Polícia investiga suspeitos de assalto ao banco Itaú

O assalto ao Banco Itaú começou a ser desvendado pela polícia. A ação que rendeu mais de meio milhão de reais aos criminosos durante o início da semana passada teve agora dois suspeitos detidos pelo Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope).

A delegada Sheila Freitas, titular da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor) – responsável pela condução do inquérito do caso – pediu a prisão temporária dos supostos envolvidos e está dando continuidade às investigações. Clarindo Dantas Neto, 30 anos, conhecido como “Kiko”, e Neemias de Lima Figueiredo, 42 anos, o “Miau”, permanecem detidos sob suspeita de integrar a quadrilha de assaltantes.

Após denúncia anônima, a Polícia Militar encontrou e rendeu os suspeitos no bairro do Alecrim durante o sábado passado. De acordo com a PM, os homens estavam em atitude suspeita durante a madrugada e foi informado que eles planejavam uma nova ação criminosa contra uma loja na região. Outros suspeitos que estavam em uma motocicleta conseguiram escapar. O dinheiro fruto do assalto não foi encontrado.

A delegada Sheila Freitas encontrou elementos suficientes para autuar a dupla por formação de quadrilha. Na casa de um dos supostos envolvidos, foram encontradas 16 munições calibre 38. Neemias Figueiredo é considerado foragido da Justiça há cinco meses por não comparecer ao presídio durante o regime semiaberto.

Clarindo Dantas também possui ficha policial, tendo sido detido em uma operação denominada “4 x 4”, que investigou roubo de caminhonetes em 2005. Os homens negam a participação no crime.

A partir de agora, funcionários e outras vítimas do caso serão convocadas a reconhecer os supostos envolvidos e reforçar  a investigação realizada. De acordo com a delegada, as imagens do circuito interno da agência, apesar de ter qualidade baixa, podem confirmar a participação da dupla no assalto.

A Deicor estima que seis homens tenham participado da ação criminosa, que durou exatos 37 minutos. A participação de integrantes oriundos de estados vizinhos não está descartada. “O que se sabe até agora é que a quadrilha conhecia a rotina da agência. Não sabemos ainda se havia informantes ou se eles observaram o funcionamento do local”, afirmou a delegada Sheila Freitas.

Bem vestidos, inclusive com terno e gravata, os criminosos conseguiram ser bem sucedidos. As pessoas que chegavam à agência para utilizar os terminais eletrônicos de auto-atendimento eram orientadas a retornarem em outro momento. Já os funcionários, eram conduzidos para dentro do local e rendidos depois disso, enquanto o assalto era realizado.

Para a polícia, a possibilidade de que a mesma quadrilha também tenha envolvimento com o arrombamento do caixa eletrônico no Senac do Alecrim durante a semana passada é remota. “No caso do arrombamento do caixa, era uma quadrilha especializada naquilo. Eles arrombaram em tempo recorde, menos de trinta minutos. É um modus operandi diferente do assalto do Itaú”, esclareceu a titular da Deicor.

Fonte: Tribuna do Norte

Transferência de dinheiro do Banco do Brasil muda rotina dos natalenses

Crédito: Natália Coutinho

 

Quem trafegou pelas principais vias de Natal há poucos instantes se deparou com um forte esquema de segurança da polícias Militar (PM), Rodoviária Federal (PRF) e Federal (PF), com direito a batedores bloqueando vias e ao helicóptero Potiguar I, da Secretaria de Segurança (Sesed), fazendo voos rasantes.

O comandante da PM, coronel Francisco Araújo, tranquiliza a população e explicou que a operação foi uma transferência de uma grande quantia de dinheiro de um voo da Força Aérea Brasileira (FAB) para a agência central do Banco do Brasil. “A população pode ficar tranquila que foi apenas uma transferência de dinheiro, mas é preciso manter a segurança”, ressaltou.

As viaturas do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) acompanhou todo o trajeto, enquanto batedores da PRF e do Comando de Policiamento Rodoviário Estadual (CPRE) fizeram o bloqueio dos cruzamentos desde o aeroporto até a Ribeira.

Esse tipo de operação de transferência de grandes numerários é normal que aconteça duas ou três vezes por ano em Natal.

 

Conheça o passo a passo do assalto ao banco Itaú de Candelária

1º MOMENTO
Seis assaltantes, armados apenas com pistolas, renderam a gerente Ana Luísa do Banco Itaú de Candelária, ainda no estacionamento da agência. Eram cerca de 8h40. Quase simultaneamente, o segurança, a tesoureira e mais um funcionário do banco ficaram sob o domínio dos bandidos.

2º MOMENTO
Para facilitar o assalto e torna-lo mais ágil, os assaltantes intimidaram a gerente com informações específicas sobre sua vida particular. Eles conheciam detalhes da rotina da funcionária como a localização da sua casa e a escola que sua filha estudava. Disseram que se ela não colaborasse, eles usariam essas informações contra ela. Houve apenas ameaça de sequestro.  A polícia acredita que a ação já estava sendo estudada há muito tempo.

3º MOMENTO
Apenas o dinheiro dos caixas e outros locais de fácil acesso foi levado. O cofre não foi aberto. Estima-se que roubo supere R$ 600 mil. O valor só foi alto porque naquele dia a agência havia recebido malotes de dinheiro, o que para o Ten. Vinicius, do 5º Batalhão da PM, responsável pelas investigações, é mais um indício que a ação foi orquestrada.

4º MOMENTO
Depois do “rapa”, os criminosos fugiram em dois carros, um Celta e um Pálio pratas. As placas dos veículos não foram anotadas. Não houve disparos. A polícia chegou ao local em 30 minutos. O roubo foi registrado pelas câmeras de segurança do banco, mas essas imagens são enviadas para uma central em São Paulo. A Polícia Civil ainda vai solicitar as gravações.

Quadrilha assalta agência bancária em Candelária e leva R$ 600 mil

Uma quadrilha composta por seis elementos realizou um assalto na agência do banco Itaú de Candelária, localizado às margens da BR-101, próximo a Inter Tv Cabugi.

Os assaltantes chegaram ao local em dois veículos, renderam o segurança, fizeram a gerente da agência, Ana Luíza, de refém e levaram R$ 600 mil dos cofres da agência.

Os criminosos portavam pistolas.

Segundo o tenente Vinicius César, do 5º Batalhão da Polícia Militar, o assalto ocorreu por volta das 8h30 desta segunda-feira (6), e não havia clientes na agência.

Os homens fugiram em dois automóveis com destino desconhecido.


Professor vai sacar salário de R$ 350 e encontra R$ 17 bilhões na conta

Um professor indiano se surpreendeu ao checar seu extrato bancário na internet e descobrir o equivalente a mais de R$ 17 bilhões em sua conta.

Como esperava que seu saldo fosse de cerca de R$ 350, Parijat Saha não conseguiu acreditar no valor mostrado na tela.

Um extrato retirado de um caixa eletrônico comprovou que o professor estava mesmo bilionário.

‘Liguei para um amigo que trabalha no banco e brinquei: ‘talvez esteja sobrando dinheiro no seu banco, por isso o seu sistema está depositando um valor tão alto na minha conta”, disse Saha à BBC.

Fontes no banco dizem, no entanto, que os bilhões estavam bloqueados e que Saha não teria conseguido sacar o dinheiro, se tivesse tentado.

Orçamento
O salário mensal de Saha como professor escolar no Estado de Bengala Ocidental é de 35 mil rúpias (R$ 1,2 mil), mas seu saldo de R$ 17 bilhões está mais próximo do orçamento anual de educação da Índia, que é de R$ 20 bilhões.

Mesmo após ser avisado sobre o ocorrido, o Banco Estatal da Índia (State Bank of India, SBI) se recusou a explicar o que aconteceu.

As sedes do SBI em Calcutá e Mumbai foram alertadas e fontes no banco dizem que funcionários estão tentando descobrir os detalhes do engano.

‘Apesar de eu ter conseguido retirar meu dinheiro, a conta ainda tem bilhões como valor bloqueado. Não sei por quanto tempo vou ter esse valor astronômico no meu extrato’, disse o professor.

Fonte: BBC Brasil/G1

Advogada nega participação de PMs em ação criminosa

A advogada Kátia Nunes, da Associação de Cabos e Soldados (ACS), já está na defesa dos dois policiais preso acusados de extorquirem dinheiro de um comerciante cliente do banco Santander, no Centro da Cidade. Agora há pouco, em entrevista concedida aos amigos da imprensa, ela negou que os dois PMs tenham participado da ação criminosa.

De acordo com ela, os dois policiais foram presos por engano e eles só estavam com o comerciante no momento da prisão por causa de um problema na emissão do cupom fiscal e não aguardando o pagamento. “Pelo fato de o estabelecimento não ter disponibilizado nota fiscal dos produtos, eles relacionaram os itens adquiridos para cobrar posteriormente”, contou.

A advogada disse que é preciso analisar as imagens para saber quem acompanhou a mulher e o filho do empresário até a agência para fazer o saque. “Veio a versão de que uma terceira pessoa teria levado o filho da vítima ao banco, para tirar um dinheiro. Então é importante que estas imagens sejam disponibilizadas para que possamos identificar essa terceira pessoa”, observou.

Confira o vídeo da entrevista feito pela Tribuna do Norte:

Ladrões ficam 10 horas dentro do Itaú em SP e roubam mais de R$ 10 Milhões

Josmar Jozino
do Agora

Uma quadrilha formada por 12 ladrões armados passou a madrugada na agência do banco Itaú da avenida Paulista, 1.948 (região central de São Paulo), no último dia 27 (sábado), e arrombou 170 dos 2.400 cofres particulares alugados por clientes.

Um delegado que pediu para não ter o nome divulgado disse que os ladrões pediram lanche, se alimentaram, roubaram pelo menos US$ 6 milhões (cerca de R$ 10 milhões) e fugiram.

Mas o valor roubado pode ser bem maior.

O advogado de um joalheiro dos Jardins (zona oeste) procurou a Polícia Civil ontem e disse que, só do cofre de seu cliente, correntista do banco há 42 anos, foram levados US$ 3 milhões (R$ 5 milhões) em joias, boa parte rubis.

Esse pode ter sido o maior roubo a banco do ano no Estado.