Geral

Caminhoneiros: governo diz que rodovias federais têm fluxo livre; greve convocada não seria unanimidade na categoria

FOTO: CARLA CARNIEL/REUTERS

O Ministério da Infraestrutura e a PRF (Polícia Rodoviária Federal) divulgaram comunicado no qual informam que, às 7h30 desta segunda-feira (26), todas as rodovias federais, concedidas ou sob administração do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), encontram-se com o livre fluxo de veículos. Havia ameaça de greve dos caminhoneiros.

Durante a madrugada e início da manhã, a PRF reportou ocorrências envolvendo aglomerações às margens de rodovias e algumas tentativas de retenção em seis estados. Todas foram debeladas com a chegada de efetivos da Polícia Rodoviária Federal ou de autoridades locais. Segundo o governo, o volume de ocorrências é três vezes menor do que o registrado no mesmo período do dia 1º de fevereiro de 2021, data da última tentativa de mobilização.

O Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC) é um dos organizadores da paralisação de caminhoneiros, chamado para domingo (25), Dia Nacional do Motorista. A realização da greve, contudo, não é unanimidade entre os representantes dos transportadores rodoviários. Entidades como Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores (Abrava), Federação dos Caminhoneiros Autônomos de Carga em Geral do Estado de São Paulo (Fetrabens-SP) e o Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens do Estado de São Paulo (Sindicam-SP) decidiram não participar dos atos. A Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), que representa 800 mil caminhoneiros autônomos, não orientou seus associados sobre a adesão ao protesto.

A categoria reclama do alto preço do diesel e pede um valor mínimo para o frete .

O ministério relata, ainda, que cerca de 20 manifestantes portando faixas realizam ato pacífico na entrada do Porto de Santos, no litoral paulista. “O trânsito permanece liberado com acompanhamento de autoridades locais e a operação dos terminais segue normalmente”, diz a nota.

R7

Opinião dos leitores

  1. Isso é uma injustiça com o nosso presidente e uma armação da esquerda, como inventarem uma greve dessas, se o governo vem mantendo o preço do combustível lá embaixo.

  2. Essa baixíssima adesão só comprova o que já sabemos: essa greve não é da categoria, é de alguns sindicalistas, ligados ao PT (é claro!). A vagabundagem e a desonestidade são marcas registradas dessa corja. A categoria é composta de gente trabalhadora.

  3. Protesto? Vamos é comemorar, o governo do mito é o melhor!
    Depois que o mito assumiu que os governadores inventaram o ICMS,por isso o mito está isento dessa culpa, ruim era quando a gasolina era 2.89.
    Bora comemorar povo patriota.

  4. Greve cooptada pelo sindicato da categoria. Quem domina os sindicatos no Brasil? Mais obvio que isso, só você executando. Sempre que se fala em greve, tem esquerdopata por trás, a chance de ser diferente é zero! A maioria dos caminhoneiros não estão aderindo a greve, assim, vem por aí pancadaria, os sindicalistas querendo obrigar, democraticamente, a adesão e impedindo a passagem dos caminhoneiros.
    A “democracia” que a esquerda brasileira pratica é a mesma usada na Venezuela e Cuba. A diferença é que nenhum esquedista vai morar naquelas democracias, mas vão morar nos EUA, Portugal, Espanha, Austrália… Esquerda que prega igualdade para o povo (na miséria) e eles desfrutando de tudo e do melhor que o capitalismo pode proporcionar.

    1. Né isso! Quase ninguém se importa mesmo em pagar o que estamos pagando por combustível e gás de cozinha né?! Só pode ser um movimento ligado ao PT né?! (Texto c ironias)

    2. Se faz greve para se ter direitos, a maioria dos direitos trabalhistas se conseguio através de greves. Não misture as coisas amigo, vc é mais um bolsominions que quando o PT governou foi morar nos EUA pq não gosta da esquerda?!
      Capitalismo não é sinônimo de direita, entenda isso.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Natal inicia vacinação de caminhoneiros nesta quarta-feira

Foto: Rennê Carvalho/Secom

A partir desta quarta-feira (07), a capital vai vacinar os caminhoneiros exclusivamente no drive e na sala de pedestres do Shopping Via Direta. Para receber o imunizante é necessário que as pessoas desta categoria apresentem cópia da carteira de trabalho, crachá funcional, contra-cheque ou carteira de sócio de sindicatos de Transportes (categoria profissional), de cooperativa de transportes ou ainda comprovante de inscrição no registro Nacional de Transportes Rodoviários de Cargas (RNTRC). Mesmo com a apresentação de um dos documentos listados, é necessário a apresentação da cópia da Carteira de Habilitação para motoristas categoria C ou E.

As pessoas com 39 anos de idade e sem comorbidades também poderão se vacinar contra Covid-19 a partir desta quarta-feira em Natal. Os locais são os quatro drives (Via Direta, Palácio dos Esportes, Sesi e Ginásio Nélio Dias), além da Prefeitura do Natal disponibilizar 35 Unidades Básicas de Saúde para a imunização.

A lista com endereços, horário de funcionamento dos locais e documentação necessária podem ser acessados através do https://vacina.natal.rn.gov.br/ .

Para agilizar a inserção dos dados vacinais é importante que a população faça o cadastro prévio no RN Mais Vacinas.

Opinião dos leitores

  1. Oxe a categoria D está ou não está inclusa?? Na imunização?? Sou motorista de caminhão categoria D.
    Alguém tem alguma informação que me ajude???

  2. Nesta terça-feira (6), a emissora paulista SBT volta a transmitir a Copa América. Argentina e Colômbia decidem quem disputará o título com o Brasil, às 21h45, no Mané Garrincha.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Caminhoneiros bloqueiam vias em protesto contra restrições em SP; rodízio é suspenso

Foto: Reprodução/Jovem Pan

Caminhoneiros fazem protesto nesta sexta-feira, 5, contra as medidas adotadas pelo governador do Estado de São Paulo, João Doria. A manifestação acontece, nesse momento, em pelo menos dois pontos da cidade, com interdição da Marginal Tietê, sentido da Rodovia Ayrton Senna, que apresenta 10km de congestionamento. Na Zona Sul da capital paulista, os protestos acontecem no Terminal Varginha. Os manifestantes reclamam do retorno da Fase Vermelha do Plano São Paulo, a mais restritiva. As novas restrições no Estado entram em vigor neste sábado, 6, com o objetivo de frear a transmissão do coronavírus e reduzir o número de internações, casos e óbitos pela Covid-19.

Por volta das 10h, os carros circulavam na Marginal Tietê com um tráfego melhor e uma aparente liberação das vias. Os protestos causaram congestionamento em todo o entorno da Marginal, principalmente na altura da Ponte dos Remédios, principal foco da manifestação. Desde as primeiras horas da manhã, apenas carros conseguem passar por uma das faixas liberadas — enquanto caminhões são impedidos de seguir viagem. A polícia tenta negociar a liberação das demais vias. As manifestações causaram, ainda, reflexos em outras estradas que ligam o interior do Estado à capital paulista. O principal reflexo aconteceu na Rodovia Castello Branco, onde o trânsito começou antes do pedágio de Alphaville. Considerando a situação, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) suspendeu o rodízio municipal de veículos em São Paulo. Segundo o órgão, além da Marginal Tietê, outras corredores principais, como a Radial Leste, também registraram congestionamento e enfrentam reflexos da paralisação.

Jovem Pan

Opinião dos leitores

  1. Esse Doria não dá uma dentro.
    Kkkkkkkk
    É por isso que o povo de São Paulo tá amando.
    Kkkkkkkk
    Otário.

  2. Massa de manobra do “Jacaré Doido”.
    Todos sabemos que o transporte sob trilhos é menos poluente, não acaba com as estradas e evita acidente, mais barato e eficiente, porém os governantes deixaram a malha ferroviária ir a ruínas.
    Está na hora de restabelecer a transporte ferroviário no País.

    1. Vai procurar se informar! Já ouviu falar da ferrovia norte-sul? Quem inaugurou ela ontem? Por acaso foi lula, Dilma?
      Esquerdalha só fala bobagens. O importante é inventar narrativas.

    2. Ô Bito gado, uma ferrovia leva anos para construir, se ilude vc achando que foi seu presidente quem a construiu, informação é muito importante.

    3. Bozo só inaugura obras dos outros. Diga uma aí, Bito Lado, que ele tenha iniciado e concluído. Destruição do que já existia não vale.

  3. Cortina de fumaça do dia para o caso da compra de uma mansão de 6 milhões em Brasília. Ontem foi uma fala absurda do pai do senador que ficou milionário só com o salário de deputado estadual e senador. Família que quer o estado mínimo para os outros e máximo para eles.

  4. O calça colada tá dando um show de administração. Querendo quebrar as empresas pra chineses comprá-las. Esse é o seu principal objetivo, não cuidar da saúde do povo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Grupo de caminhoneiros protesta em Natal por mudanças na política de preços dos combustíveis da Petrobras, e também cobra o Estado

Um grupo de caminhoneiros realiza um protesto no fim da manhã desta segunda-feira (22) na BR-101, sentido Parnamirim-Natal, reivindicando mudanças na atual política de preços dos combustíveis da Petrobras e ainda medidas em âmbito estadual.

O protesto está programado para seguir até o bairro da Ribeira e retornar pela avenida Senador Salgado Filho, paralisando em frente ao shopping Midway Mall, Zona Sul de Natal. Há ainda a possibilidade um protesto em frente à Governadoria.

 

Opinião dos leitores

  1. Pura massa de manobra, o protesto é pra ser estadual e federal, nenhum faz nada pra baixar o preço dos combustíveis, e quem fiz que vai fazer é puro populismo, só engana a seus animais.

  2. Agora a Petrobras vai aumentar a gasolina em 100% para tiras nas costas do gado o prejuízo de 100 bilhões causados pela verborragia do mito.

  3. Esse incompetente não pode continuar pondo a culpa nos outros pelo seu despreparo prá tudo. Outro especialista em nada, igual ao ministério da saúde vamos enterrar de vez a Petrobrás.

  4. O problema é o ICMS agora. A luta tem que ser deixa o ICMS em 10% em qualquer combustível ⛽ a sim seria uma nova realidade para um crescimento contínuo para o nosso estado, qualquer criança que sabe somar, Saber que sem tem valor adequado existe volume, e ganho de rendimento crescente e seguro.

  5. Essa decisão é tão boa, que os valores acionários foram para o beleleu. Uma preda de mais de 100 bilhões só por essa escoha, ridícula, para presidente da petrobras. Ele sabe, que as coisa não são assim. Agora joga a responsabilidade para os estados. Claro que os impostos devem diminuir, assim como os carteis, mas sabemos que estados pobres vivem de impostos, muitos deles, imposto pelo governo federal. Ou não é?

  6. Os militares quebraram o país na década de 60 com o golpe, vão fazer o mesmo hoje.
    Guedes perdeu a serventia, foi pra fritadeira.

  7. Estão servindo de massa de manobra pra cut e para o PT, os PTralhas estão no desespero e querem alguma maneira pra roubar, estão ficando sem o alimento deles

  8. Agora eu quero ver o que os governadores farão para amenizar esta crise.
    Bolsonaro já isentou impostos, trocou presidente da Petrobrás, deu entrada em um decreto para que os postos informem quanto cada entidade cobra.

    1. Pura verdade. Em João Pessoa os combustíveis são mais baratos, as rodovias estaduais são bem conservadas e sinalizadas.
      Já nossas rodovias estaduais é a cara do PT é malassombrada.
      Se eu me encontrar com Fatão a noite eu corro kkkkkk pense numa marmota.

    2. Titia, a Paraíba era governada pelo PSB, até pouco tempo. Aquele governador que quase foi preso por desvio, lembra? Então essa diferença entre os dois estados não pode ser debitada na conta da esquerda. Conta outra.

  9. Estão cobertos de razão. Um bem de alta necessidade ser taxado dessa forma é um crime contra o povo. Tem que protestar mesmo. 27% + 2% FECOP é um ABSURDO. E as Rodovias Estaduais, totalmente esburacadas, o povo pagando altos preços com o básico na alimentação diária, a miséria aumentando… E os bilhões que arrecadam vai pra onde?

  10. Bom é de frente a Governadoria, o presidente Jair Bolsonaro já fez a parte que lhe compete.
    Vamos pressionar a Governadora Fátima Bezerra a baixar o ICMS.

    1. Engraçado quando queriam tirar Dilma a Culpa era dela, agora a culpa é do estado? deixa de ser incoerente, o que esse Bozo fez? Tu so reproduz o que esse presidinte chibata fala, homi vá estudar, vá ler.. as lives de bolsonaro não é base de informação para ninguém não!

    2. Só demitir e por outro no lugar não resolve nada. Uma política de subsídios fiscais ajudaria a bancar essa conta que acaba encarecendo tudo que depende de combustíveis. Essa decisão cabe ao Presidente, não adianta usar a tática de por a culpa nos governadores.

    3. Engraçado que quando a gasolina era 3,60 a culpa era da presidente.
      Agora que tá 5,70 é da governadora.
      E Fatão é tão culpada que ainda vai casar greve nós outros estados tb
      Ô governadora "ladrona" da gota serena. Hoje a Petrobrás já perdeu 20% no valor de mercado. E o dólar está em alta
      Deve ser culpa da governadora tb.
      Pra essa galera que vai fazer greve, desejo todo meu apoio. Mas culpar a governadora é ser muito gado.
      E tem mais: queda no valor da Petrobrás + alta do dólar = mais aumentos de preço nós combustíveis logo logo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Em movimento tímido, grupo de caminhoneiros realiza parada em pontos isolados do país

Foto: Paulo Lopes / BW Press / Estadão Conteúdo

Na madrugada desta segunda-feira, caminhoneiros paralisaram estradas nas cidades de Cana Verde, Minas Gerais; Itatim e Vitória da Conquista, na Bahia, Colinas, no Tocantins e Votorantim, em São Paulo. Também há registros de bloqueio no Rio Grande do Sul. O Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC), um dos sindicatos que organizam a greve, divulgou vídeos em que mostra os pontos de paralisação da categoria em locais isolados do país.

Em Salvador, um grupo de caminhoneiros aderiu ao movimento, que teve início nesta madrugada e ainda é pequeno. Por volta das 8h30min, a categoria protestava na rodovia estadual BA 526, localizada na região metropolitana da capital baiana. Na região sul do Estado, ainda não há sinais de paralisação.

Mesmo com o movimento ainda tímido, líderes da categoria disseram que muitos colegas participam de casa. De acordo com a Associação Nacional de Transportes do Brasil (ANTB), não se sabe ao certo quantos dos 280 mil caminhoneiros baianos integram a ação.

Porto de Santos

Nesta segunda-feira (1º), representantes dos caminhoneiros se reuniram, em Santos, e decidiram que não haverá greve no porto. Eles entendem que este não é o momento para um movimento do tipo, visto que, por conta da pandemia, a necessidade de transporte é maior do que as reinvindicações do setor.

A Guarda Portuária monitora a entrada do local, mas a movimentação está tranquila. Para evitar possíveis aglomerações de grevistas, viaturas da guarda portuária estão paradas na avenida que leva aos principais terminais do cais santista, área onde os caminhoneiros costumam se reunir. O local foi isolado com faixas e cones.

Em 2018, caminhoneiros travaram o porto por vários dias, o que prejudicou o escoamento de produtos brasileiros para o exterior, causando filas quilométricas na entrada da cidade.

“Fora, Doria”

Também nesta manhã, um grupo de caminhoneiros interrompeu o trânsito em duas faixas da rodovia Castello Branco, na altura de Barueri, região metropolitana da capital paulista. O protesto foi contra o governador João Doria (PSDB), pelos altos preços nos pedágios e pela redução do ICMS.

O grupo não é ligado a nenhuma entidade e a pauta se diferencia da nacional, que pede, entre outras coisas, redução do preço do diesel e aumento do frete para a categoria.

Rodovias federais

Apesar das paralisações em pontos isolados do país, o Ministério da Infraestrutura e Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgaram comunicado no qual informam que, às 6h desta segunda-feira, todas as rodovias federais, concedidas ou sob gestão do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), encontravam-se com fluxo livre de veículos, não havendo nenhum ponto de retenção total ou parcial.

As medidas tomadas pelo governo federal na tentativa de impedir uma nova greve dos caminhoneiros não agradaram toda a categoria.

Entre outras reivindicações, os caminhoneiros querem redução de cobrança de PIS/Cofins sobre o óleo diesel, o aumento e cumprimento da tabela do piso mínimo do frete, estabelecido em 2018 após a paralisação de 11 dias, modificação da redação do projeto 4199/2020, o BR do Mar, sobre cabotagem, aposentadoria especial para o setor, um marco regulatório do transporte, entre outros pedidos.

Apelo do presidente

Na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro fez um apelo na tentativa de impedir a paralisação. “Não façam isso. Todos nós vamos perder. Você vai causar um transtorno na questão da economia, porque estamos vivendo uma época de pandemia”, pediu ele.

Após o início dos rumores, governo aumentou, de 2,34% para 2,51%, os preços mínimos de frete rodoviário, zerou a tarifa de importação de pneus para transporte de cargas e, inclusive, incluiu os caminhoneiros no grupo de prioridades para o recebimento das vacinas contra Covid-19.

Neste domingo, um áudio de uma conversa entre o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e uma liderança local de caminhoneiros, circulou em grupos de Whatsapp, no qual o ministro afirma não ter possibilidade de atender alguns dos principais pedidos do segmento.

Tarcísio de Freitas confirmou a autenticidade do áudio e disse que a conversa ocorreu no sábado, mas disse que se tratava, apenas, de esclarecer o papel do governo em cada demanda, o que é possível fazer e o que não é.

O Ministério da Infraestrutura informa, ainda, que boletins sobre o fluxo de veículos serão atualizados periodicamente e “estão baseados em informações do centro de controle da Polícia Rodoviária Federal”.

Correio do Povo, com R7

Opinião dos leitores

  1. Todos os comentários são importantes (opiniões ) Mais o parabéns hoje vai para o comentário desse Neco. "Hospitais, tudo por causa de política " . Esquerda está sem noção faz tempo. Se o governo xingar o Mosquito da dengue, eles defendem o Mosquito.

  2. Esse movimento já começou fracassado.
    A enorme maioria dos caminhoneiros estão rodando, circulando normalmente.
    Como sempre, existem de 5% a 10% da categoria que não tem representatividade e fazem bagunça, obedecendo as ordens da turma do "quanto pior para o povo, melhor para eles".
    É mais uma tentativa de desestabilizar o governo para tentar reverter a provável derrota na eleição de presidente da câmara por parte da esquerda.
    Se o Baleia Rose perder e não puder dar continuidade aos desmandos contra o país criado por Rodrigo Maia, muita coisa poder mudar em favor e positivamente para o povo, começando o desenvolvimento e o crescimento do país, mesmo com a pandemia que a turma do caos não quer acabar.

  3. Eu torço que esse movimento grevistas dos caminhoneiros seja um total fracasso,porque se essa greve perdurar por vários dias,nós o povão da classe B,C,D,E é quem seremos atingidos diretamente nos nossos orçamentos familiares ainda mais com novos reajustes dos preços dos alimentos,gasolina e etc…,sabemos que depois da pandemia da covid-19 ou coronavirus os produtos básicos vêem se reajustando quase que diariamente.

    1. Exatamente! É uma classe lutando por seus "direitos" em detrimento do prejuízo de toda uma população.

  4. Tem que decolar…
    Estou me juntado com uns companheiros para ajudar na alimentação e água para os caminhoneiros.

    1. No meio de uma pandemia, economia tentando se erguer, familias tentando sobreviver, um verme desses vem fomentar algo que pode gerar mais desemprego, desespero, desabastecimento, inclusive com consequências para hospitais. Tudo por causa de política. A língua não tem palavras para classificar seres ignominosos como esse ZéDroGado (personagem?).

    2. Leitores, eis o linguajar de um autêntico seguir do presidente da república.

    3. Vc só vê baixaria saindo lado bolsonarista, né? Só tem imortal da ABL do lado de vcs.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Em aceno a caminhoneiros, Bolsonaro autoriza reduzir PIS/Cofins sobre diesel

Foto: Pedro França/Agência Senado

O presidente Jair Bolsonaro deve anunciar em breve a redução do PIS/Cofins que incide sobre o óleo diesel. A medida será um aceno a caminhoneiros, em meio a ameaças de greve da categoria.

Segundo apurou a CNN com fontes do Palácio do Planalto e da equipe econômica, Bolsonaro já autorizou a Receita Federal a programar uma fonte compensadora para a redução da alíquota do tributo.

A interlocutores, o ministro Paulo Guedes vem dizendo que a ideia é “atenuar” o recente aumento no preço do diesel na bomba, e não zerar completamente os dois impostos.

A ideia do Palácio do Planalto é anunciar a medida antes da eleição para as presidências da Câmara e do Senado, marcada para segunda-feira (1º), para evitar que a ameaça de greve dos caminhoneiros contamine a disputa.

Auxiliares presidenciais ressaltam que outras medidas também estão em estudo para atender demandas dos caminhoneiros. Entre elas, possíveis alterações nas regras de pesagem de carga.

Esses auxiliares lembram que, nas últimas semanas, o governo já havia zerado o imposto de importação de pneus e incluído os caminhoneiros no grupo prioritário para vacinação contra Covid-19.

Apesar disso, a categoria passou a fazer ameaças de greve após a Petrobras aumentar o preço médio do diesel nas refinarias em 4,4%, a primeira alta do combustível em quase um mês.

Procurados oficialmente, o Palácio do Planalto e o Ministério da Economia não responderam. O Ministério da Infraestrutura não se pronunciou.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Blefando, só se ele colocar um novo imposto que cubra a receita.
    Bora ver!
    Taí, gostei da idéia.

  2. Os caminhoneiros devem pressionar é o governo estadual para reduzir o ICMS que é o responsável pela maior carga tributária nos combustíveis

  3. Seu Marcos, taí , o aumento dos impostos, Governador Robson Faria e o líder Fernando Mineiro. Votaram a favor os deputados Albert Dickson (Pros); Alvaro dias (PMDB); Carlos Augusto Maia (PtdoB); Cristiane Dantas (PCdoB); Dison Lisboa (PSD); Galeno Torquato (PSD); Gustavo Carvalho (Pros); José Dias (PSD); Nelter Queiroz (PMDB); Raimundo Fernandes (Pros); Ricardo Motta (Pros); Souza Neto (PHS); Tomba Farias (PSB) e Vivaldo Costa (Pros). O líder do governo, FERNANDO MINEIRO (PT) e o presidente da Assembleia Ezequiel Ferreira (PMDB. O secretário estadual de Tributação, André Horta acompanhou a votação na Assembleia.

    Com relação ao ICMS, o primeiro projeto levado à votação, foi feito um substitutivo ao projeto original. Na matéria levada a plenário, a nova alíquota para mercadorias, bens e serviços é de 18%. Outras principais alterações foram a de combustíveis, passando de 25 para 27%, telecomunicações para 28%.

  4. Não sou nem petista e muito menos Bolsonarista .
    Fatinha nunca aumentou Icms de combustível . O certo é taxar grandes fortunas e voltar cpmf com pequena taxa.
    Por outro lado , não cobra IR de quem ganha até 5 mil / mês.

  5. Enquanto o governador Calcinha apertada aumenta impostos , o governo do Presidente Jair Bolsonaro baixa, Hô Véio arroxado do cunhão rôxo é Bolsonaro.
    MITO 2022.
    A Governadora Fátima nem fala em baixar nada, só aumenta.

    1. Queria saber de onde vem essa fonte que houve aumento de impostos aqui. É um fonte sigilosa, pois em diários oficiais não tem nada descrito. Fora isso, a gasolina está no céu!!!

    2. Marcos, pesquise aí um tal de PMPF que tu vai vê quantos aumentos de pautas ja foram feitos só no seu desgoverno petista.
      Record de arrecadação vc ouviu falar né?
      Graça a esses aumentos que foge a os olhos do consumidor.

  6. Os proprietários de veículos também podem fazer protestos. Abasteçam o mínimo necessário; não comprem nada que aumente a arrecadação de impostos do governo, exceto o básico em alimentação; não comprem nenhum veículo de nenhuma concessionária. Se a população tivesse o mínimo de inteligência, nunca passariam por uma situação dessas! Eu faço a minha parte!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

FOTOS E VÍDEO: Caminhoneiros protestam contra Doria por causa do aumento do ICMS em SP

 Fotos 1 e 2: Alexandre Calado/TV Globo; foto 3: Cíntia Acayaba/G1 SP

Motoristas de caminhões estavam fazendo carreata com buzinaço na manhã desta quarta-feira (27) em protesto contra o aumento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) na cidade de São Paulo. Distribuidores de mercadores do estado também participam do ato. O governo paulista divulgou nota informando que a manifestação tem caráter político e foi convocada por simpatizantes bolsonaristas. ASSISTA VÍDEO AQUI.

Por volta das 8h, os veículos se reuniram em frente ao Estádio Municipal do Pacaembu, na Zona Oeste da capital, e saíram em direção a quatro locais: a sede do governo estadual, no Morumbi, na Zona Sul, o Ministério da Fazenda, e nas marginais Pinheiros e Tietê.

Os motoristas querem que seja retirado o fim de isenção do ICMS. O aumento do imposto acarretaria, segundo eles, um acréscimo de carga tributária de 12% a 13%.

O número total de caminhões envolvidos no ato não foi divulgado, mas a expectativa dos organizadores é de que cerca de 900 veículos participem da manifestação. A Polícia Militar (PM) e a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) acompanham o ato.

Com G1

Opinião dos leitores

  1. Podem pesquisar.
    Ja ouve um tratoraço no estado inteiro.
    Por onde esse calça justa passa em São Paulo, a váia come no centro.
    Podem pesquisar.
    Tá no YouTube.

  2. Eis o jeito esquerdista de governar !!! Impostos e mais impostos. Enquanto isso o governo federal corta impostos !!! Só não vê quem não quer.

    1. Dória, a guinada liberal do PSDB é esquerdista, é cada politizado por whatsapp que a gente vê por aqui.

    2. muuuuuuuuuuuui liberal… aumentando impostos.
      Fechando comércios.

  3. Querem transferir o título de genocida do presidente para o gov de SP.
    Gasolina vai pra R$ 7, botijão de gás R$ 100.
    O gado se faz de cego, surdo e mudo.

    1. Zé Gado, não sei nem como classificar seu comentário. Burrice talvez? Quem majora preço de gás ou gasolina, não só governo, especialmente o federal, já que boa parte da composição desses preços, são o próprio ICMS. Agora aumentar ICMS é uma “ir”- responsabilidade do governo estadual.

    2. Além de variar de acordo com o mercado internancional. Todas as petroleiras saudáveis têm suas obrigações amarradas ao dólar. Ou se aguenta isso, ou se fica sem petroleira. Por mim, já deviam ter privatizado, mas é o que se tem no curto prazo (ou se quebra, fazendo populismo com os preços). Quer que a gasolina baixe (ou seu eu também quero): faça reformas para atrair capital produtivo – inclusive destravando o marco do gás – e rezem para o Golfo Périsco não explodir.

    3. Esse cara é um energúmeno, não estuda porra nenhum, só repete que nem papagaio, é tão covarde que nem o nome dele tem coragem de colocar nos comentários.

  4. Doria vai matar o povo de fome. Vao colocar a conta da publicidade dele nas costas do povo. Genocida.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acidente

VÍDEO – Cantor Leonardo fala sobre acidente com os filhos: “Salvos por caminhoneiros”

 

Ver essa foto no Instagram

 

Estão todos bem. Obrigado por todo carinho.

Uma publicação compartilhada por Leonardo ?? (@leonardo) em

A família do cantor sertanejo Leonardo passou por um grande susto.

Dois dos seis filhos do músico e o sobrinho, filho do cantor Leandro, se envolveram em um acidente de carro durante o caminho da fazenda do cantor, a Talismã, no interior de Goiás. No percurso, o motorista tentou desviar de uma carreta e acabou capotando na estrada e caindo no Rio dos Bois.

Leonardo então foi para as redes sociais ao lado de Zé Felipe, Matheus Vargas, João Guilherme e do sobrinho, Leandrinho. Na gravação, ele explicou com detalhes como ocorreu o acidente e tranquilizou os fãs, deixando claro que todos estão bem.

“Como vocês já viram um acidente que teve com os meninos. O Zé Felipe não estava. Estava o Matheus, o Leandrinho, meu sobrinho, filho do Leandro, e o João Guilherme e o Tita, o motorista. Eles estavam vindo para a fazenda ontem à noite. Tem 50km de estrada de terra. A estrada está muito boa, mas as pontes são aquelas feitas de madeira feitas há 100 anos atrás. O motorista por ser um cara de cidade, de asfalto, passou direto na poeira dos caminhões que estava passando…”, relatou.

No final, Leonardo contou que eles foram ajudados pelos caminhoneiros e agradeceu a Deus pelo córrego estar com pouca água, já que eles caíram de uma altura de dez metros: “Na poeira ele passou direto e caiu dentro do córrego. para a felicidade de todos nós o córrego estava com pouca água. Eles caíram de uma altura de 10 metros, bateu e virou com as quatro rodas pra cima. graças a deus os caminheiros ajudaram eles a sair do carro. Só o Leandrinho que teve uma luxação no pulso, mas está tudo certo”, encerrou.

Keila Jimenez- R7

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nacional

Ala de caminhoneiros cobra categoria em ato do dia 15 e defende intervenção militar


Foto ilustrativa: Agência Brasil

Líderes de caminhoneiros descartam, por enquanto, aderir aos atos marcados para o próximo dia 15 de março em apoio ao governo Jair Bolsonaro, mas uma ala tenta convencer a categoria a engrossar as manifestações. Esse grupo defende inclusive uma nova intervenção militar no país.

Quase um mês após o fracasso de uma paralisação que reivindicava o piso mínimo para o frete, os principais líderes de caminhoneiros se mostram reticentes em politizar as reivindicações da categoria.

Para eles, aderir à manifestação do dia 15 seria adotar uma pauta que não pertence ao grupo —as críticas ao Congresso e ao STF (Supremo Tribunal Federal).

Chorão, um dos líderes da greve de 2018, é um dos que discorda publicamente da presença da categoria no ato. “A frente da Abrava [Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores] não participa em pauta que não é da categoria”, afirmou.

É a mesma posição de Marcelo da Paz, líder dos caminhoneiros no Porto de Santos (SP). “Não vamos participar. Não usamos nossa categoria para politicagem, seja ela oposição, centrão, seja da base do governo”, disse.

Confira aqui matéria completa.

FOLHA PRESS

Opinião dos leitores

  1. Não é politicagem. É necessidade de fazer o Brasil melhorar, mas com esse STF e congresso, não teremos como mudar o país.

    1. BG
      Esses BENGALEIROS do supremo tem que serem imediatamente afastados e colocados novos ministros comprometidos coma Nação Brasileira e seu povo. Tornar essa Lei da prorrogação dos ministros do supremo INVALIDA. Mandar esses individuos desqualificados para casa com direito só a pijamas

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Fracassa greve dos caminhoneiros apoiada pela CUT

Foto: Agência Brasil

A greve dos caminhoneiros apoiada pela CUT fracassou, informa a Crusoé.

A paralisação estava marcada para começar às 5 horas de hoje. Mas, segundo o Ministério da Infraestrutura, todas as vias estavam livres e os caminhões circulavam normalmente até às 11h.

O Antagonista

Opinião dos leitores

  1. Maravilha. Os vagabundos dos petralhas não querem ver o bem do país, querem que o país simplesmente exploda.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Acordo com caminhoneiros deve ser fechado semana que vem, diz ministro

Foto: Alan Santos/PR

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse nessa quarta-feira (24) que um acordo com os caminhoneiros deve ser fechado na próxima semana. A proposta envolve a realização de “acordos coletivos” entre a categoria e transportadoras e embarcadores para resolver uma das principais reivindicações dos caminhoneiros, um ajuste no piso mínimo de frete de transporte rodoviário de cargas para prever a possibilidade de lucro para os caminhoneiros autônomos.

Segundo a categoria, a resolução da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), suspensa na segunda-feira (22), só trazia a previsão do custo mínimo para o frete, deixando de fora a remuneração do caminhoneiro autônomo pela carga transportada. As reuniões da próxima semana estão marcadas para ocorrer de segunda (5) a quarta-feira (7). A ideia é fazer uma espécie de acordo coletivo entre os segmentos.

Pela proposta em negociação, alguns itens seriam revistos na tabela para incluir custos, que de acordo com os caminhoneiros não foram considerados. Na outra ponta, os representantes do segmento fariam um acordo sobre o percentual de remuneração a ser aplicado no cálculo do frete.

“Ao longo das negociações surgiu essa possibilidade, que está prevista na lei, de fazer esses acordos coletivos. Os embarcadores toparam, os transportadores toparam e os autônomos também”, disse o ministro. “A vantagem é que o acordo gera o consenso e a partir daí se estabelece um patamar de valor que efetivamente vai ser praticado, o que não aconteceu até agora com a história da tabela de frete. Se gerava um valor que não era efetivamente pago”.

Resolução suspensa

No final de semana, os caminhoneiros demonstraram descontentamento com a metodologia aplicada na resolução da ANTT, elaborada em parceria com a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ), da Universidade de São Paulo (USP), sobre o piso mínimo de frete. Com a suspensão das novas regras, a ANTT determinou que ficam valendo as regras anteriores, aprovadas em 2018, até nova decisão da agência reguladora.

A resolução suspensa determina que o cálculo do piso mínimo passará a considerar 11 categorias na metodologia. De acordo com o ministro, os acordos devem ser fechados com cada um dos segmentos, inclusive para resolver demandas pontuais de cada um deles. A proposta de consenso também prevê a revisão dos custos mínimos da tabela a cada seis meses e que os acordos tenham periodicidade de um ano.

“A base é a tabela da ESALQ. Foi um trabalho minucioso, escrutinado pela sociedade e submetido a consulta pública. É um trabalho que deve ter alguma necessidade de ajuste, de aperfeiçoamento constante da referência, porque no final das contas ela vai virar uma grande referência. Em cima disso vamos pactuar com os setores aquilo que é extra custo e que compõe então o valor do frete”, disse Tarcísio.

Confiança

Ao final da reunião, que durou mais de quatro horas, os caminhoneiros demonstraram confiança no fechamento de um acordo que contemple os interesses de cada segmento. Segundo o presidente da Federação dos Caminhoneiros Autônomos de São Paulo (Fetrabens), Norival de Almeida, os caminhoneiros esperam resolver alguns pontos da tabela de piso mínimo e chegar também a um ponto de equilíbrio entre o que é pleiteado e o que embarcadores e transportadores estão dispostos a negociar.

“Existem alguns itens que não foram colocados na planilha [da tabela de piso mínimo] para poder dar os números realmente necessários [do custo de frete], por isso [ o que saiu na tabela] que ficou um número menor do que o já praticado”, disse Almeida, que também falou sobre o acordo de consenso sobre a remuneração da categoria. “Se formalizou ainda as confederação representando os autônomos e as outras confederações, todas elas estão se juntando e fazendo uma espécie de convenção coletiva para que isso tenha um embasamento e que seja também constitucional”.

Mais cedo, o ministro se reuniu com 43 empresas e associações de transportadores. Após as mais de três horas de reunião, o vice-presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT), Flávio Benatti, também disse estar otimista com a possibilidade de um acordo. “Saímos muito otimistas com relação à pretensão do ministério de buscar o consenso”, disse.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

VÍDEO: Bolsonaro almoça com caminhoneiros em GO

Cumprindo agenda nesta sexta-feira(31) em Goiás, o presidente Jair Bolsonaro(PSL) almoçou ao lado do Governador de Goiás, Ronaldo Caiado, do Ministro da Infraestrutura, Tarcisio Gomes de Freitas, do Porta-Voz da presidência, Rêgo Barros, e “colegas caminhoneiros, trabalhadores fundamentais para o funcionamento do Brasil”, assim descreveu pela rede social Instagram.

O bom relacionamento do capitão com a classe dos caminhoneiros não é de hoje. Assista abaixo.

 

Opinião dos leitores

  1. Caro Sr. Manoel Araújo, o senhor como todos nós Brasileiros não somos obrigados à ter a arma,mas o senhor é nenhuma outra pessoa pode tirar o direito de cada um de nós escolhemos se queremos ou não ter uma arma, essa conversa de que vai ter mais mortos é uma balela!

  2. Pobres brasileiros…..nossos governantes em lugar de combater a violência, coloca armas nas mãos da população para enfrentar a barbárie que existe no país. O “nosso presidente “ estava de moto, armado e foi vítima de assalto. Lógico que ele não fez nada….
    Se elegeu com ajuda de produtores rurais, donos de transportadoras, fábricas de armas……..e agora que devolver os favores de campanha dando um empurrãozinho nos caixas desses colaboradores.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Governo Bolsonaro libera 2 bilhões de reais e cria linha de financiamento para caminhoneiros

Foto: Ueslei Marcelino/Reuters 

O governo Bolsonaro anuncia agora um pacote de medidas para agradar os caminhoneiros.

Serão liberados 2 bilhões de reais para obras restauração de estradas, além de criar uma linha de financiamento no BNDES de 500 milhões de reais para a manutenção da caminhões.

O governo vai exigir também que as concessionárias de estradas concedidas construam áreas de descanso para caminhoneiros nos pontos de pedágio.

O Antagonista

Opinião dos leitores

  1. Atitude correta, mais acertada se fosse substituída pelo aumento do stf. Com certeza, teria o apoio popular em 99,99 por cento do país.

    1. Está em todos os sites, globo, UOL, Folha. Basta acessar a Internet e os referidos sites.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

‘A paralisação precisa acabar, não interessa a mim, ao Brasil, o caos’, diz Bolsonaro

Por interino

O deputado e presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), em evento com prefeitos em Brasília – Adriano Machado – 23.mai.2018/Reuters

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) afirma que a paralisação dos caminhoneiros já chegou ao seu ápice e precisa acabar. “Não interessa a mim, ao Brasil, o caos agora”, afirmou.

Em entrevista à Folha, o deputado negou ter ligação com suas lideranças, especulação que cresceu nos últimos dias devido à presença frequente de apoiadores de sua candidatura entre os manifestantes.

Por “caos” ele exemplificou a ideia de derrubada do presidente Michel Temer (MDB). “Se faltasse um ano e meio, dois, três, tudo bem, pô.”

Bolsonaro repeliu a defesa de intervenção militar esposada por vários dos caminhoneiros em faixas, grupos de WhatsApp e bloqueios. “Se tiver de voltar [os militares], que volte pelo voto”, disse, para não “dar essa bandeira para o PT dizer que foi golpe, porque aí foi golpe mesmo”, afirmou.

O presidenciável falou pela primeira vez na paralisação em sua conta no Twitter na segunda (21). Ele deu apoio aos caminhoneiros e prometeu revogar eventuais multas caso eleito em outubro, mas criticou bloqueios de estradas.

Sua inflexão pelo fim do movimento ocorre no momento em que estão se agudizando os efeitos do desabastecimento em centros urbanos.

A modulação está em linha com o que defendem alguns de seus estrategistas, que temem a associação da imagem do deputado à de um radical.

Como o sr. vê o movimento dos caminhoneiros? 

Caso eu fosse presidente, isso não teria acontecido, pois há dois anos eu acompanho o movimento dos caminhoneiros. Estive com eles em Gramado, no Rio e em Brasília.

Nos últimos dias, o sr. foi o personagem político mais associado ao movimento. Como se deu isso? 

Eu não participei da eclosão do movimento. O Temer resolve agora isentar o pedágio por eixo levantado por MP, isso é uma reivindicação antiga deles, que eu conhecia. Eu vejo críticas na mídia de que o Temer está passando por cima de um contrato, mas não é um ato jurídico perfeito. Se é uma cláusula leonina, ela pode ser questionada na Justiça.

O que faltou? 

Faltou bom senso por parte do governo e por parte das empresas que exploram o governo. Há a questão do preço extorsivo do pedágio. A lombada eletrônica é outro problema. Deve ter mais de mil lombadas na BR-116, e isso vai para o frete, e acaba no preço do feijão que compramos no mercado.

Outro problema deles é a condição das estradas. E, em especial no Sudeste, roubo de carga. O prejuízo anual está na casa do R$ 1,5 bilhão, eu ouvi em reuniões em Brasília. E o governo não manda um representante nessas reuniões.

O sr. se disse contrário a bloqueios, mas apoiou o movimento. A paralisação chegou a um ponto em que, refluindo ou não, está afetando a população na ponta. Como fica o apoio? 

Eu estou conversando com, não digo lideranças, mas gente deles. Não existe liderança, tem muito voluntarismo. Eu estou dizendo para eles que isso é igual a remédio, se tomar demais, vira veneno.

A Federação Única dos Petroleiros anunciou uma greve para quarta, mas sem pauta nenhuma, não estavam negociando nada com o governo. É uma greve para voltar a Dilma? Pelo Lula livre? Isso é a pauta da esquerda, a pauta do caos.

Eles estão sabendo que, se morrerem centenas de milhares de galinhas por falta de ração, para aquela granja voltar a ter galinha, são seis meses. Isso vai encarecer o ovo.

A coisa chegou num ponto que precisa refluir. Aí entra o aspecto político. Não interessa, acredito eu, para mim, para o Brasil, para quem quer a democracia, o caos agora.

Querem tirar o Temer? A eleição está chegando, faltam cinco meses. Se faltasse um ano e meio, dois, três, tudo bem, pô. Estão faltando poucos meses. Por isso eu estou batendo na tecla de que a lei do voto impresso precisa ser cumprida, acabar com aquela suspeição sobre fraude.

E como o sr. vê o pedido de intervenção militar? 

Isso vem de um grupo pequeno. No desespero, cara, você pede qualquer coisa. Na minha opinião, dos meus amigos generais, se tiver de voltar um dia, que volte pelo voto. Aí chega com legitimidade, não dá essa bandeira para o PT dizer “Abaixo a ditadura” ou “Foi golpe”, porque aí foi golpe mesmo.

Não passa pela minha cabeça e eu não vi isso passar pela cabeça de nenhum general.

O que o pessoal tem saudade é dos valores, era uma época diferente. Hoje tem um desgaste de valores. Aí o [ex-governador paulista e presidenciável tucano Geraldo] Alckmin aceitou a questão de que qualquer pessoa que se sinta mulher vai para banheiro feminino [resolução de 2014 garante o uso de sanitários em escolas públicas baseado na declaração de gênero].

Que porra é essa, pô? Eu tenho uma filha, ela vai no banheiro e vai ter um cara balançando o peru lá dentro? Querem que eu aceite? A mulher que se sente homem não vai no banheiro dos homens. Duvido que uma mulher gay, bonita, vá no banheiro dos homens na rodoviária.

O sr. acha que a paralisação passou do limite? 

Ninguém quer o caos. Quem quer o caos é a esquerda, acusar os latifundiários, os empresários, os americanos. Querem pretexto. No que depender de mim, ninguém vai dar pretexto de fazer uma falta. Não tem uma bandeira vermelha [entre os manifestantes], estão de parabéns. Se querem ir para a frente de quartel, tudo bem. Quem garante a liberdade e a democracia são os militares.

Se eu puder dar um recado para o movimento, a corda esticou, todos vão perder. Até o que o caminhoneiro vai ganhar com o diesel, vai perder com o empurrão na inflação.

Até aqui estou com eles, chegou ao ápice, não exerço influência. Até porque em grande parte o governo entendeu que eles tinham razão, podemos voltar à normalidade. Eles mostraram que a população está ligada na questão dos tributos escorchantes no país.

Há algum tipo de insubordinação entre militares? 

O sentimento que eu tenho da tropa é de que ninguém quer ir para o confronto.

Folha de São Paulo

Opinião dos leitores

  1. Palmas para o futuro presidente deste país perneta!… Gostei do que ele disse: claro, preciso, objetivo e lacônico. Tem de sere assim mesmo. O povo está cansado de enrolação, de blá, blá, blá desses aí (Temer e companhia) que, até agora, não fizeram nada para melhorar a vida do povo; aliás, apenas piorou! E se ele não for o presidente, que haja a intervenção militar…

    1. PIMENTA NO C#@$&¨DOS OUTROS É REFRESCO.
      CONVERSANDO LESEIRA.
      INTERVENÇÃO MILITAR. ESTUDE ESSE TEMA E VEJA RELATOS.
      FAÇA ASSIM, ADOTEM ESSE REGIME DENTRO DE SEUS CONDOMÍNIOS FECHADOS, COLOQUEM UM MILITAR E SUAS REGRAS DENTRO DE UM CONDOMÍNIO. NÃO DAREI 2 SEMANA PRA VCS PEDIREM PRA SAIR.

  2. RAPAZ, EU TENHO VINTE E POUCOS ANOS E DARIA UMA RESPOSTA MELHOR SOBRE ESSA SITUAÇÃO ATUAL …

    A CADA DIA E DECLARAÇÕES DO "MITO", VOU ME CONVENCENDO QUE ESSE NÃO É O CARA PARA OCUPAR UM CARGO TÃO COBIÇADO NO BRASIL!
    TALVEZ O LUGAR DELE SEJA EM ALGUMA OUTRA PASTA, MAIS PRESIDENTE? COMPLICADO.

    EU FICO ME PERGUNTANDO… E SE ESSE "MITO" FIZER MERDA LÁ NA FRENTE E O POVO BRASILEIRO TENTAR REIVINDICAR SEUS DIREITOS NA RUA REALIZANDO PROTESTOS ASSIM COMO O DOS CAMINHONEIROS…

    LEVARIA CACETE DA PM E FORÇAS ARMADAS, SEM SOMBRA DE DÚVIDAS. FALO ISSO SEM MEDO DE ERRAR….

    MUITO CUIDADO, UM ERRO EQUIVALE A 4 ANOS.

    TUDO INDICA QUE BOLSONARO SEJA ELEITO, COMO TAMBÉM TUDO INDICA QUE ELE FARÁ BESTEIRA EM SEU MANDATO E POSSA OCORRER O SEU IMPEACHMENT.

    É AI QUE VEM A SURPRESINHA, ESSE CAMARADINHA JUNTAMENTE COM SEUS CORRELIGIONÁRIOS MILITARES PODERÃO DAR FORÇA A UMA INTERVENÇÃO MILITAR.

    BG SALVE ESSE COMENTÁRIO. NA VERDADE ESSA PREVISÃO!!

    1. Eu tenho 75 anos e já passei muita coisa nesse Brasil vou dizer uma coisa a todos e só respeitar as leis que tudo vai bem

  3. Aos eleitores desse cidadão, por favor, assistam toda a participação do "mito" nesse evento. Basta procurar por "XXI Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios" no Youtube. Eu sei que para alguns é muito difícil assistir vídeos relativamente longos, mas façam um esforço, é pelo Brasil, meu caro patriota. Assistam atentamente e verifiquem se o que ele responde está de acordo com o que foi perguntado. Assistam e verifiquem se ele parece demonstrar conhecimento sobre o que fala. Assistam, e sem idolatrias avaliem a desenvoltura desse candidato em comparação aos demais.

  4. Esse é o nosso presidente !!! Sem fanatismo ideológico e proferindo um discurso sensato, pensando no melhor para o país. Vai vencer no primeiro turno !!!

  5. Da pra ver a qualidade de presidente que essa bosta seria. só abre a boca pra falar merda..

    1. Luladrao, ele tem que arranjar uma asseessoria que preste, do contrário cada vez que abre a boca só sai besteira. Como dizia Romário, ele é um filósofo, calado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Governo pode subir tributos para compensar diesel mais barato para caminhoneiros, diz ministro da Fazenda

Por interino

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, afirmou nesta segunda-feira (28) que pode ser preciso aumentar outros tributos para compensar o subsídio que será dado aos caminhoneiros, para manter o preço do diesel mais baixo.

“Será compensado com outro tributos. Pode criar impostos, mas há restrições legais. Majoração de impostos, eliminação de benefícios hoje existentes. Através de lei ou decretos”, declarou ele.

Segundo o ministro, isso será necessário para compensar a redução de R$ 0,16 por litro do diesel da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (CIDE), e parte do PIS-Cofins.

Além disso, o governo também vai levar adiante um programa de subvenção econômica ao combustível, que assegurará R$ 0,30 a mais até o fim do ano. Ao todo, a redução no preço será de R$ 0,46 por litro do diesel.

“Ao invés de CIDE e PIS-Cofins sobre o diesel, vamos tributar outras coisas que eu vou comunicar quando for divulgado”, declarou ele a jornalistas.

G1

Opinião dos leitores

  1. O povo brasileiro precisa entender que não se pode clamar por menor carga tributária ao mesmo tempo em que se deseja um Estado enorme. Tem que privatizar essas estatais. Por que devemos sustentar esses monstrengos, utilizados pelos políticos corruptos como cabides de empregos e como fontes de recursos ilícitos? Uma máquina pública inchada precisa de muitos recursos financeiros para sustentá-la. E de onde vêm esses recursos? Do bolso do povo, claro. Não há mistério algum nisso. Não existe "almoço grátis". O Brasil precisa de capitalismo, de liberalismo econômico de verdade. Os EUA têm a mesma idade do nosso país e chegaram aonde estão porque levaram isso a sério. Agora, há gente por lá tentando desvirtuar a coisa mas a origem do sucesso americano foi assim. E isso ocorreu em todos os países hoje desenvolvidos. Qual país conseguiu atingir o progresso através do comunismo/socialismo? E por que devemos teimar com algo que não deu certo em lugar algum?

  2. Subir mas os tributos???? Estão querendo jogar a população contra os caminhoneiros, isso não cola mais!!! Bando de corruptos.

  3. Canalha , so faz isto porque esta mamando do governo, não sabe quanto custa nada pilantra, seus dias vão acabar nojento

  4. Governo LADRÃO , façam cortes nos cartões corporativos, acabem com as mordomias no congresso, reduzam as verbas de gabinete, acabem com o plano de saude vitalício de vocês mafiosos !!! Vocês são a maior quadrilha de bandidos que existem no mundo , nunca vi alguém roubar tanto quanto vocês.

    1. Você está certíssimo
      Reduzir para no maximo
      2 senadores por estado
      300 deputados federais
      15 ministérios
      Fim dos auxílio moradia
      Acabar com as estatais que só são cabides de empregos
      Etc etc etc

    2. Corretíssimo. Faltou citar muitos outros privilégios como, por exemplo, o grande número de mordomias pagas pelos contribuintes aos ex presidentes. Por que até mesmo um ex presidente preso, como o Lula, deve ter direito a motoristas, carros, seguranças, etc.? É muita coisa que precisa ser revista nesse Brasil.

    3. Rapaz, até reitor de universidade pública tem carro oficial com motorista!!! A sociedade não aguenta mais pagar por tudo isso não. Esse protesto dos caminhoneiros é só o primeiro, outras áreas também estão sobrecarregadas de tributos…O desemprego crescente e ainda querem onerar folha pra compensar perdas de arrecadação!!!??? Será que essas autoridades (castas) não estão entendendo o verdadeiro clamor da sociedade???

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *