Potigás realiza neste sábado a realocação de trecho de 272 metros de tubulação – atualmente sob a Avenida Tomaz Landim

NOTA À IMPRENSA

Tendo em vista a necessidade de adequação da rede de gasodutos no Gancho de Igapó, para realização de obra por parte do Departamento de Infraestrutura de Transportes (Dnit), a Companhia Potiguar de Gás irá realizar, no próximo sábado, 12, a realocação de um trecho de 272 metros de tubulação de gás que atualmente está sob a Avenida Tomaz Landim. A tubulação será colocada em uma área onde posteriormente será liberada como uma via.

Para realização da obra, haverá interrupção do fornecimento de gás na região e somente cinco clientes serão afetados, no horário das 8h às 20h. A Companhia Potiguar de Gás adota todos os procedimentos de segurança em suas operações e trabalha para minimizar o impacto do serviço na comunidade.

Potigás divulga resultado do edital de seleção de projetos

Depois de passar por habilitação técnica, jurídica, fiscal e trabalhista, sete projetos entre 51 inscritos no Edital de Seleção Pública de Projetos de Responsabilidade Social, Cultural e Esportiva nº 001/2019 da Companhia Potiguar de Gás foram selecionados: 25º Corrida Soldados do Fogo, Criança Ativa, Festival Internacional de Cinema Infantil, Ginástica Rítmica Potiguar, Meia Maratona do Sol, Mês Cidadão Câmara Cascudo e Sal, Menino Mar vai à escola.

O resultado do edital está disponível no endereço: www.potigas.com.br/responsabilidade, juntamente com a lista dos projetos não habilitados porque não atenderam ao disposto no instrumento convocatório. Foram escolhidos projetos nas áreas de Saúde, Educação e Cultura e Esporte. Os projetos foram selecionados pela qualidade técnica, atendimento aos interesses da comunidade, viabilidade financeira, condições de sustentabilidade, além da potencialidade de consolidação da imagem da Potigás.

“Através do edital de seleção de projetos, abrimos um processo democrático e transparente em que a Potigás reafirma o compromisso institucional com a responsabilidade social, a cultura regional e o desenvolvimento do Estado do Rio Grande do Norte”, afirma Larissa Dantas Gentile, diretora presidente da Potigás.

Após a divulgação do resultado, realizada nesta quinta-feira, 13/06, os interessados têm cinco dias úteis para a interposição de recursos através do email [email protected] e na sede da Potigás. Após essa etapa, será divulgado o resultado final e os selecionados serão convocados para assinatura do contrato.

Potigás ultrapassa marca de 24 mil clientes

A Companhia Potiguar de Gás ligou mais de mil clientes nos primeiros cem dias de 2019, o que representa um aumento de 5% no total de clientes. Com as novas ligações à rede de gasodutos da distribuidora, a Potigás agora conta com 24.386 usuários do gás natural canalizado, combustível mais barato, prático, seguro e sustentável.

O aumento no número de clientes impactou também no volume do gás comercializado para os segmentos comercial e residencial, que cresceu 9,12% no primeiro trimestre de 2019, em comparação ao mesmo período do ano anterior. No total, a Companhia distribui 313 mil metros cúbicos diários de gás natural canalizado para os quatro segmentos de atuação: comercial, residencial, industrial e veicular.

Os primeiros meses de 2019 foram de muitas obras de infraestrutura através da construção de gasodutos, movimentando a economia norte-rio-grandense, gerando emprego e renda para o povo potiguar. Foram implantados quase 3 mil metros de gasodutos nesse período. Só em Mossoró foram executados 2,5 mil metros, beneficiando os bairros de Nova Betânia e Alto de São Manoel.

Em 2019, a Potigás projeta a maior expansão de rede dos seus 25 anos de história através da implantação de quase 21 mil metros de gasodutos para beneficiar ainda mais os potiguares com um combustível econômico, moderno e sustentável. “Com esse crescimento, a Potigás cumpre sua função social de fomentar o desenvolvimento econômico do Rio Grande do Norte através do investimento em infraestrutura para instalação de empresas que movimentam a economia potiguar”, afirma Larissa Dantas Gentile, diretora presidente da Potigás.

Acesse: www.potigas.com.br ou ligue 3204-8500

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Naldin disse:

    Segundo a própria diretora a empresa dá lucro, a legislação atual não permite ao Governo, maior acionista a ter retorno financeiro, poderia se mudar a legislação para permitir algum tipo de retorno, no entanto, irão dar preferência a privatização em um futuro próximo, basta apenas os maiores investimentos serem concluídos.

