Saúde

Sesap orienta municípios do RN a retomarem intervalo para 90 dias da 2ª dose de Oxford/Astrazeneca

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) emitiu, nesta segunda-feira (13), nota informativa com novas recomendações destinadas aos municípios potiguares sobre a antecipação da aplicação segunda dose da vacina contra Covid-19 do imunizante de Oxford/AstraZeneca.

Inicialmente, seguindo orientação do Ministério da Saúde, em agosto, conforme pactuado na reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), a Sesap havia emitido uma nota recomendando a diminuição no intervalo de aplicação entre a primeira e segunda dose das vacinas de Oxford como Pfizer, diminuindo o intervalo de 90 dias para 56 dias.

Contudo, em decorrência desabastecimento das vacinas de Oxford/AstraZeneca provocado pela falta de insumos para produção dos imunizantes, bem como, do não envio integral por parte do Ministério da Saúde do quantitativo equivalente ao número de D2, a Sesap sinalizou para os municípios que só reduzissem o intervalo de aplicação da segunda dose caso possuíssem um quantitativo necessário de doses para aplicar no período de 56 dias.

Hoje (13), a Sesap emitiu uma nota informativa para todos os municípios orientando que seja retomado o prazo estipulado anteriormente de 90 dias para aplicação da D2 do imunizante de Oxford/Astrazeneca, para que seja possível conseguir dar vazão a demanda de pessoas a serem vacinadas com a segunda dose.

“A orientação é que se você tomou a vacina de Oxford/AstraZeneca, deve procurar tomar a segunda dose no intervalo de 90 dias, sendo possível encontrar o imunizante disponível nas unidades e postos de saúde em todo estado. A Sesap aguarda o envio das doses por parte do Ministério da Saúde para que consigamos vacinar todas e todos potiguares”, informou a coordenadora de Vigilância em Saúde, Kelly Lima.

É importante destacar que, em relação aos demais imunizantes, está mantido o intervalo de aplicação da segunda dose da CoronaVac – 28 dias e Pfizer – 56 dias.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Segunda dose de vacinas contra a Covid está disponível em Natal; veja por datas quem pode se imunizar

A Prefeitura do Natal informa que a segunda dose dos imunizantes contra a Covid-19 está disponível nos quatro drives ou nas 35 salas de vacinação.

Veja abaixo quem pode se vacinar:

CORONAVAC

As pessoas que completaram os 28 dias da primeira dose do imunizante Coronavac podem procurar as 35 UBS ou qualquer drive-thru.

OXFORD

Para quem se vacinou até o dia 08.07 .

Grávidas que tomaram a D1 de Oxford

As gestantes que tomaram a primeira dose com o imunizante Oxford e que, por recomendação do Ministério da Saúde, não tomaram a segunda dose poderão completar seu esquema vacinal com o imunizante da Pfizer nas 35 UBS ou qualquer drive de vacinação.

PFIZER

Para quem tomou a primeira dose até 08.07.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Sesap e municípios definem antecipação da vacina contra Covid-19 no RN: quem recebeu a Pfizer ou Astrazeneca/Fiocruz – até o dia 8 de julho poderá completar imunização com 2ª dose a partir desta semana

As pessoas que moram no Rio Grande do Norte e tomaram a primeira dose da vacina contra a Covid-19 – Pfizer ou Astrazeneca/Fiocruz – até o dia 8 de julho poderão antecipar sua segunda dose a partir desta semana.

A antecipação diminui de 12 para 8 semanas o intervalo entre as aplicações dos imunizantes. A Sesap avaliou que existem vacinas AstraZeneca/Fiocruz e Pfizer reservadas apenas para a segunda dose em estoque suficiente para que a antecipação esteja garantida.

A definição para a antecipação do esquema de imunização foi definida a partir de um acerto feito entre a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) e os municípios potiguares na 93ª Reunião Extraordinária da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), realizada no fim de agosto. A medida segue uma recomendação expedida pelo Ministério da Saúde.

De acordo com a pactuação, a aplicação da D2 antecipada deverá ser iniciada pelos trabalhadores da educação. A ação é amparada por pesquisas e condutas de vacinação adotadas por outros países.

O novo esquema considera que é necessário garantir, de forma mais rápida possível, que a população complete seu esquema vacinal com duas doses para que a imunidade coletiva possa ocorrer. A medida leva em conta ainda a aparição da variante Delta com transmissão comunitária no RN.

