Polícia Federal indicia 13 por rompimento da barragem da Vale

Foto: Pablo Nascimento / R7

A Polícia Federal indiciou sete funcionários da Vale e outros seis da empresa de consultoria alemã Tüv Süd por falsidade ideológica e uso de documentos falsos no inquérito aberto para investigar o rompimento da barragem da mina Córrego do Feijão, em Brumadinho. As duas empresas também vão responder pelos crimes.

A tragédia completa, na próxima semana, oito meses. Até o momento, 249 vítimas foram identificadas e outras 21 permanecem desaparecidas. O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais continua com as buscas pelo 239º dia consecutivo.

Essa é a conclusão da primeira etapa das investigações, que vem sendo conduzidas pela Polícia Federal. Os funcionários serão indiciados com base no artigo 69-A da Lei 9.605/98, que dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente.

Segundo a corporação, funcionários da Vale e da Tüv Süd, que foi a empresa responsável por atestar a estabilidade da barragem que se rompeu, assinaram contratos utilizando informações falsas da DCE (Declaração de Condição de Estabilidade), em 2018. Isso caracterizaria o crime de falsidade ideológica.

Já o crime de uso de documento falso teria sido cometido um ano antes, quando as empresas apresentaram documentos que atestavam que a barragem estava estável.

O que diz a Lei 9.605/98

A Lei que embasou o indiciamento dos funcionários da Vale e Tüv Süd com base nos crimes de falsificação ideológica e uso de documentos falsos prevê pena de três a seis anos de prisão, além de multa, para quem “elaborar ou apresentar, no licenciamento, concessão florestal ou qualquer outro procedimento administrativo, estudo, laudo ou relatório ambiental total ou parcialmente falso ou enganoso, inclusive por omissão.”

O artigo 69-A também prevê que, se o crime é culposo, ou seja, praticado sem a intenção, a detenção pode variar entre um e três anos. A pena pode ser aumentada em até dois terços se houver “dano significativo ao meio ambiente, em decorrência do uso da informação falsa, incompleta ou enganosa.”

R7

 

Governo inicia ação para conter risco de rompimento do açude São Miguel II, em Fernando Pedroza

FOTO: DEMIS ROUSSOS/ASSECOM/RN

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte montou uma força-tarefa para conter o risco de rompimento no açude São Miguel II, em Fernando Pedroza, e avaliar os danos causados pela ruptura que aconteceu sábado (20), no São Miguel I.

Foi decidido, durante reunião na tarde dessa segunda-feira (20), que será realizada intervenção no sangradouro do reservatório a fim de diminuir a altura e aumentar a extensão para escoamento da água, impedindo um possível rompimento.

De acordo com o coordenador estadual da Defesa Civil, tenente coronel Marcos de Carvalho, o rebaixamento ocorrerá pela retirada de um dique, que vai aumentar a vasão do sangramento de forma controlada, sendo 10cm por vez até o volume de 80cm, cota que manterá a barragem em uma situação segura.

A operação terá início na manhã desta terça-feira (23) com concentração na prefeitura de Fernando Pedroza e deslocamento para o reservatório. “Em virtude da relativa tranquilidade, visto que não há previsão de chuvas daqui para quinta-feira, e em detrimento de outros aspectos, como o rebaixamento da lâmina e do volume de água armazenado no São Miguel II e do maquinário pesado para a obra, iniciaremos a operação amanhã”, justificou Carvalho.

O chefe da Casa Civil, Raimundo Alves, destacou a união de esforços para evitar um possível rompimento da barragem em propriedade privada. “Todos os órgãos devem ter dedicação exclusiva para esta situação. A força não pode ser apenas do governo e dos municípios, mas envolver todo mundo. É uma questão humanitária”, enfatizou.

A reunião contou com a participação de representantes da Defesa Nacional, do Exército, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), do prefeito de Santana do Matos, Edvaldo Júnior, além de gestores estaduais do Departamento de Estradas e Rodagens (DER), Procuradoria Geral do Estado (PG), Secretaria de Recursos Hídricos e Meio Ambiente (Semarh), Instituto de Gestão das Águas do Estado do Rio Grande do Norte (Igarn), Defesa Civil, Secretaria de Infraestrutura (SIN), Gabinete Civil, Corpo de Bombeiros Militar (CBM) e Empresa de Pesquisa Agropecuária (Emparn).

Monitoramento

Como a aeronave Potiguar 01, da Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesed), está em manutenção, a governadora Fátima Bezerra entrou em contato com o secretário de Segurança do Ceará, delegado André Costa, para reforçar o pedido feito pelo Estado solicitando o empréstimo de um helicóptero para auxiliar no monitoramento dos açudes e barragens em situação de alerta no Rio Grande do Norte. O Estado do Ceará cedeu a aeronave com efetivo, ficando a cargo do RN os custos com abastecimento. O açude São Miguel 2 tem capacidade para 8,5 milhões de metros cúbicos.

 

FOTOS: Com risco “iminente” de rompimento, barragem pode inundar cidade no Piauí

O Açude Caldeirão tem capacidade para 54,6 milhões de m³ de água. Imagem: Pacífico

A barragem de um açude com 54,6 milhões de m³ de água corre “risco iminente” de romper, colocando em perigo a vida dos 62 mil habitantes da cidade de Piripiri (a 160 km de Teresina), no Piauí. Um relatório técnico resultou em uma Ação Civil Pública, mas o governador do estado, Wellington Dias (PT), falou do perigo como um boato, ou “fake news”, conforme noticiou a imprensa local.

A ação da Promotoria de Justiça de Piripiri se baseou em um relatório de inspeção do Dnocs (Departamento Nacional de Obras contra a Seca), que no dia 10 de dezembro do ano passado foi notificado sobre a existência de “uma grande cavidade” no Açude Caldeirão, construído entre 1936 e 1945 para irrigar a região em períodos de seca.

Chegando ao local, os engenheiros encontraram outras crateras. “Importante registrar e informar a existência de outras erosões existentes ao longo do talude de jusante”, diz o relatório, que conclui: “Pela gravidade da situação, com risco iminente de rompimento da barragem, imediatamente recuperamos emergencialmente a cavidade”.

De acordo com o engenheiro Francisco Ribeiro Soares, que assina o documento, a erosão começou depois do asfaltamento da rodovia estadual PI 327, que cruza todo o açude. Construída sem espaço para drenar a água da chuva, a obra provocou a “anomalia” na barragem, “ocasionada pela pressão da água nos momentos de temporais”.

A cidade de Piripiri tem 62 mil habitantes. Imagem: Domínio Público

O Dnocs concluiu seu relatório pedindo ao DER (Departamento de Estradas de Rodagem) que corrigisse a obra “antes que algo de mais grave aconteça, qual seja até o rompimento da barragem, evitando dessa forma tragédias com ceifamentos de vidas humanas”.

“As crateras que se encontram na área em questão possuem extrema preocupação, visto que a não drenagem na parede do açude poderá causar fissuras. Tal acontecimento ocasionará situações irreversíveis ao meio ambiente e a toda a sociedade”. (Promotor Nivaldo Ribeiro na Ação Civil Pública)

O DER não respondeu aos pedidos de explicação feitos pela Promotoria. O Departamento só se manifestou depois que a Justiça do Piauí acatou o pedido do promotor no dia 6 de fevereiro em decisão liminar. “Conseguimos essa liminar favorável à ação. O caso é sério”, disse Ribeiro ao UOL.

Com a decisão, o governo do estado tem 15 dias para iniciar as obras, que precisam ser concluídas em até 60 dias. Na ocasião, a juíza aceitou o pedido para bloquear R$ 1 milhão do Fundo de Participação do Estado para execução das obras em caso de descumprimento da ordem judicial.

FAKE NEWS?

Alertado na época sobre o perigo, o governador reeleito Wellington Dias “pediu que os piauienses não espalhem fake news porque as barragens não estão correndo risco”, segundo informou a edição do dia 31 de dezembro do jornal Meio Norte. Especificamente sobre o Açude Caldeirão, “Dias falou que não há riscos”.

Procurada pelo UOL, a assessoria do governo nega que Dias tenha feito “pouco caso de tal situação”, como afirma o promotor na ação. “Ele não tratou o assunto como fake news. O que aconteceu foi que aqui no Piauí circularam vários vídeos e fotos de populares dizendo que as barragens estavam se rompendo e causariam tragédias. O que ele disse foi que causar pânico dizendo que as barragens iriam romper, sem um laudo técnico, seria fake news.”

A assessoria do governo também falou em nome do DER, que está sem assessoria de imprensa. Afirma que demorou para acatar a recomendação da promotoria porque precisou aguardar o resultado de uma licitação para contratar a empresa que executará a obra.

“Nesse período, o governo intensificou a fiscalização e fez vistorias em todas as barragens sob responsabilidade do governo. As que precisam de reparos estão com obras em andamento ou a começar nas próximas semanas” (Assessoria de imprensa do governo do estado do Piauí)

Após a publicação da reportagem, o governador entrou em contato com o UOL: “Em nenhum momento eu declarei sobre esta Barragem que notícia era Fake. Esclareci, com Informações do Dnocs, nosso Corpo de Bombeiros e Defesa Civil, que o problema são buracos/erosão na rodovia, na lateral da Barragem, e que nosso Departamento de Estradas e Rodagens já foi acionado. Há um grupo de trabalho do Estado e Federal, que acompanha desde 2017 a situação das Barragens no PI. E no último relatório não havia rompimento. O Dnocs vai investir na manutenção ampliando margem de segurança. A equipe voltará a fazer vistoria.”

Embora de responsabilidade do governo estadual, o prefeito da cidade, Luiz Menezes (PMDB), encaminhou ofícios ao DER, à Assembleia Legislativa e ao Ministério Público. Na ocasião, ele afirmou se tratar de “um assunto gravíssimo”. “E o problema não é somente no trecho da crista do Caldeirão, mas sim por toda a extensão da PI que liga a cidade de Lagoa de São Francisco.”

“É DIFÍCIL CONFIAR”

De acordo com o governo, as obras de reparo já começaram. Mesmo assim, parte dos 62 mil habitantes da cidade está em estado de alerta. “Depois de Brumadinho, todo mundo fica preocupado com a situação. Mesmo começando as obras, é difícil confiar”, afirma a vendedora Maíra Gonçalves, 33.

Maíra, que nasceu no município, afirma que, apesar do pânico, não pretende deixar a cidade. “A gente vai ficando. Depois do alerta, os dias vão passando e as pessoas acabam se acomodando. A gente acha que não vai acontecer, mas, se ela romper, vai pegar toda a população.”

UOL

 

Oito funcionários da Vale são presos em investigação sobre rompimento da barragem de Brumadinho

Entre os detidos está Alexandre de Paula Campanha, que, segundo depoimento à polícia, teria pressionado funcionários da TÜV SÜD a assinar laudo de estabilidade da barragem.

Foto: Carlos Amaral/G1

Oito funcionários da Vale foram presos, na manhã desta sexta-feira (15), em investigação sobre o rompimento da barragem de Brumadinho, na Grande Belo Horizonte. A operação ocorre em Minas Gerais, em São Paulo e no Rio de Janeiro. Segundo o Ministério Público, a ação visa “apurar responsabilidade criminal pelo rompimento de barragens existentes na Mina Córrego do Feijão, mantida pela empresa Vale, na cidade de Brumadinho.”

Os oito presos são funcionários da mineradora, de acordo com o MP, sendo quatro gerentes (dois deles, executivos) e quatro integrantes de áreas técnicas.

Os detidos são:

Alexandre de Paula Campanha
Artur Bastos Ribeiro
Cristina Heloíza da Silva Malheiros
Felipe Figueiredo Rocha
Hélio Márcio Lopes da Cerqueira
Joaquim Pedro de Toledo
Marilene Christina Oliveira Lopes de Assis Araújo
Renzo Albieri Guimarães Carvalho

Um dos alvos da operação, Campanha foi apontado por um engenheiro da TÜV SÜD, empresa que atestava a segurança de barragens da Vale, como funcionário da mineradora responsável por pressionar para que o laudo atestasse a estabilidade da barragem que se rompeu em Brumadinho.

Campanha foi preso em casa, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. A declaração foi dada à polícia pelo engenheiro Makoto Namba, da TÜV SÜD, que afirmou ter sido pressionado por Campanha a assinar o laudo. Namba disse à PF ter respondido que a empresa assinaria o laudo se a Vale adotasse as recomendações indicadas na revisão periódica de junho de 2018, mas assinou o documento.

Ainda segundo Namba, que chegou a ser preso com outro funcionário da empresa e três da Vale em 29 de janeiro, “apesar de ter dado esta resposta para Alexandre Campanha, o declarante sentiu a frase proferida pelo mesmo e descrita neste termo como uma maneira de pressionar o declarante e a TÜV SÜD a assinar a declaração de condição de estabilidade sob o risco de perderem o contrato”.

Em São Paulo, agentes cumprem quatro mandados de busca. Agentes apreenderam documentos em Osasco, cidade vizinha a São Paulo, e no bairro da Vila Madalena, na capital.

O G1 procurou a Vale que, até a última atualização desta reportagem, não tinha se posicionado. O rompimento da barragem 1 da Mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho, matou centenas de pessoas no dia 25 de janeiro. Até a quinta-feira (14), 166 mortes estavam confirmadas e 147 pessoas estavam desaparecidas. As buscas continuam na área atingida pela lama.

Leia a nota do Ministério Público na íntegra:

“O Ministério Público do Estado de Minas Gerais, com apoio das Polícias Civil e Militar, deflagrou operação na manhã desta sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019, com o objetivo de cumprir mandados de busca e apreensão e mandados de prisão temporária, visando apurar responsabilidade criminal pelo rompimento de barragens existentes na Mina Córrego do Feijão, mantida pela empresa VALE, na cidade de Brumadinho.

O pedido formulado pelo Ministério Público Estadual foi feito por intermédio da Promotoria de Justiça da Comarca de Brumadinho, da Coordenadoria Regional das Promotorias de Justiça do Meio Ambiente das Bacias dos Rios das Velhas e Paraopeba, do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado GAECO e do Grupo Especial de Promotores de Justiça de Defesa do Patrimônio Público – GEPP, no âmbito de força-tarefa. A operação contou com o apoio das Polícias Militar e Civil do Estado de Minas Gerais e, ainda, com atuação dos Ministérios Públicos dos Estados do Rio de Janeiro e São Paulo, por meio dos GAECOs daqueles estados, e teve como propósito o cumprimento de 14 mandados de busca e apreensão e de oito mandados de prisão temporária expedidos pelo Juízo da Comarca de Brumadinho.

Os oito investigados presos são funcionários da VALE, dentre eles, quatro gerentes (dois deles, executivos) e quatro integrantes das respectivas equipes técnicas. Todos são diretamente envolvidos na segurança e estabilidade da Barragem 1, rompida no dia 25/01/2019. As prisões temporárias foram decretadas pelo prazo de 30 dias, tendo em vista fundadas razões de autoria ou participação dos investigados na prática de centenas de crimes de homicídio qualificado, considerados hediondo. Todos os presos serão ouvidos pelo Ministério Público Estadual, em Belo Horizonte. Também são apurados crimes ambientais e de falsidade ideológica.

Foram, ainda, alvos de busca e apreensão, em São Paulo e Belo Horizonte, 4 funcionários (um diretor, um gerente e dois integrantes do corpo técnico) da empresa alemã TÜV SÜD, a qual prestou serviços para a VALE, referentes à estabilidade da barragem rompida. Também foi cumprido mandado de busca e apreensão na sede da empresa VALE, no Rio de Janeiro.

Os documentos e provas apreendidos serão encaminhados ao Ministério Público do Estado de Minas Gerais para análise.”

As medidas estão amparadas em elementos concretos colhidos até o momento nas investigações.”

Rede Globo e G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cesar disse:

    E não era pra ser preso o dono da empresa não? Ele é o responsável maior. Vão fazer o de sempre, prende os peixes pequenos

  2. ANTONIO FELIX NETO disse:

    TRAGEDIA ANUNCIADA.

  3. Potiguar disse:

    É sempre culpa do mordomo.

O rompimento de Fábio Dantas é com ou sem os cargos?

O vice-governador Fábio Dantas anunciou nesse sábado ao jornal Tribuna de Norte e vem dizendo a seus interlocutores políticos com que tem se reunido que está rompido com o governo.

Ele, que já se mobilizava em favor de sua candidatura, vinha evitando empregar a palavra “rompimento”.

Não titubeou mais. Ao anunciar seu ato de filiação ao PSB, destacou que é oposição.

E como parte do jogo democrático, abriu diálogo com partidos e atores que atravessaram os últimos anos criticando o governo do qual fez parte.

O contexto, contudo, faz surgir uma dúvida: o vice opositor, para se firmar mesmo como contraponto, deve se desligar da gestão mesmo tendo feito parte dela três anos e dois meses.

Não se trata de renunciar ao seu posto, legitimamente obtido, mas de entregar as indicações que tem.

Dito isso, as indicações da Ceasa, da Secretaria de Educação, Secretaria de Esportes e Saúde, para citar algumas, já foram entregues?

O vice-governador vai entregar os cargos?

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. JUNIOR PINHEIRO disse:

    NAO FEZ NADA PELO RN E QUER SER GOVERNADOR….!!!! SE O RN ESTIVESSE FALIDO TERIA TANTOS CANDIDATOS?????ACORDA POVO!!!

  2. Abecedista disse:

    Só estranho romper só no período pre eleitoral

  3. Tomaz disse:

    Um comunista que nunca foi.Os ratos começaram a fugir da embarcação a deriva

  4. Marcelo disse:

    Próximo governador do RN. Pode anotar!

