Esporte

Diretor técnico do surfe diz que Medina não foi prejudicado na semifinal da Olimpíada: “Eu acho que o resultado está certo. Juízes vão analisar a apresentação e podem ter opiniões diferentes”

Foto: LISI NIESNER / REUTERS

O diretor técnico da Associação Internacional de Surfe (ISA, na sigla em inglês), Erik Krammer, que exerceu a mesma função nos Jogos de Tóquio, discordou que Gabriel Medina tenha sido prejudicado pelos juízes na semifinal contra o Kanoa Igarashi. Em um aéreo nos minutos finais da bateria, o japonês conseguiu a segunda maior nota da competição, 9.33, e eliminou o brasileiro, avançando para a final.

— Eu acho que o resultado está certo. Mas não posso falar que ele (Medina) está errado porque ele tem outra opinião. E muitos brasileiros e outros no mundo podem achar que o Medina ganhou. Haverá outros que pensam que não. As opiniões são diferentes mesmo. Isso pode acontecer. O juízes vão analisar a apresentação e podem ter opiniões diferentes. Eu, como diretor técnico, respeito. Todos olham as ondas, dão suas opiniões e se têm dúvidas podem ver o replay. Mudam a nota ou não. Mas, no final, a nota é a do juiz. E isso é muito importante – explicou Erik, que já trabalhou como juiz por cerca de 10 anos. — Você pode colocar os cinco melhores juízes do mundo juntos e vão ter opiniões diferentes. Às vezes serão iguais. Isso é a beleza do nosso esporte e entendo que também é a complexidade do nosso esporte.

A diferença de nota entre os juízes para a avaliação da manobra decisiva executada por Igarashi chamou a atenção. O português Valerio Trigo deu nota 7.5 para o aéreo, enquanto o neozelandês Kosoof opinou com 9.8. De acordo com as regras, cinco juízes avaliam as manobras dos surfistas e a nota mais alta e a mais baixa são eliminadas. Vale então a média das três restantes.

A melhor nota de Medina na bateria foi 8.43, e em todo o torneio, um 9 obtido nas quartas-de-final. Favorito à medalha de ouro, o brasileiro terminou fora do pódio ao ser derrotado pelo australiano Owen Wright na disputa pelo terceiro lugar.

Entre a semifinal e a disputa pelo bronze, Medina publicou uma mensagem no Instagram. “Dei meu melhor, é foda quando isso acontece, dá uma tristeza. Desculpa galera, valeu pela torcida!”.

Após a segunda derrota do dia, o brasileiro não parou na área de entrevistas para atender os jornalistas. Para a televisão, ele disse: “É triste quando isso acontece. Muita gente mandou mensagem… É dificil passar o ano treinando, se esforçando, e chegar nisso. Mas minha parte fiz, estou amarradão, fiz o meu melhor e agora é continuar trabalhando. Têm coisas que não dá para entender, mas tinha que ser assim”.

Balanço positivo

Apesar das polêmicas, Krammer fez balanço positivo da estreia do surfe em Jogos Olímpicos. A competição encerrou nesta terça-feira de forma antecipada para fugir de um tufão que se aproximava de Tsurigasaki, em Chiba, no Japão.

— Hoje foi uma vitória para todo mundo do surfe. A gente finalizou a primeira competição olímpica do surfe. Então, foi muito importante para nós enquanto organização mas também enquanto surfistas de coração. O nosso esporte é lindo, muito legal como pode se ver, e complexo também.

Ele explicou que a ISA começará a trabalhar com o Comitê Olímpico Internacional (COI) para projetar os Jogos de Paris-2024, quando o surfe será disputado no Taiti. Disse também que a parte operacional do evento irá se repetir, mas que não há como garantir que outras polêmicas não surgirão.

— A fórmula não mudará mas os critérios, o que os juízes vão avaliar, será completamente diferente. Aqui é beach break (fundo de areia; em Teahupo, há bancada rasa de coral). Teve onda todo dia, mas não foram ondas grandes, de alta qualidade. Foi o suficiente para competir, então foi um bom campeonato. Mas o Taiti tem as ondas mais impressionantes do mundo e estou feliz que o campeonato será lá. Esses Jogos Olímpicos foram legais, todo mundo viu e gostou, mas quando assistirem a Teahupoo vão ficar impressionados. Lembrarão para o resto da vida.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Bom dia
    BG
    Infelizmente foi Roubo… Medina fez a Manobra sem a mão na borda… foi infinitamente mais vertical no giro, bico da prancha de ponta para baixo diferentemente do japonês que foi na diagonal… Onda de Medina um pouco maior… Muito Triste
    Já vem acontecendo isso nas Etapas da WSL… Qualquer Surfista que fizer uma manobra que Medina ou Ítalo faça eles recebem uma nota maior já que para os brasileiros é naturalmente mais fácil diferentemente dos outros…
    Só quem tem condições de Competir com Ítalo, Medina, Felipe hoje é John John Florence em condições normais…
    Forte Abraço

  2. BG.
    Depois que casou com a Yasmim Brunet a vida dele virou de ponta cabeça, intrigou-se com a família dele inclusive a Mãe. Ela agora foi pro Japão e o comitê olimpico ficou em desacordo com a ida dela pra lá. Olhai no que deu. Mãe é Mãe.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Olimpíada de Tóquio: finais do surfe são antecipadas para evitar tufão; potiguar Ítalo Ferreira e Medina já competem nesta segunda-feira pelas quartas de final a partir de 19h30

Foto: LISI NIESNER / REUTERS

As finais do surfe na Olimpíada de Tóquio serão antecipadas em um dia para evitar um tufão que atingirá a costa do Japão. A previsão do tempo afetará o calendário das provas, de disputa do ouro e do bronze, programadas para ocorrer a partir da manhã do dia 27 no país asiático (noite desta segunda e madrugada de terça no Brasil).

O fenômeno meteorológico, que deve mudar o tempo e o mar, mexeu na programação da terça (27), que envolvia apenas as disputas das quartas e semifinais. Com a alteração, a final será realizada na sequência. A mudança no calendário foi confirmada pelo COI (Comitê Olímpico Internacional) nesta manhã.

Os representantes brasileiros Gabriel Medina e Italo Ferreira vão disputar as quartas de final por volta de 19h30 desta segunda (horário de Brasília). Se passarem, vão à semifinal por volta de 23h40. A final será disputada depois das 2h da manhã de terça.

Já no feminino, as ondas não ajudaram tanto. Ainda assim, a brasileira Silvana Lima também se garantiu nas quartas, enquanto Tatiana Weston-Webb foi derrotada por Amuro Tsuzuki, do Japão, e deu adeus à Olimpíada.

O Globo

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Seleção desperdiça “caminhão” de gols, quase ressuscita Alemanha, mas faz valer superioridade: 4 a 2

Foto: Julio César Guimarães/COB

Com três gols marcados num intervalo de 23 minutos no primeiro tempo, a seleção brasileira começou as Olimpíadas de Tóquio com vitória no futebol masculino: 4 a 2 para cima da Alemanha com três gols marcados por Richarlison e outro de Paulinho já nos acréscimos. Amiri e Ache descontaram no segundo tempo para os atuais vice-campeões olímpicos na partida de abertura do Grupo D realizada no Estádio Internacional de Yokohama.

Foi apenas a quarta vez na história em que um jogador do Brasil marcou três gols em um mesmo desafio do futebol masculino nos Jogos Olímpicos, a primeira numa estreia. Gérson, Romário e Bebeto foram os outros — o último deles em 1996.

O próximo jogo do Brasil será no domingo (25), às 5h30 (de Brasília), contra a Costa do Marfim — que também venceu na primeira rodada. Já a Alemanha tenta se recuperar no mesmo dia, três horas mais tarde, diante da Arábia Saudita.

Pombo infernal

Escalado como atacante central, mas com muita liberdade para se movimentar entre as linhas de marcação da Alemanha, Richarlison teve atuação de destaque na estreia do Brasil com três gols marcados no intervalo de 23 minutos no primeiro tempo. Confiante, venceu a maioria dos duelos pessoais com dribles, jogo físico e qualidade nas finalizações com o luxuoso apoio dos companheiros de ataque. No segundo tempo teve uma queda física e foi substituído.

Santos e Diego Carlos falham

Depois de ser vazada três vezes no primeiro tempo, a Alemanha reconstruiu seu sistema de marcação e na etapa complementar esboçou alguma reação. Mas só conseguiu balançar as redes em falhas individuais do Brasil. Primeiro, Santos não conseguiu se recuperar depois de um quique da bola no gramado após finalização de Nadiem Amiri e tomou o gol, e depois Diego Carlos errou o tempo de bola numa bola cruzada e permitiu que Ragnar Ache fizesse o segundo, o que gerou minutos de tensão no fim do jogo.

Autoridade e queda

O Brasil começou avassalador em Yokohama graças à uma dinâmica do seu ataque, que aparecia muitas vezes com seis homens — sendo dois pelo centro. Foi com Matheus Cunha mais móvel para buscar a posse de bola e fazer tabelas e Richarlison aparecendo nas costas da marcação para aproveitar uma zona mais próxima do gol que as primeiras chances foram sendo empilhadas. Antony e Claudinho foram os coadjuvantes, apoiados pela presença ofensiva de um lateral e de Bruno Guimarães. Os três gols do primeiro tempo passaram por estes nomes.

O primeiro teve Matheus Cunha, Antony e Richarlison. O segundo, Bruno Guimarães, Guilherme Arana e Richarlison. O terceiro, Matheus Cunha e, claro, Richarlison. E ainda teve um pênalti desperdiçado por Matheus Cunha depois de jogada dele mesmo com Daniel Alves. Foi uma etapa inicial de autoridade, com oito finalizações no gol de Muller. Um ataque móvel, técnico, com espírito coletivo, muito mais rodagem em alto nível internacional e inteligência pra explorar espaços foi perfeito diante de uma defesa desorganizada, lenta, sem força no um contra um e sem agressividade na marcação.

