Comportamento

Ranking de infidelidade coloca Natal entre as cidades que mais registraram relacionamentos adúlteros com pandemia

Foto: Shutterstock

Relacionamentos adúlteros cresceram na pandemia da Covid-19. Segundo o levantamento do site Ashley Madison, líder global em namoro infiel, o Brasil apresenta o maior crescimento de usuários cadastrados, com 12,5 milhões de usuários cadastrados na plataforma. De março de 2020 até agora, foram registradas 1,7 milhão de contas no Brasil.

Além do crescimento, o levantamento mostrou as cidades brasileiras mais ativas na plataforma. No período de junho a setembro de 2020: Brasília, Goiânia, Manaus são as cidades que aparecem nas primeiras posições. Logo após, vem São Paulo, Curitiba, Campo Grande e Guarulhos. Belo Horizonte, Porto Alegre, Campinas, João Pessoa, São Luís e Rio de Janeiro são vistos em seguida. Por fim, Natal, São Bernardo do Campo, Santo André, Salvador, Recife, Duque de Caxias e Teresina fecham o ranking.

Nas novas contas, 196 mil foram ao estado de São Paulo e 102 mil vieram do Rio de Janeiro. Além disso, a Ashley Madison aponta a faixa etária de cada cidade participante do ranking de perfis ativos na plataforma.

Santo André – 35,9

Rio de Janeiro – 35,7

Belo Horizonte – 35,4

Porto Alegre – 35,4

São Bernardo do Campo – 35,2

Curitiba – 35,1

Salvador – 35,0

Campinas – 34,8

São Paulo – 34,5

Duque de Caxias – 34,4

Campo Grande – 34,1

Brasília – 34,0

Recife – 33,9

Guarulhos – 33,7

João Pessoa – 33,5

Natal – 33,5

São Luís – 32,7

Goiânia – 32,6

Teresina – 32,5

Manaus – 32,2

O porquê das aventuras acontecerem

Segundo o site Vida e Estilo do Terra, há estudos de terapeutas de casais que mostram que há, pelo menos, 9 motivos reais para que os relacionamentos extraconjugais aconteçam de forma frequente.

Motivos que vão desde variedade no cardápio, passando por curiosidade e terminando até autoafirmação e carência. E é possível acrescentar um motivo, pelo qual a sociedade global está atravessando desde o começo de 2020: a pandemia e o isolamento social.

IG

Opinião dos leitores

    1. Essa sua mania feia, poucos tem, tanto que a pesquisa não mostra

  1. Esses que vão para essas “motociatas” e deixam as senhoras em casa… esses a galhada já não deixa entrar em casa mais.

  2. Nada de novidade. Vez por outra eu tô passando o trabuco numas jovens senhoras casadas, ali pelo Tirol e suas “redondezas”, literalmente.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Manaus começa a vacinar pessoas a partir de 20 anos contra Covid-19

Foto: Divulgação

Manaus começa nesta sexta-feira (9) a vacinar contra o novo coronavírus pessoas a partir de 20 anos.

Para atender essa faixa etária, a prefeitura ampliou o número de postos de vacinação e o horário de funcionamento, que vai das 9h às 18h.

Já o sábado (10) será marcado por um mutirão de vacinação contra a Covid-19 no interior do Amazonas.

Essa ação, realizada pelo governo do estado em parceria com as prefeituras de cinco municípios, tem o objetivo de acelerar a chegada da vacina à população.

As cidades de Itacoatiara, Urucará, Iranduba, Itapirubá e São Sebastião do Uatumã vão realizar o mutirão.

A expectativa do governo do Amazonas é que quase 30 mil pessoas a partir de 18 anos recebam a primeira dose de vacina contra a Covid-19.

CNN Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Justiça decide que 2ª dose da vacina da Pfizer seja aplicada em 21 dias e não em três meses, em Manaus

Foto: Divulgação/Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste

A Justiça Federal determinou na segunda-feira (21) que a segunda dose da vacina da Pfizer seja aplicada em 21 dias e não em três meses como está sendo feita pela Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa). A decisão é da juíza Jaíza Fraxe.

A Justiça também suspendeu o envio do imunizante da Pfizer para o interior. Segundo a juíza, as doses necessitam de armazenamento especial em câmaras frias de baixíssima temperatura – inexistentes no interior do Estado. Fraxe suspendeu a distribuição das doses até que o Estado apresente plano satisfatório de transporte e armazenamento, com segurança, a fim de que sejam evitados desperdícios de doses de imunizantes.

A utilização da vacina da Pfizer na campanha de imunização contra a Covid-19 no Amazonas começou no dia 13 de maio. Preferencialmente o imunizante foi aplicado em grávidas e mães de até 45 anos dias após o parto, e também em adultos a partir de 18 anos com comorbidades.

A ação foi movida pela Defensoria Pública do Amazonas (DPE-AM), que afirmou que o fato da Semsa estar aplicando a segunda dose só depois de três meses “é um fator preocupante, que coloca em risco a eficácia da campanha de vacinação […] no estado”.

Segundo a juíza, se a Secretaria tivesse adotado o esquema vacinal indicado pelo fabricante da vacina, a segunda dose dos indivíduos vacinados no primeiro dia de imunização deveria ter ocorrido no dia 3 de junho.

Ela também citou que o fabricante recomenda que a segunda dose da Pfizer seja aplicada em 21 dias, de forma a garantir a eficácia máxima do imunizante. A utilização de três meses com base em um estudo do Reino Unido é indevida, já que o estudo sequer foi finalizado.

Na decisão, a juíza deu até 48h para que a Fundação de Vigilância em Saúde do Estado (FVS-AM) disponibilize 30 mil doses da vacina da Pfizer à Semsa, para o público que já está no tempo hábil de receber a 2ª dose.

O G1 entrou em contato com a FVS para saber se o órgão já foi notificado e se tem o total de doses para enviar para a Semsa, e aguarda resposta.

G1

Opinião dos leitores

  1. A juíza está completamente desatualizada. A Anvisa já autorizou a o armazenamento da vacina da Pfizer em geladeira comum por até 31 dias.

  2. Meu Deus, justiça decidindo prazo de vacina ! Ditadura judicial o Brasil vive em dias de hoje ! Até copa América, já ja vai decidir o que o congresso pode ou não votar, antes msm de votarem

    1. Um palhaço 🤡 queria mudar a bula da cloroquina, pq um juiz não pode mudar a data da vacina?

  3. O embasamento do judiciário chega a ser uma piada. Tudo a bosta do judiciário se mete no meio.

  4. E a bula do imunizante é clara prevê um período de 21 dias entre as doses com base nos teste de segurança e eficácia da fórmula. Mais aqui foi totalmente diferente, colocaram 90 dias.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Sputnik V é eficaz contra variante de Manaus, dizem pesquisadores argentinos; Fundo Russo fala em proteção já após a 1ª dose

FOTO: AKHATAR SOOMRO/REUTERS – 04.04.2021

Pesquisadores argentinos do Instituto de Virologia da Universidade Nacional de Córdoba concluíram um estudo que mostra a eficácia da vacina Sputnik V contra a cepa P.1 do coronavírus causador da covid-19, que foi identificada inicialmente em Manaus (AM).

Segundo comunicado divulgado pelo RDIF (Fundo Russo de Investimento Direto), detentor dos direitos comerciais do produto, a vacina é capaz de proteger contra a doença provocada pela cepa P.1 inclusive após a primeira dose.

Os dados completos do trabalho, no entanto, não foram divulgados até o momento.

A Argentina começou a usar a Sputnik V no fim de dezembro. Em março, o país detectou a transmissão comunitária da cepa de Manaus.

“O estudo realizado na Argentina confirmou a alta eficácia da vacina “Sputnik V” contra novas cepas de coronavírus. A Argentina foi o primeiro país da América Latina a usar a “Sputnik V” para vacinar a população. Agora vemos que o uso do medicamento ajuda a proteger a população não só contra as conhecidas, mas também contra novas variantes do vírus, inclusive a brasileira. Uma forte resposta imunológica se forma já após receber a primeira dose da vacina”, afirmou o diretor-executivo do RDIF, Kirill Dmitriev por meio de nota.

No Brasil, a Sputnik V teve um pedido de importação e uso negado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) após técnicos concluírem que os documentos apresentados pelo desenvolvedor eram insuficientes — ou apresentavam inconsistências — para garantir a segurança do imunizante.

Na última sexta-feira (21), a agência recebeu novos dados da vacina enviados pelos estados da Bahia e do Maranhão, que pretendem comprar a Sputnik V. Em nota, a agência informou que o documento será anexado ao pedido de importação do imunizante.

R7

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Pazuello é elogiado por Bolsonaro durante evento em Manaus; governador do AM também declara apoio

Foto: Reprodução/TV Brasil

Alvo de investigações do Ministério Público e na mira da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello recebeu elogios públicos do presidente Jair Bolsonaro e de outras autoridades durante um evento nesta sexta-feira em Manaus. Mesmo sem cargo no governo federal, Pazuello acompanhou a cerimônia de inauguração de um centro de convenções na capital do Amazonas.

Antes de assumir o Ministério da Saúde, Pazuello, que é general da ativa do Exército, comandava a 12ª Região Militar, sediada em Manaus. Durante sua gestão na pasta, um dos principais pontos de desgaste foi um colapso no sistema de saúde do Amazonas em janeiro. Em seu discurso nesta sexta, Bolsonaro afirmou que “ninguém esperava que fosse acontecer” uma situação como aquela.

Em entrevista à revista “Veja”, publicada na quinta-feira, o ex-secretário de comunicação da Presidência Fabio Wajngarten afirmou que o Brasil não comprou antes vacinas da Pfizer por “incompetência” e “ineficiência”. Wajngarten fez críticas à condução do tema pelo Ministério da Saúde, mas evitou citar diretamente Pazuello e ainda poupou Bolsonaro. Wanjgarten também deve ser chamado a depor na CPI da Covid.

No evento desta sexta-feira, Pazuello foi mencionado inicialmente pelo ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, que o chamou para subir ao palco. O ex-ministro foi abraçado por Bolsonaro, que acenou para a plateia, e em seguida foi ao encontro de Gilson.

