Finanças

Balança comercial tem melhor saldo da história para meses de abril; país exportou US$ 10,35 bilhões a mais do que importou

Foto: © Reuters/Marcos Brindicci/Direitos Reservados

Beneficiada pela alta das commodities (bens primários com cotação internacional) e pela recente mudança de metodologia, a balança comercial registrou o melhor saldo da história para meses de abril. No mês passado, o país exportou US$ 10,349 bilhões a mais do que importou.

O saldo é 67,9% maior do que em abril de 2020. No último mês, as exportações somaram US$ 26,481 bilhões, alta de 50,5% sobre abril de 2020 pelo critério da média diária. As exportações bateram recorde histórico para todos os meses desde o início da série histórica, em 1989. As importações totalizaram US$ 16,132 bilhões, alta de 41,1% na mesma comparação.

Além da alta no preço das commodities, as exportações também subiram por causa da base de comparação. Em abril de 2020, no início da pandemia da covid-19, as exportações tinham caído por causa das medidas de restrição social. O volume de mercadorias embarcadas, segundo o Ministério da Economia, aumentou 22,2%, enquanto os preços subiram, em média, 21,6% em relação ao mesmo mês do ano passado.

Com o resultado de abril, a balança comercial acumula superávit de US$ 18,257 bilhões nos quatro primeiros meses do ano. O resultado é 106,4% maior que o do mesmo período de 2020, também pelo critério da média diária, e só perde para 2017, quando o superávit no primeiro quadrimestre tinha somado US$ 19,039 bilhões.

Metodologia

No mês passado, o Ministério da Economia mudou o cálculo da balança comercial. Entre as principais alterações, estão a exclusão de exportações e importações “fictas” de plataformas de petróleo. Nessas operações, plataformas de petróleo que jamais saíram do país eram contabilizadas como exportação, ao serem registradas em subsidiárias da Petrobras no exterior, e como importação, ao serem registradas no Brasil.

Outras mudanças foram a inclusão, nas importações, da energia elétrica produzida pela usina de Itaipu e comprada do Paraguai, num total de US$ 1,5 bilhão por ano, e das compras feitas pelo programa Recof, que concede isenção tributária a importações usadas para produção de bens que serão exportados. Toda a série histórica a partir de 1989 foi revisada com a nova metodologia.

Setores

Em abril, todos os setores registraram crescimento nas vendas para o exterior. Com o início da safra de grãos, as exportações agropecuárias subiram 44,4% em relação a abril do ano passado. Os principais destaques foram café não torrado (27,1%), soja (43,1%) e algodão bruto (112,8%).

Beneficiada pela valorização de minérios, as exportações da indústria extrativa aumentaram 73,2%, com destaque para minério de ferro e concentrados (106,3%), minérios de cobre e concentrados (26,2%) e óleos brutos de petróleo (49,2%). As vendas da indústria de transformação subiram 43,9%, impulsionada por combustíveis (128,9%), gorduras e óleos vegetais (202,2%) e aço (66,3%).

Do lado das importações, as compras do exterior da agropecuária subiram 1,6% em abril na comparação com abril do ano passado. A indústria extrativa registrou alta de 35,5% e a indústria de transformação teve crescimento de 42,6%. Os principais destaques foram combustíveis (101,9%); válvulas, diodos e transistores (72,9%) e partes e acessórios de veículos automotivos (79,2%).

No mês passado, o governo elevou para US$ 89,4 bilhões a previsão de superávit da balança comercial neste ano, o que garantiria resultado recorde. A estimativa já considera a nova metodologia de cálculo da balança comercial. As projeções estão mais otimistas que as do mercado financeiro. O boletim Focus, pesquisa com analistas de mercado divulgada toda semana pelo Banco Central, projeta superávit de US$ 64 bilhões neste ano.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. Não adianta argumentar. Só quem tem razão é o Direita Honesta. Senhor da verdade. Soberano da sensatez.

  2. Com a megadesvalorização do real, frente ao dolar, fica fácil exportar, em contra partida, tudo no país sobe de preços, acompanhando os preços externos e de importação. No final o consumidor brasileiro é quem mais sofre, pois continua com seu salário em real sem aumento. Enfim, até agora esse governo só fez tirar do trabalhador e dos mais humildes. Impossível querer continuar com um governo assim, estão querendo nos entregar a um ruim (governo atual) e um péssimo (os ladrões petralhas) temos que insistir num novo, um dia acertamos.

    1. Sua análise é paupérrima, tendenciosa e equivocada, apesar das obviedades que contem. Todo país se esforça para aumentar suas exportações, pois isso representa entrada de recursos financeiros e geração de empregos e renda. Os países “lutam” entre si por tal objetivo. É inacreditável ver o malabarismo retórico feito por vc, na vã tentativa de demonstrar que exportar é ruim. Apenas o fanatismo ideológico e a defesa de interesses particulares são capazes de explicar o que vc escreveu.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Governo central tem superávit primário de R$ 2,1 bilhões em março, acima das expectativas

Foto: Bruno Domingos/Reuters

O governo central, composto pelo Tesouro Nacional, Banco Central e Previdência Social, registrou um superávit primário de R$ 2,101 bilhões em março, divulgou o Tesouro hoje (29).

O dado veio melhor que a projeção de analistas de um déficit de R$ 3,1 bilhões, segundo pesquisa Reuters.

No acumulado do ano, o governo central acumula superávit de R$ 24,443 bilhões.

No acumulado em 12 meses, o rombo até março foi de déficit de R$ 759,5 bilhões, equivalente a 9,5% do PIB.

Em março de 2020, quando a economia do país começava a ser impactada pelo coronavírus e medidas de fechamento, o governo central registrou déficit primário de R$ 21,131 bilhões.

À época, no entanto, o Tesouro afirmou que o dado do mês não refletia, em larga medida, impactos fiscais da Covid-19. (Com Reuters)

Forbes, com Reuters

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

RN registra melhor trimestre em 8 anos no número de empresas abertas

Na Junta Comercial do RN, mesmo antes das restrições impostas pela pandemia, a tecnologia já é largamente utilizada para diminuir etapas e desburocratizar o registro empresarial. A Jucern utiliza o sistema Redesim RN, que reúne em espaço virtual, os órgãos presentes no processo de abertura, alteração e baixa de empresas.

Essa modernização de sistemas é essencial para garantir que os empreendedores potiguares encontrem um ambiente de negócios propício para o aproveitamento de oportunidades de mercado. E mesmo em momentos mais difíceis, o acesso facilitado à legalização de empresas permite a ampliação de oportunidades, como linhas de créditos populares e outros incentivos.

Jucern registra melhor trimestre em oito anos

Segundo dados da Jucern, no primeiro trimestre de 2021, foram 2.160 solicitações de abertura de empresas. Esse número é 17% maior que o registrado no mesmo período do ano passado, além de representar o melhor trimestre desde 2013.

Já o quantitativo de negócios que encerraram suas atividades recuou 2% entre janeiro e março em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. No relatório de 2020, consolidado pela Jucern, pela primeira vez em dez anos, a Junta Comercial do RN registrou queda neste índice e a tendência vem se mantendo também em 2021.

Além disso, segundo ranking que consolida dados da Receita Federal e que inclui também o número de microempreendedores individuais (MEIs), o Rio Grande do Norte foi o terceiro estado que mais aumentou o número de novos negócios no último quadrimestre de 2020. Foram 13.943 empresas abertas, incluindo MEIs. Cerca de 14% a mais do que o verificado no quadrimestre anterior.

Para o presidente da Jucern, Carlos Augusto Maia, os órgãos de registro têm uma função estratégica no atual momento: “Desde março batemos recorde de recebimento de processos digitais. A Jucern já vinha trabalhando com recursos virtuais, mas, com a necessidade de isolamento, precisamos adaptar outros serviços e a avaliação do contribuinte tem sido positiva, graças ao investimento preliminar em recursos digitais”, destaca.

Atualmente, desde o registro de empresas e demais alterações até a emissão de certidões de inteiro teor, a autenticação de livros contábeis, as traduções oficiais e os requerimentos de alvarás da Suvisa/RN são feitos de forma 100% digital por meio da Jucern. Mais informações no site www.jucern.rn.gov.br.

Opinião dos leitores

  1. Tudo isso foi depois que o governo Federal facilitou a abertura de empresas .
    BOLSONARO TEM RAZÃO

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Brasil tem melhor janeiro de vagas formais em 30 anos com a criação de 260 mil empregos

Fonte: Ministério da Economia

A economia brasileira gerou 260.353 empregos com carteira assinada em janeiro deste ano, informou nesta terça-feira (16) o Ministério da Economia.

É o melhor resultado para janeiro de toda a série histórica, que tem início em 1992, ou seja, em 30 anos. Até então, a maior geração de empregos formais, para meses de janeiro, havia sido registrada em 2010 (+181.419 vagas).

De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), em janeiro deste ano foram contratados 1.527.083 trabalhadores formais e demitidos 1.266.730. Portanto, houve 260.353 contratações a mais do que demissões.

O resultado positivo ocorre em meio à pandemia de Covid-19 e ao aumento no número de contaminados e de mortes provocadas pela doença, que também tem gerado reflexos negativos na economia.

Recuperação

Com o resultado de janeiro, segundo números do Ministério da Economia, houve recuperação das perdas registradas entre março e junho, durante a primeira onda da pandemia. No período, o Brasil registrou 1,624 milhão de demissões a mais do que contratações.

De julho de 2020 a janeiro de 2021, considerando também o resultado negativo em dezembro (93.726 vagas fechadas), foram abertas 1,654 milhão de vagas com carteira assinada.

Com isso, o Brasil tinha saldo de 39.623.321 empregos com carteira assinada ao final de janeiro deste ano. Em fevereiro de 2020, portanto antes do início dos efeitos da pandemia na economia, esse saldo era de 39.593.835 postos.

Com G1

Opinião dos leitores

  1. No período de 2002 a 2016 o Brasil tinha em média de 33 MILHÕES de estoque de empregos por ano.
    Mas resolveram de forma irresponsável e em nome da perpetuação da corrupção quebrar o país com o intuito de derrubar a ex-presindente Dilma. Agora está aí, qdo tem 260mil por mês, parece que fez um milagre.

  2. É por isso que os desgovernadores, querem quebrar o país.
    Ô véi bom da gota serena esse Bolsonaro.

    1. Se muita gente foi demitida, logo que foram recontratadas era previsível. N foi o idiota n. Deixe de falar asneiras.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Bacharelado em Educação Física e graduação em Fonoaudiologia da UFRN avaliados como os melhores do país entre as instituições públicas

Fotos: Cícero Oliveira

O bacharelado em Educação Física e a graduação em Fonoaudiologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) foram avaliados como os melhores do país, entre as instituições públicas, na última edição do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). No último ciclo avaliativo, mais de 75% dos cursos da UFRN obtiveram conceito 4 ou 5, pontuação considerada de excelência.

Para o coordenador de Acompanhamento, Planejamento e Avaliação Acadêmica da UFRN, Fabiano do Espírito Santo Gomes, a Política de Melhoria da Qualidade do Ensino da UFRN tem papel fundamental na evolução dos cursos da instituição, por incentivar a elaboração de um plano de ação trienal objetivando a melhoria da graduação em diversas dimensões, como a didático-pedagógica, corpo docente e infraestrutura, por exemplo.

Na mesma perspectiva, o novo Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) define ações, para a próxima década, com o objetivo de consolidar a excelência acadêmica da UFRN, mesmo diante dos desafios atuais da pandemia da covid-19, por meio de ações que se concretizam com os auxílios de permanência estudantil ou serviço de orientação psicoeducacional, além da oferta de capacitação para os servidores docentes e técnico-administrativos, entre outras iniciativas.

Educação Física

Na edição de 2017, o curso de Educação Física licenciatura foi destaque no país. Na última avaliação divulgada do Enade, relativa a 2019, foi a vez do bacharelado em Educação Física se posicionar como o melhor do Brasil. Na opinião da chefe do Departamento de Educação Física (DEF), Maria Aparecida Dias, o destaque nacional é mérito do trabalho em equipe, considerando uma rede formada pela chefia de departamento, coordenadores, docentes, técnicos e estudantes. “É um grupo que tem como foco o melhor para os cursos e seus estudantes, pois acreditamos em uma formação que possa garantir competências e habilidades necessárias aos futuros professores de Educação”, avalia.

Atualmente, o DEF conta com 34 docentes, sendo 29 com doutorado, três mestres, um especialista e quatro substitutos (três mestres e um doutor), além de um corpo técnico de nove servidores e 190 estudantes da licenciatura presencial, 222 estudantes do bacharelado e 86 estudantes da licenciatura a distância, totalizando 498 alunos. Na perspectiva da professora Maria Aparecida Dias, o interesse dos alunos pelos projetos oferecidos no departamento, aproximando-os da extensão e da pesquisa, fortalece a formação dos estudantes, além do alto nível de qualificação do corpo docente.

Outro aspecto que merece destaque é infraestrutura do DEF, que tem laboratórios com equipamentos de ponta. O ginásio poliesportivo e a pista de atletismo são credenciada para competições internacionais, assim como o campo de futebol, que foi utilizado no treinamento de seleções que participaram da Copa do Mundo de 2014. Há também outras estruturas, como as piscinas, sala de dança, sala de lutas, salas de aula e dos dois auditórios que possibilitam a realização de eventos regionais, nacionais e internacionais.

Fonoaudiologia

O curso Fonoaudiologia também apresentou uma evolução significativa, visto que saltou da nota 3, em 2016, para 5, em 2019, alcançando a maior nota geral do país entre as instituições públicas de ensino. Diante desse avanço, a chefe do Departamento de Fonoaudiologia (Depfono), Fabiana Cristina de Araújo, contou que o curso de Fonoaudiologia tem como missão a excelência nas ações de ensino, pesquisa e extensão, empregando uma metodologia de aproximação com a prática assistencial, aliada ao acompanhamento constante de docentes.

Atualmente, o Depfono é composto por 17 docentes, sendo 15 com doutorado e dois em doutoramento, e cinco técnico-administrativos. Além das estruturas básicas de ensino, como as salas de aula, há uma clínica escola e laboratórios específicos nas áreas de linguagem, audição, disfagia e motricidade orofacial que comportam as ações de graduação e integram o ensino de pós-graduação. Outro aspecto importante são as parcerias com o Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL) e Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS), bem como a integração do curso de graduação com a pós-graduação, que proporcionam convênios com diversas instituições nacionais e internacionais.

Com UFRN

Opinião dos leitores

    1. O que na sua concepção deve ser o topo das aspirações.
      Isso explica muita coisa.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

É SUPERSTICIOSO? Por um 2021 melhor, saiba o que não pode faltar nos rituais de virada de ano

Foto: iStock

Virada do ano que se preze precisa incluir costumes e tradições que trabalham em favor da prosperidade para os próximos meses. Como são fáceis de executar, não custa nada recorrer a tais rituais na despedida de dezembro, não é mesmo? Seguindo a lógica de que toda ajuda é bem-vinda, vale apostar em superstições e mandingas populares.

Conversamos com a mística e espiritualista Kelida, que detalha, a seguir, o que não pode faltar nos rituais de fim de ano para quem quer começar o novo ciclo positivamente.

Um bom banho de ervas

Para um ritual completo, submeta-se a um banho de ervas, capaz de limpar tanto o corpo físico como a aura de energias tóxicas acumuladas no período que se encerra.

Para tanto, reúna 3 folhas de louro, 3 folhas de manjericão, 1 galho de alecrim e 1 folha de eucalipto. Ferva 2 litros de água. Quando levantar fervura, acrescente as ervas de desligue o fogo. Deixe descansando sobre o fogão por, pelo menos, 2 horas.

Depois, coe o líquido, descartando as ervas. Tome sua ducha costumeira pouco antes da ceia e, ao final, despeje o banho de limpeza do pescoço para baixo. Não é preciso enxaguar. “Se não tiver todas as ervas em casa, use as que tiver; só não deixe de fazer o banho”, pontua Kelida.

Água com essência de lavanda

Para eliminar toda a má sorte acumulada e ser purificado para o ano que vai começar, boa dica é deixar um bowl com água e três gotas de óleo essencial de lavanda em local bem acessível. Na virada do ano, é só lavar as mãos com essa água.

Rosa branca na decoração

Na composição da mesa para a ceia de fim de ano não podem faltar rosas brancas, pois representam o desejo de purificação e saúde para todas as pessoas que estiverem reunidas no ambiente. As flores devem ser deixadas no vaso até murcharem. Depois disso, podem ser descartadas no lixo, normalmente.

Folhas de louro à vista

Na mesa da ceia também é indicado manter pratinhos com 7 folhas de louro. Assim que virar o ano, recomenda-se entregar cada uma delas a 7 convidados. Tal atitude traz sorte para quem oferece e, também, quem recebe o “presente”.

Comida não serve só para saciar a fome

Ceia de virada de ano tem que ter pratos gostosos e, como manda a tradição, com ingredientes que estimulam a prosperidade. Alguns itens têm lugar de destaque no menu de ano-novo, segundo a mística Kelida:

Lentilha: a leguminosa é obrigatória para quem deseja ganhar dinheiro (e quem não quer, não é?) e ter prosperidade nos próximos 12 meses. Em rituais sagrados, a lentilha significa ouro

Macarrão: a massa simboliza a longevidade e a saúde, graças ao trigo presente em sua composição. O cereal era considerado símbolo sagrado pelos ancestrais

Romã: na tradição cigana, a fruta cheia de sementes traz prosperidade e ajuda em questões familiares. “Faça o ritual comendo três grãozinhos de romã e jogando mais três para trás. Importante: depois de jogar, não olhe mais para trás”, orienta Kelida

Frutas com caroço: todas as frutas são bem-vindas à mesa, sobretudo as que apresentam caroços e sementes, que devem ser plantados, na sequência, em vasos ou praças. Isso trará sorte e abundância, favorecendo a vida familiar

Universa – UOL

Opinião dos leitores

  1. Esse ano tô percebendo algo bem incomun.
    Normalmente nesse período aparecem dezenas de videntes fazendo previsões para o ano novo: " vai morrer fulano, vai morrer Beltrano, vai ter um grande acidente etc etc etc." Cada um que se gaba mais de suas previsões anteriores….

    A Covid19 mostrou a verdade.
    Nenhum vidente, mas nenhum mesmo conseguiu prever que no ano de 2020 haveria essa imensa pandemia trazendo tantas mortes. desorganinando economias, tantas desgraças…
    E se ninguém conseguiu prever a pandemia um evento tão grandioso e significativo pelo menos a gente teve a certeza dos chutes e chutes dos pseudos advinhadores.

  2. Fiz tudo isso em 2020 e veio um coronavirus.
    Eu vou é dormir cedo para ver se 2021 será melhor.
    Feliz ano novo para todos.

  3. Para as caliguletes não podem faltar calcinhas brancas comestíveis, calcinhas sabor chocolate e muita sensualidade.
    Afinal eu sou o cara.

  4. Eu sou bastante supersticioso, na virada do ano eu sempre transo, transo e transo até o sol nascer. É infalível, o ano todo passo de bem com a vida, por isso sou imbroxável.
    O Mito me copiou, talkey Kkk Kkk
    Já , já é hora de começar o tirinete.
    Aguenta coração que o Véio aqui nega fogo não.

  5. Banho de lama : sai de casa todo limpinho mergulha na latinha . São cinco pulinhos dizendo : DA LUA , DA LUA vc mandou eu vou ficar , com banhinho de maminha a covid não vai me pegar. MUMMMMMM

    1. Calma Garota!!
      Nem começou o ano e vc já tá querendo uma aplicação.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Emprego formal no Brasil tem melhor resultado da série histórica em novembro com criação de 414,5 mil vagas com carteira assinada no mês

Foto: © Agência Brasília

Pelo quinto mês consecutivo, o número de contratações com carteira assinada superou o de demissões no Brasil. Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quarta-feira (23) , o país criou 414.556 vagas de emprego em novembro. O número é o melhor da série histórica da pesquisa, iniciada em 1992.

Diante da sequência de dados positivos, o saldo acumulado em 2020 ficou positivo pela primeira vez e chegou a 227.025 postos de trabalho criados ao longo do ano.

O desempenho no ano foi motivado especialmente pelo programa do governo que permitiu a suspensão de contratos de trabalho e a redução de salários e jornada, medida que, segundo especialistas, evitou um número maior de demissões.

Ao avaliar os dados, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o fato dos setores de comércio e serviços, os mais atingidos pela pandemia, com 179.261 e 179.077 postos respectivamente, terem sido destaques na geração de emprego, significa o Brasil apresenta uma “retomada em V da economia”.

“Como eu disse, o Brasil está surpreendendo o mundo. As reformas prosseguiram, em ritmo mais lento, mas seguem acontecendo, e a economia brasileira voltou em V, como poucos acreditavam. Em vez da destruição de 1,5 milhão de empregos, como na recessão de 2015, da destruição de 1,3 milhão em 2016, nós já estamos, antes de chegarem os dados de dezembro, com 227 mil empregos criados”, destacou.

Vacinação

Guedes agradeceu a resiliência dos brasileiros neste ano e disse que todo o esforço em 2021 será para uma vacinação em massa contra a covid-19.

“Foi um ano muito difícil para todos nós. Eu espero que vocês se mantenham em boa saúde e celebrem a vida com as famílias. No que vem, nossa esperança, e nosso trabalho, vai ser a vacinação em massa para salvar vidas, garantir um retorno seguro ao trabalho e garantir a retomada do crescimento econômico brasileiro”, afirmou o ministro.

Texto, título e linha fina foram alterados às 12h05. O texto foi ampliado com a inclusão de declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. PARABÉNS PRESIDENTE BOLSONARO, a sua preocupação constante com a ECONOMIA mostra os bons resultados.
    Enquanto muitos influenciados pelo PÂNICO difundido pela mídia lixo não enxergavam a importância da questão, o PRESIDENTE corajosamente alertava para a necessidade de salvar os empregos e a economia do país.
    Os bons resultados agora chegam, e mostram que o país vai conseguir superar a pandemia sem quebrar toda a economia, salvando muitos empregos e evitando assim a miséria, a fome, e vários outros males decorrentes.

  2. Resultado esperado, pois com a enxurrada de demissões no início da pandemia e com a retomada da econômia nos últimos meses, essas pessoas teriam que ser recontratadas novamente.

  3. Manoel, Pixuleco e Samuel Uel, meninos traquinas onde vcs estão? Vamos ler e fazer o dever de casa, se vcs pensam que vão continuar na ignorância, esmola, desemprego e analfabetismo estão enganados. Precisamos de vcs, temos muito o que fazer, depois da terra agarrada deixada por nove dedos e a Anta.

    1. Eu não estou na ignorância. Não tenho político corrupto de estimação! Por mim tanto lulaladrao como o MINTOmaníaco já estariam presos junto com toda a corja de políticos corruptos. Mas aqui no Brasil a gente eh roubado e ainda se apega a defender esses nossos empregados!!! Quanto a matéria em questão, como o desemprego está muito alto, eh normal a retomada indicar altos índices também…

    2. O Brasil esfolado, economia só os frangalhos, dólar nas alturas, inflação para pobre altíssima, desemprego galopante, tarifas públicas subindo a toda hora, gasolina acima de 5 reais e o idiota feliz.
      A gente nao merece esse tipo de gente.

    3. Alguém esqueceu que estamos em um período de PANDEMIA que ainda não acabou, com muitas restrições, e o Brasil mantém o crescimento de emprego e PIB acima da média mundial. Na Europa com as medidas restritivas falta alimentos e NEM COM PREÇOS MAIS ELEVADOS a população consegue comprar, por aqui , país em desenvolvimento você encontra tudo nas prateleiras, e os índices positivos batendo recordes por que será?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Messi, Thiago Silva e Tite votaram em Neymar como melhor do mundo; brasileiro ficou apenas em 9º

Foto: Yoan Volat/EFE

Neymar ficou apenas na nona posição geral no prêmio Fifa “The Best” de 2020, mas foi o melhor jogador do mundo para sete votantes na eleição. Entre os que colocaram o atacante do PSG para a primeira posição estão Lionel Messi, Thiago Silva e Tite, técnico da seleção brasileira.

O camisa 10 também foi escolhido o melhor jogador do mundo para Gustavo Gómez, zagueiro do Palmeiras e capitão do Paraguai, Jong Ilgwan, capitão da seleção da Coreia do Norte, Charles Akunnor, técnico de Gana, e Márcio Máximo Barcelos, técnico da Guiana.

Vencedor do prêmio, Lewandowski também votou como capitão da Polônia e colocou Neymar na segunda posição. De Bruyne foi o terceiro para o polonês. O primeiro? O ex-companheiro de clube no Bayern de Munique, Thiago Alcântara.

As posições finais são feitas com base na média da pontuação obtida por cada concorrente nos quatro colégios eleitorais: capitães e técnicos das seleções nacionais, jornalistas de todos os países filiados à Fifa e a eleição popular pela internet. A Fifa divulgou o resultado da votação online apenas para os três finalistas.

Tabela da pontuação final dos 11 finalistas do prêmio de melhor do mundo: Neymar foi o nono colocado — Foto: Reprodução/Fifa

Globo Esporte

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Lewandowski bate Messi e Cristiano Ronaldo e é eleito o melhor jogador do mundo

Deu a lógica, por mais estranha que possa parecer essa frase. O centroavante polonês Robert Lewandowski confirmou o favoritismo e foi eleito nesta quinta-feira o melhor jogador do mundo da temporada 2019/20 pela Fifa.

Para ficar com o prêmio, o jogador do Bayern bateu ninguém menos que Messi, do Barcelona, e Cristiano Ronaldo, da Juventus, os maiores de sua geração.

Globo Esporte

Opinião dos leitores

  1. … Vixe ! … Está faltando Crack no Mundo !! … para ser o melhor do Mundo é muito fraco !! ..

    1. Nem Cristiano amarra a do Messi.
      Messi é gênio.
      Craque!
      Capaz de dar um drible a 30 centímetros de distância da bola e definir uma jogada, coisa que estar longe do Cristiano fazer.
      É todo duro, só sabe pedalar, leva na força não na técnica.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Lewandowski, Cristiano Ronaldo e Messi são os finalistas do prêmio de melhor do mundo da Fifa; Neymar de fora

Cristiano Ronaldo, Lewandowski e Messi finalistas do prêmio de melhor do mundo Fifa The Best — Foto: Reprodução

Messi, Cristiano Ronaldo e Lewandowski. Esses são os três finalistas do prêmio de melhor jogador do mundo (The Best). A cerimônia virtual de entrega será realizada na quinta-feira da semana que vem, dia 17 de dezembro, com transmissão direto da sede da Fifa, em Zurique, na Suíça.

Já entre as mulheres, as três candidatas ao The Best são: a inglesa Lucy Bronze, do Manchester City; a dinamarquesa Pernille Harder, do Chelsea; e a francesa Wendie Renard, do Lyon.

O período levado em conta para avaliação de jogadores e jogadoras foi do dia 8 de julho de 2019 a 7 de outubro de 2020. A votação foi encerrada no dia 9 de dezembro.

O uruguaio Arrascaeta, do Flamengo, concorre ao Prêmio Puskás de gol mais bonito. Seus adversários são compatriota Luis Suárez, hoje no Atlético de Madrid, e o sul-coreano Heung-min Son, do Tottenham.

O brasileiro Alisson, do Liverpool, é um dos finalistas ao prêmio de melhor goleiro, junto do alemão Manuel Neuer, do Bayern de Munique, e do esloveno Jan Oblak, do Atlético de Madrid.

Entre os treinadores do futebol masculino, estão ainda na disputa Hansi Flick, do Bayern de Munique, Jürgen Klopp, do Liverpool, e Marcelo Bielsa, do Leeds United.

Os últimos nomes ao melhor do mundo saíram da lista divulgada no dia 25 de novembro, que tinha: Thiago Alcântara (Bayern de Munique/Liverpool); Cristiano Ronaldo (Juventus); De Bruyne (Manchester City); Lewandowski (Bayern de Munique); Mané (Liverpool); Mbappé (PSG); Messi (Barcelona); Neymar (PSG); Sergio Ramos (Real Madrid); Salah (Liverpool); e Van Dijk (Liverpool).

Os candidatos pré-selecionados receberam votos de técnicos e capitães de seleções e um jornalista de cada país afiliado à Fifa, além dos torcedores que acessarem o site da entidade internacional. Há um peso diferenciado para cada um desses grupos de eleitores.

As categorias de melhor goleira e melhor treinadora do futebol feminino também tiveram as finalistas anunciadas nesta sexta-feira. Confira abaixo todos os nomes na disputa por cada prêmio:

Melhor jogador

Lionel Messi (Barcelona)
Cristiano Ronaldo (Juventus)
Robert Lewandowski (Bayern de Munique)

Melhor jogadora

Lucy Bronze (Manchester City)
Pernille Harder (Chelsea)
Wendie Renard (Lyon)

Melhor treinador no futebol masculino

Hansi Flick (Bayern de Munique)
Jürgen Klopp (Liverpool)
Marcelo Bielsa (Leeds United)

Melhor treinadora no futebol feminino

Emma Hayes (Chelsea)
Jean-Luc Vasseur (Lyon)
Sarina Wiegman (Holanda)

Melhor goleiro

Manuel Neuer (Bayern de Munique)
Alisson Becker (Liverpool)
Jan Oblak (Atlético de Madrid)

Melhor goleira

Sarah Bouhaddi (Lyon)
Tiane Endler (PSG)
Alyssa Naeher (Chicago Red Stars)

Prêmio Puskás de gol mais bonito

Giorgian De Arrascaeta (Flamengo)
Luis Suárez (Barcelona/Atlético de Madrid)
Heung-min Son (Tottenham)

Somente no caso do Prêmio Puskás, um painel formado por integrantes do Fifa Legends, ídolos do futebol indicados pela entidade, divide a escolha com os preferidos do público. Esses dois grupos têm o mesmo peso na categoria de gol mais bonito.

Na última edição, Lionel Messi superou Van Dijk e Cristiano Ronaldo e foi eleito pela sexta vez o melhor jogador do mundo entre os homens. Enquanto isso, Megan Rapinoe venceu Alex Morgan e Lucy Bronze entre as mulheres. Jürgen Klopp e Jill Ellis ganharam entre treinadores, e Alisson e Van Veenendaal foram os mais votados para goleiro e goleira.

O The Best será o único grande prêmio individual a ser concedido em 2019/20, uma vez que a Bola de Ouro, da revista France Football, optou pelo cancelamento neste ano. Os diretores da premiação indicaram que “um ano tão único não poderia ser tratado como um ano comum”. A cerimônia na semana que vem será conduzida pela jornalista inglesa Reshmin Chowdhury e pelo ex-jogador holandês Ruud Gullit.

Globo Esporte

Opinião dos leitores

  1. O PSOL é a OAB não vão entrar o STF para escolherem os primeiros de cada lista não?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Finanças

Recolhimento de ICMS cresce 17% em setembro e RN tem melhor arrecadação do ano, com R$ 540 milhões

A arrecadação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e Comunicação (ICMS) no Rio Grande do Norte bateu recorde em setembro. Foram recolhidos no mês R$ 540 milhões, o maior montante já arrecadado este ano e que representa um crescimento de 17% em relação a setembro de 2019 e 7,2% em comparação com o mês anterior. Esse resultado elevou a arrecadação geral do estado que atingiu um volume de R$ 565 milhões no nono mês do ano – um aumento de 15% no comparativo com o mesmo período do ano passado e incremento de R$ R$ 73,8 milhões.

As receitas totais próprias são compostas pelo ICMS principalmente e também pelo Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCD). Apesar de o IPVA ter apresentado uma leve redução, já que o recolhimento fica basicamente vinculado ao calendário de parcelamento, a elevada arrecadação do ICMS compensou qualquer resultado negativo.

Em relação ao mês anterior – agosto de 2020 – o aumento de ICMS também foi significativo. Foi registrado um aumento de 7,2% de um mês para outro, o que equivale a um adicional nominal de R$ 36,5 milhões, já que no mês anterior o recolhimento desse imposto ficou em R$ 504 milhões. Por consequência, também houve uma alta de 5,6% na arrecadação total entre agosto e setembro, uma vez que os valores subiram de R$ 535 milhões para R$ 565 milhões em 30 dias.

Essas são as principais informações contidas na 12ª edição do Boletim Mensal de Atividades Econômicas, divulgada nesta sexta-feira (9) pela Secretaria Estadual de Tributação (SET-RN). O informativo é mensal e traz dados sobre os principais indicadores da evolução da economia potiguar. O material pode ser conferido na íntegra no site www.set.rn.gov.br/.

Reaquecimento

O informativo comprova o aquecimento da economia potiguar ao medir os valores que são negociados por dia pelas empresas do estado. E em setembro o valor da média diária de transações superou os R$ 328 milhões. Isso significa que, a cada dia de setembro, os empreendedores realizaram 947 mil operações diárias de vendas que chegam a esse valor médio. Em setembro do ano passado, a média diária de operações foi um pouco maior: 998 mil operações feitas por dia.

Esse aquecimento demonstra um ritmo de recuperação da atividade econômica no RN. O bom desempenho em setembro representa evolução da retomada de crescimento de receitas que vem sendo registrada desde julho, quando houve um aumento 8,1% em relação a 2019. Esse é um avanço importante na comparação mensal desde março deste ano.

Setores econômicos

O crescimento na arrecadação de ICMS foi puxado notadamente pelo comércio varejista, que cresceu e teve um incremento de um mês para outro de R$ 19 milhões (um aumento de 17%), e pelo setor de combustíveis, que registrou uma ampliação de 20,7% e um acréscimo mensal de R$ 16,6 milhões. Os demais segmentos se mantiveram praticamente estáveis, com exceção do setor atacadista, que apresentou leve queda de 3,4%, após sucessivos crescimentos de arrecadação.

Mas na comparação com setembro do ano passado, a variação na arrecadação de ICMS no período foi impulsionada pelo incremento nos setores atacadista, varejista e da indústria de transformação, com respectivamente 30,44% (incremento de R$ 25 milhões), 49% (incremento de R$ 43,8 milhões) e 57,03% (incremento de R$ 26,4 milhões). O crescimento destes setores compensou o decréscimo nos setores primário e secundário de Combustíveis, que somados apresentaram, neste mesmo período, uma queda de 33,9% (R$ 12,5 milhões).

Opinião dos leitores

  1. Parte dessa arrecadação pode ser devido a demanda reprimida dos meses anteriores. Esperemos que a economia tenha recuperação sólida e constante ou crescente daqui em diante.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Coronavírus: Brasil terá resultado muito melhor que países da Europa, diz cardiologista

O Sistema Único de Saúde deve sair fortalecido após a pandemia do novo coronavírus. Essa é a avaliação do cardiologista Roberto Kalil Filho, que contraiu a covid-19 e está internado. “O SUS é brilhante, mas faltam recursos. Com certeza ele vai sair fortalecido dessa pandemia.”

Em entrevista ao Jornal da Manhã, o também professor titular de cardiologia da Faculdade de Medicina da USP disse que o Brasil teve mais tempo que outros países para se preparar para a chegada da doença.

“Demos a sorte da doença vir fora e pegar classes mais altas primeiro. O SUS teve tempo de se preparar, programar hospitais de campanha, Hospital das Clínicas também, muito antes do pico. Eu acho que o Brasil terá um resultado melhor que vários países da Europa em relação ao tratamento.”

Kalil lembrou que 80% das pessoas que serão infectadas não vão ter sintomas, 15% terão poucos sinais e apenas 5% vai precisar de hospitalização e tratamento intensivo. No caso dele, a confirmação da doença veio após uma pneumonia.

Ele não afirmou se fez ou não uso da cloroquina, mas disse que tomou “vários medicamentos” e confia no tratamento proposto pela equipe que o trata. “Em relação a esse remédio, existem muitos estudos que mostram benefícios e espero que mostrem sua eficácia. Mas tem vários estudos com vários remédios no mundo inteiro.”

Segundo Kalil, a confirmação de que o isolamento social tem efeitos positivos no combate à doença só vai vir com o tempo. “De acordo que a curva vá sendo achatada, os governantes podem flexibilizar. É preciso levar em conta que as regiões são diferentes, São Paulo é diferente. As atitudes devem ser mais radiais nesses estados.”

Jovem Pan

Opinião dos leitores

  1. Esse bom resultado e o tempo para a saúde se preparar foi graça as decisões acertadas dos governadores. Se fossemos depender do lunático do Planalto estaríamos ferrados.

  2. Pobre de espírito, em uma hora dessa chamar um imb….. desse de mito. Só ae for mito do inf…… kkkkkkk

  3. Se fosse na pegada desse doido "o minion" estavámos ferrados. Por sorte, temos no país pessoas ousadas que foram contra e tomaram medidas responsáveis. É completo desgoverno.

  4. Claro, com as recordações que a maioria dos governadores e prefeito tiveram, esse é o resultado. Se dependesse do Bozo, seria uma catástrofe.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Datafolha diz que eleitor de Bolsonaro acha que ministério age melhor que presidente na crise

A avaliação do desempenho do Ministério da Saúde na crise do coronavírus é melhor do que a aprovação ao trabalho do presidente Jair Bolsonaro também entre seus eleitores.

O trabalho de Bolsonaro no combate aos efeitos da pandemia é considerado ótimo ou bom por 56% dos entrevistados que dizem ter votado nele no segundo turno da última eleição. O percentual nesse grupo é muito maior do que a avaliação positiva feita pela população em geral, que é de apenas 35%.

Entre os eleitores do presidente, contudo, o índice de opiniões positivas sobre o desempenho do Ministério da Saúde, comandado por Luiz Henrique Mandetta, é ainda maior: 64%.

Os dados apontam que, mesmo entre eleitores de Bolsonaro, existem percepções diferentes entre as duas autoridades.

Mandetta se notabilizou por declarações que indicavam a gravidade da crise, enquanto o presidente usou expressões como “fantasia”, “histeria” e “gripezinha” para se referir à pandemia.

O contraste entre os eleitores de Bolsonaro, porém, é menor do que aquele observado no restante da população. Levando-se em consideração todos os entrevistados, a atuação do ministério é aprovada por 55%, ante os 35% a favor do presidente.

Desde o início da crise, Bolsonaro minimizou o risco à saúde da população e resistiu à adoção de medidas restritivas como o fechamento do comércio.

O comportamento do presidente entrou em choque tanto com as recomendações do ministério quanto com determinações feitas por outras autoridades.

Embora Bolsonaro tenha decidido investir num confronto direto com governadores, em especial João Doria (São Paulo) e Wilson Witzel (Rio de Janeiro), a maioria de seus eleitores acredita que os estados têm feito um trabalho ótimo ou bom ao enfrentar a crise.

O percentual de eleitores bolsonaristas que têm uma opinião positiva sobre o desempenho dos governadores é de 57% —índice muito semelhante à aprovação à conduta do próprio presidente nesse mesmo grupo.

A aprovação ao trabalho das autoridades estaduais vai na contramão do discurso que Bolsonaro reforçou nos últimos dias, com o objetivo de transferir aos governadores a responsabilidade pela redução da atividade econômica e pelo provável aumento em massa de demissões.

No domingo (22), o presidente disse que “brevemente o povo saberá que foi enganado por esses governadores e por grande parte da mídia”. E acrescentou: “Espero que não venham me culpar lá na frente pela quantidade de milhões e milhões de desempregados”.

Bolsonaro se recusou a comentar os números da pesquisa. Ele afirmou que considerava “impatriótica” uma pergunta sobre o assunto. “Você está preocupada com popularidade minha e do Mandetta? Se você acredita no Datafolha. O presidente da República e seus ministros estão trabalhando há semanas para minimizar os efeitos do coronavírus”, disse, nesta segunda (23).

O Datafolha ouviu 1.558 pessoas de 18 a 20 de março. Feito por telefone para evitar contato com o público, o levantamento tem margem de erro de três pontos para mais ou para menos.

No grupo de entrevistados que dizem ter votado em Bolsonaro no segundo turno, o apoio a suas declarações e atitudes é naturalmente maior do que a aprovação medida no restante da população. Surgem, contudo, discordâncias nesse segmento.

A maioria dos eleitores de Bolsonaro (58%) afirma que o presidente agiu mal ao apertar a mão de manifestantes no protesto do dia 15 de março. Ainda assim, 39% disseram que ele agiu bem.

O recorte da pesquisa feito entre bolsonaristas mostra ainda um apoio considerável à declaração de que existe uma “histeria” em relação à crise do coronavírus: 47% desses entrevistados dizem concordar com Bolsonaro, e 42% discordam dele.

Apesar dessas avaliações, os eleitores do presidente também afirmam ter medo do vírus. No grupo, 36% dizem ter muito medo e outros 36% declaram ter um pouco de medo –proporção semelhante à que foi calculada na população em geral.

O Datafolha também perguntou aos entrevistados que declararam voto no presidente se eles estavam arrependidos. Apenas 15% deles disseram que sim, o que indica que Bolsonaro preserva o apoio de uma grande parcela de seu eleitorado.

Os segmentos que mais se dizem arrependidos são as mulheres –19%, ante 11% dos homens que declaram ter votado no presidente. No recorte por nível de escolaridade, os eleitores com ensino fundamental afirmam se arrepender mais (18%) do que aqueles com ensino médio ou superior (13%).

Folha de São Paulo

 

Opinião dos leitores

  1. Como se o ministério de Bolsonaro não fosse a encarnação política da vontade do próprio Bolsonaro… Dói quando rio.

  2. É DE LASCAR.
    COMO SE PERDE TEMPO EM FAZER ALGO IMPRODUTIVO EM TEMPOS DE CRISE.
    QUEREMOS É SAIR DESSA SITUAÇÃO, TODOS ,JUNTOS.
    MAS PARA PARTE DA IMPRENSA, COMO GRUPO GLOBO E FOLHA DE SÃO PAULO, O QUE INTERESSA É DESCONSTRUIR O GOVERNO FEDERAL.
    QUERO LÁ SABER DE PESQUISA PORRA !!!!!

  3. Por isso mesmo foi se colocado uma médico no Ministério da Saúde,, desta forma com certeza ele nesta área tem mais conhecimento do que um economista, contador, administrador, presidente, governador, etc, etc, etc. Prova que no cargo foi prestigiado e colocado um homem capaz, coisa que não víamos nos governos dos PTRALHAS, que eram colocados pessoas especializadas em falcatruas e desvio de dinheiro. Cada um no seu quadrado.

  4. Pense num sentimento de massacre esse da imprensa brasileira para com o presidente Bolsonaro, mas Deus estar protegendo ele.

  5. Esquecer o data foice.
    Segundo esse Instituto Bolsonaro não ganha a eleição de ninguém.
    Por tanto sem credibilidade.
    Mesmo estando falando a verdade, ninguém confia.
    Vao ter que remar muito, pra ter um pouquinho de credibilidade.
    Tá difícil!!

  6. A turma q apoia esse arremedo de governo nao tem vergonha de sugerir censura. Na verdade essa turma é igual ao marido traído no sofá. Ele faz de tudo pra vender o sofá pra nao sofrer tanto.

  7. Claro . Só não ver quem não quer . Na verdade o Bananão está até melhorando . Tentos que reconhecer .

  8. Ele colocou especialistas nos cargos dos ministérios foi para isso mesmo, para que os caras soubessem o que fazer.

  9. Bandos de corruptos, loucos que os PeTralhas voltem aí poder e distribuam bilhões para essas imprensa maldita, o rede Globobosta fala mais do governo do que da pandemia, vergonha desses malditos.

  10. O Cidadão quer que se use filtro. Ou seja, excluir os comentários negativos. Em outras palavras, CENSURA. Bem ao estilo do seu ídolo. Haja paciência….

  11. E quem foi que escolheu o ministério? Se os atletas de um time de futebol está atuando bem o mérito claro é de todos que fazem parte do time !Falei todos sem distinção e isto inclui principalmente o técnico que montou o time e que também planejou como este time tem que atuar em campo!O mérito principal aqui é de Bolsonaro!É melhor aceitar que dói menos ! B38 2022

  12. Homem vai te lascar, no momento de crise de saude publica o Brasil parado o governo buscando soluçoes e vcs com conversa de pesquisa bando de fi da puta

  13. E tem de ser assim mesmo.

    Do mesmo jeito que o ministério da economia lida melhor com a economia do que Bolsonaro

  14. Qual a novidade ?esse governo é igual a jumenta da Dilma que queria estocar vento mais enfim fazer o que ? E o que temos para hoje

  15. Todos ministros de Bolsonaro agem melhor do que ele.
    Bolsonaro pode dizer um monte de besteira, depois volta atrás, recua, tergiversa.
    Mas sabe delegar e não fica se metendo nas pastas.

    1. Se dependêssemos exclusivamente das decisões tomadas pela cabeça de Bolsonaro, seríamos a próxima Itália. Coincidência ou não, o melhor ministro de Bolsonaro não é militar e muito menos bolsonarista , PARABÉNS MANDETA!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Enem 2019 foi “melhor de todos os tempos”, diz ministro da Educação

Foto: Adriano Machado/Reuters

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse nesta sexta-feira (17) que o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019 foi o “melhor de todos os tempos”. Junto ao presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, o ministro deu entrevista coletiva para divulgar o resultado do desempenho dos 3,9 milhões de participantes do exame.

“[Está] tudo mostrando que foi o Enem de todos os tempos. Mostrando que gestão e eficiência e respeito ao dinheiro público são marcas do governo Bolsonaro. Resumidamente, estou muito satisfeito”, disse Weintraub, que enfatizou como sucesso o fato de não ter havido polêmicas relacionadas ao Enem. “Não teve polêmica, foi tudo muito aceito. A gente não teve problema operacional nenhum a cargo do MEC [Ministério da Educação]. A única coisa que houve, pontualmente, foi uma tentativa de sabotagem, uma pessoal que já está com a Polícia Federal. Então não prejudicou nada”, afirmou.

As notas individuais do Enem 2019 foram divulgadas nesta sexta-feira pelo Inep e podem ser acessadas na Página do Participante (https://enem.inep.gov.br/participante/) e pelo aplicativo do Enem, por meio do número de CPF cadastrado e da senha. Quem não lembra da senha para acessar os dados pode recuperá-la ou mesmo resetá-la e fazer uma nova.

Durante a coletiva, o presidente do Inep apresentou os número gerais do exame. As médias gerais foram 523,1 para matemática e suas tecnologias; 520,9 para linguagens, códigos e suas tecnologias; 508 para ciências humanas e suas tecnologias; e 477,8 para ciências da natureza e suas tecnologias.

Quanto à redação, 53 participantes obtiveram a nota máxima (1.000) e 143.736 zeraram. Os maiores percentuais de motivos para nota zero foram: redações em branco (56.945), fuga do tema (40.624) e cópia do texto motivador (23.265). Para os treineiros, que são os que não concluíram o ensino médio, a média ficou em 592,9. Estes poderão ter acesso às notas em março, assim como ao espelho da redação.

Dos 5.095.308 de inscritos, 1.160.151 não compareceram às provas, o que correspondente a 22,77% dos inscritos. Destes, 67,28% tiveram direito à isenção da taxa de inscrição.

O exame também ofereceu 38.466 atendimentos especializados (destinados a pessoas com baixa visão, cegueira, visão monocular, deficiência física, deficiência auditiva, surdez, deficiência intelectual (mental), surdocegueira, dislexia, déficit de atenção, autismo e/ou discalculia) e 11.654 atendimentos específicos (gestante, lactante, idoso, estudante em classe hospitalar e/ou pessoa com outra condição específica).

O presidente do Inep disse ainda que o aumento nos recursos de acessibilidade se refletiu no desempenho dos participantes. Ao todo, foram disponibilizados 53.552 recursos de acessibilidade, como videoprova em Libras, tradutor-intérprete de Libras, sala de fácil acesso, prova ampliada (com letras maiores), prova em braile, auxílio para transcrição e leitura, e o uso de aparelho auditivo ou de implante coclear. “No caso dos participantes surdos quando a gente colocou mais recursos para eles fazerem as provas houve um aumento substancial no desempenho dos surdos”, disse Lopes.

Enem digital

O ministério vai realizar, em 2020, uma versão digital do Enem. A aplicação do exame será opcional e a estimativa inicial é de 50 mil participantes, podendo chegar aos 100 mil. As provas ocorrerão nos dias 11 e 18 de outubro, antes do Enem tradicional, marcadas para os dias 1º e 8 de novembro. A implantação do Enem Digital será progressiva, com previsão de consolidação em 2026.

“O aluno vai optar entre uma das versões do Enem. A orientação do jurídico [do Inep] é que a escolha seja por ordem de inscrição. O exame vai ser aplicado em 15 capitais, o candidato vai selecionar a cidade e vai pedir a inscrição, se tiver a vaga ele se inscreve, se não tiver ele será direcionado para fazer a inscrição no Enem tradicional”, informou Lopes.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. Bando de ladrão! Melhor, só se foi pra ELE e pros que fazem parte d Gang do Bozo. Ainda vão ser descobertos todos os Podres deste FARSANTE. Ele pode ser tudo, menos HONESTO.

  2. Haddad disse: vamos caçar o mandato de Bolsonaro!kkkkkk. Analfa, professor de faculdade particular. Kkkkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comportamento

Trair é melhor que pedir divórcio, afirma pesquisa polêmica de site de relacionamentos extraconjugais

shutterstock

“A traição é uma prática comum dentro dos casamentos”, destaca matéria no Delas – no portal IG. Mas por que as pessoas preferem trair invés de se separarem? O site de relacionamentos extraconjugais Ashley Madison fez uma pesquisa com seus usuários para descobrir essa resposta.

57% deles disseram que acham melhor ter uma relação extraconjugal e seguir com o casamento, e os motivos para isso são: família, amor, segurança emocional e segurança financeira.

“O divórcio não é uma opção para muitas pessoas casadas, elas não querem terminar com sua família”, sustenta Tammy Nelson, autora de “When You’re the One Who Cheats” (Tradução: Quando é você quem trai).

“Como resultado, às vezes as pessoas traem para permanecer no casamento . Eles podem amar o cônjuge e a família, apenas querem algo diferente, um parceiro sexual único ou uma experiência erótica. Uma breve aventura também pode lembrar a alguém que o que eles têm em casa não vale a pena jogar fora por um curto relacionamento sexual. O divórcio é permanente, um caso não precisa ser”, completa.

Pela pesquisa, os usuários do Ashley Madison concordam com a autora. Veja o que afirmou cada parcela para justificar o ato de trair e seguir casado:

Não quero separar minha família – 31%

Eu ainda amo meu cônjuge e simplesmente não consigo permanecer celibatário(a) – 20%

Estou seguro(a) no meu casamento, emocional e financeiramente – 18%

Eu ainda amo meu cônjuge, mas não posso continuar fazendo sexo apenas com ele – 14%

Eu não acho que seria mais feliz casando com outra pessoa – 10%

Não posso me divorciar – 9%

Trair pode até prolongar a relação? “Parece que sim”

Isabella Mise, diretora de comunicação do site, também tem uma opinião sobre esses números. No final, a traição pode até fazer com que o casamento dure mais.

Segundo ela, “as razões que alguém pode ter para iniciar um caso podem ser as mesmas para alguém que pede o divórcio”. Entrento, o cenário logo muda de figura. “Sabemos que muitos de nossos membros não querem mais deixar o casamento e relatam um aumento na felicidade geral desde que passaram a explorar relacionamentos extraconjugais”.

Ainda assim, de acordo com a pesquisa, há quem já pensou em realmente colocar um ponto final na relação antes de partir para uma traição.

Entre os usuários, 61%, em algum momento, consideraram dar fim ao casamento. Para 19% deles, essa fase chegou após 20 anos ou mais de relação.

Já entre os que não pensaram em se separar , 27% quiseram trair logo no começo da relação (1 a 3 anos depois do casamento) e 30% estão casados há mais de 22 anos.

Delas – IG

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Curso de Jornalismo da UERN é o melhor entre as faculdades públicas do Brasil

Estudantes do curso atuam em atividade prática do projeto TV COM. Foto: Divulgação

O curso de Jornalismo da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) apresentou o segundo melhor desempenho do País entre os cursos de Jornalismo de universidades públicas e privadas, conforme os Indicadores de Qualidade da Educação Superior 2018 divulgados na semana passada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP/MEC).

Com um Conceito Preliminar de Curso (CPC) contínuo de 4,08, e nota 5 (máxima), o curso da UERN obteve a maior nota do País entre os cursos de universidades públicas. Entre universidades públicas e privadas, o desempenho da UERN foi o segundo melhor, atrás apenas do curso de Jornalismo da UNISINOS, de Porto Alegre/RS. No total, 282 instituições de ensino foram avaliadas. Este é o melhor resultado obtido pelo curso da UERN desde o início da avaliação do ENADE.

O curso de Jornalismo da UERN atende a estudantes do Rio Grande do Norte e estados vizinhos, sendo referência na formação de profissionais em todo o Estado. A maioria dos professores do curso é formada por docentes doutores e com regime de dedicação exclusiva, com forte atuação no campo da pesquisa científica e extensão, além do ensino. Em seu histórico, o curso já obteve diversas premiações com seus estudantes. Nascida como habilitação do curso de Comunicação Social, a graduação passou a ser um bacharelado independente, atendendo ao previsto nas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs).

O Conceito Preliminar de Curso (CPC) é um indicador de qualidade que avalia os cursos de graduação. Seu cálculo e divulgação ocorrem no ano seguinte ao da realização do Enade, com base na avaliação de desempenho de estudantes, no valor agregado pelo processo formativo e em insumos referentes às condições de oferta – corpo docente, infraestrutura e recursos didático-pedagógicos.

Para o chefe do Departamento de Comunicação Social, Jefferson Garrido, o resultado é extremamente positivo e reflete a qualidade da formação ofertada pela Universidade e a dedicação e empenho dos estudantes, assim como de todo corpo docente e técnico que integram o curso. “Aumenta nosso compromisso de buscar também fortalecer os nossos cursos e torná-los ainda mais fortes. Tudo isso buscando a melhoria da qualidade do ensino entregue aos nossos alunos”, comentou.

O resultado completo está disponível AQUI.

Opinião dos leitores

  1. Como o curso pode ser tão bom se nossos jornalistas, com raríssimas exceções são pra lá de medíocres??

    1. que bobagem cê falou aí! que loucura! isso aí que cê disse é tudo bobagem!

  2. Já disse aqui mil vezes!!!!!!! O RN falido não tem condições de manter universidade. Isso fica para o governo federal e a iniciativa privada. O governo não consegue pagar os funcionários, imagina bancar uma universidade apinhada de marajás e com turmas de 10 alunos.

    1. Quem vai acreditar nesse instituto com viés petralha? Só um tonto.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *