FOTO E VÍDEO: PRF apreende 8 mil maços de cigarros na BR-304, no interior do RN

Foto: Divulgação/PRF

A Polícia Rodoviária Federal apreendeu, no final da tarde dessa terça-feira (25), no km 242 da BR 304, em Riachuelo/RN, cinco caixas de cigarros contrabandeados e prendeu um homem de 50 anos, residente na capital potiguar.

Durante fiscalização, os policiais deram ordem de parada a um Fiesta Sedan, que desobedeceu e empreendeu fuga. A equipe seguiu em acompanhamento por cerca de 5 km e, nesse percurso, o condutor jogou vários veículos para fora da pista, colocando também muitos pedestres em perigo, ao percorrer as ruas da cidade.

Ao ser abordado, o condutor confessou que estava realizando contrabando de cigarro estrangeiro e que estava trazendo a mercadoria de João Pessoa/PB, para ser entregue a vários clientes em Natal. Foram apreendidos 8.000 maços de cigarros e ainda R$ 594,00 em espécie.

Foi constatado também que o homem é reincidente no crime, quando foi preso com 4.500 maços de cigarro contrabandeados, na cidade de Parnaíba/PI.

A ocorrência foi encaminhada à Delegacia de Polícia Federal em Natal.

Vídeo: Divulgação/PRF

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jorge Amado disse:

    O CARA NÃO PODE NEM FUMAR NO CARNAVAL….

FOTO: Polícia Civil detém cinco pessoas e apreende mais de 15 mil maços de cigarros contrabandeados em Mossoró

Foto: Divulgação/Polícia Civil

Policiais civis da 3ª equipe de Plantão da Delegacia de Mossoró detiveram, na manhã desta quinta-feira (19), cinco pessoas e apreenderam mais de 15 mil maços de cigarros de origem ilícita na Região Oeste do Estado, em Mossoró. O carregamento de cigarros estava sendo transportado próximo à cidade de Areia Branca e foi apreendido por volta das 2h da madrugada.

A partir de denúncias anônimas, a 3ª equipe da DP de Plantão de Mossoró saiu em diligência, com apoio da Polícia Militar, e conseguiu interceptar o veículo suspeito, um caminhão Baú, com placa do Estado do Pará. Além do motorista do caminhão, mais quatro pessoas, que trafegavam em outro veículo, também foram detidas. Os cinco suspeitos foram conduzidos até a delegacia da Polícia Federal em Mossoró/RN.

Até o momento, estima-se que a carga aproxima-se de 15 mil maços de cigarros, sendo de origem estrangeira. Devido à grande quantidade, a carga ainda será contabilizada de forma detalhada. Dentre os conduzidos estão dois homens estrangeiros.

A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima, através do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

PRF apreende no RN carga com 10 mil maços de cigarros proibidos no Brasil; homem é preso

131455Foto: Nucom – PRF

Policiais rodoviários federais apreenderam 10 mil maços de cigarros nessa quinta-feira(31 de outubro),  no município de Acari, no km 38 da BR-427. Os cigarros eram das marcas US e Record, produzidos no Paraguai, proibidos de entrada no Brasil. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal(PRF), o condutor do veículo Dobló de placas KHP-6177/RN, não possuía documento que comprovasse a origem do produto.

Segundo a PRF, o carregamento vinha do município de Patos, na Paraíba, para Natal. O condutor do veículo foi identificado como Adailton José de Melo, 53 anos, e preso por ser responsável pelo transporte.

Cento e quarenta pacotes de cigarros contrabandeados são apreendidos pela PRF no RN

cigarros-prfA Polícia Rodoviária Federal do Rio Grande do Norte (PRF/RN) apreendeu 140 pacotes de cigarro vindos do Paraguai durante fiscalização nessa quarta-feira (11), no município de Campo Redondo, região do Seridó. Os produtos estavam sendo levados de Natal para Caicó.

Na ocasião, o condutor do veículo, identificado como Carlos Wendel Pereira Rafael, de 35 anos, afirmou que o produto não tinha documentação fiscal e era de origem paraguaia.

A PRF/RN informou que a ocorrência foi encaminhada para a Receita Federal da cidade de Currais Novos.

Cobaias: Justiça brasileira decide que empresa pode manter funcionários que são provadores de cigarros

A Souza Cruz poderá manter trabalhadores no chamado painel sensorial de avaliação de cigarros. A decisão é do Tribunal Superior do Trabalho. A maioria dos ministros seguiu a divergência aberta pelo ministro Ives Gandra Martins Filho, no sentido de que a atividade, sendo lícita e regulamentada, não poderia ser proibida. Também por maioria, a indenização por dano moral coletivo fixada pela Justiça do Trabalho da 1ª Região, no valor de R$ 1 milhão, foi confirmada.

Cobaias humanas

Para o Ministério Público do Trabalho, o termo “painel sensorial” é apenas um “nome fantasia” para o que, na prática, seria “uma brigada de provadores de tabaco”, que provam cigarros da Souza Cruz e dos concorrentes com a finalidade de aprimorar o produto comercialmente. Embora a fabricação e o consumo de cigarros sejam lícitos, trata-se de atividade “sabidamente nociva à espécie humana”. A submissão de empregados ao painel sensorial, portanto, configuraria conduta ofensiva à saúde e à vida dos trabalhadores.

Pesou na fundamentação do voto divergente, também, o fato de a atividade ser regulamentada pelo Ministério do Trabalho e estar sujeita a limites legais, e de o fumo não ser proibido. “Se se admite o fumo, não podemos impedir que essa atividade seja desenvolvida por um empregado voluntariamente, de forma limitada”, assinalou. Para o ministro Ives, a intervenção do Ministério Público numa situação em que as partes envolvidas — estado, empregados e empregadores — estão de acordo seria indevida.

Ele traçou um paralelo com a atividade dos mergulhadores de plataformas de petróleo, “sujeitos a condições muito piores” que a dos provadores de cigarro — um dos argumentos levantados pela Souza Cruz em sua defesa.

Com informações da Assessoria de Imprensa do TST.

Anvisa perde prazo de defesa e justiça libera cigarro com sabor no país

Uma decisão judicial suspendeu, no final de dezembro do ano passado, a resolução que proíbe cigarros com sabor no país.

Uma liminar foi concedida pelo juiz da 9ª Vera Federal de Brasília, depois que o Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco entrou com ação pedindo a suspensão dos efeitos da resolução.

Aprovada em março de 2012, a resolução começaria a valer em setembro deste ano.

O sindicato argumentou que falta à agência sanitária competência para banir os ingredientes.

A Anvisa tinha até novembro para se defender, mas a procuradoria do órgão perdeu o prazo.

A Advocacia Geral da União, representante da agência, foi procurada para falar sobre a perda do prazo de defesa, mas não se pronunciou.

Anvisa proíbe cigarros aromatizados e com sabor no país

Fumante com cigarro preto

Depois de mais de três horas de debate, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) baniu os cigarros aromatizados e com sabor no país. Em reunião hoje (13), os quatro diretores da agência reguladora decidiram proibir a adição de substâncias que dão sabor e aroma aos cigarros e a outros produtos derivados do tabaco, como os mentolados e os de sabor cravo, chocolate e morango. Os cigarros com sabor vão sair das prateleiras somente daqui um ano e meio.

No caso do açúcar, a Anvisa cedeu aos apelos da indústria do fumo e manteve a adição, porém limitada à reposição do açúcar perdido na secagem da folha de tabaco. Segundo os fabricantes, o tipo de fumo mais usado no país perde açúcar no processo de produção e, por isso, é necessária a reposição. O açúcar foi motivo de impasse entre os diretores na reunião passada, em fevereiro, o que acabou adiando a decisão para hoje (13). A medida vale para os produtos nacionais e importados. Estão isentos os destinados à exportação.

A indústria nacional e as importadoras terão um ano para adaptar o processo de fabricação do cigarro e seis meses para retirar de circulação os aromatizados. Para outros produtos, como charuto e cigarrilha, o prazo foi ampliado. São 18 meses de adequação e seis meses para recolhimento do mercado.

Fica permitido o uso de algumas substâncias nos derivados do tabaco: açúcar, adesivo, aglutinante, agentes de combustão, pigmento ou corante (usado para branquear papel ou na impressão do logotipo da marca), glicerol e propilenoglicol e sorbato de potássio. A proposta aprovada prevê ainda que novos ingredientes precisam passar pelo aval da agência reguladora para serem usados no futuro.

O relator da proposta, diretor Agenor Álvares, considerou a decisão positiva e disse que ela servirá para tornar o fumo menos atrativo aos adolescentes e crianças. “A nossa ideia é diminuir o número de novos fumantes”.

O diretor executivo da Associação Brasileira da Indústria do Fumo (Abifumo), Carlos Galant, disse que o setor ainda vai avaliar o impacto financeiro da decisão. Ele argumenta que a retirada dos aromatizados pode estimular o contrabando. Além do açúcar, o setor queria também a permanência dos cigarros mentolados e dos que têm sabor de cravo, que foram banidos pela Anvisa. Os cigarros de mentol representam apenas 3% das vendas, conforme dados divulgados pelos fabricantes na semana passada.

Antes de tomar a decisão, os diretores da Anvisa ouviram opiniões favoráveis e contrárias ao banimento dos aromatizados. A pesquisadora da Escola Nacional de Saúde Pública, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Vera da Costa, disse que um estudo recente mostra que a maioria dos adolescentes de 13 a 15 anos procura pelos cigarros com sabor para experimentar o tabaco. “Colocar menta, morango, chocolate aumenta a aceitação desse produto e promove a experimentação. É preciso que a Anvisa mostre o que uma agência reguladora dentro do Brasil faz com os produtos do tabaco”, disse.

Já Carlos Galant, representante da indústria tabagista, defendeu a permanência do mentol e do cravo no Brasil, justificando que um estudo norte-americano mostra que o mentolado não eleva o risco à saúde. O número de fumantes, segundo Galant, não caiu nos países que já retiraram esses aditivos. “Os cigarros mentolados já se encontram presentes no mercado brasileiro há décadas. O risco de câncer de pulmão ao cigarro mentolado é 41% menor.”

A versão original da proposta da Anvisa, em discussão desde 2010, era proibir a adição de açúcar e outros ingredientes que mascaram o gosto amargo do tabaco, como mentol, chocolate e baunilha.

Fonte: Exame

Quem fuma dois maços de Cigarro por dia gasta mais de R$ 3.400 por ano!!!

Eu estava aqui fuçando na internet e encontrei um post muito legal no ‘Seu Bolso‘ do JT sobre como é custoso fumar.

Olha só: quem fuma um maço de R$ 3,40 por dia (e olha que esse é dos preços mais baixos entre as marcas disponíveis) gasta, por mês, R$ 102. Aos mais viciados e que carburam 40 cigarros — equivalente a dois maços — ao dia, o custo mensal chega a R$ 285.

No ano, o desembolso aos que fumam um maço ao dia é de R$ 1.224; para os que queimam dois maços, chega a R$ 3.420.

Vício caro, né?

Para ver o post original clique aqui.