Grupo armado persegue pai e mata filho de quatro anos a tiros em João Pessoa

Uma criança de quatro anos de idade foi assassinada com três tiros na madrugada deste domingo (1º) na casa onde morava com os pais em um bairro da periferia de João Pessoa (PB). Até o início da noite, ninguémhavia sido preso.

Segundo informações da polícia Militar, cinco homens chegaram armados à residência, procurando pelo pai do garoto, mas não oencontraram. O menino, então, correu para a frente da casa e foi atingido por três tiros, sendo dois na cabeça e um no tórax. A criança foi socorrida e levada em estado grave para o Hospital de Emergência e Trauma, mas chegou sem vida ao local.

Pessoas ouvidas pela polícia disseram que o grupo estaria em busca de vingança pelo assassinato de um adolescente de 17 anos na mesma comunidade, na última quinta-feira (28), e teria ido atrás do homem por acreditar no seu envolvimento com a morte do jovem. A polícia, no entanto, afirma que não há suspeitas contra o pai da criança.

Os moradores do bairro, considerado um dos mais violentos de João Pessoa, se revoltou com a morte da criança. No local, onde já houve até toque de recolher, há duas gangues rivais que se autointitulam “Al Qaeda” e “Estados Unidos”.

Fonte: Uol

Homem assassinado tem mesmas características do raptor de criança

 

Erivamar de Sá Aragão, 46, foi assassinado com vários tiros, na noite desse sábado (30), em Mossoró, próximo ao trevo de acesso ao município de Governador Dix Sept Rosado. Ele foi atingido por cinco tiros no ombro esquerdo e morreu antes que pudesse ser socorrido por uma equipe do Samu.

A vítima foi abordada por dois homens, ainda não identificados, em outra motocicleta. Eles determinaram que o garupa que estava na moto com Erivamar saísse do local e logo após realizaram os disparos contra a vítima.

Alguns populares contaram aos policiais que, a vítima tinha as mesmas características de um suspeito de ter raptado uma criança de sete anos, ontem de manhã, no bairro Belo Horizonte. A criança foi localizada à tarde e a Polícia investiga a possibilidade da motivação do assassinato ter relação com este rapto.

A equipe do Instituto Técnico e Científico de Polícia (Itep) que foi ao local remover o corpo, encontrou um documento do Poder Judiciário no bolso da vítima, atestando que ele já havia cumprido pena na Penitenciária Agrícola Mario Negócio.

 

Fonte: No Minuto

 

 

 

 

 

Major da PM é afastado por suspeita de homicídio na ZN

O major da Polícia Militar, André Luíz Fernandes da Fonseca, será investigado após o surgimento de denúncias que o apontaram como autor de um homicídio praticado na zona Norte de Natal, durante a madrugada da quinta-feira passada. O Comando-geral da PM o afastou da 1ª Companhia Independente, em Macau, enquanto ocorrem as investigações. Procedimentos já foram instaurados na Corregedoria e o comandante-geral da PM, coronel Francisco Araújo, solicitou que as denúncias fossem também apuradas pela Corregedoria-geral da Secretaria de Segurança e pelo MPE.

O ex-presidiário Leonardo de Souza, 25 anos, foi executado com disparos de espingarda calibre 12 dentro da sua residência, no bairro de Nossa Senhora da Apresentação. O homem, que já cumpriu cerca de dois anos de prisão em virtude de condenação por tráfico de drogas, vinha relatando ameaças e ataques sofridos. Leonardo havia sofrido dois atentados, oportunidade nas quais foram mortos o seu cunhado e uma amiga. Mostrando marcas de tiros pelo corpo, a vítima fatal havia concedido anteriormente entrevista ao programa Patrulha Policial, da TV Ponta Negra, e disse estar sendo perseguido por policiais.

Após o homicídio da quinta-feira passada, a mulher da vítima, testemunha do crime, voltou a reafirmar as denúncias contra policiais. Ao Patrulha Policial, a mulher relatou que homens encapuzados com fardas da Polícia Militar invadiram a casa onde o casal morava durante a madrugada dizendo que estavam apurando denúncias de que ali ocorria tráfico de drogas. “Entraram dizendo que estávamos traficando drogas ali. Pediram para eu trocar de roupa e quando voltei, pediram para eu me afastar. Depois, dispararam duas vezes contra o meu marido, acertando ele na barriga”, disse.

Leonardo morreu no local. A mulher denunciou os supostos autores do crime: “Foi o major Fernandes e o outros não deu para ver porque estavam encapuzados. Achava que isso não ia acontecer porque pensava que não sabiam onde a gente moravam, mas eles descobriram. Foi na minha frente. Quero Justiça. O meu marido não fazia nada de errado”, afirmou a mulher. O coronel Araújo concedeu entrevista à TN durante a manhã de ontem e esclareceu o posicionamento da Corporação. De acordo com o comandante, o major já foi ouvido em termos de declaração e apresentou documentos de testemunhas que confirmam que o oficial sequer estava em Natal no momento do crime. O coronel reforçou o pedido realizado ao MP, como fiscalizador da atividade policial, para que investigasse o caso. De acordo com informações do comandante, o major se apresentará à Corregedoria da Secretaria de Segurança.

Major pedirá habeas corpus preventivo

Há 19 anos na Polícia Militar, o major Fernandes rebateu as acusações da mulher da vítima, as quais considerou infundadas. “Quem fala por mim são quase três mil testemunhas. Estive em convenções e coordenando a segurança em festejos na região de Macau na hora do crime. Não poderia estar em Natal na hora do crime”, disse à TRIBUNA DO NORTE ontem à tarde. O seu advogado, Augusto Saraiva, disse que entrará com pedido de habeas corpus preventivo. “A mulher será ouvida pelo Ministério Público na próxima semana e estamos nos precavendo caso o MP queira pedir a prisão do major baseado no que ela disser”, informou Saraiva.

O advogado contestou as informações apresentadas pela imprensa e disse estar acontecendo um pré-julgamento dos fatos. “O que foi apresentado não é verdade. Não houve investigação para que as pessoas saiam falando que isso ocorreu ou não. Já há um prejuízo muito grande ao meu cliente pelas informações veiculadas”, afirmou.

O major Fernandes atribuiu as acusações ao trabalho realizado de combate ao tráfico de drogas. “Dois irmãos do Leonardo foram presos por mim em Ceará-Mirim. Nunca tive nenhum problema com ele e, inclusive, não o vejo desde 2008”. O oficial comandou o policiamento em Ceará-Mirim, antes de ser transferido para Macau. “Não tenho nada a esconder. A decisão de me afastar ocorreu para preservar a instituição da PM. Mas estou à disposição para qualquer esclarecimento necessário”, declarou o oficial.

Fonte: Tribuna do Norte

Polícia prende dupla suspeita de homicídio em Alexandria

Um operação conjunta entre policiais civis da 8ª Delegacia Regional e Grupo Tático Operacional da 3ª Companhia de Policia Militar de Alexandria resultou na prisão de Francisco Ivaldo Paz dos Santos, conhecido por “Chico Preto” e Fabio Evangelista Dias, vulgo “Nego Fabio”. Pesa sobre os dois a acusação de autoria do assassinato ao agricultor, Cosme Maniçoba de Oliveira, no início deste ano.

De acordo com o delegado da Polícia Civil Célio Fonseca, responsável pela operação, a vítima foi morta por disparos de arma de fogo, quando chegava à residência dele, localizada na Rua Julio Coringa, no Bairro Santo Amaro, em Alexandria. Cosme foi atingido por disparos na região do tórax e não agüentou os ferimentos.

“Antes de ser morto Cosme Maniçoba já havia sofrido duas tentativas de homicídio e deixou de procurar a policia para fazer o registro das ocorrências, sendo que na terceira ele acabou sendo morto”, comentou o delegado. As prisões ocorreram em cumprimentos a dois mandados expedidos pela juíza criminal da Comarca de Alexandria, Welma Maria Ferreira de Menezes.

Os policiais tentaram prender também, Alvamberg Benevides Carneiro, que teve sua prisão decretada pela justiça, mas conseguiu fugir. Para Célio Fonseca, após as investigações ele é tido como o principal suspeito de ser o mandante do crime, finaliza.

Com informações: Assessoria de Imprensa Degepol

Polícia conclui inquérito de assassinato de adolescente

A Polícia Civil concluiu o inquérito sobre a morte da adolescente Amanda Thaise Lázaro da Silva, de 16 anos, assassinada no dia 30 de janeiro desse ano. As investigações se iniciaram na 13ª Delegacia de Polícia, mas o inquérito foi remetido posteriormente para a Delegacia Especializada em Homicídios (Dehom). Quatro pessoas foram indiciadas pelo crime.

O corpo de Amanda foi encontrado por populares em uma área de mangue, próximo ao Residencial Redinha, no último dia 1º de fevereiro, dois dias após seu desaparecimento. A jovem apresentava sinais de espancamento, enforcamento e tortura. O laudo do ITEP constatou que a causa da morte foi por asfixia.

Os indiciados foram Ítalo Anderson Teixeira Ferreira,  o “Baraque”; Marcelo Ribeiro Eredes, vulgo “Baiano” ou “Carioca”; Tácio Clemente de Araújo, vulgo “Negão” e José Alencar Costa de Brito, o “Pezão”. Todos já cumpriam prisão temporária.

A prisão preventiva foi decretada pela justiça na última segunda-feira (18) tendo como base as provas constantes no inquérito policial que comprovam a autoria e materialidade do crime por parte dos acusados, bem como devido ao envolvimento destes na prática de outros crimes como tráfico de drogas, roubo e porte ilegal de armas.

A polícia concluiu nas investigações que a vítima foi morta de forma cruel e premeditada. Segundo o delegado da DEHOM, Laerte Jardim Brasil, a adolescente foi atraída até o local do crime para uma cilada. No local, estavam todos os quatros acusados, sendo que um deles enforcou a vítima pelas costas, fazendo o uso de uma corda. Ao cair, a jovem foi pisoteada pelo grupo. Um deles inclusive estava portando uma espingarda calibre 12. “Após o crime, ela foi arrastada por cerca de 30 metros para o local onde foi encontrada”, relatou.

Operação Gola: Polícia desarticula quadrilha acusada de tráfico e homicídios

Quatro integrantes uma quadrilha, entre eles uma mulher, acusados de tráfico de drogas e homicídios no bairro de Golandim foram presos na manhã desta terça-feira (19) pelos policiais civis da Delegacia de São Gonçalo do Amarante na Operação “Gola”, chefiada pelo delegado Adson Kepler. Um menor de 16 anos também foi apreendido.

Os presos foram Claudenilson Roberto da Silva, de 27 anos, pego em flagrante com um revólver calibre 38 municiado e com a numeração raspada; Adeilson Rocha da Silva, de 19 anos, que estava de posse de uma balança de precisão; Fábio Eduardo Carneiro da Silva capturado com um papelote de cocaína e Edijane Souza da Silva vulgo “Cigana”, que foi pega com medicamentos inibidores de apetite sem registro, cuja procedência será investigada pela polícia.

De acordo com o delegado o bando já vinha sendo investigado há cerca de 15 dias e a Polícia continua em diligências para tentar prender um outro integrante chamado de “Gordo”, que seria o chefe da quadrilha.  Ainda segundo Adson Kepler, o adolescente apreendido é apontado como o autor de duas tentativas de homicídio, a última ocorrida na noite de ontem (18) no Golandim. “Ele é suspeito de efetuar de disparos de arma de fogo contra uma pessoa que foi socorrida e está em estado grave no hospital Santa Catarina”, disse.

Quanto à mulher presa, ela será autuada por crime contra a saúde pública. “Suspeitamos que a venda destes medicamentos servia como disfarce para o tráfico de drogas. Eles não tinham origem, endereço do fabricante e nem farmacêutico responsável, além de não serem cadastrados na Anvisa”, conta Kepler.

A operação batizada de “Gola”, pelo apelido dado ao bairro do Golandim pelos moradores da região, foi realizada para dar cumprimento a quatro mandados de busca e apreensão expedidos pela juíza Denise Leia Sacramento Aquino, da Vara Criminal de São Gonçalo do Amarante.

Polícia prende jovem acusado de praticar assassinato na zona rural de Mossoró

O lavador de carros, José Gildo Pereira Braga, 23 anos, foi preso nesta sexta-feira (15) pela polícia civil. Ele é acusado de ter assassinado com três tiros na região do tórax, o estudante de 14 anos, Antônio Jadson de Lima. O crime ocorreu na comunidade de Jucuri, zona rural de Mossoró, no dia 21 de maio passado.

O delegado Roberto Moura, titular da 2ª DP de Mossoró, conta que José Gildo confessou o crime em depoimento e disse que a motivação para ter assassinado o menor era intriga, “eles eram inimigos”, diz. Com o acusado foram apreendidas uma pistola calibre 380 e dois revólveres calibre 38.

Os policiais prenderam José Gildo em casa na Rua Dom Helder Câmara, no bairro Belo Horizonte, em cumprimento a um mandado de prisão temporária expedido pela Comarca de Mossoró. “No momento da prisão ele estava em companhia de um menor de 13 anos, seu sobrinho, e disse ser proprietário de uma das armas” acrescenta o delegado.

Ainda segundo Roberto Moura, o homicídio foi solucionado após investigações e depoimentos de familiares. “Antes de morrer a vítima chegou a dizer o nome de Gildo a um familiar”, finaliza.

José Gildo Pereira Braga não tem passagem pela Polícia e foi encaminhado para o Centro de Detenção Provisória da Delegacia Especializada em Furtos e Roubos (Defur) Mossoró, onde aguarda decisão da Justiça.

Duas tentativas de homicídio foram registradas em Mossoró na noite de ontem

Duas tentativas de homicídio foram registradas  em Mossoró na noite de quinta feira, 31. A primeira, aconteceu por volta das 22h, no Conjunto Wilson Rosado. A segunda, foi uma hora depois, no Bairro Nova viva.

Francisco Anderson de Almeida, de 24 anos de idade, foi atingido com 3 disparos de arma de fogo. Ele foi socorrido com suspeita de fratura no dois braços, provocadas pelas balas.

Já José Rodrigues da Silva, 56, levou um tiro na região da virilha.

Ambos estão no  Hospital Regional Tarcisio Maia.

Policial Civil é baleado durante tentativa de homicídio na Grande Natal

Um policial civil foi baleado durante uma tentativa de homicídio no início da tarde desta terça-feira (29). O fato aconteceu no distrito de Contenda, em Extremoz, na Grande Natal. A informação foi confirmada pelo tenente PM Isaac Leão, comandante do pelotão local.

Segundo o tenente, o atentado aconteceu por volta das 12h30. Dois veículos, sendo um Celta de cor vermelha e uma Pajero, tentaram abordar o policial que estava conduzindo seu veículo particular. A vítima teria reagido a abordagem e realizado alguns disparos contra os veículos. Durante uma troca de tiros, o policial foi baleado.

O policial foi socorrido e encaminhado para o Hospital Walfredo Gurgel.

Fonte: DN Online

Menino de 11 anos mata colega de 8 com tiro acidental em São Bento

Um menino de 11 anos de idade matou um colega de oito anos com um tiro acidental de revólver. O homicídio aconteceu por volta do meio dia deste domingo (20), na cidade de São Bento, no Sertão da Paraíba.

De acordo com a polícia, a vítima foi Pedro Lucas Fernando da Costa, de 8 anos de idade. Ele ainda chegou a ser socorrido para Campina Grande, mas devido à gravidade dos ferimentos, não resisitiu e morreu a caminho do hospital.

A arma que provocou o homicídio não foi localizada. Um confusão foi formada por conta da tragédia e quase que acontece outro crime, tendo o pai da vítima inconformado e com espírito de vingança tentado matar o pai do autor do disparo. Para evitar outro problema a polícia decidiu detê-lo.

Fonte: Portal Correio

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Larissa Silva disse:

    sou prima de pedro, moro em sao paulo ja faz um tempo, toda nossa familia esta arrasada ao vez da policia prender o meu tio, deveria prender o autor desse crime.

  2. Larissa Silva disse:

    sou prima de pedro, moro em sao paulo ja faz um tempo, toda nossa familia esta arrasada ao vez da policia prender o meu tio, deveria prender o autor desse crime.

  3. Wendy Freitas disse:

    Que tragédia… 

Criança que pode ter visto assassinato da mãe e avó recebe acompanhamento psicológico

Uma menina de apenas 10 anos e que pode ter visto a mãe e a avó sendo mortas cruelmente. É com esse trauma que um profissional da psicologia contratado pelo Estado irá lidar no tratamento da filha da a estudante Tatiana Cristina Cruz de Oliveira, 36, e a mãe dessa, a aposentada Olga Cruz de Oliveira Lima, 61, assassinadas no início da semana em Nova Parnamirim.

A garota iniciou ontem a assistência psicológica providenciada pela promotoria da Vara da Infância e Juventude de Parnamirim.

A promotora Isabelita Garcia ressalta a importância do Estado em proteger e providenciar o acompanhamento e o auxílio psicológico a essa criança, que é a principal testemunha no duplo homicídio registrado em Nova Parnamirim.

“O Ministério Público, como instituição, tem o dever de dar esse respaldo e  fazer o acompanhamento, protegendo-a e resguardando a integridade física e mental dessa menina”. Segundo ela, o psicólogo, cuja identidade foi mantida sob sigilo, irá trabalhar tanto a questão da violência sofrida pela garota, como também o trauma de ter presenciado a barbárie contra sua mãe e avó e fazer a coleta de dados que possam contribuir com a investigação do crime.

Fonte: DN Online

Português é retirado do rol de suspeitos do crime de mãe e filha em Nova Parnamirim

O contador português José Luiz Vaz Marques Rosa, 43 anos, não sabe o que pode ter motivado o assassinato com requintes de crueldade da sua ex-companheira, Tatiana Cristina Cruz de Oliveira, 36 anos. A mulher e a sua mãe, Olga Cruz de Oliveira Lima, 61 anos, foram mortas durante a segunda-feira passada na residência localizada na rua Antônio Lopes Chaves, no bairro de Nova Parnamirim – Região Metropolitana. Durante a manhã de hoje, José Luiz Vaz concedeu entrevista à equipe de reportagem da TRIBUNA DO NORTE. A conversa ocorreu no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Macaíba.

Vaz foi preso durante o ano de 2011 por força de um mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça portuguesa e cumprido pela Polícia Federal brasileira. Desde o mês de maio, o homem permaneceu em carceragens da PF, antes de ser transferido para o CDP, onde está desde o dia 5 de abril de 2012. O contador esclareceu que está preso por crimes fiscais cometidos em Portugal. “A pensão que pago à minha filha está normal. Não tem essa história”, disse.

Questionado sobre as possíveis motivações que teriam levado sua ex-companheira à morte, Luís Vaz  não soube responder. “Eram pessoas [Tatiana e Olga] completamente normais, como quaisquer outras. Não faço a mínima ideia do que possa ter motivado esse crime”, afirmou. O homem se colocou à disposição da polícia prestar esclarecimentos. “Estou totalmente isolado do mundo. Não sei como isso ocorreu e fiquei sabendo de mais informações através de vocês hoje. Estou disponível para falar com todo mundo que seja necessário”.

Fonte: Tribuna do Norte

Mãe e filha são encontradas mortas dentro de casa em Nova Parnamirim

Duas mulheres foram encontradas mortas na manhã desta terça-feira (8), em Nova Parnamirim. As vítimas estavam dentro da casa 464 da rua Antônio Lopes Chaves, uma amarrada a uma cadeira, dentro de um quarto, e a outra no chão da cozinha. Os corpos de  Tatiana Cristina Cruz de Oliveira, 36, e Olga Cruz de Oliveira Lima, 61, mãe e filha, respectivamente, apresentavam marcas agressões e ferimentos provocados por arma branca.

Informações repassadas pela polícia dão conta de que a filha de Tatiana Cristina, uma criança de 10 anos de idade, teria sido encontrada na noite de ontem por vizinhos na rua do imóvel onde os cadáveres estavam. A garota apresentava ferimentos leves pelo corpo, e foi levada ao Pronto-socorro Clóvis Sarinho, no Hospital Walfredo Gurgel.

Ela teria passado a noite inteira na unidade hospitalar, e não quis informar o paradeiro da mãe aos médicos. Na manhã de hoje, policiais da Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas invadiram a residência da família, e encontraram os corpos de Tatiana e Olga.

Uma equipe do Itep esteve no local e recolheu os cadáveres, e a   polícia técnica trabalha na realização da perícia.

Fonte: Tribuna do Norte

Polícia indicia seis pela morte do radialista F. Gomes

O Delegado Geral Fábio Rogério Silva juntamente com a Delegada Titular da Divisão Especial de Combate ao Crime Organizado (Deicor), Sheila Freitas, concederam entrevista na manhã desta terça-feira (08), no Fórum do município de Caicó, para detalhar as investigações sobre o caso do jornalista Francisco Gomes de Medeiros, o F.Gomes, assassinado no dia 18 de outubro de 2010, em Caicó.

Na entrevista, a delegada Sheila Freitas contou sobre a condução das investigações que culminaram na prisão dos envolvidos, bem como a conduta de cada um deles no crime.

Um dia após o assassinato do radialista, a polícia efetuou a prisão o pistoleiro João Francisco dos Santos, o “Dão”, autor confesso dos tiros que mataram o radialista.  No entanto, as investigações sobre o caso levantaram outros envolvidos. Dentre eles o comerciante Lailson Lopes, vulgo “Gordo Da Rodoviária”, como mandante do crime, seu advogado Rivaldo Dantas de Farias, Gilson Neudo Soares do Amaral, vulgo “Pastor”, além do Policial Militar Evandro Medeiros e do Coronel Marcos Antônio de Jesus Moreira.

O comerciante Lailson Lopes, mais conhecido como “Gordo da Rodoviária”, preso desde o dia 21 de janeiro do ano passado, foi o mandante do assassinato do radialista, em virtude motivada principalmente pelas denúncias constantes do radialista sobre o tráfico de drogas e também por causa da amizade e admiração que a esposa do acusado tinha com a vítima. Lailson inclusive compareceu ao velório de F. Gomes para não ser considerado como suspeito.

Lailson Lopes foi preso junto com Rivaldo Dantas, na ocasiãosob acusação de extorsão. A partir disso, a Polícia Civil começou as investigações sobre a ligação dele com o pistoleiro “Dão”, solicitando inclusive, a quebra de sigilo telefônico e bancário dos envolvidos. Em depoimento “Dão” confessou ter sido Lailson o mandante do crime, o que culminou com a prisão preventiva do comerciante.

Foram constatadas também diversas ligações telefônicas que Lailson recebeu e efetuou, a partir das 18 horas do dia da morte de F. Gomes, com Rivaldo, Dão, Pastor Gilson e do PM Evandro, bem como no decorrer da madrugada após o crime, havendo, portanto, uma intensa comunicação entre os acusados, o que contribuiu para incriminar os acusados.

Um dos motivos que teria motivado Lailson a mandar matar o radialista, de acordo com as investigações feitas pela Deicor, foi porque este havia denunciado o acusado, dono de uma loja de celulares em Caicó, de utilizar o seu comércio como fachada para praticar diversos crimes, razão pela qual, Lailson moveu ação judicial contra rádios e jornais.

As investigações concluíram também que Dão foi pago pelo grupo, para matar F. Gomes, visto que tinha laços estreitos com Rivaldo, que era seu advogado e com quem trabalhava como motorista, recebendo um telefone com chip, apenas para se comunicarem após o crime. Pela empreitada Dão receberia inicialmente, R$ 3 mil para fugir, pagos por Pastor, e mais R$ 5 mil, que seriam pagos pelo Coronel Moreira e repassados por Rivaldo.

A Polícia Civil chegou ainda à conclusão da participação efetiva do Pastor Gilsonno crime. Ele possuía ligações estreitas com o Gordo e Rivaldo e inclusive teria ficado incomodado com as acusações feitas por F. Gomes, na ocasião em que fora preso, razão pela qual, adentrou com várias ações exigindo danos morais, tanto da rádio onde a vítimatrabalhava, como dos jornais que noticiaram o fato, e o Estado, pois alega ter sido preso injustamente. Segundo Lailson, antes de planejarem a morte do radialista, Pastor e Rivaldo teriam planejado envenenar todos os funcionários da Rádio, como vingança.

Já contra o advogado Rivaldo Dantas pesa a acusação de ter sido ele o responsável por toda a logística do crime, fornecendo inclusive a arma para Dão matar F. Gomes, de quem também não gostava. Arrecadou também o dinheiro para o pagamento do crime, e sendo o responsável pelo depósito de cinco cheques que lhe foram entregues pelo Coronel Moreira na conta de seu irmão Renner. Rivaldo contou com o apoio do PM Evandro para esconder a arma utilizada no crime e para ajudar na fuga de Dão. Com relação à Moreira, pesa o fato de ele ter vendido um Triciclo em parcelas, e que parte desse dinheiro seria usado para pagar Dão.

Polícia investiga participação de presos em cinco homicídios no RN

Isaac Heleno da Cruz, de 26 anos e  Priscilo Cavalcante do Nascimento, de 24 anos, presos pela Polícia Militar na noite da última segunda-feira (30), no loteamento Dom Pedro, Zona Norte de Natal, portando armas estão sendo investigados pela Polícia Civil por suspeita de praticarem crimes de homicídios, assaltos e tráfico de drogas. Contra eles há mandados de prisão preventiva em aberto.

De acordo com delegado do 4º Distrito Policial, Frank Albuquerque, Isaac Heleno é investigado por suspeita de praticar um duplo homicídio, na noite do dia 08 de agosto do ano passado, no bairro de Mãe Luiza contra José Wilson Monteiro Neto e Tales dos Santos Araújo, ambos usuários de drogas e que teriam sido assassinados por acerto de conta em virtude de dívidas com traficantes. “Outro três comparsas dele nesse crime já foram presos poucos meses após esse duplo homicídio, mas ele fugiu para o bairro de Ponta Negra onde começou a comercializar drogas”, relatou.

O acusado inclusive já tem mandado de prisão em aberto por acusação de tráfico de entorpecentes expedido pelo delegado Luís Lucena, da 15ªDP, após ter sido encontrado uma grande quantidade de drogas dentro da casa dele. Isaac também é apontado com principal suspeito do desaparecimento de Iara Gonzaga da Silva, de 19 anos, sumida desde julho de 2009, na praia de Pipa, e do desaparecimento de um jovem de 16 anos desde janeiro desse ano, também em Pipa.

Já Priscilo Calvacante é suspeito de ter realizado um arrastão numa residência localizada no bairro Tirol, em setembro do ano passado. Na ocasião ele teria levado objetos e o carro do proprietário, totalizando um prejuízo avaliado em R$ 40 mil. Priscilo também apontado como autor do homicídio contra Damião de Lima e da tentativa de homicídio contra Luiz Henrique Soares, ocorrido em setembro de 2011, no bairro de Mãe Luiza, cujo mandado de prisão já foi expedido pela justiça. Os crimes teriam sido motivados por vingança.

Primo mata primo no interior do RN

Uma briga de bar em Governador Dix Sept Rosado, região da Chapada do Apodi, interior do estado, terminou em homicídio na noite desse domingo, 15. A informação é de que Antonio Miramar, 32, levou um tiro de seu primo, identificado como Edlson de Preto. A vítima chegou a ser socorrida, mas morreu ao dar entrada no hospital. O acusado está foragido.

A delegacia da cidade solicitou reforço ao Central de Operações em Mossoró, para tentar localizar o acusado.

Fonte DN Online