Polícia

Polícia Civil prende dupla suspeita de latrocínio contra policial paraibano em Natal

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), por meio do Núcleo de Investigação Policial de Mortes de Agentes de Segurança Pública (NIMAS), prendeu, nesta terça-feira (15), Marcos Antônio dos Santos Camilo, conhecido como “Maquinista”, de 19 anos e, Márcio Taniedson dos Santos, conhecido como “Tonny Márcio”, de 26 anos, na cidade. Marcos Antônio já se encontrava no sistema prisional, enquanto que Márcio Santos foi preso em sua residência, no bairro Felipe Camarão, em Natal.

Em desfavor dos suspeitos, existiam mandados de busca e apreensão e de prisão temporária, expedidos pela 9ª Vara Criminal da Comarca de Natal, pelo crime de latrocínio contra o agente da Polícia Civil da Paraíba, Cleverson Luis Fontes, ocorrido em abril de 2021, no bairro de Pitimbu, em Natal. Na ocasião, acompanhados de mais um homem ainda não identificado, eles teriam efetuado disparos de arma de fogo contra o policial, na frente da esposa e dos filhos, na tentativa de cometer um assalto. A vítima, que não chegou a reagir à ação, faleceu no local.

Marco Antônio, que já se encontrava preso desde maio de 2021 pelo crime de posse ilegal de arma de fogo, tomou ciência do mandado de prisão temporária. Márcio Santos foi encaminhado ao sistema prisional, onde se encontra à disposição da Justiça.

A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações de forma anônima, por meio do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Opinião dos leitores

  1. Só gente boa, uns diabos desses ainda tem direito a visitas íntimas, votar, auxílio reclusão, progressão da pena e regime e prioridade pra se vacinarem, só na gestão petista acontece isso.

    1. Acho um acinte também. Mas o MINTO prometeu endurecer penas e até agora não apresentou nenhum projeto de lei para endurecer o CPP nem nada para fazer valer a prisão em segunda instância… Até agora só sancionou projetos que abrandam punição de corruptos, como o juiz de garantias, penas maiores para abuso de autoridade e delação premiada mais restrita… É a nova política do MINTO das rachadinhas?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

VÍDEO: Polícia Civil divulga imagens de câmera de segurança e procura suspeitos por latrocínio em Parnamirim

Policiais civis da Força Tarefa de Parnamirim (FT-Parnamirim) divulgaram, nesta sexta-feira (30), imagens do sistema de câmeras de segurança que podem auxiliar na identificação do suspeito de um crime de latrocínio ocorrido no último dia 28, em um galpão, no bairro Rosa dos Ventos em Parnamirim.

Na ação, dois suspeitos utilizando camisa amarela, ainda não identificados, chegam à pé e entram no imóvel, anunciando o assalto. Logo depois, um dos suspeitos efetua um disparo de arma de fogo contra a vítima, que ainda tentou fugir e se esconder em uma residência, porém não resistiu aos ferimentos e foi a óbito.

Os suspeitos levaram a motocicleta da vítima, uma Honda/CG 150 Titan KS, de placa MZK 6E93, cor cinza. Na fuga, as câmeras de segurança mostram a saída da dupla do local do crime. A motocicleta já se encontra com restrição de roubo.

A Polícia Civil solicita que a população envie informações, de forma anônima através do Disque Denúncia 181, que possam auxiliar na identificação do homem que aparecem nas imagens.

Veja vídeo abaixo:

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Opinião dos leitores

  1. Vamos aplaudir de pé o empenho da governadora do PT em deixar os bandidos fazerem o que quiserem, enquanto a população fica a mercê.
    Vamos lovar o descaso dela com a segurança pública. Aliás, PT só poderia dar nisso mesmo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia Civil prende suspeitos de latrocínio contra comerciante em Natal

Policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) deflagraram, na manhã desta quarta-feira (31), a Operação Sinal Fechado, com o objetivo de cumprir cinco mandados de busca e apreensão, além de dois mandados de prisão temporária, em decorrência da suspeita do crime de latrocínio.

Durante a ação, foram detidos João Victor Bento da Silva e Wiramar Barbosa dos Santos, conhecido como “Juninho Santos” e “Júnior Bolinha”, os quais confessaram a prática do latrocínio ocorrido no dia 11 de janeiro, contra o comerciante Ricardo Marques de Araújo. Segundo as investigações, João Victor é apontado do como o autor dos disparos de arma de fogo e Wiramar Barbosa seria o motorista do veículo usado na ocorrência.

O crime aconteceu no cruzamento das avenidas Jaguarari e Nascimento de Castro, quando o comerciante, que retornava da CEASA, parou no sinal e foi abordado pelos suspeitos, que tinham o objetivo de roubar o dinheiro que a vítima transportava.

