UERN divulga lista de aprovados no Processo Seletivo de Vagas Ociosas

Foto: Divulgação

A Pró-Reitoria de Ensino de Graduação (PROEG) da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) publicou edital com o resultado do Processo Seletivo de Vagas Ociosas (PSVO) referente ao semestre letivo 2020.2. Os convocados devem realizar o Cadastro Institucional e a Matrícula Curricular entre os dias 4 e 5 de março.

Para efetivação dos dois procedimentos, o candidato deve digitalizar os documentos exigidos e enviá-los por email informando o nome completo e o respectivo curso e campus.

Confira o Edital Nº 009/2021 – PROEG/UERN, publicado no Jornal Oficial da Fundação Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (JOUERN) desta quarta-feira, 3, com a lista de convocados e as instruções para a realização das próximas etapas.

Com UERN

Fora do plano de vacinação, mais de 2 mil menores de idade aparecem em lista de vacinados do Ministério da Saúde; especialistas acreditam em erro de registro no sistema

Foto: Andre Penner

O banco de dados do Ministério da Saúde lista, como vacinadas, 2.355 pessoas com menos de 18 anos. A princípio, a vacinação para esse grupo não é permitida, já que nem a CoronaVac, nem o imunizante da Oxford/AstraZeneca foram testados em menores de idade. Procurada, a pasta não informou se menores de idade foram mesmo vacinados ou se os dados de idade e data de nascimento de adultos foram inseridos de forma errada. Para especialistas, as incoerências nos dados são consequência de erro de registro no sistema.

Na análise feita pelo GLOBO, há pelo menos dez plataformas diferentes para inserir dados de pessoas vacinadas no banco de dados. Até esta quinta-feira, 6,3 milhões de pessoas haviam sido vacinadas no Brasil.

As inconsistências de idade não são as únicas no banco de dados. No último domingo, uma análise de dados feita pelo GLOBO revelou que 19% dos vacinados foram identificados como preto ou pardos. Até aquele momento, 1 a cada 4 das pessoas imunizadas não tinham sua cor identificada. O recorte por cor é considerado importante porque é um marcador que, no Brasil, reflete também questões sociais e econômicas. Nas últimas semanas, o ministério já lidou com críticas sobre problemas em organização e logística, destacados pelo episódio de envio da quantidade de doses reservadas ao estado do Amapá para o estado do Amazonas, que ficou com 70 mil doses a menos do que o que tinha direito de acordo com sua população.

A lista de vacinados do ministério apresenta algumas situações curiosas, como o caso de três motoristas de ambulância que receberam a imunização, mas, segundo o registro, têm 5, 9 e 10 anos.

— No cadastro de pessoas vacinadas, devem ter erros de registro e cada município, estado e nível federal deve analisar os resultados possivelmente errados. Acredito que a hipótese mais provável seja essa, e não de fraude. A probabilidade de menores de 18 anos serem vacinados acho que é muito baixa — afirmou José Cássio de Moraes professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa-SP.

A planilha tem tanto o dado das idades dos vacinados como também o de sua data de nascimento. Há casos, por exemplo, em que a idade aparece como sendo “0”, embora o cidadão tenha nascido em 1971. Na análise feita pelo GLOBO, foram filtrados apenas os registros com data de nascimento após 25 de fevereiro de 2003 e idade abaixo de 18 anos. A maioria dos dados tem como sistema de origem o “Novo PNI”. Tecnicamente, não deveria haver incompatibilidade na data de nascimento de pessoas que já estavam cadastradas no SUS, seja por ter Cartão Nacional de Saúde, seja pelo seu CPF.

Entre os 2.355 registros identificados pelo GLOBO, a maioria é de pessoas que foram vacinadas dentro do grupo de “trabalhadores de saúde”, 1.765 pessoas. Eles são seguidos por 395 menores de idade que foram imunizados na categoria de população indígena. Segundo a norma do Ministério da Saúde que regulamentou esse registro, a identificação nos grupos prioritários é feita por meio de pesquisa na base de dados do CADSUS, quando no caso de faixa etária, e no CNES, no caso de trabalhadores de saúde. A falta de cadastro prévio não é motivo para deixar de vacinar o cidadão, mas, neste caso, ele deverá apresentar comprovante de que pertence a esses grupos.

— Como é possível cruzar os dados de atendimento para identificar automaticamente quando uma pessoa vacinada acabou tendo síndrome gripal ou síndrome respiratória aguda grave ou outra complicação? Tratamos esse problema de erro de digitação como “normal”, mas um investimento em atualização de sistemas de informação para automatizar essas coisas reduziria esses erros e permitiria investigações epidemiológicas de maneira muito mais rápida — afirma.

O Ministério da Saúde lançou um novo sistema de registro de vacinação automatizado e com conexão com cadastros nacionais, como o CADSUS e o banco de dados do CNES. Entretanto, a aplicação desse sistema não ocorreu de forma equânime e a imunização começou com cada local de vacinação usando um sistema de notificação próprio ou o que era antigamente utilizado nas campanhas. A pasta agora corre para integrar todos os sistemas em apenas um.

O GLOBO procurou o Ministério da Saúde na última terça-feira para um posicionamento sobre os dados. A área técnica da pasta, entretanto, não conseguiu terminar a análise dos dados até esta quinta-feira.

Para Rafael Lopes, pesquisador do Observatório Covid-19 BR, a importância de dados confiáveis é essencial tanto do ponto de vista de estudos e pesquisas sobre a vacinação como também para o acompanhamento da vacinação no país.

— Dados confiáveis, abertos e acessíveis são essenciais para que todos tenham claro qual é o ritmo de vacinação no país. Sabemos que a vacinação está restrita aos maiores de 18 anos, por falta de estudos de que atestem segurança das vacinas para esses públicos e então, em teoria, não deveria haver pessoa vacinadas com menos de 18 anos — afirma.

Lopes, entretanto, destaca que, por enquanto, essa inconsistência da idade não deve causar grandes problemas.

— O número de 2.355 possíveis vacinações em pessoas com menos de 18 anos é bem pequeno, dado que já ultrapassamos mais de 6 milhões de aplicações, ele não representa mais que 0.04% desse total. Até agora parecem ser somente isso, inconsistências, nada sistemático ou deliberado, então para análises futuras em pouco afeta essas inconsistências — afirmou.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Calígula disse:

    É bom que se faça uma investigação e punam os culpados. Tem muita gente furando filas, enfermeiros aplicando vento e me parece que estão aplicando nos filhos e etc

Natal é destino tendência para 2021 em lista do Ministério do Turismo

FOTO: Emprotur

A valorização do turismo doméstico é uma das tendências identificadas no comportamento do turista pós-covid. O Ministério do Turismo divulgou uma lista com os 21 destinos tendência para 2021. Nesse sentido, Natal (RN), conhecida como “Cidade do Sol”, figura como um dos destinos mais buscados para o ano. O levantamento foi realizado tomando como base os principais sites de pesquisa do setor, além de publicações e dos destinos que se alinham à demanda do novo turista.

Na região Centro-Oeste aparecem Brasília e os municípios goianos de Alto Paraíso de Goiás e Cavalcante onde está localizado o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, eleito um dos 25 melhores “Parques Nacionais” do mundo pela National Geographic. A mesma publicação elencou o cerrado brasileiro como único destino brasileiro indicado na lista de 25 melhores viagens para planejar no futuro.

“O levantamento reforça que estamos no caminho certo para que a retomada aconteça. O turismo doméstico tem um enorme potencial que merece ser conhecido pelos brasileiros e com esse foco que o Ministério do Turismo vem trabalhando – oferecer melhor infraestrutura, serviços cada vez mais qualificados e seguindo os protocolos de biossegurança”, comentou o ministro Gilson Machado Neto.

O Sudeste, juntamente com o Nordeste, lidera a listagem com sete destinos – Angra dos Reis (RJ), Belo Horizonte (MG), Petrópolis (RJ), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), São Sebastião (SP) e Ubatuba (SP). No Nordeste, além de João Pessoa (PB) aparecem também Ipojuca (PE), Fortaleza (CE), Maceió (AL), Natal (RN), Porto Seguro (BA) e Salvador (BA).

