Diversos

Com elevação de nível do mar e outros fatores, parte do RN e outros lugares da América Latina podem estar submersos em 2100, diz estudo

Foto: Reginaldo Pimenta/Agência O DIa/Estadão Conteúdo

Milhões de pessoas em todo o mundo estão ameaçadas pela elevação do nível do mar que, junto com outros fatores, pode afetar cidades inteiras ao longo deste século. Da América do Norte à Ásia, os alarmes estão ligados. O que está acontecendo na América Latina? Mostramos aqui algumas das áreas que podem estar submersas até o ano 2100, de acordo com um modelo publicado pela organização Climate Central.

As estimativas da elevação do nível do mar evoluíram ao longo dos anos. O que acontecerá dependerá, entre outros fatores, do aumento das temperaturas na Terra (que por sua vez está ligada às emissões de gases de efeito estufa).

Nesse contexto, um estudo da Climate Central publicado em 2019 na revista Nature Communications calcula que esse aumento será entre 0,6 e 2,1 metros ao longo deste século, valor muito superior às estimativas anteriores.

Isso significa que, até o ano 2100, as terras onde vivem 200 milhões de pessoas podem ser praticamente inabitáveis.

Esta organização sem fins lucrativos desenvolveu um mapa que permite visualizar a ameaça da elevação do nível do mar e mostra que a América Latina não fica de fora. Mostramos aqui alguns dos locais que podem cair permanentemente abaixo da linha da maré alta até 2100.

O mapa da América Latina

México: áreas costeiras na península de Yucatán

As costas oeste e leste do México estão ameaçadas pela elevação do nível do mar. De acordo com a projeção do Climate Central, em menos de 80 anos partes da Península de Yucatán poderiam estar abaixo do nível da água. Terras em Quintana Roo, Yucatán, Campeche e Tabasco seriam afetadas.

Indo para o oeste, a ameaça é vista principalmente ao longo das costas de Sonora, Sinaloa e Nayarit.

As costas da Nicarágua e de Honduras

Nicarágua e Honduras são dois dos países da região que sabem em primeira mão o que significa lidar com as consequências do aquecimento global, que torna os furacões mais perigosos.

O estudo publicado em 2019 adverte justamente que “as comunidades costeiras ao redor do mundo devem se preparar para um futuro muito mais difícil do que pode ser previsto atualmente”.

Colômbia: área de Barranquilla

Na Colômbia, duas áreas se destacam por extensão: uma perto de Barranquilla (a foz do rio Magdalena no Mar do Caribe) e outra em direção à fronteira com o Panamá (o Golfo de Urabá).

Venezuela: a costa ao redor do Lago Maracaibo

No caso da Venezuela existem focos identificáveis ? Nas proximidades do Lago Maracaibo e Tucupita. Se seguirmos a rota leste e sul, a ameaça também é visível na Guiana, Suriname e Guiana Francesa.

Vale ressaltar que o estudo destacou principalmente os riscos potenciais na Ásia, porque cerca de 70% das pessoas em risco de enchentes anuais e permanentes estão em oito países asiáticos: China, Bangladesh, Índia, Vietnã, Indonésia, Tailândia, Filipinas e Japão.

Brasil: uma ameaça de norte a sul

O Brasil, com seus mais de 7.000 quilômetros de costa no Oceano Atlântico, enfrenta ameaças tão ao norte quanto o estado do Amapá, desde outro extremo, passando pelo Rio Grande do Norte, e ao sul, até o estado de Rio Grande do Sul. Algumas das áreas que podem cair sob a linha da maré alta estão permanentemente próximos a cidades importantes como Porto Alegre e Rio de Janeiro.

E por falar no Rio de Janeiro, uma nota: nos últimos anos o perigo enfrentado pela famosa praia de Copacabana com a elevação do nível do mar tornou-se evidente. E está longe de ser o único ameaçado.

Um estudo de 2020 publicado na Nature Climate Change afirma que metade das praias do mundo podem desaparecer até o final do século.

Uruguai: costa leste com alguns dos pontos turísticos mais valorizados

Se seguirmos para o sul e cruzarmos a fronteira do Brasil, veremos que a costa oriental do Uruguai também tem pontos ameaçados, nos departamentos de Rocha e Maldonado, por exemplo, que são mundialmente reconhecidos por algumas de suas cidades e praias como Punta del East ou Cabo Polonio. Assim como no Norte, em vários casos esse aumento de nível teria impacto no entorno de lagoas ou outros corpos d’água.

Argentina: surtos nas províncias de Entre Ríos e Buenos Aires

Entre os vários pontos visualizados na Argentina, duas áreas se destacam: uma na província de Entre Ríos, onde correm rios como o Ibicuy e o Paraná, e na província de Buenos Aires, no alto da baía de Samborombón.

O que causa o aumento do nível do mar?

Por trás da elevação do nível do mar está uma realidade que cada vez mais ouvimos falar: o aquecimento global. Esse fenômeno faz com que o nível da água suba por dois motivos, de acordo com a Administração Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA). Por um lado, contribui para o derretimento de mantos de gelo e geleiras e, por outro, “o volume do oceano se expande com o aquecimento da água”.

A agência cita outro fenômeno que também contribui para a elevação do nível do mar, embora em menor proporção, que é “a diminuição da quantidade de água líquida em terra”, no que se refere a lagos, reservatórios e aqüíferos, entre outros. “Esse deslocamento de água líquida da terra para o oceano se deve em grande parte ao bombeamento de água subterrânea”, explica ele.

Além do bombeamento de água subterrânea, outros fatores que agravam os efeitos da elevação do nível do mar incluem a extração de materiais do solo e a produção de sedimentos que estão ocorrendo perto da costa e causando o afundamento do solo.

Com CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. O momento de vender casa de praia por um bom preço é agora porque no alagado ninguém vai querer.

  2. Sá e Guarabyra já escreveram e cantaram isso, na música “sobradinho” há mais de 40 anos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Ranking espanhol aponta UFRN entre as melhores do Brasil e da América Latina

Foto: Cícero Oliveira

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) foi apontada entre as 12 melhores instituições de ensino superior do Brasil e como a 21a da América Latina pelo Webometrics Ranking of World Universities. O estudo espanhol avaliou cerca de 31 mil instituições de ensino superior de mais de 200 países.

O ranking é uma iniciativa do Cybermetrics Lab, grupo do Conselho Superior de Investigações Científicas (CSIC), que é considerado o maior órgão público de pesquisa da Espanha. Criado em 2004 e com presença em mais de 200 países, o estudo utiliza indicadores webométricos e bibliométricos.

Com o objetivo de incentivar o acesso aberto ao conhecimento gerado pelas universidades, o ranking considera como indicadores a visibilidade (impacto do conteúdo na internet), a excelência (principais artigos citados) e a transparência ou abertura (principais pesquisadores citados). Confira o site do Webometrics Ranking of World Universities.

Com UFRN

Opinião dos leitores

  1. Quem entrou foi Nove dedos e saiu sem saber o resultado de 2 + 2, ou ler um gibi, a Anta talvez tenha entrado e saiu sem saber articular uma frase, é só entrar no Dr. Google, pesquisar sobre a formação e capacidade intelectual dos dois.

  2. O que se sabe é que na América Latina,Educação Brsileira so é melhor que Cuba e Venezuela,duas potências …….rsssssssssssssssssss

  3. De acordo com os testes de avaliação utilizados mundialmente, a educação brasileira está péssima já há bastante tempo. Portanto, conforme tal avaliação, fico imaginando como estão as demais instituições avaliadas.

  4. Os próceres que fazem a nossa brava UFR tem só que cuidar para acabar com os estilos de seleção para Mestrado e Doutorado. Aparentemente, tudo muito democrático, dando-se oportunidades a todos, seleção em três etapas, etc e tal… mas na prática todo mundo que almeja entrar para um destes cursos sabe como as coisas funcionam nos meandros das alamedas arborizadas daquele campus. Ademais, isso parece ser prática nas demais universidades públicas pelo país e a nossa UFRN apenas repete a mesma prática. Uma pena. Haverá solução? ou tudo vai permanecer assim? Recursos de nada adianta e não há como atestar as práticas, pois é tudo muito velado. Eu já desisti há tempos de tentar uma vaguinha para Mestrado. Por mais que tenha domínio de escrita e de bibliografia, sei que não passo nem perto de uma das poucas vagas oferecidas…

    1. Também conheço vários que foram vítimas da "seleção" deles. Somente os amigos do rei tem vez nos domínios da UFRN.

    2. Não tenho conhecimento de todos os departamentos, mas conversar com o possível orientador antes e se adequar bem a uma linha de pesquisa garante muita coisa.
      E sim, qualquer um que fez IC ou colaborou com algum Dr. do departamento tem vaga garantida.

  5. NInguém diz nada!!! Universidade pública de qualidade!!! Eis a questão!!! Parabéns!!!FIZ parte dessa história!!!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

PRESENTE DE NATAL: México inicia nesta quinta-feira vacinação contra a Covid; país será o 1º da América Latina

Foto: Edgard Garrido/Reuters

O México começará a campanha de vacinação contra a Covid-19 na quinta-feira (24), informou o subsecretário de Saúde, Hugo López-Gatell. Assim, o país se torna a primeira nação latino-americana a vacinar sua população.

O país vai aplicar a vacina desenvolvida em conjunto pela Pfizer e BioNTech. A primeira remessa deverá chegar nesta quarta-feira.

O primeiro lote tem 1,4 milhão de doses e foi despachado da Bélgica, segundo o ministro de Relações Exteriores do México, Marcelo Ebrard. No total, o país espera 34,4 milhões que as farmacêuticas prometeram entregar em acordo com o governo.

O México, de 128 milhões de habitantes, registra 119.495 mortes e 1,33 milhão de infecções pelo novo coronavírus, segundo dados oficiais divulgados nesta terça (22).

O país ocupa o quarto lugar com mais mortes em números absolutos no mundo, depois dos Estados Unidos, Brasil e Índia.

Pelo indicador de óbitos em relação ao tamanho da população, é o 15º.

O governo determinou que as primeiras vacinas serão destinadas ao profissionais da saúde que enfrentam a pandemia diariamente.

A vacina da Pfizer e da BioNTech precisa ser mantida a uma temperatura de – 70ºC. Por isso, os primeiros locais onde ela será aplicada serão na Cidade do México, no centro do país, e no estado de Coahuila, no norte.

O México também tem acordos preliminares de compra com o projeto sino-canadense CanSinoBio para 35 milhões de doses, e com a britânica AstraZeneca para 77,4 milhões de doses, além de fazer parte do mecanismo internacional Covax, que permite comprar 51,6 milhões de vacinas adicionais.

G1

Opinião dos leitores

  1. Essa materia do Agora rn só tirou o do secretário da reta, porém o dinheiro, não disseram como foi gasto, se foi com ginga e tapioca, foi até bom que ajudou o povo do mercado da Redinha. Kkkkkkk

  2. Aqui ficou um imbecil desdenhando da vacina, da covid, da máscara….da vida.
    Terrível a situação do Brasil com esse genocida.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Brasil terá a maior fábrica de vacinas da América Latina

Foto: Peter Ilicciev/Fiocruz

A Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) e a Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro (Codin) assinaram na quinta-feira (17) acordo para instalação da maior fábrica de vacinas da América Latina.

O Complexo Industrial de Biotecnologia em Saúde vai ocupar uma área de 580 mil metros quadrados e terá capacidade de produção de 120 milhões de frascos de vacinas e biofármacos por ano e será instalada em Santa Cruz, na zona oeste do Rio de Janeiro.

As vacinas contra meningite, hepatite e tríplice bacteriana, que atualmente são importadas, vão passar a sair do polo. O acordo prevê a construção de nove prédios e a inauguração está prevista para 2023 e deverá gerar 5 mil empregos diretos. O complexo será responsável por toda produção de vacinas da Fiocruz, inclusive a de covid-19, quando esta for aprovada.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

UFRN é listada entre as melhores da América Latina

Foto: Cícero Oliveira

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) foi listada entre as 40 melhores instituições de ensino superior da América Latina e do Caribe pelo Times Higher Education (THE). O ranking mundial destacou a qualidade de 166 instituições de ensino da região e a UFRN conquistou a 39° colocação.

O ranking incluiu universidades de 13 países da América Latina e do Caribe e selecionou as 166 melhores instituições da região com base em 13 indicadores de desempenho, avaliando aspectos de ensino, pesquisa, transferência de conhecimento e perspectivas internacionais.

A UFRN ficou entre as quatro melhores do Nordeste brasileiro, junto à Universidade Federal da Bahia (UFBA), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e Universidade Federal do Ceará (UFC). Outras instituições nordestinas que conseguiram entrar na lista foram a Universidade Federal de Sergipe (UFS), Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Universidade de Fortaleza (Unifor), Universidade Estadual do Ceará (UECE), Universidade Federal do Piauí (UFPI), Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) e a Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

De acordo com o THE, o Brasil é mais uma vez o país mais representado no ranking, com 61 instituições, seguido pelo Chile com 30 e pela Colômbia com 23. Na listagem geral, a Pontifícia Universidade Católica do Chile ocupa a liderança, pelo segundo ano consecutivo, e a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade de Campinas (Unicampi) figuram como segunda e terceira colocadas, respectivamente. Confira o ranking no site.

Opinião dos leitores

    1. Tem outras que predomina o pó inspirado. Por falar em pó, onde andará o pó do avião do presidente? Acho que esqueceram, ou foi varrido para debaixo do tapete.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Coronavírus: o modelo matemático que explica como evitar meio milhão de mortes na América Latina

Foto: Getty Images / BBC News Brasil

Rafael Lozano insiste que a mensagem importante aqui é: vidas podem ser salvas.

O renomado médico mexicano é diretor de sistemas de saúde do Instituto de Métricas e Avaliação da Saúde (IHME, na sigla em inglês) da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, autor de um modelo que prediz como será a propagação da covid-19 em diversos países do mundo.

No fim de junho, foram acrescentados três cenários possíveis ao modelo matemático, que é uma das referências utilizadas pela Casa Branca para tomar decisões e traçar estratégias.

Os cenários levam em conta medidas adotadas por países ou regiões para projetar quantas pessoas serão infectadas ou morrerão da doença causada pelo novo coronavírus em 1º de outubro.

“Mais do que contar mortos, os cenários buscam quantificar quantas vidas podem ser salvas. Isso muda muito a mensagem”, afirma Lozano à BBC Mundo (serviço em espanhol da BBC) por videochamada desde a cidade americana de Seattle.

A insistência de Lozano no enfoque otimista faz sentido. Em junho, América Latina e Caribe se tornaram o novo epicentro da pandemia, depois de China, Europa e EUA ocuparem esse posto.

Nos últimos 14 dias, o Brasil e outros países do subcontinente americano somaram 872 mil casos novos, pouco mais de um terço do total global (2,6 milhões), segundo dados do Centro Europeu de Controle e Prevenção de Doenças.

Se formos considerar as mortes por covid-19 registradas no fim de junho, morriam cerca de 5 mil pessoas no mundo por dia. A cada 10 mortes, 2 ocorriam no Brasil e 3 em outros países da América Latina e do Caribe.

Segundo cálculos do IHME, em 1º de outubro, a América Latina e o Caribe (contando o Caribe inglês) somarão 438 mil mortes.

Mais especificamente, o Brasil deve superar 166 mil mortes e o México 88 mil, enquanto outros seis países ultrapassarão a barreira das 10 mil mortes: Argentina, Chile, Colômbia, Equador, Guatemala e Peru.

E esses números nem são os projetados pelo cenário mais fatalista.

O modelo

O IHME não é o primeiro nem o único instituto medindo o curso da pandemia de covid-19 a partir do número de pessoas suscetíveis à doença, daquelas expostas ao vírus, de infectados e de recuperados.

Mas a equipe do instituto vai além e está em contato com governos da Colômbia, do Peru, do Brasil, do Chile e dos EUA, entre outros tomadores de decisão.

“A grande vantagem do modelo que estamos usando é que nos baseamos em uma série de variáveis que ajudam não apenas a estabelecer dados concretos como também em que momento haverá uma demanda maior por leitos hospitalares”, diz Lozano.

Para isso, são levados em consideração “elementos como o número de pessoas que circulam pelas ruas, quando as normas de distanciamento social entraram em vigor e o grau de aceitação destas normas, ou que proporção da população usa máscara.”

Gráfico mostra mortes semanais por covid-19 no Brasil e no mundo. Foto: BBC News Brasil

Além disso, leva em consideração outros determinantes “menos tradicionais” entre modelos matemáticos, segundo ele, como densidade demográfica, perfis de mortalidade no país ou padrões sazonais de pneumonia — que atualmente estão no auge no hemisfério Sul.

Mas talvez o mais interessante seja como seu gráfico interativo simplesmente mostra o efeito que diferentes decisões políticas e individuais têm na trajetória da pandemia.

Os 3 cenários

(mais…)

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Maior cemitério da América Latina registra aumento de 40% em enterros

Foto: Divulgação/Sindesp

O maior cemitério da América Latina, o da Vila Formosa, na zona leste de São Paulo, teve um aumento de até 40% nos enterros em meio à pandemia do coronavírus. A média diária era de 40 a 45 e, nesta última quinta-feira (2), foram 57. Na quarta, 56. Os números são do Sindicato dos Servidores Municipais de São Paulo (Sindesp), que representa também os coveiros.

Nesses últimos dias, uma cena que chamou a atenção foi a de abertura de uma série de valas no cemitério. No entanto, a prefeitura diz que as sequências de valas nos cemitérios são comuns e servem para auxiliar na agilidade dos sepultamentos.

No cemitério Vila Formosa, são abertas cerca de 100 valas a cada três dias, segundo a prefeitura. Mas, para João Batista Gomes, secretário de imprensa do Sindesp, houve mudança. “A realidade é que, desde o dia 31 de março, abriram 100 valas por dia”, explica. O motivo seria uma preparação para um cenário pior.

Diante do risco de contaminação pela COVID-19, os velórios duram no máximo uma hora e só dez pessoas podem estar presentes. Para fazer os enterros, os funcionários têm usado roupas especiais. Mas o sindicato reclama da falta dos itens de segurança.

“O álcool em gel chega pouco, acaba e depois demora para vir mais. Os novos contratados (para o serviço de sepultamento) não têm uniforme, os colegas antigos que estão fornecendo materiais. Hoje, um funcionário de um cemitério me ligou dizendo que só tinham sete macacões de proteção. Quer dizer, se tiver dois enterros, só vai dar para fazer um com segurança.”, explica.

Os 22 cemitérios e um crematório públicos da cidade contam com 892 trabalhadores, sendo que 250 atuam só nos enterros. Para a prefeitura, a média diária normal de sepultamentos em toda a cidade é de cerca de 250. Em março, foram em média 228 por dia. Não foram informados os números de abril.

Outro lado

A Prefeitura de São Paulo, por meio do Serviço Funerário, informa que no momento há 8 mil litros de álcool em gel à disposição. Serão disponibilizados mais 6 mil litros mensalmente, até setembro, totalizando 38 mil litros.

Com relação aos equipamentos de segurança, atualmente há cerca de 70 mil luvas, 1.800 máscaras triplas para uso de administradores, atendentes e agentes funerários, mais 6.050 máscaras respiratórias para os sepultadores, mais de 1.300 macacões em estoque, além de 5 mil unidades do invol, um manto protetor que embala os corpos no caixão, que evita a possibilidade de contaminação durante o traslado dos corpos.

Está prevista a chegada de mais 3 mil unidades de macacões e 84 mil novas máscaras triplas na próxima semana.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

USP é a melhor universidade da América Latina, segundo consultoria internacional

Foto: Divulgação

A Universidade de São Paulo (USP) foi considerada, pela 10ª edição do “QS World University Rankings”, a melhor universidade da América Latina.

Em 2019, a instituição também liderou entre as demais brasileiras. A QS utiliza quatro métricas para avaliar os melhores cursos — que, somadas, dão os resultados das instituições mais bem rankeadas. O peso de cada uma varia de acordo com a disciplina analisada.

São levadas em considerações a reputação acadêmica baseadas em uma pesquisa com 94 mil respostas da QS; reputação entre empregadores; citações por artigo; e o Índice H.

Este último quesito é uma maneira de medir a produtividade e o impacto do trabalho publicado por um cientista ou acadêmico. O índice é baseado no conjunto dos trabalhos mais citados do acadêmico e no número de citações recebidas em outras publicações.

Os rankings compilados pela QS Quacquarelli Symonds, grupo de analistas globais de ensino superior, fornecem uma análise comparativa do desempenho de 13.138 programas universitários individuais, cursados por estudantes de 1.368 universidades, em 83 locais em todo o mundo, divididos em 48 disciplinas acadêmicas englobadas por cinco grandes áreas.

— O ensino superior brasileiro também devem dedicar maior atenção à questão da empregabilidade de seus graduados. Apenas três dos programas em destaque no Brasil estão entre os 50 melhores do continente no indicador de Reputação entre Empregadores, sugerindo que instituições de outras nações latino-americanas estão cultivando graduados nos quais os empregadores têm mais fé — afirmou Jack Moran, porta-voz da QS.

O estudo apresentou as seguintes observações sobre as instituições brasileiras:

A USP ficou entre as 50 melhores universidades em mais de dez rankings. Na América Latina, é superado apenas pela Universidade Nacional Autônoma do México (que teve 12 programas entre os top 50);

De acordo com responsáveis por contratação entrevistados pela QS, o departamento de Engenharia Civil e Estrutural da USP possuí os graduados mais empregáveis do Brasil. O programa recebeu a maior pontuação do país, 90,2/100 para o indicador de Reputação entre Empregadores, que mede a opinião de empregadores com relação à qualidade dos graduados;

Todos os 28 programas de maior pontuação do Brasil para o indicador de Reputação entre Empregadores podem ser encontrados na USP;

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) teve um ano de melhoria geral. Seu desempenho foi superior em 8 das 27 disciplinas em que está classificada e decaiu em apenas três;

O principal departamento de pesquisa do Brasil, segundo dados da QS, é o departamento de Farmácia e Farmacologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), que alcança a melhor nota do país, de 87,6 / 100, para a métrica de Citações por Artigo. A QS usa esse indicador para calcular o impacto da pesquisa de cada departamento.

O Globo

Opinião dos leitores

    1. De fato a USP é uma estadual, mas caso tivesse sido anunciado que estaria numa colocação péssima, com certeza esses mesmos atores que estão criticando o Chicão estariam tentando culpar o governo de Jair Bolsonaro, o problema desses malditos PeTralhas é tentar iludir os desenformados, eles se prestam a esse papel.

  1. Valeu mito, um ano é suficiente pra retomada do conhecimento e da pesquisa, adeus corrupção sistêmica

    1. A desinformação é a mãe da ignorância. A USP é estadual, não tem nada a ver com o mito
      Procure se informar para não divulgar informação falsa.

    2. Você só pode estar brincando! Não é possível! Quer dizer que a USP conseguiu essa posição por causa do primeiro ano do Governo Bolsonaro? Kkkkkkkk!

    3. A USP é uma universidade pública estadual. O capitão reformado não tem nada a ver com ela.
      É de bom senso procurar se informar primeiro antes de emitir alguma opinião. Evita passar por ignorante.

    4. A USP há anos obtem essa colocação. A propósito, a USP não é federeal, logo bolzo não tem nenhuma responsabilidade sob o feito.

    5. a maioria do orçamento da USP é estadual. em 2019 somente 114 milhões foram de repasses federas, 84 milhões de 5% da cota do ICMS do estado de São Paulo. Vamos nos informar melhor gado. (detalhe votei em Bolsonaro mas nem por isso sou desinformado).

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Homem curado de câncer terminal com tratamento inédito na América Latina morre após acidente em MG

Foto: Hugo Caldato; foto 2: Foto: Vamberto de Castro/Arquivo pessoal

O homem que foi curado de um câncer em estado terminal com um tratamento inédito na América Latina morreu neste mês em Belo Horizonte após um acidente. De acordo com a Polícia Civil, o corpo de Vamberto Luiz de Castro, de 64 anos, deu entrada no Instituto Médico Legal em 11 de dezembro e saiu no mesmo dia.

O acidente provocou um traumatismo craniano grave em Vamberto, que não resistiu. Os parentes do homem não quiseram se manifestar.

De acordo com amigos da família, a missa de sétimo dia de Vamberto foi nesta terça-feira (17). O enterro foi no Cemitério Parque Renascer, em Contagem, na Grande BH.

Vamberto estava em fase terminal de um linfoma – um tipo de câncer – muito agressivo nos ossos quando procurou o Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto para tentar um tratamento ainda experimental no Brasil, inédito na América Latina, com uma equipe da Universidade de São Paulo (USP).

Ele teve alta em outubro após apresentar uma melhora considerada cura, com a terapia genética descoberta no exterior e conhecida como CART-CeII.

Antes de se submeter ao tratamento inédito custeado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), Vamberto tomava doses máximas de morfina diariamente e não conseguia mais andar. O tumor havia se espalhado pelos ossos. No início de setembro, o corpo do paciente estava tomado por tumores. Já após o tratamento, a maioria deles já havia desaparecido. E os que restavam, segundo os médicos, sinalizavam a evolução da terapia

Em entrevista ao G1 em outubro, Vamberto afirmou: “hoje, o que eu quero, de verdade, é que aconteça para todas as pessoas que passam por isso o que aconteceu com a gente. A gente vai ter que fazer alguma coisa para buscar o apoio. Este benefício tem que atingir um número bem maior de pessoas”, disse.

No EUA, os tratamentos comerciais já receberam aprovação e podem custar mais de US$ 475 mil.

G1

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

GOLAÇO: Prefeito Taveira inaugurou primeiro museu da Segunda Guerra da América Latina em Parnamirim

Foto: Divulgação

Foi apresentado nessa terça-feira (17) a primeira etapa do Centro Cultural Trampolim da Vitória, implantado no antigo terminal de passageiros do Aeroporto Augusto Severo. O projeto resgata o início da história de Parnamirim e a participação da FAB na Segunda Guerra Mundial e conta com duas grandes áreas, que serão inauguradas em quatro etapas, de forma gradativa: o polo pavilhão de exposições (antigo terminal) e o polo Base Oeste, que terá a Ala 10, o Campo da Aeropostale/Air France e a Estação da Lati.

O pavilhão de exposições (inaugurado ontem) tem exposição de aeronaves, simulador de voo e grande acervo de fotos e objetos da Segunda Guerra. Outro espaço a ser inaugurado será o Campo da Aeropostale/Air France, que teve suas origens no ano de 1927, quando aqui chegou Paul Vachet, a fim de instalar um aeródromo para a empresa francesa de aviação, dando início assim a história de Parnamirim.

Além deste espaço, será utilizada ainda a Estação da Lati, fundada em 1939 quando a Linee Aeree Transcontinentali Italiani (Linhas Aéreas Transcontinentais Italianas) construiu seu primeiro Hangar para ligação aérea das Américas com a Europa, em substituição aos alemães, envolvidos na Segunda Guerra Mundial. O Prefeito Taveira marca um tremando golaço com este museu, que vai incrementar o turismo de Parnamirim e de toda a região, e ainda preservar a memória da fundação da cidade.

Opinião dos leitores

  1. Ja pode ir visitar?Se sim por favor detalhes.Estacionamento,como chegar,valor da entrada,horário,etc.

    1. O Centro Cultural Trampolim da Vitória será aberto para visitação pública a partir do dia 28 de janeiro de 2020.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

PT aposta que protestos na América Latina vão chegar ao Brasil e quer “conduzi-las”

Foto: Pablo Hidalgo/AFP

O PT aposta que a onda de protestos na América Latina vai chegar ao Brasil. Gleisi Hoffmann disse:

“Quando as grandes manifestações ecoarem no Brasil, porque vão ecoar, vão chegar da América Latina, nós temos que estar preparados para ajudar a conduzi-las.”

O Antagonista

Opinião dos leitores

  1. País que não tem coragem de colocar seus bandidos na cadeia (seja por brechas na legislação, por insegurança jurídica, jurisprudência consolidada ou outra covardia qualquer) fica condenado a viver à mercê da própria bandidagem.

  2. Nessa situação eu não alisaria o coro de nenhum desses safados. Já pertenci a todos os partidos de esquerda, pmdb(nas antigas, só pilantra), pt até iniciarem a onda de crimes e mostrar que não passavam de uma quadrilha, Psol( outra merda), Pstu (igual aos outros, só que sem grana, ainda) portanto resta ao governo baixar a sova nesses malas, onde o objetivo de cada um (com raríssimas exceções) é se dá bem(roubar, fraudar, corromper, burlar…..) tanto individual como o partido. Sei do que estou dizendo, pq estive de dentro durante anos, e é difícil não se contaminar.

    1. Mande essas manifestações para CUBA, o POVO quer eleições livre, e ñ eterno DITADOR.

    2. Não m.d.r, quem te que saber somos nós, onde estamos pisando, nesse mar de lama. Não importa se é do time de LULADRAO ou do maluco.

  3. BANDO DE DESCEREBRADOS PORTADORES DE APENAS UM TICO E UM TECO, QUEM DISSE QUE NECESSARIAMENTE QUEM FAZ PROTESTOS SÃO PETISTAS ??? QUEM PROTESTA SÃO PESSOAS QUE PENSAM ALÉM DAS MÍDIAS MENTIROSAS E DO WATSAPP.
    POR FALAR NISSO, VC É RICO ???

  4. Esses adoradores do caos só sabem fazer isso, ou bando de safados esse povo. Quase acabam com o Brasil é ainda querem voltar para terminar o serviço.

  5. Ledo engano, Fernando Bastos. Os posicionamentos por aqui adotados e reverberados na rádio são em sua maioria pró governo. No tocante ao conteúdo da matéria, é natural que alguém busque tirar proveito desses movimentos. O que não é ou não deveria ser natural, é que a população se permita levar pelas velhas raposas da política, cuja alcateia pertencem Lula e Bolsonaro. Inevitavelmente isso acontecerá no Brasil, basta que a população comece a perceber os efeitos nefastos das reformas que foram ou estão sendo aprovadas. Cabe ao povo eleger uma terceira ou quarta via, que nos livre, pelo menos, desse polarismo insano e inútil.

  6. Ja tentaram uma vez e existiram pessoas como o Ustra que deu um jeito nessa galera! venham novamente que todo castigo pra petista é pouco!

  7. Bando de MENTIROSOS, MATERIA PATROCINADA POR VERMES LIGADOS AO BOSTANARO , O PRESIDENTE FACISTA, UM TREMENDO MARGINAL QUE ESTA MATANDO O POVO DO BRASIL DE FOME, SANGUINÁRIOS, DEIXEM DE CULPAR O PT DAS MERDAS QUE ESSE CRAPULA FAZ COM AS SUAS MALDADES,SE ENXERGUEM, LULA FEZ PELO BRASIL, O QUE NUNCA NENHUM VAI FAZER, MATAR A FOME DO POVO, MELHORAR O SOCIAL, ENQUANTO ESSE BANDIDO LADRAO ESTA ROUBANDO E VENDENDO AS NOSSAS RIQUEZAS E O POVO COM O PIRES NA MÃO , TENGAM VERGONHA MENTIROS , BURRALDOS…..

    1. O amigo tem se informado sobre os índices econômicos do país ou continua estudando a cartilha vermelha? Acredito que esteja mal informado ou se nega a reconhecer que o país está melhorando…

    2. REALMENTE, O lula FOI O PRESIDENTE QUE FEZ MAIS: PROPINA, MENSALÃO, LAVAGEM DE DINHEIRO, TRÁFICO DE INFLUÊNCIA, ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA, CORRUPÇÃO ATIVA E PASSIVA, OBSTRUÇÃO DE JUSTIÇA…

  8. Pode apostar que o partido que virou quadrilha não vai ter vida fácil aqui não, estão sendo monitorados diariamente, as forças de segurança já estão preparadas para acabar com qualquer ato terrorista desse bando, aqui não é a Venezuela, bando de parasitas, o Brasil que presta é a maioria!

  9. Esses VERMES PTRALHAS querem a teoria do CAOS , eles acham que o país é deles , esse FDPs ficaram 13 anos roubando

  10. Isso é coisa de crime organizado.. narcotrafico e ditadura de esquerda. Se eles querem conduzir é porque reconhecem a cumplicidade…

    1. E na Bolívia é o que? Pois lá quem foi pra rua fazer quebra a quebra foi a direita.

    2. Na Bolívia houve uma reação a um presidente do Foro de SP que trapaceou para tentar se perpetuar no poder.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

UFRN inaugura maior laboratório de plastinação da América Latina

Fotos:Cícero Oliveira

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) inaugurou na manhã desta sexta-feira, 10, o Laboratório de Plastinação (LabPlast), único do Brasil a ser construído especificamente para a técnica de plastinação – conservação de espécime biológico a partir da substituição de água e gordura por polímeros no interior dos tecidos. O trabalho resulta em materiais secos, sem odor e com estado anatômico natural até em nível celular, utilizados para estudo da anatomia humana.

Considerado o maior laboratório de plastinação da América Latina, o LabPlast está construído no prédio do Centro de Biociências (CB) do campus central. Foram investidos R$ 480 mil em obras de instalações físicas e R$ 230 mil em equipamentos específicos para o local, cuja estrutura possui 121 m² de área construída, comparada a laboratórios dos Estados Unidos e da Europa. Além de ser utilizado por mais de 800 estudantes das áreas biológicas e de saúde no campus central, o laboratório contribui para a melhoria da qualidade da graduação nos campi do interior, em especial na Escola Multicampi de Ciências Médicas (EMCM), em Caicó, cuja gestão foi parceira do Departamento de Morfologia e do CB para a consolidação do projeto.

“Esta unidade servirá a vários centros e departamentos, com a proposta de ser multiusuário e multicampi. Será importante para os alunos de Caicó e de toda a universidade”, comemorou o diretor da EMCM, George Dantas de Azevedo, durante a solenidade de inauguração, que contou com a presença de estudantes da EMCM. O resgate histórico da iniciativa foi lembrado pelo membro da comissão de implantação do LabPlast, Celcimar Alves Câmara, que em 2010 visitou o setor de Plastinação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) para conhecer a técnica e a infraestrutura necessária. Para o coordenador do novo laboratório, Expedito Silva do Nascimento, a concretização do projeto representa um avanço expressivo para a anatomia na UFRN.

A unidade também abre possibilidades para cooperações interinstitucionais, entre elas a oferta de cursos de capacitação e a estruturação de acervos plastinados para escolas públicas, assim como viabiliza a criação de exposição itinerante vinculada ao Museu de Ciências Morfológicas da UFRN, que poderá percorrer desde a Semana de Ciência, Tecnologia e Cultura (Cientec) até escolas, shoppings, entre outros lugares. “O significado do LabPlast não está no valor financeiro, mas na melhoria da qualidade do ensino, da pesquisa, da extensão e da formação dos recursos humanos de forma ampliada. Para que todos os projetos sejam realizados pelos diferentes cursos, haverá uma gestão compartilhada do espaço”, afirmou a reitora da UFRN, Ângela Maria Paiva Cruz.

Também estiveram presentes na solenidade de inauguração a senadora Zenaide Maia, o vice-reitor José Daniel Diniz Melo e o diretor do Centro de Biociências, Graco Aurélio Viana, além de professores, gestores, alunos e técnico-administrativos da universidade.

Com informações da UFRN

 

Opinião dos leitores

  1. "Maior" em que: em resultados científicos, ou só em área construída?
    Ô povo megalomaníaco só este da Uferrenê…

    1. Em outubro tem ENEM… Junte-se a nós e transforme todo esse rancor em amor ???

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Startup potiguar é selecionada para o maior programa de aceleração da América Latina

Potiguares criaram plataforma online para o setor automotivo. AutoForce foi escolhida entre mais de 700 empresas brasileiras para ciclo de mentoria e capacitação

Criada por dois potiguares, a startup AutoForce foi selecionada para participar do maior programa de aceleração de empresas da América Latina, o InovAtiva Brasil, do Ministério da Economia. Com a seleção, a empresa passa a fazer parte do principal ecossistema de inovação e empreendedorismo do país, ganhando acesso a mentorias, treinamentos e a chance de se apresentar para uma banca de mais de 100 investidores do país em São Paulo.

A aprovação da AutoForce foi divulgada no último 15 dia de abril, após um processo seletivo de duas etapas, com análise do modelo de negócios e entrevistas presenciais com a direção da empresa. A startup potiguar concorreu com mais de 700 empresas brasileiras, sendo uma das 130 escolhidas para o primeiro ciclo de aceleração do InovAtiva em 2019.

O produto da AutoForce — a plataforma online Autódromo –, foi criado pelo administrador Tiago Fernandes e pela desenvolvedora Isaiane de Mendonça em 2015. Após passar por um ano de incubação no Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), a empresa foi lançada no mercado. Em menos de quatro anos, já atende mais de 600 concessionárias de todo o Brasil, inclusive grandes grupos potiguares, como PG Prime, Redenção e Pontanegra Fiat.

A plataforma da AutoForce permite que concessionárias e montadoras gerenciem seus sites de forma autônoma, aproveitando melhor as oportunidades de venda geradas pela internet. Para Tiago Fernandes, CEO da AutoForce, a seleção do InovAtiva também é o reconhecimento de que a empresa possui um produto realmente inovador e atraente para o mercado.

“Sabemos que nosso produto é extremamente inovador por pensar, desde 2015, em algo que começa a ser discutido só agora: a necessidade de vender carros online. O consumidor brasileiro já quer isso, e a prova é que 80% da venda de veículos no Brasil já vêm da internet, segundo o Google”, comenta Tiago Fernandes, CEO da AutoForce.

Hoje, a empresa está focada em fortalecer o Autódromo, preparando-o para um novo modelo de negócios que está se fortalecendo, através do qual o consumidor poderá comprar seu carro sem sair de casa. “Nada será mais natural do que o surgimento do e-commerce de carros nos próximos cinco anos. As concessionárias como conhecemos agora não existirão mais”, afirma.

Com o incentivo do InovAtiva, durante os próximos quatro meses a startup potiguar passará por capacitações e consultorias para chegar ao estágio de “tração” — momento em que as startups consolidam e escalam o modelo de negócios. Além disso, a startup também terá a chance de se apresentar para uma banca de 100 investidores durante o Demoday InovAtiva, que ocorre em São Paulo.

“Na prática, participar do InovAtiva significa que vamos desenvolver mais tecnologia e inovação. Assim poderemos dar um atendimento melhor para nosso clientes, com uma solução que entregará mais performance e resultado para a sua operação”, acrescenta Fernandes.

Crescimento exponencial

Em menos de quatro anos de mercado, a AutoForce já conseguiu conquistar 10% do mercado de concessionárias brasileiras. Entre 2016 2019 saltou de 4 para 23 funcionários, ampliou sua sede em Natal, ganhou o reforço de mais dois experts do setor automotivo na diretoria — Clênio Cunha e Mateus Araújo –, e participou do Congresso e ExpoFenabrave 2018, o maior evento sobre o mercado automotivo brasileiro.

Para 2019, a empresa prepara novos avanços. Além de participar do InovAtiva Brasil, a AutoForce também foi selecionada pelo Sebrae RN para participar de uma comitiva de empreendedores em visita ao Vale do Silício (EUA), principal berço de inovação do mundo. A visita acontece entre maio e junho.

Também em maio de 2019, a AutoForce participará o Automotive Business Experience 2019, um evento sobre inovação no mercado Automotivo. Neste momento, a startup está concorrendo para apresentar a palestra Concessionária 2.0 – o novo modelo de negócios, cuja escolha está sendo feita pelo público.

“Acreditamos que todas essas e outras iniciativas mostram que, como startup, não pretendemos lançar apenas um produto, mas impactar o mercado. Nossa função é liderar a mudança que o setor automotivo já está vivendo”, finaliza Tiago Fernandes.

Inovativa Brasil 2019

O InovAtiva Brasil é um programa criado em 2013 pelo Ministério da Economia como ferramenta de gestão pública focada na aceleração, conexão, visibilidade e mentoria de startups de todo o Brasil, sem qualquer custo.

 

Opinião dos leitores

  1. Teve uma empresa incubada na Incubadora Tecnológica do Campus Natal Central do IFRN – ITNC. Orgulho para nós!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Segurança

Brasil é principal potência militar na América Latina; Venezuela está na 6ª posição

Brasil lidera o ranking de países da América Latina com o melhor preparo militar (Fernando Frazão/Agência Brasil)

O Brasil lidera o ranking de países da América Latina com o melhor preparo militar, segundo estudo recente que levou em consideração mais de 50 fatores para avaliar as principais potências da região. Com índice de 0,3198, o país está à frente do México (0,6289), na segunda posição, e Argentina (0,7056), terceiro lugar. A Venezuela aparece na sexta colocação (0,7876), atrás ainda do Peru e da Colômbia, respectivamente na quarta e quinta posição no ranking.

O levantamento que aponta o índice de forças de países latinos foi desenvolvido pelo site Global Firepower e, entre os itens avaliados, contou com informações como o tamanho das tropas, a quantidade e o tipo de armas, o desempenho em conflitos anteriores -entram na análise a performance militar nas 1ª e 2ª Guerras -, alianças, assim como a análise de fatores geográficos e logísticos.

Em comparação com os outros países, o Brasil se destaca pelo investimento militar. Em 2017, foram US$ 29,28 bilhões investidos, contra apenas US$ 0,46 bilhão da Venezuela. Na comparação entre o número de militares, o Brasil aparece com 1,98 milhão de soldados, enquanto a Venezuela possui uma média de 123 mil. Uma das justificativas para o mau desempenho dos vizinhos venezuelanos está na queda de investimentos devido ao baixo desempenho do PIB.

Estadão

 

Opinião dos leitores

  1. É uma tristeza a gente ver essa cambada petralha defendendo um ditador cruel, que arruinou seu país e está matando o seu povo de fome e na bala, e que manda atear fogo em caminhões com ajuda humanitária direcionados a minorar o sofrimento desses coitados. É nojento a gente ver a insensatez e a total falta de bom senso e humanidade dessa corja. Mesmo a gente já sabendo do que esses defensores de bandidos são capazes, já que tentaram também destruir o nosso Brasil, como está fazendo a ditadura bolivariana na Venezuela. Essa gente "vermelha" não pode ser considerada brasileira. Será que podem ser chamados sequer de "humanos"? Tenho sinceras dúvidas.

  2. Essa ação militar para derrubar esse ditadorzinho de merda está demorando muito. Até quando o povo venezuelano vai precisar sofrer para o resto do mundo tomar a iniciativa de retirar esse maduro do poder.

    1. Antes de tirar presidente de outro país , cuide em pensar tirar o que não presta por aqui mesmo. A Venezuela é um país pequeno, as pessoas fogem para outros países e se o Brasil entrar na na crise com o desgoverno do Loucos do PS dos Laranjas? O que será de nós?

    2. José isso. Já foi feito aqui meu querido o Lula ladrão e toda a quadrilha do pt no já saiu do poder. ?

    3. Ô coisa triste é o pobre de direita. O miserável ñ sabe nem o q fala, mas, fala por falar. O coitado do de Lulaladrão. O q o Brasil tem haver cm os problemas da Venezuela? Só pq os EUA mandou temos q obedecer? Será q ñ já temos tantos problemas sociais, de segurança,, de saúde, etc,…..etc. O problema da Venezuela cabe aos Venezuelanos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Unicamp é a universidade mais prestigiada da América Latina; UFRN dentre as instituições que perderam posição

Pelo segundo ano consecutivo, a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) foi considerada a instituição de ensino superior mais prestigiada da América Latina no ranking de reputação acadêmica da revista Times Higher Education (THE). A Universidade de São Paulo (USP) aparece em segundo lugar.

A publicação da tradicional revista britânica ressalta o domínio das instituições brasileiras na região. Das 129 universidades que entraram para o ranking, 43 são do País – sendo que seis entraram para o top 10. No entanto, o relatório faz um alerta e diz que “apesar do domínio regional contínuo” a situação econômica brasileira coloca o sistema de ensino superior em ‘posição precária’”.

“A profunda pressão financeira sobre suas universidades está prejudicando seu desempenho e atratividade no cenário global e colocando em risco seu imenso potencial. No entanto, face a esses desafios, a resiliência e a ambição das universidades são claras, assim como a contínua busca de aumentar a qualidade e atender às necessidades de sua nação”, avalia Phil Baty, diretor editorial do Global Rankings da THE.

Dentre as instituições que perderam posição neste ano estão as universidades federais do Rio de Janeiro (UFRJ), do ABC (UFABC), de Pernambuco (UFPE), do Ceará (UFC), de Goiás (UFG) e do Rio Grande do Norte (UFRN). Em nota, o Ministério da Educação (MEC) diz que não comenta estudos que não são oficiais do governo por desconhecer a metodologia aplicada. No entanto, destaca que não houve “cortes” neste ano e que, mesmo com as limitações orçamentárias enfrentadas pelo País, não faltam recursos para as universidades.

Cenário

A análise geral dos países mostra que o Brasil é o que mais se destaca no ambiente para pesquisa. A Argentina está no topo do ambiente de ensino e o Equador tem o melhor desempenho de influência de pesquisa e perspectivas internacionais. “O Brasil definha atrás de seus vizinhos quando se trata de perspectivas internacionais e tem espaço para melhorar sua influência na pesquisa (impacto de citações)”, diz o relatório.

A revista usa 13 métricas de performance das atividades das instituições, divididas em quatro áreas: ensino, pesquisa, transferência de conhecimento e perspectiva internacional.

Marcelo Knobel, reitor da Unicamp, destaca o bom desempenho das três universidades paulistas na avaliação – a Universidade Estadual Paulista (Unesp) aparece no 11º lugar -, mas também vê com preocupação a influência da crise econômica no desenvolvimento das instituições.

“É uma situação bastante preocupante. Houve uma redução grande no investimento em ciência e tecnologia no País e a situação financeira no Estado de São Paulo é bastante frágil. A recuperação econômica nas universidades é lenta e corremos o risco de perder os investimentos feitos nos últimos 50 anos. É um momento muito duro”, diz Knobel.

O ranking pode ser conferido no seguinte endereço eletrônico:

https://www.timeshighereducation.com/world-university-rankings/2018/latin-america-university-rankings#!/page/0/length/25/sort_by/rank/sort_order/asc/cols/undefined

Isto É, com Estadão

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Computação e Sustentabilidade: Maior evento acadêmico de computação da América Latina será em Natal em julho

Por interino

Congresso da Sociedade Brasileira de Computação tem expectativa de público de três mil pessoas, no Centro de Convenções de Natal, entre os dias 22 e 26 de julho

Natal sediará, entre os dias 22 e 26 de julho, no Centro de Convenções de Natal, o maior evento acadêmico de Computação da América Latina, o 38º Congresso da Sociedade Brasileira de Computação (CSBC 2018). O CSBC 2018 está sendo organizado pelo Departamento de Computação da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, sob a coordenação-geral do Prof. Dr. Chico Dantas, diretor do Campus da UERN em Natal.

Com o tema “Computação e Sustentabilidade”, o CSBC 2018 oferecerá aos participantes quatro dias de intensa vivência para um amplo debate sobre como a computação impacta as questões ambientais. “Promover sustentabilidade é, antes de tudo, criar e manter condições para avançar em harmonia com o meio ambiente. Em termos de avanços tecnológicos, a Ciência da Computação usada em prol da sustentabilidade emerge como um campo interdisciplinar, no qual técnicas computacionais são usadas para possibilitar o desenvolvimento sustentável, e, desse modo, equilibrar as necessidades ambientais, econômicas e sociais. O tema será discutido na capital que possui o ar mais puro das Américas e o segundo maior parque florestal urbano do país, o Parque das Dunas, que rodeia o Centro de Convenções, onde o CSBC acontecerá”, ressalta Dantas.

A programação do Congresso incluirá 24 eventos paralelos, com exposições de trabalhos científicos, palestras, cursos e debates sobre assuntos relacionados ao uso da computação em prol da sustentabilidade. A expectativa é que três mil pessoas participem do CSBC 2018.

Segundo Dantas, a expectativa é a melhor possível. “Para esta edição, teremos uma programação rica, cobrindo as mais diversas áreas da computação, cases de empresas e a presença de palestrantes renomados e internacionais, debatendo sobre como o uso da computação pode criar condições para que a tecnologia possa avançar em harmonia com o meio ambiente. Além disso, o CSBC 2018 trará benefícios sociais por meio da promoção de ações sustentáveis, objetivando a conscientização da população em geral para a importância do desenvolvimento tecnológico alinhado com a sustentabilidade ambiental”, adiantou.

Um dos eventos base do CSBC será o 12º Women in Information Technology (WIT), uma iniciativa da SBC para discutir os assuntos relacionados às questões de gênero em Tecnologia de Informação (TI) no Brasil – histórias de sucesso, políticas de incentivo e formas de engajamento e atração de jovens, especialmente mulheres, para as carreiras associadas à TI.

Outro evento que merece destaque é o 20º Seminário de Computação e Mercado, que tem por objetivo incrementar a cooperação e a interação entre as universidades, empresas, sociedade e os diferentes níveis e esferas de governo. O COMPUTEC busca identificar e analisar grandes e importantes desafios e oportunidades em inovação e desenvolvimento tecnológico.

Todas as informações sobre o CSBC estão reunidas no site: http://natal.uern.br/eventos/csbc2018/. Lá também podem ser feitas as inscrições. Estudantes e profissionais que ainda não são associados à SBC podem se associar (ou renovar a associação) no processo de inscrição, para obter desconto para se inscrever no Congresso. Também podem se inscrever estudantes do Ensino Médio, com valor diferenciado.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *