Nacional

Cartórios de todo o País passam a registrar denúncias de violência doméstica

Foto: Divulgação / Depositphotos

A partir desta segunda-feira, 25, os cartórios do País passam a receber denúncias de violência doméstica. A ação faz parte da campanha nacional Sinal Vermelho, que conta com mais de 13 mil cartórios e pretende prestar auxílio ‘discreto e sigiloso’ às mulheres em situação de vulnerabilidade.

A campanha tem como objetivo incentivar e facilitar o processo de denúncia de abusos em ambientes domésticos. Por meio do símbolo “X” desenhado na palma da mão, a mulher poderá sinalizar ao colaborador do cartório que está em situação de vulnerabilidade e, assim, ele poderá acionar a polícia de forma discreta.

A ação é permanente e inclui a Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg/BR), entidade que representa todos os Cartórios do País, à iniciativa nacional da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) de enfrentamento da violência doméstica contra a mulher.

“Os cartórios foram considerados serviços essenciais durante todo esse período de pandemia, seja pelos atos de cidadania que praticam, seja pela segurança jurídica que emprestam aos atos pessoais e patrimoniais das pessoas, de forma que usar sua presença em todo o território nacional como forma de atuar na proteção das mulheres, ainda mais fragilizadas neste momento, é um papel que não devemos nos furtar”, analisa o presidente da Anoreg/BR Claudio Marçal Freire, em nota.

A entidade que reúne os cartórios disponibilizou materiais, entre eles vídeos, cartilha, cartazes e postagens para as redes sociais, aos cartórios a fim de preparar os colaboradores para oferecer auxílio às mulheres e acionar a polícia. A instrução inicial é que recebam a mulher em uma sala da unidade e, caso a vítima não queira ou não possa ter auxílio no momento, seus dados pessoais devem ser anotados e comunicados posteriormente às autoridades.

Correio Braziliense

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Governador de Nova York renuncia ao cargo após denúncias de assédio

Foto: Mike Segar – 24.mar.2020/ Reuters

O governador de Nova York Andrew Cuomo anunciou, na tarde desta terça-feira (10), sua renuncia ao cargo. A decisão vem após uma investigação da promotoria do estado de Nova York acusá-lo de ter assediado sexualmente diversas mulheres.

Com isso, a vice-governadora do estado Kathy Hochul assumirá o cargo. O governador informou que sua renúncia entrará em vigor em 14 dias.

Há uma semana, a procuradoria-geral de Nova York divulgou informações sobre uma investigação cujo relatório final apontou que o governador democrata assediou sexualmente atuais e ex-funcionárias do estado, bem como várias mulheres fora do governo estadual.

O número de vítimas inicialmente informado pela investigação foi de 11 mulheres.

Em coletiva de imprensa feita para anunciar seu afastamento, Cuomo negou as acusações feitas pela procuradoria, mas pediu desculpas a mulheres que “ofendeu”.

“Isso não é para dizer que não existem 11 mulheres que eu realmente ofendi. Existem. E, por isso, eu peço sinceras desculpas. Eu pensei que um abraço e colocar meu braço ao redor de uma pessoa da equipe eram gestos amigáveis, mas ela sentiu que eu fui longe demais. Eu beijei uma mulher na bochecha em um casamento e pensei que fosse amigável, mas ela sentiu que foi agressivo demais”, afirmou.

“Eu escorreguei e chamei pessoas de ‘querida’, e quis ser carinhoso, mas mulheres acharam isso ofensivo. Eu assumo totalmente as responsabilidades pelas minhas ações”, declarou.

Cuomo ainda acrescentou que possui um “senso de humor” que pode ser mal interpretado pelas pessoas, e que tem feito isso ao longo de toda sua vida. “Na minha mente, eu nunca cruzei os limites com ninguém, mas não percebi a extensão da linha que havia sido redesenhada”, alegou.

Histórico

A investigação, detalhada em um relatório de 168 páginas, concluiu que Cuomo apalpou, beijou ou fez comentários sugestivos para mulheres, incluindo atuais e ex-funcionários do governo –uma delas policial estadual– e retaliou pelo menos uma mulher que o acusou de má conduta sexual. Cuomo nega qualquer irregularidade.

A vice-governadora Kathy Hochul, uma democrata do oeste de Nova York, assumirá como governadora do Estado de mais de 19 milhões de pessoas até o final do mandato de Cuomo em dezembro de 2022, conforme definido na Constituição estadual, tornando-se a primeira mulher a ocupar o cargo.

A renúncia de Cuomo marca a segunda vez em 13 anos que um governador de Nova York renuncia após um escândalo –em 2008 foi Eliot Spitzer que deixou o cargo por envolvimento com prostitutas.

Cuomo também se tornou o mais recente homem poderoso derrubado após a ascensão do movimento social #MeToo contra o abuso e assédio sexual que abalou a política, Hollywood, o mundo dos negócios e os locais de trabalho.

Sua renúncia poupou Cuomo de uma possível destituição do cargo por meio de um processo de impeachment na Assembleia estadual. Uma investigação de impeachment em andamento apenas prometeu se intensificar.

Com informações da Reuters e CNN

Opinião dos leitores

  1. Tomou no fiofó o lacrador.
    Se lascou.
    Oí foi mexer com o Mito, se fudeu.
    Ei!!
    Esquerdalhada.
    Quando chegarem em casa veja se ta todo mundo em casa.
    Pois o papa é bicho comedou viu????
    Bota pra torar!!!
    Ainda bem que não tenho irmã.

  2. Me ajude aí!
    A minha memória tá me traindo nesse momento.
    Num era esse cara que baixava o cassete no Brasil e no PR JAIR BOLSONARO??
    Ou era o Prefeito de New York??
    Kkkkkkk
    Se for esse, se lascou.
    Deu ruim!!!
    Kkkkkkkkkkk

    1. Mais um que falou mal de Bolsonaro até a língua cansar e mostra que que praticava o que condenava nos outros. Esquerdista nato, esquerdista raiz. Aos poucos vão caindo os farsantes, um a um…

    2. Nesse momento não é só tua memória que está te traindo. A falta de estudos, tua índole ruim, a incapacidade de raciocínio e até tua mulher estão todos e traindo nesse momento. O cara que vc pensou é Rodolfo Giulliani. Acorda babaca. kkkkkkk

    3. Fiquei com pena de você é vou lhe ajudar, papa catôta. Não é só sua memória que está te traindo. Abraço olho que sua mulher também está.

    4. Leo, você que não tem memória nenhuma, deve ser por causa da maconha q vc fuma, Rodolfo Giuliani foi prefeito republicano de New York, o q criou a lei de tolerância zero contra os bandidos e botou a polícia pra acabar com a bandidagem, aliado de Trump e consequentemente da mesma linha ideológica de Bolsonaro, vá estudar antes de falar merda

    5. Ei, ei Leo, respeite a poliça!!
      Kkkkkkkkk
      Homi chifre ficou pra humanos mesmo usar homi, o bode véi do seu pai, usa de atrevido.
      Kkkkkkkkkkkkkkk
      Kkkkkkkkkkkk
      Kkkkkkkkk
      Fui!!!

    6. Vamos começar a buscar o rabo de Léo o Gaiato que estuda kkkkkkk, esse sãos os alunos que a universidade de Nove dedos nos deixou de legado, grande número de alienados e analfabetos.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

CPI da Covid oficia Bolsonaro para que ele confirme ou negue denúncias de deputado federal Luis Miranda feitas à comissão

Foto: Agência Senado

O presidente da CPI da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), afirmou na sessão da comissão desta quinta-feira que, em conjunto com o vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e o relator, Renan Calheiros (MDB-AL), enviou uma carta ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para que ele confirme ou negue denúncias do deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) feitas à CPI.

— Presidente eu não prejulgo. Eu, o vice-presidente (Randolfe Rodrigues) e o relator (Renan Calheiros) estamos mandando uma pequena carta para o senhor dizer se o deputado Luis Miranda está falando a verdade ou está mentindo — disse Aziz, completando em tom desafiador: — É só uma resposta, senhor presidente. Só uma que o Brasil quer ouvir de vossa excelência. Por favor, presidente, diga pra gente que o deputado Luis Miranda é um mentiroso. E que é o seu líder na câmara (Ricardo Barros) é um homem honesto.

A declaração foi dado em meio ao depoimento à CPI da ex-coordenadora do Programa Nacional de Imunizações (PNI) do ministério da Saúde, Francieli Fantinato. Aziz respondeu a ataques feitos pelo presidente Bolsonaro no “cercadinho” em frente do Palácio da Alvorada no qual conversa com apoiadores.

— Doze dias hoje que o presidente, diariamente, no habitat dele, no cercadinho, fala à nação de uma forma a assacar contra todo mundo. Não é o senhor que vai parar a CPI. A CPI vai se aprofundar — disse Omar. — Eu nunca o chamei de genocida. Nunca o chamei de ladrão. Nunca disse que o senhor fazia rachadinha no seu gabinete. E o senhor vai pro cercadinho onde devem ficar pessoas que não têm conteúdo para debater a crise nacional, superficialmente jogando ao léu palavras que assacam contra todo mundo.

Com O Globo

Opinião dos leitores

  1. O presidente Bozo, fugindo da questão, e caprichando no seu típico vocabulário miliciano respondeu: “caguei”. Não há outracresposta possível. Se confirma é cúmplice ou tolerante com a corrupção. Se desmente será flagrado em mentira (outra de várias que costuma dizer todos os dias). Só que a conversa está gravada. kkkkkkkkkk
    Esse animal não está à altura do cargo que ocupa.

  2. O desespero dos inquisidores bateu na porta, não investigaram os verdadeiros ladrões e estão procurando argumentos pra disfarçar a vergonha do circo.

  3. A cpi do lula tem que apurar.
    Apurem bando de jumentos!
    O presidente tá ocupado trabalhando.
    Não tem que da ouvidos a bandidos.
    Vão ouvir Lula, esse sim deixou um rombo, um buraco no país que não tem no mundo quem enxergue o fim.

    1. O presidente está ocupado, falando besteiras no chiqueirinho e tentando salvar a si e a sua família. Trabalhando não, que ele não sabe.

  4. É simples. Estamos com doze dias que o Miranda apresentou denùncias e o bolsonaro, sempre tão falante, cala-se sobre o assunto, nem no cercadinho com o gado, ele desmentiu o deputado. A cpi o provoca a falar. Ou ele vai dizer que não tem que falar como quando cobrado a apresentar provas de fraudes nas eleições?

    1. Já sei que vc não viu o que Morão disse semana passada.
      Bote aí no YouTube babaca.

  5. O que o Bozo fala só é compreendido pelo gado que, apaixonado, aceita qualquer coisa que ele fale sem exigir provas. Ele fala pro Caligula, Direita Esclerosada, e todos esses pseudônimos de covardes e que não duvido que seja um só indivíduo, vez que sempre comete os mesmos erros em português e as retóricas contorcionistas são as mesmas. Mas essa turma está se se esvaindo dia a dia assim como seu mito boquirroto.

  6. Eu acredito que ele vá responder a esse bufão bunda mole, e certamente não vai fazer como o outro que mandou a conta à defunta, Isso nós já vimos.

  7. O miliciano bunda não desmentiu, nem vai desmentir…
    É um frouxo, só é “macho” com jornalistas Mulheres…

    1. Presidente não tem que dá bolas pra esses cabra safado, tudo enrolado com desvio de recursos públicos.. , !!

    2. Presidente tem que apresentar à nação as provas de suas denúncias ou corre o risco de ser forçado. Cada uma das denúncias. Não pode desvalorizar (mais ainda) sua palavra. Ao invés de ficar falando besteiras no chiqueirinho do palácio, ele deve se dirigir ao povo e contar sua versão, pois seu silêncio corresponde à uma confissão.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Bolsonaro repassou denúncias sobre Covaxin a Pazuello, informam aliados

Foto: Reprodução/Globo News

Senadores governistas que integram a CPI da Covid afirmaram nesta quinta-feira (24) que o presidente Jair Bolsonaro encaminhou ao então ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, as denúncias do deputado Luis Miranda (DEM-DF) e do irmão, Luis Ricardo Miranda, sobre supostas irregularidades na compra da vacina indiana Covaxin.

Ainda de acordo com os senadores, Pazuello teria promovido uma apuração interna do caso, sem encontrar qualquer problema no contrato. Os parlamentares não divulgaram relatório ou documento do Ministério da Saúde que comprove essa investigação.

As informações foram divulgadas na manhã desta quarta pelos senadores Marcos Rogério (DEM-RO) e Jorginho Mello (PL-SC), após reunião com o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Onyx Lorenzoni. O senador Ciro Nogueira (PP-PI) também esteve na reunião.

Ao G1, o ministro confirmou por mensagem de celular que repassou esses dados aos senadores – disse que “essa é a verdade”.

“O ministro Onyx [disse que] o presidente, quando esse deputado veio falar, entre outros assuntos, o presidente falou imediatamente com o ministro Pazuello para pedir: ‘Vê um assunto aí da Covaxin'”, relatou Jorginho Mello, após a reunião.

“E o ministro foi ver, viu e, como não tinha nada (…) Depois de três meses estão requentando o assunto”, afirmou Mello.

Nova versão

Na tarde de quarta (23), o servidor Luis Ricardo Miranda afirmou ao jornal “O Globo” que tinha alertado pessoalmente o presidente Jair Bolsonaro sobre as possíveis irregularidades na compra da Covaxin.

Miranda é ex-coordenador de Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde e atual chefe de importação do Departamento de Logística da pasta. O servidor diz que, ao ouvir as suspeitas, Bolsonaro disse que acionaria a Polícia Federal para pedir apuração.

Após a publicação da entrevista, Onyx Lorenzoni deu um pronunciamento à imprensa sobre o caso. Naquele momento, ele não fez qualquer menção a uma apuração por parte do Ministério da Saúde.

O ministro da Secretaria-Geral afirmou que Jair Bolsonaro pediu uma investigação à PF – não sobre as denúncias, mas sobre a conduta dos irmãos Miranda.

“Vamos solicitar um PAD [processo administrativo disciplinar junto à CGU [Controladoria-Geral da União] para apurar a conduta do servidor […] E vamos pedir abertura investigação do deputado e do servidor baseado no artigo 339 e 347. Além disso, será investigado o servidor por prevaricação”, afirmou.

Os artigos 339 e 347, citados por Onyx, se referem respectivamente aos crimes de denunciação caluniosa e fraude processual no Código Penal.

Senadores municiados

Os senadores governistas que se reuniram com Onyx dizem ter sido municiados com documentos relativos à contratação da vacina indiana Covaxin. O grupo aliado do Planalto é minoria na CPI da Covid.

Nesta sexta-feira (25), o servidor do Ministério da Saúde Luís Ricardo Miranda vai prestar depoimento à comissão de inquérito. Ele estará acompanhado do irmão, o deputado federal Luís Miranda (DEM-DF).

Onyx, de acordo com os senadores, apresentou informações, reforçou que o imunizante não foi adquirido e que nenhum valor foi pago – o blog do jornalista Valdo Cruz mostrou nesta quarta que R$ 1,6 bilhão chegou a ser empenhado (reservado) pelo governo para a aquisição de 20 milhões de doses.

“Tivemos acesso a documentos, informações, de maneira que isso instrui os nossos trabalhos na CPI. Quando se vê a fundo, se está diante de um fake news que tenta tumultuar o processo, gerar constrangimento e gera prejuízo ao próprio interesse público”, disse Marcos Rogério.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. A direita honesta está no governo seu petralha, cadê a corrupção? Cadê a compra de vacinas da covaxim? Não existe, tudo é conversa mole da oposição mais uma fake news

    1. A direita honesta está no governo seu petralha, cadê a corrupção? Cadê a compra de vacinas da covaxim? Não existe, tudo é conversa mole da oposição mais uma fake news

  2. Vai botar a culpa no general ???….kkkkkkkkkkkkkkkk
    Ô omi FRACO esse BOZO… assuma que tu é um COVARDE…
    Covaaaaaaaaaaarde…..cócócócócócócócócó…kkkkkkkk

  3. Esse governo é uma mentira que mata, que destroça a vida das pessoas e que destroe qualquer resquício de bom senso. Vitamin que a desculpa Dada ontem, caiu por terra, pois os mirandas tinham como provar que o mitomaníaco sabia da falcatrua, agora mudaram a narrativa. Para o governo miliciano, o Pazuello é um gangster que assume tudo. Vamos ver até quando?

  4. Dessa vêz O CENTRÃO ACERTOU NO CENTRIM DE BOLSOBARO.
    Só incautos, inocentes e idólatras, poderiam acreditar que essa aliança teria ootro fim.

    1. O Centrão (que o MINTOmaníaco das rachadinhas tanto dizia que nunca se aliaria) não se vende, só cobra aluguel … E o preço eh alto e quem paga somos nós meros contribuintes que os políticos gostam de fazer de palhaços…

  5. Toda batata quente ta caindo nas mãos de Pazuello. O mito se preocupa em blindar o aliado, mas uma hora a casa vai cair!

    1. Vão rever também o assassinato e Marielle?
      As provas apresentadas não servem? Vai ser o mimimi mentiroso de sempre a ser destruído pela verdade mais uma vez? Vão ficar criando narrativas e insistindo nas mentiras?
      A Índia já mostrou que vendeu a vacina pelo preço tabelado e igual a todos os outros países.
      O governo já mostrou a NF autêntica, sem a falsificação que o deputado levou a público.
      O deputado e os meios de comunicações não vão ser incriminados pela produção e divulgação de fake news? Esquerda vive de corrupção até nas notícias, ecaaaaaaaaaa

    2. Caso o senhor continue com essa cegueira pigmentária, irá as amargar sua insatisfação ideológica até 2026. Brasil acima de tudo e Deus acima de todos.

    3. Japiense zé matuto, otário e adorador de bandidos. 2022 vão levar uma surra nas urnas que vão perder ate o jeito de andar.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Operação Fura-fila: MPRN oferece mais 4 denúncias contra vereador e ex-secretários por fraudes no sistema do SUS

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) ofereceu quatro novas denúncias contra o vereador Diogo Rodrigues da Silva, de Parnamirim, e ex-secretários municipais de Saúde e Assistência Social por fraudes no sistema de marcação de consultas e exames do Sistema Único de Saúde (SUS) no Estado. Ao todo, Diogo Rodrigues já é réu em oito processos distintos. O esquema fraudulento do grupo foi alvo da operação Fura-fila, deflagrada pelo MPRN no dia 20 de abril passado. As participações de outras pessoas no suposto esquema ainda seguem sob investigação.

O vereador Diogo Rodrigues da Silva, ainda antes de se eleger em 2020, teria montado o esquema de inserção de dados falsos no Sistema Integrado de Gerenciamento de Usuários do SUS (SIGUS), sistema informatizado utilizado pela Sesap e por alguns municípios do Estado para regular a oferta, autorização, agendamento e controle de procedimentos ofertados pelo SUS, burlando a fila do SUS. A suspeita é que ele teria como braço-direito no esquema a própria companheira, Monikely Nunes Santos, funcionária de um cartório em Parnamirim.

Além de Diogo e Monikely, desta vez foram denunciados: Jadna Amaral Alves, Gleide Elissa Lopes de Oliveira Macedo, Jessica Gomes de França, Joison de Medeiros e Paula Francinete de Medeiros. Outras seis pessoas já haviam sido denunciadas pelo MPRN e já são rés em processos: Eliege da Silva Oliveira, Gleycy da Silva Pessoa, Anna Cely de Carvalho Bezerra, Alberto de Carvalho Araújo Neto, Maria Célia Rodrigues da Silva, e Bruno Eduardo Rocha de Medeiros.

Diogo Rodrigues e Monikely Nunes foram denunciados pelo MPRN por corrupção passiva, peculato, inserção de informações falsas em banco da dados da administração pública e lavagem de dinheiro. O vereador também responde pelo crime de fraude em licitação. Outras pessoas também estão sendo investigadas pelo MPRN.

O caso

As investigações do MPRN foram iniciadas em 2019, após denúncias de servidores da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap). Na apuração, o MPRN descobriu que desde 2017 a organização criminosa inseria dados falsos e alterava informações legítimas. Essas invasões na ferramenta de regulação interferem na sequência de elegibilidade de procedimentos médicos gerenciados pelo Sistema. Desta forma, o grupo furava a chamada “fila do SUS”, propiciando vantagens indevidas aos fraudadores.

Com o apoio da Polícia Militar, a operação Fura-fila cumpriu dois mandados de prisão preventiva, um mandado de prisão temporária e ainda outros 22 mandados de busca e apreensão nas cidades de Natal, Parnamirim, Mossoró, Caicó, Monte Alegre, Areia Branca, Brejinho, Frutuoso Gomes, Rafael Godeiro e Passa e Fica. Também houve o cumprimento de um mandado de busca e apreensão na cidade de São Paulo. Ao todo, 27 promotores de Justiça, 42 servidores do MPRN e 90 policiais militares participaram da ação.

MPRN

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Denúncia

Veja quais são os canais para denúncias de aglomeração em Natal

Nos fins de semana e feriados, caso a população presencie alguma cena de aglomeração ou outra situação que viole as regras durante a pandemia, basta realizar denúncia, que pode ser anônima, pelo canal 24h do Ciosp, no número 190 e também no disque denúncia da Polícia Civil no 181.

Já de segunda a sexta-feira as denúncias podem ser feitas das 8h às 16h, pelo telefone da Ouvidoria da Semurb no (84) 3616-9829 ou e-mail [email protected]

Opinião dos leitores

  1. que mentira, liguei pro 190 pra denunciar uma festa com aglomeração e disseram que a PM tem ocorrências mais importantes pra atender, não vêm por causa de FESTA

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Denúncia

Prefeitura de Parnamirim disponibiliza canal de denúncias sobre o descumprimento de restrições à população

FOTOS: ASCOM – Eliana Félix

Com o aumento do número de casos de COVID -19 em todo estado, a adoção de medidas mais restritivas se mostrou necessária. Diante da situação atual, a Prefeitura de Parnamirim está disponibilizando um outro canal de atendimento direcionado à população, para receber denúncias relacionadas ao descumprimento das restrições. A partir de agora, as denúncias podem ser feitas via WhatsApp, através do número (84) 9 8839-3214.

Desde o último sábado (21) a prefeitura tem realizado fiscalizações, que devem ser intensificadas nos próximos dias. Os agentes da prefeitura reforçam o cuidado com a vida. atenção da população para a responsabilidade individual e coletiva que todos deve ter diante deste novo cenário.

Além do Whatsapp, as denúncias podem ser realizadas pelos telefones 156 (Guarda Municipal) ou 190 (PM).

Opinião dos leitores

  1. Estou dizendo que as igrejas de Parnamirim estão funcionando normalmente e estão fazendo vista grossa. Elas não deveriam abrir de forma alguma, mas estão marcando em cima dos ambulantes. Ou para tudo ou abre de vez. Nada disso de privilegiar igrejas evangélicas por motivos políticos.

  2. Vivi para ver isso. Na Alemanha de Hitler agiram assim contra os judeus. Quem são mesmo os intolerantes, os ditadores, os que atentam contra a liberdade? E quem está, desde o início dessa pandemia, sempre tentando defender o povo brasileiro dos verdadeiros ditadores? Perguntas retóricas, respostas evidentes.

    1. Omi, deixe de cagar pela boca, vá ler um livro, escutar uma música, contar os carros na rua. Deixe de soltar toletes verbais…

    2. Escute seu próprio conselho. Talvez assim melhore um pouco seu linguajar e suas ideias. Sei que é quase impossível prá gente como vc. Mas, não custa tentar.

    3. Deixe de banalizar o antissemitismo, tolete humano. Banalizar o sofrimento do povo judeu com simplório mecanismo de denúncia numa pandemia te faz parecer um retardado mental! 6 Milhões que nunca mais voltarão.

  3. Depois de velho vejo isso, número para denunciar quem tá tentando levar o pão para mesa.

    1. Abrir igrejas não leva pão para a mesa de ninguém, só enriquece o pastor

    2. Thalles, onde foi que você leu o nome Igreja na matéria e no comentário? Quem tá lascado é o ambulante, o barraqueiro, esse povo sai todo o dia de casa pra ganhar o dinheiro pra comer, seu insensível, no mínimo vc tem o salário garantido no final do mês, um contracheque para manter a quarentena gourmet, não entendo o pq de tanto ódio da Igreja, certamente foi por conta da coletiva do chefe do partido que virou quadrilha!

    3. Além de impedir as pessoas de ganhar o pão, vemos a intolerância religiosa como mais uma manifestação de autoritarismo. Quem é vc, paspalho, para julgar a religiosidade alheia? Cuide da sua vida. Essa epidemia está derrubando as máscaras que ainda existiam.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Empresa contratada sem licitação pelo governo para restaurante popular já enfrenta denúncias de irregularidades

A empresa que o governo do Rio Grande do Norte contratou sem licitação para quatro unidades de restaurantes populares, a Paisagem Comércio, já é alvo de denúncia em duas das quatro unidades que arrematou.

As denúncias foram feitas à Vigilância Sanitária sobre os restaurantes de Parelhas e de Pau dos Ferros. Ela ainda foi contratada para unidades em Parnamirim e São Paulo do Potengi. Os contratos somam R$ 1,7 milhão, para seis meses.

“Nosso pleito fundamenta-se no fato de que a nova unidade do programa entrou em funcionamento na presente data sem as condições de higiene necessárias, nem tampouco com o atendimento dos procedimentos operacionais padronizados […]. Fato grave que se observa é o de que a unidade não apresenta afixada em local acessível o ALVARÁ SANITÁRIO do local, de acordo com as exigências mais básicas definidas pelos órgãos sanitários, o que não pode ser acatado, sob pena de penalização da população que se utiliza dos serviços pertinentes”, diz trechos da denúncia.

De acordo com o edital de convocação da Sethas, através do qual as empresas convidadas para serem contratadas ofertaram preços, a conformidade sanitária do restaurante de acordo com as regras da Anvisa seria item imprescindível para a contratação.

Em entrevista à rádio 95 FM na noite dessa quarta-feira, o controlador-geral do Estado, Pedro Lopes explicou que contratações como a da Paisagem ocorrem como exceção, e não regra.

“Não conseguimos fazer a licitação e tinha que continuar a prestação de serviço e teve que haver a continuidade por contratação emergencial”, disse ele

Lopes explicou ainda que contratos foram assinados em 2014 e pela legislação só poderiam durar por cinco anos e estendido no máximo por mais dois. É em meio ao término desses contratos que o governo convocou empresas para contratação emergencial.

Segundo o controlador, o convite foi para 24 empresas, nove das quais já prestavam serviço para restaurantes populares. Das quais, cinco se habilitaram. Segundo ele, o critério escolhido foi o menor preço, que caiu à metade do comum, saindo de R$ 10,63 em média a refeição para R$ 5,80.

“Se tivéssemos mantidos os contratos que foram encerrados, iríamos pagar R$ 4 milhões. Com a contratação emergencial foi de R$ 1,7 milhões. Não é nosso desejo licitação emergencial, mas foi feita ampla pesquisa com 24 empresas”, afirmou ele.

Outras irregularidades

O Blog do BG revelou na quarta que a Paisagem Comércio já tinha longo histórico de descumprimento de regras no programa do restaurante popular.

Relatório produzido pela Sethas em 2019 traçou o histórico do cumprimento contratual da Paisagem Comércio e Serviços.

Segundo o documento que foi encaminhado para providências da secretaria, a empresa começou a descumprir normas em 2016 quando alterou o cardápio e ofereceu comida de qualidade inferior ao contratado em Santa Cruz, além de ter precariedade sanitária flagrante.

Sucessivos processos administrativos foram abertos contra a empresa para que ele regularizasse o serviço contratado pelo estado.

Algumas das 10 irregularidades listadas em auditoria da própria Sethas:

– 13 de junho de 2018: condições sanitárias precárias, estrutura física inacabada e risco à saude – Unidade São Gonçalo do Amarante.

– 15 de junho de 2018: irregularidades no transporte do alimento, falta de nutricionista, cardápio incompleto – Touros.

– 27 de junho de 2018: terceirização do contrato por falta de cozinha industrial, algo proibido, para unidades de Natal, Ceará-Mirim, Touros, São Gonçalo do Amarante e Goianinha.

– Impedir que fiscais de Sethas realizassem inspeção em veículo que estaria transportando alimentação para o restaurante de Ceará-Mirim, em 2018.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Denúncia

VÍDEO: Filha diz que idosa em GO só recebeu vacina contra Covid-19 após ela denunciar que líquido não foi aplicado na 1ª tentativa; família alerta possibilidade de acontecer com outras pessoas

Luciana Jordão denuncia que a mãe só foi vacinada após questionar enfermeira sobre aplicação, em Goiânia, Goiás — Fotos: Reprodução/TV Anhanguera

A filha de Floramy de Oliveira Jordão, de 88 anos, denuncia que a mãe não recebeu a vacina contra a Covid-19 na primeira aplicação, na manhã dessa quarta-feira (10), em Goiânia, pois, segundo ela, a profissional enfiou a agulha no braço da idosa, mas não injetou a dose do imunizante. O momento foi filmado pela aposentada Luciana Jordão, de 57 anos, filha da idosa (veja acima). A Secretaria Municipal de Saúde investiga o caso. (ASSISTA VÍDEO AQUI EM MATÉRIA NA ÍNTEGRA).

De acordo com a família, Floramy só foi devidamente imunizada, por volta das 10h30, após Luciana perceber que o líquido na seringa não havia sido aplicado e questionar a profissional, durante a vacinação no Setor Universitário.

“Ela simplesmente enfiou a agulha na minha mãe, tirou e ficou com a seringa para cima. Aí eu falei: ‘Foi muito rápido’. Quando eu olhei para cima, o líquido estava todinho na seringa. Ela não injetou a vacina na minha mãe. Aí eu falei para ela: ‘O líquido está todinho aí, você não vacinou a minha mãe’”, conta.

Luciana relata que a agente de saúde respondeu que havia vacinado, mas, ao ser confrontada sobre o líquido estar na seringa, pediu desculpas e disse que não tinha percebido.

“Ela olhou, pediu desculpa, disse que ela tinha se esquecido de injetar, foi e picou minha mãe, vacinou minha mãe novamente. Eu fiquei prestando atenção, e aí ela realmente vacinou”, afirma a filha da idosa.

Em nota, a Secretaria de Saúde de Goiânia informou, às 12h53, que “vai averiguar imediatamente o ocorrido e esclarece que há vacinas garantidas para todas as pessoas acima de 85 anos e que abomina todo e qualquer tipo de irregularidade”. Disse ainda que, se for comprovado “o descumprimento dos protocolos de vacinação, serão tomadas todas as medidas cabíveis em casos dessa natureza”.

Diante da suspeita de que a profissional que aplicou a agulha seja uma enfermeira, como citado por Luciana, o Conselho Regional de Enfermagem de Goiás (Coren-GO) informou que vai “averiguar se a profissional é de fato da enfermagem”. Em caso positivo, “inicia-se os trâmites de conduta da profissional, conforme estabelecido no Regimento do Conselho”.

Vídeo

O neto da idosa, Bruno Jordão, de 32 anos, conta que sugeriu que a mãe gravasse o momento da vacinação justamente para garantir que a dose fosse aplicada. Ainda segundo ele, a enfermeira chegou a questionar a filha da idosa se ela iria filmar ou apenas tirar uma foto. “Aí minha mãe disse que ia apenas fotografar, mas, na verdade, ela filmou”, conta.

O servidor público acredita que esse tipo de situação pode estar acontecendo com várias pessoas.

“Com certeza está acontecendo isso. Imagina quantas pessoas não estão sendo vacinadas. A gente estava receoso disso acontecer. Por isso, minha mãe filmou. Resolvemos divulgar para a imprensa. As pessoas precisam ser alertadas sobre isso”, afirma Bruno.

Vacinação

A vacinação de idosos acima de 85 anos em Goiânia começou nesta quarta-feira em nove locais e por ordem alfabética. A Prefeitura de Goiânia preparou sete escolas municipais e dois pontos de vacinação rápida, chamados de drive-thru, para aplicar a Coronavac em idosos com idade superior a 85 anos.

Segundo a SMS, até o fim da manhã desta quarta-feira, mais de 2,6 mil idosos foram vacinados nos sete postos fixos e nos dois drives montados para atender a população da capital.

Foram separadas 16 mil doses para este grupo prioritário. Para se vacinar em Goiânia, não é necessário fazer o pré-cadastro no site do governo.

G1 – GO

Opinião dos leitores

  1. Atenção estão simulando a aplicação e vendendo por fora a outras pessoas todo cuidado é pouco tem uma quadrilha já agindo olho vivo

  2. Estão fazendo isso para aplicarem a vacina em outras pessoas, que não estão entre as prioridades nem nos grupos de riscos, às vezes até por dinheiro.

  3. Brasileiro sendo brasileiro, querendo levar vantagem em tudo.
    Ainda bem que o familiar dessa senhora estava atenta.
    Quantas pessoas idosas foram enganadas.
    Para a esquerda quanto pior melhor.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

VACINAÇÃO COVID: RN lidera denúncias de possíveis casos de “fura-fila’ no Brasil

Foto: Raimundo Paccó/FramePhoto / Agência O Globo

Desde o início da vacinação contra a Covid-19 no país, em 17 de janeiro, já foram registradas ao menos 2.982 denúncias de possíveis casos de “fura-fila” da imunização — o que significa que uma em cada 1.341 doses aplicadas no país teria sido endereçada a alguma pessoa fora dos padrões de prioridade estabelecidos.

Entre os estados com mais relatos de infrações estão o Rio Grande do Norte, com 640; Minas Gerais, com 589; e Rio de Janeiro, com 413.

Os dados foram levantados pelo GLOBO junto aos Ministérios Públicos e às Ouvidorias Gerais dos estados e fazem parte de um cenário de escassez de imunizantes e problemas de planejamento e distribuição.

Especialistas dizem que este já era um tipo de fraude esperada e ressaltam que os casos de fura-filas podem ser ainda mais numerosos no país. Isso porque moradores de muitos municípios podem temer denunciar ou nem sequer ter acesso a mecanismos de denúncia. Além disso, os diferentes critérios de prioridade para vacinação de cada município dificultam a fiscalização e o trabalho dos MPs.

Os MPs e as secretarias de Saúde vêm investindo em canais para receber denúncias da população, por e-mails ou mensagens de WhatsApp. Os relatos recebidos vão para as promotorias, que seguem com as investigações.

— São mais de 2.500 pessoas que passaram à frente de outras 2.500 que poderão morrer da doença, em um ímpeto egoísta — observa o professor da Escola Paulista de Medicina da Unifesp Gabriel Maisonnave, que reitera a importância de se resolver urgentemente o problema de escassez de vacinas e agilizar a imunização, que ele considera muito lenta.

Impacto individual

A epidemiologista Carla Domingues, coordenadora do Programa Nacional de Imunizações (PNI) entre 2011 e 2019, chama a atenção para os danos pessoais do ato de furar a fila. À medida que se deixa de vacinar alguém de risco, diz ela, cria-se uma “desigualdade que privilegia quem não está em risco”.

Domingues, no entanto, diz que o país enfrenta uma escassez de doses tão grande que essas infrações, por enquanto, não terão impacto a nível populacional. De acordo com ela, ainda não é possível falar em proteção coletiva.

Ela ressalta ainda que um dos principais problemas hoje é a enorme diferença de critérios adotados por municípios para a vacinação, o que confundiria a população e deixaria brechas para fraudes.

— O Ministério da Saúde delegou para os estados e municípios decidirem seus critérios de prioridade. Isso torna a campanha desorganizada e sem efetividade. Para se ter a compreensão da sociedade de que devem ser imunizadas as pessoas com risco, a comunicação tem de ser uniforme, e não cada lugar com uma estratégia, inclusive deixando políticos serem vacinados. E é preciso ser transparente com a população: dizer “não tem vacina suficiente”.

Maisonnave lembra que as secretarias municipais de Saúde já tinham informações sobre as populações a serem vacinadas, principalmente sobre idosos, devido à experiência prévia com a vacinação anual da gripe.

— Já havia listas prévias, baseadas na vacinação da gripe. O quantitativo de vacina contra a Covid-19 estava espelhado no que se sabia, de uma população de 60 milhões de idosos. Ninguém pode reclamar de falta de informação. Mas há muitos problemas no processo, os profissionais de saúde estão exaustos.

O Ministério da Saúde disse orientar que estados e municípios sigam as orientações coordenadas pelo PNI, que prevê ciclos de vacinação de acordo com os grupos prioritários definidos em estudos populacionais. A pasta reiterou que a gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) é “tripartite”, ou seja, os municípios têm autonomia para executar o processo de vacinação, e que é importante que os cidadãos informem possíveis irregularidades às secretarias de Saúde.

Como muitas denúncias ainda estão sob investigação, os MPs ainda não apontam os principais “furadores de fila”. Mas, entre os nomes já divulgados pela imprensa, há anônimos, funcionários públicos e seus familiares e políticos. No Piauí, por exemplo, prefeitos de duas cidades do interior do estado estão sendo investigados pelo MP após denúncias de que teriam tomado o imunizante mesmo não fazendo parte do grupo de risco.

No Amazonas, quatro estudantes da área da Saúde, dois advogados e um casal proprietário de uma empresa de alimentos estão entre os que não deveriam ter recebido o imunizante.

No Acre, a esposa de um ex-comandante da Polícia Militar e estudante de psicologia foi acusada de furar a fila após postar uma foto sendo imunizada na Policlínica da PM-AC, em Rio Branco.

Os casos que chegam aos MPs são encaminhados para as promotorias para investigação. Se confirmada a ilegalidade, é feita uma denúncia criminal ou é aberta ação por improbidade administrativa.

Impasse jurídico no AM

No Amazonas, que sofre com o número de casos de Covid-19 e escassez de recursos de saúde e onde a ocorrência da nova variante do coronavírus preocupa especialistas e põe em cheque a vacinação, o MP informa que todas as apurações com relação a possíveis irregularidades na imunização estão paradas. Isso ocorre por conta de um impasse jurídico.

O MP está esperando a decisão do Tribunal de Justiça do Amazonas para definir se o processo de investigação fica no âmbito estadual ou se vai para o federal. Entre dias 1o e 3 de janeiro, a Ouvidoria-Geral do MP contabilizou 393 relatos recebidos e cadastrados no SAJ/MPAM.

Os MPs de Amapá, Roraima, Alagoas, Piauí e Sergipe não responderam ao GLOBO.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Possivelmente Alguém autoriza, Alguém Faz Vista Grossa e ALGUÉM se beneficia. O difícil vai ser Punir alguém. Vai ficar no Faz de Conta. Esses Atos Criminosos vai dá em PIZZA. Que DEUS tenha MISERICÓRDIA de NÓS ???

  2. Sem falar nestes conselhos corporativistas como o de veterinária e de educação física que ficam querendo furar a fila, por meio de artifícios burocráticos. Depois ainda vem com blábláblá que se preocupam com a saúde da população, querem é privilégio e fazer politicagem barata.

  3. hshaha, quem administra são os prefeitos, procure o seu pra jogar seu ódio. Secretaria Municipal de Saúde do seu município.

  4. É só verificar o absurdo índice de perda previsto pela Secretaria de Saúde, para se constatar que uma determinada turminha está sendo favorecida.

  5. Não poderia ser diferente, governos Petistas são assim mesmo, originais quando se trata de enrolar a população e favorecer os COMPANHEIROS. Vergonha.

  6. Um Estado administrado pelo PT dar nisso, primeiro os cumpanheiros e se sobrar vacina os demais.
    Mas uma notícia para envergonhar o Rio Grande do Norte.
    #FORA FATIMA BEZERRA

  7. Um estado governado pelo pt
    Voceis querem o que
    Esta no sangue desse partido so tirar vantagem
    Ei petistas e o mineiro kkkkki

  8. No país dos corruptos e dos corruptíveis, o RN faz escola, até por um palito de fósforo queimado tem gente querendo se dar bem. Empatia zero aos que precisam mais urgentemente da vacina.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Controladoria Geral do Estado apura denúncias de entregas irregulares de cestas básicas

A Controladoria Geral do Estado apurou duas denúncias de entregas irregulares de cestas básicas. As acusações vinculavam os mantimentos a eventos alheios às políticas de entrega definidas pelo Governo do RN para o programa RN Chega Junto, responsável pela distribuição do material.

As cestas são destinadas a famílias em situação de vulnerabilidade social ou trabalhadores sem renda em virtude da pandemia do coronavírus. As entregas são feitas pela Defesa Civil e a Cruz Vermelha a instituições cadastradas, que assumem a responsabilidade de fazer chegar ao destinatário alvo do Programa mediante assinatura de termo de compromisso.

Uma das denúncias recebidas informa que uma instituição condicionava a entrega da cesta à participação de beneficiário em evento reinvindicatório. E outra, a quitação de débito de mensalidades atrasadas.

As duas denúncias foram apuradas a partir do encaminhamento ao Núcleo de Combate à Corrupção da Controladoria. Em nenhuma delas houve a comprovação dos fatos denunciados, mas a equipe da fiscalização aproveitou para averiguar a regularidade formal das entregas e reforçar a comunicação sobre o uso adequado da doação.

Segundo o Controlador Geral, Pedro Lopes, até o momento foram entregues 25 mil cestas básicas do programa RN Chega Junto e “recebemos somente duas denúncias desde o início da ação, em 16 de setembro, o que comprova que os produtos estão chegando ao público alvo”.

Denuncie

Qualquer cidadão pode denunciar quando se deparar com entregas irregulares das cestas pelo link da Ouvidoria, disponível em qualquer site do Governo (xxxx.rn.gov.br), mas quando tiver dificuldade, pedir orientação pelo whatsapp 84-98128-1103, das 8 às 14 horas.
As denúncias podem, inclusive, ser anônimas. “Iremos averiguar todos os registros, pois sabemos da importância das cestas básicas chegarem à população que precisa do alimento para sustentar sua família”, reforça o controlador.

Distribuição suspensa durante campanha

Em reunião realizada na última quinta (22) entre a Sethas, Controladoria Geral do Estado, Defesa Civil e Cruz Vermelha, foi decidido que nos 15 primeiros dias de novembro as cestas básicas do RN Chega Junto não serão entregues face à proximidade das eleições municipais.

Iris Oliveira, Secretária da Sethas, explica que “apesar de não termos nenhuma denúncia formal de desvio de finalidade de entrega das cestas com caráter eleitoral, entendemos ser prudente não distribuir nos dias finais da campanha para nenhum candidato se aproveitar de última hora desse benefício do Governo”.

As entregas serão suspensas no dia 31 de outubro e continuarão a partir de 17 de novembro, “quando entregaremos mais 30 mil cestas básicas até o dia 19 de dezembro, garantindo segurança alimentar a pelo menos 15 mil famílias em vulnerabilidade no Estado”, destaca Iris Oliveira.

O RN chega Junto

É um programa do Governo do RN que envolve seis ações assistenciais, sendo uma delas a entrega de 60 mil cestas básicas a famílias em vulnerabilidade social ou trabalhadores sem renda devido a pandemia do coronavírus.

A ação é gerenciada pela Sethas e a Defesa Civil do Governo, com apoio da Cruz Vermelha. Destaca-se na composição da cesta básica a compra de R$ 1 milhão em produtos diretamente a agricultores do RN, como o arroz vermelho de Apodi, o feijão macassa de Luis Gomes, a farinha de mandioca e a goma produzidas em cidades do Agreste Potiguar.

São 300 toneladas de alimentos “que fazem com que o Programa transcenda o assistencialismo e gere trabalho e renda a agricultores do RN”, ressalta a Secretária Iris Oliveira.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Justiça Federal arquiva denúncias de corrupção passiva e lavagem de dinheiro contra Fernando Pimentel (PT), por falta de provas

Foto: Reprodução/G1

A Justiça Federal decidiu arquivar denúncia contra o ex-governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), a pedido do Ministério Público Federal, que alegou falta de provas da acusação de lavagem de dinheiro e de corrupção passiva. No dia 22 de julho, Pimentel foi absolvido pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG), por suspeita de desvio de dinheiro durante campanha ao Senado em 2010.

A investigação da Polícia Federal, que era um desdobramento da Operação Acrônimo, apurava suposto esquema de financiamento ilegal de campanhas eleitorais em 2012.

Na época, Pimentel era o Ministro de Desenvolvimento do governo Dilma Roussef e foi investigado por suspeita de favorecer empresas e receber vantagens indevidas. Uma destas empresas tinha como sócio-proprietária a esposa dele, Carolina Oliveira. A Polícia Federal indiciou o ex-governador por lavagem de dinheiro e corrupção passiva.

Ao pedir o arquivamento do caso, o Ministério Público Federal afirmou que, após a apuração, não foi possível comprovar os crimes. A defesa de Pimentel afirmou que houve “especulação” e que o arquivamento era “a única alternativa”.

Absolvição no TRE-MG

No último dia 22, o Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais absolveu o ex-governador Fernando Pimentel da acusação de omissão de cerca de R$ 1,5 milhão em prestação de contas na campanha ao Senado, em 2010. À época, ele não foi eleito.

Na decisão, o juiz também afirmou que não foram colhidas provas da denúncia feita contra o político e que as que foram produzidas não são suficientes para confirmar a existência de doações eleitorais não contabilizadas na prestação de contas.

G1

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Advogado pede ao STJ abertura de inquérito sobre denúncias de ex-assessor de Joice, contra Dória, Moro e outros por suposta ligação com atentado contra Bolsonaro

O advogado Paulo Carvalhosa impetrou notícia crime com pedido de abertura de inquérito policial no Superior Tribunal de Justiça (STJ) a partir de denúncias divulgadas pelo ex-assessor da deputada federal Joice Hasselman, Silvio Frutuoso divulgadas em vídeos nas redes sociais.

O advogado aponta que o ex-assessor, que teria tido caso amoroso com a deputada, divulgou que ela pediu criação de perfis fakes contra Bolsonaro e relatou ainda que figuras públicas como o governador de São Paulo, João Dória e o ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, fariam parte do grupo criminoso juntamente com Adélio Bispo, autor da facada contra Bolsonaro na campanha eleitoral de 2018.

Matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

Opinião dos leitores

  1. Eu quero vê o mar pegar fogo pra comer peixe frito kkk

    Eu não duvido de mais nada. Quem pensa que Moro 3 bobinho está enganado é um covarde e mau caráter.

    Idiota é quem acredita em #moropresidente.

    Quem te viu quem te vê. Quem diria que ele um dia disse que não tinha pretensões políticas rsrs imagina se não tivesse. Entrou no sistema corrompeu-seu.

  2. Estou vendo a hora essa turma de Bolsonaro dizer que D.Pedro Segundo ainda está vivo

    1. Eu também acredito em mula sem cabeça. Tentam de todas as formas atingir Moro. Pior que o homem tem uma couraça. rsrsrs

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

MPF reforça denúncias contra grupo que desviou mais de R$ 5 milhões no RN

Foto: Reprodução

O Ministério Público Federal (MPF) apresentou as alegações finais da denúncia decorrente da chamada Operação Êpa!, deflagrada em 2011. Um grupo de oito pessoas estava envolvido no desvio e apropriação de verbas públicas relacionadas a 16 convênios firmados entre os ministérios do Trabalho e Emprego (MTE) e do Desenvolvimento Agrário (MDA) com o Instituto Espaço de Produção ao Desenvolvimento Sustentável (Instituto Êpa!) e a Cooperativa dos Trabalhadores Autônomos (CTA).

As irregularidades ocorreram entre setembro de 2006 até aproximadamente outubro de 2011 e os desvios totalizaram R$ 5.429.454,73, fruto de convênios que previam qualificação profissional da população mais carente, desenvolvimento da agricultura familiar e dos territórios rurais, entre outros serviços, tanto no Rio Grande do Norte, quanto na Paraíba, Pernambuco e Alagoas.

Leia texto completo aqui.

Opinião dos leitores

  1. Curiosidade, apenas: essa cambada de institutos, ONGs, Oscips, cooperativas… terceiro setor, enfim, são todos originários da era petralha?

  2. As alegações finais do MPF, de autoria do procurador da República Fernando Rocha, pedem a condenação de Aurenísia Celestino Figueiredo Brandão, Cid Celestino Figueiredo Sousa, Ângelo Márcio Fernandes de Sousa, Valter de Carvalho, José César da Costa Calado Filho, Wagner de Lima Costa, Jairo Duarte Pinheiro e Flávio de Aquino Carvalho.

  3. Interessante como em algumas matérias saem nomes, fotos, profissão, movimento que a pessoa pertence ou milita, etc, etc, etc. E outros nada, nada, nada…
    Quem são os processados?

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

MP atesta inexistência de denúncias contra reforma da Câmara de Parnamirim

Fotos: Divulgação

Transparência nas ações e licitude na reforma da Câmara de Parnamirim foram atestados na tarde dessa terça-feira(11) pelo Ministério Público, que emitiu uma certidão de nada consta de denúncia contra as obras em andamento no prédio do Poder Legislativo.

A certidão foi emitida, logo depois de a Comissão Temporária de Fiscalização da obra da Reforma e Ampliação da Câmara Municipal de Parnamirim, de forma voluntária, apresentar toda a documentação referente à obra. O objetivo foi deixar o Ministério Público ciente de todos os processos e procedimentos inerentes à reforma, através do trabalho de fiscalização feito pela Comissão.

“Há muita gente, grupos em redes sociais criados e que vem distorcendo informações sobre a obra, por isso estamos entregando toda a documentação ao Ministério Público voluntariamente para ciência e futuro parecer se necessário. Também vale salientar que a Comissão não encontrou nenhum indício de irregularidade que pudesse gerar reclamação, nem tampouco foi protocolado qualquer denúncia, conforme a certidão expedida pelo Ministério Público”, explicou a presidente da Comissão, vereadora Kátia Pires.

Kátia ainda reforçou que o objetivo da Comissão é fiscalizar todo o processo desde o início até o final da execução da obra. “Queremos deixar tudo bem claro, dar uma satisfação à população e também convidar a qualquer cidadão que quiser conhecer o projeto, tirar dúvidas que procurem a nossa comissão, pois estamos focando na fiscalização direta de todo processo da obra”, enfatizou a parlamentar.

”Cabe a Comissão atuar na fiscalização e, em caso de dúvidas, tentar sanar de forma interna com quem compete na sede legislativa e se houver qualquer irregularidade, formalizar com as devidas provas a denúncia junto ao Ministério Público, seja a comissão ou qualquer outro cidadão, para as devidas apurações”, conclui o promotor de Justiça da Comarca de Parnamirim, Sérgio Gouveia de Macedo.

Além da vereadora Kátia Pires, integram a Comissão as vereadoras Ana Michele, professora Nilda e Rhalessa Freire – que não pôde se fazer presente na visita – além do vereador professor Ítalo Siqueira.

Necessidade da Obra

Na última sexta-feira, a Câmara de Parnamirim emitiu nota à população esclarecendo a necessidade da obra de reforma e ampliação que está sendo executada na casa legislativa. A estrutura defasada, sem acessibilidade aos portadores de necessidades especiais, acomodação de novos servidores recém-empossados, entre outros, fizeram com que os vereadores aprovassem a obra que contemplará em quatro etapas a construção de um novo plenário com piso superior e do plenarinho, novas salas e banheiros com adaptações as pessoas com deficiência, bem como as trocas de sistemas de segurança, elétrico e hidráulico de toda a casa legislativa, construção da escola do Legislativo, entre outras melhorias.

 

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Denúncias de fraudes marcaram o processo de eleição interna do PT, com presença de mortos nas listas de filiados que votaram

FOTO: (Partido dos Trabalhadores/Divulgação)

“Denúncias de fraudes marcaram o processo de eleição interna do PT realizado no último dia 8”, diz O Globo.

“As acusações vão da presença de pessoas mortas nas listas de filiados que votaram ao transporte de eleitores em carro oficial”.

Com informações de O Globo e O Antagonista

Opinião dos leitores

  1. Esse é o PT que quebrou o Brasil, cheio de maracutaias e roubalheiras. Infelizmente é só isso que esses sindicalistas vagabundas sabem fazer.

  2. Alguma novidade em se tratando de Petralhas, se não tem a quem roubar, rouba a ti mesmo, tudo pior do que o pó da bosta do cavalo branco de Napoleão.

  3. Muita injustiça que levantam sobre o partido baluarte da honestidade como dizia luladrão antes de ser presidente da república (chefe da quadrilha do maior roubo a cofres públicos do muuuundo!). Eeeeita mulestia

  4. Isso só pode ser mentira ou perseguição de Moro e da CIA (Central de Inteligência Americana) ! No PT só tem almas honestas tal qual o líder da seita, digo, do partido… Ninguém faz falcatrua no PT! KKKK

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *