Política

Assessoria do senador Paulo Davim emite nota de esclarecimento sobre nome em "lista negra" de parlamentares

O senador Paulo Davim (PV-RN) não é réu na Ação Civil Pública que tramita em Parnamirim. Ele, tão somente, figura apenas como litisconsorte passivo, juntamente com aproximadamente 200 contratados, entre médicos e outros profissionais de saúde – por um contrato firmado com a Prefeitura daquela cidade.

No ano 2000 – quando o senador sequer ocupava cargo político – a Prefeitura de Parnamirim abriu uma seleção para contratar médicos especialistas para que trabalhassem nos postos de saúde. Davim, juntamente com os demais profissionais foi selecionado e contratado para prestar serviços à comunidade, enquanto médico cardiologista. Em 2002, o Ministério Público de Parnamirim questionou a Prefeitura sobre essas contratações, alegando que deveria haver concurso público. Sendo assim, o contrato foi encerrado, e o atual senador Paulo Davim, assim como os demais profissionais contratados, seguiram sua vida.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Paulo Davim defende um pacto em favor do RN

O senador suplente Paulo Davim, presidente estadual do Partido Verde, defende que antes de discutir nomes para disputas eleitorais no próximo ano, o Rio Grande do Norte deveria se dedicar à tarefa de construção de um pacto de governabilidade. Não se trata de acordo, faz questão de ressaltar o suplent
e que está no exercício do posto de senador desde que Garibaldi Filho assumiu o Ministério da Previdência.

Na visão de Davim, o pacto deveria reunir o Poder Executivo e os demais Poderes do Estado, as corporações e sindicatos e ter também a participação das principais lideranças políticas.

A proposta do pacto foi defendida por Paulo Davim em entrevista ao Jornal da 96, da 96 FM, na manhã desta segunda-feira (9). Como não tem sido chamado para nenhuma conversa acerca de acordos e alianças políticas e eleitorais, Davim se sentiu livre para dizer o que muita gente pensa: antes das eleições, os políticos do Estado deveriam se preocupar com o futuro do Rio Grande do Norte.

Ele disse que o Estado nunca antes viveu uma crise administrativa, política, institucional e de confiança como essa que experimenta agora.

Opinião dos leitores

  1. PD deveria fazer um pacto para não nomear médica amiga ganhando R$ 8.000,00 para lhe assessorar em assuntos de saúde. Só tem menino besta nesse Congresso.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Cadastro nacional de desaparecidos poderá incluir adulto

Parente de pessoa adulta desaparecida poderá contar com mais um auxilio para localizar o paradeiro do seu familiar. Projeto de lei com esse objetivo já conta com parecer favorável do relator, senador Paulo Davim (PV-RN), e está pronto para ser votado na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH).

A proposta (PLS 667/2011) pretende ampliar as ferramentas que o Ministério da Justiça usa para solucionar casos de desaparecimento de pessoas no país. Atualmente, o Cadastro Nacional de Crianças e Adolescentes Desaparecidos contribuiu para a localização de 700 jovens, segundo informa o autor do projeto, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB).

Vital do Rêgo propõe que seja instituído o Cadastro Nacional de Pessoas Desaparecidas. Ele observa que o desaparecimento de pessoas adultas continua sendo um grave problema da sociedade, afligindo diversas famílias. Para ele, um cadastro nacional que inclua tanto jovens e adultos, organiza o sistema de busca nos estados e agiliza o acesso as informações em regiões que ainda não contam com a ferramenta.

O relator acrescenta que a falta de estatísticas produzidas de maneira centralizada impede que se conheçam as causas que levaram as pessoas a se afastarem de seus lares ou de terem sido induzidas ou forçadas a isso e dificulta o dimensionamento do problema.

Ao apoiar a matéria, Paulo Davim enfatiza que o Estado deve enfrentar o problema do desaparecimento de pessoas adultas a partir de dados nacionalizados para facilitar a busca e o registro, ampliando as chances de solucionar os casos.

Fonte: Agência Senado

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Paulo Davim é o único potiguar titular na CPMI do Cachoeira

A lista completa de todos os integrantes da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para investigar o envolvimento do bicheiro Carlinhos Cachoeira com políticos brasileiros foi divulgada oficialmente na noite de ontem, mas um detalhe interessante é que o senador Paulo Davim (PV) é o único parlamentar potiguar entre os titulares da CPMI.

Outro potiguar que figura dentro da Comissão é o deputado federal Rogério Marinho (PSDB). Ele foi indicado pelo partido para ocupar uma das cadeiras de suplentes.

A comissão já foi instalada e já começou os trabalhos. Hoje foi escolhida a Presidência. Como estava previsto, o corregedor do Senado, Vital do Rêgo (PMDB-PB), assumiu a função. Na próxima quarta-feira (02/05) às 14h30, a CPMI volta a se reunir para definir o Plano de Trabalho.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Denúncia

Paulo Davim nega a existência de funcionários fantasmas no seu gabinete

Senador na vaga aberta devido à nomeação de Garibaldi Filho (PMDB) para o Ministério da Previdência, Paulo Davim (PV) explicou que as contratações “são absolutamente pertinentes e necessárias”.

Para a contratação da médica por seu gabinete, Davim explica que “80% dos seus pronunciamentos no Senado Federal, além de proposições de projetos de Lei, versam sobre a temática da saúde”, o que faz necessária a consultoria da médica. Sobre a permanência do advogado, ele explicou que o profissional presta assessoria na parte legal das proposições parlamentares.

“Todas nossas medidas estão abrigadas pela Lei. A Constituição diz que o profissional médico pode trabalhar até 60 horas em até dois vínculos públicos. Carla Karini é uma profissional autônoma, não tem vínculo público e, portanto obedece a todos os pré-requisitos legais para o assessoramento parlamentar, pela total disponibilidade e competência”, disse Davim.

Sobre a contratação do advogado, Davim também disse que está amparado pela lei. Segundo o senador, o advogado João Henrique Oliveira Sales, lotado no escritório em Natal, faz MBA em Finanças e Administração Pública na Paraíba, mas apenas dois dias por semana.

“A iniciativa de aperfeiçoamento técnico em sua área de atuação também é uma prática absolutamente amparada pela Lei, que permite ao servidor a busca por esse tipo de aprimoramento”.

Fonte: Tribuna do Norte

Do blog: Excelente as explicações do senador Paulo Davim, mas cá pra nós, ele não precisava ter exposto a gente boa Carla Karini a uma situação dessas. Para bom entendedor, meia palavra basta.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Denúncia

Reportagem denuncia funcionários fantasmas nos gabinetes de Agripino e Paulo Davim

Uma matéria publicada no jornal “O Globo” sobre funcionários fantasmas em gabinetes de políticos traz denúncias contra os senadores José Agripino (DEM) e Paulo Davim (PV). Segundo a notícia, o presidente do Democratas emprega em seu gabinete a estudante de medicina Gleika de Araújo Maia com um salário de R$ 4 mil, mas a mulher não trabalha no local, pois realiza um estágio na Espanha desde agosto de 2011.

Gleika Maia é sobrinha do deputado João Maia (PR) e do ex-diretor-geral do Senado Agaciel Maia, demitido por manter escondidos os atos de nomeações e benefícios de pessoas protegidas pelos senadores. O jornal afirma que depois de ser procurado pela reportagem, Agripino demitiu a funcionária

Ainda de acordo com a informações apuradas pelo “O Globo”, o senador Paulo Davim   paga R$ 8,1 mil para a cardiologista Carla Karini de Andrade Costa, sua sócia em uma clínica aqui no Estado. Segundo dados do Ministério da Saúde, ela cumpre 50 horas semanais de trabalho no exercício da Medicina. A assessoria de Davim sustenta que 80% dos pronunciamentos do senador na tribuna do plenário versam sobre saúde. E ela seria a consultora técnica.

Fonte: O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

CEI vai investigar contrato do imóvel da esposa do Senador Paulo Davim

A Comissão Especial de Inquérito (CEI) que investiga os contratos firmados pela Prefeitura do Natal incluirá nas investigações o aluguel feito pela secretaria municipal de Trabalho e Ação Social (Semtas) de um imóvel que tem como uma das sócias a médica Sânzia Davim, esposa do senador Paulo Davim (PV).

A presidente da CEI, vereadora Júlia Arruda (PSB), disse que foi feito o pedido para a inclusão do imóvel na investigação e a Comissão acatou. “Serão solicitados da Prefeitura a cópia do contrato, inclusive porque o publicado agora foi apenas o aditivo, mas a locação foi firmada desde 2009”, destacou. Relator da CEI, o vereador Júlio Protásio (PSB) afirmou que a inclusão do imóvel de Sânzia Davim seguirá a mesma investigação já feita nos demais prédios locados pelo Executivo.

Hoje haverá uma reunião extraordinária da CEI dos Contratos. Os vereadores farão uma avaliação sobre as diligências solicitadas e os documentos já recebidos. No total, a CEI analisou 161 contratos. Além dos documentos e cópias, a Comissão faz o comparativo também sobre o valor pago pelo Executivo e o custo do imóvel em parecer emitido pelo Conselho Regional dos Corretores de Imóveis (Creci).

Júlia Arruda confirmou que a CEI ainda fará na próxima sexta-feira dez visitas a imóveis alugados pela Prefeitura. Com isso, será encerrada a etapa de vistoria nos imóveis.

Informações Tribuna do Norte

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Paulo Davim admite que o imóvel locado a Prefeitura é da sua esposa

A Tribuna do Norte fez um resumo de toda a celeuma referente à locação do imóvel da esposa do Senador Paulo Davim, para a Prefeitura, o próprio Senador admitiu que a PMN locou de sua esposa um imóvel onde funcionou a clinica de propriedade dela. Segue reportagem:

O senador Paulo Davim (PV) creditou a uma “falha” na publicação do Diário Oficial do Município (DOM) o fato de aparecer o endereço do imóvel no qual ele morou no termo de dispensa de licitação de um contrato de aluguel da Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social (Semtas). O endereço que consta no documento publicado no DOM é de um imóvel na rua São José, em Lagoa Nova, local onde até pouco tempo ele residia com sua família. O extrato do primeiro contrato de locação, em setembro de 2009, foi assinado pela então secretária da Semtas, Rosy de Sousa, e pela esposa do senador, a médica Sânzia Davim. A denúncia, primeiramente veiculada por um blog da capital, mostrava também que o aluguel foi reajustado por duas ocasiões, sendo a última delas sábado passado (24), quando passou a custar R$ 4.479,43, um aumento de 7,3% do valor inicialmente firmado.

O senador argumentou, por meio da assessoria de imprensa, que o contrato publicado no DOM diz respeito ao aluguel de um imóvel na avenida Tenente Brandão, em Tirol, cuja propriedade pertence a Sânzia Davim e sócios. Lá funcionava a clínica “Natalis”, que acabou fechando as portas e sendo posteriormente locada à Prefeitura de Natal por intermédio da Procuradoria de Imóveis.

Imóveis
(mais…)

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

O Diário Oficial do Município deveria fechar para balanço

No dia em que se denunciou mais um suposto escândalo nos contratos de locação de imóvel da Prefeitura do Natal, dessa vez envolvendo o senador Paulo Davim, as explicações ainda não esclareceram uma pergunta: por que o mesmo erro foi repetido três vezes?

Vamos rememorar o caso.

A jornalista Kallyna Kelly utilizou seu blog para noticiar um terceiro termo aditivo celebrado entre a Prefeitura do Natal e a esposa de Davim, Sanzia Freire. O contrato se refere, diz o Diário Oficial do Município, à locação de imóvel localizado em condomínio da Zona Leste.

O senador esclareceu que houve um equívoco na publicação do endereço do imóvel, que seria na verdade outro, em nome de Sanzia, e no qual funciona programa ligado à Semthas.

(mais…)

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Em nota, Paulo Davim nega aluguel de apartamento

O senador Paulo Davim, através de sua assessoria de imprensa, emitiu resposta à matéria veiculada no blog de Kallyna Kelly dando conta de que a esposa do congressista, Sanzia Freire, seria beneficiada por imóvel locado à Prefeitura do Natal.

Segue a nota.

A Assessoria do Senador Paulo Davim pede DIREITO DE RESPOSTA com relação à matéria “Prefeita Micarla de Sousa paga suposto aluguel fantasma em imóvel de luxo beneficiando esposa do Senador Paulo Davim (PV)” publicada no seu blog. Solicitamos que você divulgue, imediatamente, esse fato incontestável. Já foi encaminhado comentário no próprio blog e, como você não veiculou, solicitamos agora pelo e-mail de contato existente do seu sítio virtual.

DIREITO DE RESPOSTA ASSESSORIA DO SENADOR PAULO DAVIM
O referido apartamento citado na sua matéria, situado no Edifício Dão Silveira, em Lagoa Seca, nunca foi alugado à Prefeitura de Natal, uma vez que era a residência da família Davim e sequer os pertence mais, uma vez que foi vendido.

(mais…)

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Aluguel de imóvel da Prefeitura à mulher de Paulo Davim não está bem explicado

A jornalista Kallyna Kelly levantou a bola e as suspeitas.

A Prefeitura do Natal locou imóvel à mulher do senador Paulo Davim, Sanzia Freire. Mais precisamente o apartamento 601, bloco B, do número  1233 da Rua São João, em Lagoa Seca.

A jornalista relata uma denúncia grave: nunca funcionou qualquer programa da Semthas, ao qual foi locado o apartamento, que fica em condomínio fechado de classe média.

O apartamento foi alugado inicialmente, conforme extratos do Diário Oficial do Município, em 25 de setembro de 2009, por R$ 4 mil mensais. O contrato sofreu posteriores alterações de valor, tendo sido reajustado em 15 de janeiro deste mês  (R$ 4.171,00 mensais) e no sábado passado, quando o terceiro termo aditivo elevou para R$ 4.479,00 o valor de locação do imóvel.

Chama atenção o fato de o porteiro do prédio ter afirmado nunca que o imóvel foi vendido há três meses e que “isso [a locação do imóvel para abrigar órgão público] nunca poderia ter acontecido”.

Uma busca no protocolo da Prefeitura do Natal revelou que o apartamento em questão é objeto de processo de natureza de transferência de propriedade (processo nº 071427/2010-84). A informação vai ao encontro do que informou o porteiro do prédio, de que o imóvel teria sido vendido.

Se foi vendido, como e por que a beneficiária, de acordo com extrato do DOM, é a mulher do senador Paulo Davim, Sanzia Freire?

Ao Nominuto.com, o senador fala em equívoco na publicação do DOM.

Demasiado estranho. Uma vez que todos os extratos do DOM trazem exatamente o endereço situado à Rua São João.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *