Polícia

VÍDEO: Delegado explica ataque sanguinário em creche em Santa Catarina que matou três bebês e duas funcionárias

A Polícia Civil confirmou a identidade do autor do ataque registrado em uma creche na manhã desta terça-feira (4) em Saudades, no Oeste de Santa Catarina. Cinco pessoas morreram após o crime. Segundo o delegado, o jovem tinha perfil mais quieto e não costumava sair muito de casa.

O autor foi identificado como Fabiano Kipper Mai, 18 anos. De acordo com o delegado Jerônimo Marçal Ferreira, ele invadiu a Escola Infantil Pró-Infância Aquarela e feriu a professora na entrada da unidade. Ela teria então corrido para a sala onde estavam quatro crianças, todas menores de dois anos. Além deles, o suspeito atacou uma agente de saúde que fazia um trabalho no local no momento do crime

As três crianças que morreram tinham menos de 2 anos. Gravemente ferido, o agressor também foi encaminhado ao hospital. Ainda não se sabe o que motivou o crime. Saudades fica no Oeste de SC e tem cerca de 9 mil habitantes.

Com Diário do Estado e NSC Total

Opinião dos leitores

  1. Se todo o povo brasileiro que não tenha restrição médica ou judicial deve ter direito a uma arma de fogo para andar na cintura. Se alguém se sentir em risco poderá se defender na hora mandando bala. O governo deve doar uma arma de fogo para cada cidadão. Só assim viveremos seguros. Se cada um tiver uma arma, o Brasil será o país mais seguro do mundo.

    1. Se ele tivesse uma arma de fogo, a tragédia seria bem maior. Até hoje, esse assassino era uma pessoa de “bem”.

    2. Se cada um tiver uma arma, teremos bang bangs diários. Se liga! Arma, só polícia deve ter! As outras pessoas devem se munir de conhecimentos e bom senso pra tocar a vida!

  2. Isso mostra que o problema não é a arma de fogo, e sim a índole e vontade de um(a) monstro(a) em matar, independente do instrumento. Talvez, TALVEZ, se houvesse alguém de bem armado próximo, esse poderia usar uma arma de fogo para neutralizar essa assassina.

    1. É assim que penso. Armas de fogo podem matar ou salvar, dependendo de quem a use, assim como quase tudo na vida. Se houvesse uma pessoa de bem e armada por perto, haveria uma CHANCE de que essa tragédia tivesse sido evitada.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

E AGORA SESAP? Associação de Ginecologia e Obstetrícia do RN solta nota se solidarizando com profissionais da Maternidade Januário Cicco e do Santa Catarina

A Associação de Ginecologia e Obstetrícia do RN (SOGORN) expressa sua solidariedade aos colegas plantonistas das unidades de referência de assistência ao parto de Natal, especificamente da Maternidade Escola Januário Cicco e Hospital Santa Catarina, diante da presente situação de superlotação.

Reforçamos que nos preocupamos com as condições de trabalho dos obstetras plantonistas, com a qualidade da assistência possível dentre as atuais condições estruturais e ainda com sua formação profissional. Neste sentido, a Associação tem debatido o problema com a Secretaria de Estado da Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap-RN), a fim de buscar uma solução para melhoria da assistência obstétrica no RN.

Nosso desejo é que os órgãos competentes atuem juntos a fim de garantir a qualidade no atendimento às pacientes, com a dignidade e assistência que elas e seus filhos merecem e têm direito. Desta forma, a Sogorn reitera estar à disposição no que for necessário para encontrar uma resolução o mais urgente possível.

Opinião dos leitores

  1. O governo de Fátima do PT é o retrato da incompetência e da falta de atitude. É o governo do caos. Em todos os setores.

  2. Sabemos que cada governo seja ele federal, estadual ou Municipal tem sua parcela de culpa na situação que nos encontramos perante a doença, mas o governo Fátima tem uma acima de 70% de culpa, pois se omiti e o pior fica jogando a culpa no governo Federal ou municipal. É triste ver isso, o momento seria d união, mas a governa só pensa em Lula e o povo fica em segundo plano.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Com UTIs lotadas e Covid-19 fora de controle, Paraná e Santa Catarina decretam lockdown

Foto: Reprodução / Governo PR

Em meio ao momento mais duro da pandemia do novo coronavírus desde seu início, há um ano, dois estados decretaram lockdown nesta sexta-feira: Paraná e Santa Catarina. Os estados da região Sul são dos mais atingidos pela nova variante da doença no país, que nesta quinta-feira bateu o recorde de mortes em apenas um dia, com 1.582. No Paraná, a ocupação dos leitos de UTI é de 94% e, em Santa Catarina, de 90,4%. Em São Paulo, o governador João Doria (PSDB) voltou a endurecer a quarentena em algumas localidades.

A capital paulista voltará à fase laranja, considerada intermediária, em que restaurantes só poderão funcionar até as 20h. Bares funcionarão, primordialmente, no sistema de delivery. O atendiemento ao público só será permitido para os estabelecimentos que vendem refeições.

Especialistas alertaram, nesta quinta-feira, para a possibilidade de um colapso nacional do sistema de saúde, com diversos estados registrando ao mesmo tempo ocupação máxima dos leitos exclusivos para pacientes com Covid-19.

— Essa nova cepa que chegou ao Brasil e se alastrou fez com que a infecção tomasse uma velocidade além da normalidade que estava sendo acompanhada e planejada pela secretaria estadual de Saúde — afirmou o governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD).

No Paraná, serviços e atividades não essenciais serão suspensos a partir deste sábado até o dia 8 de março. No período, haverá também proibição da circulação de pessoas em espaços e vias públicas das 20h às 5h. O governador também anunciou a suspensão das aulas.

Em Santa Catarina, o lockdown ocorrerá neste final de semana e no próximo. Nessas datas, os serviçõs não essenciais também serão fechados.

— O novo quadro que se apresenta é extremamente grave, e, por isso, é fundamental que o governo estadual tome medidas ainda mais duras, pois o que importa é preservar a vida dos catarinenses — afirmou o governador Carlos Moisés (PSL).

Nesta quinta-feira, o país registrou o pior número de mortos em 24 horas de toda a pandemia. Foram 1.582 óbitos registrados em apenas um dia, com recorde também na média móvel de mortes, que ficou em 1.150, o que representa 8% a mais do que há duas semanas. A média de óbitos está acima de mil desde o dia 21 de janeiro.

Já são 251.661 vidas perdidas e 10.393.886 de pessoas infectadas pelo vírus, segundo os dados compilados pelo consórcio formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo, com informações das secretarias estaduais de Saúde.

— Estamos pedindo um período de oito dias. Não é um longo prazo sem poder voltar à normalidade. Estamos em um momento de descontrole da transmissão no estado do Paraná — afirmou Ratinho Junior.

Em entrevista ao GLOBO, o médico e cientista Miguel Nicolelis afirmou que teme um colapso nacional do sistema de saúde:

— Estou vendo chance grande de um colapso nacional. Boa parte das capitais pode colapsar ao mesmo tempo, nunca estivemos (tão) perto disso. Se eliminar o genocídio indígena e a escravidão, (esta) é a maior tragédia do Brasil — disse Nicolelis.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Parabéns ao nosso presidente MINTOmaníaco inepto que deixou de comprar 100 milhões de doses da coronavac a serem entregues até dezembro! Nosso país vai passar mais um ano na míngua pq se acreditou na imunidade de rebanho e em placebos ao mesmo tempo que se desprezou vacinas como a coronavac e pfizer , essa último usada amplamente e com muito sucesso em Israel! Acordem ! Tirem as viseiras! O Brasil vai quebrar não por causa de lockdown mas pq não se apostou em vacinas!

    1. Parabéns a nossa população q fez de tudo pra essa praga se propagar. Todo castigo pro povo é pouco.

    1. rapaz …, não votei nesse presidente mas tem nada a ver isso que vc falou, o cara só fez liberar verbas pra os estados , o STF determinou que a autonomia era dos Estados e municípios, então qual a culpa dele ? vcs fazem política por fazer , sem analizar os fatos , esse presidente fala muita besteira , vai na dele quem quer , ninguém é menino buchudo , com certeza vc deve ser um radical .

    2. É verdade. Bolsonaro também influenciou bastante no aumento do covid nos Estados Unidos, França, Inglaterra, Alemanha…além de eliminar uma quadrilha de Ptistas da Petrobrás, Ibama, Banco do Brasil…
      Homi vai lamber sabão PTista sem futuro…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima

Tempestade em Santa Catarina deixa mortos e desaparecidos

Foto: CNN Brasil

Pelo menos 10 pessoas morreram e 20 ficaram desaparecidas após as fortes chuvas que atingiram municípios de Santa Catarina na madrugada desta quinta-feira (17). De acordo com a Defesa Civil estadual, as vítimas são do município de Presidente Getúlio.

A Defesa Civil também emitiu um alerta “de alto nível” para risco de deslizamentos na região do Alto Vale do Itajaí. As regiões de Médio Itajaí e Grande Florianópolis estão em nível de alerta moderado. Já no leste do Planalto Norte e Sul e toda região do Litoral Norte e Sul estão em observação.

O volume de chuva acumulado nas últimas 72h somam mais de 200 milímetros, sendo a região do Alto Vale do Itajaí a mais afetada.

A previsão ainda indica possibilidade de chuvas nas próximas 24 horas com acumulados que podem passar dos 50 milímetros.

Os municípios de Balneário Camboriú, Camboriú e Itajaí estão com alerta de atenção para inundação nas próximas 2 horas.

Os temporais devem ser ainda mais fortes no sábado (19) e no domingo (20), com a formação de um intenso ciclone extratropical na costa da Argentina. Há risco moderado a alto para chuva forte com raios, rajadas de vento de até 65k/h e eventual queda de granizo.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

DENUNCIADA POR AGLOMERAÇÃO – (VÍDEO): Bailarina do Faustão é presa durante festa em Santa Catarina

Foto: Reprodução/Instagram

Natacha Horana, bailarina do Domingão do Faustão, foi presa na madrugada desta segunda-feira (20) durante uma festa que organizou em um apartamento alugado na cidade de Balneário Camboriú, em Santa Catarina.

Segundo a assessoria de imprensa de Natacha, guardas municipais invadiram o apartamento juntamente com fiscais, sem autorização prévia. O porta-voz também informou ao R7 que a dançarina teria sido denunciada “por aglomeração” na pandemia, já que o condomínio não permite reuniões no local.

No momento da chegada dos agentes, a bailarina estaria sozinha no próprio quarto e não teria achado necessário abrir a porta do cômodo, ainda de acordo com a assessoria dela. Os guardas teriam decidido arrombar a porta do quarto onde a modelo estava.

Em vídeo enviado pela assessoria, é possível ver a abordagem da polícia na hora da prisão.

Natacha foi levada para a delegacia e, segundo o porta-voz da bailarina, ela teria assinado um termo que a permitia retornar para a casa. A dançarina estaria muito abalada com a situação.

A defesa de Natacha também alegou que ela “não teria cometido nenhum crime, pois sequer estava reunida com as demais pessoas presentes no local” e considerou “inadimissível” a postura dos agentes.

“Não havia situação de flagrante delito que justificasse a invasão do apartamento, bem como detiveram Natacha à força sob fundamentos ilegais, além dos guardas usurparem a função da Polícia Militar, estabelecida na Constituição Federal”, informou a nota oficial.

A assessoria de imprensa garantiu que a bailarina não agrediu nenhum dos guardas verbal ou fisicamente.

A equipe do R7 tentou contato direto com a assessoria de imprensa de Natacha para esclarecer a razão da denúncia que a modelo recebeu.

R7

 

Opinião dos leitores

  1. Só acho o seguinte se tá certo ou errado , não sei, agora quando tiverem doente com covid-19 , continue na festa e não ocupe a Samu pra ir pro hospital ocupar leito de quem tava trabalho e ficou doente, pronto falei bando de desocupado, o povo agora tá esquecendo da doença depois fica doente e pedindo desculpa com a cara mais cinica.

  2. ABSURDO ! Onde chegamos.
    Totalmente desproporcional a atitude desses guardas municipais. Quero ver fazer isso na casa de um ministro do supremo ou de qualquer outra autoridade do MP !

  3. Sem mandado judicial, cometeram CRIME! Processo no Estado. Incompetentes e despreparados intelectuais!

    1. Amigo, a constituição prevê em caso de flagrante delito…
      Se houver alguém matando outra pessoa qualquer um pode arrombar a casa.
      A moça dando festinha em casa.

    2. Leia a constituição e as Súmulas do STF amigo.

      Valeu Raimundo. Isso ae.

    3. Acontece que desobedecer a decreto não é crime, pode ser no máximo infração administrativa até pq em matéria penal só quem legisla é a União. Logo a invasão dos guardas foi ilegal, agiram com abuso de poder.

  4. Se fosse o apto de um promotor ou desembargador será que teriam invadido e o levado à delegacia? Não precisa explicar eu só queria entender!!

    1. Não entendi uma funcionária da Globo fazendo festinha em apartamento…

    2. Dançarina do Faustão com assessoria e porta voz. Vai vendo!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Fechado laboratório de ecstasy em Santa Catarina que abastecia todo o país

Foto: Reprodução/TV Globo

A Polícia Civil do Distrito Federal fechou, em Santa Catarina, um laboratório que produzia drogas sintéticas em larga escala. Segundo investigações da Coordenação de Repressão às Drogas (Cord), os entorpecentes eram enviados para todos os estados do país, além de abastecerem o DF.

A produção era feita em um sítio na área rural de Joinville (SC). No local, os agentes encontraram máquinas que tinham a capacidade de fabricar 4 mil comprimidos de ecstasy por hora.

Além dos equipamentos, foram apreendidos 1 mil comprimidos prontos para serem entregues, material suficiente para produzir outras 50 mil unidades de ecstasy, R$ 5 mil em dinheiro e dois carros de alto padrão, avaliados em quase R$ 200 mil.

A operação, batizada de Merry Christmas, ainda foi responsável pela prisão de um homem de 29 anos. A identidade do suposto traficante não foi revelada pelos policiais para não atrapalhar as investigações.

Segundo os investigadores, a droga saía do laboratório e era encaminhada aos traficantes da região, responsáveis pela distribuição nos estados. A venda dos comprimidos era feita por meio de aplicativos e em grupos criados nas redes sociais.

Os interessados, então, faziam um depósito bancário e a substância era enviada pelos Correios. Em seguida, a droga era revendida em festas.

Morte de jovem

As investigações começaram em junho deste ano, a partir da morte de Ana Carolina Lessa, de 19 anos. A jovem morreu depois de participar de uma festa rave em Brasília.

O laudo pericial constatou a presença de uma substância semelhante ao ecstasy, mas muito mais potente. Desde então, 12 traficantes foram presos.

O crescimento do comércio de drogas sintéticas preocupa as autoridades. De janeiro a outubro de 2018, a Polícia Civil apreendeu 1.648 comprimidos de ecstasy – 108 a mais que no mesmo período do ano passado.

“É uma fabricação absolutamente rude, artesanal. Então, ali os comprimidos são miligramas. Um erro na manipulação daquilo é fatal para o ser humano”, disse o delegado Luiz Henrique Sampaio, chefe da Coordenação de Repressão às Drogas.

G1-DF

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Em troca de emails, comando da PM de SC descarta enviar aeronave a Natal para translado de PM que sobreviveu a atentado

por Dinarte Assunção

Crédito: OCP News

O Comando da Polícia Militar de Santa Catarina descartou o uso de aeronave daquele Estado para o translado do sargento Marcos Paulo da Cruz, internado no Hospital da PM, em Natal.

Ele se recupera de cirurgia após ter sobrevivido a atentado em 26 de março, no evento que resultou na morte de sua esposa, a também militar Caroline Pletsch. O casal estava de férias em Natal.

Em troca de emails enviada obtida pela reportagem através do Centro de Comunicação Social da PMSC, a situação indicada para Marcos Paulo é de que ele deve esperar para poder embarcar em voo doméstico.

Como ele foi submetido a cirurgia para drenagem no pulmão, um voo, com natural diferença de pressão atmosférica, poderia significar complicações. O recomendado seria um voo em aeronave com características de pressurização própria, além de UTI e acompanhamento médico ao longo do trajeto.

Na troca de emails, as autoridades catarinenses ressaltam que o quadro do policial poderia se agravar em um voo de mais de 12 horas, na aeronave do Estado, com três paradas para abastecer.

“Apesar de ser um vôo realizado em baixa altitude, a diferença de pressão atmosférica traz algum risco para um paciente que apresentou um quadro de hemopneumotórax recente”, destaca um dos emails.

Na mensagem mais recente, datada dessa terça-feira (11), o coronel Roberto Vidal Fonseca, da Diretoria de Saúde e Promoção Social da PMSC, se reporta ao Comando-Geral propondo que Marcos Paulo permaneça em Natal por mais alguns dias.

No texto, é explicado que faltam 10 dias para Marcos Paulo cumprir os requisitos da ANAC para embarcar em um voo doméstico. Outra mensagem ainda destaca que, sendo esse o posicionamento da corporação, no entanto, nada impede que a família, por iniciativa própria, faça o translado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Avião de pequeno porte cai em Santa Catarina

Por interino

Um avião caiu na manhã desta quinta-feira (23) na cidade de Garuva, no norte de Santa Catarina. O acidente foi em uma região de montanha. Até o momento, não há informações oficiais sobre o porte da aeronave, a tripulação e os passageiros. O Corpo de Bombeiros informou ao R7 que tudo indica que se trata de um avião agrícola que já teria sido localizado pelo helicóptero da corporação.

R7

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Sesap consegue habilitação de 19 leitos no Hospital Santa Catarina

Portaria do Ministério da Saúde, com data de 15 de outubro, habilitou 19 leitos de UCI (Unidade de Cuidados Intermediários de Neonatal), no Hospital José Pedro Bezerra (Santa Catarina), na zona norte de Natal, sendo 7 do tipo canguru e 12 neonatal. A habilitação gerou um montante de custeio para o Estado de R$ 591.300 por ano que será transferido do Fundo Nacional de Saúde para o Fundo Estadual de Saúde do RN.

Os recursos cobrem despesas com profissionais, medicamentos, insumos, dentre outras, garantindo definitivamente a continuidade do leito. Antes o custeio desses leitos ora habilitados era feito pelo próprio Estado, que agora vai poder destinar seus recursos para outras unidades.

O leito de UCI é considerado um leito de suporte por estar dentro da área estruturante da UTI. Destinada a pacientes com menor gravidade, porém precisando de cuidados contínuos, a UCI Neonatal é uma unidade semi-intensiva, destinada aos recém-nascidos com risco médio de complicações, enquanto a Unidade Canguru permitirá acolher a mãe e o filho, promovendo o contato pele a pele entre os dois (através do método canguru), com objetivo de aproximar, reforçar os laços de carinho, de cuidado, repouso e de permanência no mesmo ambiente até a alta hospitalar.

Como o Hospital Santa Catarina é referência para urgência, emergência materno-infantil, além de gestação de alto risco, essa habilitação faz parte do Programa da Rede Cegonha ao qual está inserido, bem como também do Programa da Sesap de gestão e habilitação de leitos de UTI e UCI. A condução das habilitações de leitos de alta complexidade é feita pela Coordenação de Planejamento da Sesap que, atualmente, registra um quantitativo expressivo de leitos de UTI que já foram habilitados.

Opinião dos leitores

  1. E O JULGAMENTO DOS ABUSOS ELEITORAIS NAS ELEIÇÕES NA CIDADE DE Mossoró…
    E a tal SINDICÂNCIA para apurar o caso dos plantões da Irmã da Governadora?
    E a apuração dos plantões pagos indevidamente, gratificações, diárias e desvios de funções na Saúde do Estado…
    O SILÊNCIO É ENSURDECEDOR!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Sesap esclarece manutenção de UTI do Hospital Santa Catarina

 A manutenção da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Dr. José Pedro Bezerra (Hospital Santa Catarina), apesar do remanejamento dos três cardiologistas do hospital para a UTI Cardiológica do Hospital Walfredo Gurgel, foi possível devido à proposição dos médicos daquela unidade em assumirem maior quantidade de plantões, somada à possibilidade de contratação, pela Sesap, de médicos por meio de cooperativa.

Com a conclusão da nova Unidade de Terapia Intensiva, prevista para os próximos 45 dias, o Hospital Santa Catarina passará a contar com 10 leitos de UTI; A Sesap comunica ainda que estará monitorando as escalas médicas a fim de garantir o pleno funcionamento da UTI.

Opinião dos leitores

  1. Quem são os médicos que atendem na UTI cardiológica, se houve remanejamentos e quem é o chefe da UTI cardiológica.?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Pressão dos servidores e médicos consegue suspender fechamento da UTI do Santa Catarina

Nesta quinta, o secretário estadual de Saúde, Luiz Roberto Fonseca, esteve no Hospital Santa Catarina e reuniu-se com os profissionais de saúde, por mais de uma hora. Na reunião, enfermeiros, técnicos e médicos protestaram contra o fechamento da UTI e a transferência de pacientes e servidores.

O secretário anunciou a suspensão da medida, para que se busque uma solução. A Sesap ficou de publicar amanhã a revogação da portaria. Uma comissão de servidores e do Sindsaúde irá discutir uma proposta para que se mantenha a UTI, a ser apresentada na segunda-feira, pela manhã, quando o secretário retorna ao hospital, para uma nova reunião.

“A suspensão foi uma vitória, mas não garante que a UTI não seja fechada e muito menos a ampliação do atendimento e as melhorias que o hospital precisa. O Sindsaúde irá continuar mobilizando e colhendo assinaturas contra o fechamento da UTI do Santa Catarina”, afirmou Simone Dutra, coordenadora-geral do Sindsaúde e enfermeira no hospital.

Na manhã de hoje, foi feito um ato público e cerca de 200 assinaturas foram recolhidas entre os usuários do hospital. O Sindsaúde também criou um abaixo-assinado na internet.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Sesap explica remanejamento de UTI do Santa Catarina para hospitais Ruy Pereira e WG

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) do Estado do Rio Grande do Norte informa que:

1. Com o objetivo de otimizar seus recursos humanos e infraestrutura hospitalar, e de modo a ampliar e assegurar uma melhor assistência à população, a Sesap está transferindo para o Hospital Ruy Pereira os três leitos de UTI Adulto que estavam instalados no Hospital Santa Catarina.

2. A transferência concomitante dos profissionais de enfermagem vai permitir a abertura de mais três leitos de UTI Adulto no Hospital Ruy Pereira, além dos três leitos transferidos do Hospital Santa Catarina, totalizando, assim, seis leitos de UTI Adulto.

3. Três cardiologistas que estavam na escala da UTI do Hospital Santa Catarina estão sendo temporariamente transferidos para a UTI Cardiológica do Hospital Walfredo Gurgel, o que vai assegurar a continuidade desse serviço.

Opinião dos leitores

  1. Como sempre fala,fala,fala,fala e tudo fica na mesma.Este governo é realmente de outro mundo,se existir!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Sesap fecha a UTI do Santa Catarina e transfere servidores‏

Na manhã de hoje, 32 servidores da Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital Santa Catarina foram comunicados que a UTI será fechada e que, a partir de amanhã, deverão cumprir escala em outros hospitais. A mudança atinge 9 médicos (sendo 3 cardiologistas) e 6 enfermeiros passam a cumprir escala no Walfredo Gurgel; 17 técnicos de enfermagem passam a cumprir escala no Ruy Pereira.

De acordo com os servidores, o secretário-adjunto Marcelo Bessa ligou para o hospital e comunicou a uma enfermeira da UTI que os 3 pacientes que ocupam leitos na UTI neste momento serão removidos e que a equipe passa a cumprir a escala de plantão no Hospital Walfredo Gurgel e no Ruy Pereira.

Para Simone Dutra, Coordenadora-Geral do Sindsaúde-RN, esta prática é conhecida: “O perfil desta Secretaria é esse, fecha um serviço para abrir outro. O que vai acontecer é que estes servidores serão remanejados para outros hospitais para cobrir a falta de profissionais e a UTI do Santa Catarina ficará fechada por muito mais tempo do que o necessário”, afirma Simone.

Os servidores no local estão inconformados. “Como é que eles transferem mais de 30 funcionários assim, sem nenhum aviso, nenhuma conversa? A gente tem que organizar a vida, tem gente que mora longe, vai ter problemas de transporte, tem compromissos de horários com outras coisas. É muita falta de respeito!”, desabafa uma funcionária da UTI que não quis se identificar. De acordo com os servidores, o secretário-adjunto informou que a previsão é que a UTI fique fechada por, pelo menos 60 dias.

A coordenadora-geral do Sindsaúde, Simone Dutra, conseguiu agendar uma reunião com a Sesap e o secretário-adjunto Marcelo Bessa deve chegar ao Hospital Santa Catarina em breve para se reunir com servidores e sindicato.

O fechamento da UTI ocorre na véspera do início da greve dos servidores da saúde, marcada para esta quinta, 1º de agosto, em todo o estado.

Opinião dos leitores

  1. Nem na ditadura se viu tamanha violência contra servidor publico,em geral.Pelo telefone,peraí,isso não existe.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Pronto-socorro do Santa Catarina funciona em situação precária

O Sinmed visitou hoje (9) o pronto-socorro infantil do hospital Santa Catarina para verificar a denúncia de falta de condições de trabalho dos profissionais que atuam na unidade.

Foi constatado que existe apenas um plantonista por turno quando deveria existir três, o que inviabiliza o atendimento adequado aos pacientes. De acordo com a plantonista da manhã que trabalha no hospital há 16 anos, Dra Hígia Macêdo, a falta de médicos para cobrir a escala é um problema que se estende há muito tempo. “Imploramos uma providência da Sesap há mais de um ano. Já notificamos, solicitamos e aguardamos que seja solucionado”, declara.

O pronto-socorro do hospital Santa Catarina – o único no município que pode realizar a internação do paciente – atende em média 8000 crianças por mês, entre primeiro atendimento e retorno. Hoje são apenas 19 médicos para cobrir a escala e, mesmo assim, alguns destes estão doentes, afastados do trabalho por atestado médico.

Além do grave problema da falta de profissionais para atender a demanda do hospital, foram relatados ainda falta de material de insumo, medicamentos, pessoal de apoio e estrutura física precária.

A sala de repouso dos médicos tem mofo por todas as paredes. O estado é precário. A televisão, o sofá e a geladeira foram colocados lá pelos próprios profissionais, pois o hospital não oferece condições mínimas para o descanso do médico.

A sala de raio-x está desativada há dois anos, o que obriga os pacientes a se deslocarem até o hospital Maria Alice para realizar o procedimento. “As pacientes tem que realizar um verdadeiro tour para completar o atendimento”, relata a Dra Hígia Macêdo.

Foi o que aconteceu com a dona de casa Claudete Gomes, que mora no município de Extremoz e trouxe sua filha de apenas 2 anos de idade para o hospital Santa Catarina. A garota precisou fazer o raio-x no Maria Alice, porém a mãe aguardou por 3h a ambulância que não veio. Percebendo a gravidade do problema Claudete teve que pagar um táxi para ir realizar o exame da filha e depois retornar para o Santa Catarina. “Esse dinheiro vai me fazer falta. Ajudaria na feira do mês e até mesmo para comprar as 10 injeções que minha filha tem que tomar e está em falta no hospital”, lamenta.

Dulcicleide Teixeira, que reside em Maracajaú, também passou pelo mesmo problema no mês passado com sua filha que apresentava cansaço e febre. Ela esperou por 48h a ambulância que, como de costume, não apareceu. Cansada de esperar, também teve que pagar um táxi para realizar o exame.

A vinda destes pacientes dos municípios da grande Natal e do interir é outro fato apontado pelos médicos como motivo da superlotação do pronto-socorro. Alguns destes pacientes necessitam de atendimento ambulatorial, mas em muitos municípios o atendimento médico é inexistente, o que obriga a população a se aglomerar nos hospitais da capital.

O Sinmed registrou ainda que vários medicamentos estão faltando na farmácia, inclusive plasil e dipirona, remédios básicos para que o pronto-socorro funcione. Além disso, foram flagradas crianças deitadas em leitos sem lençol, com risco de contaminação, um total descaso com a população.

Coletiva de imprensa

O Sinmed fará amanhã, 10/7, às 10h, uma coletiva de imprensa para tratar da interdição trabalhista que acontece nas unidades de saúde do estado a partir desta semana.

A coletiva será no auditório do Sinmed, que fica localizado na Rua Apodi, 244, Cidade Alta (próximo a Unimed).

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima

Vento causa sensação térmica de -21 graus em Santa Catarina

Urupema, em Santa Catarina, registrou -8,4 graus(Vani Boza/Agência RBS)

A região Sul do país voltou a registrar temperaturas muito abaixo de zero na madrugada desta sexta-feira, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e o Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Ciram).

Em Santa Catarina, o ar frio e seco de origem polar no Sul do Brasil causou frio ainda mais intenso, com o registro de geada de intensidade moderada a forte em boa parte do estado. Em Bom Jardim da Serra, no Planalto Sul, a temperatura de -9,2 graus, com o vento de intensidade fraca a moderada (20km/h), causou sensação térmica de -21 graus.

Na cidade de Urupema, também no Planalto Sul, os termômetros registraram a marca de -8,4 graus. Em São Joaquim, a mínima chegou a -3,7 graus e, no Morro da Igreja, a temperatura foi de 1,6 grau, segundo o Inmet.

Rio Grande do Sul – Das 34 estações meteorológicas do Inmet no Rio Grande do Sul, 18 tiveram temperaturas negativas até as 5h, segundo o órgão. Em Quaraí, os termômetros registraram -6,3 graus. Já a capital, Porto Alegre, teve a marca de 1,3 grau.

As medições da Somar Meteorologia registraram temperaturas ainda mais baixas. Em Urupema, a mínima foi de -8,1 graus e a sensação térmica foi de -15 graus. Em Quaraí, a mínima foi de -5,2 graus às 5h. Em Vacaria, os termômetros marcaram -4,0 graus e sensação foi de -14 graus. No Paraná, a cidade de Foz do Iguaçu registrou -1,3 grau e, em Curitiba, a mínima chegou a 6,6 graus.

(Com Agência Estado)

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Hospital Santa Catarina não tem um aparelho de Raio X funcionando

Né mole não…… Um hospital da dimensão do Santa Catarina não ter um raio x funcionando é a falência confirmada da saúde do RN. Acompanho a boa vontade e a dedicação do secretario Domício Arruda, mas infelizmente não está sendo suficiente. Segue reportagem da Tribuna do Norte:

O Hospital Santa Catarina, o segundo maior hospital público de Natal e um dos mais importantes do Estado, está sem oferecer um dos exames básicos: o Raio X. A ausência do aparelho foi o motivo alegado para a falta de atendimento ao paciente Carlos Gilberto de Sousa, na tarde de ontem. A família de Carlos Gilberto estava na porta do Hospital Santa Catarina com o paciente em uma ambulância, sem saber qual seria, a partir dali, seu destino. Carlos Gilberto não demostrava condições de falar com a reportagem.

Júnior SantosCarlos Gilberto só foi atendido no início da noite de ontem

Enrolado em um lençol, Carlos Gilberto (61) fazia ali mesmo um lanche improvisado pelo irmão: uma coxinha e água. A peregrinação do paciente por uma vaga hospitalar é longa. Ele realizou tratamento no hospital Dr. João Machado e no dia 21 de dezembro foi encaminhado para o Hospital dos Pescadores para tratar uma pneumonia. Após sete dias, o paciente foi direcionado novamente para o Hospital João Machado. Após a alta do Hospital dos Pescadores, o paciente não foi recebido no João Machado e foi encaminhado para o Santa Catarina.

“Agora estou com meu irmão aqui fora, sem saber onde será atendido realmente. Pelo estado dele, não dá para ele ir para casa”, lamentava o irmão, Carlos Roberto de Sousa. Quando retornou ao João Machado, por volta de 15h de ontem, o paciente recebeu um copo de leite e quatro bolachas salgadas e ficou aguardando atendimento do plantonista que avaliaria a necessidade de internação para Carlos Gilberto. Às 18h30 o paciente , enfim, foi atendido e novamente internado no João Machado.

RECLAMAÇÃO

A reclamação do lado de fora do Hospital Santa Catarina não era apenas da família de Carlos Gilberto. Alrenice do Carmo Alves, moradora da Redinha chegou na unidade às 13h e somente 16h soube que seu caso não receberia atendimento. Alrenice estava com um abscesso na coxa direita e precisa de um debridamento (remoção de tecido morto da ferida). “Não sei mais o que fazer. Liguei para o Hospital dos Pescadores e informaram que estavam em greve e aqui não consegui ser atendida”, reclamou a dona de casa.

Segundo informações de moradores, na manhã de ontem diversas gestantes retornavam do Hospital Santa Catarina por falta de vagas. Vizinho do hospital, Rogério Oliveira disse que há mais de dois meses não vê movimentação de profissionais na obra de reforma. “Essa parte inacabada deve servir de depósito agora. No último sábado (24) chegou uma caminhão de remédios e as caixas estão aí dentro”, informou enquanto apontava para o espaço que deveria estar funcionando como Pronto-Atendimento Adulto.

A reportagem não teve autorização para entrar no Hospital Santa Catarina na tarde de ontem. Segundo informações da assessoria da Sesap, a direção estava fora da unidade e por esse motivo não seria possível a entrada da reportagem. Por volta de 17h a TRIBUNA DO NORTE esteve no Hospital dos Pescadores, nas Rocas, responsável pelo atendimento de urgência e emergência de média complexidade. Os cartazes indicavam que a unidade estava em greve.

Segundo informações de funcionários do Hospital dos Pescadores, enfrentando greve da equipe de enfermagem, apenas 30% dos atendimentos estão sendo realizados. São priorizados casos de pressão alta, intoxicação, pressão alta e pacientes que chegam com o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU. Os outros casos não são atendidos.

Secretário explica problemas

De acordo com o Secretário Domício Arruda, a Sesap vai efetura em breve o pagamento de R$ 80 mil a empresa responsável pela obra de ampliação do Hospital Santa Catarina. “Todo o valor do contrato original já foi pago. Como a obra demorou mais de um ano para acabar, a empresa pediu realinhamento dos preços”.

Sobre o serviço de Raio X, a Sesap informou que o Santa Catarina dispõe apenas de um aparelho móvel de radiografia, que serve para atender os pacientes internados na unidade. Sobre o abastecimento do Hospital Santa Catarina o secretário informou que não há reclamação sobre falta de material hospitalar. “Como em janeiro os laboratórios entram em recesso, em dezembro realizamos compra de medicamentos para todo esse período”, disse.

Ao ser questionado sobre o conhecimento do caso do paciente Carlos Gilberto, Domício Arruda informou que já tinha conhecimento e informou que a Sesap possui 130 leitos no Hospital João Machado, referencia em atendimento de psiquiatria. “Esse paciente já esteve internado por 30 dias no João Machado”, informou. De acordo com Domício,  A Sesap, segue orientações do Ministério da Saúde, que prevê o fim de internações de psiquiatria.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *