IBGE abre concursos para mais de 200 mil vagas temporárias para o Censo 2021

Foto: Divulgação

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) reabriu o aguardado concurso para mais de 200 mil vagas temporárias para a realização do Censo Demográfico 2021, com salários de até R$ 2.100. Os editais foram publicados nesta quinta-feira (18) no Diário Oficial da União.

São dois processos seletivos e há vagas distribuídas para praticamente todos os municípios do país.

Veja a distribuição de vagas e salários:

181.898 vagas para a função de Recenseador: remuneração por produção, de acordo com o número de domicílios visitados e questionários respondidos.

5.450 vagas para a função de Agente Censitário Municipal (ACM): salário de R$ 2.100,00.

16.959 vagas para a função de Agente Censitário Supervisor: salário de R$ 1.700

Para a função de recenseador, a previsão de duração do contrato é de até 3 meses, podendo ser prorrogado mediante necessidades de conclusão das atividades do Censo e de disponibilidade orçamentária. A jornada de trabalho é de, no mínimo, 25 horas semanais. Veja aqui o edital.

Para as funções de agente censitário, é exigido ensino médio completo. A jornada de trabalho é de 40 horas semanais, sendo 8 horas diárias. Os melhores colocados em cada município ocuparão a vaga de agente censitário municipal, que será o responsável pela coordenação da coleta naquela cidade. Os demais supervisionam as equipes de recenseadores. A previsão de duração do contrato é de até 5 meses, podendo também ser prorrogado. Veja aqui o edital.

Inscrições

Para as vagas de recenseador, as inscrições começam no dia 23 de fevereiro e vão até 19 de março, pelo site http://www.cebraspe.org.br/concursos/ibge_20_ recenseador. A taxa de inscrição é de R$ 25,77.

Para as vagas de agente censitário municipal e agente censitário supervisor, as inscrições começam nesta sexta-feira (19) e vão até 15 de março pelo site http://www.cebraspe.org.br/concursos/ibge_20_agente. A taxa de inscrição é de R$ 39,49.

G1

VÍDEO: Fátima anuncia concursos com 276 vagas para o Itep e 211 para a Polícia Militar

Através das redes sociais, a governadora Fátima Bezerra (PT) anunciou nesta segunda-feira (1) que vai abrir concurso público para o Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep) e para oficiais e médicos da Polícia Militar. A data para o lançamento do edital ainda não foi divulgada.

Segundo a governadora, serão 276 vagas para servidores do Itep, com salários que variam entre R$ 2.800 a R$ 7.400. Já para a Polícia Militar, serão 132 vagas para o quadro de oficiais e 79 vagas para o quadro médico.

“Estamos realizando algo inédito no Rio Grande do Norte. É a 1ª vez na história que um Governo consegue viabilizar novas contratações para todas as forças de segurança do Estado”, disse.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Não sou trouxe disse:

    Pior Governadora de todos os tempos, conseguindo passar de Rosalva negativamente, com impostos altíssimos na gasolina.

  2. Marcondes Souza disse:

    Zé gado, nós não somos funcionários do governo Robson ou Fátima. Somos funcionários do Estado, independentemente de quem esteja no poder, por isso, o atual governo está em atraso, no meu caso com uma folha…

  3. Larissa disse:

    Parabéns Fátima! 👏👏👏 Fátima governadora e Bolsonaro presidente 🇧🇷

  4. Lourenço disse:

    ZeGado ou ZeGarrote 😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭

  5. Chico 100 disse:

    Melhor governo de todos os tempos. Fátima vai ficar na história ! A reeleição já é certa. Parabéns, Fátima!

  6. Cris disse:

    Cadê os 5 milhões?

  7. José disse:

    Cadê os 5 milhões dos respiradores que nunca chegaram ao estado e o concurso anunciado para polícia civil, é só propaganda esse governo não tem dinheiro nem para pagar os salários e 13 dos servidores.

  8. thiago barbosa disse:

    já estava na hora, o ITEP precisa de mais servidores para poder fazer seu trabalho corretamente!

  9. Natalense disse:

    Parabéns Governadora Fátima. Investindo na segurança.

  10. Marcia disse:

    Valeu gonvernadora,só a senhora mesmo👏👏👏👏👏👏sempre Tera o meu apoio

  11. Bruno disse:

    Cade o terceiro curso de formação para policiais penais do RN governadora ?

  12. Calígula disse:

    A Justiça de São Paulo determinou a penhora de R$ 2,6 milhões do diretório estadual do PT por uma dívida não paga da campanha eleitoral de 2014. Notícia fresquinha igual ao zegado

  13. Calígula disse:

    E as aulas nas escolas estaduais Prôfe, quando começam?

  14. ZéGado disse:

    A boiada não se interessa por esse tipo de notícia, não curtem estudar… Passam longe de uma Universidade

  15. DeSacoCheio disse:

    "É a 1ª vez na história que um Governo consegue viabilizar novas contratações…", viabilizar o q minha senhora? Atrasa o pagamento até de quem já é funcionário. E esses futuros novos contratados, vão dormir no chão e passar fome também?

    • Calígula disse:

      Inédita foi eleger essa coisa como governadora.
      Pense num governo reiêra

    • ZéGado disse:

      Você está se referindo ao governo passado, correto?!
      No atual, é 30% no dia 15 e 70% no dia 30.

Pelo menos 106 concursos públicos no país estão com inscrições abertas e reúnem 12.095 vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade

Foto: Ilustrativa

Pelo menos 106 concursos públicos no país estão com inscrições abertas nesta segunda-feira (1º) e reúnem 12.095 vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade. Os salários chegam a R$ 33.689,10 no Tribunal de Contas do Distrito Federal.

Além das vagas abertas, há concursos para formação de cadastro de reserva – ou seja, os candidatos aprovados são chamados conforme a abertura de vagas durante a validade do concurso.

Nesta segunda-feira, pelo menos 16 órgãos abrem o prazo de inscrições para 409 vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade. Só a Prefeitura de Rialma (GO) oferece 118 vagas. Os salários chegam a R$ 16.427,94 na Prefeitura de Curvelo (MG).

Veja AQUI as informações de cada concurso via G1.

País tem ao menos 77 concursos com inscrições abertas para mais de 11,3 mil vagas

Foto: Ilustrativa

Pelo menos 77 concursos públicos estão com inscrições abertas no país, nesta segunda-feira (18), com oferta de mais de 11,3 mil vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade.

Só na Polícia Militar de São Paulo são oferecidas 2,7 mil vagas, para homens e mulheres. Já os salários chegam a R$ 33.689,10 no Tribunal de Contas do Distrito Federal.

Além das vagas abertas, há concursos para formação de cadastro de reserva – ou seja, os candidatos aprovados são chamados conforme a abertura de vagas durante a validade do concurso.

Na esfera federal, o principal concurso em aberto é o da Indústria de Material Bélico do Brasil (Imbel) para formação de cadastro reserva para contratação de novos funcionários no Distrito Federal e em diversas cidades do Sudeste do país. Os salários podem chegar a R$ 5.331,47. As inscrições podem ser feitas até 18 de fevereiro e a aplicação das provas está prevista para 11 de abril.

Dos concursos abertos, pelo menos nove começam a receber as inscrições nesta segunda-feira (18) para mais de 2,2 mil vagas. Só na Prefeitura de São Lourenço da Mata, em Pernambuco, são ofertadas 942 vagas. Veja AQUI em matéria completa as informações de cada um destes nove concursos.

Com G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Calígula disse:

    Hô Véio Bom da gota serena é o Presidente Bolsonaro.
    Gerando empregos de Norte à Sul , de leste a oeste do Brasil.
    É Mito 2022 pq o homem é bom, o homem é espetacular

    • Pixuleco disse:

      Cacá , tens notícia de Tonho ? O homem desapareceu . Estará enticado num buraco de peba ? E os sobrinhos musculosos como estão ? Animados com a vacina 💉? O gel massageador que vc engomadoria não Jequiti já chegou . Um de morango outro de menta . Aí papai .

Guedes exige saber impacto de longo prazo para liberar concursos

Foto: Marcos Corrêa/PR

O Ministério da Economia vai exigir estudo de impacto orçamentário de longo prazo para autorizar concursos públicos federais, conforme instrução normativa publicada nesta quarta-feira (24) no Diário Oficial da União.

A medida, assinada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, passa a valer a partir de 1º de julho deste ano.

Hoje, a Lei de Responsabilidade Fiscal e a Lei de Diretrizes Orçamentárias já preveem que as solicitações de concurso público tenham a estimativa de impacto orçamentário-financeiro no exercício em que entrar em vigor e nos dois exercícios subsequentes.

Em nota, o Ministério da Economia informou que a visão de longo prazo na análise da autorização vai dar mais subsídios para decisões por parte dos gestores públicos, já que o comprometimento da União com o servidor é, em média, de 69,8 anos.

Pelos cálculos apresentados pela pasta, um funcionário público fica em média 34,2 anos na ativa, 24,6 anos aposentado e 11 anos com direito a pensão aos seus descendentes.

“A tendência é que esses períodos sejam gradualmente maiores em virtude do aumento na expectativa de vida da população. Assim, a despesa com um servidor permanece na folha de pagamento durante toda a sua vida funcional ativa, passando pelo período de aposentadoria e continua até que o seu último dependente perca o direito à pensão”, disse o ministério.

A estimativa de impacto da despesa a longo prazo irá considerar, entre outros fatores, as progressões e promoções, os eventuais reajustes e a incorporação de gratificações.

Reuters

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gil disse:

    E militar que até um dia a pensão integral desses ficava para as filhas mesmo maiores de idade.??? e o contribuinte pagava essa mamata por mais de 100 anos. o soldo/pensão militar de Maitê Proença já tem mais de 60 anos. Até um dias desses havia pensão remanescente de militar que lutou na Guerra do Paraguai. Tem que acabar aposentadoria integral também para militar.

