Diversos

Tibau: falésia Pedra do Chapéu requer cuidados, adverte Idema

FOTO: Reprodução/Idema

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente – Idema entregou uma notificação, nesta segunda-feira (29), a Prefeitura Municipal de Tibau, sobre o desmoronamento de partes da falésia Pedra do Chapéu, com riscos de acidentes, localizada na praia de Tibau, no litoral da Costa Branca potiguar.

O documento propõe que a Prefeitura promova ações como, isolar a área; instalar placas de sinalização, advertindo sobre os riscos de deslizamento; fiscais municipais, alertando do perigo; campanha educativa com pescadores e frequentadores da área; interditar a passagem de veículos próximo a falésia; e a divulgação com mensagens de alerta nas redes sociais para que os turistas evitem passar próximo ao local de risco.

A equipe de fiscalização do Idema realizou neste domingo (28) uma ação de vistoria no município de Tibau, na Região Oeste do Estado. Durante a inspeção no trecho conhecido como Pedra do Chapéu, ponto turístico, foi averiguado que a área afetada vem sofrendo um processo erosivo muito grande, uma ação antrópica (realizada pelo homem) e da natureza que têm intensificado os deslizamentos de pedras.

Para o diretor-geral do Idema, Leon Aguiar, é muito importante a parceria e o diálogo com os municípios, “a Fiscalização Ambiental é uma ação de controle para proteger e manter a integridade do meio ambiente, bem como assegurar o uso racional dos recursos naturais, coibindo as ações prejudiciais sobre a natureza. Além dos cuidados com a população”, afirmou o diretor.

Segundo a fiscal do Idema, Lissandra Cavalcanti, esteve com a equipe no local para avaliar a situação do dano ambiental e dos riscos. “A situação requer muito cuidado e atenção das autoridades para evitar uma tragédia, o ambiente está sem sinalização e a população indo muito próximo do monumento, e ainda tem carros trafegando. O nosso encontro com a prefeita de Tibau, Lidiane Marques da Costa, ocorreu de forma muito positiva. E a gestão municipal vai acatar nossas solicitações. Na ocasião, a prefeita nos solicitou vistorias nas áreas de dunas que vamos atender prontamente”, afirmou a fiscal do Instituto Ambiental.

A Pedra do Chapéu está situada na divisa do Rio Grande do Norte com o Ceará, muito frequentada por banhistas e turistas. O encontro ocorreu na Prefeitura com a participação da fiscal do Idema, Maria da Silveira, dos secretários Municipais Aureliano Marques (Obras), Márcia Cristina (Saúde), chefe de Gabinete, o chefe de Gabinete, Nazareno de Souza, e o vereador Daniel Roberto.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Energia solar exige cuidados e profissionalismo na hora de instalar

Foto: Divulgação

A energia solar chegou pra ficar, é fato. Consumidores residenciais e empresas já perceberam que investir em energia solar dá retorno, que o valor investido volta em poucos meses e que se livram da conta de energia pro resto da vida. Mas todo este boom de energia solar trouxe um problema. Empresas menores e inexperientes, em busca de oferecerem preços menores no mercado, às
vezes instalam equipamentos de qualidade inferior, sem a devida garantia.

Acontece muito também de estas empresas não possuírem peças de reposição em estoque, e quando ocorre qualquer problema com o inversor, que é o principal equipamento do sistema de energia fotovoltaica, deixam o cliente na mão, com o sistema parado por muitos dias, chegando a ficar até meses sem operar. Segundo Eduardo Oliveira, diretor da Megga Solar, uma das empresas que mais crescem neste segmento e líder de mercado, “soubemos de um caso que o inversor deu problema e a empresa demorou seis meses pra conseguir importar a peça; é um mercado fantástico, mas tem de estar bem estruturado pra atender e, principalmente, poder dar a manutenção, fazer o pós-venda correto”; ressaltou Oliveira.

Você pode visitar o site meggasolar.com.br e obter mais informações. O telefone da Megga Solar é o 3217-7155.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Segurança

Com maior fluxo de veranistas e turistas em janeiro, Corpo de Bombeiros do RN orienta sobre os cuidados em praias

Foto: Ilustrativa/Freepik

O mês de janeiro é o período de maior fluxo de veranistas e turistas nas praias em todo o Brasil. Para apreciar o verão de forma tranquila, são necessários alguns cuidados, como o uso do protetor solar, trânsito seguro e medidas para prevenir o afogamento. Porém, é sobre essa última medida que o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio Grande do Norte (CBMRN) orienta: água no umbigo sinal de perigo.

Uma das principais orientações feitas pelos guarda-vidas é para quem vai entrar no ambiente aquático não faça o uso de bebida alcoólica, pois o álcool inibe a noção de perigo. Nadar ou brincar no mar depois de comer não é recomendado, pois corre o risco de congestão. Outra dica é manter-se afastado de pedras e costeiras.

Além dos perigos que os ambientes aquáticos impõem aos adultos, os pais ou familiares devem ficar atentos também com as crianças. Com as praias lotadas nesse período, o CBMRN pede que os familiares tenham atenção redobrada.

“Independentemente de ser piscina, rio ou mar, sempre orientamos os responsáveis pelas crianças. Durante o nosso patrulhamento levamos orientações na tentativa de retirar as crianças e os demais banhistas de ambientes não recomendáveis, além de distribuir pulseiras de identificação”, disse o Coordenador da Campanha Praia Segura do Corpo de Bombeiros do RN, Major João Eduardo.

Para intensificar as ações educativas no objetivo de prevenir o afogamento e desaparecimento de crianças, a Corporação e vários órgãos públicos lançaram neste sábado (09), a ‘Campanha Praia Segura 2021’, que está inserida no cronograma da ‘Operação Verão’. Entre as ações que estão sendo ofertadas, destaque para a distribuição de pulseiras de identificação para crianças, em que se pode colocar o nome completo e o número de telefone do responsável para facilitar a localização em uma eventual perda.

“Todos os anos existem ocorrências de crianças desaparecidas nas praias. Por isso, juntamente com a Cruz Vermelha, distribuímos as pulseirinhas de identificação para a população. É mais um modo de prevenção”, finalizou o oficial do CBMRN.

Caso alguém presencie um afogamento, é só entrar em contato de forma imediata com o Corpo de Bombeiros, através do 193, ou arremessar um objeto flutuante para a vítima até a chegada dos guarda-vidas. Importante não tentar socorrer de forma alguma a pessoa, pois somente os bombeiros têm a habilidade para o resgate.

Medidas de Prevenção

• Tenha atenção com as crianças;

• Coloque a pulseira de identificação fornecida pelos guarda-vidas;

• Evite ingerir bebidas alcoólicas e alimentos pesados antes de entrar na água;

• Nade longe de pedras;

• Pergunte sempre ao guarda-vidas qual o local mais apropriado e seguro para o banho;

• Certifique-se da profundidade da região em que deseja mergulhar;

• Respeite as instruções dos guarda-vidas e as sinalizações de perigo na praia.

Opinião dos leitores

  1. Devem fiscalizar a ocupação ilegal de comerciantes das areias das praias. Em Tabatinga alguns espertos puseram cadeira e mesas na areia. Sentou terá de pagar e não resta.mais lugar para os populares. A praia deve ser pública. Cadê a fiscalização?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Teve covid-19: retorno dos exercícios físicos deve ser gradual; veja quando é seguro e sua intensidade

Foto: Ilustração/André Moscatelli/SAÚDE é Vital

Os possíveis efeitos do coronavírus no sistema respiratório e, principalmente, no coração podem afetar a prática esportiva. Daí porque a Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE) e a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) publicaram um documento com orientações para o retorno seguro às atividades físicas após a infecção pelo Sars-CoV-2.

As diretrizes trazem indicações tanto para atletas profissionais como para quem se exercita em busca de saúde e diversão. Confira, abaixo, as principais recomendações.

Quando é seguro voltar aos exercícios?

De acordo com Marcelo Leitão, presidente da SBMEE e um dos criadores do trabalho, há dois pontos a considerar. O primeiro é a capacidade de transmitir a doença.

Afinal, mesmo quando os sintomas cessam, é possível que ainda haja uma carga viral no organismo capaz de infectar outros. É necessário esperar pelo menos 14 dias sem ter quaisquer sinais da Covid-19 para se considerar curado (saiba mais clicando aqui). “E o isolamento vale não apenas para a prática esportiva, mas para o convívio com outras pessoas”, completa.

A outra questão a refletir é o tamanho do estrago que o Sars-CoV-2 provocou. Casos mais graves em geral geram sequelas que demoram mais para sumirem. E cada uma dessas complicações vai exigir uma avaliação profissional para verificar quanto interferem no exercício físico.

“Independentemente de tudo isso, o retorno deve ser gradual”, orienta Leitão. Nem pense em buscar o mesmo desempenho de antes da infecção logo na primeira sessão de ginástica.

Qual a intensidade e frequência dos exercícios?

Após se livrar do coronavírus, aquela recomendação geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) continua valendo. São pelo menos 150 minutos de exercícios aeróbicos leves a moderados por semana ou 75 minutos de atividade intensas. E duas sessões semanais de treinamento de força.

Porém, não esqueça que o retorno aos esportes tem que ser progressivo.

Orientações para quem teve Covid-19 leve ou assintomática

Os autores da diretriz defendem que, mesmo nesses casos, é bom passar por uma consulta e realizar um ecocardiograma (ECG). O exame checa o funcionamento do coração.

Se houver alguma queixa por parte do paciente, o médico pode solicitar um teste de sangue que verifica a presença de um marcador de lesões miocárdicas, a troponina T. Se tudo estiver ok, desenha-se um plano de retomada da atividade física.

Para quem teve Covid-19 moderada e grave

Aqui é preciso um pouco mais de cautela, porque indivíduos que foram internados em decorrência da pandemia possuem um risco maior de sequelas cardíacas, como miocardite.

No documento da SBMEE e da SBC, são listados exames adicionais que podem ser realizados. O teste cardiopulmonar de exercício (TCPE) seria o principal. Ele é considerado o padrão-ouro na avaliação da capacidade de ventilação dos pulmões.

“Mas a escolha dos exames mais adequados depende do quadro do paciente e das informações repassadas para o médico”, afirma Leitão.

O médico do esporte Luiz Riani, pesquisador da Universidade de São Paulo (USP) que não participou do estudo, acredita que os testes mais importantes após uma triagem inicial são o ecodopplercardiograma, o TCPE e, para bater o martelo, a ressonância cardíaca.

“Eu sugiro que quem pegou o coronavírus, seja qual tenha sido a gravidade, procure um médico do esporte ou cardiologista. Eles têm os conhecimentos específicos para fazer essa análise”, aconselha Riani.

Leitão acrescenta que os pacientes que chegaram a ser entubados ou tiveram lesões cardíacas comprovadas demandam supervisão mais próxima. “Eles precisam passar por um período de reabilitação que dura algumas semanas”, completa.

Acompanhamento prolongado

Principalmente quem sofreu com as formas graves e moderadas da Covid-19 deve voltar a conversa com o doutor após 60 dias (ou conforme a orientação dele). “As pessoas não devem menosprezar os sinais do corpo. Elas não estão livres de manifestações tardias”, alerta Leitão.

Caso você sinta palpitação, falta de ar ou cansaço desproporcional ao suar a camisa (ou depois disso), vá ao consultório. Isso vale mesmo para quem se livrou da Covid-19 sem sofrer muito.

Saúde – grupo Abril

Opinião dos leitores

  1. Pois eu tive covid e voltei com mais disposição para as atividades sexuais. A minha primeira dama, não aguentou o Véio aqui e eu tive que arranjar duas amantes para me satisfazer.
    Nossa me sinto uma máquina nova, forte e potente.

    1. Dando trabalho pros sobrinhos né titia? Dói até quando aplica ozonio.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Segurança

Após aviso do Instituto Nacional de Meteorologia para toda esta segunda, Corpo de Bombeiros do RN alerta para cuidados em período de chuvas fortes

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu, nesta segunda-feira (06), um comunicado de perigo potencial por causa das chuvas sobre 89 municípios do Rio Grande do Norte. Diante desse cenário, o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio Grande do Norte (CBMRN) alerta a população norte-rio-grandense sobre os riscos de quedas de árvores, alagamentos e desabamentos de muros ou tetos de residências.

Confira algumas dicas de segurança:

• Caso seja inevitável sair para a rua, é importante estar atento a algumas dicas, como circular de carro com os faróis acesos e evitar passar por lugares alagados;

• Verifique o estado dos limpadores, da borracha das paletas e do motor dos limpadores;

• Certifique-se que o desembaçador está funcionando direito;

• Durante um temporal é comum a queda de árvores, por isso não estacione seu veículo nem permaneça embaixo delas;

• Não jogue lixo nas ruas, córregos, margens de rios, pois podem causar alagamentos;

• Não deixe crianças brincarem na chuva ou em áreas alagadas, pois há riscos de acidentes e de contraírem doenças, como hepatite e leptospirose;

• Caso sua casa esteja sujeita a alagamentos, coloque os móveis e outros pertences em lugar protegido;

• Para os moradores das regiões de risco – morros e encostas – os bombeiros recomendam que as pessoas procurem locais seguros para se abrigar;

• Só ande pela área alagada se for para sair de uma situação de perigo. Cuidado para não cair em valas e nem em bueiros abertos;

• Não utilize equipamentos elétricos em áreas inundadas ou que tenham sido molhadas, pois há risco de choque elétrico;

• Se estiver em lugar seguro, não se aventure em correntezas e inundações;

Raios:

• Durante a incidência de raios evite deslocamentos a pé, não ande próximo a árvores, postes ou cercas;

• Evite locais abertos como piscinas, praias e campos de futebol;

• Não fique próximo a tomadas, canos, janelas e portas metálicas;

• Em caso emergência, acione o Corpo de Bombeiros do RN através do 193.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Saúde em Parnamirim faz alerta à população sobre os cuidados e combate ao mosquito Aedes aegypti

Foto: Assecom

A Prefeitura de Parnamirim, apesar do momento difícil enfrentado com o isolamento social causado pelo COVID – 19, alerta a população sobre a necessidade e importância de se continuar o combate ao mosquito Aedes aegypti transmissor de doenças como, Dengue, Chicungunya, Febre Amarela Urbana e Zica.

A agente de endemias, Amanda Cinthia, explicou que a prevenção continua sendo o melhor remédio para combater a doença. “Devemos aproveitar esse isolamento social para limparmos o nosso quintal, olhar a caixa d’água, virar garrafas e verificar locais que possam acumular água parada, tais como pias e vasos sanitários que não estejam usando, ralos e bandeja de geladeira, entre outros lugares que possam ser criadouros do mosquito Aedes aegypti ” .

De acordo com dados divulgados pela Secretária de Saúde Pública (SESAP ), no período de 1 de janeiro a 22 de fevereiro deste ano foram notificados 1.928 casos contra 1.688 do mesmo período em 2019.

Já em relação à Chicungunya também houve um aumento comparado ao ano passado. Foram 98 casos em 2020, contra 68 casos em 2019.

Veja abaixo alguns sintomas e informações importantes das doenças mencionadas

DENGUE

Provoca dores musculares

Tem quatro subtipos

Pessoa pode ser contaminada mais de uma vez, se for exposta a outro subtipo do vírus

Tem manifestação hemorrágica

É mortal em até 2% dos casos

Os sintomas desaparecem em poucas semanas

CHIKUNGUNYA

Provoca dor forte nas articulações

Não há subtipos conhecidos

Estudos indicam que uma vez contaminada, a pessoa fica imunizada contra o vírus

Não tem manifestação hemorrágica

Mortalidade é baixa, menos de 1% dos casos

A maioria dos infectados sente dores nas articulações por até um ano

FEBRE AMARELA

Febre

Dores musculares em todo o corpo, principalmente nas costas.

Dor de cabeça.

Perda de apetite.

Náuseas e vômito.

Olhos, face ou língua avermelhada.

Fotofobia.

Fadiga e fraqueza.

ZICA

Febre baixa (entre 37,8° e 38,5°C)

Dor nas articulações (artralgia), mais frequentemente nas articulações das mãos e pés, com possível inchaço.

Dor muscular (mialgia)

Dor de cabeça e atrás dos olhos.

Erupções cutâneas (exantemas), acompanhadas de coceira.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Fecomércio RN divulga cuidados que a população deve adotar em condomínios e residências

Devido ao cenário de propagação do Covid-19 (Coronavírus), o Sistema Fecomércio Rio Grande do Norte reuniu informações de cuidados que a população deve adotar em condomínios e na própria residência.

Fotos: Divulgação

Opinião dos leitores

  1. ENQUANTO ISSO! DEIXANDO CLARO QUE NÃO TRABALHO LÁ, MAS ESTOU VENDO O DRAMA QUE ESTÁ SE PASSANDO.
    Quero saber quando é que a direção da TELEPERFORMANCE vai cair na real e parar, também?
    Um absurdo, pois a quantidade de pessoas que ficam em salas fechadas, bem como outra quantidade fora!
    Vão esperar morrer alguém ou que todos sejam “vetores” do coronavirus?
    Quando passo ali eu vejo a quantidade de gente circulado.
    Cadê o MPFT?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Bombeiros do RN alertam para cuidados com crianças durante o recesso escolar

FOTO: CBM/ASSECOM

Piscinas, tomadas e escadas são verdadeiros riscos para as crianças que querem se divertir em casa. Com as atividades escolares suspensas como uma das medidas preventivas para evitar a propagação do novo coronavírus (COVID-19), a probabilidade de um acidente doméstico se torna iminente. Por isso, o Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio Grande do Norte (CBMRN) alerta a população com dicas de prevenção no intuito de conter incidentes com crianças.

De acordo com dados levantados pela ONG Criança Segura, através do Ministério da Saúde, 40% dos óbitos por acidentes com crianças acontecem durante os recessos ou férias escolares. Para a capitã Martini, do Corpo de Bombeiros do RN, a atenção e as medidas preventivas adotadas pelos pais ou responsáveis são os principais meios de evitar esse tipo de ocorrência.

“No momento que a criança estiver em casa a atenção deve ser redobrada. Então é importante que a criança seja supervisionada pelos adultos, principalmente em residências que possuem piscinas e banheiras, pois o afogamento está entre as principais causas de mortes acidentais no Brasil”, disse.

As crianças escolhem brincadeiras que podem resultar em pequenos acidentes ou até podem provocar ocorrências mais graves como queimaduras, traumas e lesões. Além disso, o álcool gel, produto recomendado para uso constante durante a circulação de doenças respiratórias, também pode ser perigoso se tiver no alcance das crianças.

“Em tempos de pandemia, a prevenção é mais que necessária. A higiene é fundamental para evitar a contaminação de doenças, no entanto, os próprios responsáveis devem passar o álcool nas mãos das crianças. A recomendação é deixar qualquer produto de limpeza longe das crianças, por causa do perigo de ingestão e no caso do álcool por ser um material inflamável”, alertou a capitã Martini.

Confira abaixo alguns cuidados necessários:

Banheiro

– Mantenha a tampa da privada sempre fechada, se possível lacrada com algum dispositivo de segurança, ou deixe a porta do banheiro trancada;

– Nunca deixe a criança na banheira sem supervisão, nem mesmo por pouco tempo;

– Guarde utensílios afiados e aparelhos como lâminas de barbear, tesouras e secadores de cabelo;

– Tranque o armário de medicamentos, vitaminas, antissépticos bucais e demais produtos que ofereçam perigo de intoxicação.

Cozinha

– Mantenha sacos plásticos, fósforos, isqueiros, álcool, objetos de vidro, cerâmica e facas fora do alcance das crianças;

– Use as bocas de trás do fogão e certifique-se de que os cabos das panelas estejam virados para dentro para não serem alcançados pelas crianças.

Sala

– Cortinas com cordas podem trazer o risco de estrangulamento, especialmente para os menores;

– Cuidado com quinas afiadas! Prefira móveis com quinas arredondadas ou use protetor;

– Mantenha os móveis longe de janelas e cortinas. Eles podem ser usados para escalar;

– Instale grades ou redes de proteção em janelas, sacadas e mezaninos;

– Substitua fios elétricos desencapados e proteja tomadas com tampas, fita isolante ou mesmo móveis.

Quarto

– Evite posicionar camas e qualquer outro móvel perto da janela. Eles podem ser usados para escalar;

– Evite brinquedos com pontas afiadas, como flechas, e os que produzem sons altos;

– Mantenha os móveis longe de janelas e cortinas.

Lavanderia e garagem

– Após utilizar baldes e bacias, esvazie-os, guarde-os virados para baixo e longe do alcance das crianças;

– Produtos de limpeza devem ser guardados em lugares altos ou trancados. Além disso, deve-se mantê-los em seus recipientes originais para não confundir as crianças;

– As garagens não são locais seguros. Ao manobrar o carro, certifique-se de que não há nenhuma criança por perto;

– Lembre-se de trancar o carro, especialmente o porta-malas, e manter as chaves e controles automáticos longe do alcance das crianças. Elas podem entrar no veículo, soltar o freio de mão ou mesmo ficar presas lá dentro.

Piscina

– Quando a criançada for usar a piscina, a supervisão de um adulto o tempo todo é essencial;

– Esvazie piscinas infantis após o uso e as guarde longe do alcance das crianças.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Energia solar exige cuidados e profissionalismo na hora de instalar

Foto: Divulgação

INFORME PUBLICITÁRIO

A energia solar chegou pra ficar, é fato. Consumidores residenciais e empresas já perceberam que investir em energia solar dá retorno, que o valor investido volta em poucos meses e que se livram da conta de energia pro resto da vida. Mas todo este boom de energia solar trouxe um problema. Empresas menores e inexperientes, em busca de oferecerem preços menores no mercado, às vezes instalam equipamentos de qualidade inferior, sem a devida garantia.

Acontece muito também de estas empresas não possuírem peças de reposição em estoque, e quando ocorre qualquer problema com o inversor, que é o principal equipamento do sistema de energia fotovoltaica, deixam o cliente na mão, com o sistema parado por muitos dias, chegando a ficar até meses sem operar.

Segundo Max Assunção, diretor da Megga Solar, uma das empresas que mais crescem no país neste segmento, “soubemos de um caso que o inversou deu problema e a empresa demorou seis meses pra conseguir importar a peça; é um mercado fantástico, mas tem de estar bem estruturado pra atender e, principalmente, poder dar a manutenção, fazer o pós-venda correto” ressaltou Assunção.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima

UTILIDADE PÚBLICA: Corpo de Bombeiros alerta para cuidados em período de chuvas fortes no RN

FOTO: ASSECOM/RN

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio Grande do Norte (CBMRN) recebe várias ocorrências nesse período chuvoso. Entre as solicitações feitas pela população, destaque para as quedas de árvores, alagamentos e desabamentos de tetos de residências.

Dessa forma, a corporação alerta para a necessidade de ter atenção redobrada a fim de evitar maiores problemas e acidentes.

Confira algumas dicas de segurança:

– Não deixe crianças brincarem na chuva ou em áreas alagadas, pois há riscos de acidentes e de contraírem doenças, como hepatite e leptospirose;

– Não utilize equipamentos elétricos em áreas inundadas ou que tenham sido molhadas, pois há risco de choque elétrico;

– Evite utilizar telefone com fio e celular ligado a tomada no período de chuvas;

– Caso sua casa esteja sujeita a alagamentos, coloque os móveis e outros pertences em lugar protegido;

– Para os moradores das regiões de risco – morros e encostas – os bombeiros recomendam que as pessoas procurem locais seguros para se abrigar;

–  Caso seja inevitável sair para a rua, é importante estar atento a algumas dicas, como circular de carro com os faróis acesos e evitar passar por lugares alagados;

– Se estiver em lugar seguro, não se aventure em correntezas e inundações;

– Só ande pela área alagada se for para sair de uma situação de perigo. Cuidado para não cair em valas e nem em bueiros abertos;

– Durante a incidência de raios evite deslocamentos a pé, não ande próximo a árvores, postes ou cercas;

– Durante um temporal é comum a queda de árvores, por isso não estacione seu veículo nem permaneça embaixo delas;

– Não jogue lixo nas ruas, córregos, margens de rios, pois podem causar alagamentos;

– Nunca abandone móveis ou eletrodomésticos nas ruas ou em terrenos baldios;

– Em caso emergência, o número do Corpo de Bombeiros é o 193.

Opinião dos leitores

  1. Durante a incidência de raios evite deslocamentos a pé, não ande próximo a árvores, postes ou cercas e TAMBÉM BANHOS EM RIOS, LAGOAS E MAR.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Cuidados com o garrafão garantem a qualidade da água consumida

Foto: Divulgação

INFORME PUBLICITÁRIO

O verão, principalmente na capital do Rio Grande do Norte, é sinônimo de praia e muito sol. Nessa época do ano, tanto na capital quanto no interior, muitas famílias fazem verdadeiras mudanças em busca de lazer e descanso. Com essa alteração na rotina, os cuidados com a saúde devem ser redobrados, especialmente quanto ao consumo de água.

Entre os tipos de água disponíveis no mercado, a mais saudável é a água mineral natural, que não passa por nenhum processo que altere suas características microbiológicas, químicas e físico-químicas. Ainda assim, é necessário manter alguns cuidados, para evitar que a água mineral sofra alterações, dependendo da forma de armazenamento e limpeza do garrafão e bebedouro.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) alerta que tanto os responsáveis pelos locais de venda quanto os consumidores devem estar atentos a todo o trajeto que o vasilhame percorre desde a saída da fonte. Esse percurso abrange o transporte, distribuição e abastecimento no comércio, até a chegada na residência, além da higienização adequada do recipiente e do bebedouro.

No comércio, os vendedores devem evitar que o produto fique em contato direto com o chão (e sim sobre pallets), proteger da exposição ao sol durante longos períodos, observar se existem rachaduras no garrafão, se está lacrado e tampado corretamente, e evitar o armazenamento próximo a produtos químicos, locais úmidos ou com poeira.

Já em casa, os cuidados com os garrafões continuam. Além de limpar e higienizar o bebedouro regularmente, de preferência com água e sabão neutro, é necessário atentar para a limpeza do vasilhame. O ideal é utilizar para essa higienização álcool em gel e papel absorvente, para evitar a contaminação com outras bactérias presentes em esponjas e panos úmidos.

Alguns cuidados extras preservam tanto a qualidade da água quanto a limpeza do vasilhame. Por exemplo, ao abrir o garrafão, é importante fazer a retirada completa do lacre e da tampa antes de inserir no bebedouro. Para evitar a incidência de luz no garrafão, podem ser usadas capas protetoras, preferencialmente escuras. Essas medidas simples podem manter a saúde de toda a família em dia, não só nos dias de verão, mas também durante a rotina diária.

“Para garantir que está consumindo uma água 100% mineral natural, o consumidor deve ficar atento ao selo fiscal azul que deve estar no lacre da tampa. Além disso, é essencial que o cliente verifique a data de validade do garrafão”, reforça Djalma Barbosa Júnior, presidente do Sindicato da Indústria de Cervejas, Refrigerantes, Águas Minerais e Bebidas em Geral do Estado do Rio Grande do Norte – Sicramirn.

Água Mineral do RN

O movimento #AguaMineralDoRN é uma iniciativa do Sindicato da Indústria de Cervejas, Refrigerantes, Águas Minerais e Bebidas em Geral do Estado do Rio Grande do Norte (SICRAMIRN), ancorada por todas as empresas de água mineral do Rio Grande do Norte. A missão, mais que informar ou vender, é conscientizar: trazer para a população os benefícios da água mineral natural, sua qualidade e o que a difere das demais.

A água é essencial não só para a vida humana, como para todos os seres vivos. Destacar a qualidade e os diferenciais da água mineral natural é muito mais do que fortalecer empresas: é valorizar um produto natural e importantíssimo para a nossa vida. Mais informações: aguamineraldorn.com.br

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Caern alerta para os cuidados com a limpeza dos reservatórios, especialmente, no período de veraneio

FOTO: CAERN/ADM

Com o início do mês de janeiro e o aumento da temperatura no Rio Grande do Norte, as famílias optam por se deslocar para casas de praia, geralmente em locais afastados e que na maioria das vezes permanecem fechadas por vários meses.

A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) alerta para os cuidados necessários antes de utilizar a água contida nos reservatórios por tempo prolongado, principalmente no veraneio.

A recomendação da Companhia é esvaziar a caixa d’água utilizando a água para a limpeza da casa, evitando consumo desnecessário, e adotar as instruções apontadas pelos técnicos da empresa.

Para os imóveis ocupados, a empresa aconselha lavar o reservatório a cada seis meses, para garantir a qualidade da água que sai pelas torneiras.

A água parada nessas caixas ou cisternas por meses seguidos, sem renovação, é alvo de insetos e ratos que contaminam o produto com fezes e urina, provocando doenças.

Mesmo que haja preocupação em não desperdiçar água, a Caern orienta não consumir a água das caixas, até que seja substituída, após a limpeza do reservatório.

ORIENTAÇÕES

O gerente de Qualidade da Água e Meio Ambiente da Caern, Lamarcos Teixeira, orienta que a limpeza do reservatório deve ser feita a cada seis meses, seguindo passo a passo as orientações da companhia ou empresa especializada:

1. Fechar o registro de entrada da caixa d’água e abrir as torneiras para utilizar a água que vai ser eliminada da caixa, nos diversos serviços de limpeza da casa evitando o desperdício;

2. Quando restar 20 centímetros de água no reservatório, fechar todas as torneiras e começar a lavagem. Utilizar uma vassoura nova ou escova para esfregar as paredes e fundo da caixa d’água;

3. Abrir as torneiras e esvaziar a caixa, sempre agitando a água suja que restou;

4.Preparar uma mistura na proporção de um litro de água sanitária para 10 litros de água;

5. Aplicar com uma brocha nova ou pincel largo (modelo utilizado para pintura à cal), espalhando a solução nas paredes e fundo da caixa d’água;

6. Esperar a mistura agir durante 30 minutos para desinfecção;

7. Após esse tempo, abrir novamente todas as torneiras para eliminar a mistura e limpar os canos;

8. Abrir o registro de entrada para colocar água limpa, na altura de 20 centímetros a fim de enxaguar a caixa;

9. Esfregar as paredes e o fundo do reservatório e em seguida esvaziá-lo;

10. Repetir a operação com outros 20 centímetros de água limpa. Esvaziar o reservatório que está pronto para receber a água limpa. Por fim, abrir o registro de entrada para encher a caixa com água da Caern.

Lamarcos ressalta que essa prática deve ser rotina nos imóveis, duas vezes ao ano para garantir a qualidade da água distribuída pela companhia, em todo Estado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Governo do RN orienta população sobre cuidados com manchas de óleo nas praias

Foto: Adema/Governo de Sergipe

O Governo do Rio Grande do Norte, por meio da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), orienta a população quanto aos cuidados que devem ser adotados ao serem encontrados resíduos de óleo em algumas praias do litoral potiguar.

A Sesap ressalta a importância de a população evitar contato direto com a água e o solo nas regiões atingidas pelo óleo, sobretudo os grupos que possuem maior vulnerabilidade, como crianças e gestantes. Quando houver contato com o óleo, mesmo que não haja o surgimento de sintomas, a população deve buscar atendimento médico na unidade de saúde mais próxima.

De acordo com o Ministério da Saúde, os efeitos à saúde decorrentes da exposição aos derivados de petróleo podem se dar de diversas formas, como dor de cabeça, náusea e irritações na pele, em caso de contato com o material, e dor abdominal, diarreia ou vômito, em caso de ingestão.

Para os profissionais que receberão a população que foi exposta a substância, a secretaria de Saúde orienta a necessidade de notificação dos casos suspeitos e/ou confirmados de intoxicação exógena na ficha do Sistema Nacional de Agravos de Notificação (Sinan) e, em caso de surto alimentar, realizar o contato com o Centro de Informação Estratégica em Vigilância em Saúde (Cievs).

A pasta também reforça que o Centro de Assistência Toxicológica do RN (Ceatox) está à disposição da população para tirar dúvidas em casos de exposição ou aparecimento de sintomas por meio dos telefones 0800 281 7005 (das 7h às 18h) e pelos Whatsapps 24h (84) 98125-1247 ou (84) 98803-4140.

Trabalhadores da pesca e voluntários

Os voluntários na Operação “Se chegar a gente limpa” e os trabalhadores da pesca também devem estar atentos aos cuidados necessários para se protegerem contra os efeitos que podem ser provocados pelo contato direto com a substância. É imprescindível a utilização de botas ou calçados impermeáveis, luvas PVC, óculos de proteção, chapéu ou boné, roupa com proteção UVA/UVB e máscaras descartáveis para vapores orgânicos.

A atenção também deve estar voltada para a hidratação (ingestão de água) durante os trabalhos e de não fumar próximo ao local das manchas de óleo.

Ingestão de pescados

Outra recomendação é avaliar os pescados oriundos das áreas atingidas. É necessário observar se possuem manchas, furos ou cortes nas superfícies. O ideal é que as brânquias (guelras) do peixe estejam com a cor rosada ou vermelha intensa, brilhantes e sem viscosidade. Caso haja dúvidas sobre a qualidade do pescado ele não deve ser consumido.

Ações do Governo

Desde as primeiras ocorrências no início de setembro, o Governo do Estado vem adotando medidas para colaborar nas ações mitigatórias, com o auxílio direto aos municípios atingidos, na instrução técnica de como coletar, manusear e armazenar o óleo.

Foi instalado o Gabinete de Gestão Integrada (GGI), sob a coordenação da Defesa Civil Estadual, para tratar das manchas encontradas e, como parte do Plano de Resposta e Mitigação de Desastre, o Governo recebe, até esta quarta-feira (23), o cadastro de voluntários que desejem atuar na operação “Se Chegar a Gente Limpa”. A iniciativa visa montar mutirões para atuação na limpeza das praias potiguares atingidas por manchas de óleo.

Para atender o Ministério Público Federal, foi feito, ainda em setembro, através do Idema, ações educativas em todos os 10 municípios afetados. As ações orientaram sobre os riscos e efeitos do contato dos resíduos betuminosos encontrados no litoral do RN. Durante a atividade, foram realizadas reuniões com gestores, secretários, associações, operadores turísticos, colônia de pescadores, comunidade local, além de donos de pousadas e restaurantes.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

SAMU Natal orienta à população para cuidados com fogos de artifício

Foto: Ilustrativa

O Serviço de Atendimento Móvel (SAMU) Natal 192 orienta a população para os cuidados nas festas do final do ano que tradicionalmente são comemoradas com fogos de artifício. É chegada a hora da virada do ano.

Para evitar acidentes, alguns cuidados são essenciais, já que o manuseio inadequado desses artefatos pode ser fatal ou deixar sequelas permanentes. Além disso, o barulho da explosão e os vestígios luminosos dos fogos prejudicam também o sistema auditivo e ocular, podendo causar surdez e cegueira.

Antes do uso dos fogos de artifício, é importante que a pessoa verifique a data de validade dos fogos e leia cuidadosamente cada instrução de segurança recomendada pelo fabricante. As informações devem estar descritas na embalagem do produto.

A venda de fogos de artifício para menores de idade é proibida no Brasil. Por isso, os pais e responsáveis devem estar atentos aos locais de armazenagem desses produtos, deixando-os em local seguro e tomando cuidado para não fiquem ao alcance de crianças.

O SAMU orienta que em caso de acidente com fogos a pessoa deve ser encaminhada imediatamente ao serviço de emergência mais próximo. Os casos graves, o paciente pode apresentar quadro clínico delicado, com cortes, lacerações, queimaduras sérias e até amputações de membros, geralmente das mãos, em decorrência dos acidentes.

Para queimaduras mais leves, a orientação é resfriar o local com água fria e protegê-lo com um pano limpo. As bolhas que ocasionalmente apareçam não devem ser furadas, pois existe risco de infecção. Não deve haver nenhum tipo de intervenção caseira sobre o ferimento. Mesmo os casos considerados de menor gravidade devem ser encaminhados ao serviço de saúde para uma avaliação médica.

O SAMU 192 está disponível para a população em momentos de urgência e emergência médica e funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana.

A ligação é gratuita e pode ser realizada por qualquer telefone fixo ou móvel. O serviço reúne médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e socorristas, que podem prestar socorro em emergências de natureza traumática, clínica, pediátrica, cirúrgica, gineco-obstétrica e de saúde mental para a população em qualquer lugar, seja na residência, local de trabalho ou vias públicas.

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

SAMU Natal orienta à população para cuidados com fogos de artifício

O Serviço de Atendimento Móvel (SAMU) Natal 192 orienta a população para os cuidados nas festas do final do ano que tradicionalmente são comemoradas com fogos de artifício.

Para evitar acidentes, alguns cuidados são essenciais, já que o manuseio inadequado desses artefatos pode ser fatal ou deixar sequelas permanentes. Além disso, o barulho da explosão e os vestígios luminosos dos fogos prejudicam também o sistema auditivo e ocular, podendo causar surdez e cegueira.

Antes do uso dos fogos de artifício, é importante que a pessoa verifique a data de validade dos fogos e leia cuidadosamente cada instrução de segurança recomendada pelo fabricante. As informações devem estar descritas na embalagem do produto.

A venda de fogos de artifício para menores de idade é proibida no Brasil. Por isso, os pais e responsáveis devem estar atentos aos locais de armazenagem desses produtos, deixando-os em local seguro e tomando cuidado para não fiquem ao alcance de crianças.

O SAMU orienta que em caso de acidente com fogos a pessoa deve ser encaminhada imediatamente ao serviço de emergência mais próximo. Os casos graves, o paciente pode apresentar quadro clínico delicado, com cortes, lacerações, queimaduras sérias e até amputações de membros, geralmente das mãos, em decorrência dos acidentes.

Para queimaduras mais leves, a orientação é resfriar o local com água fria e protegê-lo com um pano limpo. As bolhas que ocasionalmente apareçam não devem ser furadas, pois existe risco de infecção. Não deve haver nenhum tipo de intervenção caseira sobre o ferimento. Mesmo os casos considerados de menor gravidade devem ser encaminhados ao serviço de saúde para uma avaliação médica.

O SAMU 192 está disponível para a população em momentos de urgência e emergência médica e funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana.

A ligação é gratuita e pode ser realizada por qualquer telefone fixo ou móvel. O serviço reúne médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e socorristas, que podem prestar socorro em emergências de natureza traumática, clínica, pediátrica, cirúrgica, gineco-obstétrica e de saúde mental para a população em qualquer lugar, seja na residência, local de trabalho ou vias públicas.

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Procon da Assembleia alerta população para cuidados na Black Friday

Foto: Eduardo Maia

Novembro chegou e, com ele, também as promoções decorrentes da Black Friday, campanha criada com o objetivo de incentivo ao consumo através de promoções. Reproduzida no Brasil em modelo semelhante ao dos EUA, algumas empresas e também criminosos podem se aproveitar da campanha para lesar a população. Por isso, o Procon da Assembleia alerta sobre os cuidados que são necessários se tomar.

Como várias pessoas aguardam a chegada de ofertas por e-mails ou através das redes sociais, alguns criminosos encaminham links para capturar dados dos clientes. Por isso, é necessário que a população esteja atenta e não clique no que pode ser um ataque de phishing, quando os internautas são convencidos a revelar essas informações como senhas e dados de cartão de crédito.

Além dessa atuação de criminosos, as próprias ofertas também podem não ter, de fato, os descontos expostos. É comum que, no período da Black Friday algumas empresas informem que estão com descontos, mas que, na verdade, os preços finais sejam os mesmos praticados anteriormente. Por isso, a dica do Procon Legislativo é que os consumidores pesquisem antes de realizar as compras.

“As normas de defesa do consumidor precisam ser respeitadas, independentemente de período de promoções ou não. Os consumidores que se sentirem lesados podem procurar o Procon Legislativo tanto para uma orientação quanto para fazerem as queixas”, explicou o coordenador do Procon da Assembleia, Dary Dantas.

O Procon da Assembleia funciona de segunda a quinta, das 8h às 15h, e às sextas das 8 às 13h, na rua Jundiaí, nº 481, em Petrópolis. A população pode entrar em contato também pelo 3615-9000 ou pelo Whatsapp, no número 98849-1187.

Opinião dos leitores

  1. O PROCON da Assembleia deveria também ter feito uma campanha contra PROPAGANDA ENGANOSA DOS POLÍTICOS.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *