Papa Francisco torna obrigatório religiosos denunciarem casos de abusos sexuais

Papa Francisco celebra Primeira Comunhão na Igreja Sagrado Coração de Jesus em Rakovski, Bulgária, nesta segunda-feira (6) — Foto: Yara Nardi/Reuters

O Papa Francisco divulgou nesta quinta-feira (9) um decreto em que torna obrigatório padres e religiosos denunciarem às autoridades eclesiásticas suspeitas de casos de abusos sexuais. A carta também estabelece diretrizes de como as dioceses devem lidar com as suspeitas de abuso. No entanto, não consta uma orientação para que os casos sejam reportados às autoridades civis.

O decreto papal “Vos estis lux mundi” (Vós sois a luz do mundo) é divulgado em um momento em que a igreja é alvo de diversas denúncias de crimes sexuais, desde pedofilia até abuso contra freiras (leia mais ao final da reportagem).

Em março, o papa já tinha publicado uma lei sobre a prevenção e o combate à violência sexual contra menores e pessoas vulneráveis, mas não falava sobre a investigação interna dos casos.

O que diz o decreto do Papa

Religiosos podem ser responsabilizados por acobertar casos de abuso

Dioceses têm um ano para criar sistemas simples e acessíveis de notificação de denúncias

Denúncia pode ser enviada para arcebispo metropolitano ou diretamente para a Santa Sé, dependendo do caso

Dioceses devem incentivar igrejas a envolver especialistas de fora da Igreja nas investigações

Vítimas devem receber assistência espiritual e Igreja deve fornecer assistência médica, terapêutica e psicológica

Investigações devem garantir a confidencialidade dos envolvidos e durar até 90 dias.

O papa orienta ainda que os religiosos acolham, escutem e acompanhem vítimas e suas famílias. O pontífice, porém, mantém a inviolabilidade do sigilo da confissão. Assim, exclui que as denúncias sejam feitas a partir de relatos de fiéis feitos em confessionário.

Quando as suspeitas estiverem relacionadas a religiosos em alta posição hierárquica, como cardeais, patriarcas e bispos, a notificação pode ser enviada a um arcebispo metropolitano ou diretamente para a Santa Sé caso necessário.

Essa carta emitida diretamente pelo papa modifica a legislação interna da Igreja (o direito canônico), mas não modifica as sanções já previstas. Até então, os clérigos e religiosos denunciavam os casos de violência de acordo com sua consciência pessoal.

O papa ressalta que os “crimes de abuso sexual ofendem Nosso Senhor, causam danos físicos, psicológicos e espirituais às vítimas e lesam a comunidade dos fiéis”.

Em um momento em que a igreja enfrenta escândalos de violência sexual em vários países, o papa afirma que “deve-se continuar a aprender das lições amargas do passado a fim de olhar com esperança para o futuro”.

A responsabilidade de lutar contra os crimes sexuais recai, em primeiro lugar, segundo o pontífice, “sobre os sucessores dos apóstolos, colocados por Deus no governo pastoral do seu povo”. De acordo com a Associated Press, a igreja católica conta com 415 mil padres e 660 mil religiosas em todo mundo.

O que é considerado abuso?

A carta considera delito sujeito à investigação denúncias que indiquem que algum religioso:

forçou alguém, com violência, ameaça ou abuso de autoridade, a realizar ou sofrer atos sexuais;

teve atos sexuais com um menor de idade ou com uma pessoa vulnerável;

produziu, exibiu, portou ou distribuiu material pornográfico infantil, bem como atuou no recrutamento ou indução de um menor ou pessoa vulnerável a participar em exibições pornográficas.

Escândalos sexuais

A Igreja Católica, que tem 1,3 bilhão de seguidores em todo o mundo, passou por sucessivos escândalos envolvendo abusos nos últimos anos. O Papa Francisco enfrenta divisões agudas em Roma sobre como lidar com as consequências do problema que corrói a autoridade da Igreja e abala sua credibilidade.

Casos de pedofilia vieram à tona em diversos países, como Austrália, Estados Unidos e Chile, onde 34 bispos acusados de acobertar crimes sexuais colocaram seus cargos à disposição do Vaticano. No início deste ano, o Papa Francisco admitiu que padres e bispos abusaram de freiras. Vários religiosos foram afastados de seus cargos.

Desde o início dos anos 2000, o Vaticano vem tomando medidas para evitar esses casos. Ainda no papado de João Paulo II, foi declarada tolerância zero aos casos de pedofilia, e as denúncias foram estimuladas. O Papa Bento XVI passou a selecionar com mais rigor a entrada dos jovens padres à igreja e afastou muitos religiosos.

Já o Papa Francisco foi o primeiro pontífice a ver a questão como abuso de poder, embora tenha se envolvido em uma polêmica ao defender um bispo chileno – posteriormente, ele reconheceu que cometeu “graves erros de avaliação” sobre o caso.

Em março, o papa publicou a lei sobre a prevenção e o combate à violência sexual contra pessoas vulneráveis, que se aplicam aos funcionários da Cúria e do Vaticano e ao corpo diplomático.

G1

 

Papa Francisco vira candidato no lugar de ‘ficha-suja’ no Maranhão

Raimundo-Louro-PapaConsiderado ‘ficha-suja’ em lista do Tribunal de Contas da União (TCU), o deputado estadual maranhense Raimundo Nonato Alves Pereira, o “Raimundo Louro” (PR), teve sua candidatura à reeleição registrada de uma forma inusitada. O DivulgaCand 2014 – sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), responsável pela divulgação das candidaturas de políticos em todo o Brasil – traz a foto de Jorge Mario Bergoglio, o papa Francisco, no lugar do parlamentar.

O erro, que segundo a assessoria de Louro foi do TSE, permaneceu no site ao menos quatro dias e a imagem foi retirada somente nesta sexta-feira. Ainda assim, persiste no registro outra informação equivocada: o candidato não é servidor público federal, como consta no DivulgaCand, e sim empresário. A assessoria do TSE diz que os registros de candidaturas são feitas pelos Tribunais Regionais Eleitorais. O TRE-MA alega que todas as informações que constam no registro são originadas do partido do candidato, e que na falta de uma foto ideal, possivelmente foi colocada ‘qualquer uma’ apenas para constar.

Apesar de ter tido a ‘proteção papal’ por alguns dias, a situação de Louro na Justiça Eleitoral deve se complicar e sua tentativa de se reeleger pode ser prejudicada. Louro – cujo reduto eleitoral está na cidade de Pedreiras (a 273 quilômetros de São Luís) – consta na lista com 6.500 nomes de gestores e ex-gestores que tiveram suas contas reprovadas pelo TCU, e pode ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa.

Na relação do TCU, constam três processos (números 006.065/2006-1; 012.107/2008-5 e 022.326/2006-9), referentes a contas irregulares da gestão de Raimundo Louro na prefeitura de Pedreiras, que terminaram com condenações (decisões já transitadas em julgado) de Louro. O deputado está inelegível até 2022, mas insiste na próxima disputa eleitoral. Há rumores de que ele pode colocar em seu lugar a filha Priscila Louro, filiada ao mesmo partido do pai, o PR.

Segundo a chefe de gabinete de Raimundo Louro, Cristiane Cerqueira, os erros são de responsabilidade do TSE, e que a advogada do PR, Adriana Costa, nunca repassou à Justiça Eleitoral nem a foto do papa nem a função equivocada do candidato.

Todos os pedidos de registro de candidatura estão sendo analisados e serão julgados. Se for verificada qualquer irregularidade ou pendência relativa a documentos ou a informações prestadas, inclusive em relação à foto apresentada, os candidatos/partidos/coligações serão notificados para se manifestar a respeito em até 72 horas. Em caso de erro no preenchimento, os candidatos também podem requerer a retificação ao Tribunal.

O Globo

Papa Francisco supera os 14 milhões de seguidores no Twitter

A soma das contas oficiais que o papa Francisco tem em nove idiomas da rede social Twitter superou 14 milhões de seguidores. Desse total, cerca de 1 milhão são seguidores da conta em português.

Em dois meses, a soma dos seguidores das contas do papa aumentou 1 milhão, já que no dia 16 de abril havia 13 milhões.

A  conta mais seguida é a em espanhol, com um total de 5,9 milhões de seguidores. Em seguida, as contas em inglês (4,1 milhões) e em italiano (1,7 milhão). O papa também tem contas do Twitter em latim, polonês, francês, árabe e alemão.

A conta do papa na rede social foi inaugurada em dezembro de 2012 pelo papa Bento XVI. No dia 28 de fevereiro de 2013, quando ele anunciou sua renúncia, o número de seguidores era de cerca de 3 milhões.

A conta foi suspensa durante a Sede Vacante, o período entre a renúncia de Bento XVI e a eleição de Francisco, no dia 13 de março. O Twitter foi reativado no dia 17 de março, já com o nome de Francisco.

Agência Brasil

Papa Francisco afasta brasileiro e cardeais de comissão do banco do Vaticano

O papa Francisco substituiu parte da comissão de cardeais que supervisiona o Instituto de Obras da Religião, o banco do Vaticano, incluindo o arcebispo de São Paulo, dom Odilo Scherer. De acordo com o que o Vaticano informou nesta quarta-feira, os quatro novos membros já foram indicados pelo pontífice.

Além de Scherer, foram retirados o indiano Telesphore Toppo e os italianos Domenico Calcagno e Tarcisio Bertone, ex-secretário de Estado do Vaticano que foi muito criticado por sua gestão da Cúria Romana. Apenas o francês Jean-Louis Tauran continuará no grupo, nomeado por Bento 16 em fevereiro de 2013.

Os substitutos são o atual secretário de Estado do Vaticano, o italiano Pietro Parolin, o austríaco Chrstoph Schönborn, o canadense Thomas Christopher Collins e o espanhol Santos Abril y Castelló. A previsão inicial é que eles permaneçam no cargo pelos próximos cinco anos.

A comissão tem como objetivo acompanhar todas as movimentações financeiras do IOR, que já foi alvo de investigações por suposta lavagem de dinheiro. Os casos de corrupção foram colocados como prioridade por Francisco ao reformar o banco.

Dentre as mudanças, estão o endurecimento de penas para corrupção e crimes financeiros e a colaboração com a Justiça italiana para investigar as irregularidades. O Vaticano ainda contratou auditorias internacionais para verificar as contas do Instituto das Obras da Religião.

Em meio às reformas, também foi afastado em julho o ex-responsável pela Administração do Patrimônio da Sede Apostólica, Nunzio Scarano, acusado de lavar € 20 milhões (R$ 56 milhões) em 2012 em transações com bancos da Itália e da Suíça.

Durante a Jornada Mundial da Juventude, em julho, o papa disse que sua intenção é transformar o banco em uma instituição “honesta e transparente”. “Alguns acham melhor que seja um banco, outros que seja um fundo, uma instituição de ajuda. Eu não sei. Eu confio no trabalho das pessoas que estão trabalhando sobre isso”, disse, em referência à comissão de cardeais.

Folha

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. eri disse:

    Vou assistir o terceiro episódio do filme O Poderoso Chefão.

Papa Francisco é escolhido como personalidade do ano pela revista Time

10_37_31_754_file A revista Time divulgou nesta quarta-feira (11) que o cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio, o papa Francisco, foi escolhido a personalidade de 2013.

A publicação destacou que, desde sua chegada ao Vaticano, o líder da igreja Católica mudou “o tom, a preocupação e o enfoque de uma das maiores instituições do mundo”.

Essa é a primeira vez que a prestigiosa publicação norte-americana escolhe um sul-americano como a pessoa mais importante de um ano.

O papa Francisco deixou para trás o ex-consultor da Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA, na sigla em inglês), o americano Edward Snowden, que revelou o programa secreto de espionagem do governo de seu país, dando início a um escândalo global.

Reuters e R7

Papa Francisco ordena saída de "bispo do luxo" de diocese alemã

casal-que-caminha-em-direcao-em-direcao-a-catedral-de-limburgo-passa-ao-lado-do-muro-da-residencia-do-bispo-bispo-franz-peter-tebartz-van-elst-gastos-com-a-reforma-da-luxuosa-casa-podem-ultrapassar-os-40-1382480117416_615x300 O papa Francisco ordenou que o bispo alemão Franz-Peter Tebartz-van Elst, conhecido como “bispo do luxo” por gastar cerca de 31 milhões de euros (cerca de R$ 92,6 milhões) em uma residência, deixe a diocese em que trabalha por um período indeterminado, informou o Vaticano nesta quarta-feira (23).

A decisão, que representa quase uma demissão, foi tomada contra o bispo de Limburgo dois dias após um encontro dele com o papa para discutir o escândalo na Igreja da Alemanha, num momento em que o pontífice busca ressaltar a importância da humildade e de servir aos pobres.

Tebartz-van Elst, 53, realizou a construção de uma onerosa sede episcopal, com museu, sala de conferências, capela e apartamentos privados.

O projeto, decidido por seu antecessor, custava inicialmente 5,5 milhões de euros, mas os gastos da obra aumentaram notavelmente, alcançando 31 milhões de euros.

Segundo os meios de comunicação alemães, o religioso gastou uma fortuna em uma banheira pessoal, sem falar de uma sala de jantar de 63 metros quadrados de quase 3 milhões de euros (cerca de R$ 8,9 milhões).

O caso do “servidor mais caro de Deus”, como foi apelidado, gera muito interesse na Alemanha, país onde as igrejas se beneficiam de um imposto, razão pela qual gozam de fundos consideráveis.

A Igreja Católica alemã, entre as mais ricas do mundo, costuma financiar muitas associações, escolas, missões e projetos de desenvolvimento.

O papa Francisco já havia aceitado a reunúncia de um bispo esloveno considerado também um esbanjador e se comprometeu a reformar as controversas finanças internas da Santa Sé.

(Com Reuters e AFP)

‘A Igreja é santa, mas é feita de pecadores’, diz Francisco

2013-651225685-20131002111202483rts.jpg_20131002Um dia depois da primeira reunião do Conselho de Cardeais visando à reforma da Cúria Romana, o Papa Francisco usou a tradicional audiência das quartas-feiras na Praça de São Pedro para passar aos fiéis uma imagem bastante pragmática da Igreja Católica: a de que seus integrantes são falíveis.

– A Igreja é santa, mas é feita de pecadores. Como pode ser santa uma Igreja feita de homens pecadores, sacerdotes pecadores, irmãos, cardeais e Papas pecadores? Tudo é assim. Algum de vocês está aqui sem os seus pecados? Não. – perguntou e respondeu o próprio Francisco diante do silêncio de uma plateia de mais de 45 mil pessoas.

Reforçando o caráter acolhedor do papado do jesuíta, Francisco criticou aqueles que defendem uma Igreja somente para os “puros”:

– Isto é uma heresia. A Igreja que é santa não rechaça os pecadores. Quando tens a força de dizer ‘quero voltar para casa’, encontrarás a porta aberta. Deus espera sempre, te beija, te abraça e te celebra. Assim é o senhor.

Nos Estados Unidos, o Pontífice argentino parece ter arrebanhado um fã com seus discursos. Apesar dos esforços para se manter longe de questões religiosas, o presidente americano, Barack Obama, admitiu estar “impressionado” com a postura expansiva adotada por Francisco.

– Estou enormemente impressionado com as declarações do Papa – disse Obama em entrevista à rede NBC. – Francisco é alguém que vive os ensinamentos de Cristo. Uma humildade incrível, um incrível senso de empatia com os menos favorecidos, com os pobres. E aquele espírito, esse senso de amor e unidade que se manifesta não só com o que ele diz, mas com o que ele faz.

O Globo

Papa Francisco possui a conta de Twitter mais retuitada do mundo

O site Twitter publicou neste sábado uma pesquisa mostrando que papa Francisco é a personagem pública mais retuitada do mundo.

Foto: Luca Zennaro

1321133

Isso significa que quem escolheu de seguir o pontífice considera suas mensagens tão importantes que compartilha os tuítes com seus próprios seguidores, começando assim uma gigantesca corrente de mensagens.

“Desta forma, sobe incrivelmente o número das pessoas que recebem as mensagens do papa”, afirmou Paul Tighe, secretario do Pontifício Conselho para as Comunicações Sociais em uma entrevista para o jornal da Santa Sé, o “Observatório Romano”.

O perfil de Francisco no Twitter, o @Pontifex, já superou os 8 milhões de seguidores. O papa é o segundo líder mundial mais seguido, atrás apenas do americano Barack Obama, com 34,7 milhões de seguidores.

Folha

'Quem sou eu para julgar', diz Papa sobre gays

O papa Francisco condenou nesta segunda-feira o chamado “lobby gay” do Vaticano durante uma coletiva de imprensa improvisada realizada a bordo do avião que o conduzia do Brasil à Itália, na qual ressaltou que não pretende “julgar” os homossexuais.

“Em um lobby nem todos são bons, mas se uma pessoa é gay, procura ao Senhor e tem boa vontade, quem sou eu para julgá-la. O Catecismo da Igreja Católica explica e diz que não se deve marginalizar essas pessoas e que elas devem ser integradas à sociedade”, afirmou o pontífice.

O Papa ainda se manifestou a favor de um maior papel das mulheres dentro da Igreja, mas rejeitou categoricamente sua ordenação como sacerdotisas. “Não se pode imaginar uma Igreja sem mulheres ativas”, disse o Papa, depois de lembrar que a entidade já se pronunciou contra esta opção: “Esta porta está fechada”, reconheceu.

O papa desembarcou em Roma nesta segunda-feira de manhã após uma viagem de uma semana ao Brasil para presidir as celebrações da Jornada Mundial da Juventude. A missa de encerramento, no domingo de manhã, reuniu mais de 3 milhões de pessoas na praia de Copacabana, segundo a prefeitura.

Terra

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sergio Nogueira disse:

    Quando se fala em gays sempre sou tomado por uma questão conceitual: se casal é quando se tem dois seres de gêneros sexuais distintos, um masculino e um feminino, qual a razão de fazer referência a dois homens gays ou duas lésbicas como sendo um casal?
    O certo é chamar dupla gay, afinal ambos sentem atração por pessoas do mesmo sexo por isso se unem formando uma dupla e nunca um casal.
    Alguém já ouviu falar em casal de vôlei de praia Ricardo e Emanuel?
    E sobre o tema, o estilista Alexandre Hercovitch que tanto se dói pela causa gay mas adora destilar seu veneno atacando os nordestinos, casou em SP com sua companheiro de longas datas, outro estilista, no restaurante Fasano.
    Vá agora alguém postar no TT alguma coisa contra para ver no que dá. Ainda que depois, por covardia, diga que o perfil foi atacado por piratas virtuais, a patrulha cor de rosa, com o perdão do trocadilho, vai cair de pau.

No último dia de visita ao Brasil, Papa Francisco celebra missa em Copacabana

O papa Francisco celebrará uma missa no encerramento da Jornada Mundial da Juventude, na praia de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, neste domingo (28). É o sétimo e último dia da visita do pontífice ao Brasil. Ele deixa o país no começo da noite.

Por volta das 10h, o papa celebra a Missa de Envio para um público que pode chegar, segundo estimativa da prefeitura, a 3 milhões de pessoas.

O evento vai reunir peregrinos que passaram a madrugada em vigília no local e marcará o encerramento da Jornada Mundial. Ao meio-dia, Francisco reza a oração do Ângelus.

O evento seria realizado em Guaratiba, mas por conta das fortes chuvas, foi transferido para Copacabana.

No começo da tarde, o pontífice retorna de helicóptero para almoçar na Residência Assunção, no Sumaré, zona norte, onde está hospedado desde que chegou ao Rio de Janeiro na última segunda-feira (22).

Por volta das 16h, ele se encontra no local com a coordenação do Conselho Episcopal Latino-Americano e logo depois se despede da Residêcia Assunção.

UOL

FOTOS: imagens do Papa Francisco no Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. claudio disse:

    Não deixe Henrique só com o Papa pois ele vai querer nomear alguém na reforma que o papa esta realizando.

    • francisco c a costa disse:

      PELO O AMOR QUE O SENHOR TEM AO SANTISSIMO SACRAMENTO, FUJA O QUANTO ANTES DESSA TURMA AI . PAPA FRANCISCO, O SENHOR TÁ SABENDO DE TDO NÉ?

    • Junior de Alvanir disse:

      Kkkkkkkkkkkkkk

Avião com o papa Francisco pousa no Rio de Janeiro

O avião do papa Francisco desembarcou por volta de 15h40 desta segunda-feira (18) no Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), no Rio de Janeiro, depois de mais de 12 horas de viagem desde Roma, na Itália.

O Sumo Pontífice será recepcionado pela presidente da República, Dilma Rousseff, pelo governador do Estado, Sérgio Cabral, e pelo prefeito da capital, Eduardo Paes. Além deles, representantes da Igreja Católica e outras autoridades receberam Francisco.

Do aeroporto do Galeão, que fica na Ilha do Governador (zona norte), Francisco seguirá de papamóvel para o Palácio Guanabara, sede oficial do governo do Estado, no bairro das Laranjeiras, na zona sul. Lá, haverá uma cerimônia de boas vindas ao pontífice, que fará um discurso no evento.

Em seguida, Francisco terá uma reunião privada com a presidente, marcada para começar às 17h40.  Após o encontro, o papa seguirá para a Residência Assunção, no alto da estrada do Sumaré, no Alto da Boa Vista (zona norte), que já hospedou o papa João Paulo 2º duas vezes. Encravada na floresta da Tijuca, a residência hospedará o papa ao longo de toda a semana.

UOL

Conheça a extensa agenda do Papa Francisco no Brasil na JMJ

O porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, detalhou nesta quarta-feira (17), em entrevista coletiva, a programação do papa Francisco durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), no Rio de Janeiro, de 23 a 28 deste mês. Francisco chega ao país na próxima segunda-feira (22) e fica até o dia 29. A agenda dele é intensa e inclui visitas à comunidade da Varginha, área pacificada no Rio de Janeiro, conversas com presos e dependentes químicos e várias celebrações com os jovens.

Lombardi disse que Francisco é o terceiro papa a visitar o Brasil, depois de Bento XVI e João Paulo II. O porta-voz lembrou que a presença do papa nas jornadas é fundamental. Francisco circulará de helicóptero, de carros aberto e fechado. No dia 24, ele passará a maior parte do dia em Aparecida (SP). Há encontros com a presidenta Dilma Rousseff; o governador do Rio, Sérgio Cabral; e o prefeito da capital fluminense, Eduardo Paes. Veja aqui o roteiro do papa no Brasil.

Segunda-feira (22)

O papa chega à tarde ao Rio de Janeiro. Ele será recebido no Aeroporto Internacional Antonio Carlos Jobim, o Galeão, pela presidente Dilma Rousseff; pelo arcebispo de São Sebastião do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta; pelo arcebispo de Aparecida e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), cardeal Raymundo Damasceno Assis; pelo governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral; e pelo prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes. No aeroporto, não há discursos. O papa deve ficar alguns minutos na sala presidencial do aeroporto, enquanto a comitiva toma o seu lugar nos veículos do cortejo papal.

Francisco deixará o aeroporto de papamóvel em direção ao Palácio Guanabara, sede oficial do governo do Estado do Rio, onde ocorre a cerimônia de boas-vindas. Além da execução dos hinos e honras militares, há discursos da presidenta Dilma e do papa. Em seguida há a apresentação das duas delegações (brasileira e do Vaticano). A presidenta acompanha Francisco à Sala Verde do primeiro andar, onde se realizarão os encontros privados. No local, há um encontro de Cabral com o papa e a apresentação da família. Também há um encontro com o prefeito do Rio, Eduardo Paes, e de sua família. O papa deixará o Palácio Guanabara em direção ao Sumaré, onde será a sua residência durante a permanência no Rio de Janeiro.

Terça-feira (23)

O papa cumpre agenda privada, sem previsão por enquanto. O porta-voz disse que ele deverá participar de uma reunião com autoridades e não deverá participar de uma missa destinada aos jovens, na Praia de Copacabana. Francisco deverá descansar neste dia.

Quarta-feira (24)

Às 8h15, o papa Francisco deixa o Rio de helicóptero e vai até Aparecida, onde deve chegar às 9h30, para celebrar a missa e abençoar os fiéis. O papa será recebido pelo arcebispo de Aparecida, dom Raymundo Damasceno Assis e pelo reitor do Santuário, padre Domingos Sávio da Silva.

Às 10h30, ele celebra missa no Santuário Nossa Senhora Aparecida. Antes, ele fará um passeio de papamóvel nos arredores do santuário. Francisco almoça no Seminário Bom Jesus, retornando depois ao Rio.

No final da tarde, no Rio, o papa visita o Hospital São Francisco de Assis. O hospital, dirigido pela associação homônima, dedica-se à recuperação dos dependentes de droga e de álcool, seja na assistência médico-cirúrgica, assegurada gratuitamente aos indigentes, com cerca 500 leitos. Está previsto um discurso. No início da noite, Francisco retornará ao Sumaré onde jantará de forma privada e pernoitará.

Quinta-feira (25)

Pela manhã, o papa celebra a Santa Missa, em caráter privado, na Residência do Sumaré. Às 9h Francisco deixará o Sumaré em direção ao Palácio da Cidade, onde receberá, às 9h30, das mãos do prefeito Eduardo Paes, as chaves da cidade e abençoará as bandeiras oficiais dos Jogos Olímpicos e paralímpicos.

Às 10h, Francisco deixa o Palácio da Cidade e se dirigirá à Comunidade da Varginha – Manguinhos, para uma visita. A Comunidade da Varginha faz parte de uma ampla favela pacificada no programa de recuperação realizado pelas autoridades brasileiras. O papa será recebido pelo pároco, vice-pároco, vigário episcopal e pela superiora das irmãs da caridade. Em seguida, Francisco se dirige à igreja dedicada a São Jerônimo Emiliano, na qual vai se encontrar com a comunidade paroquial. Na paróquia, após um momento de oração, será abençoado o novo altar e o papa oferecerá um presente à comunidade. O papa se dirigirá depois ao campo de futebol, onde estará reunida a comunidade. Ao longo do percurso – cerca 100 metros – visitará a casa de uma família da comunidade. O papa fará um discurso e retornará depois ao Sumaré para o almoço privado.

Às 17h Francisco deixa o Sumaré em direção à Praia de Copacabana para a Festa da Acolhida aos jovens participantes da JMJ. O ato está previsto na forma de Celebração da Palavra. O papa fará um discurso e abençoará os jovens. Retornará depois ao Sumaré onde pernoitará.

Sexta-feira (26)

Pela manhã, o papa celebra a Santa Missa, em privado, na residência do Sumaré. Em seguida se desloca de automóvel até a Quinta da Boa Vista.

Às 10h, o papa recebe a confissão de cinco jovens de cinco continentes (América, Europa, África , Ásia e Oceania). As confissões, segundo o porta-voz, poderão ser em português, espanhol ou italiano. Após as confissões, Francisco se transfere para o Palácio São Joaquim, residência do arcebispo do Rio de Janeiro e será recebido pelos religiosos.

Às 11h, o papa se encontrará, reservadamente, com cinco jovens detentos. Estarão presentes, também, alguns assistentes, acompanhantes dos jovens detentos. Em seguida, Francisco e o arcebispo se dirigirão ao primeiro andar para visitar a capela onde encontrará as irmãs que trabalham na residência.

Às 12h, Francisco rezará a oração do Angelus do balcão do palácio. Em seguida, se encontrará com os 20 membros do comitê organizador e os dez grandes patrocinadores-benfeitores da JMJ para uma saudação. Não estão previstos discursos. No salão redondo, no primeiro andar do arcebispado, o papa almoçará com dom Tempesta e com 12 jovens, seis rapazes e seis moças, de várias nacionalidades – representando os cinco continentes, além um casal de brasileiros. O almoço terá a duração de cerca de uma hora.

Após o almoço, Francisco retornará ao Sumaré, onde não há agenda prevista. Calcula-se que o papa irá descansar. Às 17h, Francisco estará na Praia de Copacabana para a Via Sacra com os jovens: Francisco, depois de introduzir o ato litúrgico, acompanhará do palco o desenvolvimento da Via Sacra e ao final, fará uma oração, depois, ele retornará ao Sumaré onde pernoitará.

Sábado (27)

Às 9h, Francisco irá à Catedral da Cidade onde celebrará a missa com os bispos da JMJ, sacerdotes, religiosos e seminaristas. A expectativa é que cerca de mil pessoas participem da missa, segundo o porta-voz. Às 11h15, no Teatro Municipal, o papa encontra os políticos, diplomatas, representantes da sociedade civil, empresários, artistas e representantes das maiores comunidades religiosas do país. Francisco fará um discurso.

De volta ao Sumaré, Francisco almoça com os cardeais do Brasil, a cúpula da CNBB, os bispos da região e a comitiva papal. Ele deixa a residência em direção do Campus Fidei, de Guaratiba, onde ocorrerá a Vigília de Oração com os jovens. Francisco tem encontro com os jovens na área preparada para a ocasião pelas autoridades locais. Inicialmente, a previsão é que 2 milhões de pessoas estejam presentes.

Domingo (28)

Às 8h20, o papa deixa o Sumaré em direção a Guaratiba. Durante o deslocamento, o helicóptero do papa sobrevoará a estátua do Cristo Redentor do alto do Corcovado e a cidade do Rio.

Às 10h começa a Missa de Envio da JMJ Rio2013. No evento, está prevista a presença da presidenta Dilma. A Celebração terminará com o anúncio sobre o local escolhido para ser a sede e do ano para a próxima jornada.

O papa retorna ao Sumaré onde almoçará com sua comitiva. Às 16h, Francisco encontrará com os integrantes do comitê de coordenação da jornada e do Conselho Episcopal latino-americano. O comitê de coordenação é formado por 45 bispos.

Depois de se despedir dos funcionários da residência do Sumaré, Francisco se dirigirá ao RioCentro onde encontrará cerca de 15 mil voluntários. O papa fará a eles um discurso.

Após o evento, o papa se muda para o centro do Rio onde atende os voluntários da jornada. Segundo as previsões, deve haver 15 mil voluntários que representarão as 60 mil pessoas voluntárias para a realização do evento.

Depois do compromisso com os voluntários, o papa seguirá para o aeroporto Tom Jobim onde, as 18h30, está previsto encontro com a presidenta Dilma Rousseff, com discursos. A decolagem do avião que levará a comitiva papal ao Vaticano está prevista para as 19h (horário local). Francisco deve chegar em Roma às 11h30 ( horário da Itália).

Agência Brasil

Em missa, papa Francisco defende batismo de filhos de mães solteiras

Em missa na Capela da Casa Santa Marta, no Vaticano, o papa Francisco defendeu ontem (25) o batismo de filhos de mães solteiras. “Somos muitas vezes controladores da fé, em vez de facilitadores”, disse o papa ao se referir a algum padre que se recusa a batizar uma criança filha de mãe solteira. “Essa mulher teve a coragem de continuar a gravidez. E o que encontra? Uma porta fechada?”, disse.

“Isso não é zelo, isso é distância de Deus. Quando fazemos este caminho com esta atitude não estamos ajudando o povo de Deus”, acrescentou. “Jesus instituiu sete sacramentos e, com este tipo de atitude, estamos criando um oitavo, o sacramento da alfândega pastoral”, disse.

Antes de ser papa, quando era o arcebispo de Buenos Aires, Jorge Bergoglio incentivava padres e bispos a batizarem as crianças nascidas fora do casamento.

O papa citou durante a missa outro exemplo: um casal de noivos que queria marcar a data do casamento e foi alertado pelo sacerdote de que precisaria pagar enfeites, cantos. Francisco disse que, no caso, o casal encontrou “as portas da Igreja fechadas quase como sinal de impedimento para a união”.

Participaram da cerimônia cerca de 70 pessoas de diversas partes da Itália e de outros países.

Da Agência Brasil