Diversos

Com elevação de nível do mar e outros fatores, parte do RN e outros lugares da América Latina podem estar submersos em 2100, diz estudo

Foto: Reginaldo Pimenta/Agência O DIa/Estadão Conteúdo

Milhões de pessoas em todo o mundo estão ameaçadas pela elevação do nível do mar que, junto com outros fatores, pode afetar cidades inteiras ao longo deste século. Da América do Norte à Ásia, os alarmes estão ligados. O que está acontecendo na América Latina? Mostramos aqui algumas das áreas que podem estar submersas até o ano 2100, de acordo com um modelo publicado pela organização Climate Central.

As estimativas da elevação do nível do mar evoluíram ao longo dos anos. O que acontecerá dependerá, entre outros fatores, do aumento das temperaturas na Terra (que por sua vez está ligada às emissões de gases de efeito estufa).

Nesse contexto, um estudo da Climate Central publicado em 2019 na revista Nature Communications calcula que esse aumento será entre 0,6 e 2,1 metros ao longo deste século, valor muito superior às estimativas anteriores.

Isso significa que, até o ano 2100, as terras onde vivem 200 milhões de pessoas podem ser praticamente inabitáveis.

Esta organização sem fins lucrativos desenvolveu um mapa que permite visualizar a ameaça da elevação do nível do mar e mostra que a América Latina não fica de fora. Mostramos aqui alguns dos locais que podem cair permanentemente abaixo da linha da maré alta até 2100.

O mapa da América Latina

México: áreas costeiras na península de Yucatán

As costas oeste e leste do México estão ameaçadas pela elevação do nível do mar. De acordo com a projeção do Climate Central, em menos de 80 anos partes da Península de Yucatán poderiam estar abaixo do nível da água. Terras em Quintana Roo, Yucatán, Campeche e Tabasco seriam afetadas.

Indo para o oeste, a ameaça é vista principalmente ao longo das costas de Sonora, Sinaloa e Nayarit.

As costas da Nicarágua e de Honduras

Nicarágua e Honduras são dois dos países da região que sabem em primeira mão o que significa lidar com as consequências do aquecimento global, que torna os furacões mais perigosos.

O estudo publicado em 2019 adverte justamente que “as comunidades costeiras ao redor do mundo devem se preparar para um futuro muito mais difícil do que pode ser previsto atualmente”.

Colômbia: área de Barranquilla

Na Colômbia, duas áreas se destacam por extensão: uma perto de Barranquilla (a foz do rio Magdalena no Mar do Caribe) e outra em direção à fronteira com o Panamá (o Golfo de Urabá).

Venezuela: a costa ao redor do Lago Maracaibo

No caso da Venezuela existem focos identificáveis ? Nas proximidades do Lago Maracaibo e Tucupita. Se seguirmos a rota leste e sul, a ameaça também é visível na Guiana, Suriname e Guiana Francesa.

Vale ressaltar que o estudo destacou principalmente os riscos potenciais na Ásia, porque cerca de 70% das pessoas em risco de enchentes anuais e permanentes estão em oito países asiáticos: China, Bangladesh, Índia, Vietnã, Indonésia, Tailândia, Filipinas e Japão.

Brasil: uma ameaça de norte a sul

O Brasil, com seus mais de 7.000 quilômetros de costa no Oceano Atlântico, enfrenta ameaças tão ao norte quanto o estado do Amapá, desde outro extremo, passando pelo Rio Grande do Norte, e ao sul, até o estado de Rio Grande do Sul. Algumas das áreas que podem cair sob a linha da maré alta estão permanentemente próximos a cidades importantes como Porto Alegre e Rio de Janeiro.

E por falar no Rio de Janeiro, uma nota: nos últimos anos o perigo enfrentado pela famosa praia de Copacabana com a elevação do nível do mar tornou-se evidente. E está longe de ser o único ameaçado.

Um estudo de 2020 publicado na Nature Climate Change afirma que metade das praias do mundo podem desaparecer até o final do século.

Uruguai: costa leste com alguns dos pontos turísticos mais valorizados

Se seguirmos para o sul e cruzarmos a fronteira do Brasil, veremos que a costa oriental do Uruguai também tem pontos ameaçados, nos departamentos de Rocha e Maldonado, por exemplo, que são mundialmente reconhecidos por algumas de suas cidades e praias como Punta del East ou Cabo Polonio. Assim como no Norte, em vários casos esse aumento de nível teria impacto no entorno de lagoas ou outros corpos d’água.

Argentina: surtos nas províncias de Entre Ríos e Buenos Aires

Entre os vários pontos visualizados na Argentina, duas áreas se destacam: uma na província de Entre Ríos, onde correm rios como o Ibicuy e o Paraná, e na província de Buenos Aires, no alto da baía de Samborombón.

O que causa o aumento do nível do mar?

Por trás da elevação do nível do mar está uma realidade que cada vez mais ouvimos falar: o aquecimento global. Esse fenômeno faz com que o nível da água suba por dois motivos, de acordo com a Administração Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA). Por um lado, contribui para o derretimento de mantos de gelo e geleiras e, por outro, “o volume do oceano se expande com o aquecimento da água”.

A agência cita outro fenômeno que também contribui para a elevação do nível do mar, embora em menor proporção, que é “a diminuição da quantidade de água líquida em terra”, no que se refere a lagos, reservatórios e aqüíferos, entre outros. “Esse deslocamento de água líquida da terra para o oceano se deve em grande parte ao bombeamento de água subterrânea”, explica ele.

Além do bombeamento de água subterrânea, outros fatores que agravam os efeitos da elevação do nível do mar incluem a extração de materiais do solo e a produção de sedimentos que estão ocorrendo perto da costa e causando o afundamento do solo.

Com CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. O momento de vender casa de praia por um bom preço é agora porque no alagado ninguém vai querer.

  2. Sá e Guarabyra já escreveram e cantaram isso, na música “sobradinho” há mais de 40 anos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Metodologia canadense garante a crianças potiguares rápida adaptação em outros países

Alunos da Maple Bear Natal que vão estudar fora têm se destacado por conhecimento. Fotos: Divulgação

Se adaptar a uma nova realidade, com outro idioma e outro modo de viver, pode ser um grande desafio para adultos, que já possuem toda uma carga de formação. Agora, imagine para crianças? A adaptação pode ser um processo longo e complicado. No entanto, ter um bom conhecimento da língua inglesa, o acesso à cultura de outros países e uma prática escolar que segue metodologia internacional são atributos que podem alavancar esse processo. A Maple Bear Natal reúne exemplos de alunos que precisaram sair do Rio Grande do Norte para o exterior e tiveram um excelente desempenho, mostrando que a metodologia canadense da escola está de acordo com o que é aplicado nas principais instituições de ensino mundo afora.

A advogada Raquel Macedo se mudou para os Estados Unidos com a família há dois anos. As filhas Lara, de 13 anos, e Anita, de 6 anos, não tiveram dificuldades para se adaptar ao novo país. As crianças estudavam na Maple Bear Natal antes da mudança e tiveram o suporte educacional necessário, com um modelo de ensino bilíngue que proporcionou o desenvolvimento do raciocínio em duas línguas, além de oportunizar o contato com os costumes e a história de outros países. “A adaptação foi muito suave e sou muito grata por elas terem estudado na Maple Bear Natal. Não tenho dúvidas que facilitou muito. Tenho amigos brasileiros que os filhos estudaram em outras escolas e tiveram dificuldades”, assegurou.

Lara, a filha mais velha, foi aprovada para compor a turma de Inglês avançado na escola em que estuda nos EUA depois de passar apenas seis meses em um programa do governo americano para estrangeiros que oferece suporte para quem não tem o Inglês como primeira língua. O resultado foi considerado muito positivo já que, normalmente, o programa tem dois anos de duração. Anita, a caçula da família, adquiriu a fluência rapidamente e já compreendia o que o professor falava e conseguia se comunicar com as outras crianças, mesmo muito pequena.

“As meninas já raciocinavam em Inglês por causa da base que tiveram na Maple Bear Natal. Até os problemas de matemática em Inglês elas já sabiam compreender por que estudavam matemática no outro idioma. E não é apenas a questão do bilinguismo, é a visão de mundo também, de conhecer a cultura de outros países. Isso também fortalece a base das crianças e facilita na adaptação”, disse Raquel, lembrando que na Maple Bear, a metodologia é atualizada com o que é trabalhado nos países desenvolvidos.

Outro ponto em comum entre o ensino da Maple Bear Natal e das escolas americanas é que a avaliação é feita por conceitos representados em letras – A, B, C, D – em vez de notas em números. “As meninas já estavam acostumadas com esse formato”, comenta. Raquel destaca ainda a diversidade cultural que existe na Maple em Natal, que por ser bilingue, recebe alunos das mais diversas origens, inclusive estrangeiros. “Já ter essa convivência com crianças de origens culturais diversas também contribuiu”, assinala.

Escada para o futuro

Foto: Divulgação

Quem também não teve dificuldades para se adaptar a uma temporada de três meses na Inglaterra, em 2020, foram os filhos da médica geriatra Vanessa Giffoni. Renato, de 13 anos, e Maria, de 9, alunos da Maple Bear Natal. “Desde o primeiro dia de aula no Reino Unido, Renato não teve nenhuma dificuldade de comunicação ou de acompanhar os conteúdos. Recebeu até elogios do professor de Inglês. Maria também tirou de letra. Ela até ganhou um diploma de honra ao mérito da escola pelo esforço, pelos avanços e por se adaptar tão bem em tão pouco tempo”, relatou.

Vanessa não tem dúvidas de que o aprendizado na Maple Bear Natal foi fundamental para que a família pudesse passar essa temporada fora do país sem prejuízos para a educação dos filhos. “Essa experiência só confirmou o que eu já tinha certeza com relação ao ensino da Maple Bear Natal. Não só em relação ao idioma, mas a capacidade de adaptação às disciplinas, as discussões em sala de aula. Meu sonho é que meus filhos possam ser cidadãos do mundo e eu tenho certeza de que o ensino que eles tiveram e têm hoje vai ser a grande escada para o futuro deles”, concluiu.

Metodologia canadense

A Maple Bear Natal funciona há 12 anos na capital potiguar, oferecendo turmas de educação infantil, a partir de 1 ano de idade, até o ensino fundamental. A metodologia canadense de ensino estimula a observação, a resolução de problemas e a tomada de decisões. São atividades que contribuem para a formação de crianças independentes e com pensamento crítico.

Na educação infantil, o programa da escola oferece uma grade de ensino completa e abrangente em todos os sentidos. Dessa forma, a criança constrói autonomia e paixão pelo aprendizado. De 1 até os 4 anos de idade, 100% das aulas são ministradas em Inglês. Na última série da educação infantil, 25% do conteúdo é repassado em Português, com o início da alfabetização nas duas línguas.

Já no ensino fundamental, as crianças desenvolvem todas as competências de comunicação em Português e Inglês, incluindo compreensão, fala, leitura, escrita, visualização e representação. As aulas acontecem 50% em inglês e 50% em Português. Os conteúdos estudados em inglês incluem Língua Inglesa, Artes, Matemática e Ciências.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

CoronaVac: moradores de outros estados também poderão se vacinar em São Paulo

Foto: NELSON ALMEIDA / AFP

Os brasileiros que não moram em São Paulo também poderão se vacinar contra a Covid-19 com a CoronaVac, imunizante do laboratório chinês Sinovac, produzido no Brasil pelo Instituto Butantan. O anúncio foi feito pelo governador paulista, João Doria, nesta segunda-feira. A vacina estará disponível a quem tiver interesse, quando aprovada, sem que seja necessário comprovar residência em São Paulo.

— Todo e qualquer brasileiro que estiver em São Paulo e pedir a vacina receberá gratuitamente. Não precisará comprovar residência em São Paulo. Nós fazemos parte do Brasil. E aqui vacinaremos todos que precisarem ser vacinados — afirmou Doria, em coletiva no Palácio dos Bandeirantes.

O plano estadual de imunização contra o coronavírus do governo de São Paulo foi lançado nesta segunda-feira, durante a fase final de testes do imunizante. A documentação final deve ser enviada à Anvisa até semana que vem. Se aprovada, a vacina poderá ser usada a partir de janeiro.

O plano preliminar do Ministério da Saúde prevê um início da vacinação em março de 2021, e não conta até então com o imunizante desenvolvido pelo Butantan. Por isso, o governo de São Paulo lançou hoje uma estratégia paralela de vacinação.

De acordo com Doria, ao menos oito estados já demonstraram interesse na CoronaVac. O governador não informou quais seriam os estados. Em relação às prefeituras, Doria disse que já acertou o uso da vacina com o prefeito de Curitiba, Rafael Greca, e com Eduardo Paes, eleito no Rio de Janeiro.

— Eduardo Paes me telefonou hoje pela manhã dizendo que o Rio de Janeiro não vai ficar aguardando o programa para março, e desejará vacinar o mais breve possível, começando pelos profissionais de saúde da cidade do Rio de Janeiro – afirmou Doria. — Dezenas de outros prefeitos (estão interessados na vacina), não apenas de estados vizinhos, mas também de estados mais remotos do país.

Em seu Twitter, o governador da Paraíba, João Azevêdo, confirmou que está em negociação com a Secretaria de Saúde de São Paulo para comprar doses da CoronaVac. “Essa é uma ação paralela ao plano do Ministério da Saúde, para nos anteciparmos e começarmos a vacinação o quanto antes”, disse Azevêdo.

A previsão do governo paulista é disponibilizar quatro milhões de doses iniciais a outros estados que tiverem interesse em fazer a imunização contra a Covid-19.

Em São Paulo, a imunização deve começar em 25 de janeiro, caso a vacina seja aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Os primeiros a serem vacinados serão os profissionais de saúde, indígenas, quilombolas e idosos. De acordo com o governo, o grupo representa 77% dos óbitos por Covid no estado.

A vacinação, que terá duas doses, começando em janeiro e, de forma escalonada por idade, segue até 28 de março de 2021. O período entre a primeira e a segunda dose é de 21 dias.

O Globo

Opinião dos leitores

    1. Na China não existe mais nem o covid-19, a cidade que foi o epicentro não tem mais casos nem óbitos….

  1. Alô alô meu nobre Álvaro Dias, ligue logo para o seu correligionário Dória e acerte essa parada. Arroche.

  2. Interessante! Muitos de vcs ou seus filhos já tomaram várias vacinas vindas da China! Até hoje continuam vivos!

    1. Quanto tempo levou para essas vacinas serem desenvolvidas? Quais são elas?

    1. Pessoas que fala assim, são as que não tem nem condições de ir na padaria comprar R$2 de pães

    1. Nobre conhecedor, do paracetamol ao microchips que tu usas, todos são provenientes da China. Vá além do senso comum.

    2. Tenha certeza que algum componente deste celular ou PC que vc enviou esta mensagem tem origem da China…se olhar no zipper da tua calça é da China, desculpa decepcionar…olha mais na etiqueta das roupas da sua casa.

  3. Eita, a tábua de salvação do calça apertada vai rolar na marra pros paulistas.
    Não digo que não preste… precisa testar, né?

    1. Vai ser testada.. Nos Brasileiros e, infelizmente vamos pagar o pato.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Wassef, Zanin e outros advogados de políticos são alvos da Lava Jato

PF cumpre mandados da Lava Jato na Zona Sul do Rio — Foto: Reprodução

Os advogados Frederick Wassef (que representou a família Bolsonaro), Cristiano Zanin (Lula) e Ana Tereza Basílio (Wilson Witzel) são alvos de nova fase da Operação Lava Jato, nesta quarta-feira (9). Bolsonaro, Lula e Witzel não são investigados nesta operação.

A Operação E$quema S investiga desvios de pelo menos R$ 150 milhões do Sistema S do RJ por escritórios de advocacia no Rio e em São Paulo, para propinas a agentes públicos.

A operação é baseada em uma delação premiada de Orlando Diniz, ex-presidente da seção fluminense do Sistema S — que engloba Fecomércio, Sesc e Senac.

O juiz federal Marcelo Bretas expediu 50 mandados de buscas e apreensões — não há mandados de prisão — e aceitou a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), tornando rés 26 pessoas (veja a lista abaixo) . O MPF não informou todos os alvos das buscas desta quarta.

Equipes da força-tarefa cumpriam os mandados no Rio, em São Paulo e no Distrito Federal.

A Lava Jato apurou que as entidades do Sistema S teriam destinado pelo menos metade do seu orçamento anual a contratos com escritórios de advocacia.

A força-tarefa aponta que a Fecomércio-RJ gastou R$ 355 milhões a pretexto de advocacia, “por serviços supostamente prestados”, dos quais “ao menos R$ 151 milhões foram desviados”.

Réus na E$quema S

Adriana Ancelmo
Ana Tereza Basílio
Antônio Augusto de Souza Coelho
Caio Cesar Vieira Rocha
Cristiano Rondon Prado de Albuquerque
Cristiano Zanin Martins
Daniel Beltrão de Rossiter Correa
Edgar Hermellino Leite Júnior
Eduardo Filipe Alves Martins
Eurico de Jesus Teles Neto
Fernando Lopes Hargreaves
Flávio Diz Zveiter
Francisco Cesar Asfor Rocha
Hermann de Almeida Melo
Jamilson Santos de Farias
João Cândido Ferreira Leão
José Roberto de Albuquerque Sampaio
Leonardo Henrique Magalhães de Oliveira
Marcelo Henrique de Oliveira
Marcelo José Salles de Almeida
Marcelo Rossi Nobre
Orlando Santos Diniz
Roberto Teixeira
Sérgio Cabral
Tiago Cedraz Leite Oliveira
Vladimir Spínola Silva

Investigação por suspeita de corrupção

Diniz já havia sido preso, em 2018, em desdobramento da Operação Lava Jato no Rio. No mesmo ano, porém, o ex-executivo foi solto por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF).

Por volta das 6h, os policiais chegaram em um endereço na Rua Urbano Santos, na Urca, e na Avenida Visconde de Albuquerque, no Leblon, ambos na Zona Sul da cidade.

Pouco depois, os policiais estiveram em um endereço na Avenida Prefeito Dulcídio Cardoso, no condomínio Golden Green, na Barra da Tijuca. Os mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Criminal do Rio.

O ex-empresário foi detido por suspeita de lavagem de dinheiro, corrupção e integrar organização criminosa.

Um dos crimes investigados na época era a contratação de “funcionários fantasmas” pelo Sesc e pelo Senac (ligados à Fecomércio). Por exemplo, uma chef de cozinha para o Palácio Guanabara e uma governanta do ex-governador do Rio Sérgio Cabral. Elas recebiam salários pelas entidades.

Diniz ficou quatro meses preso. Em junho, o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes concedeu habeas corpus ao ex-empresário.

G1

Opinião dos leitores

  1. Aguardem artigos de Kakay e Lenio Streck criticando a Operação e defendendo os "doutos" que ganharam apenas R$ 355 milhões. Aguardem GM invalidando toda a operação.

  2. Pega fogo cabaré.
    É muito bandido, travestidos de defensores da moral e dos bons costumes. Exemplo é esse Zanini, defensor do maior corrupto da história mundial, claro que um safado desse tá tirando proveito e muito dessa situação.

  3. Eita que hoje o ministro dor de barriga, Gilmar Mendes, vai ter muito trabalho pra soltar seus cúmplices.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Segurança

Secretário de Estado diz que EUA cogitam banir TikTok e outros aplicativos chineses

Foto: Reprodução

O Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse nessa segunda-feira, 6, que o país está “certamente cogitando” banir aplicativos de redes sociais chineses, como o TikTok. “Eu não quero me adiantar ao presidente (Donald Trump), mas é algo que estamos analisando”.

Parlamentares americanos mostraram preocupação com a segurança nacional por conta da utilização dos dados de usuários do aplicativo. Eles afirmaram ter receio quanto às leis chinesas que obrigam empresas nacionais a “apoiar e cooperar com o trabalho de inteligência controlado pelo Partido Comunista Chinês”.

O aplicativo do TikTok, que não está disponível na China, tenta se distanciar das suas raízes chinesas para garantir a adesão de uma audiência global e enfatizar a sua independência do país.

A afirmação de Pompeo também é feita no momento em que a tensão entre os Estados Unidos e a China aumenta, causada pela forma com que o país asiático lidou com a crise do novo coronavírus, suas ações em Hong Kong e uma guerra comercial que já dura quase dois anos.

O TikTok é propriedade da empresa ByteDance, sediada na China, e recentemente foi banido na Índia – assim como outros 58 aplicativos chineses – após um conflito na fronteira entre os dois países.

A Reuters divulgou nesta segunda-feira que o TikTok sairá do mercado de Hong Kong nos próximos dias, uma decisão tomada após a aprovação da lei de segurança nacional cujo objetivo declarado é reprimir “separatismo”, “terrorismo”, “subversão” e “conluio com forças externas e estrangeiras” no território semiautônomo.

O TikTok anunciou que vai parar de operar em Hong Kong “por conta dos acontecimentos recentes”. Outras plataformas como Facebook, Whatsapp, Telegram, Google e Twitter se recusam a fornecer informações de usuários a autoridades de Hong Kong. As empresas dizem que estão avaliando as ramificações da lei de segurança nacional./REUTERS

Estadão

Opinião dos leitores

  1. Muitos apps americanos não entram na China, e os da China entram nos EUA.
    Trump tá é demorando pra tomar essa ação.

  2. Eita, piula: agora o Capetão Cloroquinildo vai fazer crtl+V crtl+C e aplicar aqui no Brasil.

    1. Faça seu cadastro e mande seus dados pro partido comunista chinês, quem sabe eles mandam um vírus chinês pra matar você, lá tem muitos pra você escolher

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Advogado pede ao STJ abertura de inquérito sobre denúncias de ex-assessor de Joice, contra Dória, Moro e outros por suposta ligação com atentado contra Bolsonaro

O advogado Paulo Carvalhosa impetrou notícia crime com pedido de abertura de inquérito policial no Superior Tribunal de Justiça (STJ) a partir de denúncias divulgadas pelo ex-assessor da deputada federal Joice Hasselman, Silvio Frutuoso divulgadas em vídeos nas redes sociais.

O advogado aponta que o ex-assessor, que teria tido caso amoroso com a deputada, divulgou que ela pediu criação de perfis fakes contra Bolsonaro e relatou ainda que figuras públicas como o governador de São Paulo, João Dória e o ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, fariam parte do grupo criminoso juntamente com Adélio Bispo, autor da facada contra Bolsonaro na campanha eleitoral de 2018.

Matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

Opinião dos leitores

  1. Eu quero vê o mar pegar fogo pra comer peixe frito kkk

    Eu não duvido de mais nada. Quem pensa que Moro 3 bobinho está enganado é um covarde e mau caráter.

    Idiota é quem acredita em #moropresidente.

    Quem te viu quem te vê. Quem diria que ele um dia disse que não tinha pretensões políticas rsrs imagina se não tivesse. Entrou no sistema corrompeu-seu.

  2. Estou vendo a hora essa turma de Bolsonaro dizer que D.Pedro Segundo ainda está vivo

    1. Eu também acredito em mula sem cabeça. Tentam de todas as formas atingir Moro. Pior que o homem tem uma couraça. rsrsrs

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Segurança

Homicídios e outros oito crimes violentos caem no país 1º semestre

Foto: Tânia Rego/Arquivo/Agência Brasil

O número de homicídios caiu 22% em todo o país durante o primeiro semestre deste ano, em comparação com o mesmo período de 2018. A informação foi divulgada nesta segunda-feira(14), em Brasília, pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, com base em dados do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisionais, de Rastreabilidade de Armas e Munições, de Material Genético, de Digitais e de Drogas (Sinesp).

O resultado já havia sido parcialmente antecipado pelo presidente Jair Bolsonaro, que, ontem (13), usou sua conta no Twitter para comemorar o que classificou como um dos pontos positivos de seu governo. Segundo o presidente, no primeiro semestre deste ano foram registrados 5.423 assassinatos a menos que no mesmo período de 2018.

Segundo o ministério, a redução no total de ocorrências também foi verificada nos outros oito tipos de crimes registrados na plataforma que reúne informações fornecidas pelos estados e pelo Distrito Federal, a partir de boletins de ocorrência das polícias civis.

Os casos de estupro caíram 12%. Tentativas de homicídio foram reduzidas em 9,4%. Também houve queda no total de latrocínios (-23,8%); lesão corporal seguida de morte (-3,2%); roubos contra instituições financeiras (-40,9%); roubo de carga (-25,7); roubo de veículo (-27%) e furto de veículo (-9,9%).

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. Parabéns ao ministro Moro e aos profissionais da segurança pública nos estados!! Não fosse a fraca petista nas rédeas da segurança pública do nosso estado, localmente estaríamos num patamar bem mais avançado.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *