Conselho Nacional de Trânsito publica requisitos para fiscalização da velocidade de veículos

Foto: Divulgação/PRF

A partir de 1º de novembro, entram em vigor os requisitos técnicos mínimos para a fiscalização da velocidade de veículos automotores, elétricos, reboques e semirreboques definidos pela Resolução Nº 798, publicada em setembro pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Com as medidas, o Contran, órgão vinculado ao Ministério da Infraestrutura, pretende privilegiar o caráter educativo, em vez do meramente punitivo, em suas fiscalizações ostensivas no trânsito.

A Resolução 798 apresenta regras e critérios técnicos para instalação e uso de radares fixos ou portáteis, de forma a evitar que sejam instalados em locais pouco visíveis. A norma determina que os locais em que houver fiscalização de excesso de velocidade por meio de medidores do tipo fixo sejam precedidos de sinalização, de forma a garantir a segurança viária e informar, aos condutores, a velocidade máxima permitida para o local.

Segundo o presidente do Contran e diretor-geral do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Frederico Carneiro, o propósito das mudanças é fazer com que o condutor seja alertado do limite de velocidade da via, perceba os riscos, reduza a velocidade do veículo e, com isso, reduza as chances de sofrer acidentes.

“O que se pretende é fazer com que os limites de velocidade sejam obedecidos em vez de simplesmente multar o condutor. A fiscalização ostensiva e educativa fortalece medidas preventivas e de segurança, evitando violações de normas”, acrescentou Carneiro, em e-mail enviado à Agência Brasil.

Entre as mudanças implementadas estão também a proibição do uso de equipamentos sem dispositivo registrador de imagem; a restrição do uso do radar do tipo fixo redutor em trechos críticos e de vulnerabilidade de usuários da via, especialmente, pedestres, ciclistas e veículos não motorizados; e a publicação da relação dos trechos e locais aptos a serem fiscalizados nos sites da autoridade de trânsito com circunscrição sobre a via.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Eu disse:

    So precisa garantir que tenha sinalização da velocidade no trecho, o resto ébesteira , tem placa na via velocidadetem que ser respeitada.

DNIT inicia instalação de mais 22 radares de velocidade para o monitoramento total de 208 trechos de rodovias que cortam o RN

Foto: Alex Régis

O Ministério da Infraestrutura através do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes(DNIT) iniciou a ampliação do número de radares de velocidade no Rio Grande do Norte. A Tribuna do Norte, em reportagem, detalha que além dos 80 já instalados, pelo menos outros 22 novos dispositivos serão implementados e irão monitorar, no total, 208 trechos de rodovias federais que cortam o Estado.

A instalação desses radares faz parte do Programa Nacional de Controle de Velocidade(PNCV) e deverá iniciar a operação em novembro. Leia todos os detalhes aqui em texto na íntegra.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carllos disse:

    Falta o DNIT providenciar algo bem simples. As faixas de pedestre das marginais entre o viaduto de Ponta Negra e o viaduto de Emaús.

  2. OSORIO SAMPAIO disse:

    A JUSTIÇA MANDOU ATIVAR OS QUE FORAM DESLIGADOS NÃO INTALAR MAIS QUE É O QUE ESTA ACONTECENTO. CADE A PALAVRA DO moleque SO PROMESSA COMO OS OUTROS.

  3. Nisia Galvão disse:

    Radar ameniza, mas não resolve. Na 304, a única solução é duplicar. O RN infelizmente não tem políticos competentes para levantar a bandeira para resolver o gargalo na região. Enquanto isso vamos perdendo vidas em acidentes que poderiam ser evitados. Hoje mais 3 acidentes graves, todos com vítimas fatais. Mas para fazer festa, gastar com publicidade e outras obras que levam nada a lugar nenhum não falta grana. A folha do funcionalismo dos três poderes mostra que o importante é locupletar os apaniguados para garantir votos, o povo que se exploda!

  4. GCF disse:

    Esperamos que não sejam radares em descidas que não possuem estradas vicinais ou travessia de pedestres, pois muitas das que existem nas estradas brasileiras são apenas para arrecadar e para o motorista freiar, perdendo a energia potencial/cinética e, consequentemente, aumentando o consumo de combustível.
    Radares sim, mas que tenham finalidade de segurança.

    • H4CK3R disse:

      Amigo, tem um na descida da BR 101, depois da entrada pra Cid. Satélite. Justamente esse da foto acima!
      Numa descida, quase embaixo do viaduto que dá na Maria Lacerda, sem faixa de pedestre nem estrada vicinal.

  5. Pixuleco disse:

    Concordo plenamente

OAB aguarda retorno da Anatel antes de ação contra alteração na internet

internetO presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) deu um prazo de até 15 dias para que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) se posicione sobre o ofício enviado pela organização, que requer a suspensão imediata da medida que altera o serviço de internet banda larga no país. Claudio Lamachia afirmou que, em caso de negativa da Anatel em recuar, vai entrar em uma briga jurídica.

“Se não recebermos uma posição da Anatel nos próximos dias sobre esse ofício, a OAB estuda judicializar esse tema. Acho que um prazo de 10, 15 dias é absolutamente razoável. Mas digo que já estamos estudando todas as medidas que possam ser tomadas no âmbito judicial sobre esse assunto”, afirmou ele em entrevista coletiva nesta quarta-feira (20) em Porto Alegre.

Uma decisão cautelar publicada no Diário Oficial da União pela Anatel na última segunda (18) impõe às empresas telefônicas condições para implantar novo modelo de prestação de serviços. A medida impede temporariamente as operadoras de internet fixa de reduzir a velocidade ou suspender a prestação do serviço de banda larga após o término da franquia prevista.

A decisão vale até que essas empresas forneçam aos consumidores ferramentas que permitam, por exemplo, acompanhar o uso de dados de seus pacotes. Ou seja, dentro de alguns meses, as operadoras vão voltar a ser liberadas para fazer os cortes de sinal – se isso estiver previsto no contrato com os clientes.

Para a OAB, duas leis estão sendo descumpridas pela Anatel: a Lei Federal n° 12.965/2014, conhecida como Marco Civil da Internet, e o Código de Defesa do Consumidor. Segundo ele, nenhuma norma ou resolução institucional pode se sobrepor ao que define a legislação.

“É um verdadeiro absurdo, um desrespeito com os consumidores. A Anatel está ensinando as operadoras como elas devem fazer para cobrar mais e mais dos clientes”, criticou Lamachia. “É inacreditável, inaceitável e inexplicável”, continuou Lamachia.

Ele pondera ainda que o prejuízo não se dá apenas aos usuários de serviços de streaming, como Netflix, grandes consumidores de dados. Cursos de educação à distância também serão afetados.

Fonte: G1

Carro de Cristiano Araújo estava a 179 km/h ao capotar, diz relatório da Land Rover

Um relatório técnico da Land Rover, fabricante da Range Rover, carro do cantor Cristiano Araújo, aponta que o veículo estava a 179 km/h no momento do capotamento que matou o sertanejo e a namorada, Allana Moraes, de 19 anos, na BR-153, em Goiás, no dia 24 de junho.

A informação foi dada ao G1 pelo delegado responsável pelo caso, Fabiano Henrique Jacomelis. Ele ressaltou que ainda não foi concluído o laudo da perícia sobre as causas do acidente, que é o documento considerado na investigação.

Segundo o delegado, o dado do relatório da Land Rover ficou registrado na “caixa preta” do veículo cinco segundos antes do acionamento dos airbags do carro. As informações foram retiradas do módulo e enviadas para a Inglaterra, onde foram analisadas.

“Esse número corrobora com os depoimentos das testemunhas ouvidas no inquérito, inclusive a do próprio motorista, que assumiu estar acima da velocidade permitida”, afirmou o delegado.
Perícia
Jacomelis explicou ainda que é necessário esperar a conclusão do laudo pericial da polícia. “A velocidade que vale na investigação é do laudo, que analisa a zona de impacto e frenagem, por exemplo”, disse.

Se confirmado o excesso de velocidade, o condutor do carro, Ronaldo Miranda, de 40 anos, pode ser indiciado por homicídio culposo – quando não há intenção de matar. Se condenado, a pena varia de 2 a 4 anos.

O advogado de Ronaldo, Djalma Pereira Rezende, disse ao G1 que não vai se pronunciar no momento, pois ainda não teve acesso ao relatório técnico da fabricante do veículo.

Depoimento

O motorista do cantor confirmou em depoimento à Polícia Civil que seguia acima da velocidade máxima permitida no trecho da BR-153, em Goiás, que era de 110 km/h. O condutor afirmou ainda que perdeu o controle do carro depois que um dos pneus estourou.

“Ele disse que estava correndo um pouco, mas não soube precisar exatamente qual era a velocidade no momento do acidente, já que o carro era muito potente e ele não percebeu o excesso. Ele também informou que ouviu um barulho de pneu furado e, em seguida, perdeu o controle”, disse o delegado na época do acidente.

Capotamento

O acidente aconteceu na madrugada de 24 de junho, por volta das 3h30, quando o sertanejo voltava de um show em Itumbiara, no sul do estado. Além de Ronaldo e de Cristiano, estavam no carro Allana Moraes, namorada do músico, e Victor Leonardo, um dos empresários dele. A jovem de 19 anos morreu no local, e o empresário se feriu, mas já recebeu alta.

O condutor perdeu o controle do veículo 21 minutos após fazer uma parada em um posto de combustíveis, a cerca de 57 km do local do capotamento. O físico Reges Guimarães analisou a velocidade média feita pelo carro com base no horário das imagens de uma câmera de segurança. “Ele fez uma velocidade média de 162 km/h”, afirma (veja vídeo abaixo).

Segundo o delegado, o motorista, que chorou durante todo o depoimento, afirmou que não faz consumo de bebidas alcoólicas e negou que estivesse usando celular ou que tenha dormido ao volante. Jacomelis já havia informado que Ronaldo foi submetido ao teste do bafômetro, que deu negativo.

Fonte: G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Silvia disse:

    Um carro daquele tamanho e com aquela tecnologia esta velocidade até que é baixa. Já vi muito uno e gol viajando a 160km/h.
    Esse acidente foi um acumulo de erros.

Modelo matemático desvenda o segredo de velocista Usain Bolt

2013-599619566-Athletics-Bolt-Brussels_20130324Um estudo publicado nesta sexta-feira, na “European Journal of Physics”, revela o segredo da incrível velocidade de Usain Bolt através de um modelo matemático, que explica a energia que o atleta tem que gastar para vencer a resistência do ar — ainda pior contra seus 1,96 metro de altura.

De acordo com o modelo proposto pelos cientistas, o recorde de 9,58 segundos nos 100 metros de Bolt, no Campeonato Mundial de Atletismo, em Berlim, em 2009, foi atingido a uma velocidade de 12,2 metros por segundo, o equivalente a cerca de 43,4 Km/h.

Os pesquisadores calcularam que a potência máxima de Bolt ocorreu quando ele tinha menos de um segundo na corrida e estava apenas com a metade da sua velocidade máxima. Isso demonstra o efeito imediato de arrasto, quando a resistência do ar diminui a de objetos em movimento. Eles também constataram que menos de 8% da energia que os músculos do atleta produziram foram usados para sua movimentação, com o restante absorvido pelo arrasto.

Quando os cientistas compararam a massa do corpo de Bolt, a altitude da pista e a temperatura do ar, descobriram que seu coeficiente de arrasto — medida da resistência por unidade de área da massa, usado para quantificar a resistência de um objeto em um meio fluido, como ar e água — era, na verdade, menos aerodinâmico que o do homem médio.

– Nossa medida do coeficiente de arrasto evidencia a incrível habilidade de Bolt, que quebra vários recordes apesar de não ser tão aerodinâmico como um homem pode ser — disse à “BBC News” Jorge Hernandez, da Universidade do México.

John Barrow, da Universidade de Cambridge, que já havia analisado como Bolt poderia se tornar ainda mais rápido, explicou que a sua velocidade tem a ver, em parte, com o comprimento extraordinariamente grande de sua passada, apesar de ele ter uma reação inicial lenta ao tiro de partida:

– Ele tem muitas fibras musculares de contração rápida, que podem responder rapidamente, e isso, junto com sua passada rápida é o que lhe dá um tempo tão extraordinário.

O Globo

Vejam 15 coisas que acontecem na Internet em apenas 1 minuto

Um minuto é mais do que o suficiente para você acessar o e-mail, ler alguns tweets e curtir as atualizações dos seus amigos no Facebook. Mas muito mais do que isso acontece em 60 seguntos. O gráfico a seguir, divulgado pela Intel, mostra algumas estatísticas curiosas sobre o que é feito durante um único e singelo minuto na Internet. Alguns números surpreendem por serem baixos (apenas 6 novos artigos são incluídos na Wikipédia), enquanto outros são absurdamente grandes (o número de buscas no Google passa de 2 milhões, por exemplo).

15 coisas que acontecem em um minuto na Internet

O gráfico também apresenta previsões impressionantes: em 2015, uma pessoa vai levar 5 anos para assistir todo o conteúdo de vídeo que circula entre as redes IP a cada segundo. Hoje, o número de aparelhos conectados é igual ao de seres humanos (o que já bastante, se considerarmos que ainda existe muita gente sem acesso à internet), mas daqui três anos o número de dispositivos será o dobro da população humana.

Confira 15 coisas que ocorrem em um minuto da web:

1. 20 pessoas se tornam novas vítimas de roubo de identidade

2. 204 milhões de e-mails são enviados

3. 1300 pessoas se tornam novos usários de aparelhos mobile

4. 135 pessoas são infectadas por botnets

5. 6 novos artigos são publicados no Wikipédia

6. 47.000 downloads de aplicativos são feitos

7. A Amazon ganha 83 mil dólares em vendas

8. Mais de 100 pessoas criam contas no LinkedIn

9. 61.141 horas de música são ouvidas no Pandora

10. 20 milhões de fotos são vistas e 3000 fotos são postadas no Flickr

11. Mais de 320 novas contas do Twitter são criadas e 100 mil novos tweets são publicados

12. 277 mil pessoas fazem login no Facebook e 6 milhões de visualizações no Facebook são feitas

13. Mais de 2 milhões de buscas são feitas no Google

14. 30 horas de vídeo são postadas no Youtube e 1,3 milhões de vídeos são assistidos

15. 639.800 GB dados de IP são transferidos no mundo

Além da curiosidade, essas informações são importantes para refletir sobre o tráfego de dados na web. Afinal, ele só deve aumentar. Será que as estruturais atuais vão dar conta de tanta informação rolando?

Fonte: Superinteressante

Cada processo julgado pelo TJ/RN custa mais de R$ 1.900 Reais

Tribuna do Norte

Com uma taxa de congestionamento de processos de  60%, o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN) figura na sétima posição entre os tribunais mais céleres do país. O dado faz parte de um levantamento feito pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e aponta ainda que, para cada novo processo, o TJRN tem um custo de R$ 1.953,00, o nono mais alto valor do país. A despesa total da Justiça Estadual, ano passado, foi de R$ 413.022.412,00, o que corresponde a 1,34% do Produto Interno Bruto (PIB) do RN.

A pesquisa, denominada “Justiça em Números”, divulgada ontem, foi elaborada pelo Departamento de Pesquisas Judiciárias do CNJ, com base nas informações dos tribunais das esferas estadual, federal e trabalhista. O estudo foi apresentado durante solenidade na Escola de Magistratura Federal (Esmaf), em Brasília, e contou com a presença do ministro Cezar Peluso, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça CNJ. Em todo país, houve uma redução em um milhão de novos processos. Em 2010, tramitou no Poder Judiciário 24,2 milhões de novos processos.

Taxada por boa parte dos cidadãos como lenta, a Justiça, em alguns estados, também é cara. É o caso do Distrito Federal, que gasta R$ 4.103,00 por cada novo processo. No mesmo estado, a despesa per capita do Tribunal é de R$ 554,95. Com 3.121.451 habitantes, segundo dados do último censo do Instituto de Geografia e Estatística (IBGE), o Rio Grande do Norte surge na 15ª posição e um gasto de R$ 130,41 para cada habitante.  Nesse quesito, o estado de Alagoas, com gasto per capita de R$ 63,14, aparece na última posição.

O juiz Ibanez Monteiro, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Natal, explica que para chegar ao valor gasto em cada processo, leva-se em conta principalmente o custos gerados com pessoal. Além disso, há gastos com material de impressão e encadernação. “As despesas começam com o funcionário responsável pela distribuição dos processos. O gasto maior é o tempo de trabalho. Existem casos de que demora-se uma semana para o juiz ter conhecimento do processo. A demanda é muito alta”, comenta.

(mais…)