Coronavírus provoca fusão anormal de células humanas

Foto: Anchalee Phanmaha/Getty Images

Autópsias revelam que o Sars-CoV-2 causa a formação de células gigantes, com até 15 núcleos; processo transforma radicalmente a anatomia do pulmão, que chega a ficar irreconhecível; fenômeno pode estar relacionado à ação da proteína spike

“Há um grande número de células muito grandes, fundidas, que contêm o vírus e chegam a ter 10 ou 15 núcleos”, revelou o médico Mauro Giacca, da King’s College London, em depoimento ao parlamento inglês na segunda-feira. Ele fez autópsias em pacientes que morreram de Covid-19 e constatou o fenômeno, que transforma radicalmente a arquitetura das vias aéreas: “Dependendo da luz, você não consegue nem distinguir que aquilo era um pulmão”, disse.

Giacca é o primeiro cientista a relatar fusão celular em casos de Covid-19. “Essa informação está largamente ausente da literatura [médica], pois não está havendo autópsias [de mortos pela doença]“, declarou. O procedimento tem sido evitado porque o corpo da vítima pode conter grandes quantidades de Sars-CoV-2, apresentando risco de infecção do médico-legista e do local onde a autópsia é realizada (que precisa ter um sistema de pressão negativa para evitar a saída de ar, filtros e outras medidas de biossegurança).

Ainda não se sabe como o Sars-CoV-2 provoca a fusão de células humanas, mas existe uma ótima pista. Em 1991, cientistas americanos analisaram o MHV4, um coronavírus que infecta o fígado de ratos e também causa fusão celular. Eles descobriram que isso ocorre por causa da proteína spike (S), que o vírus usa para se fundir com as células. Ao infectá-las, o MHV4 começa a usar o maquinário celular para produzir cópias de si mesmo – o que, eis o ponto crítico, inclui fabricar a proteína spike.

Uma certa quantidade dessa proteína acaba indo parar na superfície da célula infectada, onde a substância age de maneira distorcida: em vez de facilitar a fusão do coronavírus com uma célula, ela acaba estimulando a fusão entre células. Outros vírus, como o HIV, o HSV-1 (que causa herpes) e o MeV (do sarampo), também têm esse efeito, por meio de um processo similar.

Em algumas partes do corpo, existem células que se fundem naturalmente: elas são chamadas de sincícios e estão presentes nos músculos, nos ossos e na placenta. É um processo normal e necessário para a formação do organismo – e não têm relação com as fusões anormais provocadas pelo Sars-CoV-2 e outros vírus. Elas podem deformar os tecidos, levando à falência dos órgãos infectados, e também ter uma consequência mais insidiosa. Alguns cientistas especulam que as células fundidas sejam geneticamente menos estáveis e mais sujeitas a mutações – o que poderia explicar a relação entre a infecção por certos vírus, como o HPV e os que causam hepatite B e C, e o surgimento de câncer.

Super Interessante

Óleo de fritura provoca “infarto” no sistema de esgotamento sanitário, alerta Caern

FOTO: CAERN/ADM

Um infarto ocorre quando uma ou mais artérias que levam oxigênio ao coração são obstruídas abruptamente por um coágulo de sangue formado em cima de uma placa de gordura, na parede interna da artéria. Algo parecido ocorre quando o óleo de cozinha é despejado na rede de esgotamento, pelo ralo. Isto porque o óleo, que não se dilui com a água, endurece, virando uma crosta na tubulação.

De quebra, “cola” o lixo sólido que estiver pelo caminho, como fio dental, cabelo e pedaços de alimentos. Resultado: o mau hábito corriqueiro ocasiona sérios transtornos ao sistema de esgotamento sanitário. A gordura sólida provoca entupimentos e, consequentemente, transbordamento ou retorno de água servida na rua ou dentro dos imóveis, um verdadeiro “infarto” no Sistema de Esgotamento Sanitário (SES).

CAIXA DE GORDURA

A falta de manutenção na caixa de gordura das residências também provoca o problema, pois a gordura produzida transborda para o sistema de esgoto. É indispensável o correto dimensionamento da caixa de gordura de acordo com a quantidade de gordura a ser recebida, assim como a sua periódica limpeza e manutenção. Nas residências a limpeza da caixa de gordura pode ser feita mensalmente, enquanto em restaurantes e hotéis, essa frequência pode ser menor, dependendo do porte e do acúmulo de gordura produzida pelo estabelecimento.

Quando estes estabelecimentos, considerados grandes consumidores, utilizam a rede de esgotos da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) para descartar o óleo usado, os estragos são ainda maiores, como já observado em regiões comerciais das cidades atendidas pela Caern. Há pouco mais de um ano, um grande extravasamento foi identificado na Avenida Hermes de Fonseca. Outra área de constantes ocorrências é Ponta Negra, que possui grande adensamento comercial no ramo alimentício.

CAMPANHA ORIENTA PONTOS DE DESCARTE DO ÓLEO

Mas para onde deve ser destinado o óleo usado? O ideal é recolher o óleo em garrafas pets (aquelas de refrigerante) para destinar para as associações que recolhem o óleo e destinam para processos de reciclagem. Para orientar a população sobre o descarte adequado do óleo na rede, o programa Esgotamento Legal da Caern realiza uma campanha durante todo o mês de outubro.

O “Esgotamento Legal” é coordenado pela Unidade de Gestão de Empreendimentos Sociais (UESO) está com uma ação educativa para orientar a população a não lançar óleo nas pias. Na Zona Norte, o evento acontecerá na terça-feira (08), às 15h, na Associação de Idosos Julieta Barros. O evento terá uma vasta programação educativa-cultural e aberto para toda a população. Os locais dos eventos também serão pontos de coletas de óleo usado.

 

Experimento de teatro da UFRN provoca choque estético e transparece a queda da rotina

Foto: Redes sociais

Estudantes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte(UFRN), através das redes sociais, informam que os registros compartilhados em redes sociais fazem parte de um trabalho da turma de Teatro, da disciplina Jogo de Cena II, cujo objetivo é provocar um “choque estético”

Segundo os estudantes, o exercício realizado na área de Ciência e Tecnologia do campus central, em resumo, provoca nas pessoas a quebra da rotina.

A espécie de “praia”, criada no setor de engenharia, fora da sala ensaio,  de fato, provocou o choque estético e o êxito do experimento da turma.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tarcísio Eimar disse:

    Choque estético mesmo, porque não tem uma fit, parece q botaram só fofinhas, q por sinal não tenho nada contra as fofinhas.

  2. Flávio A disse:

    Sinceramente,arranjem outra desculpa pois essa tá difícil de deglutir!!

  3. natalsofrida disse:

    Choque no rabo desses vagabundos.

  4. djalma disse:

    Meu suado dinheiro confiscado pelo leão dos impostos excessivos vai para choque estético, sinceramente eu preferia que fosse para a merenda escolar do primeiro grau, para manter na escola quem realmente pensa no Brasil, para pagar melhor um professor de primeiro grau para de fato alfabetizar nossas crianças… choque estético.. caramba…

VÍDEO: “Imparável”, gemidão do Zap interrompe apresentação de Felipe Luís no Flamengo e provoca risada coletiva

ASSISTA AQUI

A entrevista coletiva de apresentação do lateral Filipe Luís, nesta sexta-feira, na sede do Flamengo, foi interrompida pelo “gemidão” no celular de Maurício Fonseca, gerente de comunicação do Rubro-Negro.

O momento inusitado causou risos no jogador e na diretoria flamenguista, que acompanhava o atleta em sua entrevista coletiva. O vice-presidente, Marcos Braz, pediu uma salva de palmas ao Maurício.

– Só podia ser você, Maurício. Uma salva de palmas ao Maurício – disse Marcos Braz entre risos.

Sportv

Acidente provoca a morte de 28 turistas alemães em Portugal

Vinte e oito pessoas morreram nessa quarta-feira (17) em um acidente com um ônibus turístico em Santa Cruz, na Ilha da Madeira, em Portugal. O veículo saiu da estrada e tombou sobre uma casa.

De acordo com o prefeito de Santa Cruz, Filipe Souza, 11 homens e 17 mulheres morreram no acidente. Todas os 28 mortos são turistas de nacionalidade alemã que estavam no ônibus. O Ministério das Relações Exteriores da Alemanha já confirmou que há cidadãos do país entre os mortos. Mais 27 pessoas ficaram feridas.

De acordo com o Jornal de Notícias, o acidente ocorreu por volta das 18h30 (horário local, 14h30 em Brasília). O veículo, que transportava 56 pessoas, havia deixado um hotel na cidade de Caniço, no leste da Ilha da Madeira, com destino a Funchal, a capital da região autônoma portuguesa, quando se acidentou.

Ainda de acordo com o jornal, o motorista e o guia turístico, ambos de nacionalidade portuguesa, sobreviveram ao acidente. Os feridos foram levados para um hospital em Funchal.

O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, chegou a pensar em viajar até a ilha para acompanhar o resgate, mas mudou de ideia. Segundo ele, com o adiamento da viagem, a aeronave da Força Aérea que seria usada em seu deslocamento será disponibilizada para o transporte de feridos.

“Irei, mas não irei imediatamente, porque há essa prioridade”, disse o presidente.

O primeiro-ministro de Portugal, o socialista António Costa, falou com a chanceler alemã, Angela Merkel, para expressar seus pêsames pela morte dos compatriotas.

“Já tive oportunidade de transmitir meus pêsames à chanceler Angela Merkel nesta hora difícil”, escreveu Costa em sua conta do Twitter, onde também enviou apoio aos madeirenses por um dos piores acidentes da história do arquipélago.

Agência Brasil, com informações da Deutsche Welle (agência pública da Alemanha)

 

Estudo relaciona vinho à enxaqueca

Essa excelente reportagem está no Estadão. Segue:

O vinho sempre foi considerado como um deflagrador de enxaqueca. Estudo inédito mostra que a bebida não é tão culpada no que diz respeito às crises de dor de cabeça como se pensava.

A pesquisa, coordenada pelo neurologista brasileiro Abouch Krymchantowski e apresentada no 54.º Congresso Americano de Cefaleia, há duas semanas, mostra que apenas 33% das pessoas que tomam vinho frequentemente têm deflagrada a crise. E algumas variedades da bebida têm potencial maior de provocar os sintomas do que outras.

Especialista em cefaleia, Krymchantowski selecionou 40 pacientes que estavam em tratamento para enxaqueca, que apreciavam vinho e relatavam crises após a ingestão da bebida. Cada um deles foi convidado a tomar meia garrafa de vinho das variedades Malbec, Tannat, Cabernet Sauvignon e Merlot, todos da América do Sul, e com intervalo mínimo de 4 dias entre eles – 33,4% relataram ter tido enxaqueca em todas as ocasiões; 54% sentiram-se mal em duas ocasiões; e 87% tiveram dor ao menos uma vez.

Ao comparar o efeito gatilho entre os pacientes que sentiram-se mal ao menos duas vezes depois de beber o vinho, o Tannat e o Malbec foram as variedades que desencadearam a enxaqueca com maior frequência, 51,7% e 48,2% respectivamente. Cabernet Sauvignon e Merlot causaram dor em menos de 30% das vezes em que foram ingeridos.

Krymchantowski explica que Tannat e Malbec são variedades que têm mais tanino, radicais flavonoides responsáveis pela cor escura do vinho. “É esse composto que faz o vinho ser saudável para o coração, mas também provoca uma mobilização súbita da serotonina que desencadeia a enxaqueca”, diz o neurologista.

A pesquisa foi tão bem recebida que, 24 horas após a apresentação no congresso, foi reproduzida por 549 sites médicos dos EUA.

Krymchantowski está ampliando o estudo – vai comparar o efeito do Cabernet Sauvignon francês com o produzido na América do Sul. “Ao que parece, o francês tem mais tanino.”

Para o Krymchantowski, as pessoas que sofrem de enxaqueca não devem abandonar o vinho. “O importante é não combinar fatores que trazem a crise, como beber de estômago vazio, após um dia de estresse”, diz.

A empresária Thaís Freitas, de 27 anos, preferiu testar a variedade que menos provocava crises – escolheu o Cabernet Sauvignon. “Fico bem, não tenho nada. Mas, se tomar o Malbec fico com muita dor de cabeça. É crise na certa”, conta a empresária, que teve a primeira enxaqueca aos 3 anos e hoje está em tratamento. “Além da dor, eu tenho outros sintomas, como formigamento de um lado do corpo e perturbação visual. Tomo um medicamento manipulado antes de dormir e faço exercício aeróbico para controlar as crises.”

A enxaqueca é uma doença que afeta neurotransmissores e atinge 15% da população do País, de acordo com estimativa da Sociedade Brasileira de Cefaleia. O cérebro fica mais sensível a estímulos, o que desencadeia crises de dor, que pode vir acompanhada de outros sintomas, como acontece com Thaís. A doença não deve ser confundida com a dor de cabeça ocasional e deve ser diagnosticada e tratada por especialista.