Policial que fraudou DPVAT no RN pode ser expulso da PM

Foto: Reprodução

O Comando Geral da Polícia Militar abriu um inquérito contra o blogueiro e cabo PM, Leandro de Souza, e pode expulsá-lo da corporação pela prática de diversos crimes para fraudar o seguro DPVAT.

Leandro já foi denunciado pelo Ministério Público e condenado pela Justiça por comandar um esquema fraudulento envolvendo o seguro DPVAT na cidade de Macau, região salineira potiguar. Segundo a denúncia, ele e outras três pessoas cometeram os crimes de estelionato, associação criminosa e falsificação de documentos para conseguir o viabilizar o benefício para supostas vítimas de acidentes.

Tal conduta, por se tratar de cometimento de crime, mancha a credibilidade e a seriedade da instituição da Polícia Militar. Por isso, o Comando instalou um conselho disciplinar, editado no Boletim Geral (BG) nº 179, composto pelo: capitão Marcos Swami de Souza Pereira, presidente; capitão João Batista dos Santos, interrogante e relator; e pelo capitão Josenildo Vilela de Oliveira, escrivão. Caberá aos oficiais expulsar definitivamente ou não o cabo e blogueiro Leandro de Souza por infringir vários pontos do Estatuto da Polícia Militar.

No mesmo BG, o Comando Geral da PM ainda determinou o afastamento imediato do policial das atividades de rua e ainda a suspensão do porte de arma dele.

A decisão do Conselho é considerada importante por ser uma forma de evitar que práticas criminosas contaminem a corporação e por ser uma ferramenta de manutenção da imagem de uma instituição de combate ao crime.

Todas as informações que balizaram o BG estão contidas no Processo 01510091.000143/2018-07 e no Ofício 092/18 da Vara Criminal.

Aprovada Moção na Câmara Municipal de Natal que reconhece atividade policial da Guarda Municipal

Por unanimidade, o plenário da Câmara Municipal de Natal aprovou nessa quarta-feira (18), uma Moção de Apelo ao Congresso Nacional no sentido de reconhecer para fins previdenciários a atividade de natureza policial exercida pelos guardas municipais. A iniciativa foi apresentada pelo presidente da Casa, vereador Paulinho Freire (PSDB), que destacou a Segurança Pública como dever do Estado e responsabilidade de todos, compreendendo a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, no âmbito das competências e atribuições legais de cada um.

“Encaminhei essa moção como forma de reconhecer o trabalho destes importantes servidores. Em tempo: a Guarda Municipal de Natal, criada por meio da Lei Municipal nº 4.000 de 04 de junho de 1991, desempenha função pública essencial à manutenção da ordem pública, da paz social e da salubridade das pessoas e do patrimônio público, em especial de bens, serviços e instalações. E que no ano de 2018 atendeu quase 3 mil ocorrências voltadas à Segurança Pública de nossa cidade”, justificou o presidente Paulinho Freire.

A vereadora Divaneide Basílio (PT), que subscreveu o texto, ressaltou a relevância da proposta. “Quero deixar registrado o meu apoio e reivindico providências para que os servidores da Guarda Municipal tenham uma aposentadoria digna, um direito fundamental de todos os trabalhadores conforme a Constituição Federal”.

Na sequência, recebeu parecer favorável um Projeto de Lei Complementar de autoria da vereadora Nina Souza (PDT), que estabelece isenção de IPTU para portadores de câncer, aids e problemas neurológicos severos com renda familiar até dois salários mínimos. “Entendemos que essas pessoas precisam de mais recursos para cuidar da saúde, comprar medicamentos e se alimentar bem”, defendeu Nina.

Ao fazer uso da palavra, o vereador Cícero Martins (PSL) falou que a proposição promove justiça social. “Trata-se de um dispositivo humanitário, que chega para ajudar pessoas que sofrem de doenças graves e não possuem uma situação financeira tranquila para as despesas do tratamento”.

Mais dois projetos foram aprovados em segunda discussão: um do vereador Klaus Araújo (SD) que dispõe sobre a obrigatoriedade das Casas Lotéricas, Caixa Aqui, Pague Fácil a instalarem nas suas dependências, cadeiras destinadas a gestantes, lactantes, pessoas acompanhadas de crianças de colo, idosos e pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, e outro da vereadora Júlia Arruda (PDT) que obriga a divulgação dos canais de atendimento do Centro de Valorização da Vida (CVV) no âmbito dos órgãos e repartições da capital potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ivan disse:

    Agora q virou polícia, espero q cumpram o papel e peguem os bandidos q assolam nossa cidade…

  2. Cigano Lulu disse:

    Em Natal sobra polícia e falta segurança para o eleitor-freguês pagador de impostos. Agora vá entender.

Pacote anticrime: proposta de Moro admite isenção a pena de policial que matar em serviço

Foto: Divulgação/Ministério da Justiça

O ministro Sérgio Moro, da Justiça e Segurança Pública, está apresentando na manhã desta segunda-feira, 4, a governadores e secretários estaduais de segurança de todo o país, a proposta de projeto de lei que elaborou para fortalecer o combate à corrupção, aos crimes violentos e à criminalidade organizada, com mudanças em 12 leis e nos códigos Penal e de Execução Penal.

Além de pontos que ele já havia mencionado, como a possibilidade de prisão após condenação em segunda instância e a negociação de penas entre o Ministério Público e criminosos confessos, Moro incluiu uma das bandeiras do presidente Jair Bolsonaro, a possibilidade de redução ou mesmo isenção de pena de policiais que causarem morte durante sua atividade.

Pelo texto, a proposta permite ao juiz reduzir a pena até a metade ou deixar de aplicá-la se o excesso decorrer de escusável medo, surpresa ou violenta emoção. As circunstâncias serão avaliadas e, se for o caso, o acusado ficará isento de pena.

A nova redação que o texto propõe no Código Penal para o chamado “excludente de ilicitude” permite que o policial que age para prevenir agressão ou risco de agressão a reféns seja considerado como se atuando em legítima defesa. Pela lei atual, o policial deve aguardar uma ameaça concreta ou o início do crime para então reagir. Para Moro, a proposta pretende diminuir a sensação de insegurança durante atuação policial.

Também há uma proposta de permitir que o juiz coloque em liberdade o acusado que tenha agido em condições de exclusão de ilicitude, desde que ele não seja reincidente ou não estiver envolvido na prática habitual de crimes ou integrar organização criminosa.

O texto, no entanto, não retira a necessidade de investigação, como foi defendido por Bolsonaro.

No pacote de propostas, algumas se destinam ao combate das facções criminosas. Uma das mudanças é a que amplia a definição de organização criminosa para incluir grupos que “se valham de modo direto ou indireto do controle sobre a atividade criminal ou sobre a atividade econômica” e cita textualmente facções conhecidas como o Primeiro Comando da Capital (PCC), Comando Vermelho, Família do Norte, Terceiro Comando, Amigos dos Amigos, além de “milícias ou utras associações como localmente denominadas”. Além disso, prevê que líderes de facções iniciem o cumprimento de regime em presídios de segurança máxima.

No Código Eleitoral, Moro propôs uma alteração para incluir como crime o caixa 2. Atualmente, a punição se dá com base em um artigo que trata de falsidade ideológica em eleições. O projeto também considera crime arrecadar, manter, movimentar ou utilizar valores que não tenham sido declarados à Justiça Eleitoral, popularmente chamado de “caixa dois” . Além disso, o texto inclui que tanto doadores de recursos e candidatos e integrantes de partidos e coligações “quando concorrerem de qualquer modo para a prática criminosa”.

Como revelado pelo Estado em dezembro, Moro incluiu também a previsão de o regime inicial fechado para cumprimento da pena de condenados por crimes de corrupção e peculato, roubo a mão armada ou com violência.

Outro ponto é o chamado “confisco alargado”, que é a possibilidade de o Estado tomar os bens de maneira mais ampla, no caso de condenações a penas maiores de 6 anos. A permissão é para confisco correspondente à diferença entre o valor do patrimônio do condenado e aquele que seja compatível com seu rendimento lícito e ele possa comprovar.

Ao menos 12 governadores estiveram na reunião, além de vice-governadores e secretários estaduais de segurança. Moro concederá uma coletiva de imprensa no início da tarde.

Fausto Macedo – Estadão

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Joaquim disse:

    Chefe de milicianos irá para presídio de segurança máxima e não terá redução de pena. Eita Flávio!

  2. Medeiros disse:

    Já existe essa excludente de ilicitude, no cumprimento do dever legal, legítima defesa
    Manda ele ler a legislação

  3. Santiago disse:

    Para fechar com chave de ouro:
    1 – Pena de prisão perpétua para crimes hediondos, ou reincidentes, ou pelo menos, previsão de pena máxima em regime fechado de 50 anos.
    2 – Fim de progressão de pena para crimes hediondos, ou reincidentes.
    3 – Fim de indulto, graça ou anistia.
    4 – Fim de visitas íntimas, excetuando-se mulheres presidiárias com filhos menores de 12 anos.
    5 – Gravação de conversas (escutas) entre advogados e presidiários. O conteúdo do áudio servirá para compor o arcabouço de provas contra o apenado e também, contra o advogado.
    6 – Rebeliões, vandalismo em unidades prisionais, ou fugas sejam tratadas como crimes hediondos, e o agente de segurança pública tenha provimento legal para abater o criminoso.
    7 – Corrupção ativa, passiva, peculato, coação de agente a quem se deposita confiança, caixa dois, desvios de verbas para outros fins, serem tratados como crime hediondo.
    8 – Roubo a mão armada passar a ser crime hediondo.
    9 – Utilização de incapazes em quadrilhas, passar a contar para duplicação da pena de cada adulto ou capaz.
    10 – Tempo de internação para infratores de qualquer idade (menores de 16 anos), equivalente e proporcional à pena cometida por adultos.

PM é baleado ao evitar assalto em estabelecimento na Zona Sul de Natal; após ato de bravura, sargento passa bem

Ocorrência resulta em policial baleado de raspão na cabeça na manhã desta quarta-feira(21), na capital potiguar, nas imediações da Antônio Basílio com a Jaguarari

Uma tentativa de assalto a um estabelecimento nas imediações da Av. Jaguarari, no bairro de Lagoa Nova, na Zona Sul de Natal, foi frustrada por um policial militar,  sargento do 4º Batalhão, que foi baleado ao trocar tiros com bandidos e evitar a ação criminosa na manhã desta quarta-feira(21), por volta das 9h40.

Segundo a Polícia Militar, por azar dos bandidos, um PM que passava de carro próximo ao local percebeu quando dois homens chegaram em uma moto e se antecipou à ação dos criminosos. Na ocasião, houve troca de tiros. Enquanto o PM foi baleado de raspão na cabeça, um bandido também acabou atingido, mas conseguiu escapar em fuga com destino ignorado na companhia de seu comparsa.