A região Sul conta com quatro destinos: Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Foz do Iguaçu (PR) e Gramado (RS). Os destinos seguem a tendência de comportamento identificada em viajantes pós-covid de optar por destinos de natureza ou com foco no turismo rural. De acordo com o Booking, 59% dos entrevistados pretendem ir para um destino de natureza próximo. Ainda segundo o buscador, outra forte tendência é a opção por viagens rápidas, três em cada quatro (73%) brasileiros querem fazer viagens mais curtas em 2021 do que fizeram em 2019 – ocupando, mais uma vez, o primeiro lugar no ranking global em meio aos viajantes que demonstraram esse desejo.

Fonte: Assessoria de Comunicação do Ministério do Turismo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carlos disse:

    Essa porcaria desse governo, diretamente contribui com a desvalorização do real diante do dólar e literalmente prende quem almeja conhecer ou voltar ao exterior. Muito triste viver em um país onde faz de sua população escravos e uma submissão extrema.

Veja lista das ocupações com os 100 maiores e menores salários de contratação no país em 2020

Os cargos de direção executiva e atividades ligadas a áreas como finanças, engenharia, tecnologia da informação e saúde tiveram os maiores salários médios de contratação com carteira assinada no país em 2020, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia.

Diretor de produtos bancários e diretor de riscos de mercado foram as ocupações com maior salário médio de admissão em 2020, passando dos R$ 30 mil.

Enquanto isso, o salário médio de contratação no país ficou em R$ 1.777,30 em 2020, chegando a R$ 2.152,35 na administração pública.

Veja no quadro abaixo os salários médios de admissão por atividades econômicas no período de janeiro a dezembro de 2020 e a variação em relação a 2019:

Foto: Economia G1

Os salários médios se referem especificamente ao valor de remuneração dos profissionais contratados no ano e não podem ser usados como média salarial da ocupação, ressalta o governo.

O Brasil criou 142.690 postos com carteira assinada em 2020, segundo dados do Caged divulgados na semana passada pelo Ministério da Economia.

Veja os 100 cargos com maiores salários:

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ZéGado disse:

    Faltou cafetão dos boys de Pedroca

SE A IDEIA VINGA PELO PAÍS, EM: Ação de Defensorias e MPs pede publicação da lista de vacinados no site da prefeitura de Manaus

Foto: Ilustrativa

As Defensorias Públicas do Estado do Amazonas (DPE-AM) e da União (DPU), em conjunto com os Ministérios Públicos Federal (MPF), Estadual (MPE), de Contas (MPC) e do Trabalho (MPT), ingressaram na noite de quinta-feira (21) na Justiça Federal com pedido para que a prefeitura de Manaus seja obrigada a informar, diariamente, a lista de pessoas imunizadas com a vacina contra a Covid-19.

Ao G1, a assessoria do MPF explicou na manhã desta sexta-feira que os órgãos entraram na Justiça justamente porque a prefeitura não entregou as informações solicitadas na quinta-feira (21).

Na ação, o governo municipal deve repassar à Justiça Federal os nomes das pessoas vacinadas até 19h, além de expor a informação no site da própria prefeitura até 22h, todos os dias, “com identificação de nome, CPF e local onde foi feita a imunização”.

Segundo o defensor público Arlindo Gonçalves, do Núcleo de Defesa da Saúde, a ação é uma resposta às denúncias de irregularidades de vacinações em profissionais de saúde fora do grupo prioritário. Por causa das denúncias, a vacinação chegou a ser suspensa na quinta-feira (21) para uma reformulação.

Os órgãos pedem aplicação de multa diária e pessoal ao prefeito de Manaus, David Almeida, no valor de R$ 100 mil, em caso de descumprimento.

Lista de vacinados

Na noite de quinta-feira (21), o prefeito David Almeida afirmou que entregou a relação das pessoas que serão vacinadas. O G1 solicitou informações sobre a lista e a retomada da vacinação, mas a prefeitura ainda não se manifestou.

“Essa informação está com os órgãos de controle, nós entregamos a lista de todas as pessoas vacinadas, com CPF, todas as suas qualificações, qual a unidade de saúde que trabalha, qual sua profissão, qual seu envolvimento com o trabalho de combate à covid-19”, afirmou.

Ainda durante a coletiva, o prefeito de Manaus disse que o Governo do Amazonas indicou 19 unidades de saúde para que os a aplicação das doses seja retomada nesta sexta-feira (22). “Temos 19 unidades. Todas selecionadas e indicadas pelo o governo. A prefeitura só vai lá e faz a vacinação”, disse Almeida.

Nesta quarta-feira, o Governo do Amazonas havia informado que não vai se responsabilizar pela controle da vacinação no estado. Em nota divulgada em redes sociais, o governo afirma que a vacinação e o controle das pessoas que recebem as doses são responsabilidades das prefeituras.

Sobre o governo indicar os locais de vacinação em Manaus, o G1 solicitou posicionamento do órgão, e aguarda resposta.

Suspeita de fraude

O Ministério Público Federal (MPF) requisitou ao município de Manaus, nesta quinta-feira (21), informações para apurar a suspeita de fraude na destinação de doses do primeiro lote de Coronavac para vacinação no Amazonas.

O Tribunal de Contas exigiu também que o governo estadual e Prefeitura de Manaus encaminhem uma lista nominal das pessoas já imunizadas contra a Covid-19 e os critérios utilizados para vacinação. Outros órgãos de controle também recomendaram a elaboração de listas nominais com a identificação de todos os que deveriam receber a imunização.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ZéGado disse:

    Numa fazenda próxima da nossa, o fazendeiro também solicitou ao aplicador, uma relação dos bichos que foram vacinados esta semana. Isso é normal.

Ministério da Saúde retira presos da lista de prioridades para vacinação de Covid

Foto: Reprodução

O Ministério da Saúde retirou a população carcerária da lista de grupos prioritários para tomar a vacina contra a Covid-19. Não há, até agora, qualquer explicação para a decisão.

Faz somente oito dias que o Ministério da Saúde definiu os quem seriam os primeiros da fila de um plano de vacinação previsto para quatro etapas.

Primeiro, os profissionais da área da saúde, idosos com mais de 75 anos (ou a partir de 60 que morem em asilos) e os indígenas.

Depois, seriam imunizados os idosos com idade entre 60 e 74 anos.

Em seguida, portadores de doenças crônicas (pressão alta, cardíacos e aqueles com diabetes).

E, finalmente, trabalhadores da área da segurança, como policiais e funcionários do sistema prisional, e também os detentos — estes últimos agora foram rifados.

Lauro Jardim – O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ivan disse:

    Esse ministro só me dá alegria!!!! Grande General!!!! Deixem os cães latirem, a nossa caravana não vai parar!!!!

  2. Santos disse:

    Já?
    Retirou foi?
    Mas tava, num tava?
    O gado véi burro!
    De massa de manobra o presidente entende bem.
    kkkkkkkkkkkkkkk

  3. duendevermelho disse:

    Se o "Minion Alienado" está preocupado com os presos, que os leve para sua casa pra cuidar de cada um deles!

    Cada uma!

  4. Uma potiguar arretada disse:

    Certíssimo …É pra ser os últimos a serem vacinados …

  5. Calígula disse:

    Preso tem que se fud&£ mesmo, ficar por último. Os carcereiro monitorarem de longe.
    Nos presídios não tem nem um santo.

    • Maria Cícera Lima de Oliveira disse:

      Ainda bem que temos um presidente que muitos procuram denegrir a imagem do mesmo mais; nestes últimos 20 anos jamais tivemos um presidente tão bom quanto ele. E macho não engole safadeza de gente safada e já fez muitos mais por todos nós que muitos que ocuparam o mesmo cargo e só roubaram e destruíram o nosso País tão rico e belo. Ache ruim quem quiser mais e a pura verdade.

  6. Lucis disse:

    O importante é que a vacina alcance todos

  7. Ricardo Carvalho disse:

    Desde quando bandido tem que ter prioridade, por mim só vacinava quando a população que trabalha e produz for imunizada, se sobrar, aplica nos vagabundos!

    • Zuza disse:

      O problema é que quando um marginal morre sob os cuidados do Estado (preso), temos um prejuízo enorme com as indenizações arbitradas pela justiça.

    • Manoel disse:

      Imaginem essa turma negacionista terraplanista vendo jesus falar para os dois bandidos crucificados ao seu lado: logo mais vcs estarão no céu comigo.
      Por isso que a Biblia diz: é mais fácil um bandido ir para o céu que aqueles falsos cristão. Amém.

  8. João disse:

    Muito bem!Primeiro a população de bem, e depois esses anjinhos que estão lá porque são vitimas da sociedade má.Eita pais que passa por uma inversão de valores.Por mim nem aplicava.

    • Minion alienado disse:

      Lamento pela saúde dos agentes penitenciários e daqueles, com entes no sistema prisional, e prestam serviços aos negacionistas de plantão. A prioridade "cidadão de bem" é cômica.

ONU aprova retirada da maconha de lista de drogas mais perigosas

A ONU aprovou a retirada da maconha de lista de drogas mais perigosas – Istock/Getty Images

A Comissão para Narcóticos da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou nesta quarta-feira, 2, a retirada da maconha para uso medicinal da lista de drogas mais perigosas do mundo.

Composta por 53 Estados-membros, a comissão considerou uma série de recomendações feita pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para reclassificar a planta e seus derivados. Atualmente, a cannabis se encontra classificada como uma das drogas mais perigosas do mundo, ao lado da heroína.

Em 1961, o comitê estabeleceu uma lista com quatro tabelas de classificação, sendo a primeira para as drogas mais leves e a última para as mais pesadas. Uma segunda recomendação da OMS, que reclassificaria os derivados da cannabis, como o dronabinol e o THC, no nível mais baixo das tabelas, não ganhou apoio para ser aprovada.

O voto também ocorre ao mesmo tempo em que diversos países levam adiante a pauta para a legalização da cannabis e seus derivados, muitos deles para uso terapêutico. O México foi um dos últimos países a legalizar o uso recreativo. Nos Estados Unidos, eleitores aprovaram a discriminalização da cannabis em diversos estados.

Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Snoopy Doggy disse:

    Enquanto vocês ficam debatendo aí vou fumar um pra relaxar e dar umas risadas.
    kkkkkkkkk
    Vou dar um tapa na cara da sociedade!
    .kkkkkkkk

  2. Sergio disse:

    Menos perigosa que uma arma nas mãos de civis despreparados. Aí o estrago é grande…

    • bruno disse:

      Não tanto quanto na mão de um vagabundo, que tira a vida de um pai de família por um celular que ele batalhou o mês inteiro para comprar e mesmo assim não tem o direito de usa-lo na rua.

  3. Severino disse:

    Depois, os que falam em agendas globalistas são chamados de 'teóricos da conspiração'.
    Tudo para desestruturar as pessoas, para lhes tirar as responsablidades e delegar para o Estado (ou um supra-estado), desunir famílias, quebrar tradições, relativizar direitos (os lockdowns foram um trailer). Tudo com pretextos fofinhos e progressocas. Dividir para conquistar.

    • Calígula menininha do Pr. disse:

      Isso amigo desperto, precisamos denunciar essa agenda maçônico-globalista-comunista. Albert Pike já falava sobre isso antes da primeira guerra mundial…

  4. HELIÃO - Papagaio 🦜 De Pirata disse:

    Nunca foi, perigoso é quem não sabe usar

Argentina, Chile, Peru entram na lista de países abertos para brasileiros

Foto: Diego Cupolo/Getty Images

Às vésperas do fim de ano, destinos queridinhos dos brasileiros, como Portugal e Estados Unidos, continuam fechados para o turismo. Contudo, as restrições vêm diminuindo aos poucos e há boas notícias, como a reabertura do Chile, Peru e Argentina.

A partir desta segunda-feira, 23, o Chile reabriu parcialmente suas fronteiras. Visitantes só podem entrar pelo Aeroporto Arturo Merino Benítez, em Pudahuel, perto de Santiago. Para embarcar em um avião com destino ao país, é preciso ter um teste PCR negativo feito 72 até horas antes, um seguro saúde que cubra condições relacionadas à Covid-19 e um documento chamado “Passaporte de Saúde”, disponível no site do governo.

Contudo, nas próximas próximas semanas – até o dia 7 de dezembro –, estrangeiros vindos de países de alto risco, segundo classificação da Organização Mundial da Saúde (OMS), devem fazer quarentena de 14 dias ao chegar ao país. O Brasil faz parte da lista.

A Argentina também concretizou um comunicado emitido no dia 30 de outubro, dizendo que suas portas seriam reabertas ao Brasil, Bolívia, Chile e Paraguai – mas apenas com destino à Grande Buenos Aires. Só é permitido circular pela Região Metropolitana da capital e, para garantir a entrada, é preciso apresentar exame PCR negativo, realizado até 72h antes do embarque.

Além disso, antes da crise política e do impeachment, o presidente peruano, Martín Vízcarra, havia prometido no início de setembro a reabertura das fronteiras a estrangeiros. O processo se concretizou em duas fases: no início de outubro, alguns países da América Latina, como Colômbia, Paraguai e Chile, receberam aval do Peru. Depois, a partir do dia 1º de novembro, México, Brasil, Argentina, Espanha e Estados Unidos ganharam a permissão.

Um dos protocolos de biossegurança é a obrigatoriedade do teste de PCR negativo, realizado no máximo 72 horas antes da chegada, para entrar no país. Na falta do comprovante, o turista deverá voltar ao país de origem fazer quarentena de 14 dias. Viajantes também estão sujeitos a triagem médica em aeroportos.

Segundo uma lista publicada na página da Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata), existem cerca de 70 países e territórios que não têm restrições expressas a entradas de viajantes brasileiros a lazer, em voos que partem do Brasil. A maioria deles exige, no entanto, algum tipo de testagem negativa para Covid-19 ou quarentena na chegada.

Como já estava determinado desde o início do segundo semestre, países como México, Turquia e as Bahamas, no Caribe, recebem turistas brasileiros sem muitas restrições.

O governo mexicano só exige o preenchimento de um formulário de “Fatores de Risco”, enquanto a Turquia continua a realizar triagem médica nos aeroportos – caso os viajantes apresentem sintomas, podem ser submetidos a testes e, depois, tratamento médico. As Bahamas, assim como a República Dominicana e a maioria das ilhas caribenhas, só exigem teste ao embarcar.

A Ucrânia, Bósnia e Herzegovina, Equador e Colômbia aceitam receber turistas brasileiros, desde que apresentem o teste negativo para Covid-19. O Egito também reabriu suas fronteiras, mas exige o teste PCR negativo – realizado com, no máximo, 72 horas de antecedência – e seguro saúde. Além disso, o turismo está limitado a resorts em três províncias litorâneas.

Já alguns países europeus, como Reino Unido e Irlanda, apesar de nunca terem barrado viajantes brasileiros, exigem o cumprimento de uma quarentena de 14 dias, com ou sem sintomas da Covid-19 (às próprias custas). Mesmo assim, voos das aéreas British Airways e Latam seguem com regularidade para o aeroporto britânico de Heathrow.

Na fechada União Europeia, apenas a Croácia aceita brasileiros, desde que comprovem reserva de hotel e apresentem teste PCR negativo realizado em até 48 horas antes do embarque. Só quem chegar sem o teste, ou com sintomas, precisa ficar em isolamento por 14 dias. Sérvia, Kosovo, Albânia e Macedônia do Norte também estão abertos aos brasileiros e sem exigências de quarentena.

Se o turista brasileiro cumprir quarentena em um país do bloco ou no Reino Unido, pode seguir viagem para outros destinos no continente. O mesmo ocorre nos Estados Unidos: embora os americanos só permitam a entrada de viajantes com cidadania ou visto de residência permanente, é possível fazer uma quarentena no México, por exemplo, e seguir para destinos como Miami ou São Francisco.

Mesmo tendo que adaptar os planos devido à pandemia, viajar torna-se cada vez mais possível à medida que as duras restrições são revisadas. Até na troca de Orlando por Istambul é possível encontrar consolo para este duríssimo 2020.

Veja

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. José Macedo disse:

    Agora que eles tem mais mortes por milhão de habitantes que o Brasil abrem a fronteira?
    E fazer o que nestes países, ficar trancado dentro de casa.

IBGE atualiza lista de municípios de regiões metropolitanas no país

Foto: © Renato Soares/ MTUR

O Brasil tem atualmente 74 regiões metropolitanas (RM). O estado com maior número é a Paraíba (12). Na sequência está Santa Catarina (11), depois Alagoas (9) e o Paraná (8). O país tem também cinco Aglomerações Urbanas: três no estado de São Paulo e duas no Rio Grande do Sul.

Os dados fazem parte da lista atualizada dos municípios que compõem as regiões metropolitanas (RMs), as regiões integradas de desenvolvimento e aglomerações urbanas (RIDEs) definidas pelos governos estaduais e pela União, divulgada hoje (17) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Para o trabalho, foram consideradas as informações de 30 de junho deste ano. Desde 2013, o instituto atualiza semestralmente a composição das diferentes regiões instituídas no país.

Conforme a revisão atual, o município de Goiana passou a integrar a região de desenvolvimento Mata Norte e não mais a região metropolitana do Recife, que reduzida a 14 municípios: Abreu e Lima, Araçoiaba, Cabo de Santo Agostinho, Camaragibe, Igarassu, Ilha de Itamaracá, Ipojuca, Itapissuma, Jaboatão dos Guararapes, Moreno, Olinda, Paulista, São Lourenço da Mata e a capital pernambucana.

De acordo com o instituto, não houve alterações nas regiões integradas de desenvolvimento brasileiras, nem nas demais regiões metropolitanas.

O IBGE informou que as regiões metropolitanas e aglomerações urbanas foram instituídas por lei complementar estadual, conforme determinação da Constituição Federal de 1988. O objetivo é integrar a organização, o planejamento e a execução de funções públicas de interesse comum das regiões metropolitanas e aglomerações urbanas.

Por causa das condições climáticas, o semiárido brasileiro é uma região que recebe tratamento específico. Os estados com maior número de municípios na região semiárida são Bahia (278), Paraíba (194), Piauí (185), Ceará (175), Rio Grande do Norte (147) e Pernambuco (123).

Ainda fazem parte da região semiárida, municípios dos estados do Maranhão, Alagoas e Sergipe. Embora não esteja na Região Nordeste, Minas Gerais é o único estado que tem municípios nessa região.

Agência Brasil

Bolsonaro diz que Brasil divulgará lista de importadores de madeira ilegal; presidente critica ataques que país sofre por queimadas

Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira (17) que o Brasil vai revelar uma lista com nomes de países que importam madeira extraída de forma ilegal da Amazônia brasileira.

Durante o seu discurso na 12ª Cúpula do Brics, grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, o presidente voltou a criticar os “ataques” que o país sofre em relação às queimadas e ao desmatamento na região amazônica. “Creio que depois dessa manifestação [divulgação da lista], que interessa a todos no mundo, essa prática diminuirá e muito nessa região”, afirmou.

Segundo o presidente, a Polícia Federal desenvolveu um método para rastrear a origem de madeiras apreendidas e exportadas usando isótopos estáveis, uma espécie de DNA que mostra a proveniência geográfica de produtos.

“Estaremos revelando, nos próximos dias, nomes dos países que importam essa madeira ilegal da Amazônia, porque, aí sim, estaremos mostrando que esses países, alguns deles que muito nos criticam, em parte, têm responsabilidade nessa questão [do avanço do desmatamento]”, disse o presidente.

A cúpula do Brics, que ocorreu de forma virtual nesta terça-feira, marca o fim da presidência pro tempore da Rússia à frente bloco, ao longo do último ano. Em 2021, o grupo de países será presidido pela Índia.

Bolsonaro saudou o trabalho da presidência russa ao manter o grupo ativo em 2020 e aprofundar iniciativas de cooperação em diversas áreas, mesmo em meio à pandemia de covid-19. Para o presidente, os países do Brics estão em “perfeita sintonia” no combate ao terrorismo e na busca de uma vacina segura e eficaz contra o novo coronavírus e comprometidos com ações para minimizar as emissões de carbono, que levam ao aquecimento global e às mudança climáticas.

Retomada da economia

Ele lembrou que a primeira reunião do Brics aconteceu em 2009, em meio a “uma das mais graves crises financeiras de história”, e que, naquele contexto, “a força das economias emergentes mostrou-se fundamental para a recuperação da economia internacional”.

“Em 2020, o mundo volta a enfrentar uma crise de contornos desafiadores. Mais uma vez, os países do Brics podem desempenhar papel central nos esforços da superação da covid-19 e da retomada da economia”, observou.

Para Bolsonaro, o caminho para o crescimento econômico depende da cooperação focada em “benefícios mútuos e respeito às soberanias nacionais”, com a ampliação de medidas de promoção comercial e incentivo a uma maior interação entre os setores privados dos países do bloco.

“Nesse aspecto, o Brics se destaca pela variedade de setores e atividade abrangidos pelas iniciativas do grupo. Nossa cooperação deve incentivar a liberdade de criar e empreender”, explicou.

Reformas internacionais

O presidente da República defendeu ainda a reforma de organismos internacionais como a Organização Mundial da Saúde (OMS), da Organização Mundial do Comércio (OMC) e do Conselho de Segurança das Nações Unidas, este último composto por cinco membros permanentes (Estados Unidos, Rússia, China, França e Reino Unido) e por dez membros não permanentes, eleitos para mandatos de dois anos.

O presidente criticou a “politização do vírus [da covid-19] e o pretenso monopólio do conhecimento por parte da OMS” e disse que a pandemia mostrou a “centralidade das nações para a solução dos problemas que acometem o mundo”.

“Temos que reconhecer a realidade de que não foram os organismos internacionais que superaram os desafios, mas sim a coordenação entre nossos países”, frisou, destacando a necessidade de um sistema internacional pautado pela liberdade, transparência e segurança, com a defesa da democracia e da soberania dos países.

Redução de subsídios

Para Bolsonaro, uma comunidade internacional “verdadeiramente integral e ativa” só será possível com essas reformas. Ele defendeu, também, que os países do Brics coordenem o apoio à redução de subsídios para bens agrícolas por parte da OMC e o acesso permanente de Brasil, Índia e África do Sul ao Conselho de Segurança. “Com esse importante passo, tenho certeza que a cooperação no Brics sairá ainda mais fortalecida”, disse.

Juntos, Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul (cujas iniciais, em inglês, deram nome ao grupo) reúnem uma população de cerca de 3,1 bilhões de pessoas, o que equivale a aproximadamente 41% da população mundial, e respondem por 18% do comércio mundial.

Os principais acordos realizados durante a presidência da Rússia no bloco serão formalizados na Declaração da Cúpula de Moscou e em outros documentos. Durante o evento, também serão acordados os posicionamentos que serão apresentados durante a Cúpula do G20, que reúne as 20 maiores economias do mundo, marcada para os dias 21 e 22 de novembro.

Agência Brasil

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Pedro disse:

    Mesma coisa que culpar o usuário de droga e não o traficante .
    Um energúmeno

  2. Jk disse:

    Tá queimando até os chifres desse boboca!

  3. Juliano bugueiro disse:

    O Donald já caiu,falta só o Pateta.

  4. Bolsonarista Binário disse:

    Daqui para a meia noite ele desconversa e diz que foi mal enterpretado. Ainda estou esperando as provas das fraude da eleição de 2018 que ele mesmo ganhou e que nunca apareceu. Bolsonaro vive de picuinha, governar que é bom nada.

  5. Jailson disse:

    E o Brasil só afunda cada vez mais

  6. Webrevenger disse:

    Cão que ladra não morde. Não divulgou logo pq?

  7. Brasil livre!! disse:

    O mundo tem conhecer quem está contrabandeando as riquesas da Amazônia, esses sim, verdadeiros destruidores da nossa floresta.

  8. Calígula disse:

    Boi tátá adora madeiras legal e ilegal.

  9. Antonio Turci disse:

    Corretíssima a atitude do Presidente.

  10. Fred disse:

    Ôôô véi duro da gota serena.
    O véi é duro viu??
    Tem que revelar as ONGs presidente também, o que de fato elas realmente fazem na Amazônia legal.

    • Paulo disse:

      BG
      Essas ongs precisam serem investigadas a fundo. São vagabundos torrando MILHOES de reais e promovendo tudo que é de SABOTAGEM e CRIMES, inclusive ambientais.

    • Samuel Uel disse:

      Comentar o fracasso do Bozo nas eleições o gado nao comenta e nem as rachadinhas.
      Muuuuuuuuuuuu

  11. Calígula disse:

    Tem que divulgar mesmo esses contrabandistas.

    • Pixuleco disse:

      Aproveita para divulgar também porque Queirozito depositou 21 chequitos na conta de. Michele . Ah Papai .

  12. Joaquim disse:

    Valeu presidente

A emocionante lista de planos que filha encontrou em celular do pai meses após morte por câncer

Meses depois da morte do pai, Júlia encontrou em seu celular uma lista de coisas que ele queria fazer Foto: Arquivo pessoal

Era aniversário do pai, o primeiro em que Júlia teria só sua lembrança para celebrar. Naturalmente, a adolescente de 16 anos reuniu a caixa de coisas que tinha dele: roupas com seu cheiro, celular, o perfume que ele usava e algumas cartas. No celular, ela abriu um aplicativo que não havia aberto antes: o de notas. O que viu a fez chorar.

“Quando sair do hospital, eu vou…”, escreveu seu pai, começando uma lista. “Ver a Ju casar”, “Cuidar dos meus netinhos”, “construir uma casa no meio do mato”, “ajudar as crianças no hospital”. E mais: “Fazer comidas novas para a Ju”, “fazer a tatuagem com a Ju”, “ir em Fátima”.

Vinte e seis planos, e uma nova linha que ele nunca completou.

No dia 21 de dezembro do ano passado, o mineiro Ramon do Vale Vicente morreu aos 53 anos. Foram dois anos lutando contra a leucemia. Deixou a filha Júlia, de 16 anos, mãe, irmão e a ex-mulher Fernanda, de quem se reaproximou nos últimos anos de vida, e que aparece na lista como alguém de quem ele queria “cuidar”, assim como ela fez com ele, passando meses no hospital ao seu lado.

Emocionada com o que encontrou no celular do pai em setembro, meses depois de sua morte, Júlia postou a lista no Twitter.

“Por isso que eu falo, aproveitem. Encontrei essa lista q meu pai escreveu no hospital antes de morrer”, escreveu. “Podem ter certeza que eu irei realizar toda essa lista do meu papai!! E eu tenho certeza que ele vai estar junto comigo nesses momentos especiais!!!”. A publicação recebeu 145 mil curtidas e quase 15 mil retuítes.

Quase todos os planos de lista escrita pelo pai envolve a filha, “Ju” Foto: Reprodução

Para ela, é um recado para “aproveitarmos as pessoas quando a gente ainda as tem, principalmente os adolescentes que brigam direto com os pais”.

“Quando a gente perde, é horrível. Acho que as pessoas deveriam aproveitar enquanto podem, ainda mais agora em tempos de pandemia. A gente tem que aproveitar quem a gente ama, passar mais tempo, curtir, contar as coisas, aproximar mais… Todo mundo está muito afastado de todos”, diz ela, que quer completar a lista em homenagem ao pai (leia mais abaixo).

A ex-mulher Fernanda, de 47 anos, acrescenta: “É importante também que, para isso, as pessoas se mobilizem para a doação de medula e de sangue para quem precisa”.

‘APROVEITAR A VIDA’

Nascido em Cataguases, pequena cidade em Minas Gerais, perto da fronteira com o Rio de Janeiro, Ramon passou a infância em Recreio, cidade ao lado. Ali, abandonou a escola e foi trabalhar com motos, segundo contava à filha, porque se considerava “o melhor motorista de moto da cidade”. Também tinha paixão por carros. Com 1,90m de altura, era considerado um cara forte, que chamava a atenção.

Em Juiz de Fora, formou-se como técnico em eletrônica. Depois, trabalhou em Belo Horizonte fazendo manutenção em torres de rádio para a Telefonia.

Ramon era técnico em eletrônica e apaixonado por carros Foto: Arquivo pessoal

Foi no trânsito da capital mineira onde ele e Fernanda, psicóloga que trabalha com recursos humanos, se conheceram. Era 1996.

“É até engraçada as coincidências das nossas vidas. A primeira vez em que eu saí com o Ramon, ele perguntou quando era meu aniversário. Quando disse 26 de setembro, ele falou ‘Ah, não, não acredito’. É porque era o dia do aniversário dele também. Trabalhávamos no mesmo prédio e a gente nunca tinha se visto – nos conhecemos em um lugar totalmente diferente, distante de onde a gente trabalhava”, diz ela.

Era uma pessoa alegre e brincalhona, segundo descreve Fernanda. “Não tem um que não fale ‘nó, não era um cara bom’. Nunca ouvi ele falar mal de ninguém. Ele gostava de viver, de aproveitar a vida”, diz.

Casaram-se em 1999, e Júlia veio quatro anos depois.

Mas, “no meio do caminho, ficamos dez anos separados”, conta ela. “Ficamos afastados durante um tempo, mas mantivemos o relacionamento.”

Júlia diz que ela e o pai brincavam muito. “A minha relação com ele sempre foi muito boa, a gente brincava muito, falava que minha mãe era a general e meu pai deixava eu comer tudo que eu quisesse, mas só depois do almoço”, ri.

Pula para 2018.

Ramon começou a se sentir fraco. Achou que algo estava errado.

“Tive com o Ramon um mês antes da gente descobrir que ele estava doente. Ele mencionou que estava fraco. Fomos numa quadrilha da escola da Júlia, saímos e ele já estava passando mal.”

Na semana seguinte, ele contou para Fernanda que estava com pedras nos rins e estava internado. Ali, descobriram que havia também uma alteração na contagem de seus leucócitos, células que compõem nosso sistema de defesa.

Quinze dias depois, o diagnóstico: leucemia. Nesse tipo de câncer, a produção desordenada aumenta o número de leucócitos no sangue.

“A primeira internação dele durou 30 dias. Eu fiquei com ele esses 30 dias, sem sair do hospital. Acompanhei ele por todo o período, e nesse período a gente se acertou, a gente curou as feridas, e a gente retomou o relacionamento”, conta Fernanda. “Nossa história é triste e bonita ao mesmo tempo. Dizem que Deus tem propósito para todo mundo. A gente se afastou, se acertou e retomou.”

“Ramon era forte, animado, uma pessoa que amava a vida em todos os sentidos”, diz. O período da quimioterapia foi duro, mas ele sempre dizia “estou firme, vamos, vamos vencer, passar por isso”, lembra ela. “Ele nunca se perguntou ‘por que comigo?'”

“Às vezes a gente levantava de manhã no hospital, e eu abria a janela para a gente ver o sol. Ele olhava para o céu e falava: ‘Que dia lindo. Estou doido para sair daqui ver esse céu maravilhoso, doido para ir para a praia’.”

Um ano e oito sessões de quimioterapia depois, ele foi para a casa. “A médica disse ‘ele tá ótimo, tá curado, a quimioterapia foi excelente e a medula está funcionando normal’. Ele ficou em casa, e nós retomamos a vida.”

Quatro meses depois, ele começou a passar mal de novo. A leucemia havia voltado. Foram mais quatro meses no hospital.

“Fizemos campanha para doação de medula, coleta com parentes mais próximos para ver quem era compatível”, conta Fernanda. A filha, Júlia, era 50% compatível, o que permitiria que uma técnica inovadora de transplante de medula fosse feita. “Estava tudo preparado, a autorização para ela doar, tudo. Estávamos só esperando a última quimioterapia, que ele precisava para receber a medula.”

Mas Ramon não resistiu. Em 21 de dezembro de 2019, faleceu.

A LISTA

Quando viu a lista que o pai tinha escrito, viu que eram anotações de todos os planos que tinham feito juntos no hospital, diz Júlia. “Ele ficava deitado e me contava tudo que queria fazer. Ele falava que depois a gente ia fazer isso, depois ia fazer aquilo…”

A maior parte dos itens da lista envolve a “Ju”. Agora, ela quer realizar todos os planos que eles tinham juntos, menos um, diz ela. Ela não quer trocar o sobrenome “Vale” para “Valle”, como é o sobrenome do resto dos membros da família – uma modificação que o avô fez na hora de registrar o filho e que, para Júlia, faz dos dois “únicos”. “Só eu e ele teremos o sobrenome assim, vai ser uma coisa só nossa.”

Em janeiro, Júlia foi à praia favorita do pai, que ele estava sonhando em ir quando estava internado Foto: Arquivo pessoal

Alguns dos outros planos já foram realizados: em janeiro, ela pediu que a mãe a levasse para Cabo Frio, no Rio, a praia favorita do pai, para onde ele estava louco para ir. Era o primeiro item da sua lista.

A tatuagem que eles tinham combinado de fazer juntos – uma reprodução de uma foto que Júlia tirou do batimento cardíaco do pai no monitor da UTI – ela já fez.

Ajudar as crianças do hospital foi algo que Júlia e Fernanda fizeram por ele antes mesmo de verem a lista.

Na reta final da internação de Ramon, fizeram uma campanha com amigos e familiares para doação de sangue (mais de 100 doadores doaram para ele) e arrecadar um valor para pagar um profissional para ajudá-lo em casa depois do transplante de medula.

O valor arrecadado, cerca de R$ 8 mil, foi dividido e doado em parte para um projeto chamado “Missão Sofia”, que produz perucas para crianças com câncer, e em parte para um conhecido, uma pessoa humilde da cidade da mãe de Ramon que estava com um linfoma, para ajudá-lo com sua alimentação. Esse conhecido, Helder, recuperou-se bem da doença.

A casa da mãe, que ele queria ajeitar, tem sido reformada pouco a pouco neste ano pela neta e pela nora.

O Troller, o jipe que ele tinha e que queria modificar, está com Júlia. O pai já tinha até comprado um volante vermelho, e ela quer completar todas as modificações que ele tinha em mente. Ela conta que ele lhe ensinou muito sobre carros, e que também já a havia ensinado a dirigir.

O botox que ele escreve que queria pagar para Fernanda era uma brincadeira entre os dois, explica ela.

“Ele brincava que com o tratamento teria uma renovação tão intensa que ficar jovem de novo. E eu, que ficava no hospital 24 horas, dizia que só estava envelhecendo, que tinha que colocar botox para alcançá-lo e ficarmos os dois brotinhos”, ri ela.

Júlia, por sua vez, sonha também em completar as viagens da lista. Quer ir para Nova York e ver a neve – algo que o pai sempre teve vontade de conhecer, mas nunca teve a oportunidade, explica ela. Também quer ir para Fátima, uma promessa do pai, que era devoto.

E em momentos importantes da vida, como casar ou ter filhos – se ela quiser -, Júlia diz que “com certeza” estará lembrando o seu pai.

“De uma certa forma, movimentou a gente para uma maior reflexão sobre o sentido da vida, e o que a gente faz no dia a dia. A vida reserva muitas surpresas e nem sempre são agradáveis. Por pouca coisa, a gente reclama e, diante da situação toda, ficou a lição. Mesmo com muita dor, vale a pena lutar pela vida e fazer a diferença para as pessoas”, diz Fernanda, que agradece quem ajudou ao longo do caminho.

Para Júlia, a lista é só mais uma lembrança do pai. “O tempo todo eu me lembro dele. Qualquer coisa que eu faço, eu me lembro dele”, diz. “Completá-la é mais uma maneira de tê-lo por perto.”

Época, com BBC

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. mesk disse:

    A família deste sr. Ramon atentou para o fato de que ele pode ter sido vítima de doença relacionada ao trabalho?
    A matéria relata que ele trabalhou fazendo manutenção em Torres de rádio para telefonia e morreu de leucemia.
    Pesquisem em fontes confiáveis, sobre exposição a ondas eletromagnéticas e câncer.

  2. Entregador De Pizza 🍕 disse:

    Que linda história de amor entre pai e filha….

  3. Sérgio disse:

    O único plano que vale a pena é o da vida eterna Isso aqui é só ilusão.
    Tanta discórdia e agressão pra nada…

Com Neymar, atletas estão na lista das celebridades mais ricas. Confira

Foto: Colagem R7/ Instagram

Os atletas continuam esbanjando grandes fortunas. Na lista das cem celebridades mais ricas do mundo em 2019, divulgada pela prestigiada Forbes, cinco atletas aparecem no top-10. Neymar, na sétima posição, está nesta lista que soma salários e contratos de patrocínio. Confira a seguir os destaques:

O último da lista da lista das cem celebridades mais ricas é Mohamed Salah. O joagdor do Liverpool somou R$ 188,4 milhões.

Considerada a maior tenista de todos os tempos, Serena Williams aparece apenas na 98ª colocação entre as celebridades. A americana teve um rendimento de R$ 192,6 milhões.

Considerada a maior tenista de todos os tempos, Serena Williams aparece apenas na 98ª colocação entre as celebridades. A americana teve um rendimento de R$ 192,6 milhões.

A jovem tenista Naomi Osaka aparece na 90ª posição, com um ganho de R$ 200,8 milhões.

Grande Rival de Roger Federer, Novak Djkovovic ganhou R$ 238,6 milhões e por isso esta na lista na 68ª colocação entre os famosos.

Tom Brady, grande craque da NFL, teve ganho aproximado de R$ 240,7 milhões. Ele aparece na 64ª colocação.

Muito falastrão e um dos mais talentosos lutadores do UFC, Conor McGregor aparece na 53ª colocação com seus R$ 256,8 milhões.

Jared Goff teve ganhos de R$ 262,1 milhões. Com valor ele fica na 49ª posição geral.

Rory McIlroy é o 44º colocado na lista dos mais bem pagos. O golfista teve um ganho de R$ 278,2 milhões no ano passado.

Um dos melhores piltos da história da F-1, Lewis Hamilton ganhou cerca de R$ 288,9 milhões. Com esse valor, ele fica na 40ª colocação geral.

Russell Westbrook ostenta dentro e fora das quadras com seus R$ 299,6 milhões em ganhos no ano passado. O jogador do Houston Rockets é o 35º na colocação geral.

Carson Wentz, na 31ª posição geral, abre o top-10 dos atletas. Ele recebeu o valor aproximado de R$ 316,1 mi, segundo a Forbes.

Na nona posição entre os atletas, 27ª no geral, aparce Kirk Cousins com um ganho de aproximadamente R$ 323,6 milhões.

Considerado o maior golfista de toda história, Tiger Woods aparece no oitavo lugar desta lista de atletas, o 26º no geral. O craque conseguiu R$ 333,3 milhões em ganhos.

Hoje no Brooklyn Nets, Kevin Durant conseguiu R$ 341,8 milhões. Ele é o sétimo entre os esportistas e o 24º no geral.

Um dos melhores jogadores dos últimos anos e a grande revelação da NBA na década, Stephen Curry está no sexto lugar na lista dos esportistas (16º no geral), com seus R$ 398 milhões.

LeBron James, uma das feras da NBA, conquistou R$ 471,8 milhões em ganhos e ficou com a quinta colocação entre os esportistas, a nona na lista geral das celebridades.

O atacante Neymar é o único brasileiro nesta lista. O camisa 10 do Paris Saint-Germain ganhou aproximadamente R$ 510,9 milhões nos últimos 12 meses, entre salários, patrocínios e premiações, e ficou com a sétima colocação geral, a quarta entre os esportistas.

Considerado um dos maiores da história do futebol, Lionel Messi apareceu na terceira colocação dos esportistas, a quinta geral, com R$ 556,4 milhões de salário.

Grande rival de Messi, Cristiano Ronaldo está na vice-colocação do esporte com R$ 561,7 milhões. O português é o quarto na lista das celebridades mais ricas.

Um dos maiores tenistas da história, Roger Federer aparece na primeira colocação entre os esportistas, a terceira no geral. O suíço somou incríveis R$ 568,7 milhões na última temporada.

Fora de Jogo – R7

 

Roberto Jefferson, Luciano Hang, Allan dos Santos e mais: veja lista de contas bloqueadas pelo twitter por decisão judicial em decorrência do inquérito das fake news

Por decisão judicial, o Twitter retirou do ar uma série de contas de bolsonaristas. Veja a lista (ainda em atualização):

Allan dos Santos

Bernardo Küster

Edgard Corona

Edson Salomão

Eduardo Fabris Portella

Enzo Momenti

Luciano Hang

Marcelo Stachin

Marcos Bellizia

Otavio Fakhoury

Paulo Bezerra

Rafael Moreno

Reynaldo Bianchi Junior

Roberto Jefferson

Rodrigo Ribeiro

Sara Giromini

Winston Lima

Veja mais: Alexandre de Moraes manda Twitter suspender contas de envolvidos no inquérito das fake news

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Santos disse:

    Não tem um perfil ligado a esquerda nessa lista. Mas dos moralistas de goela está recheado.

  2. Chicó disse:

    O STF descobriu que só a direita é quem produz Fake News !!! Imparcialidade total !!!

  3. Reno sousa disse:

    Não vi ninguém sobrenome Bulsonaro?!??! Porquê em?!??!?!

  4. Neco disse:

    TEM GENTE GOSTANDO, NÉ?
    Basta uma mudança de maré que isso se volta contra vc, IDIOTA!

  5. Patriota disse:

    O STF está de parabéns ao cumprir seu papel. Aos que reclamam de perseguição política, sugiro que denunciem com provas quem anda espalhando mentiras na internet e assim contribuirão de forma muito mais produtiva do que ficar xingando juíz em caixa de comentários.

  6. Beto Araújo disse:

    Bandidos são bandidos, de esquerda ou de direita, ou já tem os de estimação?

  7. Mgil disse:

    Roberto Jeferson fez uma série de acusações contra ministros do STF. Acusações seríssimas. Não vi ou ouvi dizer que seria processado. Por que será? Estranho.

  8. Diomedes disse:

    Acho é pouco!

  9. Josué disse:

    Vem ca!!
    Nessa lista do cabeça de P… só tem bolsonariatas??
    BOZO DE NOVO!!
    vao inventar muito pra desgastar o presidente Bolsonaro.
    Kkkkkkkk
    Efeito bolo, quanto mais bate, mais cresce.
    Bata nego, pode bater, bata com força que não sinto doer.
    Kkkkkkkkkk
    Reeleito em primeiro turno.
    O véi tá ESTOURADO.
    Kkkkkkkk

  10. Queiroz disse:

    Parabéns, ministro Alexandre de Moraes. Esse é macho e não capacho.

  11. Francisco de Assis disse:

    Basicamente a base do Bolsonaro. Parece uma quadrilha.

  12. João Felipe disse:

    Atitudes assim acabam fortalecendo ainda mais o governo…o que vemos é a oposição se debatendo. BOLSONARO 2022!

    • Hedylamar disse:

      👍😎🇧🇷👍😎🇧🇷👍😎🇧🇷👍😎🇧🇷👍😎🇧🇷
      #BolsonaroReeleito
      #Bolsonaro2022

  13. Waldir disse:

    Esse Ministro é um imbecil. Isso eh uma aberração, depois não reclamem…

  14. Raimundo disse:

    A pior ditadura é a do judiciário “Rui Barbosa “

    • Cigano Lulu disse:

      Rui Barbosa é aquele do ABC?

    • Patriota disse:

      Rui Barbosa? Tá bem atual, hein? O Rui Barbosa perdeu a eleição de 1910 para Hermes da Fonseca. Foi a campanha da pena contra a espada. A espada ganhou. Em quem você você votaria? Num intelectual ou num milico armado?

    • Manoel C disse:

      Rui Barbosa numa época de anti-erudição? Só temos eruditos parvos, tanto de direita quanto de esquerda. Não traduzem/comentam/criam nada de relevante, apenas fantoches políticos.
      Triste daquele que busca cultura…

Lista obtida pelo NYT mostra que Europa vai barrar brasileiros, russos e americanos; bloco vai abrir fronteiras externas em 1º de julho

Foto: STEPHANE DE SAKUTIN / AFP

Os brasileiros, assim como os americanos e os russos, serão impedidos de entrar nos países da União Europeia quando eles reabrirem suas fronteiras externas que foram fechadas por causa da pandemia da Covid-19. A reabertura está prevista para acontecer a partir de 1° de julho. Brasil, EUA e Rússia estão nos rascunhos das lista de países cujos cidadãos continuarão impedidos de entrar no território do bloco, obtidos pelo New York Times.

O jornal americano teve acesso a uma série de listas elaboradas pelos Estados-membros da União Europeia, baseadas na maneira como nações mundo afora estão lidando com a pandemia. O Brasil, com mais de 50 mil mortos e um milhão de casos, aparece em todas as listagens de nações cujos cidadãos continuarão barrados, assim como os EUA, com 120 mil mortos e mais de 2,3 milhões de contaminados, e a Rússia, com meio milhão de infecções.

Não há uma confirmação oficial por parte dos governos — os documentos foram obtidos de forma anônima, por causa da sensibilidade do tema e por conta dos detalhes das negociações para a elaboração da lista final de todo o bloco, que deve ser divulgada no inicio da próxima semana. Tal decisão poderá ter um impacto político e econômico considerável, uma vez que americanos e russos, em especial, estão entre os principais visitantes do bloco.

Ao mesmo tempo, os países europeus estão discutindo listas de países cujos cidadãos estariam liberados para entrar no bloco, incluindo China, Uganda, Cuba e Vietnã.

As fronteiras da União Europeia estão fechadas a praticamente todos os estrangeiros desde o começo de março, assim como as fronteiras internas, entre os 27 países do bloco. Estas últimas começaram a ser reabertas em 14 de junho, à medida que nações como Itália, França e Espanha, que já foram o epicentro da pandemia, começaram a controlar o número de novas contaminações e mortes.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Minion de Peixeira disse:

    Cadê os vira-latas reativos dizendo que o Brasil é o único perseguido pelos gringos?

OMS lista 133 estudos de vacinas contra a Covid-19; Estados Unidos lideram 42 projetos e Oxford, no Reino Unido, é a mais avançada

Foto: Dado Ruvic / REUTERS

Nas últimas semanas, o mundo viu a busca por uma vacina contra o SARS-CoV-2, vírus causador da Covid-19, acelerar-se em tempo recorde. Relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), publicado no último dia 2 de junho, reúne 133 pesquisas de imunizantes contra o novo coronavírus. Os Estados Unidos lideram a lista, com 42 projetos, seguidos por 19 da China — que reúne cinco das dez iniciativas já em testes clínicos, em seres humanos.

Se geralmente as vacinas levam uma década para serem desenvolvidas, a pandemia de um vírus altamente contagioso, que em cinco meses matou mais de 400 mil pessoas no mundo, tem mobilizado altos investimentos e equipes, que chegam a falar em uma fórmula ainda para este ano — apesar de mesmo os mais otimistas considerarem quase impossível haver uma vacina segura e eficaz antes de 2021, sobretudo diante da necessidade de bilhões de doses. Mesmo com o momento emergencial, há um rigor mínimo necessário para garantir a segurança e comprovar a eficácia da vacina para um amplo grupo de pessoas, que precisam produzir suficientes anticorpos neutralizantes do vírus de forma prolongada.

Apesar de EUA e China terem mais projetos, a vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, é a mais avançada, na fase três de testes clínicos (depois dela ainda são necessários testes em larga escala para a aprovação regulatória), com 10.260 voluntários. Como o Brasil ainda vive o auge da pandemia, serão testadas no país duas mil pessoas que estejam mais expostas ao vírus, como profissionais de saúde, no Rio de Janeiro e em São Paulo. No Rio, os testes serão conduzidos pelo Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino e pela Rede D’Or, que cobrirá custos da primeira parte de estudos; já o Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (Crie) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) coordenará os testes na cidade, com financiamento da Fundação Lemann.

O projeto de Oxford tem parceria com a farmacêutica AstraZeneca. Outras pesquisas promissoras são as da Sanofi/GSK, Johnson & Johnson, Moderna, Sinovac, CanSino Biologics 1 e BioNTech/Pfizer (leia mais sobre as outras iniciativas abaixo).

Parcerias com empresas são chave para garantir a fabricação de vacinas em larga escala, por isso a Morgan Stanley incluiu entre os projetos mais promissores alguns que ainda não estão em testes clínicos, mas têm alto potencial de produção. No entanto, teme-se que os interesses comerciais prevaleçam e países menos desenvolvidos fiquem atrás na distribuição vacinal — como o Brasil, já excluído de aliança internacional coordenada pela OMS para incentivar a produção de uma vacina. Em meio à disputa por patentes, a China anunciou que, se qualquer um de seus projetos for bem-sucedido, transformará a tecnologia para a produção da vacina em bem público global.

Projetos promissores pelo mundo
Sanofi/GSK

As duas empresas se uniram para desenvolver uma vacina que prevê testes em seres humanos no segundo semestre deste ano, podendo originar uma vacina no segundo semestre de 2021. A Sanofi entra com a tecnologia de DNA recombinante, que cria uma correspondência genética com as proteínas encontradas na superfície do coronavírus. Já a GSK contribui com um adjuvante, substância adicionada a algumas vacinas para melhorar a resposta imune — ele pode diminuir a quantidade de proteína necessária por dose, permitindo que a vacina seja produzida em larga escala, o que é fundamental numa pandemia. A combinação de um antígeno à base de proteínas e um adjuvante é utilizada em várias vacinas disponíveis atualmente.

Oxford/AstraZeneca

Desenvolvida pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, a vacina usa uma versão modificada de um adenovírus de chimpanzé, incapaz de infectar humanos, para levar às nossas células material genético que codifica a proteína spike, responsável pela multiplicação do SARS-CoV-2. O sistema imune reage como se estivesse sendo invadido pelo coronavírus, produzindo anticorpos. Os testes terão 10.260 voluntários na segunda fase — que testará pessoas acima de 55 anos e crianças entre 5 e 12 anos — e na terceira, que incluirá dois mil voluntários no Brasil: mil no Rio de Janeiro, com coordenação do Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino e da Rede D’Or, que entrará com financiamento; e mil em São Paulo, com estudos liderados pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e financiamento da Fundação Lemann. A farmacêutica AstraZeneca se associou à pesquisa e já assinou com Reino Unido e EUA para produzir a vacina em escala industrial.

Johnson & Johnson

Assim como a vacina de Oxford, a empresa usa um adenovírus para “enganar” o sistema imune, que produz anticorpos como se estivesse sendo infectado pelo Sars-CoV-2. Os testes pré-clínicos foram realizados com macacos resos, também usados nos projetos de Oxford e Sinovac. Os testes clínicos só começam em setembro, mas o projeto entrou numa lista da Morgan Stanley pelo potencial de distribuição: a empresa prevê a produção de 600 a 900 milhões de doses da vacina no primeiro trimestre do ano que vem e um bilhão até o fim de 2021.

Moderna/National Institutes of Health (NIH)

A tecnologia usa a sequência genética de uma molécula de RNA para codificar a proteína do vírus, sendo inserida em nossas células. Estas, por sua vez, reproduzem a proteína do vírus, estimulando o sistema imune. Apesar de ser uma técnica versátil, por não manipular o vírus, não há nenhuma vacina no mundo produzida dessa forma. Ainda que a empresa tenha publicizado grandes resultados, eles se referiam à imunização de apenas oito pessoas. A empresa foi autorizada a pular etapas pela Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora dos EUA. Em acordo com a farmacêutica Lonza, a Moderna diz que poderá produzir um bilhão de doses da vacina em meados de 2021.

Sinovac Biotech

A farmacêutica começou o projeto já em janeiro, em parceria com instituições acadêmicas da China, e publicou na “Science” os resultados dos estudos pré-clínicos, com eficácia em macacos resos, passando para os testes em humanos. A empresa espera produzir 100 milhões de doses anuais. A pesquisa usa a técnica do vírus inativado, a mesma de outros três projetos na China que também já estão em fase de testes clínicos.

CanSino Biologics 1/Instituto de Biotecnologia de Pequim

Batizada de Ad5-nCoV, a vacina usa um adenovírus com o objetivo de fornecer antígenos que estimulam a resposta imune do organismo. A Ad5-nCoV foi testada em 500 pacientes até o fim de abril e está na segunda fase de testes clínicos desde maio. Segundo o relatório, é esperado que a terceira fase inclua outros países além da China. A companhia pretende produzir 100 milhões de doses em 2021.

BioNTech/Pfizer

Desde 2018, a alemã BioNTech e a americana Pfizer têm uma parceria para a produção de vacinas contra a influenza. Agora elas se juntam em pesquisa contra a Covid-19, que usa a tecnologia do RNA mensageiro em três formatos diferentes, combinada a dois antígenos. Os testes clínicos são nos EUA, na Alemanha e na China, onde há uma parceria com Fosun Pharma. A capacidade de produção estimada de centenas de milhões de doses em 2021. Outra empresa alemã que desenvolve vacina com RNA é a CureVac.

O Globo

 

Coronavírus: Bolsonaro inclui construção civil e indústria em lista de atividades essenciais na pandemia

Foto: © Antônio Cruz/Agência Brasil

O presidente da República, Jair Bolsonaro, decretou que as atividades de construção civil e industriais também são essencias em meio à pandemia do novo coronavírus.

A ampliação da lista de serviços e atividades considerados essenciais foi publicada no “Diário Oficial da União” (DOU) desta quinta-feira (7) e já está em vigor. A última alteração da lista, que já inclui mais de 50 itens, foi feita em 29 de abril.

O decreto foi editado no mesmo dia em que Bolsonaro, acompanhado de um grupo de empresários e ministros, foi ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedir que medidas restritivas nos estados, motivadas pela crise do coronavírus, sejam amenizadas.

Ao serem classificados como essenciais, as atividades e serviços podem continuar em operação mesmo durante restrição ou quarentena em razão do vírus.

De acordo com o decreto desta quinta-feira, a indústria e a construção civil podem manter as atividades “obedecidas as determinações do Ministério da Saúde”.

No decreto publicado em 29 de abril, Bolsonaro fixou que as definições pelo governo federal dos serviços e atividades essenciais “não afasta a competência ou a tomada de providências normativas e administrativas pelos Estados, pelo Distrito Federal ou pelos Municípios, no âmbito de suas competências e de seus respectivos territórios”.

O decreto considerou decisão do Supremo segundo a qual estados e municípios têm o poder de estabelecer políticas de saúde, inclusive questões de quarentena e a classificação dos serviços essenciais.

G1