Denúncias de fraudes marcaram o processo de eleição interna do PT, com presença de mortos nas listas de filiados que votaram

FOTO: (Partido dos Trabalhadores/Divulgação)

“Denúncias de fraudes marcaram o processo de eleição interna do PT realizado no último dia 8”, diz O Globo.

“As acusações vão da presença de pessoas mortas nas listas de filiados que votaram ao transporte de eleitores em carro oficial”.

Com informações de O Globo e O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Azevedo disse:

    Esse é o PT que quebrou o Brasil, cheio de maracutaias e roubalheiras. Infelizmente é só isso que esses sindicalistas vagabundas sabem fazer.

  2. Ana leticia disse:

    Esses bandidos estão se superando dia a dia.

  3. DeSacoCheio disse:

    Me tirem uma dúvida, PT significa o que mesmo? Partido dos Trambiqueiros?

  4. Ivan disse:

    Chamam Moro de juíz ladrão…seria um elogio?kkkkkkk

  5. Thor Silva disse:

    PT sendo PT. Só tem bandidos nesse partido!!

  6. Fernando Bastos disse:

    Alguma novidade em se tratando de Petralhas, se não tem a quem roubar, rouba a ti mesmo, tudo pior do que o pó da bosta do cavalo branco de Napoleão.

  7. Irany Gomes disse:

    Quando não estão roubando dinheiro público, roubam a eles próprios!!!💩💩💩

  8. Fernando disse:

    Muita injustiça que levantam sobre o partido baluarte da honestidade como dizia luladrão antes de ser presidente da república (chefe da quadrilha do maior roubo a cofres públicos do muuuundo!). Eeeeita mulestia

  9. Manoel disse:

    Isso só pode ser mentira ou perseguição de Moro e da CIA (Central de Inteligência Americana) ! No PT só tem almas honestas tal qual o líder da seita, digo, do partido… Ninguém faz falcatrua no PT! KKKK

Maior número de denúncias de poluição sonora em Natal está na zona Sul, aponta Semurb

Foto: Divulgação/Semurb

Um levantamento da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo (Semurb), divulgado nesta sexta-feira (23), apontou que a zona Sul de Natal é a região administrativa com o maior número de denúncias de poluição sonora registradas na Ouvidoria do órgão. Os dados revelam que dos 478 casos protocolados, 153 se originam dos bairros pertencentes à região Sul. Em segundo lugar, aparece a zona Norte, com 129 denúncias, seguida da zona Leste com 101 e em último lugar está a zona Oeste com 96 denúncias.

O trabalho realizado pela Supervisão Geral de Fiscalização Ambiental também revela os dez bairros mais barulhentos da capital, ou seja, onde o número de casos de poluição sonora é maior. O bairro de Ponta Negra (zona Sul) desponta como o líder no número de denúncias com 47 casos, seguido pelo bairro do Alecrim (zona leste) com 32, e em terceira colocação está o bairro do Potengi (zona Norte) com 30. Na listagem, também aparecem o bairro de Cidade da Esperança (zona leste) com 28 denúncias, Nossa Senhora da Apresentação (zona Norte) e Lagoa Nova (zona sul), ambos com 27 denúncias, Neópolis (zona sul) com 25, Pajuçara (zona Norte) e Capim Macio (zona Sul) ambos com 23 e Cidade Alta (zona Leste) com 21.

A maior parte das denúncias de poluição sonora tem como alvo estabelecimentos comerciais que fazem uso de música ao vivo, sem observar as adequações acústicas obrigatórias para os estabelecimentos comerciais de diversão noturna, explica o supervisor de Fiscalização Ambiental da Semurb, Gustavo Szilagyi.

“A adequação acústica visa mitigar os impactos da energia sonora emitida durante a apresentação cultural, e que, sem controle, termina por se propagar no ar de forma livre, incidindo sobre o cidadão que está em sua casa tentando relaxar, ver sua televisão, ler um livro ou mesmo dormir”, comenta. “Falta bom senso de muitos proprietários, sobretudo, quanto a uma melhor distribuição das caixas de som no ambiente e dimensionamento adequado da potência sonora das caixas”, acrescenta.

O cidadão pode denunciar casos de pluição sonora pelo telefone 190 à noite e nos finais de semana. Ou ainda pelo 3616-9829 (Ouvidoria da Semurb) de segunda a sexta, das 8h às 14h, e também pelo e-mail [email protected]

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gabriel Montenegro disse:

    O maior número de VIZINHO CHATO se encontra em Ponta Negra, por isso esse alto número de denúncias. A lei só vale pra classe média, na periferia os bares funcionam com o som no volume máximo. A nova PL vai mudar isso, aguardem! MÚSICA AO VIVO É CULTURA, ABAIXO ROSSANA SUDÁRIO!!!

  2. Black Show disse:

    Mas música ao vivo é trabalho, Quem trabalha a noite também precisa dormir durante o dia, e aí? de dia não tem poluição sonora?

    No último dia 15/08 na Câmara Municipal de Natal foi aprovada a lei 200/2019 que vem favorecer a música ao vivo em natal, ela sobre põe todas essas outras que prejudicam os profissionais da noite!

Envolvido nas denúncias da Telexfree tem recurso negado pelo TJRN

A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça negou mais um recurso relacionado à empresa Telexfree. Desta vez, o órgão julgador apreciou o Habeas Corpus movido pela defesa de Tarcísio Nóbrega de Mello Júnior, que alegou constrangimento ilegal, devido a prisão do acusado por determinação da 3ª Vara Criminal da Comarca de Caicó. Ele foi denunciado sob a acusação da prática dos crimes previstos no artigo 155, parágrafo 4º, II (furto qualificado pelo emprego de fraude) e artigo 171, estelionato, na forma do artigo 71, todos previstos pelo Código Penal.

“Em análise dos trechos acima apresentados, tenho a convicção de que os requisitos do artigo 41 do Código de Processo Penal foram preenchidos, não havendo o que se cogitar de que a peça denunciatória do Ministério Público careceu de requisitos legais para ser recebida”, reforçou o voto da relatoria na Câmara Criminal, ao ressaltar que as elementares do tipo penal se encontram assentadas, demonstradas com a conduta em obter vantagem (dinheiro), com prejuízo alheio (clientes), induzindo-os a erro, valendo-se de meio fraudulento.

“Isso porque, a indicação de vítimas ou o ‘quantum’ de prejuízo se constituem de fatos a serem aferidos ou identificados durante a instrução processual, considerando, como já afirmado por ocasião do exame da liminar que o acusado se defende dos fatos a si imputados e não da capitulação atribuída pela acusação”, ressalta a relatoria do recurso.

Segundo a peça acusatória do MP, o acusado, Tarcísio Nóbrega de Mello Júnior, com o auxílio da também acusada Rafaela Pereira Gurgel Silva de Mello, “obteve, para si, em continuidade delitiva, vantagens ilícitas, mediante fraude, em prejuízo de várias pessoas que foram inseridas em sua rede de marketing multinível”.

O julgamento do TJRN ainda destacou que o fato da denúncia não especificar a quantia ou vantagem indevida que os recorrentes supostamente teriam recebido como mediadores do esquema delituoso, não é capaz de dificultar a continuidade da ação penal. “Frise-se que a inicial acusatória afirma que receberam ‘ilícita vantagem econômica no valor de R$ 412.210,75″.

Habeas Corpus Criminal nº 0805357-66.2018.8.20.0000
TJRN

 

Denúncias de violência contra a mulher chegam a 73 mil, em 2018

Foto: José Cruz/Agência Brasil/Agência Brasil

A Lei Maria da Penha completa 12 anos nesta terça-feira (7) em meio a várias notícias de crimes cometidos contra mulheres, principalmente homicídios. Sancionada em 7 de agosto de 2006, a Lei 11.340 representa um marco para a proteção dos direitos femininos ao endurecer a punição por qualquer tipo de agressão cometida contra a mulher no ambiente doméstico e familiar.

Em pouco mais de uma década de vigência, a Lei motivou o aumento das denúncias de casos de violação de direitos. Segundo o Ministério dos Direitos Humanos (MDH), que administra a Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, o Ligue 180, foram registradas no primeiro semestre deste ano quase 73 mil denúncias. O resultado é bem maior do que o registrado (12 mil) em 2006, primeiro ano de funcionamento da Central.

As principais agressões denunciadas são cárcere privado, violência física, psicológica, obstétrica, sexual, moral, patrimonial, tráfico de pessoas, homicídio e assédio no esporte. As denúncias também podem ser registradas pessoalmente nas delegacias especializadas em crime contra a mulher.

A partir da sanção da Lei Maria da Penha, o Código Penal passou a prever estes tipos de agressão como crimes, que geralmente antecedem agressões fatais. O código também estabelece que os agressores sejam presos em flagrante ou tenham prisão preventiva decretada se ameaçarem a integridade física da mulher.

Pela primeira vez, a Lei também permitiu que a justiça adote medidas de proteção para mulheres que são ameaçadas e correm risco de morte. Entre as medidas protetivas está o afastamento do agressor da casa da vítima ou a proibição de se aproximar da mulher agredida e de seus filhos.

Além de crime, a Organização Mundial de Saúde (OMS) ainda considera a violência contra a mulher um grave problema de saúde pública, que atinge mulheres de todas as classes sociais.

A lei leva o nome de Maria da Penha Maia, que ficou paraplégica depois de levar um tiro de seu marido. Até o atentado, Maria da Penha foi agredida pelo cônjuge por seis anos. Ela ainda sobreviveu a tentativas de homicídio pelo agressor por afogamento e eletrocussão.

Feminicídio

Fruto da Lei Maria da Penha, o crime do feminicídio foi definido legalmente em 2015 como assassinato de mulheres por motivos de desigualdade de gênero e tipificado como crime hediondo. Segundo o Mapa da Violência, quase 5 mil mulheres foram assassinadas no país, em 2016. O resultado representa uma taxa de 4,5 homicídios para cada 100 mil brasileiras. Em dez anos, houve um aumento de 6,4% nos casos de assassinatos de mulheres.

Nos últimos dias, alguns casos de agressão e morte contra mulheres repercutiram em todo o país e reacendeu o debate em torno da violência de gênero. No interior do Paraná, o Ministério Público do Paraná (MP-PR) apresentou denúncia por feminicídio contra o biólogo Luís Felipe Manvailer pelo assassinato de sua esposa, a advogada Tatiane Spitzner. Ela foi encontrada morta, no dia 22 de julho, depois de, supostamente, ter sido empurrada do 4º andar do prédio onde o casal morava, em Guarapuava (PR).

Em Brasília, a Polícia Civil prendeu ontem (6) em flagrante um homem de 44 anos acusado de matar a esposa. A mulher de 37 anos morreu depois de cair do terceiro andar do prédio onde o casal morava. O agressor vai responder pelo crime de homicídio triplamente qualificado (quanto é cometido por motivo torpe, sem possibilidade de defesa da vítima e feminicídio). Segundo a investigação, neste caso há histórico de violência doméstica, com brigas frequentes, agressões, injúrias e ameaças recíprocas.

No Rio de Janeiro, onde uma mulher grávida foi assassinada ontem (6) e o principal suspeito é o marido, policiais civis também cumprem mandados de prisão de acusados de violência física e sexual contra mulheres.

Em Minas Gerais, a Polícia Civil deflagrou nesta terça-feira (7) uma operação especial para prender agressores de mulheres.

Agência Brasil

Aécio promete parceria com municípios e volta a cobrar apuração de denúncias

Em visita hoje (8) a Marabá, no sudeste do Pará, o candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, disse que será “o presidente dos municípios brasileiros”. Segundo ele, o Brasil se transformou em um Estado unitário, onde apenas a União tudo tem, tudo pode.

“Temos que refundar a Federação no Brasil, garantindo aos municípios e aos estados condições para que voltem a enfrentar suas enormes demandas na saúde, na segurança e na educação”, afirmou o candidato. Ao lado do governador Simão Jatene, que concorre à reeleição pelo PSDB, Aécio prometeu parceria em questões consideradas prioritárias para o Pará, como o deslocamento do Pedral do Lourenço, que vai permitir a navegabilidade do Rio Tocantins durante todos os meses do ano.

“[Essa] é uma demanda absolutamente urgente e, lamentavelmente, não enfrentada com a seriedade e a responsabilidade com que deveria ter sido enfrentada, em razão da importância não apenas para o Pará, mas também para o Brasil. Há um pleito antigo e absolutamente justo do estado, que é o segundo maior produtor mineral do Brasil, de termos aqui uma siderurgia que possa efetivamente possibilitar a agregação de valor, que é tudo o que queremos, para a produção mineral do estado”, ressaltou o candidato, que  também prometeu avanços na pavimentação da BR-163.

Aécio voltou a falar sobre as denúncias de corrupção na Petrobras, feitas pelo ex-diretor de Refino e Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa. Para ele, são denúncias “extremamente graves”, que precisam ser apuradas com rigor, e com punição exemplar para os culpados, se forem confirmadas.

“Esperamos que outras informações possam vir. Não faço um pré-julgamento pessoal em relação à citação desse ou daquele nome, mas o fato concreto, e quem diz isso é a Polícia Federal (PF), é que existe uma organização criminosa atuando no seio da maior empresa pública brasileira”, afirmou o candidato.

O envolvimento de políticos em um esquema de propina na Petrobras foi noticiado em reportagem da revista Veja desta semana, com base em depoimento prestado na Polícia Federal nomes de parlamentares, ministro e ex-governadores que teriam participado do esquema em negócios da petrolífera com outras empresas. Segundo a Veja, Costa fez um acordo de delação premiada com a PF, o que possibilita redução da pena para quem colabora com as investigações. Ele está preso sob a acusação de participar de um esquema de lavagem de dinheiro coordenado pelo doleiro Alberto Youssef.

Agência Brasil

FOTOS: Prefeitura emite nota com esclarecimentos sobre denúncias no cemitério de Nova Descoberta

DSC_0295Em relação à denúncia e notícia publicada no Blog do BG no último domingo(11) – FOTOS FORTES: leitora denuncia drogas, descaso e até ossadas expostas no cemitério de Nova Descoberta, a Prefeitura do Natal enviou os seguintes esclarecimentos:

A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos esclarece aos leitores que a manutenção das áreas comuns, do Cemitério Parque de Nova Descoberta, acontece regularmente e que não existe, por parte do poder público, omissão ou negligência. A denúncia feita não ressalta que a manutenção dos túmulos é de responsabilidade de cada proprietário, e não da Prefeitura.

Em relação à segurança, a Semsur conta com o apoio da Guarda Municipal, no período diurno e a noite com segurança armada contratada.

DSC_0270

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gilberto Freire de Melo Filho disse:

    A minha proposta ao ministério público continua de pé esperando que marque o dia e a hora, ainda essa semana para averiguarmos as acusações feitas pela leitora e endossadas por mim.

Justiça em SP aceita denúncia contra 11 acusados de pagar propina no cartel dos trens

A Justiça Federal em São Paulo aceitou denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal e decidiu abrir processo contra 11 acusados de envolvimento em um esquema de pagamento de propinas da multinacional francesa Alstom a agentes públicos de estatais de energia do governo paulista.

Os crimes de corrupção e lavagem de dinheiro teriam ocorrido, segundo o MPF, entre 1998 e 2003, governos Mario Covas e Geraldo Alckmin, ambos do PSDB.

Dirigentes da Alstom e lobistas são acusados pela Promotoria de pagar R$ 23,3 milhões de propina, em valores atualizados, para conseguir aditivar um contrato para fornecimento de equipamentos para três subestações de energias do Estado.

O contrato foi firmado pela Eletropaulo em 1983, mas seu décimo aditivo, conhecido como Gisel, ocorreu em 1998, ocorreu quando o contrato já estava sob responsabilidade da Empresa Paulista de Transmissão de Energia (EPTE). É no âmbito desse aditivo que a Alstom é acusada de pagar propina.

Dois ex-diretores da EPTE agora são réus no processo: José Sidnei Colombo Martino, ex-presidente da estatal e atual prefeito da cidade universitária da USP, e Celso Sebastião Cerchiari, ex-diretor de operações da EPTE a atual diretor da Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (Cteep), concessionária privada que transmite 80% da energia consumida no Estado de São Paulo atualmente.

Os procuradores Rodrigo de Grandis e Andrey Borges de Mendonça haviam denunciado 12 pessoas, mas o juiz Marcelo Cavali entendeu ter havido prescrição para um dos acusados, Jean Marie Lannelongue, que teria usado uma consultoria fictícia para repassar o dinheiro dinheiro da Alstom para agentes públicos.

Além de Colombo e Cerchiari viraram réus Thierry Charles Lopes de Arias e Daniel Huet, ambos da Alstom; Jonio Foigel, ex-diretor da Cegelec (empresa que participava do consórcio com a Alstom); os lobistas Sabino Indelicato, Cláudio Luiz Petrechen Mendes e Jorge Fagali Neto; e os donos de consultoria Jean Pierre Courtadon, Romeu Pinto Junior, José Geraldo Villas Boas.

Estadão

DENÚNCIAS GRAVES: Advogado da dupla que matou Santiago Andrade diz que partidos e outros grupos financiam jovens para criar “terrorismo social”

advogado-Jonas-Tadeu-Nunes-436x480Na manhã desta quarta, Jonas Tadeu Nunes, advogado de Fábio Raposo e Caio Silva de Souza, que acenderam o morteiro que matou o cinegrafista Santiago Andrade, concedeu uma entrevista à rádio Jovem Pan. Participei da equipe que conversou com ele. Nunes faz uma acusação muito grave: segundo diz, jovens, a exemplo de seus clientes, estão sendo financiados “por grupos” — recebendo dinheiro mesmo! — para promover a baderna país afora. Nas suas palavras: “Eles recebem até uma espécie de ajuda financeira, de mesada, para participar dessas manifestações, com o intuito de terrorismo social”.

Segundo o advogado, tanto a imprensa como a polícia devem investigar a atuação de diretório de partidos políticos. A denúncia é muito grave. Segundo o advogado, ao chegar às manifestações, os jovens são municiados com máscaras de gás, explosivos etc. Nunes sugere que a vida de seus clientes está correndo risco. Para ouvir a íntegra da entrevista, clique aqui.

 Abaixo, trechos da entrevista.

Ajuda financeira para o “terrorismo social”

“Esses jovens… Esse Caio, por exemplo, é miserável. Esses jovens são aliciados por grupos. Eles recebem até uma espécie de ajuda financeira, de mesada, para participar dessas manifestações, com o intuito de terrorismo social”.

Jovens com medo de represálias

“Antes de chegar ao Caio, eu estive com outros jovens, que fazem parte desses movimentos (…) Mas são jovens que são aliciados. Uns três ou quatro jovens foram categóricos ao afirmar, e eles não querem que divulguem o nome porque eles têm medo, muito medo, de represálias…”

Pobres aliciados

“São jovens de preferência revoltados, que têm uma certa ideologia, pobres, são aliciados para participar das manifestações. São jovens que não têm dinheiro para comprar máscaras, não tem dinheiro para comprar fogos…”

Por trás, vereadores e deputados estaduais

“Isso cabe a vocês da imprensa [apurar]. Vocês, da imprensa, são os olhos e os ouvidos da sociedade. A prisão desse rapaz não deveria encerrar essa desgraça que houve com a família do Santiago, a desgraça que está havendo com a família desses dois jovens. Vocês deveriam investigar isso: investigar vereadores em Câmaras Municipais, investigar deputados estaduais…

Diretórios de partidos

“Sim, são agrupamentos, movimentos… Tem até diretórios [de partidos políticos], segundo informações que eu tenho… Eu não posso divulgar porque tenho que preservar vidas… É papel da imprensa, da Polícia Federal, investigar diretórios regionais de partidos, investigar esses movimentos sociais, que aliciam esses jovens, que patrocinam, que fomentam financeiramente essas manifestações.

Vai apresentar as provas desse aliciamento em juízo?

“Vou conversar com os meus clientes, vou ver se eles permitem, vou conversar também no Conselho Regional da OAB (…). Vocês da imprensa estão satisfeitos com a prisão deles. Tem de investigar quem municiou esses jovens. Esses jovens chegam às manifestações e são municiados com fogos de artifício, são fomentados financeiramente.”

A imprensa

“Essas informações que eu tenho, não sou só eu, não. Tem muitos colegas de vocês que têm essas informações. Tem muita gente da imprensa que sabe quem está por trás disso.”

Rolezinho

“Esse mesmo engendramento iria partir depois para os rolezinhos… Qualquer pessoa pode entrar e sair de shoppings. Então vamos criar os rolezinhos para desestabilizar a sociedade”.

Marcelo Freixo

“Confirmo com toda a veemência [que a militante Sininho diz ter falado em nome do deputado estadual Marcelo Freixo, do PSOL-RJ]. Eu ouvi isso dela. Eu ouvi [de Sininho] que os dois rapazes eram conhecidos de Marcelo Freixo. Ela me disse que estava ligando a mando do deputado Marcelo Freixo, oferecendo assistência jurídica”.

Encerro

É isso aí. Sem dúvida, o jornalismo tem uma grande desafio pela frente — afinal, sua tarefa é informar o que está acontecendo. E a Polícia Federal tem aí algumas dicas, não é? Sua tarefa é reprimir o crime. Que investigue.

Por Reinaldo Azevedo – Veja

Intérprete do funeral de Mandela estava em grupo que ateou fogo em homens, diz parente

2013-671776251-20131212082803520ap.jpg_20131212Um parente e três amigos do “falso” intérprete de linguagem gestual da cerimônia oficial em homenagem a Nelson Mandela afirmaram que ele estava um grupo de pessoas que abordaram dois homens encontrados com uma televisão roubada e os queimaram até a morte em 2003.

Ao contrário de outros dois suspeitos que foram julgados em 2006 pelas mortes, Thamsanqa Jantjie teria escapado pois as autoridades determinaram que ele era mentalmente incapaz de ir a julgamento.

As fontes, incluindo um dos primos de Jantjie, falaram sob condição de anonimato. Eles disseram que Jantjie foi internado e, em seguida, voltou para o seu bairro, nos arredores de Soweto.

O intérprete, de 34 anos, usou sinais falsos da linguagem de surdo e mudo durante as traduções dos discursos dos chefes de Estado na cerimônia do dia 10 de dezembro, no estádio Soccer City, em Johannesburgo.

Jantjie contou que foi contratado pela empresa SA Intérpretes, cujos diretores desapareceram, e alegou ter sofrido um episódio esquizofrênico.

O Globo

Livro com denúncias contra PT chega às livrarias nesta quinta-feira

10_49_32_531_file O livro que vem causando polêmica desde o último fim de semana chega às livrarias nesta quinta-feira (12). Assassinato de Reputações – Um crime de Estado, do ex-secretário nacional de Justiça Romeu Tuma Júnior chegará primeiro à Livraria Travessa, no Rio de Janeiro, mas segundo a assessoria de comunicação da loja, não haverá festa de lançamento ou noite autógrafos previstas por enquanto.

O livro, de 560 páginas, já está em pré-venda pelo R7 Livros por R$ 69,90 (clique aqui). Segundo a editora Topbooks, Assassinato de Reputações termina de ser impresso ainda nesta quarta-feira (11), quando deve começar a ser distribuído nas livrarias.

De acordo com a sinopse disponível nos sites, o livro faz “uma verdadeira devassa nos métodos postos em prática durante o governo Lula”.

Tuma Jr. antecipou parte do conteúdo do livro em entrevista à edição da revista Veja desta semana. Nela, o ex-secretário Nacional de Justiça diz que, enquanto estava no Ministério da Justiça, descobriu uma conta nas ilhas Cayman utilizada para movimentar recursos do esquema do mensalão. Ainda segundo Tuma Jr., o governo Lula usou a máquina pública para montar dossiês contra adversários.