Potigás comemora 25 anos de criação

A Companhia Potiguar de Gás (Potigás) foi criada em 26 de novembro de 1993, por meio da Lei 6.502, para promover a distribuição de gás natural canalizado no estado do Rio Grande do Norte. Trata-se de uma empresa de economia mista cujos sócios são o Governo do Estado e a Gaspetro. Passados 25 anos, a empresa atende em torno de 23 mil clientes nos segmentos residencial, comercial, industrial e automotivo, com uma rede 416 mil metros de gasodutos.

O volume de gás natural canalizado comercializado chega a 318 mil m³/dia levando economia, praticidade, segurança e sustentabilidade aos consumidores de todas as regiões de Natal e pelas principais ruas e avenidas dos municípios de Mossoró, Parnamirim, Macaíba, São Gonçalo do Amarante, Extremoz e Goianinha.

Para o presidente da Potigás, Beto Santos, os 25 anos da Potigás podem ser comemorados como um marco no desenvolvimento dos negócios e na indução da geração de emprego e renda no estado. “A Potigás é instrumento fundamental para promover o desenvolvimento econômico sustentável do Rio Grande do Norte com a distribuição de um combustível que garante a competitividade, melhor logística e economia aos consumidores”, enfatiza.

A versatilidade do gás natural canalizado permite sua utilização nos mais variados equipamentos e locais. No condomínio, pode ser usado desde por fogões na cozinha, aquecedores de água no banheiro dos apartamentos, até as churrasqueiras e piscinas da área de lazer. Na área comercial, o gás natural canalizado abastece academias, bares, cafeterias, clínicas, churrascarias, escolas, hospitais, hotéis, laboratórios, lanchonetes, lavanderias, padarias, pizzarias, restaurantes, shoppings, supermercados e outros, além da aplicação no setor industrial e no abastecimento de frotas convertidas ao Gás Natural Veicular.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Francisco ferreira de souza disse:

    Tem q baratear o gnv ta um absurdo ja bem mais caro do q o etanol e quase do preço da gasolina

    • Mozart Nobre Barreto disse:

      Quem define o preço do GN é a agência reguladora, a Potigás é responsável pela distribuição do GN no RN.

Secretário sugere venda da Potigás e concessão do Centro de Convenções para desafogar caixa do RN

O secretário Extraordinário para Gestão de Projetos e Metas de Governo, Vagner Araújo, defendeu, em entrevista à Tribuna do Norte, a venda de ativos do Estado como saída, a médio prazo, para a crise financeira enfrentada pelo Rio Grande do Norte.

Ao matutino, Araújo listou quais equipamentos poderiam ser incluídos na lista de ativos: o Centro de Convenções, em modelo de exploração por concessão, e ativos da Potigás.

As informações sobre a estatal de gás incluíram a divulgação de negociação entre o Estado e a Gaspetro, subsidiária da Petrobas. “O Estado tem essa opção porque [a Potigás] é uma empresa que hoje não está com função social”, defendeu Vagner Araújo.

A curto prazo, Vagner, que também é titular do Trabalho, Habitação e Assistência Social (Sethas), explicou que a única saída são os aportes de recursos por duas vias: liberação do governo federal e contratação de empréstimos.

Segundo explicou, há a sinalização imediata por parte do governo Temer da liberação de R$ 500 milhões. Além disso, há duas operações de crédito autorizadas pela Assembleia Legislativa, de R$ 698 milhões junto à Caixa Econômica, e de R$ 850 milhões junto ao Banco do Brasil. Os empréstimos dependem apenas de aval do Tesouro Nacional.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Magno disse:

    Isso é errado, é medida paliativa não resolve. E quando o dinheiro acabar vai fazer o quê? Rasparam o dinheiro dos veinhos pra pagar folha e não resolveu. O que resolve amigos é tornar o Estado menor dentro do orçamento, não pode gastar mais do que arrecada, agora pra fazer essas contas fecharem , é muito fácil, vai na UFRN e SEBRAE que lá tem gente capacitado pra fazer, mais pra isso tem que ter CORAGEM e deixar a politicagem de lado, pensando apenas no Rio Grande do Norte. Aí da certo.

  2. Ana disse:

    Deixa o povo saber kg.