— Quero fazer uma saudação especial. Cadê o general Pazuello? Cadê ele? Venha cá — disse o ministro, continuando depois, já com ex-colega ao seu lado: — Eu fui testemunha da luta desse homem pela erradicação da doença no nosso país.

Machado disse que Pazuello começou a distribuir as primeiras vacinas contra a Covid-19 um dia após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovar seu uso e disse que “nós somos muito gratos” ao “empenho” do ex-ministro.

Depois, o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), também elogiou Pazuello, ao agradecer o apoio do governo federal:

— Quero fazer um agradecimento muito especial ao general Eduardo Pazuello, que viveu, no estado do Amazonas, os momentos mais difíceis pelo qual o nosso povo passou.

Último a discursar, Bolsonaro voltou a citar Pazuello, dizendo que ele teve participação no trabalho do governo para que “os danos dessa pandemia fossem diminuídos”. O presidente também fez menção ao atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, dizendo que ele dá “prosseguimento” ao trabalho de Pazuello.

— Conseguimos, com a equipe que nós temos em Brasília, colaborar em muito para que os danos dessa pandemia fossem diminuídos. Em especial, pelo ministro da Saúde que tive até há pouco tempo, o senhor Pazuello. Aqui presente, o ministro Queiroga, da Saúde, que dá prosseguimento ao seu trabalho.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Oxi, faz todo sentido. Se bolsonaro dizia durante a campanha que a especialidade dele era matar e derepente um crescimento significativo no número de mortos por covid durante a gestão de Pesadelo no Ministério da Saúde, pra bolsonaro é digno de elogio.

  2. Vamos ver na CPI a competência na atuação desse presidente, desse ex ministro e desse governador na pandemia…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Vacinação de pessoas de 35 a 39 anos com doenças preexistentes é iniciada Manaus

Foto: Divulgação

Pessoas de 35 a 39 anos com doenças preexistentes começam a tomar a vacina contra a Covid-19, nesta quinta-feira (8), em Manaus. Além desse público, adultos com comorbidades de 40 a 59 anos já estavam liberados para receber a imunização, assim como agentes de segurança pública, profissionais da saúde e idosos a partir de 60 anos.

Sete postos de vacinação estão abertos das 9h às 16h para receber o público (veja os endereços abaixo).

Para receber a vacina, a pessoa deve se dirigir ao ponto de vacinação, no dia e hora indicados pelo sistema Imuniza Manaus na opção “Consultar 1ª dose”. No local indicado, deve apresentar, obrigatoriamente, laudo médico (original e cópia), documento de identificação original, com foto, e CPF. Diabéticos que não tenham laudo médico, devem apresentar receita em papel timbrado oficial (do SUS ou de estabelecimento particular de saúde).

Caso a pessoa não tenha conseguido fazer o cadastro, ela pode se dirigir a um posto de vacinação com os documentos indicados e realizar o preenchimento no local.

Segundo a prefeitura, adultos acima de 18 anos com comorbidades devem ser vacinados até o próximo sábado (10).

Calendário de vacinação – 7/4 a 10/4

Quarta-feira, 7/4 – 40 a 44 anos

Quinta-feira, 8/4 – 35 a 39 anos

Sexta-feira, 9/4 – 30 a 34 anos

Sábado, 10/4 – 18 a 29 anos

Comorbidades da fase atual da campanha:

Diabetes mellitus

Obesidade mórbida

Cardiopatias: Insuficiência Cardíaca (IC); cor-pulmonale e hipertensão pulmonar; cardiopatia hipertensiva; síndromes coronarianas; valvopatias; miocardiopatias e pericardiopatias; doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas; arritmias cardíacas; cardiopatias congênitas no adulto; próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados.

Agentes de segurança e profissionais da saúde

Estão sendo imunizados os profissionais da segurança pública da chamada linha de frente, ou seja, que executam serviços de rua, como investigação, atendimento de ocorrências, entre outros, como a fiscalização das medidas preventivas contra a Covid-19. Podem tomar a vacina agentes de qualquer idade. Os agentes de segurança estão sendo vacinados no Centro de Convenções de Manaus (sambódromo) (Avenida Pedro Teixeira, 2.565, Dom Pedro, zona Oeste)

Os trabalhadores da saúde também estão recebendo a segunda dose, exclusivamente na Escola de Enfermagem, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), na zona Sul de Manaus.

Postos de vacinação contra Covid em Manaus, das 9h às 16h:

Centro Estadual de Convivência da Família Padre Pedro Vignola (Rua Gandu, 119, Cidade Nova)

Centro Cultural dos Povos da Amazônia (Avenida Silves, 2.222, Crespo)

Universidade Paulista (Unip) (Avenida Mário Ypiranga Monteiro, 3.490, Parque 10 de Novembro)

Universidade Nilton Lins (Avenida Professor Nilton Lins, 3.259, Flores)

Clube do Trabalhador do Sesi/AM (Avenida Cosme Ferreira, 7.399, São José)

Balneário do Sesc/AM (Avenida Constantinopla, 288, Alvorada)

Centro de Convenções de Manaus (sambódromo) (Avenida Pedro Teixeira, 2.565, Dom Pedro, zona Oeste)

G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Manaus inicia vacinação de adultos entre 45 e 49 anos com doenças preexistentes

Foto: Divulgação

Pessoas de 45 a 49 anos com doenças preexistentes começam a ser vacinadas em Manaus, nesta terça-feira (6). A imunização é aplicada em adultos que tiverem diabetes mellitus, obesidade mórbida (IMC > 40) ou cardiopatias.

Na capital amazonense, adultos a partir de 50 anos com comorbidades já estavam sendo imunizados. Recebem a vacinação também idosos com 60 anos ou mais e agentes de segurança pública.

Para receber a vacina, além do documento de identificação original com foto e o CPF, o usuário precisa apresentar laudo médico que comprove a enfermidade. Os diabéticos que não têm laudo podem apresentar a receita médica em papel timbrado oficial do Serviço Único de Saúde (SUS) ou da rede privada de saúde. No caso de obesidade grave (IMC igual ou maior que 40), o usuário pode comprovar essa condição por meio de declaração emitida por médico ou por qualquer profissional de saúde de nível superior (enfermeiro, nutricionista, educador físico, farmacêutico ou outro).

O atendimento continua a ser feito nos sete pontos de vacinação, das 9h às 16h (veja os endereços abaixo).

Para receber a vacina, o usuário deve se dirigir ao ponto de vacinação, no dia e hora indicados pelo sistema Imuniza Manaus, na opção “Consultar 1ª dose”. No local, deve apresentar, obrigatoriamente, laudo médico (original e cópia), documento de identificação original, com foto, e CPF. Diabéticos que não tenham laudo médico, devem apresentar receita em papel timbrado oficial (do SUS ou de estabelecimento particular de saúde).

Caso a pessoa não tenha conseguido fazer o cadastro, ela pode se dirigir a um posto de vacinação com os documentos indicados e realizar o preenchimento no local.

Comorbidades da fase atual da campanha:

Diabetes mellitus

Obesidade mórbida

Cardiopatias: Insuficiência Cardíaca (IC); cor-pulmonale e hipertensão pulmonar; cardiopatia hipertensiva; síndromes coronarianas; valvopatias; miocardiopatias e pericardiopatias; doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas; arritmias cardíacas; cardiopatias congênitas no adulto; próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados.

Agentes de segurança

Estão sendo imunizados os profissionais da segurança pública da chamada linha de frente, ou seja, que executam serviços de rua, como investigação, atendimento de ocorrências, entre outros, como a fiscalização das medidas preventivas contra a Covid-19.

Os agentes de segurança estão sendo vacinados no Centro de Convenções de Manaus (sambódromo) (Avenida Pedro Teixeira, 2.565, Dom Pedro, zona Oeste)

Postos de vacinação contra Covid em Manaus, das 9h às 16h:

Centro Estadual de Convivência da Família Padre Pedro Vignola (Rua Gandu, 119, Cidade Nova)

Centro Cultural dos Povos da Amazônia (Avenida Silves, 2.222, Crespo)

Universidade Paulista (Unip) (Avenida Mário Ypiranga Monteiro, 3.490, Parque 10 de Novembro)

Universidade Nilton Lins (Avenida Professor Nilton Lins, 3.259, Flores)

Clube do Trabalhador do Sesi/AM (Avenida Cosme Ferreira, 7.399, São José)

Balneário do Sesc/AM (Avenida Constantinopla, 288, Alvorada)

Centro de Convenções de Manaus (sambódromo) (Avenida Pedro Teixeira, 2.565, Dom Pedro, zona Oeste)

G1

Opinião dos leitores

  1. Aqui não se tem nem previsão para os profissionais de segurança, enquanto isso vão se infectando e morrendo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

CoronaVac é eficaz contra variante de Manaus, diz estudo preliminar

FOTO: CARLA CARNIEL/REUTERS – 26.02.2021

A CoronaVac, vacina contra Covid-19 do laboratório chinês Sinovac, mostrou ser eficaz contra a variante de Manaus do coronavírus, segundo dados preliminares de um estudo feito pelo Instituto Butantan, responsável pelo estudo clínico da vacina e que está envasando o imunizante no Brasil, disse uma fonte com conhecimento do estudo à Reuters nesta segunda-feira (8).

Segundo a fonte, o estudo foi feito por meio do exame de amostras de sangue retiradas de pessoas vacinadas com a CoronaVac e testadas contra a variante de Manaus, e os dados preliminares indicam que o imunizante foi eficaz contra a cepa. O estudo ainda será ampliado para a obtenção de dados definitivos.

A variante do coronavírus conhecida como P1 e originada em Manaus é apontada como mais transmissível do que cepas anteriores do coronavírus e, por isso, é vista como um dos fatores que levaram ao recrudescimento da pandemia de Covid-19 no Brasil nas últimas semanas.

O Butantan já entregou 16,1 milhões de doses da CoronaVac, que é aplicada em duas doses, ao Programa Nacional de Imunização (PNI) do Ministério da Saúde. Além desse montante, o PNI conta atualmente com 4 milhões de doses importadas prontas da Índia da vacina desenvolvida em conjunto entre a AstraZeneca e a Universidade de Oxford, no Reino Unido.

O presidente do Butantan, Dimas Covas, disse anteriormente que a CoronaVac teve resultados “muito positivos” em teses feitos na China contra as variantes britânica e sul-africana da Covid-19, também apontadas como mais contagiosas que cepas anteriores.

R7

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Vacina da AstraZeneca é eficaz contra cepa identificada em Manaus, dizem estudo preliminares

Em meio a semana de recordes de mortes, vacinas ganham importância renovada. Foto: Angelo Esslinger/Pixabay

De acordo com resultados preliminares de uma pesquisa conduzida pela Universidade de Oxford, a vacina desenvolvida pela AstraZeneca é eficaz contra a variante do coronavírus originada em Manaus. Por enquanto, a eficiência exata do imunizante contra a mutação brasileira não foi divulgada, mas espera-se que o estudo seja publicado na íntegra até março.

As notícias são excelentes, ainda mais quando se considera que o imunizante pode não ser útil contra todas as variantes do SARS-CoV-2 registradas pelo mundo. Levantamentos anteriores apontaram que a vacina da AstraZeneca não é muito eficaz contra a variante sul-africana, por exemplo, o que levou a uma suspensão do uso do imunizante no país.

Por enquanto, não se sabe se a CoronaVac é capaz de proteger contra a mutação de Manaus, o que torna a notícia ainda mais importante. Após a publicação do estudo completo, é preciso analisá-lo e refletir sobre quais vacinas funcionarão melhor no país — especialmente já que, nas últimas semanas, o Brasil bateu recorde de mortes em decorrência da Covid-19.

Veja

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Covid-19: Cepa encontrada em Manaus pode comprometer desenvolvimento de anticorpos, especula OMS

Foto: Ernesto Carriço/Enquadrar/Estadão Conteúdo

A variante P.1 do coronavírus, encontrada pela primeira vez em Manaus, pode comprometer o desenvolvimento de anticorpos contra a Covid-19. Essa é a observação feita pela Organização Mundial da Saúde (OMS) no boletim epidemiológico semanal divulgado na terça-feira (9).

De acordo com a organização, “as mutações detectadas na variante P1 podem potencialmente reduzir a neutralização de anticorpos; no entanto, estudos adicionais são necessários para avaliar se há mudanças na transmissibilidade, gravidade ou atividade de neutralização de anticorpos como resultado dessas novas variantes”.

O boletim ainda chama a atenção para a proporção de casos detectados da nova variante em Manaus, que foi identificada pela primeira vez em dezembro de 2020. A proporção de diagnósticos positivos para a nova variante saltou de 52% em dezembro do ano passado para 85% em janeiro de 2021. Mesmo assim, ainda de acordo com a OMS, uma “segunda onda” de casos de Covid-19 no Brasil está mostrando sinais de declínio.

Segundo o último boletim epidemiológico na capital amazonense, Manaus já registrou 129.721 casos de Covid-19 e 6.484 óbitos, com uma taxa de letalidade de 5% – mais que duas vezes a taxa de letalidade nacional, de 2,4%, segundo o Ministério da Saúde. Já a taxa de ocupação de leitos de UTI destinados à Covid-19 na rede pública de Manaus está em 91,09%, enquanto em leitos clínicos, está em 79,88%.

De acordo com um levantamento feito pela CNN Brasil, a nova variante P.1. já foi encontrada em 13 países.

Casos e mortes por Covid-19 em queda no mundo

Ainda segundo o boletim divulgado pela OMS, o número global de casos de Covid-19 apresentou queda pela quarta semana seguida. Segundo o relatório, na última semana foram registradas 3.1 milhões de novas infecções, o que representa uma queda de quase 17% em relação à semana passada (3.7 milhões). O número também significa o menor volume de novos casos desde a semana de 26 de outubro de 2020, há 15 semanas. de acordo com a organização.

Segundo a OMS, o número global de mortes pela doença também está em queda: 88 mil mortes foram registradas no mundo na última semana, ou seja, cerca de 10% menos do que o registrado na semana anterior (96 mil).

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Essa história de variante é só pra quando a vacina, faltando dados, não funcionar, a culpa ser da nova variante.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

TCU dá 10 dias para Manaus responder se foi pressionada pelo Ministério da Saúde a usar cloroquina

O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Benjamin Zymler deu 10 dias para a Secretaria de Saúde de Manaus responder se foi pressionado pelo Ministério da Saúde a tratar pacientes com Covid-19 com os remédios cloroquina, hidroxicloroquina e ivermectina.

Os três remédios são ineficazes para o combate à doença, de acordo com estudos científicos realizados no Brasil e no exterior. No entanto, desde o início da pandemia o presidente Jair Bolsonaro insiste no tratamento com os medicamentos.

O Ministério da Saúde adquiriu comprimidos de cloroquina e hidroxicloroquina e produziu um protocolo em que recomenda no SUS o uso dos remédios para tratar a Covid-19.

No despacho, Zymler faz menção a uma visita de uma força-tarefa do Ministério da Saúde a Manaus, no início de janeiro, quando a cidade já registrava disparada nos casos de Covid-19. Dias depois, o sistema de saúde de Manaus entrou em colapso.

“Informe se houve algum tipo de pressão por parte dos membros da força-tarefa do Ministério da Saúde quando da visita feita no dia 11/1/2021, para que essa unidade de saúde difundisse a utilização de medicamentos como cloroquina, hidroxicloroquina e/ou ivermectina no tratamento precoce dos pacientes com Covid-19 nesse município”, escreveu o ministro.

Zymler tomou a decisão com base em pedido do Ministério Público de Contas. O MP de Contas também queria que o TCU determinasse que o Ministério da Saúde parasse de ordenar o uso dos medicamentos.

O ministro não acatou essa parte do pedido e argumentou que, no momento, não há comprovação de que a pasta esteja obrigando o uso dos medicamentos sem eficácia.

No fim de janeiro, Zymler escreveu em despacho que a cloroquina só poderia ser fornecida pelo SUS no tratamento à Covid-19 se houvesse autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ou de autoridades sanitárias estrangeiras, o que não ocorreu.

G1

Opinião dos leitores

  1. O TCU é responsável pela fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial dos órgãos e entidades públicas do país quanto à legalidade, legitimidade e economicidade. O que tem pra o TCU se meter nisso? No Brasil se cada um fizesse seu papel e esquecesse a política as coisas andariam melhor. Os Tribunais de Contas são execráveis, formado por membros com interesses escusos, é um órgão que apura, instrui, denuncia e julga. Tem cabimento?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Paciente transferido do AM com covid-19 morre em Hospital de Campanha de Natal

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) confirmou nesta segunda-feira(01) o óbito de um paciente transferido de Manaus para o Hospital de Campanha de Natal vítima da covid-19. Até o momento da publicação deste post, ainda não há dados mais detalhados sobre o paciente como idade, ou se ele tinha algum tipo de comorbidade.

Para o caso do Hospital de Campanha na capital potiguar, o controle das informações fica com o município de Natal, mas a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Saúde ainda não se manifestou de forma oficial.

Segundo a Sesap, Natal recebeu até agora 55 pacientes de Manaus, capital do Amazonas. Eles foram transportados por quatro voos em apenas 14 dias.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

“CRITÉRIOS” QUESTIONADOS E DENÚNCIAS: Vacinação contra Covid-19 em Manaus é suspensa para replanejamento

Profissionais da saúde são vacinadas no primeiro dia da campanha em Manaus — Foto: Matheus Castro/G1

A vacinação contra a Covid-19 em Manaus foi suspensa nesta quinta-feira (21) para replanejamento da campanha. O objetivo é discutir os critérios que definirão quais profissionais de saúde e de quais unidades têm prioridade para receber as primeiras doses, já que a quantidade de vacinas disponibilizada pelo governo federal é insuficiente. Somente profissionais que atuam no Samu seguem recebendo o imunizante.

Após a definição dos critérios, as unidades de saúde deverão enviar a lista nominal dos profissionais, com o setor em que cada um trabalha, para a Secretaria da Saúde de Manaus reprogramar a vacinação. A previsão é que os trabalhos sejam retomados na sexta-feira (22).

A suspensão da campanha foi definida pelas secretarias de saúde de Manaus e do Amazonas, após uma reunião na noite de quarta-feira (20) com órgãos de controle do estado: Ministério Público Estadual, do Ministério Público Federal, da Defensoria Pública Estadual, da Defensoria Pública da União e do Ministério Público do Trabalho.

Os participantes da reunião concluíram que devem ser priorizados os profissionais mais expostos ao coronavírus e que trabalhem em unidades de referência de média e alta complexidade, que tenham contato direto com pacientes com Covid, considerando também comorbidades e idade. Foi definido ainda que será garantida a segunda dose para os profissionais que já foram vacinados até esta quarta-feira.

A secretária municipal da Saúde, Shádia Fraxe, afirmou a prefeitura organizou 50 equipes de vacinação, com 200 profissionais, porém a definição de locais e de quem deve ser vacinado é de responsabilidade do governo do estado.

Já a Secretaria do Amazonas havia divulgado que a responsabilidade pela campanha era das prefeituras e que não era responsável pela definição das pessoas que receberão as doses, apenas entregava o imunizante aos municípios.

De acordo com a prefeitura de Manaus, nos primeiros dois dias de vacinação na capital, 1.140 profissionais de saúde receberam a primeira dose da CoronaVac. A Prefeitura recebeu, para esta primeira etapa da campanha, um total de 40.072 doses de vacina.

Crise na saúde

O Amazonas tem mais de 238 mil casos e 6,5 mil mortes por Covid-19. A capital enfrenta colapso no sistema de saúde por falta de oxigênio nos hospitais: a demanda pelo produto cresceu após o recorde de internações.

Na quinta-feira, o prefeito David Almeida disse que iria proibir imagens de pessoas recebendo a vacina, depois que parentes de empresários locais postaram fotos sendo imunizadas em redes sociais. A prefeitura diz que não há irregularidade. O Ministério Público do Amazonas está investigando as denúncias.

G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Manaus vai proibir profissional de saúde de postar fotos de vacinação

O prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), disse em transmissão ao vivo no Facebook na noite de terça-feira (19) que os profissionais de saúde da cidade não poderão publicar registros da vacinação contra a covid-19 nas redes sociais.

“A secretária está neste momento com uma portaria proibindo a divulgação em rede social dentro das unidades. Você se vacinou, fique para você. Você não precisa compartilhar em rede social. Essa é a determinação, esse é o pedido”, declarou.

A decisão ocorreu após a disseminação de boatos refutados pela prefeitura de que moradores fora do grupo prioritário teriam recebido a vacina. Na transmissão, Almeida disse que uma das “polêmicas” foi uma fotografia postada em rede social de uma pessoa tomando outro tipo de injeção. “Aquilo não é a vacina da covid-19. A nossa seringa é diferente”, alegou. “Portanto, se requer cuidado quando você posta, quando você comenta.”

Outro caso que teria atraído críticas foi a imunização de duas médicas recém-nomeadas em uma unidade básica de saúde. Segundo o prefeito, ambas começaram a trabalhar recentemente na rede pública após o afastamento de 122 profissionais da área por causa do novo coronavírus. “Elas estavam em serviço, no seu plantão”, justificou o prefeito. “Se encaixa perfeitamente naquilo que preconiza as normas ditadas pelo governo federal”, continuou.

A capital do Amazonas vive uma grave crise sanitária, com aumento de casos e internações pelo novo coronavírus, em meio à falta de fornecimento de oxigênio. Situação semelhante também é relatada em municípios do interior amazonense e do Pará.

A vacinação em Manaus começou na terça-feira, 19, destinada prioritariamente a profissionais de saúde que atuam no atendimento de pacientes com covid-19. A gestão municipal diz que a cidade recebeu 40.072 doses.

Segundo boletim epidemiológico do governo amazonense, a capital está com ocupação de 94,3% nos leitos de UTI públicos e privados para pacientes com covid-19, média que é de 94,5% nos leitos de enfermaria. Na terça-feira, a cidade realizou 177 sepultamentos, dos quais 98 de casos confirmados ou suspeitos de covid-19. Há um mês, em 19 de dezembro, foram realizados 39 sepultamentos na cidade, dos quais sete eram de vítimas da doença.

Opinião dos leitores

  1. Se não tirar foto pode furar fila? E quem não é da área médica e se vacinou, vai ser despedido? Essa decisão do gov. do Amazonas é uma piada.

  2. Isso me lembra a lenda do marido que queimou o sofá, por que flagrou à esposa em adultério.
    A providência seria a quebra dos privilégios. Taí a razão da crise no Amazonas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Vacinação contra a Covid em família de elite provoca polêmica em Manaus

Foto: Reprodução

A vacinação contra a Covid-19 começou em Manaus na terça-feira, 19, com polêmica. Profissionais de saúde que estão na linha de frente desde o início da pandemia do novo coronavírus ficaram revoltados porque duas herdeiras de uma tradicional família do estado estão entre as primeiras imunizadas. Recém-formadas em medicina, as gêmeas Gabrielle Kirk Lins e Isabelle Kirk Lins são da família de Nilton da Costa Lins Júnior, presidente da mantenedora da Universidade Nilton Lins, uma das maiores de Manaus. Além de força no âmbito econômico, o clã Lins também tem membros com carreira política.

Os profissionais do sistema de saúde local, que enfrenta seríssimas dificuldades pela escassez de leitos de oxigênio em meio à escalada de casos da doença, dizem-se revoltados porque as gêmeas, que atuam há pouco tempo como servidoras da prefeitura de Manaus, tomaram a CoronaVac antes de médicos e enfermeiros de hospitais estaduais que estão em situação mais caótica, como Delphina Aziz e o 28 de Agosto. Dentro do terreno da Universidade Nilton Lins, há uma Unidade Básica de Saúde (UBS).

A polêmica começou quando as duas médicas postaram no Instagram que estavam sendo imunizadas contra o novo coronavírus. Imediatamente, essas imagens começaram a circular nos grupos de WhatsApp de profissionais de saúde junto com uma imagem do Diário Oficial de Manaus com a nomeação de Gabrielle, no dia 18 de janeiro, um dia antes do início da vacinação, como gerente de projetos da Secretaria Municipal de Saúde. A irmã dela foi nomeada no dia 19 de janeiro.

Matéria completa da Veja AQUI.

Opinião dos leitores

  1. Segundo o STF (a pedido dos partidos de esquerda), corroborado pela Globo, a culpa pelo caos em Manaus é do MINIISTÉRIO DA SAÚDE…Os políticos e gestores de lá são todos isentos!!!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Bolsonaro classifica problema da covid em Manaus como ‘terrível’ e comenta ações federais; Mourão diz que governo está fazendo ‘tudo o que pode’

Foto: Bruno Batista /VPR

O presidente Jair Bolsonaro disse a apoiadores nesta sexta-feira (15), ao comentar a crise da saúde pública no Amazonas, que o governo federal fez a sua parte para ajudar o estado.

O sistema de saúde de Manaus entrou em colapso nos últimos dias com a disparada dos casos de Covid-19. As internações e os enterros bateram recordes, os hospitais ficaram sem oxigênio e pacientes estão sendo enviados para outros estados.

“Problemas. A gente está sempre fazendo o que tem que fazer. Problema em Manaus. Terrível, o problema em Manaus. Agora, agora, nós fizemos a nossa parte. Recursos, meios. Hoje, as Forças Armadas ‘deslocou’ para lá um hospital de campanha. O ministro da Saúde esteve lá segunda-feira e providenciou oxigênio”, afirmou o presidente na saída da residência oficial do Palácio da Alvorada.

Segundo o Ministério da Defesa, as Forças Armadas vão transportar até esta quinta-feira (14) 50 toneladas de equipamentos e materiais para a montagem de hospital de campanha em Manaus. Entre os itens estão barracas, equipamentos de ar-condicionado, geradores de energia, móveis e equipamentos hospitalares. O G1 entrou em contato com a Defesa para saber se os itens já chegaram a Manaus, e aguardava uma resposta até a última atualização desta reportagem.

Na fala aos apoiadores, Bolsonaro ainda voltou a defender tratamento com remédios cuja eficácia não é confirmada pela comunidade científica.

Mourão

A jornalistas, na chegada ao Palácio do Planalto, o vice-presidente Hamilton Mourão também comentou a situação no Amazonas. Ele disse que governo está fazendo “além do que pode”. Questionado sobre medidas como lockdown, Mourão afirmou que a “imposição de disciplina” não funciona no Brasil.

“O governo está fazendo além do que pode dentro dos meios que a gente dispõe”, disse Mourão.

Questionado se não faltou planejamento logístico, o vice-presidente declarou que não se era possível prever o colapso no sistema de saúde em Manaus. Ele citou o surgimento de uma nova cepa do vírus.

“Você não tem como prever o que ia acontecer com essa cepa que está ocorrendo em Manaus, totalmente diferente do que tinha acontecido no primeiro semestre”, argumentou.

Para o presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Amazonas (Coren-AM), Sandro André, essa era uma “tragédia anunciada”.

“Infelizmente, nós estamos vivendo uma tragédia anunciada. O sistema Cofim/Coren, desde o início, nós sinalizamos que poderia acontecer essa crise, esse caos. Infelizmente, nós estamos vivendo e vivenciando números nunca antes visto no nosso país, e a segunda onda está muito mais devastadora do que a primeira”, afirmou.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. Vou dar um toque pro presidente. PRESIDENTE, LEMBRE QUE NA ELEIÇÃO A MAIORIA DOS SEUS ELEITORES ERAM OS MAIS IDOSOS E COINCIDENTEMENTE SÃO OS IDOSOS MAIORIA ENTRE OS MORTOS PELA COVID19, SE ELES ESTÃO SEGUINDO AS SUAS ORIENTAÇÕES DE FINGIR QUE NADA ESTÁ ACOMTECENDO E NEM SEQUER SE PREOCUPAREM A USAR MÁSCARAS, O SENHOR ESTÁ PERDENDO SEUS ELEITORES PRA COVID VIU.
    Acho que assim ele entende melhor.

  2. Agora admite que é calamidade e não uma gripezinha…
    Será julgado no futuro!!!
    Assim na terra como no céu…

  3. Bozo elevou imposto de cilindros de oxigênio em 60% no fim do ano passado.
    O omi é bom…o omi é espetacular…
    Pah…?????

    1. MENTIRA. Bolsonaro zerou aliquota no ano passado, via Camex.
      Votlou para 14/16% este ano (de aço/aluminio). Aí a Camex esta reunida para zearar novamente.

    2. Pedro, Manoel, e os demais loucos que não enxergam um palmo além do nariz, vão pra Venezuela. Os cilindros, como tudo que pudesse ajudar no combate à COVID, tiveram tributação diferenciada, já com um prazo pra retornar ao normal. Então, não é que houve aumento… houve a normalidade dos “cilindros” e não do conteúdo oxigênio. Vcs falam muita bosta.

  4. Esse é um presidende trabalhador e presente.
    Graças à Deus que não elegemos o poste e sua vice comunista e atéia.

    1. Né isso! No final trocamos 6 por meia dúzia: o MINTOmaníaco eh corrupto e está desmantelando as instituições e as leis que ajudavam a combater a corrupção… Dizia que o Brasil iria virar a Venezuela mas eh louco pra impor um regime populista aqui pra ser manter no poder… Sabe que se o filho for investigado vão chegar a ele! Nem o PT nem Lulaladrão conseguiram favorecer tanto assim a corrupção… Se ele ficar mais 6 anos no poder veremos como ele eh parecido com Lulaladrao…

  5. Mourão disse que a imposição da disciplina não funciona com o brasileiro. Ainda mais quando o chefe da nação age como um moleque indisciplinado igual o que foi escorraçado nós Estados Unidos.
    Ele prega a desobediência e as marionetes lisas que nem o Gibira ficam ecoando as insanidades do seu líder supremo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *