministério Público junto ao TCU, que pede a rejeição das contas de 2014 da presidente Dilma Roussef por “graves irregularidades”, além das “pedaladas” fiscais, e vê uma responsabilidade direta da presidente da República, o que justificaria a rejeição das contas. Nardes avalia que se perder, vai ser por um voto, mas mesmo assim o TCU fará história nessa votação.

Para Aécio, houve fraude e crime de responsabilidade, quando a presidente Dilma, na véspera da eleição, não repassou recursos aos bancos oficiais – Caixa, Banco do Brasil e BNDES – para financiar os programas sociais, e com esse dinheiro não repassado, inflou o Minha Casa Minha Vida, Seguro Safra, Pronatec e outros programas.

– Por isso tinha bolsistas recebendo R$ 2 mil na conta na véspera do segundo turno, sem saber de onde vinha esse dinheiro. Dilma usou o mesmo dinheiro para duas coisas. É o mesmo caso do cidadão que tinha R$100 reais na conta e deu dois cheques desse valor para o verdureiro e para o padeiro. Um dos dois vai bater na sua porta com um cheque sem fundos – explicou Aécio.

O Globo

COMENTE AQUI

Jeferson Prado  17/06/2015

O GOLPISTA VOLTOU! Diante da escalada do nome de Geraldo Alckmin à Presidência da República em 2018, Aécio precisa se mexer mais em campo. O Terceiro Turno ainda anima Tucanos que viram sua trajetória virar pó. E a lista de FURNAS? - Responder

Senador Aécio Neves será informado sobre identidades de 20 pessoas que o ligaram a uso de drogas

11111111A Justiça de São Paulo determinou a quebra dos sigilos cadastrais e eletrônicos de 20 usuários do Twitter que vincularam o senador Aécio Neves (PSDB-MG) a práticas criminosas e consumo de drogas.

Os advogados do tucano agora terão acesso aos dados desses usuários, o que possibilitaria a identificação e pedido de punição individual.

A decisão, do último dia 12, atende a pedido feito pelo tucano durante a eleição.

Na ação, Aécio requisitava acesso a dados de 66 usuários da rede social. O próprio tucano retirou, depois, 11 nomes do processo.

Dos mencionados como “caluniadores” e “detratores”, 35 foram isentados de culpa pelo juiz Helmer Augusto Toqueton Amaral.

Folha Press

COMENTE AQUI

Carlos Justo  19/12/2014

COORDENANDO AS MANIFESTAÇÕES? Há, agora entendi porque o Senador Mineiro que mora no Rio se aproximou de Lobão... - Responder

Breno  19/12/2014

Vai processar metade do país! - Responder

Aécio: 2015 será mais difícil sem nossa candidatura

Diante dos ajustes esperados para a economia em 2015, o candidato Aécio Neves, que concorre à Presidência da República pelo PSDB, afirmou nesta terça-feira que o próximo ano será complicado, mas pode ser pior dependendo do resultado das eleições. “O ano de 2015 será muito difícil, mas será mais difícil sem nossa candidatura”, afirmou em entrevista coletiva no Mercadão de Madureira, tradicional centro de comércio popular na zona norte do Rio. Ele voltou a dizer que é o único a ter um projeto de governo sólido. “Não quero cidadão frustrado de novo por ter feito uma escolha errada.”

Questionado sobre a apresentação de seu programa de governo, Aécio disse que o modelo adotado pelo PSDB de divulgação em cinco partes por meio da internet é “moderno”. “Ninguém tem um programa mais bem acabado, elaborado e discutido com a sociedade”, afirmou o candidato. Na semana passada, Aécio havia anunciado que divulgaria seu programa completo ontem, segunda-feira. No entanto, ele voltou atrás e acabou decidindo por uma divulgação fatiada por temas, em discussões no Facebook. “Ninguém lê calhamaço”, justificou.

O tucano aproveitou para criticar o “intervencionismo” do governo da adversária Dilma Rousseff (PT), citando termos como credibilidade, transparência e confiabilidade. “O intervencionismo é a marca principal do atual governo”, disse Aécio, ao citar o setor elétrico como um dos maiores exemplos. “Nosso governo será de previsibilidade, política fiscal transparente. Nossa intenção é fazer voltar os investimentos a taxas de 23% a 24% (do Produto Interno Bruto, o PIB), que é o que dá pra fazer em quatro anos”, afirmou. Ele ainda disse que o atual governo deixa como legado “um mar de obras inacabadas e com sobrepreço”.

Em relação à Marina Silva, Aécio afirmou que a candidata pessebista “não atingiu governabilidade”, enquanto o PSDB tem quadros “qualificados”, em uma referência a declarações de Marina, de que gostaria de “governar com os melhores”, independentemente de partido. “Ela fica buscando tentando enxergar no terreno do vizinho o fruto mais vistoso para compor seu pomar”, disse.

Após uma chegada tumultuada, o candidato concedeu a entrevista em um espaço reservado da Rádio do Mercadão, ao lado de Francisco Dornelles (PP), candidato a vice-governador na chapa de Luiz Fernando Pezão, que tenta a reeleição, e também acompanhado por Índio da Costa, candidato a deputado federal pelo PSD.

fonte: Estadão Conteúdo

COMENTE AQUI

CNT/MDA: Dilma tem 34,2%; Marina, 28,2%; e Aécio, 16%; segundo turno daria Marina

A pesquisa MDA, divulgada na manhã desta quarta-feira, 27, pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), apontou que a candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, está em segundo turno na corrida ao Palácio do Planalto. A presidente Dilma Rousseff está em primeiro lugar, com 34,2%, e Marina, 28,2%. O candidato do PSDB, Aécio Neves, alcançou 16%.

No confronto do segundo turno, Marina vence Dilma por 43,7% contra 37,8%. Numa disputa entre Dilma e Aécio, a presidente se reelege com 43% e o tucano, 33,3%. Numa disputa entre Marina e Aécio, a candidata do PSB registra 48,9% e Aécio, 25,2%.

Foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 137 municípios de 24 unidades da federação das cinco regiões, entre os dias 21 e 24 de agosto de 2014. A margem de erro é de 2,2 pontos porcentuais para mais ou para menos.

O resultado é semelhante ao registrado na pesquisa Ibope, feita a pedido do Estado e da Rede Globo. Na sondagem, Marina abriu 10 pontos porcentuais no primeiro turno em relação ao terceiro colocado, o tucano Aécio Neves, 29% a 19%. No segundo turno, Marina bate a presidente Dilma Rousseff por 45% a 36%.

fonte: Estadão Conteúdo

COMENTE AQUI

Rafael Vale  27/08/2014

Aécio virou pó! - Responder

Potiguar  27/08/2014

Passamos a vida inteira ouvindo um temo que diz assim:"SOMENTE UM FATO NOVO" mudará o cenário político .O avião Caiu ESSE FATO NOVO mudou o radicalmente o cenário político brasileiro atual . UM HORIZONTE NOVO SE DESCORTINA PARA O BRASIL ! O PT vê o fim de sua era chegar! - Responder

FABIO DUARTE  27/08/2014

A CADA NOVA PESQUISA MOSTRANDO O CRESCIMENTO DE MARINA, A QUESTÃO DO AVIÃO USADO PELO PSB SE TORNA MAIS RELEVANTE PARA O BRASIL, SUPERANDO AS QUESTÕES MENORES COMO O ESCÃNDALO E QUEDA DA PETROBRAS, DA INSEGURANÇA GENERALIZADA, DA ECONOMIA PARADA, DA INDUSTRIA EM QUEDA, DA VOLTA DA INFLAÇÃO, DA SAÚDE CADA VEZ PIOR. O FATOR MARINA INCOMODA O PT A MUITO TEMPO, TANTO QUE IMPEDIRAM A LEGENDA QUE ELA TENTOU REGISTRAR E AGORA, NÓS SIMPLES MORTAIS, COMEÇAMOS A SABER A RAZÃO. MARINA TEM PROJETO BASEADO EM AÇÕES VIÁVEIS, LONGE DA UTOPIA QUE CONTINUA SENDO VENDIDA NO PALANQUE PETISTA. NÃO TINHA ME DECIDIDO POR UM CANDIDATO ATÉ ONTEM, MAS AGORA TENHO. ACHO QUE EM NOVA PESQUISA A DIFERENÇA SERÁ MENOR, EM EMPATE TÉCNICO. - Responder


+ Ver todos os comentários

Dilma tem 38%, Aécio, 23%, e Campos, 9%, diz pesquisa Ibope

datafolha

Pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira (7) indica estabilidade nas intenções de voto para presidente da República em relação ao levantamento anterior, segundo o instituto. A presidente Dilma  Rousseff (PT) aparece com 38% das intenções de voto, mesmo percentual registrado em julho; Aécio  Neves (PSDB) registrou 23% (em julho, tinha 22%); e Eduardo  Campos (PSB) tem 9% (na pesquisa anterior, eram 8%).

Somados, todos os dez adversários de Dilma na eleição deste ano acumulam 38%, mesmo percentual da presidente. Para um candidato conseguir vencer a eleição no primeiro turno, precisa ter mais votos que a soma de todos os rivais. Por isso, segundo o Ibope, não é possível afirmar se haverá segundo turno ou se a eleição será decidida no primeiro turno.

Encomendada pela TV Globo, a pesquisa ouviu 2.506 eleitores entre os últimos domingo (3) e quarta-feira (6) em 175 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos (isso significa que a intenção de voto em um candidato com 10%, por exemplo, pode oscilar entre 8% e 12%).

 Confira abaixo os números do Ibope, segundo a modalidade estimulada da pesquisa (na qual  os nomes de todos os candidatos são apresentados ao eleitor). Os candidatos indicados com 0% são os que obtiveram menos de 1% das intenções de voto.

 – Dilma Rousseff (PT): 38%

– Aécio Neves (PSDB): 23%

– Eduardo Campos (PSB): 9%

– Pastor Everaldo (PSC): 3%

– Luciana Genro (PSOL): 1%

– Eduardo Jorge (PV): 1%

– Zé Maria (PSTU): 0%

– Eymael (PSDC): 0%

– Levy Fidelix (PRTB): 0%

– Mauro Iasi (PCB): 0%

– Rui Costa Pimenta (PCO): 0%

– Branco/nulo: 13%

– Não sabe/não respondeu: 11%

O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levada em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-00308/2014.

Pesquisa espontânea

Na parte da pesquisa em que os entrevistadores do Ibope simplesmente perguntaram ao eleitor em quem votará (sem apresentar a ele a relação dos candidatos), o resultado foi o seguinte:

– Dilma: 25%

– Aécio: 11%

– Campos: 4%

– Outros: 2%

– Brancos/nulos: 15%

– Não sabe/não respondeu: 43%

Segundo turno

O Ibope fez simulações de segundo turno entre Dilma e Aécio e entre Dilma e Campos. Os resultados são os seguintes:

 – Dilma: 42% (na pesquisa anterior, 41%)

– Aécio: 36% (na pesquisa anterior, 33%)

– Branco/nulo: 15% (na pesquisa anterior, 18%)

– Não sabe/não respondeu: 7% (na pesquisa anterior, 8%)

– Dilma: 44% (na pesquisa anterior, 41%)

– Campos: 32% (na pesquisa anterior, 29%)

– Branco/nulo: 16% (na pesquisa anterior, 20%)

– Não sabe/não respondeu: 8% (na pesquisa anterior, 10%)

Rejeição

A pesquisa aferiu a taxa de rejeição de cada um dos candidatos, isto é, aquele em quem o eleitor diz que não votará de jeito nenhum. Confira abaixo:

– Dilma  Rousseff: 36%

– Aécio  Neves: 15%

– Pastor  Everaldo: 11%

– Zé  Maria: 10%

– Eduardo  Campos: 9%

– Eymael: 8%

– Levy  Fidelix: 8%

– Luciana  Genro: 7%

– Mauro  Iasi: 7%

– Rui Costa  Pimenta: 6%

– Eduardo  Jorge: 5%

– Poderia votar em todos: 14%

– Não sabe/não respondeu: 21%

Expectativa de vitória

A pesquisa indicou que, independentemente do candidato em que votarão, 55% acreditam que o futuro presidente da República será Dilma  Rousseff. Para 15%, será Aécio  Neves, e 4% apontaram Eduardo  Campos.

COMENTE AQUI

JR  07/08/2014

ESSA É DE DILMINHA E O POVO BRASILEIRO, A PRÓXIMA É DE LULINHA (MAIS OITO ANOS), DAQUI A 12 ANOS CONVERSAMOS NOVAMENTE! - Responder

luiz  08/08/2014

A BURGUESADA PIIIIIRA! A REAÇADA CHOOOOOORA! - Responder