Kelps se apresenta como salvador da pátria, desqualifica os demais e pede nome em pesquisas para governador

O deputado estadual Kelps Lima, que comanda o Solidariedade, apresentou-se nesta tarde de sexta-feira para pedir em nota que os institutos de pesquisa considerem, doravante, seu nome nas sondagens para o Governo do Estado.

Como panaceia, o remédio universal que tudo resolve e que se pretende solução de todos os problemas, o deputado aponta que nenhum outro projeto tem qualificação para tirar a crise em que foi enfiado o Rio Grande do Norte nos últimos anos.

A ressalva vem de si para si, todavia: “O Solidariedade preenche os requisitos para apresentar uma candidatura majoritária”, diz a nota, sem deixar claro se um novo texto vai ser distribuído à imprensa para explicar que requisitos são esses que o partido diz ter.

Confira a nota:

Reunida nesta sexta-feira, 23 de fevereiro, em Natal, a Comissão Executiva do Partido Solidariedade no Rio Grande do Norte decidiu encaminhar para todos os institutos de pesquisa do Rio Grande do Norte a formalização para que o nome do presidente estadual da legenda, deputado Kelps Lima, seja incluído nas pesquisas eleitorais formais, que forem registradas no TRE, a partir da presente data, 23 de fevereiro de 2018, para Governador do Estado.

O Solidariedade, através do deputado Kelps Lima, foi o ÚNICO partido que desde do começo da gestão Robinson Faria apontou a falta de planejamento do Governo e previu a falência administrativa que iria decorrer em função disso, o que, infelizmente, se configurou.

As candidaturas postas até o presente momento não representam um projeto de gestão para iniciar o processo de reformulação da máquina pública do Estado. O histórico dos grupos que dominam atualmente a pauta como fortes concorrentes ao Governo mostra isso.

A candidatura dos Alves e Maias possui como apoiadores “master’s” os senadores Garibaldi e José Agripino, que herdaram o poder dos pais e cuja meta será passar o poder político para os filhos e depois para os netos. A rotina deles, nos últimos 40 anos, comprova isso.

Já a candidatura da esquerda histórica, embora tenha uma personagem com trajetória política vencedora, está condicionada a uma agenda nacional cuja principal meta é alimentar a sobrevivência de um partido e não de um projeto de recuperação da máquina pública e da economia do Rio Grande do Norte.

O Solidariedade preenche os requisitos para apresentar uma candidatura majoritária. Está organizado em todo o Estado, possui chapa própria de deputado estadual, federal e uma candidatura sólida ao Senado, com Magnólia Figueiredo.

Kelps tem a formação técnica e política necessária que o Estado precisa nesse momento. É formado em Direito, pós-graduado em Gestão Pública e está concluindo o Mestrado em Políticas Públicas, tendo toda sua formação pela UFRN. Já possui experiência política e administrativa, estando no segundo mandato de deputado estadual e já tendo ocupado por mais de uma vez o cargo de secretário em gestões públicas.

Executiva Estadual do Partido Solidariedade

COMENTE AQUI

Ze  26/02/2018

Com celular na mão, e um desejo no coração, mais vai perder pra cabeção!!! - Responder

Creso Rabêlo  24/02/2018

O cara aparece agora do nada já quer a fatia maior do bolo...Sai dessa. Kkkkkk... - Responder

#ficadica  24/02/2018

E fico mto a vontade pra falar isso pq não conheço e nem voto nem votarei nesse político - Responder


+ Ver todos os comentários

‘Papel da imprensa não é de investigar e sim de divulgar informações’, diz Dilma sobre escândalos

2014091963088Foto: Givaldo Barbosa / O Globo

A presidente Dilma Rousseff disse que vai pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) acesso ao depoimento do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa dentro do processo em que ele é beneficiado pela delação premiada. Enfática, Dilma disse que “não é possível” a imprensa ter informações e que, como presidente da República, não pode tomar providências com base no “disse me disse”. A petista disse que vai fazer o pedido ao ministro Teori Zavascki, que é o relator do caso no STF. Para a candidata, o papel da imprensa “não é de investigar e sim de divulgar informações”.

A reação de Dilma ocorreu porque o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, negou acesso ao depoimento de Paulo Roberto Costa. Ela disse que não faz prejulgamentos e que, sem as informações oficiais, não pode “tomar providências”. Para Dilma, a impunidade é o maior mal do país atualmente.

— Pedirei ao ministro Teori a mesma coisa: quero ser informada se no governo tem alguém envolvido. Não tenho porque dizer que tem alguém envolvido, porque não reconheço na revista Veja e nem em nenhum órgão de imprensa o status que tem a PF, o MP e o Supremo. Não é função da imprensa fazer investigação e sim divulgar informações. Agora, ninguém diz que a informação é correta. Não prejulgo, mas também não faço outra coisa: não comprometo prova. Porque o câncer que tem nos processos de corrupção é que a gente investiga, investiga, investiga e ainda continua impune — disse Dilma, acrescentando:

— Não é possível que a revista Veja saiba de uma coisa e o governo não saiba quem é que está envolvido. Pedi primeiro para a PF, que me disse: não posso entregar, a investigação está em curso e peça ao MP. E o MP me disse a mesma coisa: se ele me disser, ele contamina a prova. Se ele me disser, ele contamina a prova.

E reitero, irritada:

— Quando sai uma denúncia na Veja ou em qualquer outro jornal, eu não tomo medida, porque sou presidente da República, baseada no disse me disse. Tomo medida baseada inclusive naquilo que sou a favor, que é da investigação absoluta. Vamos deixar uma coisa clara aqui: Quem é que descobre as práticas de corrupção no Brasil? A PF. Porque a PF tem hoje uma autonomia integral para investigar quem quer que seja. No Sempre que vazam informações que estão em investigação, sabe o que acontece? Compromete-se a prova. O MP denuncia e não pode ser condenado, porque a prova foi comprometida. Não é possível que alguém queira que a fonte de investigação no Brasil não sejam os órgãos oficiais. E são PF, MP e Judiciário.

Para Dilma, os crimes ficam impunes no Brasil por causa do vazamento de informações.

— O que queria saber? Queria saber sim, para eu tomar providências. O que eles me dizem? Se entregar a prova para você, estarei comprometendo a investigação. Acho que nessa investigação, ela está sendo diferente. A própria revista Veja diz que o inquérito, os depoimentos, a delação estão criptografado e guardados num cofre. Isso significa que nenhuma das falas é garantida. Ninguém sabe o que é — disse a presidente, afirmando que tem um “imenso compromisso contra a impunidade”:

— O pai no sentido de protetor, o compadre do crime de corrupção, do crime de lavagem de dinheiro, do crime financeiro é um só: a impunidade. Pode saber que criar condições para (combater ) impunidade, é uma coisa que o país tem de avançar. Antes, tinha o engavetador- geral da república. Hoje, tem um procurador-geral da República que investiga e tem autonomia.

A presidente se irritou ao ser perguntada sobre a declaração de Paulo Roberto de que teria recebido R$ 1,5 milhão de propina no processo de compra da refinaria Pasadena. Ela já tinha encerrado a entrevista e voltou para falar sobre o assunto.

— Se você me disser para quem ele disse, quem disse e como é que disse, eu respondo. Recebo informações de juiz, de procurador e de delegado da PF. Sou a favor de investigar, nada colocar para debaixo do tapete. Acho que o maior mal atual é a impunidade. Se investiga, descobre o mal feito e não condena, cria a sensação de que não teve pena nenhuma. Sabe por que protege com a impunidade? Porque você não prende, não pune e só tem um jeito: tem que punir. Por isso é que se diz: tolerância zero — disse ela, irritada e falando enquanto caminhava na rampa interna do Palácio da Alvorada.

Dilma ainda criticou a especulação na Bolsa de Valores e no mercado financeiro com base no resultado de pesquisas eleitorais.

— Acho ótima a reação da Bolsa. Quando a Bolsa cai, eu falo: será que eu subi? Tá ficando ridículo isso. Especulação tem limite! E acho que tem gente ganhando com isso. Eu não sou, eu perco, tá? Acho desagradável o fato de acharem que uma coisa está vinculada à outra. Quando sobe, ou quando desce. Não comentei e não comento pesquisa nem quando sobe e nem quando desce. Nunca comentei na vida — disse, irônica.

O Globo

COMENTE AQUI

Olho Vivo  20/09/2014

Espero que nenhum de vcs sejam investigados por meio de inquérito civil ou penal. Pois, responder uma acusação gera profundo desconforto e inquietação. Contudo, nem sempre somos culpados e muitas vezes quem denuncia é que causou o problema. Vemos isso todo em briga de vizinhos, briga de casais, brigas no trânsito. E na política não é diferente, possuindo somente um agravante, que é a guerra entre adversários usando todas as armas disponíveis para destruir, derrubar, derrotar e tomar o poder. Nessa guerra, uma das mais poderosas armas é a imprensa. Jornais, canais de Televisão, Blogs, Rádios e Revistas, são empresas comerciais que sobrevivem de dinheiro dos anunciantes e que podem ser contratadas para qualquer "trabalho". Seja trabalho ético ou não. Pautada por Carlinhos Cachoeira(um dos maiores ladrões conhecidos do Brasil) durantes longos anos, a VEJA tem perdido credibilidade cada dia mais. Nesse caso, independente de qual a orientação política que vc tenha, realmente é muito estranho o acesso a informações sigilosas e a divulgação somente de uma parte, sugerindo que somente foi mostrado a parte que prejudicava os adversários e se ocultou a parte que incriminaria os aliados. Pois o sigilo nas investigações é necessário para proteger a integridade dos acusados até a comprovação dos fatos e a consequente denúncia oficial feita por meio de uma ação civil comandada pelo Ministério Público. Muitos acusados são inocentados no curso da investigação e os danos causados pela acusação se tornadas públicas, são irreparáveis. Como disse "Pimenta nos olhos dos outros é refresco." Espero que ninguém passe por isso. Como disse o Mestre da Galileia: "ATIRE A PRIMEIRA PEDRA QUEM NÃO TIVER PECADO." - Responder

Joao silva  19/09/2014

Mas o problema eh exatamente esse: Dilma e Lula nunca sabem de nada kkkkk - Responder

fabio  19/09/2014

Jorge , então se está sobre secredo de justiça porque? A imprensa quer está acima de tudo e de todos , ela tem apenas que noticiar e não quere influênciar e mandar numa soberania de um pais, sem limites ela acha quê pode tudo - Responder


+ Ver todos os comentários

Revista Veja é condenada a pagar indenização a ex-presidente Collor por chamá-lo de “corrupto desvairado”. Multa pode chegar a R$ 500 mil

O artigo de opinião intitulado “O Estado Policial”, publicado na revista Veja, em março de 2006, trouxe à Editora Abril uma multa de até R$ 500 mil.

O texto comparava as atitudes dos governos Collor e Lula e, um dos trechos, falava sobre as “traficâncias” de Collor e o chamou de “corrupto desvairado”.

O texto opinativo foi escrito pelo jornalista André Petry.

Para o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) entendeu que a simples publicação da expressão “corrupto desvairado” configura dano moral e, por isso, a editora terá que indenizar o ex-presidente.

Collor abriu ação de indenização alegando que havia sido atingido por uma série “de calúnias, injúrias e difamações”, mas, a princípio, o o pedido foi julgado improcedente e entendeu que o jornalista da revista Veja não teve intenção de atingir a honra do ex-presidente.

Segundo informações da Agência Brasil, entretanto, a sentença foi reformada e o TJ-RJ entendeu que algumas expressões usadas no texto poderiam ser evitadas e, portanto, configura danos morais.

O tribunal fixou a indenização em R$ 60 mil, mas esse valor pode aumentar já que o ministro Sidnei Beneti e o ministro Paulo de Tarso Sanseverino se posicionaram no sentido de aumentar o valor para R$ 150 mil.

Já os ministros Nancy Andrighi, Massami Uyeda e Villas Bôas Cueva votaram para fixar a indenização em R$ 500 mil.

Fonte: Comunique-se

COMENTE AQUI

CUT/PT proíbe imprensa em ato de ‘desagravo’ a Delúbio Soares

Braço sindical do PT, a CUT apoia a tese do partido em favor da “regulação” da imprensa que imprensa.

Como a coisa não virou lei, a CUT decidiu implementar o seu próprio marco regulatório para os meios de comunicação.

Reunida em sua 13a Plenária Nacional, a entidade determinou: nenhum jornalista ultrapassa o marco da porta que dá para o auditório.

Por descuido, uma equipe da Folha penetrou na área proibida. Foi expulsa antes que Delúbio Soares, o homenageado da noite, levasse os lábios ao microfone.

Réu no processo do mensalão, Delúbio lançou, a portas fechadas, um CD interativo e um livreto com a reprodução da defesa que apresentou no STF.

O ex-gestor das arcas clandestinas do PT teve tratamento de celebridade. Depois de discursar, distribuiu autógrafos na peça escrita por seus advogados.

(mais…)

COMENTE AQUI

Repórter em Trípoli descreve a situação tensa e o restinho do reinado de Gaddafi

MATTHEW PRICE
DA BBC BRASIL, EM TRÍPOLI

Quando chegaram, chegaram com uma velocidade impressionante.

Ninguém previa o quão rápido as forças rebeldes da Líbia avançariam pela capital sem oposição.

Mas 24 horas após o início do primeiro combate intenso em Trípoli, na noite de sábado, os sinais estavam lá para todos verem.

Primeiro, crianças e mulheres de aliados do coronel Muamar Gaddafi começaram a fazer as malas e deixar o hotel Rixos.

O hotel de cinco estrelas é o local onde o governo obrigou os jornalistas estrangeiros a ficar durante a cobertura do conflito na Líbia.

Durante meses, o Rixos se tornou um ponto de encontro do governo. Um lugar de refúgio e segurança para eles, onde o ministro da Informação do coronel Gaddafi concedia entrevistas coletivas frequentes.

(mais…)

COMENTE AQUI

Ricardo Teixeira chamou os Jornalistas Ingleses de Corruptos. Logo ele?

O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, chamou hoje os jornalistas ingleses de corruptos na Marina da Glória. Assediados por um grupo de repórteres estrangeiros durante a visita ao palco do sorteio preliminar da Copa-2014, o dirigente se recusou a falar com os jornalistas ao saber que eram ingleses. Logo em seguida, ele hostilizou o grupo chamando os britânicos de “corruptos”.

(mais…)

COMENTE AQUI

José Lúcio  29/07/2011

E ainda falam de Leandro Campos. - Responder

Ricardo Teixeira: "Aliás, caguei. Caguei montão" para a imprensa

Vejam o nível desse cidadão, segue reportagem da UOL:

Ricardo Teixeira, presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e do Comitê Organizador da Copa de 2014, quebrou o silêncio. O cartola que domina o futebol brasileiro passou cerca de uma semana na Suíça com uma repórter da revista Piauí e dissertou sobre diversos temas. No meio da longa reportagem, publicada na edição de julho, ele expõe a relação que tem com a Globo, xinga os críticos e promete maldades com a imprensa no Mundial que comandará, daqui a três anos.

As declarações de Ricardo Teixeira foram registradas no início de junho, quando a Fifa estava mergulhada em uma crise histórica e tentando reeleger Joseph Blatter. O cartola brasileiro era um dos maiores alvos das denúncias de corrupção. As acusações iam desde de propinas supostamente recebidas ainda na década de 1990 até uma tentativa de venda de voto no processo de escolha das sedes das próximas Copas.

“Meu amor, já falaram tudo de mim: que eu trouxe contrabando em avião da seleção, a CPI da Nike e a do Futebol, que tem sacanagem na Copa de 2014. É tudo da mesma patota, UOL, Folha, Lance, ESPN, que fica repetindo as mesmas m…”, disse Ricardo Teixeira, que vai ainda mais longe ao rebater as denúncias.

“Não ligo. Aliás, caguei. Caguei montão. O neguinho do Harlem [bairro pobre nova-iorquino] olha para o carrão do branco e fala: ‘quero um igual’. O negro não quer que o branco se f… e perca o carro. Mas no Brasil não é assim. É essa coisa de quinta categoria”, vaticinou.

(mais…)

COMENTE AQUI

JACK  08/07/2011

IMPENSÁVEL essa PREPOTÊNCIA em qualquer sociedade que fosse ao menos razoável. O rei já nem se preocupa se está sendo visto nu... Explicação?: "O mal triumfa quando os bons se omitem"! - Responder

Eduardo  07/07/2011

A única coisa que acho que ele tem razão e está certo é em questão ao "neguinho do Harlen". O brasileiro não pensa em ter aquilo que outro tem: um carro, uma lancha, casa, etc. Ele quer é que o outro perca o que tem. Isso é a mais absoluta verdade. - Responder

vitor pipolo  07/07/2011

bicho mal! Nem o pior vilão da novela das 20:00 é tão ruim assim . - Responder

Associação de juízes joga culpa dos penduricalhos na imprensa

A Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra) divulgou nesta segunda-feira, 12, nota de repúdio ao que a entidade classifica de “uso abusivo e distorcido” pela imprensa das informações financeiras disponibilizadas nos portais de transparência relativas aos pagamentos feitos a magistrados em 2017. São incluídas nestes pagamentos verbas indenizatórias como a ajuda de custo para moradia, que, segundo a entidade, estão previstas em lei.

A Anamatra, segundo o teor da nota, discorda das reportagens e editoriais por temer o engano que os dados não contextualizados podem provocar na opinião pública.

“Os dados sobre pagamentos efetuados a magistrados, inclusive os de cunho indenizatório, como é a ajuda de custo para moradia – que, portanto, não desafia incidência de IRPF, tal como outras tantas ajudas de custo expressamente referidas como isentas na Lei n. 7.713/1988 -, são públicos e estão disponibilizados desde 2004 no Portal da Transparência do Conselho Nacional de Justiça e nos portais dos tribunais, sendo acessíveis a qualquer cidadão brasileiro. Houvesse o que esconder, não estariam assim disponíveis, sem qualquer filtro ou restrição”, diz a nota.

Para a entidade que representa 4.000 membros da Magistratura do Trabalho, “é inaceitável, de toda sorte, o uso abusivo e distorcido das informações financeiras disponibilizadas nos portais de transparência”. O documento lembra que a complexa questão dos direitos e vantagens da Magistratura será enfrentada em breve pelo Supremo Tribunal Federal (STF), não havendo, no âmbito da União, o pagamento de quaisquer benefícios que não tenham previsão na Lei Orgânica da Magistratura Nacional (LC n. 35/1979) ou em lei federal competente.

A nota afirma ainda que “críticas públicas a tais vantagens, ainda quando equivocadas, são legítimas e naturais em ambiente democrático”, mas considera “inadmissível que isso se faça ao enxovalho de toda uma carreira nacional, expondo publicamente à execração pública centenas de juízes de todo o País”.

COMENTE AQUI

Flavio HBM  13/02/2018

O Ping pong entre o judiciário e legislativo é imoral e ridículo. Um passando a bola ao outro. Um beneficiando o outro. A população é quem apanha a bola. - Responder

Ticio  13/02/2018

ANAMATRA, não está sendo criticado o auxílio moradia, e sim, o pagamento indevido para aqueles que possuem imóveis próprios na mesma cidade em que trabalha. Vergonha!!! - Responder

Eliane Patrício  13/02/2018

Isso só ser uma piada. Kkkkkkk - Responder


+ Ver todos os comentários

Lula critica imprensa por dar destaque a fraudes em programas do governo

Lula-participa-da-cerimoniaAo participar do encerramento da 3ª Conferência Global de Combate ao Trabalho Infantil, o ex-presidente Lula criticou, nesta quinta-feira, a imprensa por dar destaque a fraudes no Bolsa Família, mas disse que está acostumado a tomar “bordoada” e tem “casco de tartaruga”. Em seu discurso, Lula saudou o ministro Manoel Dias (Trabalho), que acaba de enfrentar um escândalo de corrupção em sua pasta, como “companheiro de longa data”.

– Outro dia noticiaram a fraude em 80 carnês do Bolsa Família. Em vez de a manchete do jornal ser sobre quem clonou, foi uma crítica que tinha fraude no Bolsa Família. Se fosse um assalto a banco, a manchete ia ser: “Banco é assaltado”. Estamos acostumados a tomar bordoada, mas nós temos casco de tartaruga. Tereza (Campelo), fique com cara boa, porque essa luta nós já vencemos – disse Lula, dirigindo-se à ministra do Desenvolvimento Social.

Lula também criticou a imprensa por supostamente não dar atenção ao tema da conferência, o combate ao trabalho infantil, e se ater a temas “banais e secundários”, muitas vezes de forma “sensacionalista”:

– Quero confessar que eu tinha a impressão de que esse evento estava proibido para a imprensa porque um assunto dessa magnitude, com os resultados extraordinários conquistados por muitos países do mundo e pelo Brasil, mereceu menos atenção do que qualquer outro assunto banal do noticiário brasileiro. É uma pena que muitas vezes as coisas sérias não são tratadas com seriedade, é uma pena que as coisas banais, as coisas secundárias, sejam tratadas de forma quase sensacionalista.

Para uma plateia composta também por estrangeiros, o ex-presidente disse que, no Brasil, há preconceito em relação a políticas de transferência de renda:

– O que dá para os ricos é investimento, e para os pobres é gasto, a ponto de dizerem na minha cara que nós estávamos criando um exército de vagabundos.

O ex-presidente não quis dar entrevista:

– Minha filha, publica o que eu já falei (no discurso).

O Globo

COMENTE AQUI

paulo kasinsk  10/10/2013

Ou seja: imprensa boa é aquela oficial, que destaca só os "feitos" do governo. Imagine você se a imprensa não fosse vigilante com esses "meninos"... ; imagine as estripulias. Cara de pau, esse cidadão. A vida desse senhor é tirar onda, debochar da cara da gente. Passarinho que se mexe muito, um dia cai do poleiro. - Responder

Rafael Vale  10/10/2013

Achei correto o comentário de Lula, assim como achei sensacionalista o título da reportagem. As fraudes verificadas no bolsa família são de responsabilidade das prefeituras - responsáveis pelo cadastramento, ou das pessoas "beneficiadas" que falsificam documentos para obter o benefício, e a imprensa noticia como se a fraude fosse praticada pelo governo. - Responder

Governadora toma café com a imprensa para fazer balanço da gestão, mas não chama o BG

Está em todos os blogs, sites de notícia, rádios, em todos os cantos. A governadora Rosalba Ciarlini aproveitou a manhã desta terça-feira (27) para tomar um café da manhã com os amigos da imprensa com um único objetivo: fazer um balanço do primeiro ano a frente do Executivo estadual.

O interessante é que o blog não foi convidado para o evento. Será que por prevenir evitar as perguntas ácidas? Espero que não. Afinal, ela é a governadora e o blog é um humilde veículo de comunicação. É por essas e outras que o blog lamenta a falta de convite. Não por vaidade vaidade pessoal pela presença na comilança farta, mas pela falta de oportunidade de fazer algumas perguntas mais ácidas, como de costume.

Como o blog ficou de fora, não pode fazer um balanço oficial do encontro, de forma mais imparcial, mas pelo que vi os dois únicos temas mais polêmicos foram o recente decreto que proíbe piquetes e manifestações do Centro Administrativo e o emperrado projeto de mobilidade urbana da avenida Engenheiro Roberto Freire. Sobre o decreto, a Rosa já disse que não pretende revogar, no máximo rever alguns pontos. Para mobilidade, ela pediu mais tempo porque o que foi feito foi um novo projeto visando os próximos 20 anos e não apenas para a mobilidade de olho na Copa do Mundo FIFA 2014.

Desde já o blog tranquiliza os amigos do interior que se sentiram excluídos da mesma forma que o BG. A Assessoria de Comunicação Social do Governo do RN (Secom) realizará outros dois encontros da governadora Rosalba Ciarlini com jornalistas e comunicadores. Um em Caicó e outro em Mossoró, em datas a serem agendadas.

 

COMENTE AQUI

Gustavo  27/12/2011

Lamentável, caro Bruno Giovanni! Continue nos informando sempre com imparcialidade! A sociedade agradece. Espero que meios de comunicação como o seu tenham espaço nas próximas vezes. - Responder

Controle na imprensa, não: ''democratização''. Um PT antes e outro PT depois de 2002

Brilhante a opinião da Edição do Estadão de hoje, segue para degustação dos leitores do BG.

O 4.º Congresso do PT acabou cedendo à firmeza com que a presidente Dilma Rousseff, contrariando seu antecessor, tem repudiado a ideia de “controle social” da mídia, e rebaixou de “diretriz” partidária para mera “moção” convocatória o texto que agora é a posição oficial do partido a respeito do assunto. Ficou então combinado que não se fala mais em “controle social” da mídia, expressão politicamente inconveniente porque indissociável da ideia de censura, e os petistas passam a lutar pela “democratização” da imprensa.

A nova palavra de ordem não quer dizer absolutamente nada – e até por isso é tão perigosa para a liberdade de imprensa quanto a anterior -, mas satisfaz as duas tendências que, dentro do PT, não se conformam com a liberdade que os veículos de comunicação têm para denunciar as bandalheiras da companheirada no governo. São elas a ala minoritária, ideológica, de esquerda radical e totalitária, e por isso contrária por definição à liberdade de imprensa; e a ala majoritária, populista, pragmática, que sob o comando de Lula manda de fato no partido e está exclusivamente preocupada em se perpetuar no poder, e por isso tem horror a ver suas lambanças estampadas na mídia.

O PT já não é mais o mesmo desde 2002, quando foi editada a Carta aos brasileiros, que pavimentou o caminho de Lula em direção ao Palácio do Planalto. Desde então, passou a dar por não dito tudo o que afirmara antes e colocou seu destino nas mãos habilidosas do grande manipulador das massas. Eleitoralmente deu certo. Mas é conveniente salvar as aparências. Assim, o lulopetismo aliou-se às principais lideranças políticas, financeiras, industriais, comerciais, da alta sociedade, etc., mas continua atacando as elites. Meteu a mão na massa para garantir a “governabilidade”, mas sustenta que o governo Lula se notabilizou pelo “combate implacável” à corrupção. Está fazendo o que pode, e bem, nas áreas econômica e social – se não forem levadas em conta as graves deficiências na educação e na saúde -, mas escancara a incompetência da máquina governamental partidariamente loteada para gerenciar projetos de infraestrutura.

(mais…)

COMENTE AQUI

Borges Neto  06/09/2011

Dito popular 1: Quer conhecer uma pessoa? Dê poder a ela! Dito popular 2: Faça o que eu digo mas não faça o que eu faço! Dito popular 3: Beleza e safadeza não se põe à mesa! - Responder

Controle na imprensa, não: ''democratização''. Um PT antes e outro … | Vivo Media Group  06/09/2011

[...] the original post: Controle na imprensa, não: ''democratização''. Um PT antes e outro … Tweet This [...] - Responder

Controle na imprensa, não: ''democratização''. Um PT antes e outro … | Via Media  06/09/2011

[...] link: Controle na imprensa, não: ''democratização''. Um PT antes e outro … Tweet This Post Plurk This Post Buzz This Post Delicious Digg This Post Facebook MySpace [...] - Responder


+ Ver todos os comentários

Blogueiro ameaçado por Secretário de Turismo de Antônio Martins

Está na Coluna de Crispiniano Neto no Jornal de Fato de hoje. Já imaginaram se essa moda pega de ameças e crime contra blogueiros? Chega a hora de uma intervenção da polícia, não se pode  admitir atitudes como essa.

Depois do cruel assassinato de Ednaldo Filgueira, presidente do PT da Serra do Mel e blogueiro, eis que outro blogueiro da região denuncia que está sendo ameaçado.

Trata-se do responsável pelo blog www.sosantoniomartins.blogspot.com. Ele informa que o secretário de Turismo de Antônio Martins, Francisco das Chagas Reinaldo, está dirigindo-lhe ameaças. O blog “SOS Antonio Martins” recebeu correspondência eletrônica do secretário de Turismo, Francisco das Chagas Reinaldo, mais conhecido por Chagas Cristovão, em que o mesmo faz ameaças veladas ao blogueiro, que tem se dado ao trabalho de levar ao conhecimento público, o que considera como desmandos que vêm ocorrendo naquele município, sob comando do prefeito Edmilson Fernandes de Amorim.

Em tom ameaçador, Chagas Cristovão diz que “não cutuque o cão com vara curta”, tentando amedrontar e impor censura às denúncias que vêm sendo feitas contra a administração pública de Antônio Martins. Antes disso, o secretário de Turismo questiona a gestão de Dr. Zé Júlio, o antecessor de Edmilson Fernandes, aliás, o ex-prefeito que o colocou na cadeira de mandatário do município.

(mais…)

COMENTE AQUI

Leandro Campos, você não é Vicente Farache…

O técnico Leandro Campos é um vitorioso no ABC, já falei sobre isso aqui. Em outros clubes ele já teve passagens complicadas.

Leandro Campos teve no ABC o que nenhum outro técnico teve. A diretoria trabalhou para ele, deu condições de trabalho que nunca um outro profissional teve. O trabalho dele deu resultados.

O cara ganhou quase tudo e essas vitórias levaram o professor a se achar maior do que o clube. Não estou dizendo por achar ou por achismo. Estou dizendo isso por conhecimento de causa.

(mais…)

COMENTE AQUI

pedroalonso.555@gmail.com  27/07/2011

O Leandro Campos, nesse caso específico, pode até ter sido arrogante, mas a imprensa do RN é uma piada. Nunca apoiou Leandro Campos, apesar de ser o melhor treinador que passou por esse estado, mas não fala asneira nem amenidades como os jornalistas daqui falam ou fica dando "trela" pra perguntas infantis, aí por isso muitos o acha arrogante. Quem precisa fazer uma reciclagem, ou melhor, estudar e aprender é a imprensa daqui, pra poder saber falar e se posicionar com mais qualidade. Terminando, quero dizer que o ABC com um plantel reduzido e barato desde a primeira rodado está sempre entre os seis primeiros colocados e os "jornalistas" daqui ainda acham pouco quando empata em casa, como se o Barcelona nunca tivesse perdido ou empatado em casa. - Responder

Borges Neto  27/07/2011

Lamentável sob todos os aspectos a reprovável atitude de Leandro Campos contra Gabriel Negreiros, que é um jornalista/radialista educado, tranquilo e o que é melhor para que o acompanha: fala e escreve bem. E o pior é que foi por causa de um jogador que a torcida não tolera: Malaquias. Que até agora não justificou em um jogo sequer sua contratação, mas que foi indicação do treinador. O jornalista fez uma pergunta simples, LC não respondeu e ao final do jogo pediu a retirada de GN da sala de imprensa. Não teve humildade para dizer que tinha errado ao escalar um jogador que não atende as expectativas do time, da torcida, da imprensa e ainda por cima ontem estava com enjoo, náuseas, diarreias e vômitos. Saiu sob vaias aos 20 minutos do 1º tempo. Espero que o "professor" LC, hoje de cabeça fria, saiba reconhecer o erro e peça desculpas públicas a GN. Parabéns aos jornalistas, radialistas, blogueiros e órgãos da imprensa que ficaram solidários a Gabriel Negreiros. - Responder

Carlos Carpeggiany  27/07/2011

Eu particulamente concordo com vc! meu maior medo é que gere uma crise enterna, pois a emily e outros do departamento do ABC também reprovaram a aitudo do treinador, dai como ele é temperamental isso pode dar em uma coisa pior, e na minha modesta opinião, uma saida de LC hoje do abc quém perderia mais é o clube, pois como vc mesmo falou, o cara tem o grupo na mão e todos os jogadores veia com aval dele, só isso me da medo, mas vamos que vamos, acima de tudo sou ABC e meu amor é pelo clube e não por gestoes passageiras..abraço - Responder


+ Ver todos os comentários