Advogado pede ao STJ abertura de inquérito sobre denúncias de ex-assessor de Joice, contra Dória, Moro e outros por suposta ligação com atentado contra Bolsonaro

O advogado Paulo Carvalhosa impetrou notícia crime com pedido de abertura de inquérito policial no Superior Tribunal de Justiça (STJ) a partir de denúncias divulgadas pelo ex-assessor da deputada federal Joice Hasselman, Silvio Frutuoso divulgadas em vídeos nas redes sociais.

O advogado aponta que o ex-assessor, que teria tido caso amoroso com a deputada, divulgou que ela pediu criação de perfis fakes contra Bolsonaro e relatou ainda que figuras públicas como o governador de São Paulo, João Dória e o ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, fariam parte do grupo criminoso juntamente com Adélio Bispo, autor da facada contra Bolsonaro na campanha eleitoral de 2018.

Matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bader disse:

    Eu quero vê o mar pegar fogo pra comer peixe frito kkk

    Eu não duvido de mais nada. Quem pensa que Moro 3 bobinho está enganado é um covarde e mau caráter.

    Idiota é quem acredita em #moropresidente.

    Quem te viu quem te vê. Quem diria que ele um dia disse que não tinha pretensões políticas rsrs imagina se não tivesse. Entrou no sistema corrompeu-seu.

  2. Gadominion disse:

    Por coincidência são os desafetos do bozo🤡

  3. Felipe disse:

    Sem pé nem cabeça, igual aos eleitores do bozo.

  4. Anderson disse:

    Vão descobrir que Trump junto com Xi Ji Ping são os cabeças desse mega complô, kkkkk….

  5. Emmanoel do Nascimento Costa disse:

    Estou vendo a hora essa turma de Bolsonaro dizer que D.Pedro Segundo ainda está vivo

  6. EDILSON disse:

    SE FOR VERDADE ESSA NOTICIA, O BICHO VAI PEGA.

    • Dulce disse:

      Eu também acredito em mula sem cabeça. Tentam de todas as formas atingir Moro. Pior que o homem tem uma couraça. rsrsrs

Estudo liga uso do celular com câncer em grupo específico de usuários

Foto: (Getty Images/Reprodução)

A Escola de Saúde Pública da Universidade de Yale, nos EUA, publicou um novo estudo que mostra uma correlação entre o uso de telefones celulares e a incidência de câncer de tireoide, uma glândula localizada no pescoço que produz hormônios importantes para o funcionamento de nosso organismo.

O estudo analisou 900 pacientes no estado de Connecticut, nos EUA, e determinou que os que tinham uma mutação genética chamada Polimorfismo de Nucleotídio Único (SNP, Single Nucleotide Polymorphism) tinham uma chance maior de desenvolver câncer. A equipe estudou 176 genes, e identificou 10 SNPs que parecem aumentar o risco de câncer de tireoide entre usuários de celulares. Quatro destes SNPs, em específico, são relacionados a um risco até duas vezes maior.

“Nosso estudo fornece evidências de que a suscetibilidade genética influencia a relação entre o uso do telefone celular e o câncer de tireóide”, disse Yawei Zhang, M.D., Ph.D., professora do Departamento de Ciências da Saúde Ambiental da Escola de Saúde Pública de Yale. “Mais estudos são necessários para identificar populações suscetíveis à radiação por radiofrequência (RFR) e entender a exposição à RFR por diferentes padrões de uso de telefones celulares”.

Vale destacar que o estudo analisou dados coletados entre 2010 e 2011, quando os smartphones ainda estavam chegando ao mercado. Os riscos podem ser relacionados à geração anterior de celulares, que ainda estava em uso comum quando os dados foram coletados.

Além disso, a chegada dos smartphones mudou a forma de uso dos celulares, que hoje são muito mais usados para troca de mensagens, afastados do rosto dos usuários, do que para as chamadas. Por isso, afirma Zhang, as conclusões do estudo atual merecem ser reavaliadas em estudos futuros.

Olhar Digital, com Escola de Saúde Pública da Universidade de Yale

Ligação do Planalto com Cidade Satélite será fechada para obra; veja alterações no trânsito e transporte

Foto: Josenilson Rodrigues

A Prefeitura do Natal, por meio da Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU), informa que a passagem de nível da Rua Antônio Freire de Lemos, que liga o Planalto à Cidade Satélite, estará fechada para obra de troca de trilhos, realizada pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), a partir da próxima quinta-feira (29).

Com isso, o motorista que necessitar circular entre o Planalto e Cidade Satélite – além de bairros vizinhos das zonas Sul e Oeste da capital – deverá utilizar a passagem de nível da Rua Monte Rei, região conhecida como pátio da feira do Planalto.

De acordo com a STTU, a obra segue até o domingo (1º de setembro). Em caso de dúvidas, o cidadão pode ligar para o Alô STTU – no telefone 156 – ou perguntar pelo do twitter oficial, o @156Natal.

MUDANÇA NO TRANSPORTE PÚBLICO

Além da mudança no trânsito, a linha 83 (Felipe Camarão/Ponta Negra, via Cidade Satélite) mudará de itinerário devido à obra. Segundo a STTU, o desvio vai acontecer em tempo integral no período da interdição, ficando o itinerário do seguinte modo:

Sofrer com dor de garganta recorrente pode ter ligação com baixa imunidade

Foto: Pixabay

O otorrinolaringologista Danilo Sguillar, da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, explica os diferentes tipos de dor de garganta e suas causas

Toda dor de garganta é amidalite? Não. Amidalite é inflamação ou infecção na região das amídalas. Faringite é a inflamação ou infecção na faringe e laringite é a inflamação ou infecção na laringe. Todas podem gerar febre, tosse e dor local. Já a laringite também pode provocar rouquidão. A faringe conecta o nariz e a boca, e a laringe, a boca ao esôfago, de acordo com definição do Ministério da Saúde.

Por que a gripe dá dor de garganta? A gripe é um quadro viral que atinge as vias aéreas superiores, transmitida por gotículas salivares ou secreções de pessoa para pessoa. Manifesta-se com febre, espirros, tosse, congestão nasal e dor muscular. A dor de garganta pode ocorrer pelo gotejamento nasal que gera irritação da garganta e, consequentemente, tosse e dor, ou porque o vírus também pode acometer essa região, no caso de amidalite ou faringite viral.

Quando uma dor de garganta pode ser considerada recorrente? Não há um número pré-estabelecido na literatura médica em relação a faringites de repetição. Em relação às amidalites, são considerados recorrentes 7 episódios de infecção em um ano ou 5 episódios em 2 anos consecutivos ou ainda 3 episódios de infecções em 3 anos consecutivos. Normalmente, é recorrente em pessoas suscetíveis, como crianças e adolescentes, expostos à fumaça do cigarro, com alergias ou baixa imunidade.

Qual a diferença da dor de garganta causada por vírus e por bactéria? Ambos os quadros podem apresentar febre, dor de garganta, tosse e dor no corpo. Quadros virais tendem a ser mais brandos, com menos dor e febre mais baixa. Quadros bacterianos tendem a ser mais severos, com dores mais intensas e febre mais alta.

Existe dor de garganta causada por fungo? Tomar água de filtro sujo pode provocar doença na garganta? Sim. É a chamada candidíase oral ou monilíase oral. Manifesta-se como placas brancas destacáveis em mucosa jugal (bochecha), na faringe ou na base da língua. Ela é causada por fungos que já habitam a flora bucal e que invadem esses tecidos no momento em que a pessoa tem alguma alteração imunológica, por exemplo, descompensação do diabetes, HIV, pessoas transplantadas ou que estão realizando tratamento oncológico com quimioterápicos. Portanto, o contato com filtros sujos tem pouca influência, já que o que vai ditar a doença é a imunidade da pessoa.

A dor de garganta está ligada à baixa resistência? Sim, pode estar. Pessoas que estão dormindo pouco, alimentando-se mal, tenha doenças como diabetes mal controlado, HIV e tumores, podem ter oscilação na imunidade e se tornarem mais susceptíveis a quadros infecciosos.

O que fazer se estiver ligada à baixa imunidade? Adequar o que está interferindo na imunidade. Dormir e acordar em horário correto, ingerir bastante líquido, alimentar-se de forma saudável, tratar as alergias respiratórias, se for o caso, além de procurar doenças que possam estar alterando a imunidade como diabetes e tumores.

Por que tem gente que tem dor de garganta ao dormir de cabelo molhado? A friagem corporal pode oscilar a imunidade e gerar aumento da chance de um quadro infeccioso viral. Esse quadro pode levar à tosse, espirros, coriza e dor de garganta.

Quais são as principais causas da dor de garganta? Infecções virais e bacterianas. Outras causas são alergias, refluxo e câncer.

Como prevenir que a dor de garganta volte? Ter um estilo de vida saudável. Beber bastante água, dormir e acordar em horário correto, manter locais arejados, evitar contato com pessoas doentes e lavar bem as mãos.

Como é o tratamento para quem tem dor de garganta recorrente? Além de todas as recomendações anteriores, é possível introduzir medicamentos imunoestimulantes e, nos casos das amidalites de repetição, é possível indicar cirurgia de remoção das amídalas.

Por que há casos em que a pessoa acabou de tomar antibiótico para infecção bacteriana e em poucos dias tem dor de garanta novamente? Ou a pessoa está desenvolvendo um quadro viral ou o antibiótico pode não ter sido efetivo para eliminar todas as bactérias. Neste caso, o paciente necessita de um antibiótico com maior espectro de ação. Há ainda uma outra hipótese: a de resistência bacteriana, ou seja, o antibiótico não foi suficiente para exterminar as bactérias, pois elas criaram mecanismos de defesa – nesses casos, devem ser utilizados antimicrobianos que combatam a resistência bacteriana.

R7

 

Presidente do STF Dias Toffoli sobre ligação para Bolsonaro: ‘Vamos conversar sobre problemas do Brasil, ele quer ouvir opinião’

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, disse nesta segunda-feira (28) ao blog que o presidente eleito Jair Bolsonaro disse a ele que irá a Brasília para “lhe dar um abraço” pessoalmente e conversar sobre “os problemas do Brasil”.

“Falamos de conversar sobre os principais problemas do Brasil. Ele disse que quer ouvir a opinião”, afirmou o ministro do STF sobre a ligação com o presidente eleito, neste domingo.

Foto: Reprodução/TV Globo

Perguntado pelo blog se eles voltaram a falar sobre a necessidade de pacificação no Brasil – discurso usado por ambos em momentos distintos- Toffoli respondeu:

“Não foi preciso. Ele está ciente disso”.

Bolsonaro e Toffoli devem se encontrar em breve em Brasília. O presidente eleito também vai se encontrar com o comando do Congresso e com a presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Weber.

Blog Andréia Sadi – G1

 

Ligação de telefone fixo para celular ficará 13% mais barata em março

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) publicou hoje (24), no Diário Oficial da União, as novas tarifas de remuneração de redes móveis, que vão determinar uma redução de 13% em média do preço das ligações de telefones fixos para celulares a partir do próximo mês. A expectativa da Anatel é que os novos valores nas chamadas de fixo para móvel gerem uma economia anual para os consumidores da ordem de R$ 2,1 bilhões.

Com as mudanças, o preço médio das ligações locais de fixo para celular passará de R$ 0,45 para R$ 0,39 por minuto. O preço médio das ligações interurbanas feitas de fixo para móvel com DDD iniciando com o mesmo dígito (exemplo: DDDs 61 e 62) passará de R$ 0,93 para R$ 0,80, e o preço médio das demais ligações interurbanas de fixo para celular passará de R$ 1,05 para R$ 0,92.

A redução é resultado do Plano Geral de Metas de Competição da Anatel, aprovado em 2012, e abrange chamadas da telefonia fixa para celular, sejam ligações locais ou de longa distância, originadas nas redes das concessionárias da telefonia fixa (Oi, Telefônica, CTBC, Embratel e Sercomtel) destinadas às operadoras móveis. A Anatel diz que novas quedas de valores estão previstas para 2015.

Agência Brasil

Cientistas encontram ligação inesperada entre autismo e câncer

AUTISM_ADULTHOOD_4-1Ao estudar duas condições aparentemente não relacionadas – o autismo e o câncer -, pesquisadores convergiram para uma inesperada descoberta. Algumas pessoas com autismo têm genes tumorais que aparentemente causam o transtorno cerebral. Dez por cento das crianças com mutações num gene chamado PTEN, que causa câncer de mama, cólon e outros órgãos, também têm autismo.

– É estranho – diz Evan Eichler, professor de Ciência do Genoma da Universidade de Washington, sobre a convergência.

Ele e outros alertam que a descoberta se aplica a uma pequena parcela de pessoas com autismo. Na maioria dos casos, a causa permanece misteriosa. E como acontece com quase todas os distúrbios genéticos, nem todos com as mutações desenvolvem autismo ou câncer, ou outras doenças associadas com os genes, como a epilepsia, os cérebros dilatados e os tumores cerebrais benignos.

Mas pesquisadores dizem que a descoberta é intrigante. Como não existem animais que naturalmente iniciem um quadro de autismo, não há nenhuma maneira de analisar o que pode causar distúrbio em cérebros em desenvolvimento e tampouco há cura.

A ligação recém-descoberta permitiu aos cientistas analisar camundongos com sintomas do transtorno, o que levou ao primeiro teste clínico de um possível tratamento para crianças com autismo, que receberam drogas para tratar tumores com a mesma base genética.

Richard Ewing, um menino de 10 anos, que tem uma forma de autismo causada pelo gene tumoral, está entre os voluntários do estudo. Seus pais, Alexandra e Rick Ewing, sabem que ele tem risco de desenvolver tumor no cérebro, coração, rim, pele e olhos. Mas a má notícia foi minimizada com sua elegibilidade para o teste clínico, que acabou de começar.

– Existe uma grande diferença entre nós e o resto da comunidade autista – diz o pai. – Nós temos um diagnóstico genético.

Nem todos concordam que a descoberta é tão promissora. Steven McCarroll, geneticista de Harvard, ressalta que o autismo em crianças com o gene tumoral têm “um cérebro que está falhando de várias formas”. O autismo nessas crianças pode ser uma manifestação de um mau funcionamento do cérebro em geral, disse ele, acrescentando que “o fato de que o autismo é um dos muitos problemas neurológicos que surgem nestes pacientes não necessariamente nos diz algo relevante sobre os déficits sociais e de linguagem que são específicos para o transtorno”.

Mas outros cientistas que não estão envolvidos na pesquisa dizem que o trabalho está mudando a compreensão sobre o autismo e seu desenvolvimento. Assim como o câncer, o distúrbio envolve o crescimento irregular de células, neste caso, de neurônios.

O chefe do Centro de Genoma Molecular e Doenças Neuropsiquiátricas da Universidade da Califórnia, Jonathan Sebat, descreve o paralelo entre câncer e autismo como “muito estranho”.

– Nós não resolvemos tudo, só uma pequena parte. Mas isto já é muito esclarecedor – disse.

Foi Charis Eng, geneticista da Clínica Cleveland, que primeiro notou uma surpreendente incidência de autismo em crianças cujos pais tinham a mutação PTEN. Os pesquisadores viram que esta taxa de autismo era de 10%, cerca de 10 vezes maior do que o esperado.

Esclerose tuberosa também ligada ao autismo

No mesmo período, cientistas descobriram outro distúrbio genético tinha ainda mais propensão de resultar em autismo: a esclerose tuberosa, que aumenta o risco de câncer no rim e no cérebro. Cerca de metade dos pacientes com esclerose tuberosa tinham autismo.

Embora o PTEN e os genes da esclerose tuberosa não sejam os mesmos, eles são parte de uma mesma rede de genes que freiam o crescimento celular. Desativando o PTEN ou um dos genes da esclerose tuberosa, este freio é liberado. O resultado disto pode ser câncer, anormalidade nas fibras nervosas ou autismo.

Mustafa Sahin, do Hospital de Crianças de Boston, decidiu testar se as drogas usadas para tratar tumores causados pela mutação do gene da esclerose tuberosa também poderiam tratar o autismo em pessoas com a mesma mutação.

Ele começou o experimento em camundongos, deletando os genes do cerebelo. As fibras nervosas do cérebro do animal cresceram descontroladamente, e os animais desenvolveram comportamentos anormais, que lembram o autismo, como movimentos repetitivos.

Mas a substância rapamicina, que tem como alvo o bloqueio do gene da esclerose tuberosa e bloqueia a proteína envolvida na divisão celular, provocou melhoras nos animais, que passaram por testes de memória e aprendizado, assim como tiveram maior controle do crescimento das fibras nervosas no cérebro.

Agora Sahin dá uma droga similar, a everolimus, para crianças autistas com a mutação genética. Richard está entre as crianças. Cada uma tomará a droga ou o placebo por seis meses. O estudo está previsto para terminar em dezembro de 2014.

O Globo

Anatel propõe unificação de chamada com intervalo de até 120 segundos

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) anunciou, nesta quarta-feira (15), uma mudança no regulamento do Serviço Móvel Pessoal de telefonia. As chamadas de celular sucessivas com intervalo igual ou inferior a 120 segundos serão consideradas uma única chamada para efeitos de tarifação.

A regra não tem vigência imediata. Foi colocada em audiência pública. As operadoras terão dez dias para fazer críticas à proposta. Mas Marcelo Bechara, integrante do conselho diretor da agência, disse que as empresas devem usar esse período para se preparar para a mudança.

Segundo ele, a grande maioria dos planos hoje prevê tarifação por chamada e não mais por tempo. Portanto, para o bolso do usuário a medida da Anatel representará economia. Quem hoje precisa fazer três chamadas consecutivas porque a ligação caiu duas vezes pagará um terço apenas do pagava, exemplificou Bechara.

A unificação de ligações consecutivas com intervalo de até 2 minutos valerá para todos os planos vendidos pelas operadoras, inclusive os alternativos, destacou o conselheiro da Anatel. A concatenação de chamadas só ocorria, até então, nos planos básico de serviços, que atualmente representam muito pouco do total, segundo Bechara.

A Anatel levou em conta que o consumidor dos serviços de telefonia não pode ter prejuízo com as quedas de ligação, em geral provocadas por problemas nos sistemas.

Fonte: G1

Operadoras de celular serão proibidas de cobrar nova chamada quando linha cair

Para tentar equilibrar as cobranças nos planos ilimitados de telefonia móvel, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) vai proibir as operadoras de cobrarem por novas chamadas para um mesmo número se a ligação cair.

A medida vem uma semana depois de o Ministério Público no Paraná ter divulgado relatório de fiscalização da agência que acusava a TIM de derrubar intencionalmente a ligação dos clientes do plano Infinity para ganhar pela cobrança de uma nova chamada. A medida da Anatel atingirá todas as operadoras, mas a TIM deve ser a mais afetada.

Uma fonte ligada ao Conselho do órgão regulador revelou com exclusividade à Agência Estado que a proposta é dar 2 minutos para que as pessoas refaçam suas ligações sempre que houver uma queda, independentemente do motivo. Durante esse período, as operadoras não poderão cobrar pela nova chamada. “O objetivo é colocar essa regra em vigor o mais rápido possível. Os planos ilimitados são atraentes para os consumidores, mas precisam ser justos”, afirmou a fonte.

A proposta está no chamado “circuito deliberativo” do órgão regulador e pode ser aprovada individualmente por cada conselheiro, antes mesmo da próxima reunião do colegiado na próxima quinta-feira. Após isso, a medida deverá passar por um curto período de consulta pública antes de entrar em vigor.

Mais quedas

Atualmente, as normas da Anatel preveem a gratuidade de uma nova chamada apenas nos 30 segundos iniciais de cada ligação. Mas como nos últimos meses a agência verificou um aumento considerável de quedas em chamadas mais longas, esse mecanismo será adaptado. A regra vale para qualquer tipo de telefonema originado por celulares, seja para fixos ou móveis e em chamadas locais ou interurbanas. “Para os clientes que pagam por minuto utilizado, não haverá nenhuma mudança, mas os usuários de planos ilimitados serão muito beneficiados”, completou a fonte.

Para a Anatel, os 120 segundos serão suficientes para que qualquer usuário tenha condições de refazer a ligação perdida. “Sabemos que algumas pessoas têm dificuldade para digitar o número no telefone, e esse tempo também garante a recuperação da chamada em outras condições, como uma queda de bateria do aparelho ou ainda a passagem por um túnel ou outra área de sombra de sinal”, exemplificou.

Perdas. Na prática, a medida pode representar perda de receita para as companhias que recebem por cada nova ligação nesses planos, mas a Anatel alega que essa perda não poderia ser computada, porque os planos de negócios das companhias já levam em consideração chamadas realmente ilimitadas. “O ganho que algumas companhias têm com essas quedas seria indevido, porque elas não entregam o que está escrito no contrato. A medida, na verdade, irá fortalecer os planos ilimitados, pois os usuários terão mais segurança ao optar por esse tipo de serviço”, concluiu a fonte.

Um relatório de fiscalização da Anatel divulgado na semana passada apontou que a TIM teria faturado R$ 4,3 milhões pelo desligamento das ligações de 8,2 milhões de usuários dos planos Infinity. Após pressão do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, o processo que trata da suspeita de derrubada deliberada das ligações por parte da empresa deve ser julgado pelo órgão o mais rápido possível.

Em resposta à acusação, a TIM negou “veementemente que eventuais quedas de chamadas de seus clientes Infinity sejam motivadas por ação deliberada da companhia”. A empresa afirmou também que o relatório da Anatel contém “graves erros de processamento, que alteram as informações apresentadas e levam a conclusões erradas”.

A operadora controlada pela Telecom Italia é a mais agressiva no País na oferta dos chamados planos ilimitados, que não cobram por minuto utilizado nas ligações, mas sim por cada chamada efetuada. O sucesso dessa estratégia levou a TIM a assumir no ano passado o segundo lugar no mercado, ultrapassando a Claro e ficando atrás apenas da Vivo.

Apesar de os planos Infinity serem apontados pela Anatel como uma das causas do estrangulamento das redes que levou a empresa a ter suas vendas suspensas por 11 dias em 18 Estados e no Distrito Federal, executivos da companhia garantem que vão manter o modelo.

Procurado, o SindiTelebrasil, sindicato que representa as empresas, não se manifestou sobre o assunto.

Fonte: Estadão