Henrique Alves pede apoio de ministra para obras em Natal

IS3_2294O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, e o prefeito de Natal, Carlos Eduardo, reuniram-se nesta terça-feira (3) em audiência com a ministra do Planejamento, Miriam Belchior. O prefeito estava acompanhado de secretários e da deputada Fátima Bezerra. No encontro com a ministra, Henrique Alves apoiou vários pedidos do prefeito para a capital potiguar.

O presidente da Câmara reforçou a necessidade de retomar a drenagem e pavimentação de vários bairros carentes de urbanização, entre eles, Planalto, Lagoa Azul e Nossa Senhora da Apresentação. “São novos recursos e projetos antigos que contam com o nosso apoio”, reafirmou. Henrique Eduardo Alves também respaldou a necessidade de recapear corredores viários da cidade e novas avenidas que precisam de asfalto, principalmente por onde passam os ônibus.

“São obras fundamentais para reestruturação da cidade. Uma cidade tão bonita que precisamos recuperar”, disse o deputado. Miriam Belchior foi sensível ao apelo do prefeito, respaldado por Henrique Alves e prometeu uma resposta sobre a liberação dos recursos ainda neste mês. “A ministra foi muito sensível e espero, no máximo em 15 ou 20 dias, já termos uma resposta positiva para liberação dos recursos.”

Henrique Alves condena invasão ao plenário da Casa e diz que foi um 'abuso'

O presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), considerou hoje (21) “um abuso” a invasão ao plenário da Casa ocorrida ontem (20), iniciada pelos manifestantes favoráveis à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 300, que cria o piso nacional para policiais militares, bombeiros e policiais civis do país.

Para Henrique Alves, o gesto, em vez de facilitar a aprovação, acaba criando um ambiente para rejeição da proposta. “É natural que as pessoas venham reivindicar, pleitear, mas de forma respeitosa, de acordo com as regras da Casa, para que ela possa ser democrática e dar direito às manifestações. Mas, na hora que se invade o plenário, se torna um abuso, um desrespeito, e não ajuda em nada. Em vez de construir uma boa vontade, esse tipo de comportamento constrói uma rejeição”, disse o peemedebista.

Ontem, dezenas de policiais de vários estados tomaram o Salão Verde da Câmara para pressionar os deputados a votarem o segundo turno da PEC 300. Posteriormente, mesmo depois de os líderes do movimentos terem sido recebidos pelo presidente da Câmara, os manifestantes invadiram o plenário em meio à sessão.

Henrique Alves disse que vai criar um grupo de trabalho para discutir a proposta com representantes do governo federal e dos estados. A ideia, segundo ele, é que até o dia 16 de setembro seja negociado um texto que viabilize a aprovação da proposta.

“Não adianta só o discurso e na hora [de votar] não se consegue aprovar. [A criação do grupo de trabalho] é um ato de responsabilidade, para construir um acordo, conversar com o governo, com os governadores, para que se possa construir um texto que esta Casa possa aprovar, e não apenas um discurso demagógico que não tem consequência”, disse Alves.

Da Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ana disse:

    Abuso é fazer turismo com a familia e amigos usando avião da FAB, bem como depois dizer q pagou os lugares com valor de passagens, mesmo o avião estando a disposição dele… Ai é podemos dizer q é um VERDADEIRO ABUSO!!!!

  2. Luciana Morais Gama disse:

    ABSURDO eh o que a classe politica faz com a populaçao!!

  3. Amanda Clara disse:

    Abuso por abuso, quem abusa mais?

Henrique pede união para o Estado e evitar falar de sucessão no RN em 2014

Henrique-Eduardo-Alves-Foto-Rodolfo-Stuckert-Agência-SenadoO presidente estadual do PMDB, Henrique Eduardo Alves, afirmou que “ainda não está na hora” de definir nomes para a sucessão estadual em 2014. “O ideal – destacou – seria que todos os partidos deixassem para tratar de eleição em 2014”.

No seu entendimento, as próprias dificuldades do momento indicam aos que tem responsabilidade política, não apenas no PMDB, mas também nas outras agremiações, que a hora é da união para ajudar a governadora Rosalba na construção das soluções que todos esperam. “Essas dificuldades – acentuou o presidente – não são apenas do Rio Grande do Norte. Estados em situação econômica privilegiada, portanto muito melhor do que a nossa, seus governantes também enfrentam problemas e buscam um pacto com as demais instituições, com a própria sociedade, visando construir as soluções.”

De acordo com Henrique, há problemas que ultrapassam os limites de cada Estado e se transformam em nacionais, em toda extensão de sua gravidade, como vemos todos os dias nos meios de comunicação, como são exemplo os casos da saúde, da educação, da segurança e da mobilidade urbana, principalmente. “Então, diante do que vemos, diante do que vivemos, o PMDB não pode agora, num quadro como este, voltar a sua atenção, voltar as suas preocupações para a próxima eleição.”

Henrique assinalou que só no final de outubro, deverá encomendar uma pesquisa qualitativa para saber qual a visão que o Rio Grande do Norte tem do seu momento, das suas dificuldades, como enfrentá-las, como atacá-las e qual o perfil que a população constrói dos candidatos que pretende escolher para comandar o desafio de governá-la.

Provocado por um repórter que lhe pediu uma avaliação das notícias que acenam com a possibilidade do candidato do PMDB vir a ser o deputado Walter Alves, Henrique afirmou: “Walter Alves tem se revelado um grande parlamentar. E só as lições e o exemplo que recebe de Garibaldi todos os dias, já o credenciam para disputar qualquer mandato eletivo. Mas, volto a dizer: A hora não é de pensar em nomes, nem de definir candidaturas. Agora, uma coisa deve nos unir – o interesse maior do Estado; a solução dos seus problemas. Em 2014, não. Conversaremos sobre eleição, sem excluir nenhum partido que compartilhe do nosso entendimento de que o Rio Grande do Norte muito espera de suas lideranças – em termos de espírito público, de disposição para o trabalho e de capacidade de aglutinar esforços, talento e criatividade para a superação dos nossos problemas. E aí não poderemos excluir ninguém.”

O deputado Henrique concluiu afirmando que todos sabem da aliança do PMDB para respaldar a administração da governadora Rosalba Ciarlini. “É uma aliança aberta, transparente, feita às claras e que se alicerça, tão somente, no interesse de ajudar o RN e não no desejo de consolidar projetos eleitorais”.

Assessoria

Emocionado, Henrique agradece nome de Aluizio Alves para o Aeroporto Internacional de São Gonçalo

Untitled-1

Uma área de 15 milhões de metros quadrados, distante 40 km de Natal, no município de São Gonçalo do Amarante, foi escolhida como a mais adequada para receber o futuro sítio aeroportuário Governador Aluizio Alves. Estudos iniciados em 1993, pelo então Ministério da Aeronáutica, apontavam a necessidade da separação da aviação militar da civil no Rio Grande do Norte.

Em 1995, por meio do decreto de Desapropriação do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, foram iniciadas as obras de implantação do novo sítio Aeroportuário.

O novo aeroporto será dotado de duas pistas de pousos/decolagens, medindo 3.000x60m, possibilitando a operação das grandes aeronaves de passageiros e cargas. A previsão de inauguração é para antes do início da Copa do Mundo de 2014, que começa em junho.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luciano disse:

    Vergonhoso!

  2. primo das primas disse:

    Nao concordo com esse absurdo. Deveria ser proibido dar nome de político a obras publicas. Nao há nome de herois neste país para batizar este aeroporto?

  3. Sergio Nogueira disse:

    Certamente um gesto desinteressado e espontâneo dos membros da CCJ.

  4. carlos lopes disse:

    ALUIZIO ALVES, foi o maio perseguidor dos funcionários públicos do RN, era ingrato, cruel, conheci funcionário publico que morreu pelos maus tratos que teve no governo de Aluizio. Não merece a homenagem.

Henrique Alves ignora Dilma e diz que Orçamento Impositivo será votado nesta quarta

2013080663871

Foto: Agência O Globo

O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), reforçou em reunião com os líderes partidários nesta terça-feira, que irá pautar a votação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do Orçamento Impositivo de emendas parlamentares amanhã, no plenário da Casa. Henrique irá hoje pessoalmente à reunião da comissão especial que analisa a PEC pedir sua aprovação. A votação desta emenda coloca em lados opostos os dois maiores partidos da Câmara, PMDB e PT.

O líder do PT, José Guimarães (CE), afirmou que o governo abriu ontem a rodada de conversas com sua base e voltar a pedir o adiamento da votação da PEC. No final da reunião, o petista admitiu que não foi possível convencer os líderes para adiar a votação desta PEC e disse que tentará um novo entendimento para alteração do texto que está em debate na comissão especial. O líder do PMDB, Eduardo Cunha (RJ) avisou que o partido só votará a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2014 depois de finalizar a votação da PEC do Orçamento Impositivo em dois turnos no plenário

— O presidente já pautou a votação. O PT vai tentar construir um entendimento a partir do texto da comissão, já que não conseguimos adiar a votação. O tempo é pequeno. Se não tiver o entendimento, vamos a voto — disse Guimarães.

O líder do PMDB disse que a maioria dos líderes quer votar esta semana a PEC do Orçamento Impositivo e que não se trata de reação contrária ao governo da presidente Dilma Rousseff:

— Vamos votar os dois turnos da PEC do Orçamento Impositivo antes da LDO. Se não, não votamos a LDO. Não é algo contra o governo, é a favor do Parlamento. Acabar com isso de ficar mendicando emendas.

Nesta primeira semana da volta do recesso branco, com a pauta do plenário trancada pela urgência constitucional do Código da Mineração, a Câmara só irá votar PECs no plenário. Na noite de hoje, os deputados tentarão votar a PEC 190, que trata do plano de carreira dos servidores do Judiciário.

O Globo

Henrique Alves solicitou 47 voos da FAB, diz Folha de SP

A cúpula do Congresso Nacional fez 91 viagens nos primeiros seis meses deste ano com aviões da FAB (Força Aérea Brasileira), média de um voo a cada dois dias.

Segundo dados da Aeronáutica obtidos pela Folha, quase um terço do total das viagens foi feito em junho, mês marcado por manifestações em todo o país.

A Presidência da Câmara solicitou 61 voos até junho – 47 pedidos pelo presidente, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), que teve Natal como um dos principais destinos. Nove pedidos partiram do deputado André Vargas (PT-PR), que substituiu Alves em ao menos três ocasiões.

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), solicitou 27 voos desde que assumiu, em fevereiro, até junho. Além de Alagoas, seu reduto político, foi ao Rio, São Paulo, Ceará e Bahia. O antecessor de Renan, José Sarney (PMDB-AP), voou 18 vezes no mesmo período de 2012.

As outras cinco viagens foram feitas em janeiro pelo então presidente da Casa, Marco Maia (PT-RS), que voou 60 vezes de fevereiro a junho do ano passado.

Decreto em vigor estabelece que as autoridades só podem usar as aeronaves oficiais em casos de segurança e emergência médica, viagens a serviço ou deslocamentos para seus locais de residência permanente.

Folha

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Daniel disse:

    Precisamos de mais transparência no uso dessas aeronaves, Henrique airlines.

Henrique Alves promete votar fim do voto secreto antes do recesso de julho

A Câmara dos Deputados deve votar ainda neste semestre o fim do voto secreto nas deliberações do Legislativo. Hoje (5), durante reunião com os líderes partidários, o presidente da Casa, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), prometeu pautar as propostas que acabam com o voto secreto antes do recesso de julho.

“Assumi o compromisso. A matéria não é proibitiva, não constrange a Casa, pelo contrário. Antes do recesso, eu pauto sim esta matéria”, disse Henrique Alves. Atualmente, duas propostas de emenda à Constituição (PECs) que tratam do assunto, estão em tramitação.

A mais antiga é a PEC 349 de 2001, que propõe o voto aberto para todas as deliberações no Congresso. Ela foi aprovada em 2006, em primeiro turno, pelos deputados e ainda precisa ser votada novamente pela Câmara antes de ir ao Senado. A outra é a PEC 196, de 2012, que acaba com o sigilo das votações para perda de mandato de parlamentares em casos de falta de decoro e condenação criminal.

“Ponderei aos líderes que não pode ser questão emocional, do discurso fácil, até porque há 28 tipos de votos diferentes, que cada um analise no mérito”, disse o presidente da Câmara.

Amanhã (6), a Frente Parlamentar em Defesa do Voto Aberto se reúne para discutir ações pela aprovação do voto aberto no Congresso Nacional. “O PSOL é, particularmente, a favor do voto aberto em todas as votações, mas, se houver entendimento entre os membros da frente para o voto aberto somente nos casos de cassação, trabalharemos neste sentido, que é um grande avanço pela transparência no Congresso Nacional”, disse o coordenador da frente e presidente do PSOL, deputado Ivan Valente (SP).

As tentativas de aprovar o fim do voto secreto em todas as votações do Parlamento esbarram, principalmente, na falta de consenso em torno do voto aberto para apreciação de vetos e eleição dos membros das mesas diretoras da Câmara e do Senado. No primeiro caso, o temor é que uma posição contrária aos interesses do Executivo deixariam os parlamentares vulneráveis a retaliações. O mesmo ocorreria na eleição das Mesas do Legislativo.

Da Agência Brasil

Henrique marca votação da MP dos Portos para segunda-feira

O presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), anunciou nesta quinta-feira (9) a convocação de uma sessão extraordinária para segunda-feira (13), com o objetivo de votar a Medida Provisória 595, conhecida como MP dos Portos, que perde a validade se não for aprovada pela Câmara e depois pelo Senado até a próxima quinta-feira (16).

A votação da MP, que estabelece novo marco regulatório para a concessão de terminais portuários à iniciativa privada, foi inviabilizada ontem (8) depois de denúncias feitas pelo deputado Anthony Garotinho (PR-RJ) de que alterações ao texto enviado pelo governo eram fruto de “negociatas”.

Hoje, durante cerimônia de posse do ministro da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, a presidenta Dilma Rousseff fez um apelo ao Congresso pela aprovação da MP.

“Quero dizer aos senhores que meu apelo é no sentido de que o Congresso Nacional faça um esforço, no tempo que resta, que é até quinta-feira, para aprovar essa que é uma medida estratégica”, disse Dilma.

O presidente da Câmara, que decidiu encerrar a sessão de ontem com o argumento de que precisava preservar a Casa, ressaltou que o Parlamento tem o dever de votar a matéria.

“A questão do mérito, o plenário discutirá. O que votará, o que vai mudar, alterar, destaques [que serão apresentados] é uma questão dos líderes, da bancadas e de cada parlamentar, com a sua consciência. Agora, o dever da Câmara é pautar essa matéria, já que ela caduca na próxima quinta-feira. Esta Casa tem o dever de cumprir a determinação de votar”, frisou Henrique Alves.

Para ele, acalmados os ânimos, deve haver clima para votação da matéria na segunda-feira. “O clima não houve ontem, com aquele tumulto que ocorreu. Mas agora, restabelecida a calma, a serenidade, a Câmara volta aos seus deveres”.

Para o líder do PT, deputado José Guimarães (CE), ainda há tempo para aprovar a MP. “Achamos que a Câmara cometeu um erro ontem. Agora, vamos mobilizar a base, a bancada do PT, para votar a matéria. Essa MP precisa ser votada, não podemos deixar de votar porque ela é importante para o país. A expectativa é que votemos na segunda-feira”, disse.

Da Agência Brasil

Favorito para comandar a Câmara, Henrique Alves peita o STF

Favorito para comandar a Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves, discurso no plenárioO líder da bancada do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN), disse ontem que, se eleito, não pretende cumprir a decisão do Supremo Tribunal Federal pela cassação automática do mandato dos condenados no julgamento do mensalão.

No mês passado, o STF determinou que os deputados João Paulo Cunha (PT-SP), Valdemar Costa Neto (PR-SP) e Pedro Henry (PP-MT) percam o mandato imediatamente após o fim do julgamento –o que ocorrerá após a análise dos recursos.

A decisão também afeta agora José Genoino (PT-SP), que era suplente e tomou posse ontem na Câmara.

Segundo Henrique Alves, a “Constituição é clara” e, portanto, cada Poder deve ficar “no seu pedaço”. Henrique Alves, candidato favorito à presidência da Câmara, afirma que o Congresso não abrirá mão da prerrogativa de dar a palavra final. Isso inclui votação secreta no plenário da Casa, onde uma cassação só ocorre com o apoio de pelo menos 257 dos 513 deputados.

“Não [abro mão de decidir]. Nem o Judiciário vai querer que isso aconteça. Na hora em que um Poder se fragiliza ou se diminui, não é bom para a democracia.”

O deputado afirmou ainda que “algum mais desavisado pode ter esquecido”, mas a Constituição de 1988 foi elaborada pelos congressistas.

“Cada palavra, vírgula e ponto ali foram colocados por nós. Então, temos absoluta consciência de nossos direitos, deveres, limites e prerrogativas. A questão da declaração da perda do mandato é inequívoca que é do Parlamento”, afirma o peemedebista, em plena campanha pela presidência da Casa.

A decisão sobre a prerrogativa de cassar mandatos legislativos é motivo de tensão entre Congresso e STF desde o mês passado. Marco Maia (PT), atual presidente da Câmara, também disse que não cumpriria a decisão.

Para o Ministro do STF Celso de Mello, eventual descumprimento pode configurar o crime de prevaricação.

‘É um arroubo de retórica’, diz ministro do STF sobre declaração de Eduardo Alves

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Mello classificou nesta sexta-feira (4) como um “arroubo de retórica” a declaração do deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), favorito para comandar a Câmara a partir de fevereiro, de que, se eleito, não cumprirá a decisão da corte sobre a perda automática do mandato dos condenados no julgamento do mensalão.

Marco Aurélio avalia que o tribunal deve dar um “desconto” ao candidato à presidência da Câmara. “Temos que dar um desconto, pois ele está numa caminhada política e diz isso para agradar a Casa. Uma coisa é a voz política de um candidato, a outra é a voz ponderada de um presidente da Câmara”, afirmou o ministro. “Só espero que prevaleça a voz ponderada. Mas neste momento, ele tem que atender sua clientela interna”.

Folha

Gustavo Fernandes e Henrique Alves participam de campanhas na região do Alto Oeste

O deputado estadual Gustavo Fernandes (PMDB), juntamente com o deputado federal Henrique Alves (PMDB) participaram de diversas campanhas na região Alto Oeste do Estado, neste final de semana.

O município de Severiano Melo, no último sábado (01), foi o primeiro a ser visitado pelos deputados, os mesmo prestigiaram o comício do candidato a prefeito, Raimundo Alves (DEM). Em Pau dos Ferros, participaram da manifestação política do candidato a prefeito, Dr. Braúlio Figueiredo (PMDB). Na cidade de São Francisco do Oeste, o deputado Gustavo Fernandes apoiou o candidato a prefeito, Anchieta Raulino (PMDB).

No domingo (02), no município de Tenente Ananias, Gustavo e Henrique tiveram um almoço com lideranças, onde o candidato a prefeito da cidade, Dr. Cleodon (PMDB) e seu pai Tadeu Rodrigues estiveram presentes. Em Riacho da Cruz, os deputados prestigiaram a passeata e comício com prefeito, Dr. Marcondes (PMDB). Na cidade de Umarizal, os deputados fizeram a caminhada da candidata a prefeita, Elijane (PR).

Gustavo Fernandes e Henrique Alves, fizeram também uma visita ao município de Portalegre, aonde se encontraram com Antônio e Chiquinho Pires do PMDB de Alexandria, e visitaram a casa do atual prefeito Euclides Pereira com o candidato a prefeitura, Neto da EMATER (PP).

Juiz-corregedor dá sinais que vai interditar a Penitenciária de Alcaçuz

O juiz Henrique Baltazar dos Santos, corregedor da Penitenciária de Alcaçuz, pode voltar a interditar a unidade prisional.

O aviso foi dado hoje através da página pessoal do magistrado no microblog Twitter, por causa da falta de ações efetivas por parte do Governo do Estado.

“Como o Governo do RN não mostra disposição em resolver seus problemas, parece que serei obrigado a interditar a Penitenciária de Alcaçuz”, avisou.

Parnamirim: Henrique confima apoio a Maurício; Walter e Garibaldi Alves ainda vão conversar

O apoio do PMDB a Maurício Marques (PDT) em Parnamirim ainda não está complemente fechado. Ou, pelo menos, não por todos os lados.

O deputado federal Henrique Eduardo Alves até já afirmou, através do Twitter, que o PMDB estará aliado ao atual prefeito Maurício Marques.

 

Por outr lado, no entanto, a informação é de que o posicionamento de Garibaldi e Walter Alves só será definido em conversa amanhã.

Parnamirim é o terceiro maior colégio eleitoral do Estado.

Henrique Alves fala sobre caos no Varela Santiago

Pelo Twitter, o deputado federal Henrique Alves disse chocado com a situação do Hospital Varela Santiago. O  parlamentar ainda disse que o atual diretor Paulo Xavier deve deixar a entidade. “Pudera! Nao consegue cumprir compromissos.A receber,sem receber”, ressaltou.

Além disso, Henrique apresentou alguns números. Segundo ele, só de dívida com o Estado são R$ 120 mil do Cidadão Nota dez da atual administração, mais R$ 245 mil do Governo passado. Ainda segundo ele, a governadora mandará pagar ainda hoje.

O parlamentar ainda denunciou que o mais grave seria referente a valores do SUS, já realizados pela Prefeitura do Natal mas não repassados ao Hospital. Em março são 166 mil e em abril mais 166 mil.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cileide disse:

    Será uma perda para o Varela Santiago a saída do Dr. Paulo. Homem dedicado e que realiza um belo trabalho apesar de todas as dificuldades. Inadmissível que um estado possa se empenha tanto com a copa do mundo, gastar tanto dinheiro com publicidade e não honre seus compromissos com o hospital infantil. Lamentável!!!

Maior parte das irregularidades do Dnocs no RN são em municípios administrados pelo PMDB

O primeiro relatório da auditoria interna do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) que deflagrou a crise que colocou em xeque o cargo do diretor Elias Fernandes, apadrinhado político do deputado federal Henrique Eduardo Alves, revelou também uma grande coincidência.

Das oito ingerências de cerca de R$ 4 milhões, que vão desde superfaturamentos até irregularidades em processos licitatórios e inércia da direção, descobertas no Rio Grande do Norte, cinco estão em municípios administrados pelo PMDB. Mesmo partido de Henrique e Elias. Ou seja, mais da metade dos casos de de irregularidade estão em obras de municípios com ligação política com os dois.

Hoje, no Brasil, os prejuízos aos cofres públicos causados pelas ingerências descobertas dentro do Dnocs já ultrapassam a bagatela de R$ 300 milhões.

Municípios com irregularidades descobertas na auditoria interna:

ÁGUA NOVA: Iliene Maria Ferreira de Carvalho Ribeiro (PMDB)
ALTO DO RODRIGUES: Eides Assis de Medeiros (PMDB)
CARAÚBAS: Ademar Ferreira (PSB)
CORONEL EZEQUIEL: Claudio Marques de Macedo Boba (PMDB)
LAJES: Luiz Benes Leocádio de Araújo (PP)
PARAZINHO: Genival de Melo Martins (DEM)
PEDRA PRETA: Gilvan Inácio de Lima (PMDB)
RAFAEL FERNANDES: José de Nicodemo Ferreira Júnior (PMDB)

Henrique Alves: sempre líder

Que o deputado federal Henrique Eduardo Alves, presidente do PMDB no Rio Grande do Norte, é um ótimo articulador político e querido pela presidenta Dilma Rousseff, isso ninguém nega. Agora ainda mais. Ele foi reconduzido pela sexta vez à função de líder da leganda na Câmara dos Deputados em meio a aclamação dos companheiros de partido.

A recondução cao cargo mostra a força política que o potiguar de coração tem. E pelo visto ninguém segura ele para o cargo de presidente da Câmara, já que o PT fez um acordo para ficar com o mandato da Presidência no primeiro biênio e passar o outro biênio ao PMDB.

Pelo Twitter, não faltaram agradecimentos por parte de Henrique. “Por aclamação, pela sexta vez, sou reconduzido à liderança . E o novo trabalho começa já ouvindo as reivindicações dos colegas. Agradeço o Dep Osmar Serraglio pelo reconhecimento . Como o partido entendeu a importância de ser coeso. Agradeço a todos os colegas e à deputada Íris que destacou minha alma e minha raiz no nosso PMDB”, escreveu.

A Copa está literalmente no TELHADO……

Notícias vindas de Brasília e do Rio de Janeiro alertam para a complicada situação de Natal referente à copa do mundo. Eu nunca levei muito a sério porque sempre estava lá o Deputado Henrique Alves afiançando o evento esportivo na terra de Poti. E ultimamente tudo que o Deputado afiança eu confio, porque cá para nós, Henrique tem sido caceteiro nas defesas dos interesses do RN. O Homem tem dado show, pode até ter quem não goste dele, mas que ele tem feito e desfeito tem.

Bom, mas ontem o Deputado nas páginas do seu jornal disse o seguinte: “Pela primeira vez, preocupado, sou forçado a admitir entraves na consolidação da Copa 2014 em Natal. Providências e fatos concretos em relação ao Estado e prefeitura precisam de urgente reavaliação e consequente aceleração. Fica o meu dever de advertir.”

Espera ai, foi Henrique que disse isso? Foi!

Se Henrique que, atualmente é o politico mais forte do RN junto ao Presidente da CBF, Ricardo Teixeira, e é atualmente o politico mais forte do RN na esplanada do Ministério afirmou isso é porque a fictícia COPA em Natal subiu no Telhado por completo. Ou não?

(mais…)