Ainda segundo a PM, A motocicleta em que estavam os marginais ficou abandonada. O veículo tem registro de roubo, recente, nesta madrugada. O PM baleado foi sorrido ao pronto-socorro Clóvis Sarinho e, felizmente, passa bem.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Heineken disse:

    Olha, na hora da adrenalina é extramente dificil manter a calma e o controle, para isso existem os treinamentos, se eu fosse policial, qualquer um deles, militar, civil ou federal eu só puxaria minha arma se fosse para matar, até pq bandido não alivia, o negocio é cabeça e peito, ponto.

  2. Ceará-Mundão disse:

    Esses são os verdadeiros heróis. Desejo uma rápida recuperação ao policial. Só não foi melhor porque os meliantes escaparam.

  3. Acorda Brasil disse:

    É esse tipo de enunciado na manchete que o cidadão de bem quer ver. Enaltecendo os heróis que arriscam suas vidas em favor da sociedade.
    Não texto achando uma forma de depreciar nossas autoridades e proteger vagabundo chamando de suspeito.

  4. Omar Salgado disse:

    Tiro de raspão na cabeça. Escapou então por um milagre, senão seria mais um herói morto. Esse tipo de confronto não era para existir. O correto seria, após voz de prisão de qualquer PM, o verme imediatamente se render, por ter a certeza de que qualquer outra atitude lhe renderia morte ou cadeia para sempre. Somente loucos e altamente drogados atiram em Polícia, p. ex., nos EUA. Aqui qualquer vermezinho mete bala na Polícia e fica por isso mesmo. Absurdo !!! O posto não pode mijar co cachorro !!!

  5. Ciosac disse:

    Que o PM fique bom o mais rápido possível, já do mau elemento o bandido pode se lascar!

  6. Adalbetto disse:

    Valeu PM, a população agradece.

PM é alvo de atentado e é atingido por tiro de espingarda na Zona Norte de Natal

Um policial militar foi alvo de um atentado na noite dessa quinta-feira, 23. O fato foi registrado no bairro Potengi, na zona norte de Natal.

De acordo com informações da Polícia Militar, homens armados dispararam, várias vezes contra o veículo do PM. Um dos disparos, um tiro de espingarda, calibre 12, atingiu o braço do policial. A esposa e o filho do PM também estavam no veículo, mas não foram atingidos.

Ainda segundo a PM, o policial estava indo trabalhar quando foi surpreendido por outro veículo que o trancou. Após os disparos, os suspeitos fugiram. Mesmo ferido, o PM conseguiu dirigir até o Hospital Santa Catarina. Em seguida ele foi transferido para o Walfredo Gurgel onde está internado.

Policial civil é preso suspeito de formação de milícia privada e tentativa de homicídio

A Delegacia de Polícia Civil de Ceará-Mirim prendeu o agente de Polícia Civil do Rio Grande do Norte Rossini Pinheiro dos Santos (50 anos), na tarde desta quarta-feira (09) em Natal. Ele foi detido em cumprimento a um mandado de prisão preventiva expedido pela Vara Criminal de Ceará-Mirim por ser suspeito pela prática dos crimes de peculato, formação de milícia privada e tentativa de homicídio. O pedido de prisão foi feito pela delegada titular da DP de Ceará-Mirim, Jamille Alvarenga.

A prisão do policial é desdobramento da Operação “Tártaro”, deflagrada em 07 de agosto, que visava desarticular e prender integrantes de uma empresa ilegal que realizava segurança privada para moradores de Muriú. “Tal grupo realizava disparos com armas de fogo e ameaçava moradores que não contratassem os serviços. Além disto, como forma de retaliação o grupo realizava arrombamentos nas casas, constituindo desta forma a prática de milícia privada”, relatou a delegada Jamille Alvarenga.

No dia da Operação foram presos os primos Paulo Júnior Gomes (30 anos) e Rafael Gomes da Silva (25 anos). Eles foram detidos em cumprimento a mandados de prisão preventiva por serem apontados como autores de uma tentativa de homicídio e participantes da milícia privada.

“A investigação feita por nós revelou que policial civil exercia o papel de `dono da empresa´. Ele coordenava os trabalhos do grupo, fornecia armamentos e gerenciava toda a logística. Paulo Júnior figurava como testa de ferro e Rafael Gomes era o braço direito do primo. No dia da Operação, nós apreendemos na casa de Paulo Júnior um colete balístico de propriedade da Polícia Civil, além de dois revólveres calibre .38 e munições de diversos calibres, inclusive munições de uso exclusivo da Polícia. Descobrimos que o policial civil tinha repassado o colete para o Paulo Júnior. Para tentar despistar a origem do colete, Rossini Pinheiro havia cortado todas as identificações relativas à Polícia Civil”, detalhou a delegada Jamille Alvarenga.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. RoSaldo disse:

    A polícia tem que agir rápido e duro contra este grupo, antes que se torne incontrolavel. Parabéns à polícia.

Policial que cometeu suicídio em Caicó nesta quarta era investidor da Telexfree e tinha se desfeito de bens após bloqueio, revela radialista

CM1Foto: Do blog Eduardo Dantas

A real motivação do cometimento do suicídio por parte do Policial Civil Carlos Magno Meneses Guimarães na manhã de hoje (quarta-feira) no interior da Delegacia de Policia da cidade de Caicó ainda é desconhecida, mais um detalhe que chama atenção é o fato do policial ser um investidor da empresa de Market Multinivel (Telexfree) e ter investido valores que não conseguiu recuperar devido o bloqueio da empresa.

De acordo com informações, Carlos Magno investiu recursos pessoais na empresa Telexfree e após o bloqueio da empresa ele teve que se desfazer de bens como um carro zero km, para poder honrar com seus compromissos financeiros.

Carlos Magno havia comprado um carro e com menos de um mês da compra o veículo a telexfree foi bloqueada pela justiça tendo ele sido obrigado a se desfazer de mais um bem pessoal por causa da empresa.

Este fato teria deixado o policial Carlos Magno depressivo e pode ser uma das linhas seguidas para esclarecer a real motivação pelo qual o mesmo cometeu o suicídio.

Do radialista e blogueiro Eduardo Dantas

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Famscrow disse:

    MMN tem o mesmo segmento da Universal, explorar pra obter lucros absurdos usando a ignorância/inocência dos outros, tanto que dá pra ver nos comentários aqui onde quem participa disso defende à unhas e dentes, como se estivéssemos falando da mãe deles. Rsrs

    • avelino disse:

      TELEX FREE É DIFERENTE DA UNIVERSAL NÃO DA PRA COMPARÁ TELEX NÃO É INVESTIMENTO É TRABALHO MAIS MESMO ASSIM TODOS GANHÃO MESMO QUEM FAZ MUITO POUCO QUE FALA DA TELEX FREE É POQUE NÃO CONHECE OU ESTAR COM INVEJA QUE PENA

  2. Charles disse:

    Mais para a conta do MP do Acre!

  3. cris disse:

    Esse e o presente de natal que a justiça da para as ffamílias ! Que en vestiram seu dinheiro sado e sofrido em uma empresa deixe bem claro que não e a empresa que fez isso sim a nossa justiça.

  4. ronaldo disse:

    Ainda bem que a telex foi bloqueada, essa promessa de lucro alto e fácil levaria muito mais pessoas a cometerem isso. As pessoas que foram abduzidas pelo zumbi mestre, reflitam….. Não existe dinheiro fácil….

    • Renato disse:

      Ronaldo, o dinheiro facil eh o dinheiro do povo que os corruptos deste Pais nos roubam a cada minuto. Continua colocando seu dinheirinho suado no banco, na poupanca, no CDB e depois penssa quem ganha dinheiro facil. Vira a pagina! Sai da caixa e se liberta do sistema. Voa Telexfree!

  5. elvira disse:

    essa e a nossa justica

  6. Lecoleco disse:

    Muitos na usura de ficarem ricos facil, cairam nessa roubada chanada Telexfria, sinceramente nao tenho pena de nenhum!

  7. Roberto disse:

    Que tal trabalhar honestamente e ganhar o dinheiro suado???

    • Thiago disse:

      Que tal ficar na sua e respeitar quem trabalha com MMN, cuja atividade é reconhecida em muitos países, tanto que até hoje a Telex luta para voltar a funcionar.

  8. benny disse:

    Essa caso já está ficando serio de mais, foi a mulher que se lançou do prédio, e a agora é esse policial. Até quando?

    • sonia disse:

      sou de mato grosso, aqui tambem um senhor se matou por não receber o seu dinheiro que investiu na empresa

  9. Aqle disse:

    Só uma ressalva. "por causa da empresa", não não. Por causa de quem fez o bloqueio, se não tivesse acontecido o tal, muita gente hoje não estaria dessa maneira.

    • Sergio Nogueira disse:

      Sério mesmo essa linha de raciocínio Aqle? A culpa é de quem moveu-se para impedir que mais pessoas caíssem na maracutaia? Muito inteligente de sua parte.
      Mas me responda: se você levar um tiro de um assaltante e morrer, quem deve ir pra trás das grades é a arma e não o assaltante é? Porque a bala saiu da arma… É cada argumento que aparece.

    • roger disse:

      é por causa destas malditas empresas mesmo , bando de mal caracteres e falsário enganadores . tem que indenizar as famílias mesmo. e tomara que fechem todas como a B. BOM também, é tudo farinha do mesmo saco.

    • DIEGO COELHO disse:

      estaria pior..muitos mais teriam se matado!!

    • Braulio disse:

      Se a justica nao tivesse bloqueado a situacao estaria bem bem pior , vide casos semelhantes … a culpa nao e da justica que bloqueou e sim de quem acredita em lucro fácil …

    • Walmir disse:

      Pior cego é aquele q não quer ver, a empresa mesmo pode gerar uma siscurstancia pra justiça travar ela e sair como a injustiçada da situaçao, sorte suas foi da justiça bloquear a conta bancaria da empresa. Acorda pra vida

    • syg disse:

      A justiça no brasil pode não ser lá essas coisas, mais vc dizer q ela é a culpada do suicidio dos outors por causa de agir correto em parar as ações de empresas fraudulentas.kkkkkk

Parece filme de terror: Mochila com cabeça de marido de policial de UPP é deixada na porta da casa

casa-cabeca-policial-uppUma mochila com a cabeça do marido de uma soldado da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro de São Carlos, na Zona Norte do Rio, foi deixada na porta da casa da família, em Realengo, na Zona Oeste. De acordo com policiais militares do 14º BPM (Bangu), a vítima é o comerciante João Rodrigo Silva Santos, de 35 anos. Equipes da Divisão de Homicídios (DH) foram acionadas pela PM e investigam o crime. A cabeça foi levada para o Instituto Médico-Legal (IML).

A mochila foi encontrada por parentes da vítima quando saíam para trabalhar. A área no entorno da casa foi isolada. As motivações do crime ainda são desconhecidas. Policiais do Batalhão de Bangu fazem buscas na região à procura do corpo de João Rodrigo. Eles não descartam a hipótese de o crime ter sido praticado por traficantes de drogas.

Segundo Afonso Silva, irmão da soldado Geísa Silva, de 31 anos, João Rodrigo estava desaparecido desde a noite de segunda-feira. Ele foi sequestrado quando fechava sua loja de suplementos alimentares, também em Realengo. O carro dele, um Hyundai i30, foi levado pelos bandidos e ainda está desaparecido. Ele contou que João já foi jogador de futebol do Bangu, Madureira e Boavista – times que disputam o Campeonato Carioca. Ele deixou o esporte para se dedicar ao comércio.

Ao ver que o marido demorava para chegar em casa e sem conseguir contato com ele, Geísa ligou para o 14º BPM às 21h de segunda-feira. Uma hora depois, procurou a 33ª DP (Realengo) para registrar o desaparecimento de João. Afonso contou que o casal estava junto havia 11 anos.

— Nós agora só queremos saber onde está o corpo do meu cunhado. Não temos ideia do que motivou o assassinato. Queremos Justiça e também que Realengo melhore. A região está muito violenta — disse Afonso.

Vizinhos que moram em frente à casa da PM contaram que ouviram a mulher gritando, por volta das 5h30m: “Meu Deus, é o João! É a cabeça do João!”.

— Era um casal feliz, uma família tranquila. Não dá para saber o que pode ter motivado um crime estúpido como esse — disse um vizinho, que pediu para não ser identificado.

Policiais da Corregedoria da PM foram à casa da soldado para conversar com ela. A policial foi levada para a DH para prestar depoimento.

O Globo

Governo do DF diz que houve 'no mínimo um excesso' na atuação de policial que jogou spray "porque quis"

Capitao-BrunoA Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal classificou como “no mínimo um excesso” a atuação do capitão Bruno, do batalhão de choque da Polícia Militar do DF, durante os protestos do feriado de Sete de Setembro. Na ocasião, ele jogou spray de pimenta contra pessoas que seguiram as orientações da PM e não ultrapassaram a linha estabelecida pelos policiais. Se cruzassem a linha, poderiam ser atingidos pelo spray. Se não passassem, estariam a salvo. O vídeo com as imagens do capitão Bruno, feito por um manifestante, já teve mais de 400 mil visualizações no Youtube.

— Por que eu quis. Pode ir lá e denunciar, tá. Capitão Bruno, BPChoque — diz o capitão no vídeo, quando questionado por que jogou spray contra os manifestantes que ficaram atrás da linha.

Ainda não há garantia de que o policial será investigado. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, isso vai depender do corregedor da corporação. Caso aberto um inquérito policial militar, a secretaria informou que há um prazo de 40 a 45 dias para concluí-lo.

— É no mínimo um excesso. Foi infeliz na declaração — disse o chefe da assessoria de imprensa da secretaria, Carlos Carone, sobre o capitão Bruno.

No domingo, em entrevista á rádio CBN, o tom usado pelo comandante da PM do DF, coronel Joziel Freire, foi outro. Ele defendeu a atuação do capitão.

— Bruno vai ser defendido por mim até a última instância. Eu estava lá. Eu sou o comandante geral, o comandante dele. E eu vi que o cara (manifestante que gravou as imagens) passou o tempo inteiro, antes do episódio, com uma (lente) objetiva na cara do capitão. “Capitão, e o direito de ir e vir? Capitão, por que o senhor não sai da minha frente? O senhor tá a mando de quem? O senhor trabalhar para esses políticos corruptos?” O tempo inteiro falando isso, mas isso ele não disponibilizou na internet – disse Joziel à CBN.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Juvenal Juvencio disse:

    Quando não tiver mais nenhuma opção do que ser na vida, é só ir ser Policial Militar! Os que criticam os manifestantes, devem ser uns babões dos politicos, coniventes com a corrupção no país. Burgueses imundos!

    • Sergio Nogueira disse:

      Juvenal, quando você tiver alguma opção lícita e útil para dar a sua vida, você notará que essa fala "burgueses" está ultrapassada a pelo menos 200 anos.
      Protestar contra quem se vê obrigado a cumprir as regras do Estado, regras que você e sua corja desprezam é muito fácil. Proteste contra o traficante que eu quero ver. Faça isso.
      Esse Capitão é a face da sociedade ordeira e honesta que cumpre com suas obrigações e protesta na hora do voto. Já sua quadrilha fica lendo manuais de sociologia e filosofia cujas ideias só são executáveis na cabeça de maconheiros.
      Tá achando ruim o Brasil? Vá para Cuba, lá, segundo os seus, tudo é uma maravilha.
      Vai para ver se é mesmo como você acha, seu verme.

    • Juvenal Juvêncio disse:

      Caro Sérgio, reconheço que errei quando me referi que na falta de opção na vida, é só ir ser policial militar. E aqui me retrato, e peço perdão a todos os PMs desse Brasil. A classe é merecedora de imenso respeito, principalmente a classe dos praças, onde tenho vários amigos. Escrevi num momento de indignação contra a atitude do Capitão Bruno (esse sim não é digno de respeito). Já na questão que vc diz que o termo "burgueses" está ultrapassado a 200 anos, te digo, que nem tudo que é velho está em desuso, e isso é um sinal que nem tudo mudou em 200, pois a burguesia continua imunda e fedorenta como em outros tempos, e vc deve ser um dos tais burgueses. Eu, jamais sair de casa para protestar contra quem se ver obrigado a cumprir as regras do Estado, pois todas as vezes que protestei e protesto, seja nas ruas, seja nas redes sociais, foi contra a corrupção e a classe politica que maltrata o brasileiro, pois o que estes fazem não são cumprir as regras do Estado, mas as regras deles. E saio as ruas para protestar, não com minha corja (esses estão no poder e junto com alguns babões… lá sim tem corja), mas com outros tantos indignados com as coisas erradas desse país, justamente por não desprezar as regras do Estado, e querer ver a Constituição Federal e todas as outras leis, serem aplicadas com eficácia. Protestar contra traficante? Esse deveria ser o verdadeiro papel do Estado e da policia. Se fosse tão eficiente, não teria trafico, ou esse seria bem menor. Mas deixo claro a vc que tambem sou contra o trafico de drogas, e diferente do que vc pensa, não sou maconheiro. E jamais coloquei um cigarro, sequer, na minha mão ou na minha boca. Aliás, nunca usei maconha, cocaina, crack, ecstasy, lsd ou qualquer outro tipo de droga ilicita. Minha vida é pautada na licitude, na honestidade… Se pra vc esse capitão representa a face ordeira do Brasil, pra mim não representa, pois tambem faço parte do povo ordeiro e honesto desse país. Para mim ele representa a classe acomodada, corrupta e coniventes com a corrupção. A classe conformada! Conformada, não pq temos um país justo e igual, mas porque detêm um cargo comissionado, ou até um cargo por concurso, mais que agem como algumas Carlas Ubaranas da vida. A classe do jeitinho brasileiro! A classe que tem direito a comer 6 vezes ao dia, a pagar 1.000,00 por uma escola particular, a pagar um plano de saúde. E que fecha os olhos para quem dorme ao relenta, que tem que escolher se toma café se almoça ou se janta, e é obrigado a morrer nos corredores dos Walfredos da vida (quando alguém leva). E no fim ainda levam a culpa por serem ignorantes! Mais como não ser, e não eleger os errados, se não são instruídos a fazer o certo? Quanto a sociologia e a filosofia, elas não são executáveis apenas nas cabeças dos maconheiros. São executáveis na minha cabeça também. São executáveis no mundo em que vivemos. Basta que os Governantes ampliem seus interesses um pouquinho além dos próprios e da corja que os rodeiam, e olhe mais um pouquinho para o povo. Por fim, não estou achando ruim o Brasil, mas sim a forma como estão tratando ele. E mesmo que tivesse achando ruim ele, sairia sim. Mas não para Cuba, e sim para as ruas, novamente, para lutar por mudança, pois elas são possíveis. Ah! Só pra não esquecer: "A BURGUESIA FEDE! A BURGUESIA É IMUNDA! A BURGUESIA É PODRE!"

  2. marcelo guedes disse:

    Parabéns Capitão Bruno. O que falta nesse país são vários capitães com esse perfil para meter o cacete em marginais que saem depredando o patrimônio público e privado. Quem for a favor desses bandidos coloquem os mesmos no caminho de suas casas ou comércio e depois digam o que acham do vandalismo provocado por eles. Esse Capitão merce é uma condecoração pelo que fez.

  3. Eduardo disse:

    Parabéns Capitão pela sua coragem e honradez de dizer a verdade: "porque eu quis", bem que eu faria diferente contra esses marginais, teria danado bala de borracha e cassetete, bocado de marginais…

  4. Sergio Nogueira disse:

    Supondo não estar enganado o DF é Governado por um Petista. Petista esse que escapou da CPI do Cachoeira por causa do Governador de Goiás e do Rio, numa espécie de troca de reféns corruptos. Ficou combinado que ninguém pegava ninguém e todos se davam bem.
    Ora, sendo desse naipe condenar a atitude de um PM é seu menor erro ou pecado. Esses vagabundos insuflam, irritam e depois posam de bonzinhos. Não duvido que em 2028 um membro dos Black Blocks ascenda a Presidência já que ex-terrorista conseguiu, pixador consegue também.

    • Manoel disse:

      Observei atentamente o video e não vi nada de errado com esse Capitão Bruno, muito pelo contrário, achei que ele como Oficial; fez mais do que a obrigação de manter a ordem, quem não quizer levar gás, fique em casa!

MPF/RN: Portaria institui Grupo de Controle Externo da Atividade Policial

A Portaria nº 110/2013, assinada nessa terça-feira (3) pelo procurador-chefe da PR/RN, Fábio Nesi Venzon, instituiu e regulamentou no âmbito do Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte (MPF/RN) o Grupo de Controle Externo da Atividade Policial (GCEAP/RN). O grupo será coordenado pelo procurador da República Kleber Martins de Araújo, que terá como substituto na coordenação o procurador da República Gilberto Barroso.

O GCEAP/RN será composto por todos os procuradores da República lotados no Rio Grande do Norte que exerçam atribuição criminal, com exceção dos titulares do ofício ambiental. O coordenador e seu substituto serão sempre os ocupantes dessas mesmas funções no Núcleo de Combate à Corrupção e outros ilícitos (NCC).

Caberá ao grupo o exercício do controle concentrado da atividade da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal no Rio Grande do Norte, através da realização de inspeções ordinárias semestrais e também extraordinárias, nas unidades da PF e PRF; além de propor medidas destinadas à melhoria na prevenção, repressão ou investigação de crimes; e também a possibilidade de instaurar inquéritos civis e procedimentos investigatórios criminais.

Das inspeções resultarão relatórios a serem analisados e submetidos à aprovação dos demais integrantes do grupo e posteriormente repassados à 2ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal e à superintendência e à corregedoria do órgão policial inspecionado, conforme o caso. Os integrantes do GCEAP/RN se reunirão trimestralmente na sede da PR/RN, em Natal.

O texto regulamenta ainda que os integrantes do grupo exercerão suas funções sem prejuízo de suas atribuições ordinárias, pelo prazo designado por ato do procurador-geral da República, e que, em casos mais sensíveis, os procedimentos de investigação serão, preferencialmente, praticados em cooperação com outros membros.

A Portaria 110/2013 atende ao art. 3º, I, da Resolução nº 20/2007, do Conselho Nacional do Ministério Público, e aos arts. 5º, caput, II e parágrafo único, 6º e 7º da Resolução nº 127/2012 do Conselho Superior do Ministério Público Federal.

MPF-RN

Flagrado pelo Fantástico, PM de Natal é condenado por receber propina e perde cargo

O juiz Airton Pinheiro, da 5ª Vara da Fazenda Pública de Natal, condenou um Policial Militar à perda do cargo público exercido na corporação do RN, bem como, à perda do valor de R$ 15 recebidos de uma equipe de reportagem da TV Globo. O funcionário público respondia à Ação Civil de Improbidade Administrativa sob acusação de ter solicitado e recebido vantagem indevida.

De acordo com os autos do processo, o acusado, quando no exercício da função de Policial Militar do Estado do Rio Grande do Norte, atuando na fiscalização de veículos na Via Costeira, em Natal, solicitou e recebeu vantagem indevida no valor de R$ 15 para deixar de praticar ato de ofício, ou seja, o de lavrar auto de infração e infligir multa ao condutor que trafegava em veículo fora das especificações legais.

Em sua defesa, o PM argumentou que não houve a improbidade e que o vídeo exibido no programa Fantástico, da Rede Globo, foi editado de modo que não condiz que a realidade dos fatos e, por conseguinte, a prova dos autos não autoriza juízo de procedência da ação.

Nos autos processuais consta como prova um vídeo que mostra a conduta ilícita praticada pelo agente do Estado. E para o magistrado, a análise do vídeo não deixa qualquer dúvida de que foi o servidor público que desenvolveu a abordagem do veículo e, segundo está demonstrado no vídeo, o acusado “alertou” o condutor para a transparência da película utilizada, nos vidros, fazendo sugerir que eram muito escuras e seria feita uma autuação.

Não há indicação de que a abordagem tenha sido meramente educativa, como afirmado na contestação, especialmente porque a conduta ocorre em lugar inapropriado, no interior do posto policial militar, dizendo o acusado textualmente “deixa eu dar um jeito aqui, pra quebrar o teu galho, entendeu?”, e, em seguida, “desenrola ai”.

Segundo o juiz, o vídeo não deixa qualquer dúvida que, de fato, houve o ajustamento do pagamento de R$ 15 pela liberação do veiculo, tudo devidamente filmado e exibido no programa “Fantástico”, da Rede Globo de Televisão.

O juiz explicou que, no caso, “não se trata de aplicar uma sanção gravosa de perda do cargo para que ele sirva de exemplo, não! Trata-se de aplicar a única sanção adequada a um policial corrupto, no jargão popular ‘boleiro’ (e não é no sentido futebolístico!)”.

De acordo com o magistrado, a realidade social tem mostrado que os agentes públicos desonestos e movidos pela cupidez o são seja para auferir alguns reais; seja para se locupletarem com milhões de reais – conforme o acesso que suas respectivas carreiras lhes proporcione.

Do TJRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luiz Cândido disse:

    Exercer o cargo de juiz é difícil. Como alguém pode defender um policial corrupto?
    Guedes Junior, o policial vai continuar exercendo o cargo até q a sentença transite em julgado, assim como os vereadores (infelizmente).

    Edmilson Lima, Pequeno ou grande, todo mundo esta sendo condenado. O policial perdeu o cargo. Demostenes perdeu. Os deputados do mensalão perderam. Mas, para todos, a execução da sentença só ocorrerá quando os recursos se esgotarem!

    Marcelo, Esse clichê saiu de moda faz tempo! Tá igual aquele brinde: "que nossas mulheres nunca fiquem viuvas". Ele nao foi condenado pq é pequeno, foi pq é corrupto!

    Caio Fábio, paletó e gravata? Serio mesmo?

    Parabéns ao magistrado. Corrupção é o mal desse País: grande ou pequena, nao importa! Corrupto nao pode ser servidor publico!

  2. Guedes Junior disse:

    Sem querer justificar o erro do policial, mas queria ver se vossa excelência (Juiz) faria a mesma coisa com um politico, tipo esses vereadores que foram condenados na operação impacto e que ainda tão exercendo o cargo. Enquanto isso a quadrilha do PT, continua solta. como sempre a corda só arrebenta do lado mais fraco. Renan Calheiros, Dirce e sua truta agradece e riem da nossa cara.

  3. edmilson lima disse:

    O problema é que a justiça usa dois pesos e duas medidas para julgamentos, entendam como quiser. Ele foi condenado porque é pequeno!

  4. marcelo disse:

    Enquanto isso os pares do Nobre Juiz continuam recebendo os salários de desenbargadores no RN apesar do escândalo dos precatórios. É por isso que por mais que queiramos não pode ter pena de morte nessa país pois vocês já sabem quem iria morrer: Preto, Pobre e Puta.

  5. caio fábio disse:

    O problema é que ele não usa paletó e gravata.

PM é morto por engano por outros policiais

Um cabo da Polícia Militar do Distrito Federal foi morto por engano na noite dessa quarta-feira, 5, ao tentar impedir um assalto a um ônibus em Taguatinga. Osmar Catarino Júnior estava à paisana quando percebeu a tentativa de assalto. Ele entrou armado no ônibus e foi confundido com um dos criminosos quando outros policiais chegaram ao local.

Em nota, o Batalhão de Rondas Ostensivas Táticas Motorizadas (Rotam), onde o cabo trabalhava, disse que detalhes do caso estão sendo apurados pela Corregedoria da PM e que está prestando todo o apoio à família do policial. O assaltante chegou a ser baleado, mas sem gravidade.

Do Estadão

Bandidos fazem arrastão em casa de policial civil

Bandidos fizeram um arrastão na casa de um agente da Polícia Cilvil na noite de ontem, localizada no conjunto Ponta Negra.  Três homens invadiram o local, renderam dez pessoas que estavam lá dentro e roubaram objetos, como joias, perfumes, TVs de LCD, celulares e até mesmo munições.

Os criminoso conseguiram entrar na residência de  Ranulfo Alves Filho após abordarem seu irmão que estava chegando ao local. O policial não estava em casa durante o arrastão.

Entre os itens levados pelos bandidos, pelo menos 150 munições de pistola.

Policial é demitida após fazer revista íntima em mulheres em plena rodovia

A policial americana Kelley Helleson foi demitida pela polícia do estado do Texas (EUA) depois que realizou revista íntima em duas mulheres durante uma blitz (veja o vídeo) em uma rodovia perto da cidade de Irving, segundo o jornal “Dallas Observer”.
Policial tocou a área íntima de mulheres em blitz (Foto: Reprodução)

Anjo Dobbs, de 38 anos, e sua sobrinha, Ashley Dobbs, de 24, afirmaram que a policial tocou suas áreas íntimas durante a revista ocorrida na noite de 13 de julho do ano passado.

Anjo e Ashley afirmam que a policial Kelley Helleson colocou o dedo em seus ânus e vaginas, o que podia ser visto por outros motoristas, para ver se elas não estavam escondendo drogas.

As duas mulheres entraram com um processo contra a policial e seu colega David Farrell, acusando-os de abordagem ilegal e humilhante. As autoridades não divulgaram Farrell também receberá alguma punição.

Policial tocou o ânus e vagina de 2 mulheres em revista (Foto: Reprodução)
Planeta Bizarro/G1
OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Alexandre Souza Nascimento disse:

    Se não fosse demitida, seria um bom emprego, heim ?

Motociclistas furam barreira Policial em Parnamirim e um morre baleado

Rafael Barbosa Do G1 RN

Um homem ainda não identificado morreu na noite desta terça-feira (11), por volta das 20h, depois de trocar tiros com policiais militares em uma barreira montada nas proximidades da Ponte do Vigário, em Parnamirim, na região da Grande Natal. De acordo com informações do tenente-coronel Jair Júnior, comandante do policiamento na cidade, o suspeito estava acompanhado de outros cinco homens, todos em motocicletas, que conseguiram furar o cerco e fugir.

A polícia recebeu informações de que, durante a noite de ontem, bandidos realizariam assaltos nas proximidades da referida ponte, próximo ao distrito de Mendes. A PM então montou uma blitz para tentar coibir os crimes.

Por volta das 20h, os seis homens passaram pela barreira policial e não obedeceram as ordem de parada. O grupo ainda atirou contra os policiais, que responderam. No revide, um deles foi atingido e tombou. O ferido ainda foi socorrido ao Hospital Walfredo Gurgel, em Natal, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Ele não portava documento de identificação.

O outros suspeitos fugiram do local. Três ainda abandonaram as motocicletas poucos metros depois da barreira. Além das motos, a PM apreendeu ainda um revólver calibre 38 que estava com o indivíduo que morreu no confronto.

Delegados culpam Governo pela morte de agentes em ação

A Associação dos Delegados de Polícia Civil (Adepol) emitiu uma nota de solidariedade aos familiares e amigos dos agentes Jovanês Oliveira e Antônio Neto, mortos durante uma ação policial em São José do Mipibu.

No documento, assinado pela delegada-presidente Ana Cláudia Saraiva, a Associação coloca parte da culpa da morte dos policiais no Governo do Estado, pontualmente pela omissão nas lutas por melhores condições de trabalho e por mais segurança para a Polícia Civil.

Confira o documento na íntegra:

A Diretoria da Associação dos Delegados de Polícia Civil do Rio Grande do Norte (ADEPOL) manifesta a sua mais profunda solidariedade aos familiares dos policiais civis Antônio Pereira Pinto Neto e Jovanes Oliveira Borges, assassinados ontem durante o cumprimento de seus deveres funcionais no município de São José do Mipibu.

Mais duas vidas de valorosos colegas de trabalho que se perdem no crescente estado de violência que assola o Rio Grande do Norte, vítimas da incúria e da negligência estatal que não encara com a prioridade necessária o caos instalado na Segurança Pública do RN.

Um dos assassinos, também morto no combate, era fugitivo da Penitenciária de Alcaçuz, que há anos vive uma realidade de superlotação sem que o estado tome as providências necessárias para a abertura de novas vagas no sistema prisional.

Que a morte dos nossos colegas policiais não tenha sido em vão e que a luta por melhores condições de trabalho e mais segurança para a atuação da Polícia Civil não esmoreça até que o governo abra os olhos para a situação enfrentada por todos os segmentos que trabalham com a segurança pública do Rio Grande do Norte.

A morte dos policiais deixa a marca de uma tragédia pessoal para sua família e de um sacrifício na luta incessante pelas melhorias das condições de trabalho. Antônio Pereira Pinto Neto e Jovanes Oliveira Borges abraçaram a causa da Polícia Civil e nos deixam a certeza de que devemos continuar na defesa da cidadania e na luta por uma segurança pública de qualidade no Rio Grande do Norte.

Ana Claudia Saraiva
Presidenta