  5. contador. disse:

    Quem nunca viu um vice em ano de eleicao cuspir no prato q comeu por anos?

  6. Adriano disse:

    Não ganha ele nem Robson tudo tomar no toba

  7. Lorena Galvão disse:

    Se ele tiver vergonha na cara entregará todos os cargos, e se robison for corajoso exonera todos os cargos, vamos aguardar

  8. Fátima disse:

    Esse não gosta do servidor

  9. Ivis disse:

    Kkkkkkkkkkkk golpe???

  10. Zé Guerreiro disse:

    Puro oportunismo

  11. Frasqueirino disse:

    Entregue os cargos para ser coerente.
    Esse Fábio Dantas é contra o funcionalismo público. Portanto deve receber a resposta nas urnas.

  12. Novo Eleitor disse:

    Kkkkkk queria meter goela abaixo o pacote da maudade nos servidores, agora quer VOTINHO NOSSO, naaaaammmmmm

  13. Maria Gorete disse:

    É um oportunista…bem pior do que o desgovernador…afffff ? abaixo todos os que só pensam em surrupiar o erário público…

  14. Jeanini disse:

    Já fez a Pergunta ao próprio? Acho que ninguém melhor que ele pra responder essa pergunta.

  15. Wagner Cabral Fagundes disse:

    Fabio Dantas como sempre… Um vice governador de conforto. Tanta ideologia junto com hipocrisia. Sua esposa também aprendeu o mesmo caminho. Acorda são José de Mipibu e Rn.

  16. Paulo disse:

    BG.
    Já deveria ter entegue todos os cargos, além do que não tem cacife para ser governador, vai perder e feio a eleição. O que mesmo ele tem a apresentar ao eleitorado do estado??????, para pleitear essa candidatura? Nada, é mais um querendo enterrar o RN.

  17. Sincerão disse:

    Vai largar o osso? Política no Brasil se resume a troca de cargos comissionados para dar aos amigos. Que lástima. Um Estado governado por Fábio Dantas pode enterrar!

  18. Julio disse:

    A quantidade de votos nulos e brancos vai ser enorme.Os candidatos chegam a dar pena pela mediocridade que são

    • Joca disse:

      Nada …aqui os candidatos se mandarem comer um prato de merda o povo potiguar sai correndo para procurar a colher

  19. Alexandre disse:

    Esse rompimento foi tarde e atrasado, espero que o povo do RN não esqueça que ele é vice governador da pior gestão que o nosso Estado já teve !

Vice e dois vereadores da base aliada em Macau rompem com prefeito Túlio Lemos

O vice-prefeito de Macau, Rodrigo Aladim (PSDB), e os vereadores Marcos Cabral e Carlinhos do Valadão, romperam com o prefeito Túlio Lemos (PSD).

Aladim, em discurso na Câmara de Vereadores, alegou que ele discorda da condução como Túlio Lemos vem conduzindo a cidade. Também apontou ingerência de membros da família do prefeito na gestão.

Macau atravessa uma crise financeira que já obrigou a gestão a exonerar servidores comissionados. O município vinha mantendo uma estrutura equivalente à sua receita, de R$ 8 milhões, mas hoje a arrecadação é de R$ 5 milhões.

PMDB começa a entregar cargos do Governo Federal

exoneraçãoApós o rompimento do PMDB com o governo Dilma Rousseff e a pressão de aliados da base governista para que peemedebistas entregassem os cargos, o partido começou a entregar os cargos. O Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (31) começou a trazer as primeiras exonerações de pessoas ligadas ao ex-ministro Henrique Alves.

A primeira exoneração ligada a Henrique foi a de Walter Gomes de Sousa, que deixou hoje o cargo de diretor-geral do Departamento Nacional de Obras contra a Seca (Dnocs). Outra exoneração peemedebista foi a de Rogério Abdalla do comando da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Rogério é ligado ao vice-presidente Michel Temer.

Pelas informações que o blog teve acesso, o PMDB tem cargos em vários órgãos federais no RN: Conab, Codern, Funasa, INSS e Dnocs. Mais de 100 cargos pelo que consta.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fabrício Cardoso disse:

    Segundo alguns férias por 90 dias ou menos.
    Ocorrendo a saída do PT do governo e a turma que tem rabo preso ficar sem foro privilegiado, vai tirar, ou melhor, vem tirando o sono de muita gente.
    Imagine o MST fazendo suas arruaças portando suas armas sem a proteção do PT, vai faltar cadeia.

  2. PT DA VIDA disse:

    100 cargos só no RN
    Imagina no país inteiro…
    É de lascar a tampa!

Rafael Motta critica: “Vivemos uma queda de braço medíocre”

Rafael Motta 1O deputado federal Rafael Motta, do PSB, criticou hoje a crise política que tomou conta do Brasil e que tem resultado em uma total obstrução dos trabalhos da Câmara dos Deputados, em Brasília. Segundo o parlamentar, o País vive hoje uma “queda de braço medíocre” que tem impedido a criação de uma agenda para resolver os problemas da população.

“Essa situação toda está atrapalhando o trabalho legislativo. A gente está vivendo uma queda de braço medíocre. Falta uma agenda propositiva para o nosso País. As votações aqui no plenário (da Câmara dos Deputados) estão os partidos encaminhando à obstrução porque, primeiro, não se discute o impeachment todo de uma vez só e, segundo, não temos um presidente que não tem legitimidade para conduzir toda essa discussão”, afirmou Rafael Motta.

Segundo o deputado, é preciso resolver o quanto antes essa questão e acabar com a dúvida se o governo federal continua ou não. “A gente precisa, realmente, resolver logo esse problema, porque se não vai agravar cada vez mais a política do nosso país. As instituições estão em crise. A economia está em queda, o emprego normal caindo, o desemprego aumentando, o juros aumentando, e tudo isso faz com que o impeachment não seja, apenas, um julgamento político em relação as famosas pedaladas fiscais”, acrescentou ele.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Francisca Neuma Queiroz disse:

    O Partido deveria mudar de sigla. O termo socialista não está de acordo. Jogou sua história no lixo ao aliar-se aos fascistas. Salve sua militância que não se acovarda.

  2. fernando alves disse:

    E brincadeira escuta este cara dizer estas coisas. kkkkkkkkkkk Será que ele sabe o que esta acontecendo no RN? será …. kkkkkkkkkk Cala-te boca kkkkkkkkk

  3. haroldo disse:

    Essas tetas do governos ninguem quer soltar.

  4. observador disse:

    ISTO É UMA SUMIDADE!
    MEUS DEUS!

Fátima lamenta que PMDB sirva de instrumento para golpear democracia

Foto: Jefferson Rudy / Agência Senado
Foto: Jefferson Rudy / Agência Senado

A senadora Fátima Bezerra disse, em Plenário, nesta quarta-feira (30) que a população já está percebendo os riscos que correriam a democracia e as conquistas sociais e trabalhistas dos últimos anos, caso o golpe fosse consumado e o vice-presidente Michel Temer assumisse o poder. “Nós lamentamos profundamente que o PMDB tenha se aliado aos derrotados nas urnas, PSDB e DEM, e hoje sirva de instrumento para golpear a democracia, mas quero, no entanto, destacar que muitas das pessoas que gritavam nas ruas a favor do impeachment estão dando conta do que significa, na verdade, apear do poder uma mulher legitimamente eleita, para entregar o poder nas mãos de alguém que não foi eleito Presidente da República”, destacou a senadora.

Fátima ressaltou que o programa “Uma Ponte para o Futuro”, do PMDB, deveria ser chamado de Ponte para o Inferno, já que, caso suas propostas viessem a ser implantadas, seriam piores do que qualquer plano neoliberal já instituído no país. “O programa ‘Uma Ponte para o Futuro’, como está escrito, é incompatível com a execução de políticas sociais; ele põe em risco as conquistas e os avanços que nós tivemos nesses últimos 13 anos, no que diz respeito à inclusão social”, enfatizou a senadora.

Para a senadora, várias propostas do que chamou de “Projeto Temer” atingem direta e imediatamente políticas públicas e direitos sociais e trabalhistas, como a prevalência dos acordos trabalhistas em detrimento da legislação de proteção ao trabalhador, a desvinculação dos reajustes da previdência dos reajustes do salário mínimo e até mesmo a estagnação dos benefícios. Ela destacou especialmente os prejuízos sofridos pela área de educação, caso o projeto do PMDB fosse colocado em prática. “Essa proposta de Michel Temer, do vice, de desvincular os recursos para a área de educação, não seria uma ponte para o futuro, mas uma ponte para destruir o presente e o futuro da educação brasileira”, enfatizou.

A parlamentar lembrou que, para cumprir os acordos que certamente fizeram com o empresariado para garantir seu apoio, constatados pela participação explícita da FIESP nas manifestações pró-impeachment, teria que se cortar recursos das políticas sociais. Ela ressaltou que Estado teria de ser redesenhado para atender a interesses de multinacionais e do sistema financeiro, com a privatização de instituições como o Banco do Brasil, a Caixa Econômica e a Petrobras.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jacinto Leite no Rego disse:

    Ô senadorazinha sem futuro. O que que vocês fizeram pelo aposentado, me digam, Pense num partido vira lata e não é só esse tem muito mais, cada coisa sem futuro.

  2. Neto disse:

    O nome do Partido deles deveria se chamar GOLPE pois esse nome não sai da boca deles, mais quando foi usado o golpe contra Fernando Collor não foi golpe para eles foi Democracia. Quer saber va "VTNC"

  3. JOSÉ LÚCIO disse:

    A SENADORA SÓ ESQUECEU DE DIZER QUE O MICHEL TEMER TAMBÉM FOI ELEITO PELO POVO, E FAZ PARTE DO GOVERNO DO PT DESDE O TEMPO DE LULA, E ELA JÁ ESTEVE NOS PALANQUES COM ELE, VÁRIAS VEZES.

  4. Helio Motta disse:

    Não sei o que esse povo do PT fuma, mas que tá fora da validade está.

  5. Aneilxon de Lima disse:

    Quais foram as conquistas trabalhistas desse desgoverno SENADORA??? O golpe a que se refere… nós já tomamos quando sua presidenta em campanha disse tudo que não faria, todavia, fez com gosto gás. Pense num voto perdido esse que dei a você. Quem chama condenados pela justiça de "GUERREIROS DO BRASIL", já demonstra claramente a qualidade que tem. Vai de retro SATANÁS!!

  6. Paulo disse:

    O País quebrado! Foi essa verdadeira conquista nos últimos 13 anos do ptralha e pmdb (com letras minúsculas mesmo). Recolha se a sua insignificância, senhora.

  7. marcelo disse:

    Senadora a senhora é motivo de vergonha para todos que são a favor da ética, da honestidade e contra o roubo do dinheiro público. Curta seus últimos momentos como tal pois nunca mais na vida exercerá qualquer cargo que dependa do povo.

  8. Chico disse:

    Sabe tudo. Cuidado a próxima será você.

  9. caio fabio disse:

    "Grande Democrata"

  10. Brasil, Meu país NÃO será dos fascistas! disse:

    O recado foi dado pela senadora. Quem não leu esse plano de Temer deveria se preocupar pois quem literalmente vai pagar o pato caso o golpista assuma será o povo.

  11. juailson disse:

    estamos em um momento especial da historia politica do nosso país, onde com a pressão do povo, podemos dar um rumo diferente a classe política, apoiando o trabalho de Moro no combate a corrupção.
    não importa qual o partido e nem a ideologia político, o que queremos são homens de caráter governando o Brasil… não dar pra tolerar mais uma presidente que não tem comando nenhum, como também um congresso e uma senado cheio de homens envolvido em crimes!!!!

  12. haroldo disse:

    Eu acho que a senadora esta falando para o pessoal que recebem dinheiro sem produzir .

  13. Waldir Pereira disse:

    A nobre Senadora, deveria usar outro nome… Todos usam o nome GOLPE! golpe é o que vocês estão fazendo com os brasileiros, golpeando e muitos caindo de todas as formas e por todos os lados.
    Senadora me desculpe, vá catar coquinho ou enxugar gelo.

  14. Paulo disse:

    Esse Mantra do PT e seus alienados que é Golpe é um absurdo! se não tivesse roubado tanto não teria que dar as pedaladas e não teria que pegar dinheiro do BB.BNB e Caixa ai é Crime e não Golpe! vá trabalhar senadora, aproveite os 8 anos de senadora ai pq não consegue se eleger mais nunca a senadora pois não vai ter tanta doações como teve nesta sua ultima eleição , no maximo dep estadual , isso se trabalhar direito pelo RN

    • Pedro Eneas disse:

      E o senhor vá procurar se informar para saber o que é crime de responsabilidade e "pedalada" fiscal. Sem nenhuma prepotência quem fala isso é uma pessoa que é contador federal a 12 anos, com especialização e mestrado, portanto, não se trata de um "achista" nessa questão.
      É por causa desse tipo de ignorância, potencializada por um mídia totalmente enviezada para a desinformação – que muitos brasileiros de bem, o que acredito ser o seu caso, caíram no canto da sereia.
      Para a nossa imensa sorte muitos brasileiros, até aqueles contrários ao governo, descobriram pelo simples bom senso que esse impechement não passa de um golpe à democracia.
      E isso está chegando aos parlamentares, felizmente.
      Em resumo, NÃO VAI TER GOLPE!

    • Val Lima disse:

      Tem razão Pedro…Não vai ter GOLPE!!!!….Vai ter IMPEACHMENT!!!!

  15. PT DA VIDA disse:

    Num vai ter golpe
    Num vai ter impeachment
    Num vai ter guerra
    Num vai ter m nenhuma
    Anote isso aí

  16. Joao disse:

    Vai ter cadeia, perda de mandato. Os bancos públicos não pertencem ao PT. O dinheiro é dos correntistas e investidores. Teu partido tem que responder por ter usados dinheiro desses bancos para pagar conta de déficit. Não vamos deixar a presidentA quebrar os bancos e repetir o que os estados fizeram com os demais bancos. Chega de golpe e mentiras do PT. O povo não é bobo, basta de mentiras.

  17. Chayton disse:

    Golpe? O PT protocolou pedido de impeachment contra collor, itamar, fhc e nunca disseram que era golpe. Como agora o pedido é em desfavor dessa desgraça,que chamam de presidente, falam que é golpe.

  18. JOAO MARIA disse:

    HA INOCENTE

  19. Val Lima disse:

    Deixa de falar bst senadora!!!! Não vai ter GOLPE!!!!…Vai ter IMPEACHMENT !!!!…

  20. Arnaldo Lopes disse:

    Não vai ter golpe.Vai ter cadeia…

  21. Wendell Fernandes disse:

    O PMDB é um "câncer" na política brasileira que vive em tratamento mas nunca é curado e que infelizmente tá aos poucos "matando" a imagem do ser "político" no Brasil. É cada vez mais desgastada a imagem da classe política graças a esse partido que por ironia é o maior do país mas que não tem posição definida nunca em nemhum governo, pois sempre se divide mostrando incredibilidade e oportunismo o que passa a ser piada ao povo comum que mesmo lentamente tá se tornando mais informado e esclarecido.

  22. Flavio Andrade disse:

    Coitadinha da Senadora. Não sabe como as oligarquias agem não é? Agora pague o preço das escolhas que fez viu!

  23. O poeta disse:

    Tem razão minha senadora. Não vai ter golpe!!! Não podemos afetar o estado democrático de direito, sob pena de passarmos o resto da vida reclamando. O Brasil é maior que os interesses dos políticos!!!

    • paulo disse:

      É como diz Romário se ficasse calado seria um "poeta", apoiar uma senadora TÁ ENTENDENDO e ninguém entende nada do ela faz a não ser defender um governo CORRUptO e ela também recebeu dim – dim($$$$$$$$$$$) das construtoras para sua "eleição" , pense numa senadora que se diz acima de tudo inclusive da LEI pois diz a todo instante que é golpe e o que elles fizeram com "grande amiguinho de agora" collor- luriam do dedo SUJO" era o que mesmo???????. Será que ela desaprendeu a ler ou está com amine sia?????????, para ptista vale tudo desde que seja para se perpetuarem no poder as custa do POVO BRASILEIRO, Fora pt.

Garibaldi defende debate político sem “radicalização e maniqueísmo”

garibaldi alves“Como integrante do PMDB estarei aqui para defender a decisão do partido (de desligar-se do governo), mas o farei sem apelar para a radicalização e o maniqueísmo”. Da tribuna do Plenário, o senador Garibaldi Filho pediu respeito à opinião pública e defendeu que os debates sejam travados com moderação e respeito. “Nesse momento crucial para a vida política brasileira, devemos exercer um diálogo que permita que não sejamos depois levados a uma execração pública”, recomendou.

Na avaliação do senador Garibaldi Filho, os partidos políticos devem ter suas histórias respeitadas. Ele citou o seu partido, o PMDB, que completou 50 anos na semana passada. “Se não dermos o respeito a isso, se desqualificarmos o debate dizendo (por exemplo) que o PMDB é o anjo e o PT é o demônio, onde é que iremos chegar?”, indagou. Ele acrescentou que o seu partido não pode ser cobrado “de forma injusta ou mesquinha” por ter resolvido deixar de apoiar o governo.

“Não pretendo ingressar nesse jogo, nem pretendo me intimidar. Os que hoje dizem que o PMDB é isso ou aquilo, detratando a imagem do meu partido, ontem diziam o contrário. Com relação ao presidente Michel Temer, que é tão acusado hoje, antes era considerado um vice-presidente da mais absoluta confiança e apreço, merecendo a admiração do atual governo”, lembrou Garibaldi Filho.

Em aparte, a senadora Ana Amélia (PP-RS) avaliou que o enfrentamento tem levado ao acirramento, à divisão da sociedade e ao desrespeito com quem pensa de forma contrária. Ela denunciou que na rodoviária de Brasília foram distribuídos panfletos contendo inverdades como o fim do pagamento do 13º salário, FGTS e abono de férias caso o impeachment seja aprovado. “São cláusulas pétreas e imutáveis, como são capazes de levar essa mentira à população do país?”, indagou.

“Eu queria dizer que eu assino embaixo das declarações de vossa excelência, mesmo não sendo da bancada do seu Partido. Mas não é esta a forma que nós aprendemos, e vossa excelência é meu mestre nisso, pela sua experiência na política do nosso País”, destacou também a senadora Ana Amélia.

Aparte – Antes do seu pronunciamento, o senador Garibaldi Filho havia aparteado a senadora Fátima Bezerra para defender a tese de que debates radicais ou maniqueístas não contribuirão para melhorar o atual momento político brasileiro. “Nós, brasileiros, não podemos aceitar os que defendem um ponto de vista se considerarem defensores do bem, enquanto os que têm outro ponto de vista são taxados de defensores do mal”, afirmou o senador.

Garibaldi Filho fez referência ao trecho do discurso de Fátima Bezerra no qual ela colocou de um lado “os lutadores e lutadoras do povo, os lutadores e lutadoras da democracia” e do outro “os traidores e traidoras do povo e da democracia”. Para o senador, os que discordam da posição defendida pelo governo não podem ser taxados de impatriotas. “Isso não serve ao país. Não posso aceitar esse dualismo, esse radicalismo, essa coisa de se dizer que os bons estão ali e os maus acolá”, opinou Garibaldi.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. fernando alves disse:

    Acabou com todos os direitos do funcionario público quando foi governador e para fechar seu governo com chave de ouro pagava os salarios com abono nunca ninguem tinha prejudicado tanto o funcionario como este cara. "GARILBALDI NUNCA MAS"

  2. paulo disse:

    BG
    Nunca foi recebido pela pzidenta quando era ministro. Isto sim é que é um governo golpistas que nem seus auxiliares direto eram recebidos para tratarem dos assuntos da NAÇÃO BRASILEIRA, Fora pt

  3. FRASQUEIRINO disse:

    Sanguessuga do PMDB.Foi ministro da previdência socoal com muitos cargos ocupados por correligionários, mas pulou fora do barco

Decisão do PMDB de deixar governo se dará por aclamação

DF - CONCESSÕES/PACOTE/DILMA ROUSSEFF - POLÍTICA - A presidente Dilma Rousseff, e o vice-presidente Michel Temer na cerimônia de anúncio da nova etapa do Programa de Investimento em Logística, no Palácio do Planalto em Brasília. 09/06/2015 - Foto: ANDRÉ DUSEK/ESTADÃO CONTEÚDO
Foto: André Dusek / Estadão Conteúdo

Após se reunir com o presidente do Senado, Renan Calheiros, o vice-presidente Michel Temer decidiu não comparecer à reunião do Diretório Nacional do PMDB marcada para esta terça-feira (29), quando o partido vai decidir se permanece ou não na base aliada do governo. Além dele, os sete ministros da legenda que compõem o governo não devem participar do encontro.

Com parte das representações estaduais da legenda já sinalizando que vão votar pelo desembarque do governo, a decisão de amanhã se dará por aclamação e não mais por votação, cuja deliberação se daria por maioria simples. O líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira (CE), também participou do encontro entre Renan e Temer.

Antes de costurar o acordo sobre a decisão de amanhã, o vice-presidente, que é presidente nacional do partido, reuniu lideranças durante todo o dia de hoje no Palácio do Jaburu, residência oficial da Vice-Presidência. Pela manhã, a presidenta recebeu seis ministros da legenda, com exceção de Kátia Abreu, da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

PMDB vai romper com Dilma e entregar os cargos até o dia 26

Já está cristalizado. O PMDB, depois dos episódios de ontem e de muitas conversas, decidiu romper com o governo da presidenta Dilma Rousseff. O que era possibilidade, agora é certeza segundo dois parlamentares que o blog conversou neste sábado.

O partido desembarca do governo até o dia 26. Vai entregar os cargos que tem na administração e os ministérios.

O PMDB como é do seu feitio, sugou até onde pode, comeu o filé enquanto pode e quando não deu mais, largou o osso.

O PMDB partirá para o apoio ao impeachment, que, se conseguir afastar Dilma, vai tornar Michel Temer, o atual vice, futuro presidente. Essa é a expectativa do vice-presidente.

Confirmado o rompimento, qual será a posição do Ministro Potiguar, Henrique Alves, que tem até o momento defendido a manutenção do partido no governo Dilma?

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Charles disse:

    E agora Bandilma o que será do seu falecido governo? Com a palavra os alienados de plantão. Estou na contagem regressiva pra queda. Kkkkkkk. Triste fim, mas mereceu.

    • Fernando Henrique disse:

      Boa! Só acrescento que é melhor Temer não ficar muito tempo
      Dilma cai via impeachment e depois o STF caça a chapa toda, convocando novas eleições. Ai sim!

  2. Polyana disse:

    Agora vamos ser administrados por um autêntico investigado e lider de um partido de camaleões.

  3. Mass disse:

    Henrique, se deixar deverá ser preso, quanto ao PMDB, nunca deixará as mamas do poder, alguém já viu este pseudo partido na oposição.

  4. Danniel Amaral disse:

    Seria o mínimo que o partido poderia fazer a favor da moralidade e do Brasil. Temos que reconhecer que é um partido que é a balança política do país em termos de votos no congresso nacional.

  5. Val Lima disse:

    Não tem escolha…se Dep Federal fosse ainda podia fazer igual ao parlamentar do PRB q pulou de partido para não perder a boquinha no Min dos Esportes ,mas quem tem o mando é o primo Walter q já pulou fora…

  6. Observador RN disse:

    O último que sair feche a porta e apague a luz!

SÃO GONÇALO: Poti Neto oficializa rompimento do PMDB com Jaime visando a candidatura própria em 2016

poti-neto

O vice-prefeito de São Gonçalo do Amarante, Poti Neto, do PMDB, confirmou ao Blog do BG que o partido rompeu com o prefeito Jaime Calado, do PR, por discordar do novo projeto político do prefeito e por estar de olho na candidatura própria do partido para 2016.

Em conversa com o Blog, Poti Neto informou que o último cargo político que o grupo político tinha na Prefeitura foi entregue oficialmente nesta terça-feira (3).

“Esse foi o último cargo. Não possuímos mais nenhum cargo no governo. Rompemos por discordarmos do novo projeto político e também porque estamos pensando em uma candidatura própria do partido nas eleições do próximo ano”, disse.

Mesmo entregando os cargos da gestão, Poti vai continuar como vice-prefeito. Ele lembra que a decisão de continuar no cargo partiu do princípio dele ter sido eleito democraticamente para ser o vice, ocupando, assim, um cargo eletivo. “Então, vou continuar como vice-prefeito. Fui eleito pra isso”, completou.

O PMDB já vinha mantendo um distanciamento político de Jaime nos últimos meses e essa entrega de cargo apenas oficializa o que já vinha se desenhando. O próprio grupo político de Poti o quer como candidato nas eleições do próximo ano e continuar junto a Jaime poderia terminar fazendo com que o projeto não se concretizasse.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Val Lima disse:

    O problema do grupo político do PMDB de SGA é a provável escolha do Prefeito Jaime pela candidatura do Sup da CEF aqui no RN,deixando de fora o vice Poti….dizem no município que havia um acordo firmado no pleito passado quando da formação da chapa vencedora , Neto seria o candidado de Calado já q o mesmo não poderia concorrer pois foi reeleito…. pelo visto a coisa não deu certo…..

  2. […] – Em conversa com o Blog, Poti Neto teria informado  que o último cargo que o grupo político tinha na Prefeitura foi entregue […]

ROMPIMENTO DE CUNHA: Como fica Henrique nessa situação?

henrique alvesO deputado Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados com apoio de Henrique Alves, anunciou o rompimento político ao governo da presidente Dilma Rousseff justamente quando o próprio Henrique ocupa o cargo de ministro do Turismo no governo. E agora? Como fica Henrique nessa situação? Se solidariza a Eduardo Cunha e entrega o cargo de ministro? Ou se omite como se nada tivesse acontecido só para continuar no poder aguardando uma posição da presidenta?

Henrique foi um dos principais defensores de Cunha como seu sucessor na presidência da Câmara no início do ano, chegando a fazer campanha e lobby. Cunha, inclusive, era um dos líderes do partido mais próximos a Henrique. Vale lembrar que Henrique foi nomeado para o primeiro escalão de Dilma após a queda de braço entre a Câmara o Palácio do Planalto, pressionando a presidenta para escolhê-lo ministro.

O fato é que nacionalmente, o PMDB se mostrou rachado quanto a decisão de Cunha, já que o vice-presidente da República, Michel Temer, é o presidente nacional da legenda. O próprio PMDB emitiu uma nota afirmando que a decisão de rompimento é pessoal de Cunha, mas o sentimento de Cunha é partilhado por vários parlamentares da bancada do PMDB na Casa.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Roosevelt disse:

    E ele vai largar a têta ? kkkkkkkkk nunca no Brasil!

  2. hilo disse:

    Simples. Demite-o.

  3. MANOEL disse:

    Vai ficar onde derem mais cargos pra ele como sempre.

  4. João disse:

    Eita que parece que Henrique vai precisar trabalhar de verdade…

Garibaldi vê com preocupação rompimento de Cunha: “É um momento muito delicado”

Plenário do SenadoO senador Garibaldi Alves Filho (PMDB), que até dezembro passado era ministro da presidenta Dilma Rousseff, viu com preocupação o cenário político formado com o rompimento do presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha, com o governo.

“Vejo com preocupação o acontecido. Agora não posso me ater aos desdobramentos políticos porque é um momento muito delicado. Vamos aguardar”, disse ao blog.

O PMDB é o principal partido da base de sustentação. O anúncio do rompimento de Cunha colocou até o ministro Henrique Alves em uma situação delicada. Afinal, ele foi nomeado ministro após uma briga travada entre o Palácio do Planalto e a Câmara.

 

Rompimento de Cunha não atrapalha o ajuste fiscal, diz Joaquim Levy

O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, afirmou nesta sexta-feira (17) que o rompimento do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, com o governo federal não atrapalha o ajuste fiscal. Para conseguir implementar as medidas de ajuste, o governo precisa submeter projetos de lei e medidas provisórias à votação no Congresso.

Para Levy, Cunha “sempre mostrou muita imparcialidade” como presidente da Câmara na condução de votações de temas relacionados ao ajuste. Levy disse acreditar que Cunha saberá separar seu papel como presidente da casa legislativa e como parlamentar se oposição.

“O presidente Eduardo Cunha sempre mostrou muita imparcialidade. O papel dele é quase como o de um magistrado. Já era assim antes e tenho certeza de que no cumprimento das funções vai continuar igual”, disse, após participar de reunião do Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária), no Rio. Um dos projetos de lei do pacote do ajuste é o da desoneração da folha de pagamentos. O PL está tramitando no Senado e terá de passar pela Câmara.

Levy disse que o recesso legislativo e, consequentemente, a postergação da votação das medidas do ajuste, traz “um pouco de incerteza” e é ruim porque aumenta o período em que o país terá qur ficar sob aperto fiscal. O ministro também citou a despesa gasta pelo tesouro enquanto não é aprovada a proposta de desoneração da folha salarial. Ele explicou que enquanto o projeto não passa, o governo tem um gasto de R$ 25 milhões por ano.

Fonte: Folha de S. Paulo