Força-tarefa da Lava Jato no Paraná ‘deixa de existir’, e procuradores passam a integrar o Gaeco, diz MPF

 Foto: Reprodução/TV Globo

A força-tarefa da Lava Jato no Paraná ‘deixou de existir’ desde segunda-feira (1º), de acordo com o Ministério Público Federal informou nesta quarta-feira (3).

A mudança acontece após a publicação de uma portaria da Procuradoria-Geral da República em dezembro de 2020, que estendia as atividades da força-tarefa no Paraná até outubro de 2021, mas com uma nova estrutura.

De acordo com o MPF, cinco dos 15 integrantes da força-tarefa passaram a integrar o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e darão continuidade aos trabalhos da operação.

Outros dez membros que compunham a força-tarefa permanecem designados para atuação em casos específicos ou de forma eventual até 1º de outubro de 2021, segundo o MPF, mas sem integrar o Gaeco e sem dedicação exclusiva ao caso.

Segundo o MPF, os procuradores que passam a integrar o Gaeco são:

Alessandro José Fernandes de Oliveira

Laura Gonçalves Tessler

Lucas Bertinato Maron

Luciana de Miguel Cardoso Bogo

Roberson Henrique Pozzobon

Os demais procuradores continuarão com contribuições eventuais, específicas ou acumularão suas funções nas investigações com o ofício de origem:

Alexandre Jabur

Antônio Augusto Teixeira Diniz

Athayde Ribeiro Costa

Felipe D’Elia Camargo

Filipe Andrios Brasil Siviero

Joel Bogo

Leonardo Gonçaslves Juzinksas

Paulo Henrique Cardozo

Paulo Roberto Galvão de Carvalho

Ramiro Rockenbach da Silva Matos Teixeira de Almeida

Lava Jato no Paraná

A Operação Lava Jato começou em 2014. Ao todo, até o momento, foram 79 fases. De acordo com o MPF, foram apresentadas 130 denúncias contra 533 acusados, e 174 pessoas foram condenadas pela Justiça.

De acordo com o MPF, mais de R$ 4,3 bilhões foram devolvidos aos cofres públicos.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Oswaldo disse:

    Anotem, já já Lula sai absolvido e nos braços da galera, inclusive de Bolsonaro, e vai viver na história como um injustiçado de um MP inquisitor! Infeliz do homem, eu me incluo, que votou em Bolsonaro achando que ele sereia o diferente!

  2. FAL$OS ME$$IAS disse:

    Ufa! Ainda bem. Já estava começando a ficar arriscado para os meus ídolos.

  3. Anderson disse:

    Acertaram com o supremo e com tudo, como disse Jucá

  4. Calígola disse:

    Se gritar pega centrão…

  5. Carla disse:

    Quem diria, que o Bolsonaro acabaria com a Lava Jato !
    Traidor !!!

    • Silvio. disse:

      A polícia Federal está nas ruas.
      Ontem e hoje.
      Leia o Blog, deixe de mimimi, vcs perderam tá??

  6. Jeremias disse:

    Grande obra do presidente que prometeu, para se eleger, apoiar o combate à corrupção. Será lembrado sempre por isso, a história é implacável.

    • Paulo disse:

      Falou o eleitor de Lula, que fala mal da lavajato e de Sérgio Moro…
      Esquerdista é cara de pau mesmo…

  7. Antonio Turci disse:

    Sei que parece impossível, mas arrisco dizer também: volta SÉRGIO MORO. Todo cidadão de bem reconhece os méritos do Grande Juiz Paranaense.

  8. Fernando disse:

    Nesse país o que avança mesmo é a impunidade e a corrupção, volta Sérgio Moro. Pior que o centrão chegou com sangue nos zói, a saudade dos tempos de luladrão era demais.

Governo confirma toque de recolher no Paraná para segurar aglomerações e alta da Covid

Foto: Isabella Mayer / SMCS

O Governo do Paraná anunciou a implementação de toque de recolher, provavelmente entre as 23h e as 5h, ainda nesta semana, para tentar frear a rápida expansão do coronavírus no estado, atribuída, em grande parte, à aglomeração de jovens em bares e eventos noturnos.

Em nota à imprensa, o governo informou que serão anunciados “dois novos instrumentos jurídicos para ajudar a conter a alta disseminação do vírus verificada nos últimos dias”. Uma das medidas envolve o toque de recolher, ou seja, a proibição de circulação de pessoas no período noturno. Restam dúvidas ainda sobre o horário da restrição: se entre 22h e 5h ou entre 23h e 5h. A outra medida será a recomendação da retomada das atividades de trabalho remoto de servidores estaduais, semelhante à resolução anteriormente publicada pela Secretaria de Saúde.

As normativas deverão ser publicadas até a quarta-feira (2). Beto Preto, secretário de saúde do Paraná, havia alertado para a possibilidade do toque de recolher na manhã desta terça-feira. “Queremos diminuir o fluxo de pessoas, para que elas fiquem em casa. É difícil, mas queremos fazer uma estratégia ampla sem atingir a atividade comercial”, ressaltou. O secretário ressaltou a importância de a população cuidar com as festas de final de ano. “Estamos com 500 casos de surtos ativos de coronavírus no Paraná. Surtos familiares, surtos em empresas. Ou seja, o vírus está em transmissão comunitária. É preciso conscientização pública”, alertou.

Gazeta do Povo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Naldinho disse:

    Se esse toque de recolher fosse aqui no RN (e não tá longe de acontecer), o gado estaria metendo o pau na governadora. A vida não tem preço mas a ignorância tem. Preferem policiarem do que estudos acadêmicos. Mistura-se política com tudo e a população é a mais prejudicada.

  2. Antônio Soares disse:

    Aqui em Candelária os barzinho ficam lotados, todo mundo sem máscara, uma zona só. Não adianta uma parte tentar se proteger, com um punhado de irresponsáveis desses. Todos dois em plena Prudente de Morais, zumbí e ao lado da Bonfim.

    • Maria disse:

      E isso já faz mais de 2 meses… porém, os números do COVID não dispararam… como explicar?

Delegado-geral de SP diz que PM do Paraná se confundiu e que Paulo Cupertino não foi preso

Fotos mostram Paulo Cupertino, acusado de assassinar ator em SP e foragido há mais de 1 ano — Foto: Reprodução

O delegado-geral de Polícia de São Paulo, Ruy Ferraz Fontes, disse que a Polícia Militar do Paraná irá anunciar que se confundiu e que Paulo Cupertino, assassino do ator Rafael Miguel e dos pais dele, não foi preso no norte paranaense.

O próprio Fontes havia divulgado mais cedo que o assassino havia sido preso.

(CORREÇÃO: com base na informação da polícia de São Paulo, o G1 chegou a noticiar a prisão de Paulo Cupertino. Essa notícia foi chamada com destaque no G1 e nas redes sociais do G1, e também repercutido por este blog e demais veículos da imprensa nacional. E foi enviado um alerta por celular. Pelo erro, pedimos desculpas.)

Na segunda-feira (26), a Polícia Civil descobriu que Cupertino fez uma identidade com uma certidão de nascimento falsa em Jataizinho, no norte do Paraná.

Ele estava usando nome falso de “Manoel Machado da Silva” como um disfarce para se esconder. No dia que fez o pedido de nova identidade, o acusado usou um endereço de Ibiporã, cidade que fica a 8 quilômetros de distância de Jataizinho.

Além do nome falso, a certidão também constava nomes diferentes dos pais dele e teria como origem a comarca de Rio Brilhante, que fica em Mato Grosso do Sul. Os dois documentos foram cancelados.

O crime

O crime aconteceu em junho de 2019, na Zona Sul de São Paulo. Paulo Cupertino é acusado de atirar 13 vezes em Rafael Miguel e em seus pais, o casal João Alcisio Miguel, de 52 anos, e Miriam Selma Miguel, de 50. Ele não aceitava o relacionamento da filha com Rafael Miguel.

Em 19 de junho de 2020, a Justiça converteu o mandado de prisão temporária dele em preventiva. Desde julho deste ano, Paulo Cupertino estava na lista dos criminosos mais procurados pela polícia de SP.

Identificação

Em agosto deste ano, o Instituto de Identificação paranaense recebeu a informação da Polícia Civil de São Paulo que o acusado poderia ter feito uma identidade em algum estado vizinho.

Assim que as digitais foram enviadas de São Paulo para o Paraná, o Instituto fez uma análise e encontrou a identidade falsa.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Francisco Nunes de Araújo disse:

    Ainda bem que não mataram o sujeito,Já pensou um inocente morto no lugar desse monstro?

  2. Ricardo disse:

    Parece aquele ator….num sei o que Nero.

Informação de prisão de assassino do ator Rafael Miguel, Paulo Cupertino no Paraná foi engano, corrige polícia

Foto: Divulgação/Reprodução

A informação que a polícia do Paraná prendeu, nesta quarta-feira (28), Paulo Cupertino, que assassinou com 13 tiros o ator Rafael Miguel e os pais do rapaz no dia 9 de junho de 2019, foi engano.

VALE ESSA: Delegado-geral de SP diz que PM do Paraná se confundiu e que Paulo Cupertino não foi preso

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. César Augusto de Oliveira Paiva disse:

    Tomara que esse assasino frio e calculista aprodeça na cadeia e pague os bárbaros crimes que cometeu conta a vida de 3 pessoas que foram abatidas sem nenhuma chance de defesa.

  2. Jk disse:

    Agora vai tomar no Cupertino!

  3. Tom França disse:

    Que pague por todos os crimes e pelos dias em que ficou foragido!

Fachin bloqueia R$ 1,1 milhão de Collor em investigação de irregularidades em licença de porto no Paraná

Foto: Reprodução/TV Globo

A TV Globo teve acesso à decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), que autorizou nesta quarta-feira (21) a operação Quinto Alto da Polícia Federal, que cumpriu um mandado de busca e apreensão em um endereço ligado ao senador Fernando Collor (PROS-AL), em São Paulo.

A operação investiga um esquema de pagamento de propina para a liberação de licenças ambientais no Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), no Paraná. As irregularidades teriam ocorrido em 2014 e 2015.

Fachin determinou o bloqueio e sequestro de R$ 1,1 milhão das contas de Collor e dos demais envolvidos nas irregularidades apuradas.

Na investigação, a Polícia Federal apontou suposta ingerência política do senador Fernando Collor de Melo junto ao Ibama para atender interesses do empresário João Carlos Ribeiro na instalação do Porto Pontal do Paraná.

Segundo a PF, em contrapartida, Collor receberia o pagamento de vantagens indevidas. João Carlos Ribeiro (PSC) é dono do porto e candidato a prefeito em Pontal do Paraná.

Com dados do Coaf, os investigadores identificaram uma transferência bancária de R$ 1,1 milhão feita pelo empresário ao escritório de advocacia Spengler & Padilha, para advogado Luiz Alberto Spengler, que fez “sucessivas transferências em prol do Senador Fernando Collor”.

De acordo com a investigação, o valor teve como destinatário o então senador Ataídes de Oliveira e se referia ao pagamento de uma aeronave adquirida por Collor.

Segundo a PF, uma das licenças emitidas pelo Ibama para o Porto Pontal Paraná foi concedida três dias antes do repasse de mais de R$ 1 milhão.

A operação desta quarta é um desdobramento da Operação Politeia, deflagrada em 2015, no âmbito da Lava Jato, quando carros de luxo do senador Collor foram apreendidos.

Ouvido por investigadores, o presidente do Ibama à época da assinatura da licença de instalação do Porto Pontal, Volney Zanardi Júnior, declarou que Collor atuou em favor do empresário João Carlos Ribeiro para a emissão da licença almejada.

Ao autorizar a operação, Fachin afirmou que “o cenário descrito, sem dúvida, justifica a ação invasiva de busca da melhor prova dessas condutas ilícitas, que poderão ser obtidas em elementos adicionais como documentos, aparelhos celulares, arquivos de mídia, dentre outros, valendo aludir que, como esta parte da investigação é desconhecida pelos aqui requeridos, confirmada está a urgência da medida extrema”.

Em uma rede social, Collor fez a seguinte afirmação nesta quarta-feira: “Fui surpreendido hoje com este ato inusitado. Fizeram busca e nada apreenderam, até porque não tinha o que ser apreendido. Vou tentar apurar a razão deste fato de que fui vítima. Nada tenho a temer. Minha consciência está tranquila”.

A TV Globo procurou o empresário João Carlos Ribeiro, o advogado Luiz Aberto Spengler, e o ex-senador Ataídes de Oliveira para comentarem a operação, mas não recebeu resposta até a última atualização desta reportagem.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. disse:

    Gilmar já já anula tudo.

  2. nasto disse:

    Em um futuro próximo serão eleitos : Henrique, Agripino, Garibaldi, Color, Lindemberg Faria, ex governador Robinson Farias, Gleissi Holfmam um monte de Cabra de peia espalhado pelo Brasil, Jadel Vieira, Os Gomes do Ceará, o povo gosta da sacanagem.

  3. ELEITOR disse:

    Parodiando o hino do Flamengo;uma vez corrupto sempre corrupto , sempre corrupto há de ser …

  4. Pedro disse:

    Talvez realmente não vá dar em nada, mais todos nós sabemos quem é, por sinal, não tem credibilidade nenhuma, é um morto vivo, infelizmente senador e amigo do meliante do PT.

  5. Escritor disse:

    Vai dar em nada. Se bobear se canditada a deputado. Igual fez senador aecio. E pasmem. Se elege.

Força-tarefa da Lava Jato no Paraná diz que fala de Bolsonaro indica ‘desconhecimento’

Foto: MATEUS BONOMI/AGIF – AGÊNCIA DE FOTOGRAFIA/ESTADÃO CONTEÚDO

Os integrantes da força-tarefa da Lava Jato no Paraná afirmaram que o discurso do presidente da República Jair Bolsonaro sobre ter acabado operação indica “desconhecimento sobre a atualidade dos trabalhos e a necessidade de sua continuidade”.

Os procuradores da República também disseram que a fala de Bolsonaro “reforça a percepção sobre a ausência de efetivo comprometimento com o fortalecimento dos mecanismos de combate à corrupção”.

A força-tarefa se manifestou nesta quinta-feira (8) por meio de uma nota envidada pelo Ministério Público Federal (MPF).

Na quarta (7),Bolsonaro afirmou , durante pronunciamento no Palácio do Planalto, que “acabou” com a Lava Jato porque, no governo atual, não há corrupção a ser investigada.

No mesmo dia, havia sido deflagrada a 76ª fase da Operação Lava Jato. A ação mirou um esquema que movimentou R$ 45 milhões em propina e investigou crimes de corrupção passiva, organização criminosa e de lavagem de dinheiro na área comercial da Petrobras.

‘Corrupção endêmica’

Na nota, os procuradores da força-tarefa ressaltaram que a Lava Jato é uma ação conjunta de várias instituições no combate à “corrupção endêmica”.

Disseram ainda que as últimas fases da operação demonstram como ela é “essencialmente necessária”.

De acordo com os procuradores, o apoio da sociedade à Lava Jato e a “adesão efetiva e coerente” de todos os poderes da República são fundamentais para que o esforço destinada à operação continue e tenha êxito.

Os procuradores reforçaram o compromisso na busca da promoção da Justiça e da defesa da coisa pública – “apesar de forças poderosas em sentido contrário”.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tarcísio Eimar disse:

    Cuidado não PR JB, pra não terminar nos seus filhos, ou quem sabe até no senhor, afinal são políticos de carteirinha

  2. João Batista ZN disse:

    Alguém aki sabe o que significa Ironia..??

  3. OPERAÇÃO LAVA RACHA disse:

    A nova força tarefa vai ser da nova operação LAVA RACHA. KKKK.

  4. Antonio Turci disse:

    Discordo do Presidente. Está muito cedo para dizer que não há corrupção no governo, até porque tem os estados e os municípios onde se royba muito. A LAVA JATO precisa continuar e ser, cada vez mais, FORTALECIDA

  5. Rodrigo disse:

    O presidente só disse o óbvio, que a lava jato iniciou por causa de casos de corrupção nos governos anteriores e que não apareceu nenhum escândalo do tipo no governo dele, mas o povo do analfabetismo funcional escuta uma coisa e entende outra.

    • Biro biro Fake disse:

      Hey Michelle, conta aqui pra nós A grana que entrou na sua conta é do Queiroz?

      Hey Michelle 7,5 Milhões desviados para ong e rachadinha como a do Queiroz?

    • Samuel Uel disse:

      Muuuuuuuuuuu.
      O gado tá feliz por ter um petista no STF.
      Kkkkkkkk

      Bovinada patética

    • Devolva o Brasil para os Índios disse:

      Amigo, vc compra pano no metro ou no kilo?

  6. Manoel disse:

    O MINTOmaníaco só fala verdades talkei! Muuu

    • Joaquim disse:

      Você não sabe o que é real ou versão, muito menos o que é falso ou verdadeiro.
      Sua cegueira ideológica impede que faça qualquer distinção, só repete o que escuta da companheirada. Tá ruim? Vá para Argentina que se lança nos braços da igualdade social socialista/comunista, com fez a Venezuela e Cuba. Lá todos são iguais, na miséria!
      Viva a igualdade!

  7. Chico 100 disse:

    Quem ainda tem dúvidas de que é um asno? Kkkkkklk

  8. Devolva o Brasil para os Índios disse:

    Pessoal precisamos mandar retirar a tornozeleira do Queiroz, o presidente já decretou, ñ existe mais corrupção no seu governo, isso é uma injustiça, um desrespeito com um senhor de idade doente. Vamos fazer uma campanha, QUEIROZ LIVRE.

    • Augusto disse:

      Queremos também LULADRAO livre, e que todos os processos contra ele de BILHÕES de reais sejam apagados.

    • Devolva o Brasil para os Índios disse:

      Lula não, esse pode deixar preso. Nos queremos apenas o QUEIROZ LIVRE, sem o Queiroz com quem nosso presidente irá pescar, beber uma cervejinha, fazer um pequeno empréstimo, desabafa….

  9. Fernando disse:

    Moro não dá ponto sem nó, daqui a pouco chegam micheque, agora michong

Paraná diz que pedirá registro da vacina russa à Anvisa em 10 dias

Resultados preliminares das fases 1 e 2 dos testes da vacina russa foram publicados na revista The Lancet — Foto: Jornal Nacional

O governo do Paraná informou, nesta sexta-feira (4), que os testes da vacina russa para Covid-19 com voluntários devem começar em um mês.

Os testes da fase três da vacina, com 10 mil profissionais de saúde voluntários, serão realizados após a liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Segundo o governo estadual, o pedido de registro deve acontecer em 10 dias.

Um estudo com resultados preliminares da vacina foi publicado nesta sexta-feira na revista científica “The Lancet”, uma das mais importantes do mundo. De acordo com a publicação, a vacina não teve efeitos adversos e induziu resposta imune.

No Brasil, o governo do Paraná firmou uma parceria para desenvolver o imunizante.

O governo estadual informou que estes resultados já tinham sido compartilhados com o Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) no final de agosto, e que o protocolo do pedido está sendo elaborado.

A Anvisa é o órgão do governo que avalia os pedidos de registro e autorizações de estudos apresentados pelos laboratórios farmacêuticos que pretendem colocar no mercado brasileiro seus medicamentos e vacinas.

Resultados preliminares

Segundo os resultados publicados na revista “The Lancet”, referentes às fases 1 e 2, não houve efeitos adversos até 42 dias depois da imunização dos participantes, e todos desenvolveram anticorpos para o novo coronavírus (Sars-CoV-2) dentro de 21 dias.

A vacina russa foi testada em 76 pessoas. Todas receberam uma forma da vacina (veja detalhes das etapas dos testes mais abaixo), sem grupo controle.

Além disso, os resultados também sugerem que a vacina produz uma resposta das células T, um tipo de célula de defesa do corpo, dentro de 28 dias. As células T têm, entre outras funções, destruir células infectadas por um vírus.

As fases 1 e 2 dos testes de uma vacina buscam verificar a eficácia e a segurança delas, ainda com menos participantes que a fase 3. Normalmente, os testes de fase 1 têm dezenas de voluntários, os de fase 2, centenas, e os de fase 3, milhares.

Na fase 3, objetivo dos testes é verificar a eficácia em larga escala. As etapas costumam ser conduzidas separadamente, mas, no caso da pandemia, por causa da urgência dos resultados, várias vacinas têm sido testadas simultaneamente em mais de uma fase.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José de Siqueira costa disse:

    Quem quiser tomar as vacinas russa e chinesa que tomem, mais ninguém deve ser obrigado a tomar, foi isso que o estadista, o mito, único presidente no mundo que olhou para os mais necessitados e destinou o auxílio emergencial que evitou muitos passar fome, desde o início defendeu o uso da cloroquina que salvou milhares de pessoas. Obrigado Deus por ter colocado esse grande brasileiro na,direção deste país, que continue por muitos e muitos anos

  2. Nordestino disse:

    Governo competente, correndo atraz para lutar com as armas que o mercado disponibiliza nessa luta contra o COVID . Parabéns pela iniciativa .

    • Manoel disse:

      Pois é. Enquanto isso temos um presidente desencorajando o povo se vacinar.

Declarações de filhos de Bolsonaro podem ser “estratégia”, diz governador do Paraná

Foto: Rodrigo Felix Leal

Em entrevista ao Estadão, o governador do Paraná, Ratinho Júnior, disse que as declarações mais controversas dos filhos de Jair Bolsonaro podem ser uma “estratégia”.

Ratinho Júnior foi perguntado sobre o que Eduardo Bolsonaro falou a respeito de um novo AI-5 no Brasil.

“Mais do que uma opinião, isso merece uma reflexão. Temos que ver se algumas declarações não são estratégicas no dia a dia deles. Isso não é uma estratégia?”, questionou.

E mais:

“Quem é a oposição ao Bolsonaro hoje? Fale um nome. O Lula preso sem poder ser candidato? Não tem oposição. Por quê? Eles têm pautado a imprensa. Mal ou bem, goste ou não, é isso que tem acontecido. Acho que muito é da personalidade, mas não sei se até certo ponto isso não é uma estratégia. Tem exageros de ambos os lados. Tem alguns momentos em que há exagero na base, mas às vezes também há exagero da imprensa de querer dar uma importância para uma declaração que não é tão importante.”

O Antagonista, com Estadão

 

Novo juiz da Lava Jato no Paraná comanda a primeira audiência da operação

Luiz Antônio Bonat deve conduzir as primeiras audiências como responsável pelos processos da Lava Jato em primeira instância — Foto: Nathan D’Ornelas/Divulgação

O juiz federal Luiz Antônio Bonat, que assumiu o comando dos processos da Lava Jato em 1ª instância, no Paraná, deve comandar a primeira audiência referente à operação na tarde desta quinta-feira (7).

Por videoconferência, a partir das 14h, ele deve ouvir testemunhas de acusação sobre a 56ª fase da Lava Jato, que apura superfaturamento na construção de uma sede da Petrobras em Salvador. O processo está em fase de audiências de instrução.

Réus

Quarenta e duas pessoas são rés nesta ação penal, respondendo por crimes como corrupção, lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta, desvios de recursos de instituição financeira e organização criminosa.

O ex-executivo da construtora OAS, José Aldemário Pinheiro Filho – conhecido como Léo Pinheiro –, o ex-presidente da Odebrecht Marcelo Odebrecht, o ex-tesoureiro do PT João Vacari Neto, o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque e o ex-executivo da OAS Agenor Franklin Magalhães Medeiros estão entre os réus. Eles, inclusive, já foram condenados em outros processos da Lava Jato.

O G1 tenta contato com as defesas dos réus citados na reportagem.

Testemunhas

Entre as testemunhas a serem ouvidas nesta quinta-feira, estão o doleiro Alberto Youssef, o empreiteiro Ricardo Pessoa e Fernando Migliaccio, ex-diretor da Odebrecht. Eles devem prestar depoimento em São Paulo ao juiz, que acompanhará em Curitiba.

Bonat

Bonat ocupa a vaga na 13ª Vara da Justiça Federal do Paraná, após a saída de Sérgio Moro, que assumiu o cargo de ministro da Justiça no governo de Jair Bolsonaro.

A juíza Gabriela Hardt, que estava comandando as ações penais da Lava Jato desde a saída de Moro, volta a ser substituta.

Torre Pituba

A 56ª fase da Lava Jato prendeu 19 pessoas, em novembro do ano passado. A operação foi deflagrada em São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Bahia. Os presos foram encaminhados à Curitiba.

O nome da sede da Petrobras, em Salvador, onde foram realizadas as obras investigadas, é Torre Pituba. As construtoras OAS e Odebrecht, investigadas também em outras fases da Lava Jato são as responsáveis pela construção do prédio.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), as duas empreiteiras distribuíram vantagens indevidas de, pelo menos, R$ 68.295.866.

Os valores representam quase 10% do valor da obra e, conforme o Ministério Público Federal, eram pagos indevidamente para agentes públicos da Petrobras, do PT e dirigentes da Petros.

Ainda conforme o MPF, o esquema de contratações fraudulentas e pagamentos de vantagens indevidas ocorreu entre 2009 a 2016.

G1

 

Ex-assessor de Ratinho Júnior é preso no Paraná; empresa da família é alvo de operação em Curitiba

Operação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) mira hoje um esquema de propina entre médicos e empresários para furar a fila do SUS no Paraná.

Em todo o estado, estão sendo cumpridos 44 mandados de busca e apreensão — incluindo na Assembleia Legislativa — e 12 de prisão temporária.

Lourival Aparecido Pavão, que foi assessor do governador eleito, Ratinho Júnior, quando este era deputado estadual, é um dos alvos de prisão.

Segundo as investigações, Pavão “parece ser um dos agentes mais envolvidos na intermediação e nos agendamentos preferenciais de consultas e cirurgias pelo SUS, mediante pagamento de quantias”.

Empresa da família de Ratinho é alvo de operação em Curitiba

A empresa Solumedi, em Curitiba, também foi alvo do Gaeco nesta manhã na operação que investiga esquema de propina entre médicos e empresários para furar a fila do SUS no Paraná.

A empresa que realiza agendamento para atendimentos médicos pertence à família do apresentador Ratinho, que já fez propaganda para ela.

O G1 registra que, de acordo com as investigações do Ministério Público, “foram colhidos indícios de que os suspeitos estavam profissionalizando as práticas investigadas por meio da Solumedi, que buscava facilitar o agendamento de consultas e procedimentos médicos no setor privado, que, depois, ao que tudo indica, eram realizados e custeados pelo SUS”.

Com informações de O Antagonista e G1

FOTO: Diretor presidente da Potigás visita empresa de bioenergia no Paraná

Foto: Divulgação

Em visita a CS BIOENERGIA S.A, empresa localizada no Paraná, o Diretor Presidente da Companhia Potiguar de Gás, Beto Santos, conheceu nesta quinta-feira, 18, o projeto pioneiro da prestadora de geração de energia a partir da biodigestão do resíduo resultante do tratamento de esgotos sanitários. A usina tem capacidade para fornecimento a duas mil unidades habitacionais com a geração de 2,8 megawatts de energia elétrica.

O projeto chamou a atenção do Diretor Presidente da Potigás, diante das obras do Governo do Estado para tornar Natal a primeira capital 100% saneada do Brasil, o que proporcionará a ampliação da matriz energética do Rio Grande do Norte. A operação no Paraná serve de exemplo para estimular a adoção da tecnologia em outros estados. “Estamos em busca de alternativas para ampliar a matriz energética do Rio Grande do Norte e diversificar os supridores do combustível para a Companhia Potiguar de Gás”, esclareceu Beto Santos, Diretor Presidente da Potigás.

VÍDEOS: Desembargador do TJ no Paraná joga entulho em terreno e dá voz de prisão a policial

Capturar-43-300x225Por interino

O desembargador Luís César de Paula Espíndola, do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ), tirou licença do cargo nessa quarta-feira (18) após uma confusão entre ele e moradores da Vila Domitila, entre o bairros Cabral e Ahú, em Curitiba, no último sábado. Por telefone, a assessoria de gabinete informou que a licença por “motivo de saúde na família” é válida por 20 dias.

O magistrado é acusado por moradores da região de ter agredido a dona de casa Ana Paula Bergmann, 43 anos, que reclamava do despejo de entulho em um terreno. Ao ver a agressão, o policial civil afastado Antonio Carlos Poleira sacou uma arma e deu voz de prisão ao desembargador.

Ana Paula afirma que o desembargador ignorou a revolta dos moradores. “Passou aquela caminhonete estranha aqui, com um caminhão de lixo. Eu vi aquilo e estranhei. Ele ia jogar o lixo na frente da casa do policial, um pouco pra frente da minha. O policial disse que ele não podia jogar lixo ali e ele (desembargador) disse ‘eu jogo onde eu quiser’. O vizinho me pediu pra filmar pra ele chamar o meio ambiente. Daí ele veio e me deu um murro. Quando eu estava no chão o assessor dele me puxou e deslocou meu dedinho”, conta.

“‘O senhor está preso’, ele dizia. ‘Eu sou o poder judiciário; vocês, seus favelados, um lixo a mais um a menos’. A gente se sente ameaçado pelo poder judiciário”, relata a moradora.

VÍDEOS EM TEXTO NA ÍNTEGRA AQUI

O advogado Heitor Fabreti Amante, que representa o policial, afirma que a reação de Polera foi imediata ao ver a mulher agredida. “O desembargador – que nessa hora ninguém sabia que era desembargador – deu um soco no rosto da mulher que ela rolou no mato. O marido dela pediu pro filho buscar uma pochete que tinha uma arma. Ele sacou a arma e deu voz de prisão ao desembargador. Aí ele (Espíndola) tirou uma carteira com uma identificação do TJ e disse que o marido dela estava preso”, conta.

Poleira teria pego a chave da caminhonete do desembargador para impedir que ele saísse dele do local. Com a chegada da PM, Espíndola exigiu que o policial civil fosse preso. A PM, então, acionou o Centro de Operações Policiais Especiais da Polícia Civil para encaminhar Antonio Carlos à delegacia. Segundo o advogado, a arma dele é numerada e estava regular. “Arma numerada, regular, com carga para ele”, diz.

Segundo o advogado, o desembargador e um assessor foram à delegacia no próprio carro e o policial foi levado de viatura. “O desembargador foi pelo carro dele. Na delegacia, cheguei logo depois, o desembargador queria que o delegado prendesse o policial por desacato. Depois ficou dizendo que ‘esse delegadinho de bosta vai me criar problema’; xingou todo mundo de lixo, tentou agredir outras pessoas”, afirma o advogado.

O delegado Hormínio de Paula Lima Neto, titular do 5º Distrito Policial, no bairro Bacacheri, instaurou inquérito para apurar o caso. Ninguém foi preso.

Por telefone, a assessoria de gabinete do desembargador não quis passar contato para entrevista e apenas informou que ele estava em licença por 20 dias.

Em um dos vídeos, o desembargador disse que ligou para a Central 156 da Prefeitura de Curitiba solicitando serviço de recolhimento de entulho. Em nota, a prefeitura informou que o Espíndola tem cadastro na Central 156, mas não consta nenhuma chamada recente com os três números de telefone que estão no cadastro. “A orientação para quem precisa fazer o descarte de mais de três carrinhos de resíduos vegetais é que procure uma empresa credenciada pela Prefeitura de Curitiba para a correta destinação dos resíduos,  sendo que o custo é pago pelo responsável pelo entulho. Outra opção é procurar uma das estações de sustentabilidade tipo 2, que recebem resíduos vegetais”, diz em nota.

http://paranaportal.uol.com.br/policial/desembargador-joga-entulho-em-terreno-e-da-voz-de-prisao-a-policial/?cmpid=tw-uolnot

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. elizete moreira disse:

    imagine temos deputados senadores governador presidente da republica envolvidos em bandidagem e um judiciario literalmente sujo porco de todas as maneiras tanto em asseio como na moral….onde vamos parar

  2. Val Lima disse:

    CNJ nesse semi-deus….
    Por falar nisso, em q pé ficou o "Caso Mercatto"??!!
    Alguém sabe algo a respeito??!!

  3. APOCALIPSE disse:

    ELE UM PORCO !!

  4. Idário Araújo disse:

    Sou louco para pegar um babaca desse, faria pior que o gordinho da mercato, quebraria a cara dele para ele entender que fora do gabinete, ele é uma pessoa igual a qualquer outra. Se acham acima de Deus esse povinho do judiciário! !!

  5. Vavá disse:

    Ganha auxílio-moradia, 30.000,00 sem fazer nada só assinado o que é feito pelos assessores. Vergonha.

  6. Charles disse:

    Se fosse comigo faria ele comer um kilo de entulhos.

  7. PT DA VIDA disse:

    Vai melhorar mais…

  8. Potyguar disse:

    É o velho e deplorável costume do " sabe com quem está falando ?" , típico de países colonizados e subdesenvolvidos.
    A sociedade não pode mais aceitar quem quer pisar e desrespeitar os outros baseado no cargo que ocupa; tudo tem seu limite legal.

Há mais de 30 anos, lei permite que deputados virem procuradores sem concurso no PR

Após 31 anos em vigência, a Lei estadual 7.784 de 1983, está sendo questionada pela Procuradoria-Geral da República no Paraná. A legislação permite o enquadramento de deputados estaduais e federais ao cargo de procurador sem concurso público.

Na tentativa de tornar a lei inconstitucional, a PGR enviou parecer para o Supremo Tribunal Federal, explicando que se trata de uma afronta ao mandamento constitucional do concurso público, pois viola o princípio da moralidade administrativa ao favorecer determinados servidores sem qualquer fundamento no interesse público.

O órgão afirma ainda que, após a promulgação da Constituição de 1988, é proibido o reenquadramento funcional dentro de um mesmo órgão, seja mediante expediente de concurso interno ou mediante ato administrativo ou legislativo específico.

O ministro Celso de Mello é o relator do caso, que vem sendo analisado pelo Supremo desde 2013. A PGE/PR informou que “o posicionamento da procuradoria a respeito do tema está exposto nos autos da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 281, por meio da peça de informações, acessível a todos por meio eletrônico no site do STF .”

CorreioWeb

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Julio Rocha disse:

    Pra voltar pras mãos "limpas" dos herdeiros dos Barões do Café de São Paulo (gestão das águas, trens e Metrôs) e dos Coronéis de Minas Gerais? Pra colocar Playboys do Leblon pra entregar o Brasil aos EUA, enquanto cheiram?

  2. alexandre medeiros disse:

    há alguns comentários de apoiadores de bandidos e das suas falcatruas. Esse país um dia livrar-se-á dessa corja, colocando seus colaboradores e cúmplices para trabalhar,o que será um grande sofrimento para a turma dos puxa-sacos.

  3. Julio Rocha disse:

    No reino do Paraná, ninho de Tucanos gordos e lar de Beto Richa, assessorado por Rosângela Moro, esposa do Juiz Moro, tudo é fantasia. A investigação do caso BANESTADO é um exemplo desse estado de desfaçatez e cara de pau dos Mascarados Paranaenses.

Presidente da CBF admite plano B em relação aos atrasos na Arena da Baixada

IMG-20140122-WA0004Em coletiva na manhã desta quarta-feira (22), na Federação Norte Riograndense de Futebol (FNF), o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, admitiu a possibilidade de um plano B para o estádio Arena da Baixada, um dos palcos da Copa do Mundo, no estado do Paraná.

A revelação foi uma resposta do dirigente ao questionamento do Blog do BG sobre a situação do estádio paranaense. Ele afirmou estar muito preocupado com os atrasos e que pela primeira vez admite a possibilidade de descarte da sede.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Crystian Pontes disse:

    Este plano B deveria ser 1 jogo a mais para cada sub—sede que terão partidas reduzidas, dentre elas, Natal. Seria o correto! Não sei se a minha teoria teria lógica devido às reservas de passagens e hospedagens relacionadas a Curitiba, o que provavelmente poderia ter menos impacto transferindo os jogos para São Paulo ou Porto Alegre.

    • Argentino Cortez disse:

      Perfeita sua colocação. O legal seria distribuir entre as sedes menos prestigiadas anteriormente mas ficando no eixo sul-sudeste seria mais justo com quem ja se planejou.

Cemitério patrocina time da Série B nesta sexta-feira 13

Tricolor-Foto-Divulgacao-Parana-Clube_LANIMA20130912_0225_47A bruxa está solta no Paraná Clube! Mas calma, torcida Tricolor. O clube continua em boa fase, na terceira posição da Série B do Campeonato Brasileiro. Curiosamente, para enfrentar o Oeste, pela 22ª rodada da competição, a equipe estampará em sua camisa a marca de um cemitério, chamado Parque das Araucárias, situado no interior do estado.

Só esse fator já é suficiente para se dizer que é um patrocínio inusitado, mas calma, tem mais. A partida contra o time de Itápolis será realizada nesta sexta-feira, dia 13, data conhecida por ser o dia do azar, e que se popularizou por conta da franquia de terror que traz Jason como protagonista. Entretanto, às 19h, no Durival de Britto, os tricolores querem que gatos pretos, assassinos em série e os atacantes adversários nem pensem em aparecer para causar pesadelos à torcida.

Atualmente no G4, o Paraná quer assombrar o adversário paulista e, se possível, enviá-lo direto para as terras do novo patrocinador, ainda mais agora que o fantasma dos salários atrasados ficou para trás. Portanto, haja água benta, dentes de alho e exorcistas na Vila Capanema.

Lance