Geral

FOTO: Ex-ministro do Afeganistão vira entregador na Alemanha

Foto: Jens Schuleter / AFP

No Afeganistão, Sayed Sadaat, de 50 anos, era ministro do governo. Agora, na cidade de Leipzig, no leste da Alemanha, ele ganha a vida de bicicleta, entregando comida em domicílio.

A jornada é de seis horas, de segunda a sexta-feira; e de meio-dia às 22h nos finais de semana. Sayed usa um uniforme laranja, característico de sua empresa, e a mochila onde carrega os pedidos de seus clientes.

“Não tem por que ter vergonha. É um trabalho como outro qualquer. Se há emprego, é porque há uma determinada demanda e que alguém deve se encarregar de satisfazê-la”, diz ele.

Milhares de afegãos deixaram seu país recentemente, após retomada do Talibã, em voos das forças de coalizão que ocuparam o país durante 20 anos. Espera-se que mais deles devem chegar por conta própria em contingentes ainda maiores nos próximos meses e anos.

A barreira linguística

Há anos, os afegãos são o segundo maior grupo de migrantes na Alemanha, atrás dos sírios. Há cerca de 210 mil pedidos de asilo registrados desde 2015 no país europeu.

Sayed Sadaat chegou meses antes do colapso do governo de Cabul. Ele foi ministro de Comunicações do seu país natal entre 2016 e 2018. Ele diz que deixou o cargo porque estava farto da corrupção dentro do governo e encontrou trabalho como consultor no setor de telecomunicações.

Em 2020, a segurança começou a se deteriorar no país. “Então decidi ir embora”, diz ele.

Embora tenha nacionalidade afegã e britânica, optou por se instalar na Alemanha no final de 2020, pouco antes do Brexit.

Em sua opinião, a economia alemã, a maior da Europa, oferece-lhe mais oportunidades em seu setor. Sem saber alemão, no entanto, é difícil encontrar trabalho. A pandemia de Covid-19 e as medidas de confinamento não facilitaram o aprendizado.

Agora ele dedica quatro horas por dia ao estudo do idioma, antes de sair com a bicicleta para fazer entregas pela empresa Lieferando. Sadaat ganha 15 euros por hora (cerca de R$ 92), um salário modesto, mesmo que seja bem acima do salário mínimo na Alemanha (R$ 58 por hora). Ele afirma que o dinheiro é capaz de atender às suas necessidades.

Como cidadão britânico, Sadaat não pode solicitar o “status” de refugiado, nem os respectivos benefícios. O ex-ministro, que não quer falar sobre sua família no Afeganistão, diz que não se arrepende de sua decisão.

Por um período limitado

O posto de entregador “é por um período limitado, até que eu encontre outro emprego”, diz ele.

Sorrindo, ele diz que o emprego o ajudou a ficar em forma, pedalando cerca de 1.200 quilômetros por mês. Com a retirada das forças da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão, Sadaat acha que pode ser útil na Alemanha.

“Posso aconselhar o governo alemão e tentar fazer com que o povo afegão tire proveito disso, porque posso dar a eles uma imagem realista do terreno”, completa.

Por enquanto, porém, não tem contatos, então a prioridade é a entrega em domicílio.

G1, com AFP

Opinião dos leitores

  1. Se for ex ministro aqui nessa potência chamada de Brasil, tem uma fortuna nos paraísos fiscais! Pense num país pra ter político bandido! Num escapa um! Pqp!

  2. Completando o que Calígula disse, o sr. Lula tem aposentadoria pir ser ex-presidente, tem segurança, carro à disposição …….

    1. E qual é o ex Presidente ou ex Governador que não tem?

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

TRAGÉDIA – (FOTO E VÍDEO): Fortes chuvas deixam mais de 100 mortos e centenas de desaparecidos na Alemanha e Bélgica

Foto: Boris Roessler/picture alliance via Getty Images

As enchentes causadas por fortes chuvas que atingem a região oeste da Alemanha e a Bélgica deixaram dezenas de mortos e centenas de desaparecidos. Também há registros de inundações na Holanda e em Luxemburgo.

Após um dia de intensos trabalhos de resgate e de operações para evacuar as cidades que começaram na noite anterior, as autoridades alemãs confirmaram a morte de 93 pessoas.

A maioria das mortes ocorreu nos estados da Renânia do Norte-Vestfália e na Renânia-Palatinado, em cidades cortadas pelos rios Ahr e Reno.

Autoridades disseram que ainda não puderam localizar 1.300 moradores da cidade de Bad Neuenahr-Ahrweiler. A administração regional afirmou que a rede de telefonia não está funcionando na região, e por isso as autoridades esperam que as pessoas que ainda não puderam ser contatadas estejam simplesmente passando por dificuldades de comunicação.

Cerca de 3.500 pessoas da região estão alojadas em acomodações de emergência e mais de mil trabalhadores, entre bombeiros, policiais e outras forças, estão atuando no serviço de emergência, afirmou em comunicado a administração do distrito.

Na Bélgica, autoridades relataram que ao menos 11 pessoas morreram em decorrência das enchentes. Os moradores de Liège foram evacuados quando o rio Meuse, que corta a quarta cidade mais populosa do país, transbordou.

Com Gazeta do Povo

Opinião dos leitores

  1. Isso é a natureza, em qualquer parte do mundo é assim, em Natal quando chove forte e alaga tudo culpam o gestor.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Alemanha, Itália e França alegam “precaução” e proíbem uso da vacina da AstraZeneca

Foto: Gareth Fuller/Pool via AP

Os governos de Alemanha, Itália e França anunciaram nesta segunda-feira que suspenderão o uso da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela farmacêutica britânica AstraZeneca e a Universidade de Oxford. Os três disseram que a medida foi tomada por “precaução”, devido aos relatos de formação de coágulos sanguíneos em pessoas que receberam o imunizante.

Em nota, o governo da Alemanha afirmou que a Agência Europeia de Medicamentos (EMA), o órgão regulador do setor na União Europeia (UE), decidirá “se as novas informações afetarão a autorização da vacina”.

O presidente da França, Emmanuel Macron, disse que a aplicação do imunizante será suspensa até terça-feira, quando EMA deve se pronunciar sobre os casos de formação de coágulos.

Vários países europeus suspenderam total ou parcialmente a aplicação da vacina da AstraZeneca por causa dos casos de formação de coágulos sanguíneos. A Itália já havia interrompido a aplicação de um lote específico do imunizante na semana passada. Outros países, como o Reino Unido, defenderam a segurança da vacina e mantém seu uso.

Na semana passada, tanto a EMA como a Organização Mundial da Saúde (OMS) disseram que não havia evidências entre a formação dos coágulos e a vacina da AstraZeneca. A OMS recomendou que as doses do imunizante continuem sendo aplicadas normalmente.

Valor

Opinião dos leitores

  1. O que esse povo tem haver com isso? Essa vacina foi colocada por vocês bolsoloides como sendo uma vacina que acabaria com a coronavac da China. Vocês não tem memória mais eu tenho . Mesmo assim, vamos torcer que seja algo solucionavel pro bem de todos.

    1. Falou o zumbi de esquerda.
      Nenhum país desenvolvido usa vacina da China…
      Querendo queimar a vacina britânica e defendendo a chinesa…

  2. Dá para entender um cacete desse? As hienas lulistas conseguem explicar? Já que arrotam as melhores soluções para "a paz, economia, educação, meio ambiente e saúde?"

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Com pandemia em 2020, tombos do PIB na Espanha, França, Alemanha e Japão foram ainda piores que o do Brasil

Foto: Cesar Manso/AFP/Getty Images

PIB da Espanha despencou 11% em 2020, maior queda desde a Guerra Civil

Muito dependente de setores, como turismo e de restaurantes, a Espanha sofreu mais com a pandemia do que outros países desenvolvidos, como França (-8,3%), Alemanha (-5%) e Estados Unidos (-3,5%).

A quarta economia da zona do euro afundou na primeira parte do ano, devido ao rígido confinamento imposto na primavera boreal (outono no Brasil) para conter a primeira onda do coronavírus. A medida incluiu duas semanas de paralisação total das atividades não essenciais.

O desconfinamento levou a uma forte reativação, mas o aparecimento precoce de focos e as consequentes restrições para controlá-los voltaram a frear o crescimento.

Crise sanitária provocou queda recorde de 8,3% no PIB da França em 2020

A França e a Espanha registraram uma recessão massiva em 2020 e quedas recordes do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020 de 8,3% e 11%, respectivamente.

A epidemia de Covid-19 levou o governo a restringir a atividade econômica para frear as contaminações, resultando em graves perdas para o país. O consumo teve uma queda de 7,1% no conjunto de 2020. Já o investimento registrou um recuo de 9,8%.

A crise sanitária também perturbou as trocas comerciais. As exportações tiveram uma queda de 16,7% enquanto as importações baixaram em 11,6%.

PIB da Alemanha tomba 5% em 2020 ante ano anterior, na maior queda desde 2009

Altamente impactado pela crise do novo coronavírus, o Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha tombou 5% em 2020 em relação ao ano anterior, apontou a Destatis, agência oficial de estatísticas do país. Trata-se da maior queda desde 2009, quanto a economia do país encolheu 5,7%, na esteira da crise financeira mundial. Desde então, a Alemanha não registrava PIB negativo.

Segundo comunicado da Destatis, a crise da covid-19 deixou “marcas claras” em quase todos os setores da economia da Alemanha. “A desaceleração econômica foi particularmente evidente nos setores de serviços. Alguns registraram quedas mais severas do que nunca. Um exemplo é o setor combinado de comércio, transporte e hospitalidade, cuja produção , ajustada pelo preço, foi 6,3% menor do que em 2019”, aponta a instituição.

Terceira maior economia do mundo tomba 4,8% em 2020

A economia japonesa encolheu 4,8% no ano de 2020, segundo dados oficiais preliminares divulgados nesta segunda-feira (15). Foi a primeira retração desde a crise financeira de 2009.

Com informações do G1, UOL e Infomoney

Opinião dos leitores

  1. Mas para os ESQUERDOPATAS somente o Brasil teve queda do PIB.
    Graças ao Presidente estamos conseguindo atravessar essa pandemia sem a destruição total da nossa economia. Apesar da mídia lixo trabalhar todo dia pelo FIQUE EM CASA, que usado sem critério só serve para destruir as empresas e os empregos, levando todos à miséria.

  2. É neh?
    Uma coisa são os efeitos considerando o peso da queda de 5% do PIB da Alemanha, um país Rico. Outra coida são os efeitos considerando o peso de uma queda de 4% do Brasil.
    Com esse presidente logo logo no Brasil só vai sobrar gemidos e ranger de dentes.

  3. Descalabro esse governo na saúde, educação, segurança, meio ambiente e economia. Nunca antes na história desse país

    1. Assim como nunca antes na história desse país tivemos um presidente que arrombou o cofres públicos, como fez o Lulitro 51!

  4. A diferença que os países acima citados fizeram lockdow para freiar o vírus e agora já tem vacinação bem mais avançada que o Brasil, aqui ficou meia-boca e a vacinação está a conta-gotas…não temos luz no fim do túnel…lá tem.

  5. O fato é que país nenhum no mundo, fez o que o nosso presidente Bolsonaro fez aqui.
    Segurou o taco.
    Ô vêi macho da gota serena.
    É cru!!!

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Alemanha não recomenda vacina de Oxford/AstraZeneca para idosos

(Foto: Getty Images)

As autoridades sanitárias da Alemanha recomendaram a utilização da vacina anti-Covid de Oxford/AstraZeneca apenas em pessoas entre 18 e 64 anos, alegando falta de dados suficientes para avalizar sua aplicação em idosos.

A recomendação foi feita pelo comitê de vacinas do país, em comunicado divulgado pelo Ministério da Saúde nesta quinta-feira (28). “Até o momento, não há dados suficientes disponíveis para avaliar a eficácia a partir dos 65 anos de idade”, diz o relatório.

Segundo uma tabela dos ensaios clínicos de fase 3 divulgada pelo comitê, foram constatados apenas dois casos do novo coronavírus em pessoas com 65 anos ou mais durante os testes do imunizante, sendo um no grupo que tomou a vacina e outro no grupo de controle (que recebeu um placebo).

Esse pequeno número, de acordo com a Alemanha, não é suficiente para avaliar a eficácia do imunizante de Oxford/AstraZeneca em idosos. A tabela reúne dados relativos a 11.636 voluntários, sendo que apenas 660 tinham 65 anos de idade ou mais.

Considerando apenas pessoas de 18 a 64 anos, a eficácia apresentada é de 71,1%. Nenhum indivíduo que tomou a vacina e contraiu o vírus necessitou de hospitalização.

Dosagens

Os números divulgados pela Alemanha também confirmam a diferença de eficácia de acordo com a dosagem. O regime de duas doses apresentou índice de 62,1%, enquanto o de meia dose seguida de uma dose inteira teve eficácia de 90%.

Porém este segundo grupo é muito menor (2.741) do que o primeiro (8.895) e também não incluiu idosos. Os dados estão em linha com os divulgados pela revista científica The Lancet no início de dezembro e validados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em 17 de janeiro.

Segundo o estudo revisado pela Lancet, a eficácia média do imunizante é de 70,42%, com 62% no regime de duas doses inteiras e de 90% no de meia dose seguida de uma dose completa. Os ensaios clínicos de fase 3 da vacina ainda estão em curso.

O parecer da agência de medicamentos da União Europeia (EMA) sobre o imunizante de Oxford/AstraZeneca é aguardado para esta sexta-feira (29), e a multinacional anglo-sueca já é alvo de críticas do bloco por conta de atrasos na produção.

No Brasil, a vacina está aprovada para uso emergencial inclusive em idosos. O primeiro lote de 2 milhões de unidades produzidas pelo Instituto Serum da Índia já está sendo utilizado no país, mas o Ministério Público Federal (MPF) pediu à Anvisa e à Fiocruz dados sobre a eficácia em idosos.

Galileu

Opinião dos leitores

  1. Vixe! Pensei que o MINTOmaníaco só comprava vacina boa! Que adianta uma vacina se não pode dar pra idoso?

    1. Tá alegando falta de dados, exatamente, o que acontece com a chinesa. Não inventa narrativa!

    2. Além de vibrar diante das mentiras de que não existe tratamento precoce,
      agora vibra também por suposta infeficácia de vacinas.
      Que ser humano!

    3. Neco, eu torcer ou não pela vacina ou por um remédio milagroso que só o MINTOmaníaco e o gado acredita que a cloroquina eh, não me faz bom ou mau. A cloroquina não ajuda em nada contra a covid, nem a azitromicina. Já está provado e só mesmo aqui no Brasil que ainda teimam eh usar! Quanto a vacina, quem torceu contra mais que ninguém foi o inepto MINTOmaníaco do nosso presidente! Aquele mesmo q dizia que não compraria q vacina coronavac de forma alguma ou vc esqueceu? Larga de torcer pelo inepto e acorda, tira a viseira e vá pesquisar! A sociedade de infectocontagia sabe que não existe tratamento precoce! Pesquise, leia, pense! Quando a ciência que seu MINTOmaníaco tanto nega comprovar que algum remédio cura covid, certamente vai ser uma vitória pra todos! Antes disso, sou contra o MINTOmaníaco gastar nosso dinheiro em remédios sem eficácia NENHUMA! Aliás, o TCU Tb eh contra sabia?!

    4. Não é fazendo argumento ad verecundiam, mas vá discutir a ineficácia da HCQ com profissionais como Dra. Marina Bucar, Ilse Yamagushi ou Paulo Zanoto. O que existe é muito lobby (sempre existiu) da indústria farmacêutica, para vender remédios caros. HCQ nem patente tem. Agora se se comprou HCQ, que serve para um monte de coisa, e uma parte vai se estragar, tenha paciência. Era o que se tinha á mão. Tinha profisional defendendo, num momento que estava todo o mundo, inclusive a OMS, batendo cabeça sobre o que fazer. Não tinha tempo de fazer teste científico (demora pra burro, cheio de etapas, exige muita gente topando fazer duplo-cego – quando estavam todos correndo contra o relógio). Vcs insistem nessa idéia de que Bolsonaro quer matar pessoas. PUSTA MELDA… que político quer fazer isso? a troco de que? … tente pensar com menos maniqueísmo.

    5. Todas as doenças do mundo podem ser atenuadas com uso precoce de medicamentos.
      Agora um djabo duma virose não tem nada o que se fazer?
      Nem o básico, como reforçar o sistema imunológico (até com alimentação) ou suplementos?
      Não tem nada pra que os pulmões não inflamem?
      Alguém é diagonsticado com covid e vai ao médico. O profissional não deve receitar nada, pq a tal ciência ainda não consolidou nada?

    6. Eu não preciso discutir eficácia de remédio com ninguém. Quem defende o uso de cloroquina que tem que comprovar sua eficácia com as devidas pesquisas não com achismo ou torcida. Só que não tem como, já que foram realizadas várias pesquisas em vários países e a cloroquina ou hidroxicloroquona não serve de NADA! A azitromicina também segue o mesmo descrédito. Por que essas pessoas que tanto defendem o uso do tratamento precoce não comprovam sua eficácia? Já temos quase um ano de pandemia e não comprovaram! Pesquise, leia e saia dessa bolha narrativa. O fato do remédio ser barato ou não ter patente não o torna eficaz. Isso não eh ciência, isso eh torcida junto com alienação!

    7. Fato é que vc não tem credencial científica nenhuma para discutir com os profissionais mencionados. Nem para ler, de fonte primária, os estudos. De fazer uma meta-análise mais porca que seja. Vc desconhece até o que é conhecimento empírico. Faz uma seleção de evidências. Coisa de picareta.

    8. Faz assim: tiver sintomas, só aceite a medicação prescrita se tiver estudo massificado, randomizado, estratificado, com duplo-cego, revisão de pares, meta-análise, com umas duzentas instituições referendando, com análise temporal de uns cinco anos. Lembre-se de ler tudo. Não acredite em jornalista não especializado. Não vale a experiência do médico. Isso não é ciência, viu?

    9. Neco vc eh um poço de contradição cara! Fala que eu uso argumento de autoridade quando eh vc que cita profissionais que ainda acreditam e seguem um "tratamento precoce " que só existe no Brasil. Nos Estados Unidos, por exemplo, a hidroxicloroquina já foi banida faz tempo e lá não tem essa de medico A ou B ficar prescrevendo da cabeça não. Foi proibida e acabou! Aqui ni Brasil, houve uma politização ridícula pq há quem quer torcer por remedio A ou B por ser barato , por não ter patente. Chegam a ser ridículos os argumentos! Só me soa estanho um cara como vc, que parece ser tão "inteligente" e usa "palavras bonitas" não tem o menor bom senso em pesquisar pra saber que , no fundo, segue um político ignorante que só quer empurrar um remédio sem efeito algum no covid pra justificar o gasto público e ilegal que fez num remedio que nunca teve comprovação que fazia efeito! Acorda cara! Usa esse teu conhecimento pra pesquisar em fontes confiáveis! Vai na associação de infectologia brasileira pra saber a orientação deles! Vc se acha muito inteligente mas falta o básico: senso crítico! Vá estudar e sai dessa bolha!!!

    10. No Brasil ela não foi banida. Há médicos usando.
      Emprismo vale. Dizer que só existe no Brasil é mentira.
      Fato x narrativas. Não me acho muito inteligente.
      Só tenho discenimento e não caio nesse papo de que naõ existe
      nada a se fazer precocemente.

    11. Manoel por experiência própria lhe digo que funciona, minha mãe com 76 anos histórico de câncer e hipertensa, teve Covid-19 tomou o kit de medicamentos no início da contaminação e só teve sintomas leves.
      Esses medicamentos já fazem parte do tratamento profilático na minha família e ninguém ficou internado.
      Conforme você explicou não existe nenhum medicamento para amenizar a contaminação certo? mas como a ciência explica o baixo índice de mortes por Covid-19 no continente africano que tem mais de um bilhão de habitantes?
      Lockdown?
      Hospitais altamente capacitados no atendimento?
      Os médicos são mais experientes?
      As máscaras e a prevenção da população são mais eficientes?
      Já que você segue tanto a ciência pesquise e me convença que não é algum medicamento que eles utilizam que vem dando resultados favoráveis.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

“Deixei o país com 5 malas e R$ 600 rumo à Alemanha, hoje tenho 3 empresas”

Foto: Arquivo pessoal

“Quando eu tinha 17 anos, minha mãe teve meningite, eu fiquei sozinha para cuidar dela e da minha irmã de 4 anos. Quando esta irmã completou 18, surgiu a possibilidade de ir para Alemanha. Eu sonhava em ganhar dinheiro para pagar um tratamento melhor para mamãe, já que ela estava praticamente vegetando em uma cama ao longo de todos esses anos”.

A oportunidade surgiu por acaso, eu tinha um salão de cabeleireiro em Cabo Frio (RJ), onde eu morava, e certa vez uma brasileira que vivia no exterior, foi no meu salão fazer o cabelo e me perguntou: ‘Por que que você não faz show de samba na Alemanha? Sempre me perguntam sobre mulheres que fazem show de samba, mas sou branca, e eles não se interessam por mim lá, você podia ir e fazer’. Achei a ideia boa, ela me passou um contato de lá, falei com eles, e 15 dias depois eu estava de partida para a Europa.

Em abril de 2000, eu desembarquei sozinha em Dresden, com 5 malas e R$ 600 no bolso (na época a moeda era o marco alemão e essa quantia dava quase 600 marcos).

Os primeiros três anos foram os mais difíceis. Aprendi alemão sozinha em oito meses, o que tornou minha vida bem mais prática e abriram-se mais portas. Eu já falava inglês, mas aqui eles aprendiam como segunda língua o russo, então poucos falavam inglês em Dresden.

Os meus primeiros três invernos também foram difíceis, não exatamente por causa do frio, que eu até gosto, mas pela falta de luz, que me deixava triste e desanimada. Para evitar cair em depressão, eu fazia bronzeamento artificial só para sentir aquela luz.

‘Troquei hospedagem por faxina’

Quando cheguei em Dresden, eu só tinha hospedagem para uma semana, que era na casa do dono de uma discoteca, (o contato que a moça havia me dado, não era de um grupo de samba, mas de um sujeito que gerenciava uma discoteca aqui). Eu tive que me virar para conseguir os contatos dos grupos que faziam esses shows de samba na Alemanha, então enquanto as músicas tocavam, eu subia no palco com roupa carnavalesca, e dessa forma, consegui alguns contatos.

A esposa do dono da disco estava morrendo de ciúmes de mim, aí no quarto dia eu deixei a casa deles e saí andando, procurando algum lugar para ficar, com pouco dinheiro. Vi uma loja de estrangeiros, eles falavam inglês e eu perguntei se conheciam alguém que alugava um quarto. Me deram o contato de um africano muito respeitoso, que atuava na política, e assim, ele permitiu que eu morasse na casa dele durante 6 meses em troca de serviços domésticos e faxina, e isso me ajudou bastante.

Comecei a dançar samba em um show folclórico brasileiro e depois fui morar em Frankfurt, onde se ganhava mais dinheiro. Viajava muito, trabalhava muito, sempre em eventos dos outros, grupos, clubes. Frankfurt era mais central e os voos sempre partiam de lá com destino a outros lugares e países.

‘Cilada: quase virei escrava sexual’

Antes de viver em Frankfurt, quando ainda estava em Dresden, nas minhas horas vagas da discoteca, eu me apresentava em aniversários, casamentos e festas dançando samba. Certa vez, recebi um convite para fazer um show de samba em uma outra cidade e por muito pouco não caí numa cilada. Um táxi pago pelo contratante me levou até o local, uma casa muito bonita e enorme, onde eu faria o show de samba em uma festa privada de empresa. Levei minhas fantasias de Carnaval e quando cheguei lá, era um bordel.

Notei que havia algo estranho quando vi um pole dance no palco. Eu fiquei apavorada. Antes de deixar o Brasil, eu havia pesquisado sobre a vida de brasileiros na Europa, e tinha lido que jamais deveríamos entregar nosso passaporte para um empregador, pois eles poderiam te fazer escrava sexual.

Um homem do local veio e pediu o meu passaporte, eu gelei. Disse que estava junto com as minhas fantasias e outras coisas no camarim e que ia buscá-lo.

O primeiro bar fundado por Denisa na Alemanha. Foto: Divulgação

Eu estava em uma cilada. Quando entrei no camarim, havia uma moça se arrumando, perguntei do que se tratava aquele local, e em inglês ela me respondeu ‘como assim? Isso aqui é um bordel. Por quê? Você não veio para ir para os quartos fazer programa?’

Eu desconversei, dizendo que topava fazer tudo, pois queria ganhar dinheiro, e em seguida, perguntei a ela onde poderia me trocar sozinha, pois estava tímida, e ela me indicou o quarto dela, onde recebia seus clientes. Eu levei as minhas coisas, vi que ninguém havia me visto e fugi, sai correndo pela rua. Era inverno, e estava nevando.

Eu andava rápido e escondida, com medo que eles me seguissem. Um frio danado, e eu não sabia onde estava. Aí passou um táxi e eu literalmente me joguei na frente do carro. Eu só dizia ‘help me’, mas ele entendeu o meu desespero.

Eu tentei me comunicar com ele usando um pequeno dicionário que eu carregava. Eu não tinha dinheiro pra corrida, porque era o contratante que pagaria, ele me levou de graça até Dresden, e esse taxista alemão é meu amigo até hoje.

‘Em 2008, montei meu próprio grupo de samba’

Depois de quatro anos vivendo na Alemanha, eu fui para o Brasil, fiz uma lipo e paguei excelentes tratamentos para a mamãe, que conseguiu sair da cama. Eu consegui dar a ela uma vida digna.

Após a morte da mamãe, eu deixei Frankfurt e voltei para Dresden, e em 2008, montei o meu próprio grupo de shows de samba. Tive que investir em fantasias para mim e o grupo, além de instrumentos musicais, trajes para todos os dançarinos, capoeiristas.

Em Dresden, eu não seria concorrente de ninguém, e logo de início fiz bastante propaganda, investi bastante e deu certo. Eu sou uma mulher com tino comercial, sempre fui, por mais dificuldades que eu tivesse no Brasil, cheguei a ter dois salões de cabeleireiro.

‘Vi na caipirinha uma nova oportunidade’

Anualmente acontece em Dresden um festival chamado Bundesrepublik Neustadt, uma festa muito doida e alternativa no bairro de Neustadt. Um sujeito queria montar uma barraca de coquetéis, mas eu nunca havia feito uma caipirinha na minha vida.

Daí, eu lembrei que uma brasileira aqui havia trabalhado em uma barraca de caipirinhas em Porto Seguro. Ela topou a ideia, e eu pedi um dinheiro emprestado a um amigo, compramos tudo que precisava, o dono cedeu o quiosque e trabalhamos lá, e foi um sucesso.

Após essa experiência, em 2009, comprei uma barraca desmontável e comecei a trabalhar vendendo caipirinhas em diversos festivais, e aí foram surgindo convites para festas. Eu incrementei o negócio, nós trabalhávamos fantasiados, com plumas e paetês, música na barraca, dançando, rindo e brincando com as pessoas.

Sempre formavam filas na nossa barraca. O diferencial não era apenas o sabor da caipirinha, mas o nosso jeito de ser.

‘Racismo na Alemanha? Nunca’

Eu nunca sofri racismo na Alemanha, a questão da cor da pele não faz diferença, se existe algum racista é algo raro. O preconceito aqui é contra estrangeiro no geral. Quando eu cheguei há 20 anos, a coisa era muito pesada e acho que ser mulher, jovem e bonita foi uma vantagem.

No Brasil, eu já fui barrada em um hotel em Copacabana. No café da manhã do hotel, uma funcionária segurou meu braço e disse que eu não poderia tomar café da manhã ali. Eles deduziram que uma mulher negra, tomando café da manhã em um hotel de luxo só podia ser uma prostituta que dormiu com algum gringo e que no dia seguinte se achou no direito de ir ao restaurante. Só podia ser isso né?

Esse tipo de situação eu nunca vivi na Alemanha e em lugar nenhum. Os problemas que eu tive na Alemanha foram por ser mulher, estrangeira e sozinha -com empregadores querendo tirar proveito, passar a perna.

‘Me incomodava usar peças pequenas para dançar’

Os meus shows são folclóricos, eu me inspirei um pouco nos shows do Plataforma Rio [extinta casa noturna carioca que exibia shows folclóricos], mas tem muita criação minha também. Quando eu montei o meu grupo, eu quis mudar um pouco, porque tinha coisas que me incomodavam. No Brasil por exemplo, você está dançando no Carnaval sob 40 graus, um calor danado, é justificável a gente usar aqueles biquínis pequenos.

Mas me incomodava usar essas coisas aqui, porque eu não queria ser vista de uma maneira sexista. Quando criei meu grupo, comecei a cobrir as minhas roupas. O que gringo quer ver é samba. Ele não faz questão de ver bunda. As bundas das dançarinas dos meus shows são cobertas, e os clientes gostam muito disso, porque eu trabalho para muitas empresas em eventos, não fica bem aquele monte de ‘popo’, os meus shows são também diferenciados neste sentido.

‘A crise em 2016 que gerou nova empresa’

Em 2016, houve em Dresden uma crise muito grande, um movimento xenofóbico na cidade, que matou o turismo na cidade e quebrou restaurantes e hotéis. Diminuiu muito os meus shows de samba e os coquetéis/bares móveis.

Eu estava desesperada, eu tinha que ganhar dinheiro. Passei a fazer limpeza sozinha, mas eu vi que não daria conta de atender a todos, aí montei uma equipe e chamei estudantes pra trabalhar comigo. Os brasileiros são ótimos para fazer limpeza.

Em 2018, criei uma empresa de limpeza. Eu já queria ter algo que funcionasse o ano inteiro, porque os shows e coquetéis são mais no verão. Agora, nessa pandemia, é isso que está me salvando porque a limpeza não parou.

Eu tenho uma vida estável hoje. Consigo oferecer oportunidades para outros brasileiros e estrangeiros refugiados que trabalham nos três negócios comigo. Posso dizer que sou uma pessoa vencedora. Não sou rica, mas tenho o suficiente para ter uma certa tranquilidade, paguei o tratamento da mamãe, dei uma casa para a minha irmã, e estou visando mais para o meu futuro.

‘Sem planos de viver no Brasil’

Eu gosto muito da Alemanha, não tenho vontade de voltar a morar no Brasil. As coisas aqui funcionam, são organizadas, as pessoas têm respeito. Moro no térreo, não preciso de grade, de alarme, nada dessas coisas que a minha casa no Brasil tinha, e que mesmo assim, foi assaltada. Moro sozinha, tenho um namorado alemão, mas não quero morar junto, acho que sou teimosa como eles.

Já realizei todos os meus sonhos. Cheguei aqui com 31 anos e sabia bem o que eu queria, não era nenhuma menina boba. Tenho alguns planos a realizar, mas Deus sempre mostra o caminho. Quero um dia abrir um teatro folclórico brasileiro em Dresden e trazer artistas do Brasil pra se apresentar por temporadas.

Eu sempre fui feliz, mas depois dos 50, eu tô me achando. Me casei aos 20, divorciei aos 25, percebi que casamento não é coisa pra mim. Adoro liberdade, não quis ter filhos. Eu amo a Deus, me amo, amo o próximo. Acho que liberdade e amor são o segredo da minha felicidade.

Universa – UOL

 

Opinião dos leitores

  1. Tenho vontade de ir pra Europa trabalhar como faxineira.
    Será que pagam bem?

    1. Bixa, a Roberto Freire tá fraca assim o movimento?
      Aqueta o facho.

    2. Froxa do jeito que você é, não vai ganhar nem o da sopa Rsrs bixa use pedra Hume.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Caso Madeleine – (FOTO): policiais cavam buraco em quintal na Alemanha

Agentes da polícia alemã que investigam o caso Madeleine fazem buscas em um quintal na cidade de Seelze, em 28 de julho de 2020 — Foto: Peter Steffen/AP.  Foto 2: Reprodução/Jornal Nacional

Os policiais alemães responsáveis pela investigação do desaparecimento da garota Madeleine McCann fizeram buscas em um quintal na cidade de Seelze, na Alemanha, nesta terça-feira (28).

Madeleine, uma inglesa, desapareceu em Portugal em 2007.

Julia Meyer, uma porta-voz da promotoria, confirmou que investigadores da polícia estiveram no local, onde há uma retroescavadeira desde segunda-feira, e que a presença deles lá tem ligação com o caso.

“O procedimento acontece em conexão com nossa investigação a respeito de Madeleine McCann,” afirmou. Ela não deu mais detalhes sobre o procedimento, só afirmou que a polícia ainda precisa de tempo para terminar.

McCann tinha 3 anos quando sumiu em 2007. Ela estava em um apartamento que a família tinha alugado na cidade balneária de Praia da Luz, em Portugal.

As autoridades alemãs afirmaram no último mês que identificaram um cidadão de seu país de 43 anos como um suspeito no caso, e que ele é investigado por suspeita de homicídio.

O suspeito está em uma prisão na Alemanha. Ele morou muitos anos em Portugal, inclusive na Praia da Luz na época do desaparecimento de Madeleine. Ele tem duas condenações por contatos sexuais com menores, de acordo com as autoridades.

O nome dele ainda não foi revelado, mas na mídia alemã ele é conhecido como Christian Brückner. O último lugar onde ele morou na Alemanha foi na cidade de Braunschweig, a cerca de 70 quilômetros de Hanover.

G1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Desemprego na Alemanha pode subir de 90 mil para 3 milhões de pessoas por crise causada pela pandemia de coronavírus

Foto: © Reuters/Yves Herman/Direitos Reservados

O desemprego na Alemanha pode subir de 90 mil para 2,356 milhões de pessoas em 2020 se a crise causada pela pandemia de coronavírus for moderada. No entanto, o número de pessoas desempregadas poderá superar os 3 milhões se a crise for mais grave, Informou o instituto de pesquisa sobre o mercado de trabalho IAB (a sigla em alemão), em levantamento divulgado hoje (20).

De acordo com a pesquisa, o instituto acredita que a produção econômica do país recue 2% em 2020 como resultado da pandemia. As previsões são baseadas no pressuposto de que partes da economia serão efetivamente fechadas por seis semanas e que o retorno ao normal levará o mesmo tempo.

Agência Brasil, com Agência de notícias britânica

Opinião dos leitores

  1. Culpa do Bolsonaro que não deu exemplo.
    AGORA JÁ PENSOU SE EU FOSSE NA ONDA DE DAR EXEMPLO DE PRESIDENTE??HOJE COM CERTEZA EU SERIA UM LADRÃO E UM CACHACEIRO.
    KKKKKKK

  2. Aqui no Brasil, Paulo Guedes, afirmou q Brasil não crescera 2.5 por e sim perto de 2 por cento. Acredite quem quiser. Faz pelo menos 20 anos q ministro da economia/fazenda no Brasil so mentem em relacao a economia.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Cerca de 70% da população da Alemanha podem contrair o novo coronavírus, diz Merkel

Foto: TOBIAS SCHWARZ / AFP

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, afirmou na manhã desta quarta-feira que 70% da população do país europeu, cerca de 60 milhões de pessoas, podem se infectar com o novo coronavírus. Por isso, o país investirá para conter a disseminação do Sars-CoV-2.

O motivo, segundo a chefe de governo alemã, é a ausência de uma cura para a Covid-19 e a falta de imunização da população em relação ao vírus inédito.

— Quando o vírus está se espalhando com a população sem imunidade e sem um tratamento existente, 60% a 70% da população será infectada — disse Merkel, durante uma coletiva de imprensa. — O processo (de contenção) deve se concentrar em evitar a sobrecarga do sistema de saúde freando a disseminação do vírus. É questão de ganhar tempo.

A fala pública de Merkel ocorre logo após duras críticas do jornal alemão Bild, que classificou a condução da crise pela chanceler como caótica. “Sem aparições, sem discursos, nenhuma liderança nesta epidemia”, escreveu o periódico.

O ministro da Saúde da Alemanha, Jens Spahn, tem liderado a frente de respostas ao coronavírus. Spahn tem se mostrado contra a proibição da entrada de italianos no país, a exemplo da vizinha Áustria, opinião compartilhada por Merkel.

O ministro disse, no entanto, que as medidas extraordinárias tomadas pelo governo italiano são compreensíveis dada a “situação especial” no país europeu, que se tornou a segunda nação mais afetada pelo coronavírus, atrás apenas da China. O instituto alemão Robert Koch previu, ainda, que a Covid-19 voltará a se alastrar pelo país asiático.

Coordenação nacional

Até o momento, a Alemanha registrou 1.296 contágios e duas mortes. A epidemia levantou debates sobre o modelo federal da Alemanha, que garante autonomia às autoridades regionais dos 16 estados de decidir se acatam ou não a sugestão do ministro da Saúde de cancelar eventos com mais de mil participantes, a exemplo da capital, Berlim, que adotou a medida nesta quarta-feira.

“A crise do coronavírus mostra que, sem uma condução clara, o federalismo está chegando aos seus limites na luta contra epidemias”, escreveu o Bild.

Merkel, por sua vez, defendeu o modelo e disse que o federalismo não significa que as autoridades têm a autonomia de repassar responsabilidades. A chanceler prometeu se encontrar com as lideranças estaduais para coordenar uma política nacional de resposta à Covid-19 e disse que fará “o que for necessário” para conter a doença, inclusive junto aos países da União Europeia (UE).

A chefe de governo disse, ainda, que conversará nos próximos dias com o primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, para oferecer ajuda ao país europeu. Até o momento, mais de 10 mil pessoas contraíram a Covid-19 em território italiano.

O modelo federalista da Alemanha foi estabelecido pelos Aliados após a Segunda Guerra Mundial e inserido na constituição do país com o objetivo de evitar o modelo centralizador de poder adotado pelo regime nazista.

O Globo

Opinião dos leitores

    1. Calma, nosso Presidente disse que esse vírus era "invenção" da imprensa.

    2. Vc não quer me passar as seis dezenas da mega sena dessa semana não?

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Alemanha: Autoridades decretam estado de emergência em Munique

Cn_e_ZrXEAAoW3yApós o ataque no shopping Olympia, autoridades decretaram estado de emergência em Munique. Enquanto a polícia procura os responsáveis pelo atentado, todo o transporte foi suspenso na cidade.

As informações sobre as vítimas ainda estão desencontradas. Enquanto a TV estatal alemã BR citou seis mortos, o ministro do Interior confirmou três, e o jornal alemão “Muencher Abendzeitung” apontou até 15 vítimas fatais. A polícia isolou uma vasta área nos arredores do shopping Olympia e orientou moradores a não se aproximarem da região. Segundo uma porta-voz policial, os atiradores ainda não foram localizados. Relatos ainda não confirmados oficialmente informam que um dos atiradores teria se suicidado após o ataque.

Um funcionário disse à agência Reuters por telefone que muitos tiros foram disparados e que os funcionários ainda estão escondidos.

O shopping fica na zona norte de Munique, não muito longe do Estádio Olímpico, no distrito de Moosach da capital bávara.

Imagens de TVs locais mostram dezenas de veículos de emergência em frente ao complexo. Helicópteros sobrevoam o local.

Um repórter da N-tv em Munique disse que há também relatos de tiros contra a Stachus, conhecida como Karlsplatz, uma grande praça no centro de Munique, a cerca de cinco quilômetros do centro comercial.
A polícia recomendou que as pessoas evitem locais públicos. “A situação ainda não está clara”, disseram no Twitter.

Este é o segundo ataque na Alemanha em menos de uma semana. Na segunda-feira, um jovem afegão feriu cinco pessoas em um trem na Baviera. O ataque foi reivindicado pelo Estado Islâmico (EI).

A decisão alemã de aceitar mais de dois milhões de refugiados desde o início da crise na Síria fez com que a aprovação da chanceler Angela Merkel despencasse, e abriu espeço para o retorno de grupos nacionalistas de extrema-direita que pedem o fim das imigrações e pregam o uso da violência contra muçulmanos.

O Globo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

TÁ DURO PARA TODOS: Zagueiro está fora da Copa e Alemanha tem problemas para as quartas

Na manhã desta terça-feira, a Federação Alemã de Futebol confirmou que o zagueiro Shkodran Mustafi está fora da Copa do Mundo. O defensor sofreu uma lesão na coxa esquerda, durante a vitória contra a Argélia pelas oitavas de final.

Mustafi entrou no time titular por causa do desfalque de Matt Hummels, fora do duelo por causa de uma gripe. A expectativa da comissão técnica é a de que o zagueiro do Borussia Dortmund tenha condições de disputar as quartas de final, na próxima sexta-feira. Além dos zagueiros, as condições físicas dos volantes Bastian Schweinsteiger e Sami Khedira não são as ideiais. Segundo o técnico Joachim Low, Schweinsteiger deixou o campo exausto após a vitória na prorrogação.

Com o corte de Mustafi e a volta de Hummels, é provável que o treinador alemão volte a utilizar Philipp Lahm na lateral-direita, nas quartas de final, contra a França. O duelo europeu será na próxima sexta-feira, dia 4, às 13h, no Maracanã.

Lance

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

FOTO: Müller brilha, marca três e Alemanha atropela Portugal em Salvador

CristianoRonaldo_Portugal_AP_16062014_932Tido por muitos como uma das favoritas para o título da Copa do Mundo, a Alemanha confirmou as expectativas e estreou no Mundial com uma vitória por 4 a 0 sobre Portugal, gols de Müller (3) e Hummels, na Arena Fonte Nova, em Salvador. O grande destaque da partida foi o atacante Müller, que marcou duas vezes e ainda provocou a expulsão do luso-brasileiro Pepe, no primeiro tempo.

Agora, os alemães encaram a seleção de Gana na segunda rodada do grupo G, no próximo sábado, às 16h. A partida será realizada no Castelão, em Fortaleza. Enquanto isso, os portugueses jogam sob pressão diante dos Estados Unidos, no domingo, às 19h, na Arena da Amazônia, em Manaus.

ATROPELAMENTO ALEMÃO NO PRIMEIRO TEMPO

A primeira etapa começou com os alemães tomando a iniciativa. O time de Joachim Löw começou no ataque, mas Portugal também criou algumas oportunidades. Enquanto a Alemanha chegava na base da coletividade, os portugueses dependiam da individualidade. Em um lance que o coletivo funcionou, com toques rápido, Götze foi derrubado na área e o árbitro sérvio Milorad Mazic, marcou pênalti. Müller cobrou forte no canto esquerdo e abriu o placar.

O primeiro gol serviu para dar tranquilidade aos germânicos e foi tirando a paciência dos lusos. Com muito superioridade na posse de bola e objetivo, o segundo gol foi questão de tempo. Aos 31, Hummels subiu mais que Pepe na área e cabeceou forte para ampliar. Cinco minutos depois, o luso-brasileiro Pepe se descontrolou, agrediu Müller e foi expulso. O domínio alemão aumentou ainda mais e o mesmo Müller ganhou dividida com Bruno Alves na área para marcar o segundo dele na partida.

SUPERIORIDADE TÉCNICA E NUMÉRICA PARA ADMINISTRAR RESULTADO

Na volta para o segundo tempo, Portugal até que tentou diminuir a vantagem alemã e tomou a iniciativa. Mas a vontade portuguesa parou na tranquilidade alemã. Com uma vantagem elástica no placar, o time germânico aproveitou o jogador a mais em campo e a superioridade técnica para trabalhar a bola. A troca de passes colocou Portugal na roda, que ainda sofreu com os contra-ataques rápidos puxados por Kroos, Götze e Müller.

Mas foi em um lance com a defesa de Portugal postada que o quarto gol saiu. Após jogada pela esquerda, o goleiro Rui Patrício não segurou e soltou a bola nos pés de Müller, que só teve o trabalho de empurrar para as redes. Com três gols, ele já é o artilheiro isolado da Copa do Mundo. Aos 36, o jogador ainda foi substituído por Podolski para ser ovacionado pelos torcedores. Cristiano Ronaldo ainda tentou o gol de honra para os portugueses no fim, mas Neuer defendeu a bomba do melhor do mundo em cobrança de falta. Vitória inscontestável da Alemanha, que confirmou que vai brigar pelo título.

FICHA TÉCNICA
ALEMANHA 4 X 0 PORTUGAL

Local: Arena Fonte Nova, Salvador (BA)
Data-Hora: 16/6/2014 – 13h
Árbitro: Milorad Mazic (SRB)
Auxiliares: Milovan Ristic (SRB) e Dalibor Djurdjevic (SRB)
Cartões amarelos: João Pereira (POR)
Cartões vermelhos: Pepe 36’/1ºT (POR)
Gols: Müller 10″/1ºT (1-0); Hummels 31″/1ºT (2-0); Müller 45″/2ºT (3-0); Müller 32″/2ºT (4-0)

ALEMANHA: Neuer; Boateng, Mertesacker, Hummels (Mustafi 27’/2ºT) e Howedes; Lahm e Khedira; Özil (Shurrle 17″/2ºT), Kroos e Götze; Müller (Podolski 32’/2ºT) – Técnico: Joachim Löw

PORTUGAL: Rui Patrício; João Pereira, Bruno Alves, Pepe e Coentrão (André Almeida 19″/2ºT); Miguel Veloso (Ricardo Costa – intervalo), Raul Meireles e Moutinho; Nani, Hugo Almeida (Eder 27’/1ºT) e Cristiano Ronaldo – Técnico: Paulo Bento.

Lance

Opinião dos leitores

  1. Pense numa sapatada ! Isso mostra que talento individual não ganha jogo. CR7 comprou o melhor ingresso desse jogo, assistiu de dentro do campo, não jogou nada !

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

FOTO: Alemanha admite inspiração no Flamengo para novo uniforme da Copa do Mundo

Sem títuloA Federação Alemã de Futebol (DFB) admitiu, nesta quinta-feira, que o uniforme alternativo de sua seleção para a Copa do Mundo foi inspirado nas cores da camisa Flamengo e espera que ele “traga sorte ao time”. Com listras horizontais grossas em vermelho e preto, o modelo é bastante semelhante ao do time carioca.

“Ele [uniforme] propositalmente lembra o popular clube Flamengo, do Rio de Janeiro. Esperamos assim, trazer uma boa sorte para a Copa do Mundo de 2014”, esclareceu a Federação em seu Facebook oficial.

“No espírito brasileiro, com listras horizontais e um colarinho elegante – Sua camisa para o Rio”, finalizou.

O uniforme principal, predominantemente branco, manteve as suas características principais, mas com detalhes em vermelho na região do peito.

A Alemanha está no grupo G da Copa do Mundo, ao lado de Gana, Estados Unidos e Portugal. A seleção fará a sua estreia em um duelo de europeus na Arena Fonte Nova, em Salvador. Em seguida, enfrenta Gana e EUA em Fortaleza e Recife, respectivamente.

UOL

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Alemanha construirá seu próprio alojamento no Brasil em 2014, diz jornal

515084516-alemanha-construira-seu-proprio-alojamento-no-brasil-diz-jornalA Federação Alemã de Futebol (DFB) construirá seu próprio alojamento para a Copa do Mundo de 2014, segundo informações publicadas no jornal Bild em sua edição desta sexta-feira (13).

De acordo com o jornal, os responsáveis da seleção alemã não estavam satisfeitos com nenhum dos hotéis próximos às sedes onde terão que jogar, por isso que optaram pelo projeto de construir, na cidade de Santo André, na Bahia, um complexo de 13 casa para os jogadores e o corpo técnico.

A um quilômetro de distância haverá um campo de treinamento, o centro de imprensa da DFB e outras instalações.

Para chegar ao local onde se pensa em construir o alojamento alemão é preciso atravessar o rio João de Tiba com uma balsa.

O projeto, segundo o jornal, será financiado em parte por patrocinadores da DFB.

A 15 de quilômetros do local há um aeroporto desde onde os alemães voarão para as sedes das partidas na primeira fase, que são Salvador, a 400 quilômetros, Recife, a 1.050 quilômetros, e Fortaleza, a 1.400 quilômetros.

A distância com relação ao Rio de Janeiro, onde será disputada a final, é de 850 quilômetros.

UOL

Opinião dos leitores

  1. Que chic, né não? Gente fina é ouuuuuuuuuuuuutra coisa. Como diria o Bode Gaiato: "Candacabá", na boca dos zé-manés, tudo em Natal virou Arena É nisso que dá ficar macaqueando a modernidade.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Cartunista e escritor Ziraldo é submetido a cateterismo na Alemanha

ABr26082013_DSC5219O cartunista e escritor Ziraldo, 81 anos, foi submetido hoje (11) a um cateterismo em Frankfurt, na Alemanha, onde participava de uma das mais importantes feiras do livro do mundo. Ziraldo está internado desde ontem (10), quando passou mal e teve que ser hospitalizado.

Segundo Breno Lerner, representante da Editora Melhoramentos, que publica parte da obra de Ziraldo, o criador de personagens como O Menino Maluquinho passa bem e a previsão é que ele seja liberado amanhã (12). Ainda de acordo com Lerner, que está em Frankfurt e visitou o cartunista após o procedimento cirúrgico, foram colocados dois stents em Ziraldo.

Os stents são pequenos tubos feitos de malha de metal, instalados em artérias comprometidas de forma a mantê-las abertas, garantindo o livre fluxo de sangue. O procedimento cirúrgico, segundo Lerner, durou cerca de dez minutos. Ao receber a visita de seu editor, Ziraldo fez brincadeiras sobre a qualidade da comida do hospital. A mulher e uma das filhas do cartunista mineiro estão ao seu lado.

Ziraldo passou mal logo após chegar à Feira de Frankfurt, onde participaria de uma palestra ao lado do cartunista Mauricio de Sousa, criador da Turma da Mônica. O debate foi cancelado e Ziraldo recebeu os primeiros socorros no próprio posto médico da feira, sendo levado em seguida para o hospital.

A feira literária começou terça-feira (8), segue até domingo (13) e contou com a participação do vice-presidente da República, Michel Temer, e da ministra da Cultura, Marta Suplicy, na cerimônia de abertura, quando foi inaugurado o Pavilhão Brasileiro, um espaço de 2,5 mil metros quadrados.

Uma delegação de cerca de 70 autores convidados pelo governo brasileiro representa o país no evento, que é realizado anualmente e, este ano, homenageia o Brasil. Segundo o Ministério da Cultura (MinC), o país pretende aproveitar a oportunidade para apresentar e reafirmar o brasileiro como um povo que devora as influências externas para recriá-las. A expectativa dos organizadores do evento, segundo o MinC, é que mais de 300 mil pessoas e 10 mil jornalistas visitem a feira.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

[VÍDEO] Torcedor holandês sabota ônibus da Alemanha durante a Euro 2012

Alemanha e Holanda se enfrentaram essa semana pela Euro 2012 e deu Alemanha. Mas um vídeo que está circulando na internet como mais novo sucesso é o vídeo do torcedor holandês, que horas antes do jogo, utilizou uma tranca de roda no ônibus da delegação alemã, na tentativa de impedir que os germânicos fossem para a partida.

Parece mentira, mas é melhor ver o vídeo:

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *