Deputados aprovam segundo pedido de impeachment contra governador de SC; dessa vez, por denúncia de compra de respiradores artificiais da China, pagos de forma antecipada, mas nunca entregues

(Foto: Maurício Vieira/Secom)

Por 36 votos a favor, dois contra, uma abstenção e uma ausência, o plenário da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) aprovou o segundo pedido de impeachment contra o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) nesta terça-feira, 20. A denúncia aponta crime de responsabilidade na compra de 200 respiradores artificiais da China, pagos de forma antecipada, mas nunca entregues. O processo também investiga a contratação de um hospital de campanha e falta de procedimentos administrativos contra secretários envolvidos nas denúncias.

O processo agora segue para o tribunal de julgamento, que será formado por cinco deputados e cinco desembargadores, sob o comando do presidente do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC), Ricardo José Roesler, e que terão a função de promover o julgamento do caso.

No primeiro processo de impeachment, aprovado no plenário em 17 de setembro, já foi formado tribunal de julgamento e, na sessão marcada para a próxima sexta-feira, 23, os membros analisam o relatório preliminar que poderá afastar o governador e a vice por 180 dias enquanto aguardam julgamento.

Neste processo, o governador e a vice, Daniela Reinehr (sem partido), são acusados de autorizarem a equiparação salarial dos procuradores do Estado sem autorização legislativa. No segundo processo, dos respiradores, apenas o governador responde às acusações.

Se confirmado o afastamento de Carlos Moisés na sexta-feira, 23, quem assume o governo interinamente é o deputado Julio Garcia (PSD), presidente da Alesc.

Garcia também está envolvido em escândalos e foi denunciado duas vezes pelo Ministério Público Federal, na Operação Alcatraz, por corrupção, peculato, fraude em licitação e lavagem de dinheiro. Ele é acusado de liderar um grupo que se beneficiava de contratos com o governo nas gestões passadas.

Defesa alega inocência

O advogado de Moisés, Marcos Probst, classificou o pedido de impeachment como “uma fraude”, e desqualificou as provas apresentadas na denúncia, como as lives de Moisés e uma declaração do presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Adircélio de Moraes Ferreira Júnior, e reiterou que o governador não sabia do pagamento antecipado de R$ 33 milhões pelos 200 respiradores.

Probst voltou a informar que o governador não participou e não autorizou os pagamentos e que, ao saber da denúncia, determinou investigação

A líder do governo, deputada Paulinha (PDT), uma das poucas pessoas em plenário a defender o governador, criticou a tramitação do processo na Alesc e falou em pressa para tirar o governo Moisés do poder. “Não apenas por levar isso tão longe, por achar que estamos prestando um desserviço, mas pela pressa, pelo flagrante uso do regimento para o benefício daqueles que querem o afastamento do governador”, afirmou a parlamentar.

O caso dos respiradores foi denunciado pelo site The Intercept Brasil em 28 de abril, apontando fraudes nos orçamentos apresentados para uma compra com pagamento antecipado e sem garantia de entregas.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) abriu um inquérito no início de setembro, com relatoria do ministro Benedito Gonçalves, para apurar a participação do governador nos indícios de pagamento e a autorização do processo de compra dos respiradores. No início deste mês, neste inquérito, foi determinada apreensão de celular e computador do governador em buscas realizada na residência oficial, em Florianópolis.

Estadão

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Francisco Humberto disse:

    Partido do Suco de Laranja – PSL
    Partido do Presidente que pegou carona e hoje foge apoiado pelos honestos desse partido.

  2. Rafael Pinheiro disse:

    Cadê o Impeachment de uma (des)Governadora que fez a mesma coisa? Alô Alô Assembleia

    OS 5 MILHÕES SUMIRAM 💴 💴 💴 💴 ??

  3. FAL$OS ME$$IAS disse:

    Pelo que parece os direitões da direita são errados do mesmo jeito dos erradões da esquerda.

    • M.D.R. disse:

      No RN, aconteceu dessa forma até hoje os 5 MILHÕES ñ foram devolvidos. A GOVERNADORA FÁTIMA DO PT e seus Secretários ñ justificaram.
      Aínda tem ñ autoridade moral e política de lançar candidato a PREFEITO DA CAPITAL pêlos desmandos que fez na REFORMA PREVIDÊNCIA, de empobrecer o funcionalismo e principalmente os APOSENTADOS E PENSIONISTAS. Ñ se preocupe GOVERNADORA breve as URNAS abrirão e a resposta seguirá no contexto político. Já no momento GOVERNADORA do seu CANDIDATO RENUNCIAR, pelas suas mentiras e ATRAÇÕES.

  4. Anti-Político de Estimação disse:

    A corrupção é o câncer do Brasil, que nos come por dentro : está na esquerda, na direita, como no caso acima, e sempre esteve no centrão.

  5. Fernando disse:

    Lá não é estado administrado pelo pt, aí o mecanismos é falho.

  6. Rogério disse:

    Os cinco milhões foram desviado para a campanha dos petralhas.

  7. Paulo disse:

    Alô, ALRN!
    Compra de respiradores que não foram entregues?
    Tchau, querida!!!

  8. Roberto disse:

    5 milhões????? KD VC ?????

  9. SORTUDO disse:

    VIXI. É A MESMA COISA AQUI DO RN. SERÁ QUE VÃO TER CORAGEM DE AGIR DA MESMA MANEIRA?

  10. Chicó disse:

    Cadê os 5 milhões ???

Impeachment: Witzel desiste de ir à Alerj e vai falar por videoconferência

Foto: Antonio Cruz – 26.mar.2019/ Agência Brasil

O governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, desistiu de ir à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) fazer sua defesa presencialmente no processo que julga um pedido de impeachment contra ele. Witzel decidiu falar por meio de videoconferência na sessão.

Assessores de Witzel foram pegos de surpresa com a decisão. Parte da equipe do governador já estava no plenário da Casa quando a decisão foi informada – Witzel falará da residência oficial, no Palácio Laranjeiras.

O processo

A Alerj decide nesta quarta-feira (23) se o processo de impeachment contra o governador afastado Wilson Witzel (PSC) seguirá para a fase de julgamento por um tribunal misto.

Será colocado em votação o relatório do deputado estadual Rodrigo Bacellar (SD), a favor da continuidade do impeachment. Na última semana, o parecer contra Witzel foi aprovado em comissão especial por 24 a zero.

Desta vez, votam todos os 70 deputados da Alerj. Witzel tem a seu favor as regras do jogo, uma vez que o impeachment não passa apenas com a maioria simples, mas sim requer o apoio de dois terços dos parlamentares, o que equivale a 47 votos.

Mesmo assim, segundo apuração da CNN, a tendência é que seja aprovado por vantagem ampla e unanimidade não está descartada.

Líderes dos partidos com representação na Assembleia fecharam acordo nesta terça-feira para que cada deputado fale por até 10 minutos, com uma limitação de cinco parlamentares por partido. O rito permite que cada sigla fale por até uma hora, mas a intenção é acelerar o processo de votação.

Há a previsão ainda de que a defesa de Witzel possa falar por até uma hora. O governador afastado afirmou em mais de uma oportunidade ter a intenção de comparecer presencialmente à Alerj e discursar aos deputados estaduais.

O que está em jogo hoje

Pela lei vigente no país, a palavra final para o impeachment de um governador de estado não está com o Parlamento, como foi no caso da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

A Alerj dá a autorização política para que seja iniciada a análise das acusações por um tribunal misto, formado por cinco deputados estaduais e cinco desembargadores do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ).

Os cinco representantes da Alerj serão escolhidos por votação, caso a comissão tenha de ser de fato formada. Cada deputado estadual votará em cinco colegas e os votos serão somados.

Já os representantes do TJ-RJ serão escolhidos por sorteio, entre os 179 que atuam no Tribunal. O presidente da Corte, desembargador Cláudio de Mello Tavares, participa como voto de minerva, em caso de empate.

Afastado duas vezes?

Assim como ocorreu no caso de Dilma, o processo de impeachment para governadores também prevê um momento em que o governante seja afastado do cargo antes do julgamento das acusações apresentadas contra ele.

Wilson Witzel, no entanto, se aproxima dessa etapa de análise já afastado. O governador foi retirado temporariamente do cargo por decisão da Justiça.

Mais especificamente, do ministro Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Gonçalves imputou a Witzel o período de 180 dias de suspensão, o que mesmo que pode ser imposto a ele no âmbito do processo de impeachment.

Esse quebra-cabeça de processos significa que mesmo que o impeachment seja derrotado na votação desta quarta-feira, Wilson Witzel não reassume o governo do Rio enquanto a decisão do STJ estiver em vigor.

O governador do Rio pode, no entanto, acumular as duas suspensões ao mesmo tempo.

Segundo a Alerj, caso o Plenário vote para que o impeachment prossiga, o tribunal misto será formado e deverá decidir se recebe ou não a denúncia contra o governador. Se sim, aí ele passa a ser réu e fica afastado do cargo mesmo que a decisão do STJ venha a perder validade.

Acusação e defesa

O governador afastado Wilson Witzel é acusado de se beneficiar de um esquema de corrupção na área da saúde no Rio de Janeiro.

O relatório do deputado Rodrigo Bacellar diz que há “fortes indícios de proximidade” entre empresários que “se locupletaram do dinheiro público” e Witzel.

Em diversos trechos, o texto faz referência ao processo de reaqualificação da Organização Social Unir.

Proibida de administrar unidades de saúde do estado, a empresa foi reabilitada por Witzel – de acordo com o Ministério Público Federal, por meio de um ajuste ilícito.

Indícios de fraudes na contratação dos hospitais de campanha também foram mencionados pelo relator, que recheou o parecer favorável ao impeachment de trechos das denúncias do MPF no âmbito das Operações Favorito e Tris in Idem.

Em sua defesa, Wilson Witzel atribui os ilícitos ao ex-secretário da Saúde Edmar Santos, que teria se “infiltrado” em seu governo para manter um esquema de corrupção. O governador afastado diz que não tinha ingerência direta sobre os contratos na saúde e que não poderia ser responsabilizado por eles.

CNN Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Apir Pertinente disse:

    Eita povinho, o do RJ! Tolos, só agem querendo ter vantagem sobre os outros.

  2. Dormingos disse:

    Esse se elegeu na aba do Bolsonaro, discurso moralista, mas não demorou, enfiou o pé na graxa.
    Quero vê duro igual ao véi Bolsonaro.
    A Globo LIXO faz 30 anos que o persegue descaradamente e não consegue provar um único roubo do Presidente.
    Então só resta a petezada esperniar e chupar.
    Kkkkkkkkk
    Chupa petezada.
    Chupa Luiz Inácio.
    Kkkkk

    • Minion alienado disse:

      Ouvi alguém mugir!? Micheque? Queiroz? Flávio? Rachadinha? Olavo?

    • Eu disse:

      Cego como um petista

    • Antônio Soares disse:

      Esse alienado só fala em troco, fale em bilhões, TRILHÕES, aí chama LULADRAO. Esse só usa graúdo em suas roubalheiras.

    • J. Domingos disse:

      Minion porque não coloca o nome do Bolsonaro aí na sua lista??
      O nome dele é Bolsonaro, não tem nada haver com esses que bc escreveu.
      Vc tem que provar e ficar famoso o desmando um roubo do BOLSONARO VIU??
      SE NÃO CONTINUA DO JEITO QUE ESTÁ
      LIMPO!!
      KKK
      A SUA MISSÃO É DIFÍCIL, MAS QUEM SABE VC NÃO CONSEGUE.
      KKKKKK
      MITO ATE 2026.
      NÃO TEM QUEM TOME.
      KKKK

  3. Carlos disse:

    Eita cidade maravilhosa pra ter corrupto. Pelo amor de Deus.! Kkkkkkkkkk

“Jamais renunciarei”, diz Witzel sobre processo de impeachment

Foto: Pilar Olivares/Reuters

O governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), declarou na noite da última segunda-feira (21) que não pretende renunciar ao cargo de chefe do poder executivo estadual. De acordo com o governante eleito em 2018, sua carreira política está apenas no começo.

Witzel usou as redes sociais para se defender das acusações de corrupção que o afastaram preventivamente do cargo por, pelo menos, 180 dias. Segundo o político, não foi cometido nenhum ato juridicamente incorreto.

“De todos os meus atos pegaram apenas um, que é juridicamente correto, e o associam a recebimento de valores, do que não há provas pelo fato de não ter ocorrido.”

Apesar do discurso de Witzel, o STJ (Superior Tribunal de Justiça) decidiu manter por 14 votos a um o afastamento do político do cargo. Os ministros entendem que as investigações feitas até aqui demonstram indícios da participação do governador afastado em um esquema de corrupção de contratos públicos.

“A vida me forjou nos desafios. Menino pobre, orgulho de uma doméstica e de um metalúrgico. Resistirei. Politicamente, minha história está apenas começando. Juridicamente, minha absolvição e retorno imediato ao cargo no qual o povo me colocou é o único caminho possível”, concluiu Witzel.

Enquanto permanece afastado do cargo, Cláudio Castro, vice da chapa eleita, continua como governador em exercício do Estado. Castro também é um dos investigados da operação Tris in Idem.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pedro disse:

    A Anta, ladeada pelas hienas, roedores do seu partido e o tal de nove dedos, fizerem bonito com nesse quesito, negar sempre…😔😔😔😔 e essa tática deu errado. Como juiz, que diz ser, sabe que não é bom mentir.i

  2. Lucis disse:

    Pedir para sair já ajudaria muito

  3. Tadeu disse:

    Vai tirar o "curso de leão" igual ao cachaceiro lula !!!!!

  4. VTNC disse:

    Vai despachar na cadeia em breve !!!

“Farei minha defesa presencial”, diz Witzel sobre impeachment

Foto: Reprodução

Wilson Witzel foi ao Twitter reclamar da aprovação do impeachment na comissão especial da Alerj. Ele disse que está sendo vítima de “linchamento político”.

“Venho sendo acusado sem provas e sem direito à ampla defesa, inclusive no STJ. A minha luta é pela democracia, é para que um governador eleito pelo povo possa prosseguir e concluir o seu mandato.”

Witzel disse que, antes da votação no plenário, fará sua “defesa presencial, demonstrando que não cometi crime de responsabilidade”.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bolsonaro RN disse:

    Há ladrão…

  2. Lula na cadeia já disse:

    "Da merda tu vieste, para a merda tu voltaras"

  3. Santos disse:

    Parece que o tiro foi na kbcinha do governador.

Comissão da Alerj aprova continuidade do impeachment de Witzel

Foto: Fabiano Rocha / Agência O Globo

A comissão especial do impeachment da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) aprovou por unanimidade o parecer favorável à continuidade do processo de impeachment contra o governador afastado Wilson Witzel. O relatório produzido pelo deputado Rodrigo Bacellar (SDD) recebeu sim dos 24 deputados presentes. O documento defende o andamento do processo e aponta o ato de requalificação da Organização Social (OS) Unir Saúde como um dos principais motivos para o impeachment.

Veja como foi a votação:

Rodrigo Bacellar (SDD), relator: Sim
Alexandre Freitas (Novo): Sim
Bebeto (Podemos): Sim
Brazão (PL): Sim
Carlos Macedo (Republicanos): Sim
Dionísio Lins (Progressistas): Sim
Dr. Deodalto (DEM): Sim
Eliomar Coelho (PSOL): Sim
Enfermeira Rejane (PCdoB): Sim
Gustavo Schmidt (PSL): Sim
João Peixoto (DC): ausente – licenciado
Léo Vieira (PSC): Sim
Luiz Paulo (PSDB): Sim
Márcio Canella (MDB): Sim
Marcos Abrahão (Avante): Sim
Marcus Vinícius (PTB): Sim
Marina Rocha (PMB): Sim
Martha Rocha (PDT): Sim
Renan Ferreirinha (PSB): Sim
Subtenente Bernardo (Pros): Sim
Val Ceasa (Patriota): Sim
Valdecy Da Saúde (PTC): Sim
Waldeck Carneiro (PT): Sim
Welberth Rezende (Cidadania): Sim
Chico Machado (PSD), presidente da comissão: Sim

Inicio da sessão

A sessão, que começou com atraso por problemas nos microfones, é semipresencial, presidida pelo deputado Chico Machado (PSD) de forma remota. O deputado está com Covid-19 e não pode participar da sessão no plenário da Alerj. Participam da reunião 23 dos 25 integrantes da comissão. O deputado João Peixoto (DC) está licenciado, internado com Covid-19. O deputado Marcos Abrahão (Avante) faltou.

Na abertura da reunião, o presidente da comissão, o deputado Chico Machado, lembrou que apenas integrantes da comissão podem participar da reunião de hoje. Alguns parlamentares que não são do grupo estão presentes em plenário: “Temos que cumprir a decisão do STF. Estamos respeitando desde o início o direito de defesa, e todas as determinações judiciais. Recorremos e estamos cumprindo o que a lei determina. Se o relatório for aprovado vamos votar na semana que vem. Nesse momento todos terão direto a falar. Mas hoje estamos restritos aos 25 deputados que representam os partidos”.

Às 11h55, o relator Rodrigo Bacellar iniciou sua fala justificando não estar de máscara, já que seria difícil ler as 77 páginas com o equipamento de proteção. Segundo Bacellar, o caráter político do processo de impeachment deve levar em conta o impacto da decisão na vida da população. Ele afirma ter sofrido ataques por não ter condenado previamente o governador afastado.

O relatório começa com uma descrição da denúncia feita pelos deputados do PSDB. Depois, passa para uma análise sobre atendimento dos requisitos legais para a denúncia, e em seguida destaca informações levantadas pela própria comissão sobre a denúncia, centrada na requalificação da Organização Social Unir Saúde pelo governador em março deste ano. Na parte final o relator pondera as argumentações da defesa e conclui pelo prosseguimento do impeachment.

Ausente durante praticamente toda a reunião, o deputado Marcos Abrahão (Avante) chegou ao plenário pouco antes das 15h e votou.

O que dizem os deputados:

Alexandre Freitas (Novo) citou os indícios de repasses para a primeira dama por empresas investigadas.” Temos condutas que são batom na cueca, que terão que ser investigadas na próxima fase. A discussão sobre a admissibilidade da denúncia, que é o que nos cabe, está encerrada”

Deputado próximo a Witzel, único que se esperava nos bastidores um voto a favor do governador afastado, Dionísio Lins (Progressistas) votou sim. Em discurso por videoconferência com problemas técnicos, lamentou a situação e criticou Witzel: “Como pode um juiz de direito ganhar o governo e a corrupção ao redor dele acontecer e ele não saber de nada?”.

Leo Vieira (PSC), mesmo sendo do mesmo partido do governador afastado, votou positivamente sobre o relatório: “Tenho independência no meu voto e voto a favor do relator”.

Martha Rocha, presidente da comissão especial da Covid da Alerj, destacou que a organização social Iabas recebeu mais de 250 milhões sem ter concluído os hospitais de campanha.

Último a votar, o presidente presidente da comissão, o deputado Chico Machado, salientou: “Fomos eleitos para ser deputados, não juízes, mas a sequência de acontecimentos nos levou a esse papel. Nós íamos dar um salto de qualidade de vida no nosso estado. Fico muito triste de ver a situação que estamos passando. Cada dia mais tenho certeza que fizemos um brilhante serviço”.

O que acontece após votação?

Apos a comissão especial aceitar o relatório, a denúncia será levada para discussão e votação dos 70 deputados em plenário. Para o impeachment ser aprovado, dois terços dos parlamentares precisam ser favoráveis, ou 47 votos. Se isso acontecer, o processo será encaminhado ao Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) para a formação de uma comissão mista de julgamento. Esse grupo, formado por cinco parlamentares escolhidos pela Alerj e cinco desembargadores sorteados, conduzido pelo presidente do TJ-RJ, é que dá a palavra final sobre a cassação de Witzel, o que efetivaria o vice Cláudio Castro no cargo.

O julgamento pela comissão mista tem prazo de até 180 dias para ser concluído. Nesta fase do processo podem acontecer depoimentos de testemunhas de acusação e defesa.

Com O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lula na cadeia já disse:

    Tchau Querido!!!

Chico Buarque, Bresser-Pereira, Juca Kfouri, Gregorio Duvivier, Casagrande e personalidades apresentam à Câmara pedido de impeachment de Bolsonaro

Foto: Alan Santos/PR

Um novo pedido de impeachment que acusa o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de praticar crimes de responsabilidade será encaminhado nesta terça (14) ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O documento de 133 páginas conta com o apoio de nomes como o cantor Chico Buarque, o ex-jogador Walter Casagrande, o economista Bresser-Pereira e o padre Júlio Lancellotti.

Numa extensa lista de supostos crimes de responsabilidade praticados pelo presidente, o pedido de impeachment cita ataques contra a imprensa, direcionamento ideológico de recursos no audiovisual, más condutas na área ambiental e atuação falha do governo durante a epidemia da Covid-19.

“As políticas de saúde foram severamente afetadas pela atuação criminosa de Jair Bolsonaro. Além da desarticulação do Sistema Único de Saúde (SUS), que já vinha sendo posta em prática no primeiro ano de gestão, a pandemia da Covid-19 escancarou o desprezo do atual governo pela proteção à saúde da população”, diz o texto.

O documento conta com a adesão das entidades Central Única dos Trabalhadores (CUT), Movimento Negro Unificado (MNU), União Nacional dos Estudantes (UNE), Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), ISA — Instituto Socioambiental, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexos (ABGLT) e Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD).

A iniciativa solicita a suspensão das funções presidenciais de Bolsonaro e que ele seja submetido ao julgamento de impeachment, a fim de que seja destituído do cargo e perca o direito de exercer funções públicas.

Veja, abaixo, a lista de signatários do pedido de impeachment:

Chico Buarque de Hollanda

Deborah Duprat

Mauro Menezes

Kenarik Boujikian Felippe

Eduardo Alvares Moreira

Caroline Proner

Padre Júlio Renato Lancellotti

Fernando Gomes de Morais

Iago Montalvão Oliveira Campos

Laís Bodanzky

Lucélia Santos – Maria Lucélia dos Santos

Herson Capra Freire

Dira Paes – Ecleidira Maria Fonseca Paes

Gregorio Byington Duvivier

Marlui Nobrega Miranda

Susana Mara da Silva Lira

Olivia Byington

Carlos Henrique Latuff de Souza

Paula Villela Barreto Borges

Walter Casagrande Junior

Marta de Souza Sobral

Vera Helena Bonetti Mossa

Juca Kfouri – José Carlos Amaral Kfouri

Milton Rodrigues Leite

Maria Clara Salgado Solberg

Ana do Amaral Mesquita

Marcelo Giatti Tieppo

Vitor Mauricio Ruiz Guedes

Marcos Antonio de Oliveira Teixeira

Franklin Siqueira

Carlos Orletti

Ludimilla Santana Teixeira

Patrícia Pontes Zaidan

Gisele Figueiredo Silva

Luciana Boiteux

Rita Maria de Miranda Sipahi

Dora Aparecida Martins

Lenora Canini Avila

Maria das Dores do Rosário Almeida Durica Almeida

Zuleica Campagna

Janete Maria Góes Capiberibe

Mônica Bergamo – Folha de São Paulo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. César Augusto de Oliveira Paiva disse:

    A burguesia está enlouquecendo com o crescimento do presidente Jair Bolsonaro que amplia a cada dia sua vantagem sobre todos os seus opositores que se juntarem todos ainda leva uma surra de fazer vergonha, acabou a mamata da Rede Globo Lixo de televisão, acabou a mamata dos artistas parasitas e bosais com o fim da lei ruanê que financiava toda merda , acabou o dinheiro fácil da corrupção aí a choradeira e geral , o mi mi mi é grande vão trabalhar bando de vagabundos e anti pratiotas , seus fundamentos só atrasam o país. Mito até fim de 2.026

  2. Chicó disse:

    Só um aviso: o choro é livre !!! Em 2022 vai dar Bolsonaro de novo. Ele foi o melhor governador que o RN já teve !

  3. Wilson disse:

    Assina o pedido a nata da "Esquerda Caviar", aquela gente fina que quer socialismo e miséria para o povão, enquanto eles desfrutam as coisas boas do capitalismo, tomando vinhos de dez mil reais a garrafa em seus apartamentos luxuosos em Paris e Nova York.

  4. Cris disse:

    Tá faltando dinheiro para comprar os bagulhos, as viagens, os shows no exterior como fez Gilberto Gil enquanto ministro no governo de Lula, viajando com dinheiro público e ganhando por shows no exterior.

  5. Francisco disse:

    Gente boa é Weintraub, Damares, Carluxo, Queiroz, Onix Lorenzoni, Heleno, Brilhante Ustra, Ricardo Salles, Panzuello, Roberto Jefferson, Valdemar Costa, Kassab, Dudu Bananinha, Flávio Laranjinha, Pinochet, Guedes, Magno Malta, Ernesto Araújo, Olavo de Carvalho e vocês, não é mesmo?

  6. Eleição disse:

    Só a nata…

  7. César Augusto de Oliveira paiva disse:

    Só carniça, quem são essas figuras polêmicas de passado sombrio sem nenhuma credibilidade, aguenta aí mundiça burguesa bosal e incrédula , vocês não tem moral para pedir o impedimento de um presidente eleito democraticamente com mais de 57 milhões de votos, esses desocupados é anti -patriotas deveriam era serem processados por crimes de injúria e difamação, qual o crime? Seus pilantras.

  8. Fabio disse:

    2022 Mito de novo.

  9. Francisco Lima disse:

    Pior vai ser quando acabar as tetas do ECAD.

  10. LEO disse:

    Mamãe Eu Kero MAMAR………Essa Patota GOSTA !!!!!…….kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  11. Charles disse:

    Fecharam as torneiras, acabou a boquinha aí bateu o desespero, vão trabalhar seus sanguessugas. Kkkkk

  12. Cidadão disse:

    Muitos aí tem certeza que são DEUSES e quem pensa diferente está automaticamente condenado ao inferno. Não tem como levar a sério. Quanto mais se posicionam contra o presidente, mais cresce o apoio a ele entre o povão.

  13. Fernandes disse:

    Achei graça nos comentários. O pessoal defendendo Jair e criticando quem assinou a lista dizendo que a mamada acabou. Lebrem que o atual presidente passou 28 mamando e recebendo verbas imorais como auxílio moradia para não aprovar nenhum projeto. Colocou a família toda na política e um dos filhos acusado de rachadinha. Vergonha alheia!

    • Delano disse:

      Se você condenar pelos mesmos motivos o luladrão e os filhos também, te acho bastante coerente, era bom destacar que os filhos do nove dedos tornaram-se bilionários na mesma época que o pai era presidente, e mais grave a maioria das verbas que eles receberam, foram de empresas beneficiadas financeiramente pelo governo do papi, sejam através de medidas provisórias, empréstimos vantajosos ou ganho de licitação de obras grandiosas. Aí é até bom comparar os valores suspeitos.

  14. Lucianobrito disse:

    O leite seco, vão trabalhar cambada.

    • Patriota disse:

      O correto é "o leite secou". Te aconselho um cursinho de alfabetização básica do Paulo Freire para nos poupar de tentar decifrar o que escreve.

  15. Carlos disse:

    Tão sérios, homens tão cultos, mas nunca reconheceram em Lula, o homem que comandou a maior quadrilha que atacou pra cofres públicos, do Brasil.

  16. Icaro disse:

    Parei em Gregório Duvivier.

  17. Lopes disse:

    Qto mais vcs fazem isso,mas gente apoia o cara. Ainda não acordaram: caiu o muro de Berlim, A China é capitalista….e aqui, A esquerda ainda não se achou.

  18. Marcos disse:

    Acabou o "Leitinho"…. Acabou o "Amor".
    Essa turma do "Dinheirinho na mão, calcinha no chão" está desesperada…. Trabalhar não quer, não é???

  19. Ivan disse:

    Pessoas extremamente sérias, isentas e sem nenhum interesse na demanda…sqn…kkkkkkkkkkkkkkkkkk…patetas!!!! A mamata acabou pohaaa!!!!!!!!

  20. Mitológico disse:

    Com esses opositores, o MITO ganha em 2022 no primeiro turno! KKKKKKK

  21. Muda Brasil disse:

    Se lembrem da célebre declaração do ídolo desses "artistas", na qual ele disse: "construir hospitais no lugar de estádios para as olimpíadas é um retrocesso" .

  22. José disse:

    Só menino bom que pensa no povo aí!

    • Patriota disse:

      Gente boa é Weintraub, Damares, Carluxo, Queiroz, Onix Lorenzoni, Heleno, Brilhante Ustra, Ricardo Salles, Panzuello, Roberto Jefferson, Valdemar Costa, Kassab, Dudu Bananinha, Flávio Laranjinha, Pinochet, Guedes, Magno Malta, Ernesto Araújo, Olavo de Carvalho e você 🐮

  23. fafanco disse:

    É uma piada, principalmente, os artistas, porque perderam "as tetas". Walter Casagrande como comentararísta esportivo é péssimo, imagine como ativista político, outro viciado precisando de tratamento.

  24. Severino disse:

    Boicotem-os em suas respectivas áreas.

    • Patriota disse:

      Puxa, Severino. Ao menos dá umas sugestões aí de quem poderia substituir essas pessoas. Não vale o Olavo de Carvalho.

  25. Kemps disse:

    O estado democrático de direito,
    é bom por isso.
    Junta uma patota de uma dúzia de comilões do dinheiro público, sem VOTOS pra pedir o afastamento de quem foi ELEITO com 57.000 milhões de votos.
    É de mijar de rir…
    Vão procurar o que fazerem meia dúzia de desocupados.
    Vão enfiar pêido num cordão, daqui a dois anos tem eleição de novo, vão juntar forças pra tirar no voto e não ficarem com cachorradas magotes de faz nada.
    Se ocupem em alguma coisa, vai no banco de sangue fazer uma caridade, sirvam pra alguma coisa em quanto estão vivos.
    Param de fuleiragem!!
    BOZO DE NOVO EM 2022.
    quando vejo essas presepadas, aí é que tenho certeza que estamos no caminho certo.
    PT ladrão, esqueçam!!
    Nunca mais.

    • Ricardo disse:

      Eles já sabem que no voto não tiram. Daí o bombardeio via mídia, STF e congresso.

    • Vitor disse:

      Dilma teve 54 milhoes de votos e tiraram.
      Qual o problema de tirar um com apenas 2 milhoes de votos a mais?
      Fez merda, tem que tirar mesmo!
      Alem do mais os bolsonaristas representam hoje apenas 1/3 da populacao. A mesma proporcao atual dos petistas.

    • Antonio disse:

      Vítor está mal de contas. Deve ter estudado na época em que o PT estava no poder. Nem matemática aprendeu. 57 – 54 = 3. Na conta dele o resultado é 2. Bolsonaro 2022. Não tem pra ninguém. Essa lista de "perÇonalidades" (nesse caso, com Ç mesmo) é resível, principalmente os artistas que deixaram de mamar na Lei Rounet. Pena que tem artistas talentosos, mas como cidadãos, tem uma ideologia exacrável.

    • Antônio disse:

      *execrável

    • George disse:

      A diferença é que, Dilma fez merda e ainda o povo queria ela fora.

      Hoje o pessoal que quer Bolsonaro fora no máximo bate panela na janela ou faz abaixo assinado. Aí fica difícil né?

  26. Flauberto Wagner disse:

    Só para não ser chato, acredito 57 milhões é maior meia dúzia de pseudas personalidades que se dizem altruístas e que são importante no cenário nacional.
    Acabou a mamata e pronto!

  27. Belim disse:

    Acabou a teta kk

  28. Zoroastro disse:

    Só figura! Kkk Cada vez que sei do padrão das pessoas que detestam Bolsonaro, vejo que meu voto nele, valeu muito a pena.

  29. Acorda Brasil disse:

    Artista pensa que é importante… Kkkk acho lindo essa autoestima. Na verdade, meu barbeiro é mais importante que todos juntos, e olhe que sou careca.

    • John Doe disse:

      Melhor comentário da semana!!!! kkk

    • Aluísio Valença disse:

      Quem precisa de arte, né!? É só fazer arminha com a mão e ser feliz🐮🐮🐮🐮

    • Papa Jerry Moon disse:

      Nem precisava dizer. Pelo seu comentário nota-se que você não tem nada na cabeça.

Alerj publica abertura de impeachment contra Witzel

Foto: © Divulgação Alerj

Foi publicado na edição desta segunda-feira(15) do Diário Oficial do Rio de Janeiro o Ato número 41/2020 do presidente da Assembleia Legislativa do Estado (Alerj), deputado André Ceciliano, que abre o processo de impeachment contra o governador Wilson Witzel, por crime de responsabilidade.

A abertura do processo número 5.328/2020 foi aprovada na quarta-feira (10), em sessão virtual devido à pandemia da covid-19, com 69 votos a favor, nenhum contra e uma ausência. O governador é suspeito de envolvimento em compras fraudulentas e superfaturadas de equipamentos e insumos para o combate à pandemia do novo coronavírus.

O ato abre prazo de 48 horas para que os líderes indiquem um membro do partido para compor a Comissão Especial responsável por elaborar o parecer da denúncia contra Witzel. Após a indicação, os membros têm mais 48 horas para eleger o presidente e o relator da comissão.

O governador terá prazo de dez sessões para apresentar sua defesa à Comissão Especial. Após a apresentação da defesa, o parecer pela admissibilidade ou não da denúncia deve ser apresentado no prazo de cinco sessões.

Governador

Wilson Witzel se posicionou em nota na própria quarta-feira, dizendo que recebeu “com espírito democrático e resiliência” a notícia do início da tramitação do processo de impeachment pela Alerj.

“Estou absolutamente tranquilo sobre a minha inocência. Fui eleito tendo como pilar o combate à corrupção e não abandonei em nenhum momento essa bandeira. E é isso que, humildemente, irei demonstrar para as senhoras deputadas e senhores deputados”.

Ele informou que vai apresentar defesa e diz ter “certeza absoluta” de que irá demonstrar que seu governo “não teve tolerância com as irregularidades elencadas no processo que será julgado”.

“Vou seguir nas minhas funções como governador e me preparar para a minha defesa. Tenho certeza que os parlamentares julgarão os fatos como eles verdadeiramente são”.

A reportagem solicitou nova posição do governador e aguarda resposta.

Witzel foi alvo, no dia 26 de maio, da Operação Placebo, autorizada pelo Superior Tribunal de Justiça, que investiga corrupção na compra de equipamentos e insumos para o combate à pandemia no estado.

Também foram alvos a primeira dama, Helena Witzel, a empresa Iabas, contratada para montar e gerir hospitais de campanha, entre outros. Os policiais federais fizeram buscas no Palácio Laranjeiras, residência oficial do governador, e na casa da família Witzel, no bairro do Grajaú.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Arthur disse:

    "Governador, todos nós vestimos a mesma camisa, que é a camisa do Brasil, da decência, da moralidade e do respeito com o dinheiro do contribuinte".
    BOLSONARO, Flávio. 2018.

  2. Vila disse:

    Uat? Falsos moralistas!

Alerj aprova abertura de processo de impeachment contra Witzel

Foto: Carlos Magno

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro já tem a maioria dos votos para a abertura de um processo de impeachment contra o governador Wilson Witzel (PSC).

A decisão sobre a abertura do processo cabe ao presidente da assembleia, o deputado estadual André Siciliano (PT). A votação tinha caráter simbólico, mas realça a falta de apoio do governador na Assembleia.

Witzel teve o nome envolvido em uma operação da Polícia Federal contra irregularidades na compra de respiradores no estado. Ele diz que a investigação tem motivação política por se opor ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O governador perdeu a base de apoio na assembleia fluminense.

CNN Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. NACIA disse:

    Para combater essa malandragem que vinha comandando o Brasil tem que ser arrochado e macho. Os sanguessugas estão todos contra . Agora queria vê ele fazer tudo isso sem acordo com esse centro. É difícil mais não e´ impossível. Agora já é hora de começar a trabalhar e dizer a que veio. Esse pra frente e pra trás é que não pode continuar.

  2. Ronaldo Sergio disse:

    Ó Cristo redentor !!! benze mais forte o nosso RJ porque ô estado "azarado" para eleger corrupto e ladrao que só fazem afundar o Rio de janeiro com corrupção e descaso. Meu Deus !!!..Misericordia !…Esse Witsel ai, pelo amor de Jesus !!!…estamos ferrados pelos "cinco prêmios" !!!

  3. Pedro disse:

    É complicado, pense num homem poderoso esse tal de Bolsonaro, ele é culpado por tudo que ocorre nesse país. Só não arranjaram ainda uma forma de enfiar ele no mensalão, triplex, sítio, Odebrecht, Queiroz Galvão, Andrade Gutierrez, Angola, Venezuela, tráfico, Bolívia, quebra da Petrobras, consórcio Nordeste, estar dentro do vírus covid, ser sócio da China, etc. Até o Boca mole do FHC, CORONEL CIRO, A DESTRAMBELHADA DA MARINA, Globo, Renan Calheiros, Lula, Dilma, estão querendo dar um fora nele, tem alguma coisa errada nisso. Esse povo todo nós sabemos o que fizeram com o brasil.

“Não é hora de discutir impeachment. É hora de discutir a união do Brasil”, diz Rodrigo Maia

Foto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), descartou a abertura de um processo de afastamento do presidente Jair Bolsonaro neste momento. Na avaliação de Maia, o foco do Congresso e dos demais poderes deve ser o combate aos efeitos provocados pelo novo coronavírus. A afirmação foi feita durante uma entrevista à Rádio Gaúcha na manhã desta quarta-feira.

– Não é hora de discutir impeachment. É hora de discutir a união do Brasil, de salvar vidas, de salvar empregos. Eu como sempre fui contra as manifestações no período da pandemia, não contra manifestação, mas contra aglomeração neste momento, eu também não posso ser a favor de novas manifestações. Eu acho que neste momento, as aglomerações vão gerar uma aceleração da contaminação e perdas de vidas – disse ao ser questionado sobre os protestos que pedem a saída do presidente.

Maia lembrou que o Brasil deve atingir a marca de 40 mil mortes em breve e defendeu unificar as ações para passar por esse “momento difícil” sem pensar em 2022, ano de eleição.

– É muito importante que a gente unifique o que nos une nesse momento tão difícil para que a gente possa passar por esse momento. O segundo momento, o movimento contra o presidente Bolsonaro pode crescer ou não, o movimento pró Bolsonaro pode crescer ou não, isso é outro momento. O que a gente não pode é estar olhando 2022 em meio a uma pandemia.

Perguntado se a separação dos poderes está sendo respeitada, Maia afirmou, sem citar nomes, que “alguns estão derrapando” e ultrapassando os limites. Sobre as críticas de que o Supremo Tribunal Federal (STF) tem ultrapassado os limites, como a feita pelo vice-presidente Hamilton Mourão, Maia defendeu que esses questionamentos sejam feitos ao plenário da Corte, conforme prevê a Constituição.

– Do ponto de vista concreto, todos estão respeitando. No discurso alguns estão derrapando, falando além do que deveriam, que é o seu papel. Se há a ideia do vice-presidente Mourão que o Supremo está passando dos limites, cabe recurso.

O presidente da Câmara afirmou também que cabe ao Executivo fazer a coordenação do combate à pandemia e cobrou do governo federal atitudes que unifiquem as ações contra a doença.

– No julgamento do Supremo sobre os limites de cada poder, ficou muito claro que o poder de coordenação era do governo federal. Cabe a gente pedir ao governo federal que melhore a sua articulação, a sua coordenação em relação às ações, todas as ações do governo, mas principalmente as de enfrentamento ao coronavírus.

Bolsonaro X Witzel

Em relação aos atritos que envolvem o presidente Jair Bolsonaro e o governador do Rio, Wilson Witzel, Maia defendeu que o papel do governador não é ser oposição ao presidente e disse que é preciso reduzir conflitos como esse para focar nas ações de combate à pandemia.

– Eu sempre disse aos governadores, principalmente ao governador do Rio, que o papel dele não era ser oposição ao presidente da República. Isso nunca tinha funcionado no Brasil. Independente de erros, de pressões, eu não tenho essas informações, mas às vezes tem essa sinalização na fala do presidente, mas eu acho que o correto é que quem ganhou para ser Executivo ter uma relação de harmonia entre os poderes, de independência, é claro, respeito ao pacto federativo, aos entes federados.

No mês passado, Witzel chegou a afirmar que a operação da Polícia Federal (PF) com mandados de busca e apreensão em sua casa teve a “interferência” do presidente Jair Bolsonaro. Agora, o governador tem amenizado as críticas.

Para Maia, é normal o presidente receber informação sobre operação da PF, mas “não do conteúdo”.

– É natural que em uma operação que envolva um governador, o governo, o presidente da República, receba a informação, não do conteúdo, mas do que vai acontecer, do que pode acontecer. Entre o diretor da Polícia Federal, o ministro e o presidente, alguém vazou a informação para a deputada – disse ao se referir ao fato de a deputada Carla Zambelli (PSL – SP) ter declarado à rádio, um dia antes da operação, que governadores seriam alvo de investigações da PF.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lulu disse:

    Escute o povo, é hora sim .

    • Geralda disse:

      Se for pra escutar o povo meu fii, não sai nunca.
      Agora, se gor pra escutar a globo e folha de S. Paulo aí sim.
      Kkkkkkk
      Não exister motivos pra afastamento.
      Qual??
      Escreva aqui nessa linha.
      ——————————
      Pra eu saber qual.
      Aceita que doí menos.
      Kkkkkkkkk

  2. Ronaldo Sergio disse:

    Esse Rodrigo Botafogo Mais é maldoso e falso. Com essa fala mansa e fingindo que quer harmonia pensa ludibriar o povo,que na totalidade,quer ver ele responder pelos processos de propina ,da Gol e Odebrecht. Rodrigo, simplesmente, o povo tem odeia. Você não tem credibilidade nenhuma !!!

  3. Carlúcio disse:

    Tenha peninha dele Rodrigo Maia, pois em janeiro ele te chuta daí.

  4. Mário César disse:

    Bolsonaro com o centrão tem maioria na Câmara, Rodrigo Maia não vai bater de frente com eles, Rodrigo só pensa na reeleição da presidência da Câmara

  5. Leviatã disse:

    Isto mesmo,senhor presidente Rodrigo Maia,devemos buscar sempre a unidade nacional,o Brasil esta a cima de todas as ideologias políticas partidarias,agora não é hora de dividir e sim de somar,o presidente Jair Bolsonaro fora eleito e tomando posse para um mandato de quatro anos ininterruptos e tem o poder e o dever de cumprir o que manda a constituição brasileira.

  6. Joel disse:

    Tão bozim!

PT e outros seis partidos de esquerda entram com pedido coletivo de impeachment de Bolsonaro

Foto: Reprodução/Twitter

Gleisi Hoffmann anunciou no Twitter que o PT e outros seis partidos de esquerda entraram nesta quinta-feira com um pedido de impeachment de Jair Bolsonaro:

“Hoje entraremos com o primeiro pedido coletivo de impeachment do Bolsonaro. São mais de 400 entidades, juristas, personalidades e 7 partidos políticos. Bolsonaro precisa ser impedido, seu governo está levando o Brasil e a maioria do povo para uma tragédia.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Victor Pablo disse:

    PT ninguém merece mais, muito menos esse safado do Rodrigo Maia.

  2. aof disse:

    Todo o projeto do PT e seus satelites é esse? Impeachment de Bolsonaro? Já deviam ter notado que Bolsonaro não é Collor, nem Dilma. O buraco é mais embaixo. Melhor é dizer pra Nação o que faria de melhor caso voltassem ao Poder. É riqueza distribuida pelo Estado, como o Lula prega? Estado não produz riqueza, quem produz riqueza somos cada um de nós, com nosso trabalho. Onde acharam que o Estado ia concentrar riqueza (tomando dos ricos) para distribuir, deu União Soviética, Cuba e Venezuela, só pra citar alguns

  3. Cássio Morais disse:

    O nível dos comentários traduzem como se arrasta a esquerda, não só aqui no RN.

  4. Wilson disse:

    Essa senhora não tem autoridade para falar de ninguém. E o inquérito sobre o esquema dos aposentados, como anda?

  5. Marcelo disse:

    PT fez crescer muita coisa no Brasil, as invasões em terras produtivas, bloqueios nas estradas, o PCC, Comando Vermelho… Tem moral, ainda não acabou a campanha das eleições passadas, como eles dizem, tem que desidratar o Governo atual! O povo que pague o preço.

  6. manezinho disse:

    Deviam cassar primeiro o partido dos trambiqueiros… so assim haveria moral pra se pedir um impeachment.

  7. Jailson disse:

    O melhor p o Brasil é o impeachment de Bolsonaro!

    • Braulio Pinto disse:

      Sou a favor do impedimento de Bolsonaro para evitar a continuação dessa política nefasta e criminosa. Mas o PT não tem condições morais de levantar qualquer iniciativa. Depois do que esse partido fez, perdeu a legitimidade para reclamar de qualquer coisa. Não é a toa que outros partidos de esquerda rechaçam participação nessa iniciativa tardia do PT, já haviam protocolado outros pedidos. Lula e Zé Dirceu deveriam voltar para o xadrez para pagar as penas que lhe foram impostas.

  8. PT Nunca Mais. disse:

    PT chega de ladrões vão pra Cuba.

  9. Lion Romero disse:

    Alguma novidade?
    Qual Presidente de outro partido o PT não pediu impeachment?
    Quando Dilma sofreu o impeachment, foi "golpe" kkkkkkkkkkkkk
    Nada de novo, a sede pelo poder continua, responsabilidade e realizações pelo povo, só no discurso repetido, enfadonho e mentiroso de sempre, usado a mais de 28 anos.
    O objetivo do PT continua sendo único: O poder!
    Nicolas Maduro conseguiu e o resultado todos conhecem.
    Os Irmãos Castro tem o poder em Cuba e o resultado é maravilho, todos povo igual, na mais absoluta miséria.

  10. Cesar Bomone disse:

    TRAGÉDIA foi o país que esses PETISTAS deixaram, gastaram bilhões com Copa do Mundo e Olimpíadas e não investiram na construção de HOSPITAIS.
    Preferiram realizar gastos INÚTEIS que serviram apenas para a CORRUPÇÃO.
    Hoje muitos morrem por falta de leitos de hospitais.

  11. Francisco Alves disse:

    A cada dia que passa, mais sólida fica em minha mente, uma célebre frase de um saudoso amigo e professor (falecido).
    Certa vez, a gente trocava ideias degustando uma cachaça envelhecida e, entramos no fator político ideológico quando ele sabiamente disparou: – " A ideologia da esquerda no Brasil, se resume a falta de dinheiro no bolso".
    Tudo isso, se comprovaria nas administrações do PT durante os 16 anos no poder.

  12. Bino disse:

    PT do luxo ao lixo!

  13. Dinho disse:

    Impedimento? Essa esquerda não tem jeito. Caras de pau. E impeachment sem apoio popular, não acontece. Vão morrer por inanição. Ós esquerdopatas estão sentindo falta do dinheiro fácil, da corrupção, da falcatrua.

  14. Ivan disse:

    Sem estar no poder ainda conseguem atrapalhar a nação…Ô estorvo, carniças…

  15. Mito disse:

    Coitados, vão ter que esperar até 2022 e depois 2026. Partidos inúteis que tiveram a oportunidade de governar uma país como o Brasil e só fizeram roubar o dinheiro público e comprar os menos instruídos com esmolinha disso e daquilo. A esquerda é a maior mentira existente na política. Eles socializam a pobreza e privatizam a riqueza para eles. São incompetentes e não tem um exemplo no mundo de algum país bem sucedido governado pela esquerda. Vocês são um lixo não reciclável.

  16. Paulo disse:

    Um povo que sobreviveu o governo do PT supera essa crise que eles mesmo estão tentando causar.

    • Greg disse:

      quer dizer que esta crise é culpa do PT…kkkkkkkkkkk precisava rir hoje, conta mais?

    • Neco disse:

      Anos de desindustrialização, de explosão da dívida interna, de avanços pífios na infra-estrutura, de baixos avanços na produtividade, com dinheiro de impostos todo para paga funças, com educação de fazer vergonha, com gastos com elefantes-brancos, com grana a rodo para 'campeões nacionais', banqueiros, reitores de uniesquinas e empreiteiros (e políticos)…. só por isso?

    • jorge disse:

      Concordo amigo, 16 anos de roubalheiras ….e o povo só pagando, eu acho que não tem heroi que dê jeito.

Advogado protocola pedido de impeachment contra Fátima, vice e secretário de Saúde por supostos crimes relacionados a recursos e dados do Covid-19

Foto: cedida

O advogado Rylionaldo Marques protocolou na manhã desta terça-feira, 19, na Assembleia Legislativa, um pedido de impeachment contra a governadora Fátima Bezerra, o vice-governador Antenor Roberto e o secretário estadual de Saúde, Cipriano Maia, pelas supostas práticas de crime de responsabilidade e crimes comuns.

Em contato com o Justiça Potiguar, o advogado explicou que o pedido foi embasado em alguns crimes, por ele elencados, que teriam sido praticados pela gestora estadual. “A governadora não está prestando contas do dinheiro recebido pelo Governo Federal para o combate a pandemia. Há malversação do dinheiro público, ela tem que dar publicidade, até agora não temos hospital de campanha, nem leitos, o edital que contrataria servidores e temporários que também não foi feito,” disse Marques.

Leia matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. JOSÉ MARQUES JR. disse:

    Não vou defender a governadora, nem qualquer um de seus asseclas. Mas, vamos aos fatos:
    Se colocarmos o nome desse advogado em um site de pesquisa, poderemos ver claramente suas aspirações políticas e esse "arroubo de justiça" incutido nesse pedido de impeachment promovido por ele, nada mais é do que uma tentativa dissimulada de se auto promover já com vistas a uma carreira no infame mundo da politicagem. Ou seja, nada mais é do que uma raposa tentando expulsar a outra do terreiro.

  2. Luca disse:

    Bem ou mal, o Advogado agiu. E quem critica a atitude, fez o que para mudar o cenário?

  3. Potiguar 01 disse:

    Tá certo Mesmo, #forafatao não esta fazendo nada pra combater a Doença, na verdade não está fazendo nada!

  4. Rogério Rocha disse:

    1 minuto de fama…. blá blá blá

  5. Fabio disse:

    Eis que surge um novo candidato a vereador em natal kkkkkkkk

  6. LUCIANO BRITO disse:

    O povo que saber, cade o dinheiro que veio para o rn enviado por nosso presidente.

  7. Logan disse:

    Demorou…
    Tomara que não fique só no papel, esse governo queria mesmo era os 10 mil óbitos anunciado.

  8. Rafael Franco disse:

    O advogado desconhecido conseguiu 5 minutos de fama.

  9. Ricardo disse:

    Falou o nome dele ele já conseguiu o que queria: visibilidade.

  10. Joca disse:

    Aproveita e pede o do mito também. A nova do mito é transformar hospital em quartel, pois está nomeando militar aposentado para fazer bico dentro de hospital, em vez de contratar profissional da saúde.

    • Severino disse:

      Mostre a ilegalidade e se nomear generais, entre com uma ação se seja feliz,

      É cada um…

    • Guga disse:

      Alguém revoltado com o Presidente, simplesmente porque o CARA É HONESTO. Contenham-se! Bolsonaro é o único preocupado com o Covid, os governadores estão amando receber dinheiro federal e gastar sem licitação.

  11. Robério Mauricio da Silva disse:

    Quem é mesmo esse ser? Ta atrás de notoriedade

  12. Roberto disse:

    Parabens pela iniciativa. Agora cabe aos senhores da lei, no mínimo uma melhor apuração do que está sendo feito com o dinheiro federal que veio para o nosso estado.

  13. Cabo Silva disse:

    Isolamento social…. TÁ SEM TER O QUE FAZER, NÉ MEU FILHO?

    • Getúlio disse:

      Quem não tá Fazendo nada é a governadora, mais grave, com dinheiro em caixa enviado pelo governo federal.

Maia diz que ‘não está no radar’ impeachment de Bolsonaro

Rodrigo Maia afirmou nesta sexta-feira (3) que não está em seu radar discutir impeachment de Jair Bolsonaro.

“No meu radar só tem um tema, superar a crise, salvar vidas, garantir empregos e a solvência das empresas, sobretudo as de menor porte”, disse, em videoconferência promovida pelo Valor.

E acrescentou:

“Não gosto de ser comentarista do presidente da República, apesar das minhas críticas. Bolsonaro escolheu um ótimo ministro da Saúde, que nos comanda de forma competente.”

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Eu disse:

    #aceitamaia

  2. Silva disse:

    Não há motivos.
    Só isso.
    Libere o fundo safado.

STF rejeita pedidos de Dilma para anular impeachment

Foto: Lucas Jackson/Reuters

O Supremo Tribunal Federal rejeitou dois recursos da ex-presidente Dilma Rousseff que ainda tentavam anular o impeachment. A petista foi afastada em definitivo do cargo em agosto de 2016.

No plenário virtual, os ministros seguiram o voto do relator, Alexandre de Moraes. Edson Fachin acompanhou o colega com ressalvas. Ricardo Lewandowski, que presidiu reta final do processo no Senado se declarou impedido. Celso de Mello está de licença.

Dilma questionou decisão monocrática de Moraes que havia rejeitou uma ação para declarar como ilegal o impeachment de 2016. O ministro entendeu que a ação perdeu objeto. Isso porque, com o fim do mandato em 2018, não haveria como devolver a Presidência à petista.

A defesa insistiu na tese de que o Supremo precisa discutir “questões arbitrárias” e “decisões desprovidas de justificação fática plausível” no processo.

A anulação do impeachment não faria Dilma voltar à Presidência, mas para a petista a questão é importante para encerrar o debate sobre os direitos políticos da petista.

No julgamento do processo, o Senado decidiu que, mesmo após a cassação do mandato, ela mantivesse os direitos políticos. Foi feito o fatiamento da decisão. A cisão ainda é questionada no Supremo.

Se Dilma conseguisse invalidar o impeachment, essas outras ações perderiam o objeto e ela garante de vez o direito de continuar disputando eleições. Em 2018, Dilma disputou uma das duas vagas de Minas no Senado, mas ficou em quarto lugar. Aparentemente, ela ainda não engoliu o impeachment decretado pelo eleitor.

A acusação contra a petista foi a de que ela teria cometido crimes de responsabilidade ao violar a legislação fiscal na chamada “pedalada fiscal” com a edição de decretos de créditos suplementar sem autorização do Congresso.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. aof disse:

    Saudades da boquinha? Nunca mais. Tchau, desquerida!

  2. Luciano disse:

    Ah anta! Dá zero pra ela !!!

  3. David disse:

    Os ruminantes adoradores de corruptos estão recebendo as orientações, pra defecar palavras sem nexo

  4. edu disse:

    Isso nao serve nem para comandar uma briga de galo, quem dira um Pais! TODO brasileiro foi enganado…. Ai me diga, se nao fosse essa questao partidaria, onde os fanaticos e alucinados pelo PT, existisse? Me digam os proprios se essa mulher tem condiçoes de comandar um Pais? minha nossa!

  5. Zé priquito disse:

    Ou veia feia da gota serena

  6. Vergonha disse:

    Essa JUMENTA ENGARRAFADORA DE VENTO , tinha que estar na cadeia

Alexandre Frota diz que vai entrar com um pedido de impeachment de Bolsonaro: “Ele está abrindo uma crise institucional”

Foto: Edilson Dantas/Agência O Globo

Alexandre Frota, ex-aliado de Jair Bolsonaro e hoje no PSDB de João Doria, disse que vai entrar com um pedido de impeachment do presidente.

“Eu acabo de solicitar a uma junta de advogados que, diante dos fatos, ameaças e do disparo do vídeo do celular dele… Vou entrar com o impeachment, vou assinar”, afirmou o deputado à Época. “Bolsonaro prometeu que sempre lutaria pela democracia. Mentiroso. Ele está abrindo uma crise institucional.”

E mais:

“Não tem direita, esquerda ou centro. Temos que nos juntar e mostrar que é inaceitável isso que ele está fazendo. Tomara que ele não coloque a culpa em um filho ou em um assessor dizendo que não foi ele quem disparou o vídeo.”

O Antagonista, com Época

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Falta de absurdo disse:

    esse bosta tem moral de nada

  2. Fora bolsotralhas disse:

    Fora ASSASSINO, FORA BOLSOTRALHA, FORA MARGINAL MILICIANO…BOTA PRA QUEBRAR FROTA…..XO SATANAS

    • Vergonha disse:

      Viva o ladrao Lula ..aque fdp que roubou a Petrobras, vagabundo vai aprender a trabalhar e deixa de chororô , vou dar uma dica, a carteira de trabalho é azul

  3. Gabriel Fernandes disse:

    Na verdade cafajeste é o presidente que busca criar uma crise institucional, tenta ainda criticar o local por onde ficou 28 anos no baixo clero sem nunca apresentar uma reforma estruturante para o país, e no início do governo da Venezuela elogiava o militarismo, lá de esquerda aqui de direita, mas com viés autoritário. E o gado mugindo e batendo palma, pq quem é contra é a favor do PT!!! Não sou a favor nem de um nem de outro. Sou Brasil sou patriota!!!

    • Maria suvaqueira disse:

      Recorrer ao povo é ser cafajeste? O povo é soberano e quem decide os destinos da nação, somos nós que construímos esse país, não os pilantras do congresso e do STF.

  4. Riva disse:

    Pra quem criticava tanto as ditadores o gado brasileiro terá o seu Nicolas Maduro já já.

  5. Ricardo Carvalho disse:

    Esse sujeito é apenas um cafajeste desqualificado que se elegeu na onda Bolsonaro, não se elege nem pra destaque da parada gay.

    • Sousa disse:

      Mas ele prestava quando apoiava o seu domador, não é mesmo?
      Esse conhece o Mico de perto e deve saber de muita coisa por trás das cortinas.

    • Ricardo Carvalho disse:

      Ele é um caroneiro, quem domava e doma os asnos é o ex-presidiário, cachaceiro e semianalfabeto, seu ídolo! Vai arranjar uma ocupação, parasita…

    • Ferreira disse:

      Palhaço Bozonaro faz arminha que vc vai ao delírio.
      Ricardo, eu não me engano, o seu Pré Fake é miliciano.

  6. paulo disse:

    BG
    Este individuo deputado de um mandato só tá querendo holofote, vai se dedicar as suas atividades porno que é melhor.

PGR recomenda ao STF arquivamento de pedido de impeachment de Weintraub

Foto: Reprodução

Assim como já havia feito no caso do ministro Ricardo Salles (Meio Ambiente), a Procuradoria-Geral da República manifestou-se pelo arquivamento do pedido de impeachment do ministro da Educação, Abraham Weintraub.

Em parecer enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), onde os processos tramitam, a PGR afirma que é de sua competência exclusiva denunciar ministros de Estado por crime de responsabilidade, sendo vedado que isso seja feito por parlamentares – como foi o caso – ou demais cidadãos.

A manifestação do vice-procurador-geral da República, José Bonifácio Andrada, tem base em uma jurisprudência do próprio Supremo. Em 2002, a Corte entendeu que pedidos de impeachment contra ministros de Estado não têm apenas caráter político-administrativo, mas também penal, justificando a prerrogativa exclusiva do Ministério Público para denunciá-los.

Matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Donavan disse:

    E O PALHAÇO BOZONARO FAZ ARMINHA!

  2. natalsofrida disse:

    Petralha maldito, o que o ministro fez foi moralizar a educação que seu ladrão de estimação arrebentou e nos deixou mais baixo que a Venezuela.
    Malditos sejam demônios mentirosos!

    • Minion alienado disse:

      Moralizou quando? Um indivíduo que nem sabe ser professor vai entender de educação. Quero ver o índices de desempenho da educação em 2022.

    • Bento disse:

      Que pena
      Natal sofrida cheia de esquerdopatas que dpminaram a corrupção nos últimos 13 anos.

  3. Jailson disse:

    Engavetador geral da república escolhido fora da lista tríplice só p abafar tudo…

‘Não fiz nada errado’, diz Trump ao celebrar absolvição de impeachment

Foto: Reuters/Tom Brenner

Donald Trump fez nesta quinta-feira(06) seu primeiro pronunciamento oficial após ter sido absolvido pelo Senado no processo de impeachment que sofreu, registra o Estadão.

“Passamos pelo inferno e não fizemos nada de errado, nada. Fiz coisas erradas na vida, admito, mas não de propósito. Mas esse é o resultado”, disse o presidente, exibindo a edição impressa do Washington Post que noticia sua absolvição.

O Antagonista