  2. Gilvan disse:

    ele esqueceu de informar os tributos pagos pelos funcionários públicos durante esse tempo e que já vem retido na fonte,também superestima o tempo de vida dos funcionários.o conjunto do funcionalismo presta bons serviços a sociedade.

  3. Manoel disse:

    1 trilhao pra banco teve.

  4. Antonio Turci disse:

    Concordo com você, Dinho. O ministro tem razão. Lembro, principalmente para a turma da esquerda, o velho provérbio: "QUEM ATIRA COM PÓLVORA ALHEIA, NÃO QUER SABER O TAMANHO DO TIRO".

  5. Otávio disse:

    Tem que terceirizar com impresas privadas o serviço público.
    Tem repartições públicas aí, que só trabalham, de segunda a quarta feira, na quinta e sexta é só enrolação, são funcionários públicos já enfim de carreira e antipáticos que nem o cão.
    Chega da dó, de quem precisa resolver alguma coisa com urgencia.
    Isso tem que mudar, tem que colocar sangue novo pra fazer rápido e ajudar as pessoas que precisam dos serviços.

  6. Ivan disse:

    Se fizer conta dos diversos custos individuais de nossá máquina pública, nunca mais farão nenhum concurso, além do fato da dificuldade de desligamento do mau servidor…Uma grande parcela do universo de servidores…

  7. José disse:

    Traduzindo, o Guedes disse: Não vamos contratar Paras……s
    Total desprezo pelo serviço público.

    • Dinho disse:

      Não colega! Isso é uma tradução sua. Ele tá preocupado com a capacidade de sustentar o sistema a longo prazo, mesmo a curta prazo já estando complicado. E novos mecanismos, como estão sendo usados no presente, tenderão a diminuir a necessidade de mão de obra sim. Mas se vc acha que isso é total desrespeito, é uma questão sua. Imagino um dia, o país mesmo controlado pela esquerda, não ter capacidade de pagamento, e ser obrigado a desmontar a máquina.

IBGE abre concursos para mais de 208 mil vagas para o Censo 2020

 Foto: Licia Rubinstein/Agência IBGE Notícias

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) abriu o aguardado processo seletivo para mais de 208 mil vagas temporárias para a realização do Censo Demográfico 2020, com salários de até R$ 2.100. Os editais foram publicados nesta quinta-feira (5) no Diário Oficial da União.

Foram publicados dois editais. O primeiro oferece 180.557 vagas para a função de recenseador. Os candidatos precisam ter apenas o ensino fundamental completo. Para esta função, a remuneração será por produção, calculada por setor censitário. Veja aqui o edital.

A previsão de duração do contrato é de até três meses, podendo ser prorrogado mediante necessidades de conclusão das atividades do Censo e de disponibilidade orçamentária.

O segundo edital prevê o preenchimento de 5.462 vagas para a função de agente censitário municipal e 22.676 vagas para a função de agente censitário supervisorVeja aqui o edital.

Para estas vagas, é exigido ensino médio completo. Os salários são de R$ 2.100 e R$ 1.700, respectivamente. A previsão de duração do contrato é de até 5 meses, podendo também ser prorrogado.

As inscrições podem ser feitas a partir desta quinta-feira (5), e vão até 24 de março, somente pela internet, no site da Cebraspe (https://www.cebraspe.org.br/). As taxas são de R$ 23,61 para o primeiro edital e de R$ 35,80 para o segundo.

Concurso para Censo de 2010 teve mais de 1 milhão de inscritos

No Censo 2010, 191.972 vagas foram abertas para recenseador, atraindo mais de 1 milhão de inscritos. Outras 33.012 vagas foram abertas para agente censitário administrativo, agente censitário de informática, agente censitário municipal, agente censitário regional e agente censitário supervisor.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Raquel Lira disse:

    Quero vagas

MPRN recomenda ao Governo do Estado que dê celeridade aos concursos públicos para Polícia Civil e Itep até mesmo dispensando a licitação

Foto: G1 RN

Recomendações foram publicadas na edição desta sexta (17) do Diário Oficial do Estado. Documento destaca a necessidade de nomeação de novos servidores para promover o direito fundamental à segurança pública

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) recomendou ao Governo do Estado que dê celeridade aos concursos públicos para preenchimento de vagas na Polícia Civil e no Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep). As duas recomendações, destinadas à Secretaria Estadual de Administração, foram publicadas na edição desta sexta-feira (17) do Diário Oficial do Estado (DOE).

Na recomendação relativa à Polícia Civil, a 70ª Promotoria de Justiça de Natal destaca que o atual efetivo da Polícia Civil, que é de 1.371 policiais (162 delegados, 185 escrivães e 1.024 agentes), representa 26,6% dos 5.150 cargos previstos em lei (350 delegados, 800 escrivães e 4 mil agentes).

O MPRN lembra, ainda no documento, há ainda 130 policiais civis aptos à aposentadoria voluntária, dos quais 13 estão próximos da aposentadoria compulsória por idade. Para expedir a recomendação, o MPRN levou em consideração que a abertura do processo administrativo para a realização do concurso público para a reposição de vagas de delegado, agente e escrivão de Polícia Civil ocorreu há mais de quatro anos e seis meses, através de um memorando datado de 19 de maio de 2015.

Nas duas recomendações, o MPRN frisa que a contratação da banca do concurso não pode ser feita mediante pregão, mas sim por dispensa de licitação ou licitação pela modalidade concorrência do tipo melhor técnica ou técnica e preço, sendo preferível, no caso, a dispensa, em razão de ser “um procedimento bem mais célere e usualmente utilizado para contratações da espécie, não havendo dúvidas acerca de sua legalidade, nos termos da Súmula 287 do Tribunal de Contas da União”.

Clique aqui e veja detalhada no Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Roberto Araújo disse:

    Já passou da hora do governo resolver esse verdadeiro couro de p***.

Extremoz, na Grande Natal, abre editais de concursos com 66 vagas; Guarda Municipal(40), e profissionais níveis médio e superior(26)

Foto: Ilustrativa

A Prefeitura Municipal de Extremoz, por meio da Fundação de Apoio à Educação e ao Desenvolvimento Tecnológico do Rio Grande do Norte – FUNCERN, anuncia a realização de Concurso Público, que tem por objetivo o preenchimento de 40 vagas disponíveis ao cargo de Guarda Civil Municipal.

Entretanto, é necessário que o candidato possua escolaridade em nível médio. Ao ser contratado, o servidor deve exercer funções em regime de 40 horas semanais, sendo remunerado mensalmente no valor de R$ 1.600,00.

Os interessados devem efetuar inscrições com taxa no valor de R$ 100,00, no período de 10 de outubro de 2019 a 11 de novembro de 2019, por meio do seguinte endereço eletrônico: www.funcern.br.

Como forma de seleção serão aplicadas as seguintes etapas: Prova Escrita Objetiva na data provável de 08 de dezembro de 2019 e Teste de Aptidão Física, no período de 09 a 12 de janeiro de 2020.

A validade do Certame é de dois anos, podendo ser prorrogado uma única vez, por maios dois anos.

(EDITAL DE ABERTURA N° 002/2019)

Prefeitura de Extremoz – RN também anuncia as inscrições de Concurso Público, destinado ao preenchimento de 26 vagas, para profissionais – níveis Médio e Superior

A Prefeitura Municipal de Extremoz – RN anuncia as inscrições do Concurso Público, destinado ao preenchimento de 26 vagas, para profissionais de nível Médio e Superior.

Os cargos disponíveis neste Certame são: Fiscal de Turismo, Meio Ambiente, Urbanismo e Postura (17); Analista/ Especialidade Tecnologia da Informação (02); Agente Administrativo (04) e Auditor Fiscal (03).

O período de trabalho é de 40h semanais com vencimento a ser recebido variando no valor de R$ 1.278,83 a R$ 1.539,00 conforme o cargo escolhido; e/ou Gratificação de Produtividade.

As inscrições podem ser realizadas a partir do dia 04 de outubro de 2019 até o dia 04 de novembro de 2019, no site www.funcern.br.

O valor da taxa de inscrição a ser paga pelo candidato é de R$ 80,00 (para os cargos de nível médio) e R$ 100,00 (para os cargos de nível superior).

Quanto à classificação constará de Prova Escrita Objetiva de Múltipla escolha (para todos os cargos), prevista para o dia 24 de novembro de 2019 e Prova de Títulos (para os cargos de nível superior).

Este Concurso Público terá validade de dois anos, podendo ser prorrogado uma única vez, por mais dois anos.

(EDITAL DE ABERTURA Nº 001/2019)

Com informações do PCI Concursos

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tarcísio Eimar disse:

    Como uma pessoa com capacidade pra ser auditor fiscal vai íntegro no cumprimento do dever ganhando pouco mais de R$ 1.500,00. É por isso que as coisas não funcionam.

Com salários que chegam a R$ 10 mil, concursos em prefeituras e câmaras municipais no RN oferecem 293 vagas

Foto: Ilustrativa

Certames na região do Mato Grande. Os municípios de João Câmara, Jardim de Angicos, Parazinho, Pedro Avelino e Guamaré lançaram edital para um concurso público em conjunto para preenchimento de 293 vagas. Os salários variam de R$ 998 a R$ 10 mil. As inscrições podem ser feitas pela internet até o dia 2 de outubro e as provas estão previstas para 1º de dezembro. Acesse aqui para edital e inscrições.

Com salários que chegam a R$ 10 mil, concursos em prefeituras e câmaras municipais no RN oferecem 293 vagas

Certames na região do Mato Grande. Os municípios de João Câmara, Jardim de Angicos, Parazinho, Pedro Avelino e Guamaré lançaram edital para um concurso público em conjunto para preenchimento de 293 vagas. Os salários variam de R$ 998 a R$ 10 mil. As inscrições podem ser feitas pela internet até o dia 2 de outubro e as provas estão previstas para 1º de dezembro. Acesse aqui para edital e inscrições.

Concursos em duas prefeituras no interior do RN com 91 vagas encerram inscrições nesta quarta

Os concursos públicos para as prefeituras de Apodi e Itaú, ambas na região Oeste potiguar, encerram nesta quarta-feira (15) as suas inscrições. As provas são de níveis médio e superior e os salários podem chegar até R$ 2.500,00. A Fundação de Apoio ao IFRN está organizando a seleção. Acesse AQUI o edital e a ficha de inscrição

As etapas de seleção são as mesmas para os candidatos das duas prefeituras. São oferecidas 91 vagas, sendo 53 para a Prefeitura de Apodi e 39 para Itaú.

As inscrições custam R$ 100 para os cargos de Nível Médio e R$ 120 para Nível Superior.

Concursos no interior do RN oferecem 45 vagas e salários de até R$ 8 mil

Foto: Ilustrativa

Encontram-se abertas as inscrições para o novo Concurso Público da prefeitura de Taboleiro Grande, no Estado do Rio Grande do Norte.

O objetivo é preencher 37 vagas para profissionais dos níveis de formação Médio/ Técnico e Superior, e as mesmas estão distribuídas entre os cargos de Advogado (1); Agente Comunitário de Saúde (1); Assistente Administrativo (3); Assistente Social (1); Auxiliar de Creche (1); Auxiliar de Farmácia (1); Cirurgião Dentista do ESF (1); Educador Social (1); Enfermeiro (1); Enfermeiro do ESF (1); Farmacêutico (1); Farmacêutico/Bioquímico (1); Fiscal de Tributo Municipal (1); Fisioterapeuta (2); Fonoaudiólogo Clínico (1); Médico do ESF (1); Médico Veterinário (1); Nutricionista (1); Nutricionista – Secretaria de Educação (1); Pedagogo (5); Professor de Ciências (1); Professor de Educação Física (1); Professor de Geografia; Professor de História (1); Professor de Língua Portuguesa; Professor de Matemática; Psicólogo (1); Psicólogo Clínico (1); Psicopedagogo (1); Técnico de Patologia Clínica (1); Técnico em Enfermagem (1); Técnico em Enfermagem do ESF (1) e Técnico em Saúde Bucal (1).

Assim que assumirem as funções, os profissionais devem atuar em jornadas de 20h a 40h semanais de trabalho, com remunerações que variam de R$ 954,00 a R$ 8.000,00 ao mês.

Os interessados podem efetuar as candidaturas até o dia 12 de dezembro de 2018 por meio do endereço eletrônico da Consulpam, empresa responsável pela organização do certame em questão. Para que as mesmas sejam homologadas é necessário efetuar o pagamento de taxa que tem valores entre R$ 86,00 e R$ 130,00.

A classificação dos candidatos acontecerá por meio de prova objetiva, cuja aplicação está prevista para acontecer no dia 3 de fevereiro de 2019. A avaliação deve contar com questões sobre os temas Língua Portuguesa; Conhecimentos Matemáticos; Noções de Direito Administrativo; Noções de Informática; Atualidades.

Este Concurso Público tem a validade de dois anos, com a possibilidade de prorrogação por período semelhante caso seja necessário.

Câmara Municipal de Pau dos Ferros

A Câmara de Pau dos Ferros – RN disponibiliza o edital do Concurso Público que tem como objetivo contratar oito servidores. As oportunidades disponíveis são para profissionais de nível Médio/ Técnico e Superior.

Encontram-se vagas nas seguintes funções: Contador (1), Assistente Administrativo (3), Motorista AB (2), Técnico em Informática (1) e Operador em Áudio, Vídeo e Sistemas (1), sendo uma das vagas do cargo de Assistente Administrativo destinada à Pessoas com Deficiência. Os profissionais receberão de R$ 954,00 a R$ 2.500,00, para atuar por 40h semanalmente.

Inscrições deverão ser feitas a partir das 10h do dia 12 de novembro de 2018 até o dia 9 de dezembro de 2018, via internet, no site da organizadora cpcon.uepb.edu.br. A taxa cobrada varia de acordo com a escolaridade do candidato, sendo R$ 80,00 para nível Médio/ Técnico e R$ 100,00 Superior.

Prevista para acontecer no dia 27 de janeiro de 2019, a Prova Escrita Objetiva tem como conteúdo programático: Português, Informática, Raciocínio Lógico e Conhecimentos Específicos. Para o cargo de Motorista AB será realizada ainda uma Prova Prática, prevista para ocorrer no dia 24 de fevereiro de 2019.

Conforme consta no edital a validade do certame é de dois anos, prorrogável por igual período.

Com informações do PCI Concursos

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Torres disse:

    Estes concursos que está acontecendo no interior do estado, é mais uma fraude, como já aconteceram nos Municípios de Pedra Grande, parazinho, Riachuelo, e muitos outros. É só o MP ir procurar saber. Todos os candidatos que foram ou são contratados, são por indicação política.

MAIS POLÊMICA – CONCURSOS: Ministério Público pretende reverter declaração de inconstitucionalidade de cotas raciais

No que depender do Ministério Público do Trabalho da Paraíba, a decisão do juiz Adriano Mesquita Dantas, que declarou inconstitucional a Lei de cotas raciais em concursos públicos, deverá ser revertida. É o que afirmou, em entrevista ao Correio, a procuradora Edlene Felizardo. Segundo ela, devido ao interesse público que permeia a matéria, o MPT adotará as providências cabíveis com o objetivo de reverter a decisão diante o TRT. “Uma vez que o caso envolve matéria constitucional, com ampla repercussão, é possível que o caso seja levado ao Supremo. Acredito, no entanto, que a Corte manterá seu entendimento no sentido da constitucionalidade das cotas raciais”.

A procuradora é a favor do sistema de cotas que reserva 20% das vagas para negros e pardos em concursos públicos. “É fato que certos grupos sempre ocuparam e ainda ocupam posições privilegiadas dentro da nossa estrutura social, ao passo que outros grupos sempre estiveram e ainda estão em situação de marginalização. É o caso da relação entre brancos e negros na sociedade brasileira. Afirmar que não existe preconceito racial no Brasil ou que o preconceito sofrido por negros decorre exclusivamente de questões relacionadas à condição social é fechar os olhos para a realidade”.

Para Felizardo, é inadmissível que ainda se discuta o lugar do negro em nossa sociedade 128 anos após a abolição do regime escravista. “Ainda que venhamos observando uma conscientização paulatina de integrantes de grupos dominantes, não há como, diante de todos os valores que fundamentam o nosso ordenamento jurídico, esperar indefinidamente que essa transformação social ocorra de um modo, digamos, espontâneo. Daí a total necessidade e constitucionalidade das cotas raciais. Ela abre portas, possibilita que o negro esteja dentro dos centros de poder”.

Sobre a grande repercussão do caso, Edlene Felizardo acredita que a questão da política de cotas raciais é muito atual e sempre desperta grande interesse da população, gerando debate em razão da complexidade do tema e dos entendimentos polarizados a seu respeito. “Essa decisão, uma das primeiras, senão a primeira acerca da constitucionalidade da Lei nº 12.990/2014, acabou indo de encontro ao que a jurisprudência, inclusive do STF, tem defendido sobre as ações afirmativas. Acredito que esse ineditismo também contribuiu para a repercussão do caso”.

Antes mesmo da sentença, o MPT já havia se pronunciado no processo contra o pedido do candidato, que desencadeou a declaração de inconstitucionalidade do sistema de cotas. Segundo Felizardo, o reclamante participou de um concurso que se destinava apenas à formação de cadastro reserva de 15 classificados, entre eles 11 de ampla concorrência, três cotistas e um deficiente. “É importante ressaltar que apenas esses 15 candidatos seriam considerados aptos à contratação quando surgidas as vagas, sendo todos os demais desclassificados. Uma vez que o reclamante ficou na 15ª posição de ampla concorrência, não chegou a ser considerado apto, nem sequer integrou o cadastro reserva”, defende.

Porém, a decisão, proferida na semana passada pela 8ª Vara do Trabalho de João Pessoa, foi a favor da defesa do candidato, que sustentou que sua nomeação havia sido postergada pelos aprovados nas cotas e questionou a constitucionalidade da legislação. Segundo Max Kolbe, advogado da ação, “é visível a inconstitucionalidade da lei, até porque ela abrange os pardos, que nada mais são do que quase a totalidade da população brasileira. Por outro lado, para que o candidato seja entendido como merecedor das vantagens das cotas, basta que ele se autodeclare preto ou pardo. Ou seja, a norma é simbólica, sem nenhuma coerência metodológica ou finalidade prática”. Saiba mais em: Juiz diz que lei de cotas para negros em concursos públicos é inconstitucional

Segundo a procuradora, apesar da decisão, o MPT defendeu as cotas se baseando na defesa de duas normas constitucionais: o princípio da legalidade, do qual decorre o princípio da vinculação às regras editalícias, e o direito à igualdade material, que sustenta ações afirmativas e confere plena constitucionalidade à Lei nº 12.990/2014.

Procurado pela reportagem, o juiz Adriano Mesquita Dantas não quis se pronunciar sobre o caso.

CorreioWeb

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rosa Santos disse:

    Concordo com a decisão do Juiz Adriano Mesquita Dantas -TRT da Paraíba.
    A Lei 12.990 é totalmente inconstitucional, e aqui o mérito não é questão de racismo negro, mas questão de preconceito de cor em relação aos outros candidatos de cor branca, amarela, e outras cores, que também são pobres…. mas estudaram para obter aprovação em concursos. Beneficiar o acesso aos mais necessitados nas univerdades é totalmente correto, pois os mais abastados podem frequentar universidades particulares, mas passar na frente de candidatos com nota alta, os candidados negros com nota baixíssima…. apenas por serem de cor preta, é uma vergonha. Eu sou concurseira, de cor branca (origem indígena), não sou racista, presto concursos públicos sempre…. Num concurso em que inclusive nem pude estudar, por falta de material, obtive a colocação 158…… mas um candidato negro com colocação 225 passou na minha frente…. e eu aqui esperando…. esperando…. para trabalhar. Esqueceram nossos representantes políticos, que deveriam ser reparados também na questão social…. os índios…. os verdadeiros donos da Terra Brasil… aniquilados pela portuguesada que assaltou nosso País….mas os portugas nunca indenizarão nossos índios…. várias etnias que com o tempo foram desaparecendo …. e os que ficaram estão por aí abandonados em vias públicas. Portugal manteve no Brasil escravos africanos, traziam da África e aqui os depositaram e os escravizaram…. com o tempo após a escravidão aqui se mantiveram.. juntamente com os índios.. a condição social dos índios é bem pior pois perderam seu País. Mas não vejo nada a respeito da situação de cotas para índios (que seria bem mais primordial – pagar a dívida ) em segmento algum??????? Será que esta população que é muito pequena não importa em nada, em relação a que está em questão????

  2. Junior pinheiro disse:

    Sou a favor de cotas para baixa renda, cotas raciais nao !!!! independente de cor se o cara estudar é capaz de tudo!!!!

  3. marcos disse:

    Adriano Mesquita Dantas, Ah Potiguar arretado!

CONCURSOS: Orçamento de 2016 prevê 12.808 vagas no Legislativo e no Judiciário

20150903075517632220aCandidatos que estão se preparando para concursos do Judiciário terão motivos para comemoração em 2016. Apesar do arrocho nas contas públicas e da sinalização de forte queda no número de vagas para o Executivo no Orçamento para o próximo ano, o governo federal foi benevolente ao distribuir 12.584 vagas entre diversos tribunais, além do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e do Supremo Tribunal Federal (STF), com despesas de R$ 378 milhões. É 185,6% mais do que no Orçamento de 2015. No Legislativo, a previsão é de 224 vagas, 50% menos do que na peça orçamentária de 2015. Somadas, as oportunidades previstas para o Legislativo e o Judiciário, entre as mais atraentes do serviço público, chegam a 12.808.

O alto número de cargos previstos para o Judiciário poderá favorecer os inscritos no concurso do Superior Tribunal de Justiça (STJ). O Orçamento de 2016 prevê R$ 7,8 milhões de despesa para custear as 287 vagas previstas para o órgão. Ainda há, na peça, a previsão de gastos para outros 335 postos, que dependem da aprovação do Projeto de Lei nº 1.179/2015, criando 670 cargos.

ara alunos e professores de cursos preparatórios, o alto número de vagas é uma indicação de que o STJ poderá, ao longo do prazo de validade do concurso, nomear número bem acima das 65 vagas previstas no edital lançado em julho. “É uma motivação a mais para os candidatos intensificarem os estudos”, recomendou o professor de administração financeira e orçamentária do Alub Concursos, José Wesley.

Na peça orçamentária, a União assinalou despesa para a contratação de 675 servidores no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), sendo 291 para cumprir as admissões previstas na Lei nº 13.057/2014, que criou 355 cargos efetivos. “O concurso para o órgão é um dos mais aguardados”, avaliou Wesley.

CorreioWeb

CONCURSOS: Governo federal vai segurar as nomeações, declara ministro do Planejamento

20150319102035284492iAs esperanças dos servidores de aumentar o número de concursos públicos e de convocações para repor o quadro de pessoal — uma das reivindicações da campanha salarial de 2015 — não deverão se concretizar tão cedo. Ontem, em pronunciamento na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), do Senado, o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, deixou claro que o ajuste das contas públicas é prioridade e, em consequência, as nomeações tendem a ser postergadas para não atrapalhar o esforço da equipe econômica em atingir a meta de superavit primário (economia para pagar os juros da dívida), de R$ 55,3 bilhões no caso do governo federal.

“Já fiz vários concursos e entendo a ansiedade. A intenção é efetivarmos os concursados o mais rápido possível, mas dentro de nossa limitação fiscal. O governo administra a velocidade de admissão conforme o prazo de validade dos certames e a execução orçamentária”, disse Barbosa. Como exemplo, citou o concurso para auditor-fiscal, válido até julho. Mas não indicou quando ou quantas pessoas serão chamadas.

O ministro afirmou ainda que reestruturações de carreiras serão tratadas com cautela. Ao responder a uma indagação do senador Hélio José (PSD/DF) sobre a equiparação salarial dos analistas de infraestrutura a servidores que exercem funções semelhantes na Esplanada, Barbosa afirmou que o tema será tratado em bloco. “As negociações que envolvem salários e carreiras serão em conjunto”, resumiu.

Barbosa revelou que não há intenção de reduzir nem o número de ministérios e nem a quantidade de cargos de confiança. “Alguns ministérios foram criados para dar mais relevância a alguns assuntos. Foi uma decisão política. Eles representam muito pouco em termos de gasto adicional em relação à importância política que têm”, disse.

Reajuste

Provocado pelo senador Reguffe (PDT-DF) sobre o excesso de cargos em comissão, Barbosa afirmou que o governo pensa em mudar a nomenclatura para evitar confusão. Segundo ele, em janeiro, havia 23 mil cargos comissionados, dos quais 17 mil eram ocupados por servidores. “Cria-se a falsa percepção de que 23 mil pessoas não concursadas estão em cargos de confiança. Na verdade, são 6 mil”, afirmou.

Os servidores, por outro lado, estão unidos em torno da campanha salarial. Reivindicam reajuste linear de 27,3%, mas querem, principalmente, abrir o diálogo com o governo. “Temos consciência de que o ajuste fiscal é importante. Mas queremos conversar. Não é possível que, ao longo de 13 anos, um governo dos trabalhadores não tenha nem sequer estabelecido uma data-base, o que provoca, a cada ano, atos para o simples direito à recomposição inflacionária”, destacou Rudinei Marques, presidente do Sindicato Nacional dos Analistas Técnicos de Finanças e Controle (Unacon Sindical).

CorreioWeb

Marinha e mais dois órgãos abrem inscrições para 308 vagas; salários até R$ 15.958,13

Nessa segunda-feira (16/6) começa o período de inscrições dos concursos públicos abertos pela Marinha, Defensoria Pública do Mato Grosso do Sul (DPMS) e Secretaria da Administração e dos Recursos Humanos do Rio Grande do Sul (Sarh/RS). São, ao todo, 308 oportunidades de nível médio e superior. Os salários chegam a R$ 15.958,13. Participe abaixo:

Marinha

São oferecidas 33 vagas de nível médio e superior. Para nível superior são 13 vagas para os cargos de administrador, analista de sistemas e contador. O salário é de R$ 4.247,82. As outras 20 oportunidades são de nível intermediário para o posto de agente administrativo, com remuneração de R$ 2.818,02. Todos com carga horária de trabalho de 40 horas semanais.

Interessados podem se inscrever entre até 11 de julho, pelos sites www.ensino.mar.mil.br ou www.ingressonamarinha.mar.mil.br. As taxas vão de R$ 50 a R$ 70. Duas chances de agentes administrativo são destinadas a pessoas com deficiência.

Haverá provas objetivas e discursivas no Rio de Janeiro, a data não foi divulgada. A previsão é que no dia 31 de outubro o resultado final do concurso seja divulgado.

Sarh/RS

A Secretaria Estadual da Administração e dos Recursos Humanos do Rio Grande do Sul (Sarh/RS) abriu novo concurso público com 240 vagas para níveis médio, técnico e superior. O órgão visa ainda formação de cadastro reserva. Os salários variam de R$ 962,81 a R$ 3.209,54, para jornada de 40h semanais. De acordo com o edital, aprovados serão lotados nas secretarias do estado, de acordo com necessidade da administração estadual.

Para nível superior são 226 oportunidades. Os cargos disponíveis são de analista de sistemas, arquivista, assistente social, biólogo, engenheiro ambiental, historiógrafo, jornalista, médico, técnico em turismo, tradutor intérprete, entre outros. Já para nível médio, são cinco oportunidades para guarda parque. Quem tem nível técnico disputará as nove chances de técnico em segurança do trabalho e técnico agrícola.

Interessados poderão se candidatar até 15 de julho, pelo site da Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH), responsável pela organização do certame. As taxas custam R$ 63,69 e R$ 145,21.

Haverá provas objetivas em Porto Alegre/RS, em data ainda a ser divulgada. A validade do concurso é de dois anos, contados a partir da homologação, podendo ser prorrogado por igual período, uma única vez.

DPMS

O certame prevê o preenchimento de 35 vagas para o cargo de defensor público, na classe substituto. Destas vagas, sete serão de provimento imediato e 28 para cadastro reserva. O salário é de R$ 15.958,13.

Do total de chances oferecidas, 5% serão destinadas para deficientes, 10% para negros e 3% para índios. Os candidatos negros e índios, que assim se declararam no momento da inscrição preliminar, serão convocados para entrevistas, individuais e reservadas, com as respectivas Comissões Especiais de validação das autodeclarações.

Os interessados no certame deverão fazer as inscrições até às 16h do dia 22 de julho pelo site da Fundação Vunesp, banca organizadora. O valor da taxa de inscrição é de R$ 200.

O concurso será dividido em cinco etapas: prova preambular objetiva, prova escrita subjetiva (questões teóricas e práticas, esta última composta de duas peças), investigação social, provas orais (arguição e tribuna) e avaliação de títulos. Todas as etapas serão realizadas em Campo Grande/MS. A prova preambular objetiva está marcada para o dia 23 de agosto, já no dia 24 de agosto serão realizadas as provas escritas subjetivas.

No ato da posse, o candidato deverá comprovar três anos de atividade jurídica. O prazo de validade do concurso será de dois anos, podendo ser prorrogado, uma vez, por igual período.

CorreioWeb