 

Opinião dos leitores

  1. Claudinei, procure se informar antes de falar pêtíce!
    Nenhum militar ou policial esta recebendo a SEGUNDA DOSE. A arena, o via direta e as UBS não estão autorizadas a ministrar a segunda DOSE para esse público

  2. Mas estão negando vacina para policiais e militares das forças armadas.
    Alguém poderia explicar o motivo?

    1. Como é que estão negando vacina para policiais e militares se a idade já está abaixo dos 20 anos faz tempo? Deixa de falar besteira e querer “lacrar”.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN ultrapassa 30% dos adultos totalmente vacinados contra Covid-19, que corresponde a mais 817 mil pessoas; 50 mil ainda não foram tomar a 2ª dose

A campanha de vacinação contra a Covid-19 segue avançando no Rio Grande do Norte. No início desta semana, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) registrou dois números que apontam para este avanço. A plataforma RN+ Vacina registra no fim da manhã desta quarta-feira (25) que mais de 30% dos adultos que moram no estado receberam as duas doses ou a dose única.

O percentual representa mais de 817 mil pessoas que completaram o esquema vacinal desde o início da campanha de imunização, sendo 762.521 que tomaram as duas doses de Coronavac/Butantan, Astrazeneca/Fiocruz ou Pfizer e outras 54.937 que tiveram aplicada a Janssen.

A Sesap ressalta, no entanto, que ainda há um quantitativo substancial de moradores do RN que ainda não foram até os postos de vacinação para tomar a segunda dose. O número de pessoas, segundo levantamento mais recente feito na RN+ Vacina, ultrapassa as 50 mil pessoas. No próximo sábado (28), a secretaria vai apoiar junto aos municípios a realização de mais um Dia D de vacinação, com foco nas pessoas que ainda precisam completar o esquema vacinal.

Primeira dose

Outro número alcançado esta semana reforça o avanço da vacinação contra a Covid-19 no RN. Já são mais de 2 milhões de potiguares que receberam ao menos uma dose, chegando a 76% do público-alvo.

Até o início da manhã desta terça-feira, eram exatos 2.039.755 pessoas que tiveram a aplicação de suas doses cadastradas pelos municípios junto à RN+ Vacina. O total de doses administradas nas salas de vacina das 167 cidades potiguares é de 2.857.213 unidades.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Ministro da Saúde diz que Brasil tem 7 milhões de pessoas que não tomaram 2ª, dá ‘puxão de orelha’ em faltosos e alerta que imunização só estará completa com o reforço

Foto Pablo Jacob / Agencia O Globo

Cerca de 7 milhões de pessoas estão com a segunda dose da vacina em atraso no país. O número foi divulgado pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, nesta terça-feira, durante anúncio da Campanha Nacional para Prevenção e Atenção à Obesidade Infantil. Queiroga pediu que a população compareça para completar o ciclo de imunização.

— São 7 milhões de pessoas que não foram tomar segunda dose da vacina. É um esforço hercúleo que todos nós fazemos para conseguir vacinas para população brasileira. O Poder Executivo, o Poder Legislativo, o Poder Judiciário. Não justifica que as pessoas não busquem as salas de vacinação para tomar a segunda dose, porque a segunda dose não está faltando. Se estivessem faltando, iam dizer “está faltando a segunda dose”. Aqueles que não tomaram busquem a segunda dose, porque a imunização só estará completa com a segunda dose — reforçou o ministro.

Em abril, Queiroga divulgou que 1,5 milhão haviam deixado de completar o esquema vacinal, o número cresceu signficativamente deste então. Nas últimas semanas, o cardiologista tem reiterado a importância de tomar as duas doses da vacina para alcançar a imunização. Queiroga chegou até mesmo a convocar um pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão para apelar ao público que completasse o ciclo de imunização:

— Dirijo-me em especial aos brasileiros que estão com a segunda dose em atraso. Peço que busquem os postos de vacinação para tomar a segunda dose, porque sua imunização só estará completa após a conclusão do esquema vacinal — disse, em 28 de julho.

Na ocasião, Queiroga voltou a afirmar que todos os adultos receberão a primeira dose até setembro e a segunda, até dezembro. O Brasil, contudo, patina na imunização.

De acordo com dados do Consórcio dos veículos de Imprensa, do qual O GLOBO faz parte, na última segunda-feira, 107.949.359 pessoas receberam a primeira dose de um imunizante em todo o país, o equivalente a 50,98% da população. Os dados mostram ainda que 46.150.415 pessoas, ou 21,79% da população, completaram o esquema vacinal. O dado inclui também aqueles que se vacinaram com dose única, por meio do imunizante da Janssen.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Governo federal fazendo a parte dele.Mas cadê a D2 da pfiser que está parada no desgoverno Fátima.?

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

AstraZeneca: 2ª dose não aumenta risco de coágulos sanguíneos, mostra estudo

FOTO: SOE ZEYA TUN/REUTERS

A segunda dose da vacina AstraZeneca contra a covid-19 não aumenta o risco de formação de coágulos sanguíneos raros com plaquetas baixas. Foi o que mostrou um estudo liderado e financiado pela farmacêutica nesta quarta-feira, após preocupações com efeitos colaterais.

O estudo, publicado na revista médica Lancet, constatou que a primeira dose traz um pequeno risco extra de coágulos. A taxa estimada de trombose com síndrome de trombocitopenia (TTS) após a aplicação dose foi de 8,1 por milhão nas inoculadas.

Após a segunda dose do imunizante, a taxa foi de 2,3 por milhão de pessoas, comparável à observada em pessoas não vacinadas, acrescentou a empresa anglo-sueca.

A AstraZeneca enfrentou vários contratempos, incluindo atrasos na produção, e raros casos de efeitos colaterais graves, incluindo TTS, o que levou vários países a restringir ou parar o uso da vacina, sondas por reguladores e etiquetas de advertência.

O regulador de medicamentos da União Europeia está investigando casos de TTS desde março e encontrou uma possível ligação com a Vaxzevria, e com a injeção de covid-19 da Janssen. No entanto, sustentou que os benefícios globais de ambas as vacinas superam os riscos colocados por elas.

Os resultados de quarta-feira avaliaram os casos relatados a partir de 30 de abril que ocorreram dentro de 14 dias após o recebimento da primeira ou segunda dose, usando o banco de dados de segurança global da farmacêuticas.

O estudo disse que as limitações da análise incluíram a dependência de dados fornecidos pelos profissionais de saúde e aqueles que se vacinaram, o que pode levar à subnotificação dos casos.

Até a data de corte, 13 casos de TTS haviam sido identificados globalmente após a segunda dose em pessoas de 45 anos a 85 anos, incluindo oito mulheres. Cerca de 399 casos foram notificados após o primeiro, mostrou o estudo, enquanto os dados utilizados para o número de doses administradas foram limitados à UE, à Área Econômica Europeia e à Grã-Bretanha.

“A menos que o TTS tenha sido identificado após a primeira dose, esses resultados apoiam a administração do cronograma de duas doses da Vaxzevria, como indicado, para ajudar a fornecer proteção contra o COVID-19, inclusive contra variantes crescentes de preocupação”, disse mene Pangalos, executiva sênior da AstraZeneca, em comunicado.

R7, com Reuters

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Sesap esclarece que diminuição do intervalo entre as doses da Pfizer para 21 dias depende do cronograma de envio de doses do Ministério da Saúde a partir das próximas remessas

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A Sesap esclarece que a deliberação da diminuição do intervalo entre as doses do imunizante da Pfizer para 21 dias, depende do cronograma de envio de doses do Ministério da Saúde, a partir das próximas remessas. O recebimento antecipado do MS deve ser atrelado a um quantitativo compatível com esse aumento de pessoas, visto que a diminuição do intervalo resultará no aumento da população para a segunda dose.

É importante ressaltar que a remessa da Pfizer que chega nesta quarta-feira (28) não está contemplada com o novo critério.

A deliberação aconteceu na manhã desta terça-feira (27) e segue orientação do Ministério da Saúde. A decisão teve como fundamento a proteção da vacina para as novas variantes da Covid-19.

Foi pactuado também que as gestantes que iniciaram o esquema vacinal com imunizante da Astrazeneca devem completar a vacinação com a Pfizer de forma imediata. A Sesap enviará doses da reserva técnica aos municípios para que concluam a imunização deste público.

 

Opinião dos leitores

    1. Fique avontade zé.
      Tô fora.
      Lula é ladrão.
      Isso é coisa pra jumento de dois pé.
      Peidei!!

    2. Pode relinchar à vontade, José Tomaz. Assim você faz a propaganda do maior ladrão da política brasileira de todos os tempos. Ninguém merece a corrupção desenfreada que Lula e seus asseclas praticaram. Lugar de ladrão é na cadeia!

    3. Quero só ver como vc vai ficar, depois da surra de votos que vai levar.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Justiça decide que 2ª dose da vacina da Pfizer seja aplicada em 21 dias e não em três meses, em Manaus

Foto: Divulgação/Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste

A Justiça Federal determinou na segunda-feira (21) que a segunda dose da vacina da Pfizer seja aplicada em 21 dias e não em três meses como está sendo feita pela Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa). A decisão é da juíza Jaíza Fraxe.

A Justiça também suspendeu o envio do imunizante da Pfizer para o interior. Segundo a juíza, as doses necessitam de armazenamento especial em câmaras frias de baixíssima temperatura – inexistentes no interior do Estado. Fraxe suspendeu a distribuição das doses até que o Estado apresente plano satisfatório de transporte e armazenamento, com segurança, a fim de que sejam evitados desperdícios de doses de imunizantes.

A utilização da vacina da Pfizer na campanha de imunização contra a Covid-19 no Amazonas começou no dia 13 de maio. Preferencialmente o imunizante foi aplicado em grávidas e mães de até 45 anos dias após o parto, e também em adultos a partir de 18 anos com comorbidades.

A ação foi movida pela Defensoria Pública do Amazonas (DPE-AM), que afirmou que o fato da Semsa estar aplicando a segunda dose só depois de três meses “é um fator preocupante, que coloca em risco a eficácia da campanha de vacinação […] no estado”.

Segundo a juíza, se a Secretaria tivesse adotado o esquema vacinal indicado pelo fabricante da vacina, a segunda dose dos indivíduos vacinados no primeiro dia de imunização deveria ter ocorrido no dia 3 de junho.

Ela também citou que o fabricante recomenda que a segunda dose da Pfizer seja aplicada em 21 dias, de forma a garantir a eficácia máxima do imunizante. A utilização de três meses com base em um estudo do Reino Unido é indevida, já que o estudo sequer foi finalizado.

Na decisão, a juíza deu até 48h para que a Fundação de Vigilância em Saúde do Estado (FVS-AM) disponibilize 30 mil doses da vacina da Pfizer à Semsa, para o público que já está no tempo hábil de receber a 2ª dose.

O G1 entrou em contato com a FVS para saber se o órgão já foi notificado e se tem o total de doses para enviar para a Semsa, e aguarda resposta.

G1

Opinião dos leitores

  1. A juíza está completamente desatualizada. A Anvisa já autorizou a o armazenamento da vacina da Pfizer em geladeira comum por até 31 dias.

  2. Meu Deus, justiça decidindo prazo de vacina ! Ditadura judicial o Brasil vive em dias de hoje ! Até copa América, já ja vai decidir o que o congresso pode ou não votar, antes msm de votarem

    1. Um palhaço 🤡 queria mudar a bula da cloroquina, pq um juiz não pode mudar a data da vacina?

  3. O embasamento do judiciário chega a ser uma piada. Tudo a bosta do judiciário se mete no meio.

  4. E a bula do imunizante é clara prevê um período de 21 dias entre as doses com base nos teste de segurança e eficácia da fórmula. Mais aqui foi totalmente diferente, colocaram 90 dias.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Distribuição da Astrazeneca/Fiocruz com auxílio de “reserva técnica” apenas para trabalhadores da educação e 2ª dose de idosos: Sesap diz que aguarda chegada de novo lote para dar continuidade a vacinação no RN

Em nota,  “para garantir a continuidade da vacinação no estado do Rio Grande do Norte”, a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) informa que está distribuindo na manhã desta quarta-feira (23) 53.595 doses do imunizante da Astrazeneca/Fiocruz.

São 10 mil doses da reserva técnica para ser utilizada como primeira dose dos trabalhadores da educação e 43.595 vacinas para uso exclusivo como segunda dose de idosos entre 65 a 69 anos, conforme a pactuação entre Sesap e municípios.

“A Secretaria aguarda a chegada de novas doses para dar continuidade ao processo de vacinação contra a Covid-19. O Ministério da Saúde sinalizou na terça-feira a distribuição de 113.370 doses para o Rio Grande do Norte, incluindo a vacina da Janssen, mas ainda não confirmou data e horário de entrega”, encerra nota.

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

“Queremos deixar o nosso chamamento para que a população não deixe de tomar a segunda dose, pois só assim estará completando a imunização”, alerta gestora da Sesap

Foto: Divulgação

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) realizou entrevista coletiva nesta quinta-feira, 17, na Escola de Governo, para atualizar as informações sobre o cenário da Covid-19 no estado.

A secretária adjunta da Saúde, Maura Sobreira, apresentou o panorama de melhora na ocupação de leitos. Ela afirmou que a redução das taxas de ocupação está relacionada aos decretos regionalizados e à intensificação das ações de vigilância.

A gestora informou que, embora o Rio Grande do Norte como um todo esteja com 85,1% dos leitos ocupados por pacientes com a Covid-19, a região Oeste mantém 96,3% de taxa de ocupação, o que mostra a necessidade de manter a vigilância por parte dos gestores e da população. “Houve um desbloqueio significativo de leitos, contudo a região Oeste ainda nos preocupa”, destacou ela. A Região Metropolitana tem 81,8% dos leitos ocupados e a região Seridó tem 75% de ocupação.

Outra mudança percebida é em relação ao perfil dos pacientes, pois hoje as internações são em 70% de pessoas não idosas. “Isso nos leva a reforçar a importância da vacinação, inclusive na tomada da segunda dose”, completou Maura.

Avanço da vacinação

A subsecretária de planejamento e gestão da Sesap, Lyane Ramalho, reforçou o apelo para que a população não deixe de tomar a segundo dose. “Ainda temos 19 mil pessoas no RN, segundo o RN Mais Vacina, que não tomaram a segunda dose, por isso estamos fazendo busca ativa em todo o estado, além de promover ações para melhorar o registro das doses no sistema”, explocou.

Nessa quarta-feira, 16, a subsecretária coordenou reuniões virtuais com secretários municipais de saúde, equipes técnicas de imunização, coordenadores da atenção primária em Saúde de todas as cidades, Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do RN (Cosems-RN), membros do Ministério Público e dos Conselhos Estaduais e Municipais de Saúde.

O objetivo foi alinhar ações de apoio, em conjunto com a equipe do RN+ Vacina, principalmente ao processo de inserção de dados no sistema após a aplicação de doses das vacinas contra a Covid-19. “Foi um momento produtivo e já estamos percebendo o empenho dos municípios”, afirmou.

Lyane Ramalho também ressaltou a necessidade de completar o esquema vacinal. “Queremos deixar o nosso chamamento para que a população não deixe de tomar a segunda dose, pois só assim estará completando a imunização”.

Dados epidemiológicos

O Rio Grande do Norte contabiliza 287.416 casos confirmados da covid 19, além de 112.221 suspeitos e 550.221 descartados. Foram confirmados nove óbitos ocorridos nas últimas 24 horas, totalizando 6.553 óbitos desde o início da pandemia.

 

Opinião dos leitores

  1. Parece que estão na China ou na torcida organizada do América FC, Tdos de vermelhos, por ordem da Chefa kķkkk que coisa horrível.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

CERCA DE 700 PENDENTES: Parnamirim faz última convocação às pessoas que estão com a 2ª dose de CoronaVac em atraso

FOTO: ASCOM – ELIANA FÉLIX

A Prefeitura de Parnamirim, através da Secretaria Municipal de Saúde (Sesad), comunica a população que termina nesta sexta-feira (4), o prazo para as pessoas que estão em atraso com a segunda dose da CoronaVac. A Sesad ressalta a importância das duas doses para a realização completa do ciclo de imunização, entendendo que este é o caminho para vencermos a luta contra o Coronavírus.

Cerca de 700 pessoas ainda faltam receber a 2ª dose da CoronaVac, desta forma, a Prefeitura convoca a todos aquele, que estão em atraso, para comparecerem na Associação de Moradores da Cohabinal e completarem o esquema vacinal.

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Prefeitura do Natal pede mais 5 mil vacinas CoronaVac à Secretaria de Saúde do RN para concluir imunização de pessoas com 2ª dose

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal solicitou mais 5 mil doses da vacina CoronaVac, ao estado, para concluir a imunização com segunda dose em pessoas que tomaram a primeira em abril.

A capital voltou a suspender a vacinação com o imunizante em vários pontos, ainda durante a manhã, por falta de doses, mesmo após ter recebido o lote de 2,2 mil vacinas, solicitadas em ofício na quinta-feira (20).

A Sesap vai estudar a possibilidade de liberação das doses.

Com acréscimo do G1-RN

Opinião dos leitores

    1. Sai dessa, coitado! Vira o disco. Só posta a mesma coisa. Além de ser inverdades, estampa sua mediocridade.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

2ª dose Coronavac: São Gonçalo continua reforço para quem completou prazo de 28 dias no período de 10 a 14 de maio

Após receber 520 doses da Coronavac nessa quarta (19), a Prefeitura de São Gonçalo do Amarante/RN vai dar continuidade à vacinação da 2ª dose nas pessoas que completaram o prazo de 28 dias (desde a primeira dose) no período de 10 a 14 de maio. A imunização será em todas as unidades de saúde do município.

Também seguem sendo vacinadas, com a Pfizer, gestantes e puérperas de 18 anos ou mais, e pessoas com comorbidades acima de 25 anos, nas UBSs de Jardim Lola, Mangueirão, Amarante, Santo Antônio e Cidade das Flores. Nos horários: de segunda a quinta-feira das 8h às 14h, e na sexta-feira, das 7h às 11h.

E com a Oxford/AstraZeneca, pessoas com comorbidades acima de 25 anos e idosos de 60 anos, em todas as 29 unidades de saúde.

Para ser vacinado é necessário que realize, previamente, o cadastro no RN+Vacinas (https:/rnmaisvacina.lais.ufrn.br/cidadao/covid). Também é necessário apresentar laudo que comprove a comorbidade, além de CPF ou Cartão Nacional do SUS (CNS).

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Natal realiza nesta sexta-feira mutirão para vacinar segunda dose da Coronavac para quem recebeu 1ª dose até 03 de abril

Com o recebimento de 14.130 doses do imunizante da Coronavac, a Prefeitura do Natal vai fazer nesta sexta-feira (14), um mutirão para aplicação exclusivamente da segunda dose da Coronavac. As pessoas aptas a serem imunizadas são as que receberam a primeira dose até 03 de abril.

Nesta sexta-feira, todos os pontos de vacinação contra Covid-19 da capital estarão aplicando somente a D2 da Coronavac. Serão cinco drives e 35 salas de vacinação.

Cada ponto de drive do Via Direta, SESI, OAB, Nélio Dias e UnP da avenida Engenheiro Roberto Freire, receberão 1.500 doses da vacina e funcionarão com horário estendido das 8h às 18h inclusive nas salas de pedestres. Cada uma das 35 Unidades Básicas de Saúde receberão 180 doses do imunizante e funcionarão das 8h às 11h30 e das 12h às 16h.

Prioridade

Outra mudança nesta sexta-feira, é que só poderá ser vacinado das 8h às 11h o público idoso. O turno vespertino fica para os profissionais de saúde. “Fizemos esse escalonamento de horário para que não haja aglomeração. Sabemos que o público idoso gosta de chegar cedo, lembramos que a vacinação inicia às 8h e teremos 40 pontos de vacinação distribuídos em todos os Distritos Sanitários da capital”, lembra George Antunes, secretário de Saúde.

Para receber a segunda dose da Coronavac é necessário apresentação do cartão de vacina, comprovante de residência de Natal, documento com foto e ter recebido a primeira dose até 03 de abril. “Quem se vacinou em outra data não deve comparecer aos pontos de vacinação para evitar aglomeração”, reforça o secretário.

No final do dia será feito um balanço das doses aplicadas. “Adianto que no final do dia faremos um balanço do quantitativo das doses aplicadas, porém se houver dose da Coronavac iremos continuar vacinando no sábado no drive do SESI, Ginásio Nélio Dias e em cinco UBSs”, pontua o secretário de Saúde de Natal.

No sábado (15), todos os drives funcionam das 8h às 16h seguindo o calendário de vacinação das comorbidades e segunda dose de Oxford, além de cinco Unidades Básicas de Saúde (São João, Candelária, Nazaré, Panatis e Pajuçara) também funcionarão das 8h às 12h. No domingo (16), quatro drives OAB, Via Direta, Nélio Dias e UNP funcionarão das 8h às 16h.

MUTIRÃO DE VACINAÇÃO D2 CORONAVAC

QUANDO – Sexta-feira (14)

PÚBLICO ALVO – Quem se vacinou em Natal até 03 de abril

HORÁRIO – 8h às 11h – Exclusivo para idoso / 11h às 16h profissionais de saúde nas UBSs/ 11h às 18h profissionais de saúde nos drive

ONDE – 5 drive e 35 UBS

DOCUMENTOS – Cartão de vacina, documento com foto e comprovante de residência de Natal.

Opinião dos leitores

  1. Por que a vacinação aqui em Natal é travada? Por que não baixa essas faixas etária? Onde tá o problema?

  2. Tá na hora de baixar essas idades para vacinação. Em joao pessoa, não é em outro país, já estão vacinando o pessoal com comorbidade com 30 anos , e normal o pessoal acima de 50 anos. Que mistério é esse, que estamos sempre atrasados?????

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Sesap informa que RN precisa de 87 mil vacinas para terminar aplicação da 2ª dose da CoronaVac

Em reunião nesta quinta-feira (06), a Comissão Intergestores Bipartite – CIB, com a presença da Sesap e do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do RN (Cosems), fez um levantamento da quantidade total da segunda dose aberta da CoronaVac no Rio Grande do Norte. Na ocasião foi elaborada a justificativa referente ao déficit dessas doses para atender pessoas já vacinadas com D1 do imunobiológico Sinovac/Butantan, nos municípios do estado do Rio Grande do Norte. O documento, assinado pelo secretário de saúde Cipriano Maia e pela presidente do Cosems Maria Eliza Garcia, foi enviado pela Sesap ao Ministério da Saúde, solicitando o envio das doses na próxima remessa.

Hoje no estado, faltam 87.098 doses para completar o esquema vacinal. 52.072 na Região Metropolitana de Natal, 3.462 na região de São José do Mipibu, 5.276 na região de João Câmara, 2.478 na região de Santa Cruz, 16.955 na região de Mossoró e Assu, 4.524 na região de Caicó e 2.331 na região de Pau dos Ferros. Dentro desse total, existe hoje a falta de 26.353 doses não enviadas ao Estado pelo Ministério da Saúde e um número considerável de frascos com apresentação de 10 doses que chegaram ao Estado com 9 ou 8 doses, resultando assim numa diminuição de pessoas a serem vacinadas.

O registro foi levantado pela plataforma RN Mais Vacina, sendo este o sistema oficial para alimentação, controle dos dados da vacinação Covid-19,o qual possibilita o rastreio das doses e permite transparência a todo processo de imunização contra a COVID-19 no RN.

A falta de doses tem duas justificativas importantes: uma delas é a aplicação das doses D2 como D1, com ampliação de público não autorizada da vacina Sinovac/Butantan, por parte de alguns municípios do Estado do RN. Os municípios alegam ter seguido orientação do Ministério da Saúde, mesmo o Estado tendo sido contrário.

O pedido do envio de doses do Ministério da Saúde é reforçado pelo atraso de 28 a 48 dias da aplicação da primeira dose, sendo necessário concluir o esquema de vacinação o mais breve possível para assegurar à eficácia da imunidade a população, e assim, reduzir os agravos e possíveis óbitos pela COVID-19.

Opinião dos leitores

  1. Muito difícil entregarem essa quantidade de doses aqui para o RN. Teria que deixar de entregar para os resto do país. Muito preocupada com essa situação porque minha mãe é uma dessas pessoas que não recebeu a segunda dose.

  2. Dia 01 de março, o Artur Lira saiu do Planalto, de uma reunião com o bolsonaro, onde este o informou e ele anunciou que 140 milhões de doses chegariam nos meses de março, abril e maio. Já estamos chegando no meio do mês de maio e mais uma vez o panaca brasileiro foi enganado e sacaneado pelo bolsonaro. Ele sente prazer em ver a cara de bundão dos brasileiros com suas lorotas e mentiras. Escárnio.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Ministro da Saúde admite ‘dificuldade’ no fornecimento de vacinas para 2ª dose da CoronaVac

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, admitiu nesta segunda-feira (26) que há “dificuldade” no fornecimento de vacinas para aplicação da segunda dose da CoronaVac, utilizada contra a Covid.

Queiroga deu a declaração ao participar de uma sessão da comissão do Senado que discute medidas de combate à doença.

Nas últimas semanas, municípios de Alagoas, Pernambuco, Rio Grande do Norte, São Paulo, Amapá e Paraíba limitaram ou suspenderam a imunização por falta de doses para a segunda aplicação (clique no nome do estado para ler detalhes). Na Paraíba, a Justiça chegou a determinar a aplicação da segunda dose após ação do Ministério Público.

“Tem nos causado certa preocupação a CoronaVac, a segunda dose. Tem sido um pedido de governadores, de prefeitos, porque, se os senhores lembram, cerca de um mês atrás se liberou as segundas doses para que se aplicassem. E agora, em face de retardo de insumo vindo da China para o Butantan, há uma dificuldade com essa 2ª dose”, declarou Queiroga no Senado.

Há cerca de um mês, em 21 de março, o Ministério da Saúde mudou a orientação e autorizou que todas as vacinas armazenadas pelos estados e municípios para garantir a segunda dose fossem utilizadas imediatamente como primeira dose.

Ao participar da sessão da comissão do Senado nesta segunda, Queiroga disse que o governo emitirá uma “nota técnica acerca desse tema”.

Até a última atualização desta reportagem, a nota técnica mencionada pelo ministro não havia sido divulgada.

Ministro cita gravidade da doença

Em outro trecho da sessão, o ministro da Saúde afirmou que o número de óbitos registrados em 2021 mostra a “gravidade” da doença.

Ao todo, até este domingo (25), o Brasil registrou 390.925 mortes por Covid-19, segundo o consórcio de veículos de imprensa.

Somente em 2021, foram contabilizadas 195.949 mortes pelo coronavírus. O número de 2021 supera os 194.976 óbitos pela doença registrados em 2020.

“O número de óbitos no ano de 2021 hoje supera o número de óbitos que ocorreu no ano de 2020 inteiro, mostrando a gravidade dessa doença e a necessidade de adoção de medidas que sejam eficazes para vencermos essa situação grave na saúde pública nacional”, declarou Queiroga no Senado.

Medidas de prevenção

Aos senadores, Marcelo Queiroga afirmou que ações como a campanha de vacinação representam “esperança de uma solução mais eficaz” para o enfrentamento da pandemia.

O ministro da Saúde, então, voltou a defender algumas medidas recomendadas por especialistas como forma de prevenção.

“Claro que não é só a vacinação. Eu tenho, desde o primeiro dia que assumi o cargo, reiterado a importância das chamadas medidas ‘não farmacológicas’, como o uso de máscaras, o distanciamento social”, declarou.

Com G1

Opinião dos leitores

  1. Como disse antes, as medidas do Ministério da Saúde são sempre equivocadas e atrapalhadas, pois se baseiam apenas no achismo e estupidez do chefe bolsonaro. É inacreditável que a vida de mais de 200 milhões de pessoas esteja submetidas as irresponsabilidades do presidente da república especialista em matar, como o próprio disse em campanha.

  2. Alguns profissionais da imprensa agem como prostitutas. O que vale é o dinheiro e não a verdade.

    1. Voce é retardado? O MINISTRO DA SAUDE foi quem informou da dificuldade. Mas, claro, como vou esperar sanidade de um sujeito que passa o dia na internet conversando lorota…

    2. Os que vendiam fake news para o governo federal, a respeito da Covid, por exemplo…

  3. Aí vem um monte de leseira criticar o governo do estado por nao disponibilizar vacina… que vacina?? Ja acabou! O ministerio mandou usar toda a reserva tecnica, e agora? So resta esperar.

  4. Vixe! E é? Mas não foi o Ministério da Saúde que orientou os Estados a vacinar sem guardar a segunda dose? E agora? Pense num povo aprumado e competente! Não é para menos termos ministros da saúde assim (o quarto da pandemia), afinal temos um presidente INEPTO que não trabalha PN!

    1. a ansiedade em vencer o vírus atrapalha até as mentes dos fabricantes das vacinas do butatã. vejam: se tem em mãos 10.000 Lts de IFA e se isto dar 50.000 doses e não se sabe se a china vai enviar mais ou quando vai, deveria-se trabalhar metade do estoque de IFA e, próximo a período da dose 2, fabricaria-se a outra metade das vacinas. assim nem se perderia os prazos de validade e nem ficaria ninguém sem a dose 2.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *