Rússia anuncia acordo para oferecer remédio contra Covid-19 ao Brasil

Foto: Ilustrativa/Folha Vitória

O fundo soberano da Rússia e a farmacêutica russa ChemRar anunciaram nesta quinta (24) um acordo para fornecer a 17 países, inclusive o Brasil, um antiviral contra a Covid-19.

Segundo o fundo, que bancou também a criação da vacina Sputnik V, o Avivafir está sendo negociado com um laboratório privado brasileiro, que não teve o nome divulgado. Para ser usado, ele precisa ser aprovado pela Anvisa.

A droga em questão é o Avifavir, nome comercial do favipiravir, composto que é usado desde 2014 no Japão contra a gripe chamado de Avigan.

Em abril, sua fabricante, a Fujifilm (a mesma do ramo fotográfico), começou testes clínicos de fase 3 para determinar se ele poderia ser eficaz no combate ao novo coronavírus. Seu princípio é o de inibir a enzima polimerase, que ajuda o patógeno a se reproduzir quando invade uma célula saudável.

A Rússia iniciou testes próprios com um genérico sob licença japonesa e, em junho, aprovou o uso emergencial de 60 mil doses do remédio em 74 de suas 85 regiões.

Como no caso da Sputnik, houve críticas à aprovação sem o fim dos testes clínicos. Segundo o Ministério da Saúde da Rússia, como o remédio não trazia riscos à saúde por já estar em uso, isso seria tolerável.

Segundo o órgão, 940 pacientes foram acompanhados. Neles, 30% tiveram o Sars-CoV-2 eliminado do corpo e o restante, reduziu seu tempo de tratamento de sintomas como pneumonia leve de quatro para dois dias.

Ainda assim, houve questionamentos na comunidade médica russa.

Nesta quarta (23), a Fujifilm divulgou os resultados de sua fase 3, apontando que o remédio de fato é eficaz para reduzir o tempo de tratamento em casos não graves da Covid-19. Agora, pretende iniciar o processo de aprovação do uso da droga no Japão, o que pretende concluir em outubro.

A ação do Avifavir é semelhante à da droga experimental remdesivir, cujos estoques mundiais foram virtualmente sequestrados pelo governo dos Estados Unidos, numa iniciativa condenada pela Organização Mundial da Saúde.

Os russos já haviam enviado a medicação para as ex-repúblicas soviéticas Belarus, Cazaquistão, Uzbequistão, Quirguistão e Turcomenistão. Além deles, na segunda (21), o governo da Bolívia anunciou a compra de 150 mil doses da droga.

Agora, o fundo soberano afirma que deverá fornecer o remédio, que custa cerca de três vezes menos que o Remdesivir, para Brasil, Argentina, Bulgária, Chile, Colômbia, Equador, El Salvador, Honduras, Kuwait, Paraguai, Panamá, Arábia Saudita, Sérvia, Eslováquia, África do Sul, Emirados Árabes Unidos e Uruguai.

“Quando nós registramos a primeira droga contra o coronavírus no mundo, houve ceticismo porque o Japão ainda não havia a registrado. Agora a eficácia está comprovada”, afirmou Kirill Dmitriev, presidente do fundo.

A estratégia de marketing dos russos na pandemia tem sido agressiva. Após uma atitude inicial negacionista do governo de Vladimir Putin, o país abraçou uma agenda de busca pela vacina e por drogas com velocidade criticada por médicos russos e estrangeiros.

No caso da Sputnik V, ela foi registrada em 11 de agosto para uso civil, a primeira do mundo. Na verdade, ela só tinha passado pelas fases 1 e 2 dos ensaios clínicos, indo para a fase 3 agora —Dmitriev diz que há mais de 50 mil voluntários inscritos para os testes.

Nenhum estudo científico havia sido publicado até o dia 4 de setembro. O texto aprovado pela prestigiosa revista britânica The Lancet apontava a eficácia do imunizante, mas ressaltava que faltava ainda a fase 3 para confirmá-lo.

Mesmo o estudo foi alvo de críticas de um grupo de cientistas, que questionou a duplicação de alguns resultados. Os russos responderam ao texto com um novo artigo na mesma revista.

Dmitriev disse à Folha, na semana retrasada, que as críticas são parte de um jogo político que une governos contrários ao Kremlin e as grandes farmacêuticas, que controlam 80% do mercado mundial.

Seja como for, há um padrão de anúncios que se antecipam a resultdos clínicos. Para Dmitriev, isso é justificável dada a emergência da pandemia e pelo fato de a Rússia usar como base medicamentos que já estavam em uso —o favipiravir no caso da droga e o vetor adenoviral humano, no caso da Sputnik.

Ainda assim, há uma certa opacidade nas ações. Na entrevista à Folha, o presidente do fundo revelou que negociava a produção da Sputnik V com parceiros europeus e americanos, além de parcerias conhecidas como as com a Índia ou com os governos do Paraná e da Bahia.

Ele disse que anúncios deveriam ser feitos nas próximas duas semanas. Tal prazo acaba nesta sexta (25), e o fundo informou que as negociações continuam, mas não havia ainda acordos a serem revelados.

Folha de SP

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cláudio disse:

    Diabo é quem toma.

  2. Mito do Gado disse:

    Como o Governo Federal não providenciou o antiviral dos EUA nem negociou com Trump, só sobra o “resto” pra população brasileira…

Mourão cita desmatamento na Guiana Francesa após França se opor a acordo UE-Mercosul

Foto: Adriano Machado

Hamilton Mourão criticou há pouco a oposição que a França anunciou contra o acordo entre a União Europeia e o Mercosul, por causa dos desmatamento no Brasil.

O vice-presidente disse que a Guiana Francesa, departamento ultramarino que a França possui na América do Sul, também tem registros de desmatamento e mineração ilegal.

“É uma opinião do primeiro-ministro francês de que o acordo Mercosul-União Europeia não deve ser ratificado pelo parlamento francês pela questão desmatamento. Ora, vamos lembrar que na Guiana Francesa nós temos garimpo ilegal e temos desmatamento, é uma província francesa, mas não vou colocar a discussão nesse nível, essa é aquela discussão do nível baixo.”

E acrescentou:

“Existem problemas? Existem, mas não é um problema generalizado da forma como se coloca. A questão dessas ilegalidades, ela ocorre praticamente nas áreas antropizadas da Amazônia, a maioria delas há mais de 20 anos, 30 anos ocupada por propriedades rurais.”

O Antagonista

Conmebol fecha acordo com a Band para criar PPV da Libertadores e da Sul-Americana

Foto: Divulgação / Conmebol

A Band e a Conmebol fecharam na manhã deste domingo (13) acordo para a transmissão, em TV por assinatura, da Libertadores e da Copa Sul-Americana. Mas a forma de exibição será diferente e inédita no Brasil, combinando a entidade, junto com Newco, o braço de TV por assinatura do Grupo Bandeirantes, e a FC Diez Media, empresa da IMG que produz conteúdo para as competições nas redes sociais. Este grupo vai montar um canal de pay-per-view para oferecer as partidas que não teriam exibição no país até então. A estreia será na próxima terça (15).

A informação foi publicada inicialmente pelo Máquina do Esporte e confirmada pelo UOL Esporte. A iniciativa é inédita e, neste pacote que será oferecido para o público, terão os jogos que eram até então do Sportv na TV por assinatura, antes de a Globo rescindir o contrato que tinha até 2022.

Ao todo, somente pela Libertadores, serão cerca de 27 jogos exclusivos só na fase de grupos. As partidas da Copa Sul-Americana na TV paga também serão exibidas nesse sistema a partir de outubro, quando o torneio for retomado.

Esse acordo pela Sul-Americana, no entanto, não impede uma janela na TV aberta. A reportagem apurou que RedeTV! e Conmebol continuam conversando por jogos da segunda competição mais importante do continente. Novidades podem acontecer nas próximas semanas.

Inicialmente, os clientes de Net/Claro e Sky, as duas maiores operadoras de TV paga no Brasil, vão carregar inicialmente a nova iniciativa por assinatura. Negociações com a Vivo também ocorrem.

Fontes afirmam que o valor ainda não está fechado, mas será abaixo do que cobra por exemplo o Premiere, serviço de pay-per-view do Campeonato Brasileiro produzido pelo Grupo Globo. A intenção da Conmebol com a iniciativa é aumentar a arrecadação com as competições, já que a entidade perdeu dinheiro com a recente rescisão contratual com a Globo e com o DAZN pelas duas competições. Neste canal premium, além de jogos, programas serão feitos e produzidos pela Band.

Para a Band, é mais um ponto positivo. A emissora está recobrando sua tradição esportiva e vai reviver, a partir do próximo dia 20 deste mês, a maratona esportiva “Show do Esporte”, que exibirá os campeonatos Alemão e Italiano, além do Brasileirão feminino e Sub-20. A apresentação será de Glenda Kozlowiski, ex-Globo e que teve passagem rápida pelo SBT, e Elia Júnior, que comandou a atração em sua fase clássica na emissora do Morumbi, nos anos 1980 e 1990.

No pay-per-view da Conmebol, jogos do contrato de Disney e Facebook não estarão disponíveis. Algumas partidas exibidas no SBT terão transmissão, mas não todas. O canal de Silvio Santos vai mostrar a Libertadores na TV aberta com Palmeiras e Grêmio na próxima quarta (16).

Já a Disney manteve o seu contrato e vai exibir a Libertadores com partidas exclusivas também a partir de terça. O Facebook perdeu a exclusividade dos todos os jogos na quinta, mas continua com partidas apenas com exibição na rede social, com transmissão da equipe do Esporte Interativo.

Entre os jogos já certos para transmissão no serviço de PPV a partir de terça (15) estão compromissos envolvendo Santos e Athletico Paranaense. Partidas de Flamengo e Grêmio, mas próximas rodadas, também estão previstas.

Veja os jogos que serão mostrados pelo pay-per-view da Libertadores AQUI.

UOL

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Observador disse:

    Chupa cabeça de toro.
    Chupa entregador de pizzas.
    Kkkkkkk
    A Globo LIXO vai acabar.
    Tá colhendo os frutos que plantou.
    É Muito bem empregado.
    Kķkkk

  2. Paulo disse:

    Em bares, padarias, clínicas exija que não exibam a rede globo.
    A população não gosta da Globo.
    A população tem que exigir.
    Se não desligar, perde o cliente.

    • Tiago disse:

      Eu gosto mais duma novela que rola beio gay doque uma procaria de uma missa.

  3. Anti PT disse:

    A cada dia que passa a Globo se afunda no mar de lamas que ela mesmo criou.

  4. Edison Cunha disse:

    Rede Globo de Televisão, dá merda ela veio, para a merda ela voltará.

Pazuello anuncia que Brasil deve assinar acordo para produção de vacina de Oxford nesta semana

Foto: Jorge William / Agência O Globo

O governo federal pode assinar nesta semana um acordo para produzir no Brasil a vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a biofarmacêutica AstraZeneca, disse nesta terça-feira (23) o ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello.

“Nós estamos fechando com a Casa Civil a assinatura já, o compromisso de participação do Brasil. Já estamos com as ligações paralelas com a universidade e com a AstraZeneca já bem adiantadas envolvendo aí a Fiocruz, a Biomanguinhos”, disse Pazuello durante audiência em uma comissão mista do Congresso Nacional que acompanha a pandemia.

“A Casa Civil está analisando essa assinatura nos próximos momentos, de hoje para amanhã, essa semana”, acrescentou o ministro.

Pazuello disse ainda que o governo também estuda parcerias similares para outras vacinas que se mostraram promissoras contra a Covid-19, doença respiratória causada pelo novo coronavírus, até o momento.

No último fim de semana, a Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) iniciou os testes da vacina desenvolvida por Oxford em voluntários brasileiros, após esses exames clínicos terem sido aprovados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) no início do mês.

Reuters

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Eduardo Peixoto disse:

    Ótima notícia. Parabéns, BG!

Flamengo anuncia acordo com jogadores para redução de 25% dos salários em maio e junho

Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

O Flamengo anunciou nesta terça-feira que chegou a um acordo com os jogadores para redução de 25% dos salários e postergação de direitos de imagem. A medida é uma consequência da crise causada pela pandemia do novo coronavírus, que interrompeu as competições. Ela valerá para os meses de maio e junho de 2020 e, passado esse período, a situação será novamente analisada.

Por meio de nota, o Flamengo informou ainda que os direitos de imagem, que seriam pagos em maio e junho de 2020, serão quitados em dez parcelas a partir de janeiro de 2021. O acordo não contempla o técnico Jorge Jesus e sua comissão.

Na nota, o clube cita ainda que a demissão de 6% dos funcionários, feita após as férias coletivas, foi uma necessidade “dolorosa”.

– As medidas tomadas esta semana (a mais dolorosa delas sendo a redução de aproximadamente 6% de seu quadro de colaboradores), aliadas a este importante acordo com os jogadores, ajudarão o Clube: a quitar todos os direitos trabalhistas dos ex-colaboradores; a preservar ao máximo o emprego e o pagamento em dia de mais de mil colaboradores, entre funcionários e atletas; a manter a prestação dos serviços para os 16 mil sócios da sua sede social e a continuar com a performance esportiva de excelência em todos seus esportes, desejo dos 42 milhões de torcedores que formam a Nação Rubro-Negra – diz a nota.

Veja a nota completa:

“A crise econômica resultante da pandemia da COVID-19 é grave e afeta a todos. Infelizmente, medidas duras são necessárias de forma a garantir a continuidade de todas as instituições e empresas. O Clube de Regatas do Flamengo, apesar de seu tamanho e sua situação financeira equilibrada, não está imune a isto.

Dentro desta nova realidade econômica, o Clube e seus jogadores do elenco do futebol profissional comunicam que firmaram um acordo de redução salarial e postergação de direitos de imagem, que valerá para os meses de maio e junho de 2020. Após este período, será feita uma nova avaliação a respeito dos impactos econômicos da pandemia e serão discutidos eventuais ajustes.

Para este primeiro momento, todo o elenco profissional de jogadores autorizou ao Clube uma redução correspondente a 25% de seus salários relativos aos meses de maio e junho de 2020. Além disso, autorizou ainda a postergação dos direitos de imagem que seriam pagos em maio e junho de 2020 para quitação em 10 parcelas, a partir de janeiro de 2021. Este acordo será formalizado entre o clube e os atletas nos próximos dias.

As medidas tomadas esta semana (a mais dolorosa delas sendo a redução de aproximadamente 6% de seu quadro de colaboradores), aliadas a este importante acordo com os jogadores, ajudarão o Clube: a quitar todos os direitos trabalhistas dos ex-colaboradores; a preservar ao máximo o emprego e o pagamento em dia de mais de mil colaboradores, entre funcionários e atletas; a manter a prestação dos serviços para os 16 mil sócios da sua sede social e a continuar com a performance esportiva de excelência em todos seus esportes, desejo dos 42 milhões de torcedores que formam a Nação Rubro-Negra.

Por fim, o Flamengo reafirma sua plena certeza de que, juntos, venceremos mais este desafio”.

Globo Esporte

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Odilson pires disse:

    Na verdade, o que deveria se rever no mundo. Eram esses altos salários desses jogadores de futebol!

Alcolumbre e Guedes entram em sintonia sobre o socorro financeiro a estados e municípios e fecham acordo

Foto: Reprodução/CNN

O presidente do Congresso, Davi Alcolumbre, e o ministro da Economia, Paulo Guedes, fecharam o acordo sobre o pacote de socorro financeiro a estados e municipals. Assista vídeo em link AQUI com mais detalhes.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Raimundo disse:

    O governo quer acertar, basta que na boa vontade do congresso

  2. Cidadão Indignado disse:

    Derrotaram o gastador Rogério Maldoso Marinho!

Acordo do Cremern na Justiça Federal deve garantir novos leitos e fornecimento de EPIs

Foto: Reprodução

A juíza federal da 4ª Vara, Gisele Leite, homologou o acordo judicial feito entre o Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Norte – CREMERN, o Governo do Estado e os Ministérios Públicos Federal e Estadual, que garantirá a implantação e funcionamento de 30 novos leitos de terapia intensiva adulto, além do fornecimento de equipamentos de proteção individual (EPI´s) com a maior urgência para todos os profissionais da área de saúde da rede pública do Estado.

Os 30 novos leitos deverão ser distribuídos, sendo 10 (dez) leitos no Hospital Regional de Macaíba e 20 (vinte) leitos no anexo clínico do Hospital João Machado, em Natal, tudo com o escopo de enfrentamento emergencial da grave crise provocada pelo coronavírus. O acordo também prevê que todos os leitos sejam contemplados com equipamentos e mobiliários médico-hospitalares, fornecimento de acessórios, medicamentos, material médico-hospitalar, insumos e serviços profissionais.

Leia notícia completa aqui no Justiça Potiguar.

Trump faz acordo e 3M poderá exportar máscaras ao Brasil

Profissional da saúde participa de protesto por equipamentos de proteção adequados Foto: BRYAN R. SMITH / AFP

O governo dos Estados Unidos chegou, na segunda-feira, a um acordo com a 3M, uma das maiores produtoras de artigos hospitalares do mundo, permitindo que a empresa continue a exportar máscaras para a América Latina e o Canadá, algo que um decreto do presidente Donald Trump buscou suspender. Aliviando as tensões entre a companhia e a Casa Branca, o pacto prevê a importação de 166,5 milhões de máscaras nos próximos meses.

Anunciado durante a entrevista coletiva diária da força-tarefa do governo americano, o acordo estabelece que a 3M importará 55 milhões de máscaras ao mês por três meses, vindas majoritariamente de sua fábrica na China. As remessas serão somadas à produção doméstica da empresa nos EUA, que foi aumentada para 35 milhões ao mês e deverá crescer ainda mais. A multinacional, por sua vez, ficará livre para continuar a vender os equipamentos produzidos nos EUA para outros mercados, entre eles o canadense e o latino-americano.

— Posso anunciar que hoje chegamos a um acordo amigável com a 3M para a entrega de 55 milhões de máscaras adicionais, a cada mês, de alta qualidade — disse Trump, afirmando que “a saga 3M” terminará de maneira “muito feliz”.

Os detalhes foram confirmados horas depois pela 3M, que disse compartilhar “os mesmos objetivos” da Casa Branca de fornecer máscaras para os americanos “e combater criminosos que buscam tirar vantagem da crise atual”. O executivo-chefe da empresa, Mike Roman, disse ainda que sua companhia “continuará a trabalhar com governos para direcionar máscaras e outros utensílios para as áreas mais necessitadas”.

Um dos carros-chefe da multinacional, as máscaras N95 são essenciais para aqueles que estão na linha de frente do combate ao vírus, sendo capazes de filtrar 95% das partículas transportadas pelo ar. Muitos países, no entanto — entre eles os EUA — descobriram tardiamente que não tinham estoque suficiente do produto para lidar com a pandemia.

Lei de guerra

Apesar de uma relação inicialmente amistosa entre a 3M e a Casa Branca — o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, chegou a visitar a sede da empresa no início da crise — os impasses se acentuaram no último dia 2. Na ocasião, Trump invocou a Lei de Produção de Defesa, uma legislação de guerra criada em 1950, para acelerar o ritmo de fabricação de máscaras, respiradores e equipamentos hospitalares.

Uma segunda parte do decreto, no entanto, obrigava a 3M a suspender as exportações dos produtos, hoje destinados majoritariamente para os mercados da América Latina e do Canadá. A empresa questionou a decisão, apontando para “implicações humanitárias significativas decorrentes da suspensão do fornecimento” para estes países, dos quais “são fornecedores críticos”.

“Ao se suspenderem as exportações de máscaras produzidas nos EUA, outros países poderão retaliar e fazer o mesmo, como já fizeram. Se isso ocorrer, o número de máscaras disponíveis para os EUA diminuiria na prática. É o oposto do que nós e o governo, em nome do povo americano, queremos”, disse na ocasião.

Conforme se tornaram epicentro da Covid-19, os EUA assumiram protagonismo na disputa global por equipamentos médicos. Após uma pausa nas disputas comerciais com a China, os americanos fecharam um acordo para a compra de luvas, máscaras e roupas de proteção que serão transportadas em ao menos 20 voos fretados. Países como Brasil, França e Canadá, no entanto, viram suas encomendas canceladas. No caso do país europeu, os americanos chegaram a oferecer três vezes mais pelos utensílios.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Eduarda disse:

    Vai vir um lote da Venezuela também ao que tudo indica.
    Só para petralhas, vem sob medida, o elástico tem que ser grande, que é pra poder passar por detrás das orelhas.
    Kkkkkkkkk
    Da lhe MITO.

  2. Lair solano vale disse:

    Três remédios contra a Covid : fucar em casa , se possível , higiene geral e permanente e obuso de máscara até dentro de casa.
    É bom também , gargarejar tudo morno ou quente várias x ao dia.

EUA chegam a acordo de US$ 2 trilhões para aliviar impactos do coronavírus na economia

Líder da maioria no Senado, senador Mitch McConnell — Foto: U.S. Senate TV/Handout via Reuters

Nos Estados Unidos, senadores dos partidos Republicano e Democrata e a Casa Branca chegaram na madrugada desta quarta-feira (25) a um acordo sobre um plano federal de estímulos de US$ 2 trilhões para aliviar as consequências da pandemia do coronavírus sobre a economia do país. O pacote deverá auxiliar trabalhadores, empresas e o sistema de saúde.

“Por fim, temos um acordo”, afirmou o líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, antes de citar um “nível de investimentos de tempos de guerra”.

O valor equivale a aproximadamente R$ 10,2 trilhões, o que representa um montante maior do que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em valores correntes, que em 2019 totalizou R$ 7,3 trilhões.

O acordo, porém, ainda precisa ser afinado e detalhado. O pacote de estímulo poderá ser o mais amplo da história moderna americana. O texto do acordo só deve ser disponibilizado mais tarde nesta quarta-feira.

Senado e Casa dos Representantes precisam aprovar a legislação antes de enviá-la à sanção do presidente Donald Trump.

O líder democrata no Senado, Chuck Schumer, chamou a medida de “maior pacote de resgate na histórica norte-americana”, descrevendo-a como o “Plano Marshall” para hospitais e necessidades médicas, em referência ao programa financiado pelos EUA que ajudou a reconstruir a Europa após a Segunda Guerra Mundial.

O que está previsto

O pacote prevê remuneração direta à maioria dos americanos, ampliação de benefícios de seguro-desemprego, dinheiro para estados e um programa para pequenas empresas poderem remunerar funcionários que precisam ficar em casa para conter o contágio do coronavírus no país.

Entre outras provisões, segundo a agência Reuters, o plano deve incluir:

US$ 500 bilhões para fundo voltado a ajudar indústrias afetadas com empréstimos e uma quantia similar para pagamentos diretos de até US$ 3 mil para milhões de famílias dos EUA
US$ 350 bilhões para empréstimos a pequenas empresas e 250 bilhões para auxílio-desemprego
US$ 100 bilhões para hospitais e sistemas de saúde, junto com dinheiro adicional para outras necessidades ligadas a saúde
US$ 150 bilhões para ajuda a governos locais e estatais para combaterem o surto

Negociações

A maratona de negociações envolveu senadores republicanos e democratas e a equipe do presidente Donald Trump.

O pacote quase não saiu porque legisladores democratas insistiram numa proteção mais ampla de trabalhadores e apontaram que um novo fundo de US$ 500 bilhões para auxiliar empresas em dificuldades devido à crise havia sido ignorado. Os democratas chegaram a barrar o acordo duas vezes, pedindo mais concessões.

Os democratas desejavam uma supervisão maior dos empréstimos para as grandes empresas, além do pagamento de salários para os funcionários demitidos e mais recursos para os hospitais.

Covid-19 nos EUA

Desde o primeiro caso nos Estados Unidos em janeiro, o novo coronavírus matou 796 pessoas, segundo um balanço da Universidade Johns Hopkins.

Mais de 55.000 pessoas foram infectadas no país.

Para evitar contágios que poderiam provocar o colapso dos hospitais, 100 milhões de pessoas, quase um terço da população, receberam determinações para permanecer em suas casas, provocando a suspensão de aulas, o fechamento de milhares de estabelecimentos comerciais e a demissões de milhões de trabalhadores.

Três congressistas foram diagnosticados com a COVID-19 e pelo menos 10 estão em quarentena, impedidos de votar.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Humberto disse:

    Quero ver agora o que o aprendiz de Presidente, que passou a vida praticamente toda no Congreesso como dEPUTADO PARASITA, SEM PROJETO ALGUM DE FUTURO, vai fazer.
    E seu rebanho militante vai defender de manhã uma coisa e de noite outra?
    Está cada dia mais difícil de defender quem não tem palavra, mente descaradamente, esconde o resultado dos seus exames e volta atrás o tempo todo.
    QUE HOMEM DESPREPARADO É ESSE GENTE?
    Inventa logo um exame ou procedimento de saúde e pede pra sair e deixa os adultos tomarem conta com Mourão no comando ou mesmo com o MANDETTA, Min. da Saúde, que está fazendo um bom trabalho a frente do Ministério da Saúde nessa hora de crise em que precisamos todos de um norte, apenas um e não de vacilações e contradições o tempo todo.

    • Soares disse:

      Pelo menos 1 trilhão de reais a menos, nós não teremos pra investir no país. Luladrão fez evaporar quando era o manda chuva chuva do país. Esse dinheiro seria determinante pra resolver boa parte do problema que temos hoje, mas muitos (serão os ruminantes divulgando pelas fresta do curral de adoradores de criminosos condenados) irão dizer, é outra história. Lamentável e irrecuperável

Após acordo do veto de R$ 30 bi, Bolsonaro celebra “independência entre Poderes e respeito à democracia”

Um dia após o Congresso fechar acordo e manter o veto sobre o controle de R$ 30 bilhões do orçamento de 2020, Jair Bolsonaro elogiou a independência entre os Poderes.

Segundo o presidente, o povo deseja independência entre Executivo, Legislativo e Judiciário e respeito à democracia.

“Por 398 x 2 a Câmara dos Deputados manteve os vetos ao Orçamento. Independência entre os Poderes e respeito à democracia é o que o povo deseja no Brasil”, escreveu Bolsonaro nas redes sociais.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Nando disse:

    Tem uma boa opção p os bozogado…Haiti,

  2. Carlos disse:

    Fico com medo só em pensar o que deve ter acontecido de manobras , armações, promessas,toma lá dá cá, conluios etc. Tenho apenas uma certeza, quem vai pagar por tudo é o povão e viva o brasil.

  3. Francisco disse:

    CHOVEU EMENDAS. LIBERAÇÃO FOI O CARRO CHEFE DO TROCA TROCA TÃO ATACADO PELO GADO.
    MMMmmmmmmmmmuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu

    • VTNC disse:

      No tempo do MOLUSCOLADRAOMAFIOSO era melhor né MANÉ ?!?!

    • Cosme disse:

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      Aceita que doe menos. MAs tem a opção aberta de ir morar no paraíso de Cuba ou na maravilha da Venezuela. Tá ruim aqui, vá ser feliz no regime democrático que vocês apoiam e idolatram.

    • Júlio disse:

      Não tem mais o que falar além de dizer, vão morar em Cuba, Venezuela…..oh falta de respostas.

Homem queima R$ 3 milhões para não pagar acordo do divórcio à ex-esposa

Foto: Reprodução/Facebook/Bruce McConville

Bruce McConville, de 55 anos, causou polêmcia durante o julgamento para oficializar o divórcio com a ex-esposa. Segundo informações das autoridades de Ottawa, no Canadá, o homem revelou ao juiz ter queimado 1 milhão de dólares canadenses (mais de R$ 3,1 milhões) para não pagar pensão para a esposa e para os filhos. O homem, que é empresário e ex-candidato à prefeitura da cidade, foi sentenciado a 30 dias de prisão.

No julgamento do divórcio , o homem afirmou ter realizado 25 saques em seis bancos diferentes para conseguir retirar toda a quantia em dinheiro . Depois, queimou tudo em duas fogueiras – R$ 2,3 milhões em uma e, na outra, R$ 945 mil. Ele disse que não teve testemunhas ou filmou o ato, mas guardou todos os comprovantes de saque.

De acordo com a Fox News , Bruce disse ao juri que queimar dinheiro não é “algo que ele normalmente faça” e que não se considera “uma pessoa extremamente materialista”. O juiz, por outro lado, acredita que é algo “moralmente repreensível, porque afirmou ter feito por vontade própria para prejudicar o bem-estar dos filhos.”

O empresário não declarou finanças ao tribunal, mas disse ter ganhado o dinheiro vendendo propriedades – o que viola uma ordem judicial que o proibia de vender bens durante as negociações do divórcio . Por isso, ele ficará 30 dias preso e terá que pagar cerca de R$ 6,3 mil por dia para a ex até mostrar o relatório financeiro à justiça.

IG

MPRN e Governo firmam acordo para ampliar aproveitamento de candidatos aprovados no concurso da PM

Foto: Divulgação

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) e o Governo do Estado firmaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para ampliação de vagas com aproveitamento de todos os candidatos aprovados no concurso da Polícia Militar. O objetivo é reduzir o déficit atual de pessoal da PM habilitando todos os 1.339 candidatos aprovados nas seis primeiras etapas do concurso para o curso de formação.

O TAC será publicado na edição desta terça-feira (28) do Diário Oficial do Estado (DOE). O documento é assinado pela procuradora-geral de Justiça adjunta, Elaine Cardoso; pela governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, pelos promotores de Justiça Vítor Emanuel Azevedo e Luciana D’Assunção; pela secretária estadual da Administração, Maria Virgínia Ferreira, pelo comandante da PM, Alarico Azevedo, pelo presidente da Comissão Especial do Concurso Público, José Ediran Teixeira; e pelo procurador-geral do Estado, Luiz Antônio Marinho.

Leia matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Henrique disse:

    Se sai reclama e se entra reclama, vá entender a cabeça de alguns especialistas em economia. a população clama por seguranca.

    • Keila disse:

      É sempre assim, sem te polícia é ruim, se contrata é ruim, se é nível superior reclamam, se for médio também reclamam. Reclamare, humanum est.

  2. Capitão azarado disse:

    Entrou não sai mais nunca, só se quiser. E tem mais, se colocar dentro de um armário, em alguns anos sai subtenente e com salário integral. Agora a pergunta é se o pobre RN aguenta essa bomba?
    Oficial é a mesma coisa, sai da academia e se colocar dentro de um armário e fechar a porta em alguns anos será tenente-coronel.

  3. Zé Lopes disse:

    Deixa pra lá aquela conversa de pagar atrasados, nomeia mais funcionários, os novos passam seis meses sem receber e os de confiança recebem adiantado. Essa é a receita de sucesso!

  4. francisco Carlos Xavier disse:

    Desses 1.339 quantos irão ficar nos TJRN, MPRN e Assembleia Legislativa, é só os padrinhos começarem a solicitar para ficar a disposição, e fora os protegidos que irão ficar na administração da PM

    • Diogo disse:

      Desses eu não sei, mas é essa turma entrando é uma turma das antigas fazendo exatamente isso. Contando os dias.

    • Clayton disse:

      É desse jeito mesmo que funciona. Muitos só estão entrando na PM para ter um emprego público e depois passam a ficar a disposição de outro órgão por apadrinhamento. Quando chegam nesse outro órgão, ninguém tem poder para tirar de lá e ficam até se aposentar. Muitos aí são advogados. Será mesmo que eles querem estar nas ruas trocando tiro com bandidos? NUNCA!

  5. Manoel disse:

    E o principal: o Estado tem dinheiro pra pagar mais servidores ainda na folha de pagamento?

    • Silvio disse:

      Isso não importa, pt se não tiver dinheiro pra pagar faz empréstimos, e pra quem tiver devendo ao governo, anistia. O negócio é empregar, e exigir do empreendedor muito imposto, trabalho pouco, muitos direitos prs os trabalhadores, e altos salários. Só assim o país e estado vai pra frente

Reino Unido quer acordo de livre comércio ‘urgente’ com Brasil, diz Guedes

Foto: Walter Duerst / Agência O Globo

O Reino Unido tem interesse em iniciar negociações para um acordo de livre comércio com o Mercosul logo após a concretização do Brexit, segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes, que se reuniu nesta quarta-feira em Davos com seu colega britânico das Finanças, Sajid David.

– Nós queremos e eles querem – resumiu Guedes, ao fazer um balanço de suas atividades do dia no Fórum Econômico Mundial.

O bloco sul-americano fechou um tratado comercial com a União Europeia no ano passado, que ainda precisa de ratificação parlamentar. Com o Brexit, o Reino Unido ficaria de fora da redução mútua de tarifas de importação e precisaria negociar do zero novos acordos.

– Ele [David] me disse que tem urgência com o Brasil. Os britânicos querem mergulhar numa piscina nova – comentou o ministro.

De acordo com Guedes, o Brasil está determinado a levar adiante um processo de abertura comercial.

– Nós pressupomos que a Argentina vai nos acompanhar. Se ela não acompanhar… – brincou, sem completar a frase.

Para o secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais, Marcos Troyjo, que acompanhou Guedes na maioria das reuniões, um acordo de livre comércio Mercosul-Reino Unido tende a ter uma negociação menos complicada porque é hoje o país menos protecionista da Europa.

Troyjo acrescentou que o Brasil já pode avançar com os britânicos, isolada e independentemente dos demais sócios no bloco sul-americano, sobre temas não tarifários.

David também garantiu apoio “enfático” de Londres à entrada do Brasil na Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), segundo Guedes. Ambos falaram ainda sobre a possibilidade de um acordo bilateral para evitar a dupla cobrança de impostos, o que diminui a carga tributária de empresas de um país instaladas em outro.

O ministro esteve nessa quarta com o comissário de Comércio da UE, Phil Hogan, que transmitiu o compromisso de engajamento de Bruxelas com a assinatura do acordo de livre comércio com o Mercosul. “Está indo tudo bem com o acordo, existe uma maioria [de países] favorável, há um outro ou outro problema, mas vamos superar”, teria afirmado Hogan, segundo relato do próprio Guedes.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bil carlos disse:

    Chupa Lula.

  2. Raimundo disse:

    Há muito tempo eu não ouvia o programa do BG.
    Nesses dias ouvi uma parte e percebi que alguns participantes são claramente de esquerda.
    Falam em liberdade de imprensa…
    Quando Lula em 2003/2004 falou em expulsar um jornalista do The New York Times porque teria dito que Lula era apreciador do álcool. Onde estavam os jornalistas?
    Quando o PT criticava duramente a imprensa por causa do mensalão e do petrólao… onde estavam os jornalistas?
    O PT é o foro de São Paulo, aliado de Maduro e Cristina Kirchner, que fecharam jornais e emissoras de TV. Onde estava esse pessoal?
    Com relação a Bolsonaro e o governo jornalista despejam ódio, mentiras e distorções.
    Bolsonaro decidiu não soltar dinheiro para a imprensa…
    Na bancada se ouve termos agressivos contra o ministro da educação (falam em lambança – gostavam de Enem sobre gíria gay, defesa do comunismo, etc).
    Gostavam do MEC quando Haddad queria implantar kit gay e as políticas do MEC era ensinar ideologia de gênero a crianças.
    O MEC do PT deixou o Brasil com as piores notas no Pisa.
    Como bolsonaro e o ministro não apoiam essa agenda, alguns ditos jornalistas o perseguem.
    Não gostam da democracia, o presidente eleito pela maioria da população, sem comprar votos de políticos tradicionais, sem desviar dinheiro público, sem tempo de TV e sem o apoio da mídia.

Flamengo e Gabigol chegam a acordo financeiro e clube encaminha compra junto à Inter

Foto: AMANDA PEROBELLI / REUTERS

A diretoria do Flamengo e representantes do atacante Gabigol conseguiram chegar a um acordo sobre os salários do atacante na proposta de contrato até o fim de 2024.

Agora, o clube negocia com a Inter de Milão para concretizar a compra. A pedida dos italianos deve aumentar de 16 para 20 milhões de euros, e o Flamengo parcelará o valor.

O total chegaria a mais de R$ 90 milhões por 80% dos direitos econômicos.

O Flamengo também caminha para sacramentar a renovação de Bruno Henrique até 2023, com salário em outro patamar.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bento disse:

    Qualquer bagre hoje vale 90 milhões
    Investem como se tivessem adquirindo um atleta de alta performance tipo; Pelé Tostão Rivellino e por aí vai.
    Mesmo assim espero que dê certo, más considero investimento de risco

MUITO IMPORTANTE: EUA e China assinam Fase 1 de acordo que põe fim a guerra comercial de 18 meses

Foto: KEVIN LAMARQUE / REUTERS

China e Estados Unidos anunciaram nesta quarta-feira um acordo comercial inicial que reverterá a aplicação de algumas tarifas e incrementará as compras de produtos e serviços americanos por Pequim. O tratado põe fim a uma guerra comercial que já durava 18 meses entre as duas maiores economias do planeta.

Pequim e Washington retrataram a Fase 1 do acordo como um importante passo após meses de vaivéns em negociações, pontuadas por aplicações de tarifas que atrapalharam cadeias de fornecimento e aumentaram temores de maior desaceleração na economia internacional.

— Juntos, estamos corrigindo os erros do passado e entregando um futuro de justiça econômica e segurança para os trabalhadores e fazendeiros americanos e suas famílias — disse o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ao anunciar a assinatura do acordo na Casa Branca ao lado do vice-premier chinês Liu He e outras autoridades.

A peça central do tratado de 86 páginas é o compromisso da China de comprar mais US$ 200 bilhões em produtos agrícolas e outros bens e serviços dos EUA ao longo de dois anos, ante uma base de US$ 186 bilhões em 2017.

Isso ajudará a reduzir o déficit comercial bilateral dos EUA em bens, que atingiu um pico de US$ 420 bilhões em 2018. Os Estados Unidos tiveram um pequeno superávit comercial de serviços com a China de US$ 40,5 bilhões em 2018.

O acordo inclui US$ 50 bilhões em compras adicionais de produtos agrícolas dos EUA, disse Trump, acrescentando que estava confiante que os fazendeiros do país conseguiriam lidar com a nova demanda. Segundo o tratado, a China vai comprar ainda US$ 52,4 bilhões adicionais em serviços, US$ 77,7 bilhões em produtos industrializados e US$ 37,9 bilhões em suprimentos de energia, como petróleo.

Os produtos industriais a serem adquiridos pelo país asiático incluem maquinário industrial, equipamentos elétricos, produtos farmacêuticos, aviões, automóveis, aço, ferro e instrumentos médicos e ópticos.

No primeiro ano do acordo, de acordo com o texto assinado por Trump e Liu, a China se compromete a comprar US$ 76,7 bilhões em produtos americanos, enquanto outros US$ 123,3 bilhões em aquisições ficam para o ano seguinte.

Autoridades dos dois países saudaram o tratado como o começo de uma nova era nas relações sino-americanas, mas ele ainda não aborda muitas das diferenças estruturais que levaram o governo Trump a iniciar a guerra comercial. Por exemplo, os subsídios chineses a suas empresas estatais, e a prática de inundar mercados internacionais com produtos a preços baixos.

Trump disse que a China prometeu agir para enfrentar o problema da pirataria ou falsificação de produtos, e que o acordo inclui forte proteção a direitos de propriedade intelectual.

Mercados reagem

Com o anúncio do acordo, o índice S&P 500 subiu até quase bater seu recorde histórico. Perto das duas horas da tarde, o índice tinha alta de 6,16 pontos, ou 0,19%, a 3.289,31. Já o índice Dow Jones subia 0,39%, ou 112,69 pontos, a 29.052,36. E o Nasdaq aumentou 17,37 pontos, ou 0,19%, a 9.268,70.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jorge disse:

    Concordo com você Lourdes, se fosse um jovem explorando seus pais idosos a pedirem nos semáforos enquanto eles ficam sentados, iriam chamar a atenção e repercutiria na hora, porem com as crianças que tem inuuumeros casos podendo se visto todos os dias, estranhamente não ganha a repercussão devida para ajudar a solucionar esse problema. Meu comentário não é a titulo de cobrança especificamente desse blog, mas de uma forma geral.

  2. Lourdes Siqueira disse:

    BG, como leitora assídua desse Blog, gostaria de sugerir uma pauta: você questionasse ao ECA, Conselho Tutelar ou o escambau, porque a omissão com relação às crianças de colo que são exploradas nas esquinas de Natal. Os adultos passam o dia inteiro com elas nos braços no sol escaldante com objetivo de sensibilizar os motoristas. Muitas correm no meio dos carros arriscando suas vidas.
    Se fosse um "dimenor" matando, dando tiros, o ECA estaria presente para defender o "bichim".

    Faça esse povo se pronunciar como fizeram sobre Pitangui.
    Obrigada.

    • Deco disse:

      Observou que muitas dessas crianças de colo, quase sempre, estão dormindo ? O que poderia ser? ??

    • heim? cuma? disse:

      Como é bom ler a postagem de uma pessoa inteligente, coerente, antenada com o que de fato acontece na "justiça" da nossa cidade, estado e país, se preocupando com assuntos relevantes que a população finge que não vê. Poderia incluir no pacote os venezuelas, os venezuelas FAKE, (sim… tem muito esperto daqui se passando) e os suja para-brisas que perturbam nos semáforos. Parabéns Lourdes Siqueira, estou em pleno acordo contigo!

    • Brasil sem jeito disse:

      Parabéns…excelente comentário, mas calma ; que logo logo aparece um PTralha para defender esses MALANDROS que se escondem por trás de uma criança, quer ver esses adultos FURIOSOS??? Oferece 50,00 para limpar o seu pátio, ou pintar um muro , sai te chingando

    • Luiz Antônio disse:

      Excelente sugestão de pauta, o caso da vergonhosa é desumana exploração de bebês nos canteiros de Natal, Isso devido à omissão das autoridades.

Prefeitura e sindicatos da saúde em Natal firmam acordo para encerrar greve

Foto: Alex Régis

A greve dos servidores da saúde do município deve chegar ao fim nesta sexta-feira (20/12) após um acordo firmado entre o prefeito de Natal, Álvaro Dias, e os representantes dos sindicatos em reunião realizada no Palácio Felipe Camarão nesta quinta-feira (19/12).

Ficou acertado que o pagamento das gratificações para os funcionários que ingressaram nos quadros da Prefeitura no último concurso da saúde será efetuado na folha de fevereiro de 2020. Também em fevereiro do próximo ano, o Governo se comprometeu a iniciar as conversas e negociações a respeito de outros pontos contidos na pauta econômica das categorias.

A reunião contou com a presença de representantes do sindicato dos servidores municipais, Sindsaúde, sindicato dos odontólogos, sindicato dos enfermeiros e sindicato dos farmacêuticos. Todos saíram do encontro favoráveis a que os servidores retornem aos seus postos de trabalho nas unidades de saúde, Unidades de ProntoAtendimento e no Hospital Municipal, normalizando o atendimento à população já nesta sexta-feira (20).

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rapha disse:

    Mentira , tudo é faixada!!
    Não ganha nem pra sindico de prédio ano que vem!