Stefan Kuntz se fechou no esquema 5-2-3 depois de tomar os três gols e o jogo ficou mais equilibrado na reta final do primeiro tempo. No intervalo ainda entrou o zagueiro Torunarigha, o que deixou a Alemanha mais confiante em campo. Em meio a mais chances perdidas do Brasil, principalmente por decisões ruins dos atacantes, os alemães diminuíram numa falha do goleiro Santos. Na hora em que o adversário decidia se saía ou não para o jogo, Arnold foi expulso por falta em Daniel Alves.

Isso poderia complicar a reação, mas Ragnar Ache ainda fez o segundo gol perto do fim do jogo numa falha de Diego Carlos, o que causou momentos de tensão inclusive durante os cinco minutos de acréscimo. Ainda assim, o Brasil conseguiu segurar sua vantagem e ainda aumentou aos 48, com Paulinho, numa das raras chances aproveitadas numa partida em que finalizou mais de 20 vezes.

O primeiro gol saiu aos seis minutos do primeiro tempo, numa jogada que envolveu os três atacantes. Matheus Cunha roubou a bola no ataque e serviu Antony, que deu um passe perfeito nas costas da marcação alemã. Richarlison finalizou duas vezes para abrir o placar. Ele aumentou a contagem aos 21, de cabeça, depois de uma assistência de Guilherme Arana pelo lado esquerdo. O terceiro saiu aos 29 depois de um passe de Matheus Cunha na medida também pelo lado esquerdo.

A Alemanha marcou seu primeiro gol aos 11 minutos do segundo tempo. Marco Richter chutou de fora da área, a bola bateu em Nino e a sobra ficou nos pés de Amiri. A finalização com quique no gramado enganou o goleiro Santos. O segundo saiu aos 38 minutos, quando um cruzamento do lado esquerdo encontrou Ache nas costas de Diego Carlos para marcar de cabeça. Depois de alguns minutos de tensão, o Brasil fez o quarto gol aos 48 minutos do segundo tempo pelos pés de Paulinho numa bomba de direita dentro da área.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 4 x 2 ALEMANHA

Competição: Jogos Olímpicos de Tóquio, 1ª rodada do Grupo D
Local: Estádio Internacional de Yokohama, em Yokohama (Japão)
Data/hora: 22 de julho de 2021 (quinta-feira), às 8h30 (de Brasília)
Árbitro: Ivan Barton (El Salvador)
Assistentes: David Moran (El Salvador) e Zachari Zeegelaar (Suriname)
VAR: Marco Guida (Itália)
Cartões amarelos: Douglas Luiz (Brasil), Amos Pieper, Maximilian Arnold, Henrichs, Uduokhai (Alemanha)
Cartão vermelho: Maximilian Arnold (Alemanha)

GOLS: Richarlison, aos 6/1ºT (1-0), Richarlison, aos 21/1ºT (2-0), Richarlison, aos 29/1ºT (3-0), Nadiem Amiri, aos 10/2ºT (3-1), Ragnar Ache, aos 38/2ºT (3-2) e Paulinho, aos 48/2ºT (4-2).

Brasil: Santos; Daniel Alves, Diego Carlos, Nino e Guilherme Arana; Douglas Luiz, Bruno Guimarães e Claudinho (Malcom, aos 18/2ºT); Richarlison (Reinier, aos 28/2ºT), Matheus Cunha e Antony (Paulinho, aos 28/2ºT). Técnico: André Jardine.

Alemanha: Florian Muller; Benjamin Henrichs, David Raum, Felix Uduokhai e Amos Pieper (Torunarigha, no intervalo); Arne Maier, Maximilian Arnold, Nadiem Amiri (Teuchert, aos 28/2ºT) e Anton Stach (Schlotterbeck, aos 34/2ºT); Marco Richter (Eduard Lowen, aos 22/2ºT) e Max Kruse (Ragnar Ache, aos 22/2ºT). Técnico: Stefan Kuntz.

UOL

Opinião dos leitores

  1. A seleção brasileira de futebol só vai convencer quando pegar a seleção principal da Alemanha e devolver os 7 x 1, por enquanto não convence ninguém!!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Olimpíada: organizadores concordam em realizar os Jogos de Tóquio sem espectadores

Foto: ISSEI KATO / REUTERS

Os organizadores de Tóquio-2020 concordaram em realizar os Jogos Olímpicos sem espectadores. A decisão foi informada pela ministra Tamayo Marukawa após reunião que aconteceu nesta quinta-feira para debater o tema.

Uma conferência entre os organizadores e o Comitê Olímpico Internacional (COI) foi convocada depois que o governo japonês decidiu colocar Tóquio em outro estado de emergência, que durará até 22 de agosto. As medidas previstas para a capital incluem proibir restaurantes de servir bebidas alcoólicas e pedir para fecharem até as 20h. Os Jogos acontecerão no período entre 23 de julho e 8 de agosto.

De acordo com o que foi divulgado pela agência “Kyodo News” mais cedo, a Olimpíada de Tóquio será realizada sem espectadores na capital japonesa e três cidades vizinhas, devido ao aumento de infecções por coronavírus na região metropolitana.

Os espectadores do exterior já haviam sido barrados em março, e os organizadores decidiram no mês passado permitir até 10.000 fãs locais por evento durante as Olimpíadas, mas a decisão precisou ser revista.

É “lamentável” que os Jogos sejam realizados em um formato limitado, disse a presidente de Tóquio-2020, Seiko Hashimoto, em uma entrevista coletiva, acrescentando suas desculpas aos que haviam comprado os ingressos.

O primeiro-ministro Yoshihide Suga disse que é essencial evitar que Tóquio, onde a variante altamente infecciosa Delta está se espalhando, se torne a fonte de outra onda de infecções.

(mais…)

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Olimpíada de Tóquio acontecerá mesmo sob estado de emergência, diz COI

Foto: REUTERS/Issei Kato/Direitos Reservados

A Olimpíada de Tóquio acontecerá mesmo que a cidade esteja sob estado de emergência por causa da covid-19, disse uma autoridade olímpica de alto escalão nesta sexta-feira (21), sublinhando os desafios enfrentados pelos organizadores dos Jogos afetados pela pandemia.

Faltando só nove semanas para o início dos Jogos, o Comitê Olímpico Internacional (COI) procurou acalmar os temores do Japão de que o evento represente um fardo ao sistema médico já pressionado pela pandemia ao final de um encontro virtual de três dias para debater os preparativos.

Como incentivo à Olimpíada, que foi adiada em um ano devido à pandemia de Covid-19, foi anunciado que o presidente francês, Emmanuel Macron, cujo país sediará os Jogos de 2024, planeja comparecer à cerimônia de abertura de Tóquio.

O evento esportivo global enfrenta uma oposição crescente do público japonês. Uma pesquisa da Reuters divulgada nesta sexta-feira mostrou que quase 70% dos entrevistados quer um cancelamento ou um novo adiamento.

Indagado se a Olimpíada acontecerá mesmo que Tóquio esteja sob estado de emergência, o vice-presidente do COI, John Coates, que supervisiona os preparativos, respondeu: “Certamente que sim”.

Ele acrescentou que “todos os planos que temos à disposição para garantir a segurança e a proteção dos atletas e do povo do Japão se baseiam nas piores circunstâncias possíveis”.

Coates, que concedeu entrevista coletiva ao final da reunião, disse que mais de 80% dos ocupantes da Vila Olímpica serão vacinados antes de 23 de julho, quando a Olimpíada começa.

Ele ainda disse que pessoal médico adicional será parte das delegações olímpicas estrangeiras para apoiar as operações médicas e a implantação das contramedidas de covid-19 nos Jogos.

O Japão só vacinou 4,1% de sua população, de acordo com um monitor global da Reuters, a taxa mais lenta entre os maiores e mais ricos países do mundo, e só cerca de metade de seu corpo médico já completou as inoculações.

Contrastando com algumas outras nações do G7 que estão começando a abandonar as medidas de lockdown antipandemia, a maior parte do Japão continua submetida a restrições de emergência em meio a uma quarta onda de infecções.

Coates disse esperar que a aceitação pública dos Jogos aumente à medida que mais pessoas se vacinem.

“Mas se não aumentar, nossa posição é que só temos que seguir com nosso trabalho. Nosso trabalho é fazer com que os Jogos sejam seguros para todos os participantes e todo o povo do Japão”.

Agência Brasil, com Reuters

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Corte Arbitral do Esporte mantém Rússia fora da Olimpíada de Tóquio

Foto: Reuters/Denis Balibouse/ Direitos Reservados

No início da tarde desta quinta-feira (17), no horário de Brasília, a Corte Arbitral do Esporte (CAS), na Suíça, confirmou a manutenção da exclusão da Rússia de competições internacionais pelos próximos dois anos. Assim, atletas e equipes russas só poderão participar da Olimpíada de 2021, da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2022, entre outras competições, se confirmarem que não estão envolvidos em casos de doping. Nas Olimpíadas, esses atletas estarão sob uma bandeira do Comitê Olímpico Internacional (COI). E, no caso da conquista de alguma medalha, o hino russo não será executado.

Inicialmente, o país tinha sido banido do esporte por quatro anos pela Agência Mundial Antidoping (WADA, sigla em inglês) por causa de um sistema de doping que teve envolvimento de altas autoridades russas. Para a Corte, entre outras irregularidades constatadas desde 2014, houve adulteração de um banco de dados do laboratório da capital russa antes da entrega oficial do material à WADA.

Na decisão divulgada nesta quinta-feira, porém, houve a redução do prazo de quatro para dois anos. Também ficou decidido que os atletas até poderão usar o nome Rússia nos uniformes, se apresentarem a expressão Atleta Neutro no mesmo tamanho e com o mesmo destaque. A pena divulgada nesta quinta-feira é válida até 16 de dezembro de 2022.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Olimpíada de Tóquio é adiada por 1 ano, diz premiê japonês

 Foto: AP Photo/Eugene Hoshiko

O primeiro-ministro japonês, Abe Shinzo, confirmou nesta terça-feira (24) que pediu ao Comitê Olímpico Internacional o adiamento de um ano dos Jogos Olímpicos, que estavam programados para o dia 24 de julho.

Abe fez o anúncio a jornalistas depois de uma conversa telefônica com o presidente do COI, Thomas Bach. Segundo ele, o COI aceitou o pedido.

As Olimpíadas, portanto, deverão ser realizadas em 2021. Mesmo assim, o nome oficial do evento será Tóquio 2020, de acordo com o governador de Tóquio, Yuriko Koike.

De acordo com a agência Reuters, ele afirmou que o COI “apoiou 100%” a proposta.

Os Jogos Olímpicos foram adiados por causa da pandemia do Covid-19, que impactaram a organização do evento e também a preparação dos atletas.

A conversa telefônica incluiu, além de Abe e de Bach, o governador de Tóquio, Yuriko Koike, e o líder da organização dos Jogos, Yoshiro Mori.

Abe pediu para que Bach tomasse uma decisão o mais rápido possível, segundo a NHK.

Na era modera, os Jogos Olímpicos já foram cancelados em quatro ocasiões: 1916, 1940 e 1940.

G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Coronavírus pode fazer Olimpíada de Tóquio ser adiada para o fim de 2020

Seiko Hashimoto Foto: Eugene Hoshiko / STF

Os Jogos Olímpicos de Tóquio podem ser adiados até o final de 2020, em uma tentativa de impedir a propagação do coronavírus, que já contaminou 274 pessoas e matou seis no país. A ideia do foi citada pela ex-patinadora e ministra, Seiko Hashimoto, que afirmou que a interpretação do acordo do Japão com o Comitê Olimpíco Internacional (COI) permitiria essa mudança.

— O COI tem o direito de cancelar os jogos somente se eles não ocorrerem dentro de 2020. Isso pode ser interpretado como a possibilidade dos Jogos serem adiados, contanto que sejam realizados durante esse ano — disse Hashimoto, em resposta a audiência no parlamento japonês, nesta terça-feira.

Atualmente, os Jogos Olímpicos estão marcados para acontecer de 24 de julho a 9 de agosto, e tanto o Japão quanto o COI insistem na realização do evento na data inicialmente prevista.

— Estamos fazendo todo o possível para garantir que os Jogos prossigam conforme o planejado — disse Hashimoto.

— O COI está totalmente determinado a fazer com que os Jogos ocorram com sucesso a partir de 24 de julho e até 9 de agosto — declarou o presidente do COI, Thomas Bach.

Detectado pela primeira vez em Wuhan, na China, o novo coronavírus já contaminou 91 mil pessoas em todo o mundo e fez mais de 3,1 mil vítimas. No Japão, além dos 274 contágios e seis mortes, é desconsiderado os 706 casos e seis falecimentos do navio Diamond Princess, que estava em quarentena em Yokohama.

Diversos eventos-teste para a Olimpíada foram cancelados em meio ao surto do coronavírus no país. Dick Pound, vice-presidente do COI, foi quem sugeriu que os Jogos pudessem ser cancelados se a contaminação do vírus seguisse aumentando.

Contratualmente, o Japão não tem qualquer influência. Os termos estipulam que o COI tem “discricionariedade única” para avaliar os riscos e pode cancelar os Jogos por razões que incluem a segurança estar “seriamente ameaçada”.

Extra – O Globo

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Por doping, Rússia é excluída da Olimpíada e da Copa do Mundo

Foto: Christinne Muschi/Reuters

A Agência Mundial Antidoping (Wada) decidiu excluir a Rússia de grandes competições esportivas durante quatro anos por falsificação de dados dos controles entregues à entidade. Assim, o país não poderá ser representado nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 e de Inverno de Pequim 2022, além de Mundiais de todas as modalidades, o que inclui a Copa do Catar 2022.

A Rússia também não poderá organizar disputas desse nível em seu território. A Eurocopa 2020 não corre perigo de perder São Petersburgo como uma das 12 sedes, pois não está categorizada no grupo de competições restringidas.

A Rússia ainda pode – e deve – recorrer da decisão no TAS (Tribunal Arbitral do Esporte, na sigla em francês) e tem 21 dias para apresentar o recurso. Os atletas do país que passarem por testes antidoping poderão competir sob bandeira neutra.

– Por muito tempo o doping russo prejudicou o esporte limpo. A violação flagrante pelas autoridades russas das condições de restabelecimento da Rusada (Agência Antidoping da Rússia), aprovadas pelo Comitê Executivo em setembro de 2018, exigiu uma resposta robusta. É exatamente isso que foi entregue hoje. A Rússia teve a oportunidade de colocar sua casa em ordem e voltar a se juntar à comunidade internacional antidoping para o bem de seus atletas e a integridade do esporte, mas optou por continuar na sua posição de fraude e negação. Como resultado, o Comitê Executivo da Wada respondeu nos termos mais fortes possíveis, protegendo o direito dos atletas russos, que podem provar que eles não estavam envolvidos e não se beneficiaram desses atos fraudulentos – afirmou em nota Craig Reedie, presidente da Wada.

O anúncio foi feito por um porta-voz da agência depois de uma reunião do comitê executivo nesta segunda-feira, em Lausanne, em que a votação unânime decidiu pela suspensão dos russos.

– A lista completa de recomendações (de sanções por parte do Comitê de Revisão de Conformidade, CRC) foi aprovada por unanimidade pelos 12 membros do comitê executivo – disse o porta-voz.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) chegou a excluir a Rússia dos Jogos Olímpicos do Rio 2016 e de Inverno de Pyeongchang 2018, mas deixou nas mãos das federações nacionais a decisão de executar a suspensão. O COI ainda não se pronunciou sobre a decisão da Wada desta segunda-feira, mas já indicou que deve seguir o estipulado pela entidade.

Os russos já competiram como atletas neutros no Mundial de atletismo deste ano e conquistaram dois títulos, com Mariya Lasitskene (salto em altura) e Anzhelika Sidorova (salto com vara). No Mundial de natação foram mais foram mais três ouros de atletas russos: Yuliya Yefimova (200m peito), Anton Chupkov (200m peito) e Evgeny Ryov (200m costas). A Rússia ainda conquistou três títulos no Mundial de ginástica artística, com a equipe masculina e dois com Nikita Nagornyy (individual geral e salto).

Todos esses atletas agora precisam provar que estão limpos e foram submetidos a testes rigorosos antidopagem para serem elegíveis a competir como atletas neutros na Olimpíada. Caso o COI siga o posicionamento que teve nos Jogos de Inverno de PyeongChang, equipes russas de esportes coletivos devem passar pelo mesmo processo.

Apesar de forte, a punição estipulada pela Wada nesta segunda-feira ainda abriu uma brecha para a participação dos atletas russos sob bandeira neutra, contrariando o pedido da Comissão de Atletas da entidade. No domingo, véspera da reunião decisiva, nove dos 17 membros dessa comissão divulgaram uma nota em que pediam o banimento total da Rússia, sem a prerrogativa de os russos competirem como neutros.

A suspensão também é estendida a membros do Governo da Rússia e dirigentes esportivos do país em todas as modalidades. Eles não podem ser credenciados para nenhuma grande competição internacional.

Globo Esporte

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Alunos de escolas privadas são destaque na Olimpíada de Matemática do Estado do RN

Fotos: Divulgação

Mais uma vez os colégios CEI Mirassol e o CEI Zona Sul foram destaque em olimpíadas científicas. No geral onze alunos das instituições foram premiados durante a cerimônia do resultado final da Olimpíada de Matemática do Estado do RN (OMRN), realizada na UFRN (anfiteatro B do CCET), em que foi ressaltada a importância da competição e o reconhecimento às escolas e professores que ensinam a disciplina de Matemática com empenho e dedicação.

A estudante Sara Torquato Reyes, aluna do colégio CEI Mirassol, recebeu medalha de ouro e afirma que o seu destaque como medalhista é resultado de uma intensa preparação a que se submeteu para participar da olimpíada. “Foram aulas extras ocorridas no CEI, além do incentivo da escola e do auxílio dos professores, tirando dúvidas e estimulando a buscar o meu melhor”, explicou.

Para a professora Jéssica Damasceno, responsável pela disciplina de matemática, é gratificante ver os alunos atingindo os seus objetivos e avançando no conhecimento. “Sabemos que ter disciplina, concentração, rotina de estudos não é fácil, mas a dedicação é essencial para o sucesso. Sara é um grande exemplo disso”, afirma Jéssica.

A Competição de Matemática do Estado do Rio Grande do Norte é uma disputa entre os jovens, de caráter intelectual, um torneio onde as armas dos participantes são a inteligência, a criatividade, a imaginação e a disciplina mental. Durante a Olimpíada, os estudantes são divididos, conforme o ano que cursam na sua escola, em três níveis. Em cada nível, a competição consiste em duas ou mais provas, pelas quais o aluno demonstra a sua capacidade na resolução de problemas. Os alunos olímpicos premiados em seus respectivos níveis foram:

– Nível I – Ensino Fundamental – 6ª e 7ª séries;

Livia de Albuquerque Bezerra (CEI ZONA SUL), Bruna Karina Santos Candido (CEI MIRASSOL) e Carmem Graciana Guedes Graciano (CEI ZONA SUL)

– Nível II – Ensino Fundamental – 8ª e 9ª séries;

Sara Torquato Reyes (CEI MIRASSOL), Nícolas Cavalcanti de Araújo Lima (CEI MIRASSOL), Renato Lörli (CEI MIRASSOL), Danilo Guedes de Andrade Ricarte (CEI MIRASSOL) e Pedro Oliveros Santarem (CEI MIRASSOL).

– Nível III – Ensino Médio;

Miguel Inácio Silva Gomes (CEI MIRASSOL), Luciano Rodrigues da Silva Filho (CEI MIRASSOL) e Lucas Muller Régis de Oliveira (CEI ZONA SUL).

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

FOTO: Delegação da China fica presa em tiroteio no Complexo da Maré

china

Foto: Reprodução

A delegação de basquete masculino da China ficou presa em meio a um tiroteio próximo ao Complexo da Maré, na zona norte do Rio, nesta quarta-feira. Segundo informações do canal SporTV, o ônibus que levava os atletas, a comissão técnica da seleção do país e jornalistas chineses havia acabado de sair do Aeroporto Internacional do Galeão quando passou pela troca de tiros que aconteceu entre as Linhas Vermelha e Amarela.

Os jogadores chineses divulgaram a situação tensa nas redes sociais. Eles postaram fotos de vendedores ambulantes deitados no chão, para se protegerem dos tiros. Não há registro de feridos.

A Polícia Militar e a Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos do Ministério da Justiça informaram que ainda apuram o ocorrido.

Estadão

Opinião dos leitores

  1. Dizem que nossa principal penitenciária foi inaugurada inconclusa. e nem cadeado tinha nas celas.

  2. Não desejo mal a ninguém de bem. Mas, torço pelo fracasso dessas olimpíadas. O país quebrado, milhões de desempregados, a criminalidade tomando conta de tudo, saúde pública em estágio terminal…aí resolvem gastar bilhões com jogos num país sem estrutura., sem vergonha! O povo brasileiro devia ter vergonha disso.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comportamento

POLÊMICA: “Assalto” a Gisele Bundchen é excluído da abertura das Olimpíadas

gisele

Foto: Reprodução/Elle

Depois de causar polêmica, a cena de um suposto assalto a Gisele Bündchen para a cerimônia de abertura da Olimpíada, que acontece na próxima sexta-feira (5), no Maracanã, será revista, segundo o Comitê Rio-2016.

Segundo o UOL, empresa do Grupo Folha, que edita a Folha de S.Paulo, no ensaio realizado no último domingo (31), havia um momento em que a modelo era abordada por um garoto, levando policiais a pensarem que ela estava sendo assaltada.
De acordo com o comitê, porém, como o treino era aberto a convidados, a organização da cerimônia colocou algumas “pegadinhas” no meio, para serem testadas, que podem continuar ou sair do dia oficial.

Nesse caso, a cena deve sair, pela repercussão negativa que causou.

Gisele entra no palco desfilando ao som de “Garota de Ipanema”. A certa altura, é abordada por um rapaz com roupas simples. Ao se aproximar da modelo, ele é perseguido por policiais. Gisele o protege e esclarece a situação.

A festa de abertura é tratada como segredo pelos organizadores. Os voluntários participantes são obrigados a assinarem um termo de confidencialidade, se comprometendo a não contar o que viram durante os ensaios.

A cerimônia no Rio acontece na sexta-feira (5), às 20h, no Maracanã.

FolhaPress

Opinião dos leitores

  1. Eu só gostaria de saber a autoria de tamanha idéia (bst), durante abertura de uma cerimônia mundial,com transmissão para todo planeta???

  2. Inversão de valores e desmoralização das instituições. Os gringos vão ficar sem entender, melhor tirar o

  3. Pelo jeito essa abertura de olim-PIADA, vai ser tão vergonhosa quanto a abertura da copa do mundo

  4. Essa MERCENARIA só vem ao BRASILIXO para buscar $$$$ dos idiotas ,não faz uma campanha voluntária ,não faz uma doação ….MERCENARIA

  5. Isso e bem a cara da politica publica do Brasilixo, inversão de valores, vai transformar a policia em bandido é?

  6. Mais uma "brilhante idéia" dos organizadores do evento.
    Impressionante a pobreza cultural dessa gente…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Segurança é preso em flagrante por estupro dentro do velódromo do Parque Olímpico

velodromo

Foto: Wilton Junior/Estadão

O segurança Genival Ferreira Mendes foi preso em flagrante na madrugada deste domingo no Parque Olímpico do Rio de Janeiro, acusado de estuprar uma bombeira civil no velódromo, onde ocorrerão as competições de ciclismo dos Jogos Olímpicos de 2016. De acordo com a Polícia Civil, ele foi detido por agentes da Força Nacional de Segurança (FNS) e levado para a 16ª Delegacia de Polícia, na Barra da Tijuca, zona oeste da cidade.

O acusado trabalha para a empresa Gocil, contratada pelo Comitê Rio-2016 para prestar serviços de segurança, controle de acesso, prevenção de sinistros, atendimento de primeiros socorros e vigilância em várias instalações olímpicas. De acordo com a polícia, a vítima estava dormindo e não tinha condições de resistir ao ataque de Mendes, que tentou passar a mão por baixo de seu uniforme.

A pena para o crime de estupro de vulnerável – que se refere a menores de 14 anos ou a pessoas incapazes de oferecer resistência – é de reclusão de oito a 15 anos.

O Comitê Rio-2016 informou que “repudia veementemente qualquer tipo de violência e desrespeito”. Responsável pela organização dos Jogos, o comitê diz que o caso foi registrado em delegacia para que sejam aplicadas as devidas penas previstas na lei brasileira caso o crime fique comprovado. Segundo o órgão, “todos os funcionários terceirizados são orientados a seguir o código de conduta da Rio-2016”.

Estadão

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

OLIMPÍADA: Prisão no Brasil de suspeitos de planejar atentado repercute pelo mundo

A prisão de um grupo suspeito de planejar um ataque terrorista durante a Olimpíada do Rio, que começa no próximo dia 5, repercutiu pelo mundo.

O canal CNN, por exemplo, informou com grande destaque na primeira página de seu site que o plano havia sido “frustrado”.

No início da manhã, o canal destacava em seu site a rejeição do recurso da Rússia por parte do CAS (Corte Arbitral do Esporte) em relação ao caso de doping.

Porém, logo depois que a prisão dos dez brasileiros suspeitos de planejar o ataque durante a Olimpíada foi informada pela mídia brasileira, a CNN mudou a sua manchete.

Na Inglaterra, o jornal “The Guardian” deu menos espaço ao assunto, mas também apresentou a notícia na principal página de seu site, dizendo que a “polícia brasileira prendeu um grupo ligado ao Estado Islâmico”.

O canal BBC, também da Inglaterra, deu destaque similar ao “The Guardian”.

Um dos principais jornais da Espanha, o “El País”, usou a notícia como manchete de seu site com a informação de que “o Brasil deteve várias pessoas que planejavam atentar contra os Jogos do Rio”.

Na Argentina, a notícia também repercutiu. O “Clarín”, um dos principais jornais do país, colocou a notícia entre os destaques do dia.

Folha Press

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

PF prende grupo que preparava atos de terror na Olimpíada

alexandre_de_moraes_1Eduardo Valente | Frame/Agência O Globo

A Polícia Federal realizou a primeira prisão com base na lei antiterror. Foi preso um grupo que já estava em atos preparatórios para ações terroristas durante a Olimpíada.

As prisões foram feitas em São Paulo e Paraná. O grupo foi recrutado pelo Estado Islâmico pela internet. Entre os presos, um menor de idade.

O ministro Alexandre de Moraes vai detalhar o ocorrido ainda hoje numa entrevista.

Lauro Jardim, O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

RIO 2016: Saiba como comprar os ingressos para as Olimpíadas nesta terça (20)

projetorio2016_62Quem quiser ingressos para ver provável a final olímpica dos 100m com Usain Bolt terá de ser mais decidido, mais organizado e mais veloz na hora de efetuar a compra dos bilhetes nesta terça-feira, a partir das 10h.O Comitê Rio-2016 põe à venda 2 milhões de ingressos, sem sorteio. Quem quiser garantir assentos nos Jogos sairá na frente se souber de antemão o que deseja ao acessar www.rio2016.com/ingressos. Não há tempo a desperdiçar.

“Para comprar o ingresso (nesta terça-feira), tem de ser um pouco atleta, sendo veloz. Nós brincamos que essa é uma grande maratona, iniciada lá atrás, quando o comprador pesquisava no site, se interessava e escolhia os esportes. Agora, podemos dizer que essa etapa é uma corrida de 100m”, comparou Donovan Ferreti, diretor de Ingressos do Comitê Rio-2016.

De acordo com o Comitê Organizador Rio-2016, serão comercializados dois milhões de ingressos de 518 sessões — isto é, uma rodada de jogos de basquete ou várias provas de atletismo equivalem a uma sessão. Os preços são acessíveis, já que 31% dos bilhetes custam menos de R$ 70 e 51%, menos de R$ 100. Para não perder tempo na hora desse leilão virtual, vale acessar bem cedo o guia online, para se informar (clique aqui). O site começará o processo de venda pontualmente às 10h.

Opinião dos leitores

  1. Penso que não existe crise econômica, pois o país está prestes a dar mais uma mega festa num período de quatro anos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *