Saúde

Após recomendação do Ministério da Saúde, RN vai distribuir vacinas que estavam armazenadas para 2ª dose para ampliar imunização

Em entrevista ao Bom Dia RN nesta segunda-feira(22), o secretário de Saúde do Rio Grande do Norte, Cipriano Maia, afirmou que o estado vai distribuir todas as doses que eram armazenadas para segunda aplicação da vacina contra Covid-19 aos municípios potiguares. O anúncio surge após o Ministério da Saúde mudar a orientação e autorizar, neste fim de semana, que todas as vacinas armazenadas pelos estados e municípios para garantir a 2ª dose sejam utilizadas imediatamente como 1ª dose. Segundo a pasta, o objetivo é ampliar o número de vacinados no Brasil.

“Houve essa nova orientação do Ministério para que houvesse distribuição de todas as doses para a primeira dose e não guardar estoque para a segunda dose. Com isso, a gente vai estar tendo condições de iniciar essa ampliação (da vacinação) ao longo da semana, porque recebemos lotes de vacinação no fim de semana”, afirmou o secretário de Saúde em entrevista ao Bom Dia RN.

Pela orientação antiga, cerca de 50% das doses de CoronaVac recebidas no fim de semana ficariam armazenadas para garantir a segunda dose. O estado também havia guardado 50% das doses recebidas na semana passada.

Com acréscimo do G1-RN

Opinião dos leitores

  1. Faz dias que o Ministério da Saúde determinou essa distribuição. Por que o RN ainda não cumpriu? Estados vizinhos já estão vacinando pessoas com 65 anos de idade. E o RN? Está claro que a gestão do RN é marcada pela incompetência e pela falta de atitude. Ou tem que desenhar?

    1. O represamento de vacinas no RN foi informado exatamente pelo governo federal, que divulgou tabela referente a todos os estados. Não há desculpas para a falta de atitude e para tantas ações equivocadas da parte do governo do RN. Só a incompetência explica. Deixem de usar o vírus para fazer política e TRABALHEM.

    2. É isso mesmo tem que ampliar a faixa de vacinação, pouca gente nos postos, amplia as faixas, só isso.

  2. Eita, agora deu pra entender pq tinha "estoque* de vacinas, para usar na segunda dose. Parabéns ao idealizados do blog e todos os seus colaboradores pela excepcional informações de utilidade pública.
    Governo do Estado e Prefeitura do Natal fazendo um excelente trabalho, responsável.

  3. MPF, MPRN, TCE, defensoria pública fiscalizem essa omissão grave do governo ESTADUAL.
    Não dá para enganar todo mundo o tempo todo.
    Esse governo Estadual é engodo.

  4. Olhaí…
    Olhaí…
    Faz dias que o governo federal determinou essa medida, mas o governo estadual vinha retendo…pq? Para q?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

TCU aponta ilegalidade em uso de dinheiro do SUS para distribuir cloroquina e cobra explicação de Pazuello

Uma auditoria do TCU (Tribunal de Contas da União) apontou ilegalidade no uso de recursos do SUS para o fornecimento de cloroquina e hidroxicloroquina a pacientes com Covid-19, prática adotada pelo governo de Jair Bolsonaro. A política foi implementada pelo ministro da Saúde, o general da ativa Eduardo Pazuello.

Diante da conclusão da área técnica do TCU, o ministro Benjamin Zymler, relator do processo, determinou que o Ministério da Saúde explique em cinco dias úteis a posição da pasta em relação ao uso de cloroquina por pacientes com Covid-19. O despacho foi expedido na última sexta-feira (22).

A explicação deve ocorrer porque Pazuello adotou, nos últimos dias, uma posição “contraditória” em relação ao que o próprio ministério vem empreendendo em relação à cloroquina, conforme o despacho do ministro do TCU. A pasta também deve explicar quem foi o responsável por colocar no ar um aplicativo, o TratCOV, que orientava o uso indiscriminado do medicamento.

Não há comprovação científica sobre a eficácia da cloroquina para o tratamento precoce de pacientes com Covid-19. Mesmo assim, Bolsonaro e Pazuello apostaram no medicamento como saída para a pandemia.

Somente num caso mais recente, de crise na rede de saúde em Manaus e esgotamento de oxigênio nos hospitais, o Ministério da Saúde distribuiu 120 mil comprimidos de hidroxicloroquina na cidade. O que as unidades de saúde precisavam, como anotado em diversas alertas feitos ao ministro, era de oxigênio. Pacientes morreram asfixiados.

Pazuello é formalmente investigado num inquérito pedido pela PGR (Procuradoria-Geral da República) e aberto por determinação do STF (Supremo Tribunal Federal). Ele é suspeito de prática de crimes, em razão do que ocorreu em Manaus, e precisará prestar depoimento à PF (Polícia Federal).

No TCU, a área técnica compreendeu que a distribuição de cloroquina pelo SUS é ilegal. O entendimento dos auditores foi transcrito no despacho do ministro Zymler.

“Como não houve manifestação da Anvisa acerca da possibilidade de se utilizar os medicamentos à base de cloroquina para tratamento da Covid-19 e tampouco dos órgãos internacionais antes mencionados (as ‘Anvisas’ de outros países), verifica-se não haver amparo legal para a utilização de recursos do SUS para o fornecimento desses medicamentos com essa finalidade”, cita o documento.

Os auditores afirmam que o uso da cloroquina só poderia ocorrer “off label”, ou seja, fora do que prevê a bula do medicamento. E, para que um medicamento “off label” seja fornecido pelo SUS, é preciso haver autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), segundo análise de auditores do TCU.

Na pandemia, a Anvisa permitiu importações excepcionais de medicamentos, desde que aprovados por “Anvisas” de outros países. “Essas autoridades sanitárias também não aprovaram o uso de medicamentos à base de cloroquina para tratamento da Covid-19”, afirma a área técnica do TCU.

O TCU diz ainda que a própria orientação do Ministério da Saúde para tratamento precoce cita a falta de evidências científicas sobre o êxito de medicamentos do tipo. “A nota informativa (do ministério) não possui os requisitos para se constituir em um protocolo clínico ou diretriz terapêutica”, afirma.

A área técnica do TCU recomendou que a nota do Ministério da Saúde, elaborada na gestão de Pazuello, seja submetida à Anvisa, “a fim de que ela se manifeste sobre a autorização ou não do uso off label da cloroquina e hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19”.

Ao decidir pedir uma “posição oficial” do Ministério da Saúde sobre o assunto, o ministro Zymler apontou as contradições recentes de Pazuello, que disse não indicar medicação para o combate à Covid-19, e sim que as pessoas procurem por “atendimento precoce” nos serviços de saúde.

“As manifestações do titular da pasta são contraditadas pelos documentos emitidos pelo ministério, os quais indicam os medicamentos a serem utilizados, com as respectivas posologias, para o tratamento da Covid-19”, afirmou o integrante do TCU.

Outro “ponto de realce”, conforme o ministro, foi o lançamento do TratCOV pelo Ministério da Saúde, um aplicativo que estimulava a prescrição indiscriminada de cloroquina. “Possivelmente, em razão das críticas sofridas, o aplicativo não se encontra mais acessível na internet”, disse Zymler, no pedido de explicações.

À Folha, a Anvisa confirmou que não deu autorização para uso “off label” da cloroquina. O órgão disse, por meio da assessoria de imprensa, que se manifestou no sentido de que essa era uma atribuição do médico, em discussão com o paciente. E que não houve pedido para inclusão dessa indicação por nenhum laboratório.

Na reunião que selou as primeiras autorizações para uso emergencial das vacinas contra o novo coronavírus, diretores da Anvisa deixaram claro não existirem opções de tratamento precoce para a Covid-19.

Folha de São Paulo

 

Opinião dos leitores

  1. Pode escrever , TONHO vai colocar o Cabo Pazuello ( com todo respeito aos cabos ) , como boi de Piranha . O doidin vai querer tirar o dele da reta e deixar a toromba para o “ para o
    estrategista”

  2. Olha aí, Pazzuello. Aquela estória de obedecer cegamente só funciona quando quem manda tem o juízo no lugar.

  3. Isso é muito importante para entendermos o quanto o Estado está Aparelhado.
    Existem milhares de denúncias de irregularidade cometidas pelos governadores e prefeitos com os recursos federais encaminhados pelo governo federal para combate a pandemia.
    Quantos governadores e prefeitos já foram indiciados? NENHUM!
    Dória comprou R$ 40 milhões em vacinas SEM QUALQUER COMPROVAÇÃO CIENTÍFICA, NEM APROVAÇÃO DA ANVISA. Por acaso Dória responde a algum questionamento?
    É um país tomado por imorais e que usam seus cargos e funções em defesa dos partidos afiliados e desgaste dos opositores.

  4. Só mesmo o gado, defensor cego do Bozo, para cair no conto do "tratamento precoce" com Cloroquina que ele criou. Se houvesse o mínimo de chance desse medicamento ter alguma eficácia contra o COVID-19, seria aplicado em larga escala no Mundo. Nem o amiguinho do Bozo, Trump, caiu nesse conto do vigário! Muito pelo contrário! Assim que os americanos descobriram que cloroquina não tinha eficácia, ele aproveitou a oportunidade de abarrotar nosso país com os estoques que os EUA tinham. Afinal, o parceiro ideológico lunático continuava a acreditar no remédio milagroso! Infelizmente milhões de reais já foram gastos com esse placebo.

  5. E segurem o Dória … Em abril ele vai disponibilizar 40 milhões da vaChina! Aquela que o presidente debochou! E olha que é um governador com o presidente joga do contrato.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Prefeitura planeja distribuir ivermectina para amazonenses

Foto: Getty Images

Como plano para tratamento preventivo contra Covid-19, a Prefeitura de Manaus pretende distribuir a medicação invermectina à população manauara, na Arena da Amazônia ou no Sambódromo. A informação foi afirmada durante audiência pública virtual promovida pela Comissão de Saúde e Previdência (CSP) da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), pelo assessor médico da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) Djalma Coelho nessa terça-feira (12).

“A gente está pretendendo fazer uma ação na Arena da Amazônia, inclusive já ‘startou’, estamos correndo atrás. O problema é que o fornecedor diz: ‘Só tenho 20 mil comprimidos’. Isso não serve para esse tipo de ação”, revela Djalma.

A ação é articulada com o Conselho Regional de Medicina do Amazonas (CRM-AM), segundo Djama. No fim da audiência, o deputado Dermilson Chagas (Podemos) fez um apelo para que a distribuição não ocorra na arena para evitar aglomerações, disponibilizando os medicamentos também em Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Estudo preliminar levou à procura por medicamento

Os dados de buscas no Google mostram que a procura pela ivermectina no Brasil deu um salto pela primeira vez no início de abril. A esta altura, a cloroquina e o antiparasitário nitazoxanida, vendido no Brasil sob a marca Annita, eram os mais procurados nas farmácias contra a covid-19, mesmo sem eficácia comprovada.

A cloroquina era há tempos propagandeada por Bolsonaro como um remédio eficaz contra o coronavírus, e a nitazoxanida seria testada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações para o mesmo fim. O aumento do interesse por eles fez com que ambos passassem a ser controlados, ou seja, comprados só com receita, o que restringiu o acesso.

Ao mesmo tempo, um estudo indicou que a ivermectina poderia matar o coronavírus. A pesquisa da Universidade Monash, na Austrália, concluiu em testes em laboratório que o antiparasitário pode neutralizar as propriedades infecciosas do vírus em 48 horas. Mas trata-se apenas de uma análise preliminar, na qual a substância foi testada em uma cultura de células, e ainda há outros passos fundamentais até que seja possível verificar se esse efeito também ocorre em pessoas.

Em Tempo

https://d.emtempo.com.br/amazonas/286713/prefeitura-planeja-distribuir-ivermectina-para-amazonenses

Opinião dos leitores

  1. Dr albert dickson e Dr Fernando tinha razão. Natal Ta tudo aberto porque fez precoce . Parabéns Dr albert por defender desde o início e ta ajudando agora Manaus.

  2. Como é que é?
    Agora a ivermectina funciona? O remédio para sarna, piolho, vermes funciona.
    Aqui um monte de loucos falavam que não servia para nada.
    Como pode?????????
    Já estão falando até na cloroquina.

    1. O povo do Amazonas , por causa da febre amarela, quase todos tomam cloroquina, que não funciona pra COVID, isso serviu de base, a ivermectina é outra coisa afff

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Rússia conclui testes e quer distribuir vacina contra a covid-19 em agosto

Foto: Miguel Noronha/Futura Press/Estadão Conteúdo

A Rússia está mais perto de se tornar o primeiro país a iniciar a distribuição de uma vacina contra o coronavírus para a população. O país anunciou hoje que concluiu parte dos testes clínicos necessários para comprovar a eficácia da imunização desenvolvida por iniciativa do governo russo. A expectativa é de que a distribuição comece já em agosto.

“A pesquisa foi concluída e provou que a vacina é segura”, disse Yelena Smolyarchuk, chefe do centro de pesquisas clínicas da Universidade Sechenov, à agência de notícias estatal TASS.

A vacina aprovada foi desenvolvida pelo Centro Nacional de Pesquisa para Epidemiologia e Microbiologia Gamalei. Segundo o diretor da instituição, Alexander Gintsburg, a previsão é que que a vacina “entre em circulação civil” entre 12 e 24 de agosto.

O Ministério da Saúde russo ainda realizará testes bioquímicos da vacina, mas espera finalizar o processo até setembro, mesmo mês para o qual Gintsburg prevê o início da produção em massa por laboratórios privados.

A vacina russa está perto de ser distribuída porque os testes clínicos começaram em junho. A Universidade Sechenov agrupou 38 voluntários remunerados para o estudo. Parte deles já receberá alta nesta quarta-feira (15), quando terão completado 28 dias em isolamento. A intenção foi protegê-los de outras possíveis infecções.

Os voluntários têm entre 18 e 65 anos e ainda serão monitorados por mais seis meses.

Também no mês passado, o exército russo iniciou uma outra frente de testes clínicos da vacina. O estudo vai durar dois meses e segue em andamento.

A Rússia é o quarto país do mundo com o maior número de pessoas contaminadas pelo coronavírus. Segundo dados da Universidade Johns Hopkins, o país tem mais de 730.000 pessoas infectadas e já passou de 11.000 mortes causadas pela covid-19.

UOL

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

COVID-19: Álvaro Dias diz que prefeitura vai distribuir 1 milhão de comprimidos de Ivermectina para população em Natal

Foto: Reprodução/Twitter

 

“Está comprovado que esse medicamento é eficaz na prevenção do coronavírus e vamos usar essa arma em nosso favor para vencer a guerra contra essa pandemia”. O anúncio do prefeito de Natal, Álvaro Dias, foi feito na tarde desta terça-feira (30), informando que vai distribuir um milhão de comprimidos de Ivermectina para população.

“Vamos iniciar um trabalho de distribuição em massa da Ivermectina, com todo o acompanhamento médico necessário”, comenta.

A publicação não detalha quando começa a distribuição nem os critérios para o recebimento da medicação. Vale destacar, a Secretaria de Saúde de Natal (SMS) publicou um protocolo para orientar médicos e profissionais de saúde em geral sobre o atendimento a pacientes com Covid-19, infecção causada pelo novo coronavírus. Nele há a indicação da Ivermectina como medida de prevenção.

Opinião dos leitores

  1. Uma coisa é certa! Não vai mais existir lombrigas e piolhos. Será se o mundo já está sabendo que. Em Natal descobriram a cura do Covid?

    1. Ser honesto??? Pq ele não teve nem a decência de falar em uso compassivo. Disse com todas as letras que ESTÁ COMPROVADA a eficácia na prevenção, qdo o que mais tem é entidade MÉDICA e CIENTÍFICA desmentindo isso. Dia 29 mesmo a Sociedade Brasileira de Pneumologia soltou uma nota falando isso taxativamente. São mais mil mortos, amigo. Só hoje foram dois médicos. Qto mais gente na rua, mais expostos eles ( vocês??) ficam. De fato, não sou médica, mas tenho 2 em casa e temo tanto pela vida deles quanto pela de todos os BONS profissionais. Aqueles que são HONESTOS, que respeitam a ciência e, sobretudo aquelas vidas que juraram defender.

  2. Parabéns Prefeito Alvaro Dias, pelo empenho em salvar vidas! Essa Governadora deveria lembrar da queda de José Agripino e Garibaldi, que caíram após mtos anos de ineficácia!!!!!

    1. Homi, esse povo gosta de se enganar mesmo.
      Vivem num mundo próprio. Eles criam as próprias estórias.

  3. Desde o início o Presidente Bolsonaro falava na invermectina, será que é pq o dinheiro do governo federal encheu os caixas do Governadores e prefeitos.

  4. Me desculpe a sinceridade, mas esse prefeito está de Parabéns! É ação em cima de ação no combate ao Coronavírus. Parabéns prefeito Álvaro Dias!!!!!

    1. Não esqueça do presidente da República.
      Luta sozinho, contra tudo e contra todos.
      Mito disparado na próxima eleição presidencial.
      PRIMEIRO TURNO LOGO.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *