Saúde

RN inicia nesta sexta-feira vacinação contra Covid de gestantes, puérperas e lactantes menores de 18 anos

O Rio Grande Norte inicia, nesta sexta-feira (03), a vacinação de gestantes, puérperas e lactantes menores de 18 anos. Com isso, o estado dá o pontapé inicial na vacinação de crianças e adolescentes entre 12 e 17 anos, avançando na campanha estadual de vacinação contra o coronavírus.

O Governo do Estado e a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) distribuirão 4.530 doses da vacina da Pfizer para aplicação da primeira dose destinadas à vacinação desse público-alvo, garantido celeridade no processo e permitindo a antecipação da vacinação do público mais jovem.

“Essa ação busca à proteção dessas gestantes, percebendo e compreendo todo cenário epidemiológico e a chegada da variante delta em nosso estado. Precisamos garantir de forma célere a ampla vacinação desse público, iniciando pelas meninas. Posteriormente, ampliaremos para todas as crianças e adolescentes de 12 a 17 anos de idade, contemplando o público em geral dessa faixa”, informou a coordenadora de Vigilância em Saúde da Sesap, Kelly Lima.

Conforme pactuado entre os 167 municípios do estado na Comissão Intergestores Bipartite (CIB), o início da vacinação de gestantes, puérperas e lactantes de 12 a 17 anos está condicionada à vacinação de 90% da população adulta nos respectivos municípios. Assim, a vacinação de crianças e adolescentes iniciará pelos grupos prioritários e com comorbidades, avançando até o público em geral nessa faixa etária, de acordo com a quantidade de vacinas recebidas pelo estado.

Terceira Dose

A partir do dia 15 de setembro, o Rio Grande do Norte iniciará aplicação da terceira dose da vacina contra Covid-19 em idosos acima dos 70 anos. A vacinação dos idosos acontecerá de forma escalonada por faixa etária, começando a partir dos 99 anos. Nos dias seguintes, a idade mínima será reduzida até alcançar os 70 anos.

A aplicação da dose de reforço nos idosos será realizada naqueles que já tomaram a segunda dose há mais de seis meses (entre fevereiro e março).

Opinião dos leitores

  1. Deveria concluir a D2 da pfiser ao invés de vacinar crianças que pelo que se dizia elas não contaminam nem são contaminadas pelo menos era a conversa que se dizia para retomar aulas presenciais.Esse desgoverno de Fátima é uma onda.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Finanças

Credibilidade fiscal permite juros menores, diz presidente do Banco Central

Foto: © Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, disse hoje (13) que o crescimento da inflação no país foi influenciado, entre outros fatores, pela desvalorização do real e também pelo aumento no preço das commodities (produtos básicos com cotação internacional).

De acordo com Campos Neto, esse movimento inflacionário começou em 2020 e ainda repercute neste ano. O presidente do BC citou, além desses fatores, a crise hídrica no país, com aumento no preço das bandeiras tarifárias, além de efeitos climáticos.

O mercado financeiro aumentou a projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deste ano de 6,79% para 6,88%. A previsão para 2021 está acima da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), é de 3,75% para este ano, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é de 2,25% e o superior de 5,25%.

Ao avaliar a alta no preço das commodities, o presidente do BC disse que durante a pandemia de covid-19 houve um aumento natural, uma vez que as pessoas ficaram mais tempo em casa e passaram a consumir mais bens dos que serviços, gerando uma alta no preço de produtos e uma diminuição no valor dos serviços.

Auxílio emergencial

Segundo Campos Neto, com a retomada da atividade econômica, há uma tendência de que esse balanço se equalize. Porém, ele disse que outros fatores podem interferir na inflação e citou o auxílio emergencial como um deles.

De acordo o presidente do BC, o auxílio trouxe um “choque de demanda” que se transformou em consumo e impactou a inflação de curto prazo, o que influiu na decisão do BC de elevar a taxa básica de juros, a Selic, definida atualmente em 5,25% ao ano.

“Esse movimento de curto prazo teve algum alastramento [na inflação]. Então, entendemos que era necessário um movimento de ajuste para que essa inflação não contamine o ambiente inflacionário e não desancore as expectativas”, disse ao participar do 4º Encontro Folha Business, transmitido pela internet.

Equilíbrio fiscal

Ao falar sobre a situação econômica do país, o presidente do BC disse que alguns setores como o de serviços estão se recuperando dos impactos da pandemia. Mas acrescentou que é impossível para qualquer BC do mundo fazer o trabalho de segurar expectativas de inflação sem que o quadro fiscal esteja sob controle.

Campos Neto disse que o mercado projeta um crescimento da economia de 5,3%, neste ano, e que os números da dívida bruta do país ficaram em cerca de 80% do Produto Interno Bruto (PIB – soma de todos os bens e serviços produzidos no país), quase no mesmo patamar antes da pandemia e abaixo da previsão de 100% feita por alguns analistas.

Entretanto, ele avalia que há “ruídos” no mercado financeiro sobre o controle das contas públicas, o que tem levado a correção de preços de ativos, como dólar e ações.

Ele citou o debate sobre o pagamento dos precatórios, o desenho do novo Bolsa Família e o incentivo financeiro a setores específicos da economia. “Esses temas geraram um ruído onde o mundo financeiro, os agentes econômicos passaram a ter uma percepção ou, pelo menos, um risco de que o fiscal não está melhorando tanto e os preços corrigiram em relação a isso”, disse.

Segundo Campos Neto, o país tem que passar uma mensagem de credibilidade fiscal para que o BC possa atuar com um nível de juros mais baixo. “A coisa mais importante em um país que tem o nível de dívida que o Brasil tem é passar uma mensagem de credibilidade fiscal. É essa mensagem é que vai permitir o BC fazer o trabalho com o menor nível de juros e maior eficiência”, afirmou.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Segurança

Guarda Municipal em Natal apreende na Zona Sul menores e recupera 115 metros de cabos de internet

FOTO: STTU

O patrulhamento preventivo da Guarda Municipal do Natal (GMN) apreendeu na tarde desta quarta-feira (28), dois adolescentes suspeitos de furto. Os menores foram detidos com cerca de 115 metros de cabos de telefonia e internet que estavam sendo levados dentro de uma carroça que trafegava pela Avenida do Sol, bairro de Candelária, zona Sul da capital.

Segundo relato dos guardas municipais, a viatura do Comando da GMN transitava na Avenida Prudente de Morais quando foi parada por populares que denunciaram a retirada de cabos de internet na área. A guarnição se deslocou ao local indicado e flagrou a dupla suspeita de furto. Os menores foram abordados e na revista foi encontrado dentro da carroça uma extensa quantidade de cabos de fibra óptica.

Os guardas municipais ainda apreenderam em poder dos detidos um simulacro de arma de fogo modelo revólver calibre 38, um facão e um uniforme utilizado por uma empresa terceirizada que presta serviços a Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur). “Acionamos a empresa de telefonia que constatou ser proprietária dos cabos recuperados. O responsável da empresa informou que o prejuízo ali seria de cerca de R$ 10 mil”, contou um dos guardas.

Os menores apreendidos foram conduzidos pela equipe de Supervisão da GMN à Delegacia Especializada em Atendimento ao Adolescente Infrator (DEA) onde foi registrada a ocorrência e a apreensão dos dois adolescentes que ficaram à disposição da Justiça.

 

Opinião dos leitores

  1. Bg, no novo Amarante , São Gonçalo, tem algumas ruas que e uma coisa horrível , mais de vinte fios enrolados, a cosern trocou os postes, e ficou a coisa mais feia do mundo , de todas as operadoras de internet , seria bom, tirar e dar pra esses menores, pelo menos eles não precisaria roubar , já q as operadoras estão cagando pra nos moradores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Fora do plano de vacinação, mais de 2 mil menores de idade aparecem em lista de vacinados do Ministério da Saúde; especialistas acreditam em erro de registro no sistema

Foto: Andre Penner

O banco de dados do Ministério da Saúde lista, como vacinadas, 2.355 pessoas com menos de 18 anos. A princípio, a vacinação para esse grupo não é permitida, já que nem a CoronaVac, nem o imunizante da Oxford/AstraZeneca foram testados em menores de idade. Procurada, a pasta não informou se menores de idade foram mesmo vacinados ou se os dados de idade e data de nascimento de adultos foram inseridos de forma errada. Para especialistas, as incoerências nos dados são consequência de erro de registro no sistema.

Na análise feita pelo GLOBO, há pelo menos dez plataformas diferentes para inserir dados de pessoas vacinadas no banco de dados. Até esta quinta-feira, 6,3 milhões de pessoas haviam sido vacinadas no Brasil.

As inconsistências de idade não são as únicas no banco de dados. No último domingo, uma análise de dados feita pelo GLOBO revelou que 19% dos vacinados foram identificados como preto ou pardos. Até aquele momento, 1 a cada 4 das pessoas imunizadas não tinham sua cor identificada. O recorte por cor é considerado importante porque é um marcador que, no Brasil, reflete também questões sociais e econômicas. Nas últimas semanas, o ministério já lidou com críticas sobre problemas em organização e logística, destacados pelo episódio de envio da quantidade de doses reservadas ao estado do Amapá para o estado do Amazonas, que ficou com 70 mil doses a menos do que o que tinha direito de acordo com sua população.

A lista de vacinados do ministério apresenta algumas situações curiosas, como o caso de três motoristas de ambulância que receberam a imunização, mas, segundo o registro, têm 5, 9 e 10 anos.

— No cadastro de pessoas vacinadas, devem ter erros de registro e cada município, estado e nível federal deve analisar os resultados possivelmente errados. Acredito que a hipótese mais provável seja essa, e não de fraude. A probabilidade de menores de 18 anos serem vacinados acho que é muito baixa — afirmou José Cássio de Moraes professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa-SP.

A planilha tem tanto o dado das idades dos vacinados como também o de sua data de nascimento. Há casos, por exemplo, em que a idade aparece como sendo “0”, embora o cidadão tenha nascido em 1971. Na análise feita pelo GLOBO, foram filtrados apenas os registros com data de nascimento após 25 de fevereiro de 2003 e idade abaixo de 18 anos. A maioria dos dados tem como sistema de origem o “Novo PNI”. Tecnicamente, não deveria haver incompatibilidade na data de nascimento de pessoas que já estavam cadastradas no SUS, seja por ter Cartão Nacional de Saúde, seja pelo seu CPF.

Entre os 2.355 registros identificados pelo GLOBO, a maioria é de pessoas que foram vacinadas dentro do grupo de “trabalhadores de saúde”, 1.765 pessoas. Eles são seguidos por 395 menores de idade que foram imunizados na categoria de população indígena. Segundo a norma do Ministério da Saúde que regulamentou esse registro, a identificação nos grupos prioritários é feita por meio de pesquisa na base de dados do CADSUS, quando no caso de faixa etária, e no CNES, no caso de trabalhadores de saúde. A falta de cadastro prévio não é motivo para deixar de vacinar o cidadão, mas, neste caso, ele deverá apresentar comprovante de que pertence a esses grupos.

— Como é possível cruzar os dados de atendimento para identificar automaticamente quando uma pessoa vacinada acabou tendo síndrome gripal ou síndrome respiratória aguda grave ou outra complicação? Tratamos esse problema de erro de digitação como “normal”, mas um investimento em atualização de sistemas de informação para automatizar essas coisas reduziria esses erros e permitiria investigações epidemiológicas de maneira muito mais rápida — afirma.

O Ministério da Saúde lançou um novo sistema de registro de vacinação automatizado e com conexão com cadastros nacionais, como o CADSUS e o banco de dados do CNES. Entretanto, a aplicação desse sistema não ocorreu de forma equânime e a imunização começou com cada local de vacinação usando um sistema de notificação próprio ou o que era antigamente utilizado nas campanhas. A pasta agora corre para integrar todos os sistemas em apenas um.

O GLOBO procurou o Ministério da Saúde na última terça-feira para um posicionamento sobre os dados. A área técnica da pasta, entretanto, não conseguiu terminar a análise dos dados até esta quinta-feira.

Para Rafael Lopes, pesquisador do Observatório Covid-19 BR, a importância de dados confiáveis é essencial tanto do ponto de vista de estudos e pesquisas sobre a vacinação como também para o acompanhamento da vacinação no país.

— Dados confiáveis, abertos e acessíveis são essenciais para que todos tenham claro qual é o ritmo de vacinação no país. Sabemos que a vacinação está restrita aos maiores de 18 anos, por falta de estudos de que atestem segurança das vacinas para esses públicos e então, em teoria, não deveria haver pessoa vacinadas com menos de 18 anos — afirma.

Lopes, entretanto, destaca que, por enquanto, essa inconsistência da idade não deve causar grandes problemas.

— O número de 2.355 possíveis vacinações em pessoas com menos de 18 anos é bem pequeno, dado que já ultrapassamos mais de 6 milhões de aplicações, ele não representa mais que 0.04% desse total. Até agora parecem ser somente isso, inconsistências, nada sistemático ou deliberado, então para análises futuras em pouco afeta essas inconsistências — afirmou.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. É bom que se faça uma investigação e punam os culpados. Tem muita gente furando filas, enfermeiros aplicando vento e me parece que estão aplicando nos filhos e etc

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

OAB, CUT, CNBB: Veja quem aprovou ‘visita íntima’ a menores infratores a partir de 12 anos, através de Resolução do Conanda

Foto: Ilustrativa/Agência Brasil

Impressiona a lista das 14 entidades da “sociedade civil” que na reunião virtual do Conanda, o Conselho Nacional dos Direitos das Crianças e dos Adolescentes, nesta quinta (17), decidiram autorizar “visita íntima” a menores infratores e abriram caminho para a normalização do estupro em unidades socioeducativas.

Na lista estão ONGs desconhecidas, mas também CUT, Ordem dos Advogados do Brasil e até a religiosa Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Todos os representantes embolsam diárias e passagens quando viajam a Brasília para participar de reuniões.

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) divulgou nota afirmando ser contrário à resolução do Conanda. “Entre as recomendações, o documento visa permitir relações sexuais por adolescentes do mesmo sexo no âmbito de unidades socioeducativas”, diz a nota.

Segundo o MMFDH, é verdade que a faixa etária dos internos nas unidades tem a “preponderância de adolescentes/jovens entre 16 e 18 anos”, mas “é composto, também, por menores de 14 anos, idade em que a presunção de violência caracterizadora do estupro de vulnerável tem caráter absoluto, visto não se tratar de presunção de culpabilidade do agente, mas de afirmação da incapacidade absoluta do menor de até 14 anos para consentir na prática sexual”.

Confira as entidades e os nomes dos representantes que votaram a favor do que, segundo especialistas que vivenciam o dia a dia nessas instituições e não os teóricos acadêmicos, vai “normalizar” o estupro de vulneráveis assistido pelo Estado.

Veja a lista de quem aprovou a resolução gera indignação:

1 – CUT – Marco Antônio Soares

2 – Instituto Alana – Thais Dantas

3 – Centro de Educação e Cultura Popular – CECUP – Edmundo Vieira Kroger

4 – Associação Fazendo História – Heloisa de Souza Dantas

5 – OAB – Glícia Salmeron

6 – Conselho Federal de Psicologia – Iolete Ribeiro

7 – Rede Nacional Criança não é de Rua – Adriano de Holanda Ribeiro

8 – Inspetoria São João Bosco – Tatiana Augusto Furtado Gomes

9 – Federação Brasileira de Associações Socioeducacionais brasileiras (FEBRAEDA) – Antônio Jorge dos Santos

10 – Casa de Cultura ILE ASE DOSOGUIA – Renato Cesar Bonfim

11 – FENAPESTALOZZI – Edna Aparecida Alegro

12 – Fundação Fé e Alegria do Brasil – Catarina de Santana Silva

13 – Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura – CONTAG – Antônio Lacerda

14 – CNBB – Regina Coeli Calil Leão

Diário do Poder

 

Opinião dos leitores

  1. Que vergonha para quem se intitula seguidor do Cristo ! Vergonha para o resto também !

  2. Por isso que a esquerda vive sendo colocada pra baixo. Sou simpatizante de políticas públicas sociais, ai quando a gente lê uma babaquice, uma infantilidade, uma falta de bom senso dessa magnitude fica sem acreditar. Menor não pode entrar em motel, não pode dirigir, mas pode cometer delitos e ir receber "visitas intimas" na FEBEM ou aonde estiver retido!!! Parece uma palhaçada mesmo. Aliás, temos que aumentar o vigor da lei, extinguir progressão de regine penal para crimes hediondos, acabar com as "saidinhas" de datas comemorativas, aumentar a pena pra o maior crime contra a população que é a corrupção. E acho que pena de morte, sou contra por princípios cristãos, mas precisa ter prisão perpetua!

  3. Segundo a norma penal vigente, qualquer ato sexual ou libidinoso com menor até 14 anos é considerado estupro, mesmo sendo consensual. Com essa aprovação absurda, o ato sexual dentro das casas de internação, o estupro será autorizado. Pra bandido pode tudo, se um menor for ajudar o pai no trabalho é crime. Estão destruindo nosso país com essas atitudes hipócritas e descabidas.

  4. Isso é Brasil,onde toda forma de práticas erradas são aprovadas,a única forma de mudar seria através do voto,mas infelizmente muito de nós ainda não sabemos escolher,pois todo o tempo nas eleições são feitas escolhas ,que depois só vai dá pro nosso!!!!

  5. Parabéns BG por publicar tal matéria inclusive dando nome aos "bois". é muita hipocrisia pra liberar a putaria.

  6. Grotesco: 3 entidades católicas, incluindo a própria Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. Uma vergonha, estimulando a promiscuidade, o estupro e o abuso permanente dos mais fracos pelos mais fortes nas unidades de internação. Enfim, é essa a esquerda brasileira que age como defensora do "bem"!…

  7. Sou contrária a visita íntima, indulto de Natal e saidinhas na festa por bom comportamento. Bom comportamento é uma Obrigação. Mas se UNS PODEM…. então todos tem direito.

  8. Uma notícia dessas, até dispensa comentários. Essas são as ONGs que tanto a esquerda gosta. Bora votar na esquerda!!!!!!

  9. Eu pensava que já tinha visto de tudo em 2020, mas essa superou até o vírus, quem aprovou são pior que esse vírus.

    1. A CNBB foi coerente, sim, e com as bênçãos do Vaticano! Quem quiser ter uma breve ideia do que é a igreja hoje (de Paulo VI para Francisco), leia "No Armário do Vaticano – Poder, Hipocrisia e Homossexualidade", do francês Frédéric Martel, editora Objetiva. A CNBB e seus satélites são cópias fiéis do que vocês lerão nesse livro!!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Vacina da Covid-19 é contraindicada para menores de 18 e gestantes, diz Plano Nacional de Operacionalização

O Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 apresenta contraindicações para menores de 18 anos de idade e gestantes porque as vacinas não foram testadas nesses grupos.

Após os resultados dos estudos clínicos de fase 3, a lista de contraindicações poderá ser alterada.

A CNN teve acesso em primeira mão ao plano do Ministério da Saúde nesta quarta-feira (9). O documento mostra ainda que não há preocupação em vacinar pessoas que já tenham sido infectadas pela Covid-19 ou com anticorpo detectável.

Em entrevista exclusiva à CNN nesta quarta-feira (9), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse que a vacinação contra Covid-19 no Brasil com o imunizante desenvolvido pela Pfizer/BioNTech pode começar entre dezembro e janeiro.

“Se a Pfizer conseguir a autorização emergencial e nos adiantar alguma entrega, isso [o início da vacinação] pode acontecer no final de dezembro ou em janeiro”, afirmou. “Isso em quantidades pequenas, de uso emergencial”.

O ministro não descartou que isso aconteça também com as candidatas da AstraZeneca/Oxford ou do Instituto Butantan. No entanto, esse prazo valeria apenas no caso de uma autorização emergencial.

Pazuello disse que a vacinação será incluída no Programa Nacional de Imunização e usará a mesma logística já operacionalizada pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

“O SUS trabalha de forma tripartite, com estados e municípios, e cada um já tem sua função dentro desse programa”, disse.

Ele detalhou que o governo federal distribuirá as doses, por via aérea e rodoviária, até os estados. Então, será responsabilidade estadual distribuir entre as cidades e os municípios executariam, efetivamente, a vacinação.

CNN Brasil

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Documentos revelam que socialite e bilionário Jeffrey Epstein participavam de orgias com menores de idade em “Ilha da Pedofilia”

O bilionário  Jeffrey Epstein e a socialite Ghislaine Maxwell (Foto: Getty Images)

No processo em que acusa do príncipe inglês Andrew de abuso sexual, Virginia Roberts descreveu graficamente a participação em encontros com a herdeira milionária e socialite Ghislaine Maxwell – junto com outras meninas – em Nova York, Novo México, Flórida e França. Em testemunho de um processo de 2015 que foi revelado, Virginia também descreveu orgias com garotas e Maxwell em uma piscina e em chalés na ilha particular de Epstein no Caribe.

Ela alegou que Maxwell fazia sexo com meninas menores de idade “praticamente todos os dias” e estava com ela, descrevendo a socialite como tendo “seios naturais muito grandes”. Os documentos – parte do processo que foi tornada pública por ordem de um juiz de Nova York na semana passada- apontam que Virginia Giuffre testemunhou Maxwell se envolver em “contato sexual” com meninas de 15 anos.

Em 23 de julho, a juíza distrital dos EUA Loretta Preska ordenou a liberação de grandes seções de mais de 80 documentos de um processo de difamação civil contra Maxwell de 2015 por Giuffre, que acusou Epstein de tê-la mantido como “escrava sexual” com a assistência da socialite. Maxwell, de 58 anos, é acusada de ajudar Epstein – que foi encontrado enforcado em uma prisão de Manhattan em agosto passado – a recrutar e eventualmente abusar de três garotas entre 1994 e 1997, além de cometer perjúrio ao negar seu envolvimento sob juramento. A socialite se declarou inocente das acusações.

Em um depoimento dado em maio de 2016, documentos mostram que Giuffre foi convidada a descrever qualquer mulher que ela viu Maxwell ter “contato sexual com” seus “próprios olhos”. De acordo com os documentos, Giuffre respondeu: “Há tantos que eu não sei por onde você quer que eu comece” e foi solicitado a ela descrever as meninas. Giuffre respondeu: “Havia loiras, morenas, ruivas”, mostram documentos. “Eles eram todas garotas bonitas. Eu diria que as idades variam de 15 a 21 anos”.

A socialite e empresária Ghislaine Maxwell em um evento em Nova York (Foto: Getty Images)

Maxwell entrou com uma moção de emergência no tribunal federal de apelações em Manhattan na quinta-feira, procurando bloquear a liberação de dois documentos adicionais. Esses documentos incluíam um depoimento de abril de 2016 relacionado à sua vida sexual e um depoimento de um acusador não identificado de Epstein. Tornar público o depoimento, argumentaram os advogados de Maxwell, tornaria “difícil, senão impossível” encontrar um júri imparcial para seu julgamento. Dependendo de como o tribunal de apelações determinar, espera-se que dois depoimentos permaneçam em segredo até pelo menos segunda-feira.

Anexos aos materiais cobertos pelo pedido de 23 de julho da juíza Preska estão os registros de vôos dos jatos particulares de Epstein e os relatórios policiais de Palm Beach, Flórida, onde Epstein tinha uma casa. As interações por email entre Epstein e Maxwell também foram apresentadas nos documentos não lacrados na quinta-feira. De acordo com os documentos, um e-mail que Epstein escreveu em 25 de janeiro de 2015 para Maxwell dizia: “Você não fez nada errado e eu recomendaria que você começasse a agir dessa maneira. Saia para a rua, com a cabeça erguida, não como uma condenada. Vá a festas. Lide com isso”.

A conversa seguiu um pedido de Maxwell, que estava romanticamente ligada a Epstein, para dar um tempo no relacionamento e manter distância do bilionário. Os documentos mostram que Maxwell havia escrito no dia anterior: “Eu apreciaria se Shelley aparecesse e dissesse que ela era sua amiga – acho que ela foi do final de 99 a 2002″. Outro e-mail de Epstein para Maxwell, enviado dias antes em 21 de janeiro de 2015, parecia mostrar Epstein ensinando a socialite sobre como negar as alegações que envolviam seu nome”. Um e-mail escrito por Epstein, mas que parece ser uma declaração a ser feita por Maxwell, dizia: “Desde que JE [Jeffrey Epstein] foi acusado em 2007 por solicitação de uma prostituta, fui alvo de mentiras, insinuações, difamações, fofocas e assédio obscenos. Manchetes compostas por citações que nunca dei, declarações que nunca fiz, viagens com pessoas a lugares onde nunca estive, férias com pessoas que nunca conheci”.

O mensagem continua: “… falsas alegações de impropriedade e comportamento ofensivo que eu abomino e nunca participei, testemunha de eventos que nunca vi, vivendo de fundos fiduciários que nunca tive, participando de histórias que mudaram materialmente tanto no tempo quanto no evento, dependendo do papel que você lê e a lista continua”. “Eu nunca participei de nenhuma ação criminal relacionada a Jeffrey Epstein”, conclui o texto.

Globo, via Monet

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Papa Francisco extingue ‘segredo pontifício’ imposto aos casos de abusos de menores na Igreja

Foto: ALBERTO PIZZOLI / AFP

O Papa Francisco anunciou nesta terça-feira, dia em que completa 83 anos, mudanças expressivas na forma como a Igreja Católica lida com os relatos de abuso sexual de menores. O Pontífice decidiu abolir a vigência do chamado “segredo pontifício”, que era imposto aos casos praticados por clérigos e, na visão de críticos, funcionava como um instrumento de silenciamento e omissão dos estupros. As medidas entram em vigor a partir de 1º de janeiro.

Dois documentos assinados por Francisco, conhecidos como “rescriptums”, usados pelo chefe da Igreja Católica para reescrever artigos específicos da lei canônica ou trechos de documentos papais, formalizam práticas que já estavam em vigor em alguns países, como reportar suspeitas de abuso sexual às autoridades civis em locais onde isso é exigido por lei. Dessa maneira, a notificação ainda não é obrigatória a nível global. O Papa também proibiu a imposição do silêncio aos que denunciarem casos, incluindo vítimas.

A extinção do “segredo pontifício” em investigações de abusos sexuais era uma demanda central levantada por líderes da Igreja em uma cúpula sobre o assunto, realizada no Vaticano em fevereiro. Francisco também ampliou de 14 para 18 anos o limite da idade considerada como pornografia infantil em casos de compartilhamento de imagens pornográficas de jovens “com o propósito de satisfação sexual através de quaisquer meios ou de qualquer tecnologia”.

A imposição do silêncio sobre as denúncias foi determinada pelo então Papa Bento XVI, em 2010. O segredo pontifício é o maior grau de informações secretas permitido pela Igreja. O Vaticano, ao longo dos últimos nove anos, insistiu na defesa de que o silêncio era uma forma de preservar a privacidade da vítima, a reputação dos acusados e a integridade do processo canônico. Atualmente, dentro das leis canônicas, conduzidas internamente na Igreja, a pior punição que pode ser aplicada contra um padre é ser excomungado.

O Globo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Segurança

Menores fogem de unidade de internação em Parnamirim

Foto: Ilustrativa

A Polícia Militar registrou a fuga de quatro internos do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Pitimbu, em Parnamirim, na Grande Natal, na noite dessa quinta-feira (21). É a segunda fuga registrada no local em dez dias.

Mesmo com muro alto com serpentinas, os internos conseguem fugir fazendo escada humana. Segundo a PM, os internos ficam soltos nos dormitórios. Informações dão conta que as grades teriam sido quebradas e as vistorias não estariam sendo feitas há um mês e meio. Há, inclusive, o temor de um fuga em massa.

Com acréscimo de informações do G1-RN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Número de homicídios no RN é o menor desde 2015 nos primeiros 120 dias deste ano

Dados estatísticos divulgados pela Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), na manhã desta quinta-feira (02), apontam uma redução no número de Condutas Violentas Letais e Intencionais (CVLIs) nos primeiros 120 dias de 2019, o menor índice proporcional neste período desde 2015.

Com base nos números fornecidos pela Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análise Criminal (Coine), nos primeiros quatro meses de 2019 foram registrados 488 CVLIs no Rio Grande do Norte, uma redução significativa quando comparado ao mesmo período em 2018, onde foram registrados 721 crimes, o que resulta em 233 vidas poupadas neste período. Os anos anteriores também apresentaram índices maiores. Em 2017, foram registrados 818 CVLIs, em 2016 ocorreram 629, e em 2015 foram 541 registrados.

Os números informados pela Coine apresentam ainda que o homicídio doloso foi o crime que apresentou maior redução em relação ao mesmo período em 2018. Houve uma diminuição direta de 179 homicídios deste tipo na comparação entre os dois anos.

Opinião dos leitores

  1. Reflexo do trabalho feito principalmente dentro do sistema penitenciário, porém a Governadora não convoca polícias aprovados no último concurso e não nomeia os agentes penitenciários já formados, também não faz um concurso para a Polícia Civil, a tendência é que o sistema penitenciário saia do controle novamente em virtude do número de servidores pedindo exoneração pela falta de valorização e salário digno em virtude da periculosidade e complexidade da profissão. Diante deste quadro se o Governo não tomar providências esse número vai voltar a aumentar, infelizmente o governo não investe em material humano, com o mesmo argumento que sempre é usado: Não possui recursos e o Estado está quebrado.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Portaria dispõe sobre participação de menores na Copa de 2014 em Natal

 O juiz da 1ª Vara de Infância e Juventude de Natal, Homero Lechner, editou uma portaria nessa segunda-feira (16), para dispor considerações sobre a hospedagem, entrada em estádios e circulação em viagens pelo Brasil de crianças e adolescentes, em função da Copa do Mundo de 2014. O ato tem vigência temporária, até 31 de julho de 2014, tendo em vista o calendário do evento futebolístico.

O juiz Homero Lechner atendeu a recomendação n.º 13 da Corregedoria Nacional de Justiça, bem como aos artigos 82, 83, § 1º, “a”, item “2” e 149, I, “a”, do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Veja a seguir as principais determinações:

Entrada em estádio

Com relação a entrada em estádio de crianças e adolescentes em dia de jogos, esta poderá ser feita sem a presença dos pais ou responsáveis, desde que o menor de 12 anos incompletos esteja acompanhado de pessoa maior de 18 anos, mediante declaração verbal deste. Já os adolescentes de 12 anos completos e 18 anos incompletos poderão ingressar no estádio desacompanhados, independente de qualquer autorização.

Hospedagem

De acordo com o documento, a hospedagem de menores de 18 anos em hotéis ou estabelecimentos congêneres, sem a presença de um dos pais ou responsável, somente poderá ser feita se acompanhados por pessoa maior, munido de todos os documentos. Entre eles, a autorização assinada pelos pais. Se o representante for estrangeiro, a compreensão do idioma do texto contido na autorização será de responsabilidade do autorizante.

Participação nas atividades promocionais do evento esportivo no estádio

A participação de crianças e adolescentes nas atividades promocionais do evento esportivo nos estádios – como acompanhamento de jogadores, porta-bandeiras, gandulas, amigo do mascote ou atividades assemelhadas – será permitida, mediante disponibilização pela empresa organizadora do evento, durante sua realização, para qualquer fiscalização, de autorização dos pais ou responsável legal.

De acordo com a portaria, para a participação na atividade “gandula” deverá ser observada a idade mínima de 18 anos. A relação de nomes e as cópias simples dos documentos de cada criança e adolescente deverão ser protocoladas pela organizadora do evento, perante o juiz da Vara de Infância e Juventude competente, com no mínimo 48 horas de antecedência da partida.

Neste caso, situações excepcionais que impeçam o prévio depósito dos documentos no prazo serão analisadas pelo juiz competente, inclusive no plantão. O protocolo dos documentos terá mera finalidade de controle e arquivo, sem a necessidade de qualquer expedição de alvará.

Venda de bebidas alcoólicas nos estádios

Sobre a venda de bebidas alcoólicas no estádio esta está terminantemente proibida a menores de 18 anos, devendo em caso de dúvida, pelo vendedor, ser exigido documento de identificação sob pena das medidas cíveis e criminais cabíveis. Aos estabelecimentos fica vedada a retenção de vias originais desses documentos, sendo facultada a extração de cópias para arquivo.

TJRN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social

Menores de idade não poderão seguir perfis de bebida alcóolica no Twitter

O Twitter vai passar a verificar a idade dos usuários quando estes quiserem seguir alguma marca de bebida alcoólica. Assim que o internauta clicar para seguir o perfil, uma mensagem será enviada solicitando que o usuário selecione uma data.

Caso o usuário seja maior de idade mas tenha inserido a data de nascimento errada por acidente, terá um prazo de até 24 horas para tentar seguir a marca desejada novamente. Agora, se o indivíduo for menor de idade, a rede social exibirá um aviso dizendo que o usuário não tem permissão para seguir a empresa, que bloqueia a conta do internauta que requisitou segui-la.

Obviamente, como já acontece em sites de marcas de bebida e em páginas com conteúdo pornográfico, esses sistemas de verificação dependem exclusivamente da honestidade da pessoa, que pode, facilmente, mentir o ano que nasceu.

Por conta disso, algumas empresas não estão satisfeitas com o modelo de verificação, uma vez que não impede ninguém de acessar o conteúdo. Mas, como a prática trata-se mais de uma auto-regulamentação da indústria do que uma obrigatoriedade, as empresas continuam apostando no sistema de triagem.

O Facebook e YouTube também fazem verificação de idade para bebidas alcóolicas, mas nesses casos o processo é mais fácil, já que o usuário precisa preencher a data de nascimento no momento da criação do perfil na rede social.

De acordo com o TechCrunch, o Twitter, em parceria com a Buddy Media, está habilitando o age-gate para as marcas interessadas, que solicitarem através do site age.twitter.com.

Fonte: Olhar Digital

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Conselho Tutelar da PB investiga rede de prostituição que leva crianças para o RN

O Conselho Tutelar da cidade de Guarabira, no Brejo do estado da Paraíba, está investigando a existência de uma rede de prostituição infantil que estaria recrutando crianças e adolescentes para serem abusadas sexualmente em cidades do vizinho estado do Rio Grande do Norte.

A confirmação foi feita na tarde deste domingo (20) pela conselheira Jussara Cunha, depois que ela e os demais profissionais, receberam a informação do desaparecimento de uma menina de apenas 14 anos de idade. “A jovem vivia com os avós e há mais de nove dias havia desaparecido. Na tarde de hoje descobrimos que ela estava escondida na casa de uma outra criança, de 12, na comunidade do Rabo da Lacraia, no bairro do Nordeste II. Quando chegamos lá, encontramos a menina e descobrimos toda a história” declarou a conselheira.

De acordo com as investigações a menina de 14 anos – que já estava dando muito trabalho aos avós porque fugia de casa frequentemente – recebeu o apoio da mãe da outra adolescente, que possivelmente sabia de todo o esquema. “Além delas duas, ainda existe uma outra menina de 13. A jovem que foi localizada hoje contou todos os detalhes do esquema. Disse que saiu de casa e durante três dias, ficou pelas ruas de Guarabira, principalmente durante a noite. Há cinco dias, as meninas conseguiram uma carona e estavam na cidade de Nova Cruz, no vizinho estado do Rio Grande do Norte.

Lá ficaram em um bar, possivelmente se prostituindo e usando drogas. Acreditamos que esta realidade é antiga e conta com o apoio de outras pessoas que estariam levando essas crianças para lá” completou.

A jovem de 14 anos foi encontrada com várias escoriações no corpo. Quando questionada, ela contou que se machucou depois que sofreu um acidente de moto. “Ela contou que estava no bar em Nova Cruz quando saiu com um amigo de moto e em uma curva, eles caíram. Inclusive existem registros do atendimento da menina no hospital da cidade” comentou Jussara.

O caso está preocupando o Conselho Tutelar, que neste domingo, realizou várias oitivas com as adolescentes e seus familiares, e, já começou a fazer um relatório que deverá ser encaminhado emergencialmente ao Ministério Público. A Polícia Civil também está acompanhando o caso.

Fonte: Portal Correio

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Denúncia

Traficantes recrutam menores no interior do RN. Garoto de 14 anos é preso com crack em Acari

A Polícia Militar apreende, nesta terça-feira, 11, na cidade de Acarí, um menor de 14 anos com oito pedras de crack para vender.

O garoto já tinha sido detido há uma semana vendendo um cigarro e seis trouxinhas de maconha.

Depoimentos dos policiais comprovam que o recrutamento de menores para o tráfico é uma prática cada vez mais frequente nas pequenas cidades do interior do RN.

O menor foi ouvido e pela segunda vez liberado na presença dos pais.

Com informações do 3º CIPM de Currais Novos

Opinião dos leitores

  1. ja esta solto, amanha ele volta a vender novamente, essa é a lei, ou seja o crime compensa neste pais injusto ate onde vamos parar com isso

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Monsenhor é condenado a 21 anos de prisão em Alagoas por abuso de adolescentes

A Justiça de Alagoas condenou o monsenhor Luiz Marques Barbosa, 83, a pena de 21 anos de prisão por exploração sexual de menores, em Arapiraca (AL).

Barbosa, que está afastado de suas funções religiosas, foi acusado de abuso sexual por três coroinhas adolescentes.

O monsenhor aparece em um vídeo, divulgado por uma emissora de TV em março de 2010, fazendo sexo oral com um rapaz. Na época, as imagens eram vendidas via Bluetooth (transmissão de imagens e sons sem fio) por ambulantes de Arapiraca.

Os padres Edilson Duarte e Raimundo Gomes, que também foram acusados de abusarem sexualmente de adolescentes da cidade, foram condenados a 16 anos e quatro meses de prisão cada um.

Em abril de 2010, os três religiosos foram ouvidos pela CPI da Pedofilia. Barbosa saiu preso da sessão. Ele nega ter abusado dos coroinhas quando ainda eram adolescentes.

A sentença de condenação foi dada nesta segunda (19) pelo juiz da Vara da Infância e Juventude de Arapiraca.

Os três religiosos vão aguardar recurso em liberdade, segundo o advogado Edson Maia, que defende Barbosa e Gomes.

O advogado disse que ainda não teve acesso à sentença, mas que vai recorrer. Segundo ele, a condenação é excessiva. A reportagem não conseguiu falar com os advogados do padre Duarte.

Vejam vídeo que aparece cenas de sexo do Monsenhor com um coroinha:

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia prende quadrilha de menores que roubavam carros

Portal BO/ Fotos Thyago Macedo

A Polícia Militar conseguiu apreender seis adolescentes acusados de dois roubos de carros. A quadrilha tinha feito vítimas em Natal e Santo Antônio do Salto da Onça, na noite desta sexta-feira (18) e na madrugada deste sábado (19). Dois seis jovens, dois têm 15 anos, dois 16 anos e outros dois têm 17 anos.

Eles foram pegos por policiais do 9º Batalhão que faziam diligências no bairro do Planalto e se depararam com os dois carros, quando um deles havia batido em um barranco de arreia e os menores tentavam retirá-lo do buraco.

O primeiro assalto foi registrado por volta das 22h de ontem, em Capim Macio, onde os acusados tomaram de assalto um veículo do tipo Fiat Uno de uma carioca que dá aulas na Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Os bandidos obrigaram que a professora ligasse o Fiat Uno e saísse dirigindo.

A partir daí, ela ficou como refém por aproximadamente 20 minutos e foi levada até o bairro de Candelária, onde acabou sendo liberada próximo ao cruzamento da avenida da Integração com avenida Prudente de Morais.

Após esse roubo, a quadrilha fugiu em direção a BR 101 e foram para o interior. Já por volta das 3h da madrugada, eles chegaram à cidade de Santo Antônio do Salto da Onça e ficaram circulando pelas ruas. Por volta das 4h, os bandidos viram um comerciante abrindo o portão de casa para sair e fizeram abordagem.

Dois dos menores foram até a vítima e usando uma arma conseguiram rendê-lo. Em seguida, eles o obrigaram a colocar vários objetos e roupas dentro do carro do comerciante, modelo Pálio Weekend, e fugiram no veículo. Além disso, também, fugiram levando R$ 500. Neste assalto, o restante da quadrilha ficou no Fiat Uno dando suporte para a fuga.

De posse de dois carros roubados, os seis adolescentes saíram de Santo Antônio do Salto da Onça e voltaram para Natal, indo até o bairro do Planalto, onde a maioria deles é residente. Para azar do bando, o menor que conduzia o Pálio Weekend roubado acabou perdendo o controle e caiu em um barranco de arreia, ficando com a frente do carro atolada.

Para tentar resgatar o veículo, os adolescentes tentaram puxá-lo usando o Fiat Uno. Neste momento, por volta das 6h, os policiais do 9º Batalhão que já estavam em diligência deram de frente com os suspeitos e decidiram fazer a abordagem. Com isso, ficou constatado que os dois carros eram roubados e os menores foram levados para a Delegacia de Plantão da Zona Sul.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *