Escritório do deputado Ricardo Barros, líder do governo na Câmara, é alvo de operação do MP no PR

Foto: CNN

O escritório do deputado federal Ricardo Barros (PP-PR) em Maringá, no Paraná, foi alvo de um mandado de busca e apreensão nesta quarta-feira (16) em operação do Ministério Público do Paraná. Barros é líder do governo na Câmara dos Deputados.

Segundo o analista da CNN Igor Gadelha, Barros não está em Brasília nesta quarta-feira. O parlamentar disse ao analista estar no Paraná acompanhando as convenções partidárias de aliados para escolha de candidatos a prefeitos nas eleições deste ano.

A ação, batizada de operação Volt, também cumpriu mandado de busca e apreensão de documentos, eletrônicos, telefones celulares e eventuais valores em São Paulo, com apoio de policiais do Departamento de Operações Estratégicas (Dope).

Os policiais foram ao escritório de um empresário que é investigado por fraude em licitação. Os investigadores querem saber a relação dele com Barros. Ao todo, são cumpridos oito mandados de buscas com ajuda da Polícia Civil.

As investigações começaram em 2019 e apuram a compra de usinas eolicas, entre 2011 e 2014, em contratos firmados pelo deputado com uma empresa do setor de energia e que teriam facilitado o desvio de verbas públicas.

Em nota, o deputado Ricardo Barros afirmou que está “tranquilo e em total colaboração com as investigações”.

“O parlamentar reafirma a sua conduta ilibada e informa que solicitou acesso aos autos do processo para poder prestar mais esclarecimentos à sociedade e iniciar sua defesa. Ricardo Barros, relator da Lei de Abuso de Autoridade, repudia o ativismo político do judiciário”, diz a nota.

CNN Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. MUSEU DE GRANDES NOVIDADES disse:

    Conhecemos as verdades e a verdades nos libertará dos falsos messias.

  2. Papa Jerry Moon disse:

    Esse também faz parte da "Direita Honesta"?

  3. Valter disse:

    Não basta parecer ser honesto, precisa ser honesto !!!

    • Minion alienado disse:

      Para estar ligado ao Messias, só precisa parecer honesto, falar alguns jargões conservadores e liberais e ter laranjas por aí.

PF apreende R$ 800 mil no escritório do filho do presidente do STJ

Foto: Reprodução/Record TV

A Polícia Federal apreendeu na manhã desta quarta-feira (9), no Lago Sul, bairro nobre de Brasília, R$ 100 mil em espécie e um cheque de R$ 700 mil no escritório do advogado Eduardo Martins. Ele é filho do presidente do STJ (Superior Tribunal de Justiça), Humberto Martins, e investigado pela força tarefa da Lava Jato por suposto desvio de dinheiro no Sistema S.

Conforme o R7 Planalto apurou, as cédulas de R$ 50 e R$ 100 estavam em uma sacola de papel, modo normalmente utilizado para pagamentos ocultos em locais públicos. O advogado disse que seriam honorários pagos em dinheiro. Os agentes também encontraram e apreenderam um cheque de R$ 700 mil em nome de Eduardo Martins.

A denúncia ofertada pela Lava Jato do Rio contra Eduardo Martins aponta que ele teria sido contratado para “tentar influir em atos da corte”. De acordo com o documento, ele teria recebido R$ 5,5 milhões para atuar no tribunal..

Um trecho da denúncia diz que “entre fevereiro e maio de 2014, de forma livre e consciente, CRISTIANO ZANIN, com a ajuda também livre e consciente de FERNANDO HARGREAVES e aquiescência de EDUARDO MARTINS, solicitou e obteve de ORLANDO DINIZ a contratação de EDUARDO MARTINS, pela quantia de R$ 5.500.000, a pretexto de influir em atos praticados por ministros do Superior Tribunal de Justiça. (Exploração de prestígio, art. 357, caput, do Código Penal – Conjunto de fatos 23)”. O MPF afirma que a Fecomércio se tornou o melhor cliente do escritório de Martins.

A operação de hoje batizada de Operação E$QUEMA S, pela PF, Receita e pelo MPF, tem como finalidade desarticular estrutura irregular de pagamento a escritórios de advocacia que atuavam em conluio com o ex gestor da Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio/RJ), Orlando Diniz. As investigações apontam o desvio de recursos de entidades do Sistema S (SESC / SENAC).

Aproximadamente 170 policiais federais, divididos em 44 equipes, dão cumprimento a 51 mandados de busca e apreensão, em seis estados (RJ, SP, DF, AL, CE e PE) da Federação. Os mandados judiciais foram expedidos pela 07ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro.

Os investigados responderão pelos crimes de tráfico de influência, exploração de prestígio, peculato, estelionato, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

O que dizem os investigados

Procurado, Eduardo Martins não atendeu aos contatos da Record TV. O STJ (Superior Tribunal de Justiça) também foi questionado e irá enviar posicionamento em breve.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. João Juca Jr disse:

    Para esses advogados "medalhões" que frequentam as cortes superiores (uns frequentam de bermudas e sandálias) esse valor (R$ 800 mil) é uma MIXARIA. Eles estão acostumados com MILHÕES.

  2. Melo disse:

    Onde tem pt, tem roubo. Bandidos!

  3. nasto disse:

    Ou BRASIL para ter LADRÃOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO. Todo dia APARECE MAIS UNS. VERGONHA MUNDIALLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL

  4. Entregador De Pizza disse:

    O pai desse advogado tão astuto, é o mesmo que soltou o Queiroz, correto!!!?
    Engraçado, não vi um comentário da boiada imunda avacalhando o nobre advogado…..

    • Absurdo disse:

      Vá trabalhar e pare de postar o dia inteiro …seu passa fome, deixa de idolatria com verme ladrao condenado Lula, acabou a mamata …seu sem futuro , vá para Venezuela aquele paraíso comunista ….quem é um GADO é você passa fome

  5. Cidadão Indignado disse:

    Os corruptores foram identificados! E os corrompidos e canalhas ladrões e corruptos vão ser identificados e responsabilizados? Está muito claro quem são os bandidos nessa história.

  6. Incubado porto mirim vilagge flat disse:

    Absurdo, porém agente sabe que não vai dar nada para ele.

  7. Incubado porto mirim vilagge flat disse:

    Nossa quanta grana.

MP: imóvel em que Queiroz foi preso é escritório do advogado de Flávio Bolsonaro

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP) confirmou que o imóvel em que Fabrício Queiroz, ex-assessor parlamentar do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), foi preso mais cedo na cidade de Atibaia (SP) é um escritório do advogado Frederick Wassef. O criminalista defende o filho do presidente Jair Bolsonaro no caso que apura suposto esquema de “rachadinha” de verbas no seu antigo gabinete como deputado estadual.

Em nota, o MP-SP relata que o Gaeco foi responsável por levantar informações sobre o terreno no município paulista e pela confirmação do alvo da operação. Os mandados de prisão e de busca e apreensão foram expedidos pela Justiça do Rio de Janeiro, a pedido do Grupo de Combate à Corrupção (Gaecc) do Ministério Público fluminense. A promotoria informa ainda que Queiroz será transferido para o Rio ainda nesta quinta-feira (18). O ex-assessor foi levado para a capital paulista.

Estadão

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Não é à toa que a OAB luta com todas as suas armas para que escritório de advogado seja uma fortaleza inviolável… Besta sou eu que nem porta tenho em minha tenda.

  2. Rosivaldo disse:

    O cara não deve nada e passa um ano escondido? Já sei tava brincando de esconde esconde. 🙂

  3. Maria disse:

    MUmmmmm, o cerco está se fechando, mas vai sair logo da prisão, ele é do grupo de risco e daí vai sumir pra longe.deixatam pra prende-lo justamente na pandemia.

  4. Gustavo disse:

    Chato é que agora ninguém vai poder perguntar onde está o Queiroz

  5. Severino disse:

    Que caiam todos os corruptos !!!

  6. Gibira disse:

    Pronto acabou o coronavirús

  7. ACABOU PORRA!!! disse:

    O suplente Paulo Marinho já deve estar no aquecimento para assumir como senador. É melhor já ir se acostumando com a casa desMOROnando.

  8. cabeça disse:

    FAMÍLIA BOLSONARO PODE ESPERAR A SUA HORA VAI CHEGAR! FAMÍLIA BOLSONARO VÁ ESPERANDO A SUA HORA ESTÁ CHEGANDO, CAPITÃO CORONA SEUS FILHOS ESTÃO SE FERRANDO!

    • Sandra disse:

      Cabeça de p… vai receber teu auxílio emergencial e comer tua mortadela kkkk

    • Manoel C disse:

      Sandra, mulher. Pare de falar dos outros, lembra que nos estamos no estado onde se come ovo e arrota caviar, carro zero em casa caindo aos pedaços… Pode ser você a próxima a comer mortadela, arrotando presunto parma.

Importante obra sobre Direito Corporativo é lançada por escritório de advocacia potiguar

Foto: Divulgação

Área da advocacia que tem crescido exponencialmente neste século, o Direito Corporativo ganhou uma obra de referência este ano. Lançada pela Quartier Latin e André Elali Advogados, ‘Direito Corporativo: temas atuais e relevantes’ reúne estudos de renomados juristas nacionais e internacionais. A coordenação tem a assinatura dos advogados André Elali, Evandro Zaranza e Fernando Lucena Júnior. Dentre os autores, Professores da UFRN, UFPE, UFC, USP, PUCSP, Mackenzie, FGV, Berkeley, Queen Mary e Michigan.

“O presente livro reúne estudos sobre temas de alta importância para o Direito, num momento de grande complexidade e mudança para o sistema social. Concorrência, segurança jurídica, legalidade e método de solução de controvérsias são alguns dos temas que desafiam o Direito a resolver os vários conflitos e perspectivas interpretativas”, destaca André Elali, Professor da UFRN e Pesquisador-Visitante da Queen Mary.

Escritório de advocacia e instituto de pesquisa são alvos da PF

A operação da PF desta terça-feira(05) que mira Renan Calheiros, Eduardo Braga e Vital do Rêgo fez buscas numa banca de advogados e procurou sócios de um instituto de pesquisa que teriam sido usados para efetuar repasses da JBS aos caciques do MDB em 2014.

Um dos mandados de busca expedidos por Edson Fachin visa coletar provas no Escritório de Advocacia Rubens Ferreira & Vladimir Silveira, em São Paulo. Em delação premiada, Ricardo Saud, ex-diretor da JBS, disse que pagou R$ 4 milhões para Vital do Rêgo por meio da banca.

O atual ministro do TCU teria recebido R$ 6 milhões no total, para apoiar a reeleição de Dilma Rousseff em 2014. Os outros R$ 2 milhões teriam sido pagos por meio da Makplan, empresa de comunicação, e em espécie.

A PF também sócios da Campus Centro de Estudos e Pesquisa de Opinião Ltda., sediada em Salvador, a depor. A empresa teria sido usada por Eunício Oliveira para receber R$ 2 milhões da JBS — o ex-senador teria recebido R$ 5,6 milhões para fechar a aliança com o PT.

Os pagamentos da JBS a membros do MDB do Senado teria alcançado mais de R$ 40 milhões e teria beneficiado também Jader Barbalho, Romero Jucá,  Edison Lobão e Valdir Raupp.

O Antagonista

Restabelecer limites de atuação: Casa da Moeda manda sindicato desocupar escritório

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A atual gestão da Casa da Moeda do Brasil solicitou a desocupação de 1 escritório por parte do sindicato do órgão, no prédio onde a estatal está localizada, no Rio de Janeiro, até o último sábado (3.ago.2019). Os sindicalistas mantinham uma “Delegacia Sindical” no espaço.

A Casa da Moeda esclareceu, contudo, que a cessão do espaço não proíbe atividades sindicais. É apenas uma medida para “restabelecer os limites de sua atuação e do trabalho do Sindicato”, já que a ocupação “não é usual” em empresas.

“A Diretoria entende que não se justifica a cessão do espaço e dos custos de manutenção da entidade, tendo em vista que essa prática não é usual em empresas públicas ou privadas. Portanto e diferentemente do que vem sendo informado pelo Sindicato, não existe a proibição de atividades sindicais e tampouco de filiação sindical”, disse em nota a CBM.

Responsável pela emissão de cédulas, moedas, selos oficiais e passaportes, a Casa da Moeda contrata seus funcionários por concurso público. Porém, os servidores são regidos pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) e são passíveis de perda dos cargos.

CASA DA MOEDA
Eis a íntegra da nota do órgão:

A Diretoria Executiva da Casa da Moeda do Brasil, com o objetivo de restabelecer os limites de sua atuação e do trabalho do Sindicato, de uma forma salutar e dentro da legalidade, notificou o Sindicato da categoria para que desocupe o espaço dentro da empresa, onde até agora vem funcionando a chamada Delegacia Sindical.

A Diretoria entende que não se justifica a cessão do espaço e dos custos de manutenção da entidade, tendo em vista que essa prática não é usual em empresas públicas ou privadas. Portanto e diferentemente do que vem sendo informado pelo Sindicato, não existe a proibição de atividades sindicais e tampouco de filiação sindical.

Da mesma forma, a Diretoria Executiva notificou o Sindicato sobre a realização de atividades sindicais que não serão mais permitidas sem a devida autorização dentro da empresa. A partir deste dia 01, A Diretoria, concederá a 7 (sete) membros titulares e a 7 (sete) membros suplentes a licença remunerada.

Os demais dirigentes sindicais, incluindo titulares e suplentes, bem como representantes da Federação e Conselheiros Fiscais, entrarão em licença sem remuneração para que possam se dedicar exclusivamente ao exercício de suas atribuições sindicais.

Atenciosamente,

Direção da Casa da Moeda do Brasil

Poder 360

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. eduardo DE BARROS GAMA disse:

    Eu sou concursado. Sou da mamata também? Ou só consegui uma condição melhor do que a maioria dos Brasileiros, por ter estudado para isso!? Será que os sanguessugas não são os que ocupam cargo comissionado (livre nomeação e exoneração)? Será que a maioria das pessoas que comentam sobre as instituições públicas sabem disso?

  2. eduardo DE BARROS GAMA disse:

    CBM!?

  3. Erald disse:

    Parabéns…Quem teve essa iniciativa, é um defensor dos cidadãos Brasileiros…

  4. Cecília Barboza disse:

    Dentro do IFRN funciona o sindicato dos servidores de lá, e quem banca a conta (aluguel, água, luz, iptum internet, telefone, segurança privada…) é o babaca do cidadão pagador de impostos.

  5. Totito disse:

    Excelente medida.

    Mas ainda ficaram com 7 (sete) membros titulares e a 7 (sete) membros suplentes com licença remunerada.

    Precisamos acabar com isso também.

  6. Luciana Morais Gama disse:

    Assim é bom demais Júnior.

  7. #Vergonha disse:

    Enfia o pé na bunda desses PTRALHAS

Escritório de advocacia que Dirceu foi convidado para trabalhar tem Lula como cliente

2013-664492302-2013-664204235-2013111561378.jpg_20131115.jpg_20131117O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, condenado a 10 anos e 10 meses como mentor do mensalão, apresentou à Vara de Execuções do Distrito Federal um novo pedido para trabalhar fora da cadeia. O advogado José Gerardo Grossi convidou o ex-ministro parar cuidar de sua biblioteca de 2 mil livros. Segundo o advogado, com salário de R$ 2,1 mil o petista irá fazer pesquisas e também auxiliar na administração do escritório.

– Diria que seria necessária a contratação. Não seria importante, nem desimportante, seria necessária – disse o advogado, ao ser indagado da importância da contratação de Dirceu.

Grossi, que defende o deputado Eduardo Azeredo ( PSDB-MG) na ação que trata do mensalão mineiro, negou que haja algum conflito entre a oferta de emprego a Dirceu e seu cliente.

– Não tem nada a ver. Não há nenhuma guerra entre o PT e o PSDB, eu advogo para vários partidos, PSDB, PTB, não tem nada a ver – garantiu.

Segundo o advogado, o escritório é pequeno e “quase artesanal”. O horário de trabalho de Dirceu seria de 8h às 18h, o mesmo horário dos outros funcionários. O escritório atua também na Justiça Eleitoral na defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Esta é a segunda tentativa de Dirceu para trabalhar no regime semiaberto. A primeira foi um emprego de gerente administrativo no Hotel Saint Peter, em Brasília, onde receberia R$ 20 mil por mês. O hotel havia assinado a carteira de trabalho de Dirceu em 22 de novembro. Mas, após uma série de denúncias contra o hotel, Dirceu abriu mão do emprego. Grossi não quis comentar o caso.

– Não faço julgamento de condutas anteriores – disse.

O renomado advogado afirmou também que não houve pedido de Dirceu para a oferta de emprego.

– Somos amigos há mais de 20 anos. Nunca pedi um favor a ele e nem ele a mim.

O Globo

MPF obtém afastamento de ex-chefe de escritório do Ibama em Mossoró envolvido em fraudes

Ministério Público Federal (MPF) em Pau dos Ferros obteve liminar garantindo o afastamento de Francisco Linduarte Lopes do cargo de técnico ambiental do Ibama, pelo prazo de 180 dias. A decisão da Justiça Federal foi tomada dentro da Ação Civil Pública ajuizada pelo MPF contra o servidor e sua filha, Francisca Dilcicléa Lopes de Souza, por ato de improbidade administrativa.

De acordo com a ação do MPF, assinada pelo procurador da República Tiago Misael de Jesus Martins, um esquema que beneficiava empresas com inclusão de informações ambientais falsas no Cadastro Técnico Federal (CTF), descoberto pela “Operação Malha Verde” em 2012, incluía três panificadoras situadas em Pau dos Ferros e contava com o auxílio de Francisco Linduarte, que ocupava a função de chefe do Escritório Regional do Ibama em Mossoró.

Segundo o Ministério Público Federal, a filha do servidor, Francisca Dilcicléa, conhecida como “Cléa”, utilizava a influência do pai, bem como a estrutura do Escritório Regional do Ibama em Mossoró, para prestar serviços de assessoria em matéria ambiental a empresas privadas, em alguns casos ilicitamente.

O juiz Federal Hallison Rêgo Bezerra concedeu a liminar afastando Francisco Linduarte por entender que os autos do processo evidenciam “indícios de prática de ato ímprobo pelos demandados”. Dentre tais indícios estão os depoimentos dos empresários autuados na “Operação Malha Verde”, que apontaram Francisca Dilcicléa como responsável pela inserção dos dados ambientais falsos de suas empresas no CTF.

O magistrado cita a sindicância realizada pelo Ibama e que concluiu que Francisco Linduarte se valeu do cargo de chefia para beneficiar o esquema ilícito gerenciado pela filha. Ele permitia que ela transitasse livremente e distribuísse o cartão de sua empresa de assessoria nas dependências do escritório; bem como utilizasse os computadores do instituto para lançar as informações das empresas assessoradas; além de dar prioridade ao atendimento das solicitações dessas empresas.

A decisão justifica o afastamento considerando que pelo fato de o servidor já ter exercido função de chefia, “patente é a possibilidade de influência do réu no ânimo das testemunhas que vierem a depor no processo, mormente ao se considerar que das oito testemunhas arroladas pelo Parquet Federal, cinco são servidores lotados na autarquia ambiental”.

MPF-RN

Casa e escritório de Anderson Miguel foram arrematados em leilão do TRT

A casa e o escritório do advogado Anderson Miguel, assassinado no dia 1º de junho de 2011, já têm novos donos. A aquisição foi feita em leilão nos valores de R$ 440 mil e R$ 462,5 mil, respectivamente.

O aremate fez parte do  leilão realizado pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que só deve terminar no final da tarde desta sexta-feira.

Anderson miguel era réu da Operação Hígia. (Relembre o crime)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Joana disse:

    Meu maior sonho é que todos recebam o que merecem ao menos a justiça sera feita dinheiro público 'nosso dinheiro" desviado por colarinhos brancos tem que ser devolvidos aos cidadãos.Espero que a justiça não aceite mais embargos como no último leilão algo tem que ser feito pra acabar com a impunidade aso cidadãos de bem nesse pais….futuros governadores e prefeitos estamos de olho!!!

PF faz operação em Escritório e Apartamento em Natal

Uma operação da Polícia Federal na manhã desta segunda-feira resultou em busca e apreensão de vários documentos relativos à compra da Fazenda São José, no município de Touros, e na qual houve, supostamente, fraude ao Fisco.

A negociação foi há oito anos entre o empresário português Joaquim Amorim – que comprou o imóvel – e Paulo Melo Figueiredo. A fazenda teria sido subavaliada: valendo R$ 3,5 milhões, foi declarada no valor de R$ 300 mil.

Parte da documentação foi apreendida no escritório do advogado de Paulo Melo, Sebastião Leite Júnior, próximo ao prédio da Ceasa, em Lagoa Nova. Ele entregou toda a documentação necessária às investigações. Ninguém foi preso.

Além do Escritório, a PF também foi ao Apartamento do Advogado.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Evandro Lobão disse:

    Finalmente algum "grande" foi investigado. Pensei que isso só existia em outros Estados.

  2. joana disse:

    E a cada dia que passa mais e mais fraudes descobertas pela policia federal…pena que tudo acabe em piza!tanta corrução e ninguém preso ou punido!como dizia a música de Renato Ruso…que pais é esse!

Anderson Miguel assassinado à queima roupa

Anderson Miguel

As 16:50 de hoje um sujeito moreno entrou no escritório do advogado Anderson Miguel (que estava envolvido na operação Higia). O homem foi anunciado, entrou na sala do advogado e deu 4 tiros à queima-roupa. A recepcionista  do escritório só veio dar conta do assassinato quando escutou gritos e o sujeito saiu correndo. Tudo indica que havia um Siena Branco na rua lateral esperando pelo assassino. Advogados associados do mesmo escritório só vieram perceber o crime com a chegada da polícia, que por coincidência tinha um viatura por perto. O escritório, apesar de ter câmeras de segurança que filmaram tudo, não têm as imagens registradas por que o sistema não gravava.

O corpo está no chão da sala dele, neste momento. Também há cápsulas no chão, o que indica que os tiros foram de pistola.

* Está confirmado que o assassino fugiu num Siena de cor branca. Não se sabe se mais homens participaram da ação. A forma que foi assassinado o advogado mostra claramente que foi um crime de pistolagem.

Relembre o Caso Hígia:

A Operação Hígia foi deflagrada em 2007 pela Polícia Federal para apurar irregularidades nas contratações de serviços terceirizados à Secretaria Estadual de Saúde.

Anderson Miguel, cuja empresa foi contratada, revelou ano passado em depoimento ao Ministério Público Federal, um esquema de propina e facilitação de pagamentos que envolvia o filho da então governadora Wilma de Faria, Lauro Maia, e outros servidores de primeiro e terceiro escalão.

Anderson Miguel era investigado por envolvimento em outros crimes.

*Em instantes mais detalhes