29% das empresas do RN encerram as atividades antes de completar dois anos

negócio ruimDe cada dez empresas que são abertas no Rio Grande do Norte, ao menos três delas encerram as atividades antes de completar dois anos, segundo último levantamento feito pelo Sebrae sobre a sobrevivência das empresas no Brasil. Isso acontece, na maioria das vezes, porque o empreendedor acaba cometendo erros que poderiam ser evitados. É importante saber o que não deve ser feito quando se coloca em prática o sonho de ser o próprio patrão ao abrir um negócio.

Um dos erros mais comuns é misturar despesas pessoais com as da empresa. Essa situação causa desequilíbrio nas finanças da empresa e distorce os indicadores financeiros. Assim, torna-se difícil saber quão rentável o negócio está sendo e pode ocorrer o tão indesejável endividamento.

“Ao misturar, o empreendedor fica sem controle da real situação financeira da empresa e pode levar à retirada de valores superiores ao que a empresa suporta. Isso pode levar ao fechamento do negócio”, alerta a gerente da Unidade de Orientação Empresarial do Sebrae no Rio Grande do Norte, Gilvanise Borba Maia. Segundo ela, o correto é separar as contas e ter controle de todas as despesas e receitas do negócio para identificar se há lucro.

Outra falha é não fazer a análise de viabilidade do negócio. É necessário fazer uma avaliação do dinheiro usado para começar a empresa e para tocá-la até que comece a dar lucro. É importante avaliar todos os investimentos em equipamentos, instalações e funcionários. Givalnise Maia também ressalta que o estudo da viabilidade serve também para constatar se há mercado para o produto ou serviço. “Essa análise identifica as expectativas e necessidades do mercado, o que serve para nortear os caminhos do negócio”.

A centralização é outro ponto negativo identificado entre quem está empreendendo. Muitos empresários têm dificuldade em ensinar e delegar atividades aos colaboradores. Dessa forma, centralizam muitas tarefas operacionais em si, não sobrando tempo para se dedicarem à estratégia do negócio. “A centralização limita o potencial criativo da equipe e o desenvolvimento do empresário. Sozinho, ele não vai conseguir dar conta de tudo que a empresa requer”.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. [email protected] Lima disse:

    O erro mais comum amigos, é essa carga tributária altíssima que sufoca as nossas empresas, o Brasil possui um total de 85 impostos, tendo um sistema tributário burocrático, confuso e oneroso.

Na prova do Enade, estudantes escrevem erros como 'egnorancia' e 'precarea'

Não é apenas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que os estudantes cometem erros absurdos de ortografia. No Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), alunos que estão se formando no ensino superior cometem desvios tão ou mais graves como “egnorancia”, “precarea” e “bule” (bullying).

Esses e outros exemplos foram repassados por uma corretora do Enade 2012, que avaliou concluintes de cursos como Direito, Comunicação Social, Administração, Ciências Econômicas, Relações Internacionais e Psicologia. A professora entregou o material pessoalmente ao GLOBO, mas, por ter assinado contrato de sigilo com o Ministério da Educação (MEC), não pode ser identificada. A docente procurou o jornal depois de ler, também no GLOBO, a reportagem, publicada no dia 18 de março, mostrando que redações que receberam nota 1.000 no Enem tinham erros como “trousse”, “enchergar” e “rasoável”.

Em dez respostas à segunda questão discursiva, há erros, sobretudo, de estrutura frasal, imprecisão vocabular e fragmentação de sentido. Segundo a professora, mesmo corrigidos equívocos de pontuação, regência, ortografia e concordância, esses textos continuariam errados.

Erros preocupantes

A questão pedia que, a partir da análise de charges e da definição de violência formulada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o candidato redigisse um texto sobre a violência atual, contemplando três aspectos: tecnologia e violência (3 pontos); causas e consequências da violência na escola (3 pontos); proposta de solução para a violência na escola (4 pontos).

Um formando escreveu: “A violencia e causada muitas vezes pela falta de cultura e pela egnorancia (mais…)

TIM diz que Anatel cometeu "falhas grosseiras" e "erros primários" e que relatório será refeito

O vice-presidente da TIM, Mario Girasole, negou as informações divulgadas em relatório da Anatel de que a operadora “derruba de propósito” as chamadas feitas por assinantes do plano Infinity, em que a cobrança é por ligação e não por tempo.

Girasole afirmou que houve “falhas grosseiras” no relatório da fiscalização da Anatel, feita a pedido do Ministério Público do Paraná, que instaurou inquérito para investigar a empresa.

A agência monitorou todas as ligações de março a maio deste ano, em todo o Brasil. Segundo o relatório, a conclusão foi que a TIM “continua ‘derrubando’ de forma proposital as chamadas de usuários do plano Infinity”. O documento apontou nesses planos índice de queda de ligações quatro vezes superior ao dos demais usuários.

Para a TIM, os fiscais fazem essa afirmação com base em “dados viciados”. Nos planos Infinity, só vale a tarifação para números da própria TIM.

Segundo Girasole, os fiscais incluíram chamadas destinadas a outras operadoras e não checaram se a falha da conexão foi na origem ou no destino. “A TIM refez as contas e viu que a taxa de desligamento era de 1,5%, abaixo da meta de 2% da Anatel.”

A TIM também diz que não há discriminação entre clientes Infinity e não Infinity.

“Derrubar deliberadamente seria um crime”, disse Girasole. “E isso não acontece, definitivamente.”

“Ou existe um quadro criminoso, ou existe má-fé, ou existe incompetência”, disse Girasole à Folha. “O que posso dizer é que essa prática [crime] não faz parte da gramática da TIM.”

O executivo diz que a Anatel irá refazer o relatório, antes que o caso seja julgado pelo conselho da agência. Consultada, a agência não confirmou a informação, até o fechamento desta edição.

Em nota, afirmou que o relatório de fiscalização “integra procedimento administrativo para averiguar descumprimento de obrigações”.

“Somente após a regular tramitação do processo, com direito ao contraditório e à ampla defesa da prestadora, a agência irá deliberar sobre o assunto.”

Segundo Girasole, houve “erros primários” que já tinham sido apontados à agência. “Mesmo assim, o relatório serviu de base ao Ministério Público. Não dá para entender,” disse.

“Violaram uma garantia constitucional”, afirmou.

Responsável pela realização do ENEM admite erro em redações

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), responsável pela realização do Enem, assumiu em um recurso encaminhado à Justiça Federal em São Paulo que registrou mais casos de erro nas correções de redações. A informação está no recurso em que o Inep tentava evitar que o estudante paulista cuja nota da redação foi alterada de “anulada” para 880 pontos tivesse acesso à sua redação.

O texto, feito pela Procuradoria Federal do Inep, afirma que houve “ocorrência de erro material quando da correção das provas de alguns alunos participantes do Enem, dentre as quais a redação do próprio impetrante, que teve sua prova devidamente corrigida e a nota consequentemente alterada”. Apesar do pedido de reconsideração do órgão, o juiz de plantão na Justiça Federal em São Paulo decidiu anteontem não apreciar o pedido, mantendo a liminar anterior que garantia a vista da prova, que resultou na mudança da nota. Essa decisão foi divulgada ontem.

A assessoria de imprensa do Ministério da Educação (MEC) minimizou a informação do próprio Inep, oficializada no recurso. Segundo a pasta, as situações descritas referem-se a problemas menores, como erros em fotocópia das provas ou mesmo os casos de ações judiciais.

Ontem, mais quatro estudantes, todos do Rio de Janeiro, conseguiram na Justiça liminares que garantem acesso às correções das redações. Eles reclamam de nota baixa, inferior ao perfil deles. Agora, já são sete alunos que conseguiram o direito de ver suas provas corrigidas – somando os três casos revelados ontem pelo Estado.

Os três já estão com suas correções. A estudante pôde ver que uma das corretoras atribuiu nota zero à sua redação, enquanto a segunda deu 880. Na terceira leitura, a nota final ficou em 440. “Parece que nem leram e fizeram um média de duas avaliações absurdas”, afirma o advogado Diogo Rezende de Almeida, que defende os alunos.

Dúvida. Em relação ao estudante que teve a nota alterada, mas não viu sua prova, o MEC informou que está dentro do prazo judicial e vai encaminhar a cópia. O ministério tem até segunda-feira para encaminhar a correção. A pasta não esclareceu, entretanto, porque ainda não o fez e a razão pela qual tentou evitar o acesso do aluno à redação.

Estadão

Erraram até no nome da Prefeita

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rodrigo Oliveira disse:

    Pensei que não podia aumentar a vergonha dessa prefeita. Já não bastava?

    • bruno disse:

      Acredito que a Prefeita não tenha culpa pelos erros dessa placa. Isso foi algum assessor desastrado dela

  2. Eduardo disse:

    Isso vem demonstrar que a inauguração do monumento era somente uma balela. Uma coisa simples como a revisão gramatical de um placa. São todos uns oportunistas nossos politicos que bacaram tal evento. Se forem "bater tambor" na beira de praia (sem nenhum preconceito), ou aquela seita da região amazônica de Santo Daime, Micarla vai estar lá dizendo que faz parte do movimento.

  3. renata disse:

    Só uma pergunta, só quem ler bíblia são evangélicos??? esse monumento era para ser de todos.
    pra quer tanto nome de Pasto e lideres na Placa.
    quanto a Gramatica VERGONHA NACIONAL
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Sérgio Henrique P. Lemos disse:

      Uma boa gramática ajudaria muito

    • Fabiano disse:

      Renata, respondendo as suas perguntas, a Bíblia deve ser lida por todos, como é a palavra de Deus deveria ser nosso guia de fé e prática para o dia-a-dia (leia Hb. 4:12), porém, muitos preferem lê piadas imorais e fofocas na internet, lê revistas de horóscopo e etc. esse monumento é de todos, parabenizo o sr. vereador pelo projeto de lei, e quanto ao nome de pastores e líderes são questões meramente políticas que não temos nada a ver. (e quanto a sua grafia, não pude deixar de observar que também não é tão boa).

  4. heriberto disse:

    Garanto que Rui barbosa tremeu e chorou de raiva.

  5. Borges Neto disse:

    Como é mesmo a letra daquela música do Paralamas?… Eu acho que é assim: Assaltaram a gramática, violentaram a fonética… Deus, perdoai-os! Eles não sabem o que escrevem…

  6. Roussell Crowe disse:

    Perdoa Senhor, eles não sabem o que fazem.

  7. arriégua. kkkkkkkkkkkkkkkkkk

  8. Vanessa disse:

    UAU! Esqueceram de revisar também os acentos agudos de "LÍDER"

  9. Alexandre disse:

    Quem redigiu o texto? Parabéns!