  3. Jacio Maranhão disse:

    Vamos governador de uma solução falta três folhas o prefeito já pagou novembro dia 20 paga o décimo

  4. Joao disse:

    Nao seria melhor reduzir despesa oferecendo ate de graca a UERN? Ali nao gera lucro nem impostos ao Estado.. so é um poço sem fundo que vive de greve e oferta cursos pra alunos dos Estados vizinhos custeado com o nosso ICMS…. A potigas é uma empresa que parece nunca ter dado prejuizo ou despesa ao Estado e ainda arrecada ICMS.. e o centro de convençoes pode dar lucro e atrair turismo de eventos, so deve estar mal administrado se estiver no prejuizo.

    • Dilermando disse:

      Sem falar que todo o custo com a UERN poderia ser investido na educação básica (esta sim, de responsabilidade do Estado). Não tem porque o Estado se meter em ensino superior, que é de competência do Governo Federal.

  5. Fora PT Cramunhão disse:

    Santa Catarina pagou o mês de Novembro no dia 30 de Novembro, vai pagar o décimo terceiro no dia 15 de Dezembro e vai pagar o mês de Dezembro no dia 22 de Dezembro antes de terminar o mês. Santa Catarina vai injetar mais de R$ 2 bilhões de reais na economia em menos de um mês.

  6. Dilermando disse:

    Esse aí mostra total desconhecimento dos ativos do Estado. Caso se desfaça da Potigás, o governador pode dar adeus as poucas indústrias que ainda se mantém no Estado graças ao subsídio do gás incentivado (RN Gás Mais, antigo Progás), além do que o capital do Estado é pequeno devido sua fatia de participação enquanto acionista. O Centro de Convenções também é muito mal aproveitado e poderia gerar um retorno bom se bem administrado. A pergunta é: A QUEM interessa a venda desses ativos???

  7. Paulo disse:

    Desta vez foi prometido para quem a venda ? é igual ao caso da JBS da promessa de compra e venda da Caern ? o Governo do RN querendo reduz muita coisa mais estamos a poucos meses da eleição vai reduzir não ne?

  8. Paulo disse:

    Deveria começar logo reduzindo pela metade os cargos de comissão , os serviços prestados, os convenios que não resolvem nada, e reduzir a verba com publicidade , os celulares,

  9. paulo martins disse:

    O portfólio de nulidades governamentais é bem mais extenso: Parque Aristófanes Fernandes (Festa do Boi), Aeroclube Natal, Estádio Juvenal Lamartine, Hotel Barreira Roxa, Parque das Dunas, Ceasa, Uern, a participação no Arena das Dunas…
    Se é por falta de dinheiro, governador, eu te dou trabalho na feira: se você não quiser tem quem queira.
    Se te dou esse conselho é pra tu sair dessa pasmaceira: se você não quiser tem quem queira.

    • Dono da OAS disse:

      Pode retirar estes bens amigo. Já estão todos em garantia ao consórcio elefante branco Arena da Dunas,inclusive os royaltes do petróleo.

    • País podre disse:

      Dono da OSA, esse foi grande legado da COPA! Ainda teve um bocado de imbecil que vibrou e acreditou nesse legado. Parece que não conhece o país dos corruptos em que vive. E viva o legado da Copa! ????????????????

    • LULADRÃO disse:

      Concordo. Os governos em todas as esferas devem diminuir o máximo que puderem o seu tamanho. A iniciativa privada é mais competente e menos burocrática na administração e solução dos problemas.

  10. José de Arimateia disse:

    O secretário mostra total desconhecimento do que é a Potigás. A empresa exerce sim importante papel social na atração e manutenção de indútrias que geram emprego e renda no Estado, além de fomentar o uso de um combustível de baixa emissão em substituição a combustíveis poluentes como a lenha e óleo combustível. Além disso, o valor da participação societária na companhia, que hoje é de 17%, não chega a valor R$ 20 MIlhões. O que é que o Estado consegue pagar com esse valor? A empresa é superavitária, deu lucro todos os anos e pagou dividendos ao Estado no valor de R$ 6 Milhões no ano passado e investe todos os anos R$ 10 Milhões na expansão de sua rede para atender a novos clientes.

  11. Felipe disse:

    #PrivatizaTudo

    • Pato Amarelo disse:

      Kkkkkk, inclusive segurança, saúde e educação. Em um Estado onde todos são ricos e podem pagar, não há problemas………………….
      Essa forma de pensamento é tudo que os políticos profissionais mais gostam de ver.

Potigás recebe Grupo Elizabeth e confirma gasoduto com criação de distrito industrial

70157G-destaqueUm consumo de 40 mil m3/dia, no primeiro ano (2015), chegando a 80 mil m3/dia em 2016 e 120 mil m3/dia, a partir de 2017. Essa é a previsão de consumo do Grupo Elizabeth para instalação em Baia Formosa, confirmada na manhã desta quinta-feira (27), pelo diretor da empresa paraibana, José Nilson Crispim, participando de reunião com seu consultor, Heraldo Melo, em reunião com os diretores da Potigás, Isaltino Guedes (Presidente), e Taismar Zanini (Técnico e Comercial), na sede da Companhia Potiguar de Gás (Potigás), empresa do Governo do Estado e Petrobras.

Para garantir o fornecimento, o diretor Presidente da Potigás, Isaltino Guedes, informou que o Governo do Estado garantiu a construção do gasoduto de Goianinha a Baia Formosa, através da criação do distrito industrial, por meio do programa RN Sustentável. A previsão do investimento é de R$ 20 milhões.

“Vai ser criado um distrito industrial para viabilizar e proporcionar um novo pólo de desenvolvimento do Rio Grande do Norte. São novas empresas que começaram a investir na região e gerar emprego, renda, divisas para toda cadeia de serviços da localidade. A Secretaria de Desenvolvimento do Estado (SEDEC) será responsável pela condução do assunto”, comentou o presidente da Potigás.

Isaltino Guedes reforça que o Grupo Elizabeth além de chegar a consumir 120 mil m3/dia, no seu estágio de produção final, também está gerando 454 empregos diretos no Estado e sendo decisiva para geração de novas empresas para a região.

Na sexta-feira (21), a Potigás fez apresentação na Casa da Indústria, durante a primeira assembleia de 2014 da Fiern (Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte), com a presença do Grupo Elizabeth. Foi uma oportunidade para tranquilizar o empresariado que o incentivo do Progás vai permanecer, baseado no decreto publicado no dia 18 de janeiro de 2014, no Diário Oficial, concedendo incentivo de R$ 24.910.150,05, entrando em vigor desde o dia 1º de janeiro.

Durante a apresentação, o presidente da Potigás reforçou o compromisso do Governo do Estado com os diretores da Elizabeth. “O atual contrato tem vigor até 30 de março de 2015, mas a governadora Rosalba Ciarlini confirmou que irá ainda este ano fazer um novo decreto renovando o incentivo, então garantimos aos empresários que o Progás continuará com os mesmos benefícios”, afirmou Isaltino.

O consultor do Grupo Elizabeth, Heraldo Melo, destacou a importância do gás natural para o empreendimento. “O gás será principal matéria-prima para nossa produção, com cerca de consumir 120.000 m3 de gás natural, por dia, por isso será primordial o benefício do Progás”, afirmou Melo.

Do Potigás

Galbi Saldanha, "operador" do Caixa 2 do DEM tem força no governo Rosa

Vocês lembram de Galbi Saldanha, o homem presente em todos os vídeos do Suposto Caixa 2 do DEM? Pois bem. O blog do BG mirou no que viu e acertou no que não viu. Passeando pela página da Potigás na internet, o BG descobriu que, além de secretário adjunto do Gabinete Civil, ele também é conselheiro desta importante empresa de economia mista.

Tem ou não tem prestígio, o ‘homi’?

Indicados de Walter Alves voam no Governo

Na política todos sabem que quem apoia um determinado político em uma campanha vencedora para o Poder Executivo tem como “brinde” uma participação no primeiro escalão. Isso vale pra Prefeitura, Governo e Presidência. Em todo canto funciona assim.

Pois bem, nas eleições 2010, o PMDB praticamente todo apoiou a reeleição do então governador Iberê Ferreira de Souza. Praticamente, porque o deputado estadual Walter Alves, também conhecido como Waltinho, optou por seguir o PMDB do pai Garibaldi Alves e apoiar a então senadora Rosalba Ciarlini. Como consequência à campanha vitoriosa, o político conseguiu emplacar nomes para a Secretaria de Estado de Turismo (Sectur) e na Companhia Potiguar de Gás (Potigas).

Mas nesses 15 meses da Rosa a frente do Governo do Estado, nenhuma das indicações conseguiu, de fato, fincar os pés no cargo. Ramzi Elali e Saulo Carvalho deixaram seus cargos respectivamente na Sectur e Potigas e pelo visto não foi por incompetência ou por problemas com a governadora, e sim com o próprio indicador Walter Alves.

Fontes ligadas aos indicados e ao PMDB revelaram que, fora a falta de prestígio, problemas também com o deputado estadual, motivaram suas respectivas saídas. Que tanto Saulo, quanto Ramzi, não conseguiram atender aos anseios do parlamentar. Resumindo? Os dois terminam não durando muito nos cargos.

O blog sabe que Ramzi Elali já estava insatisfeito com a geladeira que vinha tomando do governo, sendo excluído em vários pontos, mas no caso de Saulo Carvalho, que vinha fazendo um grande trabalho? Porque será que ele saiu? Inclusive, temos informações que de grandes amigos, Waltinho e Saulo ultimamente nem se falam mais.

Fato: todo mundo que o peemedebista indica, simplesmente, está voando. Porque será?

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sauloalves disse:

    E NA FUNDAC ? SÃO TRES PRESIDENTES EM UM ano?

  2. Ricardo disse:

    Caos em Emaús, BR-101 desde as 14h o semaforo encontra-se desligado, causando um grande transtorno e congestionamento, mesmo a Policia Rodoviaria tendo sido contactada, até o momento continua transtorno. 

Novo presidente da Potigás buscará aumento na distribuição de gás natural

A governadora Rosalba Ciarlini referendou no final da manhã desta quinta-feira (5), a aprovação do Conselho de Administração da Companhia Potiguar de Gás (Potigás) o novo diretor-presidente da Potigás, Fernando Dinoá. A aconteceu na governadoria com a presença do ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves Filho, o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico, Benito Gama e outros auxiliares do primeiro escalão do Governo.

Com mais de 27 anos de experiência na indústria do petróleo, atuando nos segmentos de upstream e downstream, Fernando Dinoá trabalhou como executivo da Petrobras durante 16 anos (1984-2000) e em outros seis anos (2000-2006) também exerceu a mesma função na Satélite Distribuidora (SAT) onde foi assessor da presidência durante seus dois últimos anos.

Dinoá, que tem em seu currículo o curso de Formação de Executivos (UnP) e pós graduação em Gestão Financeira de Empresas (UnP), afirma que a idéia é “atuar com um modelo de gestão de resultados identificando o que é bom para a sociedade, para o meio ambiente, para os sócios (Governo e Petrobras) e funcionários”. “O nosso grande desafio será conseguir os investimentos necessários para alavancar o aumento na distribuição de gás natural em todos os segmentos”, declarou. “Tudo isso numa ação conjunta e de parceria do Governo com a Petrobras”, completou o diretor-presidente.

Antes de ser nomeado para a presidência da Potigás, exercia a função de sócio-diretor da MB Comércio e Derivados de Petróleo LTDA, da qual se afastou ao assumir o cargo no governo do Estado. “Recebi a missão com um sentimento de gratidão e orgulho por estar assumindo um cargo de tamanha importância”, revelou Dinoá. Em seus anos de trabalho no mercado como executivo, ele acumulou experiência em áreas como apoio logístico, recursos humanos, financeira, comercial, administrativa, contratos, planejamento, novos negócios e empresarial.

O novo diretor-presidente da Potigás participou de cursos importantes ministrados pela Petrobras como Fórum Nacional de Gestão, Gerenciamento de Metas, Planejamento Estratégico e Engenharia Econômica bem como é certificado pela Universidade de São Paulo (USP) no curso de Desenvolvimento Gerencial Avançado em Marketing além de outras especializações pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Ao assumir a Potigás, Fernando Dinoá almeja colocar a Companhia cada vez mais atuante no desenvolvimento e crescimento do Rio Grande do Norte citando como exemplo a obra do Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante, a Arena das Dunas e a expansão da rede de gás para o interior do Rio Grande do Norte nos segmentos residencial, comercial e industrial.

Fora da Potigás, Saulo Carvalho divulga nota oficial e confirma tese de afastamento político

Saulo Carvalho já não responde mais pela diretoria geral da Potigás.

Sua saída foi confirmada em reunião do conselho diretor na manhã de hoje.

O novo diretor, Fernando Dinoá, já assume as atividades a frente da empresa de derivados de petróleo hoje a tarde.

Em nota à imprensa, Saulo reafirma que sua saída da Potigás teve motivos políticos, e não técnicos; tese que circulou semana passada quando a exoneração do advogado começou a ser costurada nos bastidores do governo.

Segundo a nota :“Política não se explica, nem procura se explicar. E esta foi a razão da minha substituição: a política”.

No texto, Carvalho agradece a governadora Rosalba, pela “confiança no acolhimento de minha indicação”, a Carlos Augusto Rosado, marido da chefe do executivo potiguar, pelo “trato respeitoso e direto” e ao ministro Garibaldi Filho, pelo respeito e gratidão reiterados.

Confira nota de Saulo Carvalho

NOTA À IMPRENSA:

A elegância de espírito sempre pautou minha atuação como advogado e gestor público. Trabalhei diretamente com um ex-presidente da República, que me ensinou que os gestos de grandeza cabem a quem está acima, muito embora os mesmos nem sempre aconteçam, como de regra.

Na última semana, fui procurado por vários jornais, rádios, emissoras de televisão e veículos virtuais, todos em busca de uma explicação para o que, à primeira vista, não teria explicação. Política não se explica, nem procura se explicar. E esta foi a razão da minha substituição: a política.

(mais…)

Novo diretor da Potigás, Fernando Dinoá, já dá expediente hoje à tarde

Os funcionários da Potigás já foram avisados: o novo diretor da empresa, Fernando Dinoá, inicia suas atividades hoje à tarde.

A saída do antigo diretor Saulo Carvalho e a entrada Dinoá serão confirmadas na reunião do Conselho Diretor marcada para hoje às 10h.

Fernando Dinoá trabalhou na Petrobras durante 16 anos e também é ex-funcionário do grupo Alesat.

Fez circular na imprensa que o motivo da substituição seria a atuação abaixo do esperado de Saulo a frente da Potigás e a insatisfação do PMDB com o advogado, mas a troca tem um forte componente político.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pedro Santos disse:

    Boa sorte na nova empreitada, Dinoá!

Através de texto, Saulo Carvalho deixa claro que sua saída da Potigás tem motivação política, não técnica

Circulou (ou fez-se circular) nos bastidores políticos que a saída anunciada do advogado Saulo Carvalho da Potigás teve motivações técnicas.

A “radio peão” divulgou que o Governo não estava contente com o desempenho do gestor a frente da empresa de gás natural.

As coisas não são bem assim.

Em sua defesa, Carvalho divulgou na manhã desta quinta-feira, 29, uma texto com uma breve prestação de contas sobre seu desempenho a frente da Potigás.

O texto deixa claro. A substituição do gestor tem motivação política.

Segundo a matéria publicada no site da Potigás, só em 2011 a Companhia Potiguar de Gás teve um aumento de 300% no atendimento aos segmentos residencial com relação a 2010. Mais de 2.630 novas unidades consumidoras foram abastecidas com gás  e 42 novos pontos de entrega foram instalados. Isso representa um acréscimo de 34% ao número total de clientes da distribuidora.

Veja matéria na íntegra

Depois da publicação da matéria Saulo se manifestou via twitter dizendo que só vai se pronunciar oficialmente após reunião do Conselho de Administração da Potigás, marcada para os próximos dias.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Natalense Esperto disse:

    Tem muita gente sabendo que a saída de Saulo foi motivada plo excesso de pressão de Walter Alves,que não estava satisfeito com o retorno

Potigás: sai Saulo Carvalho e entra Fernando Dinoá

Como o blog já havia adiantado no dia 20 de outubro, a presidência da Companhia Potiguar de Gás (Potigás) passará por mudanças na presidência. O advogado Saulo Carvalho, indicação pessoal do deputado Walter Alves, do PMDB, vai deixar a função de diretor-presidente da estatal.

Quem assume o cargo é o executivo Fernando Dinoá.

Dinoá como é conhecido trabalhou na Petrobras durante 16 anos e também é ex-funcionário do grupo Alesat. A indicação de Dinoá para o cargo também é uma indicação do PMDB, porém com o apoio conjunto da Petrobras.

O motivo da troca, de acordo com fontes do blog, teria sido a atuação abaixo do esperado no primeiro ano e principalmente a insatisfação do PMDB com Saulo.

Dinoá conhece como poucos o mercado de combustível e gás natural em Natal e no RN.