No livro, Tuma Jr. ainda diz que o ex-presidente Lula foi informante do Dops (Departamento de Ordem Política e Social) durante a ditadura militar. O ex-secretário de Justiça também faz graves acusações acerca do caso Celso Daniel, o ex-prefeito do PT que teria sido assassinado depois de se insurgir contra um esquema de corrupção em Santo André.

Segundo ele, o atual ministro da Secretaria-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, teria lhe confessado um plano de sequestrar o ex-prefeito; plano esse que deu errado e acabou levando à morte de Celso Daniel.

A oposição convidou Tuma Jr. para depor na Comissão de Fiscalização e Controle, mas ainda não há data para a audiência e nem confirmação da presença do ex-secretário.

Ele deixou o governo em 2010, acusado de manter ligações com a máfia chinesa. Gravações telefônicas interceptadas pela Polícia Federal durante investigação sobre contrabando ligaram Tuma Jr. ao principal alvo da operação, Li Kwok Kwen, apontado como um dos chefes da máfia, em São Paulo.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Joaozinho da escolinha disse:

    Vou comprar esse livro. Produzido sem recursos do Estado, pelas mãos de um jornalista sério, teoricamente é neutro.

  2. Alan disse:

    Mas amigos, sabemos que o grande cabeça disso tudo é o LU LÁ LÁ, o cara é um mala. Chega de PT, veja que muita coisa apareceu no nesse governo, temos que tirar o PT de cena, Fora fora fora LULA, já roubou demais.

  3. Francisco disse:

    Olha Rafael Vale,
    Agora entendi, o que melhorou foi o PT USAR a MÁQUINA PÚBLICA em seu favor.
    Neste caso especificamente o Ministro da Justiça, petista de carteirinha, SÓ DEIXOU CHEGAR A IMPRENSA os NOMES dos supostos INVESTIGADOS que estão ligados a partidos políticos NÃO COLIGADOS AO PT, ou não foi isso?
    Ele vem usando o "cargo" para levar o "suposto" escândalo ao conhecimento do povo, publicando APENAS os nomes de A e B que são de partidos contra a administração do PT, ou não é isso que existe? O próprio "Ministro" vem se enrolando por usar essa tática vergonhosa.
    Já notaram que o PT a cada NOVA CONDENAÇÃO dos "companheiros" na semana seguinte "aparece" uma nova pesquisa de intensão de votos, onde Dilma CRESCE eleitoralmente? Quanta coincidência… Isso sim é o PT, máscara, manipulação, faz de conta, enrolada, enrolada, enrolada e o BRASIL descendo a ladeira… CUBA é nosso futuro!

    • Rafael Vale disse:

      Falar em "suposto" escândalo já mostra toda sua parcialidade, assim fica difícil debater com fanáticos que possuem indignação seletiva.
      Não acho que o governo do Lula e o da Dilma sejam maravilhosos, apenas pela idade que possuo e por lembrar dos tempos do Sarney, Collor, Itamar e FHC posso garantir que os dois foram melhores que seus antecessores, principlamente no aspecto social.
      Com relação a usar a máquina pública, acho que você desconhece o Geraldo Brindeiro, Procurador Geral da República na época do FHC que ficou conhecido como o engavetador geral da república.
      De 626 inquéritos criminais que recebeu, engavetou 242 e arquivou outros 217. Somente 60 denúncias foram aceitas. As acusações recaíam sobre 194 deputados, 33 senadores, 11 ministros e quatro ao próprio presidente FHC. Por conta disso, Brindeiro recebeu o jocoso apelido de "engavetador-geral da república". Entre as denúncias que engavetou está a de compra de votos para aprovação da emenda constitucional que aprovou a reeleição para presidente, beneficiando o então presidente Fernando Henrique Cardoso.
      Se sua indignidade não é seletiva leia o link da folha de SP: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2013/08/1334864-livro-contra-fhc-revela-fonte-que-provou-compra-de-votos-pela-emenda-da-reeleicao.shtml

      Com relação ao Ministro da Justiça acho que a explicação que ele deu ao Deputado Rodrigo Maia do PSDB/RJ foi mais que suficiente, o ministro lembrou que o próprio Rodrigo Maia solicitou abertura de processo contra o Ministro da Justiça, na época Tasso Genro, porque o mesmo não enviou para a PF uma denúncia apócrifa contra Lula, sendo assim qual atitude o Deputado Rodrigo Maia do PSDB/RJ esperava que o atual ministro tivesse diante de uma denuncia que vem balizada em apurações da justiça da Suiça, Alemanha e França.
      A máquina que você tanto fala, deve ser a máquina que fez o Procurador da República lotado em SP, Rodrigo Grandis, "guardar" em uma pasta errada pedido da justiça Suiça que envolvia nomes diretamente ligados ao PSDB.
      Chega de sujeira para debaixo do tapete, a caixa de pandora que SP no dia que for aberta vai mostrar quem é o PSDB, basta ver o que vem se descobrindo com essa máfia do ISS que atuou por anos e o escândalo do metrô ainda mais antigo.
      Sem falar que a máquina montada pelo PT denunciou e julgou o mensalão, mais é incapaz de "conseguir" fazer o mesmo com o mensalão tucano, conhecido como mensalão mineiro, que acabou de completar 10 anos.

  4. Romildo Costa disse:

    Veja quem são alguns dos herois rescentes da oposição:

    Tuma Jr., o policial que perdeu o cargo de Secretario Nacional de Justiça por comprovadas ligações com o contrabandista Li Kwok Kwen. É possivel dar crédito a um personagem que, no papel de chefe da área federal contra o contrabando, foi flagrado negociando um salvo-conduto para um dos maiores contrabandistas do País, Li Kwok Kwen, o chinês que controla o contrabando de produtos piratas em São Paulo.

    O senador Aloysio Nunes que é um dos principais líderes do PSDB nacional está envolvido até o pescoço com as denuncias do propinoduto tucano no metrô de SP.

    Demostenes Torres que nada mais era que um senador a serviço dos interesses de Carlinho Cachoeira.

  5. Marília Silva disse:

    O BRASIL realmente é um trem muito grande e de difícil condução.
    Precisa demorar 12 anos para que alguém tenha a coragem de vir a população falar quem são os mentores e senhores do PT. Precisou um mensalão para estimular?
    Se o PT continua crescendo, a falta de oposição tem 50% de culpa nisso.
    O único projeto efetivo do PT é a distribuição dos recursos públicos através dos milhares de programas de bolsa que vemos e ninguém faz nada!!!
    O PT fez discurso por 16 anos criticando tudo e prometendo mudar para muito melhor. O que mudou??? Onde estão as reformas políticas e tributária? A saúde melhorou? A educação tem qualidade? O cidadão está seguro? Nossa polícia civil e militar nos dão tranquilidade? Nosso código Penal deixa bandido na cadeia?
    Alguém sabe o que melhorou? Qual discurso político, promessa do PT virou realidade?

    • Rafael Vale disse:

      "Alguém sabe o que melhorou?"
      Respondendo de forma objetiva, se compararmos com o governo do PSDB de FHC, praticamento tudo melhorou, inclusive o combate a corrupção, a sujeira deixou de ser varrida para debaixo do tapete, deixou-se de engavetar denuncias, o Modus Operandi do PSDB que ainda funciona a todo vapor em São Paulo não existe mais na esfera federal.

    • Sergio Nogueira disse:

      Rafael, os escândalos deixaram de ser varridos para debaixo do tapete? Sério? Fala aí sobre o Rosegate, sobre a Cooperativa dos bancários de SP, sobre o dossiê dos aloprados, sobre a Delta, nos brinde com a informação sobre condenados nesses escândalos gerados no ventre petista e que até hoje dormem o sono dos justos numa gaveta qualquer.
      Nunca antes na estória desse país viu-se tanta sede para roubar os cofres públicos. Sempre são descobertos e ficam impunes graças a máquina petista de fazer heróis.

    • josé Francisco disse:

      Já tivemos uma pessoa que teve a coragem de revelar um esquema de corrupção que se chamou Mensalão. Se existem corruptos presos é porque fizeram uma investigação profunda em busca dos fatos, buscando o melhor para o País, sem fanatismos.
      Agora temos outras denúncias de uma pessoa que presta também, um grande serviço à
      sociedade brasileira para se acabar com a corrupção. O correto é fazer como dantes foi feito, investigação profunda. Vasculhar a verdade de forma isenta e prender os corruptos para o bem do nosso Brasil. Dar crédito às informações contidas nesse livro e proceder uma investigação geral é o mínimo que a Justiça pode fazer para se
      mostrar independente e correta.

  6. Ricardo Silva disse:

    esse PT foi e é a maior farsa que esse Brasil já teve, é uma verdadeira gangue, este país está se tornando ingovernável……. fora bando de Ptralhas…..

  7. Sergio Nogueira disse:

    Parece que a barba vai cair, digo, a máscara.

VÍDEO: suposto maníaco sexual em Jardim Petrópolis aterroriza população e denúncias são constantes

Untitled-2Reprodução Via Certa Natal

São muitos os relatos de internautas, em todas as redes sociais, denunciando um suposto maníaco sexual que estaria aterrorizando os moradores de Jardim Petrópolis, no município de São Gonçalo do Amarante, região metropolitana de Natal.

Existem até imagens de um cidadão suspeito, circulando pelas ruas da região, observando imóveis. Em um dos vídeos, crianças correm desesperadamente do homem, que caminha a luz do dia.

Um seguidor do blog, de identidade preservada, voltou a alertar sobre o suspeito nesta sexta-feira (27). “O maníaco do Jardim Petrópolis voltou. Ele tentou invadir um salão e atacar a dona e uma cliente já perto da SERQUIP, na Av. dos Lírios. Ele está em uma moto, de camisa branca e vermelha e calça escura”, denunciou.

Já existem informações de um grupo de moradores montando estratégia para pegar o suspeito. Este é o papel da Polícia Militar, que precisa monitorar o local e garantir a segurança dos ameaçados.

Em um mês, MP recebe 100 denúncias relacionadas a concursos

A não nomeação de candidatos aprovados nos concursos públicos, sobretudo para dar lugar a apadrinhados políticos em cargos comissionados, mostrada nessa segunda-feira (16/9) pelo Correio , é ainda pior nas administrações estaduais e municipais. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), como não há uma regulação eficiente, o Judiciário não consegue barrar o desrespeito ao esforço dos concurseiros em nenhum lugar do país. Não à toa, algumas unidades da federação apresentam percentual elevadíssimo de pessoal que não prestou concurso público. Em Mato Grosso, por exemplo, todos os 1.237 cargos da administração indireta do estado — que inclui autarquias, empresas e fundações públicas — são ocupados por comissionados.

O dado é do Perfil dos Estados Brasileiros do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e se refere ao ano de 2012. O levantamento mostra que, ao todo, os governadores alimentam 105 mil cargos comissionados. Goiás é o campeão em apadrinhados políticos: são mais de 10 mil funcionários, quase 10% do total. “Um importante órgão do Judiciário justificou o grande número de comissionados no quadro como uma alternativa para substituir gestantes em licença”, conta o procurador da República no estado, Ailton Benedito de Souza.

Correio Braziliense

Denúncias ligam mulher de ministro do Trabalho a irregularidades em convênios

Após a divulgação de mais uma denúncia envolvendo o Ministério do Trabalho, a pasta anunciou nesta segunda-feira a criação de uma força-tarefa para investigar convênios irregulares. O Tribunal de Contas de Santa Catarina pediu ao Tribunal de Contas da União (TCU) investigação de denúncias que ligam a mulher e o chefe de gabinete do ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias (PDT-SC), a irregularidades em convênios abastecidos por verba da pasta em Santa Catarina. A informação é do jornal “O Estado de S. Paulo”. O ministério afirmou, em nota divulgada após a publicação da reportagem, que as acusações expostas na reportagem são “infundadas” e “distorcidas”.

Relatórios do órgão apontam suposto dano e favorecimento de três entidades, uma delas ligada ao PDT, em parcerias de R$ 2,1 milhões, firmadas nas gestões de Dalva Maria de Luca Dias, como secretária estadual de Assistência Social, Trabalho e Habitação do Estado, e Rodrigo Minotto, então coordenador do Sistema Nacional do Emprego (Sine) no Estado.

Na semana passada, o TCE-SC determinou o envio das auditorias e da documentação dos convênios ao TCU. Segundo a reportagem, dos R$ 2,1 milhões previstos, 83% vinham do Ministério do Trabalho, na época comandado por Carlos Lupi (PDT-RJ).

As entidades contratadas deveriam dar cursos profissionalizantes variados a trabalhadores, como de vigia e costureiro, através do Programa Estadual de Qualificação Profissional, mantido pela secretaria e executado pelo Sine. A secretaria autorizou ou fez gastos de quase R$ 400 mil indevidamente, segundo o Tribunal de Contas.

Ao “O Estado de S. Paulo”, Dalva disse que “ não há no Brasil um gestor público que não tenha um processo”. Ela afirmou ainda: “estão querendo pegar coisas minhas por causa dessa história toda do ministério. Você pode fuçar minha vida quanto quiser. Foi tudo feito com a maior lisura. Eu tenho, por princípio, zelar pela coisa pública”.

Na nota, o MTE afirma que em decisão de 11 de dezembro de 2009, o TCU considerou improcedente a representação que tratou desse caso e teria emitido certidão negativa para o servidor Rodrigo Minotto e para Dalva Maria de Luca Dias. “É de se estranhar que não conste da matéria qualquer manifestação formal de integrante do Tribunal de Contas do Estado (TCE) de Santa Catarina sobre a conclusão da ação. O jornal faz referência a um parecer da área técnica, que não foi objeto de deliberação do plenário do TCE. Não há decisão de mérito do TCE/SC”, afirma a pasta.

Segundo o MTE, análises internas do ministério também apontaram, em 2008, que os procedimentos realizados pela secretaria de Santa Catarina em relação ao convênio citado estavam de acordo com as regras. “A prestação de contas do convênio em questão será objeto ainda de análise de força-tarefa do Ministério do Trabalho que irá apreciar eventuais pendências existentes em todos os convênios celebrados, conforme já anunciado pelo ministro no último sábado. Caso seja apontado algum erro de execução, as entidades conveniadas serão notificadas para os devidos esclarecimentos e responsabilização”, afirmou o órgão.

Força-tarefa

Hoje, em reunião na Casa Civil, ficou decidido será antecipado concurso público para recompor o quadro de servidores do Ministério do Trabalho e que a Corregedoria Geral da União (CGU) realizará treinamento dos técnicos que farão avaliação dos convênios. Integrantes da força-tarefa irão analisar convênios desde a década de 90. Na reunião do ministro Manoel Dias na Casa Civil, de acordo com a assessoria, participaram as ministras Gleisi Hoffmann (Casa Civil) e Miriam Belchior (Planejamento) e secretários dos dois ministérios.

O ministério instaurou uma sindicância investigativa para apurar denúncias da Operação Esopo, da Polícia Federal, envolvendo irregularidades em convênios da pasta. Dois auditores fiscais do ministério foram designados: Ana Cristina Belfort de Carvalho vai presidir a comissão, com a ajuda de Fernando Antônio de Araújo Lima Júnior. Eles terão 30 dias para concluir os trabalhos. A portaria instaurando a comissão foi publicada no Diário Oficial da União nesta segunda-feira.

O Globo

GRAVE: Candidatos denunciam irregularidades durante realização de concurso da AL-RN

7777 8888888888O Concurso da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, antes assunto dos mais discutidos diante da concorrência acirrada, quando 28.265 candidatos realizaram as provas no último domingo (1), na “briga” por 85 vagas, passou a ser questionado por diversos candidatos, através das redes sociais. De acordo com denúncias, várias situações irregulares foram flagradas antes, durante e depois das aplicações das provas.

Entre as principais reclamações se destacam, por incrível que pareça, a atitude de fiscais.  Segundo uma candidata, que teve seu nome preservado, foram vistos fiscais sem a devida instrução da organizadora do concurso, a FCC: eles teriam “batido papo”, e ainda lanchado sanduíche com refrigerante dentro da sala.

Outras inúmeras reclamações surgem como denúncias, que se comprovadas, poderão comprometer a legitimidade do certame. Em vários relatos dos candidatos, telefones celulares tocaram, quando deveriam (conforme o edital) estar desligados,caso contrário o candidato deveria ser eliminado, contudo os “eventos” teriam sido ignorados.

Por fim, as denúncias ganham contornos ainda mais alarmantes. Relatos dão conta de pessoas portando apostila de consulta na hora da aplicação da prova onde, e em um caso, o fiscal teria entregado a folha de respostas (gabarito) e a prova antes do material ser guardado. Outras reclamações ainda destacam plásticos com lacres aparentemente violados. Em alguns casos, as provas não teriam sido abertas na presença dos candidatos.

Confira abaixo algumas discussões através de redes sociais:

2222222111111 444444444455555555556666666

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. EUDES GONÇALVES DA SILVA disse:

    NA MINHA SALA O FISCAL SE ATRAPALHO COM O HORÁRIO FALTAVA AINDA 15 MINUTOS PARA O TÉRMINO DAS PROVAS ELE COMEÇOU RECOLHER. ME PREJUDICOU MUITO.

  2. Francisco disse:

    Na minha sala, o telefone de um candidato tocou e a fiscal disse que iria chamar o coordenador pra falar com ele e esse coordenador nunca apareceu pra falar com esse candidato. Tratamento desigual.

  3. Edilmar medeiros disse:

    Em termos de organização só a COMPERVE mesmo!

  4. Hosana disse:

    Desde o comeco a boataria que nesse concurso haveria fraude era grande.
    Boatos até que o MP do RN nao estava acompanhado as etapas do concurso, o que de fato é obrigatório.
    Eh revoltante, em espevial para aqueles que estudaram p valer. 🙁

  5. carla disse:

    Na minha sala as fiscais fizeram uma confusão com a orientação do tempo. Fiquei até irritada.

Denúncias sobre Bergoglio dividem opiniões na Argentina

Para os moradores da  favela Villa 31, no centro de Buenos Aires, Mario Jorge Bergoglio é austero e humilde – um homem talhado para ser o papa dos pobres. Ele é comparado ao padre Carlos Mujica, que trabalhava nos bairros mais carentes da capital argentina e foi metralhado pela repressão na década de 1970. Seu corpo foi enterrado na Capela Cristo Operário, que ele inaugurou na Villa 31.

“Eu me lembro do dia em que trouxeram o corpo do padre Mujica, do Cemitério da Recoleta, para ser enterrado aqui. Levamos o caixão por estas ruas e conosco estava Bergoglio, que rezou missa por ele”, contou, em entrevista à Agência Brasil, Saul Sanchez, padeiro da favela. “Mujica e Bergoglio são parecidos – os dois são o que chamamos de curas villeros (padres favelados). Quando ainda era arcebispo de Buenos Aires, Bergoglio vinha aqui e tomava mate conosco. Nos visitava pelo menos duas vezes ao ano”.

Na Argentina, as opiniões sobre Bergoglio são divididas. Pesa sobre ele a suspeita de que foi conivente com a última ditadura (1976-1983), responsável pela morte ou o desaparecimento de cerca de 30 mil opositores. A denúncia foi feita pelo jornalista Horacio Verbitsky, no livro O Silêncio, sobre o papel da Igreja Católica no regime militar.

Presidente do  Centro de Estudos Legais e Sociais (Cels) – uma organização não governamental (ONG) de defesa dos direitos humanos –, Verbitsky ouviu os jesuítas Orlando Yorio e Francisco Jalics. Os dois foram sequestrados em 1976 e levados a um centro de tortura clandestino, que funcionava dentro da Escola Mecânica da Armada – a temida Esma. As denúncias são de que muitos dos torturados na Esma acabaram sendo jogados vivos, de aviões, no Rio da Prata – nos chamados voos da morte. Os dois sacerdotes foram soltos depois de cinco meses e Yorio acusou Bergoglio de ser o responsável pela prisão e tortura que ambos sofreram. (mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. pedro vidal disse:

    Em republiquetas de bananas é isso mesmo.Quando alguem se destaca,e como

Entenda o caso: As principais suspeitas contra Henrique Alves

Em seu 11º mandato consecutivo na Câmara, o deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) se prepara para dar o passo mais importante de sua trajetória política, iniciada na Casa ainda em 1971. Um passo que Henrique começou a dar há dois anos, quando apoiou a candidatura de Marco Maia (PT-RS) à presidência da Câmara. Em troca, pelo acordo, os petistas apoiariam a candidatura, em 2013, de um peemedebista – no caso, o próprio Henrique, líder há sete anos da bancada. Nos últimos dias, o favorito à sucessão de Marco Maia tem sido alvo uma série de denúncias. Ainda no domingo, o jornal O Estado de S. Paulo destacou que Henrique Eduardo é  acusado pelo Ministério Público Federal de enriquecimento ilícito numa ação de improbidade administrativa. Em novembro, o líder do PMDB conseguiu adiar decisão sobre a quebra de seu sigilo fiscal e bancário, bem como de suas empresas, por meio de recurso judicial.

Dólares no exterior

O processo é movido desde 2004 pelo MPF. Na ação, o peemedebista é acusado de manter ilegalmente milhões de dólares fora do país. Os autos correm sob segredo de Justiça na 16.ª Vara Federal em Brasília.

Em 2002, o deputado chegou a ter seu nome cogitado para ser vice do candidato a presidente José Serra (PSDB). Mas acabou preterido após a denúncia feita pela ex-mulher de que ele mantinha US$ 15 milhões no exterior.

Reportagem publicada pela revista Veja esta semana sustenta que o deputado repassa, todos os meses, R$ 8,3 mil de sua cota parlamentar para uma empresa registrada em nome de uma laranja, ligada a um ex-assessor de seu partido. O dinheiro é usado no aluguel de veículos, segundo a prestação de contas apresentada pelo deputado.

Assessor beneficiado

Ainda no domingo passado, a Folha de S. Paulo revelou que Henrique Eduardo Alves destinou emendas parlamentares que abasteceram uma empresa de um assessor de seu gabinete. Aluizio Dutra de Almeida, sócio da Bonacci Engenharia e Comércio Ltda, trabalhava com o atual líder do PMDB na Câmara desde 1998. Trabalhava, pois pediu demissão do cargo na última segunda-feira (14), em meio à repercussão da notícia.

Pelo menos três prefeituras do Rio Grande do Norte contrataram a empresa do assessor do deputado nos últimos anos para executar obras bancadas pelas emendas parlamentares de Henrique Eduardo. Os prefeitos desses municípios também eram do PMDB. Aluizio é tesoureiro do partido no Rio Grande do Norte. O parlamentar é presidente do diretório estadual. A Controladoria-Geral da União (CGU) vê indícios de superfaturamento nos contratos do agora ex-assessor, estimados em R$ 6 milhões.

O Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), comandado por indicados pelo peemedebista, pagou R$ 1,2 milhão à empresa do assessor.

Bode

Mas Henrique diz não ver conflito de interesse no caso. “Ele não recebeu recursos públicos, quem recebeu foi a empresa da qual ele era cotista. Não vejo problema nisso, tanto que o mantive esse tempo todo (13 anos) como meu assessor. Mesmo assim, para evitar distorções e embaraços políticos, ele teve a lealdade de dizer que iria se exonerar. E eu dei a exoneração. Assunto resolvido”, afirmou o deputado na terça-feira.

Na edição de ontem (16), a mesma Folha de S. Paulo foi até o local indicado como sede da empreiteira em Natal. Encontrou uma casa simples, sem qualquer identificação de que ali funcionava uma construtora, “vigiada” por um bode branco. Segundo a reportagem, não havia funcionários nem sinal de que algo funcione no endereço oficial da empresa. Um dos sócios diz que a estrutura da sede é pequena porque a empresa terceiriza serviços.

Congresso em Foco