A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações de forma anônima, por meio do disque denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Opinião dos leitores

  1. Foi preso, daqui a pouco a justiça solta, vai matar e roubar novamente e enquanto isso uma família está sem o Pai, morreu trabalhando.

  2. Se parar de perseguir trabalhadores e empresários, a segurança melhora.
    Não fizeram mais que a obrigação.

  3. Até que enfim, uma notícia que revele o trabalho das forças de segurança. A polícia militar e civil realmente merecem ter o trabalho divulgado e valorizado. A sociedade e principalmente os meios de comunicação criaram uma aversão a polícia. Aí nossas crianças e adolescentes se espelham nos bandidos.

    1. Criancas e adolescentes so se espelham nos bandidos a partir do momento em que seus pais transferem a rrsponsabilidade de educa-los para os outros por exemplo "escola", quando seus pais deixam de ser exemplo para eles e por ai vai. Não a polícia nao tem culpa se certos pais não educam seus filhos para terem caráter.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia Civil apreende adolescente de 14 anos suspeito de latrocínio contra verdureiro em Cidade Verde

Foto: Ilustrativa/Freepik

Policiais civis da Força Tarefa de Homicídios de Parnamirim (DHPP) apreenderam, na manhã desta sexta-feira (12), um adolescente de 14 anos. Ele foi detido no bairro Planalto, em Natal, pela suspeita de ato infracional análogo ao crime de latrocínio.

De acordo com investigações, ele é suspeito de ter entrado com o autor do disparo que vitimou o idoso Raimundo Rodrigues de Oliveira, 69 anos, em seu estabelecimento comercial. O crime aconteceu no dia 17 de janeiro, no bairro de Cidade Verde.

Na ocasião, a vítima teria tentado reagir à ação dos criminosos, mas foi atingida. De acordo com imagens de câmeras de segurança, os autores do latrocínio deixaram o local em um veículo modelo Saveiro, cor vermelha, placa MYE 1629, dirigido por um terceiro envolvido ainda não identificado.

Outras diligências serão realizadas, a fim de identificar o terceiro suspeito do latrocínio. A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações de forma anônima, por meio do disque denúncia 181, que ajudem em sua identificação e localização.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Opinião dos leitores

  1. Passo quase todos os dias em frente ao "VERDUREIRO", quando das minhas caminhadas matinais. Uma rápida oração faço pelo seu Raimundo. Descanse em paz, amigo!!

  2. Bandido é bandido ,pode ter 10 ou 90 anos.
    Moro mudaria o código penal,mas forças ocultad,dos extremos impediram.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

VÍDEO: Polícia Civil prende suspeito por latrocínio contra verdureiro em Cidade Verde

Policiais civis da Força Tarefa de Homicídios de Parnamirim (DHPP) prenderam, na manhã desta segunda-feira (22), Leandro Richard Santana, 18 anos. Ele foi detido em cumprimento a um mandado de prisão temporária pela suspeita da prática de crime de latrocínio.

De acordo com investigações, ele é apontado como autor do disparo que vitimou o idoso Raimundo Rodrigues de Oliveira, 69 anos, em seu estabelecimento comercial. O crime aconteceu no dia 17 de janeiro, no bairro de Cidade Verde, quando Leandro Richard e outro homem anunciaram um assalto.

Na ocasião, a vítima teria tentado reagir à ação dos criminosos, mas foi atingida. De acordo com imagens de câmeras de segurança, os autores do latrocínio deixaram o local em um veículo modelo Saveiro, cor vermelha, placa MYE 1629, dirigido por um terceiro envolvido ainda não identificado.

Outras diligências continuarão sendo realizadas, a fim de identificar os demais envolvidos no latrocínio. A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações de forma anônima, por meio do disque denúncia 181, para auxiliar na identificação dos autores do crime e na localização do veículo usado por eles na ação.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia Civil prende suspeito de latrocínio contra motorista de aplicativo e ex-candidato a vereador em Mossoró

Policiais civis da Delegacia de Homicídios de Mossoró (DHM), em conjunto com a Delegacia Especializada em Narcóticos (DENARC) e a Coordenadoria de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Ceará – COTAM-PM/CE, prenderam, nesta terça-feira (02), Antônio Lucas Lobo Maia. Ele foi detido na cidade de Fortaleza, no Estado do Ceará.

Antônio Lucas é apontado como o terceiro suspeito de envolvimento no crime de latrocínio que vitimou o motorista de aplicativo e ex-candidato a vereador Carlos Reginaldo Holanda Nogueira Júnior, conhecido como “Espanta”. O crime aconteceu em 21 de janeiro, em Mossoró.

As investigações indicaram que Antônio Lucas estaria escondido na casa de sua namorada. As equipes então se deslocaram ao endereço e constataram a veracidade da informação. Inicialmente, os policiais encontraram a namorada de Antônio Lucas e, após desdobramentos, foi possível localizar o suspeito na cidade de Fortaleza.

Antônio Lucas foi preso e conduzido à cidade de Mossoró, onde foi ouvido pelo delegado. Em seguida foi encaminhado ao sistema prisional e ficará à disposição da Justiça. A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações de forma anônima por meio do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia Civil indicia suspeito por latrocínio que vitimou adolescente em Natal

Foto: Ilustrativa/depositphotos

Policiais civis da Delegacia Municipal de São José de Mipibu deram cumprimento, nesta segunda-feira (30), a um mandado de prisão preventiva em desfavor de Allan Janderson Alfredo de Oliveira Barbosa, conhecido como “Branco”, 34 anos. Na última sexta-feira (27), ele foi indiciado como um dos autores do latrocínio que vitimou o adolescente Yuri Alzaniel Batista da Silva, 16 anos, e, na ocasião da conclusão do inquérito policial, foi solicitada sua prisão preventiva.

Ele já havia sido preso no dia 03 deste mês, em cumprimento a mandado de prisão temporária, motivo pelo qual já estava no sistema prisional. Segundo as investigações, Allan Janderson e Luiz Antônio da Silva, 35 anos, tinham o objetivo de praticar o crime de roubo, que acabou resultando na morte da vítima, no município de São José de Mipibu, no dia 26 de outubro deste ano.

Segundo as investigações, Allan Janderson participou auxiliando e tudo indica que quem desferiu as pedradas contra o adolescente foi Luiz Antônio, que teria assumido ser um dos autores do crime, por meio de um vídeo que circulou nas redes sociais. Luiz Antônio foi assassinado na madrugada do dia 27 de outubro, na Comunidade Novo Horizonte, localizada no bairro das Quintas, na Zona Oeste de Natal.

Ainda de acordo com o Inquérito Policial (IP), três outros suspeitos foram indiciados pela possível prática do crime de receptação do aparelho celular de vítima do latrocínio. Allan Janderson já estava no sistema prisional, onde continuará à disposição da Justiça.

A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações de forma anônima através do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia Civil prende em hospital em Natal suspeito por roubo e duas tentativas de latrocínio

Policiais civis da Delegacia Municipal de Macaíba prenderam em flagrante, nesta segunda-feira (14), Ricley Natan Alves Silva, 18 anos. Ele foi preso, em um hospital em Natal, pela suspeita da prática dos crimes de roubo majorado, de uma moto, e por duas tentativas de latrocínios, uma delas praticada durante o roubo de um carro, em Macaíba.

Segundo as investigações, o suspeito teria praticado o primeiro roubo, no qual subtraiu a moto, ainda na noite deste domingo (13), por volta das 23h50 na altura da rodovia BR 304, após a rotatória, próximo a um posto de combustível, na Zona Urbana de Macaíba. Conforme registrado pela vítima, o suspeito, acompanhado de um segundo homem (ambos portando armas de fogo), teriam subtraído a motocicleta dela, afirmando que “precisavam do veículo para praticar outros roubos e executarem inimigos”.

Logo após, com a moto roubada, tentou praticar o mesmo crime para subtrair um veículo, já por volta das 00h15 desta segunda-feira (14), na rua Olímpio Maciel, no Centro de Macaíba. Na ocasião, a vítima foi abordada pela dupla de suspeitos, sendo rendida mediante ameaça com arma de fogo, mas esboçou reação e fugiu, sendo alvejada por um disparo de arma de fogo que acertou suas costas, transfixou seu ombro e atingiu seu braço esquerdo, mas, ainda assim, conseguiu fugir.

Ricley Natan já era investigado pela equipe de policiais civis da Delegacia de Macaíba por suspeita de integrar uma facção criminosa, tendo sido identificado por vítimas como autor de, pelo menos, dois crimes na noite deste domingo (13) e madrugada desta segunda (14). Além disso, após a prisão do suspeito, uma terceira vítima compareceu à delegacia e reconheceu o Ricley Natan, afirmando que teria sido ele o autor de um disparo de arma de fogo sofrido pela vitima, após luta corporal em defesa própria, pois o suspeito anunciou assalto, exigindo seu dinheiro, relógio e celular.

Informações anunciavam que um dos suspeitos estava alvejado por disparos de arma de fogo, após um confronto armado na região de Macaíba, e que esse suspeito teria procurado o hospital para tratamento. Após diligências, os policiais civis conseguiram localizar o suspeito no hospital Walfredo Gurgel e, quando assinava sua alta hospitalar, foi preso em flagrante pelos crimes de roubo majorado e tentativa de latrocínio.

Foi denunciado, ainda, que outros crimes foram praticados pelos suspeitos, inclusive, pessoas alvejadas por disparos de fogo, o que já está sendo investigado pela Polícia Civil. A Polícia Civil solicita que a população continue enviando denúncias anônimas pelos números 181 ou pelo 98114-4042 (Delegacia Municipal de Macaíba).

http://www.policiacivil.rn.gov.br/Conteudo.asp?TRAN=ITEM&TARG=240029&ACT=&PAGE=&PARM=&LBL=NOT%CDCIA

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

LATROCÍNIO: Polícia apreende adolescente suspeito de atirar e matar estudante de 18 anos durante assalto em Natal há um ano

Foto: Heloísa Guimarães/Inter TV Cabugi

Policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) deram cumprimento, no começo da manhã desta quinta-feira (10), a um mandado de busca e apreensão de adolescente e mandados de busca e apreensão em imóveis. Na ocasião, um adolescente de 17 anos foi apreendido pela prática de ato infracional análogo ao crime de latrocínio contra Arthur Lima de Oliveira, ocorrido em setembro de 2019, no bairro Alecrim, localizado na capital potiguar.

As diligências foram realizadas em um imóvel situado na comunidade do Paço da Pátria, na Zona Leste de Natal. Além da apreensão do adolescente, dois mandados de busca e apreensão em imóveis foram cumpridos, porém não houve material apreendido. O coautor do latrocínio, Eudes Leonardo de Lima, preso em flagrante à época do fato, já foi julgado pelo Juízo da 5ª Vara Criminal da Comarca de Natal e condenado a uma pena de 26 anos de reclusão pelo crime cometido.

As investigações revelaram que o adolescente apreendido, nesta quinta-feira (10), foi o autor do disparo que provocou a morte da vítima. Diversas tentativas de captura do adolescente já haviam sido feitas anteriormente. Na próxima semana, no dia 18 de setembro, completará um ano do falecimento de Arthur Lima e as equipes da Polícia Civil estavam intensificando as buscas pelos envolvidos no crime.

O adolescente foi encaminhado ao Centro de Recuperação de Adolescentes, para cumprimento da internação provisória. A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima, através do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Opinião dos leitores

  1. Em três anos estará livre para cometer mais crimes, uma vez que o "infrator" é protegido pelo ECA. E viva a impunidade.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

(FOTOS) – O QUE DIZER? Homem é solto 7 anos após ter sido inocentado por crime de latrocínio, em João Pessoa-PB

Fotos: Reprodução/TV Cabo Branco

Eridan Constantino, de 32 anos, foi solto nesta sexta-feira (31), após sete anos preso injustamente, em João Pessoa. Ele foi acusado de latrocínio em 2011, mas o Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) o absolveu do crime e expediu um alvará de soltura em 2013, que não foi cumprido.

A Defensoria Pública do Estado, em nota, informou que Eridan “foi assistido por defensor público atuante na 5ª Vara Criminal, tendo sido condenado no processo. Insatisfeito com a sentença condenatória, o defensor público impetrou recurso junto ao Tribunal de Justiça da Paraíba, conseguindo sua absolvição pela 1ª Câmara Criminal. Entretanto, quando o preso é constituído de advogado particular, ele deixa de procurar a Defensoria Pública por sua inteira decisão”.

A Vara de Execuções Penais do TJPB não se pronunciou sobre o caso até a publicação da matéria. A defesa de Eridan informou que pretende entrar com uma ação pedindo indenização.

Conforme o processo, o crime aconteceu em 2011, no bairro de José Américo, em João Pessoa. Um suspeito, que estava com o celular da vítima, foi preso e apontou que Eridan também tinha participado do latrocínio.

Eridan foi preso e condenado a mais de 20 anos de reclusão. Em maio de 2013, dois anos após o crime, a Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba o absolveu do processo e decretou a inocência dele. Porém, o alvará de soltura não chegou à Vara de Execuções Penais, de acordo com a defesa de Eridan.

Nesta sexta-feira (31), Eridan saiu da penitenciária de segurança máxima PB1 e abraçou a mãe, Maria da Penha, após 9 anos e 3 meses preso.

“Eu passei por muita dor, muito sofrimento, mas hoje em dia, para honra e glória do meu Deus, eu tô em posse de vitória. Porque Deus fez com que aparecesse uns anjos pra descobrir esse erro que aconteceu pra ter mantido meu filho preso esse tempo todinho”, disse a mãe de Eridan.

Os anjos de Maria da Penha são os advogados Joallyson Resende e Thiago Melo, que descobriram que o alvará de soltura de Eridan já havia sido expedido.

“Houve a condenação do Eridan, exclusivamente com essa delação feita na fase inquisitorial, que foi retratada judicialmente pelo co-réu (o primeiro suspeito preso) e como há essa fragilidade na prova do crime a Defensoria Pública que na época patrocinava a causa interpôs o recurso de apelação” relatou o advogado Joallyson.

A defesa de Eridan acredita que o erro aconteceu por uma falta de comunicação entre as varas e o Tribunal de Justiça da Paraíba.

“Infelizmente, hoje, no nosso país, muitos apenados não tem o acompanhamento devido por uma defesa técnica. Só agora quando ele nos contratou para analisar o processo dele foi que verificamos esse erro que inclusive já poderia ter sido verificado anteriormente”, disse o advogado Thiago Melo.

Os advogados Thiago Melo e Joallyson Resende foram contratados há 20 dias, antes Eridan era representado pela Defensoria Pública. Após assumir o caso, a dupla de advogados conseguiu um novo alvará de soltura.

“Hoje eu também nem tenho explicação pela minha felicidade, saber que a Justiça tá sendo feita e ele inocente. Sete anos inocente e dentro desse presídio, o quanto ele sofreu e o quanto a família sofreu”, conta Dona Maria da Penha.

Agora livre, Eridan sonha em voltar a trabalhar. “Ali é onde a gente aprende tanto coisas boas como ruins, mas graças a Deus botar minha mente pra frente e voltar a trabalhar e tentar conseguir mudar essa história”.

G1

Opinião dos leitores

  1. PQP! O que tem esse pobre coitado injustiçado com a merda da política, com Bolsonaro, com Lula ou outro bandido FDP? Esses doentes mentais aproveitam tudp pra levar pra esse campo podre de esquerda, direita ou centro. Mente podre, torpe!! Gado é a cabeça do meu p… seu jumento!! Cavalo!! Vira a porra desse disco furado. Sobre o caso do cidadão inocente, o da matéria, preso injustamente há quase uma década, que o Estado pague caro por isso, que o juíz do caso e os outros culpados sejam responsabilizados exemplarmente. Vai devolver o tempo perdido por esse coitado? As noites mal dormidas? As humilhações? Nunca, jamais!! Mas os atores responsáveis pir essa crueldade têm que sentir no bolso e na pele a barbárie que cometeram.

  2. Eu acho que E O PT? esse é um caso que E O LULADRÃO? tem que ser analisado ESQUERDALHA TEM QUE MORRER! sob uma ótica mais CLOROQUINA UBER ALLES imparcial, tendo em vista CANALHAS COMUNISTAS! que se trata de uma questão MITÔ! com vários casos JEAN. WILYANS AAhhhhh!!! diferentes

    1. Para Adélio Bispo, surgiram 4 advogados de jatinho no mesmo dia.
      Quem pagou?
      Esse foi um caso muito simples.
      O rapaz foi absolvido.
      Como ninguém ficou sabendo?
      Lula teve advogados caríssimos, que não se sabe quem pagou, que alugaram o STF durante uns 2 a 3 anos pois quase toda semana entravam com um recurso protelatório.
      Deve ter sido uns 100 recursos.
      O STF não fazia mais nada pois toda semana tinha que analisar um novo recurso dos caríssimos advogados de Lula.
      Já esse rapaz, não teve pastoral carcerária, não teve comissão de direitos humanos…
      Um deputado de extrema esquerda até pediu para o STF proibir operações policiais na rocinha.
      Esquerda é esquerda.
      Nos 13 anos de lulopetismo foram 650 mil homicídios e o narcotráfico tomou conta do Brasil, especialmente do Nordeste, que antigamente era uma região tranquila.
      E Lula ainda diz que foi bom para o Nordeste.
      O Nordeste se tornou a região mais violenta do mundo.
      Com Bolsonaro, o número de homicídios foi o mais baixo nos últimos dez anos.
      Os traficantes de drogas não gostam de Bolsonaro.
      Por que será?
      Em quem traficantes votam?

  3. Esse pobre coitado não é político. Não tem um STF para chamar de seu e ministros superiores para servi-lo. Inocente, perece na cadeia. Enquanto bandidos condenados vivem soltos e influenciando em Brasília.

    1. Lula tem advogados caríssimos.
      Anda de jatinho.
      Viaja para Paris.
      Isso é que é injustiça.
      Condenado em terceira instância.

  4. Não tem dinheiro no mundo q pague uma injustiça dessa! Promotor e q atuaram no caso deveriam passar o mesmo o mesmo tempo preso e ter os bens sequestrados p ressarcimento do dano moral e material sofridos, inbstante a indenização q o Estado tem q pagar. Pilantras acobertados pelo Estado. Só quem sabe a dor de uma injustiça é quem sofre. Sempre registro q a dor moral é pior do q a dor física, pois, com a morte acaba a dor física e a dor moral é sentida a todo instante!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia Civil prende suspeito por latrocínio de arquiteto na Zona Sul de Natal

Policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), com apoio da 1ª Delegacia de Polícia (DP) de Parnamirim, deram cumprimento, na manhã desta sexta-feira (29), a um mandado de prisão temporária em desfavor de Ivo de Souza Rodrigues, 18 anos. Ele é investigado pela suspeita da prática do crime de latrocínio que vitimou o arquiteto Eliedson Vinícius Marcelino de Menezes, 39 anos.

No local combinado, em Parnamirim, a vítima levou Ivo e o adolescente para o seu apartamento, no bairro de Lagoa Nova, na Zona Sul de Natal. O crime aconteceu na noite do dia 19 deste mês, no interior do apartamento de Eliedson Vinícius. No momento do latrocínio, Ivo de Souza estava acompanhado de um adolescente de 14 anos. Eles haviam marcado um encontro com a vítima. O crime foi praticado a partir de cutiladas de faca.

A prisão aconteceu no bairro Bela Parnamirim, no município de Parnamirim. O suspeito foi encaminhado ao Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP/RN) e, após realização de exame de corpo de delito, será conduzido ao sistema prisional, onde permanecerá à disposição da Justiça. A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima, através do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia Civil prende na Grande Natal suspeito de participação em latrocínio de coronel da reserva da PM

Francildo de Souza Nunes foi morto em uma loja de roupas. Foto: Inter TV Cabugi/Reprodução

Policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e da Delegacia Municipal de Macaíba deram cumprimento, nesta quarta-feira (4), a três mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão temporária em desfavor de um homem de 22 anos. Ele foi preso em sua residência no bairro Vilar, no município de Macaíba.

Segundo as investigações realizadas pela DHPP, o homem é suspeito de ser coautor do latrocínio que vitimou o coronel da reserva da Polícia Militar Francildo de Souza Nunes. O crime aconteceu no dia 28 de dezembro de 2019, quando dois homens realizaram um roubo a uma loja de roupas no bairro Cidade Alta, na Capital Potiguar. Durante a ação, a vítima foi atingida por disparos de arma de fogo e morreu no local. Um dos suspeitos morreu em confronto com policiais militares, logo após o crime.

O suspeito foi conduzido até a delegacia e encaminhado ao sistema prisional, onde ficará à disposição da Justiça. A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima através do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Líder religioso da Assembleia de Deus é preso em SP por latrocínio no interior do RN em 1995, informa Polícia Civil

Foto: Ilustrativa

Policiais civis do Estado de São Paulo deram cumprimento, na manhã desta segunda-feira (30), a um mandado de prisão, decorrente de sentença condenatória, em desfavor de João Nunes Costa, 54 anos, pela prática do crime de roubo seguido de morte (latrocínio), cometido em São Paulo do Potengi, em 1995. A prisão aconteceu em uma das igrejas, onde ele atuava como líder, na Vila Honoria, no município de Agudos, no interior do Estado de São Paulo. O mandado foi expedido pela Vara Única da Comarca de São Paulo de Potengi.

A investigação sobre a localização de João Nunes foi realizada por policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa de Natal (DHPP/RN). Atualmente, ele assumia posição de líder religioso, estando à frente de 27 igrejas da Assembleia de Deus pelo Interior de São Paulo, tendo acumulado, dessa forma, um patrimônio considerável. Além disso, ele ainda é investigado pela prática de outros crimes.

João Nunes foi condenado a uma pena de 22 anos e 06 meses, pela prática do crime de latrocínio. A prisão foi realizada por uma equipe da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa de São Paulo (DHPP/SP). Ele foi conduzido até a delegacia e encaminhado ao sistema prisional, onde permanecerá à disposição da Justiça.

A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima, através do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Acusado de latrocínio é condenado a 40 anos de prisão no interior do RN

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) conseguiu uma condenação de 40 anos de reclusão em regime inicialmente fechado pelo crime de latrocínio praticado por João Batista dos Santos Souza Filho, em Areia Branca. O réu roubou e matou Adriano Cleiton da Silva Avelino e Ricardo Arruda Duarte, em 27 de março de 2018, próximo à comunidade de Casqueira II.

O magistrado aceitou a tese do MPRN de que o réu praticou o delito de forma premeditada, selecionando criteriosamente os alvos, o momento, o local e a forma de execução do crime. Ao fixar a pena, foram considerados o motivo do crime (obtenção de lucro fácil) e as circunstâncias, com utilização de arma de fogo.  João Batista ainda possui condenação de 27 anos e oito meses de reclusão em regime fechado, também pelo crime de latrocínio. Na sentença, o juiz negou ao réu o direito de recorrer em liberdade.  No dia 27 de março de 2018, no período da tarde, o denunciado matou as vítimas com disparos de arma de fogo.

Veja matéria completa aqui no portal Justiça Potiguar.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia Civil deflagra Operação “Todos por um” e prende suspeitos de envolvimento em latrocínio na Grande Natal do policial civil André Severiano

Carro usado por suspeitos. Foto: Polícia Civil/Divulgação

A Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) em conjunto com a Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor) deflagraram, na manhã desta quarta-feira (05), a Operação “Todos por um”, que resultou no cumprimento de três mandados de prisão temporária contra três suspeitos pelo latrocínio do agente de polícia civil André Severiano, morto no dia 30 de abril, no bairro Emaús, em Parnamirim. O nome da Operação “Todos por um” é relativo ao esforço conjunto de várias delegacias da Polícia Civil, que conseguiu elucidar o crime. Durante a ação, também foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão.

A investigação revelou que o policial civil foi morto por um grupo formado por quatro homens, que pretendia cometer um roubo. Participaram da ação criminosa, Gabriel Fernando dos Santos, conhecido “Biel”, 19 anos, Aylton Bezerra da Silva Júnior, conhecido como “Carneirinho”, 25 anos, João Lucas Severo de Souza e Silva, 21 anos e Ruan Carlos Pereira, “Maquinista”, 21 anos (falecido).

Na manhã desta quarta-feira foram cumpridos mandados de prisão contra Gabriel Fernando e Aylton Bezerra da Silva Júnior, que já estavam detidos no sistema prisional. Os policiais civis prenderam João Lucas Severo de Souza e Silva, 21 anos, em cumprimento a um mandado de prisão temporária, quando estava em uma residência do bairro Potengi, Zona Norte de Natal. Ele é apontado como o homem responsável pela locação do veículo usado no dia do crime e que também estava presente no momento do crime.

“Nós descobrimos que o policial civil André Severiano parou no local para manusear o telefone celular, quando foi surpreendido pelos quatro suspeitos que estavam em veículo Fiat Uno Vivace, cor vermelha. O grupo desembarcou com o intuito de assaltar o policial civil, porém, diante da reação do policial, efetuaram os disparos que lhe causaram o óbito. A investigação aponta que os suspeitos eram assaltantes contumazes e, naquela data, pretendiam praticar um assalto na cidade de Macaíba, mas por terem avistado uma viatura da Polícia Militar, desistiram e, quando voltavam para Natal, passaram pelo veículo do policial civil André e resolveram abordá-lo”, detalhou a delegada Taís Aires da DHPP, responsável pela investigação.

Gabriel Fernando dos Santos, conhecido “Biel”, 19 anos, já havia sido preso em flagrante por porte e posse ilegal de arma de fogo, no dia 02 de maio, pela equipe da 7a. Delegacia de Polícia Civil de Natal. Aylton Bezerra da Silva Júnior, conhecido como “Carneirinho”, 25 anos, era o motorista do veículo e já se encontrava preso por crime de roubo praticado na cidade de Macaíba. No dia 23 de maio, os policiais civis da DHPP e Deicor cumpriram um mandado de busca e apreensão contra Ruan Carlos Pereira, conhecido como “Maquinista”, 21 anos e conseguiram apreender a pistola da Polícia Civil que estava cautelada ao policial civil André Severiano. Durante esta ação, “Maquinista” resistiu à abordagem dos policias e morreu.

“Nós tivemos êxito nesta investigação devido ao trabalho integrado com muitas delegacias, entre elas, Deicor, 2a. Delegacia de Polícia Civil de Parnamirim, Delegacia Especializada em Narcóticos (Denarc), 7a e 13a Delegacia de Polícia de Natal. Também registramos a importante parceria com a 2ª Vara Criminal de Parnamirim e com a 12ª Promotoria de Justiça”, destacou a delegada Taís Aires.

A Polícia Civil solicita que as vítimas de roubo praticadas pelos suspeitos que ocupavam o Uno Vivace e que reconheçam os mesmos procurem as delegacias respectivas ou a DHPP. A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima, através do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Opinião dos leitores

  1. A Polícia sabe o que tem que ser feito com cada um desses bandidos. A regra é clara. Assassinos de policial tem que pagar pesado.

  2. Podem explicar como o tal Gabriel "preso por porte de arma" estava solto? Quem soltou? Quem pagou o advogado? Qual o responsável por sua liberdade?
    Cadê a turma contra a compra de arma para defesa do cidadão? Os bandidos todos armados.
    Bandido pode ter arma, mas o trabalhador tem que aceitar calado e quieto ser roubado e assaltado? Cadê os berros da turma da impunidade que apoiam a bandidagem?

  3. Geração PT. Educação um zero à esquerda, só comparada aos países miseráveis da África. O dinheiro da educação foi jogado no lixo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia Civil prende mulheres suspeitas pelo latrocínio de motorista de aplicativo em Natal

Foto: Divulgação/Polícia Civil

Investigações da Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), feitas em conjunto com a equipe da 6ª Delegacia de Polícia Civil de Natal e Delegacia de Capturas e Polinter (DECAP), resultaram na elucidação do latrocínio do motorista de aplicativo, Paulo Eduardo da Silva, 49 anos. Nessa terça-feira (02), os policiais civis conseguiram prender Luzia de Souza Araújo, 37 anos, e Jaqueline Caetano dos Santos, 20 anos, mediante o cumprimento de mandados de prisão temporária. Além das prisões, a Polícia Civil identificou que Carlos Daniel Dionísio da Costa também participou do crime. Ele é procurado pela Polícia.
Sobre a participação de Carlos Daniel, a DHPP acredita que ele é o suspeito pela execução do disparo de arma de fogo. “Nós ainda temos algumas diligências a serem efetuadas, para esclarecer outras circunstâncias e a possibilidade de envolvimento de outras pessoas”, asseverou o diretor da DHPP, delegado Júlio Costa.

“Na noite do dia 21 e madrugada do dia 22 de março, Paulo Eduardo encontrou-se com Jaqueline, Luzia e Carlos Daniel. Acreditamos que o trio planejou matar a vítima, para ficar com o veículo. Para isso, montaram uma estratégia para cometer o latrocínio. As mulheres aplicaram o conhecido ‘boa-noite Cinderela´, doparam a vítima e depois o levaram para o local onde foi executado com um tiro na cabeça. Durante as buscas, nossa equipe encontrou duas cartelas vazias de uma substância chamada clonazepan, que pode ter sido consumida pela vítima”, detalhou o delegado da DHPP, Marcos Vinícius.

A Polícia Civil pede ajuda da população para localizar Carlos Daniel Dionísio da Costa. As denúncias anônimas e com garantia de sigilo podem ser enviadas para o Disque-Denúncia 181.

O caso

No dia 21 de março, o motorista de aplicativo Paulo Eduardo da Silva, 49 anos, saiu de sua residência, em Nova Parnamirim, no período da tarde e não retornou.

Na madrugada do dia 22, imagens de câmeras de segurança de um posto de combustíveis, localizado à Avenida João Medeiros Filho, no Conjunto Pajuçara, Zona Norte de Natal, mostram Paulo Eduardo da Silva parando no posto e desembarcando um casal de passageiros, por volta das 3 horas da madrugada.

As imagens registraram ainda que, logo depois, o casal se encontra com mais dois homens e todos, inclusive o motorista, seguem em direção a um bar, do outro lado na rua. Por volta das 6 horas da manhã, uma mulher chega ao posto e leva o carro da vítima.

No dia 22, policiais militares da cidade de Boa Saúde foram informados que um carro, ocupado por duas mulheres e um homem em atitude suspeita, foram vistos circulando pela cidade. Os policiais militares conseguiram fazer uma abordagem no veículo e verificaram que no carro estavam duas mulheres, uma delas identificada como Jaqueline, a outra identificou-se como sendo “Patrícia” e um homem chamado Carlos Daniel Dionísio da Costa. Durante a abordagem no veículo, os policiais militares encontraram documentos em nome de Paulo Eduardo da Silva. Como na data ainda não existia registro de roubo/furto do veículo, todos os ocupantes do veículo acabaram sendo liberados.

No dia 24, por volta das 20 horas, um corpo sem identificação, com perfuração de disparo de arma de fogo, foi encontrado por moradores à rua Edson Pinto, Nordelândia, bairro Lagoa Azul, Zona Norte de Natal. Na última segunda-feira (01), a DHPP e técnicos do Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep-RN) identificaram que o corpo achado no dia 24, era o de Paulo Eduardo da Silva.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *