Diversos

FOTOS: “Bolas” desaparecem em 24h após intrigarem moradores no litoral de SP; especialistas falam em possibilidades, enquanto redes sociais citam “ets”

Foto: Diogo Cavalcanti de Souza/Arquivo Pessoal

Cerca de 24 horas após a aparição de centenas de bolas escuras na faixa de areia das praias de Peruíbe, no litoral de São Paulo, as estruturas desapareceram. O fenômeno que intrigou moradores e chamou a atenção de internautas é, na verdade, natural, segundo informado ao G1 pela prefeitura. Especialistas explicam que o rápido desaparecimento pode estar ligado à alta da maré.

O caso que viralizou nas redes sociais, na verdade, refere-se a bolas formadas por lama negra, que chegaram à faixa de areia devido à ressaca que atinge a região. Segundo a Prefeitura de Peruíbe, que confirmou a aparição, a lama foi jogada na praia pelo mar e coberta por areia, criando as bolas. Após a aparição, moradores ficaram curiosos, mas, em cerca de 24 horas, elas desapareceram das praias.

O biólogo marinho Eric Comin explica que a alta da maré pode ter levado as bolas de lama de volta para o mar. “Nessa dela [maré] subir, ela arrastou tudo de volta para o mar, depositou essa lama de volta. Outra hipótese é que a água tenha desmanchado esses rolos, que se misturaram com a areia”, diz.

Apesar das duas hipóteses, Comin reitera que, pelo fato de a lama ser mais argilosa, o mais provável é que ela tenha sido devolvida à água. “Pelo fato de ter uma densidade diferente, pode ter sido levada de volta para a água, porque essa [lama] é mais densa”, finaliza o biólogo.

Por sua vez, Paulo Flávio, médico especialista em Práticas Integrativas e doutor em Ciências com tese de doutorado sobre a Lama Negra de Peruíbe, também confirmou ao G1 que a maré é a única forma dessa lama voltar ao mar.

Redes Sociais

O fenômeno viralizou nas redes sociais após o empresário Diogo Cavalcanti de Souza tirar fotos e postar em uma página. Souza contou que caminhava na praia do Centro de Peruíbe quando viu as bolas, na noite da última sexta-feira (5). “Tinha umas grandes, outras pequenas. Eu estourei uma daquelas, e tinha um odor muito forte, que parecia de mangue”, explica.

A guia de turismo Yarima França, também moradora da cidade, afirmou que nunca viu formarem bolas na faixa de areia, mas que já viu o acúmulo de lama no local. “Como temos muitos mangues, e o bolsão de lama no alto do mar, é recorrente esse tipo de situação”, explicou.

Foto: Reprodução/Facebook

Na postagem feita pelo empresário, os internautas também passaram a criar teorias e brincar com a situação. “Fim dos tempos”, comentou um. “Isso é ET”, disse outro internauta no post.

Apesar disso, o fenômeno é natural, e o secretário municipal do Meio Ambiente, Eduardo Ribas, comentou o caso. “Em uma área a 80 metros da praia, mar adentro, existem bolsões de lama. Em ocasiões em que o mar fica bravo [revolto], como um efeito liquidificador, essa lama entra em suspensão, e às vezes encosta na praia como uma água preta, barrenta, ou em ‘pelotas’, que em contato com a areia solta da praia resulta nestas bolas”, disse.

Especialistas

A reportagem procurou especialistas para falarem sobre o fenômeno. Comin explica que as bolas podem ter sido causadas pelo desassoreamento dos rios, que faz com que a lama seja levada para a praia, formando espécies de ‘bolsões’ de lama, como os citados pelo secretário. “Isso faz com que esse substrato mais escuro, substrato de manguezal, vá parar no encontro com o mar, ficando depositado em frente à praia”.

O biólogo reitera que a ressaca que atingiu a região pode ter contribuído para que esse substrato subisse. “Nós tivemos um ciclone com uma força muito forte agora, inclusive, a maré subiu bastante, foi bem típico de ressaca, e faz com que o sedimento do fundo seja levantado pela onda. Ele fica rolando, e na hora que é jogado na praia, essa lama vai girar na areia, e ela vai e volta, e com isso vai grudando na areia, empelotando e formando essas bolas”, diz Comin.

Já para Flávio, essas bolas são de material argiloso, de origem marinha. De acordo com o especialista, não pode ser considerado que sejam formadas de lama negra, e sim, pela lama após uma maturação. “Elas vêm do mar para a terra. Quando ocorre algum movimento maior no fundo do mar, e às vezes isso acontece muito longe daqui, como, por exemplo, da outra vez que isso aconteceu, foi em consequência de um ciclone extratropical que ocorreu próximo a Paranaguá”, diz.

Flávio ainda completa, explicando que esse material existe em abundância no fundo do mar, e fica depositado em depressões. “É um material muito mais pesado que a água, tem uma vez e meia a densidade da água do mar, é um material que não se mistura a quase nada”, finaliza.

G1

Opinião dos leitores

  1. Aí nada mais é do que a natureza tentando limpar a sebozeira dos humanos. Receba o me daz.

    1. Pense numa mulher para falar besteira, essa Calígula defeca pelos dedos.

    2. pistoleiro, só uma correção, Calígula é nome de homem. Kkkkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

DNA Center esclarece que são absolutamente falsas informações de que atuará na porta de entrada de festas de réveillon do Litoral do RN

Nota de Esclarecimento

O laboratório DNA Center esclarece que são absolutamente falsas informações de que atuará na porta de entrada de festas de réveillon do Litoral do RN, realizando testes de Covid. O laboratório não participa de qualquer tratativa neste sentido.

No momento em que a pandemia recrudesce e é crescente a procura por testes, o DNA Center vem trabalhando na ampliação do atendimento à população em suas unidades, com o compromisso e a responsabilidade social que lhe são inerentes.

Diretoria do DNA Center

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Ex-repórter da Globo sofre atentado a tiros no litoral de São Paulo

Foto: Reprodução

Nesta quarta-feira, a ex-repórter da Rede Globo e candidata à prefeitura de São Vicente pelo PSDB, Solange Freitas, foi vítima de um atentado no litoral de São Paulo. Solange estava em um carro blindado com outros quatro assessores, quando um homem se aproximou de moto e disparou contra a janela do passageiro, onde a candidata estava sentada, ninguém ficou ferido. As informações são do Portal G1.

Segundo o Major Michael, a Polícia Militar está em busca do criminoso responsável pelos disparos, a imagem das câmeras de monitoramento devem ajudar na investigação. Além da ex-repórter, um produtor da campanha, uma assessora e o candidato a vice-prefeito, Gil do Conselho, estavam no carro e todos estão bem.

Essa não é a primeira vez que Solange sofreu um ataque. No dia 14 de outubro, o comitê eleitoral de Solange foi alvo de outro ataque criminoso, quando um grupo invadiu e incendiou o espaço. Em maio, ela se desligou da sua carreira na TV Tribuna, afiliada da emissora Globo, para se dedicar a carreira eleitoral.

O Dia – IG

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

FOTOS E VÍDEO: Participante de festa em barcos de luxo joga notas de R$ 50 no mar no litoral de SP

Notas são exibidas em vídeo durante festa com embarcações de luxo — Foto: Reprodução

Um dos participantes de uma festa realizada no mar com dezenas de barcos de luxo em Guarujá, no litoral de São Paulo, foi flagrado jogando notas de R$ 50 na água durante o evento. As imagens, obtidas pelo G1 nesta sexta-feira (18), mostram o homem mostrando um maço de dinheiro durante a celebração, que reuniu aproximadamente 350 pessoas. (ACESSE VÍDEO AQUI EM MATÉRIA NA ÍNTEGRA).

O evento ocorreu na tarde de quinta-feira (17), no Canto do Tortuga, localizado no bairro Enseada, desrespeitando as medidas de prevenção ao novo coronavírus, como o uso de máscaras de proteção e o distanciamento social. Um video (veja acima) mostra um homem jogando diversas notas no mar. Já outro participante da festa comemora a ostentação.

Em seguida, o rapaz que joga as notas vira para quem está filmando e entrega uma grande quantidade de supostas cédulas de R$ 100 e R$ 50 a ele. Outras imagens mostram as embarcações reunidas e centenas de banhistas celebrando em meio a música alta e bebidas. Além de lanchas, iates e motos-aquáticas, duas escunas foram vistas com dezenas de pessoas.

Segundo apurado pelo G1, para participar da festa nas escunas, as pessoas compraram ingressos, que na quinta pela manhã já haviam esgotado. Os barcos de luxo funcionavam como uma espécie de ‘camarote’ e não precisaram pagar para participar do evento, que reuniu ao menos dois DJs. Durante a festa, uma empresária da região também celebrou seu aniversário.

O evento foi divulgado pelas redes sociais e teve centenas de confirmações de presença. Até a última atualização desta reportagem, os organizadores da festa não foram localizados.

Proibição

Conforme os decretos municipais de enfreamento à Covid-19, em Guarujá, está proibida a aglomeração de pessoas e também a locação de embarcações e motos náuticas.

Em nota, a prefeitura ainda informa que enviou equipes da Força-Tarefa, da Guarda Civil Municipal (GCM), além de fiscais de postura e comércio para impedir a festa no fim da Praia da Enseada, no Canto do Tortuga. A operação contou, também, com o apoio da Polícia Militar.

A Capitania dos Portos de São Paulo informou que também foi acionada para fazer a retirada e as autuações das pessoas que estavam no mar. Já na areia, as equipes dispersaram os participantes, apreenderam bicicletas e identificaram uma marina que locou embarcações e será devidamente responsabilizada conforme os decretos. A multa varia de R$ 300 a R$ 9 mil.

Dezenas de barcos foram flagrados em festa no mar em Guarujá, SP — Foto: Reprodução/Jimmi Drone Guarujá

O órgão reiterou que duas equipes de Inspeção Naval da Capitania foram direcionadas ao local a fim de verificar o cumprimento da Lei sobre a Segurança do Tráfego Aquaviário e das Normas da Autoridade Marítima. A ação de fiscalização permanece em andamento. A Marinha do Brasil enfatiza que disponibiliza o telefone 185 para denúncias e emergências náuticas.

Covid-19 na Baixada Santista

A festa ocorre após a Baixada Santista registrar aumento de casos e mortes por Covid-19. Esta alta no número de confirmações foi contabilizada duas semanas após um fim de semana ensolarado, com estradas e praias lotadas na região. Segundo o último levantamento realizado pelo G1 com as nove prefeituras, a Baixada soma mais de 52.323 confirmações e 1.925 mortes causadas pelo vírus.

G1

Opinião dos leitores

  1. E segue a briga de quem roubou ou rouba mais ou menos. Parabéns, tudo farinha do mesmo saco. Muda os cachorros mais …… Prá.

  2. Eita mané mané, isso de fato é uma ostentação idiota e descabida, ridículos nós encontramos em todas as classes sociais, recantos e níveis, não acredito ser de um rico, mais sim um abestalhado. E veja que temos muitos, uns votam no PT, outros no MDB, PSDB E por aí vai, só para corroborar o que vc falou, mais não pensou. Esse buraco começou com nove dedos e a Anta enriquecendo seus filhos apaniguados, os ronaldinhos da vida, copiadores de teses, sócios de grandes empresas, aqueles que no passado catavam excremento de rinoceronte e hoje são ricos. E vc já viu o babaca do lulinha falando e fazendo besteira em uma lancha, cercado por meninas de família boa? Está no YouTube. Vai lá obtuso.

  3. Dinheiro fácil roubado da Petrobrás durante os desgovernos petistas. Devemos sempre lembrar que o PT no poder promoveu o maior roubo do mundo. Devemos lembrar sempre da delação de Palocci, de Marcos Valério, de Sérgio Cabral e muitos outros.

  4. Cara cagada e cuspida da elite brasileira, de familia tradicional cristã e bolsonarista fervorosa.
    Tem uns perrapados que seguem essa turma.
    Caminhamos para um buraco cada vez mais fundo.

    1. Ideal é que essas reuniões sejam realizadas no sitio de Atibaia ou no triplex de Guarujá. Só gente honesta…!!
      Vá lá mané?

    2. Cristão que nem o Lula? Ou o Maduro podre? Ou o Fidel Castro paredon? Ou o médico argentino Tche Guevara? Ou a Anta Dilma guerrilheira?
      Parece que os esquerdistas retiraram as faltas no evento…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

“É hora de manter o isolamento para conter o avanço da pandemia. O nosso litoral tem 50% da população”, alerta Mineiro, sobre fiscalização

Foto: Ilustrativa/Divulgação

Sobre o apoio estadual às fiscalizações nos municípios localizados no litoral do estado, o secretário de Gestão de Projetos e Metas e coordenador do programa Governo Cidadão, Fernando Mineiro, reafirmou que as atividades desenvolvidas pelo Governo têm o objetivo claro de barrar o avanço da contaminação e de novos casos de Covid-19. “Importantes ações estão articuladas pelo Estado junto aos municípios. O RN tem posição positiva comparado a outros Estados, mas é preciso manter o controle e a vigilância para impedir novos casos da doença. E isso só é possível se avançarmos na prevenção”, registrou.

Ações articuladas funcionaram bem no fim de semana passado e continuarão neste sábado (1º) e domingo (02). “O sistema de vigilância do Ciosp da Secretaria Estadual de Segurança Pública, está à disposição da prefeitura de Natal, funciona 24 horas e cobre, ao vivo e on line, a movimentação de Ponta Negra à Redinha. Hoje teremos nova reunião para organizar a fiscalização. Não é hora ainda de aglomerações. Queremos evitar o efeito sanfona como aconteceu em outros Estados e países. É hora de manter o isolamento para conter o avanço da pandemia. O nosso litoral tem 50% da população, mas tem entre 60 e 70% do número de casos e de mortes por Covid”, afirmou Fernando Mineiro.

Opinião dos leitores

  1. Quem danado é esse mineiro para emitir opinião sobre isolamento social, pior ainda são vocês jornalistas transcreverem notícias desqualificadas de fonte desacreditada!

  2. A única ação que esses ladrões do PT sabem fazer. KD o dinheiro q foi para o bando do nordeste????

  3. Qual é e onde especificamente ocorreu esse efeito sanfona??? Em nenhum ligar no mundo houve segunda onda! Casos vão continuar existindo, pois a doença será endêmica, asim como diversas outras!!!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Marinha alerta para ventos fortes e ressaca no litoral do RN com ondas de até 3,5 metros até a manhã desta quarta

Foto: Ilustrativa/Joel Braga

A Marinha do Brasil, por meio do Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), comunica que a intensificação dos ventos alísios poderá provocar ventos, em alto-mar, de direção Sudeste a Leste, com intensidade de até 60 km/h (33 nós), entre os estados da Bahia, ao norte de Salvador, e do Rio Grande do Norte, ao sul de Natal, até a manhã desta terça-feira(28).

De acordo com a Marinha, os ventos associados a esse sistema meteorológico poderão ocasionar agitação marítima com ondas, em alto-mar, de direção Sudeste a Leste, com até 3,5 metros de altura, entre os estados da Bahia, ao norte de Salvador, e do Rio Grande do Norte, ao sul de Natal, até a tarde desta terça-feira.

O Centro de Hidrografia da Marinha ainda destaca que há condições favoráveis à ocorrência de ressaca com ondas de direção Sudeste a Leste, com até 2,5 metros de altura, na faixa litorânea entre os estados da Bahia, ao norte de Salvador, de Sergipe, de Alagoas, de Pernambuco, da Paraíba e do Rio Grande do Norte, ao sul de Touros, até a manhã desta quarta-feira(29).

“Alerta-se aos navegantes que consultem essas informações antes de se fazerem ao mar e solicita- se ampla divulgação às comunidades de pesca e esporte e recreio”, encerra o comunicado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Marinha emite alerta de ventos de até 60 km/h no litoral potiguar, e ondas de até 4 metros, entre este sábado e terça

Foto ilustrativa/WSL

A Marinha do Brasil emitiu um alerta para a possibilidade de ventos fortes, ressaca e mar grosso com ondas de até 4 metros de altura no litoral do Rio Grande do Norte, a partir das 9h do dia 25(sábado) até o dia 28(terça) às 21h. O aviso ainda prevê ventos fortes de até 60 km/h de Salvador (BA) à Natal (RN).

A previsão de mar grosso é de Salvador a Natal, com ondas de 3 a 4 metros de altura, válido até o dia 28 de julho às 9h.

A Capitania dos Portos do RN recomenda que as embarcações de pequeno porte “evitem a navegação” e que as demais embarcações “redobrem a atenção quanto ao material de salvatagem, estado geral dos motores, casco, bomba de esgoto do porão, equipamentos de rádio e demais itens de segurança”.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Marinha emite novo alerta de ventos de até 61 km/h no litoral do RN até esta quinta

Foto: Ilustrativa

A Marinha do Brasil, por meio da Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte, informa a possibilidade de ocorrer VENTOS FORTES de sudeste a leste, com velocidade de até 61 km/h com rajadas, em toda faixa litorânea de Natal (RN) a São Luiz (MA).

A previsão meteorológica descrita nesta Nota, poderá ocorrer no período entre o dia 21 a 23 do corrente mês, referente aos Avisos de Mau Tempo, divulgados pelo Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), de no 898 do corrente ano.

Alerta-se aos navegantes que consultem essas informações antes de se fazerem ao mar e solicita- se ampla divulgação às comunidades de pesca e esporte e recreio. Solicita-se ampla divulgação e recomenda-se que as embarcações de pequeno porte “evitem a navegação” e que as demais embarcações redobrem a atenção quanto ao material de salvatagem, estado geral dos motores, casco, bomba de esgoto do porão, equipamentos de rádio e demais itens de segurança.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Marinha estende alerta para esta terça de possibilidade de ressaca no litoral do RN com ondas de até 3,5 metros e ventos de mais de 60 km

Foto: Ilustrativa

A Marinha do Brasil, por meio da Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte, comunica a possibilidade de ocorrer ventos fortes de Sudeste a Leste, com velocidade de até 61km/h, com rajadas, em toda faixa litorânea do Estado do Rio Grande do Norte até SÃO LUÍS (MA), ressaca e mar grosso com ondas de direção Sudeste a Leste com até 3,5 metros de altura entre as
cidades de SALVADOR (BA) e TOUROS (RN).

A previsão meteorológica descrita nesta Nota, poderá ocorrer no período do dia 19 a 21(esta terça) do corrente mês, e refere-se aos Avisos de Mau Tempo, divulgados pelo Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), de no 885, 886, 888 e 891 do corrente ano. Alerta-se aos navegantes que consultem essas informações antes de se fazerem ao mar e solicita- se ampla divulgação às comunidades de pesca e esporte e recreio.

Solicita-se ampla divulgação e recomenda-se que as embarcações de pequeno porte “evitem a navegação” e que as demais embarcações redobrem a atenção quanto ao material de salvatagem, estado geral dos motores, casco, bomba de esgoto do porão, equipamentos de rádio e demais itens de segurança.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Marinha emite alerta até esta terça de ventos fortes de mais de 60 km e ressaca com ondas de até 3,5 metros em toda a faixa litorânea no RN

Foto: Ilustrativa

A Marinha do Brasil, por meio da Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte, comunica a possibilidade de ocorrer ventos fortes de Sudeste a Leste, com velocidade de até 61km/h, com rajadas, em toda faixa litorânea do Estado do Rio Grande do Norte, ressaca e mar grosso com ondas de direção Sudeste a Leste com até 3,5 metros de altura entre as cidades de Salvador (BA) e Touros (RN).

A previsão meteorológica descrita nesta Nota, poderá ocorrer no período dos dias 19 a 21 do corrente mês, e refere-se aos Avisos de Mau Tempo, divulgados pelo Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), de no 885, 886 e 888 do corrente ano.

Alerta-se aos navegantes que consultem essas informações antes de se fazerem ao mar e solicita- se ampla divulgação às comunidades de pesca e esporte e recreio.

Solicita-se ampla divulgação e recomenda-se que as embarcações de pequeno porte “evitem a navegação” e que as demais embarcações redobrem a atenção quanto ao material de salvatagem, estado geral dos motores, casco, bomba de esgoto do porão, equipamentos de rádio e demais itens de segurança.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Baile funk reúne multidão em meio a quarentena no litoral de SP

Foto: G1 Santos

Um pancadão de mais de sete horas de duração, realizado na madrugada desta segunda-feira (18), perturbou moradores de São Vicente, no litoral de São Paulo. Segundo testemunhas, a Polícia Militar foi acionada para fiscalizar o evento, no entanto, nenhuma equipe compareceu ao local.

Conforme apurado pelo G1, o evento começou na noite do último domingo (17), por volta das 21h, na Rua Vale do Pó, no bairro Vila Margarida. O pancadão é um termo usado para se referir a festas e bailes em que é tocado funk em alto volume.

Segundo uma moradora, que prefere não se identificar, dezenas de pessoas começaram a se aglomerar, sem proteção, logo após o começo da festa. “Teve um carro e uma caixa de som e muita gente na rua. Nunca tinha acontecido isso por aqui. Cheguei a chamar a polícia e disseram que já tinha 15 denúncias do baile, mas nenhuma viatura apareceu. Ninguém que precisava conseguiu dormir aqui na rua hoje”, relata.

Além do barulho, moradores também flagraram os participantes aglomerados e sem a máscara de proteção facial, contrariando as recomendações sanitárias do combate à pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e, já durante a manhã, embalagens e lixo espalhados pela rua.

“É uma falta de respeito. Tenho uma criança de dois anos e a minha mãe, que é idosa, em casa, e ninguém conseguiu dormir hoje, só acabou 4h, quando eu levantei para trabalhar. Ainda deixaram essa sujeira. Quem vai limpar tudo isso? E como a polícia não foi, eles vão achar que podem continuar a fazer esses bailes”, conta a testemunha.

Em nota, a Prefeitura de São Vicente informa que a Guarda Civil Municipal não interfere neste tipo de ocorrência, que, normalmente, é atendida pela Polícia Militar. A Secretaria de Comércio, Indústria e Negócios Portuários (Secinp) informa que não recebeu qualquer denúncia em relação ao referido baile funk. A Secinp também ressalta que seus fiscais vêm atuando diuturnamente em diversas frentes, inclusive em denúncias sobre bailes funks.

O G1 também questionou a Polícia Militar a respeito das denúncias, no entanto, não obteve resposta até a última atualização desta matéria.

G1

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Tremor é registrado no litoral do RN nesta quinta e sismólogos chamam a atenção para registro de vários eventos ocorridos na região

Foto: Reprodução

Nesta quinta-feira(30), às 06:14 UTC (03:14, hora local) ocorreu um novo tremor no litoral do RN, desta vez de magnitude preliminar 1.7. Esse evento foi registrado por diversas estações da Rede Sismográfica Brasileira (RSBR) operadas pela UFRN.

Mapa de localização epicentral. A estrela vermelha indica o epicentro. O triângulo vermelho mostra a localização da estação de Riachuelo (RCBR). A linha vermelha indica a Falha de Samambaia. Foto: Reprodução.

Os sismólogos do (LabSis/UFRN, RSBR) chamam a atenção que vários eventos tem ocorrido nessa região do litoral do RN suscitando uma questão, levando-se em conta os erros na determinação epicentral e que uma falha não é necessariamente uma linha reta: “estarão esses eventos num prolongamento oceânico da Falha de Samambaia? Sendo verdade teríamos então uma falha de 140 km de extensão”, destacam.

Fonte: LabSis/UFRN, RSBR
Joaquim Ferreira, Eduardo Menezes

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

FOTOS: Branqueamento de corais no litoral do RN chama atenção e é um alerta para a sociedade

Fotos: Tiego Costa

Os corais da Área de Proteção Ambiental dos Recifes de Corais (APARC), localizada no Litoral Norte do estado, vêm passando por um processo de branqueamento e provocando preocupação na equipe da gestão da Unidade de Conservação. Isso porque nunca foi registrada uma quantidade expressiva de corais atingidos nesta área. A principal causa do fenômeno nos corais é o aumento da temperatura das águas oceânicas, em decorrência de uma onda de calor marinha que chegou ao Rio Grande do Norte no início do mês de março deste ano.

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente – Idema, em parceria com a Fundação para o Desenvolvimento Sustentável da Terra Potiguar do Rio Grande do Norte (Fundep), através do Programa de Monitoramento Ambiental e Turístico da APA dos Recifes de Corais – Ecorecifes, realiza um trabalho permanente na APARC para acompanhar a saúde do ambiente recifal na região. O coordenador do Programa, Keliton Gomes, relata que houve uma aceleração no fenômeno de branqueamento na área, afetando mais de 70% das colônias de corais. “Durante uma coleta de dados no início do mês de abril verificamos um agravamento com 76,1% das colônias identificadas na área recifal de Maracajaú, apresentando níveis de branqueamento de leve a forte e 78,5% na área recifal de Rio do Fogo/Perobas”. Segundo o coordenador, além da coleta de dados regular, o grupo de pesquisa da unidade individualizou colônias de corais para acompanhar a evolução dos efeitos do branqueamento.

As equipes do Idema e do monitoramento ambiental vêm discutindo a situação do branqueamento há pelo menos 15 dias e reforçam a necessidade da população se sensibilizar quanto às causas e consequências do acúmulo de gás carbônico na atmosfera. Segundo o diretor geral do Idema, Leon Aguiar, esse é um momento também para pensarmos além do trabalho de monitorar a situação. “As medidas não são somente o monitoramento, mas a consciência global dos povos em buscar se adaptar às mudanças do clima, reduzir os impactos sob a atmosfera com a redução das emissões de substâncias prejudiciais que favorecem ao aquecimento, buscar cada vez mais soluções tecnológicas e alteração das matrizes energéticas para soluções renováveis e ambientalmente sustentáveis”, comenta Leon.

Os corais estão entre os organismos marinhos mais afetados pelo aquecimento global e, consequentemente, também impactam a existência de outras espécies. A maioria dos corais possui uma relação de simbiose com microalgas que são responsáveis por fornecer alimentos e coloração aos ambientes de recifes de corais. Com uma maior temperatura das águas, as algas se reproduzem em excesso e são expulsas pelos corais, que perdem uma importante fonte de alimento e sua coloração, deixando seu esqueleto branco aparente através de seu fino tecido transparente.

De acordo com os estudos científicos no Brasil, a maior parte dos corais brasileiros tem se recuperado bem desses eventos. “Estamos observando os efeitos das mudanças globais perto da nossa realidade. Elas são visíveis, não tem como negar. É importante ouvir a ciência nesse momento. Existe a chance de reversão na questão do branqueamento, mas o que está acontecendo é um sinal para ficarmos atentos à importância do cuidado com o nosso planeta Terra, de maneira geral”, ressalta a gestora da Área de Proteção Ambiental dos Recifes de Corais (APARC), Heloísa Brum.

A frequência e a severidade dos fenômenos de branqueamento em massa têm aumentado nas últimas décadas, causando degradação dos recifes em larga escala. De acordo com o professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), especialista em corais e também conselheiro da APARC, Guilherme Longo, a Grande Barreira de Corais na Austrália, por exemplo, vive agora o seu terceiro evento de branqueamento em massa concentrados nos últimos 5 anos. “Embora a gente escute mais sobre a Austrália, o fenômeno também atinge os corais brasileiros desde a década de 90, porém com maior intensidade na última década, de maneira especialmente intensa em 2010, 2016 e 2019. Agora em 2020, uma onda de calor marinha chegou ao nordeste do Brasil e fez com que a temperatura da água do mar subisse em dois graus durante o mês de março, causando branqueamento de corais em alguns pontos”, relata.

Segundo o professor Guilherme Longo, os primeiros registros de branqueamento ocorridos este ano no litoral de Pernambuco e no Rio Grande do Norte, chegaram através do projeto de monitoramento cidadão de corais DeOlhoNosCorais, e embora o fenômeno esteja de fato intenso na APARC, ele não se restringe à nossa região. “A onda de calor começa a perder força durante o mês de abril e a temperatura deverá voltar ao normal até maio, permitindo uma potencial recuperação. Por isso, se a situação de saúde pública nos permitir, os monitoramentos devem continuar. Tão importante quanto documentar o branqueamento é documentar a possível recuperação desses corais”, conclui.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

FOTOS: Serviço de desinfecção em Parnamirim continua no Litoral

Fotos: ASCOM

A Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (SELIM) continua as ações de desinfecção de áreas públicas em diversas localidades do município. Nessa segunda- feira (6) uma equipe de agentes da SELIM, seguindo as orientações de segurança da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde, desinfetaram paradas de ônibus; feirinha de Pium; quiosques do Cajueiro, em Pirangi do Norte e pontos comerciais.

Os agentes, devidamente treinados, usam equipamentos como botas, luvas, máscaras e roupa especial e utilizam o método de pulverização de hipoclorito de sódio diluído em água.

A desinfecção dos locais onde há grande circulação diária de pessoas é necessária, pois ajuda a desacelerar o avanço do número de casos de pessoas com Covid-19 nos próximos dias.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Meio Ambiente

Litoral potiguar tem nove praias impróprias para banho

Foto: Divulgação

De acordo com o Boletim de Balneabilidade das praias do RN emitido nesta sexta-feira (6), nove delas estão impróprias para banho. O resultado das amostras baseado na quantidade de coliformes fecais encontrados nas águas demonstra que as seguintes praias não são recomendadas para banhistas.

Foz do Rio Pirangi (Nísia Floresta), Rio Pium (Ponte Nova) e Rio Pium (Balneário Pium) em Parnamirim, Ponta Negra (final do calçadão), Via Costeira (Cacimba do Boi), Areia Preta (Praça da Jangada), Praia do Meio (Iemanjá), Praia do Forte e Redinha (Rio Potengi), em Natal.

O estudo é uma parceria entre o Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (IDEMA), o Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) e a Fundação de Apoio à Educação e ao Desenvolvimento Tecnológico do RN (FUNCERN), fazendo parte do Programa Água Azul.

Foram coletadas, analisadas e classificadas amostras de água em 33 pontos nas praias potiguares, distribuídas na faixa costeira situada entre os municípios de Nísia Floresta e Extremoz, a fim de classificar e informar aos banhistas quais as condições das praias monitoradas para o banho.

A classificação leva em conta a quantidade de coliformes termotolerantes encontrados nas águas, como estabelecido na resolução nº 274/2000 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama).

Opinião dos leitores

    1. Via Costeira escura e com os guard rails detonados.
      Ponta Negra de fazer vergonha. Meio-fios e canteiros cheios de mato por toda a parte.
      Calçadas de pedra portuguesa esburacadas.
      E corroboro. No máximo eram duas ou três priais impróprias.
      Parnamirm também tá muito detonada na orla.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acidente

Piloto é resgatado no litoral norte potiguar após ejetar em avião da FAB

Um piloto da FAB foi resgatado em alto mar, no litoral norte potiguar, na tarde desta terça-feira(03). A ocorrência se deu após ele ter sido ejetado da aeronave. Até a publicação desse post, não se tem informação da ação que resultou no ocorrido.

Informações preliminares dão conta que o piloto, que estava na aeronave com mais um segundo piloto, sobreviveu e foi resgatado inicialmente por uma pequena embarcação, e depois por uma equipe da Força Aérea em helicóptero.

A aeronave não teria caído e retornado à base com o outro piloto.

Opinião dos leitores

  1. Acho que ele queria comprar peixe barato antes que os paquetes chegasse na costa da Redinha kkkk

  2. Acho que ele queria comprar peixe barato antes que os paquetes chegasse na costa da Redinha kkkk

  3. Dizem que o piloto estava ouvindo Jojó Todinho, Pablo Vitar e Anita, aí o copiloto ficou puto e achou melhor pular.

  4. fala sério !!! Ele foi ejetado pq brigou com o outro? Ou ele estava testando o aparelho de ejeção?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *