Carla Ubarana e George leal podem ser soltos ainda hoje

O casal George leal e Carla Ubarana podem ser soltos ainda hoje. Os condenados pelo desvio de precatórios no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte conseguiram o Habeas Corpus em sessão na Câmara Criminal do TJRN, na manhã de hoje. Eles estavam presos desde 26 de março.

A sessão terminou com um placar de dois votos a um.  O juiz convocado Gustavo Marinho Nogueira Fernandes e o desembargador Virgílio Macedo Junior votaram favoráveis ao pedido de habeas corpus, enquanto  o desembargador Ibanez Monteiro votou contra. A desembargadora Maria Zeneide Bezerra alegou suspeição.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Wallace disse:

    Sempre é isso, prende, solta e os ladrões continuam em liberdade. Detalhe… ricos e cheio de dinheiro roubado no bolso do mesmo jeito. Vergonha!!!

  2. Maria disse:

    Enfim foi feita Justiça e deixaram os dois recorrerem em liberdade, como acontece normalmente nos processos. Absurdo prender os dois se os Desembargadores estão soltos…Vão cumprir a pena, mas dentro da Lei…..Deveriam olhar mais para os Desembargadores que continuam em pune…Onde está a JUSTIÇA, só funciona para os mais fracos….

  3. h33 disse:

    Corretíssimo, os ladrões maiores e mentores estão soltos porque ela deveria estar presa?????? Ou calça de veludo ou bunda de fora.

  4. Ricardo Silva disse:

    uma vergonha duas pessoas que roubaram a quatidade de milhões e gastaram em viagens de luxo naõ devolveram nem a metade do roubo e ainda vão ser souto, esta nossa justiça é uma vergonha.

  5. Iza Marra disse:

    Parabéns ao Tribunal….Enfim fez Justiça e deixou os dois recorrerem em liberdade, como acontece normalmente nos processos. Não adiantava prender os dois se os Desembargadores estão soltos…Vão cumprir a pena, mas dentro da Lei

  6. marcelo disse:

    Decisão acertada do TJ. Eles só devem retornar para a prisão se tiverem as companhias dos outros envolvidos no escândalo dos precatórios.

  7. alan altino disse:

    O ministro joaquim barbosa confirmou, em palestra no exterior, o que todos nós já sabemos:a justiça brasileira convive com a impunidade e só pune os negros e pobres.A SOLTURA DESTE CASAL É MAIS UMA VERGONHA PARA A DESMORALIZADA JUSTIÇA DESTE ESTADO.

Rombo nos precatórios no TJ é maior

A investigação do rombo no setor de precatórios do Tribunal de Justiça não está perto de ter um desfecho. Novos saques foram descobertos, agora na gestão de Judite Nunes, quando Carla Ubarana esteve a frente do setor até o fim de 2011.

A informação obtida com exclusividade blogdobg de uma fonte bem postada no processo é de que, na gestão da Desembargadora Judith o esquema continuou forte e vai muito além do que já foi divulgado na Operação Judas.

O caso é tão grave que a própria Desembargadora teria procurado o CNJ para comunicar o rombo também na gestão dela.

Há também fortes indícios de que Ubarana tenha através de laranjas também retirado uma vultuosa quantia do INSS dos precatórios.

Ai o BG pergunta, aquelas auditorias(inspeções) feitas no TJ pelo CNJ e pelo TCE não viram isso? Serviram para que?

O blog tentou entrar em contato com o atual assessor da presidência, o  juiz Raimundo Carlyle, mas o fone dele está desligado.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Seggo disse:

    Roube uma lata de leite em algum supermercado….é prisão na hora. O negócio é roubar milhões e de preferencia do governo, aqui no brasil o sujeito que faz isso não é preso, e ainda é chamado de doutor e convidado para dar palestras…

  2. Sales Freitas disse:

    Cadê a condenação dos desembargadores? Um já se aposentou e o outro??????

  3. armando disse:

    o mais impressionante e que nao tem um preso, o justiça de faz de conta, essa deste brasil da impunidade.

  4. josé arimateia disse:

    Meu Deus!a onde vamos parar com a descrença total da população nos poderes constituidos?O roubo no TJRN é muito maior do que se pensa e,porisso, ainda tentam nos enganar com o silencio(deles).Ou a democracia destroe este cancer(grossa corrupção no poder judiciario ) ou,muito em breve,poderá ser ela a destruida.

Começa agora o segundo leilão dos bens de Carla Ubarana; lance inicial será 20% menor

Acaba de começar o Segundo Leilão Público dos bens Carla Ubarana. Desta vez, o lance inicial dos bens começará com o valor de Segunda Praça, ou seja, 20% menor do que o valor inicialmente avaliado. O evento acontecerá na Central de Avaliação e Arrematação, que fica na rua Pastor Manoel Leão, s/n, Neópolis e será comandado pelo leiloeiro Marcus Nepomuceno.

No primeiro leilão apenas um dos seis carros de Carla Ubarana e George Leal foi arrematado. A Pajero Full HPE 3.2 D, ano/modelo, 2010/2011, cor preta, Diesel, placa NNV 7977/RN, Renavan nº 233631089 foi arrematada pelo valor de R$120 mil. Participaram do leilão 30 pessoas, a maioria deles investidores. A única consumidora final foi a que adquiriu o veículo.

Veja os carros que irão a leilão no dia 18:

01 (um) veículo marca Mercedes Benz SLS 63AMG, ano/modelo, 2010/2011, cor prata, gasolina, placa PFL 2611/PE, Renavan nº 316333832. Excelente estado de conservação, pneus com pouco uso, bancada e revestimento interno em couro nas cores preta e vermelha, 10.873 Km rodados. Avaliado em R$ 400.000,00;

01 (um) veículo marca Mercedes Benz GL 500, ano/modelo, 2011/2011, cor prata, gasolina, placa PEL 2611/PE, Renavan nº 349727104. Excelente estado de conservação, pneus com pouco uso, bancada e revestimento interno em couro na cor cinza, 16.587 Km rodados. Avaliado em R$ 230.000,00;

01 (um) veículo marca Chevrolet GM OMEGA CD, ano/modelo, 2011/2011, cor preta, gasolina, placa PEL 2601/PE, Renavan nº 328939420. Excelente estado de conservação, pneus com pouco uso, bancada e revestimento interno em couro na cor cinza, 4.369 Km rodados. Avaliado em R$ 80.000,00;

01 (um) veículo marca Chevrolet GM OMEGA CD, ano/modelo, 2008/2008, cor prata, gasolina, placa KFP 7080/PE, Renavan nº 986602574. Excelente estado de conservação, pneus com pouco uso, bancada e revestimento interno em couro na cor cinza, 39.234 Km rodados. Avaliado em R$ 45.000,00;

01 (um) veículo marca Selvagem Buggy S, ano/modelo, 2009/2009, cor prata, gasolina, placa MZJ 9252/RN, Renavan nº 135980755. Excelente estado de conservação, pneus com pouco uso, bancada e revestimento interno em curvim nas cores cinza e branca, 3.155 Km rodados. Avaliado em R$ 35.000,00.

Fonte: TJRN

Segundo leilão dos bens de Carla Ubarana será amanhã; lance inicial será 20% menor

O Segundo Leilão Público dos bens Carla Ubarana está marcado para esta terça-feira (18), às 10h. Desta vez, o lance inicial dos bens começará com o valor de Segunda Praça, ou seja, 20% menor do que o valor inicialmente avaliado. O evento acontecerá na Central de Avaliação e Arrematação, que fica na rua Pastor Manoel Leão, s/n, Neópolis e será comandado pelo leiloeiro Marcus Nepomuceno.

No primeiro leilão apenas um dos seis carros de Carla Ubarana e George Leal foi arrematado. A Pajero Full HPE 3.2 D, ano/modelo, 2010/2011, cor preta, Diesel, placa NNV 7977/RN, Renavan nº 233631089 foi arrematada pelo valor de R$120 mil. Participaram do leilão 30 pessoas, a maioria deles investidores. A única consumidora final foi a que adquiriu o veículo.

Veja os carros que irão a leilão no dia 18:

01 (um) veículo marca Mercedes Benz SLS 63AMG, ano/modelo, 2010/2011, cor prata, gasolina, placa PFL 2611/PE, Renavan nº 316333832. Excelente estado de conservação, pneus com pouco uso, bancada e revestimento interno em couro nas cores preta e vermelha, 10.873 Km rodados. Avaliado em R$ 400.000,00;

01 (um) veículo marca Mercedes Benz GL 500, ano/modelo, 2011/2011, cor prata, gasolina, placa PEL 2611/PE, Renavan nº 349727104. Excelente estado de conservação, pneus com pouco uso, bancada e revestimento interno em couro na cor cinza, 16.587 Km rodados. Avaliado em R$ 230.000,00;

01 (um) veículo marca Chevrolet GM OMEGA CD, ano/modelo, 2011/2011, cor preta, gasolina, placa PEL 2601/PE, Renavan nº 328939420. Excelente estado de conservação, pneus com pouco uso, bancada e revestimento interno em couro na cor cinza, 4.369 Km rodados. Avaliado em R$ 80.000,00;

01 (um) veículo marca Chevrolet GM OMEGA CD, ano/modelo, 2008/2008, cor prata, gasolina, placa KFP 7080/PE, Renavan nº 986602574. Excelente estado de conservação, pneus com pouco uso, bancada e revestimento interno em couro na cor cinza, 39.234 Km rodados. Avaliado em R$ 45.000,00;

01 (um) veículo marca Selvagem Buggy S, ano/modelo, 2009/2009, cor prata, gasolina, placa MZJ 9252/RN, Renavan nº 135980755. Excelente estado de conservação, pneus com pouco uso, bancada e revestimento interno em curvim nas cores cinza e branca, 3.155 Km rodados. Avaliado em R$ 35.000,00.

Fonte: TJRN

Bens de Carla Ubarana irão a leilão amanhã

Cinco veículos de luxo, incluindo duas Mercedes-Benz modelo “Asa de Gaivota”, além de um buggy que pertenceram à Carla de Paiva Ubarana Araújo Leal, serão leiloados amanhã. Os carros foram avaliados em R$ 890 mil.

O leilão erá realizado, aberto ao público, será realizado no auditório da Central de Avaliação e Arrematação, localizado na Rua Pastor Manoel Leão, s/n, Neópolis. O horário não foi divulgado pelo Tribunal de Justiça do RN.

Não havendo licitante ou lance superior ao avaliado naquela data, fica designado o dia 18 de setembro de 2012, no mesmo horário e mesmo local, para a realização do Segundo Leilão Público para a venda a quem mais der e maiores vantagens oferecer, desde que obedecido o percentual mínimo de 80% do valor da avaliação, sem que haja necessidade de renovar a publicação do edital.

Lista dos bens:
01 (um) aparelho de telefonia celular, marca VERTU, de alta tecnologia, Linha Quest – Smartphones, número de referência Q-019253, teclado em detalhe na cor preta: acompanha uma capa na cor preta, em excelente estado de conservação. Avaliado em R$ 4.500,00 (quatro mil e quinhentos reais);

01 (um) aparelho de telefonia celular, marca VERTU, de alta tecnologia, Linha Quest – Smartphones, número de referência Q-009726, teclado em detalhe na cor preta: acompanha uma capa na cor preta, em excelente estado de conservação. Avaliado em R$ 4.500,00 (quatro mil e quinhentos reais);

01 (um) veículo marca Mercedez Bens SLS 63AMG, ano/modelo, 2010/2011, cor prata, gasolina, placa PFL 2611/PE, Renavan nº 316333832. Excelente estado de conservação, pneus com pouco uso, bancada e revestimento interno em couro nas cores preta e vermelha, 10.873 Km rodados. Avaliado em R$ 400.000,00 (quatrocentos mil reais);

01 (um) veículo marca Mercedez Bens GL 500, ano/modelo, 2011/2011, cor prata, gasolina, placa PEL 2611/PE, Renavan nº 349727104. Excelente estado de conservação, pneus com pouco uso, bancada e revestimento interno em couro na cor cinza, 16.587 Km rodados. Avaliado em R$ 230.000,00 (duzentos e trinta mil reais);

01 (um) veículo marca Pajero Full HPE 3.2 D, ano/modelo, 2010/2011, cor preta, Diesel, placa NNV 7977/RN, Renavan nº 233631089. Excelente estado de conservação, pneus com pouco uso, bancada e revestimento interno em couro nas cores preta e vermelha, 30.858 Km rodados. Avaliado em R$ 100.000,00 (cem mil reais);

01 (um) veículo marca Chevrolet GM OMEGA CD, ano/modelo, 2011/2011, cor preta, gasolina, placa PEL 2601/PE, Renavan nº 328939420. Excelente estado de conservação, pneus com pouco uso, bancada e revestimento interno em couro na cor cinza, 4.369 Km rodados. Avaliado em R$ 80.000,00 (oitenta mil reais);

01 (um) veículo marca Chevrolet GM OMEGA CD, ano/modelo, 2008/2008, cor prata, gasolina, placa KFP 7080/PE, Renavan nº 986602574. Excelente estado de conservação, pneus com pouco uso, bancada e revestimento interno em couro na cor cinza, 39.234 Km rodados. Avaliado em R$ 45.000,00 (quarenta e cinco mil reais);

01 (um) veículo marca Selvagem Buggy S, ano/modelo, 2009/2009, cor prata, gasolina, placa MZJ 9252/RN, Renavan nº 135980755. Excelente estado de conservação, pneus com pouco uso, bancada e revestimento interno em curvim nas cores cinza e branca, 3.155 Km rodados. Avaliado em R$ 35.000,00 (trinta e cinco mil reais

Após pedir asilo político, Carla Ubarana afasta possibilidade de fuga

A notícia do pedido de asilo político por parte de Carla Ubarana, ex-chefe da Divisão de Precatórios do Tribunal de Justiça do RN, e do marido, George Leal, significou para muitos o indício de uma fuga do casal durante o trâmite do processo relativo aos desvio de dinheiro no TJ-RN.

Em matéria do Diário de Natal, assinada por Paulo Nascimento e Moisés de Lima, Ubarana e George garantem que não pensam em deixar o país antes que o caso dos Precatórios seja liquidado na Justiça, e essa determine suas respectivas sentenças.

Inclusive, é vedada legalmente a saída do país de ambos, uma vez que esta foi uma das condições relacionadas na decisão pela liberdade provisória, concedida pela Justiça no dia 30 de maio.

Segue abaixo a matéria na íntegra:

 

A saída do casal Carla Ubarana e George Leal para qualquer dos países que afirmam ter pedido asilo político (França, Suíça, Canadá e Estados Unidos) não pode ser acertada apenas com a autorização das embaixadas para que o mesmo aconteça. O primeiro passo a ser tomado por Carla e George é na Justiça do Rio Grande do Norte. A liberdade provisória foi concedida – sob algumas circunstâncias – em 30 de maio pelo juiz José Armando Ponte Dias Júnior, titular da 7ª Vara Criminal, onde corre o processo relativo aos desvios comandados por Carla Ubarana enquanto era chefe da Divisão de Precatórios do Tribunal de Justiça do RN (TJ-RN).

Praticamente todas as condições acordadas na decisão pela liberdade provisória são restritivas a uma possível saída de Carla e George para um dos quatro países em que pediram asilo político. A primeira condição é de que eles teriam que comparecer semanalmente na 7ª Vara Criminal. As outras proibições rezam que o casal não poderia mudar de residência, ausentar-se de Natal e não poderiam estar fora de casa entre 20h e 6h. O descumprimento de uma destas condições sem autorização judicial poderia substituir a atual condição de liberdade provisória até por um decreto de prisão preventiva, conforme está registrado no artigo 282 do Código de Processo Penal.

Segundo o juiz Ivanaldo Bezerra, titular da 8ª Vara Criminal da Comarca de Natal, a cessão do asilo político para Carla Ubarana e George Leal teria que vir acompanhada, primeiramente, por uma autorização judicial. “Seria muito fácil pedir asilo, ir embora e o processo continuar na justiça local. Ela primeiro tem que resolver a situação processual”, aponta o magistrado, citando as restrições impostas quando da autorização para liberdade provisória.

Ivanaldo Bezerra ainda explicou que as restrições servem como uma medida cautelar e que o processo pode seguir, mesmo com uma situação hipotética da família Ubarana Leal seguir para o exterior. “Ela resolvendo esta situação do processo, nada impede que siga para o seuasilo político. As restrições funcionam como uma medida cautelar, para garantir a efetividade do processo. Tanto que ela e o marido estão em liberdade, mas não podem fazer tudo”, comentou ele. O próprio magistrado, quando substituiu José Armando Ponte na 7ª Vara Criminal em seu período de férias, o que está fazendo novamente este mês, chegou a negar um pedido de prisão domiciliar para George e Carla – “Não seria correto naquele momento” -, o que terminou acontecendo meses depois.

Casal diz que não irá fugir do país

O casal Carla Ubarana e George Leal foi taxativo ao declarar que em hipótese alguma irá fugir do país e pedir asilo político no exterior antes que seja cumprida a sentença judicial em curso. “Nós queremos deixar bem claro que vamos cumprir obrigatoriamente a sentença que for determinada pela Justiça do Rio Grande do Norte e o que determinarem as leis brasileiras. Somente depois de recebida e acatada a decisão judicial é que pensaremos em pedir asilo a um dos países consultados”, afirmou o empresário George Leal.

Na edição de quinta-feira do Diário de Natal, Carla Ubarana revelou que poderia pedir asilo político a consulados e embaixadas estrangeiras, por meio de uma série de documentos encaminhados aos Estados Unidos, Canadá, França e Suíça. A servidora do ex-chefe de precatórios do Tribunal de Justiça afirmou que a decisão se deveria à falta de segurança sentida pelo casal e sua família. “Nos sentimos ameaçados e pedimos a ajuda externa para garantir nossa integridade e de nossos familiares”, disse Ubarana.

Fonte: Diário de Natal

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Paulo César disse:

    Asilo político? se a embaixada do país aceitar, bastar entrar dentro do espaço territorial da embaixada do país em questão, não precisa de nenhuma liberação de quem quer que seja.
    Engraçado – não é o caso – um perseguido político pedir licença para se asilar.
    Tem gente que afirma cada coisa que só Deus( se é que ele…) entende.

Carla Ubarana e Família pedem asilo a consulados e embaixadas estrangeiras

Segue reportagem de Moisés de Lima no Diário de Natal, o blog comenta depois:

O escândalo dos precatórios do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN) pode ganhar repercussão internacional. Carla Ubarana, ex-chefe do setor de precatórios do tribunal, e seu marido, o empresário George Leal, acusados no processo deflagrado após a Operação Judas, pediram asilo político a consulados e embaixadas estrangeiras, por meio de uma série de documentos encaminhados aos Estados Unidos, Canadá, França e Suíça. A informação foi dada ontem pelo casal ao Diário de Natal. A servidora do TJ afirma que a decisão se deve à falta de segurança sentida pelo casal e sua família. ” Nos sentimos ameaçados e pedimos a ajuda externa para garantir nossa integridade e nossos familiares”, explicou Carla Ubarana, em contato com a reportagem.

A escolha dos quatro países levou em conta se tratar de lugares que o casal já visitou e conhece a língua. Ubarana fala inglês e francês. Ela destaca que a solicitação de asilolevou em conta a falta de segurança da família, ameaças sofridas e o corte do salário da servidora, que está sem receber do TJ desde janeiro, o que considera “perseguição”. A Ação Penal Pública na qual os dois são réus também foi anexada. Segundo Carla Ubarana, o pedido foi encaminhado via carta registrada aos quatro consulados. Ela afirma que o casal já recebeu a resposta positiva, e a segunda etapa é o encaminhamento da soliticação para as embaixadas, nas capitais, para que seja dado o parecer. “Acreditamos que em um prazo médio de dois meses teremos a resposta final”, comentou.

Segundo ela, organismos internacionais e governos estrangeiros contatados já têm conhecimento oficial do processo e da falta de segurança vivida pela família Ubarana desde que a Operação Judas foi iniciada. Ontem, Carla Ubarana relatou que pessoas estranhas continuam a se aproximar do casal. Na última quarta, por volta das 17 horas, ele teria notado a aproximação de um estranho quando se dirigia à escola da filha. Logo, apontou umacâmera fotográfica em sua direção e ligou para o marido. “Ele saiu correndo. Acho que não estava sozinho”, relata.

Do Blog: Não vou fazer juízo de valor sobre o pedido de asilo do casal até porque eu poderia ser profundamente injusto, mas confesso que as ações do casal Ubarana me assustam, parecem enredo de filme, passa a impressão que é tudo muito bem planejado, sem precisar comentar, mas vejam a naturalidade do desenrolar dos fatos.

Só por curiosidade, numa crise grande dessas na Europa e nos EUA como o casal Ubarana se manteria por lá?

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Paulo César disse:

    Os desembargadores que foram acusados aonde estão?
    Nunca mais vi falar nada. Todos recebendo seus salários em dia.
    Como anda o processo?

  2. Jefferson Igor disse:

    E o que tem a ver a crise financeira da europa com a ida dela ? Até onde eu sei, quando se está em crise, tudo fica mais barato.
    E outra, ela tem que ir mesmo, afinal, o governo quer que ela diga tudo , mas não quer dar segurança.

Advogados de Carla Ubarana devem pedir para MP rever esquema de segurança policial para casal da 'Operação Judas'

Em matéria da Tribuna do Norte, por Júlio Pinheiro

A segurança de Carla Ubarana está ameaçada. No fim da tarde de ontem, os advogados que defendem a ex-chefe da Divisão de Precatórios do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte no processo deflagrado após a “Operação Judas” entregaram ao Ministério Público dois boletins de ocorrência registrados pela cliente. Nesta sexta-feira, foram confirmadas duas tentativas de crimes contra Carla Ubarana: uma tentativa de homicídio, que ocorreu no fim de junho, e uma tentativa de invasão à residência onde ela mora com o marido, George Leal. A segurança da principal testemunha do esquema de corrupção na Divisão de Precatórios do TJ-RN poderá ser revista.

A informação inicial era que, logo após a ação dos criminosos, a Polícia Militar teria sido acionada. Contudo, o comandante-geral da PM, coronel Francisco Canindé de Araújo Silva, garantiu que não foi registrado nenhum chamado à Polícia Militar para a área no dia em que ocorreu a tentativa de invasão. Do mesmo modo, a assessoria de comunicação da Polícia Civil informou que a Delegacia Geral não teve conhecimento sobre o caso.

Segurança policial pode ser revista

Tanto no caso em que o homem tentou esfaquear Carla Ubarana, quanto na tentativa de invasão da residência, as queixas foram prestadas através da Delegacia Virtual, na internet. Os dois boletins de ocorrência foram levados pelos advogados de Carla Ubarana para os promotores de Defesa do Patrimônio Público, que estão à frente da investigação sobre o esquema fraudulento dentro na Divisão de Precatórios do TJ-RN. Não há informações sobre suspeitos ou qual a motivação dos crimes praticados contra Carla Ubarana.

Os advogados do casal já estudam a possibilidade de discutir junto ao MP a revisão sobre a necessidade de disponibilizar, mais uma vez, de segurança policial ao casal. Até o momento da revogação da prisão domiciliar, a residência estava protegida por policiais militares do Batalhão de Operações Especiais. Após a soltura, dia 30 de maio, a Polícia Militar ficou desobrigada a fazer a segurança 24 horas do casal.

Ainda não foi formalizado BO sobre tentativa de invasão à residência de Carla Ubarana

Não foi formalizado até o momento o registro de boletim de ocorrência acerca da tentativa de invasão à residência de Carla Ubarana e Gerorge Leal, envolvidos no caso dos Precatórios exposto pela Operação Judas, do Ministério Público do RN. A informação foi dada pelo comandante da Polícia Militar, Francisco Canindé de Araújo.

 

Juiz Federal Ivan Lira dá aula sobre delação premiada

A delação premiada é uma ferramenta de investigação que ainda gera polêmica. Em troca de certos benefícios, criminosos entregam detalhes sobre da ação ilegal que cometiam. Mas é justo que Carla Ubarana, por exemplo, tenha torrado o dinheiro do povo e agora viva no conforto de seu lar? E até que ponto as informação dadas por ela ou pelo empresário Alcides são verdadeiras?

O juiz federal e professor da UFRN, Ivan Lira, falou sobre o assunto pelo twitter em resposta à colunista Eliana Lima, que o havia questionado sobre o caso.

Confira na íntegra os comentários do Juiz. Excelentes por sinal. (Leia de baixo para cima para facilitar a compreensão)

Precatórios TJ: Ubarana detalha todo o esquema de desvio dos precatórios

O Blog do BG teve acesso ao vídeo do depoimento que Carla Ubarana concedeu ao juiz José Armando Ponte, da 7ª vara Criminal, no dia 30 de março passado. Em 1h46min26s, a ex-chefe da Divisão de Precatórios do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte detalhou o esquema de desvio de recursos.

Na gravação, Ubarana descreve como supostamente pagava os desembargadores Osvaldo Cruz e Rafael Godeiro com quantias de dinheiro relativas aos desvios e fraudes em precatórios. Ubarana esclarece ainda que a atual presidenta do TJ, desembargadora Judite Nunes, não teve participação alguma no esquema ilícito.

Segue resumo do depoimento:

No depoimento, Carla Ubarana respondeu com calma e em detalhes todas as perguntas do juiz José Armando Ponte e dos promotores de Justiça presentes. Apesar de estar na berlinda, a impressão que passa é de total serenidade.

A partir dos 26 minutos, ela começa a descrever como surgiu o esquema. De acordo com Ubarana, ao assumir o setor, ela fez um levantamento de todos os precatórios existentes. Na mesma época, firmou-se uma parceria com o Banco do Brasil em que todos os recursos da cota dos precatório seriam transferidos do Banespa para o BB.

Ubarana contou que foi neste momento que ficou sabendo quanto tinha na conta dos precatórios, cerca de R$ 1,6 milhão. Seria, segundo ela, um dinheiro sem dono. “ (um levantamento feito pelo setor)não identificou origem e não era vinculado a nenhum processo”, explicou, ressaltando de 2007  a 2011, tempo em que ficou a frente do setor, os processos seguiram rigidamente a ordem cronológica.

Então, o desembargador Oswaldo Cruz ao saber desse dinheiro ‘disponível’, teria questionado Carla sobre a possibilidade de “desviar esse recurso para benefício próprio”. E aí, a partir de um processo de pagamento de precatórios da Prefeitura do Natal, iniciou-se o desvio. “Eu disse a ele que poderia usar o mesmo processo e pagar ele em duplicidade”, detalhou. “Eu usei a conta de George [Leal] para receber o primeiro cheque do desembargador referente a esse processo pago em duplicidade”, completou.

No principio, segundo Ubarana, a divisão era feita só entre ela e o desembargador. E o pagamento era feito em cheques nas contas dela, de George, da Gless ou de laranjas. Na divisão do dinheiro não havia percentual engessado de quanto ficaria para cada um, mas o máximo que se retirava da conta de uma única vez era, 90 mil. E o dinheiro era entregue sem percentual estabelecido ao desembargador, segundo depoimento de Ubarana, em notas de R$ 100

Nesta primeira leva do esquema, feita através dos cheques, Ubarana conta que se deixou pouco mais de um milhão na Conta. “Nós retiramos cerca de R$ 500 mil nesta fase”, contou.

A ex-chefe da Divisão dos Precatórios relata que havia momentos em que os desembargadores iam até a sua sala reclamar do atraso no repasse das fraudes. “Eles estavam acostumados com aquilo [pagamento] a toda semana, mas não podia fazer toda semana porque tinha que deixar o dinheiro na conta judicial rendendo para poder tirar e não fazer falta”.

Já em 2009, quando a presidência do TJ mudou de mãos e ficou sob responsabilidade do desembargador Rafael Godeiro, Ubarana e Osvaldo Cruz teriam se reunido para definir o futuro do esquema. “Na gestão do desembargador Rafael, Osvaldo me chamou e disse que queria continuar do mesmo jeito. Perguntou se tinha condição de fazer com Rafael [Godeiro]?”

A mulher relata que logo o esquema passou a ser dividido para três pessoas: Carla, Osvaldo e Rafael. “Um dia, o desembargador Rafael me procurou e disse: ‘conversei com o desembargador Osvaldo e já sei como o precatório funciona'”. Ubarana disse que os pagamentos chegavam a ocorrer na garagem de Rafael Godeiro no TJ. “O valor que eu levava na minha bolsa para o tribunal era o valor que tinha que entregar aos desembargadores.  Como tinha essa sala própria, fazia essa divisão, colocava nos envelopes. Já teve vez de passar na minha sala e reclamar que tava demorando a entregar”, afirmou.

Para Carla, as fraudes continuaram ocorrendo durante toda a gestão de Rafael Godeiro, e “de forma até mais rápida”. Segundo ela, o percentual da divisão da quantia para os três envolvidos nunca foi acertado. “Passou a ser uma divisão para três. O percentual também nunca foi acertado. [Rafael] Recebia na mesma proporção que desembargador Osvaldo e até reclamava. (…) Sempre recebi menos que os dois”.

De acordo com Ubarana, Rafael Godeiro chegava a reclamar da participação de Osvaldo Cruz já que este havia começado a receber antes de Rafael e por isso devia ter a menor fatia das fraudes.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Noslin disse:

    será que vai acabar em pizza? Para moralizar essa Justiça já tão desacreditada, os envolvidos deveriam ser afastados imediatamente e sem remuneração, ficando com seus bens indisponíveis e sendo posteriormente condenados a devolver aos cofres públicos os valores subtraídos indevidamente.

Saldo do Luxo: Ubarana voltou da Europa com 'mixaria' de troco

Ter cinco mil francos suíços e 18 mil euros para gastar em uma viagem pela Europa já pode ser considerado um privilégio para poucos. Agora, imagine trazer isso de ‘troco’, o restinho que sobrou, as últimas migalhas. Pois é. Foi essa a ‘mixaria’ que sobrou da última viagem do Casal Carla Ubarana e George Leal ao exterior.

Pelo menos, foi isso que o casal alegou durante o depoimento prestado ao Ministério Público. A quantia faz parte do dinheiro devolvido, em espécie, à justiça. Ubarana é a principal acusada do esquema de desvio de dinheiro no setor de precatórios e, tudo indica, que este luxo foi sustentado por esta prática ilícita.

E se o ‘troco’ foi deste tamanho, dá para ter uma ideia do quanto se gastou no total. Melhores hoteis, restaurantes, passeios…

Mas esta história pode ainda ser mais suja do que parece. Diante da grande quantidade de Francos Suíços, uma moeda com circulação restrita à Suíça, já especula-se a possibilidade de haver dinheiro aplicado no exterior, principalmente em paraísos fiscais. Uma equipe de procuradores do Estado foi inclusive designada para avaliar o fato.

O procurador geral do Estado, Miguel Josino, afirmou que ainda não há nada de concreto sobre o fato, além de que a Procuradoria pretende acompanhar o desenrolar dos acontecimentos, no intuito de garantir a devolução do  dinheiro pertencente aos cofres do Estado. “O dinheiro devido precisa voltar ao Estado”, disse Josino.

Precatórios: Advogado de Carla Ubarana George Leal nega existência de declarações ameaçadoras

Está circulando na internet, na verdade em um respeitoso blog da cidade comandado por um profissional considerado ilibado e probo na área da comunicação, algumas declarações que teriam sido ditas por George de Araújo Leal ou Carla Ubarana de Araújo Leal, durante a prisão dos mesmos na cidade do Recife.

As frases de impacto e com som de ameaça seriam: “O TJ vai cair e nós não vamos ficar sós. Vamos abrir o bico” e “Vamos subir de elevador e chegar na cobertura. Não vão acabar com minha família não”.

Mas agora há tarde, após a prisão dos dois em Recife/PE e antes dos depoimentos ao delegado Marcos Dayan, da Delegacia Especializada de Investigação de Crimes Contra a Ordem Tributária (Deicot), que investiga o caso dentro das atribuições da Polícia, o advogado do casal Felipe Cortez negou veementemente a existência de tais declarações.

O defensor disse que além de não existir qualquer uma das duas declarações, que não permitiria que algum dos seus clientes a fizesse.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Omar Salgado disse:

    Caro blogueiro ! Antes de mais nada, parabéns pelo jornalismo corajoso, independente e ágil. Mas, cuidado com a rapidez e com o respeito ao seu leitor ! No quesito "rapidez" refiro-me ao assassinato lingüístico. Exemplo: vc empregou o verbo haver ("há") de forma totalmente equivocada. Quanto ao "respeito ao leitor" peço, imploro !, que não use charadas, códigos e generalidades como a utilizada neste post, quando, inexplicavelmente – como é do feitio da quase totalidade dos blogueiros desta pobre cidade – você deixou de informar ao seu fiel leitor – eu, dentre tantos – qual é este blog que veiculou esta notícia das ameaças (que parece ter sido uma "barrigada"). BG, seja sempre preciso, direto, objetivo e informativo. Não menospreze o seu sucesso e o seu talento !

Precatórios: MP confirma bloqueio de bens dos acusados

O casal Carla Ubarana de Araújo Leal e George Luis de Araújo Leal, presos na manhã desta segunda-feira (31), estão sendo considerados os principais responsáveis pelo esquema de pagamentos irregularidades de precatórios. Inclusive, existem indícios de que os dois tenham sido os principais beneficiários.

Para evitar qualquer tipo de se desfazer dos bens, a Justiça determinou o bloqueio de todos os bens do casal. Contas bancárias, imóveis e carros. Tudo está sob a guarda da Justiça até que seja concluída a fase de investigação do Ministério Público que segue em segredo de Justiça. Entre os bens apreendidos estão dois imóveis de luxo em Petrópolis, uma mansão de praia Baia Formosa e carros de luxo.

Os valores dos bens não foram contabilizados e talvez nem cheguem a ser divulgados porque  eles também englobam números e dados bancários.

O casal Carla e George está preso sob força de mandado judicial. O delegado Marcos Dayan, da Delegacia Especializada de Investigação de Crimes Contra a Ordem Tributária (Deicot), que investiga o caso dentro das atribuições da Polícia, deve tomar o depoimento dos dois ainda hoje.

Precatórios: Carla Ubarana coloca sigilos a disposição da Justiça e defesa tenta reverter pedido de prisão

No olho do furacão das irregularidades que envolvem o nome da Divisão de Precatórios do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJ/RN), a ex-chefe do setor Carla Ubarana, que se encontra de licença médica, colocou os sigilos fiscal, bancário e telefônico à disposição da Justiça.

O advogado dela, Felipe Cortez, explicou que a medida é para provar que ela quer cooperar com as investigações. Ele explicou que a medida, juntamente com a apresentação de todas as licenças médicas embasarão o requerimento para que o juiz Armando Pontes, da 7ª Vara Criminal, negue o pedido de prisão temporária.

O defensor ainda prometeu o depoimento de Carla Ubarana assim que terminar o prazo da licença médica. Carla Ubarana se encontra em Recife, recuperando-se de um problema de saúde.

“Se o juiz quiser, ele também pode determinar qualquer busca e apreensão nos imóveis dela, que daremos total apoio. Estamos requerendo que ele negue o pedido de prisão temporária e juntando todos os atestados médicos, de cirurgia, de tomografia  e outros que comprovam que ela está com um problema de saúde grave. Assim que a licença acabar, ela estará plenamente disponível para prestar qualquer tipo de depoimento na Justiça”, declarou Felipe Cortez.

Carla não foi oficialmente acusada, mas o nome dela é o principal que está sendo levantado por envolvimento no escândalo de pagamentos ilícitos através da Divisão. Ainda não existem provas concretas que a incriminem. Existe a possibilidade de que mais de uma pessoa esteja envolvida no esquema fraudulento instalado dentro do próprio TJ/RN.