Moro manda investigar conduta de humoristas após piada com autistas

Foto: Reprodução

O Ministério da Justiça e Segurança Pública determinou que a Polícia Federal investigue a atuação da dupla de humoristas Dihh Lopes e Abner Henrique, denunciada pela prática de capacitismo – discriminação e o preconceito social contra pessoas com alguma deficiência. O ministro acolheu ofício enviado na última segunda-feira (13) pelo deputado federal João Roma (Repubicamos-BA).

Um vídeo, publicado em um canal no YouTube, em novembro do ano passado – e que já foi retirado da plataforma -, mostra o trecho de uma apresentação de stand-up comedy, gravada em agosto de 2019, na qual o comediante Abner Henrique fala, em tom de deboche, sobre uma banda de rock, oriunda de Brasília (DF), composta por autistas. Enquanto Abner falava, Dihh Lopes, que fazia gestos para simular os movimentos de pessoas com deficiências físicas e neurológicas durante a exibição do colega.

No despacho, o ministro Sérgio Moro orientou o diretor geral do Departamento de Polícia Federal a abrir um inquérito para apurar a violação dos direitos da pessoa com deficiência, com situações de infração ao direito de personalidade da colevidade autista, e solicitou a investigação que visa eventuais condenações civis e criminais dos envolvidos.

“Recebi uma representação de deputados federais sobre a existência de um vídeo de humoristas – se é que se pode chamar dessa forma – com conteúdo discriminatório e extremamente ofensivo contra pessoas com deficiência. Enviei essa notícia para que a Polícia Federal averigue se isso caracteriza infração penal. A despeito da liberdade de expressão, não se pode incentivar discriminação contra as pessoas. Mas, independentemente do resultado desse procedimento, o mais importante é que esses conteúdos sejam suprimidos da internet, e que eles se conscientizem de que a discriminação contra qualquer pessoa, especialmente pessoas com deficiência, é deplorável e inaceitável”, declarou Sérgio Moro

Preconceito

O advogado Marcelo Roberto Bruno Válio, atuante na área de direito das pessoas com deficiência, membro da Comissão de Defesa dos Direitos dos Autistas da OAB-SP, que participou da fundamentação do ofício enviado pelo parlamentar baiano, avaliou que a ação dos comediantes feriu um artigo da Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência e elogiou a abertura do inquérito na Polícia Federal.

“Sinto-me feliz pela recepção do ofício pelo Excelentíssimo Ministro de Justiça, Dr. Sérgio Moro, bem como pelo encaminhamento imediato para providências.

Acredito que o esforço não será em vão, pois nas mãos das autoridades competentes. Agora, de rigor aguardarmos os trâmites normais e fiscalizarmos para que tenhamos lá no final das investigações o sentimento de Justiça tão almejado”, comemorou o advogado Marcelo Roberto Bruno Válio.

Famílias de autistas comemoram decisão

A apresentação dos comediantes provocou indignação em pais e demais familiares de autistas em todo o país e no exterior, conforme destacou a escritora de textos sobre o TEA Fatima de Kwant, mãe de um autista adulto, que mora na pequena cidade de Papendrecht, no sul da Holanda,

“Na semana passada a comunidade do autismo foi sacudida com várias denúncias de bullying explícito a um grupo de jovens autistas, integrantes das bandas TimeOut Rock Band e ao, agora, baterista da Good Time Rock Band. Milhares de autistas e seu pais e mães postaram nas redes sociais a indignação com os dois comediantes que demonstram capacitismo e preconceito com o TEA”, escreveu.

Fátima de Kwant agradeceu os esforços de uma ação iniciada pelo vice-presidente da AMA-BA, Leonardo Martinez, em conjunto com o advogado da OAB-SP Marcelo Valio,que alcançou o deputado federal João Roma que, imediatamente, emitiu um ofício dirigido ao procurador-geral da República, Augusto Aras e ao Ministro da Justiça, Sergio Moro.

A escritora acrescentou que notas de repúdio, denúncias e pedidos de retratação foram emitidas de todos os cantos do Brasil. No entanto, a escritora lamentou o fato de, “apesar da movimentação direta no perfil das redes dos comediantes, foram tratados com ironia e mais ofensas, o que causou mais repugnância ainda”.

A empresária Amanda Ribeiro, diretora da Incluir Treinamentos, criada para capacitar estabelecimentos comerciais a atender autistas e suas famílias, que também festejou a determinação do ministro Sérgio Moro à Polícia Federal, entende que os humoristas cometeram um desserviço à causa daqueles que procuram levar conhecimento às pessoas sobre as dificuldades enfrentadas por autistas e suas famílias e, por isso, precisam se retratar.

“Eles sabiam que o autismo é uma deficiência. Tudo o que foi falado e dito dali para a frente é crime. Esses sabiam o que estavam fazendo. [Conscientizar] É um trabalho muito cansativo. Além de cometer um crime, eles fizeram um desserviço. A gente precisa que eles expliquem para todos que viram o vídeo o que é correto. Agora, eles agora precisam fazer uma retratação”, afirmou Amanda Ribeiro.

Retratação dos humoristas

A dupla de comediantes publicou nas redes sociais uma nota de esclarecimento diante da repercussão de trecho do vídeo “Piadas de Família”, com o tema “Deficiência”, na qual ressalta que o show havia sido feito para uma plateia de 500 espectadores, incluindo pessoas com deficiência, público frequente nas apresentações, que pagou para estar ali, “rindo e se divertindo, como era o esperado”.

O texto diz que o conteúdo apresentado é chamado “humor negro”, subgênero que utiliza temas sérios ou sensíveis para extrair comidicidade. que está presente em diversos filmes, desenhos e livros. “Evidentemente, nem todos os espectadores reagirão necessariamente com simpatia. por razões relacionadas ao tema ou à maneira como é explorado”.

A dupla complementa a explicação com a indicação que manterá tais assuntos polêmicos, pois o objetivo foi atingido e, em nenhum momento, teve a intenção de transmitir conhecimento científico, realista e preciso sobre os assuntos ou discriminar a comunidade autista.

“A arte pode ser controversa e nunca vai agradar a todos. Entendemos que em momento nenhum ultrapassamos o limite da comédia, que é a nossa arte. Pelo contrário, estávamos ali para entreter o público pagante que, certamente, nos acompanha no show por gostar do nosso tipo de comédia”.

R7

https://noticias.r7.com/brasil/moro-manda-investigar-conduta-de-humoristas-apos-piada-com-autistas-15042020

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Giba disse:

    Quero ver ele investigar o Queiroz e as rachadinha do filho do capeta.

  2. FFreitas disse:

    É para las ar estes imbecís metidos a engraçadinhos. Por que não colocam a mãe nua para o povo rir. Deve ser muito cômico!!!

  3. Leonardo disse:

    A que ponto chegamos… Polícia Federal perdendo tempo investigando comediantes. A Constituição garante a liberdade de expressão, ainda que o que seja dito seja de mau gosto ou repugnante.

  4. Jr Laranjeiras disse:

    Excelente ação.

  5. Cigano Lulu disse:

    Ora, piada tem vida própria. Piada não representa necessariamente a opinião do comediante.

Justiça pede à PF certidão de conduta de Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva está preso na Superintendência da Polícia Federal desde abril de 2018. — Foto: Hélvio Romero/Estadão Conteúdo

A juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara Criminal Federal de Curitiba, solicitou nesta segunda-feira (30) à Superintendência da Polícia Federal (PF) no Paraná uma certidão de conduta carcerária do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Na sexta-feira (27), o Ministério Público Federal (MPF) pediu a progressão da pena do ex-presidente à Justiça. O documento assinado por Deltan Dallagnol e os outros 14 procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato diz que Lula cumpre o requisito de bom comportamento.

De acordo com o artigo 112 da Lei de Execuções Penais (LEP), a progressão de pena pode acontecer “quando o preso tiver cumprido ao menos um sexto da pena no regime anterior e ostentar bom comportamento carcerário, comprovado pelo diretor do estabelecimento”.

A juíza da execução penal do ex-presidente também determinou que a defesa de Lula seja intimada para se manifestar sobre a progressão de regime.

Lula está preso na Superintendência da PF, em Curitiba, desde o dia 7 de abril de 2018.

Ele foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no processo sobre o caso do triplex em Guarujá (SP). Segundo a denúncia, Lula recebeu o imóvel como propina da construtora OAS para favorecer a empresa em contratos com a Petrobras. Ele nega as acusações e diz ser inocente.

Pedido do MPF

Nesta ação judicial, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) fixou a pena de Lula em 8 anos, 10 meses e 20 dias.

Segundo o MPF, ele está “na iminência de atender ao critério temporal” de um sexto da pena para a progressão de regime.

O pedido do MPF também trata da reparação dos danos e multa que Lula deve pagar, no valor de R$ 4,1 milhões. De acordo com o MPF, ele ainda não pagou este valor.

Para a progressão da pena, no entanto, segundo o MPF, é suficiente a garantia patrimonial dada pelo ex-presidente.

“Noutro vértice, em se tratando de execução provisória da pena, a existência de garantia integral à reparação do dano e à devolução do produto do ilícito praticado, com os acréscimos legais (art. 33, § 4º, do Código Penal) é suficiente para autorizar a mudança a regime prisional mais brando, conforme indicado por esse Juízo”, afirma a petição.

Os valores da multa e reparação de danos que o ex-presidente deve pagar era de R$ 31,1 milhões, mas foi recalculado pela Justiça. Confira o histórico:

Agosto de 2018: Justiça manda Lula pagar R$ 31,1 milhões de multa e reparação de danos;

Abril de 2019: STJ reduz reparação de danos de R$ 29,8 milhões para R$ 2,4 milhões e dias-multa de 280 para 50;

Julho de 2019: Justiça fixa reparação de danos com juros em R$ 4,1 milhões e multa em R$ 240,3 mil;

Setembro de 2019: Cálculo da multa e da reparação de danos é atualizado para R$ 4.155.996.

G1

Guarda Municipal de Natal reforça orientações de conduta no Parque da Cidade

Foto: Divulgação

O Grupamento de Ação Ambiental da Guarda Municipal do Natal (Gaam/GMN) vem reforçando as orientações à população que visita a área do Parque da Cidade do Natal, no sentido apontar para a atenção as normas exigidas dentro da reserva ambiental que é uma das mais importantes da capital potiguar. O trabalho dos guardas municipais está focado principalmente na circulação das trilhas pavimentadas e naturais, como também no uso de bicicletas e respeito a fauna e flora nativa.

De acordo com a coordenadora do Gaam/GMN, Francineide Maria, a área do Parque da Cidade é bem sinalizada com as informações e normas, porém é preciso que as pessoas fiquem atentas as orientações e sigam corretamente os procedimentos que têm como fator primordial a preservação e o uso racional e sustentável da área. “A obediência à sinalização que orienta as trilhas para caminhada, como também a direcionada ao ciclista e ainda a velocidade permitida para pedalar na área é importante para que sejam evitados acidentes ou qualquer outro tipo de conflito relacionado com a inobservância das regras”, alertou.

A coordenadora lembrou que todo o Parque da Cidade conta com patrulhamento de guardas municipais do Gaam e da Ronda de Proteção Ambiental (Ropam) e qualquer dúvida sobre os procedimentos dentro da Parque pode ser tirada diretamente com os guardas que estão no local para fazer a segurança, como também para orientar as pessoas que frequentam a unidade ambiental. “Nossos guardas municipais estão patrulhando 24h e o cidadão pode nos procurar a qualquer momento em caso de necessidade ou dúvidas”, comentou Francineide.

Um dos cuidados mais importantes que os visitantes devem ter é com os animais que frequentemente cruzam as áreas de trilhas. Nessa situação, é proibido fazer qualquer ato que atente contra a integridade física dos mesmo ou outra ação que busque capturar qualquer ser vivo da fauna e da flora local. “O visitante tem que ter consciência que está dentro de uma Zona de Proteção Ambiental e deve respeitar o habitat e as espécies que ali se encontram”, acrescentou a coordenadora.

Além das trilhas naturais, o Parque da Cidade dispõe de outras cinco trilhas pavimentadas: Pau Brasil (1.360m), Pôr-do-Sol (640m), Vento (600m), Nascente (300m), e Torre (220m). Nessa situação, os espaços são abertos ao público de domingo a domingo das 05h às 18h.

PM determina instauração de procedimento para apurar a conduta de policiais na final do Estadual

Nota – Polícia Militar do RN

Com relação a vídeos postados em redes sociais no que se refere à atuação de policiais militares no jogo ABC X AMÉRICA no Estádio Arena das Dunas.

A Polícia Militar do Rio Grande do Norte, através do Comando Geral determinou a instauração de procedimento administrativo objetivando apurar a conduta dos policiais militares envolvidos.

Tão logo o citado procedimento seja concluso, as medidas decorrentes serão repassadas a imprensa.

Assessoria de Comunicação Social da PMRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ALEX disse:

    PARABENS A PM !!!! TEM MAIS E QUE CONTER A BADERNA MANTER A ORDEM.

  2. Carlos Bastos disse:

    Eu estava assistindo o jogo pela tv, a ação da Polícia foi de alto nível para retirar os torcedores do gramado, meus parabéns a PM.

  3. José.Dantas disse:

    100 funcionários da segurança privada tentaram e não conseguiram resolver, motivo esse que a PM foi aço acionada. Com técnica e equipamentos não letais, realizaram um excelente serviço e a festa pode continuar. Esse procedimento aberto foi para dá uma "satisfação" a algum "polixo " idiota que gosta de defender marginais… Parabéns PM!

  4. LUTEMBERG DE SOUZA PESSOA disse:

    E sobre as centenas de imbecis que invadiram o campo logo após o término do jogo? Querem ainda demonizar a polícia? Deveria é ter baixado o sarrado naquele monte de sem-futuro!

Dilma: um peso com o PR, outro com o PMDB na sujeira com a Agricultura

Josias de Souza

Levado ao notíciario como novo foco de corrupção, o Ministério da Agricultura, da cota do PMDB, mereceu de Dilma Rousseff um tratamento diferenciado.

Ao contrário da reação que teve no caso das denúncias de cobrança de propinas nos Transportes, da cota do PR, a presidente dessa vez não levou a mão à vassoura.

Uma auditoria concluída pelo TCU farejou práticas que submetem o contribuinte ao risco de desvios e sujeitam Dilma ao arrependimento.

O relatório do tribunal de contas anota que a Agricultura não exerce controle eficaz sobre as operações milionárias que correm pelos seus escaninhos.

Para o TCU, o ministério convive com brechas que podem servir de escoadouro de verbas públicas.

(mais…)

Os comentários estão fechados.